Você está na página 1de 7

Diretoria de Ciências Exatas

Engenharia de Produção – EAD


Metrologia
20 Semestre de 2016
Definições Metrológicas e a importância da Metrologia
A metrologia é uma ciência importante para todas as engenharias, em especial, a Engenharia de
Produção, estuda a conformidade e especificações da produção, além de analisar a matéria prima
usada na produção. Dessa forma, o auditor de qualidade, externo e interno, deve apresentar
habilidades e competências no manuseio, interpretação e conversão de unidades de instrumentos de
medida.
Nessa disciplina, iremos trabalhar técnicas de conversão, problemas relacionados à medição e análise
de tolerâncias aceitáveis na ação de medir uma grandeza. Para tal, necessitamos de algumas
definições importantes sobre o tema a ser estudado ao longo da disciplina.
Definições Importantes
METROLOGIA: “Ciência da medição e suas aplicações. ” (VIM, 2008, p.15).
MEDIÇÃO: “Processo de obtenção experimental de um ou mais valores que podem ser razoavelmente
atribuídos a uma grandeza. A Medição pressupõe uma descrição de grandeza que seja compatível
com o uso pretendido de um resultado de medição, de um procedimento de medição e de um sistema
de medição. ” (VIM, 2008, p.15).
RESULTADO DE MEDIÇÃO: “Conjunto de valores atribuídos a um mensurando, completado por todas
as outras informações pertinentes disponíveis. ” (VIM, 2008, p.17).
PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO: “Descrição detalhada de uma medição de acordo com um ou mais
princípios de medição e com um dado método de medição, baseada em um modelo de medição e
incluindo todo o cálculo destinado à obtenção de um resultado de medição”. (VIM, 2008, p.16).
SISTEMA DE MEDIÇÃO: “Conjunto de um ou mais instrumentos de medição e frequentemente outros
dispositivos, compreendendo, se necessário, reagentes e insumos, montado e adaptado para fornecer
informações destinadas à obtenção dos valores medidos, dentro de intervalos especificados para
grandezas de tipos especificados. ” (VIM, 2008, p.32).
MENSURANDO: “Grandeza que se pretende medir. ” (VIM, 2008, p.15).
GRANDEZA: “Propriedade de um fenômeno, de um corpo ou de uma substância, que pode ser
expressa quantitativamente sob a forma de um número e de uma referência. ” (VIM, 2008, p.2).
VALOR VERDADEIRO: “Valor de uma grandeza compatível com a definição da grandeza”. (VIM,
2008, p.18).
VALOR CONVENCIONAL: “Valor atribuído a uma grandeza por um acordo, para um dado propósito.
” (VIM, 2008, p.18). Exemplo 1: valor convencional da aceleração da gravidade, g= 9,806 65m.s2.
EXATIDÃO DE MEDIÇÃO: “Grau de concordância entre um valor medido e um valor verdadeiro de
um mensurando”. (VIM, 2008, p.19).
PRECISÃO DE MEDIÇÃO: “Grau de concordância entre indicações ou valores medidos, obtidos por
medições repetidas, no mesmo objeto ou em objetos similares, sob condições especificadas”. (VIM,
2008, p.19).
ERRO DE MEDIÇÃO: “Diferença entre o valor medido de uma grandeza e um valor de referência”.
(VIM, 2008, p.20).
ERRO SISTEMÁTICO: “Componente do erro de medição que, em medições repetidas, permanece
constante ou varia de maneira previsível”. (VIM, 2008, p.20).
TENDÊNCIA: “Estimativa de um erro sistemático”. (VIM, 2008, p.20).
ERRO ALEATÓRIO: “Componente do erro de medição que, em medições repetidas, varia de maneira
imprevisível”. (VIM, 2008, p.20).
INCERTEZA DE MEDIÇÃO: “Dispersão dos valores atribuídos a um mensurando”. (VIM, 2008, p.22).
CALIBRAÇÃO: “Operação que estabelece, numa primeira etapa e sob condições especificadas, uma
relação entre os valores e as incertezas de medição fornecidos por padrões e as indicações
correspondentes com as incertezas associadas”. (VIM, 2008, p.25).

Discussão sobre as definições metrológicas

Na utilização de um sistema de medição, que pode ser um instrumento ou dispositivo, espera-se que
o resultado da medição seja o mais exato possível, ou seja, os valores do mensurando sejam o mais
próximo do valor verdadeiro. É sabido que qualquer medição não é exata, apresenta erros. Estes erros
devem ser conhecidos, para que se tenha uma previsibilidade das medições. Além disto, para que o
sistema seja reconhecido pelas partes interessadas, é necessário que se utilize padrões reconhecidos
internacionalmente. Para que estes padrões, garantam a confiabilidade das medições, necessário se
faz a comparação entre os padrões, processo este chamado de calibração. A calibração é um sistema
que proporciona as seguintes vantagens, entre outras:
i) uniformidade das medições realizadas;
ii) menor variação das especificações técnicas dos produtos;
iii) prevenção de defeitos, redução de perdas e desperdícios.
Para assegurar atendimento aos requisitos de desempenho, as calibrações devem possuir
rastreabilidade aos padrões nacionais e internacionais, conforme exposto abaixo:

A rastreabilidade metrológica é uma propriedade do resultado de uma medição, relacionado a uma


referência, denominadas de padrões, de modo a garantir que a mesma tenha sido feita de modo
correto. Dessa forma, muitos engenheiros, usam em ensaios de medição técnicas que obedecem a
padrões determinados por órgãos nacionais e internacionais, dentre os quais podemos destacar no
Brasil, a ABNT (associação brasileira de normas técnicas) e a nível internacional, a ISO (Internacional
Organization for Standardization), ASTM (American Society for Testing and Materials) e DIN
(Deutsches Institut für Normung), dentre outras.
A importância na Metrologia
Verificaremos a importância da Metrologia através de Exemplo abaixo.
Exemplo 01: Ao comprar determinado produto, cuja embalagem marca 500g, você tem a
desconfiança que o mesmo, não possui a massa especificada. Então resolve tirar a dúvida, e leva o
produto em outro estabelecimento e constata que a massa é de 490 g. E agora, como resolver o
problema? Como saber se você foi lesado?
Com base nas definições acima, efetua-se as seguintes questões:
a) A balança utilizada na 1º etapa estava calibrada?
b) Qual das duas balanças estão corretas?
c) A operação “pesagem”, foi efetuada corretamente?
d) E as condições de uso, estavam adequadas, nos dois casos?
e) E qual era a tolerância para aquela massa? Será que ainda estava dentro da faixa admissível?
f) Foi utilizado o tipo de balança correta, ou seja, foi escolhido a balança com Resolução adequada,
para aquela pesagem?
Daí perceber-se que a Metrologia está presente em nosso cotidiano, na fabricação de produtos, na
pesagem, no abastecimento de combustível, na medição da pressão sanguínea, entre outros
aspectos.
Com base em pesquisa, comente sobre o problema levantado no exemplo 01.
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________

Vejamos uma situação problema.


Exemplo 02: Um engenheiro responsável pela produção recebe uma informação do seu cliente que
determinada peça está fora das tolerâncias estabelecidas pelo desenho. Que tipo de análise dever
ser realizada para atender à reclamação do cliente, no que se refere aos aspectos metrológicos?
Resposta: O engenheiro deve fazer a medição do lote de peças produzidas, de modo a confirmar a
reclamação do cliente.
Exemplo 03: Explique a rastreabilidade Metrológica.
Resposta: A rastreabilidade metrológica é uma propriedade do resultado de uma medição,
relacionado a uma referência, denominadas de padrões, de modo a garantir que a mesma tenha sido
feita de modo correto.
Exemplo 04: Uma pessoa realizou uma medição de um produto, cujo especificação é de 9,565 ±
0,005. O instrumento utilizado foi um micrômetro de 0,01, e o resultado encontrado foi 9,57. Responda
as questões abaixo, explicando sua resposta:
i) A peça está dentro do especificado?
Resposta: dentro da margem de erro oferecida pelo fabricante, a peça está dentro das especificações.
ii) O procedimento utilizado foi correto?
Resposta: Para confirmar a especificação do fabricante, deveria ser usado um micrômetro de 0,001,
dentro da ordem de grandeza da tolerância especificada pelo fabricante. Dessa forma, esse
instrumento não mediu de modo preciso o produto.
Exemplo 05: Um operário mede uma peça e encontra 9,28mm. Outro funcionário mede a mesma
peça e encontra 9,37. É possível, esta ocorrência? Explique:
Resposta: essa incoerência entre as medições não pode ocorrer, pois usados instrumentos calibrados
e feita a medição de modo correto, as medidas devem ser as mesmas, pois trata-se da mesma peça.

Sistema Métrico
Definições
SISTEMA DE UNIDADES: “Conjunto de unidades de base e de unidades derivadas, juntamente com
os seus múltiplos e submúltiplos, definidos de acordo com as regras dadas, para um dado sistema de
grandezas. ” (VIM, 2008, p.7).
PADRÃO: “Realização da definição de uma grandeza, com um valor determinado e uma incerteza de
medição associada, utilizada como referência. ” (VIM, 2008, p.43).
DEFINIÇÃO ATUAL DO METRO: “O metro é o comprimento do trajeto percorrido pela luz no vácuo
durante um intervalo de tempo de 1/299.792.458 de segundo”. Essa definição tem o efeito de fixar a
velocidade da luz exatamente em 299.792.458 m/s”. (SILVA NETO,2012)

A Evolução dos Sistemas de Unidade


A evolução dos sistemas de unidades de medidas ocorre em função do desenvolvimento e
necessidade de uma sociedade.
De acordo com a história, pode-se observar que lá no Antigo Testamento (Noé), ao construir a arca,
adotou a unidade de medida denominada CÔVADO.
O significado de côvado = medida de comprimento que foi usada por diversas civilizações antigas. Era
baseado no comprimento do antebraço, da ponta do dedo médio até o cotovelo.
Assim como esta unidade de medida, surgiram tantas outras como polegada, palmo, pé, jarda, braço.
É claro que existiram muitos problemas com estas unidades, uma vez que em cada lugar se tinha uma
referência. O palmo dos romanos, por exemplo, era diferente do palmo dos egípcios. E foi através
desta busca de aperfeiçoamentos e em função de uma necessidade do homem, que chegamos até
hoje ao Sistema Métrico. E mesmo com as atuais definições, não significa que vão parar as alterações.
A cada evolução da tecnologia e novos meios mais precisos e exatos de medição, existe a
possibilidade de tais unidades de medida, serem revisadas.
O sistema métrico decimal começou a se tornar realidade em 1837, quando seu uso foi obrigatório na
França. No Brasil, este sistema foi introduzido por uma lei em 26 de junho de 1862.
quilômetro hectômetro decâmetro metro decímetro centímetro milímetro micrômetro
km hm dam m dm cm mm μm
1km= 103m 1hm =102m 1dam=10m 1m 1cm=10-1m 1cm=10-2m 1mm=10-3m 1μm=10-6m
Observação: o prefixo para quilo (k) é escrito com letra minúscula.

Conversão de Unidades
Exemplo 01: Converter 2,123 dam para mm.
Verificando através da tabela acima, deslocamos 4 casas para a direita (dam para mm)
2,123 dam = 21230, = 21.230mm
Exemplo 02: Converter 89.345mm para dam.
Verificando através da tabela acima, deslocamos 4 casas para a esquerda (mm para dam)
89345 mm = 8,9345 dam

Exemplo 03: Usando a tabela de Múltiplos e submúltiplos da unidade m (metro), realize as


transformações abaixo:

1mm = 1.103μm = 1000μm


1cm = 1.10-2m
1mm = 1.10-3m
1μm = 10-3mm
851mm = 0,851m (divide-se por 1000)
139,4 cm = 1,394m (divide-se por 100)
872,2 mm = 8522.102μm (multiplica-se por 1000)
46,8μm = 0,0468mm (divide-se por 1000)
232,56 mm = 23,256cm (divide-se por 10)
145cm = 1,45m (divide-se por 100)
1,8m = 1,8.103mm (multiplica-se por 1000)
1290mm = 129,0cm (divide-se por 10)
733μm = 0,733mm (divide-se por 1000)
1,4mm = 1,4.103μm (multiplica-se por 1000)
Obs.: Na conversão de unidades, devemos manter a mesma quantidade de algarismos significativos
das do número original. Lembre-se que zeros à esquerda não são significativos e potência de 10 não
contam como algarismos significativos.

Sistema Métrico inglês – Conversões


Vejamos algumas unidades de dimensões do sistema inglês e suas conversões para o metro e
múltiplos do metro.
Equivalência
Unidade Símbolo Jardas Pés Polegadas mm
Jarda (Yard) yd 1 3 36 914,4
Pé (foot) ft(') 1/3 1 12 304,8
Polegada (inch) in(") 1/36 1/12 1 25,4

Principais conversões
1) Conversão de polegada para milímetro
Usa-se regra de três para fazer a conversão entre as unidades. Vejamos o exemplo:
Converter 3” para mm.
Sendo 1 polegada ------- 25,4
3 polegada ------- x. Dessa forma:
3 × 25,4
𝑥= = 76,4𝑚𝑚
1
2) Conversão de milímetro para polegada
Como mostrando antes, 1in = 25,4mm então, 1mm = 1in/25,4 = 0,03937in. Dessa forma, converta
35,0mm para polegadas:
35,00mm = 0,03937x35 = 1,378 polegadas.

3) Conversão de Milímetros para Polegada Fracionária

Procedimento:
i) Convertemos o número em milímetros para polegada conforme item 2.2;
ii) Multiplicamos o valor encontrado no primeiro item por 128, que é a menor resolução da polegada
fracionária. Se este valor não der exato, deve ser arredondado para o valor mais próximo do número
decimal encontrado;
iii) Por último dividimos o resultado por 128 e, simplificamos se necessário;
Exemplo 01: Converter 19,05mm em polegada fracionária.
Resolução:
Seguindo os procedimentos:
i) dividindo o valor por 25,5, tal que:
19,05
= = 0,75𝑖𝑛
25,4
ii) multiplicando por 4 o valor de 0,75, de modo a transformar o valor obtido pela divisão em um número
inteiro, tal que: 0,75x4=3.
Dessa forma, temos:
3
19,05𝑚𝑚 = 𝑖𝑛
4

Exemplo 02: Converter 9,525mm em polegadas fracionárias.


i) dividindo o valor por 25,5, tal que:
9,525
= = 0,375𝑖𝑛
25,4
ii) multiplicando por 8 o valor de 0,375, de modo a transformar o valor obtido pela divisão em um
número inteiro, tal que: 0,375x8=3.
Dessa forma, temos:
3
9,525𝑚𝑚 = 𝑖𝑛
8

Observação: devemos multiplicar por números da sequência 2n, para n=1, 2, 3, ..., tal que,
multiplicamos pelos números 2, 4, 8, 16, 32, 64, 128, 512, 1024...
Atividade Avaliativa 01 – 2,00 pontos
1) Converta as grandezas:
b) 10,32cm = ________________________mm
c) 23,50m = _________________________km
d) 75,89hm = ________________________μm
e) 65,758mm = _______________________m

2) Converta as dimensões de polegadas para mm:


a) 125in =
b) 32,00in =
c) 41,0” =
d) 4,500” =

3) Converta as dimensões de mm para polegadas fracionárias:


a) 1,5875mm =
b) 10,319mm =
c) 14,684mm =
d) 9,9219mm =

4) Converter as dimensões de polegada fracionária para polegada milesimal (unidade em números


decimais):
5"
a) =
8
17"
b) =
32
1"
c) 5 =
8
9"
d) 3 =
16
Lembre-se que nesse caso, temos o exemplo:
9" 9"
8 = 8" + = 8 + 0,218125 = 8,218125"
32 32
Também:
133,350𝑚𝑚 1" 1"
133,350𝑚𝑚 = = 5,25=5 + 0,25=5+0,25 × 4 = 5" + = 5
25,4 4 4
Qualquer dúvida, estou à disposição.
Att,
Eduardo Maeda