Você está na página 1de 6

PROTEÇÃO CONTRA A DOENÇA DE GUMBORO

A alta tecnologia que


simplifica
Proteção sua vida
completa com Aplicação no
dose única incubatório

Proteção
adaptada Injeção “in ovo”
a cada ave ou
via subcutânea

Não sofre
interferência dos
anticorpos
maternais

®
CEVAC TRANSMUNE IBD
A vacina complexo-imune
comProtecting
(Virus VPI Immunoglobulins / Anticorpos Protetores do
Vírus Vacinal)
CEVAC® TRANSMUNE IBD

Como a alta tecnologia da CEVAC®

Nível e uniformidade Idade correta para a Necessidade


dos anticorpos maternais vacinação? de Sorologia

Cepa do vírus de campo?


Desafio de campo Diagnóstico
Que vacina utilizar?

Controle da execução da
Vacinação na água vacinação: jejum hídrico, qualidade
Treinamento?
de bebida da água, movimentação e estresse
do lote, consumo desuniforme

Transporte, entrega,
Vacinação na granja Logística da vacina armazenamento e utilização

Grande número de Uniformidade da qualidade


granjas no sistema da vacinação via água na Controles detalhados em
de produção empresa todas as granjas

Uma combinação eficiente:


Um complexo virus vacinal - anticorpo.

A experiência da Ceva Santé Animale no manejo da


enfermidade de Gumboro (IBD) foi utilizada para criar
uma vacina inovadora, a CEVAC® TRANSMUNE IBD.
Esta nova tecnologia combina a conhecida cepa
vacinal
“Winterfield 2512” com anticorpos específicos. O
complexo imune formado pela união antígeno +
anticorpo protege temporariamente o vírus vacinal
contra a neutralização pelos anticorpos maternais,
adequando o processo da replicação do vírus vacinal
ao
momento certo.
CEVAC® TRANSMUNE IBD

TRANSMUNE IBD simplifica a vacinação

Não sofre interferência dos


anticorpos maternais

Proteção completa contra qualquer


vírus de campo

Injeção “in ovo” ou via


subcutânea. Melhor controle e
precisão

Logística mais simples e segura.


Vacinas recebidas, armazenadas
e utilizadas no mesmo local

Vacinação concentrada no incubatório.


Melhor controle e muito maior uniformidade
de aplicação para toda empresa

Proteção adaptada a cada ave


CEVAC® TRANSMUNE IBD

CEVAC® TRANSMUNE IBD - uma vacina segura

Eclodibilidade
O ovos férteis vacinados com CEVAC® TRANSMUNE IBD tiveram taxas de eclodibilidade
idênticas
aos dos grupos controle.
Taxa de eclodibilidade em ovos
comerciais (estudos CEVA)
86,9% 86,2%
Controles "in
ovo"
Transmune "in(HVT +
IBD)
ovo" (+HVT)

Vacinação "in
ovo"

Controles

Testes laboratoriais Testes de campo no Brasil*

*Testes com 33.600 ovos por tratamento injetados “in ovo”.

Efeito sobre a resposta imune


CEVAC® TRANSMUNE IBD (“in ovo”) não afeta a resposta imune estimulada pelas vacinas
vivas de
Newcastle em aves comerciais, fato demonstrado por sorologia e desafio.
O efeito da vacinação “in ovo” com
Cevac® TRANSMUNE IBD sobre a
eficácia da vacinação contra a Doença
Proteção ao
de Newcastle (estudo CEVA) Desafio pelo
NDV (%)
Título de HI
(log 2)

Proteção ao desafio ND (%)

Título de HI (log 2)

* Cevac® Vitapest: vacina contra a Doença de Newcastle Idade (semanas)


(cepa Phy.LMV42)

Protegendo a ave e seu desempenho

Proteção em condições controlada em aves comerciais


Proteção induzida pela CEVAC® 100
TRANSMUNE IBD (via subcutânea no 100 95

1º dia) comparada com associação de 90


2 vacinas intermediárias. 80
Porcentagem de proteção após desafio 70
com vírus muito virulento da Doença Proteção (%)
60
de Gumboro (cepa MOH94).
50
40 33

30
20
10
0
0
21 31
Idade desafio (dias)
CEVAC® TRANSMUNE IBD
Vacina Intermediária (via subcutânea no 1o dia + via água de bebida aos 15
dias)
CEVAC® TRANSMUNE IBD

Testes de campo no Brasil com mais de 20 milhões de frangos


confirmam a eficácia da CEVAC® TRANSMUNE IBD.

Soroconversão
Testes de campo no Brasil com 5,6 milhões de aves vacinadas com
CEVAC®
TRANSMUNE IBD no 1º dia de idade ou “in ovo”.

Títulos Geométricos Médios


(GMT) de anticorpos contra o vírus da
12.000
Doença de Gumboro no soro de aves
vacinadas com a CEVAC® Títulos
10.000
TRANSMUNE IBD. Geométricos
(Elisa Idexx IBD -
(GMT)
XR) 8.000

6.000

4.000

2.000

1 21 28 35 41
Dias de Idade
GMT Máximo GMT Médio GMT Mínimo

PCR (Teste Molecular da Reação em Cadeia da Polimerase)


Detecção por PCR do vírus da Doença
de Gumboro em bolsas de Fabrício de
aves vacinadas com CEVAC® Grupo Idade de Coleta das Bolsas
TRANSMUNE IBD (SIMBIOS Molecular
Biotecnologia - Canoas/RS - Brasil). SIMBIOS 21 dias 28 dias 35 dias

Neg 67% 0% 0%

G3 33% 100% 100%

Neg = Negativo para a detecção do vírus da Doença de Gumboro.


G3 = Grupo molecular SIMBIOS ao qual pertence a cepa vacinal
Winterfield 2512.

Mortalidade
Teste de campo no Brasil com 3,29
milhões de frangos de corte controle 8,5
(2 vacinas vivas: Intermediária e 8 8,15
Intermediária Plus) e 1,13 milhão Mortalidade
7,5 7,76 7,75
frangos de corte vacinados com Total % 7,57
7
CEVAC® TRANSMUNE IBD.
6,5
6

5,5
5
4,98 4,9
4,5
Fêmeas Machos Misto

CEVAC® TRANSMUNE IBD Controle


PROTEÇÃO CONTRA A DOENÇA DE GUMBORO

• Inovadora combinação de segurança e eficácia contra


IBD
• Uma só vacinação, “in ovo” ou no primeiro
dia
• Elimina a necessidade de se determinar a idade
correta
para vacinação

Vacina viva liofilizada (composta por complexos imunes formados pela cepa Winterfield 2512 e anticorpos contra o vírus causador da
Doença
Infecciosa da Bursa ou Doença de Gumboro) para a imunização ativa de frangos contra a Doença de Gumboro.
COMPOSIÇÃO: CEVAC TRANSMUNE IBD contém a cepa Winterfield 2512 da Doença de Gumboro, vírus vivo no complexo com
anticorpos IBD, sob a forma liofilizada. Os ovos embrionários de galinha e os frangos usados na produção da vacina foram obtidos a
partir de
lotes isentos de patógenos específicos (SPF).
INDICAÇÃO: Para a imunização ativa de embriões de frango com 18 dias de incubação ou pintos sadios com 1 dia de vida, contra a
doença
causada pelo vírus da Doença de Gumboro.
ADMINISTRAÇÃO E DOSAGEM: O produto é apresentado na forma liofilizada e acompanhado de diluente para a reconstituição da
vacina.
A vacina pode ser administrada por injeção “in ovo” ou através da via subcutânea ao primeiro dia no incubatorio.
Dissolver completamente o conteúdo liofilizado do frasco em um volume de diluente, de acordo com o tamanho da embalagem e
conforme a
via de administração.
• Injeção “in-ovo”: a dose da vacina reconstituída é de 0,05 mL.
Exemplo: 20.000 doses reconstituídas com 1 L de diluente.
• Injeção via subcutânea: a dose da vacina reconstituída é de 0,1 mL.
Exemplo: 10.000 doses reconstituídas com 1 L de diluente.
• A dose da vacina reconstituída é de 0,2 mL.
Exemplo: 5.000 doses reconstituídas com 1 L de diluente.
PRECAUÇÕES: A proteção satisfatória pode ser alcançada apenas em embriões corretamente desenvolvidos e com vitalidade e, pintos
sadios
de 1 dia de vida. Os utensílios utilizados para a injeção devem estar completamente isento de resíduos de desinfetante. Use todo o
conteúdo
do frasco imediatamente após a mistura.
Após a vacinação descarte todos os frascos abertos da vacina no lixo de acordo com a legislação específica. A estocagem inadequada
da
vacina pode causar perda da potência. O manuseio ou administração inadequada pode provocar respostas variáveis.
CONSERVAÇÃO: Conservar entre +2°C e +8°C, ao abrigo da luz solar direta, fora do alcance de crianças e animais domésticos.
VALIDADE: 18 meses anos após a data da fabricação.
APRESENTAÇÃO: Frasco de vidro contendo de 1000 e 5000 doses.

09/2006

CEVAC® TRANSMUNE IBD


A vacina complexo-imune
comProtecting
(Virus VPI Immunoglobulins / Anticorpos Protetores do
Vírus Vacinal)

CEVA SAÚDE ANIMAL LTDA

Rua Santa Justina, 660 São Paulo/SP Brasil CEP 04545-042 Tel.: +55 11 3048-8399 Fax: +55 11 3045-0186
www.ceva.com - cevabrasil@ceva.com