Você está na página 1de 16

AVALIAÇÃO

à DA FUNÇÃO
Ã
PULMONAR
AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO PULMONAR

y Testes de avaliação da função pulmonar:

{ Diagnóstico de doença;

{ Avaliação do Percurso;

{ Avaliação da Recuperação.
Recuperação
AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO PULMONAR

y Compliance Pulmonar e da parede torácica:

{ Distensibilidade p
pulmonar define a facilidade com q
que os
pulmões e o tórax se expandem.

{ Corresponde ao volume que o tórax e os pulmões


aumentam pela modificação de cada unidade de pressão
alveolar;;

{ Expressa-se em litros – volume de ar, por centímetro de


água – pressão.
pressão Num adulto é 0,13l/cm
0 13l/cm H2O.
H2O Cada
alteração de cada cm de água na pressão alveolar, o volume
sofre uma alteração de 0,13l.
AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO PULMONAR
Resistências: elásticas,
elásticas aéreas,
aéreas tecidulares

y Resistências das vias aéreas (Raw) ( )


Relação existente entre as variações de pressão alveolar e o débito
aéreo resultante.

y Di
Distensibilidade
t ibilid d pulmonar
l ou compliance:
li
relação existente entre as variações do volume pulmonar e as
variações
a ações cocorrespondentes
espo de tes da p
pressão
essão ttranspulmonar
a spu o a noo mesmo
es o
ciclo respiratório.
C= ΔV/ΔP
COMPLIANCE PULMONAR

y Quanto maior a compliance maior a expansão do


tórax.
y Enfisema – destruição do tecido muscular elástico
que reduz a força de retracção elástica dos
pulmões, facilitando a sua expansão
compliance maior que a normal
y Fibrose pulmonar – deposição de fibras não
elásticas
compliance menor que a normal
COMPLIANCE PULMONAR
Volumes e capacidades pulmonares

Volumes pulmonares :

• Volume corrente
• Capacidade Residual
Funcional
• Volume Reserva Insp.
• Volume Reserva Exp.
• Capacidade Vital
• Volume Residual
• Capacidade Pulmonar
Totall
Volumes e capacidades pulmonares

y Espirometria – processo através do qual se mede os


movimentos dos volumes de ar.

y Espirometro – dispositivo utilizado para medir os volumes


pulmonares.
pulmonares
Volumes e capacidades pulmonares
A Espirometria
E i t i é um teste
t t que permite
it medir
di o fluxo
fl d ar
de
nas vias respiratórias ou brônquios.
Tem como indicações a investigação de sintomas respiratórios
(tosse pieira,
(tosse, pieira falta de ar,
ar etc.);
etc ); o diagnóstico e a avaliação de
asma e de doença pulmonar obstrutiva ou bronquites, que de
alguma forma perturbam a mecânica ventilatória.
Pode medir a incapacidade funcional dos pulmões; avaliação
pós-operatória; e avaliação e diagnóstico de doenças
respiratórias relacionadas com o trabalho.
Volumes e capacidades pulmonares

A Espirometria permite verificar se existe obstrução ao fluxo


d ar, ou seja,
de j se as vias
i respiratórias
i ó i estão
ã anormalmente
l
contraídas, ou se o volume dos pulmões está normal.
São realizados ainda testes após o uso de medicação
b o codilatado a determinando
broncodilatadora, dete i a do se a obstrução
obst ção é reversível
e e sí el ou
o
não. Com este procedimento pode-se diagnosticar a presença
de asma e quantificar a melhoria após o uso do
broncodilatador.
broncodilatador
Volumes e capacidades pulmonares
Volumes Estáticos:

Volume corrente
Volume de ar inspirado
p ou expirado
p em cada ciclo respiratório
p
(
(≈500 ml)
l)

Volume de reserva inspiratória


Volume máximo de ar que pode ser inspirado após inspiração
do volume corrente (≈3000 ml) – inspiração forçada

Volume
l d
de reserva expiratório
i ó i
Volume máximo que pode ser expirado a partir da posição de
equilíbrio (≈1000 ml) – expiração forçada
Volume residual
Volume de ar que fica nos pulmões no final da expiração
forçada.
forçada
Volumes e Capacidades Pulmonares na
Espirometria

y
Volumes e capacidades
p p
pulmonares

{ As Capacidades Pulmonares são a soma de 2 ou + volumes


pulmonares:
Capacidade Residual Funcional
Volume de ar que se mantém nos pulmões após expiração normal
(≈2500 ml).
Capacidade Vital
Volume máximo de ar que pode ser expirado após inspiração
máxima (VC+VRI+VRE)
Capacidade Pulmonar Total
Volume máximo de ar que os pulmões podem conter. O volume de
gás
á nos pulmõesl õ após
ó uma inspiração
i i ã máximaá i é a CPT.
CPT
Representa a soma dos Volumes Corrente, de Reserva
Inspiratório, de Reserva Expiratório mais o Volume Residual.
CAPACIDADE VITAL = VC + VRI + VRE
CAPACIDADE INSPIRATÓRIA = VC + VRI
CAPACIDADE RESIDUAL FUNCIONAL = VRE + VR
CAPACIDADE PULMONAR TOTAL = CV + VR
Volumes e capacidades pulmonares

Volumes Dinâmicos:

VEMS = volume expiratório máximo no 1º segundo

Volume de ar expulso no 1º segundo de uma expiração


forçada, tão rápida quanto possível, após uma
inspiração máxima.
Volumes e capacidades pulmonares
Índice de Tiffeneau:
% da Capacidade Vital que se consegue expirar no 1º segundo
após uma inspiração máxima.

Índice Tiffeneau = VEMS / CV x 100

Permite distinguir:
Síndrome Ventilatório Obstrutivo
VEMS ; CV normal; Índ. Tiffeneau ;

Sí d
Síndrome V
Ventilatório
il ó i Restritivo
R ii
VEMS ; CV ; Índ. Tiffeneau normal ;