Unip

História do Pensamento Contábil

Daniele Pinheiro da Silva RA 287323-0 Flávia de Oliveira Alves RA 287002-9 Lucio Mauro da Silva RA 289278-2 Roberto Gomes Ribeiro Neto RA 285958-0

Jundiaí Agosto/ 2010

2

Finalmente cabe destacar que as escolas de pensamento contábil são formadas a partir de um conjunto de pensamentos simultâneos nas mentes dos contabilistas. opiniões. quais sejam: • Nem todos os pensamentos convertem-se em teorias. a primeira fase envolvia a combinação de um sinal com uma mercadoria. Arqueologia da contabilidade A arqueologia da contabilidade é fruto de estudos científicos de restos humanos. As escavações revelaram que as quarenta e nove fichas perfuradas representavam a garantia de que o pastor havia recebido o rebanho e possuía uma divida com o proprietário. precisamos entender o conceito de pensamento. isto porque esses fatos ocorreram antes do aparecimento da escrita.A Evolução do Pensamento Contábil. caracterizava-se pelo relacionamento através de fichas concretas com palavras representando números específicos. As Fichas de Barro As fichas de barro são classificadas em duas categorias: As Simples. • Nem todos alcançavam valor histórico. cilindros. liberando a contagem de um conjunto especifico de coisas. Por outro lado. Além disso. E o objetivo principal da Contabilidade é o de fornecer informações úteis para os seus usuários. a ficha correspondente ao animal era transferida para outra caixa. A segunda fase. porem com incisões ou pontuações. Historicamente.. ou transferida de pasto. a contagem envolveu três fases evolutivas. representando a entrada ou saída física de ativos. também com uma grande variedade de formas.C. sendo usadas principalmente em zonas rurais. e reflexões dos contabilistas em determinada época em relação a um conjunto de fenômenos históricos vividos pela contabilidade em relação ao seu objetivo. As transações comerciais feitas por transferências de fichas de barro. retângulos e revelam traços de 8000 a. criando números gerais suficientes para a contagem de qualquer coisa e criando a noção abstrata de número. contagem concreta. foi considerada por muitos pensadores contábeis como 3 . repetindo o sinal para cada unidade adicional do produto. • Precede a teoria contábil. que possuíam a forma de esferas. Definição de pensamento Contábil. triângulos. e quando uma era vendida. eram usadas em muitas cidades e nos arredores dos templos. este indica um conjunto de fenômenos que se podem ou não conhecer. Cada ovelha era representada por uma ficha. na pré-história. Primeiramente. As Complexas. o pensamento contábil possui algumas peculiaridades. registrando a ocorrência. Esses objetos eram moldados à mão e endurecidos com calor. ou seja. o pensamento contábil reflete as idéias. Na terceira fase na evolução da contagem desenvolveu o símbolo numérico.

surgiram as tabuas de Uruk. Características do controle: o controle empírico era feito através de um inventario. já existia em alguns países a obrigação de livros e documentos comerciais. haveria ocorrido algum erro de registro. e caso houvesse alguma diferença. mas também eram utilizadas para inventariar o trabalho escravo. poder aquisitivo da moeda e custo de vida da época. Foi nesse período que começaram a surgir às primeiras 4 . que eram utilizadas para contabilizar a comida e a cerveja. Realidade física (transferência de ativos): entradas de fichas num envelope indicavam um credito. Realidade social (propriedade e declaração de débitos): as fichas impressas na parte externa do envelope indicavam a existência de um debito já uma ficha dentro do envelope. Em outros locais da antiguidade também foram encontrados registros contábeis na forma de tabuas de argila. foram encontrados os preços relativos aos produtos. Com o surgimento da moeda e das medidas de valor. também foram encontrados inventários de metais preciosos. e caso os dois não fossem iguais. As principais características do sistema contábil de partidas dobradas através de fichas de barro são as seguintes: a. e uma saída indicava um debito. O controle tautológico era feito com a contagem de fichas no envelope e sua comparação com os impressos na superfície do mesmo. comparando com a quantidade na ficha. c.um sistema de partidas dobradas superior ao sistema de hoje. renascendo também a importância da Contabilidade. Com o comércio em larga escala desencadeou-se a necessidade de controle e a Contabilidade despontou como instrumento capaz de fornecer as informações necessárias para o gerenciamento dos negócios. Um dos documentos contábeis mais evoluídos da antiguidade foi encontrado na Grécia e pertencia ao templo de Atenas. houve o ressurgimento da atividade econômica. e o numero de fichas indicava a quantidade de cada coisa. sendo possível determinar as contas contábeis representantes do patrimônio e seus respectivos valores. b. Esse registro revelava todos os contribuintes de impostos. jóias e outros objetos. Com o surgimento da escrita alfabética em 1100 a. saberiam se algum ativo havia desaparecido.C. pois uma impressão sobre um envelope revelava imediatamente a situação patrimonial. equivalia à realidade social. Foi esse período que marcou o fim da Contabilidade Antiga e o inicio da Contabilidade Moderna. Sistema de Tábuas Após os registros das fichas de barro.C. ou se a ficha teria sido perdida. em outros. fato que contribuiu com o desenvolvimento da Contabilidade. Outros Sistemas de Registros Por volta de 2000 a. o sistema de contas ficou completo..

em que novas formas de administrar e comercializar foram implantados. Com sua obra. Pacioli tornou Veneza imortal para todos os estudiosos da contabilidade. criando um ambiente de negócios e um nível comercial bem mais sofisticado que o conhecido ate então. Os procedimentos de controle contábil das contas da tesouraria e a determinação de um ciclo contábil prescritos por esse funcionário ajudaram a expandir os métodos contábeis nessa cidade. facilitando a solidificação de um novo período histórico. 5 .obras que deram um passo decisivo para a fixação da Contabilidade como um instrumento útil no controle patrimonial. Portanto a Contabilidade moderna pode ser vista como resultado de uma mudança social e econômica vivida por cidades do Norte da Itália. principalmente para o norte da Itália. Origem dos Sistemas Contábeis de Partidas Dobradas O primeiro sistema de partidas dobradas foi desenvolvido por um funcionário publico responsável pela tesouraria da cidade de Genova por um ano. quando da primeira publicação do livro impresso que continha este sistema contábil. Veneza tornou-se a mais conhecida mundialmente devido ao momento histórico vivido. o uso generalizado deste sistema de registro contábil. Embora o primeiro sistema de partidas dobradas deu-se com a utilização das fichas de barro. Solidificação das Partidas Dobradas. e ao final desse período ele possuía todo controle do caixa e de outros itens para prestar contas à comunidade. começou a ser implementado somente com o advento da chamada Revolução Comercial após o século XII. Mesmo que o sistema de partidas dobradas tenha sido desenvolvido em mais de uma cidade simultaneamente. • A aprendizagem da tecnologia de impressão de livros na Alemanha e sua rápida disseminação para os grandes centros comerciais da Europa. Genova e Florença. Dois grandes motivos podem ser apontados como os propulsores do desenvolvimento dos sistemas contábeis de partidas dobradas: • O desenvolvimento econômico na área abrangida entre as cidades de Veneza. O desenvolvimento e propagação das partidas dobradas ajudaram o homem a atravessar o ultimo período medieval vivido pela Europa.

o processo de escrituração contábil deve estar subordinado ao funcionamento das contas. e as teorias contidas nesse livro permaneceram inalteradas ate o século XVIII. entre eles Edmundo Degranges que apresentou a teoria das cincos contas. originou a primeira escola de pensamento contábil. especialmente com a obra de Pacioli. dinheiro. Esse trabalho. teve grande impulso com os trabalhos dos contistas franceses. O passo seguinte foi à criação da conta de capital. Personificação das Contas O Contismo. a conta de capital se assemelhava a uma divida da empresa para com o capitalista. As contas na realidade representavam o conjunto de débitos e créditos que uma pessoa tem em relação à outra. Sua movimentação seguia os mesmos princípios ditados para as contas a receber. 6 . efeitos a receber. isto é: mercadorias. ao longo dos anos. As contas a receber e a pagar. O objetivo das contas é sempre o de registrar uma divida a receber ou a pagar. principalmente porque o surgimento de sociedades com mais de um capitalista exigiu este registro separado. como dinheiro e mercadorias. as teorias contábeis vigentes eram praticamente as mesmas abordadas no livro impresso de Pacioli. com o desenvolvimento da teoria das contas. ou seja que as contas possuem cinco objetivos principais que lhe servem de meio de troca. efeitos a pagar e lucros e perdas. Para os pensadores contábeis que criaram o movimento contista. centrado no problema de evidenciar os saldos das contas a receber e a pagar e seguindo os princípios ditados pelos primeiros trabalhos escritos sobre técnicas comerciais. E mesmo não sendo uma teoria muito usada. surgiu no século XV. ela não fugiu do principio do pensamento de destacar o dever e o haver. o processo central de registro do haver e do dever.Escola Contista. O processo de escrituração contábil nesse sistema era realizado da seguinte forma: • Quem recebe deve – débito • Quem entrega tem a haver – credito. a denominada Escola Contista. A Escola Contista. A Contabilidade para eles deveria preocupar-se especialmente com o processo de escrituração e com as técnicas de registro através dos sistemas de contas. centrado basicamente em contas. A preocupação dos primeiros autores estava em descrever e apresentar exemplos de como registrar transações em livros contábeis através de partidas simples ou dobradas. seguiu a regra de quem recebe deve e quem entrega tem a haver. uniram-se a varias outras contas que representavam valores e outros bens. Para muitos contistas. Surgimento da Escola Contista Ate o século XVIII. e foi impulsionada pelos primeiros livros impressos. A escola Contista foi à primeira escola do pensamento contábil. ou seja.

tempo de permanência do produto novo no mercado. • • A desvinculação da contabilidade de cifras e números.Principais Personagens da Escola Contista Os principais nomes dessa escola são Benedetto Cotrugli. Desta forma a Contabilidade não se limitava somente à escrituração. a Contabilidade deveria ser uma disciplina destinada a interpretar a dinâmica das empresas. Origem da Escola Lombarda. ocorreu uma conjugação entre os objetivos da Contabilidade e Administração em função de que a ultima não havia se firmado como uma disciplina à parte e com vida própria. seu trabalho consistiu em quatro livros que trata das técnicas e praticas que os comerciantes deveriam saber e Luca Pacioli. mas era composta de um conjunto de conhecimentos e operações com o objetivo de controlar a gestão. ele foi. Outros aspectos significativos introduzidos por essa escola foram: • A avaliação de ativo permanente a preço corrente em atividades comerciais e industriais. que. e elementos econômico-administrativos. O ponto central da Escola Lombarda é a relação entre a Administração Econômica e a Contabilidade. ou seja. Estabelecimento do controle como objetivo da contabilidade. Quanto à parte da técnica de registro contábil. diante de vários modos de aplicação. da projeção do retorno sobre o capital investido. a implantação de um novo empreendimento deveria ser precedida de um estudo de viabilidade. essa ligação ocorreu através da inclusão na Contabilidade de fatores econômicos de produção e de consumo que faziam parte da gestão das entidades como forma de melhor qualificar a informação sobre essa gestão. na verdade o primeiro grande divulgador deste sistema contábil de registro. A Contabilidade para os seguidores dessa escola deve ser considerada um complexo de noções econômicas e administrativas aplicadas à arte de confeccionar os livros e as contas. que embora tenha sido apresentado como o criador das partidas dobradas. Segundo essa escola. 7 . A administração das entidades passou a ser alvo central de interesse dos estudiosos contábeis. Nesse período a administração das entidades passou a ser o alvo central de interesse dos estudiosos e Contabilidade. não pode aspirar ao titulo de ciência. ela representa apenas uma parte da contabilidade. outro ponto diz respeito à valorização dos ativos permanentes. baseada em seus princípios. iniciando um período cientifico da Contabilidade. Segundo essa escola do pensamento contábil. Escola Administrativa ou Lombarda A Escola Administrativa surgiu em 1840. pelo fato de coincidir com a época de sua obra com a introdução da impressão na Itália. ou seja. O fato propulsor desse movimento foi à conexão entre os elementos contabilísticos. voltada para o controle da gestão.

toda entidade tem um proprietário que deve ser considerado no processo de escrituração. Uma coisa é ser. Logismografia Está fundamentada no inter-relacionamento de Economia. Cerboni sempre teve a preocupação de desenvolver em seus trabalhos a possibilidade de sua aplicação a entidades estatais. E Antonio Tonzig. Giuseppe Cerboni e Giovanni Rossi. pois. as contas deveriam ser abertas a pessoas verdadeiras. Francesco Villa iniciou o estudo da aplicação dos princípios econômicos gerais ao campo da administração das entidades. sempre se referiam a pessoas de carne e osso. As contas. um progresso sem limites. o pensamento contábil é o elo entre o econômico e o administrativo. porque é ele o responsável por todo ativo e passivo da entidade. além da satisfação de suas necessidades. Finalmente. Administração e Contabilidade. e este devedor ou credor do proprietário). O pensamento administrativo indica ao homem a direção do direito e da moral. Marchi considerou a entidade como sendo totalmente confiada ao administrador. uma vez que lhe assegura. Escola Personalista. para ele a Contabilidade era parte essencial e a base necessária para uma boa e permanente administração. correspondentes (que eram devedores e credores do administrador. inclusive pelas próprias contas do proprietário. ou seja. que busca incessantemente satisfazer a suas necessidades. deu um impulso na teoria personalista. Classificou as contas em quatro categorias: consignatários. ensinando o primeiro a avaliar os meios de aquisição e produção da matéria econômica e o segundo a ter bem distinta a razão de dever e de haver referente a qualquer pessoa. Segundo ela. para Marchi. A Escola Personalista surgiu em 1867. Cerboni. A Escola Personalista. onde o pensamento econômico é instintivo. administradores e proprietários. que não foi explorado no trabalho de Marchi. jurídicopersonalista ou toscana. outra é administrar. também denominada como logismográfica. Para os teóricos do personalismo. Sem a Contabilidade a Administração ficaria exposta à desordem e a confusão. 8 . físicas ou jurídicas e o dever e o haver representavam débitos e créditos das pessoas a quem as contas foram abertas. Dessa forma a contabilidade e a administração deveriam estar sempre ligadas para o êxito de uma gestão.Principais Personagens da Escola Lombarda. teve grande interesse no aspecto jurídico das relações entre o proprietário e a entidade. já nasce com o homem. foi fundada durante a segunda metade do século XIX e teve muitos seguidores especialmente Francesco Marchi. uma coisa é administrar. outra é guardar os bens.

onde qualquer operação representa as relações jurídicas que ligam o proprietário e a propriedade. a conta que entrega. o proprietário (que administre. analisar seus processos e os efeitos jurídicos e econômicos e têlos reunidos em uma única e contínua equação. o crédito desses corresponde ao débito do proprietário. na essência. Os agentes e correspondentes nunca são debitados sem que o proprietário seja creditado ou debitado por igual importância. Fundamentação da teoria personalista Dentre as doutrinas ensinadas por Cerboni. exigindo para isso o uso de duas contas: a conta proprietário e a conta terceiros e correspondentes. pode-se citar as seguintes características: 9 . o credor do ativo e o devedor do passivo.  não se cria um débito sem que simultaneamente se crie um crédito e vice-versa ( a conta que recebe. e compreendia os seguintes estudos: > estudo da determinação das leis da azienda. > estudo da logismografia como método de coordenar e representar os fatos administrativos da azienda.A Contabilidade. de fato.  em relação aos agentes e correspondentes.  o haver e o dever do proprietário só variam em conseqüência de perdas ou de ganhos ou de reduções ou reforços da dotação inicial da azienda. que gera interesses conflitantes entre ambos. viceversa. debita-se. e o da contraposição.  uma coisa é administrar a azienda e outra é guardar os bens da mesma e ser responsável por eles. O pensamento logismográfico era fundamentado em dois princípios. representava o estudo da administração. o crédito do proprietário corresponde ao débito dos agentes e correspondentes e. quer não administre a azienda) é. Composta de dois sistemas de escrituração do sistema patrimonial. que compreende a aplicação da matemática aos fatos administrativos.  uma coisa é possuir os direitos de propriedade e de soberania aziendal e outra coisa é administrá-la. cujo objetivo é o de elaborar o balanço patrimonial. o de personificação das contas. que ocorre naturalmente em razão da existência da propriedade e do trabalho para administrá-la. destacou-se o aprofundamento dos estudos sobre a teoria personalista das contas. credita-se). Ele foi o construtor das bases sólidas da teoria personalista e se fundamentou nos seguintes axiomas:  toda a administração consta de uma ou várias aziendas e tem um proprietário ou chefe a quem pertence em absoluto ou por representação a matéria administrável. > estudo da organização interna da azienda. por outro lado. > estudo da computisteria. não se pode administrar sem que o proprietário ou chefe entre em relações com agentes e correspondentes. Assim. Registros contábeis No que tange à escrituração contábil.

efeitos a receber.  os agentes e correspondentes são debitados à medida que o proprietário é creditado e vice-versa. Giovanni Rossi 10 .  considerava o aspecto jurídico das relações entre as pessoas. no terceiro estágio de transição. lógico e científico e que. Principais críticas  A contabilidade se tornaria uma disciplina de vastíssimo conteúdo. relativa à pessoa do correspondente e do consignatário. Toda ciência. não podem ser considerados devedores ou credores do proprietário. Marchi sustentou a absoluta personalidade das ao afirmar que para o funcionamento das partidas dobradas bastariam apenas duas contas: uma encabeçada pela pessoa do negociante ou proprietário e outra de terceiros. isto é. quando atinge um ponto racional. mas todo balanço representava o administrador.  quem entrega é creditado. passa por três estágios evolutivos: um primeiro estágio de desagregação. neutralizando o pensamento cerboniano. torna-se admirada. a Contabilidade encontrava-se em um estágio bem avançado de desenvolvimento. dos correspondentes (terceiros que transacionam com a entidade) e dos agentes consignatários (empregados a quem o proprietário cofia a guarda dos valores). podendo ser classificada como entrando no estágio definitivo de ramo do conhecimento científico. não contando com nenhum prestigio e não sendo seriamente estudada. pois seu campo de atuação. Giuseppe Cerboni Para Cerboni.  as contas são abertas em nome das pessoas físicas ou jurídicas. além das funções contábeis tradicionais. dos proprietários. evolução e organização. o débito de um corresponderia ao crédito de outro e vice-versa. assim. a disciplina se purifica e atrai uma massa considerável de estudiosos em sua órbita. efeitos a pagar e lucros e perdas) e os primeiros ensaios teóricos sobre o personalismo. demonstrada a utilidade de que é capaz. engloba toda administração da entidade. na sua opinião. ou padrão imutável.  As funções econômicas das entidades não respondem a um sistema. em relação ao administrador. Principais personagens da Escola Personalista Francesco Marchi As duas notáveis contribuições de Marchi para o desenvolvimento da Contabilidade foram suas críticas à teoria das cinco contas de Degranges (mercadorias. no segundo estágio. quem recebe é debitado. dinheiro. que praticamente fundamentaram o trabalho de Cerboni. não havia uma conta específica para ele.  Os administradores devem responder apenas pelo resultado de suas gestões. isto é. mas desenvolve-se conforme o seu tipo de atividade e sua magnitude.

através de uma visão econômica e não jurídica. conforme entendia Cerboni. como ciência do controle econômico e é composto por duas partes:  uma responsável pelo registro contábil dos momentos da administração econômica e sua efetivação por via de escrituração. distinção entre administração geral e administração econômica. Esses mecanismos servem para fiscalizar os movimentos da riqueza à disposição das unidades econômicas e obrigam as pessoas que com ela lidam a exercer a sua atividade da maneira que os administradores consideram mais vantajoso. Escola Controlista. a contabilidade pode ser entendida.Maior seguidor de Cerboni. antes. já a administração econômica se refere somente às riquezas da entidade. que em uma das primeiras afirmações. defensor árduo das teorias cerbonianas. os balanços. fez a distinção entre o conceito de administração geral e administração econômica que compreende três series de esforços:  gestão: que visa à administração do patrimônio:  direção: que busca a harmonia entre a administração econômica e as relações internas e externas da entidade. o patrimônio é a soma de valores positivos (ativo) e negativos (passivo). durante e depois (papel da contabilidade). Para os controlistas. que visa impedir o desperdício. Segundo Besta. A Escola Controlista surgiu em 1880 e suas principais características são: a preocupação com o usuário interno. as contas. que representa a revelação em partidas dobradas dos fatos administrativos em conexão com os critérios organizacionais articulados de acordo com os mecanismos de controles inerentes à escrituração contábil. as demonstrações de resultado etc representam uma forma de controle da riqueza dos organismos econômicos. Divisão da contabilidade em ramos de conhecimento 11 .  controle.     Origem da escola controlista Teve como principal mentor Fabio Besta. a administração geral é considerada a ação de administrar (visão clara de administração). os elementos do patrimônio são considerados valores e não produzem relações jurídicas. os orçamentos.  constrição do trabalho econômico. deu início a uma teoria sobre a natureza matemática da Contabilidade.

a formação de inventários parciais. as funções dos controles econômicos classificam-se em:  Ordinárias. confrontando o que foi feito com o que deveria ter sido feito. Classificação das funções de controle econômico Besta classificou as funções de controle econômico de acordo com o momento em que. A prestação de contas e a revisão e aprovação de todos esses itens. aplicada conforme as características da entidade. tempo e pessoas com os dados referentes a natureza e espécie dos bens que constituem seu objeto. De acordo com a sua natureza.  Concomitantes: caracterizam-se pela vigilância das tarefas determinadas para cada pessoa. segundo o qual o patrimônio é uma soma de direitos e obrigações. uma vez que nenhuma operação deve ser iniciada sem que sejam determinadas suas relações de lugar. as previsões de recebimentos e de impostos a pagar.  encarregada de demonstrar os resultados finais da administração econômica para fins de aprovação ou rejeição da gestão. o Descontínuas ou periódicas: subdividem-se em:  Especiais: que incluem os orçamentos. que é a parte comum aplicável a todas as entidades. Missão da Contabilidade Definida em três fases:  encarregada de estabelecer um ponto de partida para que seja possível analisar de pronto os resultados da gestão.  Subseqüentes: caracteriza-se pelo exame dos fatos em seus aspectos jurídicos e econômicos. o comércio. podendo ser: o Contínuas: aquelas que acompanham os fatos administrativos em toda a sua extensão. Contabilidade Aplicada. e  Gerais: que se relacionam com a previsão de ingressos e despesas referentes ao patrimônio total. as funções de controle podem ser:  Antecedentes: aquelas que precisam sem previamente delimitas em cada fase. numa concepção eminentemente econômica. as que ocorrem cotidianamente nas entidades. com referencia aos fatos administrativos. ou seja.  encarregada de acompanhar a gestão ponde em evidencia todos os fatos ocorridos nas entidades que facilitem o julgamento do trabalho administrativo. 12 . em contraposição ao que defendia Cerboni. retratado por uma soma de valores positivos e negativos. o patrimônio deve ser representado por uma grandeza mensurável e variável. seguindo uma visão jurídica. De acordo com o momento em que se efetuam. Para Besta. as agrícolas etc. os bancos. se efetuam e de acordo com a natureza. como as públicas.Besta separou a Contabilidade em vários ramos de conhecimento: Contabilidade Geral. ou seja. com a formação de balanços e prestações de contas gerais da administração etc.é preciso que os indivíduos sejam vigiados e estimulados enquanto executam as tarefas ou imediatamente depois.

 Gerais: podem ser exemplificadas pelos estudos para implantação de empresas. a litígios sobre administração de bens e fraudes nos registros contábeis ou nos documentos que servem de prova. divididas em contas de capital e contas de gestão: apresentam capital liquido. sendo que todas essas contas são. o que gerou por longo temo após o congresso uma dura disputa doutrinária entre as duas escolas. além de apresentar vários trabalhos que tratam de avaliações em geral e problemas relativos à formação de balanços.. Extraordinárias. Carlo Ghidiglia Colaborou com Besta na revisão e no complemento de seu tratado de Contabilidade. a formação de inventários iniciais. 1955. As contas derivadas classificadas como de capital representam o capital social e as reservas em geral.p 405-420).  contas derivadas. salários. as contas pessoais em que se divide e sua movimentação. Besta separou as contas em duas categorias:  contas elementares: formadas por todos os elementos patrimoniais ativos e passivos. chamada lucros e perdas. com 13 . alugueis etc. sendo que Cerboni e Rossi defenderam o método logismográfico. podendo ser: o Contínuas: que desempenham o mesmo papel das ordinárias contínuas. ou seja. bem como para os problemas contemporâneos de teoria e prática” (ROOVER. O trabalho de Besta “é considerado por muitos italianos como a Bíblia para a história da contabilidade. Destacou-se por haver desenvolvido as leis de controle econômico e as teorias sobre a organização das entidades. seu aumento ou diminuição com vendas. tais como caixa. juros ativos. contas a pagar etc. as cotas de gestão representam as variações ativas e passivas do capital liquido. e o Descontínuas: subdividem-se em:  Especiais: podem ser perícias civil ou penal relacionadas a créditos ou dívidas pendentes. as que ocorrem em situações de exceção. Escrituração contábil Para a efetivação da escrituração contábil é preciso que sejam criadas contas contábeis. Principais personagens da Escola Controlista Fabio Besta Defendeu o método tradicional de escrituração contábil com partidas dobradas. imóveis. As discussões unificaram-se em torno das posições de Besta e Rossi. comissões. o controle relacionado com o encerramento de empresas etc. As suas maiores ocupações foram com o estudo histórico da Contabilidade Pública. na realidade sintetizadas em uma única conta geral. Vittorio Alfieri Considerado o mais fiel discípulo e intérprete do pensamento de Besta. estoques.

Rigobon não foi brilhante como Alfieri. e a partir daí que começaram a se pensar na prova de capacitação profissional. e com limitadas construções teóricos. foram um dos elementos responsáveis por transformá-la em uma das mais importantes do mundo. sobretudo. Escola Norte-Americana.problemas do ensino em escolas secundárias e. Seu inicio foi caracterizado pelo aspecto pratico no tratamento de problemas econômico-administrativos. Controladoria. D’Alvise e Ghidiglia no campo teórico e doutrinário. As principais associações são: • Associação Americana de Contabilidade: surgiu em 1916. na padronização da contabilidade. Pietro Rigobon Foi um grande aliado e colaborador de Besta. e alguns anos após foi publicada uma monografia sobre padrões de contabilidade. As grandes questões enfrentadas por essa escola. que trabalhou na qualificação da informação contábil. tendo dedicado sua versatilidade ao campo histórico. Analise de Demonstrações Contábeis. Foram criadas três entidades ao longo dos anos. com a criação da AAPA (American Association of Public Accounting – Associação Americana de Contabilidade Pública). Essa escola surgiu em 1887. Padronização da Contabilidade A padronização da contabilidade financeira tornou-se um dos mais controversos aspectos do doutrinamento contábil norte-americano. • Associação Americana de Contabilidade Publica: foi marcado pelo programa de profissionalização da contabilidade. foi um dos discípulos prediletos de Besta e contribuiu muito com seus escritos e atividades na difusão das obras de seu mestre. especialmente nesse século. para certificar os profissionais. Gestão Financeira. foram elas: 14 . criando em 1892 a Universidade de Contabilidade. na divisão da contabilidade em financeira (informação externa) e gerencial (informação interna). ditando regras no tratamento de questões ligadas a Contabilidade de Custos. entre outros ramos do conhecimento contábil. especialmente na revisão e complemento de seu tratado sobre Contabilidade. com objetivo de desenvolverem estudos para uma melhor condução da pratica contábil. posicionando essa escola na vanguarda da Contabilidade Mundial. Pietro D’Alvise Na opinião de pesquisadores contábeis. foi um pesquisador e teórico da doutrina defendendo o conteúdo científico da Contabilidade. Uma característica peculiar da Escola Norte-Americana é a de que as associações profissionais desenvolveram a contabilidade. com especial atenção ao comércio e às usas técnicas.

Papel da Contabilidade 15 . complexidade e diversidade geográfica das instalações das empresas no século XIX geraram necessidade de aperfeiçoamento dos sistemas de informação para tomada de decisão gerencial. Escola Neocontista. A Contabilidade Gerencial também evoluiu com apoio de associações profissionais. como em 1933 e 1934 passou a ser exigida auditoria nas empresas abertas o que gerou a necessidade da uniformização nos relatórios e nos procedimentos contábeis. seu trabalho era esboçar as propostas sobre os Princípios de Contabilidade geralmente aceitos. alguns fatos marcaram para sua existência. pois com o crescimento dos negócios em tamanho. Idéia de valor A idéia de valor passou a fundamentar a teoria das escriturações e das contas. Origem da Escola Neocontista Surgiu como um movimento contrário ao personalismo das contas. Em relação aos princípios de Contabilidade geralmente aceitos.• • CAP (Comissão do Procedimento Contábil): criado em 1936. base doutrinária muito criticada por Besta. mas centraram-se basicamente nos métodos de escrituração contábil. onde muitos tratadistas desenvolveram várias pesquisas nessa direção. era composto por vinte membros sendo que todas as Big Eight (oitos maiores empresas de auditoria do mundo) tinham participação nesse colegiado. essa classificação justifica-se somente porque os neocontista adotaram o valor como principal base para a Contabilidade. • FAF (Fundação de Contabilidade Financeira) e FASB (Conselho de Normas de Contabilidade Financeira): comitês criados para emissão de padrões de contabilidade. APB (Conselho dos Princípios Contábeis): criado em 1959. defendendo o valorismo das contas. Alguns autores classificam Besta como um dos precursores do neocontismo. Teve início na França. e suas opiniões na maioria das vezes prevaleciam.

créditos. no seu grau de disponibilidade e para o passivo no de exigibilidade. onde aparece: A = P + S. Baseado na dinâmica do balanço. Em vários livros dos meados do século XIX. as contas do ativo debitam-se pelo valor inicial e pelos aumentos e creditamse pelas diminuições. Cabe observar que a chamada teoria das três series de contas não se deve a Dumarchey. Todo aumento do valor do patrimônio com lucro dará lugar a um débito em uma das contas concretas e a um crédito em uma das contas abstratas. Toda diminuição do valor do patrimônio com prejuízo dará lugar a um crédito em uma das contas concretas e a um débito em uma das contas abstratas. Para Dumarchey. instrumentos etc. o mesmo ocorre para a conta de passivo e a conta da situação líquida. Ao contrário. Assim. é igual à soma das importâncias referentes a credito. Segundo a doutrina da escola neocontista. para os neocontistas. que podem ser consideradas sinônimas das palavras entrada e saída. num instante qualquer. a soma das importâncias referentes a débito. Toda alteração na composição do ativo ou do passivo origina um débito na conta que sofre uma variação positiva e um crédito na conta que sofre uma variação negativa. isto é. O balanço para os neocontistas corresponde à expressão da relação que existe entre o ativo. conta do passivo e conta da situação liquida. o passivo e a situação liquida duma pessoa. um balanço. para o ativo. Colocar em evidencia uma divida de terceiros para com uma empresa significa debitá-la. um débito ou um deve. colocar em evidencia um crédito sobre uma empresa significa creditá-la. a haver ou a saída. Essas regras eram baseadas nos seguintes fatos: 1. b. é dividida em subcontas. A disposição das contas no balanço deve basear-se. mercadorias. consagradas pelo uso. b. Silva (1959) apresentou algumas regras com as quais os neocontistas interpretavam essa dinâmica. um crédito ou um haver.Os neocontistas atribuíram à Contabilidade o papel de colocar em evidencia o ativo. e a conta da situação líquida é representada por valores abstratos ou derivados. as contas foram divididas em conta do ativo. passivos e diferenciais. ou contas elementares. Isso corresponde a dizer que a um débito corresponde sempre um crédito de igual valor. Para isso. Fatos permutativos: a. Toda alteração na composição do capital próprio origina um crédito na conta que sofre uma variação positiva e um débito na conta que sofre uma variação negativa. o balanço já aparecia representado pela fórmula A = P + S. As contas de passivo e ativo são representadas por valores concretos ou valores diretos ou reais. Fatos modificativos: a. Os termos deve e haver não tem significação que os contista lhes atribuíam. A conta do ativo. Registros contábeis As principais regras contábeis são expressas a partir da fórmula do balanço. tais como: dinheiro. isto é. 16 . a deve ou a entrada. 2. seria preciso que fossem abertas contas com valores dos ativos. São denominações convencionais. o passivo e a situação líquida das unidades econômicas.

O objeto de estudo da Contabilidade. em detrimento dos aspectos econômico-administrativos dos eventos registrados. para a maioria dos adeptos dessa escola. Para eles. As correntes doutrinárias iniciais da disciplina Betrieb (Contabilidade gerencial) foram: a. na realidade dos neocontista. ocupando-se. Principais personagens da Escola Neocontista Jean Dumarchey Para Dumarchey a ciência contábil era uma ciência social que utilizava a matemática como ferramenta auxiliar. pois somente com essa conjugação de valores é possível chegar a conclusões mais seguras sobre as contas e sobre os balanços. para eles. é a própria relevação patrimonial. Dumarchey também seguiu o método positivo interligando as partes de forma que cada assunto precedente representasse uma preparação para o subseqüente. principalmente. Idéias centrais da Escola Alemã A doutrina alemã se concentrou no estudo de duas disciplinas:  A Betriebstwirtschlehre: pode ser traduzida por teoria econômica das empresas ou economia da empresa. Estuda a constituição e a vida das empresas e determina seus princípios de gerenciamento. a principal função da Contabilidade resume-se na relevação patrimonial. É importante. O resultado da exploração deve 17 . dos processos de classificação e registro das contas. Schmalenbach: as explorações desempenham uma função social que deve ser informada pelas conveniências da sociedade. relacionando-se diretamente com a filosofia. mas também os aspectos qualitativos. A Contabilidade era considerada como o conjunto de registros para fornecer elementos de gestão. não somente os aspectos quantitativos dos eventos registrados pela Contabilidade. pois.Idéia central da Escola Neocontista A escola neocontista concentrou-se na chamada teoria materialista ou positivista das contas. o sistema patrimonial baseia-se na idéia de que os elementos patrimoniais e as suas variações são suscetíveis de avaliação autônoma e que os resultados do exercício são a soma algébrica de lucros e prejuízos particulares. economia e sociologia. bem como os processos de administração das unidades de produção. Na ordenação geral do trabalho. Escola Alemã (Reditualismo) Surge em 1919 com a publicação do livro de Schmalenbach sobre o Balanço Dinâmico.

Registros contábeis As principais características da escrituração e apresentação das demonstrações contábeis a teoria alemã são:  a conta de ganhos e perdas tem como base a apuração dos rendimentos e prestações e os encargos e consumos. Exploração do BP estático e dinâmico.  excetuado o caixa. Rieger: a entidade deve buscar o ganho monetário. não somente como um organismo social. d.  A Rechnungswesen: pode ser traduzida lato sensu como Contabilidade ou sistema de calculo. é uma teoria monista. 18 . Estudos da economia empresarial não nacional. o Dinâmica: o principal expoente é Schmalembach. Importante distinção entre resultado financeiro e econômico.  ela não separou claramente a seqüência despesa-pagamento e recita-recebimento. segundo a qual o balanço patrimonial fornece o estado patrimonial e os reais resultados do exercício. segundo a qual o resultado é apurado a partir do confronto inicial e final do balanço patrimonial. ou seja. valores pendentes.  o balanço é uma conta auxiliar que recebe os valores relativos às negociações em circulação. O balanço estático é utilizado para determinar o valor e a composição patrimonial em um determinado momento.basear-se no valor econômico-social. o Orgânica: o principal expoente é Schmidt. Shär e Nicklisch: a exploração deve servir a sociedade. O importante é a rentabilidade do capital próprio.  os ativos permanentes como máquina e prédios são considerados como saídas ou despesas da conta de ganhos e perdas.  foi a primeira a diferenciar claramente a demonstração do resultado do exercício do balanço patrimonial. orçamentos e estatística da exploração. que não aparecem no resultado. é uma teoria dualista. Gutenberg: entender os custos é mais importante que determiná-los. O importante é o público satisfeito e os empregados com bons salários. Deve procurar apurar não o que ocorreu. sendo que se não forem vendidos serão amortizados. Parte da ciência econômica que analisa os princípios econômicos dos fenômenos unitários. c. essa teoria separa o balanço patrimonial em estático e dinâmico. As teoria abrangidas por essa disciplina são: o Estática: aos principais expoentes são Schär e Nicklisch. Essa disciplina é mais aplicada que a anterior e se divide em escrituração. que fazem parte do resultado líquido. os demais itens do ativo e passivos são atendidos como valores transitórios. calculo de custos. Outras contribuições:  a contabilidade em nível de preços. Já o balanço dinâmico é utilizado para apurar o resultado. b. mas o que deveria ocorrer. cujo objetivo era ajustar o custo original pelo valor médio de um índice geral de preços ou padrão ouro.  no balanço dinâmico eram classificados os valores pendentes ou em suspensão.

em uma abordagem descrita como orgânica. uniformização de planos de contas contábeis. fixar preços. ativos avaliados por valores correntes. na data da entrega. o embora Schmidt tenha reconhecido a distinção entre mudanças gerais e específicas de preço e seus diferentes impactos sobre os negócios.  a Contabilidade de custos tem por objetivo checar o comportamento do negócio.  pagamento é a entrega do ativo. Fiedrich Fredersdorft. principalmente orçamento público. Principais personagens da Escola Alemã Eugen Schmalenbach É considerado um dos pais da moderna teoria da administração de negócios na Alemanha.  custos são considerados meios de produção. pois juntas tornaram possível a aplicação prática em tomadas de decisões na busca da máxima eficiência. 2. na data do consumo. pois muito de sua pesquisa e atividade docente somente é destacada quando se verifica que o postulado da eficiência ou eficiência macroeconômica é usa estrela. determinar preços internos e dar suporte à conta de lucros. Contabilidade e mensuração do resultado através dos conceitos de Contabilidade dinâmica. sendo que as suas características essenciais são: o a teoria contábil deve ser consistente com a teoria de equilíbrio econômico. propostos por Schmidt. ele rejeitou a incorporação nas contas das mudanças a nível geral de preços. Contabilidade de custos. apresentado por L. na data da aquisição. A teoria desenvolvida por Schmidt estava alicerçada em vários princípios. o mudanças no valor dos ativos fixos não eram registradas como lucros. 3. o o lucro dos empresários não pode afetar o total necessário para manutenção dos ativos produtivos da empresa. Dentro desse contexto. 19 . consumidos no processo produtivo.  os cameralistas foram os primeiros alemães a tratarem da Contabilidade de custos. Fritz Julius August Schmidt Foi reconhecido como o líder intelectual dos teoristas que advogavam sobre a teoria orgânica da firma.  gasto é definido com bens e serviços adquiridos.  custo-padrão. a Contabilidade de Custos e a Contabilidade Financeira possuem um papel fundamental. A teoria da firma é complementar para a teoria contábil. Especialmente essa teoria está baseada no princípio da manutenção relativa do valor. o os ativos devem ser demonstrados por seus custos de reposição na data do balanço. Uma de suas idéias básicas é a da eficiência. o Schmidt entendeu exatamente os efeitos das mudanças no nível geral de preços. Suas contribuições para a escola alemã foram direcionadas para três áreas: 1.

a moeda. que representam modificações numerárias previstas para o futuro. a exemplo da provisão para créditos de liquidação duvidosa.  assimilados. originadas das vendas e compras a prazo. Mais conhecida como economia Aziendale.Moderna Escola Italiana (Aziendal) Surgiu em 1922 e mantém-se até os dias atuais. que substituem. ou de um conjunto de operações. não sendo possível apurar o resultado de uma operação. a exemplo das contas a receber e a pagar. divididos em:  certos. os pontos característicos dessa escola podem ser divididos em dois grande segmentos:  a tentativa de integrar em uma única disciplina todos os conhecimentos da vida econômica da empresa. como o objetivo de demonstrar o patrimônio da entidade.  a doutrina da organização – constituição e harmonização do organismo pessoal da entidade. A Contabilidade é considerada a ciência da administração econômica das entidades e estuda:  a doutrina da gestão – princípios da gestão. a exemplo do caixa. Os valores numerários são constituídos pelas entradas e saídas de dinheiro. é o resultado de um processo evolutivo da Contabilidade italiana iniciado. Idéia Central da Moderna Escola Italiana Segundo essa escola o resultado é o mais importante fenômeno da empresa. O resultado é a variação de componentes patrimoniais em um período. O capital é o conjunto de elementos ativos e passivos que vão gerar o resultado. Sistema Contábil Nessa escola. momentaneamente.  desenvolver uma teoria para a Contabilidade a partir do resultado.  a Contabilidade – demonstrar os resultados da gestão. sua determinação serve para dividir o resultado em vários exercícios. Já no sistema de resultado o patrimônio não é o principal. com Leonardo Fibonacci e encerrado com Gino Zappa. Além disso.  presumidos. O sistema patrimonial admite a avaliação autônoma dos elementos patrimoniais e de suas variações e considera o resultado como a soma dos lucros e prejuízos individuais. ocorre a passagem do sistema patrimonial para o de resultado. que exprime a quantidade de moeda em poder da empresa. pelo menos em termos formais. isoladamente. O sistema de resultado afirma que todas as operações da entidade são interdependentes e complementares. O patrimônio é dividido em dois grupos: os valores numerários e os valores negociados. 20 .

 variações mistas: apresentam concomitantemente características permutativas e modificativas. ou ainda do produto de estimativas. Além disso.Os valores negociados derivam dos valores numerários. denominada de contas econômicas (derivado). ao passo que a diferença entre receita e custo constitui o núcleo fundamental do resultado do exercício. que engloba as contas de capital e de resultado. No período da moderna escola italiana houve o estudo da possibilidade de estabelecer uma uniformização na Contabilidade daquele país. próprio da troca monetária. Principais personagens da moderna escola italiana Gino Zappa O trabalho de Zappa procurou evidenciar os aspectos econômico e financeiro da gestão das entidades. especialmente no que se refere à produção e. foi desenvolvido um estudo que classificou as variações em três grupos:  variações permutativas: variações de sinais contrários em contas de uma única série.  a variação passiva é registrada a crédito das contas numerárias e a débito das contas de resultado ou capital. ou do confronto entre eles. O uso da expressão valores negociados se deve ao fato de que o resultado não pode ser apurado isoladamente. Essa comissão ficou conhecida como Uniconti. A entrada corresponde tipicamente à receita da gestão. bem como as contas financeiras (originário). dos débitos e créditos de financiamento não numerários. O principal papel dos registros contábeis é o de demonstrar os componentes do resultado originados das variações monetárias geradas pelas transações da entidade como economias externas.  variações modificativas: variações de meso sinal em contas de duas séries distintas. Para ele. à saída ao curso. existe uma classe genérica das contas. Além disso. Uma expressão típica desse sistema é a entrada e saída monetária.  Registros contábeis Foi convencionado que:  a variação ativa é registrada a débito das contas numerárias e a crédito das contas de resultado ou capital. a exemplo do pagamento de fornecedor. que resulta em uma variação numerária ativa (entrada) e um componente positivo do resultado (receita). Os padrões mínimos para as demonstrações contábeis foram instituídos na Itália pelo Código Civil. dos bens destinados à venda. a gestão de uma entidade constitui necessariamente um sistema. que abrangem todos os débitos e créditos de natureza financeira e numerária. a exemplo das imobilizações. conseqüentemente. 21 . que resulta em uma variação numerária passiva certa (saída) e uma variação numerária ativa assimilada (entrada). a exemplo da receita de serviço recebida a vista. ao resultado econômico do período.

 dinâmica patrimonial – obtenção e emprego do capital. Principais personagens da escola patrimonialista Vincenzo Masi 22 . defendem os críticos de Masi. e que realiza os seus fins com o auxilio de diversos instrumentos (registros. Além disso. especialmente.  contas de passivo. que é dividida em três contas básicas:  contas de ativo. maquinas. por fim a administração do mesmo vai muito além das possibilidades da disciplina. Utilizam nas suas investigações vários métodos e. que estuda e interpreta os fenômenos patrimoniais. documentos. ou administração do patrimônio. com o livro de Masi Ragioneria Generale. O estudo do patrimônio. Objeto da Contabilidade O objeto da contabilidade para essa escola é o patrimônio. calculo aritmético etc. A principal conta para os patrimonialista é a do patrimônio. segundo os patrimonialistas. o método descritivo-estatístico.  contas diferenciais. vale-se da Contabilidade como uma ferramenta indispensável. Entendem que a Contabilidade é uma ciência com leis e princípios próprios.  revelação patrimonial – conjunto de princípios que regulam a representação qualitativa e quantitativa do patrimônio. mas transformar a Contabilidade numa ciência que tem por objeto o patrimônio e.Escola Patrimonialista. principalmente. Criada em 1926. a gestão econômica de uma entidade. ou gestão financeira. livros. compreende três partes distintas:  estática patrimonial – equilíbrio funcional e financeiro dos elementos patrimoniais.). Principais críticas O que Masi designou como gestão patrimonial equivale ao que a maioria dos autores definem simplesmente como gestão.

Foi um dos contadores italianos contrários à criação de uma única disciplina constituída de vários seguimentos doutrinais. dando normas para a representação gráfica dos mesmo”. mesmo que modestamente. a Gino Zappa. do estudo da nova doutrina. que é a relevação. presenciou contribuições de alguns iluminados tratadistas contábeis nacionais. como a gestão. A contabilidade em sua primeira fase. que instituiu a obrigatoriedade da escrituração contábil e elaboração anual da demonstração do balanço geral. cujos efeitos sobre o patrimônio ela ensina a por em evidencia. através da publicação de um alvará obrigando os contadores gerais da Real Fazenda a aplicarem o método das partidas dobradas na escrituração mercantil. destaca-se Carlos de Carvalho. marcando também o desenvolvimento da chamada escola de correção monetária. no reinado de D. que colaboraram para o desenvolvimento e consolidação da contabilidade como um ramo de conhecimento autônomo. A segunda fase do desenvolvimento da Contabilidade brasileira teve inicio em 1964. João VI. passou a combater Zappa quando este defendeu a redução da Contabilidade a um terceiro momento. Contabilidade no Brasil. entre outros estudiosos da Contabilidade. cálculos e contas por meio dos quais se registram e classificam os atos e fatos administrativos. embora um de seus primeiros trabalhos tenha sido dedicado. como dizem os aziendalistas. Mais. Uma das primeiras grandes manifestações da legislação foi o Código Comercial de 1850. 23 . denominada de Economia Aziendal. Entre esses tratadistas. Essa escola caracteriza-se como uma autentica colaboração brasileira para o crescimento da contabilidade. a organização e relevação contábil. Umas das principais manifestações contábeis brasileiras ocorreram em 1808. pode-se afirmar que a escola de correção monetária nacional contribuiu para o desenvolvimento da contabilidade mundial. que definiu a Contabilidade como sendo “a ciência que tem por objetivo o estudo dos livros. e embora não houvesse uma escola de pensamento contábil no Brasil. documentos. ano que foi introduzido um novo método de ensino da Contabilidade. As fases da Contabilidade no Brasil.

08 24 .Bibliografia: História do Pensamento Contábil Autor: Paulo Shmidt José Luiz dos Santos Editora: Atlas – vol.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful