Você está na página 1de 13
Universidade Federal do Pará Instituto de Ciências da Saúde Faculdade de Enfermagem DISPNÉIA

Universidade Federal do Pará

Instituto de Ciências da Saúde Faculdade de Enfermagem

DISPNÉIA
DISPNÉIA

FISIOPATOLOGIA DA DISPNÉIA

Orientadora: Profa. Regina

Acadêmicos:

Ada do Socorro Santos de Castro

Aline Cafezakis dos Santos

Daniela (

...

)

Itla das Neves Prazeres

Lourimar de Carvalho Figueiredo Vaneza Conceição Vianna

Fisiologia

Respirar significa “queimar” um combustível, que, no nosso caso, é principalmente um açúcar (glicose), para

produzir a energia necessária ao corpo na realização

de suas funções, tais como falar, andar, manter o coração batendo e outras menos óbvias, como

transportar íons através de membranas, sintetizar

proteínas, fazer os cílios do epitélio respiratório

transportarem as secreções etc.

(CINTRA, NISHIDE e NUNES, 2005)

Tecnicas vocais.com Portal são francisco Fisiologiaémuitobom.com Infoescola.com

Tecnicas vocais.com

Tecnicas vocais.com Portal são francisco Fisiologiaémuitobom.com Infoescola.com

Portal são francisco

Tecnicas vocais.com Portal são francisco Fisiologiaémuitobom.com Infoescola.com

Fisiologiaémuitobom.com

Tecnicas vocais.com Portal são francisco Fisiologiaémuitobom.com Infoescola.com

Infoescola.com

INSPIRAÇÃO

A inspiração é um fenômeno ativo de expansão da caixa torácica, decorrente fundamentalmente, da contração dos músculos inspiratórios, que constituem

uma verdadeira bomba respiratória.

Os músculos respiratórios devem vencer cargas elásticas e resistivas, são eles:

  • - Diafragma;

  • - Intercostais externos e paraesternais (intercartilaginosos);

  • - Acessórios

(esternocleidomastóideo

principalmente);

  • - Abdominais.

e

escalenos,

(BEVILACQUA, BENSOUSSAN, JANSEN e SPÍNOLA, 1995)

EXPIRAÇÃO

A fase respiratória é realizada pelo relaxamento elástico passivo pulmonar, acontece o relaxamento da musculatura do diafragma e dos músculos intercostais,

diminuindo assim o volume da caixa torácica e

expulsando o ar (até o ponto de CRF [Capacidade Residual Funcional])dos pulmões. Nesse ponto ainda sobra um certo volume de ar no interior do pulmão,

chamado de volume Residual (VR).

(BEVILACQUA, BENSOUSSAN, JANSEN e SPÍNOLA, 1995)

O aparelho ventilatório normalmente deve ter :

a)

Eficiente

comando

nervoso

pelos

centros

respiratórios

e

quimioreceptores

centrais

e

periféricos.

  • b) Adequada resposta dos músculos respiratórios aos comandos nervosos.

  • c) Boa complacência pulmonar.

  • d) Ampla permeabilidade das vias aéreas.

A anormalidade de um ou mais destes setores, pode

levar a Dispnéia.

(REFERENCIA)

Dispnéia

Dificuldade respiratória que corresponde a sensação

experimentada do ato de respirar como um esforço

desagradável. Os pacientes podem definir a dispneia como desconforto ao respirar, falta de ar, sufocamento,

aperto no peito, perda de fôlego ou respiração curta.

Sua intensidade, assim como a dor, é moldada por

fatores cognitivos e contextuais.

Mecanismos Fisiopatológicos

Na maior parte do tempo, respirar é um fenômeno

inconsciente, associada a desconforto. Os mecanismos

ainda não são muito conhecidos, embora acumulem-se

evidências de que estejam envolvidos processos

neurológicos variados.

A compreensão dos mecanismos relacionados com a gênese da dispnéia envolve o conhecimento detalhado dos sistemas de controle da ventilação e das alterações da mecânica respiratória e das trocas gasosas observadas, tanto em condições fisiológicas como em patológicas .

Provocada pela estimulacão de receptores em decorrencia de alteracões metabolicas, distensão do intersticio pulmonar, tensão dos

musculos da respiração e alterações do no

SNC.

Representa anormalidade quando acontece em repouso ou com atividades anteriormente toleradas ou realizadas sem limitações;

Classificação da Dispnéia

  • Dispnéia

de

Esforço

-

Sensações de dispnéia por

atividades físicas.

É

  • Ortopnéia- agravamento da sensação de dispnéia com a adoção

o

da posição horizontal.

  • Dispnéia

paroxística

noturna- Situação em que

o paciente tem seu sono

interrompido

por

uma

dramática sensação de falta de ar.

Asma

Cardíaca- Termo

usado para designar

a

queixa de chiado no peito e a presença de sibilos em pacientes com insuficiência Cardíaca.

  • Platipnéia-

Sensação

de

dispnéia

que

se

agrava

com

adoção

da

posição

ostortática(de pé).

  • Trepopnéia- Sensação de dispnéia com o agravo da posição lateral.

Diagnóstico de Enfermagem

Características

Definidoras

  • Padrão Ineficaz,

Respiratório

relacionado

com a diminuição da

energia ou fadiga.

  • Excursão

alteradas.

torácica

  • Ventilação

por

diminuída.

minuto

Intervenções

  • Avaliar

e

registrar

a

frequência

 

e

a

profundidade

 

respiratória.

  • Auscultar

os

sons

respiratórios,

pelo

menos a cada 4horas.

  • Administrar

oxigênio,

conforme prescrição.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS