Você está na página 1de 93

Laser

Uma breve introdução

Definição de Laser

A palavra laser se origina das iniciais da expressão inglesa “Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation”;

Amplificação da luz por emissão estimulada de radiação;

O Laser é uma fonte única de energia com potencial inimaginável;

Não faz parte da natureza, sendo, portanto uma invenção da mente humana ;

Definição de Laser

Utilizado em diversas áreas da medicina e indústria;

O laser é formado por um feixe de luz coerente que se concentra numa área pequena e bem definida;

Luz monocromática em radiações de uma única frequência.

Funcionamento do Laser

Funcionamento do Laser

Definição de Laser

Sabia-se desde o inicio do século que os átomos emitem energia radiante sob a forma de fótons, unidade básica de luz;

Essa emissão é espontânea e desordenada, o que caracterizava qualquer feixe de luz.

Definição de Laser

 Emissão estimulada e emissão espontânea
Emissão estimulada e emissão espontânea

Breve histórico sobre o Laser

Em 1917, Einstein sustentou com apoio de complicados cálculos teórico que a emissão de energia radiante pode ser estimulada artificialmente;

Embora prevista teoricamente desde 1917, só em 1954 é que se obtiveram os primeiros resultados práticos com microondas, o laser e, finalmente, em 1960 Theodore Maiman produziu o primeiro raio laser.

Funcionamento do Laser de Maiman
Funcionamento do Laser de Maiman

Funcionamento do Laser de Maiman

Funcionamento do Laser de Maiman

Laser de Maiman

“É uma solução à procura de um problema" - Frase de maiman

Hoje é utilizado em:

Telecomunicações

Em medicina

Mecânica Química

Física Como arma de guerra

Laser de Maiman  “É uma solução à procura de um problema" - Frase de maiman

Física do Laser

É importante relembrar alguns conceitos

O Espectro eletromagnético

Abrange onda de:

Alta energia (Radiação Gama);

Energia intermediária (como o RX, microondas, luz visível, ultravioleta e radiação infravermelha);

Baixa energia (Ondas de rádio).

Propriedades de uma onda eletromagnética

Comprimento de onda Frequência Amplitude Velocidade

Propriedades de uma onda eletromagnética  Comprimento de onda  Frequência  Amplitude  Velocidade

Absorção e Emissão espontânea

Absorção e Emissão espontânea

Emissão estimulada de Radiação

Emissão estimulada de Radiação

Emissão estimulada de Radiação

Emissão estimulada de Radiação

Emissão estimulada de Radiação

Propriedades do Laser

Se diferencia de outras fontes luminosas pelas seguintes características:

Monocomaticidade;

Coerência;

Colimação (direcionalidade).

Propriedades do Laser:

Monocromaticidade

fótons de mesmo comprimento de onda;

Pela característica da emissão da radiação no mesmo comprimento de onda, é produzida uma pureza de cor sem igual nas demais fontes luminosas na natureza;

Segundo “Scardigno”, quanto menor o comprimento de onda, maior será a pureza da cor produzida.

Propriedades do Laser: Coerência

Uma luz é dita coerente temporal, quando todos os fótons emitidos têm o mesmo comprimento de onda, o que diferencia o laser de uma luz normal.

Da mesma forma, o laser possui coerência espacial, ou seja, as ondas eletromagnéticas se propagam na mesma direção.

Possibita que a luz seja focalizada em um ponto bem pequeno.

Propriedades do Laser: Colimação

Deslocamento das partículas com melhor precisão possível;

Feixes se deslocam paralelamente;

Sofrendo mínima divergência.

Propriedades do Laser

Devido a isso carrega quase o máximo de energia para uma radiação luminosa;

Grande poder de destruição, que depende:

Distância; Fonte; Material; Meio de transmissão; Ângulo de incidência; Tempo de exposição; Contituição; Cor do material.

Diferença entre laser e luz comum

Monocromaticidade

Colimação Coerencia Coerencia Polarização

espacial

temporal

Policromática

Não colimada

Incoerencia

espacial

Incoerencia

temporal

Não polarizada

Laser

Luz Comum

Transmissão da radiação laser ( sistemas de entrega de feixes)

Braço articulado; Fibra óptica; Endoscópio com micro manipulador; Lentes; Microscópio com micro manipulador.

Transmissão da radiação laser ( sistemas de entrega de feixes)  Braço articulado;  Fibra óptica;

Regime de operação

Contínuo :vai emitindo sua energia aos poucos, com uma intensidade muito menor.

Pulsado :Fornece uma certa energia em um tempo muito pequeno, com uma potência extremamente alta

A vantagem do regime pulsado é permitir que o tecido resfrie entre um pulso e outro

Laser de emissão pulsada

Nos lasers a impulsos (material de estado sólido), a emissão se dá da seguinte maneira: a energia acumulada nos átomos de um rubi, por exemplo, é liberada em um tempo muito curto.

Laser de emissão contínua

nos lasers de emissão contínua (material de estado gasoso) : a luz é constantemente refletida de um lado para o outro, dentro de um tubo que contém um gás.

A cada passagem do feixe de luz, a intensidade aumenta um pouco (se não houver algo que absorva a luz, caso contrário a emissão se amortece).

Tipos de Laser

Tipos de laser: Conforme material

Atualmente, existem mais de 2.000 tipos de laser. Os lasers podem ser agrupados em:

gasosos: hélio-neônio, kriptônio, neodymium, yitrium-aluminum-garnet (YAG), argô- nio, CO2 e outros.

líquidos: mercúrio, amônia, corantes químicos e outros.

sólidos: rubi, safira e outros

Tipos de laser: Conforme material

Tipos de laser: Conforme material

Estimulação

Luz tipo laser pode ser obtida a partir de substâncias sólidas, líquidas ou gasosas, as quais podem ser estimuladas por 3 formas diferentes:

Bombardeamento ótico; Bombardeamento por RF ou corrente contínua; Bombardeamento de injeção de uma corrente intensa.

Laser a partir de gases

Laser atômico: é aquele que se utiliza da transição de átomos não ionizados entre diferentes níveis de energia.

Laser iônico: é aquele que funciona através da colisão de elétrons em seus átomos, com excitação por corrente continua ou Rádio Frequência (RF).

Laser molecular: é aquele em que é necessário "quebrar" a molécula do gás para que haja a emissão da luz.

Tipos de laser: Conforme a intensidade

Os lasers são classificados de acordo com a potência de emissão da radiação podendo ser:

Alta; Média; Baixa intensidade.

Lasers de alta intensidade

Também conhecidos como laser cirúrgico, laser quente, laser duro ou hard laser;

Emitem radiação de alta potência, o que propicia um potencial destrutivo, sendo utilizados para viabilizar cirurgias ou remoção de tecido cariado;

Portanto, possui uma ação fototérmica de corte, vaporização, coagulação e esterilização dos tecidos.

Lasers de alta intensidade

Os principais lasers de alta intensidade são o Excimer, Argônio, Kripton, Dye, Rubi, Família YAG (ítrio-alumínio-granada) e CO2

Lasers de intensidade intermediaria

ou mid-laser emitem radiações com potências medianas, sem poder destrutivo;

Mais utilizados em fisioterapia;

Entre eles se encontram o laser de Hélio-Neônio (He-Ne) e o Arseniato de gálio (AsGa)

Lasers de baixa intensidade

Também denominados laser mole, laser frio, laser terapêutico ou "soft-laser“;

Emitem radiações de baixas potências, sem potencial destrutivo, e possuem uma ação fotoquímica de analgesia, anti-inflamatória e de bioestimulação tecidual;

Entre os lasers de baixa intensidade encontra-se os lasers: He-Ne (Hélio- Neônio), diodo (Arseniato de gálio - AsGa e Arseniato de gálio e alumínio - AsGaAl)

Laser e interação tecidual

Laser e interação tecidual

Para que haja efeito clínico é necessário que a luz seja absorvida pelo tecido (primeira lei de fotobiologia de Grotthus-Draper);

A luz que é refletida, transmitida ou dispersada não tem nenhum efeito;

A energia absorvida é medida em Joules/cm2 e é conhecida como densidade de energia ou fluência;

Laser e interação tecidual

Uma vez absorvida, a luz pode causar três efeitos básicos:

O fototérmico: O efeito fototérmico ocorre quando o cromóforo absorve a energia com o comprimento de onda correspondente e a energia luminosa se converte em calor capaz de destruir o alvo atingido;

Laser e interação tecidual

O fotoquímico: No efeito fotoquímico ocorre uma reação química após a absorção da luz por agentes fotossensibilizantes (endógenos ou exógenos), sendo o princípio básico da terapia fotodinâmica;

O fotomecânico: A expansão térmica pode ocorrer de forma extremamente rápida, capaz de produzir ondas acústicas e destruição fotomecânica do tecido que a absorveu.

Mecanismos térmicos de dano tecidual

Quando a energia luminosa penetra no tecido ela pode ser refletida transmitida, absorvida ou espalhada pelo tecido.

Laser e interação tecidual

Interação térmica (é o efeito terapêutico mais utilizado);

Interação fotoquímica; Interação fotoacústica; Efeitos não lineares.

Efeito fototérmico

Fotoablação: A fotoablação é uma manifestação do efeito fototérmico promovido pelo laser. O processo se caracteriza pela remoção de tecido por sua vaporização e pelo superaquecimento dos fluídos tissulares, promovendo, também coagulação e hemostasia.

Efeito fototérmico  Fotoablação: A fotoablação é uma manifestação do efeito fototérmico promovido pelo laser. O

Efeito fototérmico

Fotopirólise: A fotopirólise consiste na queima do tecido por aquecimento.

Efeito fototérmico  Fotopirólise: A fotopirólise consiste na queima do tecido por aquecimento.

Efeito fototérmico

Os lasers de CO2 e Nd-YAG tem capacidade de eliminar tecidos por vaporização e pirólise. Assim, esses lasers para atuar em tecidos duros dos dentes (esmalte e dentina) necessitam de altas temperaturas para atingir a temperatura de fusão desses tecidos e, assim, causam danos térmicos aos tecidos subjacentes.

Efeito fotoquímico

Dentre os efeitos fotoquímicos, podemos incluir a bioestimulação.

Bioestimulação: é o efeito da luz lasers sobre processos moleculares e bioquímicos que normalmente ocorrem nos tecidos (cicatrizações e reparo tecidual);

Efeito fotoquímico

A terapia fotodinâmica é um processo pelo qual o uso terapêutico do laser induz reações tissulares e é utilizado no tratamento de processos patológicos.

Efeito fotoquímico

A fluorescência tecidual é usada como um método de diagnóstico para detecção de tecidos que refletem luz.

Efeito fotomecânico

As interações fotomecânicas incluem a fotodisrupção e a fotodissociação, que consiste na quebra estrutural do tecido pela luz laser.

Efeito fotoelétrico

O efeito fotoelétrico inclui:

Fotoplasmólise: resultado da remoção tecidual pela formação de ions e partículas carregadas eletricamente e que existem em um estado semi-gasoso de alta energia. O plasma é o quarto estado da matéria (nem sólido, nem líqüido e nem gasoso).

Cuidados

Antes de se iniciar qualquer procedimento clínico com um aparelho laser, devemos conhecer os mecanismos de interação do laser com os diferentes tipos de tecidos vivos.

Os efeitos dos lasers nos diferentes tecidos estão intimamente relacionados com a distribuição da energia depositada.

O aumento da temperatura local, em cada ponto exposto é um resultado da distribuição energética.

O aumento da temperatura é de fundamental importância na determinação da extensão das modificações morfológicas e químicas que ocorre nos tecidos irradiados.

Cuidados

O aumento da temperatura local, em cada ponto exposto é um resultado da distribuição energética.

O aumento da temperatura é de fundamental importância na determinação da extensão das modificações morfológicas e químicas que ocorre nos tecidos irradiados.

Lesão tecidual

Vai depender do tipo de laser utilizado, da potência e do tempo de exposição. Sendo assim, diminuindo a potência e compensando com o aumento do tempo de exposição teremos a mesma quantidade de energia, porém o efeito tecidual é diferente.

Por exemplo, usando alta potência e curta duração vamos obter mais vaporização e menos necrose por coagulação, enquanto que, ao usarmos menor potência com exposição maior teremos menos vaporização e mais coagulação.

O efeito tecidual dependerá da quantidade de energia que é absorvida e conduzida.

Alguns efeitos do Laser sobre o corpo

  • 1. Aumenta a síntese de colágeno – útil para reparo tecidual.

  • 2. Aumenta a permeabilidade das membranas celulares com maior eficiência da bomba de sódio.

  • 3. Aumenta o número de fibroblástos e promove tecido de granulação – útil para cicatrização de corte.

  • 4. Aumenta os níveis de prostaglandinas. Causa um aumento na ATP celular, que é útil para mitigação da dor.

  • 5. Ação anti-inflamatória

Laser na grande área da

Saúde

Breve histórico

Os raios laser tiveram seu emprego inicial em oftalmologia, através de estudos experimentais de fotocoagulação em retina de animais;

Entretanto, somente em 1971 é que o processo se generalizou, tendo sido comercializado e amplamente difundido;

Sua introdução em urologia e neurocirurgia foi praticamente simultânea, por volta de 1979 .

Dosimetria

A dosimetria consiste na relação entre a energia transmitida por um emissor laser e a superfície de irradiação do raio de luz, podendo ser expressa em joules por centímetro quadrado (J/cm2).

Esta expressão é utilizada quando se fala em dose de tratamento.

Dosimetria

Existem alguns parâmetros de valores de densidade energética em função do efeito desejado:

efeito antiálgico – de 2 a 4 J/cm² ; efeito anti-inflamatório de 1 a 3 J/cm² ; efeito regenerativo de 3 a 6 J/cm² ; efeito circulatório de 1 a 3 J/cm².

Laser na medicina

Para podermos relatar sobre o laser na medicina, não podemos esquecer de uma importante ferramenta que é fundamental em quase todas as áreas: o bisturi-laser.

Com seu calor, cauteriza imediatamente o corte, resolvendo assim os problemas da hemorragia e da infecção.

Bisturi a laser

Oftalmologia

Na área de oftalmologia é necessário trabalhar com várias frequências de lasers, pois cada tipo de célula absorve melhor uma determinada frequência, em detrimento das demais.

Os lasers são usadas na fotocoagulação de vasos sanguíneos em tratamentos de tumores, em cirurgias oculares, em alguns tipos de cataratas, glaucomas, e úlceras da córnea.

Oftalmologia

Nas cirurgias oculares, do descolamento de retina, utiliza-se a fotocoagulação.

Para tanto, utiliza-se um laser a Rubi, cujo feixe é concentrado e dirigido para o interior do olho, de forma a passar através da pupila sem tocar a íris, que, de outra maneira, seria danificada.

O feixe queima uma área muito restrita da retina, e a coagulação do sangue prende-a à parte interna do bulbo ocular.

Oftalmologia

PRK ( Photorefractive Keratectomy)

A cirurgia constitui na realização de um aplanamento da região central da córnea através da remoção precisa de camadas dessa região. A operação dura aproximadamente 20-50 segundos e é indolor.

RK

Cirurgia refrativa por incisões.

Oftalmologia  PTK  Empregado no tratamento de opacidades superficiais da córnea.  (Laser In Situ
Oftalmologia
PTK
Empregado no tratamento de opacidades superficiais da córnea.
 (Laser In Situ Keratomileusis)

Através de um feixe muito pequeno de átomos, levanta-se aproximadamente 150 micras da região anterior da córnea (a) e o laser age na superfície obtida corrigindo o defeito ocular. Depois, a aba que foi levantada é recolocada no lugar (b). A cirurgia dura pouco menos que 5 minutos.

Otorrinolaringologia

Entre as várias aplicações do laser no campo de otorrino, pode-se destacar:

As operações nas cordas vocais, onde é possível vaporizar tumores;

Otorrinolaringologia

A endoscopia, onde as úlceras podem ser tratadas sem que seja preciso operar o paciente;

As hemorragias internas; através de um broncoscópio - instrumento para examinar o interior dos brônquios -, sendo possível operar lesões nos pulmões, desobstruir as vias respiratórias, entre várias outras possibilidades.

Cardiologia

O Excimer laser ajuda também a tratar a angioplastia, onde uma ou mais artérias estão bloqueadas pelo estreitamento localizado, resultado do acúmulo de colesterol no sangue - chamada placa aterosclerótica -, onde o fluxo de sangue e oxigênio é diminuído.

O mecanismo de ação desse laser sobre a placa aterosclerótica é a vaporização, que induz intenso aquecimento localizado tecidual (injúria térmica).

A energia é conduzida por catéter contruido de múltiplas fibras ópticas (de 12 a 300), que é conectado a um gerador de laser.

Cardiologia

E ele também está sendo empregado na desobstrução de vasos sangüíneos, no interior do próprio coração, através de fibras ópticas; nesse caso, a fibra é acoplada a um monitor de TV, a fim de que possa ser visualizado o local da aplicação.

Neurologia

Na neurocirurgia, o laser está sendo muito empregado, devido às suas qualidades de remoção dos tecidos sem sangramento e sem contato físico algum.

Ginecologia

Em ginecologia, usa-se o laser para vaporizar carcinomas - tumor maligno, câncer -, condilomas - saliência de aspectos verrucosos no ânus ou nos órgãos genitais -, vírus de herpes; cicatrizar hemorragias e úlceras; desobstruir canais de fibras ópticas, entre outras aplicações.

Urologia

Em urologia, ele permite realizar algumas operações através de fibras ópticas, como, por exemplo, vaporização de pedras nos rins, desde que essas encontrem-se numa posição favorável. Hemorróidas são vaporizadas rapidamente, apenas com anestesia local e sem muita dor.

Dermatologia e Cirurgia Plástica

Na área de dermatologia e Cirurgia Plástica, o laser é ativamente aplicado na eliminação das manchas de pele, verrugas, tumores benignos, tatuagens, rejuvenescimento cutâneo, tratamento de cicatrizes de acne, varizes, estrias, quelóides, implante capilar, cirurgia de pálpebras, depilação definitiva e outros. Além disso, permite fazer vários tipos de operações plásticas.

Dermatologia:Skin Resurfacing

Essa técnica consiste em vaporizar a parte mais superficial da pele, retirando as rugas e as manchas. Com isso, ocorre a substituição da pele envelhecida por outra mais jovem e natural. A técnica também é utilizada no tratamento de cicatriz de acne, promovendo a retirada dela sem o risco de causar danos ou irregularidades na pele.

Dermatologia:Manchas Senis e Tatuagens

Alguns equipamentos a laser são capazes de retirar as pintas e manchas senis, sem lesar a pele normal, ou seja, sem deixar cicatriz. O aparelho também é utilizado para retirar tatuagens, mas é necessário para isso várias aplicações. A vantagem do laser sobre os outros métodos é de que a pele não sofre danos.

Dermatologia:Varizes e Hemangiomas

Existem lasers que têm a propriedade de emitir raios que coagulam os vasos sangüíneos, promovendo sua reabsorção. Tais lasers podem ser usados no tratamento de varizes, hemangiomas, vasos em face, etc., com a grande vantagem de não prejudicar a pele.

Dermatologia:Depilação Definitiva

Sua maior aplicação é nos casos de áreas localizadas, como axilas, rosto, mamas, abdomem e nas virilhas. É aconselhável para uma eliminação definitiva dos pêlos 9 aplicações (3 por ano).

Na depilação a laser, o alvo é a melanina, substância responsável pela coloração do bulbo e da haste do pelo, causando dano térmico mínimo ao tecido adjacente.

Ortodontia

Entre as varias aplicações de laser em ortodontia:

Descolagem de braquetes cerâmicos Expansão rápida da maxila Odontalgia decorrente da movimentação ortodôntica Polimerização da resina durante a colagem de braquetes Holografia Úlceras traumáticas Etc ...

Ortodontia: Úlcera traumática

É bastante comum o surgimento de úlceras traumáticas nas mucosas dos pacientes que utilizam o aparelho ortodôntico fixo;

Nesses casos o laser atua com um efeito analgésico, anti-inflamatório e reparador tecidual

Tratamento fisioterapêutico

O Raio Laser é bastante utilizado na fisioterapia devido a sua versatilidade nos mais diversos tratamentos:

na cicatrização de ferimentos, no fechamento de feridas abertas, úlceras e feridas pós-operatórias, na velocidade de condução do nervo

Tratamento fisioterapêutico

nas artropatias degenerativas e inflamatórias no alívio da dor; tanto em pontos gatilhos quanto em pontos de acupuntura. tem efeitos benéficos em lesões de tecidos moles – tendões, ligamentos e músculos e até em fortalecimento de tendões e ligamentos

Fim