Você está na página 1de 16

ESTRESSE

Semana “De Bem Com a Vida”

Estagiárias de Fisioterapia Preventiva


do PPLT
Definição

 A palavra "Estresse" vem do inglês "Stress" e


foi utilizado primeiramente pelo médico Hans
Selye.

 Conjunto de reações orgânicas e psíquicas de


adaptação que o organismo emite quando é
exposto a qualquer estímulo que o excite,
irrite, amedronte ou o faça muito feliz.
Origem do estresse

 O estresse pode ser gerado por situações


negativas e positivas;

 princípio, não é uma doença. É apenas a


preparação do organismo para lidar com
as situações que se apresentam

 O prolongamento ou a exacerbação de
uma situação específica é que podem
gerar alterações indesejáveis.
Mecanismo Físico de Respostas

 Qualquer problema, real ou imaginário provoca


estímulos no córtex (parte mais externa do
cérebro) sendo que este, envia mensagens ao
hipotálamo (principal gatilho para a resposta ao
estresse).

 O hipotálamo então estimula uma parte do


sistema nervoso chamado de autonômico, a
realizar uma série de mudanças em nosso
corpo, tais como :
Reações frente ao estresse :
 Dilatação das pupilas para potencializar a visão;
 Liberação de adrenalina e outros hormônios
que diminuem a resposta imunológica do
organismo;
 Aumento da pressão arterial;
 Desvio do sangue do sistema digestivo e
extremidades para os músculos;
 Aceleração da freqüência cardíaca;
 Aumento da transpiração;
 Diminuição da temperatura nas mãos e nos
pés;
Após os estímulos:

 Quando o estímulo estressante acaba, o córtex


pára de emitir impulsos e o organismo volta ao
seu funcionamento normal em cerca de três
minutos;

 Se o estímulo não for interrompido ou se repetir


com freqüência, a pessoa pode entrar em um
estado de estresse crônico.
O grau de estresse depende:
 Da vulnerabilidade individual e da capacidade
de adaptação;

 Por isso nem todos desenvolvem o mesmo


tipo de resposta diante dos mesmos
estímulos.

 O risco de um estímulo estressor gerar uma


doença é maior se estiver associado à
exaustão física ou à fatores orgânicos.
Fases do estresse:
 1ª Fase ou fase de Alarme: o organismo entra
em estado de alerta para se proteger do perigo
percebido;

 2ª Fase ou "Estresse" contínuo: O organismo


continua ajustando-se a situação em que se
encontra, mobilizando fontes de energia;

 3ª Fase ou fase de Exaustão/esgotamento:


onde há uma queda na imunidade e o
surgimento da maioria das doenças.
Manifestações da Fase 3:
 dores vagas;  diabete;
 fobias;  herpes;
 hiperatividade;  graves infecções;
 hipervigilância;  problemas
 alterações no sono; respiratórios;
 dificuldade de  intoxicações;
aprendizagem;  distúrbios
 lapsos de memória; gastrintestinais;
 bruxismo;  alteração de peso;
 envelhecimento;  depressão;
 distúrbios no  alergias;
comportamento sexual e  caspa e seborréia;
reprodutivo.  hipertensão;
 taquicardia;  ansiedade;
Tipos de estresse:
Estresse agudo:

 Aparece em situação muito intensa ou extrema,


onde o organismo mostra-se incapaz de lidar
com os estímulos;

 Os sintomas surgem horas ou minutos após a


ocorrência do estímulo, desaparecendo dentro
de horas ou dias;
Principais Sintomas do Estresse Agudo:
 Atordoamento inicial;
 estreitamento do campo de consciência;
 diminuição da atenção;
 incapacidade de compreender estímulos;
 desorientação;
 retraimento da situação circundante;
 agitação e hiperatividade;
 sinais autonômicos de ansiedade de
Pânico;
 amnésia parcial ou completa para o
Tipos de estresse:
Estresse Crônico:
 O estresse crônico faz com que uma pessoa
acabe exigindo demais de um determinado
órgão.

 As vítimas mais comuns são os sistemas


músculo-esquelético, cardiovascular e
gastrintestinal. A carga extra sobre esses
sistemas pode levar a doenças e sintomas em
várias partes do organismo.
Principais Sintomas do Estresse Crônico
 Gastrite e Úlcera
 Diarréia crônica
 Colite (inflamação do cólon - intestino
grosso)
 Hipertensão arterial
 Impotência e Perda da libido
 Asma
 Maior suscetibilidade a infecções
 Dores de cabeça
 Tensão muscular
 Fadiga
 Depressão
 Insônia e Irritabilidade
Como lidar com o estresse
 Relaxe. Cada pessoa tem a sua própria maneira
de relaxar.
 Reserve tempo para si mesmo. É importante
cuidar de si mesmo.
 Durma. Dormir é uma ótima forma de ajudar
tanto o seu corpo quanto a sua mente.
 Alimente-se corretamente.
 Exercite-se.
 Converse com os amigos. Amigos são bons
ouvintes.
 Tenha ajuda profissional se precisar.
 Encontre algo que goste de fazer.
 Estabeleça limites.
 Planeje seu tempo.
Teste Ansiedade/Estresse
 Tremores ou sensação
 Polaciúria
de fraqueza  Bolo na garganta
 Tensão ou dor  Impaciência
muscular  Resposta exagerada
 Inquietação a surpresa
 Fadiga fácil  Pouca concentração
 Falta de ar ou ou memória
sensação de fôlego prejudicada
curto  Dificuldade em
 Palpitações conciliar e manter o
sono
 Sudorese, mãos frias e
úmidas
 irritabilidade
 Boca seca
 Rubor ou calafrios

Se não quiser adoecer...
Não Viva Sempre Triste.
O bom humor, a risada, o lazer, a
alegria, recuperam a saúde e
trazem vida longa. A pessoa alegre
tem o dom de alegrar o ambiente
em que vive. "O bom humor nos
salva das mãos do doutor". Alegria
é saúde e terapia!