Você está na página 1de 71

Programa

Economia internacional
 Tema1- Introdução a Economia Internacional;

 Tema 2- Teorias do Comércio e do Investimento Internacional;

 Tema 3- Política Comercial;

 Tema 4- Organizações Internacionais do Comercio

 Tema 5- Balança de Pagamentos;


Economia internacional

 Tipo de economia que estuda os fenómenos e


comportamentos económicos entre estados soberanos ou
regiões geográficas.

 O estudo da Economia Internacional envolve todos os


aspectos ligados a actividade económica entre as nações. Suas
regras de funcionamento, aspectos legais, trocas monetárias,
fluxos de mercadorias e serviços, etc.
Economia internacional

 É um domínio do saber particularmente dinâmico e, como tal,


revela-se fundamental para um economista compreender as in
teracções das economias nacionais no contexto mundial.

 Pretende-se, assim, estudar as teorias, os instrumentos de aná


lise dos fluxos internacionais de bens, serviços e de factores d
e produção, bem como os impactos das políticas públicas sobr
e o bem-estar dos agentes económicos e dos países, em partic
ular das politicas comerciais.
Economia internacional

Importância
 Os conhecimentos de economia internacional são necessários
para compreendermos o que se passa no mundo e para que se
jamos consumidores, cidadãos e eleitores capazes de tomar de
cisões que afectam directa ou indirectamente nossas vidas.

 É requisito necessário em empresas multinacionais, bancos, a


gências internacionais (como os departamentos de comércio d
os países) e organismos internacionais tais como a ONU, o Ba
nco Mundial e o FMI.
Economia internacional

Objecto de estudo

Trata da interdependência económica entre os países.


 Trata da teoria do comércio entre os países;
 Política de comércio internacional;
 Balanço de pagamentos;
 Mercados de câmbio externos;
 Macroeconomia aberta etc;
Economia internacional

Objectivos
 O objectivo geral da teoria económica é prever e explicar fen
ómenos económicos.

 Examinar bases e os ganhos decorrentes do comércio, as razõ


es e os efeitos das restrições comerciais, as políticas dirigidas
à regulamentação dos fluxos de pagamentos e os efeitos dessa
s políticas sobre o bem-estar de uma nação.
Economia internacional

Temas económicos internacionais relevantes actuais

 Proteccionismo comercial em países desenvolvidos.


 Insegurança no emprego devido à reestruturação e diminuição
dos postos de trabalho nos EUA.
 Pobreza extrema em vários países em desenvolvimento.
 A Crise e a recessão económica dos EUA.
 Fundos Soberanos.
Economia internacional

Principais tendências que caracterizam a economia


internacional actual.
 Alta concentração empresarial mundial (Incremento das megaf
usões );
 Crescente diferencia entre centro e periferia;
 Expansão de redes mafiosas e o tráfico de drogas;
 Transformações da periferia em zonas de benefícios dos grande
s grupos transnacionais;
 Crises de Estados nas actuais sociedades;
 Profundas transformações nos padrões económico sociais prov
ocado pelos acelerados câmbios tecnológicos;
 Novos actores da economia mundial.
Teoria do Comércio Internacional

O comércio internacional.

 É a troca de bens e serviços, através de fronteiras internacionais


ou territórios. Na maioria dos países, representa uma grande
parcela do PIB. Presente em grande parte da história da
humanidade, mas a sua importância económica, social e
política tornou-se crescente nos últimos séculos. O avanço
industrial dos transportes, a globalização, o surgimento das
corporações multinacionais, tiveram grande impacto. O
aumento, é normalmente relacionado com o fenómeno da
globalização.
Teoria do Comércio Internacional

O comércio internacional.

 Nesta era de crescente interdependência mundial, o CI é uma


avenida com maior importância para o crescimento económico
de todos os países. Não é somente do domínio das grandes
companhias multinacionais, de facto, as pequenas e as médias
empresas estão descobrindo que o mercado mundial oferece
enormes oportunidades de sucesso.
Teoria do Comércio Internacional

O comércio internacional.

 Nesta era de crescente interdependência mundial, o CI é uma


avenida com maior importância para o crescimento económico
de todos os países. Não é somente do domínio das grandes
companhias multinacionais, de facto, as pequenas e as médias
empresas estão descobrindo que o mercado mundial oferece
enormes oportunidades de sucesso.
Teoria do Comércio Internacional

Teoria Clássica.
A análise da especialização do trabalho
(princípio da divisão do trabalho)
 Princípio da divisão do trabalho. analisou a divisão do
trabalho como um fator evolucionário poderoso a propulsionar
a economia;
 É o resultado da propensão da natureza humana a trocar,
negociar e vender um produto em troca de outro;

 Teoria do Valor Trabalho: considera que o valor de um bem se


forma do lado da oferta, mediante os custos do trabalho
incorporado ao bem;
Teoria do Comércio Internacional

Teoria Clássica.
A análise da especialização do trabalho
Vantagem Absoluta de Adam Smith
Eficiencia na produção de um determinado produto (Bem).

 Concentração em nicho; beneficiando-se com a especialização;


 Questiona durante o pensamento mercantilista;
 Enaltecemento da produção; possibilita a troca de excedentes
por produção externa.
 Toma posição sobre as medidas de restrição à importação;
através da vantagem absoluta é benéfico para um e outro país
Teoria do Comércio Internacional

Teoria Clássica.
Vantagem Comparativa de David Ricardo
Eficiencia relativa na produção(Bem).

 Comércio benéfico; apesar da vantagem absoluta em toda


produção.
 Nao considera essencial o custo de produção; mas sim a razão
de produtividade de cada país.
 Especialização nos sectores com vantagens comparativas.
Teoria do Comércio Internacional

Teoria Clássica.
Premissas fundamentais

 Mercado de concorrência perfeita;


 Mobilidade perfeita dos produtos;
 Imobilidade internacional de factores de produção;
 Homogeneidade e identidade dos bens produzidos;
 Maximização do rendimento global;
Teoria do Comércio Internacional

Teoria Neoclássica.
Menger, Marshall, Hecksher e outros

 Trabalhos baseados no pricípio da Utilidade Marginal;


 Determinação do valor e a relação de troca;
 Aprofundou e generalizou a análise das vantagens
comparativas aos dois sectores de produção(trabalho e
capital); (especialização por produtos)
 Introdução do princípio de dotação de factores com o objectivo
de explicar as vantagens comparativas;
Teoria do Comércio Internacional

Teoria Neoclássica.
Menger, Marshall, Hecksher e outros

 Teoria do valor Utilidade: o valor do bem se forma por sua


demanda, pela satisfação que o bem representa para o
consumidor;
 Utilidade Marginal: é a satisfação adicional (na margem)
obtida pelo consumo de mais uma unidade do bem;
 Valor de uso: é a utilidade ou satisfação que o bem representa
para o consumidor;
 Valor de troca: forma-se pelo preço no mercado, pelo encontro
da oferta e da demanda do bem ou serviço;
Teoria do Comércio Internacional

Teoria do Comércio Internacional.


Outros conceitos

 Curva ou fronteira de possibilidade de produção (CPP, FPP


ou CT): é a fronteira máxima que a economia pode produzir,
dados os recursos produtivos limitados e a tecnologia. Mostra
as alternativas de produção da sociedade, supondo os recursos
plenamente empregados;
 Custo de oportunidade (C. alternativo, C. implícito): é o valor
económico da melhor alternativa sacrificada ao se optar pela
produção de um determinado bem ou serviço;
Teoria do Comércio Internacional

Teoria do Comércio Internacional.


Mercantilismo

 Conjunto de práticas económicas desenvolvido na Europa na


Idade Moderna, entre o século XV e o final do século XVIII.
 Originou um conjunto de medidas económicas diversas de
acordo com os Estados.
 Caracterizou-se por uma forte intervenção do Estado na
Economia. Consistiu numa série de medidas tendentes a
unificar o mercado interno e teve como finalidade a formação
de fortes Estados nacionais;
Teoria do Comércio Internacional

Teoria do Comércio Internacional.


Mercantilismo

 A s políticas mercantilista partilhavam a crença de que a


riqueza de uma nação residia na acumulação de metais
preciosos. Para o qual era necessário o incremento das
exportações e a restrição das importações.
Teoria do Comércio Internacional

Teoria do Comércio Internacional.


Mercantilismo Princípios
 Metalismo ou Bulionismo (ouro em lingotes): O capital é
representado pelos metais preciosos que o estado tem no seu
poder;
 Incentivos ás manufacturas: O Governo estimulava o
desenvolvimento de manufacturas em seus territórios;
 Proteccionismo alfandegário: Aplicação de políticas
proteccionistas sobre a sua economia, favorecendo a
exportação e desfavorecendo a importação;
 Balança comercial favorável: exportar mais e importar
menos (maior oferta e menor demanda de moedas)
Teoria do Comércio Internacional

Economias de Escalas

 Sucede quando estamos perante a uma situação de alta


produtividade e menores custos de produção, na qual o
comércio internacional não depende de diferenças entre os dois
países. Ajuda a explicar o comércio intra-industria, que não se
encontrava explicado pelos modelos anteriores .
Teoria do Comércio Internacional

Teoria do .
Economias de Escalas e Comércio

 Equivalem a retornos crescentes: maior produção pode ser


atingida a um menor custo.
 Mais frequentes em indústrias com altos custos fixos de
produção, e os ganhos ocorrem pela melhor alocação de
recursos.
 Permite que cada país produza uma quantidade restrita de bens,
obtendo vantagens de escalas sem sacrificar a variedae do
consumo;
Teoria do Comércio Internacional

Teoria do .
Economias de Escalas e Coméricio

 Externas: dependem do tamanho do mercado, da indústria:


existem sinergias horizontais (clusters) e verticais (cadeia ou
complexo produtivo) permitindo um fornecimento eficiente de
insumos. Factores, serviços e transbordamento do
conhecimento;
 Internas: dependem do tamanho da firma individual:
diversificação;
Teoria do Comércio Internacional

Teoria do .
Economias de Escalas e Estrutura de Mercado

 Externas: não há vantagens de custo para as firmas maiores, as


firmas são pequenas e mercado competitivo;

 Internas: há vantagens de custo para as firmas maiores, e a


estrutura de mercado é de concorrência imperfeita: firmas
procuram reduzir custos e diferenciar seus produtos;
Teoria do Comércio Internacional

Teoria do .
Economias de Escalas comércio intra-indústria

Existência simultânea de exportações e importações de bens que


pertencem a uma mesma indústria1. Estes fluxos comerciais
simultâneos podem ser associados à especialização em
diferentes gamas de qualidade (comércio intra-industrial em
produtos verticalmente diferenciados) ou associados à
especialização em variedades (comércio intra-industrial em
produtos semelhantes e horizontalmente diferenciados).
Política Comercial

Conceito

Conjunto coerente de mecanismos de instrumentos que aplica um


estado em defesa de seu comércio exterior, encaminhado a dar
cumprimento a objectivos socioeconómicos concretos previstos
na sua política económica contemplada numa estratégia a longo
prazo.
Política Comercial

Conceito

Conjunto de princípios, medidas e instrumentos praticados pelo


Estado no domínio do comércio externo, com vista a orientar
positiva ou negativamente e de uma maneira centralizada, o
volume, a estrutura, a repartição geográfica e os preços das
mercadorias importadas e exportadas por um determinado
Estado.
Política Comercial

Características

É uma actividade soberania e exclusiva de um Estado, o que


significa a existência de um poder central único capaz de impor
um determinado comportamento nas suas relações comerciais e
económicas com o exterior;

Reflecte o nível de desenvolvimento das forças produtivas e de


integração da economia nacional, pois que um certo nível de
desenvolvimento económico e social corresponde sempre a um
certo tipo de política comercial externa. É por esta razão que é
parte integrante da política económica global de um Estado.
Política Comercial

Objectivo

. •Garantir relações comerciais de qualquer país de forma mais


razoável, privilegiada ou favorável.

•Proteger a economia nacional ou ramo da economia da


concorrência externa, tendo por tanto uma função protectora.

•Aumentar a capacidade concorrencial (competitividade) da


produção local nos mercados externos, desempenhando uma função
integracionista.
Política Comercial

Objectivo

•Orientar a selecção dos parceiros comerciais em função dos seus


interesses, desempenhando assim uma função selectiva.

O seu desenho objectivo e os instrumentos que contemplam estão


em dependência do momento concreto que apresenta a economia
dos países, do Comercio Internacional e a situação económica,
histórica internacional e o desenvolvimento das forças
produtivas.
Política Comercial

Classificação

Domínio autónomo: O Estado define a sua política comercial


externa unilateral e soberanamente, sem consultas e
interferências dos outros Estados. Em ocasiões provoca
reacções violentas por parte dos Estados sujeitos às
consequências desta política.
Domínio convencional: forma de intervenção pela qual o Estado
define a sua política comercial de harmonia com os interesses
dos outros Estados.
Política Comercial

Tipos

Proteccionismo: protecção do mercado interno da competência


estrangeira (taxas e tarifas aduaneiras estimulado por outra parte
de exportação de mercadoria. (vender mais (+) e comprar menos
(–).
O livre cambista ou mercado livre: rege a livre importação e
exportação de mercadorias, mais sem eliminação de (taxas, tarifas
aduaneiras), maior vantagem para os maiores níveis de
desenvolvimento.
O proteccionismo agressivo: surge como resultado das guerras
comerciais e da agudização do problema dos mercados.
fundamentalmente no incremento das tarifas aduaneiras, com
Política Comercial

Princípios

- Princípio do proteccionismo que faz prevalecer a intervenção


directa do Estado no comércio exterior;

- Princípio da liberalização que isenta o Estado a intervir


directamente nas actividades comerciais externas;

- Princípio combinado que pressupõe a combinação dos princípios


do proteccionismo e da liberalização, segundo o qual o Estado
intervém directamente em alguns sectores da economia nacional
considerados mais sensíveis e ou quando as circunstâncias o
exigirem;
Política Comercial

Instrumentos actuais

Barreiras tarifárias

Conjunto de medidas e de regras do Estado, no sentido da cobrança


dos direitos aduaneiros e das outras taxas de efeito equivalente na
entrada e saída de mercadorias do território aduaneiro de um país,
com vista à protecção do mercado interno.
Política Comercial

Instrumentos actuais

Barreiras tarifárias

Este conjunto de medidas e de regras (taxas e tarifas aduaneiras)


formam :
política aduaneira
Totalidade das disposições legais relativas à entrada e saída do país
de mercadorias. O principal instrumento da política aduaneira é a
tarifa aduaneira que compreende as taxas aduaneiras.
Política Comercial

Instrumentos actuais

A tarifa aduaneira representa diplomas legais que estabelecem a


nomenclatura das mercadorias sujeitas à imposição aduaneira na
entrada e saída do território aduaneiro.
Tipos de tarifa aduaneira:
Simples que dispõe de uma só coluna de taxas para todas as
mercadorias.

Composta que tem duas ou mais colunas de taxas aduaneiras


diferenciadas por mercadoria proveniente de diversos países em
função do carácter das relações comerciais e económicas
existentes entre estes países.
Política Comercial

Instrumentos actuais

As taxas aduaneiras (TA) são os impostos cobrados pelo Estado


sobre as mercadorias quando atravessam as fronteiras aduaneiras.
São classificadas: segundo o objectivo da cobrança, a forma de
cobrança e a dimensão da cobrança.
Política Comercial

Instrumentos actuais

As taxas aduaneiras (TA) Segundo o objectivo da cobrança.

São cobradas sobre as importações (M), sobre as exportações (X) e


sobre o comércio de trânsito.
Política Comercial

Instrumentos actuais

As taxas aduaneiras (TA) Segundo a forma de cobrança, podem


ser:
- Específicas, isto é, cobradas sobre cada unidade física (kg, m, litro)
ou;
- Ad-valorem, cobradas sobre a forma de uma percentagem
calculada com base no preço ou (no valor da mercadoria);

- Mistas quando são cobradas como um acréscimo às taxas


específicas.
Política Comercial

Instrumentos actuais

As taxas aduaneiras (TA) Dimensão da cobrança

Autónomas quando estão estabelecidas unilateralmente pelo Estado,


sem arranjos governamentais com outros Estados;

Convencionais ou contratuais estabelecidas com base em arranjos


governamentais com outros Estados, sendo em geral mais baixas
que as taxas aduaneiras autónomas;
Política Comercial

Instrumentos actuais

As taxas aduaneiras (TA) Dimensão da cobrança

Preferenciais, cobradas pelo Estado sobre as mercadorias


provenientes dos países que beneficiam de um tratamento
preferencial no âmbito dos tratados de integração económica
regional;

De represaria, cobradas sobre as mercadorias provenientes dos


países que praticam uma política comercial discriminatória, como
uma resposta a este tipo de política.
Política Comercial

Instrumentos actuais

As taxas aduaneiras (TA) Dimensão da cobrança

Preferenciais, cobradas pelo Estado sobre as mercadorias


provenientes dos países que beneficiam de um tratamento
preferencial no âmbito dos tratados de integração económica
regional;

De represaria, cobradas sobre as mercadorias provenientes dos


países que praticam uma política comercial discriminatória, como
uma resposta a este tipo de política.
Política Comercial

Instrumentos actuais

Barreiras não tarifárias (ausência de taxas, tarifas aduaneiras)

* Fixação de cotas (limitações) de importação


* Sistema de licença de importação e exportação (concede o estado)
* Restrição de divisas (operações de pago em determinados bancos e
organizações especiais do país
* Monopólios estatais de importação e exportação. Privadas do
direito de importar e exportar (se concede a determinados grupos
e organizações monopólio.
Política Comercial

Instrumentos actuais

Barreiras não tarifárias (ausência de taxas, tarifas aduaneiras)

* Fixação de cotas (limitações) de importação


* Sistema de licença de importação e exportação (concede o estado)
* Restrição de divisas (operações de pago em determinados bancos e
organizações especiais do país
* Monopólios estatais de importação e exportação. Privadas do
direito de importar e exportar (se concede a determinados grupos
e organizações monopólio.
Política Comercial

Instrumentos actuais

Barreiras Indirectas

*Procedimentos aduaneiros e administrativos: formalidades


excessivas ou incómodas

*Parâmetros e normas sobre as importações: requisitos técnicos,


normas de segurança e sanitárias, exigências quanto ao embale e
marcas, etc. Certificado de origem.

*Impostos e revalidações de sobre as importações (multas).


Política Comercial

Instrumentos actuais

Conceitos

* Dumping de Mercadorias: descriminação internacional dos


preços, quando uma empresa vende seus produtos no estrangeiro
a preços mais baixo que o custo de produção, ou a baixo preço do
que se vende em mercado nacional.

* Dumping de Divisas: exportação de mercadorias a preços


inferiores que as competições pela depreciação da moeda
Política Comercial

Política económica:

Consiste no conjunto de acções governamentais que são planejadas


para atingir determinadas finalidades relacionadas com a situação
económica de um país, uma região ou um conjunto de países.
Estas acções são executadas pelos agentes de política económica,
a saber: nacionalmente, o Governo, Banco Central e o Parlamento
e internacionalmente por órgãos como, por exemplo o FMI,
Banco Mundial etc. Cada vez mais há uma interacção com
entidades multinacionais, pelo fato da economia da maioria dos
países encontrar-se globalizada.
Política Comercial

Política económica:

Tipos:

Estruturais: voltada a modificar a estrutura económica do país,


regulando o funcionamento do mercado ou criando empresas
públicas. Tem como objectivo modificar as estruturas da
economia a longo prazo. Pretende adoptar, preparar, orientar e
impulsionar as modificações estruturais para seguir com a
evolução económica.
Política Comercial

Política económica:

Tipos:

Conjunturais: visa a superação de desequilíbrios ocasionais, ou seja,


pode ser uma acção contra uma depressão económica e/ou um
combate à inflação, protecção alfandegária e política cambial
mais rigorosa contra concorrência estrangeira. Têm como
objectivo manter ou restabelecer o equilíbrio económico-
financeiro a curto prazo.
Política Comercial

Política económica:

Tipos:

Expansão: tem por objectivo a manutenção ou aceleração do


desenvolvimento económico e pode se datar por meio de
reformulações estruturais, medidas de combate à inflação,
protecção alfandegária e política cambial mais rigorosa contra
concorrência estrangeira.
Objectivos da política económica: Pleno-emprego, estabilidade dos
preços, crescimento da produção, redistribuição de rendimentos
entre outros.
Organizações Internacionais Do Comércio

GATT; Surgimento e Estrutura

• O Acordo Geral Sobre Pautas Aduaneiras e Comércio (em inglês:


General Agreement on on Tariffs and Trade, GATT) foi
estabelecido em 1947, tendo em vista harmonizar as políticas
aduaneiras dos Estados signatários. Esta na base da criação da
Organização Mundial do Comércio. É um conjunto de normas e
concessões tarifárias, criado com a função de impulsionar a
liberalização comercial e combater praticas proteccionistas,
regular provisoriamente, as relações comerciais internacionais.
Organizações Internacionais Do Comércio
GATT; Surgimento e Estrutura

A forma esquemática - estrutura


• Um conjunto de listas de concepções, que contem as vantagens
de pautas aduaneiras outorgadas por cada um dos países
membros;

• Um conjunto de normas comerciais que regulem a aplicação das


vantagens contidas na lista de concessões, protegendo-as de
qualquer medidas que as possa anular: ao mesmo tempo as
normas servem para harmonizar os instrumentos de política
comercial das partes contratantes;

• Uma organização encarregada de administrar o acordo geral,


resolver os conflitos que possam surgir entre seus membros e
Organizações Internacionais Do Comércio

GATT; Objectivos

• Harmonizar as políticas aduaneiras dos Estados signatários;


• Impulsionar a liberalização comercial e combater praticas
proteccionistas;
• Regular provisoriamente, as relações comerciais
internacionais;
• Melhorar a qualidade de vida e aumento dos rendimentos;
• Garantir o pleno emprego;
• Desenvolver a produção, o comércio e optimizar a utilização
dos recursos mundiais;
Organizações Internacionais Do Comércio
GATT; Princípios

• Protecção da produção nacional mediante as tarifas


aduaneiras;

• Consolidação das tarifas;

• Trato da nação mais favorecida;

• Regra do trato nacional;

• Sistema de consumo;

• Acção colectiva.
Organizações Internacionais Do Comércio

GATT; Funcionamento (Rondas do GATT)

• 1947 (Genebra);
• 1949 (annecy, França);
• 1950 – 1951 (Torquay, Inglaterra);
• 1956 (Genebra);
• 1960 – 1962 (a ronda de Dillon em Genebra);
• 1964- 1967 (a ronda Keneedy Genebra);
• 1973 – 1979 (a ronda de Tokio);
• 1986 -1994;5 (ronda Uruguay).
Organizações Internacionais Do Comércio

Organização Mundial Do Comercio - OMC

Surgimento

• A Organização Mundial do Comércio (OMC) é uma


organização internacional que trata das regras do
comércio internacional.
Organizações Internacionais Do Comércio

Organização Mundial Do Comercio - OMC

Funções

As principais funções da OMC são as seguintes:


* Administrar seus acordos;
* Solucionar controvérsias comerciais;
* Supervisionar as políticas comerciais nacionais;
* Servir de foro para negociações comerciais;
* Cooperar com outras organizações internacionais.
Organizações Internacionais Do Comércio
Organização Mundial Do Comercio - OMC
Objectivos

* A elevação dos níveis de vida, o pleno emprego, a


expansão da produção e do comércio de bens e
serviços, a protecção do meio ambiente, o uso óptimo
dos recursos naturais em níveis sustentáveis e a
necessidade de realizar esforços positivos para
assegurar uma participação mais efectiva dos países
em desenvolvimento no comércio internacional.
Organizações Internacionais Do Comércio
UNCTAD

Conferência Nações Unidas Sobre Comércio e


Desenvolvimento

Conhecida pelas suas siglas em inglês UNCTAD


(United Nations Conference on Trade and
Development), estabelecida como órgão da Assembleia
das Nações Unidas em Dezembro de 1964.
Organizações Internacionais Do Comércio
UNCTAD

Objectivos
Incrementar o comércio internacional para acelerar o
desenvolvimento económico, coordenando as políticas
relacionadas com países subdesenvolvidos.;

Negociar com os países desenvolvidos para que reduzam


os obstáculos tarifários e não-tarifários ao comércio de
produtos originários de países subdesenvolvidos.
Organizações Internacionais Do Comércio

Factores fundamentais que fizeram possível a convocatória da


UNCTAD, destacam-se os seguintes:

Desmoronamento do sistema colonial do imperialismo, que nos


anos cinquenta e sessenta alcançou o seu maior auge, e o
conseguinte surgimento de Estados independentes politicamente,
enfrentados a problemática do desenvolvimento, sobre tudo em
África e Ásia.

Amplo desenvolvimento dos países do campo socialista, que


apoiavam a gestão destas nações, o qual influiu nos câmbios
respeitante a correlação de forças internacionais.
Organizações Internacionais Do Comércio

Factores fundamentais que fizeram possível a convocatória da


UNCTAD, destacam-se os seguintes:

Situação económica cada vez mas difícil, para os países


subdesenvolvidos.

Insatisfação destes países com os resultados alcançados com o


GATT, e a não conexão de seus problemas de desenvolvimento
com as suas questões comerciais no Acordo Geral.
Organizações Internacionais Do Comércio

Funções da UNCTAD

* Servir de centro de harmonização das políticas comerciais e de


desenvolvimento dos governos, assim como dos grupos
económicos regionais.

* A sua primordial função e labor: a função analítica, que implica


realização de análises de política, estudo sistemático das políticas
nacionais e internacionais que influenciam no desenvolvimento;
busca de consenso e negociação; execução e seguimento; e a
cooperação técnica.
Organizações Internacionais Do Comércio

Funções da UNCTAD
* Fomentar a expansão e diversificação do comércio entre os
países, de forma que este contribua ao desenvolvimento
económico.

* Formular princípios e políticas comerciais e adoptar medidas


que sejam pertinentes para tal fim.

* Iniciar medidas quando for pertinente em cooperação com os


órgãos das Nações Unidas para negociar e aprovar instrumentos
jurídicos multilaterais em esfera do comércio internacional.
Balança de Pagamento

Conceito

* É um instrumento da contabilidade social referente à descrição


das relações comerciais de um país com o resto do mundo. Regista o
total de dinheiro que entra e sai de um país, na forma de
importações e exportações de produtos, serviços, capital,
financeiro, bem como transferências comerciais.

* É um documento contabilístico elaborado anualmente, onde são


registados todos os fluxos monetários entre um país e o resto do
Mundo.
Balança de Pagamento

Classificação

* Balança Comercial ou Corrente;

* Balança de Capital;

* Balança Financeira;

* Erros e Omissões.
Balança de Pagamento

Balança corrente ou comercial

É uma das principais categorias que compõem a balança de


pagamentos. Regista os fluxos relativos a mercadorias, serviços,
rendimentos e transferências correntes;

Componentes
* Mercadorias: movimentos referentes ao comércio de bens;
* Serviços: movimentos referentes ao comércio de serviços;
* Rendimentos: movimentos referentes a rendimentos do trabalho e
de investimento;
transacções correntes: transferências unilaterais entre um país e o
exterior.
Balança de Pagamento

Balança de Capital

Regista as transferências de capital entre um país e o resto do


Mundo;
Transferência de capitais: fluxos monetários sem contrapartida ou
seja transferências unilaterais.

* Fundos de apoio por instituições internacionais;


* Movimentos de fundos por empréstimos para investimentos e seus
pagamentos e devoluções;
* Exportações e importações de títulos de propriedades no exterior
ou dívidas;
Balança de Pagamento

Balança Financeira

Regista os fluxos financeiros entre um país e o resto do Mundo,


incluindo os fluxos relacionados com investimentos;

•Investimento directo;
•Investimentos em carteira;
•Outros investimentos;
•Activos de reserva:

Erros e omissões
É um agregado necessário para igualar o total de entrada e o total
de saída;
Balança de Pagamento

Outros elementos componentes

» Importância;

» Os desequilíbrios (causas);

» Vantagens/desvantagens (balança corrente);

» Superávit;

» Déficit;

» Transacções económicas.