Você está na página 1de 33

Cestod

a
Classe Cestoda

 São vermes
hermafroditas e
endoparasitas, com o
corpo comprido e
achatado.
 Não possuem cavidade
celomática ou canal
alimentar.
 Podem ter de poucos
milímetros a vários
Classe Cestoda

 Dentro desta classe estudaremos os


gêneros:
 Taenia;

 Hymenolepis;

 Echinococcus;

 Dipylidium.

 O primeiro gênero a ser estudado será


o causador do complexo
teníase/cisticercose, o gênero Taenia.
 Taenia solium : tênia do suíno.
 Taenia saginata: tênia do bovino.
 Popularmente conhecidas como
solitárias.
 Teníase é caracterizada pela presença
da forma adulta no intestino delgado
humano.
 Cisticercose é a alteração provocada
pela larva (cisticerco) nos tecidos dos
hospedeiros intermediários.
Morfologia

 Possue
mo
corpo
dividido
em
escólex,
colo e
estróbil
o.
Escólex

 Órgão adaptado para a


fixação do cestoda na
mucosa do intestino
delgado.
 Apresenta quatro ventosas
formadas de tecido
muscular.
 A Taenia solium possui um
rostelo ou rostro armado
com uma fileira de 25 a 50
acúleos.
Colo
 Situado
imediatamente após
o escólex;
 Não tem
segmentação, mas
suas células estão
em constante
atividade
reprodutora, dando
origem às proglotes
jovens.
 É conhecida como
Estróbilo

 É o corpo do helminto,
formado pela união de
proglotes.
 Pode conter de 800 a 1000
proglotes e medir 3m (T.
solium) ou 8m (T. saginata).
 Proglotes:
 Individualidade alimentar e
sexual;
 Jovens, maduras e grávidas;
 Hermafroditas.
Taenia saginata

Taenia
solium
Ovos
 Microscopicamente é
impossível distinguir os
ovos das duas tênias.
 São esféricos e medem 30µ
m de diâmetro.
 Possuem uma casca
protetora chamada
embrióforo.
 Dentro do embrióforo
encontramos a oncosfera
ou embrião hexacanto, com
três pares de acúleos.
Cisticerco

 Constituído de um
escólex, colo e uma
vesícula
membranosa
contendo líquido no
seu interior.
 Podem atingir até
12mm de
comprimento, após
4 meses de
infecção.
Hábitat

 As tênias adultas vivem no intestino


delgado do homem.
 O cisticerco do T. solium é encontrado
nos tecidos subcutâneo, muscular,
cardíaco, cerebral e ocular dos suínos
e acidentalmente no homem.
 O cisticerco de T. saginata é
encontrado nos tecidos dos bovinos.
Transmissão

 Teníase: ingestão de carne bovina ou


suína mal cozida contaminada com
cisticercos.
 Cisticercose: ingestão acidental de
ovos viáveis de T. solium.
 Auto-infecção interna;
Patogenia e sintomatologia

 Apesar de ser conhecida como


solitária, normalmente as pessoas
estão infectadas por mais de uma
tênia.
 Podem causar:
 Fenômenos tóxicos alérgicos;
 Pode provocar hemorragia na mucosa;
 Produzir inflamações.
 Competição por alimento.
Cisticercose

 A cisticercose é que causa as lesões


realmente graves no homem.
 As manifestações clínicas dependem
da localização, do número de
parasitos, seu estágio de
desenvolvimento e a característica
orgânica do paciente.
 Podem atingir qualquer tecido do
corpo, mas as mais importantes são as
musculares e neurais.
Neurocisticercose
Diagnóstico

 Parasitológico:
 Proglotes e ovos nas fezes;
 Diagnóstico específico: Tamização.
 Clínico:
 Praticamente impossível nos pacientes
com teníase.
 Na cisticercose as alterações patológicas
são mais visíveis.
Imunológicos

 Os métodos mais usados detectam


anticorpos no soro, líquido
cefalorraquidiano e humor aquoso.
 Reação imunoenzimática utilizando
antígenos purificados dos cistos de T.
solium.
Epidemiologia
 A prevalência pode
depender da cultura do
povo;
 Abatedouros
clandestinos;
 Tipo de criação dos
suínos;
 Hábito coprofágico do
suíno;
 Contaminação do
bovino no pasto;
 Quanto a
contaminação
humana, a mais
comum é a
heteroinfecção.
 Água contaminada

com fezes;
 Disseminação de

ovos por moscas e


baratas;
 Acidentes de
Profilaxia

 Impedir o acesso dos


porcos às fezes;
 Tratamento dos
casos humanos;
 Não comer carne
mal cozida;
 Melhoria do sistema
de criação dos
animais.
Tratamento

 Teníase: simples e eficiente, é feito


com a utlização do praziquantel.
 Neurocisticercose
 Combinação de antihelmínticos,

antinflamatórios e com a correção


dos efeitos resultantes das
alterações.
 Cirurgia.