P. 1
036 - Perda ponderal

036 - Perda ponderal

|Views: 3.595|Likes:

More info:

Published by: Михаил Шкопьников on Aug 22, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/04/2013

pdf

text

original

36Perda ponderal

36. Perda ponderal
• • • • Saber a definiñçao e significado da perda ponderal Descrever as causas da perdas ponderal não intencional Identificar os métodos para avaliar a perda ponderal Saber como avaliar e seguir os paciente com a perda de peso não intencional

A perda ponderal significativa (> 5% em 6-12 meses) e não intencional numa pessoa previamente sadia frequentemente sugere uma doença sistémica subjacente, implica uma maior mortalidade e morbilidade e exige uma melhor avaliação.

Fisiologia de regulação de peso
Uma pessoa normal mantém o seu peso no “ponto definido” apesar da ingestão e actividade física. É difícil alcançar e manter a perda ponderal voluntaria devido a manutenção de reservas energéticas. O peso é mantido pelo equilibrio entre a ingestão, actividade e o metabolismo. O apetite e metabolismo estão regulados por uma rede de factores hormonais e neurais, onde os centros hipotalãmicos de saciedade e da alimentação tomam o papel central. Induzem anorexia actuando sobre os centros de saciedade Neuropéptidos: • Hormona de liberação de corticotropina (CRH) • Hormona estimuladora de melanocítos α (α-MSH) • Transcrito relacionado com cocaína e anfetamina (CART) Sinalizam a saciedade e reduzem a ingestão alimentar Péptidos gastrointestinais: • Grelina • Glucagon • Somatostatina • Colecistocinina

Hipoglucemia →↓Insulina →↓Utilização de glicose → Inibe o centro de saciedade Leptina (produzida por tecido adiposo) exerce o papel central na manutenção do peso a longo prazo actuando sobre o hipotálamo para diminuir a ingestão e aumentar o gasto. Acção 1 Significado fisiológico

Perda de calorias 2 . Todas estas citocinas podem estar aumentadas em paciente com cancro. inflamação crónica. A perda ponderal acontece quando o gasto supera a ingestão. absorção e metabolismo de alimentos. a pessoa de 70kg gasta cerca de 1800 kcal/dia para manter os processos basais. Os atletas podem utilizar até 50% da energia disponível durante o exercício vigoroso. Má absorção 3.36Perda ponderal ↓ expressão de neuropéptido hipotalámico Y ↑ expressão de α-MSH Potente estimulador de apetite Actua por meio de receptor de Melanocortina MC4R para reduzir o apetite Modificam o comportamento de busca de alimento Activa serie de vias neurais a jusante Por outra parte: Perda do tecido adiposo → Deficiência de Leptina → Respostas adaptativas • Inibição da hormona de liberação de tireotropina (TRH) Inibição de liberação de gonadotropinas (GnRH) • Citocinas • • • • • • Factor de necrose tumoral α (FNT-α) IL-6 IL-1 Interferon ϒ (IFN-ϒ) Factor neurotrófico ciliar (CNTF) Factor inibidor de leucemia (LIF) Efeitos • • • • • • Caquexia Anorexia Febre Deprimem a função miocárdica Modulam as respostas imunes e inflamatórias Induzem alterações metabólicas específicas O FNT-α mobiliza preferencialmente o tecido adiposo mas poupa o tecido muscular esquelético. Os mecanismos da perda ponderal incluem: 1. sepse. Termogenese nutricional é a energia dispendida na digestão. Redução de ingestão 2. Os processos basais incluem a manutenção da temperatura corporal. SIDA e insuficiência cardíaca congestiva.

3. também aumenta o tecido adiposo e diminui o tecido magro. Aumento de necessidades metabólicas As alterações do peso podem corresponder a perda da massa tecidual ou conteúdo hídrico corporal. 7.36Perda ponderal 4. 5. Visuais Olfactivos Gustativos Genéticos Psicológicos Sociais As possíveis causas que comprometem a absorção y podem manifestar-se com as alterações de frequência e consistência de evacuações: 1. 3. 4.45 kg da massa tecidual mas também se perde ou se ganha até 1 l/kg de água. 5. 2.5 kg nos últimos 6 meses também 3 . 8. 4. A ingestão é controlada por vários estímulos: 1. Um défice de 3500 kcal produz a perda de 0. 4. assim a partir de 60 anos cai em média 0. A perda acelerada do peso predispõe a infecções. Segundo os estudos a mortalidade oscula pelos 25% nos 18 meses seguintes e há outro estudo que conclui que aos dois anos a mortalidade é de 9% e aos três sobe para 38%. Os pacientes QX que perderam 4. 6. Importância da perda ponderal A perda não intencional especialmente no idoso é relativamente frequente e está associada às taxas de mortalidade e morbilidade elevadas mesmo depois de descobrir os distúrbios co-mórbidos. Insuficiência pancreática Colestase Doença celíaca Tumores intestinais Lesão pela radiação Doença inflamatória intestinal Infecção Efeito de medicamentos Outras maneiras de perder as calorias são: 1. 3.5%/ano. 2. Se a perda dura semanas ou meses costuma ser por perda do tecido. menor resposta a QMT e redução de sobrevivência. 2. Os pacientes com cancro com a perda ponderal apresentam a diminuição de desempenho. Vómitos Diarreia Glucosuria na DM Drenagem fistulosa O gasto energético diminui com a idade e pode estar afectado pelo hipertiroidismo. 6.

exploração física e as provas diagnósticas apropriadas são DX em 75% embora nos restantes pacientes não se encontra a causa apesar dos extensos exames. Distúrbios psiquiátricos (transtornos alimentares) 4. DM 2. Causas da perda ponderal Causas no paciente idoso 1. de pâncreas e fígado) SXS acompanhantes Afectam a ingestão alimentar precocemente apresentando a perda ponderal antes do inicio de SXS • Pneumonia pos-obstructiva • Dispneia • Tosse • Hemoptise Provocam a perda ponderal profunda especialmente nos pacientes idosos • Anorexia • ↑ gasto energético em repouso Podem apresentar a perda ponderal Cancro de pulmão Deve ser considerado em todos mesmo em ausência de história de tabagismo. a anamnese. Depressão e isolamento Doença pulmonar crónica Insuficiência cardíaca congestiva Doenças infecciosas: HIV 4 . Infecções (HIV) Na maioria dos casos de descobre a causa de perda de peso. Cancro de pulmão b. Os pacientes com os exames negativos costumam ter as taxas de mortalidade menores que os que têm a causa orgânica identificada. Cancro gastrointestinal 1. As causas principais conhecidas de perda de peso não intencional são os distúrbios gastrointestinais e o cancro. Hipertoroidismo 3.36Perda ponderal apresentam maior mortalidade posQX. Recordar que em muitos tipos de cancro aumenta a producção de citocinas inflamatorias. Depressão. A perda ponderal significativa também pode ir acompanhada pelo défice de vitaminas e nutrientes. Cancro a. isolamento 2. Doença gastrointestinal benigna Causas no paciente jovem 1. Cancro induz a perda ponderal principalmente por anorexia mas lembrar que as leucemias e linfomas induzem a perda ponderal pelo aumento de metabolismo. Geralmente as doenças subjacentes nos dão pistas para DX: Distúrbio subjacente Tumores gastrointestinais (incl.

uso de álcool. disfagia. alteração dos hábitos intestinais. factores sociais e questões económicas. O exame físico deve ser começado com o registo de peso e sinais vitais. É importante o exame de abdómen. doença dentária. dor. Pele: buscar palidez. icterícia. Micose. dado que os 50% dos pacientes que se queixam disso realmente têm o peso normal. aumento de glândula tiróide. nos pacientes idosos apresentam a perda ponderal e fraqueza mesmo na ausência de SXS de tirotoxicose • Glucosuria • Perda de acções anabolizantes de insulina • • • Aumento de pigmentação Hiponatremia Hiperpotassemia Insuficiência supra-renal Abordagem ao paciente Primeiro confirmar que existe uma verdadeira perda de peso. buscar as sinais de febre. patologias prévias no paciente e familiares. história de intervenções médicas.36Perda ponderal TB Endocardite. evidência de doença neurológica. sinais da doença respiratória ou cardíaca. estigmas de doença sistémica. Revisar os sistemas baseando-se nos SXS adicionais que apresenta o paciente. Buscar os sinais de candidase oral. adenopatias. anorexia. medicamentos. bem como os FFRR de SIDA: Considerar os sinais de depressão. tosse. demência. Investigar sobre a história de viagens. cicatrizes de QX previa. dispneia. náuseas. tabagismo. Investigar os sinais da doença gastrointestinal: dificuldade de alimentação. palpitações. turgor. Por isso é tão importante registar o peso em cada consulta. Se não existe a documentação se usam as pistas como o tamanho de ajuste do cinto e adequação de roupas. Muitos pacientes não se dão conta que perderam o peso. tacto rectal nos homens em busca de agrandamento de próstata e sangue oculto nas fezes. As mulheres devem 5 . Parasitose Hipertiroidismo Feocromacitoma DM Aumentam o metabolismo.

6 . Primeira linha • • • • • • • • • • • Hemograma completo com contagem diferencial Bioquímica sérica: Glicemia Electrólitos Testes renais Testes hepáticos Cálcio TSH Exame de urina Radiografia de tórax Screening das doenças oncológicas de acordo com a faixa etária e sexo Os exames específicos • • Testes de HIV Endoscopia alta ou baixa. Perguntar sobre al alterações de micção. O exame neurológico avalia os sinais de depressão e o estado mental. TC abdominal ou RM nos pacientes com suspeita de patologia gastrointestinal TC de tórax • Se não encontrar a causa se recomenda o seguimento minuciosos em vez de pedir mais e mais testes aleatórios.36Perda ponderal ser submetidas a avaliação pélvica incluindo mesmo as histerectomizadas. Os exames de laboratório se pedem em função dos achados clínicos.

36Perda ponderal Vocabulário Hormona de liberação de corticotropina (CRH) Hormona estimuladora de melanocítos α (αMSH) Leptina Uma de hormonas que induz anorexia actuando sobre os centros de saciedade Uma de hormonas que induz anorexia actuando sobre os centros de saciedade Ponto de peso definido Processos basais Termogenese nutricional Transcrito relacionado com cocaína e anfetamina (CART) Hormona produzida pelo tecido adiposo que exerce um papel importante na manutenção do peso ao longo prazo actuando sobre o hipotálamo O peso do individuo definido em termos de homeostase que se ante estável apesar da ingestão e gastos. absorção e metabolismo de alimentos que requer cerca de 10% da ingestão calórica Uma de hormonas que induz anorexia actuando sobre os centros de saciedade 7 . Os processos homeostáticos que incluem a manutenção da temperatura corporal e requerem cerca de 50% da ingestão calórica A energia expendida na digestão.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->