Farmacognosia

HETEROSÍDEOS São compostos que após hidrólise resultam: açúcares ou derivados glicona aglicona compostos de outra natureza

Podem conter mais de um grupo sacarídico, sendo à vezes dissacarídeos ou trissacarídeos. As ligações entre glicona e aglicona é promovida por um átomo nucleofílico, tais átomos formam os O, C, N e S-heterosídeos.
OH HO O OH OH O OH O O OH HO OH C-HETEROSÍDEO (ALOÍNA) O OH O-HETEROSÍDEO (RUTINA) HO O OH OH N N N NH2 N HO HO HO O OH S-HETEROSÍDEO (SINALBINA) S N O S OO O OH

HO

O OH

H

OH OH

O HO HO O

OH OH

N-HETEROSÍDEO (ADENOSINA)

Sofrem hidrólise pela ebulição com ácidos minerais e quanto mais polar a ligação entre glicona e aglicona mais facilmente se processa a quebra.

Alexandre de M. Passini

entre eles: cardiotônicos cianogenéticos flavonoídicos antraquinônicos saponínicos cumarínicos glucosinolatos alcoólicos aldeídicos fenólicos Nomenclatura Os nomes comuns recebem a terminação “ina”. Passini . OH HO O OH OH O OH Salicina o-hidroxibenzil-β-D-glicopiranosídeo Alexandre de M.Farmacognosia Dividem-se em vários grupos. digitoxina salicina prunasina Digitalis Salix Prunus Os nomes sistemáticos geralmente são formados pela substituição da terminação “ose” do açúcar de origem por “osídeo”. e indicam sua fonte.

As enzimas catalizadoras: uridil-transferases (1) glicosil-transferases (2) Ocorre transferência do açúcar do difosfato de uridina para a aglicona. 1 UTP + 1-FOSFATO-AÇÚCAR 2 UDP-AÇÚCAR + PPi UDP-AÇÚCAR + ACEPTOR ACEPTOR-AÇÚCAR + UDP Alexandre de M. Passini . formando-se assim o glicosídeo.Farmacognosia Biossíntese Consiste basicamente em três etapas: biossíntese da glicona biossíntese da aglicona conjugação da glicona e da aglicona A transferência de um grupo uridilila de um trifosfato de uridina para um fosfato sacarídeo.

Enzimas β-glicosidades catalizam a hidrólise. HOCH2 HO HO O N CH2 O HO HOCH2 O H AMIGDALINA-HIDROLASE D-GLICOSE HO HO O O H N O HO HO HO HO AMIGDALINA PRUNASINA N HO H D-GLICOSE O H MANDELONITRILA-LIASE + HCN (R)-MANDELONITRILA BENZALDEÍDO Biossíntese H H COOH H NH2 H H H COOH NHOH H H NOH H L-FENILALANINA N-HIDRÓXI-L-FENILALANINA FENILACET ALDOXIMA HO OH CH2OH HO H O O GLICOSIL-T RANSFERASE UDP-GLICOSE H OH N N (R)-MANDELONIT RILA PRUNASINA A sambunigrina é um isômero da prunasina e pode ser formada a partir da S-mandelonitrila. Passini . Podem estar presentes juntamente com emulsinas e outras enzimas que hidrolisam o glicosídeo.Farmacognosia Heterosídeos Cianogenéticos Após hidrólise liberam ácido cianídrico. Alexandre de M.

especialmente em antitussígenos. Alexandre de M. Sob forma de xarope.03% Aplicações é considerado um expectorante sedativo. ácido trimetilgálico. Passini . Composi Química prunasina. ácido p-cumárico. prunase.23 a 0.32% córtex externo – 0. amido. como veículo aromatizante. vestígios de um óleo volátil.Farmacognosia Cereja Silvestre: casca cuidadosamente dessecada de Prunus serotina Ehrhart (Rosaceæ). ácido cianídrico córtex interno – 0.

Toxicologia o caroço de damasco contém emulsina que causa hidrólise. Contém amigdalina (cerca de 3%). há outras fontes de emulsina. Alexandre de M.Farmacognosia Caroço de Damasco: sementes das variedades de Prunus armeniaca Linné (Rosaceæ). tal prática não é segura. embora o NCI tenha considerado ineficiente tal tipo de tratamento. Passini . por exemplo as amêndoas. embora a enzima possa ser inativada pelo calor. Aplicações utilizado como antineoplásico pela comunidade.

que exercem potente ação sobre o miocárdio. Presença do anel lactônico gera fragilidade em pH alcalino. com a cadeia açucarada. encontrados e restritos às angiospermas.Farmacognosia Heterosídeos Cardiotônicos Glicosídeos esteroidais. principalmente. Alexandre de M. O número de hidroxilas suplementares determina o grau de lipofilia. Passini . variando de acordo.) besouros (Chrysolina spp. Podem excepcionalmente ser encontrados em: anfíbios (Bufos spp.) lepidópteros a partir de fitosteróis a fonte é a família Asclepiadaceæ O O OH H H OO OO OH OO OH HO OH DIGOXINA H OH Solúveis em água e ligeiramente em etanol e clorofórmio.

Passini .14. Alexandre de M. O HO ESQUALENO PREGNENOLONA O HO COOH OH OH OH HO H 5β-PREGNAN-3.Farmacognosia Biossíntese O precursor esteroidal é o esqualeno.21-TRIOL-20-ONA HO H OH Admite-se geralmente que a formação do anel lactônico se dá pela condensação de um derivado do pregnano com uma unidade di ou tricarbonada.

O OR O OO OH OO OH HO OH HO OH O O OH O OH O OR Possuem grande participação na solubilidade. Sua estereoquímica relaciona-se com ligação à proteína receptora.4 e podem variar de uma a quatro unidades. absorção e distribuição. As oses são unidas por ligações β -1. Estão ligadas à genina em C3.6-didesóxi-hexoses. como exemplo pode ser citada a β-D-digitoxose.Farmacognosia Estrutura das Oses Os açúcares são do tipo 2. Classificação quanto à presença de glicose: cardiotônicos primários cardiotônicos secundários presença de glicose terminal ausência de glicose terminal Alexandre de M. Passini .

Substituintes comuns: R 17 14 8 7 6 16 15 12 11 1 2 3 10 5 4 9 OH β C3 / β C14 H ou OH CH3 C5 / C12 C10 / C13 H 13 H OH HO H Estruturas com substituição 8.14 epóxi são inativas. Máxima atividade com configuração cis-trans-cis.Farmacognosia Estrutura da Genina Responsável pela atividade cardíaca. Passini . Conformação dos anéis: AB cis BC trans CD cis HO 3 1 2 10 5 6 4 9 7 11 12 8 14 15 13 R H 16 Alexandre de M.

cardenolídeos anéis de 5 membros O O bufadienolídeos anéis de 6 membros O O Alexandre de M. A saturação do anel e o epímero em C17 diminuem a atividade. Passini .Farmacognosia Estrutura do Anel Lactônico Anel α.β insaturado em β C17.

Passini . Alexandre de M. PLANTAS FRESCAS ESTABILIZADAS EXTRAÇÃO COM ETANOL 50% A QUENTE SOLUÇÃO EXTRATIVA ACETATO DE CHUMBO PRECIPITAÇÃO DE MACROMOLÉCULAS FILTRAÇÃO FASE LÍQUIDA CLOROFÓRMIO FASE AQUOSA FASE ORGÂNICA HETEROSÍDEOS PURIFICADOS Para se obter geninas livres basta proceder a extração com 1M de H2SO4 ou após hidrólise enzimática.Farmacognosia Extração e Purificação A estabilização causa inativação enzimática que visa a conservação da cadeia açucarada.

6-didesóxi-açúcares (não cardioativos).ESVERDEADA falso negativo falso negativo falso positivo 6-desóxi-açúcares.6-didesóxi-açúcares. RESÍDUO CLOROFÓRMICO SECAR DISSOLVER EM ÁCIDO ACÉTICO CONCENTRADO ADICIONAR REATIVO DE XANTIDROL AQUECER COLORAÇÃO VERMELHA Reação de Keller-Kiliani. SOLUÇÃO DE HETEROSÍDEOS ADICIONAR ÁCIDO ACÉTICO ADICIONAR SAIS FÉRRICOS ADICIONAR ÁCIDO SULFÚRICO .SOLUÇÃO ACÉTICA ADQUIRE LENTAMENTE COLORAÇÃO AZUL . Passini .FORMAÇÃO DE ANEL VERMELHO PARDO . Alexandre de M. 2. Reação de Pesez ou reação de xantidrol.Farmacognosia Caracterização dos Açúcares Reações específicas para 2. em cardiotônicos primários.

Farmacognosia Caracterização das Geninas Reação de Kedde utiliza o ácido 3. Em meio ácido desidratante resultam em derivados fluorescentes. Alexandre de M. Reação de Raymond-Marthoud utiliza o m-dinitrobenzeno. Passini .5-dinitrobenzóico. formação de coloração laranja estável. Tais testes apresentam-se negativos para saponosídeos esteroidais. formação de coloração vermelha. Reação de Baljet utiliza o ácido pícrico. formação de coloração alaranjada ou violeta. negativos ou muito pouco sensíveis a bufodienolídeos. Reação de Legal e ainda utiliza o nitroprussinato de sódio. formação de coloração vermelho-violácea estável. Esses ensaios apresentam resultado negativo para bufodienolídeos.

Digitoxina: obtida de Digitalis purpurea Linné e D.3 mg --3 .6 h. 40 .0.30 min.8 .5 . 4 .1.100 % 25 % 1.12 h.6 h.100 % 95 % 7 dias metabólitos grande 10 .75 .25 mg 1.25 mg 0.35 ng/mL Podem ser encontrados nas plantas mais de setenta glicosídeos que originam cinco diferentes agliconas.1. lanata Ehrhart.125 .0.6 h.5 . 5 .5 .0 mg 0.2 mg --0.4 h.6 dias fármaco inalterado pequena 0.2. --90 .0 ng/mL Digitoxina 5 0.5 mg 0. Característica Número de hidroxilas Dose digitalizante oral média iv Dose manutenção oral diária iv oral Início do efeito iv oral Duração do efeito iv Absorção intestinal Lig.1. 1. plasmática terapêutica Digoxina 6 0. com prot.Farmacognosia Digoxina: extraída das folhas dessecadas de Digitalis lanata Ehrhart.05 . Alexandre de M. plasmáticas Meia vida Eliminação renal Circulação entero-hepática Conc.5 . Passini . --6 .