Colégio Alfredo Dantas Campina Grande – PB Aluna: Emillyn Secília Silva do Nacimento Nº 14 - 2º ano D – EM - Manhã

IMPORTÂNCIA ECOLÓGICA E ECONÔMICA DAS BACTÉRIAS AS BACTÉRIAS COMO DECOMPOSITORES Os cadáveres dos organismos mortos, assim como os resíduos eliminados por seres vivos (fezes, urina etc), apodrecem e desaparecem rapidamente do ambiente graças à ação de certas bactérias e fungos, genericamente denominados decompositores. Esses organismos degradam a matéria orgânica sem vida, decompondo suas moléculas em substâncias mais simples, que são liberadas no ambiente e podem ser reutilizadas por outros seres. A atividade dos decompositores é essencial à manutenção da vida na Terra, pois esta depende da contínua reciclagem de elementos químicos entre os componentes físicos e biológicos da natureza.

BACTÉRIAS E BIOTECNOLOGIA Embora os microorganismos tenham sido descobertos apenas no século XVII, o homem já os utilizava desde a Antiguidade na produção de alimentos. A indústria de derivados de leite, por exemplo, há séculos se utiliza das bactérias dos gêneros Lactobacillus e Streptococcus para a produção de queijos, iogurtes e requeijões. Na produção de vinagre, são utilizadas bactérias do gênero Acetobacter, que convertem o álcool do vinho em ácido acético. Bactérias do gênero Corynebacterium têm sido utilizadas para a produção do ácido glutâmico (um aminoácido) em larga escala. Esse aminoácido é utilizado em temperos, tendo a propriedade de intensificar o sabor dos alimentos. Hoje, as bactérias também têm sido muito empregadas na indústria farmacêutica para a produção de antibióticos e vitaminas. O antibiótico neomicina, por exemplo, é produzido por uma bactéria do gênero Streptomyces. A indústria química também se utiliza de bactérias para a produção de substâncias como o metanol, o butanol, a acetona etc. Nos grandes centros urbanos, bactérias decompositoras ganham cada vez mais destaque, sendo utilizadas na degradação de matéria orgânica dos esgotos domésticos e do lixo. A tecnologia do DNA recombinante, também chamada Engenharia Genética, tem permitido modificar geneticamente certas bactérias, fazendo-as produzir substâncias de interesse comercial. Já se encontra disponível no comércio hormônio de crescimento e insulina humanos, produzidos por bactérias geneticamente transformadas.

BACTÉRIAS E FERTILIZAÇÃO DO SOLO A maior parte dos átomos de nitrogênio que os seres vivos utilizam em suas proteínas, ácidos nucléicos e outras moléculas, orgânicas importantes é originalmente introduzida no mundo vivo por bactérias. Isso porque certas espécies de bactérias e cianobactérias são os únicos seres capazes de extrair nitrogênio da atmosfera, que é o grande reservatório natural desse elemento. As bactérias capazes de extrair nitrogênio do ar vivem no solo e são denominadas bactérias

 Neisseria gonorrhoeae .causa pneumonia. principalmente em pessoas com fibrose cística ou com o sistema imune comprometido. Algumas linhagens são ultra resistentes. . As bactérias também são úteis para o homem. como na indústria de laticínios e na indústria farmacêutica que utiliza bactérias para fabricar antibióticos específicos.causa disenteria (diarréia sangrenta).  Staphylococcus aureus . A Escherichia coli é um importante componente da nossa microbiota intestinal.fixadoras de nitrogênio. as bactérias fixadoras liberam o nitrogênio na forma de amônia (NH3). que passa a fazer parte das substâncias orgânicas de suas células.  Escherichia coli .causa septicemia.causa infecção do trato urinário. Algumas linhagens super resistentes não podem ser tratadas com drogas.causa septicemia e pneumonia. que ataca a lavoura da laranja. Ao morrer. no entanto.causa septicemia e infecção do trato urinário. e as bactérias desnitrificantes que devolvem o nitrogênio dos nitratos e da amônia para a atmosfera.  Pseudomonas aeruginosa . É desse grupo também o produtor da toxina tetânica. Linhagens resistentes podem levar a epidemias e algumas podem ser tratadas apenas com medicamentos muito caros (fluoroquinolonas). Algumas linhagens ultra resistentes não podem ser tratadas com drogas. finalmente a tetania.causa tuberculose. Algumas linhagens tem se mostrado muito resistentes a vários antibióticos.  Shigella dysenteria . O esporo contamina o ferimento profundo que ao fechar gera uma atmosfera com baixa tensão de oxigênio. diarréia e falência dos rins. como é o caso do amarelinho (Xylella fastidiosa). em função da ação neurotóxica de suas toxinas. De outra maneira as bactérias podem causar grandes prejuízos econômicos. produção de toxina. elas fixam o nitrogênio da atmosfera na forma de nitratos. e infecção das vias respiratórias nos pacientes com o sistema imune comprometido.  Haemophilus influenzae .causa gonorréia. Abaixo algumas das bactérias mais nocivas ao homem.  Mycobacterium tuberculosis . pneumonia e meningite. Algumas linhagens ultra resistentes não podem ser tratadas com drogas.  Acinetobacter . e as doenças associadas a cada uma dela:  Streptococcus pneumoniae . e. que provoca o tétano (Clostridium tetani).  Enterococcus faecalis . Elas incorporam o nitrogênio molecular (N2). infecção nas vias respiratórias e pneumonia. Assim temos o gênero Clostridium que além de esporulado é aneróbio e um potente produtor de toxinas muito prejudiciais ao homem. a resistência às drogas limita o seu tratamento principalmente à cefalosporina. IMPORTANCIA DAS BACTERIAS NA ECOLOGIA As bactérias possuem grande importância ecológica.causa septicemia. levando a germinação. principalmente nas vias urinárias. fora do intestino pode causar importantes e graves infecções. infecção no ouvido médio. infecção do ouvido e meningite principalmente em crianças. infecção do sangue.causa septicemia em pacientes com o sistema imune comprometido. levando a infecções muito graves. Seus esporos podem estar presentes em alimentos e resistir a processos de descontaminação podendo causar graves intoxicações como o botulismo (agente Clostridium botulinum). Geralmente estão associados a intoxicações por ingestão de palmitos contaminados e podem levar a óbito. Mas talvez a maior importância das bactérias seja o fato delas serem parasitas humanos.