Você está na página 1de 3
Guia de interpretação rápida do ECG para generalistas UNIFENAS-BH Passo 1: Análise do ritmo e

Guia de interpretação rápida do ECG para generalistas UNIFENAS-BH

Passo 1: Análise do ritmo e frequência

Ritmo: verificar se é sinusal ou não. O ritmo sinusal ocorre quando a onda P é verificar se é sinusal ou não. O ritmo sinusal ocorre quando a onda P é positiva em D1, D2 e AVF e uma onda P precede um complexo QRS.

Frequência: 1500/RR. Bradicárdia (< 50bpm) e taquicardia (> 100bpm). 1500/RR. Bradicárdia (< 50bpm) e taquicardia (> 100bpm).

Passo 2: Determinação do eixo elétrico

Primeira coisa a se fazer: descobrir o quadrante. Observar se a polaridade do QRS em DI e AVF. : descobrir o quadrante. Observar se a polaridade do QRS em DI e AVF.

o quadrante. Observar se a polaridade do QRS em DI e AVF. Segunda coisa a fazer:

Segunda coisa a fazer: verificar se existe um QRS isodifásico nas derivações periféricas ou verificar o QRS de maior verificar se existe um QRS isodifásico nas derivações periféricas ou verificar o QRS de maior amplitude também nas periféricas.

verificar o QRS de maior amplitude também nas periféricas. Terceira coisa a se fazer: se for

Terceira coisa a se fazer: se for isodifásico achar o perpendicular (90°). Se for o de maior amplitude considerar sua se for isodifásico achar o perpendicular (90°). Se for o de maior amplitude considerar sua posição na rosa dos ventos dentro do quadrante predeterminado na “primeira coisa a se fazer”. Caso tenha dois com maior amplitude estará entre os dois. Valor normal do eixo: -30° a +120°.

Passo 3: Verificar onda P em amplitude e duração

Amplitude: até 2,5mm é normal. > 2,5mm indica sobrecarga de átrio direito (SAD). até 2,5mm é normal. > 2,5mm indica sobrecarga de átrio direito (SAD).

Duração: de 80ms a 110ms (2 quadradinhos a 2 quadradinhos e meio). > 110ms = sobrecarda de 80ms a 110ms (2 quadradinhos a 2 quadradinhos e meio). > 110ms = sobrecarda de átrio esquerdo (SAE). Pode ainda ter entalhe.

= sobrecarda de átrio esquerdo (SAE). Pode ainda ter entalhe. 1 FACULDADE DE CIÊNCIA MÉDICAS –

1

FACULDADE DE CIÊNCIA MÉDICAS UNIFENAS-BH

Guia de interpretação rápida do ECG para generalistas

UNIFENAS-BH

Passo 4: Verificar o intervalo PR e o segmento PR.

Intervalo PR: normal até 200ms. > 200ms indica bloqueio átrio ventricular (BAV) de 1° grau. normal até 200ms. > 200ms indica bloqueio átrio ventricular (BAV) de 1° grau.

Segmento PR: infra de segmento PR indica pericardite. infra de segmento PR indica pericardite.

Passo 5: análise do complexo QRS

PR indica pericardite. Passo 5: análise do complexo QRS Primeiro : verificar o Sokolow-Lyon. Onda S

Primeiro: verificar o Sokolow-Lyon. Onda S em V1 + onda R em V5 ou V6 : verificar o Sokolow-Lyon. Onda S em V1 + onda R em V5 ou V6 tem que dar até 35mm. > 35mm indica sobrecarga de ventrículo esquerdo (SVE).

Segundo: verificar se ocorre o padrão normal de inversão da onda R e S de : verificar se ocorre o padrão normal de inversão da onda R e S de V1 a V6. Em V1 S>R. Na metade (V3 V4) R = S. E em V5 e V6 R>S. Caso não siga este padrão indica Sobrecarga de ventrículo direito (SVD).

Terceiro: verificar a duração do QRS. QRS largo indica BAVT em feixe de HIS. Caso : verificar a duração do QRS. QRS largo indica BAVT em feixe de HIS. Caso o alargamento seja alternado com QRS normal indica extrassístole ventricular.

Passo 6: verificar a repolarização em ST e onda T.

Infra de ST e supra ST: pode indicar IAM sem e com supra de ST. pode indicar IAM sem e com supra de ST.

Onda T: quando simétrico e invertida indica isquemia. Quando estiver apiculada ultrapassando em amplitude o complexo QRS quando simétrico e invertida indica isquemia. Quando estiver apiculada ultrapassando em amplitude o complexo QRS indica hiperpotassemia.

Passo 7: Verificar se há bloqueios atrioventriculares

Bloqueio sinoatrial: falha de 1 ciclo PQRST. Neste caso não haverá onda P. falha de 1 ciclo PQRST. Neste caso não haverá onda P.

falha de 1 ciclo PQRST. Neste caso não haverá onda P. Parada sinoatrial: falha de mais

Parada sinoatrial: falha de mais de 1 ciclo PQRST. Neste caso não haverá onda P por no falha de mais de 1 ciclo PQRST. Neste caso não haverá onda P por no mínimo dois ciclos consecutivos.

Síndrome bradi-taquicárdica: períodos de taquicardia seguidos de períodos de bradicárdia. Geralmente os períodos de taquicardia são representados períodos de taquicardia seguidos de períodos de bradicárdia. Geralmente os períodos de taquicardia são representados por ondas de fda fibrilação atrial.

BAV 1° grau: quando o segmento PR é > 200ms quando o segmento PR é > 200ms

BAV 2° grau (Mobitiz I): o PR vai alargando progressivamente até ocorrer um bloqueio de onda P. o PR vai alargando progressivamente até ocorrer um bloqueio de onda P.

BAV 2° grau (Mobitiz II): o PR não alarga ocorrendo o bloqueio da onda P de forma súbta. o PR não alarga ocorrendo o bloqueio da onda P de forma súbta.

BAVT: não existe enlace atrioventricular, ou seja, as ondas P e os complexos QRS estão totalmente não existe enlace atrioventricular, ou seja, as ondas P e os complexos QRS estão totalmente desassociados sendo que a onda P cairá cada hora em um local.

Guia de interpretação rápida do ECG para generalistas

UNIFENAS-BH

Passo 8: verificar a presença de extrassístoles

Atrial: presença de onda T+P presença de onda T+P

Juncional: onda P negativa onda P negativa

Atrial: presença de onda T+P Juncional: onda P negativa Ventricular: alargamento do complexo QRS alternado com
Atrial: presença de onda T+P Juncional: onda P negativa Ventricular: alargamento do complexo QRS alternado com

Ventricular: alargamento do complexo QRS alternado com QRS estreito alargamento do complexo QRS alternado com QRS estreito

alargamento do complexo QRS alternado com QRS estreito RESUMO RÁPIDO DA INTERPRETAÇÃO RÁPIDA DO ECG 1)

RESUMO RÁPIDO DA INTERPRETAÇÃO RÁPIDA DO ECG

1)

A) Ritmo sinusal: onda P positiva em DI, DII e AVF e negativa em AVR. B) FC: 1500/RR

2)

Eixo elétrico: verificar o quadrante por DI e AVF. Derivação isodifásica (90°). Derivação maior amplitude.

3)

Onda P: amplitude > 2,5mm = SAD / duração > 110ms = SAE.

4)

Intervalo PR: > 200ms = BAV 1° grau / segmento PR: infra = pericardite

5)

Análise do QRS: onda S em V1 + onda R em V5 ou V6 > 35mm = SVE / em V1 onda S<R e em V6 onda R<S = SVD / QRS largo = BAVT em feixe de Hiss

6) Repolarização de ST e onda T: infra e supra de ST em duas derivações concordantes = IAM / onda P invertida e simétrica = isquemia. Onda P apiculada ultrapassando QRS = hiperpotassemia. 7) Bloqueios: a) sinoatrial: falha de 1 ciclo PQRST. Neste caso não haverá onda P. b) parada sinoatrial:

falha de mais de 1 ciclo PQRST. c) síndrome bradi-taquicárdica: taquicardia seguida de bradicárdia. d) BAV 2° grau Mobitz 1: intervalo PR cresce progressivamente até a parada. e) BAV 2° grau Mobitz 2: PR não cresce antes da parada. f) BAVT: total dissociação de P e QRS. 8) Extrassístoles: a) atrial: onda T+P, b) juncional: onda P invertida e c) ventricular: QRS alargado intercalado com QRS estreito.