Você está na página 1de 6

Aula 05

DAVI E SUA EQUIPE DE LIDERADOS


Leitura Bíblica: 1 Crônicas 11.10-12, 20, 22, 24, 25
1º de novembro de 2009

"E ajuntou-se a ele todo homem que se achava em aperto, e todo


homem endividado, e todo homem de espírito desgostoso, e ele
se fez chefe deles; e eram com ele uns quatrocentos homens" (1
Sm 22.2).
INTRODUÇÃO
“E ajuntou-se a ele todo homem que se achava em aperto, e todo homem
endividado, e todo homem de espírito desgostoso, e ele se fez chefe deles; e
eram com ele uns quatrocentos homens”(1Sm 22:2). Davi, quando no deserto,
humilhado, rejeitado e perseguido, fez com que um grande grupo de seguidores se
achegasse a ele. Os primeiros eram em sua maioria estrangeiros em dificuldades,
homens rudes e problemáticos, no entanto, Davi recebeu, acolheu, ensinou e preparou-
os. Também se chegaram a Davi muitos de seus irmãos de Israel (1 Sm 22.1-5; 23.13);
a princípio, eram 400 homens "em aperto", mas logo o número chegou a 600 (1 Sm
22.2; 25.13). Esses eram os homens que Deus deu a Davi para liderar. E Davi o fez
com maestria. Ele fez com que esses homens tivessem um senso de companheirismo e
devoção a Deus.
Quando estavam na caverna de Adulão, Davi teve a oportunidade de se livrar de seu
maior inimigo, mas não o fez. O melhor disso é que Davi inspirou tanta confiança em
seus liderados que os convenceu a não matarem Saul. Apenas um líder influente
modifica o comportamento de seus companheiros no calor de uma suposta
oportunidade de benefício e finalização de problemas. A atitude de Davi não apenas
preservou a vida de um homem afastado de Deus, mas ensinou aos homens que
estavam com ele que Deus se encarrega de fazer o julgamento adequado para quem
está no poder e o utiliza de forma incorreta. O líder deve saber exercer o controle
sobre aqueles que estão sob o seu comando, ou não será verdadeiramente um líder.
Como bem disse o pr. José Gonçalves, equipes sadias, eficientes e fortes são reflexos
de uma liderança competente e idônea, assim como um corpo saudável reflete a
harmonia de seus membros.
I. LIDERANÇA BÍBLICA E LIDERANÇA SECULAR
Liderança cristã é diferente de liderança secular. Nesta valem talentos, habilidades e
capacidade de trabalho e decisão; que não perdem valor na liderança cristã. Mas, na
liderança cristã deve sobressair a consciência de que é uma obra para Deus,
envolvendo o povo de Deus, e que deve ser feita na dependência de Deus.
1. Líder, liderança e equipe. O líder é uma pessoa que está consciente do seu papel
na liderança, sabe que está no comando e que este comando foi-lhe outorgado por
Deus. Também está consciente que exerce um forte impacto e uma grande influência
na vida dos liderados. Agora, ele não deve de forma alguma incidir uma influência
forçada. Isso deve ser natural. Ele é alguém que vê as necessidades das outras
pessoas. Está sensível para com elas. Com isso, procura, na maneira do possível,
ajudá-las a superar os seus obstáculos. Deve demonstrar um amor genuíno, como um
amor de pai para filho. Afinal de contas, eles são o rebanho que Deus lhe confiou nas
mãos e um dia prestará contas disso.
“Para que um homem seja líder ele tem de ter seguidores. E para que tenha seguidores
ele tem de ter a confiança deles. Assim sendo, a primeira qualidade do líder tem de ser
integridade inquestionável. Sem ela, não é possível o verdadeiro sucesso, não
importam se estejam trabalhando em turma de fábrica, campo de futebol, no exército
ou num escritório. Se os colegas de um homem descobrem nele falsidade, se
percebem que nele falta integridade direta, este homem fracassará. Seus ensinos e
seus atos devem ser congruentes. Assim, a maior necessidade é integridade e
propósito elevado” - BARBER, Cyril J. Neemias e a Dinâmica da Liderança Eficaz. São
Paulo, SP.: Editora Vida, 1999, p.79.

1
O líder não é um ditador. Aquele que chega com a palavra e diz tudo o que se deve
fazer. Ele deve procurar incutir nas mentes das pessoas que elas devem participar na
elaboração dos projetos, dos planos, etc. Assim, ele não irá exercer uma função
autoritária e poderá com isso estar desenvolvendo novos líderes dentro do grupo. O
líder deve, no entanto, ter a consciência que deve sempre estabelecer metas, bem
como os meios necessários para atingi-las. Para isso, uma boa comunicação é
fundamental. O líder deve ser alguém que saiba se comunicar. Deve saber dizer
exatamente o que pretende e como pretende. Boa comunicação é imprescindível para
a realização das metas, conseqüentemente os liderados não terão problemas em
seguí-lo.
Liderança não é apenas ter o poder de repartir tarefas ou dar ordens. É conduzir
pessoas dentro dos propósitos de Deus. Liderar é exercer uma influência que
inspire e mova as pessoas à ação, obtendo delas o máximo de cooperação e o
mínimo de oposição. Quem lidera influencia pessoas à sua volta. A capacidade de
envolver as pessoas em projetos, trabalhos e fazer com que elas cheguem ao fim
desejado é uma forma adequada de influenciar. Liderar e influenciar não é como
gerenciar, pois liderança e gerenciamento tem sido considerados como atitudes
distantes em suas definições. Um gerente pode muito bem organizar os trabalhos e
dividi-los entre o grupo, mas isso não significa necessariamente que ele esteja
realmente influenciando pessoas. Gerenciar diz respeito ao cumprimento de objetivos e
ao controle de processos administrativos. Quem gerencia planeja e executa, mas
quem dá as direções, orienta e inspira as pessoas é o líder. “O gerente está mais
voltado a administrar processos e recursos para concretizar certos objetivos, e os
líderes mais voltados a convergir pessoas em torno de relacionamentos e
compromissos”(MACUCCI, José Valério – Liderança para novos gestores – São
Paulo:IBMEC, 2007,p. 24).
2. A atualidade da liderança davídica. Os princípios de liderança são universais e,
portanto, podem ser aplicados a todas as épocas, a todos os povos e em todos os
lugares. Eles são atemporais. Portanto, os mesmos princípios aplicados por Davi,
foram os mesmos aplicados há centenas de anos atrás por Jetro, sogro de Moisés (Êx
18.21), cujo modelo de trabalho em equipe é seguido ainda hoje tanto por cristãos
como por não-cristãos em qualquer atividade.
Portanto, os princípios que regem uma liderança eficaz são ainda os mesmos, quer
tenham sido vividos nos primeiros estágios da civilização, quer sejam praticados hoje.
Com efeito, a liderança eficaz é baseada nos bons relacionamentos e na autoridade,
que é a habilidade de levar as pessoas a fazerem de boa vontade o que você quer por
causa de sua influência pessoal.
A liderança Bíblica atual, como na época da liderança davídica deve ressaltar as
mesmas características que existiam em Davi, as quais o destacavam como líder, a
saber:
a) O líder deve ser escolhido por Deus(ler 1Sm 16:11-13). Há líderes chamados
e chamados lideres. Líderes segundo o coração de Deus não escolhem a si mesmo. São
escolhidos por Deus. Não podem ser usados por Deus aqueles que se autoproclamam
escolhidos por Deus sem que Deus os tenha escolhido. Davi não buscou ser ungido de
forma forçosa ou por meios políticos. Nem poderia. Ele era um pastor de ovelhas, sem
conhecimento de ninguém na Corte. Ele estava no campo, longe de pessoas de
influência e perto de animais. Acima de tudo, Davi estava muito perto de Deus. Mesmo
sem ser conhecido por ninguém de influencia, foi escolhido por Deus.
É Deus quem escolhe entre os seus servos um que vai liderar. Infelizmente, há pessoas
que se acham escolhidos por Deus e se autoproclamam líderes. Devemos lembrar que
quem arroga para si a liderança provavelmente não está apto para ela.
O verdadeiro líder não terá desejo algum de dominar sobre a herança de Deus, mas
será humilde, brando, dedicado e inteiramente pronto a ser liderado da mesma forma
que lideraria, quando o Espírito deixar claro que apareceu um homem mais sábio e
mais talentoso que ele.
b) O líder deve ser temente a Deus(ler 1Sm 17:26). Comparando a história de
Saul e a de Davi podemos observar que ambos começaram suas carreiras debaixo da

2
bênção de Deus. A diferença entre ambos reside no fato de que Saul perdeu o temor
ao Senhor em pouco tempo. Saul deu mostras de que Deus, com o passar do tempo,
tornou-se uma pessoa secundária dentro dos planos do reino, e isso causou a sua
derrocada. Porém, Davi manteve seu temor ao Senhor. Quando perseguido, fugitivo e
em aperto, manteve sua confiança em Deus e teve temor dEle. Mesmo quando pecou
no caso de Bate-Seba e foi confrontado por Natã, encontrou o caminho de volta para o
coração de Deus e a sua restauração. Isso nos mostra que o temor ao Senhor deve
acompanhar nossa carreira em todo o tempo, e não apenas no início de nossa
chamada.
c) O líder deve ser prudente(ler 1Sm 18:12-16). A prudência deve ser uma
característica constante para os que estão na liderança. Davi tinha êxito em tudo o que
fazia, e se conduzia com prudência. Não era afoito em suas decisões. Avaliava tudo
cautelosamente, procurando sempre o melhor caminho. Ele esperava que Deus o
orientasse sempre. Ser prudente foi tão importante para Davi que em todas as
ocasiões em que Saul buscou elimina-lo, Deus o livrou.
Davi ganhou respeito de seus inimigos e de seus liderados porque não agia por
impulso, mas avaliava as situações até chegar à melhor decisão. O mesmo pode
acontecer conosco se, em vez de agirmos no calor da situação, analisarmos tudo de
forma clara e agirmos com sabedoria. Quando somos prudentes, temos, como Davi, a
companhia do Senhor.
d) O líder deve saber ouvir(ler 1Sm 25:23-30). Saber ouvir é uma arte que o líder
deve desenvolver. O 4º dos 10 mandamentos da liderança, descrito no Manual de
Liderança da Marinha do Brasil é: “Saiba falar, calar e, especialmente, ouvir”. Saber
ouvir evita que o líder tome decisões erradas e aja de forma precipitada.
Deus espera que sejamos aptos para ouvir, e por mais que essa declaração soe
engraçada é verdadeira: Ele nos fez com dois ouvidos e uma boca, para que
possamos ouvir mais e falar menos. “Uma coisa disse Deus, duas vezes a ouvi: que
o poder pertence a Deus”(Sl 62:11). E Tiago recomenda o uso moderado da língua, e
ouvir antes de falar: “Sabeis isto, meus amados irmãos; mas todo o homem seja pronto
para ouvir, tardio para falar, tardia para se irar”(Tg 1:19). A nossa prontidão maior
deve ser sempre a de ouvir. Se tivermos de usar a fala, que seja depois de muita
meditação (tardio), e se a ira envolver o nosso coração, que seja em último caso
também. Davi foi beneficiado por ouvir Abigail? Com certeza, leia 1Sm 25:32-34.
e) O líder valoriza cada membro de sua equipe(ler 2Sm 23:14-17 e 1Cr 11:16-
19). Na autêntica liderança, cada membro da equipe é de alto valor para o seu líder.
Em 2 Samuel 23.14-17 e 1 Crônicas 11.16-19, fica evidente que isso era uma realidade
na vida de Davi. Nessa ocasião, ele teve sede e desejou beber da boa água da cisterna
de Belém, que estava em poder dos inimigos filisteus. Davi, ao saber que os seus
homens haviam se arriscado para obtê-la, rejeitou a água e ficou com sede. Isso é que
é empatia! Tal atitude só pode vir de quem não trata os membros de sua equipe como
máquinas, objetos, mas como gente de carne e osso e, portanto, digna de amor,
respeito e apreciação. É uma obrigação cristã reconhecer o valor das pessoas e não
tratá-las como objetos descartáveis, a serviço de nossos interesses.
f) O líder deve ter o controle de seus liderados(ler 1Sm 24:5-7). Manter sob
controle um grupo de pessoas de bem não é muito complicado. Contamos com a boa
vontade e o respeito de todos para uma convivência cordial e amável. Mas o que dizer
de liderar um grupo de pessoas atribuladas? Junte em um ambiente hostil, dentro de
uma caverna, 400 homens desgostosos da vida, que fugiram de sua terra por dívidas
contraídas e não quitadas e outros assuntos não resolvidos. Esses eram homens que
não pensariam duas vezes em puxar uma arma para se defender e matar alguém. Mas,
Davi fez com que os seus liderados tivessem um senso de companheirismo e devoção
a Deus. Ele os ensinou o que significa esperar o tempo de Deus.
f) O líder deve esperar o tempo de Deus(ler 1Sm 24:1-6). Estudamos este tema,
exaustivamente, na aula nº 04. Perseguido por Saul, Davi estava escondido em uma
caverna, a mesma caverna onde Saul fora aliviar sua dor de barriga. Enquanto o rei
realizava suas necessidades, Davi se aproximou e cortou um pedaço da veste real.
Deus certamente estava provando Davi. O mais complicado não foi dominar a si
mesmo naquela ocasião, e sim dominar a equipe que estava com ele. Por que Davi não

3
acabava de vez com Saul? Será que ele não percebeu que aquele era o dia em que
Deus dera o seu grande inimigo em sua mão? Sim, Davi percebia. Mas ele sabia
também que Deus daria a paga a Saul sobre as maldades que estava fazendo. Não
cabia a Davi estender a sua mão e tomar o lugar de Deus para punir Saul.
II. A LIDERANÇA FUNDAMENTADA NO CARÁTER CRISTÃO
1. É uma liderança que agrada a Deus. O modelo bíblico de liderança é aquele
centralizado no caráter. As técnicas mudam, mas os princípios do caráter não, afirma o
pr. José Gonçalves. Um caráter moldado pela Bíblia é a maior necessidade de um
cristão, principalmente os que lideram, na casa do Senhor. Como disse o general que
comandou a operação “Tempestade no Deserto”: “Liderança é uma combinação de
estratégia e caráter. Se você precisa ficar sem um, que seja a
estratégia“(Gen. Norman Schwarzkopf). As pessoas podem até achar que você não
tem grandes habilidades administrativas, técnicas, ou pedagógicas, mas elas precisam
ver que você é um homem ou uma mulher temente a Deus.
Nosso caráter está relacionado com quem somos quando ninguém está
olhando. Nossa reputação, por outro lado, diz respeito à nossa conduta como é vista
ou percebida por outros. “Boa” conduta sem caráter se torna hipocrisia. Isto foi
revelado à igreja em Sardo: “Ao anjo da Igreja que está em Sardo escreve:
Isto diz o que tem os sete Espíritos de Deus, e as sete estrelas: Eu sei as tuas
obras, que tens nome de que vives, e estás morto!” (Apocalipse 3:1). A
mensagem de Deus para os de Sardo era que eles tinham um nome – uma boa
reputação – porém estavam mortos. Eles estavam vivendo em hipocrisia. Um bom
nome é importante e nós queremos tê-lo. A base da nossa reputação, no entanto,
deve ser a de um Caráter Cristão. Isso é o que nos ajudará a resistir a qualquer
perseguição que nós tenhamos que enfrentar.
Quando nós temos Caráter Cristão, a evidência está em nossa conduta.
Quando uma pessoa é salva existem evidências da sua salvação. Se alguém diz, “Eu
sou salvo”, mas continua a mentir, roubar e viver imoralmente, é muito claro que não
está salvo. Se você é salvo, sua conduta muda como evidência de que alguma coisa
mudou dentro – no coração. Em 2Corintios 5:17 está escrito: “Se alguém está em
Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”. Se não
há uma mudança de conduta, então o coração não mudou. Mas, se há mudança no
coração, então há mudança de conduta. Desta feita, os elementos do caráter cristão
como o temor de Deus, a coragem, a virtude, o altruísmo, a honestidade, etc., são
postos em destaque. São virtudes indispensáveis para quem exercem liderança de
equipe, quer na igreja ou na vida secular.
Segundo o pr. José Gonçalves, o sucesso de Davi sobre os seus liderados veio dos
princípios bíblicos observados por ele. Observe, como exemplo, o senso de justiça de
Davi quando estipulou a lei da partilha (1 Sm 30.24). Somente um homem com uma
noção exata de valores aprovados por Deus podia tomar uma atitude assim.
2. Não é uma liderança à parte de Deus. O antecessor de Davi exerceu uma
liderança à parte de Deus. Em vez de esperar com "paciência no Senhor" (Sl 40.1),
assim como Davi, Saul era demasiadamente precipitado. Saul foi ungido rei em Gilgal e
lá perdeu o reinado (1Sm 15.26-28; 28.17). Seu maior pecado fora o de oferecer
sacrifícios, coisa essa que somente os sacerdotes podiam realizar (Lv 16). Se ele não
tivesse se precipitado, o reino seria dele para sempre. Desobedeceu e perdeu.
Antes de ser um líder, é necessário aprender o valor da obediência. Davi obedeceu seu
pai ao tomar conta das ovelhas – o que deveria ser um trabalho monótono para um
adolescente. Obedeceu ao convite de Saul para tocar harpa no palácio, e teve de
prestar contas dos homens de combate sob seus cuidados. Respeitou a unção de Deus
sobre Saul, mesmo quando este o perseguia, e diferente de Saul, dependeu de Deus
em momentos de solidão e angústia, mesmo quando o Senhor parecia estar distante.
Nosso Mestre, o Senhor Jesus Cristo, ensinou que obedecer a Deus é muito mais
importante do que qualquer outra coisa, mais importante até mesmo que o alimento
físico (Mt 4.1-4). Os maiores erros que cometemos nesta vida são geralmente devidos
à nossa impaciência em aguardar o tempo de Deus.

4
O maior perigo para um líder é querer racionalizar os seus próprios erros, buscar
desculpa-los ou justifica-los, convencendo-se a si mesmo de que seus erros na
realidade são acertos. As atitudes negativas são as maiores causas de fracasso do líder
junto ao seu grupo ou equipe. Conhecer essas atitudes negativas e superá-las é de
fundamental importância para o sucesso da sua liderança.
III. DAVI E SUA EQUIPE
A expressão "Davi e seu homens" aparece por diversas vezes nos livros de Samuel (1
Sm 18.27; 24.2; 25.13; 2 Sm 5.6,21; 15.14; 16.13). Todas estas passagens mostram
que tal expressão pode perfeitamente ser lida como "Davi e sua equipe". De fato, Davi
possuía mais do que um grupo, ele tinha uma equipe coesa, harmônica, íntegra e
submissa.
1. Distinguindo uma equipe de um grupo. Equipe é um grupo de pessoa que
formam uma unidade. Tem um objetivo comum. Só há uma equipe quando existe um
devido relacionamento entre seus membros. Se um dos elementos faltar, o outro
substitui e o trabalho não fica em defasagem. Muitos não valorizam o trabalho em
equipe por falta de conhecimento, pois desconhecem a importância e os benefícios
deste. Veja o caso de Paulo e Apolo, eles são um exemplo de como trabalhar em
equipe. Ele disse: “ Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento”(1Co 3:6). No
trabalho de Deus, Ele tem que fazer parte da equipe, senão o trabalho será vão e os
objetivos inócuos. Paulo só teve o que plantar, porque alguém lhe deu a semente;
Apolo só teve o que regar, porque Paulo plantou; e Deus só deu o crescimento porque
os dois plantaram. Paulo e Apolo trabalharam em equipe. Trabalhar em equipe é um
princípio bíblico que deve ser observado por todos que querem realizar a obra do
Senhor.
O pr. José Gonçalves disse que a equipe de Davi era unânime, irmanada, vinculada,
integrada e ainda contava com heróis individuais, os chamados "valentes de Davi" (2
Sm 23.8). De acordo com a Escritura, nessa equipe bem treinada "o menor valia por
cem homens, e o maior, por mil" (1Cr 12.14 - ARA). Era uma equipe em ação com um
objetivo comum, dado por Deus, e não um aglomerado de homens sem um alvo
específico na vida. Na autêntica liderança, cada membro da equipe é de alto valor para
o seu líder.
Todo líder, qualquer que seja a sua área de atuação, corre o risco de desgastar-se no
exercício da liderança, quando não sabe delegar responsabilidades. Alguns pensam
que podem fazer tudo sozinhos. Puro engano! Todos precisam de cooperadores (Rm
16.3). Você tem seus cooperadores? Sua equipe trabalha em harmonia? Se a sua
resposta for afirmativa, você com certeza terá uma liderança bem-sucedida.
Grupo: cada um por si. Se um faltar, a parte dele ficará sem ser realizada porque o
lugar dele ninguém o substitui. Trabalhar em grupo determina individualismo e
desorganização. O que mais impede um grupo de funcionar eficazmente e com
eficiência é o individualismo e partidarismo. O correto é trabalhar em equipe, pois um
assume o lugar do outro em sua ausência. Saber trabalhar em equipe é uma virtude
que poucos têm.
2. A força do exemplo do líder. Liderança se faz com exemplo. Queira você ou não,
os olhos de todos estarão sempre voltados para você, que é o líder da equipe. Você
não pode separar a sua função como líder espiritual da sua vida pessoal. “Ser-me-eis
testemunhas”, disse Jesus. Davi liderava pelo seu exemplo vinculado ao amor e ao
altruísmo. Davi, além de ser um líder talentoso, amava a Deus e cuidava do seu
caráter. Ele, em suas fraquezas, descuidos e tentações, cometeu pecados, como é
claramente mostrado nas Escrituras, mas venceu pela sua fé e devoção a Deus. Ele era
um servo do Senhor disposto a se retratar, a valorizar o outro e a liderar pelo seu
exemplo.
CONCLUSÃO
Pela providência divina e por seus princípios de liderança fundamentados no caráter
íntegro, Davi formou uma equipe de trabalho vitoriosa. Os liderados de Davi o
amavam, respeitavam, obedeciam e lhe devotavam total admiração. A lealdade destes
homens não era interesseira, não estavam atrás de promoção, nem eram bajuladores

5
ou hipócritas. Davi nunca procurou a fidelidade destes homens. Todavia extraiu deles
lealdade e serviço por meio da sua devoção para com eles. Davi publicamente honrou
o sacrifício dos valentes presenteando a Deus com a água que eles trouxeram em
oferta a Davi(2Sm 23:17). Como líder, Davi tinha admiração e respeito pela vida e
serviço fiel dos seus liderados. Os valentes ouvem o suspiro por água do seu líder e
agem imediatamente em missão. Não era uma ordem de Davi, nem um pedido, era
apenas um desejo pela água da fonte de Belém. Todavia, estes homens romperam as
barreiras e obstáculos por causa do desejo de servir ao ungido do Senhor. Será que em
nossos dias ainda existem homens valentes, a ponto de arriscarem suas vidas,
rompendo limites e obstáculos em favor do seu líder? Será que ainda existem homens
como Davi (devotado aos seus liderados)? Homens cuja sua atitude de amor, zelo e
admiração pelos seus liderados falam mais alto que suas palavras?
-------------
Elaboração: Luciano de Paula Lourenço – Prof. EBD – Assembléia de Deus – Ministério Bela
Vista. E-Mail: luloure@yahoo.com.br. Disponível no site: www.adbelavista.com.br
-------
Fonte de Pesquisa: Bíblia de Estudo-Aplicação Pessoal. Bíblia de Estudo Pentecostal. O novo
dicionário da Bíblia. Revista o Ensinador Cristão. Guia do leitor da bíblia – 1º Samuel. Davi –
vitórias e as derrotas de um homem de Deus – CPAD/2009. Liderança Cristã: Lições Baseadas na
Vida de Davi - Pastor George Emanuel. Princípios para uma boa liderança - pr. Cleverson de
Abreu Faria, disponível no site: www.letrassantas.hpg.com.br