Você está na página 1de 3

1

1. BREVE BIOGRAFIA

Wilhelm Reich (1897-1957) foi um dos pensadores mais importantes e talvez


o mais incompreendido do século XX.

Discípulo de Freud, seus estudos, pesquisas e experimentos sobre a psique,


o corpo humano e uma vasta gama do universo das ciências o levaram ao
desenvolvimento de uma concepção da psicanálise para além da teoria clássica
freudiana.

Para Reich a mente humana não pode ser estudada e entendida


separadamente do corpo, e este conjunto encontra-se vinculado à cultura e à
historia de sua época. A psicanálise reichiana desenvolveu, como ciência, a antiga
máxima ‘corpo são, mente sã’, acrescentando o meio social ao antigo binômio.

Depois de perseguido por nazistas e stalinistas, expulso da Sociedade


Psicanalítica e de vários países por onde passou em busca de exílio, morreu na
prisão, nos EUA, acusado de atividades antiamericanas.

2. REICH E A PERSONALIDADE

O conceito reichiano de personalidade pode ser definido como a interação


dialética entre psique, corpo e vivência social: as características de funcionamento
do aparelho psíquico formam-se e evoluem no entrelaçamento dinâmico com a
sexualidade e a cultura de cada época histórica.

O tipo de comportamento, de sociabilidade, de reações características de


cada personalidade são formados e desenvolvidos a partir da relação concreta
estabelecida entre o aparelho psíquico, a sexualidade (corpo) e a sociedade
historicamente determinada.
2

O corpo doente, para Reich, é a fonte das doenças psíquicas. Um corpo


saudável é a base para a saúde mental e para o crescimento do indivíduo. Mas
como é estabelecida essa relação?

Segundo Reich, aparelho psíquico, corpo e sociedade compõem uma


unidade. As pulsões instintivas do ‘id’ interagem com o corpo, com o ‘ego’ e com o
‘superego’ de forma mediatizada pela cultura. A repressão sexual exercida pela
sociedade (cultura) estabelece sobre o indivíduo a couraça caracteriológica,
impedindo o livre desenvolvimento da personalidade, só atingido quando o caráter
genital é alcançado, situação em que a potência orgástica permite o livre fluxo das
pulsões sexuais e a saúde mental da pessoa.

Freudiano de origem, Reich contestou o princípio da pulsão de morte


formulada pelo mestre, pressupondo que a infelicidade e a dor não constituíam
horizonte inapelável da natureza humana.

Por isso Reich entendia a psicanálise como uma necessidade social, como
ação a ser assumida pela sociedade. Defendeu um conjunto de medidas
consideradas avançadas mesmo hoje: livre distribuição de anticoncepcionais;
controle da natalidade; legalização do aborto; abolição da distinção legal entre
casados e não-casados; liberdade de divórcio; eliminação de doenças venéreas e
prevenção de problemas sexuais através da educação sexual; treinamento de
médicos, professores etc., sobre higiene sexual; tratamento, ao invés de punição,
para agressões sexuais.

3. PRINCIPAIS OBRAS DE REICH

A Função do Orgasmo, Análise do Caráter, Escuta, Zé Ninguém, O Combate


Sexual da Juventude, Psicologia de massas do fascismo, Materialismo dialético e
psicanálise.
3

4. REFERÊNCIAS

REICH, WILHELM. A função do orgasmo. 18 ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

_____, Escuta, Zé Ninguém, 10 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1982.

5. WEBLIOGRAFIA

FREIRE, ROBERTO. Sem tesão não há solução. Disponível em:


http://scribd.com/doc/2231009/Roberto-Freire-sem-tesao-não-ha-solucao. Acesso
em: 13 de agosto de 2009.

VILARINHO, Yuri Coutinho. A influência social na formação do indivíduo:


aproximações entre as teorias de Wilhelm Reich e de Lev Vygotski. In:
ENCONTRO PARANAENSE, CONGRESSO BRASILEIRO, CONVENÇÃO
BRASIL/LATINO-AMÉRICA, XIII, VIII, II, 2008. Anais. Curitiba: Centro Reichiano,
2008. CD-ROM. [ISBN – 978-85-87691-13-2]. Disponível em:
www.centroreichiano.com.br. Acesso em: 18 de agosto de 2009.

WEINMANN, AMADEU DE OLIVEIRA. Resenha de A transferência na vegeto-


terapia carátero-analítica, de Cláudio Mello Wagner. Tese de Doutorado. 2000,
Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Disponível em:
http://www.nucleopsic.org.br/download/t_artigo_resenha.pdf. Acesso em: 28 de julho
de 2009.

Wilhelm Reich. Disponível em:


http://www.psiqweb.med.br/site/?area=NO/LerNoticia&idNoticia=191. Acesso em: 28
de julho de 2009.

Wilhelm Reich. Disponível em: http://www.org2.com.br/wreich.htm#titulosbr. Acesso


em: 28 de julho de 2009.

6. VÍDEOS

Wilhelm Reich: Imagens de uma vida em movimento


www.youtube.com/watch?v=i9OmtK4su6s. Acesso em 28 de julho de 2009.