História

Professor

Caderno de Atividades
Pedagógicas de
Aprendizagem
Autorregulada - 02
9º Ano | 2° Bimestre
Disciplina

Curso

Bimestre

Série

História

Ensino Fundamental

9o Ano

Habilidades Associadas
1. Analisar o período entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial.
2. Compreender os aspectos políticos, econômicos e sociais da Revolução Russa.
3. Entender a dinâmica das revoluções socialistas cubana e chinesa.

1

Apresentação

A Secretaria de Estado de Educação elaborou o presente material com o intuito de estimular o
envolvimento do estudante com situações concretas e contextualizadas de pesquisa, aprendizagem
colaborativa e construções coletivas entre os próprios estudantes e respectivos tutores – docentes
preparados para incentivar o desenvolvimento da autonomia do alunado.
A proposta de desenvolver atividades pedagógicas de aprendizagem autorregulada é mais uma
estratégia pedagógica para se contribuir para a formação de cidadãos do século XXI, capazes de explorar
suas competências cognitivas e não cognitivas. Assim, estimula-se a busca do conhecimento de forma
autônoma, por meio dos diversos recursos bibliográficos e tecnológicos, de modo a encontrar soluções
para desafios da contemporaneidade, na vida pessoal e profissional.
Estas atividades pedagógicas autorreguladas propiciam aos alunos o desenvolvimento das
habilidades e competências nucleares previstas no currículo mínimo, por meio de atividades
roteirizadas. Nesse contexto, o tutor será visto enquanto um mediador, um auxiliar. A aprendizagem é
efetivada na medida em que cada aluno autorregula sua aprendizagem.
Destarte, as atividades pedagógicas pautadas no princípio da autorregulação objetivam,
também, equipar os alunos, ajudá-los a desenvolver o seu conjunto de ferramentas mentais, ajudando-o
a tomar consciência dos processos e procedimentos de aprendizagem que ele pode colocar em prática.
Ao desenvolver as suas capacidades de auto-observação e autoanálise, ele passa ater maior
domínio daquilo que faz. Desse modo, partindo do que o aluno já domina, será possível contribuir para
o desenvolvimento de suas potencialidades originais e, assim, dominar plenamente todas as
ferramentas da autorregulação.
Por meio desse processo de aprendizagem pautada no princípio da autorregulação, contribui-se
para o desenvolvimento de habilidades e competências fundamentais para o aprender-a-aprender, o
aprender-a-conhecer, o aprender-a-fazer, o aprender-a-conviver e o aprender-a-ser.
A elaboração destas atividades foi conduzida pela Diretoria de Articulação Curricular, da
Superintendência Pedagógica desta SEEDUC, em conjunto com uma equipe de professores da rede
estadual. Este documento encontra-se disponível em nosso site www.conexaoprofessor.rj.gov.br, a fim
de que os professores de nossa rede também possam utilizá-lo como contribuição e complementação às
suas aulas.
Estamos à disposição através do e-mail curriculominimo@educacao.rj.gov.br para quaisquer
esclarecimentos necessários e críticas construtivas que contribuam com a elaboração deste material.

Secretaria de Estado de Educação

2

Caro Tutor,
Neste caderno, você encontrará atividades diretamente relacionadas a algumas
habilidades e competências do 2° Bimestre do Currículo Mínimo de História da 9º ano
do Ensino Fundamental. Estas atividades correspondem aos estudos durante o período
de um mês.
A nossa proposta é que você atue como tutor na realização destas atividades
com a turma, estimulando a autonomia dos alunos nessa empreitada, mediando as
trocas de conhecimentos, reflexões, dúvidas e questionamentos que venham a surgir no
percurso. Esta é uma ótima oportunidade para você estimular o desenvolvimento da
disciplina e independência indispensáveis ao sucesso na vida pessoal e profissional de
nossos alunos no mundo do conhecimento do século XXI.
Neste Caderno de Atividades, trataremos de um momento da História conhecido
como Entre Guerras, período que corresponde os anos entre a Primeira e a Segunda
Guerra Mundial. Vamos discutir os movimentos sociais e políticos relacionados à
Revolução Russa. Conheceremos também os processos revolucionários cubano e chinês,
no século XX, que levaram estes dois países a adotar o sistema socialista de governo.
Para os assuntos abordados em cada bimestre, vamos apresentar algumas
relações diretas com todos os materiais que estão disponibilizados em nosso portal
eletrônico Conexão Professor, fornecendo diversos recursos de apoio pedagógico para o
Professor Tutor.
Este documento apresenta 3 (três) aulas. As aulas podem ser compostas por uma
explicação base, para que você seja capaz de compreender as principais ideias
relacionadas às habilidades e competências principais do bimestre em questão, e
atividades respectivas. Estimule os alunos a ler o texto e, em seguida, resolver as
Atividades propostas. As Atividades são referentes a dois tempos de aulas. Para reforçar
a aprendizagem, propõe-se, ainda, uma pesquisa e uma avaliação sobre o assunto.

Um abraço e bom trabalho!
Equipe de Elaboração

3

Sumário

Introdução ..........................................................................................................3
Objetivos Gerais ................................................................................................... 5
Materiais de Apoio Pedagógico........................................................................... 5
Orientação Didático-Pedagógica ......................................................................... 6
Aula 1: Entre Guerras ........................................................................................... 7
Aula 2: Revolução socialista russa...................................................................... 11
Aula 3: Revoluções socialistas: China e Cuba ..................................................... 15
Avaliação ............................................................................................................ 18
Pesquisa.............................................................................................................. 19

Referências ......................................................................................................... 20

4

Objetivos Gerais

Nesse caderno de atividades vamos abordar alguns conteúdos do segundo
bimestre do 9º ano do Ensino Fundamental. Aqui, trataremos dos momentos históricos
relacionados ao período entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial, propondo ao
aluno a compreensão do impacto das guerras aos países beligerantes e da relação
entre crise econômica e a ascensão de regimes totalitários na Europa. Discutiremos as
relações políticas, econômicas e sociais que nortearam o processo revolucionário
russo, motivando o aluno a analise dos problemas sociais da população, que abriram
espaço para transformações na estrutura da sociedade. Apresentaremos, também, os
aspectos das revoluções socialistas chinesa e cubana, incentivando o aluno a
percepção das rupturas promovidas pelas revoluções e das diferenças e semelhanças
entre as atuações dos governos revolucionários.

Materiais de Apoio Pedagógico

No portal eletrônico Conexão Professor, é possível encontrar alguns materiais
que podem auxiliá-los. Você pode acessar os materiais listados abaixo através do link:
http://www.conexaoprofessor.rj.gov.br/cm_materia_periodo.asp?M=10&P=6A

─ Orientações Pedagógicas – 2° Bimestre
Orientações

─ Recursos Digitais – 2° Bimestre

Pedagógicas do CM

─ Orientações Metodológicas - Autonomia – 2° Bimestre

5

Orientação Didático-Pedagógica

Para que os alunos realizem as Atividades referentes a cada dia de aula,
sugerimos os seguintes procedimentos para cada uma das atividades propostas no
Caderno do Aluno:
1° - Explique aos alunos que o material foi elaborado que o aluno possa compreendê-lo
sem o auxílio de um professor.
2° - Leia para a turma a Carta aos Alunos, contida na página 3.
3° - Reproduza as atividades para que os alunos possam realizá-las de forma individual
ou em dupla.
4° - Se houver possibilidade de exibir vídeos ou páginas eletrônicas sugeridas na seção
Materiais de Apoio Pedagógico, faça-o.
5° - Peça que os alunos leiam o material e tentem compreender os conceitos
abordados no texto base.
6° - Após a leitura do material, os alunos devem resolver as questões propostas nas
ATIVIDADES.
7° - As respostas apresentadas pelos alunos devem ser comentadas e debatidas com
toda a turma. O gabarito pode ser exposto em algum quadro ou mural da sala para
que os alunos possam verificar se acertaram as questões propostas na Atividade.
Todas as atividades devem seguir esses passos para sua implementação.

6

Aula 1: Entre Guerras

Caro aluno, nesta aula, estudaremos um período da História conhecido como
Entre Guerras. Este período representa os anos entre o fim da Primeira Guerra
Mundial (1918) e o início da Segunda Guerra (1938). Os anos que compreendem este
intervalo de tempo foram marcados por crises econômicas e instabilidades políticas.
Após a Primeira Guerra, a Europa estava arruinada economicamente. Seu
território foi o espaço das batalhas, prejudicando indústrias, comércio, agricultura,
entre outros setores. Além disso, houve os gastos com a guerra, por exemplo,
investimento em armas e o financiamento do exército.
Mesmo antes do fim da guerra, os países europeus, como França, Inglaterra e
Alemanha, que forneciam produtos industrializados para grande parte do comércio
internacional, já não estavam em condições de atender a demanda externa ou mesmo
interna. Esta função passou a ser exercida pelos Estdos Unidos, que muito lucraram
com os conflitos na Europa.
No entanto, ao longo da década de 1920, os países europeus começaram a se
recuperar e reconquistar seus mercados. Apesar disso, a produção na indústria e na
agricultura dos Estados Unidos continuou acelerada mesmo com a diminuição de
espaço para a venda de suas mercadorias.
Havia também na economia americana concentração de riqueza nas mãos de
alguns grupos da sociedade, diminuindo a capacidade de compra de uma parte da
população. Dessa forma, com a perda de parte de seus mercados consumidores, os
Estados Unidos entraram numa crise financeira, que levou a desvalorização e a
falência de diversas indústria e bancos, gerando um alto número de desempregados
no país.

7

Fonte: revistaepoca.globo.com
Imagem: Fila de desempregados durante a crise econômica no período entre guerras, século XX.

A crise se estendia a outros países. A difícil situação da população europeia,
que ainda se recuperava de uma guerra devastadora, fez com que houvesse uma
procura por alternativas que resolvessem diversos problemas da sociedade que
existiam desde o fim da guerra.
Alguns países, como Itália e Alemanha, buscavam soluções investindo em um
Estado forte e centralizador para resolver seus problemas. Dessa forma, surgiram
grupos com propostas radicais de governo, formando os chamados governos
totalitários.
Na Itália surgiu o Fascismo, que defendia a força de um líder, conhecido por
Duce, que fosse capaz de transformar a Nação num país forte e unido. Assim, chegou
ao poder um chefe de Estado, chamado Benito Mussolini, que buscava o controle da
sociedade, anulando as liberdades individuais e perseguindo seus opositores.
Na Alemanha criou-se o Nazismo que, sob o comando de Adolf Hitler (o Füher),
buscou um Estado forte, atacando aqueles que não se encaixavam em sua política. O
Nazismo defendia a superioridade da raça ariana, que seria uma “raça pura” de
brancos que teriam dado origem ao povo alemão. Dessa forma, o governo nazista
perseguiu e exterminou diversos grupos sociais com a justificativa de que pertenciam a
raças inferiores, como, por exemplo, judeus, ciganos, negros e outros. Milhares de
pessoas foram mortas ou sofreram maus tratos.

8

Fonte: www.fatoexpresso.com.br
Imagem: Judeus presos durante o período nazista.

Caro aluno, após estudarmos as caracterísitcas do Nazismo, é importante
perceber o quanto é prejudicial atitudes e pensamentos discriminatórios ou racistas.
Na Alemanha, o racismo levou milhares de pessoas a perderem suas casas, seu
dinheiro, sua liberdade, seus familiares e principalmente suas vidas.
Faremos agora as atividades para nos ajudar a compreender melhor as
questões discutidas na aula.

Boa aula!

9

Atividade Comentada 1
1. Caro aluno, leia o texto com atenção e explique como estavam economicamente
alguns países europeus após a Primeira Guerra Mundial.
R: Após a Primeira Guerra, grande parte da Europa estava arruinada
economicamente, pois muitos de seus setores produtivos, como indústrias, comércio
e agricultura, foram afetados pelos conflitos ocorridos em seu território. Além disso,
os gastos com o financiamento da guerra prejudicaram os cofres públicos, trazendo
dificuldades econômicas às sociedades europeias.

2. Com relação aos regimes totalitários europeus, no século XX, escreva como o líder
Benito Mussolini mantinha o controle da sociedade quando havia oposição ao governo
fascista na Itália.
R: Uma das principais características dos governos totalitários é a perseguição a seus
opositores. Na Itália com Mussolini não foi diferente, pois o líder também perseguiu,
combateu e executou diversos de seus adversários.

10

Aula 2: Revolução socialista russa

Caro aluno, nesta aula, analisaremos a Revolução Russa, que foi um movimento
político, econômico e social que transformou as estruturas da sociedade russa, no
início do século XX. A Revolução na Rússia colocou em prática algumas das ideias
socialistas que circulavam na Europa desde o século XIX.
As desigualdades sociais e econômicas geradas pelo capitalismo, estruturado a
partir da Revolução Industrial, fizeram surgir diversas doutrinas que buscavam criar
propostas para melhorar as condições de vida dos trabalhadores europeus e da
população como um todo. Dessa forma, surgiu o Socialismo Científico, desenvolvido
por Karl Marx e Friedrich Engels, que, de uma maneira geral, propunha diminuir a
exploração e as desigualdades das sociedades capitalistas.
A Rússia é um país, cujo território está localizado em parte no continente
europeu e em parte no continente asiático. No começo do século XX, a Rússia era um
país monarquista e seu governante era chamado de czar. O czar governava conforme
seus interesses e de seus aliados, mantendo privilégios para alguns setores da
sociedade.
Nesse período, a maior parte da população russa vivia em áreas rurais com
grande número de camponeses. Mas, a maioria das terras pertencia a um grupo
privilegiado da sociedade. Havia também algumas indústrias nas cidades, cujos
trabalhadores recebiam baixos salários e trabalhavam muitas horas por dia, a jornada
de trabalho chegava, em média, a 14 horas de por dia.
Os problemas que já existiam na Rússia foram agravados pela participação do
país na Primeira Guerra Mundial (1914-1918), em que milhares de soldados russos
foram mortos. Somado a isso, havia um grande número de desempregados e muitas
pessoas passando fome. Diante desse quadro de crise, formou-se uma onda de
protestos que manifestava contra as más condições de vida da população e contra a
permanência da Rússia na Guerra.

11

Dois grupos, impulsionados pelos problemas, se destacaram: o primeiro,
chamado menchevique, defendia reformas que seriam feitas aos poucos na sociedade
e não tinha a intenção de retirar a Rússia da Primeira Guerra; o segundo, conhecido
por bolchevique, propunha mudanças radicais que romperiam imediatamente com o
modelo de governo e de sociedade existentes na Rússia dos czares.
Os mencheviques tomaram inicialmente o poder, em 1917, e criaram um
governo provisório, afastando o czar Nicolau II do governo, que com o desenrolar da
revolução foi executado junto com sua esposa e filhas. Porém, no mesmo ano, os
bolcheviques, liderados por Lênin, derrubaram o governo provisório e tomaram
diversas medidas para reestruturar a Rússia, como, por exemplo, a retirada do país da
Primeira Guerra, a redistribuição das terras para os camponeses (reforma agrária) e a
transformação de empresas privadas em instituições administradas pelo Estado, a
chamada estatização.

Fonte: educacao.uol.com.br
Imagem: Povo na rua durante a Revolução Russa.

As medidas tomadas por Lênin não agradaram a toda população e aqueles que
eram contra as mudanças reagiram, levando a Rússia a uma guerra interna que duraria
até 1921. Os bolcheviques saíram da guerra vencedores, transformando a Rússia no
primeiro país socialista da História.
Ao longo dos anos iniciais da revolução, alguns países próximos foram levados
pela Rússia a integrar a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Com a
morte de Lênin, em 1924, Stalin assumiu o poder, governando o país através de
repressão, perseguição e execução de seus opositores.
O surgimento da União Soviética iniciou uma disputa de poder no mundo entre
a defesa do capitalismo, representado pelos Estados Unidos, e a defesa do socialismo,

12

orientado pela União Soviética, que marcou as relações políticas e econômicas de
várias sociedades ao longo do século XX.
Caro aluno, agora que já conhecemos diversas características da Revolução
Russa, realizaremos as atividades, a seguir, para aprofundar nossa compreensão sobre
o tema.

Boa aula!

13

Atividade Comentada 2

1. No início do século XX, a Rússia passava por um momento de crise econômica e
social. Havia uma grande desigualdade social entre a população, com a exploração dos
trabalhadores nas fábricas ou a concentração de terras nas mãos de grupos
privilegiados da sociedade. Além disso, a perda de soldados russos na Primeira Guerra
Mundial gerou um desconforto na população que, em 1917, foi às ruas formando
várias manifestações. Sendo assim, diga quais eram os principais protestos da
população russa neste período.
R: As manifestações da população russa, nos protestos que servirão de alavanca para
o início da revolução, estavam relacionadas às péssimas condições de vida do povo
russo e a permanência do país na Primeira Guerra Mundial.

2. Explique as características dos dois principais grupos políticos envolvidos na
Revolução Russa.
a) Mencheviques:
R: Este grupo defendia reformas lentas na sociedade russa, sem transformações
radicais nas estruturas de poder. Além disso, não se manifestou contra a permanência
da Rússia na guerra que ocorria na Europa.

b) Bolcheviques:
R: Ao contrário dos mencheviques, os bolcheviques defendiam a imediata retirada da
Rússia da Primeira Guerra e o rompimento com as estruturas da sociedade que
durante séculos existiu na Rússia czarista.

14

Aula 3: Revoluções socialistas: China e Cuba

Caro aluno, nesta aula, entenderemos como foi o processo revolucionário que
implantou o socialismo em dois países diferentes: China, localizada na Ásia, e Cuba,
ilha que fica no Oceano Atlântico e que faz parte da América.
No início do século XX, a China passou por mudanças na sua estrutura política.
Em 1911, um movimento chamado nacionalista derrubou o imperador, proclamou a
república e criou um governo provisório. Porém, ao longo do século, diferenças de
interesses, como, por exemplo, o modo como a China deveria ser governada, geraram
outras movimentações políticas e sociais.
Diante da instabilidade do país, surge a proposta socialista, sob a influência da
Rússia, qua já havia passado por sua revolução. Então, em 1922, foi fundado o Partido
Comunista Chinês (PCC), defendendo ideias que entrariam em choque com os
interesses dos nacionalistas e que que promoveriam guerras internas no país.
Liderados por Mao Tse-Tung o grupo do Partido Comunista venceu a guerra
contra os nacionalistas, em 1949, e implantou novas estruturas políticas, econômicas e
sociais com a intenção de tornar a China um país comunista, tais como: transformar
empresas particulares em empresas administradas pelo governo; redistribuir terras
entre os camponeses; e, com o auxílio da União Soviética, iniciar um processo de
industrialização no país. Ou seja, a intenção era controlar os rumos da economia
através do governo e não mais pelas necessidades do mercado, como ocorria no
capitalismo.
Nos primeiros anos do governo de Mao Tse-Tung, a China teve um relativo
crescimento econômico, mas, em seguida, começou a dar sinais de problemas,
iniciando uma crise

que gerou a insatisfação e a reação de alguns setores da

sociedade. O governo, então, começou um movimento que perseguia e combatia
aqueles que se opunham às ideias defendidas pela Revolução.
Seguindo os movimentos socialistas, temos ainda Cuba, país da América que
também passou por uma revolução nas estruturas de sua sociedade. Até a metade do

15

século XX, Cuba possuía um governo com tendência capitalista, aliado dos Estados
Unidos. As principais atividades econômicas estavam ligadas a produção de açúcar e
tabaco e ao turismo. Grande parte da riqueza estava concentrada em algumas famílias
cubanas e empresas norte-americanas. Já a maioria da população vivia em condições
ruins de sobrevivência, com dificuldades em vários setores como moradia, assitência
médica e outros.
Na década de 1950, Cuba era governada por Fulgêncio Batista, que dirigia o
país de acordo principalmente com os interesses de empresários norte-americanos.
Em oposição a esse quadro, um grupo de pessoas, lideradas por Fidel Castro, iniciou
movimentos de oposição que procuravam por fim ao governo de Batista, provocando
lutas pela tomada do poder.
Após diversas batalhas e com a conquista do apoio popular, Fidel Castro e seus
aliados, entre eles o guerrilheiro Che Guevara, conseguiram, em 1959, derrubar o
governo de Fulgêncio Batista. Fidel iniciou um processo de transformação na
sociedade cubana com o apoio da União Soviética.
O novo governo procurou criar medidas para atender melhor a população, tais
como: distribuir terras a famílias camponesas; facilitar o acesso à moradia e a
atendimento médico; e nacionalizar empresas estrangeiras (bancos e indústrias). No
entanto, a adminsitração de Fidel Castro também perseguiu aqueles que se opunham
às suas propostas com prisões ou execuções.

Fonte: www.estudopratico.com.br
Imagem: Fidel Castro discursando ao povo cubano.

A reação dos Estados Unidos, a mudança de seu país vizinho a um sistema
socialista, ocorreu através do rompimento de relações diplomáticas e a criação de

16

impedimentos a outros países de manterem relações comerciais com Cuba. Essas
medidas buscavam isolar o país e enfraquecê-lo economicamente.
Caro aluno, agora, que entendemos como ocorreram os processos das
revoluções socialistas na China e em Cuba, faremos as atividades propostas sobre o
tema discutido.

Boa aula!

Atividade Comentada 3

1. Explique o que aconteceu com a estrutura política da China ainda no início do
século XX.
R: A China iniciou o século XX com um movimento político nacionalista que, em
1911, pôs fim ao governo do imperador e proclamou a República.

2. Quais foram as medidas em comum que os governos de Mao Tse Tung (China) e
Fidel Castro (Cuba) adotaram em seus países logo após as revoluções socialistas?
Ambos os governos promoveram principalmente a reforma agrária (distribuição de
terra aos camponeses) e estatizaram empresas privadas, com intenção de centralizar
o controle da economia nas mãos do Estado.

17

Avaliação

1. Durante o período Entre Guerras, século XX, o que aconteceu com a economia dos
Estados Unidos quando os países europeus começaram a recuperar parte de seus
mercados que existiam antes da Primeira Guerra Mundial?
R: Os Estados Unidos entraram numa crise de superprodução em função da perda de
parte de seus mercadores consumidores, enfrentado a falência de diversas indústrias
e bancos, crise na agricultura e um alto índice de desemprego no país.
2. Qual era a justificativa que os nazistas alemães utilizavam para perseguir judeus,
ciganos, negros, ou seja, povos que consideravam não pertencer à “raça pura ariana”?
R: A justificativa dos nazistas para a perseguição e extermínio de variados grupos
sociais era que esses povos pertenciam a uma raça inferior da sociedade e deveriam
ser eliminados por uma suposta raça pura superior, a raça branca ariana, que seria a
origem do povo alemão.
3. Cite duas mudanças que o governo de Lênin fez na estrutura econômica e social da
Rússia quando foi implantado o sistema socialista.
R: Os alunos poderão citar duas das três mudanças na sociedade que foram citadas
no texto, como a reforma agrária, a estatização das empresas privadas ou a retirada
da Rússia da Primeira Guerra Mundial.
4. Quais eram os principais problemas econômicos e sociais enfrentados pela
população cubana antes da revolução cubana de 1959?
R: Antes da Revolução em Cuba a população enfrentava dificuldades em diversas
áreas da sociedade, tais como: problemas na área da saúde pública, falta de moradia
adequada, desemprego, políticas econômicas voltadas para atender os interesses de
empresários americanos, grande atividade de prostituição, entre outros.
5. O que os líder chinês, Mao Tse-Ting, e o líder cubano, Fidel Castro, faziam para
controlar a oposição daqueles que não concordavam com as ideias de seu governo?
R: Tanto o governo chinês quanto o cubano atuavam de maneira repressora e
totalitária, combatendo, prendendo ou exterminando seus opositores.

18

Pesquisa

Caro aluno, agora que já estudamos os assuntos relativos ao 2º bimestre e
conhecemos um pouco mais sobre o período entre a Primeira e a Segunda Guerra
Mundial, chegou a hora de entendermos melhor as ideias racistas que fizeram parte
das políticas alemães, no século XX, mas que também estão presentes em outras
sociedades. O tema da nossa pesquisa está relacionado ao racismo.

Segundo aqueles que defendem o racismo, as características hereditárias,
comportamentos culturais e o local de origem do individuo determinariam a que tipo
de raça ele pertenceria e a sua posição superior ou inferior na sociedade.
Ao longo da História, o racismo tem sido utilizado para justificar práticas
como, por exemplo, a Escravidão de negros africanos no Brasil, que pela cor da sua
pele e por suas características culturais eram considerados seres inferiores e por esta
razão poderiam ser escravizados. Em outro caso, serviu para justificar o extermínio
de milhares de judeus, durante a Segunda Guerra Mundial, na Alemanha nazista.

Fonte: wikipedia.org/wiki/Racismo

19

Referências

[1] CARDOSO, Oldimar. Tudo é História: História Contemporânea e História do Brasil
(séculos XIX e XX). São Paulo: Ática, 2009.

[2] HOBSBAWM, Eric. A Era dos Extremos: O breve século XX 1914-1991. São Paulo:
Companhia das Letras, 2001. 2ª ed. 18º reimpressão.

[3] VICENTINO, Cláudio. Viver a História: Ensino Fundamental. São Paulo: Scipione,
2002. Volume 4.

20

Equipe de Elaboração

COORDENADORES DO PROJETO
Diretoria de Articulação Curricular
Adriana Tavares Maurício Lessa
Coordenação de Áreas do Conhecimento
Bianca Neuberger Leda
Raquel Costa da Silva Nascimento
Fabiano Farias de Souza
Peterson Soares da Silva
Ivete Silva de Oliveira
Marília Silva
PROFESSORES ELABORADORES
Daniel de Oliveira Gomes
Erica Patricia Di Carlantonio Teixeira
Erika Bastos Arantes
Renata Figueiredo Moraes
Sabrina Machado Campos

21

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful