Você está na página 1de 1

Sobre o Trilema de Fries em K.

Popper
Por Juliano Gustavo Ozga.
Nesta dissertação pretendo apresentar as questões referentes ao trilema
de Fries e como K. Popper resolve este problema referente à aplicabilidade do cr
itério de falseabilidade em enunciados singulares (enunciados básicos), que post
eriormente dera o problema da base empírica.
A questão que se mostra explícita é definir o critério para superar o tr
ilema de Fries, trilema esse que se divide em: 1- Psicologismo; 2- Dogmatismo; 3
- Regresso ao infinito.
Sobre o psicologismo, baseado em dados sensoriais oriundos do mundo físi
co, podemos elaborar a questão de estarmos dependentes unicamente das sensações
físicas/sensoriais para fundamentarmos nossas teorias científicas.
Sobre o dogmatismo, dentro do Trilema de Fries, podemos avaliar a questã
o de estabelecermos base e sustentação de nossas teorias científicas em pressupo
stos dogmáticos, muitas vezes metafísicos, não havendo a possibilidade de verifi
cação e averiguação no mundo físico.
Sobre o regresso ao infinito, não chegaremos a definir uma base sólida p
ara nossas teorias científicas, partindo do pressuposto de causa e efeito infini
to de eventos, onde essas ocorrências terão infinidade tanto no passado, referen
te às suas causas, como para o futuro, relacionado aos seus efeitos.
O regresso ao infinito se prende ao fato de haver ocorrência de eventos
oriundos de causa e efeito, porém não possíveis de determinar uma base ou situaç
ão para a sua verificação.
Sobre o problema que gera a aplicação do critério de falseabiliadade aos
enunciados básicos, ou seja, o problema da base empírica, adentramos na questão
de definir nossas teorias científicas apenas em hipóteses verificáveis no mundo
físico, podendo assim cair no trilema de Fries citado anteriormente, e sermos o
rientados apenas por esse três meios.
Põem, ao tentarmos solucionar essa questão, K. Popper apresenta a defesa
da teoria científica como sendo possível de teste e experimento. Para não defen
dermos nenhum dos três itens do trilema de Fries, problemáticos devido ao seu cr
itério de se basear em enunciados singulares, gerando assim o problema da base e
mpírica, podemos analisar a questão e defender a aplicação do experimento como u
ma das possibilidades de fundamentar as teorias científicas.
A aplicação do experimento para elaborar uma base para as teorias cientí
ficas é preferível a adotar algum dos posicionamentos do trilema de Fries, pelo
fato de que: o psicologismo é “relativo” ao agente que capta as sensações do mun
do físico, podendo cada indivíduo possuir sua justificação relativa ao seu conhe
cimento restrito; O dogmatismo não ser possível, na maioria das vezes, de verifi
cabilidade e averiguação; e o regresso ao infinito não sustentar suas bases teór
icas, por não conseguir definir uma linha de causa e efeito, tanto inicial como
final, perante a sucessão de eventos.