Você está na página 1de 5

GRUPO I

1. Assinala a hipótese correcta com um X.

1. 1 Um verso é
a) uma linha de um poema. ___
b) um conjunto de palavras com sentido. ___
c) um conjunto de frases separado graficamente por um espaço . ___

1. 2. O monóstico é uma estrofe com


a) um conjunto de versos. ___
b) um verso, mais uma palavra. ___
c) um verso. ___

1. 3. Fazer a escansão de um verso é


a) contar o número de sílabas gramaticais. ___
b) contar o número de versos. ___
c) contar o número de sílabas métricas. ___

1. 4. Quando os versos rimam dois a dois, a rima designa-se


a) rima interpolada. ___
b) rima cruzada. ___
c) rima emparelhada. ___

1. 5. O esquema rimático abab representa


d) rima cruzada. ___
e) rima interpolada. ___
f) rima emparelhada. ___

2. Assinala verdadeiro ( V ) ou falso ( F ) nas afirmações que se seguem.

Afirmações V F
O texto poético é marcado pela objectividade, através do qual o eu poético exprime
a sua visão e experiência pessoais.
A versificação é a arte ou técnica de fazer versos
O verso é uma linha de um poema que deverá obrigatoriamente ter sentido
completo
Chamam-se estrofes a um grupo de versos, separados graficamente por um
espaço.
Uma estrofe nunca poderá ser composta unicamente por um verso.
A uma estrofe composta por cinco versos dá-se o nome de pentassílabo.
Chama-se rima à semelhança ou igualdade de sons no final ou interior dos versos
de cada estrofe. Há poesias em que os versos não rimam: são os versos soltos ou
brancos
GRUPO II

Leia atentamente o poema e responda, com clareza e correcção, às questões que


lhe são apresentadas.

O Menino Grande
Também eu, também eu,
joguei às escondidas, fiz baloiços,
tive bolas, berlindes, papagaios,
automóveis de corda, cavalinhos...

Depois cresci,
tornei-me do tamanho que hoje tenho;
os brinquedos perdi-os, os meus bibes
deixaram de servir-me.
Mas nem tudo se foi:
ficou-me,
dos tempos de menino
esta alegria ingénua
perante as coisas novas
e esta vontade de brincar.

Vida!,
não me venhas roubar o meu tesoiro:
não te importes que eu ria,
que eu salte como dantes.
E se eu riscar os muros
ou quebrar algum vidro
ralha, ralha comigo, mas de manso...

(Eu tinha um bibe azul...


Tinha berlindes,
tinha bolas, cavalos, papagaios...
A minha Mãe ralhava assim como quem beija...
E quantas vezes eu, só pra ouvi-la
ralhar, parti os vidros da janela
e desenhei bonecos na parede...)

Vida!, ralha também,


ralha, se eu te fizer maldades, mas de manso,
como se fosse ainda a minha Mãe...

Sebastião da Gama, “ Itinerário Paralelo”


1. O poema faz referência a dois momentos distintos na vida do sujeito poético.

1.1 Identifica-os.
________________________________________________________________

2. A que momento da vida se refere o eu poético na primeira estrofe?


2.1. Que mensagem pretende transmitir quando diz “ Também eu, também eu…”?
3. Enumera as modificações que o tempo operou no sujeito poético.

3.1 No entanto, algo da infância permanece. O quê?


4. Refere o recurso estilístico predominante na primeira estrofe.
5. Atenta agora na forma do poema.

5.1 Por quantas estrofes é constituído?

5.2 Classifica-as quanto ao número de versos.

GRUPO III

1. Classifica morfologicamente as palavras retiradas do texto:

“joguei”(v. 2

“do”(v.6)
“Mas” (v.9 )

“eu ” ( v.1 ; “ hoje” ( v. 6) ;

“alegria”(v.12 ) ; “ salte” ( v. 18) ;

“E”(v.14)

2. Analisa sintacticamente as seguintes frases:

a) Os leitores compreendem os poetas muito bem.

b) O dia de aniversário é agradável.

3. Liga por coordenação as frases seguintes:


a) Precisava de estudar, __________ não trouxe o livro.
b) Estudei muito, ___________ obterei boa nota no teste.

4. Assinala com X a opção correcta:


Frases complexas Coordenação Subordinação
Quando cheguei à escola, o João falou comigo.
A Marta ficou na biblioteca, mas não estudou nada.
Os alunos são obedientes e estão sempre atentos.
A Catarina não foi à festa porque tinha de estudar.
5. Assinala verdadeiro ( V ) ou falso ( F ) nas afirmações que se seguem.
Afirmações V F
As conjunções são vocábulos gramaticais que servem para relacionar duas
palavras, dois grupos de palavras ou duas orações.
As conjunções são palavras variáveis.
As subclasses das conjunções coordenativas são: as copulativas, as causais, as
disjuntivas e as conclusivas.
As conjunções que ligam dois termos ou duas orações de igual função,
acrescentando-lhes, porém, uma ideia de contraste são copulativas.
As conjunções que servem para ligar à anterior uma oração que exprime conclusão,
consequência, são disjuntivas.
Na frase “O ambiente encontra-se degradado, contudo ninguém se preocupa com o
facto”, a conjunção “contudo” é adversativa.
As locuções conjuncionais subordinativas visto que, pois que, já que, dado que, por
isso que, são causais.
As conjunções quando, enquanto, apenas, mal, são coordenativas.

6. Lê as seguintes frases:
A) A poesia liberta, no entanto muitas pessoas ainda não a descobriram
B) Os leitores compreendem os poetas porque sentem as mesmas coisas.

6.1 Procede agora à divisão e classificação das orações presentes nas frases
anteriores.
A)
B)

7. Classifica as orações assinaladas a negrito.

a) Os alunos levantaram-se, quando a professora entrou na sala.

b) A Ana apaixonou-se pelo Rui, assim que o viu.

c) Visto que não queres reprovar, deixa de faltar às aulas.

d) Todos os adolescentes gostam do seu aniversário, porque recebem prendas.

8. Transforma em frases complexas as seguintes frases simples:

a) Alguns alunos sentem-se desmotivados. Não gostam de poesia.

b) A professora entregou um poema aos alunos. Pediu-lhes um exercício


interessante.

c) Os poemas eram muito grandes. Ninguém se mostrava descontente


GRUPO IV

1. Constrói um poema subordinado a um dos seguintes temas: o amor; o mar;


mãe; o sonho; a infância; a juventude ( ou outro à tua escolha).
O teu poema deverá ter três estrofes e cada estrofe terá quatro versos. É
importante utilizares vocabulário rico e sugestivo e figuras de estilo: comparações,
metáforas, adjectivação…