Você está na página 1de 3

UNEB - Universidade do Estado da Bahia

Alunos: Afonso Fatal, Fang Shen, Flávia Lima Curso: Psicologia

Profª: Ludmila Nunes Disciplina: Orientação Profissional

Projeto de intervenção em Orientação Profissional

Introdução

O trabalho, atividade que ocupa um lugar cada vez mais central na vida das
pessoas, se faz parte constituinte da própria identidade do indivíduo e possui, além
do aspecto financeiro, implicações em questões emocionais. Antunes (2005, apud
AYABE et al., 2005) fala sobre o trabalho como aspecto da construção do ser social,
dado que o homem se produz e reproduz por ele e que é a partir do dia-a-dia do
trabalho que ele se torna social.

Nesse sentido, a aposentadoria é uma mudança radical no estilo de vida de uma


pessoa, principalmente quando compulsória. Papalia (2006) diz que pessoas que
passam seus primeiros anos de aposentadoria podem sentir uma necessidade
especial de apoio emocional e de se sentirem valorizadas. Ayabe et al. (2005) dizem
que a aposentadoria pode gerar ansiedades nas pessoas, uma vez que sua
identidade como pessoa e ser social fica ameaçada nessa fase da vida. É possível
entender esse sentimento justamente pela ideia com a qual o trabalho se apresenta
atualmente, como sendo o próprio valor da existência humana.

Tratando mais especificamente da aposentadoria compulsória por idade, é preciso


atentar para questões mais específicas do momento da vida em que ela ocorre e
suas implicações, então surgem questões como as condições física e mental desse
indivíduo, seus planos para a velhice e, entre outras coisas, disposição para iniciar
uma outra carreira.
Proposta de intervenção

Dentre as alternativas que se apresentam atualmente para a terceira idade, estão


aposentar-se em uma carreira ou cargo para começar outro, trabalhar em turno
parcial para ter uma ocupação e/ou complementar a renda, voltar a estudar, trabalho
voluntário etc. (PAPALIA, 2006)

Nesse sentido, a intervenção proposta é uma atividade de diálogo e reflexão que


trate sobre os sentidos dados à velhice e à aposentadoria, os planos que cada um
para essa fase da vida, e a função e significado que o trabalho teria dentro desse
contexto, assim como apresentar formas de reinserção no trabalho. A partir disso,
então, fazer com que os sujeitos possam pensar em uma das formas - tomando
como base as supracitadas - de retornar ao mundo do trabalho de modo que se
ajuste às suas particularidades.

Essa atividade seria realizada com idosos frequentadores na Universidade do


Estado da Bahia (UNEB) pela manhã, que praticam atividades físicas num projeto
que funciona na própria instituição.

Objetivo geral

Possibilitar aos sujeitos uma escolha de reinserção no mundo do trabalho que se


adeque às necessidades e particularidades dos seus planos para a velhice.

Objetivos específicos

Criar um espaço que permita aos sujeitos refletirem sobre velhice, trabalho e os
sentidos e planos pensados sobre estes;

Discutir esses sentidos com os sujeitos e permitir que também discutam entre si;

Apresentar diferentes formas com que os sujeitos podem retomar a atividade laboral,
para que, a partir da atividade realizada, possam pensar e escolher entre elas.
Referências

PAPALIA, Diane; OLDS, Sally. Desenvolvimento Humano. 7. ed. Porto Alegre: Artes
Médicas, 2000. pp 716-718

RODRIGUES, Milena et al . A preparação para a aposentadoria: o papel do


psicólogo frente a essa questão. Rev. bras. orientac. prof, São Paulo , v. 6, n. 1, p.
53-62, jun. 2005 . Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?
script=sci_arttext&pid=S167933902005000100006&lng=pt&nrm=iso>. acessos em
15 set. 2016.