Você está na página 1de 3

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE SERVIÇO

ETS - 012: ALINHAMENTO, NIVELAMENTO E SOCARIA DE LASTRO DE LINHA

1. OBJETIVO

Esta especificação tem por objetivo estabelecer as diretrizes básicas para a execução de
alinhamento, nivelamento e socaria de lastro de linha em obras ferroviárias. Define
critérios e controles de recebimento e critérios de medição e pagamento.

2. REFERÊNCIAS

Ressalvada a prevalência das especificações, deverão ser observadas as revisões mais


recentes das normas e especificações do DNIT e da ABNT:
a) Normas da ABNT:
 ABNT-NBR-11432/1989 (CB 126) – Equipamento para via permanente
ferroviária – Classificação;
 ABNT-NBR-11465/1989 (PB 1307) – Via férrea – Dimensão básica –
Padronização;
 ABNT-NBR-12993/1993 - Ferrovia - Termos gerais e/ou fundamentais - Método
de ensaio.
b) Especificações da CBTU:
 EMVP-12 – Lastro; e
 ESVP-04 – Socaria.

3. DESCRIÇÃO

A linha faz parte da superestrutura da via, e está formada por todos os elementos e
materiais que se colocam sobre a plataforma para estabelecer o caminho ferroviário,
formada pelos seguintes elementos básicos:
a) Trilhos - recebe diretamente a carga do material por intermédio das rodas dos
equipamentos ferroviários;
b) Dormentes - Vigas transversais na qual se apóiam os trilhos. Mantêm fixos os
trilhos e transmitem sua carga ao lastro de forma uniforme;
c) Lastro - Material pétreo que recebe a carga do dormente e a transmite de forma
uniforme à plataforma; e
d) Elementos de fixação - Peças metálicas que fixam firmemente os trilhos aos
dormentes.

ETS-012 : 1
4. DISPOSIÇÕES EXECUTIVAS

Para a execução dos serviços abaixo especificados, nos Aparelhos de Mudança de


Via - AMVs devem ser considerados em outro item específico.

O serviço consiste em: levante, alinhamento, nivelamento longitudinal e transversal


da linha e socaria do lastro sob os dormentes da linha corrida.

4.1. ALINHAMENTO

O alinhamento consiste em se fazer marcação, com uso de teodolito ou similar, dos


puxamentos (grade formada pelos trilhos e dormentes) necessários, fazendo com que as
tangentes fiquem perfeitamente alinhadas, apresentando uniformidade de flechas nas
curvas circulares e variação constante nas curvas de transição. O puxamento será feito
por meio de alavancas ou máquinas de puxar linha. Os valores dos puxamentos deverão
obedecer aos pontos notáveis, devendo a Contratada preencher planilha de
arredondamento para cada uma das curvas.

4.2. NIVELAMENTO LONGITUDINAL

O nivelamento longitudinal consiste em se fazer marcação com o uso de nível ótico


dos levantes necessários ao nivelamento da via, nos pontos baixos escolhidos. Fazem-se
as pegas e colocam-se os macacos, aciona-se o macaco até que o trilho atinja a altura
desejada, socando energicamente todos os dormentes, concluindo o nivelamento.

4.3. NIVELAMENTO TRANSVERSAL

O nivelamento transversal consiste em nivelar uma fiada de trilho em relação à


outra fiada, com uma régua e um nível de bolha nos trechos em tangente, uma régua, um
nível de bolha e uma régua de superelevação nos trechos em curvas.

4.4. SOCARIA

A socaria consiste em compactar todo o lastro que se encontra sob os dormentes,


de forma manual ou mecanizada, utilizando um conjunto de Socadores Jackson ou
Máquina Socadora Alinhadora Automática.

As cotas para nivelamento obedecerão a um levante máximo de 10cm, sob a face


inferior do dormente tendo como referencial o greide da plataforma.

O estabelecimento da superelevação obedecerá à norma específica da


Contratante.

ETS-012 : 2
5. MÁQUINAS E FERRAMENTAS

As seguintes máquinas e ferramentas poderão ser utilizadas no serviço de


alinhamento, nivelamento e socaria do lastro de linha, entre outras que se façam
necessárias:

 Alinhadora - Niveladora - Socadora Automática;

 Teodolito;

 Máquinas de puxar linha;

 Nível ótico;

 Macaco;

 Régua e um nível de bolha; e

 Alavanca de linha

6. CRITÉRIOS DE RECEBIMENTO

Os critérios e controles de recebimento atenderão às normas do DNIT, da ABNT e


o SICRO - Sistema de Custos Rodoviário do DNIT – Departamento Nacional de
Infraestrutura de Transportes.

7. CONTROLE DE RECEBIMENTO

O controle dos serviços de alinhamento contínuo e nivelamento de linha, incluindo


a declividade transversal da linha, será realizado unicamente por aparelhos de topografia
e comprovados mediante a aferição dos marcos de via implantados nas plataformas nos
pontos notáveis do traçado da via, conforme detalhamento do projeto executivo e em
normas específicas.

8. CRITÉRIOS DE MEDIÇÃO E PAGAMENTO

Os serviços de levante, nivelamento, alinhamento contínuo e socaria serão


medidos por quilômetro de via (km) de via efetivamente levantada, nivelada, alinhada e
socada, estando de acordo com as Normas Técnicas, Especificações e Edital, em
conformidade com as quantidades indicadas no quadro de quantidades e de preços e
após a liberação da Fiscalização.
O custo unitário remunera a mão de obra com encargos sociais, ferramentas e as
horas do equipamento utilizado.
Os trechos correspondentes aos Aparelhos de Mudança de Via - AMV - não será
medido neste item, e sim em outro item específico.

ETS-012 : 3