Você está na página 1de 8

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ....................................................ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED.

2 DESENVOLVIMENTO ................................................................................................ 3

3 CONCLUSÃO ............................................................................................................ 4

REFERÊNCIAS ................................................................................................................... 5

APÊNDICE A ..................................................................................................................... 6

ANEXO A .......................................................................................................................... 7
1

1 FONTES DO DIREITO DO TRABALHO

1.1 FONTES MATERIAIS

1.2 FONTES FORMAIS


1.2.1 Fontes formais autônomas
1.2.2 Fontes formais heterônomas
1.2.3 Hierarquia das fontes formais
1.2.3.1 Hierarquia dos instrumentos coletivos de trabalho
1.2.4 Conflito entre fontes formais

1.3 INTEGRAÇÃO
1.3.1 Direito comum como fonte subsidiária
1.3.2 Limitação à jurisprudência trabalhista
2

2 PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO

2.1 PRINCÍPIO DA PROTEÇÃO AO TRABALHADOR


2.1.1 In dubio pro operário
2.1.2 Norma mais favorável
2.1.2.1 Instrumentos coletivos de trabalho e princípio da norma mais favorável
2.1.3 Condição mais benéfica

2.2 PRINCÍPIO DA IMPERATIVIDADE DAS NORMAS TRABALHISTAS


2.3 PRINCÍPIO DA PRIMAZIA DA REALIDADE
2.4 PRINCIPIO DA INALTERABILIDADE CONTRATUAL LESIVA AO
EMPREGADO

2.5 PRINCÍPIO DA CONTINUIDADE DA RELAÇÃO DE EMPREGO

Os princípios exercem um papel constitutivo da ordem jurídica, cuja interpretação leva


em consideração os valores que os compõem. Nesse sentido, o entendimento
jurisprudencial adotado pelo Tribunal Superior do Trabalho de que o encargo de
provar o término do contrato de trabalho, quando negados a prestação de serviço e o
despedimento é do empregador está embasado no princípio da continuidade da
relação de emprego. (FCC, 2018, p. 76)

2.6 PRINCÍPIO DA IRRENUNCIABILIDADE OU INDISPONIBILIDADE DOS


DIREITOS TRABALHISTAS
3

3 DESENVOLVIMENTO
4

4 CONCLUSÃO
5

REFERÊNCIAS
6

APÊNDICE A
7

ANEXO A