Você está na página 1de 56

Doenças Profissionais

Pós MBA Gestão


Empreendedora
RISCOS ERGONÔMICOS
• Posturas;
• levantamento e transporte de
pesos;
• jornada de trabalho prolongada;
• monotonia e repetitividade;
***Causadores de DORT/LER.

11/18/2017
O QUE SÃO AS
DORT/LER ?
• DOENÇAS DO TRABALHO PROVOCADAS
PELO USO INADEQUADO E EXCESSIVO
(REPETITIVO OU POSTURA INADEQUADA)
DOS SISTEMAS QUE AGRUPAM VASOS
SANGUÍNEOS, TECIDOS, ARTICULAÇÕES,
OSSOS, NERVOS, MÚSCULOS,
LIGAMENTOS E TENDÕES.

É CONSIDERADO QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA


MUNDIAL POR ACOMETER INDISTINTAMENTE
TRABALHADORES DE DIVERSAS ÁREAS.

11/18/2017
PRINCIPAIS CAUSAS DA
DORT/LER :
• Procedimentos rígidos de
trabalho;
• Postura rígida;
• Excesso de trabalho;
• Tensão em casa e no trabalho;
• Ausência de pausas em tarefas
que exigem descanso periódico.

11/18/2017
MAIOR INCIDÊNCIA
ENTRE :
• Digitadores;
• Atendentes de Telemarketing;
• Operadores de Máquinas em Geral;
• Metalúrgicos;
• Empacotadores;
• Separadores de Correspondências;
• Caixas de Bancos e Supermercados;

As DORT/LER se manifestam com maior freqüência


nas mulheres, em decorrência da dupla jornada de
trabalho.

11/18/2017
FATORES
DESENCADEANTES

• FORÇA (excessiva, carga ↑,


velocidade do movimento)
• REPETITIVIDADE
• POSTURAS VICIOSAS
• COMPRESSÃO MECANICA

11/18/2017
COMO IDENTIFICAR AS
DORT/LER?
Sintomas mais comuns:
• dores;
• sensação de formigamento;
• dormência;
• fadiga muscular.

11/18/2017
• Font
e:
http://
www.
areas
eg.co
m/ler/
queel
er.ht
11/18/2017
ml
ERRADO

11/18/2017
• Fonte
http://
www.
areas
eg.co
m/ler/
queel
er.ht
ml

11/18/2017
CERTO

11/18/2017
Inflamações
Disturbios ORT
• Tendinite
• Tendosinovite
• Bursite
• Epicondilite
• Tendinite de Quervain
• Síndrome do Túnel do Carpo

11/18/2017
S. TÚNEL DO CARPO
• Síndrome do túnel do carpo é o
nome referido a uma doença
que ocorre quando o nervo que
passa na região do punho
(nervo mediano) fica submetido
à compressão. Na maioria dos
casos essa compressão do
nervo na região do punho
(“nervo preso”) deve-se ao
estreitamento no seu canal de
passagem por inflamação
crônica dos tendões que
também passam por esse
canal.
S.TÚNEL DO CARPO
• Na síndrome do túnel do carpo,
os tendões são irritados e
edemaciam, empurrando o
nervo mediano causando dor
nessa região;
• Os movimentos repetidos sem
o tempo adequado de
recuperação são responsáveis
pela inflamação e edema do
túnel do carpo.
• A prevenção é o melhor
remédio – deve-se fazer
intervalos durante a digitação,
diversificar os trabalhos e
manter uma postura adequada.
Prevenção de
tendossinovites
• Inflamação e lesão da
bainha dos tendões
devido a movimentos
repetitivos. Os tendões
ficam superesticados ou
contraídos
11/18/2017
Epicondilite

• Causada por atividades que


exigem uso excessivo dos
músculos extensores do punho ,
como ocorre em alguns esportes
(tênis), ou por tensões repetitivas
na articulação do cotovelo.

• O tratamento - anti inflamatórios e


fisioterapia, por 3 meses ,
procurando –se de início retirar o
minimizar a causa – o esforço
repetitivo/sobrecarga .
• O tratamento cirúrgico se não
houver remissão (total ou parcial
progressiva) com o tratamento
inicial
Tendinite de
quervain

• Dor; Inchaço sobre o


pulso no lado em que o
polegar está localizado;
Enrijecimento.
• O tratamento -anti-
inflamatórios, imobilização
do polegar, infiltração com
corticosteróide e
fisioterapia.
• tratamento cirúrgico,
Tratamento
• Afastamento do trabalho (temporário
ou definitivo)
• Medicamentos (anti inflamatórios,
corticóides)
• Fisioterapia
• Cirurgia (em último caso- não é
garantia de cura)
• Apoio psicológico

11/18/2017
COMPLICAÇÕES DA
DORT/LER :
• Dor crônica;
• Alterações psicológicas:
1. Provocadas pelo medo da
incapacidade e preocupações com
perdas materiais e sociais;
2. Comprometem o ritmo do sono e o
apetite.

11/18/2017
QUESTÕES SOCIAIS
• TRATAMENTO COM
AFASTAMENTO DO TRABALHO:
Longos períodos, inserção
diferente, redução da realização
profissional trabalhador inválido,
desocupado

11/18/2017
QUESTÕES SOCIAIS
• REPERCUSSÕES PARA FAMÍLIA:
modificações do papel familiar
desempenhado: desocupado,
valores negativos;

Atividades incompatíveis com


sua limitação.

11/18/2017
Ações para o trabalhador
• Inserção social (familiar,
profissional);
• Realocação do trabalhador e
aprendizagem de uma nova função;
• Acompanhamento do processo de
retorno ao trabalho
• Integração entre trabalhador,
empresa, equipe de saúde, sindicato

11/18/2017
CUIDADO!!!
• Não existe mobiliário ergonômico
que seja comum a todas as pessoas;
• Trabalhar com tala piora a
DORT/LER;
• Anti-inflamatórios usuais só têm
alcance para problemas de tendinite
(inflamações de pequeno porte);
• O melhor caminho é a prevenção!!!

11/18/2017
ERGONOMIA X
PREVENÇÃO DA DORT

• REDUZIR A FORÇA APLICADA NOS


SEGMENTOS CORPORAIS

( Usar equipamentos para guindar,


diminuir peso de embalagens, revestir
ferramentas, etc)

11/18/2017
ERGONOMIA X
PREVENÇÃO DA DORT
• REDUZIR A REPETITIVIDADE DOS
MOVIMENTOS

( rodizio entre os trabalhadores,


pausas para relaxamento – exercícios
de alongamento, mecanizar
processos, limites de toques na NR
17)

11/18/2017
ERGONOMIA X
PREVENÇÃO DA DORT
• ELIMINAR POSTURAS VICIOSAS
( dados antropométricos aos postos de
trabalho) – posto com flexibilidade,
boa iluminação, pausas para
relaxamento- ginástica, observar
alcance motor e visual do trabalhador,
eliminar ar cond direto no trabalhador

11/18/2017
Ergonomia x prevenção
da DORT
• REDUZIR COMPRESSÃO MECÂNICA
DE TECIDOS

( mecanizar atividades que usem


ferramentas permanentemente,
revestimento emborrachado/enrugado
para manoplas de alicates , uso de
dedos ou palma da mão - rodízio

11/18/2017
OUTRAS AÇÕES ...

• Ginástica Laborativa
• Práticas esportivas;
• Atenção a posturas de trabalho e de
repouso;
• Acompanhamento médico anual.

11/18/2017
Estresse laboral
• conjunto de reações
do organismo que
provocam
perturbação e
esgotamento
emocional ou físico.

11/18/2017
Sinais e sintomas

11/18/2017
Transtornos psiquiátricos
causados pelo estresse
• Ansiedade
generalizada;
• Obsessivo
compulsivo;
• Sindrome do pânico;
• Estresse pós
traumático;
• Fobia social
• Fobias específicas
• Depressão
11/18/2017
Causas do estresse
• Baixa resistência à frustação;
• Ameaças constantes;
• Competitividade;
• Falta de tempo para si mesmo;
• Ansiedade constate;
• Baixa autoestima

11/18/2017
No trabalho...
Reações podem estar
relacionadas a

• Excesso de carga de
trabalho, pressão;
• Conflito com superiores,
subordinados;
• insatisfação no trabalho,
falta de perspectiva e
• rotatividade dos
11/18/2017
empregados.
Sintomas comportamentais
no trabalho
• Dificuldades para cumprir
tarefas;
• Deixa para amanhã;
• Alimentação desequilibrada;
• Crítica excessiva;
• Agitação;
• Desejo de acompanhamento
ou isolamento

11/18/2017
Fatores organizacionais
• Exigências de papéis múltiplos
(trabalho/família).

• Liderança – Estilos de liderança


autoritários e autocráticos – Falta de
consideração pelas necessidades,
atitudes e motivações dos
empregados

11/18/2017
Fatores organizacionais
Relações de Trabalho -Estrutura e Clima
Organizacional –

• Centralização, formalização, política de


tomada de decisão,
• abertura de comunicação, justiça
organizacional,
• tipo de ocupação – Desemprego,
insegurança e má qualidade do emprego –

11/18/2017
Consequências do estresse
Organizacionais: – Custos Diretos:

 aumento do absenteismo (incluindo falta


de pontualidade)
 aumento da taxa de rotatividade quebra
de performance dos trabalhadores
 aumento do número de acidentes de
trabalho e de erros de produção;
 custos de saúde e do pagamento de
indenizações e compensações por lesões

11/18/2017
Consequências do
estresse
• Custos Indiretos:

• reduções na motivação, no moral e


na satisfação do trabalho;
• degradação das relações de
trabalho, falhas na comunicação;
• erros na tomada de decisão.

11/18/2017
Estratégias de gestão
do estresse
• Eliminar, ou reduzir, fontes de stress do
ambiente de trabalho, minimizando as
pressões colocadas sobre os empregados;

• Mudança de ambiente físico ou sócio-


politico para satisfazer as necessidades
dos empregados;

• Mudanças no processo de tomada de


decisão
11/18/2017
Estratégias de gestão
do estresse
• Enriquecimento de funções;

• Reorganização das linhas de autoridade;

• Redesenho do layout físico;

• Estabelecimento de um sistema de
compensação com maior equidade.

11/18/2017
Estratégias voltadas aos
empregados
• treino de relaxamento, meditação, ioga;
• desenvolvimento de capacidades de
gestão do tempo ou de resolução de
conflitos;
• Ginástica laboral;
• Incentivo à pratica esportiva

Obs.: são medidas paliativas- é preciso


verificar a causa na estrutura da organização

11/18/2017
Algumas intervenções...
• Ter atenção fatores individuais e
organizacionais;
• Incluir uma avaliação do estresse no
ambiente de trabalho para compreender a
dinâmica estresse-saude;

• Implementar programa de qualidade


de vida no trabalho

11/18/2017
Pensando em trabalho...
• Existem trabalhos mais
estressantes que outros?

• Trabalhos podem ser


estressantes se não possuírem
um significado!

11/18/2017
Pneumoconioses:

São patologias resultantes da


deposição de partículas sólidas
no parênquima pulmonar,
levando a um quadro de fibrose,
ou seja, ao endurecimento do
tecido pulmonar.
SILICOSE
 É a principal pneumoconiose no
Brasil, causada por inalação de
poeira de sílica livre cristalina
(quartzo).
 Caracteriza-se por um processo de
fibrose, com formação de nódulos
isolados nos estágios iniciais e
disfunção respiratória nos estágios
avançados.
Silicose
Atinge trabalhadores inseridos em diversos
ramos produtivos:
• na indústria extrativa (mineração subter-
rânea e de superfície) ;
• no beneficiamento de minerais (corte de
pedras, britagem, moagem, lapidação) ;
• em fundições; em cerâmicas; em olarias;
• no jateamento de areia;
• na escavação de poços; polimentos e
limpezas de pedras.
Sintomas:
• Aparecem após longos períodos de
exposição, cerca de 10 a 20 anos.

• É uma doença irreversível, de evolução lenta


e progressiva.
• Sintoma inicial – tosse e escarros.
• Em fases mais avançadas, pode surgir
insuficiência respiratória, com dispneia aos
mínimos esforços e até em repouso.
Diagnóstico:

• História clínico-ocupacional, na
investigação do local de trabalho, no exame
físico e nas alterações encontradas em
radiografias de tórax, as quais deverão ser
realizadas de acordo com técnica
preconizada pela Organização Internacional
do Trabalho (OIT).
Prevenção:
Locais onde se produz pó de sílica ou de
seus derivados deve ser instalados:
• ventiladores e aspiradores que limpem o
ambiente e eliminem o pó ou o reduzam ao
mínimo,
• sistemas de umidificação continua dessas
rochas.
• uso de mascaras antipó.
Condutas
 Afastamento imediato e definitivo da
exposição, mesmo nas formas iniciais;
 notificação e investigação da caso;
 solicitação de emissão de CAT
(Comunicação de Acidente de Trabalho)
pela empresa
 preenchimento da LEM (Laudo de Exame
Médica) –serviço de medicina do trabalho
 Outras medidas poderão ser tomadas,
diante de cada caso.
• Você entendeu os conteúdos
desta aula?

• Obrigada pela atenção!


Profª Marjorye