Você está na página 1de 5

CENTRO UNIVERSITÁRIO REDENTOR - UNIREDENTOR

CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA


COMPONENTES CURRICULARES:
Psicologia Médica / Saúde e Sociedade
NOME: Rodolfo Ribeiro Ferreira
PERÍODO: Primeiro Período TURMA: B
TUTOR: Luciana / ACS.: Elson Zacharias
DATA: 10/05/18
HORÁRIO: MANHÃ: X TARDE:

FICHA PARA REGISTRO DE CAMPO


1) TIPO DA VISITA TERRITÓRIO  DOMICÍLIO 
ENDEREÇO

2) IDENTIFICAÇÃO Microárea 13
Morro da Candonga

Rua Dr. João Braga, Itaperuna – RJ


Rua Rodrigues Távora, Itaperuna – RJ
Rua Nestor Pedro da Silva, Itaperuna – RJ
Rua Silvio de Souza Gato, Itaperuna – RJ
Rua Deputado Rubens Tinoco Ferraz, Itaperuna – RJ
Rua Diogo Cabral de Melo, Itaperuna – RJ
Avenida Presidente Franklin Roosevelt, Itaperuna – RJ
Rua Dr. Antônio Olivier Paula, Itaperuna – RJ
Rua José de Castro, Itaperuna – RJ
Rua Padre Humberto Lindelauf, Itaperuna – RJ
Rua Petrônio Bernardo de Oliveira, Itaperuna – RJ

3) PLANEJAMENTO / Observar e analisar os determinantes sociais de saúde das áreas visitadas a


OBJETIVOS: fim de que, posteriormente, seja feito um trabalho de mapeamento da região.

4) DESENVOLVIMENTO DA A princípio, os estudantes se encontraram com a tutora Luciana e a


ATIVIDADE (INCLUINDO agente comunitária Jéssica no Supermercado Fluminense, na Rua José de
A DESCRIÇÃO DO LOCAL) Castro. Em seguida, todos eles começaram a caminhar pela Avenida Deputado
Carlos Pinto Filho. A agente disse que há muitas ruas na região que não
possuem tratamento de esgoto. Porém, evidenciou-se que existem muitos
estabelecimentos comerciais, assim como apartamentos.
Jéssica afirmou que há muitos hipertensos e diabéticos na microárea
visitada. Ademais, a mulher disse vários são os moradores que negam precisar
ter atendimento médico. Foi mencionado pela agente que existem aqueles
dispensam cadastrar as suas famílias em um programa de atenção básica a
fim de que ela possa receber alguma forma de auxílio.
Ao longo da caminhada, ao chegar na rua Petrônio Fernando, a agente
comunitária revelou que naquela, onde se encontra o Colégio Central, há um
esgoto a céu aberto. Posteriormente, o grupo (tutora Luciana, agente e
médicos em formação) foram visitar a Casa do Artesão na Avenida Deputado
Carlos Pinto.
Ao entrar naquele lugar, os alunos foram introduzidos pela Juliana,
uma das funcionárias da “Casa do Artesão”. Juliana disse que existem dois
projetos sendo trabalhados no estabelecimento: Projeto Economia Solidária
e o Balcão de Empregos ACESSUAS. O primeiro visa a assistir artesãos de modo
que os mesmos possam ter os seus trabalhos comercializados. O segundo tem
como objetivo auxiliar pessoas desempregadas. Essas pessoas são instruídas
sore como devem se comportar em entrevistas de emprego. Ademais, os
indivíduos assistidos são orientados de sorte que possam se qualificar
profissionalmente.
Juliana frisou que há muitas mulheres da região que chegam ao balcão
de empregos desesperadas, muitas vezes por estarem, não só
desempregadas, mas também sendo violentadas por seus respectivos
maridos.
Em seguida, os estudantes de medicina, a tutora Luciana e a agente
comunitária Jéssica saíram da Casa do Artesão e prosseguiram a caminhada
pela microárea. Passou-se pela Avenida Presidente Dutra. Identificou-se o
Mercado Unidos. Depois de se ter passado pela Rua Athos Fernandes
Monteiro, o grupo entrou na próxima rua, a Varre Sai. Jéssica, a agente
comunitária, disse que há muitos terrenos baldios. Salientou-se ainda que,
quando chove na rua, a mesma fica alagada.
Ao longo da rua Varre Sai, notou-se que havia sinais de queimada de
lixo perto do Colégio Central. A partir disso, percebeu-se que há grande risco
de que as crianças daquela instituição apresentarem doenças respiratórias.
Ademais, Jéssica disse que existem muitos animais soltos pela rua, tais quais
cavalos. Além disso, observou-se que a rua não possui postes, o que permitiu
inferir que, durante a noite, ela não apresenta iluminação.
Notou-se que a Rua Varre Sai tinha um esgoto aberto, muito próximo
do Colégio Central. Depois, o grupo passou pela Rua Doutor Antônio Oliveira.
Dobrou-se à esquerda, na Rua Francisco Ventura Lopez. Nessa última,
percebeu-se que nela havia muitas casas elegantemente decoradas.
Posteriormente, o grupo dobrou à direita, depois de ter passado pela
Francisco Ventura Lopez, alcançando novamente a Avenida Presidente Dutra.
Logo depois, visitou-se o “Sonho, de Mãe”, um centro de recuperação cristão.
Esse estabelecimento é voltado para auxiliar mães que apresentam
dependência química. Valéria, uma assistente do projeto que convidou os
médicos em formação para entrar, disse que, o mesmo não envolve o
fornecimento de remédios para as mulheres assistidas. As últimas fazem
atividades que se consistem no estudo da bíblia. Valéria alegou que, em sua
experiência com trabalhos similares, muitas mulheres dizem que são livres.
Porém, elas vivem uma vida que carece de um propósito. Sendo assim, as
dependentes químicas são instruídas para viver de acordo com a palavra de
Deus.
A assistente disse que as crianças das mães são também acolhidas,
desde que as primeiras tenham faixa etária entre 0-12 anos. Acresce que as
mulheres têm um prazo de 2 anos para que consigam organizar as suas vidas
por meio do auxílio fornecido pelo projeto. Elas são orientadas para retomar
os seus estudos, de sorte que possam se qualificar a fim de serem inseridas
no mercado de trabalho.
Salientou-se ainda que médicos, psicólogos, aparecem no
estabelecimento do “Sonho de Mãe” a propósito de fornecer algum auxílio
por intermédio da prestação de seus serviços de forma voluntária.
Valéria disse que o Projeto “Sonho de Mãe” é originalmente de Italva.
Porém, o espaço que se tinha naquela cidade destinado para o
desenvolvimento do projeto era pequeno. Desse modo, as atividades do
mesmo foram encaminhadas para Itaperuna. A assistente menciona que o
estabelecimento carece de doações de alimentos, roupas de crianças. Ela
relatou que, embora o projeto ainda esteja em seus estados iniciais em
Itaperuna, já há uma mãe com uma filha que se encontra na casa.
Em seguida, os médicos em formação juntamente com a tutora
Luciana e a agente comunitária Jéssica saíram do local. Finalizou-se o trabalho
de mapeamento da microárea cujo número não foi identificado.

5) RELEVÂNCIA DO Assim como na ficha para registro de campo anterior, isto é, da


ESTUDO microárea 18, o mapeamento do território visitado (microárea com número
sem identificação) é importante para que seja permitido o diagnóstico, a
identificação dos problemas enfrentados pela população local, assim como a
conscientização a respeito das necessidades de saúde que a mesma
apresenta.
Foi interessante observar que, embora o território visitado se
tratasse de um local abundante em estabelecimentos comerciais, o mesmo
apresentava no geral um saneamento básico ruim, visto como havia um
esgoto a céu aberto na rua Varre Sai. Desse modo, percebe-se que haver mais
comércios em uma região não implica que a mesma possuirá
automaticamente um saneamento básico eficiente.
Ademais, o trabalho na microárea foi importante para que os
médicos em formação tivessem conhecimento do Projeto Sonho de Mãe, por
exemplo, para onde, inclusive, eles podem iniciar uma campanha para
arrecadar os recursos que a casa onde ele é desenvolvido. Valéria, a assistente
do local, disse que há alguns médicos que aparecem para oferecer os seus
serviços de forma voluntária, assim como outros profissionais de saúde.
Portanto, evidencia-se a importância do engajamento dos
profissionais da medicina em projetos sociais de modo que eles possam
contribuir ativamente para a melhoria da qualidade de vida da população por
meio do estabelecimento de um contato direto com o indivíduo que necessita
de assistência médica.
O trabalho de mapeamento também foi importante para que os
médicos em formação se conscientizassem a respeito de outros projetos
como o “Economia Solidária” e o “Balcão de Empregos ACESSUAS”, posto que
os mesmos são essenciais ferramentas para que, por exemplo, um futuro
paciente que se envolva com atividades de artesanato, possa ter o seu
trabalho conhecido e comercializado pelo “Economia Solidária”. Desse modo,
quando o profissional da medicina tem conhecimento a respeito da existência
de projetos sociais, ele possui um outro meio de ajudar os seus pacientes. Um
paciente que necessita de emprego, por exemplo, pode ser encaminhado para
o balcão de empregos ACESSUAS, por exemplo.

6) CONTEXTO E INTER- Assim como ocorreu na primeira ficha para registro de campo, aquele
RELAÇÕES COM OS cujo objetivo era conhecer o território da microárea 18 e analisar os
CONTEÚDOS determinantes sociais de saúde na mesma, o trabalho de mapeamento da
microárea cujo número não é conhecido possui implicações nas áreas de
bioquímica e biofísica. As mesmas associações entre as duas visitas podem ser
estabelecidas, dado que tanto em uma quanto em outra, as agentes
comunitárias disseram que, no tocante às doenças locais, havia a
predominância de pessoas diabéticas e hipertensas.
Portanto, no tocante à relação da atividade de mapeamento com a
disciplina de bioquímica, é válido frisar que esta é essencial para promover o
bem-estar do ser humano, por meio da compreensão das engrenagens
moleculares de doenças, tais qual a diabetes, que foi citada pela agente
Jéssica, como sendo uma das enfermidades recorrentes na microárea. No
tocante à diabetes, pessoas que possuem diabetes melito tipo 1 carecem de
células ß (beta), as produtoras de insulina. Por conseguinte, é a dificultada a
liberação de insulina o suficiente a fim de estimular a captação de glicose por
células do corpo, tais quais as do coração, tecido adiposo ou músculo
esquelético. Desse modo, depois de feita uma refeição com carboidratos,
haverá concentração alta de glicose, de forma anormal no sangue, o que
configura um quadro de hiperglicemia.
No que se refere a relação da atividade de mapeamento com a
disciplina de biofísica, é necessário apontar que esta abrange o estudo de
sistemas e processos biológicos com base em princípios físicos, os quais
tornam possível o entendimento de assuntos concernentes a biomoléculas.
Por exemplo, um indivíduo que possui hipertensão arterial, uma doença
crônica recorrente na microárea, de acordo com a agente comunitária, pode
ter edemas, isto é, aumento de fluido entre células em determinada região do
corpo.
A fim de elucidar a situação anterior, é necessário compreender que,
devido ao fato de a pressão arterial, exercida pelo sangue sobre a parede do
vaso sanguíneo, ser maior que o normal, a água tende a se concentrar no meio
entre células, o que configura um edema.
Ademais, o trabalho possui implicações na disciplina de Saúde e
Sociedade, visto como foram conhecidos pelos estudantes projetos sociais
tais quais: “Sonho de Mãe”, “Economia Solidária” e “Balcão de Empregos
ACESSUAS”. Esses projetos podem ser considerados iniciativas que promovem
o “empoderamento da comunidade”, como disse Maria da Glória Eolin em seu
artigo “Empoderamento e participação da comunidade em políticas sociais”.
No artigo, é mencionado que a sociedade civil começa a se envolver mais com
a sociedade política ao longo dos anos 1990.
Naquela época, havia se sucedido um processo de redemocratização
do país, isto é, a transição do período militar para a nova república. Diante
desse cenário, foram criados fóruns, conselhos, dentre outros meios de
promover a articulação entre a população e aqueles que a representa. Por
conseguinte, a população passou a se tornar “protagonista de sua própria
história”. É possível estabelecer uma relação entre essa consequência do
período de redemocratização com o objetivo dos projetos socais que foram
conhecidos pelos médicos em formação. No tocante a isso, pode-se inferir que
o “Economia Solidária”, “Balcão de Empregos ASSESSUAS” e “Sonho de Mãe”
promovem, de certo modo, o empoderamento da população local de
Itaperuna, pois os habitantes, por meio do auxílio oferecido por aqueles
projetos conseguem melhorar as suas condições de subsistência, onde são
estimulados a desenvolver as suas capacidades individuais e autonomia.
7) REFERÊNCIAS  Capítulo 3 “Ensino de psicologia médica” do livro “Psicossomática
hoje” - Segunda edição – Autor: Júlio de Melo Filho
 Artigo de Carol Kinsey Goman: “Fascinating Facts About Eye
Contact” (Fatos fascinantes sobre o contato com os olhos) –
publicado em 2014
 Artigo de Sérgio Luiz Barroso: “Você sabia que queima de lixo,
ainda que em propriedade particular, é crime?” – Publicado em
2017

8) PLANEJAMENTO PARA A A ser realizada com o tutor.


PRÓXIMA ATIVIDADE

9) OBSERVAÇÕES (Lembretes importantes para o estudante)


(opcional)
10) SITUAÇÃO PROBLEMA Assim como ocorreu no trabalho anterior, o de mapeamento de
algumas ruas da microárea 18, percebeu-se que a microárea cujo número de
identificação não foi identificado também apresenta saneamento básico
precário. Por exemplo, na Rua Varre Sai, havia um esgoto à céu aberto. No
artigo “Estudo da associação entre fatores socioambientais e prevalência de
parasitose intestinal em área periférica da cidade de Manaus (AM, Brasil)”,
realizado por Silvia Visser, juntamente com outros coautores, observou-se
que a existência de um esgoto à céu aberto em Manaus constituía um fator
de risco, sujeitando a população a sofrer parasitoses intestinais. Do mesmo
modo, os habitantes da Rua Varre Sai em Itaperuna também estão sujeitos a
infecções por enteroparasitas.
Ademais, assim como se tinha observado vestígios de lixo queimado
na Rua Fidélis Nassif, na microárea 18, a Rua Varre Sai apresentou o mesmo
problema. Logo, as crianças do Colégio Central, que se situava na rua, estão
sujeitas a contrair doenças respiratórias. Consoante foi dito no artigo de
Helena Ribeiro e João Vicente de Assunção, “Efeitos das queimadas na saúde
humana”: “quanto maior a proximidade da queimada, geralmente é maior o
seu efeito à saúde”. Acresce que os poluentes atmosféricos podem ocasionar
problemas cardiovasculares, pulmonares, inclusive alguns tipos de câncer, tal
qual o de pulmão.
Além disso, a falta de postes na Rua Varre Sai representa um fator de
risco para a população, pois, durante a noite, os moradores correm o perigo
de serem assaltados quando passam pelo local.
Do mesmo modo que foi colocado na parte de problematização dos
determinantes sociais encontrados nas áreas visitadas dos outros trabalhos
de ficha de campo, é possível inferir que não foi a partir da crise econômica
do Brasil que locais como a microárea cujo número não foi identificado
apresentou precariedades no âmbito de saneamento básico e de
infraestrutura. Acerca disso, verifica-se não só na prefeitura em Itaperuna,
mas também no estado do Rio de Janeiro e nos demais do Brasil, que o
governo e as prefeituras comumente não realizam planejamentos
macroeconômicos para as cidades, municípios.
Mediante o exposto, verifica-se que os problemas de saneamento
básico e de infraestrutura encontrados no território, são motivos para
indignação para os moradores locais. Porém, a própria indignação é
banalizada, assim como a negligência da administração da prefeitura.
OBS.: SERÃO PONTUADOS PRIORITARIAMENTE OS CAMPOS 4, 5, 6 e 10
Fichas não são protocolos. Conhecimento com finalidade. Valorização do aprendizado e conhecimento
construído com o estudante. Focalizar o ator principal: quem é?