Você está na página 1de 42

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO

CAMPUS GUARULHOS

MANUAL PARA NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

GUARULHOS
2010
2

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 4
2 APRESENTAÇÃO DO TRABALHO 5
2.1 Formato 5
2.2 Margem 5
2.3 Espacejamento 5
2.4 Paginação 5
2.5 Exemplo estrutural 6
3 ESTRUTURA DO TRABALHO 7
3.1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS 8
3.1.1 Capa 8
3.1.2 Lombada 9
3.1.3 Folha de rosto 10
3.1.4 Errata 11
3.1.5 Folha de apresentação 11
3.1.6 Dedicatória 12
3.1.7 Agradecimentos 13
3.1.8 Epigrafe 14
3.1.9 Resumo na língua vernácula 15
3.1.10 Listas de ilustrações 16
3.1.111 Listas de tabelas 17
3.1.12 Listas de abreviaturas e siglas 18
3.1.13 Listas de símbolos 19
3.1.14 Sumário 20
3.2 ELEMENTOS TEXTUAIS 21
3.2.1 Introdução 21
3.2.3 Desenvolvimento 21
3.2.3 Conclusão 21
3.3 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS 22
3.3.1 Referências 22
3.3.2 Glossário 32
3.3.3 Apêndice 32
3.3.4 Anexo 33
3.3.5 Índice 33
4 CITAÇÕES 34
4.1 Citação direta 34
4.2 Citação indireta 35
4.3 Citação de citação 35
4.4 Forma de citar autores no texto 35
4.4.1 Um autor 35
4.4.2 Dois autores 36
4.4.3 Três autores 36
4.4.4 Quatro ou mais autores 36
4.5 Citação de fontes informais 37
4.5.1 Informação verbal 37
4.5.2 Obras em fase de elaboração 37
4.6 Expressões latinas 38
4.6.1 Apud 38
4.6.2 Idem ou id. 38
3

4.6.3 Ibidem ou ibid. 38


4.6.4 Opus citatum, opere citato ou op. Cit. 39
4.6.5 Passim 39
4.6.6 Loco citato ou loc. Cit. 39
4.6.7 Confira, confronte ou cf. 39
4.6.8 Sequentia ou et. Seq. 40
4.7 Destaques e omissões no texto 40
5 SISTEMAS DE CHAMADA PARA APRESENTAÇÃO DE 41
AUTORES NO TEXTO
5.1 Sistema autor-data 41
5.2 Sistema numérico 41
REFERENCIAS 42
4

1 INTRODUÇÃO

A apresentação de trabalhos acadêmicos é normalizada pela ABNT –


Associação Brasileira de Normas Técnicas, visando controlar a qualidade da
produção cientifica.

Sendo o TCC ou Trabalho de Conclusão de Curso um produto resultante da


atividade de pesquisa e reflexão, deve atender as exigências dessas normas para
garantia da validade do seu conteúdo.

As normas são:

NBR 6023 – Informação e Documentação – Referencia: Elaboração


NBR 6024 – Numeração progressiva das seções de documento –
Procedimento
NBR 6027 – Sumario – Procedimento
NBR 6028 – Resumos – Procedimento
NBR 10520 – Informação e Documentação – Apresentação de citações
NBR 12225 – Informação e Documentação – Lombada: Apresentação
NBR 14724 – Informação e Documentação – Trabalhos acadêmicos:
Apresentação.

O Instituto Federal São Paulo Campus Guarulhos, baseando-se nas normas


acima define os requisitos para normalização do TCC, visando orientar o usuário
para elaboração e apresentação do seu trabalho acadêmico.

Acreditamos que com esta padronização, toda ela calcada nas diretrizes da
ABNT, estaremos caminhando no sentido de alcançar maior unidade e integração de
procedimentos entre os cursos oferecidos pelo Instituto.
5

2 APRESENTAÇÃO DO TRABALHO

2.1 Formato

- O papel deve ser branco, formato A4 (21 cm X 29,7cm); digitado em preto;


- Utilizar Fonte Arial e tamanho 12 para todo o texto;
- Utilizar Fonte Arial e tamanho 10 para citações com mais de três linhas, notas de
rodapé, paginação e legenda de ilustrações;
- Utilizar Fonte Arial tamanho 12 para (TÍTULO DE SEÇÃO) em maiúsculo e negrito;
- Utilizar Fonte Arial tamanho 12 para (Subtítulo) em minúsculo e negrito.

2.2 Margem

- A margem esquerda e superior de 3 cm;


- A margem direita e inferior de 2 cm;
- Recuo de primeira linha do parágrafo: 1,25 cm (1 tab), a partir da margem
esquerda;
- Recuo de parágrafo para citação com mais de três linhas: 4 cm da margem
esquerda;
- Alinhamento do texto: utilizar a opção “Justificado”;
- Alinhamento de titulo e seções: utilizar a opção “Alinhar a Esquerda”;
- Alinhamento de titulo sem indicação numérica (Resumo, Abstract, Listas, Sumário,
Referencias): utilizar a opção “Centralizado”.

2.3 Espacejamento

- Espaço “Entrelinhas” do texto: 1,5 cm;


- O espaço simples é usado em: citações de mais de três linhas, notas de roda pé,
referências, resumos, legendas, ficha catalográfica;
- Os títulos das seções e subtítulos devem começar na parte superior da margem
esquerda da folha e separados do texto por dois espaços de 1,5 cm entrelinhas;
- A Natureza do trabalho, o objetivo, o nome da instituição a que é submetido e a
área de concentração devem ser alinhados do meio da folha para a direita em
espaço simples e fonte Arial tamanho 10, ver exemplo de “Folha de rosto”.

2.4 Paginação

- As folhas do trabalho devem ser contadas seqüencialmente a partir da folha de


rosto e numeradas a partir da INTRODUÇÃO. Os números devem ser escritos em
algarismo arábicos e alinhados a 2 cm da margem direita e da margem superior.
6

2.5 Exemplo estrutural


7

3 ESTRUTURA DO TRABALHO

A estrutura de tese, dissertação ou de um trabalho acadêmico compreende:

Elementos pré-textuais: Capa, lombada (OPCIONAL), folha de rosto, errata


(OPCIONAL), folha de aprovação, dedicatória (OPCIONAL), agradecimentos
(OPCIONAL), epígrafe (OPCIONAL), resumo na língua vernácula, resumo na língua
estrangeira, listas de ilustrações (OPCIONAL), listas de tabelas (OPCIONAL), lista
de abreviaturas e siglas (OPCIONAL) e lista de símbolos (OPCIONAL) e sumário.

Elementos textuais: Introdução, desenvolvimento, conclusão.

Elementos pós-textuais: Referências, glossários (OPCIONAL), apêndices


(OPCIONAL), anexos (OPCIONAL), ÍNDICE (OPCIONAL).

Exemplo:
8

3.1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS

Antecedem o texto com informações que ajudam na identificação e utilização


do trabalho.

3.1.1 Capa (Obrigatório)

Proteção externa do trabalho contendo as informações que o identificam,


devendo ser em capa dura, de preferência na cor preta com letras em dourado.
Deve conter os seguintes elementos:
- Nome da Instituição: na margem superior em maiúsculo com fonte 14.
- Nome(s) do autor(s): na ordem direta com sobrenome em maiúsculo na margem
direita em fonte 12.
- Titulo e subtítulo se houver: precedido de dois pontos(:) centralizado em fonte 16.
- Local: (cidade da instituição) margem inferior em maiúsculo com fonte 12.
- Ano: ano de conclusão de curso; margem inferior com fonte 12.

Exemplo:
9

3.1.2 Lombada (Opcional)

Parte da capa do trabalho que reúne as margens internas ou dobras das


folhas, sejam elas costuradas, grampeadas ou coladas; também chamada de dorso.
Deve conter os seguintes elementos:
- Nome(s) do(s) autor (es), quando houver;
- Titulo do trabalho;
- Data

Recomenda-se a reserva de um espaço, se possível de 30 mm, na borda inferior da


lombada, para a colocação de elementos de identificação que possibilitem a
localização do documento.

Exemplo:
10

3.1.3 Folha de rosto (Obrigatório)

Folha que contem os elementos essenciais a identificação do trabalho.


- Nome do autor (Centralizado);
- Titulo do trabalho e subtítulo se houver (centralizado);
- Nota indicando a natureza acadêmica do trabalho (alinhado a direita logo após
abaixo do titulo do trabalho)
- Nome do orientador e co-orientador se houver (alinhado a direita abaixo da nota
anterior);
- Local (cidade) da instituição e
- Ano.
No verso da folha de rosto inserir a ficha catalográfica, conforme o código de
catalogação Anglo- Americano vigente. A biblioteca elabora a ficha mediante o
preenchimento dos dados da obra em um formulário próprio.

Exemplo:
11

3.1.4 Errata (Opcional)

Lista das folhas e linhas em que ocorrem erros, seguidas das devidas
correções. Deve ser inserida logo após a folha de rosto.

Exemplo:

Errata
Folha linha Onde se lê Leia-se
32 3 publiacao publicação

3.1.5 Folha de aprovação (Obrigatório)

Elemento obrigatório que contém o nome do(s) autor (es) do trabalho,


título do trabalho e data de aprovação com nome, assinatura e instituição dos
membros da banca examinadora.

Exemplo:
12

3.1.6 Dedicatória (Opcional)

Folha onde o autor presta homenagem ou dedica seu trabalho a alguém.

Exemplo:
13

3.1.7 Agradecimentos (Opcional)

Elemento dirigido àqueles que efetivamente contribuíram para a realização do


trabalho.

Exemplo:
14

3.1.8 Epígrafe (Opcional)

Citação, seguida de indicação de autoria, relacionada com a matéria tratada


no corpo do trabalho.

Exemplo:
15

3.1.9 Resumo na Língua Vernácula (Obrigatório)

Síntese dos pontos relevantes do trabalho na língua original do texto e em


língua estrangeira. (Obrigatório)
A redação do resumo e do Abstract deverá ser feita em um único parágrafo,
não ultrapassando a 500 palavras.
O titulo “Resumo” ou “Abstract” deverá ser centralizado e em negrito. Ao final
do Resumo e do Abstract indicar as palavras-chave e/ou descritores na língua de
origem do texto.

Resumo – Abstract (Inglês)


Resumo – Resumen (Espanhol)
Resumo – Résumé (Francês)
Palavras-chave – Key words (Inglês)

Exemplo:
16

3.1.10 Listas de ilustrações (Opcional)

As listas devem ser utilizadas somente se o(s) autor (es) do trabalho julgar
(em) necessárias.
Recomenda-se a elaboração de lista própria para cada tipo, como:

- de ilustrações (figuras, gravuras, desenhos, mapas e outros.).

Deve ser elaborada de acordo com a ordem em que os elementos se


apresentam no texto, com indicação do seu numero e pagina em que se encontra.

Exemplo:
17

3.1.11 Listas de tabelas (Opcional)

As tabelas apresentam informações tratadas estatisticamente, obedecendo a


seguinte forma de apresentação:

- deve conter numeração independente e continua;


- o titulo deve ser colocado na parte superior, precedido da palavra Tabela e do seu
numero de ordem, em algarismos arábicos;
- devem ser inseridas o mais próximo possível do texto a que se referem;
- se a tabela não couber em uma folha, deve ser continuada na folha seguinte, e,
nesse caso, não é delimitada por traço horizontal na parte inferior, sendo o titulo e o
cabeçalho repetidos na folha seguinte.

Exemplo:
18

3.1.12 Listas de Abreviaturas e Siglas (Opcional)

Deve ser elaborada em ordem alfabética, seguida das palavras ou


expressões correspondentes escritas por extenso.

Exemplo:
19

3.1.13 Listas de Símbolos (Opcional)

Elaborada de acordo com a ordem em que os símbolos aparecem no texto,


com o devido significado.

Exemplo:
20

3.1.14 Sumário (Obrigatório)

Enumeração das principais divisões, seções e outras partes do trabalho, na


mesma ordem e grafia que aparece no texto, acompanhados dos respectivos
números de pagina.

- títulos dos capítulos digitados em caixa alta e em negrito;


- títulos das divisões dos capítulos, em caixa alta e em negrito;
- todas as partes subdivididas podem receber numeração progressiva e conter
indicação da pagina em que se localiza;
- relacionar os elementos pós-textuais em caixa alta, sem numeração progressiva e
com indicação de pagina.

Exemplo:
21

3.2 ELEMENTOS TEXTUAIS

Os componentes dos elementos textuais são: introdução, desenvolvimento


e conclusão.
O texto refere-se à parte do trabalho em que o assunto é desenvolvido e pode
ser distribuído em seções numeradas progressivamente, conforme as partes e/ou
capítulos.

3.2.1 Introdução

Deve assinalar a relevância e o interesse do trabalho pesquisado,


enunciando, de forma clara e concisa, seu tema, seu problema, sua tese e os
procedimentos que serão adotados para desenvolver o raciocínio.

3.2.2 Desenvolvimento

Conforme a NBR 14724 (2005) é a “parte principal do texto, que contém a


exposição ordenada e pormenorizada do assunto, divide-se em seções e
subseções, que variam em função da abordagem do tema e do método”. O termo
“desenvolvimento” não deve ser utilizado como título de capítulo.
Sugerem-se os seguintes passos:
Para trabalhos com coleta de dados (objetivos, metodologia, resultados e
discussão).
Para trabalhos de pesquisa bibliográfica (objetivos e revisão da literatura).
Para projetos que envolvam diagnóstico/prognóstico (objetivos, justificativa,
metodologia, diagnóstico, prognóstico, cronograma).

3.2.3 Conclusão

“Parte final do texto, na qual se apresentam conclusões correspondentes


aos objetivos ou hipóteses” (NBR 14724, 2005).
22

3.3 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS

Os componentes dos elementos pós-textuais são: Referências, Glossário,


Apêndice(s), Anexo(s), Índice(s).
Para a elaboração do TCC serão obrigatórios os seguintes elementos:
referências e anexo.

3.3.1 Referências (Obrigatório)

As referencias deverão ser elaboradas de acordo com a NBR6023.


Monografia no todo (livro, manual enciclopédia, dicionário, tese, dissertação,
trabalho acadêmico etc.)
Elementos essenciais: autor (es), título, edição, local, editora e data de
publicação.

Exemplos:

→ Um autor

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

→ Dois autores

DAMIÃO, Regina Toledo; HENRIQUES, Antonio. Curso de direito jurídico. São


Paulo: Atlas, 1995.

→ Três autores

PASSOS, L. M. M; FONSECA, A; CHAVES, M. Alegria de saber: matemática,


segunda série, 2, primeiro grau: livro do professor. São Paulo: Scipione, 1995.
136 p.

→ Mais de três autores

Indica-se apenas o primeiro, acrescentando-se a expressão et al.

URANI, A. et al. Constituição de uma matriz de contabilidade social para o


Brasil. Brasília: IPEA, 1994.

→ Autor desconhecido
23

Quando não existir autor, a entrada é feita pelo título com a primeira palavra em
maiúscula.

DIAGNÓSTICO do setor editorial brasileiro. São Paulo: Câmara Brasileira do


Livro, 1993.

→ Pseudônimo

Deve-se considerar o pseudônimo para entrada, desde que seja a forma adotada
pelo autor.

DINIZ, Julio. As pupilas do senhor reitor. 15. ed. São Paulo: Ática, 1994. 263 p.
(Série Bom Livro).

→ Organizadores (Org.), compiladores (Comp.), editores (Ed.), coordenadores


(Comp.) etc.

FERREIRA, Leslie Piccolotto (Org.). O fonoaudiólogo e a escola. São Paulo:


Summus, 1991.

MARCONDES, E; LIMA, I. N. de (Coord.). Dietas em pediatria clínica. 4.ed. São


Paulo: Sarvier, 1993.

→ Tradutores, revisores, ilustradores etc.

Podem ser acrescentados após o título.

ALBERGARIA, Lino de. Cinco anos sem chover: história de Lino de Albergaria.
Ilustrações de Paulo Lyra. 12. ed. São Paulo: FTD, 1994.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos. Tradução


Vera da Costa e Silva et al. 3.ed. rev. e aum. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1990.

→ Autor entidade (associações, empresas, instituições).

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: Informação


e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002.
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Catalogo de teses da Universidade de São
Paulo, 1992. São Paulo, 1993.

Quando a entidade tem uma denominação genérica, seu nome é precedido pelo
nome do órgão superior, ou pelo nome da jurisdição geográfica à qual pertence.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Diretrizes para a política


ambiental do Estado de São Paulo. São Paulo, 1993.

BRASIL. Ministério da Justiça. Relatório de atividades. Brasília, DF, 1993.


24

→ Teses, dissertações e trabalhos acadêmicos

A paginação deve ser indicada pela letra “f”, pois o trabalho é impresso apenas no
anverso da folha.
SILVA, J. C. Estudo de uma fonte de informação secundária. 2001. 27 f.
Dissertação (Mestrado em Informação) – Universidade KWZ, São Paulo, 2001.

→ Parte de monografia (capítulo, volume, fragmento e outras partes de uma obra)


Elementos essenciais: autor(es), título da parte, seguidos da expressão “In:”, e da
referência completa da monografia no todo. Deve-se informar a paginação da parte.
Exemplos:

ROMANO, Giovanni. Imagens da juventude na era moderna. In: LEVI, G;


SCHMIDT, J. (Org.). História dos jovens 2. São Paulo: Companhia das Letras,
1996. p.7-16.

Quando o autor do capítulo for o mesmo que o autor da obra, substituir o nome por
travessão.

SANTOS, F. R. dos. A colonização da terra do Tucujús. In:______. História do


Amapá, 1º grau. 2. ed. Macapá: Valcan, 1994. cap. 3.

→ Monografias em meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online etc.).

As referências devem obedecer aos padrões já indicados para as monografias no


todo e em parte, acrescidas das informações relativas à descrição física do meio
eletrônico.

Exemplo: Monografia no todo

ALVES, Castro. Navio negreiro. [S.l.]: Virtual Books, 2000. Disponível em


<http:// www.terra.com.br/virtual/freebook/port/Lport2/navionegreiro.htm>
Acesso em: 10 jan. 2002.

Exemplo: Parte de monografia

MORFOLOGIA dos antrópodes. In: ENCICLOPÉDIA multimídia dos seres vivos.


[S.I.]: Planeta DeAgostini, 1998. CD-ROM 9.

→ Publicação periódica no todo (revista cientifica, revista semanal, jornal)


25

Elementos essenciais: título, local de publicação, editoração, data de inicio e de


encerramento da publicação, se houver.

Exemplo:

REVISTA BRASILEIRA DE GEOGRAFIA. Rio de Janeiro: IBGE, 1939.

→ Parte de revista, boletim etc. (volume, fascículo, números especiais e


suplementos, entre outros, sem título próprio).

Elementos essenciais: titulo da publicação, local de publicação, editora, numeração


do ano e/ou volume, numeração do fascículo, informações de períodos e datas de
sua publicação.

Exemplos:

DINHEIRO. São Paulo: Ed. Três, n.148, 28 jun. 2000.

EXAME. São Paulo: Ed. Abril, v.41, n.7, 2007.

→ Artigos de revista, boletim etc. (volume, fascículo, números especiais e


suplementos, com título próprio).

Elementos essenciais: autor(es), titulo da parte (artigo ou matéria), titulo da


publicação, local de publicação, volume ou ano, fascículo ou número, paginação
inicial e final, data de publicação.

Exemplos:

AS 500 maiores empresas do Brasil. Conjuntura Econômica, Rio de Janeiro, v.


38, n. 9, set. 1984. Edição especial.

COSTA, V. R. À margem da lei. Em Pauta, Rio de Janeiro, n.12, p. 131-148,


1998.

TOURINHO NETO, F. C. Dano ambiental. Consulex, Brasília, DF, ano1, n.1, p.


18-23, fev. 1997.

→ Artigo de revista, boletim etc. em meio eletrônico (disquete, CD-ROM, online


etc.)
26

As referências devem obedecer aos padrões indicados para artigo e/ou matéria de
revista, boletim etc., acrescidas das informações relativas à descrição física do
meio eletrônico.

Exemplos:

VIEIRA, Cássio Leite; LOPES, Marcelo. A queda do cometa. Neo Interativa, Rio
de Janeiro, n.2, inverno 1994. 1 CD-ROM.

RIBEIRO, P. S. G. Adoção à brasileira: uma análise sociojurídica. Datavenia,


São Paulo, ano 3, n. 18, ago. 1998. Disponível em:
<http://www.datavenia.inf.br/frame.artig.html>. Acesso em: 10 set. 1998.

→ Artigo e/ou matéria de jornal (comunicações, editorial, entrevistas, recensões,


reportagens, resenhas etc.).

Elementos essenciais: autor (es) (se houver), título do artigo ou matéria, título do
jornal, local de publicação, data de publicação, seção, caderno ou parte do jornal e a
paginação correspondente. Quando não houver seção, caderno ou parte, a
paginação do artigo ou matéria precede a data.

Exemplos:

NAVES, P. Lagos andinos dão banho de beleza. Folha de S. Paulo, São Paulo,
28 jun. 1999. Folha Turismo, Caderno 8, p.13.

LEA, L. N. MP fiscaliza com autonomia total. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro,


p. 3, 25 abr. 1999.

→ Artigo e/ou matéria de jornal em meio eletrônico (disquete, CD-ROM, online


etc.)

As referências devem obedecer aos padrões indicados para artigos e/ou matéria de
jornal, acrescidas das informações relativas à descrição física em meio eletrônico.

Exemplos:

SILVA, Ives Gandra da. Pena de morte para o nascituro. O Estado de S. Paulo,
São Paulo, 19 set. 1998. Disponível
em:<http://www.providafamilia.org/pena_morte_nascituro.htm>. Acesso em: 19
set. 1998.
27

ARRANJO tributário. Diário do Nordeste Online, fortaleza, 27 nov. 1998.


Disponível em: <http://www.diariodonordeste.com.br>. Acesso em: 28 nov.
1998.

→ Eventos no todo (atas, anais, resultados, proceedings etc.)

Elementos essenciais: nome do evento, numeração (se houver), ano, local (cidade
de realização do evento), titulo do documento (anais, atas...), editora e data da
publicação.

Exemplo:

REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE QUIMICA, 20., 1997, Poços


de Caldas. Resumos... São Paulo: Sociedade Brasileira de Química, 1997.

→ Eventos no todo em meio eletrônico (disquete, CD-ROM, online etc.)

As referências devem obedecer aos padrões indicados para evento no todo,


acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico.

Exemplo:

CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 19.,


2000, Porto Alegre. Anais eletrônicos... Porto Alegre: PUCRS, 2000. Disponível
em: <http://embauba.ibict.br/cbbd2000/Default_en.html>. Acesso em: 18 out. 2002.

→ Trabalho apresentado em evento (parte do evento)

Elementos essenciais: autor, título do trabalho apresentado, seguido da expressão


“In”:, nome do evento, numeração do evento (se houver), ano e local (cidade de
realização), título do documento (anais, atas, tópicos...), local de publicação,
editora, data de publicação e página inicial e final da parte referenciada.

Exemplo:

URSI, W. J. S et al. Faceta estética de porcelana. In: JORNADA


ODONTOLÓGICA DE LONDRINA, Londrina. Anais... Londrina: UEL, 1995.
p.45-46.

→ Trabalho apresentado em evento em meio eletrônico (disquete, CD-ROM,


online etc.)
28

As referências devem obedecer aos padrões indicados para evento no todo,


acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico.

Exemplo:

GUNCHO, M. R. A educação à distância e a biblioteca universitária. In:


SEMINÁRIO DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 10., 1998, Fortaleza.
Anais... Fortaleza: TEC Treina, 1998. 1 CD-ROM.

Documentação jurídica (legislação, jurisprudência e doutrina).

→ Legislação (Constituição, emendas constitucionais, normas emanadas)

Elementos essenciais: jurisdição, título, numeração, data da publicação, (no caso


de Constituições e suas emendas, acrescenta-se a palavra, “Constituição”, entre o
nome da jurisprudência e o título seguido do ano de promulgação, entre
parênteses).

Exemplos:

SÃO PAULO (Estado). Decreto nº 42.822, de 20 de janeiro de 1998. Lex:


coletânea de legislação e jurisprudência, São Paulo, v. 62, n. 3, p. 217-220,
1998.

BRASIL. Código civil. 46. ed. São Paulo: Saraiva, 1995.

BRASIL. Constituição (1988). Emenda constitucional nº 9, de 9 de novembro de


1995. Lex: legislação federal e marginalia, São Paulo, v. 59, p. 1966, out./dez.
1995.

→ Jurisprudência (decisões judiciais)

Elementos essenciais: jurisdição e órgão judiciário competente, título, número,


partes envolvidas, relator, local, data e dados da publicação.

Exemplos:

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Súmula nº 14. In:_______. Súmulas. São


Paulo: Associação dos advogados do Brasil, 1994. p. 16.
29

BRASIL. Tribunal Regional Federal (5. região). Apelação cível nº 42.441-PE


(94.05.01629-6). Apelante: Edilemos Mamede dos Santos e outros. Apelada:
Escola Técnica Federal de Pernambuco. Relator: Juiz Nereu Santos. Recife, 4
de março de 1997. Lex: jurisprudência do STJ e Tribunais Regionais Federais,
São Paulo, v. 10, n. 103, p. 558-562, mar. 1998.

→ Doutrina: Interpretação dos textos legais (monografias, artigos de periódicos,


paper etc.

As referências devem obedecer aos padrões indicados para cada tipo de


documento.

Exemplos:

BARROS, Raimundo Gomes de. Ministério Público: sua legitimação frente ao


Código do Consumidor. Revista Trimestral de Jurisprudência dos Estados,
São Paulo, São Paulo, v. 19, n. 139, p. 53-72, ago.

→ Documento jurídico em meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online etc.).

As referências devem obedecer aos padrões indicados para documento jurídico,


acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico.

Exemplos:

BRASIL. Regulamento dos benefícios da previdência social. In: SISLEX:


Sistema de Legislação, Jurisprudência e Pareceres da Previdência e
Assistência Social. [S.l.]: DATAPREV, 1999. 1 CD-ROM.

BRASIL. Lei nº 9.889, de 7 de dezembro de 1999. Altera a legislação tributária


federal. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 8 dez. 1999.
Disponível em: <http://www.in.gov.br/mp_leis/leis_texto.asp?ld=lLEI%209887>.
Acesso em: 22 dez.1999.

→ Imagens em movimento (filmes, videocassetes, DVD etc.).

Elementos essenciais: título, diretor, produtor, local, produtora, data e especificação


do suporte (em unidades físicas).

Exemplos:
30

OS PERIGOS do uso de tóxicos. Produção de Jorge Ramos de Andrade.


Coordenação de Maria Izabel Azevedo. São Paulo: CERAVI, 1983. 1
videocassete (30 min), vhs, son., color.

CENTRAL do Brasil. Direção: Walter Salles Júnior. Produção: Martire de


Clermont-Tonnerre e Arthur Cohn. Interpretes: Fernanda Montenegro; Marilia
Pêra: Vinicius de Oliveira: Sônia Lira; Othon bastos: Matheus Nachtergaele e
outross. Roteiro: Marcos Bernstein, João Emanuel Carneiro e Walter Salles
Júnior. [S. L.]: Lê Studio Canal; Riofilme: MACT Productions, 1998. 1 DVD (106
min), son., color., 35mm.

→ Documento iconográfico (pintura, gravura, ilustrações, fotografia, desenho


técnico, dispositivo, diafilme, material estereográfico, transparência, cartaz, etc.).

Elementos essenciais: autor, título (quando não existir, deve-se atribuir uma
denominação ou a indicação em título, entre colchetes), data e especificação do
suporte.

Exemplos:

KOBAIASHI, K. Doença dos xavantes. 1980. 1 fotografia, color., 16 cm x 56


cm.

MATTOS, M. D. Paisagem-Quatro Barras. 1987. 1 original de arte, óleo sobre


tela, 40 cm x 50 cm. Coleção particular.

→ Documento iconográfico em meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online


etc.).

As referências devem obedecer aos padrões indicados para documento


iconográfico, acrescidas das informações relativas à descrição física do meio
eletrônico.

Exemplos:

GEDDES, Anne. Geddes135.jpg. 2000. Altura: 432 pixels. Largura: 376 pixels.
51 Kb. Formato JPEG. 1 disquete.

VASO. TIFF. 1999. Altura: 1083 pixels. Largura: 827 pixels. 300 dpi. 32 BIT CMYK.
35 Mb. Formato TIFF BITMAP. Compactado. Disponível em: <C:\Carol\VASO.tiff>.
Acesso em: 28 out. 1999.
31

→ Documento cartográfico (atlas, mapa, globo, fotografia aérea etc.).

Elementos essenciais: Autor, título, local editora, data de publicação, designação


específica e escala.

Exemplos:

ATLAS Mirador Internacional. Rio de Janeiro: Enciclopédia Britânica do Brasil,


1981. 1 atlas. Escalas variam.

INSTITUTO GEOGRÁFICO E CARTOGRÁFICO (São Paulo, SP). Região de


governo do Estado de São Paulo. São Paulo, 1994. 1 Atlas. Escala 1:2.000.

→ Documentos cartográficos em meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online


etc.).

As referências devem obedecer aos padrões indicados para documento


cartográfico, acrescidas das informações relativas à descrição física do meio
eletrônico.

Exemplos:

PORCENTAGEM de imigrantes em São Paulo, 1920. 1 mapa, color. Escala


Interminable. Neo Interativa, Rio de janeiro, n. 2, inverno 1994. 1 CD-ROM.

FLÓRIDA MUSEUM OF NATURAL HISTORY. 1931-2000 Brazil’s confirmed


unprovoked shark attacks. Gainesville, [2000?]. 1 mapa, color. Escala
1:40.000.000. Disponível em:
<http://www.flmnh.ufl.edu/fish/sharks/statics/Gattack/map/Brzil.jpg>. Acesso em:
15 jan. 2002.

→ Documento de acesso exclusivo em meio eletrônico (base de dados, listas


de discussão, BBS (site), arquivos em disco rígido, programas, conjuntos de
programas e mensagens eletrônicas etc.)

Elementos essenciais: autor, título do serviço ou produto, versão e descrição física


do meio eletrônico.
Exemplos:

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Biblioteca Central. Normas.doc.


Curitiba, 1998. 5 disquetes.
32

ACAROS no Estado de São Paulo. In: FUNDAÇÃO TROPICAL DE PESQUISAS E


TECNOLOGIA “ANDRÉ TOSELLO”. Base de Dados tropical. 1985. Disponível em:
<http://www.bdt.fat.org.br/acaro/sp/>. Acesso em: 30 de maio 2002.

3.3.2 Glossário (Opcional)

Elemento que consiste em uma lista em ordem alfabética de termos técnicos


utilizados no texto, acompanhados das respectivas definições.

3.3.3 Apêndice (Opcional)

Consiste em um texto ou documento elaborado pelo autor, que serve


de fundamentação, comprovação ou ilustração. Os apêndices são identificados por
letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos (NBR 14724,
2002).

Exemplo:
33

3.3.4 Anexo (Opcional)

Consiste em um texto ou documento não elaborado pelo autor, que serve de


fundamentação, comprovação ou ilustração. Os anexos são identificados por letras
maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos (NBR 14724, 2005).

Exemplo:

3.3.5 Índice (Opcional)

Elemento elaborado conforme a NBR 6034.


34

4 CITAÇÕES

Citação é a menção, no texto, de uma informação extraída de uma fonte.


Pode ser direta, indireta e citação de citação. A citação pode ser feita no corpo do
trabalho em notas de rodapé.
As citações iniciadas pelo sobrenome do autor, ou pela instituição
responsável ou pelo título do trabalho desde que esteja incluído na sentença,
devem estar em letras maiúsculas e minúsculas e, quando estiverem entre
parênteses, devem estar em letras maiúsculas.

Exemplo:

Segundo Assis (2000), a determinação [...]


ou
A determinação [...] (ASSIS, 2000).

4.1 Citação direta

É a transcrição textual de parte da obra do autor consultado (NBR 10520,


2002)

4.1.1 Até três linhas


As citações de até três linhas devem ser incorporadas ao parágrafo, entre aspas
duplas.

Exemplos:
De acordo com Worwell (2001, p. 115) “tradicionalmente, a bibliometria está
associada à medida quantitativa dos documentos”.

“Não se mova, faça de conta que está morta” (CLARAC ; BONNIN, 1985,
p. 72)

4.1.2 Com mais de três linhas

As citações com mais de três linhas devem figurar abaixo do texto, com
recuo de 4 cm da margem esquerda, com letra menor que a do texto
utilizado e sem aspas.
Exemplo:
A cultura organizacional pode ser identificada e aprendida através de seus
elementos básicos tais como: valores, crenças, rituais, estórias e mitos,
tabus e normas. Existem diferentes visões e compreensões com relação à
cultura organizacional. O mesmo se dá em função das diferentes
construções teóricas serem resultantes de opções de diferentes
pesquisadores, opções estas que recortam a realidade, detendo-se em
aspectos específicos (FREITAS, 1989, p. 37).
35

4.2 Citação indireta


Texto baseado na obra do autor consultado, com transcrição livre.
Exemplo:

A literatura especializada tem sido alertada sobre uma possível crise no


sistema tradicional de publicações científicas em papel, conforme citam
Krzyzanowski e Taruhn (2001).

4.3 Citação de citação


Citação direta ou indireta de um texto em que não se teve acesso ao
original (NBR 10520, 2002).
A expressão “apud” – citado por, conforme, segundo – pode também ser
usada no texto.
Exemplos:

No texto
Segundo Sayão et al. (1989 apud MARCONDES, 1994, p. 65), o
desenvolvimento de um software bibliográfico completo, que dê suporte às
funções básicas de catalogação e recuperação de dados bibliográficos, é uma
questão ainda a ser resolvida.

Nas referências
MARCONDES, J.C. Softwares para bibliotecas. São Paulo: Melhoramentos,
1994.

E em nota de rodapé constar a Referência de Sayão et al.


SAYÃO, F. W. et al. How to analyse a library software. Journal of
Documentation, Seatle, v. 35, n. 4, p. 46-51, Apr.
1965.

Nota: Este tipo de citação só deve ser utilizado nos casos em que
realmente o documento original não pode ser recuperado (documentos
muito antigos, dados insuficientes para a localização do material, etc.).

4.4 Formas de citar os autores no texto

4.4.1 Um autor

Quando o trabalho for de autoria de apenas um autor, este deve ser escrito
em letra minúscula (apenas a 1ª em maiúscula).
Se houver preferência em citar o autor entre parênteses, este deve estar
em letra maiúscula.
36

Exemplos:

Segundo Caldeira (1994) a biblioteca universitária conta com uma equipe de


facilitadores que prestará sua colaboração às biblio- tecas setoriais.
A biblioteca universitária conta com uma equipe de facilitadores que prestará sua
colaboração às bibliotecas setoriais (CALDEIRA, 1994).

4.4.2 Dois autores

Para citar trabalhos de autoria dupla, os autores devem ser separa- dos
pela letra “e” caso sejam citados fora do parêntese, e separa- dos por
ponto e vírgula (;) caso sejam citados dentro de parênteses.

Exemplos:

Carvalho e Vilhena (2001) propuseram uma mudança no layout das bibliotecas


para que o usuário se sentisse mais confortável.

Os custos de publicação de revistas se caracterizam com freqüência por


ter dois componentes: custos fixos muito altos associados com os processos
necessários para produzir a matriz (original) de um número de revista e custos
menores necessários para reproduzir e distribuir os números (KING; TENOPIR,
2001).

4.4.3 Três autores

Citados fora dos parênteses


Para Ansoff, Declerck e Hays (1991) para ser um gerente bem sucedido,
era preciso conhecer tudo o que conhecia cada subordinado funcional.

Citados dentro dos parênteses


Para ser um gerente bem sucedido, era preciso conhecer tudo
o que conhecia cada subordinado funcional (ANSOFF; DECLERCK;
HAYS, 1991).

4.4.4 Quatro ou mais autores

Ao citar trabalhos com quatro ou mais autores, indicam-se os sobrenomes


de todos ou indica-se apenas o primeiro sobrenome, seguido da
expressão et al. Ao adotar uma ou outra forma de indicar a autoria, o
procedimento deverá ser repetido ao se elaborar as referências.
37

Autores indicados fora de parênteses:

Nas organizações os símbolos são como livros, que, segundo Zeithaml,


Parasuraman, Berry e Seithoun (1990), transmitem certas mensagens aos
empregados, incluindo os símbolos que não foram desenhados pela direção e os
símbolos negativos.
Nas organizações os símbolos são como livros, que segundo Zeithaml et al.
(1990), transmitem certas mensagens aos empregados, incluindo os símbolos
que não foram desenhados pela direção
e os símbolos negativos.

Autores indicados dentro de parênteses:

Nas organizações os símbolos são como livros, que transmitem certas


mensagens aos empregados, incluindo os símbolos que não foram desenhados
pela direção e os símbolos negativos (ZEITHAML; PARASURAMAN; BERRY;
SEITHOUN, 1990).
Nas organizações os símbolos são como livros, que transmitem certas
mensagens aos empregados, incluindo os símbolos que não foram desenhados
pela direção e os símbolos negativos (ZEITHAML et al., 1990).

4.5 Citação de fontes informais


4.5.1 Informação verbal

É aquela obtida através de comunicações pessoais, anotações de aulas,


presença a eventos sem registro impresso (conferências, palestras,
seminários, congressos, simpósios, etc.).
Indica-se entre parênteses a expressão “informação verbal” e
mencionam-se os dados disponíveis apenas em nota de rodapé.

Exemplo:
No texto
Carneiro1 (2000) afirma que há a necessidade de se obter informações em
qualquer suporte para se ter maior abrangência da literatura disponível no
mercado (informação verbal).
Em nota de rodapé

1
Informação fornecida por Helena Carneiro em seminário realiza-
do na FaBCI/FESPSP, em 2000.

4.5.2 Obras em fase de elaboração


38

Ao citar trabalhos que estão em fase de elaboração, deve-se


mencioná-lo e indicar os dados disponíveis apenas em nota de rodapé.
Trabalhos comprovadamente em fase de impressão de- vem ser
mencionados na lista final de referências.
No texto
Segundo Martins, a permanência da mesma classe dirigente no poder explica
em parte, a persistência de crivos julgamento e juízos de valores (em fase de
elaboração)1.
Em nota de rodapé

1
Sob o signo da censura, de Ana Luiza Martins, a ser editado
pela Códex, em 2003.

No caso de periódicos em fase de publicação e o autor souber em qual


volume e fascículo o artigo será publicado deverá constar após
a referência a informação no prelo.

Exemplo:
MARINS, J. L. C. Massa calcificada da naso-faringe. Radiologia Brasileira, São
Paulo, v. 17, n. 23, jul./dez. 1991.

4.6 Expressões latinas

Utilizam-se expressões latinas para evitar repetição de títulos de obras e


nomes e sobrenomes de autores. A primeira citação de uma obra deve
apresentar sua referência completa; as subseqüentes podem aparecer sob
forma abreviada. Usar grafia normal ao grafar as expressões latinas.

4.6.1 Apud (citado por, conforme, segundo)

Esta é a única expressão latina que pode ser usada tanto no texto, como
em notas de rodapé.

4.6.2 Idem ou Id. (do mesmo autor)

Usada em substituição ao nome de um autor, na indicação seqüencial de suas


diferentes obras. Exemplo:

1
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, 1998.
2
Id., 2000.
3
SARMENTO, 1978.
4
Id., 1987.
5
Id., 1988.
39

4.6.3 Ibidem ou Ibid. (na mesma obra)

Usada para substituir dados da indicação anterior, pois o único dado que varia
é a página. Exemplo:

1
MORAIS, 2001, p. 85
2
Ibid., p. 89
3
Ibid., p. 150

4.6.4 Opus citatum, opere citato ou op. cit. (obra citada)

Expressão latina que pode ser usada no caso da obra citada


anteriormente, na mesma página, quando houver intercalação de ou- tras
notas. Exemplo:

1
SILVA, 1999, p. 21.
2
SOUZA, 2000, p. 43.
3
SILVA, op.cit., p. 40-43.
4
SOUZA, op.cit., p. 376.

4.6.5 Passim (aqui e ali)

Usada para indicar informação retirada de diversas páginas não


seqüenciais do documento referenciado.
Exemplo:

1
COSTA, 1998, passim.
2
SOLANO; COSTA, 2000, passim.

4.6.6 Loco citato ou loc. cit. (no lugar citado)

Usada para indicar o lugar já indicado, a mesma página de uma obra


citada anteriormente, mas com intercalação de notas. Exemplo:

1
FIGUEIREDO, 1999, p.19.
2
MACEDO, 2001, p. 23-34.
3
FIGUEIREDO, 1999, loc. cit.
4
MACEDO, 2001, loc. cit.

4.6.7 Confira, confronte ou Cf.

Expressão latina que pode ser usada em abreviatura usada para


recomendar consulta a um trabalho ou notas.
40

Exemplo:

1 Cf. GROGAN, 1995, p. 103-105.


2 Cf. nota 1 deste capítulo.

4.6.8 Sequentia ou et seq. (seguinte ou que se segue)

Usada para indicar informação retirada de páginas seqüenciais do


documento referenciado, quando não se quer mencionar todas as
páginas. Exemplo:

1
APOSTOLO, 1997, p. 37 et seq.
2
FONSECA, 1995, p. 71 et. seq.

4.7 Destaques e omissões no texto

Usar grifo (negrito ou itálico) nas ênfases ou destaques não constantes


do texto original. Na citação, indicar “grifo nosso”, entre parênteses, logo
após a data e a(s) página(s). Exemplo:

“Hoje em dia, as bibliotecas articulam-se em redes, sistemas, programas


cooperativos para compartilhamento de recursos”
(FIGUEIREDO, 1999, p. 63, grifo nosso).

Usar a expressão “grifo do autor” caso o destaque seja original.

“Os bibliotecários de referência situam-se assim, entre a comunidade de


usuários, e o departamento de referência torna-se, apenas uma estrutura
administrativa” (FIGUEIREDO, 1999, p. 86, grifo do autor).

Indicar entre colchetes [ ] as interpolações, comentários próprios,


acréscimos e explicações.
“A igreja luterana de Domingos Martins [o mais antigo templo
protestante do Brasil, com torre] foi fundada no ano de
1866.”(ANDRADE, 1998, p. 28).

Indicar supressões utilizando [...]


“[...] o discurso científico se perde na Internet [...] pela ausência de
políticas de preservação digital” (WEITZEL,2006, p.86).
41

5 SISTEMAS DE CHAMADA PARAAPRESENTAÇÃO DE AUTORES NO TEXTO

As citações devem ser indicadas no texto por um sistema de chamada:


autor-data e/ou numérico. Seja qual for o método adotado, deve ser seguido
consistentemente ao longo de todo o trabalho, no texto principal, nas notas
de rodapé e na lista de referências.

5.1 Sistema autor-data

Neste caso, a indicação da fonte é feita por meio de sobrenome do autor ou


dos autores, de nome da entidade responsável ou de título da obra, até o
primeiro sinal de pontuação, seguindo-se a data de publicação do
documento e a página ou as páginas correspondentes à citação, no caso
de citação direta, separados por vírgula e entre parênteses.

Exemplos:

“Os livros fornecem um exemplo de como as pessoas adaptam tecnologia


da informação aos seus propósitos” (BORGMAN, 2001, p.107).
ou
Borgman (2001, p. 107) afirma que “os livros fornecem um exemplo de
como as pessoas adaptam tecnologia da informação aos seus propósitos”.

5.2 Sistema numérico

Neste sistema, a indicação da fonte é feita por meio de numeração única e


seqüencial, em algarismos arábicos, que remete à lista de referências ao
final do trabalho, do capítulo ou da parte, na mesma ordem em que
aparecem no texto. Não se reinicia a numeração das citações a cada
página. Exemplos:

Os livros fornecem um exemplo de como as pessoas adaptam tecnologia


da informação aos seus propósitos. 23

Os livros fornecem um exemplo de como as pessoas adaptam tecnologia


da informação aos seus propósitos. (23).
42

REFERÊNCIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação e


documentação: referência e elaboração. Rio de janeiro, 2002.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6024: informação e


documentação: numeração progressiva das seções de um documento escrito:
apresentação. Rio de janeiro, 2003.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6027: informação e


documentação: sumário: apresentação. Rio de janeiro, 2003.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6028: informação e


documentação: resumo: apresentação. Rio de janeiro, 2003.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: informação e


documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de janeiro, 2002.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 12225: informação e


documentação: lombada: apresentação. Rio de janeiro, 2004.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724: informação e


documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. Rio de janeiro, 2005.

Interesses relacionados