Você está na página 1de 4

PARECER JURÍDICO

Parecer nº ...

Interessado: Sociedade empresaria

Ementa: EMPRESARIAL. RECUPERAÇÃO JUDICIAL. PRAZO. SENTENÇA DE


ENCERRAMENTO. PLANO DE RECUPERAÇÃO. DESCUMPRIMENTO DA
OBRIGAÇÃO. CONVOLAÇÃO EM FALENCIA. VENCIMENTO ANTECIPADO.
APROVAÇÃO DO PLANO. CRIME FALIMENTAR. MINISTÉRIO PÚBLICO.
POSSIBILIDADE DE INVESTIGAÇÃO. LEI N. 11.101/ 2005.

Trata-se de consulta formulada por Sociedade empresaria, pessoa jurídica de direito


privado, inscrita no CNPJ n..., com sede à rua..., n..., cidade de ..., estado ..., CEP..., que
solicita a possibilidade do Juízo da ... vara ... da comarca da cidade de ...., estado ..., proferir,
nos autos n...., em que figura como parte, sentença antes de findo o prazo sujeito ao
adimplemento das obrigações previstas no plano de recuperação judicial após concessão
desta.

Igualmente, questiona, em eventual inadimplemento de obrigação prevista no referido plano


de recuperação judicial, quais os efeitos em relação à recuperação judicial e aos créditos
inclusos no plano.

Por fim, indaga se há possibilidade de investigação do Ministério Público por algum ato
denominado pela lei como crime falimentar, mesmo já tendo sido aprovado o plano de
recuperação judicial.

É o relatório.

DA FUNDAMENTAÇÃO

A Recuperação judicial é regulada pela lei n. 11.101/2005, estabelecendo critérios para


decretação por sentença o encerramento da recuperação judicial, sanções em caso de
inadimplemento de obrigação prevista no plano de recuperação judicial, e, ainda, prevê
tipificação de crimes falimentares, conforme se verá a seguir.

A recuperação judicial é concedida após cumpridas as exigências da referida lei, nos termos
do seu artigo 58.

Conforme dispõe o art. 63 da lei de falências, “cumpridas as obrigações vencidas no prazo


previsto no caput do art. 61 desta Lei, o juiz decretará por sentença o encerramento da
recuperação judicial (...)”: Desse modo faz-se necessário a leitura do art. 61 do mesmo
Diploma legal.

Art. 61. Proferida a decisão prevista no art. 58 desta Lei, o devedor


permanecerá em recuperação judicial até que se cumpram todas
as obrigações previstas no plano que se vencerem até 2 (dois) anos
depois da concessão da recuperação judicial.
Ainda, § 1º do art 61 estabelece que o descumprimento de qualquer obrigação prevista no
plano acarretará a convolação da recuperação em falência, nos termos do art. 73 desta Lei.

Art. 73. O juiz decretará a falência durante o processo de


recuperação judicial:

I – por deliberação da assembléia-geral de credores, na forma do


art. 42 desta Lei;

II – pela não apresentação, pelo devedor, do plano de recuperação


no prazo do art. 53 desta Lei;

III – quando houver sido rejeitado o plano de recuperação, nos


termos do § 4o do art. 56 desta Lei;

IV – por descumprimento de qualquer obrigação assumida no plano


de recuperação, na forma do § 1o do art. 61 desta Lei.

A respeito do tema, Fabio Ulhoa Coelho aduz quais as hipóteses em que pode ocorre-la,
sendo o descumprimento do plano de recuperação judicial uma dessas hipóteses:

Dá-se a convolação da recuperação judicial em falência em quatro


hipóteses: a) deliberação dos credores reuni- dos em assembleia,
pelo voto da maioria simples do plenário, quando a situação de crise
econômica, financeira ou patrimonial da sociedade devedora é de
suma gravidade e que não há sentido em qualquer esforço de
reorganização; b) não apresentação do plano pelo devedor no
prazo, que não pode ser prorrogado; c) rejeição do plano pela
assembleia dos credores; d) descumprimento do plano de
recuperação (COELHO, Fabio Ulhoa, 2011, pag. 430)

Ainda, tratando-se dos efeitos do inadimplemento do plano de recuperação, além da


decretação da falência, ocorrerá o vencimento antecipado das dívidas do devedor e dos
sócios ilimitada e solidariamente responsáveis, com o abatimento proporcional dos juros, e
conversão dos créditos em moeda estrangeira para a moeda do País, pelo câmbio do dia
da decisão judicial, nos termos do artigo 77 da lei 11.101/2005.

Alias, é possível vislumbrar decisões que decretaram a falência, em virtude de


inadimplemento do plano de recuperação judicial, é o que se extrai do Tribunal de Justiça
de Santa Catarina:

AGRAVO DE INSTRUMENTO (ART. 522 DO CPC/1973). AÇÃO


DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL. DECISÃO INTERLOCUTÓRIA
QUE DECRETOU A CONVOLAÇÃO EM FALÊNCIA. RECURSO
DA EMPRESA RECUPERANDA. DESCUMPRIMENTO DO
PLANO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL E DE OBRIGAÇÕES QUE
DECORREM DO REGIME ESTABELECIDO NA LEI Nº 11.101/05.
INADIMPLEMENTO CONFESSADO PELA PRÓPRIA
RECUPERANDA, A QUAL APRESENTA JUSTIFICATIVAS
DESCABIDAS. TRATAMENTO PRIVILEGIADO A CREDORES DA
MESMA CATEGORIA PREVISTA NO PLANO.
INADIMPLEMENTO DA OBRIGAÇÃO DE PAGAR OS CREDORES
NO PRAZO FIXADO. DÉBITOS FISCAIS, IGUALMENTE,
INADIMPLIDOS. SOCIEDADE EMPRESÁRIA QUE PARTICIPA
DE LICITAÇÕES PARA O FORNECIMENTO DE UNIFORMES
ESCOLARES A ENTES PÚBLICOS. IMPOSSIBILIDADE DE
EMISSÃO DE CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS
TRIBUTÁRIOS. MANIFESTA INVIABILIDADE DE SUPERAÇÃO
DA CRISE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA EMPRESA
RECUPERANDA. DECRETAÇÃO DA FALÊNCIA QUE SE
MOSTRA INEVITÁVEL E ACERTADA. DECISÃO MANTIDA.
RECURSO CONHECIDO E DESPROVIDO. "Não havendo dados
objetivos que permitam supor que a agravante tenha condições de
superar sua crise no regime da recuperação judicial, mas, pelo
contrário, evidenciada sua incapacidade de cumprir o plano
preestabelecido, de manter-se a sentença que convolou a
recuperação judicial em falência" (TJSP. AI n. 519.366-4/3-00, rel.
Des. Lino Machado, j. 28.5.2008) (TJ-SC - AI:
01381119620158240000 Blumenau 0138111- 96.2015.8.24.0000,
Relator: Luiz Zanelato, Data de Julgamento: 07/12/2017, Primeira
Câmara de Direito Comercial)

Outrossim, Capítulo VII da mesma Lei, prevê disposições penais, tipificando crimes em
espécie, com base nos artigos 168 e seguintes.

Ainda, com fulcro no art. 187. Ministério Público será Intimado da sentença que decreta a
falência ou concede a recuperação judicial, e, verificando a ocorrência de qualquer crime
previsto na Lei de falência, promoverá imediatamente a competente ação penal ou, se
entender necessário, requisitará a abertura de inquérito policial.

Desse modo verifica-se que pode o Ministério Público pode investigar ocorrência de crime
falimentar, sendo legitimo para requerer abertura de inquérito policial para. Inclusive, este é
o entendimento do Tribunal de Justiça de Santa catarina:

AGRAVO DE INSTRUMENTO. BUSCA E APREENSÃO DE BEM


MÓVEL EM AÇÃO DE FALÊNCIA. POSSÍVEL OCORRÊNCIA DE
CRIME FALIMENTAR ANTES DA SENTENÇA DE DECRETAÇÃO
DA QUEBRA: INCIDÊNCIA DO ARTIGO 168 DA LEI N. 11.101/05.
LEGITIMIDADE DO MINISTÉRIO PÚBLICO PARA REQUERER
BUSCA E APREENSÃO DE EQUIPAMENTO, ANTE À
EXISTÊNCIA DE INTERESSE QUE TRANSCENDE AOS LINDES
DA RELAÇÃO PRIVADA OBJETO DO FEITO FALIMENTAR.
RECHAÇO À ALEGATIVA DE RISCO DE LESÃO PELO
RECOLHIMENTO DO BEM. DECISÃO MANTIDA. RECURSO
DESPROVIDO (TJ-SC - AI: 499624 SC 2007.049962-4, Relator:
João Henrique Blasi, Data de Julgamento: 05/05/2008, Quarta
Câmara de Direito Comercial, Data de Publicação: Agravo de
Instrumento n. , de Palhoça)

Por fim, nota-se que a autora possui direito aos medicamentos a serem disponibilizados pelo
município, porém na cidade onde esta reside.

CONCLUSÃO [Na conclusão responde-se tudo que foi levantado na fundamentação,


responde-se o que foi questionado pelo requerente.]

Pelo exposto, respondendo ao questionamento formulado na consulta, entendemos, que a


autora não há possiblidade de sentença de encerramento.

Porém, deverá a ação ser ajuizada na cidade onde reside a interessada, conforme os
preceitos constitucionais do Artigo 30, Inciso VII na nossa Constituição, tendo necessidade
de respeitar o princípio da gratuidade e universalidade da saúde pública.

É o parecer.

[Local], [dia] de [mês] de [ano].

[Assinatura do Advogado]

[Número de Inscrição na OAB]