Você está na página 1de 3

O que faz um enfermeiro do trabalho?

Além de ser responsável por atendimentos ambulatoriais na empresa em que atua,


um enfermeiro do trabalho tem como função participar do estudo de condições de
periculosidade com a equipe de segurança do trabalho.

Um enfermeiro do trabalho também é responsável pela elaboração e execução de planos


de proteção à saúde dos empregados. Eles estudam as causas de ausências dos
funcionários e participam de grupos que realizam pesquisas sanitárias. Também fazem
diversos levantamentos de doenças e lesões que podem atingir os colaboradores da
empresa em que atuam.

O enfermeiro do trabalho é responsável pela coleta de dados estatísticos sobre a


saúde dos trabalhadores, investigando possíveis relações das doenças que os
funcionários desenvolvem com as atividades que eles realizam. Assim, ter um
enfermeiro do trabalho faz com que a empresa viabilize suas operações e aumente sua
produtividade. Nesse sentido, todo o planejamento relativo a campanhas de promoção
de saúde nas companhias é de responsabilidade desse profissional.

Diferentemente do que o senso comum pode imaginar, um enfermeiro do trabalho tem


como função não somente o atendimento a ocorrências emergenciais, mas
principalmente o planejamento, análise e execução de ações que visam a rotina saudável
de toda a equipe da empresa.

Quais são as características de um bom enfermeiro que


atua nessa modalidade?
Um bom enfermeiro do trabalho deve reunir, além do conhecimento técnico, científico e
prático, várias características necessárias para ser um bom profissional. Muitos desses
aspectos são fortemente observados pelos empregadores na hora de buscar um novo
contratado.

Dentre as várias qualidades necessárias, listamos abaixo as principais:

 Proatividade: o profissional deve ter atitude para buscar excelência naquilo que
faz, tomando a frente de seus próprios projetos;
 Comprometimento: o envolvimento em funções que dizem respeito à saúde
coletiva demanda grande responsabilidade dos profissionais;
 Empreendedorismo: como irá gerenciar um setor importante dentro da
empresa, o enfermeiro do trabalho precisa ter iniciativa para ter sucesso em suas
funções, sempre em prol da empresa na qual atua;
 Trabalho em equipe: é fundamental para o enfermeiro do trabalho saber
cooperar com outros profissionais. Ao conviver diariamente com outros
colaboradores, o enfermeiro deve ter sempre em mente o crescimento coletivo;
 Ética: assim como em todas as profissões, é essencial ter um senso ético
apurado, principalmente por atuar em uma área tão importante quanto a saúde
coletiva.
Qual é a rotina do enfermeiro na empresa?
O enfermeiro do trabalho pode acumular várias funções. Muitas delas, inclusive,
extrapolam a ideia de que esse profissional deve atender apenas emergências. Dentro
de uma grande empresa, o enfermeiro tem como responsabilidade o planejamento
de ações que contribuam para a rotina saudável dos outros funcionários.

Dessa maneira, a rotina de um enfermeiro do trabalho é muito diferente daquele


profissional que atua em um hospital. Enquanto um enfermeiro que trata de doentes tem
sua rotina voltada para a atenção de pacientes em recuperação, o enfermeiro do
trabalho, além de remediar possíveis ocorrências emergenciais, deve trabalhar visando a
prevenção de situações de risco. Também faz parte da rotina desse profissional a
elaboração de ações educativas, sempre visando atitudes preventivas e que favoreçam o
bom ambiente de trabalho.

Qual é o salário de um enfermeiro do trabalho?


Segundo o Site Nacional de Empregos (SINE), o cargo de enfermeiro do trabalho tem
salários que variam de acordo com o porte da empresa e com o nível de experiência do
profissional.

Assim, em pequenas empresas, os salários podem variar entre R$1.712,48 e


R$4.180,86. Já para médias empresas, essa variação vai de R$2.226,22 a
R$5.435,13. Por fim, grandes empresas oferecem salários que vão de R$2.894,10
até R$7.065,66.

Vale ressaltar que esses salários dependem também da empresa contratante e da cidade
na qual o profissional irá atuar. No Brasil, devido a quantidade de empresas que se
enquadram na legislação, a demanda por esse tipo de profissional vem crescendo muito.
Essa é uma das áreas mais promissoras da enfermagem!

Qual é a história da Enfermagem do trabalho?


No Brasil, a primeira escola de enfermagem surgiu ainda no século XIX, mais
precisamente no ano de 1890, no Hospital Pedro II. Somente quarenta anos depois, em
1931, o exercício da profissão foi regulamentado, sendo que em 1955 foi aprovada a lei
do exercício profissional de enfermagem.

Quatro anos após a promulgação da lei, na Conferência Internacional do Trabalho,


aconteceu a recomendação número 112 da Organização Internacional do Trabalho
(OIT), que trouxe para discussão a Medicina do Trabalho. Esta, porém, se limitava a
profissionais formados medicina.

Nos anos seguintes, a inclusão de disciplinas relacionadas à medicina do trabalho


ganharam força nas universidades, bem como aquelas de saúde ocupacional. Na década
de 1970, o auxiliar de enfermagem foi incluído nas equipes de saúde ocupacional,
através de uma portaria do Ministério do Trabalho.
Essa inclusão fez com que empresas que possuíssem mais de 100 empregados fossem
forçadas a ter um Serviço de Saúde Ocupacional. Esse setor da empresa deveria ser
composto por um médico do trabalho, um engenheiro de segurança, técnicos em
segurança e um auxiliar de enfermagem do trabalho.

Já em 1975, o Ministério do Trabalho trouxe, através da portaria nº 3.460, a inclusão de


um enfermeiro do trabalho nas equipes de saúde ocupacional das empresas. A partir de
então, as funções de um enfermeiro do trabalho passaram a ser vistas tanto pelo seu
perfil de assistência direta quanto em caráter preventivo e educacional.