Você está na página 1de 6

F U L L

D E N T I S T R Y i n Full Dent. Sci. 2012; 3(11):299-304.


SCIENCE 299

Coluna Prótese
Recuperação da linha do sorriso utilizando resina composta
Recovery of the smile line by means of restorative treatment
Gil Montenegro1
Weider Oliveira Silva2
Tarcísio Pinto3
Andréia de Macêdo Simões4

Introdução
A busca por um sorriso harmônico, muitas vezes, é alcançada através da inter-relação Periodontia e
Dentística restauradora. Com o advento e evolução das resinas compostas, muitas soluções estéticas têm sido
conseguidas de forma prática. Este é o objetivo deste artigo: mostrar os passos clínicos para se promover a
recuperação da linha do sorriso da paciente.
Sabemos que um sorriso estético é aquele que apresenta uma determinada correlação harmônica
entre a forma e as cores do elemento dental, assim como uma boa proporção entre lábio e gengiva. Para
restaurar os dentes, alguns aspectos devem ser considerados. Primeiro, deve-se analisar a sua relação
com os dentes vizinhos e antagônicos, com o periodonto e com as demais estruturas bucais e faciais
circundantes2.
Para Amorim Lopes et al.5 (1999), quando se pensa em estética periodontal, o que vem à mente é a
simetria, forma, cor e contorno da margem gengival. No entanto, se todos esses itens estiverem em seu
padrão de normalidade, porém não harmoniosamente relacionados com o lábio3 (baixo, médio ou alto) e
dentes1 (forma, posição no arco, tamanho e cor), a forma do sorriso poderá não ser agradável.
A reposição da estrutura periodontal perdida por resina composta, constitui uma alternativa de trata-
mento em casos de impossibilidade de cirurgia periodontal corretiva. Embora tenhamos consciência que
a resina gengival não consegue mascarar totalmente o defeito estético, sabemos que tal limitação não
impossibilita a técnica, uma vez que, a distância social quando conversamos está entre oitenta centíme-
tros e um metro, ficando quase imperceptível para um observador casual6.
Descritores: Estética dental, sorriso, cirurgia oral.

1
Prof. ABO-Taguatinga, Ms em Dentística.
2
Prof. ABO-Taguatinga, Especialista em Implantodontia e Dentística.
3
Prof. ABO-Taguatinga, Ms em Dentística e Especialista em Prótese.
4
Especialista em Dentística e Endodontia .

Correspondência com o autor: prof.gilmontenegro@gmail.com


Recebido para publicação: 05/03/2012
Aceito para publicação: 02/04/2012
Full Dent. Sci. 2012; 3(11):299-304.
F U L L
D E N T I S T R Y i n

300 SCIENCE

O caso clínico descrito a seguir relata uma situação ácido dos dentes com ácido fosfórico 35% duran-
frequente na clínica odontológica, onde a paciente se te15 segundos (Figuras 11 e 12). Após aplicação do
apresenta descontente com o seu problema estético ácido, foi realizada a lavagem por 30 segundos com
decorrente de abrasão por escovação, associada a seringa tríplice e secagem pelo mesmo tempo.(Figu-
recessão gengival (Figura1). ra 13). Passamos então para a aplicação do adesivo
Após exame clínico, observou-se que todos dentinário a base de álcool, deixando o mesmo rea-
esses fatores estão comprometendo nitidamente a gir com a dentina por 20 segundos antes da aplica-
linha do sorriso, assim como todo o perfil psicoló- ção do fotopolimerizador (Figuras 14, 15 e 16). Foi
gico, onde o paciente demonstrava timidez e baixa realizada a escolha de cor baseada na matiz da gen-
autoestima. giva. Como o Kit restaurador só possui três cores bá-
Com a finalidade de promover o restabelecimen- sicas de gengiva, misturamos as cores rosa médio e
to do contorno e altura gengival, de forma que pro- rosa claro a fim de conseguirmos o melhor resultado
porcionasse um sorriso mais adequado à paciente e, estético possível. Inserimos a gengiva com a espátu-
sabendo da necessidade de mascarar tal recessão, la própria, delimitando a anatomia desejada, tentan-
uma vez que, a restauração tradicional com resina do produzir o mimetismo do sulco gengival (Figuras
composta iria promover dentes bastante volumosos 17 e 18). A fim de proporcionar uma característica
no sentido longitudinal e desproporcionais a arcada mais natural para a restauração, lançamos mão da
dental, foram realizadas restaurações classe V na re- sonda exploradora tentando criar aspecto de casca
gião vestíbulo cervical de todos os dentes, utilizando de laranja para a restauração gengival (Figura 19).
para isso, resina gengival microparticulada Renamel Após confecção e a polimerização de todas as res-
Gingafill da Cosmedent (Figura 5 e 6 ). Inicialmente, taurações superiores,(Figuras 20, 21,22,23,24,25 e
foi realizada a profilaxia de toda região e confecção 26) partimos para as restaurações inferiores, ten-
de isolamento relativo, onde observou-se a recessão tando ao máximo, mimetizar a gengiva do paciente
gengival em toda arcada. ( Figura 2, 3 e 4) . Rea- (Figuras 27, 28 e 29). Finalizando o caso, concluímos
lizou-se então a restauração dos dentes superiores todas as restaurações, promovendo melhor estética
posteriores ( Figura 7,8 e 9) .Passando para o passo e dentro das limitações, proporcionando um resulta-
seguinte, iniciou-se a confecção da restauração dos do satisfatório para o paciente (Figura 30).
dentes anteriores (Figura 10) . Aplicação do ataque

1 2
Figura 1 – Foto inicial, vista frontal. Figura 2 – Foto inicial, vista lateral esquerda.

3 4
Figura 3 – Foto inicial, vista lateral direita. Figura 4 – Detalhe da perda de estrutura dental.
F U L L
D E N T I S T R Y i n Full Dent. Sci. 2012; 3(11):299-304.
SCIENCE 301

5 6
Figura 5 – Resina Gingafill Renamel Cosmedent. Figura 6 – Escala de cores da resina.

7 8
Figura 7 – Restauração inicial dos dentes posteriores supe- Figura 8 – Vista detalhada da restauração lado esquerdo.
riores.

9 10
Figura 9 – Vista detalhada da restauração lado direito. Figura 10 – Vista dos dentes anteriores previamente à res-
tauração. Montenegro G, Silva WO, Pinto T, Simões AM.

11 12
Figura 11 – Aplicação do ácido fosfórico. Figura 12 – Aguardando 15 segundos, atuação do ácido.
Full Dent. Sci. 2012; 3(11):299-304.
F U L L
D E N T I S T R Y i n

302 SCIENCE

13 14
Figura 13 – Após lavagem e secagem por 1 minuto. Figura 14 – Aplicação do adesivo e aguardo de 20 segundos.

15 16
Figura 15 – Fotopolimerização inicial dos dentes por 45 se- Figura 16 – Final da fotopolimerização de todos os dentes.
gundos.

17 18
Figura 17 – Aplicação da primeira camada de resina gengival. Figura 18 – Ajuste da resina.

19 20
Figura 19 – Caracterização da resina com sonda exploradora. Figura 20 – Fotopolimerização da resina.
F U L L
D E N T I S T R Y i n Full Dent. Sci. 2012; 3(11):299-304.
SCIENCE 303

21 22
Figura 21 – Restauração anterior finalizada. Figura 22 – Vista frontal da arcada superior.

23 24
Figura 23 – Vista da hemiarcada frontal. Figura 24 – Vista frontal da adaptação das resinas.

25 26
Figura 25 – Vista lateral direita. Figura 26 – Vista lateral esquerda.
Montenegro G, Silva WO, Pinto T, Simões AM.

27 28
Figura 27 – Restaurações dos dentes inferiores. Figura 28 – Vista da adaptação dos dentes inferiores esquer-
dos.
Full Dent. Sci. 2012; 3(11):299-304.
F U L L
D E N T I S T R Y i n

304 SCIENCE

29
Figura 29 – Vista da adaptação dos dentes inferiores direitos.

30
Figura 30 – Caso finalizado.

Conclusão
Observamos diante do exposto que o tratamento proposto promove um resultado satisfatório e rápido
para o paciente, sem necessidade de procedimentos cirúrgicos, que muitas vezes, envolvem maior gasto e não
conseguem resolver a situação. No entanto, devemos informar aos pacientes que tais procedimentos necessi-
tam de acompanhamento para avaliação periódica dos tecidos gengivais adjacentes a restauração, assim como
possíveis trocas das restaurações. Devemos também orientar os pacientes a evitarem o uso de corantes que
podem pigmentar tais resinas. Vale salientar novamente que tal técnica não consegue o mimetismo ideal, sendo
as restaurações visíveis durante avaliações mais detalhadas. No entanto, torna-se uma opção de grande valia,
uma vez que, é quase imperceptível dentro de uma distância de convívio social.

Referência bibliográfica 4. Goldstein R.E. Estética em Odontologia. Rio de Janeiro:


Guanabara Koogan, p.1-15, 222-37, 267-284, 1980.
1. Allen E.P. Aesthetic and plastic surgery in periodontics. Pe- 5. Lopes A.J.C. et al. Cirurgia plástica periodontal empregada
riodontology, v.11, 1996. na correção do “sorriso gengival”. Relato de casos. J Bras
2. Baratieri L.N. et al. Restaurações adesivas diretas em den- Odontol Clin, v.3, n.13, p.80- 82, 1999.
tes anteriores fraturados. 1ª ed. São Paulo: Santos, p.31-53, 6. Radigales A.M. Imitación de la encía con composite. Ciru-
1995. gía mucogingival no Quirúrgica. RCOE, Vol 10, Nº3, 309-
3. Ehrlich J. et al. Faciolingual width before and after tooth 321,2005.
restoration: a comparative study. J Prosthet Dent, v.46, n.1, 7. Rufenacht C.R. Princípios de Integração Estética. Barcelona:
p.153-156, 1981. Ed. Quintessence, S.L., 2001.