Você está na página 1de 96

SISTEMA DPF

09/07/2015 2
SISTEMA DPF
Euro e PROCONVE

Apesar do planejamento de
implantação no PROCONVE P6/L5 em
2009 no Brasil, diversos fatores
levaram as entidades responsáveis a
não aplicar a legislação na época.

09/07/2015 3
SISTEMA DPF
Tecnologia para redução das emissões

09/07/2015 4
SISTEMA DPF
Desafios no desenvolvimento de motores:

09/07/2015 5
SISTEMA DPF
Principais poluentes do ar:

09/07/2015 6
SISTEMA DPF

09/07/2015 7
SISTEMA DPF

09/07/2015 8
SISTEMA DPF

09/07/2015 9
SISTEMA DPF
Principais poluentes do ar:

Óxidos de Nitrogênio:

NOx: formam oxidantes como o ozônio (O3), que provoca irritação nos olhos e no
sistema respiratório e constituem o smog, névoa de poluição que dificulta a
visibilidade. Contribuem para o efeito estufa.
Hidrocarbonetos:

HC: são compostos orgânicos como metano e benzeno, que podem ser
cancerígenos em grande concentração. Ajudam a formar oxidantes como o ozônio
(O3) e contribuem para o aquecimento global. (HC, CH4).

Aldeidos:

CHO: produto exclusivo da combustão do álcool e da gasolina brasileira, que possui


até 25% de álcool. Em grandes quantidades na atmosfera, pode causar irritação nos
olhos e nas vias respiratórias.
09/07/2015 10
SISTEMA DPF
Monóxido de carbono:

CO: gás sem cor ou cheiro que se associa à hemoglobina, provocando dor de
cabeça e redução da capacidade respiratória. Em altas concentrações, provoca
asfixia e pode até matar.

Dióxido de Enxofre:

SO2: resulta da queima do enxofre, que está em maior concentração no diesel.


Reduz a visibilidade e causa a chuva ácida, que provoca a corrosão de
construções e a destruição da vegetação.

Dióxido de Carbono:

CO2: não faz mal ao homem (é o gás produzido na nossa respiração), mas é o
principal causador do efeito estufa. Em um ano, um veículo que roda 20.000
quilômetros lança em média na atmosfera 3,4 toneladas de CO2.
09/07/2015 11
SISTEMA DPF
Material Particulado:

MP: inclui fuligem, poeira, a fumaça e todo material suspenso no ar, gerados
principalmente pelo motor a diesel. Principais formadores do smog, quanto menores,
mais agridem o sistema respiratório e o cardiovascular.

MP é “Tudo” que é coletado por filtro de papel padrão revestido com Teflon, em
condições padrões em Laboratório :

• Carbono (Combustão)
• Hidrocarbonetos (Combustão)
• Cinzas (Ca, Mg, Zn, etc.) (Aditivos do óleo lubrificante)
• Fe, Cu, Cr, Ni, Al, etc. (Desgaste do motor)
• Enxofre (Combustível, óleo lubrificante)

09/07/2015 12
SISTEMA DPF

09/07/2015 13
SISTEMA DPF

09/07/2015 14
SISTEMA DPF

09/07/2015 15
SISTEMA DPF

09/07/2015 16
SISTEMA DPF

09/07/2015 17
SISTEMA DPF

FILTRO DPF

09/07/2015 18
SISTEMA DPF
Filtro DPF (Filtro Particulado Diesel):

Wall-Flow: Fluxo de parede

Flow-Through: Fluxo contínuo

09/07/2015 19
SISTEMA DPF

O material particulado pode ser dividido em três principais frações, o qual pode ser ainda sub-
classificado como se segue:

Fração sólida (SOL ou fuligem de carbono):


-Carbono Elementar;
- Cinza

Fração orgânica solúvel (SOF):


-Material orgânico proveniente do óleo do motor;
-Material orgânico proveniente do combustível;

Partículas de sulfato (SO4) – enxofre


-Ácido sulfúrico;
09/07/2015 20
-Água
SISTEMA DPF

09/07/2015 21
SISTEMA DPF

09/07/2015 22
SISTEMA DPF
A composição das partículas (PM) podem variar significativamente em função do
ponto de funcionamento do motor, comportamento ativo da regeneração do DPF e
assim podem ser um risco para aumento do teor de SOF(Fração orgânica solúvel
do combustível e óleo).

09/07/2015 23
SISTEMA DPF
Distribuição de material no dpf

Dry soot
(partícula seca)

09/07/2015 24
SISTEMA DPF
Esquema de andamento da velocidade em um sistema wall-flow

Obs.: O tamanho médio do poro do filtro é maior o que o diâmetro médio das
partículas coletadas.

09/07/2015 25
SISTEMA DPF
As partículas são depositadas sobre o meio filtrante por meio de um certo número
de mecanismos chamado “Filtro de profundidade” (relacionado com as forças de
campo que dependem da velocidade e os gradientes de concentração do gás).

A - O particulado acumula
nesta porosidade do filtro
(Filtração de porosidade
ou depth filtration).

B- O particulado forma um
estrato poroso

09/07/2015 26
SISTEMA DPF
Carga de soot

09/07/2015 27
SISTEMA DPF
Requerimentos principais do DPF:

• Alta eficiência de filtragem(>90%);

• Alta resistência térmica (Suporta até 1200°C);

• Alta resistência mecânica (Força isostática>4MPa ou 40 bar);

• Alta inércia química;

• Alta porosidade (>42%);

• Baixa queda de pressão (<7kPa ou 70 mbar@600m3/h);

09/07/2015 28
SISTEMA DPF

09/07/2015 29
SISTEMA DPF
A superfície da parede do filtro é revestido com uma mistura de óxidos de metais
e de metais nobres como a platina (Pt

09/07/2015 30
SISTEMA DPF
Acúmulo de Particulado e cinza no DPF:

Deposição de fuligem no canal de entrada do filtro de parede de fluxo.

A- Filtro fresco, sem cinzas;


B- Filtro com depósito de cinzas.

09/07/2015 31
SISTEMA DPF
Análise de síntese – teste com EURO 4 NP oil

z = 259 289 319 349 379 409 439 469


274 304 334 364 394 424 454 484

About 30 mm of the DPF back part


heavily clogged up by sintered ashes

09/07/2015 32
SISTEMA DPF

09/07/2015 33
SISTEMA DPF
Processo de filtragem e carregamento do DPF:

09/07/2015 34
SISTEMA DPF
Processo de filtragem e carregamento do DPF:

1-Uma vez que a regeneração do dpf é ativada, o gás de escape fica a temperatura alvo de 630°C, com
uma concentração de O2>5%.

2-As partículas de fuligem coletadas no filtro começam a queimar reagindo com o oxigênio contido nos
gases de escape e a temperatura sobe para 700~1000°C.
09/07/2015 35
SISTEMA DPF

09/07/2015 36
SISTEMA DPF
Carga de particulado e ciclos de regenerações

Obs.: Para de obter a melhor eficiência no processo de regeneração duas condições devem
ser atendidas:
Temperatura interna dos gases do DPF> 630°C;
Concentração de O2 nos gases >5%.
09/07/2015 37
SISTEMA DPF
Curva da evolução da massa de particulado x Ciclo de rodagem

09/07/2015 38
SISTEMA DPF

1 – FAST HIGHWAY

2 – SLOW HIGHWAY
3
Torque

3 – FAST ACCELERATION / UPHILL


1
4 – EXTRA URBAN DRIVING
2
4 5 – URBAN DRIVING

5 6 – DOWNHILL

7 6 7 – SLOW URBAN DRIVING

1 000 2000 3000 4000

Engine speed [rpm]

Soot accumulation rate

09/07/2015 Significant impact on Regeneration efficiency 39


SISTEMA DPF
Air flow Physical Current soot
 PHYSICAL MODEL
DPF temp model density [%]
 ‘closed loop’ approach
Plausibility  Apenas em uma parte do mapa do

State motor
Machine
 STATISTICAL MODEL
Mission  ‘open loop’ approach
profile Statistical
 Viável em todo o mapa do motor
model

Load phase
< Air flow
Torque

DPF pressure
< drop
Physical &
Statistical AND

DPF pressure
drop
Statistical NOT Failure
Air flow meter
1000
09/07/2015 2000 3000 4000 40
DPF temp.
Engine speed [rpm]
SISTEMA DPF
 Statistical Model
Soot Loading
Soot loading rate map (g/h) Driving Parameters

Mission Profile

Car Inertial Weight


Mission e.g. 0.5 g/h Soot loading Car Road Load
profile rate (g/h)

e.g. 1.0 g/h

STATISTICAL APPROACH
1 000 2000 3000 4000

Engine speed (rpm) Soot Load is measured


(weighting the DPF) on
Estimated soot loading rate is memorized in ECU different mission profiles
according with vehicle mission profile
09/07/2015 41
SISTEMA DPF

Inlet DPF target temperature is guaranteed against :


 Injectors quantity release dispersion/drift
 Rail pressure sensor dispersion/drift
 Catalyst efficiency drift
09/07/2015  Environmental conditions variation 42
SISTEMA DPF
Filtro DPF
Têm o objetivo de reduzir as emissões de partículas de soot provenientes da
combustão do motor.

09/07/2015 43
SISTEMA DPF
Filtro DPF

09/07/2015 44
SISTEMA DPF
Filtro DPF

• O DPF é gerenciado pela central de injeção, que controla seu nível de


saturação e determina quando ocorrerá a regeneração.
• Partículas: são queimadas quer durante a regeneração natural quer durante a
regeneração artificial;
• Resíduos sólidos que provêm do desgaste do motor e da combustão dos óleos.

09/07/2015 45
SISTEMA DPF
Sensores de temperatura do DPF

Enviar à Central de Injeção os valores de temperatura de gás de escape que


entram e saem do catalisador, estes valores são necessários à Central de Injeção
para ativar uma pós-injeção de combustível de modo a manter o DPF a uma
temperatura superior a 350 °C podendo chegar até 650 °C.

09/07/2015 46
SISTEMA DPF
Sensores de temperatura do DPF

O sensor da entrada do DPF desempenha a função de informar a temperatura


para a central monitorar a manutenção da temperatura no filtro, enquanto que o
sensor da saída do DPF informa à central a temperatura para que a mesma
controle a temperatura de regeneração, que deve estar compreendida dentro dos
limites de segurança, a um valor tal que garanta a completa combustão das
partículas.

Característica do sensor:

09/07/2015 47
SISTEMA DPF
Sensor de Pressão diferencial ou Delta P

09/07/2015 48
SISTEMA DPF
Sensor de Pressão diferencial ou Delta P

Vo = Tensão à saída
Δp = Diferença entre a pressão de
saída e a pressão de entrada do
catalisador.

09/07/2015 49
SISTEMA DPF
Sensor de Pressão diferencial ou Delta P

Em caso de falha deste sensor:

A função de regeneração comandada não será habilitada.

Esta rotina é acessada através do EDI em rotinas de diagnóstico, alinhamento


do sensor de pressão DPF.

Função de controle do filtro de partículas “DPF”

Quais os controles executados por esta função?

Determinar o estado do filtro (nível de saturação).


Determinar, se necessário, a ativação da regeneração.
Verificar a eficácia da regeneração

09/07/2015 50
SISTEMA DPF
Nível de saturação do DPF e Óleo

Determinação do nível de saturação do


filtro DPF

09/07/2015 51
SISTEMA DPF
Função de Regeneração

Quando se ultrapassam os 52g ou os 42g (no caso em que o veículo trafegue


acima de 85 km/h) a central de injeção iniciará o procedimento de regeneração

Regeneração primeira fase

09/07/2015 52
SISTEMA DPF
Função de Regeneração

Regeneração segunda fase

09/07/2015 53
SISTEMA DPF
Função Regeneração
Regeneração Comandada

Obs.: Quando o nível de partículas está 80%<partículas<110% a regeneração é


comandada automaticamente sem a percepção do condutor.

Quando o nível de partículas está > 110% uma luz indicadora no painel se
ascende indicando que o motorista deverá conduzir o veículo a uma velocidade
maior que 60km/h e RPM > 2500 rpm.

09/07/2015 54
SISTEMA DPF
Função regeneração

(Luz indicadora de DPF entupido).

O ascendimento da espia MIL junto com o ascendimento da mil do DPF


indica que o veículo não é mais capaz de regenerar o DPF e o mesmo
deve ser levado a uma oficina.

Neste caso é muito importante observar o nível de entupimento do DPF antes


de realizar o procedimento de regeneração forçada.

09/07/2015 55
SISTEMA DPF
Luz de Óleo e degradação do Óloe

A espia ( ) se ocupa principalmente de duas principais funções:

•Pressão insuficiente do óleo motor (acesa de modo fixo);


•Óleo motor degradado (acesa de modo intermitente – conteúdo específico
para L6).

Procedimento para apagar luz do óleo de forma manual:

1-Acionar o pedal do acelerador em 100% e esperar por 30 segundos e depois solte o pedal;
2- Acionar o pedal do freio por 3 vezes consecutivas;
3-Acionar o pedal do acelerador em 100% e desligar a chave com o pedal em 100% e
esperar o tempo de power lach , cerca de um minuto com o pedal acionado;
4-Após ligar a chave de ignição;
5- A luz indicadora do óleo irá piscar 5 vezes e se apagará em seguida indicando o fim do
procedimento.

09/07/2015 56
SISTEMA DPF
Sonda Lambda

09/07/2015 57
SISTEMA DPF
Sonda Lambda

Recovery da sonda:

Sistema passa a trabalhar em malha aberta.


EGR é desabilitada; para de funcionar.
Luz avaria acende.

Reset da sonda:

Rotinas de diagnóstico > Mac 1 > Sonda lambda uego .

09/07/2015 58
SISTEMA DPF
Debímetro

Em caso de falha do debímetro:

EGR deixa de funcionar; trabalhando fechada.


Os valores de medição que prevalecem são
valores predefinidos na cartografia da injeção.
Não faz regeneração na condição comandada.
Correção fina do volume a ser injetado
desabilitada.
Rotinas de diagnóstico > Mac 2 > Debímetro.
09/07/2015 59
SISTEMA DPF
Corpo de borboleta

Tem como função ajustar a quantidade de ar de admissão pelo motor

09/07/2015 60
SISTEMA DPF
EGR (Recirculação dos gases de escape)

09/07/2015 61
SISTEMA DPF
EGR (Recirculação dos gases de escape)

Erro: P401

09/07/2015 62
SISTEMA DPF
EGR

Em caso de falha da EGR:

Função de regeneração é desabilitada.


Quando ocorrer superaquecimento das
bobinas do motor da EGR, ocorrerá a
limitação do acionamento da mesma.

09/07/2015 63
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF

P1205 – Resistencia de fluxo de ar no DPF baixa;


P1206 – Resistencia do fluxo de ar no DPF alta;
P2002 – Resistencia do fluxo de ar no DPF muito alta;
P2452 – Sensor de pressão DPF – CA, CC ao massa ou VBAT.
P2453 – Sensor de pressão DPF – tubos desconectados.
P2454 – Alinhamento do sensor de pressão DPF– sinal não plausível.

09/07/2015 64
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF

1 - Código: P1205 – Resistencia de fluxo de ar no DPF baixa;

Esse erro indica uma diferença de pressão entre a entrada e saída do filtro DPF
muito baixa ( praticamente 0,00 mbar medida pelo sensor de pressão do DPF).

Para essa falha proceder da seguinte forma:

1.1 – Verificar no Scaner nos parâmetros em Estado do DPF, o valor da pressão


informado pelo sensor de pressão diferencial do DPF com o motor funcionando
em marcha lenta (ver figura abaixo):

O valor da pressão é igual a zero?


Se a resposta for sim, continue a verificação conforme o item 1.2. Se for não,
apague o erro com o auxilio do scaner e faça um teste de rodagem no
veiculo monitorando os valores de pressão do DPF no scaner.

09/07/2015 65
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF

1.2 – Esse erro pode indicar ausência do filtro DPF, verifique integridade do
mesmo;
1.3 – Verifique as posições das mangueiras da tomada de pressão do sensor
de pressão do DPF. Mangueiras invertidas podem causar esse erro.
1.4 – Se após as verificações anteriores o erro persistir e a informação de pressão
continua 0,00 mbar, tudo indica que está ocorrendo um erro de leitura no sensor
DPF. Substituir o sensor de pressão do DPF e testar o veiculo monitorando a
leitura do sensor de pressão do DPF.
Problema resolvido? Valor da pressão está diferente de zero? Não tem erro
gravado na central de injeção?
Se sim, faça uma regeneração forçada e depois o alinhamento do sensor de
pressão do DPF via equipamento EDI.

09/07/2015 66
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF

Atenção – Não efetuar o alinhamento do sensor com valor de pressão e


resistência de fluxo altos no DPF (DPF saturado). Para o alinhamento, o
filtro DPF deve estar limpo ( pressão medida no sensor com motor
funcionando em marcha lenta menor que 30 mbar e resistência de fluxo
no DPF menor que 0,30 hPA/m3/h)

09/07/2015 67
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF
2 - Código: P1206 – Resistencia de fluxo de ar no DPF alta;
P2002 – Resistencia de fluxo de ar no DPF muito alta;

Esses códigos de falhas indicam uma possível saturação (entupimento do DPF). A


diferença entre eles é que o erro P2002 indica uma saturação muito elevada que
pode até mesmo comprometer a vida útil do DPF.

Antes das intervenções, primeiramente é necessário entender que a saturação do


DPF é consequência do mal funcionamento de algum componente ligado à
combustão. Então, antes de mais nada, verifique a integridade e correto
funcionamento desses componentes, caso contrario, mesmo após as intervenções
no DPF, o mesmo pode voltar a saturar novamente.

09/07/2015 68
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF

Efetuar a verificação nos seguintes itens:

2.1 – Verificar o combustível, bem como a presença de impurezas ou


contaminação no tanque do veículo.

2.1.1 - Avaliar pela coloração se o combustível presente é S10 ou S50 (amarelo


bem claro).

09/07/2015 69
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF

2.1.2 - Avaliar quanto a presença de impurezas no tanque ou no próprio


combustivel. Avaliar possivel saturação de água no combustivel.

09/07/2015 70
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF

2.2 – Verificar o modo de condução do cliente. Veículos em condução constante


de transito urbano, anda e para, liga e desliga a todo instante, podem não estar
concluindo a regeneração comandada pela central de injeção, provocando assim
uma saturação prematura do DPF.
A regeneração comandada é ativada pela central em um ciclo normal de
condução do veiculo em função da porcentagem de fuligem calculada pela
mesma. Podemos ter 03 etapas de regeneração:

1ª etapa – Porcentagem de fuligem acima de 80%. Regeneração comandada


sem acendimento da luz do DPF no quadro de instrumentos.
2ª etapa - Porcentagem de fuligem acima de 120% - regeneração comandada
com acendimento da luz do DPF. Quando essa etapa acontece, o acendimento da
luz indica para o cliente que o mesmo deve levar o veiculo a uma velocidade
acima de 60km/h e rotação do motor de 2500 rpm (estabilizado), para concluir
a regeneração. Se o cliente não leva o veiculo a essa condição, há uma grande
chance de saturação do DPF por não concluir a regeneração.
09/07/2015 71
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF

3ª etapa – Porcentagem de fuligem acima de 135% - Acendimento da luz de


injeção e luz do DPF. Nessa condição, somente a regeneração forçada via
scanner poderá promover a desobstrução do DPF. O veiculo deverá ser
conduzido até a oficina

2.3 – Verificar os eletroinjetores:

2.3.1 - Remover os eletroinjetores e ver seu aspecto quanto a carbonização


excessiva;

09/07/2015 72
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF
2.3.2 – Se for necessário, enviar os injetores para um posto autorizado Bosch
mais próximo para analise quanto ao seu funcionamento.

2.3.3 – Muito cuidado para não montar os injetores sem o anel de vedação. Caso
isso ocorra, haverá perda de compressão entre os injetores e o cabeçote,
provocando má queima na câmara de combustão, comprometendo assim o DPF
e até mesmo a válvula EGR.

09/07/2015 73
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF:
2.4 – Avaliar a turbina quanto a passagem de óleo lubrificante pelo retentor do
eixo do rotor.

2.5 – Avaliar possível restrição no filtro de ar, ou saturação do filtro de


combustível.

09/07/2015 74
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF

2.6 – Avaliar compressão dos cilindros para avaliar cilindro e cabeçote quanto a
má vedação das válvulas.

2.7 – Verificar válvula EGR quanto a carbonização ou travamento que pode


provocar má queima na camara de combustão provocando a saturação do DPF
(válvula EGR bloqueada irá gerar o erro P0401 no EDI).

Todos os itens citados acima, podem, em caso de falha, comprometer a


combustão e provocar uma saturação prematura do DPF. Uma correta
verificação é imprescindível para evitar retorno do veiculo a oficina.

09/07/2015 75
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF

Após as verificações e intervenções necessárias, proceder com a verificação do DPF


para sanar o erro P01206 e/ou P2002.

2.8 – Verificar no EDI (parâmetros de Estado do DPF), o valor da resistência do fluxo no DPF
e sensor de pressão diferencial no DPF em marcha lenta e a 3000rpm (com veiculo em
movimento).

DPF limpo –
valores de
resistência ao fluxo
e pressão baixos -
Marcha lenta

09/07/2015 76
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF
Os erros 1206 e 2002 são registrados em função do valor da resistência ao fluxo
no DPF medido em hPA/m3/h (hecto pascoal / metro cubico / hora).

Um filtro DPF em bom estado (fluxo livre) os valores de resistência no DPF ficam
inferiores a 0,30 hPA/m3/h, tanto em marcha lenta quanto em aceleração.
Se o valor de resistência no DPF for superior à 0,80 hPA/m3/h a central irá
gravar o erro P1206 – resistência ao fluxo alta.

Se o valor de resistência no DPF for superior a 1,10 hPA/m3/h a central irá


gravar o erro P2002 – resistência ao fluxo muito alta.

2.10 – Fazer uma regeneração forçada do veiculo via EDI. Após a conclusão da
regeneração, monitorar novamente o valor de resistência do DPF, valor do
sensor de pressão do DPF e porcentagem de fuligem.

09/07/2015 77
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF

Uma regeneração bem sucedida fará com que o valor de resistência do DPF
seja inferior a 0,30 hPA/m3/h, indicando que o mesmo não está mais saturado.

09/07/2015 78
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF

2.10.1 – Os valores de resistência do DPF, pressão e porcentagem de fuligem


ficaram baixos (resistencia < 0,30 hPA, pressão < 30 mbar e fuligem < 20%)? Os
erros apagaram? Se a resposta for sim, faça um alinhamento do sensor de
pressão do DPF via EDI, faça um teste de rodagem monitorando os valores e
libere o veiculo.

2.10.2 – Caso a resposta seja não, ou seja, os valores continuem altos, os erros
não apagaram ou o EDI não conseguiu realizar a regeneração forçada, continuar
a diagnose conforme informação abaixo.

2.11 – Se ao tentar fazer a regeneração forçada via EDI, o sistema iniciar e logo
em seguida abortar, siginifica que o sistema está muito saturado ou tem algum
parâmetro indicando para a central que não é possivel fazer o procedimento.
Dessa forma, pode-se simular uma substituição do DPF, para que a central inicie
uma regeneração comandada para tentar desobstruir o filtro DPF.

09/07/2015 79
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF

Obs: Esse procedimento só é possível se a central estiver atualizada.

2.11.1 – Em rotinas de diagnóstico, selecione substituição de DPF e faça o


procedimento conforme o EDI.
2.11.2 – Após a conclusão do rotina, a central irá adotar um valor de 112% de
fuligem. Com esse valor de fuligem o sistema irá iniciar uma regeneração
comandada pela ECU. Fazer um teste de rodagem levando o veiculo a uma
velocidade constante de 60km/h a 2500 rpm, para concluir mais rapidamente a
regeneração.

2.11.3 – Na tela de parâmetros do DPF, conseguimos verificar se a


regeneração está ativa e se a mesma foi concluída.

09/07/2015 80
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF
2.11.4 – Após a conclusão da regeneração, verificar novamente os valores de
resistencia do DPF, pressão e fuligem. Verificar se os erros P1206 e P2002 foram
apagados e não voltaram a ocorrer.

2.11.5 – Com os erros apagados e funcionamento normal do sistema,fazer um novo


alinhamento do sensor de pressão do DPF e liberar o veiculo.

2.12 – Se após todas as tentativas anteriores os erros continuarem presentes e a


regeneração não esteja surtindo efeito, substitua o sensor de pressão do DPF para
teste, caso não resolva, em ultimo caso, substitua o filtro DPF.

09/07/2015 81
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF

2.13 – Após a substituição do filtro, fazer através do EDI, o procedimento de


substituição do DPF, para a central zerar todos os parametros relacionados ao
DPF antigo e iniciar a adaptação ao filtro novo.

Obs: Esse procedimento só é possivel se a central de injeção estiver


atualizada.

2.14 – Fazer teste de rodagem no veiculo, de preferencia na condição de 60 km/h


(velocidade constante), para o sistema completar a 1ª regeneração ( em função
da central adotar fuligem de 112%).

2.15 – Após o teste de rodagem, entregar o veiculo ao cliente.

09/07/2015 82
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF

3 – Código de falha P2452 - Sensor de pressão DPF – CA, CC ao massa ou


VBAT.

Essa falha aponta para um defeito no circuito eletrico do sensor de pressão do


DPF.
O sensor trabalha com uma alimentação de 5V proveniente da central de injeção.

Realizar os seguintes testes para avaliar a provável causa:

3.1 - Medir com auxilio de um multímetro se o sensor está sendo alimentado com
5V pela central de injeção nos pinos 2 e 3 do conector do sensor. (chave de
ignição ligada).

09/07/2015 83
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF

Fazer um Check elétrico no sensor de pressão diferencial.


3.3 – Problema resolvido? Erro P2452 foi apagado? Fazer via EDI o
alinhamento do sensor de pressão do DPF novo e liberar o veiculo.

4 – Código de falha 2453 - Sensor de pressão DPF – tubos


desconectados.

4.1 – Verificar as mangueiras do sensor de pressão DPF quanto a cortes,


vazamentos, dobras e fixação ( presença de abraçadeiras garantindo uma
boa vedação).

4.2 – Verificar a posição correta das mangueiras de acordo com a imagem


abaixo.

09/07/2015 84
SISTEMA DPF
Diagnose Filtro DPF

5 – Código de falhas 2454 - Alinhamento do sensor de pressão DPF – sinal


não plausível.

5.1 - Verificar o numero do software da central de injeção. Se o numero do


software for o 2101B948 o mesmo deverá ser atualizado (via EDI remoto). Após a
atualização, fazer os aprendizados do tipo de transmissão, borboleta motorizada e
válvula EGR, conforme procedimentos descritos no Infotec ( Ducato – Diagnóstico
– 10 - 001 Procedimentos para substituição da ECU).

5.2 – Realizar uma regeneração forçada do DPF via EDI e logo em seguida
proceder com o alinhamento do sensor de pressão do DPF.
5.3 – Se o problema persistir, substituir o sensor para teste. Defeito solucionado?
Faça o alinhamento do novo sensor e teste o veiculo.

09/07/2015 85
SISTEMA DPF
Análise de falha DPF

09/07/2015 86
SISTEMA DPF
Prog. NGK - Croma – VP138 – EN – 45kkm

PM = 0,002

“ring – off”

09/07/2015 87
SISTEMA DPF

1° Croma Genesis – VP138 – JM – 10kkm city


PM = 0,014

“ring – off”

09/07/2015 88
SISTEMA DPF

1° Croma – VP138 – JM – 80h banco + 5kkm city

PM = 0,004 “micro-cracks”

09/07/2015 89
SISTEMA DPF

Misfiring Ring-Off

90

Misfiring Erosione meccanica


09/07/2015
SISTEMA DPF

Alte temperature Misfiring

Scollamento Scollamento
09/07/2015 91
SISTEMA DPF
Daily
A mensagem “Inicio Regeneração Filtro Particulado” com luz do filtro piscando nunca vai
aparecer (està desabilitada na calibraçao) à tem que ser cancelada do manual
A condiçao de inicio regeneraçao deve ser transparente para o motorista (so deve ser alertado
se alguma coisa nao esta certa)

A mensagem “Regeneraçao nao completa” com luz do filtro fixa vai aparecer nas seguintes
condiçoes:
SOOT QUANTITY
Massa de particulado no filtro > 70g
TOO MANY INTERRUPTED REGENERATIONS
Massa de particulado > valor em g (dependente da condiçao em que a regeneraçao està
acontecendo, pode ir de 47 a 70g)
AND
Regeneracoes interrompidas do motorista > 5 (causa motor desligado)
AND
Resistecia ao fluxo do gas de descarga no escapamento > nivel (filtro parcialmente obstruido)
TOO MANY CONTINUOUSLY REGENERATIONS
Regeneracoes nao completadas > 5 (causa temperaturas incorretas ou drive mission lenta no
transito tipo Door to Door mission)
AND
Resistencia ao fluxo do gas de descarga no escapamento > nivel (filtro parcialmente obstruido)
AND
Distancia da ultima regeneraçao que finalizou com sucesso > 600 Km
09/07/2015 92
SISTEMA DPF

DPF Sprinter

09/07/2015 93
SISTEMA DPF

EGR Sprinter

09/07/2015 94
SISTEMA DPF

09/07/2015 95
SISTEMA DPF

Reset Luz do óleo Daily

Ligar a chave ignição


Pisar no acelerador 100% e segurar sem soltar;
manter o pedal do acelerador pressionado;
Pisar no de freio 9 vezes com o pedal acelerador pressionado;
Soltar os pedais

desligar a chave e esperar o power lach 5 minutos e 10 seg

depois ligar a chave e vai tá zerado

09/07/2015 96