Você está na página 1de 2

Gases Asfixiantes Simples e Químicos

Hoje falaremos um pouco sobre gases e vapores, sabemos que eles são
classificados em irritantes, asfixiantes (simples e químico), narcóticos e tóxicos
sistêmicos. (SEGUNDO HENDERSON E HAGGARD). Porém vamos tratar
apenas do asfixiante simples e químico, pois são elementos que são
encontrados comumente em nossa atmosfera. (OBS: Lembrando que a mesma
é constituída de 78% de Nitrogênio, 21% de Oxigênio e 1% distribuído entre
vapor de água e outros gases). Segundo o Quadro I da NR 15 da portaria
3214/78 podemos definir como asfixiante simples o acetileno, argônio, etano,
etileno, hélio e metano entre outros.
Agora que já conhecemos alguns desses elementos podemos definir o que é
um asfixiante simples, ele é um gás inerte em CNTP (Condições Normais de
Temperatura e Pressão), porém se esse gás estiver presente em grande
concentração em um ambiente onde a ventilação seja ineficaz ou inexiste, ele
retira o oxigênio presente do local fazendo com que o local se torne IPVS
(Imediatamente Prejudicial à Vida e a Saúde).
Conforme o Anexo 11 da NR 15 item 3. Todos os valores fixados no Quadro nº
1 como “Asfixiantes Simples” determinam que nos ambientes de trabalho, em
presença destas substâncias, em presença destas substâncias, a concentração
mínima de oxigênio deverá ser 18 (dezoito) por cento em volume. As situações
nas quais a concentração de oxigênio estiver abaixo deste valor serão
consideradas de risco grave e iminente.
No entanto, os asfixiantes químicos já possuem outras características, logo
falaremos, mas antes vamos entender um pouquinho sobre o funcionamento
do transporte de oxigênio em nosso organismo.
Quando inalamos o oxigênio ele entra pelos pulmões e 97% deles encontram
as hemácias e os outros 3% são dissolvidos no plasma. As hemácias são
responsáveis pelo transporte de oxigênio no sangue até os nossos tecidos.
Isso pode ocorrer porque dentro da hemácia existe uma proteína chamada
hemoglobina que se liga quimicamente com o O2 (oxigênio). Ao chegar aos
tecidos à hemoglobina encontra uma baixa pressão e libera o O2 (Oxigênio) e
capta o CO2 (Dióxido de Carbono) que é levado aos pulmões onde é exalado.
Assim a função do asfixiante químico é impedir que ocorra a ligação química
entre a hemoglobina e o O2 (Oxigênio), e isso faz com que os tecidos sofram
asfixia por um determinado elemento químico. Exemplo: Se o elemento
químico for o CO (Monóxido de Carbono) ocorrerá à formação da carbo-
hemoglobina que ao chegar aos tecidos o asfixiaria.