Você está na página 1de 39

Unidade I

RITMO E DANÇA

Profa. Lilian Vieira


Ritmo: Conceitos e Definições

O que é ritmo?
 A palavra ritmo vem do grego rhytmos, que significa
aquilo que flui, que se move, movimento regulado.
 “Ritmo é um princípio vital e é movimento.” (Dalcroze)
 “É uma estrutura que se repete ciclicamente”. (LaPierre)
 “É a capacidade de adaptar-se a um ritmo dado,
interiorizá-lo e reproduzi-lo em movimento”. (Weineck)
 “É a capacidade física explicada pelo encadeamento de tempo
ou pelo encadeamento energético, pela mudança de tensão e
de repouso, enfim, pela variação, com repetições periódicas,
estando presente em todas as modalidades esportivas.”
(TUBINO,1984)
Ritmo: Conceitos e Definições

Onde encontramos o ritmo?


 Homem: nos batimentos cardíacos, na respiração, nas ondas
cerebrais, nos ciclos hormonais, no andar, na fala, no sono,
na alimentação etc.
 Natureza: no crescimento das plantas, no caminhar
dos animais, nas fases da lua, nos movimentos da terra
(rotação e translação), dos planetas, das ondas do mar etc.

Foto retirada de: http://conteudoonline.objetivo.br/Content/tema.disciplina.css.map : em 09/05/2016


Ritmo: Importância

Qual a importância do ritmo?


O homem necessita do ritmo (movimento harmonioso)
em todas as suas atividades, sejam elas:
 diárias – escovar os dentes, andar, alimentar-se, dirigir etc.
 profissionais – trabalhar, construir, digitar, escrever etc.
 de lazer – nadar, dançar, correr, jogar, trabalhos manuais etc.
Para o profissional de Educação Corporal é fundamental o
desenvolvimento do movimento rítmico, pois reflete diretamente:
 Formação básica.
 Formação técnica.
Ritmo: Importância

Formação básica do educando


 O ser humano, através de atividades rítmicas corporais,
aperfeiçoará as possibilidades de movimento que o corpo
permite. Com o passar dos anos, as pessoas deixam de
executar ou executam com bem menos frequência, várias
ações básicas de movimento, como agachar, rolar, rastejar
entre outras. Quanto maior for o trabalho corporal dentro
destas ações básicas nas fases iniciais do desenvolvimento
humano, por exemplo na fase infantil, maiores serão as
informações registradas pelo praticante, aumentando
seu acervo motor.
 Em nossa atual situação, podemos dizer que as pessoas, entre
elas várias crianças, são verdadeiros “analfabetos motores”.
Ritmo: Importância

Formação técnica do educando


 As atividades rítmicas corporais podem agir de forma
significativa nas ações motoras específicas de qualquer ritmo
técnico. Qualquer que seja a prática, o executante apresentará
maior controle, aumentando as possibilidades
de acerto em um chute ou em um arremesso, por exemplo.
 Como você acredita que seria, para alguém que sempre possui
um considerado acervo de movimentos conquistados com
trabalhos de propostas rítmicas, conseguir maior domínio
sobre movimentos específicos de um esporte? Seria mais
difícil ou mais fácil?
Ritmo: Objetivos

 Proporcionar a descoberta do próprio corpo e de suas


possibilidades de movimento.
 Possibilitar o trabalho em grupo, despertando o sentido
de cooperação, solidariedade, comunicação, liderança,
entrosamento.
 Facilitar a aprendizagem motora.
 Determinar a qualidade e o domínio do movimento.
 Incentivar a economia de esforço, retardando a fadiga
e melhorando o resultado.
 Aperfeiçoar a coordenação.
Interatividade

 A educação do movimento corporal através dos trabalhos


rítmicos é apresentada por vários autores (Hass e Garcia, 2006;
Artaxo e Monteiro, 2008; Gandara, 1999) como uma importante
ferramenta na formação do indivíduo como um todo, já que o
ritmo está em tudo que tem vida e nenhum ser vivo poderia
existir sem sua presença. Portanto, para os profissionais que
desenvolverão os trabalhos rítmicos corporais dentro de um
contexto educacional, possibilitando maior aprendizagem
motora, é correto afirmar que, entre as áreas de atuação de
trabalhos rítmicos corporais está:
Interatividade

a) Limitar a criatividade do educando, a fim de que tenha foco


extremo à proposta oferecida.
b) Trabalhos na formação básica do educando, aumentando
e fortalecendo seu repertório motor.
c) Na educação do movimento, promovendo maiores gastos
de energia durante o gesto.
d) Não trabalhar a formação técnica do movimento, pois
trabalhos rítmicos corporais apresentam essa proposta.
e) A exploração do repertório motor básico, sem possibilitar
um aumento desse repertório, a fim de promover economia
de movimento.
Resposta

a) Limitar a criatividade do educando, a fim de que tenha foco


extremo à proposta oferecida.
b) Trabalhos na formação básica do educando, aumentando
e fortalecendo seu repertório motor.
c) Na educação do movimento, promovendo maiores gastos
de energia durante o gesto.
d) Não trabalhar a formação técnica do movimento, pois
trabalhos rítmicos corporais apresentam essa proposta.
e) A exploração do repertório motor básico, sem possibilitar
um aumento desse repertório, a fim de promover economia
de movimento.
Estruturação do Ritmo

 Observe agora como o ritmo é estruturado, ou seja, como o


ritmo pode ser observado dentro de toda uma possibilidade
que abrange pessoas, objetos máquinas, natureza, enfim, tudo
o que existe e que, na grande maioria, tem vida.
Individual
 É o ritmo que cada um de nós possui, de acordo com nossas
características próprias. Exemplo: ritmo de amadurecimento,
ritmo de crescimento, ritmo de aprendizagem, ritmo do
funcionamento biológico.
Estruturação do Ritmo

Grupal
 É a capacidade que o ser humano tem de adaptar e
experienciar o seu ritmo individual, igualando-se, portanto, ao
movimento rítmico do grupo. Exemplo: pessoas de ritmos
distintos (uma pessoa lenta, outra agitadíssima etc.)
executando um mesmo tipo de movimento, como nado
sincronizado, remo, dança etc.
Estruturação do Ritmo

 Natural: o ritmo do crescimento dos fenômenos de natureza


animal, vegetal e universal.
 Mecânico: esse ritmo é caracterizado por movimentos que são
sempre de forma uniforme, não apresentando variações,
modificações. Característico das máquinas.
Exemplo: relógio, ventilador etc.

Imagem extraída do livro: Ritmo e Movimento: Teoria e Prática (Artaxo e Monteiro, 2007, p. 31)
Estruturação do Ritmo

 Espontâneo: é quando algo externo interfere no seu interno


e muda seu ritmo individual momentaneamente. Realizado
espontaneamente, livremente. Exemplo: gritar e pular ao ouvir
uma boa notícia.
 Disciplinado: condicionamento de um ritmo pré-determinado.
Exemplo: soldados.

Fonte: http://www.objetivo.br/conteudoonline/imagens/conteudo_9595/036b.jpg
Estruturação do Ritmo

 Ritmo refletido: reflexão sobre a métrica, que significa


medida de tempo.

Imagem retirada do site: http://conteudoonline.objetivo.br/Content/tema.disciplina.css.map :


09/05/2016
Interatividade

 Observe a figura:

Imagem extraído do livro: Ritmo e Movimento: Teoria e Prática (Artaxo e Monteiro, 2007, p. 69)
Interatividade

A Ginástica Rítmica possui provas individuais e, como se vê


na figura, também em conjunto. Na prova de conjunto, cinco
atletas apresentam sua rotina, que é determinada pelo ritmo de
uma música, sendo que a coreografia deve durar entre 2’15 e
2’30, tempo controlado pela cronometrista. A partir do texto
acima, quais as formas de ritmo presentes nessa prova?
a) Ritmo mecânico, refletido e grupal.
b) Ritmo grupal, mecânico e natural.
c) Ritmo individual, disciplinado e mecânico.
d) Ritmo grupal, disciplinado e natural.
e) Ritmo mecânico, disciplinado e grupal.
Resposta

A Ginástica Rítmica possui provas individuais e, como se vê


na figura, também em conjunto. Na prova de conjunto, cinco
atletas apresentam sua rotina, que é determinada pelo ritmo de
uma música, sendo que a coreografia deve durar entre 2’15 e
2’30, tempo controlado pela cronometrista. A partir do texto
acima, quais as formas de ritmo presentes nessa prova?
a) Ritmo mecânico, refletido e grupal.
b) Ritmo grupal, mecânico e natural.
c) Ritmo individual, disciplinado e mecânico.
d) Ritmo grupal, disciplinado e natural.
e) Ritmo mecânico, disciplinado e grupal.
Principio Básico do Ritmo

 Descrito por Rudolf Bode, o processo de relaxamento-tensão-


relaxamento é apresentado como o princípio básico do ritmo.
Podemos considerar o ritmo como um constante fluxo de
movimentos corporais em que contrações e relaxamentos
musculares são envolvidos.
Equilíbrio entre os binômios:
 trabalho/repouso,
 vigília/sono,
 agressividade trégua.
 É a volta periódica dos tempos fortes e fracos. A unidade de
movimento como soma da contração e do relaxamento forma
o ritmo do movimento corporal.
Ritmo e Arritmia

 Quando vemos pessoas sem ritmo para desenvolver


determinadas tarefas ou determinados exercícios, nunca
paramos para pensar nos motivos do porquê ocorrem
tamanhas dificuldades. Vamos então entender alguns dos
motivos que colaboram para que as pessoas apresentem,
dentro de uma variância, dificuldades quanto às questões
rítmicas.
Os indivíduos podem ser classificados da seguinte forma:
 indivíduo rítmico;
 indivíduo arrítmico;
 indivíduo não arrítmico.
Ritmo e Arritmia

indivíduo rítmico
 Você poderá classificar como rítmico aquele indivíduo que
possui equilíbrio e permanente harmonia corporal. Para
alcançarmos essa capacidade equilibrada, as experiências
corporais são necessárias. Vivenciar movimentos rítmicos
de diversas formas, fazendo com que as vibrações transcorram
por todo o corpo, ajuda a desenvolver a educação do sistema
neuromuscular, obtendo, assim, maior consciência corporal
e rítmica.
Ritmo e Arritmia

indivíduo arrítmico
 A vogal “a” antes da palavra rítmico vem como uma negação.
Ou seja, o indivíduo não apresenta ritmo. A falta de ritmo
e harmonia corporal na realização de um determinado
movimento é o que você pode chamar de um indivíduo
arrítmico. As dificuldades encontradas em relação ao
movimento pelo indivíduo arrítmico, estão ligadas à falta
de capacidade do cérebro de dar ordens rápidas ao músculo
responsável por realizar o movimento ou a não condição
desses músculos responsáveis por realizar o movimento.
 Todos esses problemas, segundo Dalcroze, dependem
da incapacidade do SNC.
Ritmo e Arritmia

Indivíduo não arrítmico: o indivíduo não arrítmico apresenta


preservada a coordenação do complexo neuromuscular.
Suas condições de ausência de ritmo provêm de outros fatores.
Veja a seguir alguns desses fatores característicos do indivíduo
não arrítmico:
 falta de concentração;
 falta de vontade;
 dificuldade de memorização;
 timidez;
 autoestima baixa;
 debilidade muscular
 etc.
Interatividade

Leia a questão a seguir e responda.


 João, Pedro e Paulo são irmãos e frequentam, todas as terças
e quintas-feiras, as aulas de natação do clube. João, o mais
velho, é um excelente nadador, mas Pedro, o do meio, nasceu
com uma deficiência neuromuscular, causando completa
ausência de ritmo e harmonia, desta forma, o impossibilitando
de coordenar harmonicamente seus movimentos. Paulo, por
não gostar das aulas, sente dificuldade de concentração e falta
de vontade para executar os movimentos.
Interatividade

De acordo com o texto, assinale a alternativa correspondente.


a) Indivíduo rítmico, indivíduo não arrítmico
e indivíduo arrítmico.
b) Indivíduo não arrítmico, indivíduo arrítmico
e indivíduo rítmico.
c) Indivíduo arrítmico, indivíduo rítmico e não arrítmico.
d) Indivíduo rítmico, indivíduo arrítmico e não arrítmico.
e) Indivíduo não arrítmico, indivíduo rítmico
e indivíduo arrítmico.
Resposta

De acordo com o texto, assinale a alternativa correspondente.


a) Indivíduo rítmico, indivíduo não arrítmico
e indivíduo arrítmico.
b) Indivíduo não arrítmico, indivíduo arrítmico
e indivíduo rítmico.
c) Indivíduo arrítmico, indivíduo rítmico e não arrítmico.
d) Indivíduo rítmico, indivíduo arrítmico e não arrítmico.
e) Indivíduo não arrítmico, indivíduo rítmico
e indivíduo arrítmico.
Ritmo e o Som Musical

O que é pulso?
 Pulso é o elemento primário do ritmo. É a marcação
mais importante de toda a estrutura, repetido
constantemente (Reina, 2001).
 Quando ouvimos uma música, naturalmente marcamos
o pulso, a batida da música, seja com a ponta dos pés,
com os dedos das mãos ou com a cabeça.
Diferença entre Ritmo e o Pulso

 Pulso ou métrica  Ritmo

 Mensurável  Imensurável
 Divide o tempo em partes iguais  Estrutura o tempo em
períodos semelhantes
 Repete o idêntico
 Renova o semelhante
 Mata a dinâmica do movimento
 Dinamiza o movimento
Elementos do Pulso

Compasso
 O compasso musical é a pulsação rítmica da música que
se repete regularmente, dividindo-a em partes iguais, em sequência
de 2, 3, 4 ou mais tempos (Artaxo e Monteiro, 2008). Os compassos
representam a métrica, ou seja, a ordem e a medida do ritmo.

Figuras retiradas do site:


http://conteudoonline.objetivo.br/
Content/tema.disciplina.css.map : 23/05/2016
Compasso

É a união de tempos fortes e fracos, sequencialmente, em


pequenos blocos representados como:

Compasso binário
 O compasso de forma binária, também representado da forma
2/4, irá agrupar os tempos de dois em dois, sendo o primeiro
tempo mais forte, ficando assim: um tempo forte e um
tempo fraco.
 Podemos exemplificar de forma prática a marcha do soldado
militar (um, dois – um, dois).
Compasso

Compasso ternário
 Este tipo de compasso agrupa os tempos de três em três,
também representado como 3/4, tendo a seguinte forma:
um tempo forte e dois fracos. Temos como exemplo
de estilo musical “Valsa”.
Compasso quaternário
 Nesse compasso os tempos são agrupados de quatro em
quatro, representado como 4/4, e sua forma seria: um tempo
mais forte, um fraco, um meio forte e um fraco.
 Podemos exemplificar o compasso quaternário através da
grande maioria das músicas. Essa é a forma de compasso
mais comum em uma composição musical.
Frase Musical ou Rítmica

Frase musical
 A frase musical é a formação de pulsos e compassos. Pegando
um modelo de compasso quaternário, quando pensamos em
pulso, a frase musical será formada por oito pulsos, quando
pensarmos em compasso, a formação será de dois compassos
quaternários.
 Para que você consiga identificar o início de uma frase dentro
de uma estruturação musical, preste atenção em algumas
“dicas” dadas pela própria música. A frase musical acontece
dentro de uma cadência e quando esta é interrompida ou
alterada de alguma forma, temos o início de uma frase musical.
Frase Musical ou Rítmica

As dicas que você pode identificar na música para o começo


de uma nova frase seriam:
 a entrada de um instrumento;
 uma voz;
 uma quebra brusca da cadência;
 sua representação pode ser através da divisão dos
compassos. Exemplo: dois compassos quaternários
formam uma frase.

I I I I = 1º compasso I I I I = 2º compasso
Frase Musical ou Rítmica

Portanto, até agora podemos entender que:

PULSO COMPASSO FRASE

4 1 ---
8 2 1
16 4 2
24 6 3
32 8 4
Bloco musical

Vamos conhecer agora o bloco musical. Esse nome é mais


utilizado pelos profissionais de Educação Física, porém,
outra nomenclatura existente para esse elemento do ritmo
é período musical. Ele pode ser representado através
de algumas variações:
 trinta e dois tempos (pulsos) ou
 quatro frases musicais ou
 4 x 8 = 32 tempos.
 Na música, o bloco musical normalmente (dentro de um
exemplo de compasso quaternário) apresenta a formação
de oito compassos.
Interatividade

Leia o texto a seguir para responder a questão proposta.


 A dança de salão Merengue, teve sua origem nos bailes
da África. Com a vinda dos escravos negros para trabalhar
nas lavouras da República Dominicana, o Merengue passa
a sofrer influências, se desenvolve e fica conhecido como
Dança Nacional Dominicana. O seu ritmo corresponde ao
compasso caracterizado pelo acento de “dois em dois tempos”
(HASS, Aline). A que tipo de compasso pertence a dança
mencionada no texto acima?
Interatividade

a) Ritmo binário, sendo que o acento principal


e mais forte cai sempre no segundo tempo.
b) Ritmo ternário, sendo que o acento principal
e mais forte cai sempre no terceiro tempo.
c) Ritmo quaternário, sendo que o acento principal
e mais forte cai sempre no primeiro tempo.
d) Ritmo binário, sendo que o acento principal
e mais forte cai sempre no primeiro tempo.
e) Ritmo quaternário, sendo que o acento principal
e mais forte cai sempre no segundo tempo.
Resposta

a) Ritmo binário, sendo que o acento principal


e mais forte cai sempre no segundo tempo.
b) Ritmo ternário, sendo que o acento principal
e mais forte cai sempre no terceiro tempo.
c) Ritmo quaternário, sendo que o acento principal
e mais forte cai sempre no primeiro tempo.
d) Ritmo binário, sendo que o acento principal
e mais forte cai sempre no primeiro tempo.
e) Ritmo quaternário, sendo que o acento principal
e mais forte cai sempre no segundo tempo.
ATÉ A PRÓXIMA!