Você está na página 1de 7

INSTRUMENTOS FINANCEIROS E GESTÃO DE TESOURARIA

Por

Paulina Matsinhe

1. INTRODUCAO

A empresas na prossecução das suas actividades e com o objectivo de maximizar os


lucros tem diante de si vários instrumentos financeiros, sendo um que esta no topo
da cadeia a gestão de tesouraria, pois diariamente , todas as empresas devem ter
controle dos fluxos de caixa para tomadas das decisões estratégicas. Assim sendo,
para uma gestão de tesouraria eficiente, os gestores se deparam com vários
instrumentos financeiros.

A gestão de tesouraria envolve muito mais do que uma simples administração de


recebimentos e pagamentos efectuados pela empresa, pois engloba um conjunto de
estratégias com vista a maximizar os lucros da empresa e minimizar os custos. para
isso existem vários instrumentos que podem ser usados que não se resume a mera
gestão de dinheiro em caixa, mas um conjunto de acções que podem ser adoptadas.

A relação entre esses elementos é clara. O gerenciamento de tesouraria torna a


empresa menos vulnerável ao mercado, pois realiza a gestão diária das
movimentações de recursos financeiros. A partir disso, consegue-se identificar
eventuais desequilíbrios com antecedência e providenciar o capital de giro
necessário. No entanto, isso só é realizado se os processos estiverem alinhados ao
planejamento estratégico. É por isso que a gestão da tesouraria é importante para a
sua empresa. Neste artigo, vamos tratar desse assunto e indicar como os temas da
tesouraria estão relacionados aos negócios da empresa.
Em termos de estrutura da apresentação, alem da presente secção introdutória, a
secção seguinte aborda sobre gestao de tesouraria. A secção 3 aborda sobre os
instrumentos financeiros. A secção 4 se debruça sobre instrumentos financeiros e
gestão de tesouraria. E, finalmente, A ultima secção consta as conclusões e
recomendações.

1
2. GESTAO DE TESOURARIA

Para entendimento da gestao de tesouraria, devempos passar por compreender


como funcionada a tesouria de uma empresa. Ele divide-se em Tesorurara de
exploração, tesouraria extrea exploração e, por fim, na resultante das duas at
tesouraria global.
A Tesouraria de Exploração (Operational cash flow): consiste na diferença entre os
recebimentos e os pagamentos de exploração ocorridos durante um certo período de
tempo – variações monetárias originadas pelas operações do ciclo de exploração.
A tesouraria de exploração não é afectada pela:
 estrutura financeira da empresa (nível dos custos financeiros de
financiamento);
 fiscalidade (nível de impostos sobre o rendimento),
 fluxos financeiros resultantes dos ciclos financeiro e de investimento.

Tesouraria Extra Exploração(Non-Operational cash flow): resulta da diferença entre


os recebimentos e os pagamentos extra exploração verificados durante um certo
período de tempo. Decorre das actividades inorgânicas da empresa (outros
resultados), da situação financeira (nível dos custos financeiros de financiamento), da
actuação da fiscalidade (impostos sobre o rendimento), da política de distribuição de
dividendos e de outros fluxos financeiros associados aos ciclos financeiros e de
investimento.

Tesouraria Global (cash flow total): decorre da diferença entre os recebimentos e os


pagamentos de exploração e extra-exploração.
A tesouraria global resulta da: tesouraria de exploração, profundamente marcada pela
qualidade da gestão corrente; tesouraria extra exploração, mais influenciada por
factores estruturais e externos à empresa.

Uma gestao eficiente de tesouraria Esse processo é realizado de modo eficiente


quando se consideram os 3 pilares da tesouraria: Linhas de financiamento, aplicações
financeiras e protecção ao risco,

As Linhas de financiamento são alternativas de crédito que servem para atender a

2
necessidade de capital de giro, mas a seleção da opção errada pode encarecer o
processo para a organização, o que inviabiliza o crescimento do negócio. Na prática,
cabe ao gestor da tesouraria pesquisar a linha mais eficiente e com a menor taxa de
juros para evitar o pagamento de custos extras desnecessários que impactem
negativamente o crescimento do negócio, a geração de lucro e a rentabilidade.

As Aplicações financeiras ou instrumentos financeiros Trata-se dos investimentos que


podem ser realizados para que a empresa alcance seus objetivos com mais
facilidade. A escolha deve considerar a necessidade de capital de giro e de liquidez.
Isso significa que, nesse processo, o gestor precisa pensar se precisará de muito
caixa em um período curto de tempo. Nesse caso, precisará investir em uma
alternativa de curtíssimo prazo, com rendimento inferior, mas que oferece a
possibilidade de resgate quando necessário. por outro lado, se o fluxo de caixa está
bom e os recursos financeiros podem ficar retidos por mais tempo, o rendimento
tende a ser maior. Porém, o planejamento estratégico deve definir em quanto tempo
será necessário ter acesso àquele dinheiro.

Proteção de risco significa que a gestão das ameaças inerentes ao negócio é uma
atividade fundamental, pois as empresas estão expostas a riscos de crédito, de
mercado, cambial etc. Por exemplo: uma exportadora pode contratar uma linha de
financiamento para o exterior, mas o gestor não se preocupa com a proteção cambial.
O resultado, nesse caso, pode ser o descasamento de valor, porque o valor do dólar
pode disparar e o empréstimo que, a princípio, era barato, passa a ter um custo muito
alto.

É importante destacar que esses riscos podem inviabilizar o plano da empresa para
seu crescimento. Aliando esses 3 pilares, a tesouraria deixa de ser um centro de custo
e se transforma em uma área de negócio, colaborando para a tomada de decisões
estratégicas.
Mas desses três pilares da gestão da tesouraria, a que mais nos interessa nessa
pesquisa são as aplicações financeiras ou instrumentos financeiros da gestão da
tesouraria.

3
3. INSTRUMENTOS FINANCEIROS E GESTAO DE TESOURARIA

existem vários instrumentos financeiros que podem ser usados na gestão de


tesouraria:

Aplicações Bancárias

- Remuneração do saldo diário da conta de depósitos à ordem assegurando, de forma


automática, a rentabilização de todos os excedentes diariamente apurados e sem
nenhuma perda de liquidez, oferecendo geralmente uma remuneração inferior à de
outras modalidades de maior maturidade mas menor liquidez, como os depósitos a
prazo.
- Depósitos a prazo: nestes coexistem uma grande diversidade de prazos, períodos
de contagem e processamento de juros e condições de renovação e mobilização
antecipada.

Títulos em Carteira:
Os títulos negociáveis podem constituir uma forma segura e rentável de aplicar
excessos temporários de disponibilidades ou uma forma de constituição parcial da
Reserva de Segurança de Tesouraria.
Estas operações com títulos negociáveis devem ser justificadas sob o ponto de vista
da rentabilidade e do risco financeiro.
Bilhetes do Tesouro – representam as aplicações financeiras de menor risco. São
títulos de dívida pública de curto prazo (91, 182 ou 364 dias), emitidos a desconto
(não vencem juros explícitos), que são colocados em regime de leilão no mercado
primário pelo Banco de Portugal e são adquiridos pelos bancos.
Certificados de Depósito – são títulos representativos de depósitos bancários emitidos
por uma instituição financeira com uma maturidade geralmente inferior a um ano, com
juros pagos na data de vencimento ou periodicamente durante o prazo da aplicação,
podendo a taxa ser fixa ou variável.
Os CD são transmissíveis por endosso, o que lhes confere a característica mais
distintiva relativamente aos depósitos a prazo, permitindo a existência de um mercado
secundário.

4
Fundos de Investimento
Os Fundos de Investimento:: são geralmente comercializados através de instituições
financeiras e oferecem uma enorme diversidade de aplicações distintas, tendo cada
fundo uma política de investimento que explicita a natureza e o risco das aplicações
que realiza e à qual normalmente se associa a respectiva designação. Assim, é
necessário:
 identificar qual o tipo de fundo que melhor serve os objectivos da empresa;
 quais as comissões (à entrada, durante a permanência e à saída) que o fundo
cobra, que podem ser variáveis em função da natureza do fundo e do tempo
de permanência da aplicação;
 as condições de resgate do montante aplicado (e.g. pré-aviso).
Os fundos oferecem como principais vantagens:
 gestão profissional;
 dimensão para aceder a melhores oportunidades de investimento;
 maior nível de diversificação de aplicações;
 não exigirem a definição prévia do horizonte temporal da aplicação.
Como contraponto, há que ter em conta as comissões cobradas e a incerteza da
remuneração, função da rentabilidade das aplicações que os fundos diariamente
efectuam, tendo-se no máximo como elementos indicativos as rentabilidades
passadas (que são regularmente publicadas) e a política de investimento.

FUNDOS DE TESOURATIA

Os Fundos de Tesouraria são os fundos de investimento mais utilizados para


aplicações de curto prazo, já que a composição da sua carteira privilegia instrumentos
financeiros de curto prazo e de baixo risco (sobretudo títulos de dívida pública). A
generalidade dos fundos de tesouraria não distribui rendimentos que são
automaticamente reinvestidos e, portanto, reflectidos no seu valor diário.
O risco dos fundos de tesouraria não é nulo, a sua liquidez é muito elevada e a sua
rentabilidade depende muito da eficácia da sociedade gestora das carteiras de títulos

Papel Comercial

5
Os papeis comercial Representa a emissão, por parte de empresas, de títulos de
dívida de curto prazo. A aquisição de papel comercial representa, assim, a
assumpção do risco da empresa emitente, a menos que os títulos tenham associada
uma garantia bancária. É um título de dívida nominativo e susceptível de endosso e
é, geralmente, emitido à subscrição pública ou particular por uma grande empresa.
O risco do papel comercial está associado ao risco de insolvência da empresa
emitente, a sua liquidez não é elevada e a sua rentabilidade depende das condições
concretas da emissão. Normalmente apresenta uma taxa de juro inferior à taxa dos
empréstimos bancários.
O papel comercial apresenta características similares aos Bilhetes do Tesouro, sendo
geralmente emitidos a desconto e por maturidades até um ano, podendo ser
transaccionados em mercado secundário.

Acções: investimento na propriedade de empresas no curto prazo.

Obrigações:: aquisição de dívida de empresas durante um curto espaço de tempo.

OUTRAS APLICACOES PARA A GESTAO DE TESOURARIA

O caso mais comum será o aproveitamento de um desconto de pronto pagamento


oferecido por um fornecedor. Esta aplicação é feita com um investimento igual ao
valor da dívida deduzido do desconto obtido, possui um prazo igual ao tempo em falta
para o vencimento da dívida e gera um valor acumulado igual ao valor da dívida. A
remuneração é recebida antecipadamente (o desconto é obtido no acto de
pagamento) e não há lugar a qualquer risco de crédito (a empresa já está na posse
da mercadoria). A única desvantagem reside na falta de liquidez da aplicação (o
desconto não é reversível).
Outros exemplos serão a aquisição adicional (para stock) de uma matéria-prima ou
mercadoria cujo preço vai aumentar, ou a obtenção de melhores condições de
fornecimento com um adiantamento que se concede a um fornecedor.
Poderão ainda ser consideradas oportunidades no âmbito de operações financeiras
em curso como, por exemplo, a amortização antecipada de um financiamento ou a
manutenção de letras em carteira em detrimento do seu desconto (com o débito de
encargos ao cliente).

6
Apesar desses instrumentos financeiros, tem que se ter em conta a que a detenção
da reserva de segurança de tesouraria acarreta determinados custos, cuja
minimização é importante, através da adopção de políticas que conduzam a uma
correcta composição dessa reserva:

 - os valores das contas caixa e depósito à ordem devem ser reduzidos ao


mínimo;
 - os depósitos a prazo podem proporcionar receitas financeiras líquidas
interessantes, mas importa comparar com outras aplicações alternativas;
 a retenção das letras em carteira, como alternativa ao desconto bancário, evita
que a empresa suporte elevados custos financeiros (por vezes não
repercutidos nos clientes);
 a aquisição de títulos facilmente negociáveis (ex: obrigações cotadas em bolsa,
obrigações do tesouro, bilhetes do tesouro, etc.) pode proporcionar segurança
de tesouraria e a obtenção de receitas financeiras líquidas a atempada
negociação de empréstimos bancários, sob a forma de contas correntes e
descobertos bancários, pode proporcionar segurança e evitar o recurso a
outras modalidades de crédito bancário mais onerosas ou à posse de outras
disponibilidades com custos de oportunidade mais posse de outras
disponibilidades com custos de oportunidade mais elevados.

4. CONCLUSOES E RECOMENDACOES

REFERENICAS BIBLIOGTRAFICAS