Você está na página 1de 378

SUMÁRIO

1 – AO PROPRIETÁRIO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1
RECOMENDAÇÃO DE USO DO TRATOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1
COMPARTIMENTO PARA GUARDAR O MANUAL DO OPERADOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1
IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E NÚMEROS DE SÉRIE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3
COMPONENTES DA MÁQUINA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5

2 – SEGURANÇA/ADESIVOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7
REGRAS DE SEGURANÇA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7
SEGURANÇA PESSOAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
SEGURANÇA DO BANCO DE INSTRUÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
SEGURANÇA NA MANUTENÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12
SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12
SEGURANÇA DAS BATERIAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13
SEGURANÇA NA OPERAÇÃO DA MÁQUINA E CAPOTAMENTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13
PRODUTOS QUÍMICOS PERIGOSOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14
ADESIVOS DE SEGURANÇA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15
ESTRUTURA DE PROTEÇÃO PARA CAPOTAMENTO (ROPS) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17
LIMPEZA DOS VIDROS DA CABINE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18
ESPELHO RETROVISOR INTERNO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18
CINTOS DE SEGURANÇA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19
LUZES DE ADVERTÊNCIA E SINALIZAÇÃO DE VEÍCULO LENTO (SMV) DO TRATOR . . . . . . . . . . . . 21
LUZES DE SINALIZAÇÃO DO IMPLEMENTO E SINALIZAÇÃO DE VEÍCULO LENTO (SMV) . . . . . . . . 24
CORRENTE DE SEGURANÇA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25

3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27
ACESSO AO TRATOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27
BANCO DO OPERADOR COM SUSPENSÃO A AR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28
BANCO DE INSTRUÇÃO (SE EQUIPADO) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 30
TOCA CD – 6-DISCOS (SE EQUIPADO) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 30
CONTROLES DA COLUNA DA DIREÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31
PEDAIS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
CONTROLES DO CONSOLE CENTRAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35
CONTROLES DO CONSOLE DIREITO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37
CONTROLES DO CONSOLE DO APOIO DE BRAÇO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45
CONTROLES DO PÁRA-LAMA DIREITO (COM CONTROLE DE TEMPERATURA PADRÃO) . . . . . . . . 48
SISTEMA DE CONTROLE AUTOMÁTICO DE TEMPERATURA (SE EQUIPADO) . . . . . . . . . . . . . . . . . . 54
OPERAÇÃO DO CONTROLE AUTOMÁTICO DE TEMPERATURA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 56
JANELA TRASEIRA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61
LUZ DO TETO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61
LUZ DE LEITURA (SE EQUIPADO) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 62
RÁDIO (SE EQUIPADO) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 62
PROTETOR DE SOL (SE EQUIPADO) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 62
ESPELHO RETROVISOR INTERNO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63
ESPELHOS RETROVISORES EXTERNOS EXTENSÍVEIS (SE EQUIPADO) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63
CONSOLE DE UTILIDADES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63

4 – INSTRUMENTAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 65
INSTRUMENTAÇÃO DO TRATOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 65
CONJUNTO DE INSTRUMENTOS (PAINEL 1) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66
MOSTRADOR PROGRAMÁVEL E DE DADOS FUNCIONAIS (PAINEL 2) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67
PROGRAMAÇÃO DO MOSTRADOR PROGRAMÁVEL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 71
EXIBIÇÕES DE AVISOS (MOSTRADOR PROGRAMÁVEL) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 88
MONITOR DE DESEMPENHO (PAINEL 3) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94

i
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 109
ANTES DE LIGAR O MOTOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 109
LUZES INDICADORAS DE SERVIÇO E MOSTRADORES DE GRÁFICOS DE BARRA . . . . . . . . . . . . . 110
CINTOS DE SEGURANÇA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 111
PROCEDIMENTO NORMAL DE PARTIDA DO MOTOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 112
PARADA DO MOTOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 114
OPERAÇÃO EM TEMPERATURAS BAIXAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 115
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA (POWER SHIFT) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 121
TRANSMISSÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 122
MUDANÇA DE MARCHA DE IDA E VOLTA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 125
OPERAÇÃO DA MUDANÇA AUTOMÁTICA DE MARCHAS (AUTOSHIFT) (SE EQUIPADO) . . . . . . . . 127
OPERAÇÃO DAS MARCHAS DO SUPER REDUTOR (SE EQUIPADO) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 130
OPERAÇÃO DO EIXO SUSPENSO DA MFD (SE EQUIPADO) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 132
OPERAÇÃO DO CONTROLE DO AMORTECIMENTO DE VIAGEM DO ENGATE (SE EQUIPADO) . . . 133
OPERAÇÃO DA VELOCIDADE CONSTANTE DO MOTOR (SE EQUIPADO) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 135
REBOQUE DO TRATOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 137
COMO TRANSPORTAR O TRATOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 140

6 – OPERAÇÃO DE CAMPO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 141


PROCEDIMENTOS GERAIS PARA O ACOPLAMENTO DE IMPLEMENTOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 141
TOMADA DE FORÇA (PTO) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 143
SISTEMA DE ENGATE DE TRÊS PONTOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 156
OPERAÇÃO DO ENGATE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 172
PREPARAÇÃO DA BARRA DE TRAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 184
ENGATE DIANTEIRO (SE EQUIPADO) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 190
SISTEMA HIDRÁULICO REMOTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 197
OPERAÇÃO DO CARREGADOR FRONTAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 210
MONTAGEM DO TANQUE DE PRODUTOS QUÍMICOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 211
CONEXÕES ELÉTRICAS AUXILIARES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 213
MONTAGEM DO MONITOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 216
CONECTOR DO SENSOR DE VELOCIDADE REAL DE AVANÇO NO SOLO (RADAR) . . . . . . . . . . . . 217
CONECTOR DO FREIO DO REBOQUE (SE EQUIPADO) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 218
DEGRAUS DA CABINE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 220

7 – DESEMPENHO NO CAMPO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 223


BLOQUEIO DO DIFERENCIAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 223
OPERAÇÃO DA MFD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 226
LASTREAMENTO DO TRATOR PARA DESEMPENHO ÓTIMO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 230
PATINAGEM DAS RODAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 247
SALTO DE FORÇA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 249
TRATORES COM TRAÇÃO DIANTEIRA MECÂNICA (MFD) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 250
BATENTES DE DIREÇÃO E OSCILAÇÃO PARA MFD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 257
PÁRA-LAMAS DAS RODAS DIANTEIRAS (SE EQUIPADO) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 260
EIXO TRASEIRO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 264
PONTOS DE APLICAÇÃO DO MACACO NO TRATOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 267
AJUSTE DA BITOLA TRASEIRA - RODADO SIMPLES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 268
AJUSTE DA BITOLA TRASEIRA - RODADO DUPLO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 270

8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 277
MEIO AMBIENTE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 277
PEÇAS DE PLÁSTICO E RESINA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 277
CAIXA DE FERRAMENTAS (SE EQUIPADO) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 277
CAPACIDADES DOS SISTEMAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 278
ACESSO AO CAPÔ E PORTA DE MANUTENÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 281
TABELA DE LUBRIFICAÇÃO/MANUTENÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 284

ii
9 – SISTEMA ELÉTRICO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 333
ESPECIFICAÇÕES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 333
MANUTENÇÃO DO SISTEMA DE BATERIAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 339
SUBSTITUIÇÃO DE FARÓIS E LÂMPADAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 342

10 – ESPECIFICAÇÕES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 357
MOTOR DIESEL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 357
TREM DE FORÇA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 358
VELOCIDADES DE DESLOCAMENTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 360
PESOS MÁXIMOS DE OPERAÇÃO RECOMENDADOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 362

ÍNDICE GERAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 365

iii
iv
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
1 – AO PROPRIETÁRIO

AO PROPRIETÁRIO
Este manual contém informações importantes sobre Este Manual do Operador deve ser guardado no
a operação segura, ajuste e manutenção de rotina compar timento para o manual existente nesta
dos seus tratores Case Sér ie Magnum MX. O máquina. Certifique-se de que este manual esteja
manual é dividido em dez seções como em boas condições. Contate o seu concessionário
apresentadas no Sumário. Consulte o Índice Geral Case IH para obter manuais adicionais. Contate o
no fina l d est e ma nua l p ara l oc ali zar t ópic os seu concessionário para qualquer outra informação
específicos sobre seu trator. ou assistência para a sua máquina. O seu
concessionário possui peças de reposição
NÃO opere ou permita que alguém opere ou efetue aprovadas pela Case. O seu concessionário possui
algum serviço nesta máquina antes que você ou técnicos especialmente treinados que conhecem os
outras pessoas tenham lido este manual. Use melhores procedimentos de reparo e manutenção
somente operadores treinados que tenham para o seu trator.
demonstrado habilidade para operar ou efetuar
serviço nesta máquina de forma correta e segura.

RECOMENDAÇÃO DE USO DO TRATOR


O trator Case Sér ie Magnum MX, com o Consulte um concessionário autorizado ou a Case
equipamento standard e acessórios autorizados, é sobre mudanças, adições ou alterações que podem
para ser utilizado em trabalhos normais relacionados ser necessárias para esta máquina atender as várias
à agr icultura no campo, fazendas e ter renos regulamentações e requisitos de segurança.
nivelados. NÃO use esta máquina para qualquer Modificações não autor izadas podem causar
outro propósito diferente do descrito neste manual. ferimentos sérios ou morte. Qualquer pessoa que
fa ç a t a i s m o d i f i c a ç õ e s n ã o a u t o r i z a d a s é
responsável pelas consequências.

COMPARTIMENTO PARA GUARDAR O MANUAL DO OPERADOR

MK99H025

Mantenha o Manual do Operador no compartimento NOTA: Os lados direito e esquerdo do trator usados
para guardá-lo existente no seu trator. O Manual do neste manual são os mesmos lados direito e
Operador deve estar disponível para uso por todos esquerdo quando sentado no banco do trator
os operadores. olhando para a frente.
1
1 – AO PROPRIETÁRIO

TRATOR MAGNUM SÉRIE MX

RH02H168
Trator Magnum MX com MFD

RH02H170
Trator Magnum MX MFD com Rodado Duplo Dianteiro e Traseiro

2
1 – AO PROPRIETÁRIO

IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E NÚMEROS DE SÉRIE


Escreva o Número do Modelo de sua máquina, Número de Identificação do Produto (PIN), e Números de Série
dos principais componentes na linhas abaixo. Se necessário, forneça estes números ao seu concessionário Case
IH quando necessitar de peças ou informações sobre sua máquina.

MODELO DO TRATOR E NÚMERO


DE IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO

Modelo: _________________________________

P.I.N. * HCC: _____________________________

Localizado no lado direito da estrutura dianteira.

NOTA: O número PIN também está gravado com


punção na face superior do chassi, no lado dianteiro
da máquina.

RH02H283

NÚMERO DE SÉRIE DA CABINE

________________________________________

Localizado no lado direito do piso da cabine.

RH02H174

NÚMERO DE SÉRIE DO MOTOR

________________________________________

Localizado no lado esquerdo da parte dianteira do


motor.

RH02G267

3
1 – AO PROPRIETÁRIO

NÚMERO DE SÉRIE DA TRANSMISSÃO

________________________________________

Localizado no lado direito da transmissão, atrás do


tanque de combustível e à esquerda do prisioneiro
de aterramento.

RH02H176

NÚMERO DE SÉRIE DO EIXO DIANTEIRO

________________________________________

EIXO MFD: Localizado no lado direito da traseira da


carcaça do eixo.

EIXO SUSPENSO: Localizado no lado direito da


parte dianteira da carcaça do eixo.

RH02H178
Eixo MFD

RH02G351
Eixo Suspenso

4
1 – AO PROPRIETÁRIO

COMPONENTES DA MÁQUINA

12 12 11
11

1
9
15 11

5 2
6
13 14 13
12 4

10
3
12

RH02H170
1. CABINE ROPS 5. PORTA DE SERVIÇO 9. ESCAPAMENTO 12. FAROL DE SERVIÇO
2. CORRIMÃO 6. CAPÔ 10. SINALIZADOR DE VEÍCULO 13. FAROL DE SERVIÇO/
LARGO ESTRADA
3. ESCADA 7. PESOS DIANTEIROS 11. LUZ DE ADVERTÊNCIA ÂMBAR 14. LUZ DE ALTA
INTENSIDADE (HID)
4. TANQUE DE 8. RESFRIADOR/CONDENSADOR DE COMBUSTÍVEL, RESFRIADOR DE 15. REFLETOR ÂMBAR
COMBUSTÍVEL AR, RESFRIADOR DE ÓLEO, RADIADOR

5
1 – AO PROPRIETÁRIO

12 1 12
6 6

2 2

6
6 2 12 11 10
10 11 12

9 6 8 6 9
7 7
3

RH02H171

1. CABINE ROPS 4. TOMADA DE FORÇA 7. LANTERNA TRASEIRA E 10. REFLETOR VERMELHO


(PTO) LUZ DE FREIO
2. ESPELHO RETROVISOR 5. BARRA DE TRAÇÃO 8. SINALIZAÇÃO DE 11. REFLETOR LARANJA
VEÍCULO LENTO (SMV)
3. ENGATE TRASEIRO 6. LUZ DE ADVERTÊNCIA 9. SINALIZADOR DE 12. FARÓIS DE SERVIÇO DO
ÂMBAR VEÍCULO LARGO TETO E PÁRA-LAMAS

6
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

Esta seção fornece informações de segurança importantes para o seu trator.

SEGURANÇA
Compreenda que a sua segurança e a de outras As informações de segurança fornecidas neste
pessoas depende de como você conserva e opera manual não substituem as regras de segurança,
esta máquina. Conheça as posições e operação de requisitos de seguros, leis federais, estaduais e
todos os c ontr oles antes de tentar operá- la. locais. Certifique-se de que sua máquina possui o
CERTIFIQUE-SE DE VERIFICAR TODOS OS e q u i p a m e n t o a d e q u a d o ex i g i d o p e l a s
CONTROLES EM UMA ÁREA SEGURA ANTES DE regulamentações e leis locais.
INICIAR O SEU TRABALHO.
Conti nua mos a tra balh ar por s ua seg uranç a
L E I A E S T E M A N UA L C O M P L E TA M E N T E e fa b r i c a n d o t r a t o r e s c o m m e l h o r p r o t e ç ã o e
certifique-se de que você entendeu os controles. fornecendo estas regras de operação segura.
Todo equipamento tem um limite. Certifique-se de
que você entendeu as características de velocidade,
freios, estabilidade de direção e carga desta
máquina antes de iniciar a operá-la.

ADVERTÊNCIA: ESTE SÍMBOLO DE ALERTA DE SEGURANÇA


INDICA MENSAGENS DE SEGURANÇA IMPORTANTES NESTE
! MANUAL. AO VER ESTE SÍMBOLO, LEIA CUIDADOSAMENTE A
MENSAGEM QUE SEGUE E FIQUE ATENTO PARA A POSSIBILIDADE
DE FERIMENTOS PESSOAIS OU MORTE. SM171B

! REGRAS DE SEGURANÇA !
● Antes de funcionar o motor, certifique-se de que ● Uma causa frequente de morte ou acidente grave
todos os controles estejam na posição neutra ou é a queda de pessoas para fora da máquina
de estacionamento. Isto eliminará movimentos seguida de atropelamento. Mantenha a porta da
acidentais da máquina ou a partida de cabine fechada. O banco de instrução é utilizado
equipamentos acionados. somente para instrução ou serviço de
R106E diagnóstico. NÃO permita que outros andem de
carona, principalmente crianças. O cinto de
● Opere os controles somente quando sentado no segurança (se equipado) deve ser utilizado em
banco do operador. R137A todas as ocasiões.
M488C
● Aperte bem o seu cinto de segurança. Seu trator
é equipado com uma cabine ROPS para a sua ● Antes de sair do trator, desligue o motor, coloque
proteção. O cinto de segurança pode ajudar a todos os controles em neutro ou na posição de
garantir sua segurança se for usado e mantido. estacionamento e remova a chave da ignição.
Nunca use o cinto de segurança solto ou com R301B
folga no sistema. Nunca use o cinto torcido ou
preso entre as partes estruturais do banco. ● Evite ladeiras muito íngremes para uma
Inspecione os cintos, fivela e mecanismos de operação segura. Reduza a marcha antes de
retração para certificar-se de que não estejam iniciar a subida ou descida de uma ladeira com
danificados. Se o dano é aparente, repare-o carga pesada. Evite “banguela”. R123A
antes de operar o trator. M437A

7
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

! REGRAS DE SEGURANÇA !
● Não dirija em estradas, ou em alta velocidade em ● Equipamentos acionados pela PTO podem
nenhum lugar, com o bloqueio do diferencial causar ferimentos graves. Antes de trabalhar no
engatado. Ocorrerá dificuldade na direção e eixo da PTO ou próximo a ela, ou executar
poderá resultar em acidente. Em operação no serviços ou limpar o equipamento acionado,
campo, use o bloqueio do diferencial para coloque a alavanca da PTO na posição
melhorar a tração, mas desengate para a DESENGATE e DESLIGUE o motor. R154A
conversão no final das fileiras de cultivo. R116A
● Sempre que um equipamento acionado pela PTO
● A velocidade de deslocamento deve ser tal que o esteja em operação, a proteção da PTO deve
controle e a estabilidade total da máquina sejam estar no lugar na maioria das operações para
sempre mantidos. Onde possível, evite operar evitar ferimentos ao operador ou terceiros. Onde
próximo a valas, aterros e buracos. Reduza a acessórios, tais como bombas, sejam instalados
velocidade quando em curvas, atravessando no eixo da PTO (especialmente se a proteção da
ladeiras, e em terrenos acidentados, PTO do trator foi deslocada para cima ou
escorregadios, ou lamacentos. R109B removida), uma extensão da proteção
equivalente à proteção da PTO deve ser
● Colisão entre tráfego de alta velocidade de instalada com o acessório. Instale a proteção da
rodovias e veículos lentos pode causar PTO na sua posição original imediatamente após
ferimentos pessoais ou morte. Em rodovias, use a remoção do acessório. R273A
luzes de advertência de acordo a legislação
local. Mantenha visível a sinalização de veículo ● Ao executar serviços com a PTO estacionada e
lento (SMV). Afaste-se para dar ultrapassagem desmontar do trator com a PTO em movimento,
ao tráfego mais rápido. Reduza a velocidade e mantenha distância das partes em movimento
sinalize antes de mudar de direção. R110E por representarem risco potencial à segurança.
R127A
● Os pedais do freio devem ser travados entre si
para o deslocamento em estrada. Isto ● Nunca funcione o motor em ambientes fechados.
assegurará aplicação uniforme do freio e máxima É necessária ventilação adequada em qualquer
capacidade de frenagem. R112A circunstancia. R142A

● Para velocidades até 16 km/h (10 MPH), ● Nunca reabasteça com combustível com o motor
certifique-se de que o peso de um veículo quente ou funcionando. Nunca fume durante o
rebocado que não seja equipado com freios NÃO reabastecimento. R139C
EXCEDA duas vezes o peso do trator. Para
velocidades até 40 km/h (25 MPH), certifique-se ● Inspecione e mantenha o sistema de
de que o peso de um veículo rebocado que não arrefecimento de acordo com as instruções de
seja equipado com freios NÃO EXCEDA o peso manutenção. Líquido quente pode espirrar se a
do trator. A distância de frenagem aumenta com tampa de desaeração for removida com o
o aumento da velocidade e o aumento da carga sistema de arrefecimento quente. Para remover
do veículo rebocado, especialmente em colinas a tampa de desaeração, deixe o sistema esfriar,
e ladeiras. M814 gire a tampa até o primeiro encaixe, então
espere até a pressão aliviar. A remoção rápida
● Peso extra e condições ruins de tração tais como da tampa pode resultar em queimaduras. R141C
lama ou gelo aumentam a distância de
frenagem. Lembre que líquido nos pneus, pesos
na máquina ou rodas, tanques cheios de
fertilizante, herbicidas ou inseticidas - tudo isso
acrescenta peso e aumenta a distância
necessária para parar. R138B

8
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

! REGRAS DE SEGURANÇA !
● Óleo hidráulico ou diesel vazando sob pressão ● Limpe o trator e remova os resíduos do campo
pode penetrar na pele e causar infecção ou diariamente ou mais frequentemente
outros males. Para evitar ferimentos pessoais: dependendo das condições. O acúmulo de
Alivie a pressão antes de desconectar linhas de resíduos no trator pode provocar danos e
fluidos. incêndio. M791
Antes de aplicar pressão, certifique de que todas
as conexões estejam apertadas e os ● Mantenha os vidros da cabine e os espelhos
componentes em boas condições. retrovisores sempre limpos para prover a melhor
Nunca use as mãos para verificar suspeitas de visibilidade possível ao redor durante a operação
vazamentos sob pressão. Use pedaços de do trator. R416
papelão ou madeira para este fim.
Se ferido por vazamento de fluido, procure o ● Não tracione com cordas de reboque elásticas.
médico imediatamente. R149B Cordas de reboque elásticas armazenam
energia. A liberação repentina pode causar
● Pode ocorrer capotamento traseiro se rebocar de acidentes ou morte. M425
local errado no trator. Use somente a barra de
tração para engate. Use o engate de três pontos ● Crianças não devem ser permitidas operar ou
somente com implementos projetados para isso - andar no trator sob nenhuma circunstância. M630
não use como barra de tração. R119A
● Não encoste o lastro nos faróis de alta
● Conexões impróprias de baterias auxiliares ou intensidade dianteiros ou traseiros pois contém
carregador pode resultar em explosão da bateria alta voltagem. Pode ocorrer ferimento pessoal ou
e/ou danos aos componentes elétricos. Conecte morte. M639
positivo com positivo e negativo com negativo.
Externamente, ácido da bateria pode causar ● SEMPRE certifique-se de que a área de trabalho
queimaduras e cegueira, e se ingerido é veneno. esteja livre de outras pessoas, animais,
R146B ferramentas, etc. antes de inicar a operação da
máquina. NUNCA permita a presença de
● É boa prática levar um extintor na máquina. ninguém na área de trabalho durante a operação
Certifique-se que o extintor seja mantido da máquina.
adequadamente e esteja familiarizado com o seu
uso correto. R102B ● SEMPRE acione a buzina antes de funcionar a
máquina. M835
● Não olhe diretamente para os faróis de alta
intensidade dianteiros ou traseiros. Pode causar ● Para evitar o movimento do trator, aplique o freio
danos à visão. M638 de estacionamento sempre que o trator for
estacionado com o motor funcionado. O freio de
● Se o trator parar de funcionar repentinamente, estacionamento é aplicado automaticamente
cai a pressão hidráulica, e os pedais do freio quando o motor é desligado. M627
podem ser empurrados até o piso. Acionando-se
AMBOS os pedais ativará o freio de ● Dê sempre a partida no motor sentado no banco
estacionamento. M768 do operador. Nunca tente uma ligação direta da
partida, pois o trator pode partir repentinamente
e mover-se provocando um acidente grave ou
fatal. M787

9
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

! REGRAS DE SEGURANÇA !
● Este trator é equipado com uma embreagem de ● Para evitar possíveis danos à visão pelos sinais
tração dianteira mecânica (MFD) acionada por de micro ondas emitidos pelo sensor do radar,
mola e um diferencial de patinagem limitada do não olhe diretamente para o sensor. M788
eixo dianteiro. Mesmo com a chave de
acionamento do MFD na posição DESLIGADO
(OFF), a embreagem do eixo dianteiro pode
acionar ambas as rodas dianteiras se ocorrer
qualquer das seguintes condições:
1. O motor é desligado.
2. O motor é parado quando as rodas traseiras
ainda estiverem girando.
3. Qualquer interrupção no fluxo ou pressão do
sistema hidráulico de operação da
embreagem ou nos controles elétricos de
operação da embreagem.
4. Ambos os freios sejam aplicados.
Por estas razões, os seguintes procedimentos
de manutenção devem ser seguidos.
Antes de girar as rodas traseiras de um trator
MFD (se voce estiver usando o motor com as
rodas traseiras levantadas do solo), siga um
dos seguintes procedimentos para evitar
movimento acidental do trator.
1. Levante com um macaco e apoie AMBAS as
rodas dianteiras completamente fora do
solo.
OU
2. Desconecte o eixo de transmissão das rodas
dianteiras.
A execução de um destes dois procedimentos
assegurará que o acionamento da embreagem
do MFD não resultará em movimento do trator.
R292B

10
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

! SEGURANÇA PESSOAL !
Ao longo deste manual e nos adesivos de segurança ● CUIDADO: Indica uma situação potencial de
da máquina, voce encontrará recomendações de risco que, se não evitada, pode resultar em
precaução: PERIGO, ADVERTÊNCIA ou CUIDADO ferimentos moderados ou mínimos. Pode ser
seguido de instruções específicas ou dois símbolos também usada para alertar contra práticas
pictoriais de segurança ISO. Estas precauções são inseguras. A cor associada com Cuidado é
para sua segurança pessoal. AMARELA.

Não seguir corretamente as instruções de PERIGO, Os adesivos de dois símbolos pictoriais ISO são
ADVERTÊNCIA ou CUIDADO pode resultar em definidos como segue:
ferimentos graves ou morte.
● O primeiro símbolo indica a natureza do risco.
P E R I G O, ADV E RT Ê N C I A ou C U IDA D O s ã o
definidos como segue: ● O segundo símbolo indica o procedimento
apropriado de evitar o risco.
● PERIGO: Indica uma situação de risco imediata
que, se não evitada, resultará em morte ou ● A cor de fundo é AMARELA.
ferimentos graves. A cor associada com Perigo é
VERMELHA. Símbolos de proibição, tais como
e se usados, são VERMELHOS.
● ADVERTÊNCIA: Indica uma situação potencial STOP

de risco que, se não evitada, pode resultar em


morte ou ferimentos graves. A cor associada
com Advertência é LARANJA.

SEGURANÇA DO BANCO DE
! INSTRUÇÃO !
● Terceiros, especialmente crianças, não são ● Quando o Banco de Instrução for ocupado, as
permitidos andar de carona na máquina. seguintes precauções devem ser tomadas:
A. Dirija a máquina em uma velocidade mais
● O Banco de Instrução deve ser utilizado somente
baixa e em terreno nivelado.
para treinamento de um novo operador ou
quando um técnico estiver diagnosticando um B. Evite dirigir em rodovias ou estradas
problema mecânico. públicas.
C. Evite partidas e paradas bruscas.
● Uma causa frequente de acidente pessoal ou
morte é a queda de pessoas para fora da D. Evite curvas fechadas.
máquina seguida de atropelamento. NÃO
E. Use sempre os cintos de segurança.
permita que outros andem de carona, exceto no
assento de instrução designado. F. Mantenha a porta da cabine fechada em
todos as ocasiões.

ADVERTÊNCIA: Antes de dar partida no motor assegure-se de que os cintos de segurança estejam
devidamente apertados. O cinto de segurança pode ajudar a garantir sua segurança se for usado e
! mantido adequadamente. Nunca use o cinto de segurança solto ou com folga no sistema. Nunca use o
cinto de segurança torcido ou preso entre as peças da estrutura do banco. M422B

ADVERTÊNCIA: Uma causa frequente de acidente pessoal ou morte é a queda de pessoas para fora da
! máquina seguida de atropelamento. NÃO permita que outros andem de carona, exceto no assento de
instrução designado. O instrutor deve usar o cinto de segurança do banco de instrução. M488A

11
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

! SEGURANÇA NA MANUTENÇÃO !
● Mantenha sempre os adesivos de segurança e ● Nunca tente remover obstruções ou objetos da
de informações limpos e visíveis. Substitua os máquina com o motor funcionando.
adesivos danificados, perdidos, pintados por
cima ou ilegíveis. ● Sempre desligue o motor e retire a chave da
ignição ao sair do banco do operador ou da
● Durante montagem, operação ou manutenção na máquina.
máquina, vista roupas de proteção e
equipamentos de segurança pessoal ● Para efetuar manutenção na máquina, coloque-a
necessários para o procedimento em particular. sempre em uma superfície firme e plana.
Alguns equipamentos de segurança que podem
ser necessários são sapatos de segurança, ● Se remover ou abrir proteções para manutenção,
protetores faciais e/ou para os olhos, capacete, sempre recoloque-as antes de operar a
luvas, máscara de filtragem e protetores máquina. Nunca opere a máquina com as
auriculares. proteções abertas ou sem elas.

● Não use jóias ou roupas folgadas que podem ● Mantenha a área utilizada para manutenção
enroscar-se com peças em movimento. Use limpa e seca. Pisos molhados ou eleosos são
sempre roupas justas. Mantenha mãos, pés, escor-regadios. Locais molhados podem ser
roupas e cabelo afastados de peças em perigosos quando trabalhando com equipamento
movimento. elétrico. Certi-fique de que saídas elétricas e
ferramentas sejam apropriada-mente aterradas.

SEGURANÇA
! CONTRA INCÊNDIO !
● Riscos de incêncio podem ser minimizados pela ● O combustível do motor pode causar explosão
limpeza freqüente de material acumulado da ou incêndio. NÃO abasteça o tanque com o
colheita, lixo ou resíduos da máquina. motor funcionando, se estiver próximo a fogo,
soldando, fumando, etc.
● Remova diariamente material da colheita, lixo ou
resíduos da máquina. Em especial, verifique a C o n s u l t e P r eve n ç ã o C o n t r a Fo g o n a S e ç ã o
área do motor e sistema de escapamento. Manutenção deste manual para infor maç ões
adicionais.

12
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

! SEGURANÇA DAS BATERIAS !


● NÃO provoque faíscas ou chama próximo à ● ÁCIDO DE BATERIA PROVOCA
bateria. QUEIMADURAS GRAVES. Baterias contém
ácido sulfúrico. Evite contato com a pele, olhos
● Ao desconectar os terminais da bateria, remova ou roupas. Antídoto: EXTERNO - Lave com
primeiro o cabo Negativo (-); depois remova o água. INTERNO - Beba grandes quantidades de
Positivo (+). Ao conectar os cabos, conecte água ou leite. NÃO provoque vômito. Procure
primeiro o Positivo (+), depois o Negativo (-). assistência médica imediatamente. OLHOS -
Lave com água durante 15 minutos e procure um
● Desconecte a bateria (ambos os terminais) antes médico imediatamente. BATERIAS PRODUZEM
de soldar qualquer parte da máquina. Não tomar GASES EXPLOSIVOS. Mantenha faíscas,
este cuidado pode causar danos a componentes chamas e cigarros distantes. Ventile quando
elétricos sensíveis. carregando ou usando em locais fechados. Use
sempre óculos de proteção quando trabalhando
próximo de baterias. Lave as mãos após o
manuseio. MANTENHA FORA DO ALCANCE
DE CRIANÇAS.

● Quando trabalhando próximo de baterias


estocadas, lembre que partes expostas de metal
estão “vivas”. Nunca encoste um objeto de metal
nos terminais pois pode ocorrer uma faísca,
curto circuito, explosão ou ferimento pessoal.

● Polos de bateria, terminais e outras peças


relativas contém chumbo e compostos de
chumbo. Lave as mãos após o manuseio.

SEGURANÇA NA OPERAÇÃO DA MÁQUINA E


! CAPOTAMENTO !
● NÃO permita que outras pessoas andem de ● Mantenha-se afastado de áreas perigosas como
carona na máquina. Estas pessoas podem cair valas e barrancos. Caminhe pelo local de
ou causar um acidente. trabalho antes de iniciá-lo e observe os perigos.

● NÃO opere a máquina sob efeito de álcool ou ● Risco de Capotamento - A operação desta
drogas. máquina em desníveis acentuados pode
provocar capotamento da máquina. É
● Fique atento e sempre saiba a localização de responsabilidade do operador decidir se as
todos os trabalhadores na sua área. Mantenha condições de tempo, estrada ou solo permitirão
outras pes-soas afastadas da sua máquina. Não operação segura numa encosta, ladeira, vala ou
observar estas instruções pode resultar em solo irregular.
ferimentos ou morte.

13
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

! PRODUTOS QUÍMICOS PERIGOSOS !


● Se você ficar exposto ou em contato com ● Antes de efetuar serviços de manutenção em sua
produtos químicos perigosos, você pode máquina, verifique a MSDS de cada fluido,
machucar-se gravemente. Os fluidos, lubrificante, etc., utilizados. Esta informação
lubrificantes, tintas, adesivos, líquidos indica os riscos e como efetuar a manutenção de
refrigerantes, etc., usados em sua máquina forma segura. Siga estas informações ao
podem ser perigosos. executar serviços na máquina.

● As Folhas de Especificações de Segurança de ● Antes de executar serviços nesta máquina e


Materiais (MSDS) fornecem informações sobre antes de descartar fluidos e lubrificantes usados,
substâncias químicas dentro de um produto, lembre-se sempre do ambiente. NÃO jogue óleo
procedimentos seguros de manuseio, medidas ou fluidos no solo ou em recipientes que possam
de primeiros socorros e procedimentos a serem vazar.
seguidos em casos de vazamentos acidentais
dos produtos. MSDS estão disponíveis no seu ● Verifique com a autoridade local de proteção
concessionário Case IH. ambiental ou de reciclagem, ou com o seu
concessionário, o procedimento correto para
descarte.

14
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

ADESIVOS DE SEGURANÇA
IMPORTANTE: Coloque adesivos novos se os antigos estiverem danificados, perdidos, pintados ou não puderem
ser lidos. Quando substituir peças que possuam adesivos, certifique-se de colocar um adesivo novo em cada peça
nova. Mantenha os adesivos limpos. Quando limpar os adesivos, use somente um pano, água e sabão. Não utilize
solvente, gasolina, etc.

NOTA: Adesivos novos estão disponíveis no seu concessionário.

RH02G362
Local do Adesivo da PTO

296031A3
Adesivo da PTO

RH02H322 A187743
Local do Adesivo do Sensor de Adesivo do Sensor de Velocidade
Velocidade no Solo (Radar) no Solo (Radar)

15
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

RD99K057
Local do Adesivo da Coluna da
Cabine ROPS
(Próximo à Porta da Cabine)

249806A
Adesivo da Coluna da Cabine ROPS

16
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

ESTRUTURA DE PROTEÇÃO PARA CAPOTAMENTO (ROPS)

ADVERTÊNCIA: Aperte bem o cinto de segurança. Sua máquina é equipada com uma cabine ROPS para
a sua proteção. O cinto de segurança pode ajudar a garantir sua segurança se for usado e mantido. Nunca
! use um cinto de segurança solto ou com folga no sistema. Nunca use o cinto torcido ou preso entre as
partes estruturais do banco. Inspecione os cintos, fivela e mecanismos de retração para certificar-se de
que não estejam danificados. Se o dano é aparente, repare-o antes de operar o trator. M437A

O seu trator é equipado com uma cabine ROPS.


Todas as estruturas ROPS são equipadas com
cintos de segurança. Cintos de segurança fazem
par te do seu sistema de proteção e devem ser
utilizados em todas as ocasiões. Se a cabine ou
estrutura de proteção tiver de ser utilizada, o
operador deve estar seguro ao assento dentro da
estrutura. Siga cuidadosamente todas as instruções
para obter todas as vantagens de segurança que o
equipamento oferece.

RH02H169

Capotamento do Trator
A ROPS é uma unidade especial de segurança. A estrutura ROPS, o banco do operador e todos os
Após um acidente, a estrutura ROPS deve ser componentes, acessórios e parte elétrica do sistema
substituida para se obter a mesma proteção de uma de proteção do operador devem ser cuidadosamente
ROPS nova. verificados após um acidente com o trator e todas as
peças danificadas devem ser imediatamente
s u bs t it u id a s. NÃ O E X E CU TE RE PA RO S O U
SOLDA NA ROPS.

Regras de Segurança ROPS


1. Não faça modificações na estrutura ROPS. Por 2. Elementos de fixação especiais são usados para
exemplo, soldar um acessório ou fazer um furo instalar as peças de proteção do operador. As
na ROPS. peças de reposição devem ser as mesmas do
Catálogo de Peças do seu trator.

Etiqueta ROPS

CASE IH
MX220, MX240
& MX270
AGRICULTURAL Tractors

403101A2

17
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

LIMPEZA DOS VIDROS DA CABINE


Mantenha os vidros da cabine limpos para uma boa
visibilidade ao redor. Use uma mistura de água com
um limpador de vidros, uma escova macia e um rodo
para vidros para limpar o lado externo dos vidros da
cabine e os espelhos retrovisores.

RH02H169

ESPELHO RETROVISOR INTERNO


Mantenha o espelho retrovisor limpo e ajustado para
a melhor visão traseira do operador quando sentado
no banco do operador.

RD98B047

18
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

CINTOS DE SEGURANÇA
ADVERTÊNCIA: Uma causa frequente de morte ou acidente grave é a queda de pessoas para fora da
máquina seguida de atropelamento. Mantenha a porta da cabine fechada. O banco de instrução é utilizado
! somente para instrução ou serviço de diagnóstico. NÃO permita que outros andem de carona,
principalmente crianças. O cinto de segurança deve ser utilizado em todas as ocasiões. M488C

ADVERTÊNCIA: Aperte bem o seu cinto de segurança. Seu trator é equipado com uma cabine ROPS
para a sua proteção. O cinto de segurança pode ajudar a garantir sua segurança se for usado e mantido.
! Nunca use o cinto de segurança solto ou com folga no sistema. Nunca use o cinto torcido ou preso entre
as partes estruturais do banco. Inspecione os cintos, fivela e mecanismos de retração para certificar-se de
que não estejam danificados. Se o dano é aparente, repare-o antes de operar o trator. M437A

1. Ajuste a posição do banco do operador. Puxe o


cinto de segurança cruzando totalmente o seu
corpo. Empurre a lingüeta de metal na fivela até
travar.

MK00B223

2. Ajuste a posição do cinto de segurança o mais


baixo possível no seu corpo.

MK00B225

19
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

3. Para soltar o cinto de segurança, pressione o


botão no centro da fivela e separe a lingüeta da
fivela.

IMPORTANTE: Existe um Interruptor de Segurança


de Presença do Operador incluido no Controle da
Transmissão (Powershift) e no circuito elétrico da
PTO, ativado pelo operador ao sentar no seu banco.

ADVERTÊNCIA: Opere a máquina somente


quando sentado no banco do operador. Não
tente burlar o Interruptor de Segurança de
! Presença do Operador colocando objetos
pesados no assento. Isto pode resultar em MK00B224

acidente grave ou morte. SM519

20
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

LUZES DE ADVERTÊNCIA E SINALIZAÇÃO DE


VEÍCULO LENTO (SMV) DO TRATOR

ADVERTÊNCIA: Colisão entre tráfego de alta velocidade de rodovias e veículos lentos pode causar
ferimentos pessoais ou morte. Em rodovias, use luzes de advertência de acordo a legislação local.
! Mantenha visível a sinalização de veículo lento (SMV). Afaste-se para dar ultrapassagem ao tráfego mais
rápido. Reduza a velocidade e sinalize antes de mudar de direção. M729

O seu trator possui luzes de adver tência


intermitentes na cor âmbar (1), lanternas traseiras/
freio (2) e uma sinalização de veículo lento (SMV)
(3). Também existem disponíveis luzes sinalizadoras 1 1
de veículo largo (4) que funcionam junto com as
luzes de advertência intermitentes. Certifique-se de
usar corretamente estes itens quando dirigindo o
trator em uma rodovia. O uso adequado destes itens
dará segurança e proteção ao operador do trator e
condutores de outros veículos. 4 4

As luzes de adver tência intermitentes âmbares


1 2 2 1
devem e s tar l ig ad as q ua nd o o tra tor es ti ver
3
operando em uma rodovia durante o dia ou a noite. RH02H171
Traseira do Trator
O condutor de um veículo que se aproxime do trator
deve ver o símbolo SMV e as lanternas traseiras por
trás, e as luzes de advertência intermitentes pela
frente e por trás. Mantenha todas os faróis e
refletores limpos.
1 1
O s í m b o l o d e ve í c u l o l e n t o ( S M V ) d eve s e r
substituido quando o triângulo central, em laranja
brilhante, tenha desbotado visivelmente. Esta perda
de cor do centro laranja fluorescente ocorre devido à
longa exposição ao sol, e reduz a identificação
durante o dia pelos motoristas dos veículos que se
aproximam.

IMPORTANTE: Quando rebocar um implemento ou RH02H170


Vista Lateral do Trator
ca rr eta co m o trator, o si st ema com ple to d e
sinalização traseiro (luzes de advertência âmbares, 1. LUZES DE ADVERTÊNCIA 3. SINALIZAÇÃO SMV
ÂMBARES
lanternas traseiras vermelhas e o símbolo SMV) 2. LANTERNAS TRASEIRAS/ 4. LUZES SINALIZA-
deve ser facilmente visto pelo motorista de qualquer FREIO DORAS DE VEÍCULO
veículo que se aproxime do trator. LARGO

NOTA: Quando transportar o trator, cubra o símbolo


SMV.

21
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

Operação das Luzes de Advertência


Quando o interruptor dos Faróis de Estrada/Luzes de Advertência Âmbares (1) é ligado, as luzes funcionam como
segue:
● POSIÇÃO ESQUERDA - As luzes de
advertência dianteiras e traseiras e as luzes de
veículo largo (se equipado) piscam, os faróis de
estrada dianteiros, as lanternas traseiras e a
iluminação do console acendem. Todas as luzes
de serviço DESLIGAM. Os faróis alto ou baixo
podem ser ajustados com a alavanca Alto/Baixo-
Luz de Direção (2). 1
● POSIÇÃO CENTRAL - Todas as luzes estão
DESLIGADAS.
● POSIÇÃO DIREITA - As luzes de advertência
dianteiras e traseiras e as luzes de veículo largo
(se equipado) piscam. Todas as luzes de serviço RH02G069

DESLIGAM.

Quando o interruptor das luzes direcionais (2) é usado, as luzes de advertência âmbares funcionam como segue:
● Quando a alavanca direcional (2) é empurrada
para CIMA, as luzes de advertência do LADO
DIREITO da cabine, luz de veículo largo do
LADO DIREITO e o indicador de direção (3)
DIREITO da coluna da direção PISCAM. As
luzes de advertência LADO ESQUERDO, luz de
veículo largo do LADO ESQUERDO e o 2
indicador de direção (3) ESQUERDO da coluna
da direção permanecem acesos continuamente.
● Quando a alavanca direcional (2) é empurrada
para BAIXO, as luzes de advertência do LADO 4 3
ESQUERDO da cabine, luz de veículo largo do
LADO ESQUERDO e o indicador de direção (3)
RH02F332
ESQUERDO da coluna da direção PISCAM. As
luzes de advertência LADO DIREITO, luz de
veículo largo do LADO DIREITO e o indicador de
direção (3) DIREITO da coluna da direção
permanecem acesos continuamente.

22
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

Ajuste da Luz de Sinalização de Veículo Largo (Se Equipado)

RH02H185 RH02H181
Posição de Recolhimento Posição de Transporte

Para ajustar a luz de advertência da posição de RECOLHIMENTO para a de TRANSPORTE:

1. Remova o parafuso (1) da posição de


recolhimento e mova o braço (2) para a posição
de transporte. 2
2. Instale e aperte o parafuso na posição (3) de
transporte.

Inverta o procedimento para mover o braço para a


posição de recolhimento.
1

RH02H184

RH02H183

23
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

Para ajustar o comprimento do braço:

1. Puxe o manípulo (4) para CIMA e mova o braço


interno (5) para o comprimento desejado.
4
2. Certifique-se de que o manípulo (4) está travado 5
após ter ajustado o braço de sinalização.

RH02H182

LUZES DE SINALIZAÇÃO DO IMPLEMENTO E SINALIZAÇÃO


DE VEÍCULO LENTO (SMV)
Quando rebocar um implemento ou carreta em rodovias durante o dia ou à noite, use luzes de sinalização do
implemento para a segurança do operador do trator e dos condutores dos outros veículos.
● Se as luzes de advertência intermitentes e as lanternas traseiras do trator não podem ser vistas por causa do
implemento.
● Se o implemento for 1219 mm (4 pés) ou mais comprido para trás do ponto de engate do trator.
● Se o implemento rebocado for 1219 mm (4 pés) ou mais largo à esquerda do centro do trator.

Instale as luzes de sinalização para indicar o maior afastamento do lado esquerdo do implemento.

Onde necessário, a sinalização (1) de Veículo Lento


(SMV) deve ser instalada no centro da parte traseira
do implemento ou da carreta. Instale a sinalização
SMV no implemento ou na carreta utilizando um 1
supor te especial (2) disponível no seu
Concessionário Case IH.

IMPORTANTE: Quando necessário, utilize as luzes


de sinalização do implemento e a sinalização SMV
para a proteção dos condutores dos veículos. 2

517L9

24
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

CORRENTE DE SEGURANÇA

3
4
1

5
2

RH02J133

Conexão Típica da Corrente de Segurança - Barra de Tração Standard


1. EQUIPAMENTO REBOCADO 4. SUPORTE DA BARRA DE TRAÇÃO
2. CORRENTE DE SEGURANÇA 5. SUPORTE DA CORRENTE
3. BARRA DE TRAÇÃO 6. PARAFUSO DE RETENÇÃO

Quando rebocar equipamento em estrada, use uma


corrente de segurança como conexão auxiliar entre
o trator e o equipamento rebocado. A corrente de
segurança deve possuir uma capacidade maior que
a carga bruta do equipamento rebocado. Conecte a
corrente ao suporte da barra de tração do trator e ao
equipamento rebocado como mostrado na
ilus tração. Ver ifique o ajus te da co rrente de 6
segurança girando o trator totalmente para a direita e
para a esquerda. Ajuste a corrente confor me
necessário.

IMPORTANTE: A corrente (2) deve passar através


do suporte (5) da corrente, dar uma volta e fixar ao RH02G358

suporte (4) da barra de tração. NÃO fixe a corrente Barra de Tração para Serviço Pesado
ao suporte da corrente. NOTA: Com a barra de tração de Alta Capacidade
(Serviço Pesado), remova o parafuso de retenção
(6) da barra de tração para ganhar folga suficiente
para instalar a Corrente de Segurança. Instale a
corrente e então reinstale o parafuso de retenção.

25
2 – SEGURANÇA/ADESIVOS

26
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

Esta seção apresenta uma visão geral dos controles internos da cabine. Para obter
instruções de operação detalhadas, consulte a seção correspondente neste manual.

ACESSO AO TRATOR

Trava da Porta da Cabine


Utilize a chave de ignição para travar ou destravar a
porta da cabine pelo lado de fora.

Ao subir ou descer do trator, utilize os corrimões e


degraus existentes.

NOTA: Consulte Escada da Cabine neste manual


para o reposicionamento dos degraus.

RP98G480

ADVERTÊNCIA: Entrar ou sair da cabine pulando pode causar ferimentos. Esteja sempre de frente para
a máquina, utilize os corrimões e degraus, e suba e desça lentamente. Mantenha um contato de três
! pontos para evitar quedas (ambas as mãos nos corrimões e um pé no degrau, ou uma mão no corrimão e
ambos os pé nos degraus). SM516

RP98G458

27
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

BANCO DO OPERADOR COM SUSPENSÃO A AR

1
2
3

5
4
MK99M126
1. BOTÃO DE AJUSTE DE ALTURA 4. ISOLADOR PARA FRENTE/PARA TRÁS
2. AJUSTE PARA FRENTE/PARA TRÁS 5. ISOLADOR LATERAL
3. AJUSTE GIRATÓRIO 6. CONTROLE DE RIGIDEZ AO DIRIGIR

O banco do operador está equipado com comandos 3. AJUSTE GIRATÓRIO - O banco gira
que permitem ajustá-lo para o seu conforto pessoal. para a direita e para a esquerda do
Ajuste o banco como segue: c e nt r o. L eva n te a a lavan c a d e
controle de giro PARA CIMA até que
1. BOTÃO DE AJUSTE DE ALTURA - o banco possa girar. Gire o banco
O banco pode ser levantado ou para a posição desejada. Empurre a
abaixado mediante o aumento ou alavanca PARA BAIXO para travar o
diminuição da pressão de ar. Puxe o banco em uma das sete posições. O
botão PARA CIMA para aumentar a banco também pode girar
pressão de ar e levantar o banco. livremente. Levante a alavanca de
Pressione o botão PARA BAIXO controle de giro totalmente para
para diminuir a pressão de ar e cima após o detentor. O banco pode
abaixar o banco. A chave de ignição então girar livremente. Para travar o
deve estar na posição LIGADA (ON) banco numa posição, empurre a
ou ACESSÓRIO para levantar ou alavanca de controle de giro PARA
abaixar o banco. BAIXO após o detentor.

2. AJUSTE PARA FRENTE/PARA 4. ISOLADOR PARA FRENTE/PARA


TRÁS - O banco do operador pode TRÁS - O banco pode flutuar uma
ser ajustado para frente ou para trás pequena distância para frente ou
de acordo com o tamanho individual para trás quando a alavanca do
do operador. Puxe a alavanca PARA isolador estiver ABAIXADA. Com a
CIMA e deslize o banco para a alavanca do isolador na posição
posição desejada. Solte a alavanca LEVANTADA, o banco não flutuará
para travar o banco na posição. para frente ou para trás. A posição
de flutuação absorve choques e
reduz a fadiga do operador quando
dirigindo sobre terrenos irregulares.

28
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

1
2
3

5
4
MK99M126
1. BOTÃO DE AJUSTE DE ALTURA 4. ISOLADOR PARA FRENTE/PARA TRÁS
2. AJUSTE PARA FRENTE/PARA TRÁS 5. ISOLADOR LATERAL
3. AJUSTE GIRATÓRIO 6. CONTROLE DE RIGIDEZ AO DIRIGIR

5. ISOLADOR LATERAL - O banco 8. AJUSTE DO ENCOSTO - Para ajustar


pode flutuar uma pequena distância o encosto do banco, levante a ala-
para a direita ou para a esquerda vanca de controle e incline o encosto
quando a alavanca do isolador para a posição desejada. Solte a ala-
estiver ABAIXADA. Com a alavanca van ca de con trole para travar o
do isolador na posição encosto na posição selecionada.
LEVANTADA, o banco não flutuará
para a direita ou esquerda. A 9. INTERRUPTOR DE AQUECIMEN-
posição de flutuação (Abaixada) TO DO BANCO (Se Equipado) - O
absorve choques e reduz a fadiga interruptor de aquecimento do banco
do operador quando dirigindo sobre é um interruptor do tipo LIGA/DESLI-
terrenos irregulares. GA. Pressione a frente do interruptor
para LIGAR o aquecimento. A luz do
6. CONTROLE DE RIGIDEZ AO interruptor se ilumina e o aqueci-
DIRIGIR - A intensidade da rigidez mento DESLIGARÁ e LIGARÁ de
pode ser ajustada para o conforto for ma cíclica automaticamente.
pessoal do operador. Este controle Pressione a traseira do interruptor
po ss u i c in co pos i ç ões fi xa s. A para DESLIGAR o aquecimento.
posição totalmente PARA CIMA é a
posição macia. Empurre a alavanca
para baixo para aumentar a rigidez.

7. AJUSTE DA REGIÃO LOMBAR -


Ajuste o supor te lombar para o
conforto pessoal das costas. Gire o
botão no sentido anti-horário para 8 7 9
aumentar o suporte. Gire o botão no
sentido horário para reduzir o
suporte.

MK99M125

29
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

BANCO DE INSTRUÇÃO (Se Equipado)

ADVERTÊNCIA: Uma causa frequente de morte ou acidente sério é a queda de pessoas para fora da
máquina seguida de atropelamento. Mantenha a porta da cabine fechada. O banco de instrução é utilizado
! somente para instrução ou serviço de diagnóstico. NÃO permita que outros andem de carona,
principalmente crianças. O cinto de segurança deve ser utilizado em todas as ocasiões. M857

O banco de instrução com cinto de segurança está


disponível para oferecer assento para um operador
com experiência quando um novo operador estiver
sendo treinado na operação do trator. Consulte
Segurança d o Banco de Instr ução na Seçã o
Segurança deste manual para obter informações
adicionais.

IMPORTANTE: Este banco não deve ser utilizado


como banco de passageiro ou para uso por crianças.

RH02G341

TOCA CD – 6-Discos (Se Equipado)


Os tratores podem ser equipados com um toca CD
de 6-Discos opcional.

O toca CD está localizado no compartimento do


pára-lama esquerdo. Para obter instruções de
operação, consulte o manual do toca CD localizado
no compartimento do manual do operador atrás do
banco.

O toca CD pode ser utilizado com a chave de ignição


em qualquer posição.

RH02G329

30
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

CONTROLES DA COLUNA DA DIREÇÃO


1

3
RH02G332
1. ALAVANCA DE CONTROLE DA TRANSMISSÃO 3. INDICADORES DA LUZ DE DIREÇÃO
2. ALAVANCA DA LUZ DE DIREÇÃO

1. ALAVANCA DE CONTROLE DA TRANSMIS- 2. INTERRUPTOR DA LUZ DE DIRE-


SÃO - Levante a alavanca da posição superior ÇÃO - Mova o interruptor da luz de
de ESTACIONAMENTO (PARK) e mova-a para direção para CIMA para indicar uma
a esquerda um estágio para selecionar MAR- conversão à DIREITA. Mova o interrup-
CHA À FRENTE (FORWARD). Mais um estágio tor da luz de direção para baixo para
para a esquerda selecionará PONTO MORTO indicar uma conversão à ESQUERDA.
(NEUTRO), e totalmente para a esquerda sele- A p os i ç ão c e nt ral é DE S L IG A DO
cionará MARCHA À RÉ (REVERSE). Veja (OFF). Quando o Interruptor da Luz de
Sistema de Controle da Transmissão Automática Direção (2) é utilizado, as luzes de
(Powershift) para informações detalhadas. advertência âmbares funcionam como
segue:
Posição de Estacionamento (Park)
Quando o Interruptor da Luz de Direção (2) é
empurrado para CIMA, as luzes de advertência do
Posição de Marcha à Frente (Forward) lado direito da cabine, as luzes sinalizadoras de
veículo largo do lado direito e o indicador da luz de
direção direita da coluna de direção piscam. As luzes
de advertência do lado esquerdo da cabine, as luzes
sinalizadoras de veículo largo do lado esquerdo e o
Posição de Ponto Morto (Neutro) indicador da luz de direção esquerda da coluna de
direção permanecem acesas continuamente.

Quando o Interruptor da Luz de Direção (2) é


Posição de Marcha à Ré (Reverse)
empurrado para BAIXO, as luzes de advertência do
lado esquerdo da cabine, as luzes sinalizadoras de
veículo largo do lado esquerdo e o indicador da luz
de direção esquerda da coluna de direção piscam.
NOTA: A posição PARK da alavanca de controle As luzes de advertência do lado direito da cabine, as
NÃO é uma função mecânica da transmissão. A luzes sinalizadoras de veículo largo do lado direito e
posição PARK ativa o circuito do freio de estaciona- o indicador da luz de direção direita da coluna de
mento de disco múltiplo. A alavanca de controle deve direção permanecem acesas continuamente.
estar na posição PARK ao dar partida no motor.
31
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

3
RH02G332
1. ALAVANCA DE CONTROLE DA TRANSMISSÃO 3. INDICADORES DA LUZ DE DIREÇÃO
2. ALAVANCA DA LUZ DE DIREÇÃO

BOTÃO DA BUZINA - O botão da buzina é 3. INDICADORES DA LUZ DE


incorporado à alavanca da luz de direção. DIREÇÃO - Indica qual a luz de
Para tocar a buzina empurre para DENTRO direção está ativada ou quando as
a extremidade da alavanca da luz de direção. l uzes âm ba r es d e ad ve r tê nc i a
dianteiras e traseiras estão
INTERRUPTOR DE FAROL ALTO/BAIXO piscando.
- O interruptor de farol alto/baixo está
inc or po ra do n o i nter r u ptor da luz d e
direção. A posição central do interruptor é a
do farol BAIXO. Mova o interruptor para a frente para
obter o farol ALTO. O indicador de farol alto no
conjunto de instrumentos acende quando o farol alto
está ligado. Puxe a alavanca para trás para obter um
farol ALTO MOMENTÂNEO (lampejo) mesmo
quando as luzes estiverem DESLIGADAS.

NOTA: Sempre que os faróis dianteiros estiverem


LIGADOS, este interruptor funciona para LIGAR e
DESLIGAR o farol ALTO e o farol CENTRAL,
mesmo quando somente as luzes de serviço
estiverem LIGADAS.

32
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

PEDAIS

1 2 3 3

RD98F116
1. PEDAL DE AVANÇO GRADUAL 4. INTERTRAVAMENTO DOS PEDAIS
DOS FREIOS
2. PEDAL DE INCLINAÇÃO/TELESCÓPICO DA 5. PEDAL DO ACELERADOR DE PÉ (Se
COLUNA DA DIREÇÃO Equipado)
3. PEDAIS DOS FREIOS

1. PEDAL DE AVANÇO GRADUAL - Quando o 3. PEDAIS DOS FREIOS - O pedal da esquerda


pedal de avanço gradual é pressionado para pára a roda traseira esquerda do trator e o pedal
baixo, a transmissão é desconectada. Utilize o direito pára a roda traseira direita. Fora da
pedal de avanço gradual para manobrar o trator estrada os pedais podem ser utilizados
em uma área pequena ou ao conectar individualmente para auxiliar na conversão. Para
implementos. uma operação segura na estrada, sempre trave
os dois pedais de freio entre si com o dispositivo
2. PEDAL DE INCLINAÇÃO/MOVIMENTO de intertravamento dos pedais (4).
TELESCÓPICO DA COLUNA DA DIREÇÃO - A
coluna da direção pode ser inclinada em treze
ADVERTÊNCIA: Peso excessivo e más
posições distintas. Para inclinar ou movimentar
condições de tração, como lama ou gelo au-
telescopicamente a direção, pressione o pedal
mentam a distância necessária para a frena-
de inclinação/movimento telescópico para baixo
gem. Lembre-se que o líquido nos pneus,
e mova a coluna da direção para a posição
desejada. Solte o pedal de inclinação/movimento
! pesos na máquina ou rodas, tanques cheios
com fertilizantes, herbicidas ou inseticidas -
telescópico para manter a coluna na posição
tudo isso adiciona peso e aumenta a distân-
selecionada. Mova a coluna para a posição mais
cia necessária para frear. SM0113B
a frente para facilitar a entrada e a saída.

NOTA: Para inclinar a coluna, pressione 4. INTERTRAVAMENTO DOS PEDAIS DOS


parcialmente o pedal. Para efetuar o movimento FREIOS - O intertravamento dos pedais dos
telescópico da coluna, pressione totalmente o pedal. freios é utilizado para travar os dois pedais de
freio entre si, de modo que sejam acionados
simultaneamente.

ADVERTÊNCIA: Os pedais dos freios


devem ser travados entre si para
! deslocamento em rodovias. Isto vai
assegurar a aplicação uniforme dos freios e
a capacidade máxima de freagem. M112A

33
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

1 2 3 3

RD98F116
1. PEDAL DE AVANÇO GRADUAL 4. INTERTRAVAMENTO DOS PEDAIS
DOS FREIOS
2. PEDAL DE INCLINAÇÃO/TELESCÓPICO DA 5. PEDAL DO ACELERADOR DE PÉ (Se
COLUNA DA DIREÇÃO Equipado)
3. PEDAIS DOS FREIOS

OPERAÇÃO DO SISTEMA DE FREIOS - Com o


motor funcionando em condições normais, são 5. PEDAL DO ACELERADOR DE PÉ (Se
necessários força e deslocamento do pedal mínimos Equipado) - Pressione o pedal do acelerador de
para acionar os freios. Se o motor parar de funcionar pé para aumentar a velocidade do motor,
repentinamente, serão necessários esforço e predominando sobre o ajuste do acelerador de
deslocamento do pedal maiores para a frenagem mão. Solte o pedal do acelerador de pé para
hi d r á ul i c a. S e o c or r e r um a fal h a h id r á ul i c a , reduzir a velocidade do motor e retornar para o
pressione AMBOS os pedais até o piso para ativar o ajuste estabelecido pelo acelerador de mão.
Freio de Estacionamento.

34
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

CONTROLES DO CONSOLE CENTRAL


1. INTERRUPTOR DO AUXÍLIO DE
PARTIDA A ÉTER (Se Equipado) - Na
par tida a f r i o, pressione
momentaneamente o lado esquerdo do 1
interruptor para injetar éter dentro do
motor enquanto é dada a partida no
motor.

RH02G070
Lado Esquerdo do Concole Central

2. INTERRUPTOR DAS LUZES DE SERVIÇO -


Este é um interruptor de quatro posições. As
luzes funcionam como segue:

NOTA: O Interruptor dos Faróis de Estrada/Luzes


Intermitentes (item 3 da próxima página) deve estar
na posição DESLIGADO (OFF) para o Interruptor
das Luzes de Serviço funcionar.

PRIMEIRA POSIÇÃO - Todas as luzes


estão DESLIGADAS (OFF). 2

RH02G070
Interruptor das Luzes de Serviço
SEGUNDA POSIÇÃO - Todas as luzes
de serviço inferiores abaixo do nível da
cabine acendem, o que inclui as luzes
de ser viço da grade, luzes da linha
média (se equipado), e as luzes de
serviço superiores do pára-lama traseiro
(se equipado).

TERCEIRA POSIÇÃO - Todas a luzes QUARTA POSIÇÃO - Todas as luzes de


de serviço inferiores abaixo do nível da serviço acendem.
cabine e as luzes de serviço da parte
traseira do teto acendem, o que inclui as
luzes de serviço da grade, luzes da linha
média (se equipado), luzes de serviço
superiores do pára-lama traseiro (se
equipado) e as luzes da parte traseira do
teto da cabine.

35
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

3. INTERRUPTOR DOS FARÓIS DE ESTRADA/


LUZES DE ADVERTÊNCIA ÂMBARES - As
luzes funcionam como segue: 3

POSIÇÃO CENTRAL - Todas as luzes


estão DESLIGADAS (OFF).
4

POSIÇÃO DIREITA - As luzes âmbares


de advertência dianteiras e traseiras e
as luzes de veículo largo (se equipado)
PISCAM. Todas as luzes de ser viço
estão DESLIGADAS. RH02G069
Lado Direito do Console Central
3. INTERRUPTOR DOS FARÓIS DE 4. CHAVE DA
P O S I Ç Ã O E S Q U E R DA - A s l u ze s
ESTRADA/LUZES DE IGNIÇÃO
âmbares de advertência dianteiras e ADVERTÊNCIA ÂMBARES
traseiras e as luzes de veículo largo (se
equipado) PISCAM, os faróis dianteiros
de estrada, lanternas traseiras e as
luzes do console acendem. Todas as
luzes de serviço estão DESLIGADAS.
Os faróis de estrada alto ou baix o
podem ser ligados com o Interruptor da
Luz de Direção-Farol Alto/Baixo.

4. CHAVE DA IGNIÇÃO - Esta é uma chave de quatro posições. As posições da chave são as seguintes:

POSIÇÃO DE ACESSÓRIO - Sentido POSIÇÃO LIGADA (ON) (FUNCIONA-


anti-horário a par tir da posição MENTO DO MOTOR) - Primeira posição
DESLIGADA (OFF). Se a chave for no sentido horário a partir da posição
deixada nesta posição por um período DESLIGADA (OFF). Todos os mostra-
de tempo, as baterias descarregarão. dores digitais e algumas luzes de aviso
e indicadoras se acenderão por aproxi-
\ madamente 3,5 segundos.
POSIÇÃO DESLIGADA (OFF) - Gire a
chave para a posição DESLIGADA
(OFF) para desligar o motor. A chave só POSIÇÃO DE PARTIDA (START) -
poderá ser removida na posição Segunda posição no sentido horário a
DESLIGADA. partir da posição DESLIGADA (OFF). O
motor de partida dá partida no motor.
Solte a chave de ignição logo que o
motor começar a funcionar.

36
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

CONTROLES DO CONSOLE DIREITO

6 6 6 6
2
1
15
12 14

5
17 4
7 13 16 18 19
9
20
11
8
I
RH02G333
1. ALAVANCA DO ACELERADOR DE 8. CONTROLE DE CARGA DO ENGATE 15. CONTROLE DO BLOQUEIO DO
MÃO DIFERENCIAL
2. BOTÃO DE SELEÇÃO DE MARCHAS 9. CONTROLE DE POSIÇÃO DO ENGATE 16. CONTROLE DO LIMITE DE
PATINAGEM
3. ALAVANCA DO CONTROLE 10. BATENTE DO LIMITE INFERIOR DO 17. CONTROLE DA MUDANÇA
REMOTO (1-4) ENGATE (Não Mostrado) AUTOMÁTICA DE MARCHAS
4. QUINTO CONTROLE REMOTO 11. BOTÃO DO BATENTE DO LIMITE 18. CONTROLE DO SUPER
REDUTOR
5. QUINTO CONTROLE DO FLUXO 12. TRAVA DE TRANSPORTE DO ENGATE 19. CONTROLE DO MODO
REMOTO AUTOMÁTICO REMOTO
6. CONTROLE DA FUNÇÃO REMOTA 13. CONTROLE DA MUDANÇA DE 20. CONTROLE DA PTO
(1-4) MARCHAS PROGRAMÁVEL
7. CONTROLE SUBIR/DESCER DO 14. CONTROLE DA MFD
ENGATE

Alavanca do Acelerador de Mão


A alavanca do acelerador de mão (1) é
utilizada para controlar a velocidade do
motor. Para aumentar a velocidade do
motor, mova a alavanca para frente. Para
diminuir a velocidade do motor, mova a
alavanca para trás.

RH02G094

37
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

Seleção de Marchas
Pressione a par te superior (1) do
interruptor para engatar marchas mais
rápidas da transmissão. Pressione a parte
1
inferior (2) do interruptor para reduzir para
marchas inferiores da transmissão. Use o
botão de SELEÇÃO DE MARCHAS para
selecionar engates simples de marchas.
Consulte Mudança de Marchas da 2
Transmissão Powershift para mais detalhes.

RH02G077

Alavancas do Controle Remoto Elétrico (Conforme Equipado)


Os tratores são equipados com válvulas
remotas comandadas eletricamente para
controlar o fluxo do fluído hidráulico para o
primeiro, segundo, terceiro e se equipado,
o quarto circuito remoto. Consulte Controle
da Função da Válvula Remota.

NOTA: As válvulas remotas operadas 1 2 3


eletricamente possuem detentores de
4
elevação/descida controlados por
temporizador. Quando o trator estiver
equipado com um Monitor de
Desempenho, o tempo de reação de cada
válvula remota (1-5) pode ser ajustado e RH02G333

mostrado. Consulte Informação Individual


do Temporizador da Válvula Remota para
mais informações.

Quinto Controle Remoto (Se Equipado)


Este interruptor momentâneo de duas
posições (extender/retrair) controle o fluxo
do fluído hidráulico para o quinto acoplador
remoto na traseira do trator.

RH02G333

38
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

Quinto Controle do Fluxo Remoto (Se Equipado)


Este botão controla a vazão para o
quinto acoplador remoto na traseira do
trator. Gire o botão no sentido horário
para aumentar o vazão ou no sentido
anti-horário para reduzir a vazão.

RH02G333

ADVERTÊNCIA: Para evitar descida acidental do implemento, utilize sempre a função Travar Posição
! durante transporte. M848

Controle Elétrico da Função da Válvula Remota


Estas alavancas controlam a função de cada
alavanca do controle hidráulico remoto. Cada
alavanca possui cinco posições.

1. Posição do Motor Hidráulico - Estabelece o


circuito remoto para uso do motor hidráulico.

2. Posição de Elevação Sem Detenção -


Utilizada ao operar equipamentos ou acessórios
sem detenção, por exemplo um carregador.

3. Posição de Função Plena - Permite todas as


funções da alavanca de controle remoto.
RH02G333

4. Posição de Bloqueio de Flutuação - Impede


que a alavanca de controle remoto engate na 1 2 3 4 5
posição de flutuação.

5. Posição de Bloqueio - Trava a alavanca de


controle remoto para o transporte.

RH02H231

39
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

Interruptor Subir/Descer do Engate


O Interruptor Subir/Descer eleva ou
abaixa o engate de acordo com posições
pré-estabelecidas selecionadas pelo
operador sem alterar nenhum dos ajustes
do engate. Pressione a parte superior do
interruptor para abaixar o engate;
pressione a parte inferior do interruptor
para elevar o engate.

RH02G333

Controle da Carga do Engate


O botão de controle da carga ajusta a
profundidade do implemento para
controlar a carga no trator. Gire o
botão no sentido horário para
aumentar a carga no trator mediante o
abaixamento do implemento. Gire o
botão no sentido anti-horário para
reduzir a carga no trator mediante a
elevação do implemento.

RH02G333

Controle da Posição do Engate


O controle de posição do engate
eleva ou abaixa um implemento
montado no engate e seleciona a
profundidade de trabalho do
i m p l e m e n t o. Pa r a a b a i x a r o
implemento, gire a alavanca de
controle para trás. Para elevar o
implemento, gire a alavanca de
controle para frente. Durante o
transporte coloque a alavanca de
controle na posição travada.

RH02G085

40
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

Batente do Limite Inferior do Engate


Este batente ajustável (1) estabelece a posição mais
baixa desejada para a alavanca de controle da
posição do engate. Para desviar do batente, puxe o
2
trinco (2) para trás na alavanca de controle de
posição do engate e gire a alavanca até ultrapassar 1
o batente.

RH02G086

Botão de Ajuste do Batente do Limite Inferior do Engate


Gire o botão no sentido anti-horário para soltar e
ajustar o batente de limite inferior do engate. Gire o
botão no sentido horário para travar o batente de
limite inferior do engate.

RH02G086

Bloqueio do Controle da Posição do Engate Para Transporte


O controle da posição do engate pode ser
travado na posição elevada girando a
alavanca no sentido horário e puxando ao
mesmo tempo o trinco (1) para trás. Solte o
1
trinco para travar a alavanca no detentor.

NOTA: O interruptor SUBIR/DESCER do engate


deve estar na posição subir.

RH02G089

41
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

Interruptor da Mudança Programável de Marchas Rápidas/Reduzidas


O interruptor engata automaticamente mar-
chas mais RÁPIDAS (UP) ou REDUZIDAS
(DOWN) da transmissão, de um número de
velocidades pré-estabelecido. O valor
padrão é de duas velocidades para ambas
as posições de mudança de marcha, rápi-
das (up) ou reduzidas (down). O valor é
programável de 1 a 4 velocidades para
ambas as posições.

Pressione a par te superior do interruptor para


engatar uma marcha mais rápida pelo valor pré-
estabelecido. Pressione a parte inferior do interruptor
para reduzir a marcha pelo valor pré-estabelecido. RH02G086
Na posição central, o interruptor está DESLIGADO
(OFF).

O controle da mudança de marchas programável é


útil nas operações do início ou fim das fileiras
quando fazendo a volta com um implemento.
Consulte a seção Instrumentação deste manual para
alterar o valor pré-estabelecido da mudança de
marchas e a seção Operação de Campo deste
manual para obter mais detalhes.

Interruptor da MFD (Se Equipado)


O interruptor engata ou desengata a tração
dianteira mecânica (MFD).
MANUAL - Press ione e solte a par te
sup er ior do inter r uptor para e ngatar
manualmente a tração dianteira mecânica.
O ícone da MFD é mostrado na
instrumentação do trator.
DESLIGADO (OFF) - Mova o interruptor para a
posição central para DESLIGAR a tração dianteira
mecânica.
AUTOMÁTICO (A) - Pressione a parte inferior do
interruptor para a operação automática da tração
RH02G086
dianteira mecânica. Press the switch bottom for
automatic mechanical front drive operation. O ícone
da MFD é mostrado na instrumentação do trator.
Consulte Operação da MFD na Seção 7 deste
manual para informações adicionais.

42
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

Interruptor do Bloqueio do Diferencial


O i n t e r r u p t o r e n g a t a o bl o q u e i o d o
diferencial e possui três posições.
MANUAL - Pressione a parte superior do
interruptor para engatar manualmente o
bl o q u e i o d o d i fe r e n c i a l . O í c o n e d o
bloqueio do diferencial é mostrado na
instrumentação do trator.
TRAVADO/DESLIGADO (OFF) - Posição de trava
para o modo MANUAL, posição desligado (OFF)
para o modo AUTOMÁTICO.
AUTOMÁTICO (A) - Pressione a parte inferrior do
interr uptor para a operação AUTOMÁTICA do
RH02G086
bloqueio do diferencial. O ícone do bloqueio do
diferencial é mostrado na instrumentação do trator, e
a luz do interruptor acende. Consulte Bloqueio do
D i fe r e n c i a l n a S e ç ã o 7 d e s t e m a n u a l p a r a
informações adicionais.

Controle do Limite de Patinagem (Se Equipado)


Este interruptor engata o controle do
limite de patinagem para o controle do
engate. A posição para trás é
DESLIGADO (OFF), a posição central é
LIGADO (ON) e a posição momentânea
para frente é AJUSTAR (SET). A luz do
interruptor acende quando o controle do
limite de patinagem está ativo, e o engate está
ajustado para melhorar a tração das rodas.

Consulte Controle do Engate e Limite de Patinagem


no capítulo Operação de Campo deste manual para
mais informações.
RH02G086

Interruptor da Mudança Automática de Marchas (Autoshift) (Se Equipado)


Quando acionado (posição para frente), a
transmissão seleciona automaticamente
marchas à frente para manter o
de s e m pe n ho n o c a m po e c o n tr o l a a
velocidade durante o deslocamento em
estrada. A posição para trás é
DESLIGADO (OFF). Consulte Mudança
Automática de Marchas (Autoshift) na Seção
Instruções de Operação neste manual para detalhes.

RH02G086

43
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

Controle do Super Redutor (Se Equipado)


Este interruptor engata e desengata o
acionamento do super redutor. O
acionamento do super redutor possui
seis marchas à frente e duas marchas
à ré. Quando o acionamento do super
redutor está engatado, um “C” é mostrado próximo à
seleção de marcha à frente na instrumentação do
trator, e as marchas selecionadas mostradas são as
marchas do super redutor. A alavanca de controle da
t r a n s m i s s ã o d e v e e s t a r n a p o s i ç ã o PA R K
(ESTACIONAMENTO) ou NEUTRO para engatar ou
desengatar o acionamento do super redutor. A
posição do interruptor para frente é LIGADO (ON); a
posição do interruptor para trás é DESLIGADO RH02G333

(OFF).

NOTA: Esta posição do interruptor no console


também é usada para o Modo Automático Remoto.

Interruptor do Modo Automático do Comando Hidráulico Remoto (Se


Equipado)
Este interruptor engata/desengata o Modo
Automático para as Válvulas Remotas 1 e/
ou 3 do Comando Hidráulico. A posição
para frente engata/desengata a primeira
válvula remota, a posição para trás a
terceira válvula remota. Ambas as válvulas
podem ser engatadas ou desengatadas
simultâneamente ou independentemente.

O Modo Automático é útil ao operar implementos


que controlam eles próprios as válvulas remotas.
Consulte Modo Automático Auxiliar na Seção
Operação de Campo deste manual para mais
detalhes. RH02G334

NOTA: Esta posição do interruptor no console


também é usada para o Controle do Super Redutor.

Interruptor de Controle da PTO


O botão do interruptor da PTO é colorido
de amarelo para fácil identificação. Para
engatar a tomada de força, levante o
botão movendo-o ao mesmo tempo para
a frente. O botão permanece na posição
levantada. Para desengatar a tomada de
força, mova o botão de controle para trás.

NOTA: O ícone da PTO é mostrado na


instrumentação do trator quando a PTO está
engatada, e a rotação (RPM) da PTO é indicada.

RH02G084
Interruptor da PTO engatado

44
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

CONTROLES DO CONSOLE DO APOIO DE BRAÇO

Controles do Fluxo Hidráulico


Estes botões giratórios
co ntro lam a vaz ão do fl ux o
hidráulico para os acopladores
remotos de número 1 a 4
localizados na traseira do trator.
Gire os botões no sentido
horário para aumentar o fluxo para os acopladores
remotos, gire-o no sentido anti-horário para reduzir o
fluxo.

RH01K052

Controle do Temporizador da Válvula Hidráulica


Este botão controla o intervalo
de tempo (0 - 30 segundos) que
o acoplador remoto mantém o
fluxo hidráulico após a alavanca
de controle ter sido movida para
a posição de detenção. Gire o
botão no sentido horário para
aumentar o tempo, gire-o no
sentido anti-horário para reduzir o tempo. A posição
do botão girado totalmente no sentido horário
for nece um fluxo contínuo, necessário para a
operação do motor.

RH01K052

Controle de Posição da Profundidade


Previsto para uso futuro, este interruptor
não possui nenhuma função atual.

RH01K052

45
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

Controle do Limite Superior do Engate


TEste botão limita a quantidade
do deslocamento do engate
para cima quando a alavanca de
Controle de Posição do engate
ou o Interruptor de Subir/Descer
for utilizado para levantar o
engate. Gire o botão no sentido
horár io para aumentar o
deslocamento do engate para cima, gire-o no
sentido anti-horário para diminuir o deslocamento
para cima.

RH01K052

Controle da Velocidade de Descida do Engate


Este botão de controle ajusta a
velocidade de descida do
engate quando a alavanca de
Controle de Posição do engate
fo r g i r a d a p a r a t r á s o u o
interruptor de Subir/Descer do
engate for ativado. Gire o botão
no sentido horário para
aumentar a velocidade de descida, gire-o no sentido
anti-horário para reduzir a velocidade de descida.

RH01K052

Controle do Curso do Engate


O botão de controle do curso
ajusta a extensão do movimento
de altura do engate devido às
variações de carga. Gire o botão
no sentido horário para
aumentar o movimento do
engate e reduzir a variação de
carga do engate. Isto resulta em
um controle m ai s prec iso da c arga e melhor
acompanhamento dos contornos do solo. Gire o
botão no senti do anti- hor ár io para red uzi r o
movimento do engate e aumentar a variação de
carga do engate.
RH01K052

46
3 – CONTROLES DE OPERAÇÃO

Ajuste do Console do Apoio de Braço (Se Equipado)


O console do apoio de braço direito pode ser
ajustado para cima ou para baixo, para a frente ou
para trás para o conforto do operador. Para ajustar o
console do apoio de braço, afrouxe o botão grande
(1) no lado direito inferior do apoio de braço.
Posicione o console mais à frente ou mais à trás,
suba ou abaixe até a posição desejada e aperte o
botão. 1

MK98C009

47
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
3 – OPERATING CONTROLS

CONTROLES DO PÁRA-LAMA DIREITO (Com Controle de Temperatura


Padrão)

Controle do Limpador/Lavador do Pára-Brisa Dianteiro


Gire o botão no sentido horário para
LIGAR o limpador do pára-brisa na
velocidade BAIXA (I) ou ALTA (II) e no
sentido anti-horário para DESLIGAR.
Pressione o interruptor para ativar o
lavador (esguicho) do pára-brisa (se
equipado).

RI02G031

Interruptor do Limpador Traseiro (Se Equipado)


Pressione a parte superior do interruptor
para LIGAR o limpador traseiro; pressione
e mantenha pressionada a parte superior
do interruptor para ativar o lavador do
v i d r o t r a s e i r o. A p a r t e i n fe r i o r d o
interruptor é DESLIGADO.

RI02G031

Espelho Elétrico (Se Equipado)


Este botão controla o ajuste
d o s e s p e l h o s ex t e r n o s
elétricos, ajustando o ângulo
ou posição do cabeçote do
espelho. Gire no sentido anti-horário para ajustar o
espelho esquerdo e no sentido horário para ajustar o
espelho direito. Consulte Espelhos Extensíveis para
outros ajustes.

RI02G031

48
3 – OPERATING CONTROLS

Controle da Velocidade do Ventilador


Pa r a s e l e c i o na r a ve l oc i d a d e d o
ventilador, gire o botão no sentido
horário para uma velocidade BAIXA (I),
MÉDIA (II) ou ALTA (III).

RI02G031

Controle da Temperatura
Gire o botão no sentido horário
para ELEVAR a temperatura da
cabine. Gire o botão no sentido
anti-horár io para BAIXAR a
temperatura da cabine.

RI02G031

Interruptor do Ar Condicionado (A/C)


Pressione a parte superior do interruptor
para LIGAR o ar condicionado. Pressione a
p a r t e i n fe r i o r d o i n t e r r u p t o r p a r a
DESLIGAR o ar condicionado.
OPERAÇÃO DA LUZ DO INTERRUPTOR:
Luz apagada - O Sistema está
funcionando corretamente.
A luz pisca cerca de sete vezes por segundo - O
sistema apresenta problema de pressão baixa.
A luz pisca cinco vezes por segundo - O sistema
apresenta problema de pressão alta.
RI02G031
Se a luz do interruptor do A/C piscar, restabeleça o
sistema pressionando a parte inferior do interruptor
de A/C para a posição DESLIGADO, e então de
volta para a posição LIGADO. Se a luz continuar a
piscar, DESLIGUE o sistema de A/C; o sistema
necessita de manutenção ou reparo.

49
3 – OPERATING CONTROLS

Interruptor da Luz de Balizamento/Estroboscópica (Se Equipado)


Este é um interruptor LIGA/DESLIGA
de duas posições para controlar as
luzes de balizamento ou
estroboscópica Pressione a par te
superior do interruptor para LIGAR as
luzes de balizamento ou
estroboscópica. Pressione a par te
inferior do interruptor para DESLIGAR
as luzes.

RI02G031

Interruptor do Eixo Dianteiro Suspenso (Se Equipado)


Ao funcionar o motor, o eixo dianteiro
suspenso é automaticamente LIGADO
se equipado.

Pressione a par te superior do


interruptor para desengatar o eixo
suspenso e travar o eixo na posição
intermediária. O interruptor se ilumina
quando o eixo está TRAVADO e a
operação não é mais automática.
Pressione novamente a parte superior do interruptor
para reengatar o eixo suspenso.

RI02G031

50
3 – OPERATING CONTROLS

Interruptor do Controle de Deslocamento (Se Equipado)


Este interruptor LIGA ou DESLIGA o
sistema de Controle de Deslocamento.
Pressione a par te superior do
interruptor para LIGAR o sistema.
Pressione a parte inferior do interruptor
para DESLIGAR o sistema.
O Controle de Deslocamento melhora
a qualidade do deslocamento do trator
quando transportando um implemento
totalmente montado no engate, possibilitando ao
engate automaticamente levantar ou abaixar durante
o transporte. Isto reduz o movimento de oscilação
para frente e para trás criado ao transpor tar o
RI02G031
implemento na estrada.

IMPORTANTE: O implemento DEVE possuir folga


adequada com o solo quando elevado para evitar
danos ao implemento ou estrada quando o sistema
estiver engatado. O Controle do Limite Superior do
Engate DEVE ser toltalmente girado no sentido
horário até a posição 11 para a folga máxima do
implemento ao solo. Recomenda-se uma folga
mínima com o solo de 380 mm (15 inch) antes de
engatar o sistema de Controle de Deslocamento.

Quando o sistema de Controle de Deslocamento é


LIGADO, o engate automaticamente desce de sua
posição normal plena de transporte ou da posição
selecionada com o Controle do Limite Superior para
uma nova posição de transpor te quando a
velocidade para a frente excede 8 km/h (5 mph). O
sistema eleva e abaixa o engate e o implemento
levemente em torno da nova posição “abaixada” de
transporte.

Interruptor Liga/Desliga da Velocidade Constante do Motor (Se Equipado)


Este é um interruptor de duas posições.
Pressione a parte superior do interruptor
para LIGAR a característica de rotação
constante. Pressione a parte inferior do
interruptor para DESLIGAR a característica
de rotação constante. Consulte Operação
da Velocidade Constante do Motor para
mais detalhes.

RI02G031

51
3 – OPERATING CONTROLS

Interruptor de Ajuste da Velocidade Constante do Motor (Se Equipado)


Este é um interruptor oscilante de duas
posições momentâneas para ajustar a
velocidade máxima desejada do motor.
Pressione a parte superior do interruptor
para AUMENTAR a rotação do motor.
Pressione a parte inferior do interruptor
para REDUZIR a rotação do motor.

NOTA: Cada vez que o interruptor é pressionado, a


rotação do motor muda aproximadamente 10 rpm.
Não é possível ajustar a velocidade do motor acima
da posição atual da alavanca do acelerador.
RI02G031

Acendedor de Cigarro

RI02G031

52
3 – OPERATING CONTROLS

Operação da Ventilação para Controle de Temperatura Standard


AJUSTES DOS CONTROLES
Condição Velocidade do Saídas de Ar Saídas do Ar Controle da
Desejada Ventilador Desembaçador Condicionado Temperatura
Resfriar MÉDIA (II) Abertas AR LIGADO CCW
MÉDIA (II)
Aquecer OU AR Abertas DESLIGADO CW
BAIXA (I)
Remoção de
Umidade do Lado ALTA (III) Fechadas Abertas LIGADO CW
Interno da Janela
Operação em Dias MÉDIA (II)
Ensolarados mas OU Abertas AR DESLIGADO AR
Frios BAIXA (I)

AR = Adjust as Required.
CW = Clockwise
CCW - Counterclockwise

NOTA: Utilize o ajuste alto para o resfriamento NOTA: O trator possui um ventilador de
rápido de uma cabine quente ou para um pressurização dedicado para manter a pressão da
desembaçamento rápido. Utilize os ajustes médio ou cabine positiva sempre que a chave de ignição
baixo para o conforto ideal do operador. estiver LIGADA. O sistema standard aquece ou
resfria o ar do ventilador de pressurização.

53
3 – OPERATING CONTROLS

SISTEMA DE CONTROLE AUTOMÁTICO DE TEMPERATURA (Se Equipado)

Interruptor do Controle Automático de Temperatura (Interruptor CAT)


Este interruptor de três posições
seleciona o modo de operação.

Pressione a parte inferior do interruptor


para ativar o controle AUTOMÁTICO da
t e m p e ra t u ra q u a n d o fo r d e s e j a d o
aquecer ou resfriar.

Pressione o centro do interruptor para


DESLIGAR o controle automático da
temperatura. Este é o modo de renovação do ar
quando o ar externo é circulado na cabine sem
resfriamento ou aquecimento. O operador controle a
vel oc i d ad e d o ven ti l ad o r c o m o C on tr o l e d o RI02G032

Ventilador. 1. 3.
2. 4.
Pressione a parte superior do interruptor para ativar
o modo DESCONGELAR/DESEMBAÇAR quando os
vidros da cabine necessitam descongelar ou
desembaçar.

Controle da Temperatura
Gire o botão de controle no
sentido horário para ELEVAR a
temperatura da cabine. Gire o
botão de controle no sentido
anti-horár io para BAIXAR a
temperatura da cabine. O controle seleciona a
temperatura desejada da cabine em graus Celsius or
Fahrenheit na faixa de 15° to 32°C (60° to 90° F).

Faixa de Controle Automático daTemperatura (1):


15° to 32° C (60° to 90°F).

Zona de Resfriamento Máximo (2) - Movendo o


controle da temperatura para a zona de resfriamento RI02G032

máximo faz o sistema deixar a operação automática


ou de descongelamento e fornece a capacidade 1
máxima de resfriamento do sistema. A velocidade do
ventilador automaticamente sobe para o ajuste mais
alto. Movendo o controle para fora da zona retorna o
sistema para a operação automática ou de
descongelamento.

Zona de Aquecimento Máximo (3) - Movendo o


controle da temperatura para a zona de aquecimento
máximo faz o sistema deixar a operação automática
ou de descongelamento e fornece a capacidade
máxima de aquecimento do sistema. A velocidade 2 3
do ventilador automaticamente sobe para o ajuste
mais alto. Movendo o controle para fora da zona RH02F058
retorna o sistema para a operação automática ou de
descongelamento.

54
3 – OPERATING CONTROLS

Indicador de Temperatura
Mostra o ajuste atual da
t e m p e ra t u r a d a c a b i n e e o
modo de operação. Ajuste a
temperatura conforme desejado
com o controle da temperatura.

Mostrador Digital da Temperatura (1): Mostra a


temperatura atual desejada da cabine selecionada
pelo operador. Quando o sistema é LIGADO pela
primeira vez, pisca “88” por um curto tempo para
indicar que o sistema está inicializando. Quando
houver alguma falha do sistema, o mostrador alterna
entre a exibição da temperatura e um número de
código da falha. RI02G032

Mostra °C or °F para Celsius or Fahrenheit (2) - A


instalação ou remoção do fusível #28 muda a leitura. 2 5
Ícone do Modo Automático (3): É mostrado
somente quando o sistema estiver operando no
Modo Automático, e o sistema possui o controle da
velocidade do ventilador e temperatura.
Ícone Descongelar/Desembaçar (4): É mostrado
somente quando o sistema estiver operando no
modo Descongelar/Desembaçar. 4 3
1
Ícone de Manutenção Necessária (5): É mostrado RH98G032
quando houver uma falha no sistema. Consulte
Diagnóstico de Falhas do Sistema CAT.

Controle da Velocidade do Ventilador


Pa r a s e l e c i o na r a ve l oc i d a d e d o
ventilador, gire o botão de controle no
sentido horário de BAIXA para ALTA.
O controle do ventilador possui 30
velocidades no modo de renovação de
ar (Interruptor CAT DESLIGADO).

Nos modos automático e descongelar/desembaçar o


s is te ma d et er m in a e aj u st a a vel oc i da de d o
ventilador independente da ajustagem do controle do
ventilador. O ajuste do controle do ventilador durante
os modos automático ou descongelar/desembaçar
prevalec e sobre a veloc idade automática do
ventilador. RI02G032

55
3 – OPERATING CONTROLS

OPERAÇÃO DO CONTROLE AUTOMÁTICO DE TEMPERATURA

Modo Automático
1. Pressione a parte inferior do Interruptor do NOTA: Quando no modo automático em climas
Controle Automático de Temperatura (CAT) para frios, o ventilador da cabine não irá para velocidade
ativar o modo automático. Um “A” aparece no alta até que o núcleo do aquecedor esteja aquecido.
mostrador para indicar a operação automática.
4. Para cancelar o controle automático da
velocidade do ventilador, gire o Controle do
NOTA: Quando o botão de controle estiver na zona Ventilador para o seu ajuste de velocidade
de resfriamento ou aquecimento máximo, o “A” não desejado. O “A” desaparece do mostrador da
aparece. Gire o botão para fora da zona máxima temperatura.
para o “A” aparecer.

2. Ajuste a temperatura desejada da cabine com o NOTA: Quando o controle automático do ventilador
Controle de Temperatura. O compressor é é cancelado, o sistema não pode usar nenhuma
automaticamente Ligado e Desligado pelo velocidade além daquela selecionada para manter
sistema para resfriar a cabine; ou a válvula do ou atingir a sua temperatura preferida da cabine.
aqu ec edor é a utom ati ca men te a ber ta o u
fechada pelo sistema para aquecer a cabine. 5. Para retornar à operação automática, mova o
I n t e r r u p t o r C AT p a r a a p o s i ç ã o c e n t r a l
3. A velocidade do ventilador é automaticamente DESLIGADO, e então retorne o interruptor para
selecionada pelo sistema para atingir e manter a posição do símbolo “cristais de gelo”.
a temperatura selecionada da cabine. Quanto
m a i o r a d i fe r e n ç a e n t r e a t e m p e r a t u r a
selecionada e a temperatura real da cabine,
maior a velocidade do ventilador.

Operação do Modo Descongelar/Desembaçar


O objetivo do modo Descongelar/Desembaçar é 3. A velocidade do ventilador é automaticamente
remover a umidade da cabine que está embaçando selecionada pelo sistema para atingir e manter
ou cobr indo de gelo os vidros das janelas. A a temperatura selecionada da cabine. Para
operação é quase idêntica ao modo Automático, cancelar o controle automático da velocidade do
mas o compressor funciona continuamente para ventilador, gire o Controle do Ventilador no
rremover a umidade mais rapidamente. (Consulte sentido horário para o ajuste desejado da
Resumo Operacional para mais informações). velocidade do ventilador.
1. Pressione a parte superior do Interruptor do
Controle Automático da Temperatura (CAT) para
ativar o modo descongelar/desembaçar. O ícone NOTA: Quando o controle automático do ventilador
de desembaçar aparece no Mostrador para é cancelado, o sistema não pode usar nenhuma
indicar a operação de descongelar/desembaçar. velocidade além daquela selecionada para manter
ou atingir a sua temperatura preferida da cabine.
2. Ajuste a temperatura desejada da cabine até a
fa ix a de aq uec ime nto com o Contr ol e d a 4. Para retornar ao controle automático do
Te m p e r a t u r a p a r a a m e l h o r r e m o ç ã o d a ventilador, mova o Interruptor CAT para a
umidade. posição central DESLIGADO, e então retorne o
interruptor para a posição “desembaçar”.

56
3 – OPERATING CONTROLS

Resumo Operacional
Modo Automático
Interruptor do Controle Automático de Temperatura (CAT) ligado na posição do símbolo “cristais de gelo”, e “A”
aparece no Mostrador. Nenhum código de falha ativo.
Resposta do Sistema
O sistema requer uma diferença de 2°F (1°C) entre a temperatura selecionada e a temperatura real da cabine
antes de responder resfriando ou aquecendo. Selecionando uma temperatura um grau mais frio ou mais quente
que a temperatura desejada pode aumentar o conforto do operador.
Velocidade do Ventilador
Se a diferença entre a temperatura real Então a velocidade do
e a desejada é ... ventilador utilizada é ...
menor que ou igual a 2°F (1°C) ................................................... 25%
maior que 2°F (1°C) mas menor que ou igual a 4°F (2°C) .......... 35%*
maior que 4°F (2°C) mas menor que ou igual a 6°F (3°C) .......... 45%*
maior que 6°F (3°C) mas menor que ou igual a 8°F (4°C) .......... 55%*
maior que 8°F (4°C) mas menor que ou igual a 10°F (5°C) ........ 65%*
maior que 10°F (5°C) mas menor que ou igual a 12°F (6°C) ...... 75%*
maior que 12°F (6°C) .................................................................. 100%*
Operação do Compressor/Válvula do Aquecedor
O Compressor é Ligado ou Desligado conforme necessário para atingir ou manter a temperatura desejada da
cabine.
A válvula do aquecedor é aberta ou fechada conforme necessário para atingir ou manter a temperatura da
cabine.
Ajuste Manual da Velocidade do Ventilador
● A velocidade do ventilador permanece na posição selecionada pelo operador.
● “A” de automático não é mais exibido no Mostrador.
● O controle da temperatura permanece automático, mas o sistema não pode utilizar nenhuma velocidade
além da selecionada.
● Movendo o interruptor CAT para a posição DESLIGADO e então para a posição do símbolo “cristais de
gelo”, retorna o controle da velocidade do ventilador para o modo automático.
Zona de Resfriamento Máximo Selecionada
● Velocidade do ventilador em 100%.
● O compressor funciona continuamente. O compressor somente é DESLIGADO quando o ponto de
congelamento é alcançado no evaporador, e então é ligado novamente após o evaporador se aquecer.
● “A” de automático não é mais exibido no Mostrador.
● Movendo o controle da temperatura para fora do alcance máximo retorna o sistema para a operação
automática.
Zona de Aquecimento Máximo Selecionada
● Velocidade do ventilador em 100%.*
● Válvula do aquecedor na posição de máxima abertura.
● “A” de automático não é mais exibido no Mostrador.
● Movendo o controle da temperatura para fora do alcance máximo retorna o sistema para a operação
automática.
Exceção
* Quando o aquecimento é selecionado, a velocidade do ventilador permanece em 25% até o evaporador
aquecer a 55° F (12.8° C).

57
3 – OPERATING CONTROLS

Modo Descongelar/Desembaçar
Interruptor do Controle Automático de Temperatura (CAT) ligado na posição do símbolo “desembaçar”, e o
ícone “desembaçar” aparece no Mostrador. Nenhum código de falha ativo.
Resposta do Sistema
O sistema requer uma diferença de 2°F (1°C) entre a temperatura selecionada e a temperatura real da cabine
antes de responder resfriando ou aquecendo. Selecionando uma temperatura um grau mais frio ou mais quente
que a temperatura desejada pode aumentar o conforto do operador.
Velocidade do Ventilador
Se a diferença entre a temperatura real Então a velocidade do
e a desejada é ... ventilador utilizada é ...
menor que ou igual a 2°F (1°C) ................................................... 25%
maior que 2°F (1°C) mas menor que ou igual a 4°F (2°C) .......... 35%*
maior que 4°F (2°C) mas menor que ou igual a 6°F (3°C) .......... 45%*
maior que 6°F (3°C) mas menor que ou igual a 8°F (4°C) .......... 55%*
maior que 8°F (4°C) mas menor que ou igual a 10°F (5°C) ........ 65%*
maior que 10°F (5°C) mas menor que ou igual a 12°F (6°C) ...... 75%*
maior que 12°F (6°C) .................................................................. 100%*
Operação do Compressor/Válvula do Aquecedor
● **O compressor funciona continuamente para remover a umidade da cabine. O compressor somente é
DESLIGADO quando o ponto de congelamento é alcançado no evaporador, e então é ligado novamente após o
evaporador se aquecer.
● A válvula do aquecedor é aberta ou fechada conforme necessário para atingir ou manter a temperatura da
cabine.
Ajuste Manual da Velocidade do Ventilador
● A velocidade do ventilador permanece na posição selecionada pelo operador.
● O ícone “desembaçar” ainda aparece no Mostrador.
● O controle da temperatura permanece automático, mas o sistema não pode utilizar nenhuma velocidade
além da selecionada.
● Movendo o interruptor CAT para a posição DESLIGADO e então para a posição “desembaçar”, retorna o
controle da velocidade do ventilador para o modo automático.
Zona de Resfriamento Máximo Selecionada
Uso inefetivo do sistema; o compressor está funcionando continuamente no modo descongelar/desembaçar. O
Controle da Temperatura deve estar na zona de aquecimento para melhor desembaçar ou descongelar a
cabine.
Zona de Aquecimento Máximo Selecionada
● Velocidade do ventilador em 100%.*
● Válvula do aquecedor na posição de máxima abertura; o compressor funciona continuamente.
● O ícone “desembaçar” ainda aparece no Mostrador.
● Movendo o controle da temperatura para fora do alcance máximo retorna o sistema para a operação
automática.
Exceção
* Quando o aquecimento é selecionado, a velocidade do ventilador permanece em 25% até que o evaporador
se aqueça a 55° F (12.8° C).
** Em dias muito frios, o compressor não engata até o evaporador aquecer a 32° F (0° F).

58
3 – OPERATING CONTROLS

Diagnóstico de Falhas do Sistema de Controle Automático da Temperatura


O Sistema de Controle Automático da Temperatura Código “05” - Em alter nância com o valor da
exibe códigos de falhas, alternadamente com o valor temperatura - possível defeito do potenciômetro de
d a t e m p e r a t u r a , s e o c o r r e u m d e fe i t o d e controle da temperatura, o sistema se estabelece a
funcionamento no sistema. Os códigos de falhas e 20° C (68° F). O sistema requer reparo.
as ações necessárias são os seguintes:
Código “08” - Em alter nância com o valor da
Código “01” - Exibido em alternância com o valor tem pera tura - po ss ível defei to do s ens or d e
da tem peratu ra - B lo quei o por a lta pr es sã o, temperatura da cabine ou a temperatura da cabine
pressione o Interruptor do Controle Automático de está abaixo de -19°C (-2°F). Ajuste o controle da
Temperatura para a posição central DESLIGADO, e temperatura acima de 23°C (74° F). Se o código de
então para a posição traseira automática ou posição defeito não apagar após a temperatura da cabine se
dianteira de desembaçar conforme desejado. Se o elevar acima de -19°C (-2°F), o sistema requer
código “01” reaparecer, o sistema necessita de reparo. Afim de continuar a operação, o controle da
reparo. temperatura deve ser ajustado acima de 21°C (70°F)
para aquecimento ou abaixo de 19°C (66°F) para
Código “02” - Exibido em alternância com o valor resfriamento.
da temperatura - Bloqueio por baixa pressão,
pressione o Interruptor do Controle Automático de Código “10” - Em alter nância com o valor da
Temperatura para a posição central DESLIGADO, e tem pera tura - po ss ível defei to do s ens or d o
então para a posição traseira automática ou posição evaporador ou a temperatura da cabine está abaixo
dianteira de desembaçar conforme desejado. Se o de -19°C (-2°F). O compressor não funciona. Se o
código “02” reaparecer, o sistema necessita de código de defeito não apagar após a temperatura da
reparo ou a temperatura externa pode estar muito cabine se elevar acima de -19°C (-2°F), o sistema
fria para a operação do ar condicionado - menos que requer reparo.
4° C (40° F).
Código “11” - Em alter nância com o valor da
Código “04” - Em alternância com o valor da tem pera tura - po ss ível defei to do s ens or d o
temperatura - possível defeito do potenciômetro de eva p o r a d o r o u a t e m p e r a t u r a d o n ú c l e o d o
controle do ventilador, o ventilador se estabelece na evaporador excedeu 82°C (180°F). O compressor
velocidade máxima. O sistema requer reparo. não funciona. Se o código de defeito não apagar, o
sistema requer reparo.

59
3 – OPERATING CONTROLS

Saídas de Ar/Desembaçador
Há diversas saídas de ar por toda a cabine. Para controlar a direção do fluxo de ar, ajuste as palhetas das saídas
de ar/desembaçador para cima ou para baixo e para a direita ou para a esquerda.

RH02G325 RH02G341
Saídas Superiores do Console Frontal Saída do Lado Esquerdo da Cabine
1. SAÍDAS DE AR 2. SAÍDAS DO
DESEMBAÇADOR

RH02G072
Saída do Lado Direito da Cabine
RD98F116
Saídas Inferiores do Console Frontal

60
3 – OPERATING CONTROLS

JANELA TRASEIRA

Posição de Ventilação
A janela traseira da cabine pode ser aberta em duas
posições. A janela pode ser travada na posição de
ventilação com a alavanca encaixada no rebaixo. A
janela pode também ser totalmente aberta e mantida
aberta através das escoras de sustentação.

RP98G517

Posição Travada
Para fechar a janela, segure a alavanca da janela,
puxe-a e coloque a alavanca na posição travada.

RP98G516

LUZ DO TETO
A posição do interruptor determina o funcionamento
da luz do teto:

● Posição Esquer da - A luz do teto ac ende


continuamente até que o i nterr uptor sej a
DESLIGADO.

● Posição Central - A luz do teto está DESLIGADA.

● Posição Direita - A luz do teto acende quando a


porta da cabine é aberta e DESLIGA quando o
porta é fechada.

RH02J132

61
3 – OPERATING CONTROLS

LUZ DE LEITURA (Se Equipado)


A luz de leitura está localizada no lado direito do
revestimento do teto da cabine. LIGUE e DESLIGUE
a luz pressionando o interruptor. Direcione o facho
de luz segurando a lente da luminária e girando-a
para a posição desejada.

RP98G530

RÁDIO (Se Equipado)


O rádio está localizado no lado direito do
revestimento do teto da cabine. Para as instruções
de uso, consulte o manual do rádio localizado no
compartimento do manual do operador, atrás do
banco.

Rádios com ou sem toca-fitas funcionam com a


chave de ignição na posição Acessório ou Ligada
(ON). O rádio com toca-CD funciona com a chave de
ignição em qualquer posição.

RH02G071

PROTETOR DE SOL (Se Equipado)


Segure a saliência central e puxe o protetor de sol
para baixo até a posição desejada. Para retrair o
protetor de sol, empurre para cima na saliência
central.

RD98B036

62
3 – OPERATING CONTROLS

ESPELHO RETROVISOR INTERNO


Sentado no banco do operador, gire a cabeça do
espelho retrovisor até obter a visão desejada.

RD98B047

ESPELHOS RETROVISORES EXTERNOS EXTENSÍVEIS (Se Equipado)


Os espelhos retrovisores exter nos podem ser
estendidos ou retraídos soltando o botão de ajuste e
movendo o suporte do espelho para dentro ou para
for a. A p er te o bo tã o d e a j us t e a pó s ob te r o
comprimento desejado.

MK99K148

CONSOLE DE UTILIDADES
O cinzeiro e o por ta-copo estão localizados no
console do pára-lama esquerdo.

IMPORTANTE: Não utilize este console como


assento.

RH02J063

63
3 – OPERATING CONTROLS

64
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Esta seção apresenta uma visão geral da instrumentação interna da cabine. Para obter
instruções de operação detalhadas, consulte a seção correspondente neste manual.

INSTRUMENTAÇÃO DO TRATOR

Instrumentação Padrão da Coluna ROPS


A instrumentação do trator encontra-se montada na
coluna dianteira direita da cabine. Os instrumentos
do trator verificam automaticamente diversos
sistemas operacionais e funções do trator. A
condição dos sistemas monitorados é indicada por
mostradores de serviço, mostradores de gráfico de
barra e mostradores LCD de texto.
O s i n s t r u m e n t o s ex i b e m a s i n fo r m a ç õ e s d e
desempenho do trator e as condições dos alarmes
audíveis que são importantes à operação do sistema
trator e implemento.
A iluminação dos instrumentos do trator e do monitor
de desempenho é ajustável. Quando o interruptor
das luzes é LIGADO, a intensidade da iluminação
dos instrumentos diminui. Pressionando a tecla
INCR aumenta a intensidade da iluminação 10%
cada vez que a tecla é pressionada. Pressionando a
tecla DECR reduz a intensidade da iluminação 10%
cada vez que a tecla é pressionada. A iluminação
dos instrumentos é de 100% quando as luzes de RH02J049
serviço do trator estão apagadas.
Quando a chave de ignição é girada para a posição
LIGADA (ON), a instrumentação do trator executa
um auto teste dos sistemas monitorados. Todas as
luzes indicadoras, mostradores de gráficos de barra
e de texto ligam por 3 segundos, e um alarme
sonoro soa por um segundo. Antes da partida do
trator, certifique-se de que todos os sistemas este-
jam funcionando. Se algum sistema não estiver fun-
cionando, contate o seu concessionário Case IH.

Monitor de Desempenho (Opcional)


Um monitor de desempenho opcional pode ser
instalado adicionalmente ao sistema básico para
proporcionar informações adicionais de desempenho
e um recurso de parada automática do motor na
ocorrência de uma falha grave.

RH02J050

65
4 – INSTRUMENTAÇÃO

CONJUNTO DE INSTRUMENTOS (PaInel 1)


O conjunto de instrumentos monitora a pressão do
ó l e o d o m o t o r, t e m p e r a t u r a d o l í q u i d o d e 1
arrefecimento e nível de combustível. O quar to
mostrador deste painel são os ícones indicadores e
de aviso.
2
1. INDICADOR DA PRESSÃO DO ÓLEO
DO MOTOR - Quando o motor está em
funcionamento, a pressão do óleo deve
3
estar dentro da área verde do
mostrador. Se o indicador entrar na 4
área vermelha, é ativado um alarme
sonoro. O primeiro aviso soará por 3
segundos e pisc a o mostrador. O RH02J051

segundo aviso soa de forma contínua, 1. INDICADOR DA 3. INDICADOR DO NÍVEL


pisca o mostrador, pisca o ícone de PRESSÃO DO ÓLEO DE COMBUSTÍVEL
DO MOTOR
parada do motor e exibe a mensagem 2. INDICADOR DA 4. ÍCONES INDICADORES
de texto “STOP THE ENGINE” (Pare o TEMPERATURA DO E DE AVISO
Motor). Desligue o motor LÍQUIDO DE
imediatamente e verifique a causa do ARREFECIMENTO DO
problema. O indicador também mostra MOTOR
leituras digitais em PSI ou kPa na
seção inferior direita do mostrador.

2. INDICADOR DA TEMPERATURA DO 4. ÍCONES INDICADORES E DE AVISO - Estas


LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO DO luzes acendem para informar ao operador que a
MOTOR - Quando o motor está em operação do trator deve ser interrompida, ou que
f u n c i o n a m e n t o, o i n d i c a d o r d a uma função selecionada está em operação.
temperatura deve estar dentro da área
verde deste mostrador. Se o indicador NOTA: Ícones adicionais podem ser vistos no painel
entrar na área vermelha, é ativado um e podem ser exibidos durante a partida, na
alarme sonoro. O primeiro aviso soa inicialização do teste de luzes, entretanto somente
por 3 segundos e pisca o mostrador. O os ícones mostrados abaixo são ativos nos tratores
segundo aviso soa de forma contínua, Magnum Série MX.
pisca o mostrador, pisca o ícone de
parada do motor e exibe a mensagem
de texto “STOP THE ENGINE” (Pare o 5
Motor). Desligue o motor
1 4
imediatamente e verifique a causa do
problema. O indicador também mostra
a leitura digital da temperatura em 2 3
graus Fahrenheit ou Celsius na parte
inferior direita do mostrador.
RH97J011
1. MFD ENGATADA 4. PTO ENGATADA
3. INDICADOR DO NÍVEL DE
2. INDICADOR DE 5. BLOQUEIO DO
COMBUSTÍVEL - O indicador do nível PARADA DO MOTOR DIFERENCIAL
de combustível indica a quantidade de ENGATADO
combustível existente no tanque. O 3. FARÓIS ALTOS
símbolo esquerdo indica tanque vazio LIGADOS
e o direito tanque cheio. Quando o
nível de combustível está baixo, um
alar me soa por 3 segundos, o
mostrador pisca e uma mensagem de
texto “LOW FUEL” (Combustível Baixo)
é exibida.

66
4 – INSTRUMENTAÇÃO

MOSTRADOR PROGRAMÁVEL E DE DADOS FUNCIONAIS (PaInel 2)


Este painel exibe as funções básicas do trator (1-5) e
contém o Monitor de Exibição Programável (6) e o 1
Teclado (7).
2
1. ÍCONE DA VELOCIDADE (RPM) DO
MOTOR - Exibe a velocidade do motor 3
em rotações por minuto (RPM).
4

2. ÍCONE DA VELOCIDADE REAL DE 5


6
AVANÇO - Exibe a velocidade real de
avanço do trator no solo em milhas por
hora (MPH) ou quilômetros por hora
(km/h). 7

3. ÍCONE DE MARCHA À FRENTE -


Mostra a marcha à frente atual MK99K130

selecionada. 1. LEITURA DA 5. ÍCONE DE POSIÇÃO DA


VELOCIDADE DO ALAVANCA DE
MOTOR (RPM) MUDANÇAS
2. LEITURA DA 6. MONITOR DE
4. ÍCONE DE MARCHA À RÉ - Mostra a VELOCIDADE REAL DE EXIBIÇÃO
marcha à ré atual selecionada. AVANÇO PROGRAMÁVEL
3. LEITURA DA MARCHA 7. TECLADO
À FRENTE
4. LEITURA DA MARCHA
5. INDICADOR DE POSIÇÃO DA ALAVANCA DE À RÉ
CONTROLE DA TRANSMISSÃO - Esta exibição
indica a posição atual da alavanca de mudança
de marcha:

ESTACIONAMENTO (PARK) - Indica- NOTA: Um retângulo piscando sobre o ícone de


da por um retângulo cheio contornando ponto morto indica que a marcha mudou para
a letra N e um P na parte inferior direi- PONTO MORTO (NEUTRAL). Mova a alavanca de
ta. controle da transmissão para a posição de PONTO
MORTO (NEUTRAL) ou ESTACIONAMENTO
À FRENTE (FORWARD) - Indicada por (PARK) para reengatar a marcha. Se a condição
um retângulo cheio contornando o vi- persistir, consulte Diagnóstico de Falhas de
sualizador superior de marcha à frente Desengate de Marchas neste manual para
do trator. informações sobre as possíveis causas.

PONTO MORTO (NEUTRAL) - Indica-


da por um retângulo cheio contornando
a letra N.

RÉ (REVERSE) - Indicada com um


retângulo cheio contornando o visual-
izador inferior de marcha à ré do trator.

67
4 – INSTRUMENTAÇÃO

6. MOSTRADOR PROGRAMÁVEL - Este mostra-


dor transmite mensagens de texto ao operador.
Cada mensagem está associada a um ícone
gráfico para identificar o sistema do veículo.

RH02J052
6. MOSTRADOR 7. TECLADO
PROGRAMÁVEL

Normalmente as horas de operação do motor são exibidas na


área inferior de texto. Quando a PTO está engatada, o ícone da
PTO e a velocidade são mostradas na área superior de texto.
Quando AUX (hidráulico remoto) está engatado, o ícone AUX e a
situação do interruptor são mostrados na área superior. Se 1000
1000
ambos PTO e AUX estão engatados, é exibida a informação da
PTO.
1378.2
RH02H135

Pressione a tecla RESET por um segundo para exibir a pressão


do óleo da transmissão na área inferior (no lugar das horas do
motor). O valor é exibido em psi ou kPa, dependendo da unidade
de medida selecionada.
1000
1000
Para retornar às horas do motor, pressione a tecla HOURS a
qualquer momento.

NOTA: Estas exibições são substituidas por exibições de aviso


T 333 PSI
RH02H136
se os avisos se tornarem ativos.

1000
1000
T 2296kPa RH02H137

68
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Pressione novamente a tecla RESET por um segundo para exibir


a temperatura do óleo da transmissão na linha inferior. O valor é
mostrado em graus “F” (Fahrenheit) or “C” (Celsius), dependendo
da unidade de medida selecionada.
1000
1000
T 190 F RH02H137

1000
1000
T 87.7 C RH02H139

Pressione novamente a tecla RESET por um segundo para exibir


a temperatura do coletor de admissão de ar do motor na linha
inferior.

1000
1000
M 104F
RH02H140

Pressione novamente a tecla RESET para exibir a voltagem do


sistema na linha inferior.

1000
1000
Para retornar às horas do motor, pressione a tecla HOURS a
qualquer momento.
V 13.9 V
RH02H142

69
4 – INSTRUMENTAÇÃO

7. TECLADO DO MOSTRADOR (7) - Este teclado


é utilizado para programar o mostrador
localizado diretamente acima dele. As funções
das teclas são:

TECLA FUNÇÃO
RESET Restabelece os avisos de 6
falhas. Cancela por um
período de tempo alguns
avisos de falhas. 7
PROG Entra no modo de
configuração, seleciona
parâmetros dentro do modo
de configuração e de RH02J052

diagnóstico. 6. MOSTRADOR 7. TECLADO


PROGRAMÁVEL
INCR Aumenta o valor do número
(Seta exibido ou seqüência
para informativa.
Cima)
DIAG Exibe códigos de falhas
acumulados.

HOURS Exibe as horas de operação


do motor.

DECR Diminui o valor do número


(Seta exibido ou seqüência
para informativa.
Baixo)

70
4 – INSTRUMENTAÇÃO

PROGRAMAÇÃO DO MOSTRADOR PROGRAMÁVEL


Os seguintes parâmetros operacionais podem ser IMP O RTA NTE: A Alavanca de Controle da
alterados no mostrador do monitor: Tr a n s m i s s ã o D E V E e s t a r n a p o s i ç ã o d e
ESTACIONAMENTO (PARK) ao programar o
● Unidades do Mostrador: Sistema Inglês ou Mostrador.
Métrico
IMPORTANTE: Certifique-se de que a Alavanca de
● Raio do Pneu Mudança de Marcha esteja na posição PARK
( e s ta c i on a me n to ) . S i g a a s et ap a s de s c r i t as
● Contagem de Área e Largura do Equipamento cuidadosamente. Outros menus podem ser
(Se equipado com monitor de desempenho) acessados no MODO DE PROGRAMAÇÃO. NÃO
altere nenhum outro dado a não ser aqueles
● Quantidade do Fluxo de Extensão/Retração de descritos. Poderão ocorrer problemas graves de
Cada Acoplador Remoto (Se equipado) funcionamento no trator caso sejam alterados
dados em qualquer outro menu. Se os dados
● Calibração do Sensor de Velocidade Real de forem mudados inadver tidamente, DESLIGUE a
Avanço no Solo (Radar) chave da igniç ão para sair do MODO DE
PROGRAMAÇÃO antes que qualquer outra tecla
● Valor da Marcha do Interruptor da Mudança seja pressionada. Este procedimento reterá os
Programável de Marcha Rápida/Reduzida dados originais.

Entrando no Modo de Programação (Program Mode)


1. LIGUE a chave de ignição.

2. Pressione e segure a tecla PROG.

NOTA: A tecla PROG deve ser pressionada dentro de 10


segundos após LIGAR a chave de ignição. Um bip curto soa para
indicar que o MODO DE PROGRAMAÇÃO foi entrado. A
INST
mensagem INST SET MENU (Menu de Ajuste de Instalação) e o
ícone de programação são exibidos.

NOTA: O ajuste da intensidade da iluminação de fundo não é


SET MENU
RH02H239
possível quando o controlador está no modo de DIAGNÓSTICO
ou CONFIGURAÇÃO (SETUP), onde as teclas INCR e DECR
possuem outras funções.

NOTA: A intensidade da iluminação de fundo está a 100% da intensidade máxima quando as luzes de serviço do
trator estão desligadas.

Alteração das Unidades de Medida do Mostrador: Sistema Inglês ou Métrico


Para alterar as unidades:

1. Entre no MODO DE PROGRAMAÇÃO.

71
4 – INSTRUMENTAÇÃO

2. Pressione a tecla PROG para exibir INST OP SETUP.

INST
OP SETUP
RH02H238
3. Pressione a tecla PROG para exibir a tela UNIT.

4. Pressione a tecla INCR ou DECR para exibir unidades do


sistema inglês (ENGLISH) ou métrico (METRIC). UNIT
NOTA: A linha inferior mostra as unidades atuais do mostrador e
os indicadores da instrumentação do trator mudarão as unidades
de exibição. ENGLISH
RH02H240

UNIT
METRIC
RH02H241

Para sair sem gravar a alteração, DESLIGUE a chave de ignição.

Para gravar a alteração:

1. Pressione a tecla PROG. O mostrador avança para a tela do


raio manual do pneu.

2. DESLIGUE a chave de ignição. MAN


RADIUS
RH02H242

72
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Programação do Raio do Pneu


O raio do pneu é programado manual ou Based on the distance traveled, the time and
automaticamente. frequency of the speed sensor recorded, the
instrumentation then calculates the tire radius. This
No método manual, o operador entra com o raio tire radius is then used for all ground s peed
conhecido do pneu na instrumentação padrão. calculations. It overwrites any manually entered tire
radius.
Com o método automático, a instrumentação padrão
calcula o raio do pneu. Para fazer isso, o trator deve
ser dirigido ao longo de um curso reto estabelecido,
com 60 metros (197 ft) de comprimento, com uma
linha de partida e uma de chegada.

Programação Manual do Raio do Pneu

1. Entre no MODO DE PROGRAMAÇÃO.

2. Pressione a tecla PROG para exibir INST OP SETUP.

INST
OP SETUP
RH02H238

3. Pressione duas vezes a tecla PROG para exibir a tela do raio


manual do pneu (MAN RADIUS).

MAN
RADIUS
RH02H242

73
4 – INSTRUMENTAÇÃO

4. Pressione a tecla PROG para exibir a tela RADI (raio). O


valor atual do raio é exibido na linha inferior em polegadas ou
milímitros. Pressione a tecla INCR ou DECR para ajustá-lo.
(Consulte a Tabela do Raio dos Pneus na página 75 para
obter o valor correto.)
RADI
29.3in
RH02H243

RADI
742mm
RH02H244

Para sair sem gravar a alteração, DESLIGUE a chave de ignição.

Para gravar a alteração:

1. Pressione a tecla PROG. O mostrador avança para a tela de


calibração do radar se existir o sensor de velocidade real de
avanço ou retorna para a tela INST OP SETUP.

2. DESLIGUE a chave de ignição.


NO
RDR CAL?
RH02H245

74
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Tabela do Raio Médio de Rolamento dos Pneus


Use as seguintes dimensões para programar o mostrador:

Raio de Rolamento
Tipo da Tamanho do Tipo do
Garra Pneu Pneu Goodyear Firestone Michelin Pirelli
mm (Inch) mm (Inch) mm (Inch) mm (Inch)
30.5-32 Diagonal 820 (32.3)

24.5-32 Diagonal 823 (32.4) 850 (33.5)


R1
20.8-38 Diagonal 833 (32.8) 882 (34.7)

20.8R42 Radial 926 (36.5)

520/85R42 Radial 919 (36.2)


R1W
710/70R42 Radial 989 (38.9) 928 (36.5)

R2 20.8R42 Radial 944 (37.2)

75
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Raio de Rolamento Dinâmico do Pneu

Os valores dos raios de rolamento dos pneus na 2. Opere o trator totalmente carregado em uma
Tabela do Raio Médio de Rolamento dos Pneus superfície seca e plana.
(página anterior) representa o raio de rolamento
estátic o para diversos tamanhos de pneus e 3. Conte dez (10) voltas da roda.
fabricantes. O raio real de rolamento pode variar um
pouco dependendo da pressão do pneu, desgaste 4. Meça a distância percorrida em polegadas e
do pneu e do peso e carga no trator. divida por uma constante de engenharia (62.83).

Se é exigido um alto grau de precisão, o raio de 5. Use a seguinte fórmula para determinar o raio de
rolamento dinâmico pode ser calculado: r o la m en t o d i nâ m ic o ( Ra i o d e R o la m en t o
Dinâmico = Distância Percorrida em polegadas
1. Faça uma marca na lateral do pneu do trator. dividido por 62.83)

Distância Percorrida (Pol.)


--------------------------------------------------------------------------- = Raio de Rolamento Dinâmico
62.83

6. Entre com o raio de rolamento dinâmico como especificado no Passo 4 da programação do raio do pneu.

Programação Automática do Raio do Pneu

1. Entre no MODO DE PROGRAMAÇÃO.

2. Pressione a tecla PROG para exibir INST OP SETUP.

INST
OP SETUP RH02H238

3. Pressione a tecla PROG para exibir UNIT na parte superior.

4. Pressione duas vezes a tecla PROG para exibir a tela do raio


manual do pneu (MAN RADIUS).

MAN
RADIUS
RH02H242

76
4 – INSTRUMENTAÇÃO

5. Pressione a tecla INCR ou DECR para mudar de MAN para


AUTO.
AUTO
RADIUSRH02H246
6. Pressione a tecla PROG. O mostrador mostra RADI na linha
superior e WORKING na inferior.
RADI
WORKINGRH02H247

7. Dirija o trator a uma velocidade estável maior que 3 km/h (2


mph) por um trajeto marcado de 60 metros (197 ft). Na linha
de início, pressione a tecla INCR. Um asterisco é mostrado
na frente de WORKING para indicar que o procedimento RADI
está em execução.

WORKINGRH02H248

8. No final do trajeto, pressione a tecla DECR.

9. A tela exibe o raio calculado do pneu na linha de baixo (em


mm ou pol.).

Para sair sem gravar a alteração, DESLIGUE a chave de ignição. RADI


Para gravar a alteração:

1. Pressione a tecla PROG para gravar o raio calculado do


pneu e sair.
29.3in
RH02H249

2. DESLIGUE a chave de ignição.

77
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Alteração dos Valores de Extensão/Retração da Válvula Hidráulica Remota


(Se Equipado)
As válvulas remotas do trator são programadas na fábrica para proporcionar movimentos iguais de extensão e
retração dos cilindros hidráulicos remotos. Para alterar os tempos de extensão ou retração para aplicações
especiais:

NOTA: If possible connect the specific implement or machine to the tractor to verify the operation.

1. Entre no MODO DE PROGRAMAÇÃO.

2. Pressione a tecla INCR ou DECR até exibir AUX SET MENU


(Menu de Configuração Auxiliar).
AUX
SET MENU
RH02H250

3. Pressione a tecla PROG para exibir a tela AUX VIEW.

AUX
VIEW RH02H251

4. Pressione a tecla INCR ou DECR até exibir a tela AUX


ADJUST.
AUX
ADJUST RH02H252

78
4 – INSTRUMENTAÇÃO

5. Pressione a tecla PROG para exibir EXT 1.

6. Pressione a tecla INCR ou DECR para exibir a válvula


remota desejada (1 a 5, se equipado) e a direção desejada
EXT (= Extender) ou RET (= Retrair).
AUX
NOTA: As teclas INCR ou DECR avançam ou retrocedem
através dos menus extender e retrair para as válvulas remotas
instaladas: Ext1, Ret1, Ext2, Ret2, Ext3, Ret3 e assim por diante.
Ext 1
RH02H253

AUX
Ret 1
RH02H254

7. Pressione a tecla PROG para exibir o valor atual para a


válvula remota selecionada e a direção.

NOTA: Os valores de fábrica de EXT e RET para todas as


AUX
válvulas remotas são zero (0); isso proporciona fluxo igual em
ambas as direções.

0
RH02H255

8. Pressione a tecla INCR ou DECR para aumentar ou diminuir


o n úm er o. C ad a a lt era ç ão de n úm e ro c or r e sp on d e
aproximadamente a uma alteração de 0,75 a 2,3 l/min (0.2 a
0.6 GPM) de fluxo hidráulico.
AUX
9. Pressione a tecla PROG.

10. Mova a alavanca do controle remoto para verificar a


operação da função remota.
2
RH02H274

11. Se forem necessárias alterações adicionais, repita os


Passos 6 a 10 para as outras válvulas remotas.

79
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Para sair sem gravar a alteração, DESLIGUE a chave de ignição.

Para gravar as alterações:

1. Pressione a tecla INCR ou DECR até exibir a tela AUX EXIT.

AUX
EXIT
RH02H256

2. Pressione a tecla PROG para exibir a tela ADJUST.

3. DESLIGUE a chave de ignição.


AUX
ADJUST
RH02H252

80
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Alteração da Altura de Ejeção do Engate Traseiro (Se Equipado)


O trator automaticamente DESLIGA a MFD e/ou o Isto ocorre quando a altura de trabalho do
bloqueio do diferencial quando o engate traseiro for implemento é alta e o engate traseiro levanta acima
levantado para curvas de retorno mais suaves nas do “gatilho” muito cedo.
extremidades do campo de arado. Com alguns
implementos, a MFD e o bloqueio do diferencial
podem desengatar mais cedo do que o desejado
durante a operação no campo.

Se a MFD e/ou o bloqueio do diferencial desengatam muito cedo, o “gatilho” do engate pode ser ajustado:

1. Entre no MODO DE PROGRAMAÇÃO.

2. Pressione a tecla INCR ou DECR até exibir a tela HITCH


SET MENU (Menu de Configuração do Engate).
HITCH
SET MENU RH02H257

3. Pressione a tecla PROG para exibir a tela HITCH CAL.

HITCH
CAL RH02H260

4. Pressione a tecla INCR ou DECR até exibir a tela HITCH


SETTINGS.
HITCH
SETTINGS RH02H258

5. Pressione a tecla PROG até exibir a tela %HITCH UP.

6. Pressione a tecla INCR ou DECR para selecionar o valor


desejado para o engate. (O valor aumenta ou diminui 10%
70%
cada vez que a tecla é pressionada.)

NOTA: Quanto mais alto o número, mais alto o engate pode ser
elevado antes que a MFD e/ou o bloqueio do diferencial
desengatem.
HITCH UP RH02H259

81
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Para sair sem gravar a alteração, DESLIGUE a chave de ignição.

Para gravar as alterações:

1. Pressione a tecla PROG para exibir a tela DONE


SETTINGS.

2. DESLIGUE a chave de ignição.


Done
Settings
RH02H261

82
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Calibração do Sensor de Velocidade Real de Avanço no Solo (Radar)


A calibração da velocidade real de avanço corrige o Um valor padrão é fornecido se a calibração do
sinal do sensor eliminando erro de patinagem sensor não é executada.
constante. O procedimento somente é válido:
A alteração da configuração do trator requer
1. Se o raio do pneu do trator está correto
recalibração. O procedimento de calibração deve ser
(confor me programado no controlador da
exe c u t a d o s e m p r e q u e h o u ve r m u d a n ç a n a
instrumentação).
dimensão do pneu, pressão do pneu, no lastro, no
2. Se o procedimento é executado sob condições controlador da instrumentação ou no radar de
normais de operação. (O trator não está em uma velocidade real de avanço.
condição não usual de patinagem ao executar o
procedimento.)

Procedimento de Calibração da Velocidade Real de Avanço (Radar)


Para calibrar o sensor de velocidade real de avanço
no solo (radar):

1. Com a alavanca de controle da transmissão em PARK (Estacionamento), dê partida no motor.

2. Entre no MODO DE PROGRAMAÇÃO.

3. Pressione a tecla INCR ou DECR até exibir o menu INST OP


SETUP.
INST
SET MENU RH02H239

4. Pressione a tecla PROG até exibir a tela do raio manual do


pneu (MAN RADIUS).
MAN
RADIUS RH02H242

5. Pressione a tecla PROG.

Se o controlador detecta que o sensor ESTÁ presente, exibe


a tela de calibração do radar.
NO
Se o controlador detecta que o sensor NÃO ESTÁ presente,
exibe a tela INST OP SETUP, e pula a tela de calibração do
radar. RDR CAL? RH02H245

83
4 – INSTRUMENTAÇÃO

6. Pressione a tecla INCR para mudar de NO (Não) para YES


(Sim).
YES
RDR CAL?
RH02H275

7. Pressione a tecla PROG e a tela exibe WORKING.

8. Engate uma marcha à frente no trator. Opere o trator sobre


uma superfície seca a uma velocidade mínima de 7 km/h (4.3
RADAR
mph).

WORKING
RH02H263

9. Após o trator operar a uma velocidade constante por dois


segundos, um asterisco é exibido na frente de WORKING
para indicar que o procedimento está em execução. Se a
velocidade do trator cair abaixo da velocidade mínima
RADAR
aceitável ou a velocidade não for constante, o mostrador
retorna para WORKING sem o asterisco. A calibração não
recomeça até que a velocidade do trator esteja acima da
velocidade mínima aceitável e seja constante por dois
segundos.
WORKING
RH02H264

10. Quando a calibração do radar é realizada com sucesso, o


mostrador exibe RADAR COMPLETE.

11. Pressione a tecla PROG para gravar o valor da calibração. O


RADAR
mostrador exibe INST OP SETUP.

COMPLETE
RH02H276

12. Pressione a tecla INCR para exibir INST EXIT.

INST
EXIT
RH02H265

84
4 – INSTRUMENTAÇÃO

13. Pressione a tecla PROG para exibir INST SET MENU.

INST
SET MENU
RH02H239

14. Pressione a tecla INCR para exibir EXIT SET MENU.

15. Pressione a tecla PROG para sair da configuração do trator e


retornar à operação normal.
EXIT
IMPORTANTE: Se o mostrador exibir CAL FAILED durante o
processo de calibração, a calibração não pode ser completada.
Pressione a tec la PROG para sair do procedimento de
calibração.
SET MENU
RH02H266

NOTA: Se a calibração do radar falha ou o processo é


interrompido antes de gravar um valor de calibração, o
controlador retorna ao valor anteriormente gravado ou ao padrão
da fábrica se a calibração nunca houver sido executada.

85
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Alteração do Valor da Mudança Programável de Marchas Rápidas/Reduzidas


O valor pré-ajustado do interruptor da Mudança Programável de Marchas é de duas velocidades tanto para a
posição de elevação da marcha (Up) como para a posição de redução da marcha (Down). Um valor diferente, de
1 a 4 velocidades, pode ser armazenado em ambas as posições do interruptor. Para alterar o valor pré-ajustado:

1. Entre no MODO DE PROGRAMAÇÃO.

2. Pressione a tecla INCR ou DECR até exibir ARM SET


MENU.
ARM
SET MENU RH02H267

3. Pressione a tecla PROG para exibir o menu HITCH.

ARM
HITCH RH02H268

4. Pressione a tecla INCR ou DECR até exibir o menu TRANS.

ARM
TRAN RH02H269

5. Pressione a tecla PROG para exibir o menu de marchas


CREEPER.
Yes
Creeper?
RH02H270

86
4 – INSTRUMENTAÇÃO

6. Pressione a tecla PROG e o mostrador exibe o menu


PUPSHFT para o “engate de marcha rápida programável”. A
linha superior mostra o valor atual programado como “= n”,
onde “n” é o número de marchas para engatar.
=2
7. Utilize a tecla INCR ou DECR para alterar o valor de 1 a 4
velocidades.

NOTA: Valores além de 1-4 velocidades não podem ser


PUpShft?
RH02H271
selecionados.

8. Quando completar, pressione a tecla PROG para gravar a


alteração. O menu PDNSHFT é exibido para a “redução de
marcha programável”.
=2
9. Pressione a tecla INCR ou DECR para selecionar um novo
valor entre 1 e 4 velocidades. Press the INCR or DECR key
to select a new value from 1-4 gears. Quando completar,
pressione a tecla PROG para gravar a alteração. PDnShft?
RH02H272

10. Pressione a tecla INCR ou DECR até exibir o menu EXIT.


DESLIGUE a chave da ignição.
ARM
EXIT
RH02H273

87
4 – INSTRUMENTAÇÃO

EXIBIÇÕES DE AVISOS (Mostrador Programável)

Exibições de Avisos Críticos


A tabela a seguir apresenta uma lista das exibições de ícones/avisos críticos que podem aparecer no Mostrador
Programável e as ações corretivas necessárias. Na ocorrência de uma falha, um alarme audível contínuo soa e o
indicador de PARAR O MOTOR (STOP ENGINE) pisca.

IMPORTANTE: Os avisos a seguir são de ordem crítica e o motor do trator deve ser desligado imediatamente
e a causa do problema verificada. Se o trator estiver equipado com o Monitor de Desempenho opcional, o motor
será desligado automaticamente em 30 segundos. Estes avisos não podem ser desativados pressionando a tecla
“RESET”. Se o trator deve ser movido, ligue a chave de partida para obter 30 segundos adicionais para mover o
trator. Isto pode ser feito quantas vezes for necessário para chegar ao local desejado. Entretanto, poderão ocorrer
danos ao trator.
.

Exibições de Avisos Críticos


Mostrador Problema Ação Corretiva
ENG A temperatura do ar do DES LIG UE o motor do trator
AIR TEMP pós-resfriador está muito i m e d i a t a m e n t e e ve r i f i q u e o
alta e danificará o motor. t r o c a d o r d e c a l o r q u a n t o a
possíveis entupimentos e a
tensão da correia do ventilador.
Se a condição persistir, contate o
concessionário.
ENG A press ão do óleo do DES LIG UE o motor do trator
OIL PRES motor está muito baixa e imediatamente e verifique o nível
causará danos no motor. do óleo. Se a condição persistir,
contate o concessionário.
ENG A temperatura do líquido DES LIG UE o motor do trator
H20 TEMP d e a r r e fe c i m e n t o d o imediatamente e verifique o nível
motor está muito alta e do líquido de arrefecimento, o
causará danos no motor. r a d i a d o r q u a n t o a p o s s í ve i s
entupimentos e a tensão da
c o r r e i a d o v e n t i l a d o r. S e a
c ondi ção per sis tir, conta te o
concessionário.
TRANS A temperatura do óleo da DES LIG UE o motor do trator
OIL TEMP transmissão está muito imediatamente e verifique o nível
alta e causará danos na do fluído, o resfriador do óleo
transmissão. quanto a entupimentos e a tensão
da correia do ventilador. Se a
c ondi ção per sis tir, conta te o
concessionário.

88
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Exibições de Avisos Não Críticos


A tabela a seguir apresenta uma lista das exibições de ícones/avisos de estabelecimento dos controles que
podem aparecer no Mostrador Programável e a ação corretiva necessária. Na ocorrência de uma falha, soará um
alarme contínuo por 3 segundos.

As falhas relacionadas nesta tabela não causam danos imediatos ao trator e nem o desligam, mas podem fazer
com que outros sistemas fiquem inoperantes. Pressionando a tecla “RESET” no mostrador apaga as falhas;
entretanto, a falha será reexibida após 10 minutos se a causa não for corrigida.

Exibições de Avisos Não Críticos


Mostrador Problema Ação Corretiva
TRANS O c o n t r o l a d o r e l e t r ô n i c o d a Verifique e substitua o fusível No. 35 , se
OFF LINE transmissão não está comunicando necessário. Se a condição persistir, contate o
através do cabo de dados. concessionário.
ARM O c o n t r o l a d o r d o c o n s o l e d o s Ver ifique e substitua o fusível No. 33, se
OFF LINE controles do apoio de braço não necessário. Se a condição persistir, contate o
está comunicando através do cabo concessionário.
de dados.
HITCH O controlador eletrônico do engate Ver ifique e substitua o fusível No. 39, se
OFF LINE não está comunicando através do necessário. Se a condição persistir, contate o
cabo de dados. concessionário.
AUX O controlador do sistema hidráulico Ver ifique e substitua o fusível No. 36, se
OFF LINE r e m ot o n ão e s tá c omu ni c a nd o necessário. Se a condição persistir, contate o
através do cabo de dados. concessionário.
PTO O controlador da PTO não está Ver ifique e substitua o fusível No. 38, se
OFF LINE comunicando através do cabo de necessário. Se a condição persistir, contate o
dados. concessionário.
INST O m o n i t o r d o t r a t o r n ã o e s t á Verifique e substitua o fusível No. 16 e No. 30,
OFF LINE comunicando através do cabo de se necessário. Se a condição persistir, contate
dados. o concessionário.
PERF O monitor de desempenho não está Se a condição existir, contate o concessionário.
OFF LINE comunicando através do cabo de
dados.
ENG O controlador do motor não está Verifique e substitua o fusível No. 1, No. 15 e
OFF LINE comunicando através do cabo de No. 44, se necessário. Se a condição persistir,
dados. contate o concessionário.
TRANS O c o n t r o l a d o r d a t r a n s m i s s ã o S e a c o n d i ç ã o p e r s i s t i r, c o n t a t e o
FAULT detectou uma falha eletrônica ou concessionário.
elétrica.
ARM O c o n t r o l a d o r d o c o n s o l e d o s S e a c o n d i ç ã o p e r s i s t i r, c o n t a t e o
FAULT c o n t r o l e s d o a p o i o d e b r a ç o concessionário.
detectou uma falha eletrônica ou
elétrica.
HITCH O controlador do engate detectou S e a c o n d i ç ã o p e r s i s t i r, c o n t a t e o
FAULT uma falha eletrônica ou elétrica. concessionário.

AUX O controlador do sistema hidráulico S e a c o n d i ç ã o p e r s i s t i r, c o n t a t e o


FAULT r e m o t o d e t e c t o u u m a fa l h a concessionário.
eletrônica ou elétrica.

89
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Exibições de Avisos Não Críticos


Mostrador Problema Ação Corretiva
PTO O controlador da PTO detectou uma S e a c o n d i ç ã o p e r s i s t i r, c o n t a t e o
FAULT falha eletrônica ou elétrica. concessionário.

MFD O controlador da MFD detectou uma S e a c o n d i ç ã o p e r s i s t i r, c o n t a t e o


FAULT falha eletrônica ou elétrica. concessionário.

DIFF O c o n t r o l a d o r d o b l o q u e i o d o S e a c o n d i ç ã o p e r s i s t i r, c o n t a t e o
FAULT d ife ren ci al d etec tou u ma fal ha concessionário.
eletrônica ou elétrica.
INST O monitor do trator detectou uma S e a c o n d i ç ã o p e r s i s t i r, c o n t a t e o
FAULT falha eletrônica ou elétrica. concessionário.

PERF O monitor de desempenho detectou S e a c o n d i ç ã o p e r s i s t i r, c o n t a t e o


FAULT uma falha eletrônica ou elétrica. concessionário.

ENG O controlador do motor detectou S e a c o n d i ç ã o p e r s i s t i r, c o n t a t e o


FAULT uma falha eletrônica ou elétrica. concessionário.

TRANS O c o n t r o l a d o r d e t e c t o u u m a S e a c o n d i ç ã o p e r s i s t i r, c o n t a t e o
PRES LOW condição de baixa pressão do óleo concessionário.
na transmissão.

90
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Exibições de Avisos de Diagnóstico


A tabela a seguir apresenta uma lista das exibições de ícones/avisos de diagnóstico que podem aparecer no
Mostrador Programável e a ação corretiva necessária. Na ocorrência de uma falha, soará um alarme contínuo por
3 segundos.

As falhas relacionadas nesta tabela não causam danos imediatos ao trator e nem o desligam, mas podem fazer
com que outros sistemas fiquem inoperantes. Estas falhas não apagam pressionando a tecla “RESET”.

Exibições de Avisos de Diagnóstico


Mostrador Problema Ação Corretiva
TRANS É necessário uma programação de Contate o concessionário.
SETUP ajuste de calibração no controlador da
transmissão.
ARM É necessário uma programação de Contate o concessionário.
SETUP ajuste de calibração no controlador do
console dos controles do apoio de
braço.
HITCH É necessário uma programação de Contate o concessionário.
SETUP ajuste de calibração no controlador do
engate.
AUX É necessário uma programação de Contate o concessionário.
SETUP ajuste de calibração no controlador do
sistema hidráulico remoto.
PTO É necessário uma programação de Contate o concessionário.
SETUP ajuste de calibração no controlador da
PTO.
INST É necessário uma programação de Contate o concessionário.
SETUP ajuste de calibração para o monitor do
trator.
ENG É necessário uma programação de Contate o concessionário.
SETUP ajuste de calibração no controlador do
motor.
AUX A( s ) al ava n c a( s ) d e c on t r o le d o Mova a(s) alavanca(s) de volta para a
NEUTRAL s i s t e m a h i d r á u l i c o r e m o t o n ã o posição neutra.
e s t av a ( m ) n a p o s i ç ã o “ n e u t r a l ”
(neutra) na partida do trator.
TURN O interruptor da tomada de força não Mova o interruptor da tomada de força para
PTO OFF estava na posição “OFF” (desligado) a posição OFF (desligado).
na partida do trator.
HITCH N ã o h o u ve c o r r e s p o n d ê n c i a d o Mova o controle da posição de engate de
CAPTURE controle da posição do engate com a modo a corresponder com a posição de
posição real do engate na partida do engate real.
trator.
SIT A transmissão foi mudada de “PARK” Mude a transmissão para “PARK”, sente-se
DOWN (estacionamento) ou “NEUTRAL” sem e então prossiga. Se a condição persistir,
o operador estar sentado no banco. contate o concessionário.

91
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Exibições de Avisos de Diagnóstico


Mostrador Problema Ação Corretiva
MIN O controlador do motor levou o motor Mova a alavanca do acelerador para a
THROTTLE para marcha lenta e a alavanca do posição mínima (alavanca totalmente para
ac e l e ra do r n ã o e s t á n a p o s i ç ã o trás).
mínima.
CHECK O trator detectou a presença contínua Com a chave de ignição LIGADA (ON), o
SEAT SW de um operador por 25 horas. operador deve levantar e então sentar
novamente no banco.

92
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Exibições de Avisos Informativos


Estas falhas possuem um alarme de 3 segundos a não causam danos imediatos ao trator nem o desligam, mas
deverão ser verificadas logo que possível.

Pressionando a tecla “RESET” apaga as falhas; entretanto, a falha será reexibida após uma hora.

Exibições de Avisos Informativos


Mostrador Problema Ação Corretiva
HIGH Alta tensão do alternador. Verifique a causa logo que possível.
VOLTAGE
LOW A tensão da bateria está abaixo de Verifique a correia do alternador. Verifique o
BATTERY 11 volts. nível de água da bateria. Teste a bateria.
LOW Nível de combustível baixo. Reabasteça.
FUEL
ENG Restrição no filtro de ar do motor. Limpe o filtro de ar primário logo que possível.
AIR FLTR Consulte a seção de manutenção para mais
detalhes.
HYDRAULIC Restr ição no filtro do sistema Substitua o filtro do sistema hidráulico logo
FILTER hidráulico. que possível. Consulte a seção de
RESTRICTION manutenção para mais detalhes.
TRANS Restrição no filtro da transmissão. Substitua o filtro da transmissão logo que
OIL FLTR possível. Consulte a seção de manutenção
para mais detalhes.

93
4 – INSTRUMENTAÇÃO

MONITOR DE DESEMPENHO (Painel 3)


O mo nito r de des em penh o o pc ion al fo r n ec e
i n fo r m a ç õ e s d e d e s e m p e n h o d o v e í c u l o,
obser vações de manutenção, leituras do fluxo
hidráulico remoto e informações individuais dos
temporizadores do sistema remoto. O monitor de
desempenho também proteje o trator através do
desligamento automático do motor na ocorrência de
qualquer uma das condições de aviso crítico.

MK99K135

Keypad Functions
INTERRUPTOR FUNÇÃO INTERRUPTOR FUNÇÃO
A Para alternar a seleção de telas AREA Para exibir a tela de Informação
do menu. de Área ou editar a largura do
implemento e a área acumulada.
B Para alternar a seleção de telas INCR Para alter nar o mostrador ou
do menu. aumentar o número de leituras.

% SLIP Para exibir a tela de porcentagem DECR Para alter nar o mostrador ou
de patinagem. diminuir o número de leituras.

94
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Funções do Monitor de Desempenho


A tabela abaixo resume as funções do Monitor de Pressionando a tecla INCR ou DECR alterna entre
Desempenho e as informações que são registradas as exibições individuais ou pressionando a tecla
e exibidas. %SLIP ou AREA move-se diretamente para a
exibição da tela selecionada.

Funções do Monitor de Desempenho


Função Mostrador Descrição
% SLIP*, SLIP LIMIT** Porcentagem de patinagem das rodas.
Informação de Patinagem
(% de patinagem, limite de patinagem)
ACRES ou HECTARES Área acumulada.
Informação de Área*† ACRE/HOUR ou HECTARE/HOUR Relação da área acumulada por hora.
(acres/hora ou hectares/hora
REMOTE HYDRAULICS Tempo de ejeção da válvula remota.
Informação do Sistema (sistema hidráulico remoto)
Hidráulico INDIVIDUAL REMOTE TIMERS Vazão do fluxo do acoplador.
(temporizadores remotos individuais)
FEET, MILES ou KILOMETERS Distância percorrida.
(pés, milhas ou quilômetros)
Informação de Distância*
FEET/MINUTE ou METER/MINUTE Relação de deslocamento.
(pés/minuto ou metros/minuto)
MINUTES/HOURS Tempo decorrido.
Informação do Temporizador
(minutos/horas)
BATTERY SERVICE Número de horas restantes antes da
(manutenção da bateria) manutenção requerida.
COOLANT FILTER Número de horas restantes antes da
(filtro do líquido de arrefecimento) troca do filtro.
COOLANT FLUSH Número de horas restantes antes da
(drenagem do líquido de arrefecimento) manutenção requerida.
ENGINE AIR FILTER Número de horas restantes antes da
Informações de Manutenção
(filtro de ar do motor) troca do filtro.
ENGINE OIL & FILTER Número de horas restantes antes da
(óleo e filtro do motor) troca do filtro.
FUEL FILTER Número de horas restantes antes da
(filtro de combustível) troca do filtro.
TRANSMISSION OIL & FILTER Número de horas restantes antes da
(óleo e filtro da transmissão) troca do filtro.

* Sensor de velocidade real de avanço no solo (radar) requerido para esta função.
** Controle do Limite de Patinagem requerido para esta função.
† A precisão desta função aumenta se o sensor de velocidade real de avanço (radar) estiver instalado.

95
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Leitura de Patinagem
NOTA: Se um índice de patinagem maior do que 2% for exibido durante deslocamento em piso pedregoso ou
áspero (MDF DESLIGADA), calibre o radar. Veja Procedimento para Calibração do Radar nesta seção.

Porcentagem de Patinagem da Roda


Esta tela exibe a porcentagem real de patinagem atualmente
ocorrendo com os rodas do trator. Os dados estão disponíveis
somente com um sensor de velocidade de avanço real (radar)
instalado.

NOTA: O radar e o raio do pneu devem ser calibrados


corretamente para os dados de patinagem serem precisos.
SLIP
P r es s i on e a t ec l a I NC R ou DE CR a té qu e a t el a S L IP
(patinagem) seja exibida ou pressione a tecla %SLIP para ir
direto para esta tela.
11%
Porcentagem de patinagem é a medida da rotação das rodas em
relação à velocidade de avanço no solo e indica quando a
velocidade das rodas está mais rápida que a velocidade de
avanço no solo.

O valor numérico mostrado é a patinagem da roda calculada RH02H056

(11% mostrado na figura).

Se nenhum sensor de velocidade real em relação ao solo está


instalado (ou se o sensor não é detectado), a tela não exibe
nenhum valor.

SLIP
%
RH02H057

96
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Se o trator está equipado com o Controle do Limite de Patinagem


opcional, o valor do limite de patinagem também é exibido.

SLIP
11%
SLIP LIMIT
14%
RH02H055

97
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Informações de Área
Es ta t ela ex ib e a ár ea a cumul ada e a re laç ão da á re a
instantânea.

Pressione a tecla INCR ou DECR até que a tela AREA (área)


seja exibida ou oa tecla AREA para ir direto para esta tela.
AREA
Quando a função de área está ATIVA (ON), ela registra o total de
acres (hectares) ou acres por hora (hectares por hora).
ACRES
Ativação e Desativação da Contagem de Área
Com a tela da área sendo exibida, pressione a tecla “B” para
3558.59
alternar a contagem da área entre ON (ATIVADA), AUTO
(AUTOMÁTICA) ou OFF (DESATIVADA). A situação atual é
ACRES/HOUR
destacada na linha inferior da tela.
Quando ON (Ativada) é selecionado, a contagem da área é
33.4
acumulada sempre que o trator estiver em movimento.
RESET Off /On/Auto
Quando AUTO (Automática) é selecionado, a contagem da área RH02H056
é acumulada quando o interruptor de posição do implemento
rebocado indica abaixado ou quando o engate traseiro está
abaixado. (Consulte Interruptor de Posição do Implemento.) A
Quando ON ou AUTO são selecionados, um “A” é exibido em
todas as telas do Monitor de Desempenho no canto superior
AREA
direito. Quando OFF está selecionado, o “A” não é mostrado.
ACRES
Reajuste da Contagem de Área em Zero
Com a tela da área sendo exibida, pressione a tecla “A” por dois
segundos para reajustar a contagem total acumulada de área em
3558.59
zero.

NOTA: Na partida, o Monitor de Desempenho requer que o


ACRES/HOUR
engate ou implemento rebocado seja acionado para cima/para
baixo para que o modo “AUTO” seja inicializado adequadamente.
33.4
NOTA: A área acumulada retornará a após atingir 24710 acres RESET Off/On/Auto
(9999.9 hectares). RH02H059

98
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Informações de Ajuste da Largura do Implemento


Use esta tela para alterar a largura do implemento em pés ou
metros dependendo da unidade de medida selecionada.

Com a tela da área sendo exibida, pressione a tecla AREA por


dois segundos para exibir a tela Implement Width Setup (Ajuste
IMPLEMENT
da Largura do Implemento).
WIDTH
Ajuste da Largura do Implemento
Com a tela Implement Width Setup (Ajuste da Largura do SETUP
Implemento) exibida, pressione a tecla INCR ou DECR para
mudar o valor em pés (metros) atualmente programado no
monitor. Pressione e solte a tecla INCR ou DECR para alterar o
valor em um dígito de cada vez (1/10). Pressione e mantenha
FEET 33.4
pressionada a tecla INCR ou DECR para mudar o valor a uma
razão de 3,2 pés (metros) por segundo.
Quando a largura desejada do implemento é mostrada,
pressione a tecla “A” para gravar a alteração e avançar para a
OFFSET EXIT
RH02H187
tela Area Edit (Edição da Área).
Ou pressione a tecla “B” para gravar a alteração e retornar para a
tela Area.

Edição da Área
Use a tela Area Edit (Edição da Área) para aumentar ou diminuir
o valor acumulado de acres (hectares).
Com a tela Implement Width Setup (Ajuste da Largura do
Implemento) exibida, pressione a tecla “A” para avançar para a
tela Area Edit (Edição da Área).
AREA
Edição da Área Acumulada EDIT
Com a tela Edit Area exibida, pressione a tecla INCR ou DECR
para mudar o valor em acres (hectares) atualmente mostrado no
monitor. Pressione e solte a tecla INCR ou DECR para alterar o
valor em um dígito de cada vez (1/10). Pressione e mantenha
pressionada a tecla INCR ou DECR para mudar o valor a uma
razão de 3,2 acres (hectares) por segundo.
ACRES 2133.4
Quando a área acumulada desejada é mostrada, pressione a
tecla “A” para gravar a alteração e retornar para a tela Implement
Width Setup (Ajuste da Largura do Implemento). WIDTH EXIT
RH02H188
Ou pressione a tecla “B” para gravar a alteração e retornar para a
tela Area.

99
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Interruptor de Posição do Implemento

Conexão do Interruptor de Posição do


Implemento
O interruptor de Posição do Implemento opcional
(instalado no implemento) sinaliza para o trator:
● Iniciar a contagem acumulada da área quando o
implemento é abaixado e parar a contagem
quando o implemento é elevado.
1
● Engatar a operação Automática da MFD quando
o implemento é abaixado e desengatar a MFD
quando o implemento é elevado.
● Engatar a operação do Bloqueio Automático do
Diferencial quando o implemento é abaixado e
RH02H179
desengatar o bloqueio (DIF LOCK) quando o
implemento é elevado.

O i n te r r u p t or é p r o j et a do p ar a i m p l e me n to s NOTA: O Monitor de Desempenho é necessário


conectados à barra de tração. Consulte o seu para exibir o acúmulo de área. O interruptor de
concessionário Case IH para obter mais informações posição do implemento não é necessário para
sobre este kit (719633006). implementos montados no engate. Consulte
“Informações de Área” para mais detalhes.
O conector (1) do trator para o interruptor de posição
do implemento encontra-se localizado acima e em
frente ao eixo traseiro direito.

100
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Informação de Distância
Esta tela exibe a distância acumulada e a relação instantânea.

Pressione a tecla INCR ou DECR até que a tela da Distância seja


exibida. Esta tela mostra a distância total acumulada e a relação
de deslocamento (por minuto) em medidas do sistema Inglês ou
DISTANCE
Métrico. Os valores de distância são registrados em pés (até que
uma milha seja alcançada), e então em milhas OU em metros MILES
506.7
(até que um quilômetro seja alcançado), e então em quilômetros.
A relação de deslocamento é registrada em pés/minuto OU
metros/minuto.

Ativação e Desativação da Contagem de Distância


Com a tela de distância exibida, pressione a tecla “B” para
FEET/MINUTE
alternar a contagem da distância entre ON (ATIVADA) e OFF
(DESATIVADA). A situação atual é destacada na parte inferior
da tela.
1622
RESET ON/OFF
Quando ON é selecionado, um “D” é exibido em todas as telas RH02H064
do Monitor de Desempenho no canto superior esquerdo. Quando
OFF está selecionado, o “D” não é mostrado.
D
Reajuste da Contagem de Distância em Zero
Com a tela de distância sendo exibida, pressione a tecla “A” por DISTANCE
dois segundos para reajustar a contagem da distância em zero.

NOTA: A distância é calculada a partir do raio do pneu


MILES
programado no monitor do trator. Ajuste o valor do raio do pneu
se a distância mostrada não é igual à distância real deslocada.
Se o sensor de velocidade real no solo (radar) está instalado, a
506.7
distância é medida pelo sensor. Calibre o radar se a distância
mostrada não é igual à distância real deslocada.
FEET/MINUTE
1622
RESET ON/OFF
RH02H063

101
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Informação do Timer (Cronômetro)


Esta tela exibe o tempo decorrido.

Pressione a tecla INCR ou DECR até que a tela Timer seja


exibida. A tela mostra o tempo decorrido a partir da ativação do
Timer, em minutos e horas. O tempo máximo decorrido é 99
TIMER
horas e 59 minutos antes do timer reajustar automaticamente a 0
(zero).
ELAPSED TIME
Ativação e Desativação do Timer

0:00
Com a tela do timer exibida, pressione a tecla “B” para alternar o
timer entre ON (ATIVADO) e OFF (DESATIVADO). A situação
atual é destacada na parte inferior da tela.

Quando ON é selecionado, um “T” é exibido em todas as telas do


Monitor de Desempenho no canto superior esquerdo. Quando
OFF está selecionado, o “T” não é mostrado
RESET ON/OFF
NOTA: Se a contagem da distância também estiver ativada RH02J024
(ON), o “T” é exibido em baixo do “D” em todas as telas do
Monitor de desempenho.

Reajuste do Timer em Zero


Com a tela do timer sendo exibida, pressione a tecla “A” por dois T TIMER
segundos para reajustar o timer em zero.

ELAPSED TIME

0:39
RESET ON/OFF
RH02J023

102
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Funções de Manutenção
Use esta tela para exibir e editar dados de manutenção. As telas
de Funções de Manutenção aler tam o operador sobre a
necessidade de manutenção de acordo com os intervalos
sugeridos de manutenção.

Pressione a tecla INCR ou DECR até exibir a tela de Funções de


Manutenção. SERVICE
Com a tela de Funções de Manutenção exibida, pressione a tecla
“A” para rolar através dos ítens das funções de manutenção.
FUNCTIONS
As linhas superiores descrevem a função de manutenção. A
linha LIMIT (Limite) indica o inter valo recomendado de
manutenção, USED (Uso) mostra as horas de uso, e LEFT
(Restante) mostra as horas remanecentes antes que o serviço
de manutenção seja necessãrio.
VIEW
Reajuste do Valor de Horas de Uso em Zero RH02H189
Com qualquer tela de manutenção exibida, pressione a tecla “B”
por dois segundos para reajustar o tempo de uso do item em
zero.

Edição do Intervalo de Manutenção (Limit)


ENGINE
Pressione a tecla INCR ou DECR para ajustar o intervalo de
manutenção (valor limite) para uma aplicação específica.
OIL & FILTER
NOTA: O valor LIMITE não pode ser aumentado além do valor
padrão estabelecido na fábrica.
LIMIT 300
USED 78
LEFT 222
NEXT NEW
RH02H118

103
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Tela de Lembrete de Manutenção


Esta tela de lembrete de manutenção informa que o valor de
horas limite para manutenção foi excedido para a função
mostrada.
ENGINE
Quando um limite de horas é alcançado, um alarme soa por três
segundos, e uma tela piscando é exibida para a função de
manutenção específica. O alarme é reativado toda vez que a
OIL & FILTER
LIMIT 300
chave de ignição é ligada.

Confirmação do Lembrete
Pressione o botão “A” ou “B” para confirmar o lembrete. Esta tela
de lembrete é reexibida em quatro horas se a manutenção não
for executada e a tela de função de manutenção não for
USED 300
restabelecida (reset).

As telas adicionais das funções de manutenção são mostradas


LEFT 0
abaixo. REMIND_LATER
RH02H190

BATTERY COOLANT COOLANT


SERVICE FILTER FLUSH
LIMIT 300 LIMIT 600 LIMIT 2100
USED 78 USED 78 USED 78
LEFT 222 LEFT 522 LEFT 2022
NEXT NEW NEXT NEW NEXT NEW
RH02H114 RH02H115 RH02H116

ENGINE FUEL TRANSMISSION


AIR FILTER FILTER OIL & FILTER
LIMIT 1200 LIMIT 600 LIMIT 1500
USED 78 USED 78 USED 78
LEFT 1122 LEFT 522 LEFT 1422
NEXT NEW NEXT NEW NEXT NEW
RH02H117 RH02H119 RH02H120

104
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Informações Individuais dos Temporizadores das Válvulas Remotas


Use esta tela para visualizar e editar o comprimento de tempo (1
a 30 segundos ou operação contínua “C”) em que cada válvula
remota (1 a 5) permanece com fluxo hidráulico após a alavanca
de controle ser movida para a posição de detenção.
REMOTE
Pressione a tecla INCR ou DECR até exibir a tela Remote Timers
TIMERS
(Temporizadores Remotos). Esta tela mostra o ajuste atual do
tempo para cada válvula remota.
TMR1 20 SEC
TMR2 20 SEC
TMR3 20 SEC
TMR4 20 SEC
TMR5 20 SEC
EDIT SEL
RH02H062

A tela Remote Timer mostra também quando o controle do


Temporizador no console do apoio de braço é ajustado mais do
que 5% (mais alto ou mais baixo) em relação a sua posição
atual. The Remote Timer screen also displays when the Timer
control in the armrest console is adjusted more than 5% (higher
or lower) from its current position. A tela Remote Timer
permanece até que outra tela seja selecionada.

NOTA: Quando existir o Monitor de Desempenho, o controle do


temporizador no console do apoio de braço não controla os
ajustes do temporizador da válvula; girando o controle, o monitor
de desempenho exibe a tela Remote Timer onde os ajustes reais
são feitos.
RH01K052

Quando qualquer alavanca de controle da válvula remota é


movida para ou da posição do motor hidráulico, a tela Remote
Timer é mostrada por 2 segundos. Isto notifica o operador que o
ajuste do temporizador está mudando para aquela válvula. Após
2 segundos, o mostrador retorna para a tela anterior.

Quando qualquer alavanca de controle da válvula remota é


movida PARA a posição do motor hidráulico, o valor ajustado do
temporizador daquela válvula remota muda de seu ajuste atual
para “C” (operação contínua).

Quando qualquer alavanca de controle da válvula remota é


movida DA posição do motor hidráulico, o valor ajustado do temporizador daquela válvula remota muda de “C”
(operação contínua) para o seu ajuste anterior.

105
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Edição da Tela do Temporizador da Válvula Remota


Os ajustes disponíveis para o temporizador remoto são 1 a 30
segundos ou “C” para operação contínua.

Pressione a tecla “A” para selecionar TMR1 para alterá-lo. Com o


REMOTE
ajuste (TMR1-5) salientado, altere o valor do ajuste com as
teclas INCR e DECR.
TIMERS
P r e s s i on e a t e c l a “ B ” p a ra ava n ç a r pe l o s aj u s te s d o s
TMR1 20 SEC
temporizadores. Cada vez que a tecla “B” é pressionada, o
próximo ajuste é destacado e pode ser alterado usando as teclas
TMR2 20 SEC
INCR e DECR. TMR3 20 SEC
Quando a última válvula remota é selecionada, pressione “B” TMR4 20 SEC
para deselecionar todos os valores dos temporizadores e sair do
modo de edição. TMR5 20 SEC
NOTA: Quando qualquer alavanca de controle da válvula EDIT SEL
remota está na posição do motor hidráulico, o valor exibido de RH02H062
ajuste do temporizador é “C” (operação contínua). O valor de um
temporizador não pode ser editado com a alavanca de controle
nesta posição.

Pressione e solte a tecla INCR ou DECR para mudar o valor do


temporizador em intervalos de 1 segundo cada vez que a tecla é
pressionada. Quando a tela exibir 30 segundos, pressione a
tecla INCR para mudar para “C” (operação contínua). Pressione
e segure as teclas INCR ou DECR para rolar mais rápido pelos
valores.

Pressione a tecla “A” para sair do modo de edição a qualquer


momento. Quaisquer valores alterados serão gravados e todos
os a ju st es do s te mpo r iz ad or es s e rã o des el ec io na dos.
Pressionando então as teclas INCR ou DECR se moverá por
entre as telas.

Se as teclas “A”, “B”, INCR ou DECR não forem pressionadas em


1 minuto durante a edição, o monitor sai do modo de edição e
todos os ajustes são deselecionados. Pressionando então as
teclas INCR ou DECR se moverá por entre as telas.

Se uma válvula remota não estiver disponível, o ajuste do


temporizador correspondente fica em branco e não pode ser
editado. A válvula remota indisponível é pulada ao se avançar
pela lista.

106
4 – INSTRUMENTAÇÃO

Fluxo Hidráulico da Válvula Remota


A vazão selecionada do fluxo para as válvulas remotas
individuais pode ser visualizada no Monitor de Desempenho,
mas não pode ser alterada. Pressione a tecla INCR ou DECR
para exibir a tela da vazão do fluxo do sistema hidráulico remoto.
REMOTE
A medida que os botões de controle do fluxo são girados no
HYDRAULICS
console do apoio de braço para as válvulas remotas existentes, a
tela se atualiza para mostrar a vazão em incrementos de 1%.
FLOW1 100 %
FLOW2 90 %
FLOW3 100 %
FLOW4 %
FLOW5 %
RH02H113

RH02H113

107
4 – INSTRUMENTAÇÃO

108
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

Esta seção descreve o procedimento adequado de dar partida e a operação da


transmissão do trator.

ANTES DE LIGAR O MOTOR


Antes de ligar o trator pela primeira vez faça as 4. Verifique o motor, transmissão e sistemas de
seguintes verificações. Consulte também a seção de c o m b u s t í v e l e a r r e fe c i m e n t o q u a n t o a
Lubrificação/Manutenção neste manual. vazamentos.

1. Certifique-se de que o trator esteja 5. Remova qualquer água ou sedimento do coletor


ad e q ua d a me n te l u br i fi c a d o e en gra x a d o de água do tanque de combustível e do filtro
confor me descr ito na seção Lubr ificação/ primário de combustível.
Manutenção deste manual.
6. Verifique a pressão de ar dos pneus e os torques
2. Verifique o nível do óleo do motor, nível do dos parafusos das rodas.
líquido de arrefecimento do motor e o nível do
ó l e o d a t r a n s m i s s ã o. C o n s u l t e a s e ç ã o 7. Certifique-se de que a proteção da tomada de
Lubrificação/Manutenção deste manual. força esteja na posição adequada.

3. Verifique se o tanque de combustível do trator


está abastecido com combustível limpo e de
acordo com as especificações descritas neste
manual.

NOTA: Limpe a área em torno da tampa do tanque


de combustível antes de remover a tampa.

ADVERTÊNCIA: Antes de dar a partida no motor, certifique-se de que os controles de operação


! estejam em posição neutra ou posição de estacionamento. Isto evitará um movimento acidental do
trator ou funcionamento de equipamento acionado. SM306A

ADVERTÊNCIA: Nunca opere o motor em local fechado. É necessária uma ventilação adequada em
! qualquer circunstância. M142A

ADVERTÊNCIA: SEMPRE toque a buzina antes de dar a partida no motor. Certifique-se de que não
! haja no local outras pessoas, animais, ferramentas, etc. antes de iniciar a operação desta máquina.
NUNCA permita a presença de pessoas na área de trabalho durante a operação do trator. M804

Inspeção Diária
Caminhe ao redor e inspecione o trator diariamente. Faça quaisquer correções necessárias antes de
Verique itens tais como mangueiras ou fios quanto a operar o trator.
atrito contra outros componentes, vazamentos de
óleo, acúmulo de sujeira, parafusos soltos ou
qualquer outra coisa que possa afetar a operação
normal do trator.

109
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

LUZES INDICADORAS DE SERVIÇO E MOSTRADORES


DE GRÁFICOS DE BARRA
Quando a chave de ignição é girada para a posição
LIGADA (ON), os intrumentos do trator farão uma
ver ificação automática de todos os sistemas
monitorados. Todas as luzes de aviso, mostradores
de gráficos de barra e telas de exibição de texto
serão energizados por três (3) segundos e um
alarme audível soará por um (1) segundo. Antes dar
par tida no trator, cer tifique-se de que todos os
sistemas estejam operantes. Se algum sistema não
estiver operando, consulte o seu concessionário
Case IH.

IMPORTANTE: Monitore os instrumentos durante a


operação do trator para verificar o desempenho de
todas as funções do trator.

RH02J049

110
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

CINTOS DE SEGURANÇA
Sempre aper te bem o seu cinto de segurança antes de operar o trator. Periodicamente inspecione
cuidadosamente os cintos de segurança procurando por áreas desgastadas e substitua os cintos quando
necessário.

ADVERTÊNCIA: Uma causa frequente de morte ou acidente grave é a queda de pessoas para fora da
máquina seguida de atropelamento. Mantenha a porta da cabine fechada. O banco de instrução é
! utilizado somente para instrução ou serviço de diagnóstico. NÃO permita que outros andem de carona,
principalmente crianças. O cinto de segurança deve ser utilizado em todas as ocasiões. M488C

ADVERTÊNCIA: Ajuste bem o seu cinto de segurança. O seu trator está equipado com uma cabine
ROPS, cobertura ROPS ou estrutura ROPS para a sua proteção. O cinto de segurança pode ajudar a
garantir sua segurança se usado e mantido. Nunca use o cinto de segurança solto ou com folga no
! sistema. Nunca use o cinto de segurança torcido ou preso entre as peças da estrutura do banco.
Inspecione os cintos, fivela e mecanismos de retração para certificar-se de que não estejam
danificados. Se o dano é aparente, repare-o antes de operar o trator. M437A

Ajuste a posição do banco do operador. Puxe o cinto


de segurança cruzando completamente o seu corpo.
Empurre a lingüeta de metal na fivela até travar.

MK00B223

Ajuste a posição do cinto de segurança o mais baixo


possível através do seu corpo.

Se o seu trator está equipado com um banco de


ins tr u ção e o op erad or está s endo trei nado,
assegure-se de que o cinto de segurança do banco
de instrução também esteja devidamente apertado.

IMPORTANTE: Um Interruptor de Segurança de


Presença do Operador é conectado ao Controle
da Transmissão (Powershift) e ao circuito elétrico
da PTO, e é ativado pelo operador ao sentar no seu
banco.
MK00B225

111
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

PROCEDIMENTO NORMAL DE PARTIDA DO MOTOR

ADVERTÊNCIA: Opere a máquina somente quando sentado no banco do operador. Não tente burlar
! o Interruptor de Segurança de Presença do Operador colocando objetos pesados no assento. Isto
pode resultar em acidente grave ou morte. SM519

NOTA: Após a partida, opere o motor em marcha lenta por alguns minutos para certifica-se de que um fluxo
suficiente de lubrificante tenha alcançado os mancais do turbocompressor e as peças do motor antes de colocar o
motor à velocidade normal.

1. Certifique-se de que a alavanca de controle da


tra ns m i ss ã o ( 1) e s tej a n a p os i ç ão PA RK
(ESTACIONAMENTO).

RH02G340

2. Aperte totalmente o pedal de avanço gradual


(embreagem).

RH02J048

3. Mova a alavanca do acelerador para a posição


1/3 aberta.

ADVERTÊNCIA: Opere os controles


! somente quando sentado no banco do
operador. M137A

RH02G077

112
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

4. Soe a buzina antes de dar partida no motor. Gire


a chave para a posição START (PARTIDA) até o
motor partir, mas não por mais de 30 segundos,
então solte a chave. Funcione o motor por dois
minutos a 1200 RPM.

IMPORTANTE: Não utilize o motor de partida por


mais de 30 segundos sem parar. Espere 2 a 3
minutos entre as tentativas de partida para permitir
que o motor de partida esfrie.

NOTA: Se o motor pegar e parar em seguida,


espere até o motor de partida parar de girar antes de
voltar a chave para a posição START (PARTIDA) RH02G069

novamente.

NOTA: Se o motor não partir, verifique o fusível da


válvula solenóide de corte de combustível.

5. Após o motor entrar em funcionamento,


certifique-se de que o indicador da pressão do
óleo (1) esteja operando na área verde do
gráfico de barra. Se não, desligue o motor
imediatamente e verifique a causa.
1

6. Após o motor aquecer, verifique se o indicador


de barra da temperatura do líquido de 2
arrefecimento (2) está na área verde e se todos
os mon itor es de ser vi ço estã o i ndic and o
funcionamento normal.

NOTA: Se o conjunto de instrumentos não fornecer


indicações normais, pare o motor e verifique a RH02J051

causa. 1. INDICADOR DA 2. INDICADOR DA


PRESSÃO DO ÓLEO TEMPERATURA DO
LÍQUIDO DE
ARREFECIMENTO

113
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

PARADA DO MOTOR
IMPORTANTE: Antes de parar o motor após
trabalhar com muita carga, funcione-o em marcha
lenta por um curto período de tempo (3 a 5 minutos).
Isto permitirá que a temperatura do motor e do
turbocompressor baixe gradualmente. Se o motor 1
parar durante operação com carga, DÊ NOVA
PARTIDA NO MOTOR IMEDIATAMENTE para
evitar aquecimento demasiado causado pelo
interrompimento do fluxo de óleo para resfriamento e
lubrificação.

1. Reduza a velocidade do motor e pare


completamente o trator pressionando o pedal de
avanço gradual e os freios (se necessário). RH02G340

Coloque a alavanca de controle da transmissão


na posição PARK (ESTACIONAMENTO). Solte
o pedal de avanço e os freios.

2. Mova a alavanca do acelerador para a posição


de marcha lenta (alavanca totalmente para trás)
por 3 a 5 minutos, para diminuir a temperatura
do motor e do turbocompressor.

NOTA: Abaixe o implemento ao solo, se engatado.

RH02G077

3. Gire a chave de ignição para a posição


DESLIGADA (OFF). Remova a chave.

RH02G069

114
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

OPERAÇÃO EM TEMPERATURAS BAIXAS


Para ligar e operar o seu trator em ambientes de ● PNEUS - Se houver líquido nos pneus, eles
temperaturas baixas (-6.7°C [20 ° F] e inferiores), deverão conter proteção contra temperaturas
utilize estes procedimentos: abaixo de 0°C (32°F). Consulte o seu
concessionário.
● BATERIAS - Devem estar com carga total.
● PARADA DO MOTOR - Permita que a
● COMBUSTÍVEL - Deve estar limpo e sem água. temperatura do motor baixe funcionando em
Consulte o seu fornecedor de combustível sobre marcha lenta antes de desligá-lo.
os requisitos do combustível para baixas
temperaturas em sua região. ● CONDENSAÇÃO NO TANQUE DE
COMBUSTÍVEL - Para evitar condensação no
● ÓLEO DO MOTOR - Deve possuir a viscosidade tanque de combustível e penetração de água no
correta para a faixa de temperatura ambiente. sistema de combustível, encha o tanque após
cada dia de trabalho.
● FLUIDO DA TRANSMISSÃO/HIDRÁULICO -
Utilize fluido de transmissão CASE HY-TRAN® ● VÁLVULA DE DRENO DO TANQUE DE
ULTRA. COMBUSTÍVEL - Remova a água do tanque de
combustível periodicamente conforme
● SISTEMA DE ARREFECIMENTO - Deve ter no necessário, e a cada troca de óleo, para manter
mínimo 50% de solução de etileno glicol para o suprimento de combustível livre de água.
proteção.

Manutenção das Temperaturas de Operação


IMPORTANTE: Em temperaturas ambiente baixas, NOTA: Em temperaturas abaixo de 0°C (32°F), o
nunca mantenha o motor funcioando em marcha trator deve funcionar a 1500 RPM até o motor
l e n ta p o r l o n g o s p e r í o do s de t e m p o. N un c a aquecer. A transmissão e a direção podem
mantenha o motor funcionando por longos períodos apresentar um funcionamento irregular e mais duro
de tempo se o líquido de arrefecimento estiver com até que o óleo esteja aquecido. Utilize um
temperatura abaixo do normal. mantenedor de calor da transmissão e um
aquecedor do bloco do motor para reduzir o tempo
Em temperaturas ambiente baixas, o motor não de aquecimento.
aquece ou não mantém a temperatura normal de
operação a baixas velocidades. Baixas velocidades ● MANTENHA O MOTOR À TEMPERATURA
do motor em temperaturas frias podem causar dano CORRETA DE OPERAÇÃO
ao motor. Utilize os seguintes procedimentos para
aquecer o motor e fluidos da transmissão e para A. Quando o motor estiver operando a baixas
manter as temperaturas de operação corretas. temperaturas ambiente sem carga,
mantenha-o aquecido conforme descrito
● AQUECIMENTO DO MOTOR E TRANSMISSÃO abaixo.

A. Ligue o motor utilizando o procedimento B. Funcione o motor no mínimo a 1500 RPM.


mostrado neste manual em Procedimento
de Partida do Motor. C. Coloque um anteparo na frente da grade de
forma a controlar a quantidade de ar que
B. Para aquecer o fluido da transmissão até a atravessa o radiador.
temperatura de operação, antes do trabalho
funcione o motor a 1500 RPM por ● PARADA DO MOTOR. Funcione o motor em
aproximadamente cinco minutos com a baixa rotação durante um curto período de
alavanca de controle da transmissão na tempo. Isto permitirá que a temperatura baixe
posição PARK (ESTACIONAMENTO. gradualmente antes de parar o motor.

115
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

Aquecedor do Líquido de Arrefecimento do Motor (Se Equipado)


Existe disponível para o seu trator um aquecedor do líquido de arrefecimento. O aquecedor mantém o líquido de
arrefecimento do motor a uma temperatura aquecida para melhorar as condições de partida em temperaturas
ambiente frias. O aquecedor é instalado no bloco do motor, no lado direito. A capacidade do aquecedor é 500
watts a 120 volts. Conecte o aquecedor a uma tomada aterrada de 120 volts. Utilize um cabo de extensão para
serviço pesado de três fios se necessário.

Para instalar o aquecedor:

1. Remova um pouco do líquido de arrefecimento


do motor.
1
2. Remova o bujão roscado do bloco do motor.

3. Instale o aquecedor (1) de acordo com as


instruções incluídas no kit.

RH02G246

4. Preencha o radiador com líquido de


arrefecimento.

NOTA: O uso do aquecedor de líquido de 1


arrefecimento do motor é recomendado para
temperaturas ambiente de -6.7o C (20o F) e
inferiores. 2

RH98F234
1. AQUECEDOR DO 2. CONECTOR
LÍQUIDO DE
ARREFECIMENTO

116
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

Mantenedor de Calor do Óleo da Transmissão (Se Equipado)


Existe disponível para o seu trator um mantenedor
de calor do óleo da transmissão. O aquecedor
mantém o líquido de arrefecimento do motor a uma
temperatura aquecida para melhorar as condições
de par tida em temperaturas ambiente frias. O 1
aquecedor é instalado no lado direito inferior da
carcaça da transmissão, exatamente em frente do
alojamento da tela de sucção ou do sensor de
velocidade real no solo, se equipado. A capacidade
do aquecedor é 500 watts a 120 volts. Conecte o
aquecedor a uma tomada aterrada de 120 volts com
um cabo de extensão para serviço pesado de três
fios.
RH02H413

NOTA: Ligue o mantenedor de calor quando o óleo


está ainda aquecido da operação.

NOTA: Não utilize o aquecedor para aquecer o óleo


frio; ele irá “queimar” o óleo. Utilize o mantenedor de
calor após o trator ter sido operado para “manter” a
temperatura do óleo para partidas mais rápidas em
tempo frio.

Para instalar o mantenedor de calor:

NOTA: Ao remover o bujão (1), óleo irá escorrer até


que o aquecedor esteja instalado. A instalação é
feita melhor quando o óleo da transmissão é
drenado.

1. Remover o bujão (1) da carcaça da transmissão.

2. Instalar e apertar o aquecedor na carcaça da


transmissão.

117
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

Partida do Motor Com Éter (Se Equipado)


A partida com éter proporciona partidas mais fáceis
em temperaturas ambiente frias. Para dar partida no
mo t or a t e mp e rat u ras d e - 6 .7 o C ( 2 0 o F ) o u
inferiores, use este procedimento de partida com
éter.

1. Execute o Passos 1-6 do procedimento normal


de par tida do motor com as seguintes
diferenças:
– mova a alavanca do acelerador para a posição
1/2 aberta.
Gire a chave de ignição totalmente no sentido
horário para a posição START (PARTIDA) e RH02G069

mantenha a chave nesta posição.

2. Se o motor virar e não partir em 15 segundos,


aperte o interruptor de partida com éter (2) por
dois segundos enquando o motor estiver girando
e solte-o para injetar o fluido de partida. Se o
motor não partir dentro de mais 15 segundos,
solte a chave de ignição. Permita que o motor de
par tida esfrie por dois minutos, e repita o
procedimento. Utilize somente uma carga de
fluido de par tida por cada tentativa de 30
segundos. Se o motor não partir, verifque o
depósito de éter para ver se não está vazio.

NOTA: Após o motor partir e funcionar


irregularmente em marcha lenta, é permitido RH02G070

pressionar o interruptor de partida com éter e injetar


uma carga adicional ´calibrada de fluido de partida.
Uma vez que a velocidade do motor ultrapasse 600
rpm náo pode ser injetado éter.

118
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

3. Após o motor entrar em funcionamento, verifique


se o indicador da pressão do óleo (1) está
operando na área verde do gráfico de barra. Se
não, desligue o motor imediatamente e localize a
causa. Funcione o motor a 1500 RPM por um a 1
dois minutos.

NOTA: Em temperaturas ambiente abaixo de


0°C (32°F), o trator deve funcionar a 1500 RPM 2
até aquecer. Pode ocorrer funcionamento
irregular da transmissão e a direção dura até
ele aquecer. Utilize um mantenedor de calor da
transmissão e um aquecedor do bloco do motor
para reduzir o tempo de aquecimento. RH02J051

4. Após o motor aquecer, verifique se o indicador


de barra da temperatura do líquido de
arrefecimento (2) está na área verde e se todos
os mon itor es de ser vi ço estã o i ndic and o
funcionamento normal.

IMPORTANTE: Se os indicadores do trator não


indicarem funcionamento normal, desligue o motor e
localize a causa.

119
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

Substituição do Reservatório do Fluido de Partida


Para instalar um reservatório de 360 g (12 onças) ou
425 g (15 onças) de Fluido de Par tida Case -
B17072:

NOTA: Se equipado, o trator é embarcado com um


receptáculo para fixar a lata do fluido de partida na
sua posição selada. Gire o receptáculo no sentido
anti-horário para remover a lata. Gire o receptáculo
ao contrário para instalar a lata do fluido de partida.

1. Gire o receptáculo de plástico preto (1) no


sentido anti-horário para soltar e então remover 2 1
a lata vazia.
RH02G268

2. Remova a tampa de segurança e o bico plástico


da nova lata de fluido.

3. Coloque a nova lata de fluido no receptáculo e


aperte para segurar a lata na posição.

Se o trator funcionar sem uma lata de fluido no


acessório de partida, vire o receptáculo de plástico
ao contrário e aperte-o contra o acessório de partida.
A tampa de vedação (2) impede que sujeira e pó
entrem no acessório de partida.

IMPORTANTE: Leia sempre e siga as informações


e instruções de cuidado impressas na embalagem
de éter.

RH02G269

120
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA (POWER SHIFT)


O seu trator está equipado com uma transmissão Veja a Tabela de Velocidade de Deslocamento neste
totalmente automática. O projeto da transmissão manual para obter velocidades aproximadas de
automática per mite a mudança de marchas a deslocamento de cada marcha em combinação com
qualquer momento sem que seja necessário utilizar o tamanho do pneu.
o pedal de avanço gradual (embreagem), exceto na
primeira vez em que a transmissão é engatada na ADVERTÊNCIA: A velocidade de
partida. Isto inclui a mudança de marchas quando o deslocamento deve ser tal que permita
trator estiver em movimento, parado ou mudando a manter o controle completo e a estabilidade
direção de deslocamento. da máquina o tempo todo. Quando possível,
! evite operar próximo a valas, aterros e
buracos. Reduza a velocidade ao fazer
Marchas da Super Redutor
curvas, descer ladeiras e em superfícies
Transmissão (Se Equipado)
desniveladas, escorregadias ou lamacentas.
À Frente 18 Marchas À Frente 6 Marchas M109B

À Ré 4 Marchas À Ré 2 Marchas

IMPORTANTE: Como um dispositivo de segurança


na par tida do trator, o pedal de avanço gradual
(embreagem) DEVE ser pressionado antes de mover
a alavanca de controle da transmissão da posição de
e s t a c i o n a m e n t o PA R K p a r a a F R E N T E
(FORWARD) ou para a RÉ (REVERSE). Se o pedal
de avanço gradual não for pressionado, soará um
alarme; a mensagem “CP” (de “clutch pedal” = pedal
de embreagem) é mostrada no painel de
instrumentos, e a transmissão NÃO engata. Uma
vez que o trator tenha funcionado e a transmissão é
engatada na primeira vez com o pedal de avanço
gradual, a mudança de marchas sem utilizar o pedal
fica disponível a qualquer momento.

121
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

TRANSMISSÃO

Marchas Padrão da Transmissão


Na partida do trator a marcha padrão para a frente é Quando o pedal de avanço gradual é pressionado
a 7a marcha; o padrão para a ré é a 2a marcha. Se com o trator se movimentando em marchas de
houver necessidade de outras marchas padrão, o es t ra da ( 13 a e ac i m a) , a tr an s m is s ã o r e d uz
seu concessionário Case IH poderá executar esta automaticamente a marcha para corresponder à
alteração. velocidade de deslocamento real. Isto elimina a
necessidade de reduzir as marchas a cada ponto de
parada.

Componentes Operacionais
A alavanca de controle da transmissão (1) é utilizada
para selecionar a direção de deslocamento para a
frente (forward), marcha à ré (reverse), posição de
monto morto (neutro) ou posição de estacionamento
(park). 1

IMPORTANTE: Como um dispositivo de segurança


na par tida do trator, o pedal de avanço gradual
(embreagem) DEVE ser pressionado antes de mover
a alavanca de controle da transmissão da posição de
e s t a c i o n a m e n t o PA R K p a r a a F R E N T E
(FORWARD) ou para a RÉ (REVERSE). Se o pedal
de avanço gradual não for pressionado, soará um
alarme; a mensagem “CP” (de “clutch pedal” = pedal RH02G340

de embreagem) é mostrada no painel de


instrumentos, e a transmissão NÃO engata. Uma
vez que o trator tenha funcionado e a transmissão é
engatada na primeira vez com o pedal de avanço
gradual, a mudança de marchas sem utilizar o pedal
fica disponível a qualquer momento.

O interruptor de seleção de marcha (2) encontra-se


localizado na alavanca do acelerador e é utilizado
para selecionar a marcha desejada.

NOTA: Toda vez que é dada a partida no trator, a


transmissão estará em uma marcha inicial pré-
programada. Consulte Marchas Padrão da
2
Trasmissão para mais detalhes.

A transmissão pode ser mudada para qualquer


marcha para a frente ou para a ré quando o trator
estiver em movimento ou parado (com o trator
parado, somente da 1a até a 13a marcha). Ao mudar
a direção de deslocamento, reduza a velocidade do RH02G077

trator antes de mover a alavanca de controle da


transmissão para a direção desejada.

122
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

A seleção da marcha para a frente (1) e marcha à ré


(2) será indicada no monitor de exibição de marcha.

NOTA: Um retângulo piscando em torno do ícone


do neutro (ponto morto) no monitor de exibição de
marcha (3), indica que a transmissão foi mudada 1
para NEUTRO (ponto morto). Mova a alavanca de
controle da transmissão para NEUTRO (ponto 2
morto) ou PARK (estacionamento) para reengatar a
transmissão. Se a condição persistir, consulte 3
Diagnóstico de Falhas de Desengates da
Transmissão neste manual para as possíveis
causas.
RH02J052
1. EXIBIÇÃO DE 3. INDICADOR DE POSIÇÃO DA
MARCHA À ALAVANCA DE CONTROLE DA
FRENTE TRANSMISSÃO
2. EXIBIÇÃO DE
MARCHA À RÉ

O pedal de avanço gradual da transmissão pode ser


utilizado para mover o trator cur tas distâncias
quando estiver operando em áreas confinadas, para
conectar implementos ao trator e para parar o trator
sem precisar colocar a alavanca de controle da
transmissão na posição neutro. Se desejar, o
operador pode também utilizar o pedal de avanço
gradual para dar partida no trator, movendo de uma
posição estacionária na marcha selecionada. Isto
proporciona ao operador um controle adicional do
arranque do trator sob condições de carga e
operação variáveis.

NOTA: Quando a transmissão estiver sob carga, RH02J048

solte completamente o pedal de avanço gradual


dentro de 5 segundos para maior durabilidade da
embreagem.

NOTA: Sempre pressione o pedal de avanço


gradual para baixo para desengatar a transmissão
quando fizer uma parada rápida.

123
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

Seleção da Direção de Deslocamento com o Trator Parado


IMPORTANTE: Cer tifique-se de que não haja Utilizando o Pedal de Avanço Gradual
pessoas presentes na área, nem obstáculos, antes Pressione o pedal de avanço gradual para baixo e
de dar a partida e mover o trator. mova a alavanca de controle da transmissão para a
direção desejada. Pressione o interruptor de seleção
Toda vez que a chave for girada para a posição de de marcha na alavanca do acelerador até que a
partida (start), a transmissão estará engatada nas m a r c h a d e s e j a d a s e j a ex i b i d a n o p a i n e l d e
marchas padrão pré-programadas para a frente ou instrumentos. O trator começará a se mover na
ré. A seleção da direção de deslocamento será a direção selecionada quando o pedal de avanço
partir desta marcha pré-programada a menos que a gradual for solto. Isto proporcionará ao operador um
seleção de marcha seja mudada. controle adicional do arranque do trator s ob
condições de carga e operação variáveis.
A direção de deslocamento do trator pode ser
iniciada a partir de uma posição estacionária com ou
Sem Utilizar o Pedal de Avanço Gradual
sem a utilização do pedal de avanço gradual.
A mudança da alavanca de controle da transmissão
de Neutro (Ponto Morto) ou Park (Estacionamento)
p a r a a Fr e n t e o u p a r a a R é é m o d u l a d a . A
modulação proporciona o mesmo efeito que soltar o
pedal de avanço gradual gradualmente.

Mova a alavanca de controle da transmissão da


posição Park (Estacionamento) ou Neutro para a
direção desejada de avanço. O trator começará a se
mover imediatamente na direção selecionada.

Seleção de Marchas com o Trator Parado


Com a alavanca de controle da transmissão na Pressione o pedal de avanço gradual para baixo e
posição Park (Estacionamento) ou Neutro (Ponto mova a alavanca de controle da transmissão para a
Morto), pressionando o interruptor de seleção de direção de deslocamento desejada. Pressione o
marcha serão engatadas marchas à frente mais interruptor de seleção de marcha na alavanca do
rápidas ou mais reduzidas. A seleção de marcha à ré acelerador até que a seleção da marcha desejada
só pode ser feita quando a alavanca de controle da apar eç a no pai nel de i nst r u mentos. O trator
transmissão está na posição de marcha à ré. Por c o m e ç a r á a s e m o ve r n a d i r e ç ã o e m a r c h a
este motivo, a seleção de marcha à ré só pode ser selecionadas quando o pedal de avanço gradual for
feita utilizando o pedal de avanço gradual enquanto solto. A marcha mais rápida de partida para a frente
o trator estiver parado. é a 13a marcha ou, em marcha à ré, a 3a.

Seleção de Marchas com o Trator em Movimento


O interruptor de seleção de marchas (1) está
localizado na alavanca do acelerador e é utilizado
para selecionar a marcha da transmissão desejada.
Pressionando e soltando a par te super ior do
interruptor engatará marchas de maior velocidade,
uma marcha de cada vez. Pressionando e mantendo
pressionada a parte superior do interruptor, será
1
engatada uma marcha a cada 1 segundo.

Pressionando e mantendo pressionada a par te


inferior do interruptor, reduzirá uma marcha a cada 1
segundo. A seleção da marcha será exibida no
painel de instrumentos.
RH02G077

124
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

MUDANÇA DE MARCHA DE IDA E VOLTA

Frente-Ré, Ré-Frente
Ao fazer mudanças de marcha de ida e volta, o
Se a Marcha à A Marcha à Ré será,
operador não pr ecisa hes itar quando estiver
Frente é: por padrão:
selecionando a direção de deslocamento para frente
ou para trás (ré) na alavanca de controle da 1a7 1 ou 2
transmissão. A mudança de marcha de ida e volta 8 a 12 3 ou 4
pode ser feita com ou sem o pedal de avanço
gradual. 13 a 18 Ida e Volta não disponível

Utilizando o Pedal de Avanço Gradual


Pressione o pedal de avanço gradual para baixo e
mova a alavanca de controle da transmissão da
posição de deslocamento à frente (forward) para a
posição de marcha à ré (reverse), ou da ré para a
frente. O trator começará a se mover na direção
selecionada quando o pedal de avanço gradual for
solto. Isto proporcionará ao operador um controle
adicional sobre a mudança de direção do trator,
sob condições de carga e operação varáveis. Isto
pode ser feito com o trator em movimento ou
parado.

RH02J048

Sem Utlizar o Pedal de Avanço Gradual


Com o trator em movimento em uma direção
selecionada, mova a alavanca de controle da
transmissão para a direção de deslocamento
oposta sem utilizar o pedal de avanço gradual. O
t r a t o r m u d a r á d e d i r e ç ã o s u ave m e n t e p e l a
modulação da embreagem principal.

F
R

RH02G340

Correspondência de Marchas
Quando o pedal de avanço gradual é pressionado
com o trator se movimentando em marchas de
es t ra da ( 13 a e ac i m a) , a tr an s m is s ã o r e d uz
automaticamente a marcha para corresponder à
velocidade de deslocamento real. Isto elimina a
necessidade de reduzir as marchas a cada ponto de
parada.

125
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

Diagnóstico de Falhas de Desengates da Transmissão


Há diversos motivos para o retângulo em volta do
ícone de neutro (ponto morto) piscar no mostrador
de marcha. O retângulo piscando indica que o
controlador eletrônico da transmissão engatou a
transmissão em NEUTRO (ponto mor to). Para
reengatar a transmissão, coloque a alavanca de
controle da transmissão na posição NEUTRO (ponto
morto) ou PARK (estacionamento), e então mova-a
para a direção desejada de deslocamento.

Causas para o retângulo piscar:

● Foi dada a partida no trator com a alavanca de


controle da transmiss ão em uma posiç ão RH02J051

d i fe r e n t e d e PA R K ( e s t a c i o n a m e n t o ) o u
NEUTRO (ponto morto).

● A velocidade do motor ainda não ultrapassou 500


RPM desde a partida.

● A alavanca de controle da transmissão estava


fora das posições F, N, R ou P por mais de 2
segundos.

● A alavanca de controle da transmissão foi


movida da posição NEUTRO ou PARK quando o
operador não estava no assento.

● A alavanca de controle da transmissão foi


movida da posição PARK antes da
instrumentação do trator ter completado o seu
auto teste.

● O operador tentou engatar ou desengatar a


operação do redutor sem colocar a alavanca de
controle da transmissão na posição NEUTRO ou
PARK.

● A relação da velocidade do motor para a


velocidade do eixo não correspondeu à marcha
selecionada. Exemplo: tentativa de engatar a
transmissão em uma partida em clima frio antes
do óleo estar suficientemente aquecido. Utilize
um mantenedor de calor do óleo da transmissão
para reduzir o tempo de aquecimento em clima
frio.

126
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

OPERAÇÃO DA MUDANÇA AUTOMÁTICA DE MARCHAS (AUTOSHIFT)


(Se Equipado)
O dispositivo de Autoshift possibilita o trator reduzir Q ua n do o in te r r u pt or d o Au to s hi ft é
automaticamente as marchas quando necessário pressionado, o ícone do Autoshift é exibido
para manter a velocidade/torque do motor na na instrumentação padrão.
Operação Automática de Campo (AFO = “Auto Field
Operation”) ou selecionar as marchas da O Autoshift é interrompido (nenhuma mudança
transmissão baseado em grande parte no sinal da automática de marcha ocorre, mas o modo continua
aceleração na Operação Automática de Estrada ativo) nas seguintes condições:
(ARO = “Auto Road Operation”).
● O pedal de avanço gradual é pressionado.
NOTA: O Autoshift não atua nas marchas do super ● A alavanca de controle da transmissão é movida
redutor ou da ré. para NEUTRO (PONTO MORTO).
● O operador abandona o assento do trator.
Os dois modos de operação do Autoshift são:
● O interruptor do engate está na posição UP
● Operação Automática de Campo (AFO = “Auto (Subir).
Field Operation”) que atua nas marchas de 1 a
11. Quando o Autoshift é interrompido, o ícone do
Autoshift pisca na instrumentação padrão. Quando a
● Operação Automática de Estrada (ARO = “Auto condição é corrigida, o ícone é exibido sem piscar.
Road Operation”) que pode ser programada nas
marchas de 11 a 18 e opera nas marchas de 13 O Autoshift é abandonado quando:
a 18.
● O parte inferior do interruptor do Autoshift é
Não existe transição automática entre a Operação pressionado.
Automática de Campo e a Operação Automática de
● O interruptor de seleção de marcha (rápida ou
Estrada. Deve-se sair do modo atual de operação
reduzida) é pressionado (somente ARO).
para entrar no outro modo.
● A alavanca da transmissão é movida para PARK
NOTA: O Autoshift pode ser engatado nas marchas ou RÉ.
de 11 a 18, porém a transmissão somente reduz até
● O dispositivo de marcha do Super Redutor é
a marcha 13.
engatado.

Quando o Autoshift é abandonado, o ícone não é


mais mostrado na instrumentação do trator.

Operação Automática de Campo (AFO)


O m o d o Au t o m á t i c o d e C a m p o é p l a n e j a d o
principalmente para aplicações de cultivo ou onde a
manutenção da velocidade/torque do motor sob
condições de carga variável é conseguida pela
mudança de velocidades da transmissão.

Utilize o interr uptor de seleção de marchas e


encontre a marcha ótima para o trabalho de campo
sendo executado (da 1a até a 11a marcha). Mova a
a l av a n c a d o a c e l e r a d o r p a r a a p o s i ç ã o d e
aceleração TOTAL.

NOTA: Deixe o acelerador na posição de


aceleração TOTAL quando operando en AFO. RH02G094

127
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

Pressione a parte de cima do interruptor do Autoshift


para selecionar a marcha atual como marcha “base”.
A faixa da mudança automática de marcha agora é
da marcha “base” até qualquer outra marcha inferior
da faixa disponível.

NOTA: O Autoshift não pode ser engatado em


operação AFO se a marcha atualmente selecionada
é superior a 11a marcha.

A medida que a carga aumenta devido à mudança


n a s c o n d i ç õ e s d o c a m p o, o t r a t o r r e d u z a
transmissão automaticamente para manter a rotação
do motor. A medida que carga diminui, o trator muda RH02G333

para uma marcha superior dentro da faixa conforme


necessário, mas para nenhuma marcha mais alta
que a marcha “base”.

A seleção automática da marcha depende da


velocidade do eixo de saída da transmissão, da
marcha atual engatada, e do torque do motor
(somente motores controlados eletronicamente)
necessário para manter o desempenho do trator sob
condições de carga variável.

Com o Autoshift LIGADO (ON) em AFO, a marcha


“base” pode ser aumentada para a próxima marcha
mais alta pressionando marcha rápida (upshift) no
interruptor de seleção de marchas. A nova faixa do
Autoshift agora é da nova marcha “base” até
qualquer outra marcha inferior na faixa disponível.

Pressionando marcha rápida (upshift) no interruptor


de seleção de marchas quando se está na 12 a
marcha causa o DESLIGAMENTO do Autoshift.

NOTA: A transmissão não pode engatar uma


marcha superior a 12a marcha quando em operação
AFO. RH02G077

Para DESLIGAR (OFF) o Autoshift, pressione a


parte de baixo do interruptor. O ícone não é exibido
mais na instrumentação padrão.

RH02G333

128
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

Operação Automática de Estrada (ARO)


Quando rodando em estrada, utilize o interruptor de
seleção de marchas e selecione qualquer marcha na
faixa de marchas 11-18.

RH02G077

Pressione a par te super ior do interr uptor do


Autoshift.

A seleção automática da marcha depende da


posição do acelerador e da velocidade na estrada. A
tabela abaixo indica os pontos de mudança de
marcha na rotação (RPM) do motor:

Elevação da Redução da
Marcha Marcha Marcha
RPM do Motor RPM do Motor
11 1700
12 1740 RH02G333

13 1780
14 1820 1480
15 1860 1515
16 1900 1550
17 1940 1580
18 1615

NOTA: A transmissão não pode de reduzida para


uma marcha inferior a 13a marcha durante a
operação ARO.

Para DESLIGAR (OFF) o Autoshift, pressione a


parte inferior do interruptor. O ícone não é exibido
mais na instrumentação padrão.

RH02G333

129
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

OPERAÇÃO DAS MARCHAS DO SUPER REDUTOR (Se Equipado)

6 Marchas à Frente - 2 Marchas à Ré


As marchas do Super Redutor são utilizadas quando velocidades mais lentas no solo são desejadas. Consulte a
Tabela de Velocidades de Deslocamento na seção Especificações neste manual.

Para engatar o Super Redutor:

Pare o trator e coloque a alavanca de controle da


transmissão (1) na posição NEUTRO ou PARK. 1

RH02G340

Empurre e solte a parte superior do interruptor do


super redutor para engatá-lo.

RH02G333

Empurre o pedal de avanço gradual (embreagem) e


mova a alavanca de controle da transmissão para a
direção desejada de deslocamento. Utilize o
interruptor de seleção de marchas (1) para mudar a
marcha do super redutor na direção selecionada.
Vagarosamente solte o pedal de avanço gradual.
1
Quando o super redutor está engatado, “C” aparece
próximo à marcha à frente mostrada na
instrumentação do trator. A exibição da marcha à
frente e da ré mostra a seleção da faixa de marchas
do super redutor.

RH02G077

130
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

Para desengatar o super redutor, pare o trator,


coloque a alavanca de controle da transmissão na
posição NEUTRO ou PARK. Empurre e solte a parte
de baixo do interruptor do super redutor.

RH02G333

131
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

OPERAÇÃO DO EIXO SUSPENSO DA MFD (Se Equipado)


O eixo suspenso da MFD:
● permite velocidades de operação maiores com
maior estabilidade de trator no campo e na
estrada,
● melhora a qualidade da viagem e o conforto do
operador quando trabalhando em terrenos
irregulares e para mudanças rápidas de marchas
de ida e volta,
● proporciona melhor contato do pneu dianteiro
com o solo para melhorar o controle do trator e
prolongar a durabilidade do pneu.
RH02G354
A suspensão dianteira automática é benéfica na
maioria das aplicações, mas pode ser desengatada
quando executando algumas operações frontais de
engate e carregador.

IMPORTANTE: Certifique-se que o eixo dianteiro


suspenso esteja na posição TRAVADA ao elevar do
s o l o a ex t r e m i d a d e d i a n t e i ra d o t r a t o r p a r a
manutenção.

Ao dar par tida no trator, a suspensão dianteira


automática está LIGADA (ON), se equipado, e torna-
se ativa quando o trator atinge a velocidade de 1.5
km/h (0.9 mph).

A operação de desengate do eixo suspenso da MFD


é controlada por um interruptor de contato
momentâneo localizado no console do pará-lama
direito. Pressione e solte a par te super ior do
interruptor para desengatar a suspensão automática.
O eixo dianteiro se move para a posição
intermediária, TRAVA nesta posição média e a luz
do interruptor acende.
RI02G031

NOTA: Quando a luz do interruptor acende indica


que o eixo dianteiro está TRAVADO, e a suspensão
dianteira automática está desengatada.

Se a velocidade do trator excede 12 km/h (7.5 mph),


a suspensão dianteira automática engata mesmo
quando o interruptor foi usado para desengatar a
suspensão dianteira. A luz do interruptor DESLIGA
para indicar que a suspensão automática está
novamente ativa.

Para LIGAR a suspensão automática do eixo NOTA: Abaixo de 1.5 km/h (0.9 mph), o eixo
dianteiro após ela ter sido manualmente dianteiro não se move mesmo que a suspensão
desengatada, pressione e solte a parte superior do dianteira automática esteja LIGADA.
interruptor.

132
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

OPERAÇÃO DO CONTROLE DO AMORTECIMENTO DE VIAGEM


DO ENGATE (SE EQUIPADO)
O Controle do Amortecimento de Viagem do Engate Quando o engate de três pontos está totalmente
melhora a qualidade da viagem do trator quando levantado, o controle de viagem proporciona um
carregando implementos totalmente montados no amortecimento hidráulico para minimizar as cargas
engate. O dispositivo reduz o movimento para a d e c h o q u e p r ove n i e n t e s d o i m p l e m e n t o e m
frente e para trás proveniente do deslocamento em condições irregulares. Isto melhora grandemente o
altas velocidades do implemento montado e os pulos controle do operador sobre o trator durante o trans-
dos pneus dianteiros provenientes de choques e porte em altas velocidades. O controle de viagem
buracos no campo ou na estrada. ajusta a posição do engate para cima ou para baixo
para manter os pneus dianteiros do trator no solo.
O Controle de Viagem funciona somente quando o
engate está em posição de transporte (totalmente
levantado) e quando a velocidade no solo atinge 2.4
km/h (1.5 mph).

IMPORTANTE: DEVE existir uma folga mínima de 380 mm (15 pol) entre o ponto mais baixo do implemento e o
solo. O operador deve verificar visualmente a folga do implemento com o solo antes de usar o Controle de
Viagem. Uma mensagem é exibida na instrumentação lembrando o operador de verificar a folga do implemento
com o solo. A medição deve ser feita com o trator parado e o implemento na sua altura máxima. Se a folga com o
solo é menor que 380 mm (15 pol), o Controle de Viagem DEVE SER DESABILITADO movendo-se o interruptor
do Controle de Viagem para a posição DESLIGADO (OFF).

NOTA: Se o Controle do Amortecimento de Viagem do Engate não é necessário, o seu concessionário Case IH
pode desabilitar este dispositivo.

Localizado no console do pára-lama direito, o


interruptor do Controle de Viagem possui duas
funções: LIGAR (ON) e DESLIGAR (OFF).

RI02G031

Pressione a parte superior do interruptor para LIGAR


o Controle de Viagem.

NOTA: O Controle do Amortecimento de Viagem do


Engate somente é habilitado quando o controle do
Limite Superior do Engate é ajustado para a máxima
altura de elevação, o Controle de Posição está na
posição de Transporte, e o interruptor Subir/Descer
do engate está SUBIR (UP).

RI02G031

133
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

1. Gire o controle do Limite Superior do engate (1)


para a altura máxima de elevação – posição de
ajuste “11”. 1

RH01K052

2. Coloque a Alavanca de Posição do engate na


posição Travada de Transporte (2).
3. Pressione a parte inferior do interruptor Subir/ 3 2
Descer do engate para levantar o engate (3).

Quando a velocidade do trator excede 0.8 km/h (0.5


mph), o Controle de Viagem engata e o implemento,
automaticamente, baixa levemente para uma
posição vertical mais neutra. O engate subirá ou
descerá automaticamente em resposta a um choque
e então retornará à esta posição neutra, mantendo
um ótimo controle da viagem em todos os
momentos.
RH02G086

Para DESLIGAR (OFF) o Controle de Viagem,


pressione a parte de baixo do interruptor.

O Controle de Viagem é desengatado quando:


● O interruptor do Controle de Viagem está na
posição DESLIGADO (OFF).
● O interruptor Subir/Descer do engate está na
posição DESCER (DOWN).
● A velocidade de deslocamento está abaixo de
0.8 km/h (0.5 mph).

RI02G031

134
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

OPERAÇÃO DA VELOCIDADE CONSTANTE DO MOTOR (Se Equipado)


O dispositivo de velocidade constante do motor A redução da aceleração baixa a rotação (RPM) do
permite ao operador ajustar a velocidade do motor motor abaixo da constante.
em uma velocidade (RPM) máxima constante. Isto é
Quando a aceleração é novamente aumentada, a
útil nas aplicações tais como semeadura, borrifo ou
RPM constante do motor é restabelecida.
o p e r a ç õ e s d a P TO, o n d e o f l u x o h i d r á u l i c o
consistente é importante na operação do motor/ O dispositivo de velocidade constante do motor é
bomba. controlado por dois interruptores localizados no
console do pára-lama direito: um ON/OFF (Liga/
Quando a velocidade constante do motor é ajustada,
Desliga) e um INC/DEC (Aumentar/Diminuir).
a posição de total aceleração mantém a rotação
(RPM) do motor na velocidade selecionada pelo
operador.

Para ajustar a velocidade máxima constante do motor:


Com o motor funcionando, coloque o interruptor
Liga/Desliga da velocidade constante do motor (1)
na posição LIGA (ON).
Mova o acelerador para a posição máxima à frente.

1
2

RI02G031

135
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

Utilize o interruptor INC/DEC (Aumentar/Diminuir) (2)


para ajustar a velocidade (RPM) constante. Este
interruptor é de contato momentâneo: pressione a
parte superior do interruptor para aumentar o ajuste
da RPM constante; pressione a parte inferior do
interruptor para diminuir o ajuste.
A velocidade do motor pode ser qualquer RPM entre
900 e a velocidade máxima especificada.
1
2
O acel era dor pode s er usado para r eduzi r a
velocidade do motor, mas uma velocidade do motor
maior que a velocidade constante não é possível até
que esta velocidade constante seja mudada ou o
interruptor (1) seja movido para a posição RI02G031

DESLIGADO.

DESLIGUE o interruptor da velocidade constante (1)


para retornar à operação normal do acelerador.
Quando o interruptor da velocidade constante é
LIGADO novamente, a última velocidade constante é
lembrada. Use o controle INC/DEC para alterar a
velocidade constante se desejado.

NOTA: Quando o trator é DESLIGADO, o


controlador do motor memoriza o último ajuste de
velocidade constante utilizado. Quando o trator é
LIGADO novamente, o último valor de velocidade é
usado quando o interruptor (1) é ligado.

NOTA: Com a velocidade constante do motor


LIGADA, a velocidade do motor é mais consistente
se o motor estiver operando a uma rotação menor
que a máxima. Isto proporciona uma velocidade no
solo mais consistente em condições de baixa
patinagem.

136
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

REBOQUE DO TRATOR
NOTA: As alças de amarra (1) do eixo dianteiro
servem SOMENTE para fixação do veículo durante o
transporte embarcado do trator. NÃO utilize estas
alças de amarra para puxar o trator em caso de
atolamento ou para rebocá-lo.

Ao rebocar o trator:

● Certifique-se de que todos os controles estejam


na posição correta (consulte Motor Funcionando
ou Motor Não Funcionando para o procedimento
correto). 1
● Utilize uma barra de reboque rígida e correntes RH02G338

de segurança para puxar o trator. Instale a barra


de reboque e as correntes de segurança no
chassi do trator ou ao suporte dianteiro (2).

I M P O R TA N T E : D ev i d o à s ex i g ê n c i a s d e
lubrificação sob pressão, regras especiais se
2
aplicam quando o motor do trator estiver
funcionando ou parado. Utilize o procedimento
correto para a condição do seu motor.

IMPORTANTE: O trator está equipado com um freio


de estacionamento acionado por mola e requer um
procedimento especial quando o trator NÃO ESTÁ
F U N C I O N A N D O. C e r t i f i q u e - s e d e l e r o RH02G328

procedimento da página seguinte antes de tentar


rebocar o trator.

Motor Funcionando - Procedimento de Reboque


1. Não reboque o trator a uma velocidade superior
a 32,2 km/h (20 mph)

2. Coloque a alavanca de controle da transmissão


na posição NEUTRO.

3. Desengate a tração dianteira mecânica (MFD).

4. Desengate o bloqueio do diferencial.

IMPORTANTE: Para evitar danos ao trator, siga


cuidadosamente o procedimento acima quando
rebocar o trator.

137
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

Motor Não Funcionando - Procedimento de Reboque


O trator poderá ser rebocado com o motor não
funcionando se tiver operado nas últimas 48 horas.
Se o trator não trabalhou nas últimas 48 horas, o
trator não pode ser rebocado com o motor parado ou
ocorrerão danos devido à falta de lubrificação.

Quando o trator NÃO estiver funcionando, deve ser


seguido o procedimento de desaplicação do freio de
estacionamento para permitir o reboque.

IMPORTANTE: O trator deve ter energia elétrica


para se executar o procedimento de reboque com o
motor sem funcionar.
RH02G340

NOTA: Os freios permanecem desaplicados por um


período máximo 30 minutos. Repita o procedimento
se necessário.

1. Bloqueie os pneus do trator para impedir que ele


se mova.

2. Remova a alavanca de liberação e a barra de


acionamento da posição de armazenagem na
traseira do capô. Remova o anel de vedação de
modo que a alavanca e o pistão se separem em
duas peças.

RH02G331

3. O dispositivo de liberação do freio de


estacionamento encontra-se no piso, sob o
tapete. Levante a borda do tapete junto à porta e
coloque-o sob os pedais. Remova o bujão de
proteção.

RH02G326

138
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

4. Insira a alavanca na alça soldada no piso do


trator e a barra de acionamento no orifício do
piso engatando a haste do pistão embaixo.

5. Coloque a alavanca de controle da transmissão


na posição NEUTRO e gire a chave de ignição
para a posição LIGADA (ON).

6. Sentado no banco, bombeie a alavanca 25


cursos completos para liberar os freios.

7. Retorne a alavanca e a barra para a posição de


armazenamento, instale o bujão de proteção e
desenrole de volta o tapete. RH02G327

NOTA: A alavanca de controle da transmissão


DEVE ser deixada na posição NEUTRO com a
chave de ignição LIGADA durante todo o
procedimento de reboque. O trator pode ser
rebocado no máximo 0,8 km (1/2 milha) a uma
velocidade máxima de 6,4 km/h (4 mph).

NOTA: Os freios permanecem desaplicados por um


período máximo 30 minutos. Repita o procedimento
se necessário.

IMPORTANTE: Para evitar danos ao trator, siga


cuidadosamente o procedimento acima quando
rebocar o trator.

139
5 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

COMO TRANSPORTAR O TRATOR


Quando transportar o trator por caminhão ou trem,
siga estas instruções:

● Amarre o trator com correntes de segurança


através das alças de amarra do eixo dianteiro (1)
e traseiro (2). Existe uma alça de amarra traseira
no suporte traseiro da barra de tração, nos dois
lados do trator. As correntes de segurança
devem ter uma capacidade de carga superior à
carga bruta do trator. Não amarre em nenhum
outro local do trator.

● Coloque a alavanca de controle da transmissão


na posição PARK (ESTACIONAMENTO). 1 1
IMPORTANTE: Certifique-se de que a alavanca de
controle da transmissão esteja na posição PARK RH02G338
Alças de Amarra do Eixo Dianteiro
antes de liberar as amarras do trator.
(MFD Mostrado - Standard Similar)
IMPORTANTE: Verifique a altura total do trator
antes de transportá-lo para atender aos requisitos de
altura máxima permitida.

I M P O RTA N T E : A s a l ç a s d e a m a r r a d o e i x o
dianteiro servem SOMENTE para fixação do veículo
durante o transporte embarcado do trator. NÃO
utilize estas alças de amarra para puxar o trator em
caso de atolamento ou para rebocá-lo.
2

RH02G339
Pontos de Amarra da Traseira

140
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Esta seção aborda o acoplamento e controle de implementos.

PROCEDIMENTOS GERAIS PARA O ACOPLAMENTO DE IMPLEMENTOS

Implemento Acoplado à Barra de Tração


NOTA: Consulte as Seções Tomada de Força (PTO), Sistema de Engate de Três Pontos ou Barra de Tração nas
páginas seguintes para informações mais detalhadas.

Implemento
com PTO
ou
sem PTO
Implemento com PTO Implemento sem PTO

Instale o eixo correto da PTO Ajuste a barra de tração no furo do


comprimento desejado (consulte a
Preparação da Barra de Tração

Ajuste a barra de tração no furo do


comprimento correto para a distância Trave a barra de tração na posição
adequada da PTO (Consulte o Manual do central
Implemento)

Trave a barra de tração na posição


Engate
central
* Certifique-se de que o pino de engate
esteja preso
* Certifique-se de que as correntes de
Engate segurança estejam presas
* Certifique-se de que o pino de engate * Conecte as linhas hidráulicas
esteja preso * Levante o sistema de engate de três
* Certifique-se de que as correntes de pontos
segurança estejam presas
* Certifique-se de que haja uma folga
adequada da PTO à trava de impacto

Ajuste a proteção principal da PTO na


posição correta

141
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Implemento Acoplado ao Sistema de Engate de Três Pontos Traseiro

Ajuste os pinos de travamento de


* Ajuste a barra de tração na posição flutuação
de armazenamento (Consulte Flutuação Mecânica dos
* Gire a barra de tração para um lado e Braço Inferiores)
fixe-a com parafusos de retenção

Abaixe o engate, ajuste os braços


Se a PTO for utilizada, instale o eixo niveladores de modo que os centros
correto dos pinos estejam 203 mm (8 pol.)
acima do solo.

Ajuste o braço superior (3o ponto) no


furo correto Levante o engate de modo que os
(Consulte Ajuste dos Braços Superior braços inferiores fiquem horizontais,
e Inferior) ajuste o braço superior de modo que o
acoplador fique vertical (se equipado)

Ajuste a proteção principal da PTO na


posição correta Engate
(Consulte a Seção Proteção de * Certifique-se de que os fechos de
Segurança da PTO) acoplamento rápido estejam presos
* Certifique-se de que haja uma folga
adequada de oscilação com os
pneus
Ajuste a categoria do engate em Cat 3
* Levante lentamente o engate e
ou Cat 3N, dependendo do
certifique-se de que haja uma folga
implemento
adequada com os pneus e pára-
lamas
* Certifique-se de que as linhas
Ajuste os limitadores de oscilação hidráulicas tenham roteamento e
(Consulte Limitadores de Oscilação) folga adequados
* Certifique-se de que o implemento
tenha uma altura de transporte
adequada Ajuste o braço superior e/
ou braços niveladores conforme
necessário.

142
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

TOMADA DE FORÇA (PTO)


Veja a Seção de Especificações neste manual para Sempre desligue o motor antes de conectar um eixo
obter especificações gerais sobre a tomada de força da PTO do implemento. Isto permite que o eixo da
do seu trator. PTO possa ser girado manualmente, de modo que
a s e s t r i a s d o s e i x o s d a P TO d o t r a t o r e d o
implemento possam ser alinhadas.

ADVERTÊNCIA: Equipamentos acionados pela PTO podem causar acidentes graves. Antes de
trabalhar no eixo da PTO ou próximo a ele, ou quando estiver executando manutenção ou reparos no
! equipamento acionado, coloque o interruptor ou alavanca da PTO na posição DESENGATADA e
DESLIGUE o motor. M154A

ADVERTÊNCIA: Ao executar trabalhos estacionários com PTO e desmontagens do trator com a PTO
! em funcionamento, mantenha-se afastado e protegido de todas as peças móveis, uma vez que tais
peças oferecem riscos potenciais à segurança. M127A

ADVERTÊNCIA: Este trator está equipado com um PTO de 540 ou 1000 RPM. Certifique-se de que
os implementos correspondem às velocidades da PTO do trator. Trave a barra oscilante na posição
! central ao utilizar a PTO. Não utilize a PTO de 540 RPM para implementos que exijam mais do que 63
kW (85 HP) da PTO. M266A

ADVERTÊNCIA: Sempre que uma máquina acionada pela PTO estiver em operação, a tampa de
proteção da PTO deve estar instalada para a maioria das operações, de modo a evitar acidentes ao
operador ou a pessoas presentes no local. Onde houver acessórios, tais como bombas, instalados no
! eixo da PTO (especialmente quando a tampa de proteção da PTO do trator estiver inclinada para cima
ou removida), deverá ser instalada uma extensão de proteção, equivalente à tampa de proteção da
PTO, juntamente com o acessório. Instale a tampa de proteção da PTO em sua posição original
imediatamente após a remoção do acessório. M273A

Segurança na Operação da PTO


Para o funcionamento seguro da PTO observe estas
práticas de funcionamento de segurança.

1. Trave a barra de tração (1) na posição central de


seu suporte com os parafusos limitadores de
oscilação da barra de tração (2).

2 2
1

RH02G358

143
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

2. Remova a trava de impacto da barra de tração


para evitar interferência entre a trava e a linha de 1 2 3
transmissão do implemento. Se não houver uma
fo l ga a d eq u a da e a t rava d e i mp a c t o fo r
necessário, mova a trava para a parte inferior da
barra de tração.

3. Conecte o engate do implemento (3) à barra de


tração (1) com um pino de aço reforçado.
Certifique-se de que o pino esteja firmemente
preso no lugar com um contrapino ou pino de
trava (2) e que não entre em contato com a linha
de transmissão do implemento.
374L9
Forquilha da Barra de Tração Removida

4. Conecte o engate do implemento à barra de


tração do trator antes de conectar a linha de 2
1 3
transmissão do implemento à tomada de força.

5. Conecte a linha de transmissão do implemento


ao trator. Verifique se a linha de transmissão
está com o comprimento correto e apresenta um
movimento telescópico livre. O comprimento
correto é importante para impedir que a linha de
transmissão toque no fundo ou se separe em
qualquer posição de trabalho do trator ou do
implemento.

6. Ao utilizar um implemento com barra de tração, 374L9

levante o sistema de engate de três pontos tanto Forquilha da Barra de Tração Montada
q u a n t o p o s s í v e l p a r a ev i t a r p o s s í v e i s Sob a Barra de Tração
interferências entre os braços inferiores e o
implemento.

IMP O RTANTE : S ig a a s r ec om end aç ões d os


fabricantes dos implementos quanto ao ajuste e
alinhamento do implemento e linha de transmissão
com o trator.

144
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Proteção de Segurança da PTO


Todos os tratores com tomada de força (PTO) são
equipados com uma tampa de proteção grande de
segurança (1). A proteção de segurança deve ser 1
utilizada para evitar ferimentos ao operador.

A parte superior da proteção é ajustável para facilitar


o acoplamento e execução de diversas operações.
Consulte a página seguinte para obter informações
sobre o posicionamento da tampa de proteção.

RH02G363

Operação da PTO e da Barra de Tração


Mantenha a proteção de segurança na posição
nivelada ao utilizar equipamento acionado pela PTO
e para operação da barra de tração. A tampa de
proteção pode ser inclinada para cima para acessar
e acoplar o eixo de acionamento do implemento ao
eixo da PTO. Abaixe a tampa de proteção para a
posição nivelada após acoplar o implemento ao eixo
da PTO.

RH02G360

Operação da PTO e do Engate de Três Pontos


Quando a PTO não estiver em uso, a sua tampa de
proteção pode ser inclinada para baixo para
operação do engate de três pontos. Isto proporciona
folga adicional entre a proteção e o braço superior
do engate (3o ponto).

RH02G362

ADVERTÊNCIA: Sempre que uma máquina acionada pela PTO estiver em operação, a tampa de
proteção da PTO deve estar instalada para a maioria das operações de modo a evitar acidentes ao
operador ou a pessoas presentes no local. Onde houver acessórios, tais como bombas, instalados no
! eixo da PTO (especialmente quando a tampa de proteção da PTO do trator estiver inclinada para cima
ou removida), deverá ser instalada uma extensão de proteção, equivalente à tampa de proteção da
PTO, juntamente com o acessório. Instale a tampa de proteção da PTO em sua posição original
imediatamente após a remoção do acessório.M273A

145
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Acoplamento de Equipamento Acionado Pela PTO


Alguns equipamentos montados no engate de três
pontos são acionados com um eixo de acionamento
direto do implemento à PTO do trator. Consulte o
Manual do Operador do Implemento para o ajuste
necessário dos braços niveladores, braço superior e
oscilação lateral do engate.

Em todas as aplicações da PTO, a barra de tração 1


deve ser fixada na posição central no suporte da
barra (1).

NOTA: Consulte a seção Barra de Tração para as


especificações de carga.
RH02G358

Conecte o i mplemento ao trator na segui nte


sequência:
1. Desligue o motor e remova a chave de ignição.

2. Levante a tampa de proteção de segurança da


PTO (2) para ter acesso à ponta saliente do eixo
da PTO (3).

3. Gire o eixo de saída da PTO manualmente para


alinhar as estrias. Conecte o eixo de
acionamento do implemento à parte saliente do 2
eixo da PTO (3). Certifique-se de que a junta
universal do eixo de acionamento esteja travada
com segurança ao eixo da PTO. Abaixe a
proteção de segurança da PTO.
3
4. Verifique o eixo de acionamento do implemento
quanto ao comprimento correto e movimento RH02G360

telescópico livre. O comprimento correto é


impor tante para impedir que o eixo de
acionamento da PTO bata no fundo ou se
separe em qualquer posição de operação do
implemento.

5. Verifique as proteções integrantes do eixo de 7. Mantenha a linha de transmissão a mais reta


acionamento quanto à liberdade de rotação sem possível.
qualquer interferência. Se a proteção estiver
danificada ou não irá girar, repare ou substitua a
proteção antes de operar a PTO.

6. Certifique-se de que todas as proteções estão


em posição e em boas condições. NUNCA opere
a P TO s e m a s u a t a m p a d e p r o t e ç ã o d e
se gura nç a e sta r ab aix ad a e p os ic io nad a
corretamente.

146
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Operação da Tomada de Força (PTO)

ADVERTÊNCIA: Ao executar trabalhos estacionários com a PTO e desmontagens do trator com a PTO
! em funcionamento, mantenha-se afastado e protegido de todas as peças móveis, uma vez que tais
peças oferecem riscos potenciais à segurança. M127A

A PTO é controlada por um interruptor localizado no


console do apoio de braço direito. A PTO opera
independente da transmissão e pode ser acionada
sempre que o motor estiver trabalhando. A tomada
de força pode, também, ser ligada ou desligada sem
alterar a velocidade do trator. Para aumentar a vida
útil da embreagem e freios da PTO, linhas de
transmissão e das máquinas acionadas pela PTO,
siga os seguintes procedimentos ao operar a PTO.

RH02G334

Engate do Sistema da PTO


1. Reduza a rotação do motor; puxe o
ACELERADOR para trás.

RH02G333

2. Levante o botão do interruptor da PTO e mova-o


PARA FRENTE. O ícone da PTO será exibido
na instrumentação do trator.

IMPORTANTE: O motor pode ser ligado quando o


interruptor da PTO estiver na posição LIGADO (ON).
Entretanto, a PTO não operará até que o interruptor
da PTO seja reengatado movendo-o para a posição
DESLIGADO (OFF) e então novamente para a
posição LIGADO (ON).

NOTA: A PTO é “Auto-Moduladora”. Não levante o


interruptor lentamente na tentativa de modular o
engate da PTO; poderá ocorrer um código de falha. RH02G084

NOTA: Um alarme soará se o operador deixar a sua


posição com a PTO funcionando. Isto é um lembrete
para para DESLIGAR a PTO antes de sair da
cabine.

147
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

3. Quando a PTO estiver engatada, a primeira linha


do mostrador programável no painel 2 indicará o
tipo da PTO (1), 540 ou 1000 RPM conforme
equipado. O lado direito da linha de cima
indicará a velocidade real da PTO (2).
1

1000
1000
2
4. Lentamente aumente a rotação (RPM) do motor
até que a velocidade correta da PTO seja
alcançada, conforme indicado no mostrador
programável.

NOTA: Se a embreagem da PTO patinar por mais


1378.2 RH02H135

de 5 segundos será desengatada automaticamente


para evitar danos aos seus componentes. Reduza a
carga da PTO e restabeleça a PTO, DESLIGANDO o
interruptor da PTO e em seguida LIGANDO-O
novamente.

148
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Desengate da PTO

ADVERTÊNCIA: Equipamentos acionados pela PTO podem causar acidentes graves. Antes de
trabalhar no eixo da PTO ou próximo a ele, ou quando estiver executando manutenção ou reparos
! no equipamento acionado, coloque o interruptor ou alavanca da PTO na posição DESENGATADA
e DESLIGUE o motor. M0154A

1. Puxe a alavanca do ACELERADOR para trás


para reduzir a rotação (RPM) do motor.

RH02G333

2. Empurre o interruptor da PTO para a posição


DESLIGADO (OFF). O freio da PTO engata
automaticamente quando ela é desligada. O
freio não pára o implemento.

RH02G334

149
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Substituição do Eixo Intercambiável da PTO (Se Equipado)


Para o máximo desempenho, utilize esta diretrizes
ao configurar a PTO:
1
● O eixo de 35mm (1-3/8 inch) 540 RPM 6-
estrias deve ser utilizado com implementos
3 2
que requerem menos que 63 kW (85 HP)
da PTO.

● O eixo de 35mm (1-3/8 inch) 1000 RPM 21-


estrias deve ser utilizado com implementos
que requerem menos que 112 kW (150 HP) 4
da PTO.

● O eixo de 44mm (1-3/4 inch) 1000 RPM 20-


estrias é recomendado para aplicações que
requerem cargas acima de 112 kW (150
HP) da PTO.

A operação fora das recomendações de carga (HP)


da PTO poderá causar falha prematura do eixo. 6

NOTA: Toda vez que o eixo da PTO é mudado, a


posição da barra de tração também deverá ser
alterada. Consulte Preparação da Barra de Tração.

5
RI02J002
1. EIXO DE 35 mm (1-3/8 IN) 540 RPM
2. EIXO DE 35 mm (1-3/8 IN) 1000 RPM
3. CARCAÇA PARA EIXO DE 35 mm
4. EIXO DE 44 mm (1-3/4 IN)
5. CARCAÇA E ENGRANAGEM PARA EIXO DE 44 mm
6. KIT DE CONVERSÃO DE 44 mm PARA 35 mm

150
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Intercâmbio dos Eixos de 35 mm (1-3/8 pol) 1000 RPM e 540 RPM da PTO

NOTA: Os Eixos alternativos são guardados em uma caixa especial dentro da cabine.

1. Remova os quatro parafusos M10 x 40 mm da


carcaça. Remova o conjunto da carcaça do eixo
da PTO.

RH02H218

2. Remova o eixo da PTO do trator. Aplique graxa


nas estrias internas do eixo alternativo. Instale o
eixo.

NOTA: Use graxa Case IH 251 EP ou Graxa


equivalente Multi-Uso de Lítio EP NLGI No. 2.

RH02H216

3. Instale o conjunto da carcaça no eixo alternativo


da PTO no trator.

4. Reinstale os quatro parafusos M10 x 40 mm da


carcaça e aperte com um torque de 55 Nm (40 lb
ft).

RH02J021

151
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Intercâmbio dos Eixos de 35 mm (1-3/8 pol) e 44 mm (1-3/4 pol) da PTO

Para o máximo desempenho, utilize esta diretrizes ao configurar a PTO:

● O eixo de 35mm (1-3/8 inch) 540 RPM 6-estrias deve ser utilizado com implementos que
requerem menos que 63 kW (85 HP) da PTO.

● O eixo de 35mm (1-3/8 inch) 1000 RPM 21-estrias deve ser utilizado com implementos que
requerem menos que 112 kW (150 HP) da PTO.

● O eixo de 44mm (1-3/4 inch) 1000 RPM 20-estrias é recomendado para aplicações que
requerem cargas acima de 112 kW (150 HP) da PTO.

A operação fora das recomendações de carga NOTA: As peças e placas de retenção do eixo
(HP) da PTO poderá causar falha prematura do alternativo são guardadas em uma caixa especial
eixo. dentro da cabine.

1. Remova os quatro parafusos M10 x 40 mm da


carcaça. Remova o conjunto da carcaça do
eixo da PTO.

RH02H218

2. Remova do trator, o eixo da PTO de 35 mm (1-


3/8 pol).

RH02H216

152
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

3. Com o eixo da PTO de 35 mm (1-3/8 pol)


removido, obser ve a localização das três
espigas na luva de saída.

RH02H215

4. Instale a placa de retenção interna através das


aberturas das espigas na luva de saída.

h02H214

5. Gire a placa de retenção interna até que os furos


dos parafusos estejam centralizados nas
espigas da luva de saída.

RH02H213

153
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

6. Aplique graxa nas estrias internas do eixo da


PTO. Introduza o eixo da PTO de 44 mm (1-3/4
inch) e gire até assentá-lo nas estrias.

NOTA: Use graxa Case IH 251 EP ou Graxa


equivalente Multi-Uso de Lítio EP NLGI No. 2.

RH02H212

7. Deslize a placa de retenção externa pelo eixo e


alinhe os furos dos parafusos com a placa de
retenção interna.

RH02H211

8. Instale os três parafusos M10 x 18 mm na placa


de retenção externa e aperte com um torque de
61 Nm (45 lb ft).

RH02H210

154
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

9. Instale os quatro parafusos M10 x 40 mm


externos da carcaça e aperte com um torque de
55 Nm (40 lb ft).

NOTA: Para trocar o eixo da PTO de 44 mm (1-3/4


inch) pelo eixo de 35 mm (1-3/8 inch), inverta o
procedimento e execute os Passos de 9 a 1.

NOTA: Toda vez que o eixo da PTO é mudado, a


posição da barra de tração também deverá ser
alterada. Consulte Preparação da Barra de Tração.

RH02H209

155
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

SISTEMA DE ENGATE DE TRÊS PONTOS


O sistema de engate eletrônico proporciona controle
da posição e da carga dos implementos no solo. O Dimensões
Implemento Implemento
trator está equipado com um sistema de engate de de Identificação
Cat III Cat IIIN
Categoria III/IIIN. do Implemento
Diâmetro do pino de 36.5 mm 36.5 mm
O acoplador rápido é exclusivo e integrado ao engate (1-7/16 inch) (1-7/16 inch)
sistema de engate do seu trator, exceto quando
equipado com braços inferiores telescópicos. Não Extensão do ressalto
965 mm 825 mm
opere o engate sem o acoplador rápido fornecido interno do pino de
(38 inch) (32-1/2 inch)
engate inferior
com o trator. Não utilize este acoplador rápido em
outros produtos. Se for necessário substituir um Vão no topo do mastro 52.4 mm 52.4 mm
acoplador, contate o seu Concessionário Case IH do implemento (2-1/16 inch) (2-1/16 inch)
para obter peças de reposição. Diâmetro dos furos no
31.8 mm 31.8 mm
topo do mastro do
O sistema de engate de três pontos aceita todos os (1-1/4 inch) (1-1/4 inch)
implemento
implementos montados em conformidade com as
seguintes dimensões padrão da SAE-ASAE (Cat III
com acoplador rígido e Cat III ou Cat IIIN com
acoplador ajustável).

Ajustes do Sistema de Engate


Os braços inferiores e o superior (3o ponto) devem NOTA: Certifique-se de que a pressão dos
ser corretamente ajustados para que o implemento pneus, rodas e lastro estejam corretos antes de
possa trabalhar à profundidade necessária e que os ajustar o engate. Consulte o capítulo
braços inferiores permaneçam livres para se mover Desempenho no Campo neste manual para
para cima e para baixo acompanhando o solo. obter informações.

Ajuste do Braço Superior (3o Ponto) e Inferior


Ajuste os braços como segue:

1. Coloque o trator sobre um terreno firme e


nivelado e abaixe o engate para a posição mais
baixa.

2. Meça a distância entre o centro dos furos dos


pinos do implemento dos braços inferiores (1) ao 2
solo. Esta distância (2) deve ser 203 mm (8 pol)
independentemente do tamanho dos pneus
utilizados na maioria dos implementos.
1

T1251

156
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

3. Para ajustar a altura do braço inferior (1) levante


o colar do esticador (3) da posição travada. Gire
o colar do esticador (3) para ajustar os braços
inferiores a uma altura (2) de 203 mm (8 pol).

RH98H002

RH02G313

4. Após ajustar a altura do braço inferior, retorne o


colar do esticador à sua posição travada
abaixada (4).

NOTA: Os colares dos esticadores DEVEM ser


retornados às suas posições travadas após ajustar
os braços inferiores.

RH02G312

157
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

5. Mova a proteção da PTO (7) para a posição


inferior de retenção para evitar danos quando o
engate estiver abaixado. 7

RH02G362

6. Instale o braço superior (5) no furo do suporte do


braço superior (6), adequado à aplicação como 6
segue: 5
A. Furo Inferior: Lavoura, maior arranque,
melhor transferência de carga, melhor
ângulo de ataque para penetração rápida
no solo.
B. Furo Intermediário: Equipamento acio-
nado pela PTO ou conforme necessário
para operação de nível.
C. Furo Superior (somente 3 furos se equi-
pado): Necessidade de altura livre alta (con-
RH02G303
sulte Ajuste do Engate para Altura Livre Alta
Suporte do Braço Superior de 3 Furos
para obter mais detalhes).

IMPORTANTE: Parafusos limitadores (se equipado)


devem ser instalados nos braços niveladores se o
braço super ior estiver no furo infer ior (A) ou
intermediário (B). Os parafusos limitadores devem
ser instalados no braço superior se o braço superior
estiver instalado no furo superior (C). Ocorrerão
danos aos componentes de engate se os parafusos
de restrição não estiverem instalados.

7. Levante o engate até que os braços inferiores


estejam horizontais. Ajuste o comprimento do
braço superior (5) de modo que o acoplador
rápido fique posicionado na vertical. Consulte o
manual do implemento para obter informações 5
sobre ajustes adicionais.

8. Para ajustar o comprimento do braço superior,


desengate a alavanca de ajuste do clipe elástico
e levante-a. Use a alavanca para girar o braço
superior para ajustá-lo.

RH02G300

158
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

9. Prenda a alavanca de ajuste (8) de volta no clipe


elástico. A lingueta de fixação (9) na alavanca
deve en c ai x a r n a c a na l et a ( 1 0) d a b ar r a
rosqueada. 8
IMPORTANTE: Após os ajustes finais eleve e
abaixe cuidadosamente o implemento para certificar-
se d e que h aj a uma fol ga a deq ua da en tr e o
implemento e os componentes do trator. Os braços
inferiores DEVEM estar completamente travados
antes de transportar ou puxar o implemento.

RH02G301

9
10

RH02G302

ADVERTÊNCIA: O ajuste e a verificação do engate e braços de controle devem ser feitos com extremo
cuidado quando o motor estiver funcionando e quando as ligações estiverem sob carga mecânica ou
! hidráulica. Estude as ligações e o curso do engate - mantenha as mãos, braços, pernas e pés fora do
alcance do engate e ligações. M148B

Nivelamento do Implemento
Opere o trator e o implemento no campo para Os braços niveladores podem também ser ajustados
verificar e ajustar o engate. Ajuste o comprimento do para obter a altura de elevação desejada na posição
braço super ior para obter uma profundidade totalmente elevada para alguns implementos. O
uniforme do implemento da frente para trás. Ajuste o ajuste mais cur to dos braços de nivelador es
comprimento dos braços niveladores para obter uma proporcionará maior arranque do implemento
profundidade uniforme do implemento de lado a quando o implemento estiver levantado. O ajuste
lado. mais longo dos braços niveladores proporcionará
uma operação mais em nível quando o implemento é
levantado.

159
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Ajuste de Altura Livre Alta


Para implementos que requerem uma altura livre adicional em relação ao solo, ajuste o engate como segue:

IMPORTANTE: Se o procedimento não for observado ocorrerão danos aos componentes do engate.

1. Remova o grampo do pino do braço superior (3o


ponto).

RH02G303

2. Remova a placa trava.

RH02G304

3. Remova o pino e desconecte o braço superior.

RH02G305

160
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

4. Remova os bujões dos furos superiores do


suporte do braço superior. Instale os bujões nos
furos intermediários - a localização anterior do
pino do braço superior.

RH02G306

5. Mova o braço superior para o furo superior do


suporte e instale o pino com o grampo.

RH02G307

6. Instale a placa trava e recoloque o grampo.

RH02G308

161
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

7. Remova os pinos limitadores dos braços


niveladores esquerdo e direito.

RH02G309

8. Instale ambos os pinos limitadores e os anéis de


retenção no braço superior nos locais
mostrados. .

NOTA: Pode ser necessário aumentar o


comprimento do braço superior para permitir a
instalação dos pinos limitadores.

9. Ajuste os braços niveladores e o braço superior


conforme necessário.

IMPORTANTE: Se o braço superior for movido para


o furo intermediário ou inferior, execute as Etapas 1
a 8 na ordem inversa. Os parafusos limitadores RH02G310

DEVEM ser instalados nos braços niveladores se o


braço superior estiver no furo intermediário ou
inferior. Os parafusos limitadores DEVEM ser
instalados no braço superior se o braço superior
estiver instalado no furo superior.

162
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Limitadores de Oscilação
Os limitadores de oscilação (1) para o sistema de engate de três pontos podem ser montados em três posições
para controlar o movimento lateral dos braços inferiores.

Posição Sem Oscilação


Na posição SEM OSCILAÇÃO (NO SWAY), os
limitadores de oscilação (1) permitem um 1
movimento lateral mínimo nas posições de
trabalho e de transporte do engate. A posição sem
os ci laç ão é re com enda da para traba lhos de
colheita bruta.

NOTA: Os pinos com cabeça (2) devem ser


instalados pelo lado de fora dos limitadores de
oscilação e travados com contrapinos de
fixação rápida. 2

RH02H224

Posição Com Oscilação Limitada


Na posição OSCILAÇÃO LIMITADA (LIMITED
SWAY), os limitadores de oscilação (1) permitem um
movimento lateral moderado. Os limitadores são 1
cônicos para proporcionar uma oscilação limitada
quando o engate estiver abaixado e nenhuma
oscilação quando o engate estiver levantado
(transpor te). A posição de oscilação limitada é
recomendada quando a folga entre o engate e o
pneu for mínima.

NOTA: Os pinos com cabeça (2) devem ser 2


instalados pelo lado de fora dos limitadores de
oscilação e travados com contrapinos de
fixação rápida. RH02H225

Posição Com Oscilação


Na posição OSCILAÇÃO (SWAY), os limitadores de
oscilação (1) per mitem um movimento lateral
m á x i m o. O s l i m i t a d o r e s s ã o c ô n i c o s p a r a
proporcionar uma oscilação máxima quando o 2
engate estiver abaixado e nenhuma oscilação
quando o engate estiver levantado (transporte). A 1
posição de oscilação é recomendada para trabalhos
de lavoura.

NOTA: Os pinos com cabeça (2) devem ser


instalados pelo lado de fora dos limitadores de
oscilação e travados com contrapinos de
fixação rápida.
RH02H226

163
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Blocos de Ajuste

Categoria III
LINHA DE CENTRO DO TRATOR

RH98H018

Ao trabalhar com implementos de Categoria III, instale um espaçador (2) entre os blocos de oscilação (1) e os
braços inferiores, conforme mostrado.

Calços estão disponíveis para ajustar o jogo lateral


entre o engate e o trator quando o engate estiver na
p o s i ç ã o R Í G I DA ( S e m O s c i l a ç ã o ) o u d e 1
TRANSPORTE. Ao ajustar o jogo, um número igual
de calços deve ser utilizado em cada braço inferior. 2

O ajuste deve ser feito com os blocos de oscilação 3


na posição rígida com o engate levantado na 5
posição de transporte. Os braços inferiores devem
mover-se livremente, sem prender nos blocos de
oscilação ao longo do curso total do engate, quando
um implemento estiver conectado. Adicione calços 4
entre o espaçador e o batente de oscilação conforme
necessário. RH98H019
1. BATENTE DE OSCILAÇÃO 4. PARAFUSO DE
Lubrifique e aperte o parafuso de montagem (4) com MONTAGEM
um torque de 385 a 495 Nm (285 a 365 lbft). 2. ESPAÇADOR 5. BRAÇO INFERIOR
3. CALÇO (NA POSIÇÃO DE
ARMAZENAMENTO)
IMPORTANTE: Certifique-se de que o ajuste da
categoria do engate é apropriado para o implemento
sendo utilizado. Se for conectado um implemento de
Categoria II no trator com um ajuste para engate de
Categoria III poderão ocorrer danos à ligação do
engate.

164
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Categoria IIIN
LINHA DE CENTRO DO TRATOR

2
RH98H017

Ao trabalhar com equipamentos de Categoria IIIN, instale os blocos de oscilação (1) sobre os braços inferiores
como mostrado. Instale o espaçador (2) no lado de fora dos braços inferiores com a cavidade do espaçador
voltada para o braço como mostrado.

Calços estão disponíveis para ajustar o jogo lateral


entre o engate e o trator quando o engate estiver na
p o s i ç ã o R Í G I DA ( S e m O s c i l a ç ã o ) o u d e 1
TRANSPORTE. Ao ajustar o jogo, um número igual
de calços deve ser utilizado em cada braço inferior.

O ajuste deve ser feito com os blocos de oscilação 5


na posição rígida com o engate levantado na
posição de transporte. Os braços inferiores devem
mover-se livremente, sem prender nos blocos de 2
oscilação ao longo do curso total do engate, quando 3
um implemento estiver conectado. Adicione calços 4
entre o espaçador e o batente de oscilação conforme
necessário. RH98H020
1. BATENTE DE OSCILAÇÃO 4. PARAFUSO DE
Lubrifique e aperte o parafuso de montagem (4) com MONTAGEM
um torque de 385 a 495 Nm (285 a 365 lbft). 2. ESPAÇADOR 5. BRAÇO INFERIOR
3. CALÇO (NA POSIÇÃO DE
ARMAZENAMENTO)
IMPORTANTE: Certifique-se de que o ajuste da
categoria do engate é apropriado para o implemento
sendo utilizado. Se for conectado um implemento de
Categoria II no trator com um ajuste para engate de
Categoria III poderá ocorrer um dano à ligação do
engate.

165
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Flutuação Mecânica dos Braços Inferiores


IMPORTANTE: Consulte o Manual do Operador do implemento para verificar se a flutuação mecânica deve ser
utilizada.

Ambos os braços inferiores podem mover-se para


cima ou para baixo aproximadamente 38 mm (1-1/2
pol.).

Na operação sem flutuação, os pinos e as argolas de


retenção permanecem na articulação.

Na operação com flutuação mecânica, os pinos e as


argolas de retenção sâo movidos para a posição de
armazenamento nos colares dos esticadores.

A flutuação mecânica do braço inferior é utilizada em


trabalhos com condições de terreno irregulares,
permitindo ao implemento seguir os contornos do RH02G336
Operação Sem Flutuação - Pinos Instalados
solo. A flutuação mecânica também é utilizada
quando a largura do implemento montado for maior
qu e a b it ol a a ju s tad a d o tra to r o u qu an do o
implemento montado possuir rodas medidoras de
profundidade

RH02G337
Posição Com Flutuaçõa - Pinos Armazenados

166
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Acoplador do Engate - Categoria III ou Categoria III/IIIN (Se Equipado)


O acoplador de engate é utilizado para conectar
ou desconectar rapidamente os implementos que 1
tenham pontos de engate de Categoria III ou
Categoria IIIN.

Para conectar o implemento ao acoplador de engate,


deixe os manípulos da trava (1) para BAIXO na
posição engatada. As travas tensionadas por mola
(2) fecharão automaticamente. Se a cor amarela 2
puder ser vista na janela da trava (3), o acoplador
não estará travado adequadamente.

ADVERTÊNCIA: Certifique-se de que


a m b as a s t r a v as e s te j a m to t al m e n te RH02H193

! engatadas através dos pinos de elevação do


implemento antes de transportar ou puxar o
implemento. M118A

Para soltar o implemento do acoplador de engate,


puxe os manípulos da trava para CIMA para a
posição desengatada.

RH99K134

167
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Conversão de III/IIIN (Se Equipado)


IMPORTANTE: Antes de converter o acoplador, certifique-se de que os blocos de ajuste nos braços inferiores
sejam trocados de forma correspondente. Consulte Blocos de Ajuste neste manual.

Remova os quatro parafusos (1) e mova os braços


acopladores externos para uma dimensão (2) de 898
mm (35-3/8 pol.). Instale os quatro parafusos e
aperte com torque de 485 a 620 Nm (360 a 460
LbFt).

2
RH98H003
Categoria IIIN

Remova os quatro parafusos (1) e mova os braços


acopladores externos para uma dimensão (2) de
1038 mm (40-7/8 pol.). Instale os quatro parafusos e
aperte com um torque de 485 a 620 Nm (360 a 460
LbFt).

2
RH98H004
Categoria III

168
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Ajuste da Trava de Acoplamento Rápido


Se a trava não estiver em nível com o alojamento do
acoplador (1), com o manípulo em sua posição
totalmente levantado (c omo mos trado), ser á
necessário um ajuste.
2

RH99K134

Remova o contrapino (4) e o pino reto (5) localizado


na frente do acoplador rápido, e gire o garfo (3) para
cima ou para baixo para ajustar a trava.
3

RH99K135

5
4

RH02G030

169
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Operação à Distância do Interruptor do Engate (Se Equipado)


O interruptor de comando à distância do engate
pode ser utilizado para elevar ou abaixar o engate a
par tir da traseira do trator. O engate move-se
lentamente quando comandado pelo interruptor
remoto. Isto é útil para pequenos ajustes nas
ligações do engate de três pontos.

Sempre opere os interruptores remotos de acordo


com o seguinte procedimento:

1. Coloque a alavanca da transmissão na posição


de ESTACIONAMENTO (PARK).

RH02G340

2. Desengate a PTO.

RH02G334

170
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

3. Pressione o botão superior para levantar o


engate. Pressione o botão inferior para abaixar o
engate.

A DV E RT Ê N C I A : E s t e j a a t e n t o p a r a
possíveis pontos de interferência entre o
! implemento e o trator quando o engate for
movido. M392

● Ao soltar os botões, o engate pára e permanece


na altura selecionada até que os controles no
interior da cabine sejam utilizados para operá-lo.
RH02G244
● Se ambos os interruptores forem pressionados Localização do Interruptor do Pára-Lama
ao mesmo tempo, o engate pára. Ao soltar os
botões o sistema se restabelecerá em
a p r o x i m a d a m e n t e 1 ( u m ) s e g u n d o. O s
interruptores do engate poderão então ser
utilizados normalmente.

● O sistema de engate deve ser habilitado com o


Controle de Posição do Engate (veja página
seguinte) depois de cada utilização dos
interruptores de comando à distância. Consulte
Habilitação do Sistema de Engate nesta seção.

171
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

OPERAÇÃO DO ENGATE

Sistema Eletrônico de Engate


O sistema eletrônico de engate opera em um dos NOTA: Se o botão do Controle de Carga está
dois modos: CONTROLE DE POSIÇÃO ou em qualquer posição exceto “0” (girado
CONTROLE DE CARGA. totalmente no sentido horário), e a velocidade
do trator excede 0,8 km/h (0.5 mph), o engate
Em CONTROLE DE POSIÇÃO, o engate move-se
está operando no modo de Controle de Carga.
de acor do com o mov imento da alavanca de
Gire o botão de Controle de Carga totalmente
controle.
no sentido horário para operar no modo de
Em CONTROLE DE CARGA, o sistema eletrônico Controle de Posição.
de engate ajusta a altura do engate para manter uma
car ga constante do implemento no trator em
condições de solo e terreno variáveis.

Controles do Operador

Habilitação do Sistema de Engate


O mostrador programável indica quando o
sistema de engate necessita ser
habilitado. Se o ícone é mostrado com
“HITCH CAPTURE” (Captura do Engate),
o sistema de engate não está habilitado, e
o engate não se move com o controle.

RH02J052
Mostrador Programável

Para habilitar o sistema de engate:


1. Pressione e solte a parte superior do interruptor
de controle Subir/Descer (Up/Down) (1). 1
2. Lentamente gire a alavanca de Controle de
Posição do Engate (2) para a posição totalmente
levantada (sentido horário), e então novamente
para a posição totalmente abaixada (sentido 2
anti-horário). Quando o mostrador programável
mudar para as horas de serviço do motor, o
sistema de engate estará ativado e o engate
o b e d e c e r á o m ov i m e n t o d a a l ava n c a d e
Controle de Posição do Engate.
RH02G334

NOTA: Gire o controle do Limite Superior


totalmente no sentido horário se o engate não
puder ser capturado, e então repita o Passo 2.

172
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Interruptor Subir/Descer (Up/Down)


O interruptor de controle Subir/Descer do engate (1)
levanta ou abaixa o engate sem alterar outros
ajustes do engate. O interruptor possui três funções:
S UB IR ( pa ra t r ás ) ; DE S CE R ( p ar a fr e n te ) e
D E S C I DA R Á P I DA ( d u p l o c l i q u e e m a n t e r 1
pressionado para frente).
● SUBIR - Pressione a parte traseira do interruptor
para levantar o engate na velocidade máxima até
a altura máxima de transporte ou até a altura
estabelecida com o Controle do Limite Superior
do Engate.
● DESCER - Pressione a par te dianteira do
interruptor para baixar o engate da posição de RH02G334

transporte até a altura de trabalho, na velocidade


estabelecida com o Controle de Velocidade de
Descida.
● DESCIDA RÁPIDA - Dê um duplo clique na parte
dianteira do interruptor e mantenha-o
pressionado para ativar esta função. O engate
abaixa da posição de transporte na velocidade
máxima, desconsiderando os ajustes do
Co n t r o l e d e Ve l o c i d a d e d e De s c i d a e d o
Controle de Posição do Engate, até uma altura
abaixo da altura normal de trabalho. Quando o
interruptor é liberado, o engate retorna para os
ajustes estabelecidos do Controle de Posição
e do Controle de Velocidade de Descida. Isto
per mite a implementos de cultivo engatar
totalmente no solo, na distância mais cur ta
possível, ao iniciar uma nova passagem.

Controle de Posição do Engate


Utilize o controle de Posição do Engate (2) para
levantar ou abaixar um implemento e selecionar a
sua profundidade de trabalho. Gire o controle no
sentido horário para levantar o engate, no sentido
anti-horário para abaixar o engate.
2

RH02G085

173
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Trava de Transporte
A Trava de Transpor te (3) é um dispositivo de
detenção moldado no console direito. Utilize a trava
para bloquear a alavanca de Controle de Posição do 3
Engate na posição elevada durante o transporte de
implementos levantados. Gire a alavanca de controle
totalmente no sentido horário enquanto puxa para 4
trás o trinco (4); Solte o trinco e trave o controle na
posição de detenção. O engate deverá estar sempre
travado na posição de transporte durante a utilização
da barra de tração do trator, durante transporte e
quando utilizar o Controle de Amortecimento de
Viagem.

RH02G089

Limitador de Controle de Profundidade


O limitador de Controle de Profundidade (5), junto
com o botão de retenção (6), proporciona um ponto
de referência físico para retornar o Controle de
Po s i ç ã o d o E n g a t e a o m e s m o a j u s t e d e 5
profundidade. Use o limitador para retornar um
implemento para a mesma profundidade de trabalho
sempre que o controle de posição do engate for
movido.

RH02G086

O Limitador de Controle da Profundidade pode ser


desviado puxando o trinco e movendo a alavanca de
Controle de Posição do Engate para baixo da
posição do limitador.

RH02G136

174
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Controle de Carga
A posição do botão do Controle de Carga (7)
seleciona o modo de operação. Se o botão do
Controle de Carga está em qualquer posição exceto
“0” (girado totalmente no sentido horário), e a
velocidade do trator excede 0,8 km/h (0.5 mph), o
engate está operando no modo de Controle de 7
Carga. O botão do Controle de Carga não tem
função no modo de Controle de Posição.

O botão do Controle de Carga (7) controla o ajuste


da carga do trator relativa à profundidade de trabalho
do implemento. Gire o controle no sentido horário
para aumentar a carga no trator e a profundidade do
implemento. Gire o controle no sentido anti-horário RH02G334

para reduzir a carga no trator e a profundidade do


implemento.

NOTA: O controle de Posição do Engate


estabelece o limite inferior do ajuste do sistema
em relação à profundidade de trabalho.

NOTA: Consulte Operação em Controle de


Carga, página 180 para mais informações
sobre este controle e a operação do modo de
Controle de Carga.

Gire o botão do Controle de Carga totalmente no


sentido horário até “0” para operar no modo de
Controle de Posição.

Controle de Velocidade de Descida


O Controle de Velocidade de Descida (8) limita a
velocidade de abaixamento do engate. Este botão
de controle encontra-se montado sob a tampa do
console do apoio de braço. Gire o botão no sentido
horário para o engate descer mais rápido. Gire o 8
botão no sentido anti-horário para o engate descer
mais lento. O ajuste da Velocidade de Descida
varia com o implemento acoplado: plantadeiras
necessitam velocidades mais lentas para evitar o
entupimento dos tubos de sementes, enquanto
arados e escarificadores necessitam velocidades
mais rápidas para melhor ação no solo.

RH01K052

175
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Controle de Limite Superior


O Controle de Limite Superior (9) limita o curso de
e l eva ç ã o d o e n g a t e q u a n d o o e n g a t e fo r 9
levantado. O controle está localizado sob a tampa
do console do apoio de braço. Gire o botão no
se ntid o a nti- hor ár i o p ara r ed uzi r o cu rs o de
elevação do engate, e gire o botão no sentido
horário para aumentar o curso do engate. O ajuste
de “11” permitirá elevar o engate até a posição
“máxima superior”. O ajuste de “1” permitirá elevar
o engate até aproximadamente a metade do curso.
Utilize o controle de Limite Superior para adequar
o curso de elevação do engate para implementos
específicos, ou seja, implementos montados
acionados pela PTO. RH01K052

Controle de Curso
O botão de controle de Curso (10) varia a faixa de
correções da altura do engate quando operando
no modo de Controle de Carga. O controle está
localizado sob a tampa do console do apoio de
braço. 10
O botão de controle de Curso seleciona a faixa de
correções da altura do engate em resposta às
variações de carga. Um ajuste de Curso mais
elevado (sentido horário) reduz a carga do trator e
proporciona ao implemento um melhor seguimento
dos contornos do solo com maior movimento do
engate. Ajustes altos devem ser utilizados em
implementos totalmente montados e quando RH01K052

operando em terrenos bastante variados. Um ajuste


de Curso baixo (sentido anti-horário) aumenta a
carga do trator e reduz o movimento do engate.
A j u s t e s b a i x o s d ev e m s e r u t i l i z a d o s c o m
implementos semi-montados e em terrenos planos,
onde o movimento do engate pode ser restringido
sem afetar o desempenho.

176
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Elevação e Abaixamento do Engate


Use a alavanca de controle de Posição do Engate
(2) para elevar e abaixar um implemento e para
selecionar a profundidade de trabalho de um
implemento.

RH02G085

Controles de Fim de Fileira: Controles Subir/Descer do Engate e Mudança


de Marcha Programável
O interr uptor Subir/Descer do engate (1) e o
interruptor da Mudança Programável de Marchas
Rápidas/Reduzidas (11) simplificam a ação de fazer
a volta (mudança de direção) no fim da fileira. No fim
da fileira, pressione a parte de baixo de ambos os
interruptores: o engate levanta e a transmissão
engata uma marcha reduzida de acordo com um
número de marchas pré-estabelecido, para fazer a
volta. 1 11

Pressione e solte a par te super ior de ambos


interruptores após completar a volta para iniciar uma
nova fileira: o engate abaixa e a transmissão engata
uma marcha mais alta de acordo com um número de RH02G085

marchas pré-estabelecido, para reassumir o seu


trabalho no campo.

NOTA: O sistema de controle do engate


também desengata o Bloqueio do Diferencial e
a MFD (se equipado), quando o engate é
elevado a uma altura de 60-90% do curso total
no fim da fileira. Ambas as funções reengatam
quando o engate é abaixado no início da nova
fileira.

177
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Operação em Controle de Posição


O trator e o implemento devem trabalhar no campo
para possibilitar a seleção da posição correta do
engate. Após acoplar o implemento e efetuar todos 1
os ajustes das ligações, faça o seguinte:
2
1. Ajuste o controle de Posição do Engate (2) na
posição de Bloqueio para Transporte, o controle 7
de Carga (7) em “0” (totalmente no sentido
horário), o controle de Velocidade de Descida (8)
em “6” e o controle de Limite Superior (9) em “1”.

NOTA: DESLIGUE o Controle do Limite de


Patinagem, se equipado.
RH02G086

2. Mova o interruptor Subir/Descer (1) para a


posição DESCER. Se a mensagem “Captura de 9
En gat e” ( Hi tc h Cap tur e) fo r mo st rada n o
mostrador programável, mova a alavanca de
c o n t r o l e d e Po s i ç ã o d o E n g a t e ( 2 ) a t é 8
corresponder com a posição real do engate.

RH01K052

3. Opere o trator e o implemento no campo. Ajuste


a profundidade do implemento com o controle de
Po s i ç ã o d o E n g a t e ( 2 ) . A ve l o c i d a d e d e
movimento do engate é deter minada pela
velocidade de movimento da alavanca de
controle. Se a alavanca é movida lentamente, o
modo de controle de precisão é ativado para
mover o engate lentamente correspondendo ao
movimento da alavanca de controle. Se a
alavanca de controle for movida rapidamente, o
engate desce de acordo com a Velocidade de 5 6
Descida ajustada. Mova o limitador de Controle
de Profundidade (5) afrouxando o botão (6).
Mova o limitador para a profundidade desejada RH02G086

de trabalho do engate e reaperte o botão (6). O


limitador proporciona um ponto de referência
físico para retornar o engate para a mesma
profundidade de trabalho sempre que o controle
de posição do engate for movido.

178
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

4. Mova o interruptor Subir/Descer (1) para a


posição SUBIR para elevar temporariamente o
implemento sem mudar os ajustes da posição do
engate. Utilize a posição DESCER do interruptor 1
para retor nar o implemento à sua posição
original.

RH02G085

5. Ajuste a Velocidade de Descida (8) até que o


implemento desça na velocidade desejada. O
a j u s t e n o s e n t i d o a n t i - h o r á r i o d i m i nu i a
velocidade de descida e no sentido horário
aumenta. 8
IMPORTANTE: Sempre utilize a alavanca de
controle de Posição do Engate para elevar o engate
para transporte em rodovias. Coloque a alavanca de
c o n t r o l e d e Po s i ç ã o d o E n g a t e n a p o s i ç ã o
TRAVADA e o interruptor Subir/Descer na posição
SUBIR.

RH01K052

179
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Operação em Controle de Carga


O botão de Controle de Carga (6) ajusta a Em condições de carga negativa, o implemento
profundidade do implemento relativa à carga no aplica esforços de peso para baixo nos braços
trator. Gire o botão no sentido horário para aumentar inferiores do engate e esforços de tração no braço
a carga no trator e a profundidade do implemento. superior (3o ponto), como com alguns implementos
Gire o botão no sentido anti-horário para reduzir a semi-montados e leves.
carga no trator e a profundidade do implemento
Em condições de carga positiva, o implemento aplica
Os ajustes 1-4 são usados para condições de carga esforços de tração nos braços inferiores do engate e
negativa/de tração, e os ajustes 5-10 para condições esforços de peso para baixo no braço superior (3o
de carga positiva/de tração. ponto), como com a maioria dos implementos de
ação no solo e totalmente montados.

NOTA: Nos ajustes de cargas menores (1-5) alguns implementos não abaixarão na operação de
CONTROLE DE CARGA. Gire o botão de Controle de Carga no sentido horário para aumentar o ajuste
de carga e abaixar o implemento.
NOTA: A velocidade do trator deve exceder 0,8 km/h (0,5 mph) para que o controle de carga possa
funcionar. NÃO ajuste o botão de Controle de Carga para uma carga mais leve (1-5) enquanto o trator
estiver parado. Isto pode resultar em um movimento significativo do engate quando o trator se mover
novamente.
NOTA: Conclua as Etapas da Operação em Controle de Posição antes de executar este procedimento.
O Controle do Limite de Patinagem, se equipado, deve estar DESLIGADO durante o ajuste do engate.
Após o engate ter sido ajustado, o Controle do Limite de Patinagem pode ser LIGADO.

1. Pressione a parte superior do interruptor SUBIR/


DESCER (1) para baixar o engate. Com a
alavanca de Controle de Posição do Engate (2) 1
totalmente acionada no sentido anti-horário, gire
o Botão de Controle de Carga (6) no sentido
anti-horário para diminuir o ajuste de carga até
que o engate comece a subir. 2
6
NOTA: Em campos com condições
intermitentes de solo duro e mole, use o
controle da Posição do Engate para
estabelecer a profundiade de fundo para a
penetração do implemento - uma posição
qualquer, exceto a totalmente abaixada. Isto RH02G333

evitará que o implemento pentrem muito fundo


em áreas de solo mole ou arenoso.

2. Gire o botão de Controle de Curso (9) no sentido


anti-horár io para reduzir as mudanças de
profundidade de trabalho ou no sentido horário
para aumentar a quantidade de movimento do
engate.
9
NOTA: Um ajuste típico de curso para
implementos totalmente montados é 7-10 e 3-5
para implementos semi-montados.

RH01K052

180
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Controle do Limite de Patinagem e Funcionamento do Engate


Use o interruptor de controle do Limite
de Patinagem (10) (se equipado) para
evitar que as rodas do trator patinem
além do limite de patinagem
estabelecido. Quando a patinagem real
ultrapassar o limite es tabelecido, o 10
engate levanta para aliviar as condições
de patinagem. Pela elevação do engate,
peso é transferido do implemento para
as rodas traseiras do trator para
melhorar a tração. Quando a patinagem
baixar abaixo do limite estabelecido, o
controle do engate retorna ao controle
de carga ou ao modo de controle de RH02G086

posição.

O interruptor de controle de patinagem (10) possui


três posições:

DESLIGAR (OFF) - Pressione a parte inferior do


interruptor para DESLIGAR o controle do Limite de
Patinagem. Esta posição do interruptor também é
usada para diminuir (-) o valor estabelecido para o 10
limite de patinagem.

LIGAR (ON) – Mova o interruptor para a posição


intermediária para LIGAR o controle do Limite de
Patinagem. Se o operador não estabelecer (SET)
um novo valor limite, o valor limite padrão será 30%.
Consulte a seção a seguir para selecionar um novo RH02G086

valor para o limite de patinagem.

NOTA: A luz do interruptor do Limite de


Patinagem acende SOMENTE quando o
controle levanta o engate para aliviar as
condições de patinagem - quando o limite de
patinagem foi excedido e o sitema está
compensando.

AJUSTAR (SET) – Pressione e solte a parte superior


do interruptor para exibir e AJUSTAR o valor limite
d e p a t i n a g e m . Q u a n d o A J U S TA R ( S E T ) fo r
pressionado, o novo valor limite estabelecido será a
patinagem calculada da roda MAIS 5%.
O valor limite deve estar entre 5-40%.

NOTA: Para entrar com um valor do limite de


patinagem, o trator DEVE estar se deslocando
a uma velocidade maior que 3,2 km/h (2 mph) e
o engate NÃO PODE estar na posição
totalmente levantado.
Esta posição também é utilizada para aumentar (+)
manualmente o valor do limite de patinagem.

181
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Ajuste do Sistema de Controle do Limite de Patinagem (Se Equipado)


Para operar o controle do Limite de Patinagem:
1. Lastreie adequadamente o trator para as
condições do implemento e do campo.

2. Mova o trator a uma velocidade acima de 3,2 k/h


(2 mph) e abaixe o engate de três pontos com o
implemento no solo. SLIP
11%
3. Ajuste o engate para a carga ou posição
desejada do implemento. No modo de Controle
de Carga, o interruptor do Controle de Carga
deve ser ajustado de forma que o implemento
esteja operando na profundidade desejada dom
a patinagem das rodas em um nível aceitável.

NOTA: Ajuste todos os controles do engate


ANTES de ajustar o valor do limite de
SLIP LIMIT
14%
patinagem e ativar o controle. O ajuste do
botão de Controle de Carga após ter LIGADO o
controle do Limite de Patinagem, muda o valor
do limite de patinagem.
RH02H055
4. Pressione o botão %SLIP no monitor de
desempenho para exibir a tela de patinagem.

5. Mova o controle do Limite de Patinagem (10)


para a posição LIGAR (intermediária), e então
aperte SET (momentâneamente para a frente) e
solte.

10

RH02G086

182
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

6. O valor do limite de patinagem mostrado é14%.

NOTA: O valor do limite de patinagem deve


estar entre 5 e 40%; valores fora desta faixa
não podem ser selecionados.

O engate levanta se a patinagem real da roda


exceder o valor limite.
SLIP
11%
7. Se as condições de campo mudarem, o valor do
Limite de Patinagem deverá ser mudado para se
adequar às novas condições. Isto pode ser feito
de três formas:

● Reconfigure o Sistema - DESLIGUE (ON) a


chave de ignição por no mínimo dois segundos.
Repita os Passos 4 e 5 da página anterior. Um
n o v o v a l o r d o L i m i t e d e Pa t i n a g e m é
SLIP LIMIT
estabelecido com base nas condições atuais do
campo.

● Aumente Manualmente o Valor do Limite de


14% RH02H055
Patinagem - Pressione e solte AJUSTAR (SET)
(+) no interruptor. Cada vez que o interruptor é
pressionado, o valor do Limite de Patinagem
aumenta 1%, e o valor se atualiza no mostrador.
O valor do Limite de Patinagem não pode ser aumentado além de 40%.

● Reduza Manualmente o Valor do Limite de


Patinagem - DESLIGUE (OFF) (-) o interruptor e
torne a LIGAR (ON) em menos de um segundo.
Cada vez que o interruptor é acionado de forma
alternada OFF-ON, o valor do Limite de
Patinagem diminui 1%, e o valor se atualiza no
mostrador. O valor do Limite de Patinagem não
pode ser reduzido abaixo de 5%.

183
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

PREPARAÇÃO DA BARRA DE TRAÇÃO

Posição da Barra de Tração Deslizante para Operação com PTO


A barra de tração deslizante/oscilante tem posições Consulte o Manual do Operador do Implemento e as
opcionais disponíveis para a distância da tabelas e ilustrações abaixo para obter informações
extremidade do eixo da tomada de força (PTO) ao sobre as posições da barra de tração e cargas
orifício do pino do engate da barra de tração. Cada verticais. Nos tratores MX220, a barra de tração é
posição proporciona a dimensão mostrada nas estampada com um “L”. Nos tratores MX240 e
tabelas seguintes. A Posição A é a posição de MX270, a barra de tração é estampada com um
armazenamento da barra de tração. “HD”. Existe também uma barra de tração de alta
capacidade (largura serviço pesado) disponível para
todos os modelos que é estampada com um “HD”.

F 2
E
D
C 3
B
A

5
1 1 1
1 1 1
RH97K031
1. ORIFÍCIO DO PINO DE ENGATE 4. SUPORTE E PINO DO PIVÔ DA BARRA DE TRAÇÃO
2. EIXO DA PTO 5. MARCA DE IDENTIFICAÇÃODA BARRA DE TRAÇÃO
3. BARRA DE TRAÇÃO

Barra de Tração Padrão - MX220 - Posições/Capacidades


DIÂMETRO PTO POSIÇÃO DA BARRA DE TRAÇÃO*
EIXO PTO RPM “A” “B” “C” “D” “E” “F”
355 mm 407 mm
35 mm 540 303mm 459 mm 549 mm 604 mm
(14.0 Inch) (16.0 Inch)
(1-3/8 INCH) or 1000 (11.9 Inch) (18.1 Inch) (21.6 Inch) (23.8 Inch)
540 PTO 1000 PTO
510 mm
44 mm 354 mm 406 mm 458 mm 600 mm 655 mm
1000 (20.1 Inch)
(1-3/4 INCH) (13.9 Inch) (16.0 Inch) (18.0 Inch) (23.6 Inch) (25.8 Inch)
1000 PTO

*. Consulte o Manual do Operador de Emplemento para a posição correta da Barra de Tração.

CARGA MÁXIMA VERTICAL ESTÁTICA NA BARRA DE


TRAÇÃO
“A” 3170 Lbs 11.6 KN
“B” 3170 Lbs 11.6 KN
“C” 3170 Lbs 11.6 KN
“D” 3170 Lbs 11.6 KN
“E” 3170 Lbs 11.6 KN
“F” 2970 Lbs 10.9 KN

184
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Barra de Tração Padrão - MX240 e MX270 - Posições/Capacidades


DIÂMETRO PTO POSIÇÃO DA BARRA DE TRAÇÃO*
EIXO PTO RPM “A” “B” “C” “D” “E” “F”
355 mm 407 mm
35 mm 540 303 mm 459 mm 549 mm 604 mm
(14.0 Inch) (16.0 Inch)
(1-3/8 INCH) or 1000 (11.9 Inch) (18.1 Inch) (21.6 Inch) (23.8 Inch)
540 PTO 1000 PTO
510 mm
44 mm 354 mm 406 mm 458 mm 600 mm 655 mm
1000 (20.1 Inch)
(1-3/4 INCH) (13.9 Inch) (16.0 Inch) (18.0 Inch) (23.6 Inch) (25.8 Inch)
1000 PTO

*. Consulte o Manual do Operador de Emplemento para a posição correta da Barra de Tração.

CARGA MÁXIMA VERTICAL ESTÁTICA NA BARRA DE


TRAÇÃO
“A” 4140 Lbs 15.2 KN
“B” 4140 Lbs 15.2 KN
“C” 4140 Lbs 15.2 KN
“D” 4140 Lbs 15.2 KN
“E” 4140 Lbs 15.2 KN
“F” 3890 Lbs 14.2 KN

Barra de Tração de Alta Capacidade (Largura Serviço Pesado) - Posições/


Capacidades
DIÂMETRO PTO POSIÇÃO DA BARRA DE TRAÇÃO*
EIXO PTO RPM “A” “B” “C” “D” “E” “F”
355 mm 407 mm
35 mm 540 303 mm 459 mm 549 mm 604 mm
(14.0 Inch) (16.0 Inch)
(1-3/8 INCH) or 1000 (11.9 Inch) (18.1 Inch) (21.6 Inch) (23.8 Inch)
540 PTO 1000 PTO
510 mm
44 mm 354 mm 406 mm 458 mm 600 mm 655 mm
1000 (20.1 Inch)
(1-3/4 INCH) (13.9 Inch) (16.0 Inch) (18.0 Inch) (23.6 Inch) (25.8 Inch)
1000 PTO

*. Consulte o Manual do Operador de Emplemento para a posição correta da Barra de Tração.

CARGA MÁXIMA VERTICAL ESTÁTICA NA BARRA DE


TRAÇÃO
“A” 11000 Lbs 48.9 KN
“B” 11000 Lbs 48.9 KN
“C” 11000 Lbs 48.9 KN
“D” 11000 Lbs 48.9 KN
“E” 9700 Lbs 43.1 KN
“F” 8500 Lbs 37.8 KN

185
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Para posicionar a barra de tração para operação da


PTO:

1. Remova o parafuso (3), a arruela de pressão (2),


o retentor do pino (1), o pino da barra de tração
(4) e a placa espaçadora (5) (se equipado) do FRENTE DO TRATOR
pivô da barra de tração.

2. Deslize a barra de tração para trás ou para


frente para obter a posição necessária, como
indicado no implemento ou no manual do
operador do implemento. 1
A 5
2
3 4

RH97K047
A. POSIÇÃO DE 3. PARAFUSO
ARMAZENAMENTO “A”
1. RETENTOR DO PINO 4. PINO DA BARRA DE
TRAÇÃO
2. ARRUELA DE 5. PLACA
PRESSÃO ESPAÇADORA(Se
equipado)

3. Quando a posição correta da barra de tração


estiver ajustada, instale o pino da barra de
tração (4), placa espaçadora (5) (se equipado),
retentor do pino (1) , arruela de pressão (2) e 6 A B C D E F
parafuso (3) no pivô da barra de tração. Aperte o
parafuso com um torque de 125 a 150 Nm (93 a
112 lbft). A placa espaçadora (se equipado)
deve ser colocada abaixo da barra de tração
para a posição de funcionamento.

NOTA: Para a posição de armazenamento, a placa


espaçadora (6) deve ser instalada na PARTE
SUPERIOR da barra de tração quando esta estiver
na posição de armazenamento. RH97K033
6. POSIÇÃO DO PINO DE A - F. Veja Tabelas
IMPORTANTE: Certifique-se de que o parafuso de ENGATE
fixação do pino do pivô da barra de tração esteja
sempre apertado com o torque especificado.

186
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Barra de Tração de Alta Capacidade (Largura Serviço Pesado)


A barra de tração de alta capacidade é fornecida
com uma trava de impacto automática. A capacidade
de carga estática vertical da barra de tração é de
4983 kg (11,000 lbs). Aplicações sugeridas são
implementos que aplicam cargas verticais muito
altas.

RI01J022

Trava de Impacto Automática (Se Equipado)


Para posicionar a Trava de Impacto Automática:

1. Levante o pino (1) até que a alça do pino (2) seja


posicionada no berço da trava de impacto. 1

2. Coloque o trator em posição para conectá-lo ao 2


implemento.

3. O impacto do engate do implemento no gatilho


(3), força a alça do pino para fora do berço da
trava de impacto. O pino então cai, através do 3
engate do implemento na barra de tração do
trator (4), seguido pela alça que trava o pino em
seu alojamento.
4
IMPORTANTE: Cer tifique-se de que o pino de RH98E123

engate esteja totalmente engatado na barra de 1. PINO 3. GATILHO


tração do trator e que a alça esteja totalmente 2. ALÇA DO PINO 4. BARRA DE TRAÇÂO
travada antes de operar o trator.

4. Aperte os parafusos de montagem da trava de


impacto com um troque 485 a 620 Nm (350 a
460 lb ft).

187
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Engate do Implemento à Barra de Tração


O engate correto do implemento à barra de tração
evitará esforços excessivos tanto no trator quanto no
i m p l e m e n t o. S e o s i m p l e m e n t o s n ã o fo r e m
corretamente engatados à barra de tração, o trator
terá dificuldades de operação e o desempenho do
implemento não será satisfatório.

● Engate os implementos rebocados somente à


barra de tração, nunca ao engate de três pontos.

● Utilize o pino de engate do trator para conectar o


implemento à barra de tração. Certifique-se de
que o pino fique firmemente posicionado em seu
lugar com um pino de trava. RH02G358

● Se tanto o implemento quanto o trator estiverem 1 2


equipados com uma forquilha na barra de tração,
remova a forquilha do trator OU do implemento.
NÃO coloque um pino longo de engate através
da forquilha do implemento e da trava de
impacto da barra de tração. Os exemplos A e B
mostram as formas corretas de utilização do
engate tipo forquilha. 3

● Ajuste a barra de tração de forma que a linha de 374L9


centro de tração do trator fique alinhada com a Engate do Implemento com Forquilha
linha de centro do implemento. 1. BARRA DE TRAÇÃO DO 3. PINO DE TRAVA
TRATOR
● Quando trabalhar com a barra de tração, eleve o 2. ENGATE DO
IMPLEMENTO
sistema de engate de 3 pontos o máximo
possível para evitar interferências entre os
tirantes inferiores e o implemento.
1 2
● Quando trabalhar com a PTO, faça o seguinte:
A. Trave a barra de tração na posição central
do seu supor te com os respectivos
parafusos e porcas de fixação.
B. A trava de impacto (se equipado) deve ser 3
removida da barra de tração ou montada no
lado inferior da mesma para evitar possível 374L9
interferência entre a forquilha e a linha de Barra de Tração com Barra de Impacto
transmissão do implemento. 1. BARRA DE TRAÇÂO DO 3. PINO TRAVA
TRATOR

188
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Corrente de Segurança
Ao rebocar um equipamento em uma rodovia, utilize
uma corrente de segurança como conexão auxiliar
entre o trator e o equipamento rebocado. A corrente 5
de segurança deve ter um índice de resistência
superior à carga bruta do equipamento rebocado.
Conecte a corrente ao suporte da barra de tração do
trator e a o equ ipam ento rebo cad o c onfo r m e
mostrado na ilustração. .
2 1
NOTA: Com a Barra de Tração de Alta Capacidade,
remova o parafuso retentor da barra de tração (6) 3
para obter folga suficiente para instalar a corrente de
segurança. Instale a corrente e após, reinstale o 4
parafuso retentor. RH02J133
Barra de Tração Padrão
Verifique o ajuste da corrente de segurança virando 1. BARRA DE TRAÇÃO 4. CORRENTE DE
o trator completamente para a direita e esquerda. SEGURANÇA
2. SUPORTE DA BARRA 5. EQUIPAMENTO
Ajuste a corrente conforme o necessário. DE TRAÇÃO REBOCADO
3. SUPORTE DA
CORRENTE

RH02G358
Barra de Tração para Serviço Pesado
6. REMOVA TEMPORARIAMENTE PARA INSTALAR A
CORRENTE DE SEGURANÇA.

189
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

ENGATE DIANTEIRO (Se Equipado)


NOTA: NÃO exceda os limites dos pneus dianteiros, eixo dianteiro ou do veículo.

Existem disponíveis dois engates dianteiros: o engate Magnum instalado na fábrica ou no campo e o Zuidberg
instalado no somente campo.

Engate Dianteiro Magnum


Projetado para implementos Categoria II, o engate
dianteiro Magnum é montado na estrutura dianteira e
montado bem intagrado ao trator para maior
capacidade de elevação.

NOTA: O engate dianteiro Magnum pode ser


instalado no campo somente em tratores adquiridos
com a opção pronta para engate dianteiro; o engate
Zuidberg pode ser instalado no campo nos tratores
adquiridos sem a opção para engate dianteiro.
O engate inclui duas luzes adicionais ajustáveis e a
forquilha dianteira.
Os braços inferiores são montados rigidamente com RH02H027

nenhu ma o sc ilaç ão lateral e e quipa dos com Engate Dianteiro Magnum com Pesos Dianteiros
extremidades de pinça.
Juntas universais Categoria II são fornecidas com
engate. Alguns implementos Categoria IIIN também
podem ser usados. As juntas Categoria III estão
disponíveis no seu concessionário Case IH. Juntas
universais Categoria II e III com flange, também se
encontram disponíveis no seu concessionário.
O braço superior possui uma extremidade tipo
giratória, projetada para implementos Categoria III.
Um espaçador é fornecido com engate para a
montagem de implementos Categoria II.
Pesos dianteiros deverão somente ser instalados no
engate dianteiro após este ter sido montado no
trator. A capacidade máxima de levantamento é
limitada pela capacidade do pneu e do eixo dianteiro.
Não exceda a capacidade recomendada pelos RI02J056
fa br ic a n te s p ar a s e u s pn e us. Nã o ex c ed a a Luzes e Forquilha Frontais
capacidade máxima permitida para o eixo. Existem
disponívreis pesos montados de três pontos: 454 kg
(1000 lbs) ou 680 kg (1500 lbs). Consulte Pesos
Sólidos Dianteiros neste manual para mais detalhes.

RH02H023

190
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

NOTA: Um acoplador rápido Cat II fornecido pela Case IH (B95053) pode ser adquirido no seu concessinário.
Este acoplador retém o braço superior quando nenhum implemento está acoplado. O acoplador do engate
proporciona também rápido engate e desengate do implemento. Este acoplador também pode ser montado no
engate traseiro.

IMPORTANTE: O movimento dos braços inferiores de tração sem o braço superior conectado a um implemento
ou acoplador rápido pode resultar em danos para os componentes do engate.

IMPORTANTE: Este engate dianteiro não é conveniente para aplicações primárias de cultivo.

Flutuação Mecânica
Para operação sem flutuação vertical, instale o pino
no furo superior mostrado (1) de cada braço inferior.

Para operação com flutuação vertical, instale o pino


no furo de baixo (2) de cada braço inferior.

IMPORTANTE: O pino deve ser retido pela argola


nos braços inferiores. 1
2

RH02H031

Ajuste do Braço Superior (3o Ponto)


Ajuste o braço superior girando o colar do esticador
em ambos os lados do braço. Solte a porca trava (1)
para liberar o colar do esticador (2), e então ajuste 2 1
os colares para o mesmo comprimento. Aperte a
porca trava contra o colar do esticador para travar a
posição.

RH02H020

191
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Engate Dianteiro Zuidberg


Projetado para implementos Categoria IIIN, o engate
dianteiro Zuidberg é montado na estrutura dianteira
e montado bem intagrado ao trator para maior
capacidade de elevação.

Os braços inferiores são montados rigidamente com


nenhu ma o sc ilaç ão lateral e e quipa dos com
extremidades de pinça.

O braço superior possui uma extremidade tipo


giratória, projetada para implementos Categoria IIIN.

Consulte o concessionário Case IH para verificar a


compatibilidade com outras categorias de RH02H042

implemento e a disponibilidade de juntas universais


alternativas.

Pesos dianteiros deverão somente ser instalados no


engate dianteiro após este ter sido montado no
trator. A capacidade máxima de levantamento é
limitada pela capacidade do pneu e do eixo dianteiro.
Não exceda a capacidade recomendada pelos
fa br ic a n te s p ar a s e u s pn e us. Nã o ex c ed a a
capacidade máxima permitida para o eixo.

IM P O RTA NTE : E s t e e n g at e d i a n te i r o n ã o é
conveniente para aplicações primárias de cultivo.
RH02H004

Flutuação Mecânica
Para operação sem flutuação vertical, instale o pino
no local mostrado.

Para operação com flutuação vertical, remova o pino


do local mostrado.

Posição de Armazenamento
Para mover os braços inferiores para a posição de
armazenamento, remova o pino do local indicado.
Levante o braço e reinstale o pino através do braço
pelo mesmo furo.

RH02H011

192
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Ajuste do Braço Superior


Para ajustar o comprimento do braço superior,
levante o grampo de trava (1). Utilize a alavanca (2)
para girar o colar do esticador (3) para o
comprimento desejado. Feche o grampo de trava
para fixar o colar na posição ajustada.

RH02H002

RH02H001

193
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Operação do Engate Dianteiro


O engate dianteiro é acionado hidraulicamente por
qualquer circuito das válvulas hidráulicas remotas.
Para o engate Magnum, uma linha de junção
conecta o lado de pressão da válvula remota
selecionada até o circuito do engate dianteiro; o
fluxo de retorno do circuito vai para a caixa de
dreno.

RH02H143
Conexão Típica Magnum

RH02H003
Conexão Típica Zuidberg

O engate dianteiro é controlado pela alavanca de


controle remoto do circuito selecionado e outros
controles na cabine.

RH02H333

194
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

A Alavance levanta ou abaixa o engate. O neutro,


ou posição central, trava hidraulicamente o engate FLUTUAÇÃO
na sua posição atual. Para levantar o engate, DETENTOR DE DESCIDA
(CONTROLADO POR
mova a alavanca para trás. Para elevar o engate TEMPORIZADOR)
mova a alavanca totalmente para frente até a TEMPORÁRIO
posição de flutuação.
NEUTRO

TEMPORÁRIO

DETENTOR DE ELEVAÇÃO
(CONTROLADO POR
TEMPORIZADOR)

O Controle de Fluxo para o remoto ajusta a razão de


subida e descida. Como um ajuste inicial e para
acoplar a um implemento, gire o botão do Controle
de Fluxo para o terceiro segmento para diminuir a
velocidade do engate. Se uma resposta mais rápida
é desejada para a operação de campo, gire o botão
no sentido horário para aumentar a resposta do
engate.

MK99K129

Ajuste o Controle do Temporizador para o remoto,


de forma que exista um tempo adequado para elevar
ou abaixar totalmente o engate. Entretanto, NÃO
ajuste o controle totalmente no sentido horário,
posição de operação contínua da bomba.

MK99K129

195
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

O controle da Função Remota deve estar na posição


de Função Plena (centro) para operar o engate.

RH02H333

Mova o controle da Função Remota para a posição


de TRAVA quando transportando.

O engate dianteiro pode perder altura por um


período de tempo. Periodicamente, inspecione a
altura do engate dianteiro para assegurar a altura
apropriada. Levante o engate conforme necessário.
Se o vazamento persistir, procure o concessionário
Case IH.

RH97J002

196
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

SISTEMA HIDRÁULICO REMOTO

Alavancas do Controle Remoto


As Alavancas de Controle Hidráulico Remoto (e
um interruptor para o remoto 5, se equipado) estão
localizadas no console do apoio de braço. O
número de circuitos remotos e alavancas de
controle depende de como seu trator está
equipado. A primeira Alavanca Remota opera o 1 2 3 4
acoplador hidráulico traseiro inferior esquerdo.

NOTA: Os acopladores remotos são numerados


para corresponder às alavancas de controle
hidráulico na cabine.
5
RH02G333
1. REMOTO 1 4. REMOTO 4
2. REMOTO 2 5. REMOTO 5 (Se Equipado)
3. REMOTO 3

Cada alavanca (1 a 4) possui diversas posições


como mostrado. FLUTUAÇÃO

DETENTOR DE DESCIDA
CONTROLADO POR
TEMPORIZADOR)
TEMPORÁRIO

NEUTRO

TEMPORÁRIO
DETENTOR DE
ELEVAÇÃO
(CONTROLADO POR
TEMPORIZADOR)

Funções da Posição da Alavanca de Controle

197
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Válvulas Remotas e Acopladores


Cada acoplador remoto possui um decalque de
identificação. Os acopladores são identificados
como Número 1, Número 2, Número 3 e Número 4
(se equipado) correspondendo às alavancas de
controle remoto no console de controle do apoio de
braço.

Ao empurrar a alavanca número 1 do controle à 2A 2B


distância para frente a pressão do fluído será
direcionada para a porta esquerda do acoplador 1A 1B
hidráulico (1A). Ao puxar a alavanca de controle para
3B 3A
trás a pressão do fluído será direcionada para a
porta direita do acoplador hidráulico (1B).
RH02H405

NOTA: As Alavancas de Controle Hidráulico


Remoto devem estar em NEUTRO na partida do
trator. Se a mensagem AUX NEUTRAL aparecer no
Mostrador Programável, mova a Alavance de
Controle Hidráulico Remoto para NEUTRO para
ativar o remoto.

ADVERTÊNCIA: Quando cilindros remotos


são instalados no sistema hidráulico, execute
um ciclo completo da alavanca de controle
três vezes para remover o ar do cilindro e das
! mangueiras. Ar no sistema pode provocar a
queda acidental do equipamento elevado e
causar ferimentos pessoais ou danos na
máquina. M133A

O quinto controle remoto é um interruptor


momentâneo. Pressionando a parte da frente do
interruptor, direciona pressão do fluído para a porta
esquer da do acoplador hidráulico número 5.
Pressionando a par te traseira do interr uptor,
direciona pressão do fluído para a porta direita do
acoplador hidráulico número 5. A pressão do fluído
será dirigida para a acoplador de acordo com o
ajuste do temporizador.

Verificação de Carga da Válvula Remota


A válvula hidráulica remota é equipada com um
verificador de carga simples em todas as cinco
s e ç õ e s r e m o t a s n a p o r t a “ B ” ( e l eva ç ã o ) . A
verificação de carga é utilizada em aplicações onde
u m c i l i n d r o h i d r á l i c o r e m o t o d ev e s e r
hidraulicamente travado na posição sem
vaz amentos. Existe dis ponível em seu
concessionár io um bujão (284165A*) se a
verificação de carga não é desejada. Este eliminador
da verificação da carga pode ser necessário se um
implemento muito pesado “trepida” quando baixando
e a redução do fluxo não elimina a vibração.

198
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Acopladores das Mangueiras


O trator está equipado com acopladores Fêmeas
Padrão 5675. Estes acopladores são compatíveis
co m os a co pla dor e s ma ch os de m ang uei ras
fabricados de acordo com a ASAE S366, SAE J1036
ou Padrão 5675 da ISO. O seu concessionário Case
IH dispõe de acopladores Macho Padrão ASAE:

Número da Dimensão
Rosca
Peça da Rosca
1272399C2 7/8-14 inch UNF padrão SAE
1272770C2 1/2-14 inch NPTF
1285718C2 3/4-16 inch UNF padrão SAE 520L9

O s eu c on ce ss i oná r io p ode fo r n ec er, ai nda ,


conexões ou adaptadores para conectar diferentes
combinações de implementos ao acoplador macho
padrão.

ADVERTÂNCIA: Fluído hidráulico vazando sob pressão pode ter força suficiente para penetrar na pele.
O Fluído Hidráulico pode, ainda, infectar cortes menores ou escoriações da pele. Se ferido por
vazamento de fluído, procure um médico. Poderão ocorrer reações ou infecções ou sérias se cuidados
médicos não forem tomados imediatamente. Certifique-se de que todas as conexões estejam apertadas
! e se as mangueiras e linhas estão em boas condições antes de aplicar pressão no sistema. Alivie toda
a pressão antes de desconectar as linhas ou executar qualquer trabalho no sistema hidráulico. Para
procurar vazamentos sob pressão utilize um pedaço pequeno de madeira ou cartolina. Nunca utilize as
mãos.
M252A

199
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Conexão das Mangueiras Remotas


O acoplador macho da mangueira hidráulica pode
ser conectado ou desconectado do acoplador do
trator quando o sistema hidráulico do implemento ou
d o t r a t o r e s t i v e r s o b p r e s s ã o. C o n e c t e a s
mangueiras do implemento (4) aos acopladores 1
remotos de forma que o implemento abaixe quando 2
a alavanca de controle hidr áulico remoto for
empurrada para frente e suba quando a alavanca for 4
puxada para trás.

1. Cada acoplador remoto do trator está equipado


com uma tampa rotativa para proteção contra 3
poeira (1). Limpe a tampa, o acoplador do trator
(2) e o acoplador macho da mangueira antes de RH02H293

conectar o acoplador macho (3).

2. Para conectar a mangueira ao acoplador


remoto, gire a tampa do acoplador para expor o
acoplador do trator, coloque o acoplador macho
no acoplador do trator e empurre para frente.

3. Para desconectar o tubo do acoplador do trator,


segure o acoplador macho e puxe para fora.

4. Gire a tampa do acoplador para proteger o


acoplador do trator contra contaminação.

IMPORTANTE: Ao conectar a mangueira do implemento no trator, certifique-se de que haja comprimento de


mangueira suficiente para permitir que o trator vire em ambas as direções.

ADVERTÊNCIA: O implemento deve ser


! abaixado ao solo antes do desacoplamento
das mangueiras hidráulicas remotas. M134A

IMPORTANTE: Os implementos e outros acessórios muitas vezes têm vários cilindros remotos grandes que
necessitam de 15 litros (quatro galões) de fluido para serem preenchidos. Verifique sempre o nível do fluido de
transmissão depois de carregar os cilindros dos implementos e acessórios. Nunca trabalhe com o trator sob carga
se o nível do éleo estiver abaixo da marca ADD da vareta de nível.

200
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Controle do Temporizador da Válvula Hidráulica


O controle do temporizador, localizado sob a tampa
do apoio de braço, deter mina o tempo que um
circuito remoto mantém fluxo hidráulico após a
alavanca de controle ser movida para a posição de
parada (detenção). Ao girar o botão no sentido
horário o tempo será maior e ao girá-lo no sentido
anti-horário, o tempo será menor. Se o controle for
girado totalm ente no s entido horár io o flux o
hidráulico será contínuo. A faixa geral é de 1 a 30
segundos. Fluxo contínuo é somente necessário
para algumas aplicações especiais, por exemplo,
para acionamento do motor de um implemento.

MK99K129

Controle do Fluxo Variável


Cada circuito dos cinco circuitos hidráulicos remotos
(se instalados) tem um controle de fluxo variável. 3
Utilize o controle de fluxo variável para aumentar ou 4
reduzir a quantidade do fluxo do óleo hidráulico para 1
os acopladores hidráulicos remotos. O fluxo pode
ser ajustado de 8 l/min (2 GPM) a 114 l/min (30
G P M ) m á x i m o a m í n i m o. Pa r a a u m e n t a r a
quantidade de fluxo, gire o controle de fluxo da
válvula hidráulica remota no sentido horário ou gire o
controle de fluxo no sentido anti-horário para reduzir
a quantidade de fluxo.

NOTA: Para uma operação adequada, não tenha 2


todos os controles de fluxo ajustados em fluxo MK99K129
Controles do Fluxo Variável
máximo.
1. REMOTO 1 3. REMOTO 3
2. REMOTO 2 4. REMOTO 4

RH02G333
Quinto Controle Remoto do Fluxo Variável (Se
Equipado)

201
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Se o seu trator está equipado com um Monitor de Desempenho,


a tela exibe o fluxo hidráulico com uma porcentagem do fluxo
total disponível para cada acoplador. A infor mação está
d i s p o n í ve l a q u a l q u e r m o m e n t o. A t e l a d e d a d o s d o s
REMOTE
acopladores mostra quando qualquer dos controles do fluxo
variável alterou mais do que 5% do seu ajuste original. Esta é
HYDRAULICS
uma ferramenta de referência útil durante o ajuste da velocidade
de motores hidráulicos.
FLOW1 100 %
FLOW2 90 %
FLOW3 100 %
FLOW4 %
FLOW5 %
RH02H113

202
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Operação do Controle da Função Remota da Válvula

ADVERTÊNCIA: Para impedir o abaixamento acidental do implemento, use sempre a função da


! Posição de Trava durante transporte. M848

O Controle da Função Remota seleciona o modo


funcional para os circuitos auxiliares remotos. O
Controle da Função Remota possui cinco posições.

1 2 3 4

RH02G333

Posição de Função Plena (Neutra)


Permite uma função plena da alavanca de controle
remoto, inclusive a condição de FLUTUAÇÃO. Gire
o controle da função remota para a posição central,
alinhando-o com o número do controle à distância.

RH97J002

Posição de Trava Neutra


As alavancas de controle hidráulico remota podem
ser travadas na posição NEUTRA para impedir que
se movam durante o transporte. Mova as alavancas
de controle remota para a posição NEUTRA e gire o
controle da função remota para a posição TRAVADA
do lado direito. Isto deve ser feito para cada
alavanca de controle hidráulico que se deseja travar
durante o transporte.

RH97J002

203
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Posição sem Flutuação


Para operar em uma posição sem flutuação, gire o
controle de função remota para a posição de
FLUTUAÇÃO TRAVADA. Após isto a alavanca de
controle não poderá ser movida para a posição de
FLUTUAÇÃO.

RH97J002

Posição do Carregador

NOTA: Gire o Controle do Temporizador da Válvula


Hidráulica totalmente no sentido anti-horário antes
de utilizar a função do carregador.

Ao operar um CARREGADOR frontal, o controle da


função remota deve ser girado para a posição do
carregador. Isto impede que a alavanca de controle
s e m ova p a ra a p o s i ç ã o d e D E T E N Ç Ã O D E
ELEVAÇÃO. Gire o Controle do Temporizador da
Válvula Hidráulica totalmente no sentido anti-horário
(tempo mínimo). Isto impedirá que o carregador
abaixe mais que o desejado.

ADVERTÊNCIA: Ao executar uma operação


com o carregador, o controle da função
remota DEVE estar na posição do
carregador. Isto impedirá que a alavanca de
RH97J002
controle vá para uma detenção de elevação
temporizada. Uma detenção de elevação
temporizada durante a operação do
! carregador pode causar uma operação
descontrolada do carregador, o que pode
causar a queda da carga. A operação
descontrolada do carregador em uma
elevação total do carregador pode provocar a
queda da carga, o que pode resultar em
ferimentos ou morte. M586

204
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Motores Hidráulicos

Terceiro Resfriador de Óleo

IMPORTANTE: Para operação contínua do motor hidráulico é necessário o terceiro resfriador de óleo.

O terceiro resfriador de óleo (1) está instalado entre


o resfr iador de ar (2) e o pr imeiro e segundo
resfriadores de óleo (3) sob o capô. O terceiro
resfriador de óleo é montado num trilho deslizante 2
para fácil acesso durante a limpeza. Gire o botão (4)
1/4 de volta no sentido horário para soltar o terceiro 1
resfriador de óleo para limpeza.

RD02H147

4
RH02H149

IMPORTANTE: A posição das alavancas de controle à distância e de controle de função remota dependerá do
tipo de motor em operação. Siga o procedimento correto ou ocorrerá danos no motor.

Motor de Alta Velocidade, Alta Potência


(Motor que usa 12 gpm ou mais de vazão e/ou
funciona a 1500 psi ou mais pressão)

NOTA: A Alavanca de Controle Remoto deve estar


em NEUTRO no momento da partida do trator.

Com o trator em funcionamento, gire o Controle de


Fluxo no sentido anti-horário até a posição mínima
no circuito remoto do motor conectado.

MK99K129

205
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Mova a Alavanca de Controle Remoto do circuito do


motor conectado para a frente até a posição de
flutuação.

RH02G333

Gire a alavanca do Controle de Função totalmente


para a esquerda e alinhe-a com o símbolo do
MOTOR HIDRÁULICO. Isto disponibilizará duas
posições de funcionamento para a Alavanca de
Controle, e bloqueia o Temporizador da válvula
hidráulica para proporcionar um fluxo contínuo ao
circuito do motor.

RH97J002
Para engatar o motor hidráulico, mova a alavanca
de contr ol e remoto para trás, da posiç ão de POSICIONE
AQUI PARA
FLUTUAÇÃO para a posição de DETENÇÃO DE OPERAR O
DESCIDA. O motor hidráulico funcionará. MOTOR
FLUTUAÇÂO
DETENÇÃO DE DESCIDA
POSICIONE
(CONTROLADO POR AQUI PARA
TEMPORIZADOR) DESLIGAR O
TEMPORÁRIO MOTOR

NEUTRO
POSICIONE
AQUI PARA
OPERAR O
TEMPORÁRIO MOTOR
DETENÇÃO DE
ELEVAÇÃO
(CONTROLADO POR
TEMPORIZADOR)

Posições da Alavanca de Controle para


Operação de Motor Hidráulico

206
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Utilize o controle de fluxo variável para ajustar a


ve l o c i d a d e d o m o t o r. I n i c i e c o m o c o n t r o l e
posicionado em mínimo e lentamente gire o botão no
sentido horário até obter a operação desejada do
motor.

MK99K129

Para des en gata r o m otor hid rá uli co, mova a


alavanca de controle para frente para a posição de
FLUTUAÇÃO. Isso permitirá que o motor hidráulico
pare lentamente.

RH02G333

Não gire o Controle de Função, para fora da posição


do motor hidráulico, durante a operação do motor.
Isto levará à parada imediata do motor e poderá
causar danos ao motor hidráulico, mangueiras e
equipamentos.

Troque as mangueiras no acoplador remoto para


mudar a direção de rotação do motor.

NOTA: Sempre que a chave de partida do trator é


DESLIGADA, gire o Controle de Função para
FUNÇÃO PLENA. Mova a Alavanca de Controle
para a posição NEUTRA. Dê partida no trator e siga
o procedimento acima. RH97J002

207
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Motor em Baixa Velocidade, Baixa Potência


(Motor que usa menos de 12 gpm e funciona a uma
pressao menor de que 1500 psi) FLUTUAÇÃO
DETENÇÃO DE DESCIDA POSICIONE
NOTA: A Alavanca de Controle Remoto deve estar (CONTROLADO POR AQUI PARA
TEMPORIZADOR) OPERAR O
em NEUTRO no momento da partida do trator. TEMPORÁRIO
MOTOR

Use as posições de FUNÇÃO PLENA ou SEM POSICIONE


NEUTRO AQUI PARA
FLUTUAÇÃO em aplicações do motor onde ele DESLIGAR
opera a baixas velocidade e potência. O MOTOR
TEMPORÁRIO

O motor hidráulico parará rapidamente quando a DETENÇÃO DE ELEVAÇÃO POSICIONE


(CONTROLADO POR AQUI PARA
alavanca de controle hidráulico for colocada na OPERAR O
TEMPORIZADOR)
posição NEUTRO. MOTOR

Movendo a alavanca de controle para uma das


posições de detenção fará com que o motor gire em Posições da Alavanca de Controle Remoto
uma direção, dependendo de como o motor está
conectado ao acoplador do trator.

RH97J002

Utilize o controle de fluxo variável para ajustar a


ve l o c i d a d e d o m o t o r. I n i c i e c o m o c o n t r o l e
posicionado em MÍNIMO e lentamente gire o botão
no SENTIDO HORÁRIO até obter a velocidade
desejada do motor.

Para mudar a direção de rotação do motor mova a


alavanca de controle à distância através da Posição
NEUTRO e em seguida para a posição de detenção
oposta.

NOTA: Isto fará com que o motor pare


imediatamente antes de mudar a direção de rotação.
MK99K129

208
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Para evitar que o Controle do Temporizador da


Válvula Hidráulica interrompa automaticamente o
fluxo e pare o motor hidráulico, gire o controle do
temporizador totalmente no SENTIDO HORÁRIO
para a posição máxima enquanto estiver operando
o motor hidráulico nas posições Função Plena ou
Sem Flutuação.

MK99K129

Circuito de Retorno do Motor (Se Equipado)


O circuito de retorno pode ser utilizado para reduzir a
contrapressão na linha de retorno hidráulico remoto.
Isto resultará em um funcionamento mais eficiente
do motor hidráulico. O circuito de retorno do motor
pode também ser usado em aplicações onde se
deseje uma pressão baixa do óleo do retorno para 2
melhor funcionamento do implemento.

Para utilizar o circuito de retorno do motor conecte a 1


linha de retorno do motor hidráulico ou implemento
no acoplador de retorno do motor (1) e o dreno da
carcaça do motor no acoplador do dreno da carcaça
(2).
RH02J105
1. ACOPLADOR DO 2. ACOPLADOR DO
RETORNO DO MOTOR DRENO DA CARCAÇA

209
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

OPERAÇÃO DO CARREGADOR FRONTAL

Somente MFD
Utilize a configuração mostrada de montagem dos
parafusos para montar a estrutura do carregador no A D 1
trator usando parafusos de fixação classe 10.9.
E
NÃO acrescente furos à estrutura. NÃO utilize os B
furos indicados (2).
F
G
Siga as seguintes instruções ao operar o carregador:
C
● Reaperte todos os parafusos de montagem do
carregador para o torque especificado após duas
horas da OPERAÇÃO INICIAL DO 4 3 2
CARREGADOR.
RH98N180

● Ajuste a bitola dos pneus dianteiros (2030 mm


[80 inches] máximo) e a bitola dos pneus
traseiros o mais largo possível para a 5
estabilidade máxima.

● NÂO exceda os limites do pneu dianteiro, eixo


dianteiro ou do veículo.

● Lastro:
Dianteiro: Nenhum lastro é permitido, nenhum
supor te de pesos, nenhum peso individual,
nenhum lastro líquido.

Traseiro: Limitações normais, NÃO exceda a RH98N191

capacidade máxima dos pneus, eixo ou veículo. 1. 7 ORIFÍCIOS CÔNICOS M20 (A-G)
Adicione o lastro adequado para a estabilidade. 2. NÃO UTILIZE ESTES FUROS PARA MONTAGEM DO
CARREGADOR
3. A ÁREA INDICADADEVE SER COMPATÍVEL COM O
O carregador deve: MATERIAL DO PÁRA-LAMA (SEM DESGASTE DO
PÁRA-LAMA)
● Permitir que a porta de manutenção seja aberta 4. A ÁREA INDICADA NÃO DEVE ESTAR MAIS DO QUE 50
e/ou fechada. mm ACIMA DA SUPERFÍCIE DO CHASSI
5. 40 GRAUS

● Permitir acesso irrestrito a todos os pontos de Tipo: Centro fechado, controle eletrônico
manutenção: nível de óleo do motor, filtro de ar compensado da pressão de fluxo, sem detenção.
do motor, nível de óleo da transmissão, etc.
● Deixar uma folga mínima com o tanque de
● Não restringir o ângulo de esterçamento ou 6 combustível de 25 mm (1 inch).
graus de oscilação do eixo.
● Não interferir com o acesso ao fecho do capô.
● O carregador deve usar os acopladores
hidráulicos remotos do trator para acionamento: ● Permitir a abertura total do capô.
No. mínimo de circuitos disponíveis: 3 (Três).

210
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

MONTAGEM DO TANQUE DE PRODUTOS QUÍMICOS


Tanques de produtos químicos podem ser montados em cada lado OU na frente do trator. Os tanques químicos
devem ser instalados de acordo com as seguintes instruções:

Tanques Montados Lateralmente


Os tanques de produtos químicos laterais DEVEM
ser montados em PARES com uma estrutura rígida
conectando ambos os tanques.

Os tanques NÃO DEVEM ser supor tados


individualmente pelo chassi do trator. A capacidade
5 4 D E 1
máxima do tanque para instalação lateral é de dois
(2) tanques de 1135 litros (300 galões). instale os
tanques de acordo com as seguintes informações.: A F
G
B
● Os tanques laterais devem ser interconectados 2
de modo que o nível do fluído seja sempre o
mesmo em ambos os tanques.

● Utilize a configuração de parafusos mostrada na C


vista detalhada para montar as estruturas do 3
tanque no trator utilizando elementos de fixação
classe 10.9. NÃO faça furos adicionais no RH98N183

chassi. NAO utilize os dois orifícios indicados


(3).
6
● Lastro:
Frente: Nenhum lastro permitido, sem suporte
de peso, sem pesos individuais, sem lastro
líquido.

Traseira: Limitações normais, NÃO exceda os


pesos máximos de operação dos pneus, eixo ou
do próprio veículo.

● O tubo de escapamento pode estar QUENTE.


Isole o tanque se necessário. RH98N184
1. 7 ORIFÍCIOS CÔNICOS M20 (A-G)
2. FOLGA MÍNIMA DE 25 mm (1 POL.) COM A PROTEÇÃO
● Os tanques devem ser instalados de modo a DA LINHA DE TRANSMISSÃO
permitir acesso irrestrito a todos os pontos de 3. NÃO UTILIZE ESTES ORIFÍCIOS PARA A MONTAGEM
manutenção. DO TANQUE QUÍMICO
4. A ÁREA INDICADA DEVE SER COMPATÍVEL COM O
● Não exceda os pesos máximos de operação dos MATERIAL DO PÁRA-LAMA (SEM DESGASTE DO
PÁRA-LAMA)
pneus dianteiros, eixo ou do próprio veículo. 5. A ÁREA INDICADA NÃO DEVE ESTAR MAIS QUE 50
mm (2 POL.) ACIMA DA SUPERFÍCIE DO CHASSI
6. NO MÍNIMO 175 mm (7 POL.) DE DISTÂNCIA DOS
PNEUS

211
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Tanque Frontal
A capacidade máxima do tanque para instalação
frontal é de um (1) tanque de 1135 litros (300
galões).

● A estrutura do tanque químico frontal deve ser 1


suportada pelo chassi do trator de acordo com a
configuração de parafusos mostrada na
ilustração e com a utilização de elementos de
fixação classe 10.9.

● Lastro:
Frente: Nenhum lastro permitido, sem suporte
de peso, sem pesos individuais, sem lastro
líquido. RH98N187

Traseira: Limitações normais, NÃO exceda as


2
capacidades máximas de operação dos pneus,
eixo ou do próprio veículo. 5
● Peso do tanque químico e da estr utura de
suporte do tanque: 200 kg (450 lbs) máximo
(quando vazio).
3
● Não exceda a capacidade máxima de operação
dos pneus dianteiros, eixo ou do próprio veículo.

IMPORTANTE: O centro do tanque nunca deve 4


ultrapassar 1050 mm (81 pol.) à frente da linha de RH98N186
centro da rodas dianteiras. 1. 8 ORIFÍCIOS CÔNICOS M20
2. 250 mm (10 POL.) DE FOLGA COM O CAPÔ
3. 600 mm (24 POL.) MÁXIMO
4. 2050 mm (81 POL.) MÁXIMO
5. CENTRO DO TANQUE

212
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

CONEXÕES ELÉTRICAS AUXILIARES


Traseira do Trator
O soquete de saída auxiliar de sete pinos é um
soquete SAE J560a, auto aterrado, totalmente
carregado. Ele proporciona corrente elétrica para
acionar os sistemas elétricos dos implementos, luzes
de aviso, luzes de trabalho e reboques.

RH02G357

Os pinos número 4 e 7 são controlados através da


chave de ignição. Estes circuitos são protegidos por 2 1 6
fusíveis de 30 A. A energia elétrica é desconectada
dos pinos 4 e 7 quando a chave de ignição está na
posição DESLIGADA (OFF). 5

NOTA: Se o plugue conector da luz de aviso do


implemento ou do reboque não for um plugue
conector SAE, o plugue deve ser trocado.
7

3 4
102
Vista Traseira – Fiação do Soquete de Saída
Pino Cor do Fio Função
1 Branco Terra
2 Preto Luzes de Campo
3 Amarelo Sinal de Direção Esquerdo
4 Vermelho Sinal Auxiliar Chaveado
5 Verde Sinal de Direção Direito
6 Marrom Lanternas Traseiras
7 Azul Alimentação Aux. Chaveada

Existe disponível no concessionário CASE um kit


para o plugue conector SAE de 7 pinos (A139672)
ou para o plugue de 7 contatos (121646C1).

102A
Plugue Conector de 7 Pinos SAE

213
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Porta de Manutenção
Um fornecimento auxiliar de alimentação 12V está
localizado atrás da por ta de ser viço, no lado 1
esquerdo do trator. Remova a tampa (1) para
acessar o prisioneiro de contato de alimentação. O
prisioneiro oferece alimentação 12V protegida por
f u s í ve l e c h av e a d a p a r a m o t o r e s d e b a i x a
amperagem e luzes utilitárias/serviço.

RH02G284

214
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Conexões Internas da Cabine


Existem disponíveis também conexões elétricas auxiliares dentro da cabine do operador para a conexão de
monitores, controladores de implementos, rádios C.B. e outros equipamentos de 12 volts.

Uma saída de três pinos está localizada abaixo do


monitor do trator. A saída tem um terminal de terra e
dois terminais de 12 volts. Um ter minal passa
A
através da chave de ignição e o outro é direto. O
terminal A (20 Amp.) passa através da chave de C
ignição. O terminal B (30 Amp.) é direto. O terminal
C é o terra.

As saídas elétricas adicionais providas são: B

RH02H219

Acendedor de cigarro - console do pára-lama


direito.

RI02G031

Saída de 3 pinos (1) - console do pára-lama traseiro


direito.

Saída opcional de 2/3 pinos (2) e soquete tipo


acendedor de cigarro (3) - prateleira traseira direita
1
do teto.

RH02G036

2 3

RH02G073

215
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

MONTAGEM DO MONITOR
Existem disponíveis dois suportes de monitor para a
instalação de vários monitores. Os suportes de
monitor montam a esquerda ou a direita da coluna
da instrumentação.

RH02H220

RH02H279

Um suporte de montagem do interruptor de controle


d o i m p l e m e n t o e s t á d i s p o n í ve l p a ra a n ex a r
interruptores ao console do apoio de braço direito.

RH02H227

216
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Um painel de acesso é fornecido no canto direito do


vidro traseiro da cabine para a passagem de
c one ct or es do m oni to re s e ntr e a c ab in e e o
implemento.

RH02H175

CONECTOR DO SENSOR DE VELOCIDADE REAL DE AVANÇO


NO SOLO (RADAR)
Há disponível um conector para o sensor de
velocidade de avanço em relação ao solo. Existe
disponível em seu concessionário um chicote de
adaptação P/N 324847A* para converter o conector
de velocidade no solo do monitor existente para este
novo conector.

NOTA: Contate o seu concessionário para verificar


a compatibilidade com o sinal do radar.

RH02H219

217
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

CONECTOR DO FREIO DO REBOQUE (Se Equipado)

Freios Hidráulicos
Para reboques com freios hidráulicos, o conector
hidráulico do freio do reboque (se equipado) está
localizado na traseira do trator.

Para funcionar os freios do reboque através dos


freios do trator, conecte a linha do freio hidráulico do
reboque ao conector do freio no trator.

Um peso máximo de duas vezes o peso do trator


po de se r re b oc ad o s e e s te s i s tem a d e fr e i o
hidráulico do reboque é utilizado.

ADVERTÊNCIA: Os pedais do freio do


RH02G335
trator devem ser bloqueados juntos para Conector do Freio Hidráulico do Reboque
! deslocamento em estrada. Isto
assegurará a aplicação uniforme do freio
e a capacidade máxima de parada. R112A

ADVERTÊNCIA: Peso extra e más


condições de tração, tais como lama ou
gelo, aumentam a sua distância de
frenagem. Lembre que líquido nos pneus,
! pesos na máquinas ou rodas, tanques
cheios de fertilizante, herbicidas ou
inseticidas - tudo isso adiciona peso e
aumenta a distância necessária para
parar R113B

ADVERTÊNCIA: Para velocidades até


16 km/h (10 MPH), certifique-se de que o
peso de um veículo rebocado não
equipado com freios, NÃO EXCEDA duas
vezes o peso do trator. Para velocidades
até 40 km/h (25 MPH), certifique-se de
! que o peso de um veículo rebocado não
equipado com freios, NÃO EXCEDA o
peso do trator. A distância de frenagem
aumenta com o aumento da velocidade a
medida que o peso da carga rebocada
aumenta, especialmente em colinas e
ladeiras. M814

ADVERTÊNCIA: Se o motor do trator


parar de funcionar, a pressão hidráulica
cai, e os pedais dos freios podem ser
! pressionados até o fundo. Ativando
AMBOS os pedais, engatará o freio de
estacionamento. M768

218
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Freios Pneumáticos
Os reservatórios armazenam ar sob pressão para
al i m e nt a r o s i s t em a de fr ei o pn e um á ti c o d e
reboques. O compressor para o sistema de ar está
localizado no compartimento do motor.
Três conexões pneumáticas estão localizadas na
traseira do trator: linha de alimentação (1), linha do
reservatório (2) e linha do freio (3).

NOTA: Diariamente, água deve ser removida do


reservatório de ar pela válvula de dreno. 1
3 2

ADVERTÊNCIA: Certifique-se de que o


sistema esteja na pressão de trabalho RH02F013
Conectores Pneumáticos do Freio do Reboque
! antes de operar os freios acoplados com
um reboque. A falta deste cuidado pode
resultar em ferimentos ou morte. M534

ADVERTÊNCIA: NÃO estacione sem


supervisão uma combinação trator/
reboque usando pressão de ar para
aplicar os freios (Sistema Pneumático de
! Freios Duplo). Os freios de
estacionamento mecânicos de ambos,
trator e reboque, DEVEM estar aplicados.
M689

RH02F013
Reservatórios de Ar

219
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

DEGRAUS DA CABINE

Ajuste Padrão ou Estreito dos Degraus


Os degraus da cabine podem ser ajustados para
uma posição mais estreita para possibilitar um
espaço livre maior com a plantação.

A j u s t e a e s c a d a c o n fo r m e m o s t r a d o a c i m a
utilizando dois novos suportes (A e B), disponíveis
em seu concessionário.

RH98H022
Ajuste Padrão

RH98H023
Ajuste Estreito

220
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

Degrau Inferior Ajustável


O degrau inferior da escada da cabine pode ser
abaixado removendo os parafusos do terceiro
degrau e abaixando todo o conjunto. Posicione os
parafusos no terceiro degrau, conforme mostrado
acima..

RH98N162
Degrau Inferior na Posição Padrão

RH98N163
Degrau Inferior na Posição Abaixada

Quinto Degrau Adicional


Para facilitar a subida nos degraus, um quinto
degrau mais baixo (1) pode ser encontrado no seu
concessionário. O degrau pode ser usado tanto com
o ajuste padrão como o ajuste estreito, com o último
degrau na posição padrão ou abaixada. O degrau
pode ser instalado a qualquer momento em que o
degrau mais baixo seja considerado desconfortável
para alcançar.

RI01J017
Mostrado no Ajuste Padrão do Degrau

221
6 – OPERAÇÃO DE CAMPO

222
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Esta seção aborda os equipamentos que podem melhorar o desempenho do trator no


campo.

BLOQUEIO DO DIFERENCIAL

ADVERTÊNCIA: Não conduza o trator em estradas, ou em alta velocidade em nenhuma lugar, com o
bloqueio do diferencial engatado. Isto causará dificuldade na direção, podendo resultar em acidente. Na
! operação de campo utilize o bloqueio do diferencial para melhorar a tração, mas desengate-o para
esterçar no final das fileiras de cultivo. M116A

O tr at or e s t á e qu i p ad o c o m um bl oq u e io d e O bloqueio do diferencial pode ser engatado


diferencial que fará ambas as rodas traseiras manualmente ou pode ser ajustado para engatar
rodarem na mesma velocidade. automaticamente.

O bloqueio do diferencial impede a perda de Ao diminuir a tração de uma roda, ou em qualquer


movimento quando a tração das rodas traseiras não momento que for necessário mais tração, engate o
for igual. bloqueio do diferencial.

O bloqueio também proporciona um auxílio na


direção em linha reta durante a abertura do campo e
para controlar a sobreposição do implemento.

O interruptor do Bloqueio do Diferencial


possui três posições:

MANUAL - Pressione a parte superior do


botão para engatar o Bloqueio do
Diferencial no modo manual. O ícone do
blo q ue i o do di fe r en c i al é ex i bi d o n a
instrumentação do trator.

TRAVA/OFF - Posi ção de trava para o mod o


M A N UA L , D e s l i g a d o ( O f f ) o u p o s i ç ã o d e
Restabelecimento para o modo AUTOMÁTICO.

AUTOMÁTICO (A) - Pressione a parte inferior do RH02G086

interruptor para entrar na operação automática do


bloqueio do diferencial. O ícone do bloqueio do
diferencial é exibido na instrumentação do trator e a
luz do interruptor acende.

223
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Modo Manual
Para ENGATAR o bloqueio do diferencial, pressione
a parte superior do interruptor totalmente para baixo
e solte. Após soltar o interruptor ele retornará para a
posição central.

I M P O R TA N T E : A o e n g a t a r o b l o q u e i o d o
diferencial, as rodas da frente devem estar na
po s i ç ã o R E TA PA RA F R E NT E . De s en g at e o
bloqueio do diferencial antes de esterçar o trator.

RH02G086

A luz indicadora do bloqueio do diferencial (1) no


monitor do trator se iluminará toda vez que o
bloqueio do diferencial for engatado.

RH97J011

Para DESENGATAR o bloqueio do diferencial,


aperte um ou ambos os pedais do freio para baixo.

Modo Automático
Para colocar no MODO AUTOMÁTICO, primeiro
aperte o interruptor para a posição central e então
para (AUTO). A luz do interruptor se acenderá.

O engate e desengate do Bloqueio do Diferencial


são determinados pela posição do engate, aplicação
dos freios, velocidade do trator e patinagem da roda
(Somente se equipado com sensor de velocidade de
avanço real).

O Modo Automático será desativado quando a chave


de ignição for DESLIGADA (OFF). Para restabelecer
o Modo Automático pressione o interruptor para a
posição central e então a parte inferior do interruptor RH02G086

para a posição (AUTO).

224
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Operação no Modo Automático com Implementos Montados no Engate

O bloqueio do diferencial desengatará quando: O bloqueio do diferencial engatará ou reengatará em


velocidades do trator abaixo de 16 km/h (10 mph)
● O engate for elevado e atingir dois terços da
quando:
altura do curso de elevação OU,
● O engate descer abaixo de dois terços da altura
● Um ou ambos os pedais do freio forem aplicados
do curso de elevação do engate.
e mantidos nesta posição,
● Ambos os pedais do freio estiverem em posição
● A velocidade do trator exceder 16km/h (10 mph)
livre (não aplicados).
OU.
● A patinagem da roda exceder 15% (se equipado
NOTA: O bloqueio do diferencial não retornará com sensor de velocidade real de avanço).
automaticamente quando a velocidade do trator cair
abaixo de 16 km/h (10 mph).

Operação no Modo Automático com Implementos na Barra de Tração

O modo automático é ativado movendo o CONTROLE DE POSIÇÃO DO ENGATE para a posição de Transporte
(totalmente no sentido horário) e o interruptor SUBIR/DESCER (UP/DOWN) na posição SUBIR (UP). A posição
real do engate pode ser ajustada em qualquer ponto dentro da metade superior do movimento total do engate com
o CONTROLE DE LIMITE SUPERIOR, se desejada.

O bloqueio do diferencial desengatará quando: O bl o q u ei o d o di fe r e n c i a l s e rá e ng a t ad o o u


reengatado quando o trator estiver em velocidades
● A velocidade do trator exceder 16 km/h
abaixo de 16 km/h (10 mph) quando:
(10mph).*
● Ambos os pedais do freio estiverem na posição
● Um ou ambos os pedais do freio forem aplicados
livre (não aplicados).
e mantidos nesta posição.
● When the Implement Status Switch indicates the ● When wheel slip exceeds 15% (se equipado com
implement is raised. sensor de velocidade real de avanço).

NOTA: * O Modo Automático também é ● Quando o interruptor da Posição do Implemento


desengatado quando a velocidade do trator indicar que o implemento está abaixado.
ultrapassar 16 km/h (10 mph). A função automática
pode ser restabelecida abaixo de 13 km/h (8 mph)
movendo o interruptor do bloqueio do diferencial
para a posição central e então novamente para a
posição Automática (AUTO).

225
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

OPERAÇÃO DA MFD
O seu trator tem uma tração dianteira mecânica A MFD pode ser engatada enquanto o trator está se
(MFD ) ativada eletr icamente. A MFD é movendo ou parado. A MFD proporciona tração e
mecanicamente aplicada por meio de mola e força adicionais.
desengatada eletro-hidraulicamente.

ADVERTÊNCIA: Em tratores com MFD, a embreagem da MFD é engatada por carga de mola e
desengatada por pressão hidráulica. Uma falha no sistema hidráulico da MFD engatará, portanto,
automaticamente a MFD mesmo se o interruptor da MFD estiver na posição de desengate. Este é um
recurso de segurança incorporado. NÃO opere as transmissões do trator com MFD com as rodas
! traseiras suspensas (fora do solo) ou removidas, A NÃO SER QUE AS RODAS DIANTEIRAS TAMBÉM
ESTEJAM ELEVADAS POR MACACOS SUSPENSAS DO SOLO OU O EIXO DE TRANSMISSÃO DO
EIXO DIANTEIRO ESTEJA DESCONECTADO. A não observação deste procedimento pode fazer com
que o trator seja puxado para fora dos suportes pelo eixo dianteiro. M291A

A MFD possui três modos de operação que


correspondem às posições do interruptor:
MANUAL - Press ione e solte a par te
superior do interruptor para engatar a
tração dianteira mecânica manualmente. O
í c o n e d a M F D ( 1 ) é ex i b i d o n a
instrumentação do trator.
DESLIGADO (OFF) - Mova o interruptor para a
posição central para DESLIGAR a tração dianteira
mecânica.
AUTOMATICO (A) - Pressione a parte inferrior do
interruptor para a operação automática da tração
RH02G086
dianteira mecânica. Press the switch bottom for
automatic mechanical front drive operation. O ícone
da MFD (1) é exibido na instrumentação do trator.

RH97J011

226
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Modo Manual
Para ENGATAR a MFD, pressione e solte a parte
superior do interruptor. O ícone da MFD (1) é exibido
na instrumentação do trator.

RH02G086

Para DESENGATAR a MFD, mova o interruptor para


a posição central DESLIGADO (O). O ícone não será
mais exibido no mostrador.

RH02G086

Modo Automático
Para ativar o modo Automáico AUTO pressione a
parte inferior do interruptor.

Quando o interruptor da MFD está na posição


Automática (AUTO) e a função automática está
ativada, o ícone da MFD ( 1) será exibido na
instrumentação do trator..

O engate ou desengate Automático da MFD é


determinado pela posição do engate, aplicação dos
freios, velocidade do trator e patinagem da roda
(s omente tratores equipados com sens or d e
velocidade real de avanço).
RH02G086

RH97J011

227
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Operação no Modo Automático com Implementos Montados no Engate

A MFD será desengatada quando a patinagem for A MFD será engatada ou reengatada quando:
menor que 10% e:
● O engate descer abaixo de dois terços da altura
● O engate for elevado e atingir dois terços da do curso de elevação do engate e a velocidade
altura do curso de elevação OU, do trator não exceder 16 km/h (10 mph).
● A velocidade do trator exceder 16km/h (10 mph). ● A velocidade do trator cair abaixo de 13 km/h (8
mph), após estar traballhando acima de 16 km/h
10 mph).
● Ambos os pedais do freio estiverem aplicados.
● A patinagem da roda exceder 15% (se equipado
com sensor de velocidade real de avanço no
solo).
● O bloqueio do diferencial estiver engatado (com
o engate na posição elevada).

Operação no Modo Automático com Implementos na Barra de Tração

O modo automático é ativado movendo o CONTROLE DE POSIÇÃO DO ENGATE para a posição de Transporte
(totalmente no sentido horário) e o interruptor SUBIR/DESCER (UP/DOWN) na posição SUBIR (UP). A posição
real do engate pode ser ajustada em qualquer ponto dentro da metade superior do movimento total do engate com
o CONTROLE DE LIMITE SUPERIOR, se desejada.

A MFD desengatará quando: A MFD será engatada ou reengatada quando:


● A velocidade do trator exceder 16 km/h (10mph). ● Um pedal do freio for aliviado.
● Um pedal de freio for aplicado e mantido nesta ● A patinagem da roda exceder 10% (se equipado
posição. com sensor de velocidade de avanço real no
solo).
● O Interruptor de Posição do Implemento sinaliza
que o implemento está levantado. ● A velocidade do trator cair abaixo de 13 km/h (8
mph), após estar trabalhando acima de 16 km/h
(10 mph)
● O bloqueio do diferencial for engatado.
● Quando ambos os pedais do freio forem
pressionados.
● Quando o Interruptor de Posição do Implemento
sinaliza que o implemento está abaixado.

228
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Paradas Auxiliadas pela MFD


O seu trator está equipado com MFD. A MFD será
engatada toda vez que ambos os freios (1) forem
aplicados juntos, independentemente da posição do
interruptor da MFD. Este recurso permite uma
parada mais rápida e mais controlada. Quando os
freios forem soltos, a MFD fará o seguinte:
● ENGATARÁ - Se o interruptor da MFD estiver no
modo LIGADO (ON).
● ENGATARÁ - Se o interruptor da MFD estiver no
modo AUTOMÁTICO. 1
● DESENGATARÁ - Se o interruptor da MFD
estiver no modo DESLIGADO (OFF).
RD98F116

229
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

LASTREAMENTO DO TRATOR PARA DESEMPENHO ÓTIMO


As seguintes diretrizes para lastreamento o ajudarão NOTA: O seu concessionário Case IH tem acesso a
a o b t e r o m á x i m o d e s e m p e n h o d o t r a t o r. O programa em CD-ROM para o cálculo dos pesos
lastreamento adequado reduz a compactação, apropriados a serem adicionados para o melhor
consumo de combustível, e patinagem dos pneus, desempenho do trator. O programa considera o
enquanto aumenta a tração, a durabilidade do trem equipamento opcional e os diferentes tamanhos de
de força e a produtividade geral do seu trator. pneus.

O procedimento de lastreamento envolve as sete


etapas listadas abaixo. Cada etapa é explicada com
maiores detalhes nas páginas seguintes:

1. Defina o implemento e a aplicação para os quais será feito o lastreamento.

2. Determine a divisão de pesos e as libras por hp requeridos.

3. Determine o lastro necessárioDetermine the ballast needed.

4. Verifique o tamanho apropriado, a profundidade das garras e a quantidade de pneus para a aplicação.
Verifique os pesos de operação do eixo e do trator.

NOTA: Para o desempenho ótimo, refaça o


lastreamento do seu trator para cada aplicação. Se
isto não é possível, lastreie para a aplicação “mais
comum”.

5. Adicione o lastro ao trator.

6. Ajuste a pressão dos pneus pelo valor apropriado de enchimento.

7. Opere o trator na aplicação e monitore o desempenho. Ajuste o lastro, a velocidade de deslocamento, carga
ou pressão de pneus se necessário.

Diretrizes de Lastreamento - Inicial


Para adicionar a quantidade correta de lastro ao seu ● Tamanho dos pneus dianteiros e traseiros:
trator, é necessário saber o seguinte: 14.9R34, 18.4R46, etc.
● Modelo do trator: MX220, MX240 or MX270. ● Quantidade dos pneus dianteiros e traseiros:
Simples ou duplos.
● O tipo do eixo dianteiro: MFD standard ou MFD
suspensa.
Uma vez conhecidas estas informações, selecione a
● Tipo de engate do implemento: Total, semi, ou “Configuração Inicial” do Guia de Lastreamento. Se
montado na barra de tração. a configuração desejada possui “n/a” na tabela, vá
para outra configuração próxima daquela desejada.
● Velocidade de trabalho no campo: menos que
4.5 mph (7 km/h), 4.5 - 5.5 mph (7 - 9 km/h), ou
mais que 5.5 mph (9 km/h).

230
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Guia de Lastreamento - MFD Standard e Suspensa (Inicial)


Peso Aproximado Sem Lastro com Equipamento Standard,
Sem Operador e com 75% de Combustível
MFD, Traseiros Simples MFD, Traseiros Duplos
Modelo Divisão, Lbs/HP Peso (Lbs) Divisão, Lbs/HP Peso (Lbs)
MX210 38/62, 124 7810 F 12 580 R 20 390 T 35/65, 136 7810 F 14 580 R 22 390 T
MX230 38/62, 110 7810 F 12 580 R 20 390 T 35/65, 121 7810 F 14 580 R 22 390 T
MX255 39/61, 103 8280 F 12 760 R 21 040 T 36/64, 112 8280 F 14 710 R 22 990 T
MX285 39/61, 90 8280 F 12 760 R 21 040 T 36/64, 98 8280 F 14 710 R 22 990 T

F = Peso no Eixo Dianteiro, R = Peso no Eixo traseiro, T = Peso Total do Trator

MFD com Implementos Rebocados ou Semi-Montados (Divisão 35/65)


110 Lbs/HP, 5.5 mph + 120 Lbs/HP, 5.0 mph 130 Lbs/HP, 4.5 mph -
Modelo Simples Duplos Simples Duplos Simples Duplos
MX220 n/a n/a A, H Sem Lastro A, G, H A, G
MX240 H Sem Lastro A, G, H A, G n/a A, C, G, H
MX270 A, G, H A, H n/a A, D, 2xH n/a B, D, G, 2xH

MFD com Implementos Totalmente Montados ou de Carga Vertical Alta (Divisão 40/60)
110 Lbs/HP, 5.5 mph + 120 Lbs/HP, 5.0 mph 130 Lbs/HP, 4.5 mph -
Modelo Simples Duplos Simples Duplos Singles Duplos
MX220 A n/a A, C, G A, C A, D, G, H A, D, G
MX240 A, G A A, D, G, H A, D, G n/a B, D, H
MX270 A, D, G, H A, D, H n/a B, D, G, H n/a B, E, G, 2xH

Código Descrição Peso Diant., +/- Peso Tras., +/-


A Suporte de peso pequeno +425 Lbs -120 Lbs
B Suporte de peso grande +1155 Lbs -315 Lbs
C Peso dianteiro - 6 x 100 Lb +875 Lbs -280 Lbs
D Peso dianteiro - 10 x 100 Lb +1460 Lbs -465 Lbs
E Peso dianteiro - 18 x 100 Lb +2630 Lbs -840 Lbs
F Peso na roda traseira - 2 x 200 Lb 0 Lbs +400 Lbs
G Peso na roda traseira - 2 x 500 Lb 0 Lbs +1000 Lbs
H Peso na roda traseira - 2 x 1000 Lb 0 Lbs +2000 Lbs
n/a Divisão de pesos não é alcançável
Sem Lastro Nenhum lastro é necessário para obter o ajuste 0 Lbs 0 Lbs

231
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Guia de Lastreamento - Ambos MFD e Traseiros Duplos (Inicial)


Peso Aproximado Sem Lastro com Equipamento Standard,
Sem Operador e com 75% de Combustível
MFD Duplos, Traseiros Duplos
Modelo Divisão, Lbs/HP Peso (Lbs)
MX240 39/61, 117 9260 F 14 710 R 23 970 T
MX270 39/61, 102 9260 F 14 710 R 23 970 T

F = Peso no Eixo Dianteiro, R = Peso no Eixo traseiro, T = Peso Total do Trator

MFD com Implementos Rebocados ou Semi-Montados (Divisão 35/65)


110 Lbs/HP, 5.5 mph + 120 Lbs/HP, 5.0 mph 130 Lbs/HP, 4.5 mph -
Modelo Duplos Duplos Duplos
MX240 n/a G A, G, H
MX270 H A, 2xH A, C, G, 2xH

MFD com Implementos Totalmente Montados ou de Carga Vertical Alta (Divisão 40/60)
110 Lbs/HP, 5.5 mph + 120 Lbs/HP, 5.0 mph 130 Lbs/HP, 4.5 mph -
Modelo
Duplos Duplos Duplos
MX240 Sem Lastro A, F A, C, H
MX270 A, C, G A, D, G, H B, D, G, 2xH

Código Descrição Peso Diant., +/- Peso Tras., +/-


A Suporte de peso pequeno +425 Lbs -120 Lbs
B Suporte de peso grande +1155 Lbs -315 Lbs
C Peso dianteiro - 6 x 100 Lb +875 Lbs -280 Lbs
D Peso dianteiro - 10 x 100 Lb +1460 Lbs -465 Lbs
E Peso dianteiro - 18 x 100 Lb +2630 Lbs -840 Lbs
F Peso na roda traseira - 2 x 200 Lb 0 Lbs +400 Lbs
G Peso na roda traseira - 2 x 500 Lb 0 Lbs +1000 Lbs
H Peso na roda traseira - 2 x 1000 Lb 0 Lbs +2000 Lbs
n/a Divisão de pesos não é alcançável
Sem Lastro Nenhum lastro é necessário para obter o ajuste 0 Lbs 0 Lbs

232
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Diretrizes de Lastreamento - Pneus


Após determinado o lastreamento correto, devem Tamanho dos Pneus:
ser verificados a carga dos pneus, pressão dos Quanto mais alto e mais largo o pneu, maior é a área
pneus, pesos máximos de operação dos eixos e o de contato com o solo. A medida que a área de
peso máximo de operação do trator. contato aumenta, a flutuação aumenta e a
compactação do solo diminui. Em aplicações de
Calcule o peso do eixo dianteiro, eixo traseiro, e o lavouras de fileiras, onde a largura dos pneus é
peso total do trator adicionando ou subtraindo o restrita, pneus mais altos, duplos ou triplos, são
lastro selecionado para o peso do trator “Sem utilizados para manter a área de contato a mais larga
Lastro”. O peso sem lastro é mostrado na parte possível. A folga com o solo também é aumentada
super ior do Guia de Lastreamento. O peso a com os pneus mais altos. Adicionalmente, pneus
adicionar ou subtrair é mostrado na parte inferior do mais altos e/ou mais largos podem, tipicamente,
Gia de Lastreamento. suportar mais carga, permitindo pressões dos pneus
mais baixas, e reduzindo a pressão do solo.
NOTA: Se forem utilizados implementos totalmente
montados ou de carga vertical alta, acrescente o Profundidade das Garras dos Pneus:
peso do implemento ao peso do eixo traseiro A profundidade da garra também é importante. A
(consulte o manual do implemento para obter o profundidade da garra é classificada em três
peso). categorias para os pneus do tipo de tração para
trator: R1, R1W or R2. R1 é utilizado em solo duro e
Uma vez conhecidos os pesos dianteiro, traseiro e seco. R1W é utilizado em solo solto e entre seco e
tota dos eixos, vá para as “Tabelas de Carga e úm i do, e po s s ui um a p r ofu n di da de da g a rr a
Pressão dos Pneus”. Pneus traseiros radiais aproximadamente 25% mais profunda que os pneus
desempenham melhor quando operados entre 6 PSI R1. O pneu R2 é utilizado somente em condições de
(40 kPa) e 14 PSI (100 kPa). Se não pode trabalhar solo extremamente úmidos, e possui a profundidade
trabalhar nesta faixa, mude o tamanho do pneu ou da garra 65% mais profunda que os pneus R1
adicione ou remova os duplos de forma a poder.
Equivalência de Tamanhos de Pneus nos
A s eg ui r, ver i fi qu e se o s p es os má xi mo s d e Sistema Inglês e Métrico:
operação não estão sendo excedidos. Vá para Da mesma forma que os pneus de caminhões, os
“Pesos Máximos de Operação Recomendados” e pneus para tratores possuem conversão para
certifique-se que os pesos máximos de operação do designações métricas. A seguinte tabela mostra os
trator, do eixo dianteiro e do eixo traseiro não sejam tamanhos de pneus dimensionalmente equivalentes:
excedidos. .

Inglês Metrico
Seleção do Pneu 12.4R38 320/85R38
O uso do tamanho apropriado dos pneus e
profundidade das garras é importante para obter o 12.4R54 320/90R54
máximo desempenho do trator. 14.9R30 380/85R30

Radial vs. Diagonal: 14.9R34 380/85R34


O pneu radial é designado com um”R” na lateral do 14.9R46 380/90R46
pneu (exemplo 18.4R46) diferente do diagonal
equivalente (exemplo 18.4-46). O desenho radial 16.9R28 420/85R28
per mite ao pneu melhor se confor mar ao solo 16.9R30 420/90R30
proporcionando aumento da tração e um andamento
mais suave do que o equivalente diagonal. A 18.4R42 480/80R42
tração pode aumentar 15-17% acima do pneu 18.4R46 480/80R46
diagonal. Pneus radiais são recomendados para o
melhor desempenho. 20.8R38 520/85R38
20.8R42 520/85R42
20.8R46 520/85R46

233
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

CARGA E PRESSÃO DOS PNEUS ● Operação em sulco de arado (somente pneus


para sulco de arado).
As pressões de calibragem são baseadas nas ● Operação em declive lateral.
pressões de calibragem a frio recomendadas pela
Associação de Pneus e Aros (Tire and Rim
Association Inc.). Procedimento para Calibragem dos
Pneus
Como Utilizar as Tabelas de Carga e Pressão:
ADVERTÊNCIA: A ruptura do pneu e/ou de
1. Determine o peso do eixo dianteiro e do eixo partes do aro por estouro pode causar
traseiro do trator lastreado.
! ferimentos ou morte. Necessitando de
reparos em pneus, leve-os a um profissional
NOTA: Se estiver utilizando implementos totalmente qualificado para o serviço. 84-113
montados ou verticais e alto na barra de tração,
adicione o peso do implemento no peso do eixo
traseiro (consulte o manual do implemento para ADVERTÊNCIA: O pneu pode estourar
informações sobre o peso). durante o enchimento e causar ferimentos
graves ou morte. Nunca aumente a pressão
2. Localize a tabela adequada (MFD Dianteira, do ar além de 35 PSI (2,4 Bar) para
Traseiros Simples ou Duplos). acomodar o talão do pneu no aro. Substitua
o pneu se apresentar algum defeito.
3. Localize o tamanho e a especificação correta do Substitua o aro da roda que apresentar
pneu. ! trincas, desgaste ou oxidação profundas.
Certifique-se de que todo o ar seja removido
4. Siga a linha correspondente ao primeiro peso do pneu antes de removê-lo do aro. Nunca
que estiver acima do peso do eixo (dianteiro ou aplique força em um pneu cheio ou
traseiro) do seu trator . parcialmente cheio. Certifique-se de que o
pneu esteja corretamente encaixado antes
5. Siga a coluna para cima para localizar a pressão de enchê-lo. M170A
de calibragem mínima recomendada do pneu.
N Ã O e n c h a o p n e u q u e t e n h a s e e s va z i a d o
NOTA: Nunca exceda a capacidade de carga de um
totalmente. Se houve perda total da pressão de ar,
pneu. Para obter mais capacidade de carga, utilize
contate um profissional qualificado para examinar o
pneus duplos ou troque o pneu por outro com
pneu.
características diferentes.
Para COMPLETAR o ar de um pneu parcialmente
NOTA: Nunca exceda a pressão de calibragem de
vazio, utilize o seguinte procedimento:
um pneu. O último número da tabela é a pressão
máxima de calibragem para o pneu selecionado.
6. Utilize uma mangueira de ar com válvula de
fechamento remota e bico pneumático com
NOTA: Aumente as pressões dos pneus em 2 a 4
autotravamento.
PSI (libras por polegada quadrada) acima daquelas
indicadas na tabela para qualquer uma das
7. Posicione-se atrás da banda de rodagem do
seguintes situações:
pneu e certifique-se de que todas as pessoas
● Se as pressões dos pneus não forem verificadas presentes no local estejam distantes das laterais
diariamente. do pneu antes de começar a enchê-lo com ar.
● Se forem previstas curvas fechadas e/ou
8. Encha o pneu de acordo com a pressão de ar
frenagens.
recomendada. NÃO encha o pneu com uma

234
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Tabela de Carga e Pressão dos Pneus

NOTA: As Tabelas de Carga e Pressão são


aplicáveis para velocidades de até 40 km/h (25
mph). O último valor na tabela é a pressão máxima
de calibragem para o pneu selecionado.

Pneus Dianteiros (MFD)


PESO MÁXIMO DIANTEIRO DO TRATOR (kg) À VÁRIAS PRESSÕES DE CALIBRAGEM À FRIO (kPa)
40 60 70 80 100 110 120 140 150 160 165 180 190 210 240 320 360
MEDIDA DO PNEU -- 16.9R28 (2*)
-- 2300 2640 2900 3190 3390 3700 3900 4120 4300 4480 -- -- -- -- -- --
MEDIDA DO PNEU -- 16.9 - 28 (10 LONAS)
-- -- -- -- 2640 2900 3100 3300 3500 3700 3800 3900 4120 4250 -- -- --
MEDIDA DO PNEU -- 16.9R30 (13748)
-- 2360 2720 2990 3300 3500 3790 3990 4250 4430 4610 -- -- -- -- -- --
MEDIDA DO PNEU -- 16.9R30 (3*)
-- 2360 2720 2990 3300 3500 3790 3990 4250 4430 4610 4720 4860 5150 -- -- --
MEDIDA DO PNEU -- 420/90R30 (142A8)
-- 2270 3100 3390 3690 4070 4470 4860 5150 5300 -- -- -- -- -- -- --
MEDIDA DO PNEU -- 16.9R30 (4* or 144A8)
-- 2360 2720 2990 3300 3500 3790 3990 4250 4430 4610 4720 4860 5150 5580 -- --
MEDIDA DO PNEU -- 18.4 - 26 (12 LONAS)
-- 3000 3300 3600 3800 4100 4350 4500 4700 -- -- 5000 5200 5450
MEDIDA DO PNEU -- 480/70R34 (146A8)
2500 2830 3160 2500 3830 4240 4660 5010 5300 5440 5570 5810 5930
MEDIDA DO PNEU -- 600/65R28 (147A8)
-- 3350 3790 4120 4600 5010 5410 5810 6050 6170 -- -- -- -- -- -- --

235
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Tabela de Carga e Pressão dos Pneus

As Tabelas de Carga e Pressão são aplicáveis para


velocidades de até 40 km/h (25 mph). O último valor
na tabela é a pressão máxima de calibragem para o
pneu selecionado.

Pneus Traseiros (Usados como Simples)


PESO MÁXIMO TRASEIRO DO TRATOR (kg) À VÁRIAS PRESSÕES DE CALIBRAGEM À FRIO (kPa)
40 60 70 80 100 110 120 140 150 160 165 180 190 210 240 320
MEDIDA DO PNEU-- 24.5 - 32 (14 LONAS)
-- -- -- 5300 5800 6170 6710 7120 7480 7730 7980 8850 9720 -- -- --
MEDIDA DO PNEU -- 30.5L - 32(14 LONAS)
-- -- -- 6300 6900 7480 7980 8480 8980 -- -- -- -- -- -- --
MEDIDA DO PNEU -- 20.8 - 38 (10 LONAS)
-- -- -- 4630 4860 5150 5580 5990 5300 -- -- -- -- -- -- --
MEDIDA DO PNEU -- 20.8R38 (2*)
-- 3900 4350 4860 5300 5810 6170 6490 5890 7100 7300 -- -- -- -- --
MEDIDA DO PNEU -- 20.8R42 (2*)
-- 4120 4610 5150 5580 6170 6490 6890 7300 7530 7760 -- -- -- -- --
MEDIDA DO PNEU -- 520/85R42 (157A8)
-- 4300 4680 5150 5780 6350 69200 7480 8000 8260 -- -- -- -- -- --
MEDIDA DO PNEU -- 710/70R38 (166A8)
-- 5550 6300 6710 7530 8260 8980 9710 10310 10610 -- -- -- -- -- --
MEDIDA DO PNEU -- 710/70R42 (168A8)
5010 5660 6360 7120 7800 8480 9230 9980 10760 11160

236
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Tabela de Carga e Pressão dos Pneus

As Tabelas de Carga e Pressão são aplicáveis para


velocidades de até 40 km/h (25 mph). O último valor
na tabela é a pressão máxima de calibragem para o
pneu selecionado.

Pneus Traseiros (Usados como Duplos)


PESO MÁXIMO TRASEIRO DO TRATOR (kg) À VÁRIAS PRESSÕES DE CALIBRAGEM À FRIO (kPa)
40 60 70 80 100 110 120 140 150 160 165 180 190 210 240 320
MEDIDA DO PNEU-- 24.5 - 32 (14 LONAS)
-- -- -- 4660 5110 5430 5910 6270 6590 6810 7030 7790 8550 -- -- --
MEDIDA DO PNEU -- 30.5L - 32 (14 LONAS)
-- -- -- 5550 6070 6590 7030 7460 7900 -- -- -- -- -- -- --
MEDIDA DO PNEU -- 20.8 - 38 (10 LONAS)
-- -- -- 3830 4280 4540 4910 5270 5550 -- -- -- -- -- -- --
MEDIDA DO PNEU -- 20.8R38 (2*)
5810 6870 7670 8560 9330 10 220 10 860 11 420 12 130 12 490 12 850 -- -- -- -- --
MEDIDA DO PNEU -- 20.8R42 (2*)
5970 7250 8110 9070 9820 10 860 11 4200 12 130 12 850 13 250 13 650 -- -- -- -- --
MEDIDA DO PNEU -- 520/85R42 (157A8)
6510 7570 8560 9070 10 180 11 180 12 170 13 170 14 080 14 530 -- -- -- -- -- --
MEDIDA DO PNEU -- 710/70R38 (166A8)
8560 9770 11 090 11 820 13 250 14 530 15 810 17 080 18 140 18 680 -- -- -- -- -- --

237
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Regras Gerais de Lastreamento


Após ter sido determinado o lastro correto e sem exceder os limites de carga do eixo e pneu, adicione o lastro no
trator. Ajuste a pressão do pneu com o valor adequado. Pese o trator em uma balança, se disponível, para
verificar os valores de peso.

Pesos Dianteiros
Os pesos dianteiros podem ser montados na parte
frontal do trator em um suporte de pesos. Podem ser
adicionados 10 pesos no máximo em um suporte
pequeno. Cada peso é de 45 kg (100 Lbs).

RH02H288
Suporte de Pesos Pequenos

Utilize os pesos dianteiros conforme necessário para


proporcionar um controle efetivo de direção e
estabilidade dianteira e para obter uma eficiência
máxima de operação e desempenho do trator no
campo.

IMPORTANTE: O peso total do trator com todo


equipamento e lastro nunca deve ultrapassar o peso
de operação máximo recomendado. Veja o Peso
Máximo de Operação Recomendado neste manual.

Certifique-se de que os parafusos de montagem do


suporte de pesos estejam apertados com um torque
de 610 a 730 Nm (450 a 540 lb ft). RH02H296
Suporte de Pesos Grandes

Instalação dos Pesos Dianteiros


Determine a quantidade necessária de pesos dianteiros e instale-os como segue:

1. Encaixe a parte frontal superior do peso no


suporte de pesos.

RH02H205

238
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

2. Deslize o peso para o centro do suporte de


pesos. A parte inferior do peso será travada com
a saliência no suporte de pesos (1). Cada peso 1
adicional será travado com o peso anterior
através da saliência lateral (2).

RH02H206

NOTA: São necessários no mínimo dois pesos para


segurá-los no suporte de pesos.
3. Passe o parafuso de montagem através dos
furos dos pesos pela placa metálica da
extremidade, rosqueando-o na porca soldada da
placa na extremidade do primeiro peso. Instale a
p l a c a d e r e t e n ç ã o, a r r u e l a e p o r c a n a
extremidade oposta dos pesos.

RH02H204

4. Se for utilizado um parafuso mais curto (A) ou


para uma quantidade maior de de pesos,
introduza um parafuso a partir de cada lado e B
utilize 2 placas de porca (B) como mostrado
acima.

A
B A
RH98H005

239
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Pesos Dianteiros Sólidos

RH99K117 RH99K116
Peso Sólido de 455 KG (1000 LB) Peso Sólido de 680 KG (1500 LB)
no Suporte de Peso Grande no Suporte de Peso Grande
(Mostrado com o Kit Opcional do Engate de Três Pontos)

Existem disponíveis opções de pesos dianteiros Os pesos podem ser montados no suporte dianteiro
sólidos de 455 Kg (1000 lb) ou 680 Kg (1500 lb). de pesos ou no engate dianteiro. Eles podem
Eles podem ser rapidamente instalados ou também ser colocados no engate traseiro para
removidos do trator. proporcionar um contrapeso para aplicações de
engate frontal ou carregadeira frontal.

NOTA: O suporte de peso pequeno aceitará


somente os pesos sólidos de 455 Kg (1000 lb).

NOTA: A barra de tração deve ser removida quando


pesos sólidos são anexados ao engate traseiro.

240
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Pesos das Rodas Traseiras

Pesos fundidos para as rodas estão disponíveis em: 455 kg (1000 lb) weight:
57 kg (125lb), 90 kg (200 lb), 225 kg (500 lb).
● Only mount to concave side of wheel.
Recomenda-se utilizar os pesos fundidos nas rodas
no lugar de pneus preenchidos com fluído. Os pesos ● Cannot mount to adjustable rear wheels.
fundidos nas rodas permitem que o pneu flexione de
acordo com o contorno do solo, aumentando a área ● Use a lock nut to secure weight to wheel.
de contato do pneu, reduzindo a compactação e
proporcionando uma rolagem mais suave. Peso de 225 kg (500 lb):

Os pesos fundidos nas rodas não aumentarão a ● Este peso pode ser montado no lado côncavo ou
resistência de rolagem devido ao atrito interno (tal convexo da roda.
como faz o fluído); isto aumentará a eficiência do
seu trator. ● No máximo três pesos de 225 kg (500 lb) podem
ser instalados no mesmo lado da roda.
D i ve r s o s p o n t o s d eve m s e r o b s e r va d o s n a
instalação dos pesos fundidos nas rodas. Consulte Peso de 90 kg (200 lb):
os diagramas de instalação dos pesos de roda.
● Este peso pode ser montado no lado côncavo ou
● No máximo 680 kg (1500 lbs) pode ser montado convexo da roda.
no lado interno da roda.
● No máximo cinco pesos de 90 kg (200 lb) podem
● No máximo 455 kg (1000 lbs) pode ser montado ser instalados no mesmo lado da roda.
na roda dupla.
● Quando utilizar pesos de 90 kg (200 lb) em lados
● Os pesos de 90 kg (200 lb) e 225 kg (500 lb) são opostos, instale os parafusos do segundo peso
adequados para montagem em rodas de aço através da roda e então instale o primeiro peso.
sólido com diâmetro de 34 polegadas ou mais.
● Os pesos de 90 kg (200 lb) e 225 kg (500 lb) são
● São necessários três parafusos e três porcas adequados para montagem em rodas de aço
para fixar cada peso. sólido com diâmetro de 34 polegadas ou mais.

● Utilize os orifícios dos pesos para fixar o peso na IMPORTANTE: Nunca exceda os pesos máximos
roda. de operação recomedados para os limites do trator
ou da estrada. Consulte os Pesos Máximos de
● Para adicionar outro peso, utilize a ranhura no Operação Recomendados para informações sobre
peso existente e o orifício do peso a ser limites de peso do trator e dos eixos.
adicionado.

● Mantenha uma folga mínima de 50 mm (2 pol.)


entre o peso e os componentes do trator.

● Se um parafuso ou porca do flange não for


utilizado, sempre utilize uma arruela endurecida.

Torques para os Parafusos dos Pesos de Roda


Aplique os seguintes torques nos parafusos de fixação dos pesos de roda:
● Parafusos de 5/8 pol., grau 5 - 180 a 230 Nm (130 a 170 lb ft)
● Parafusos de 16 mm, grau 8.8 - 190 a 240 Nm (140 a 175 lb ft)
● Parafusos de 16 mm, grau 10.9 - 270 a 350 Nm (200 a 260 lb ft)

NOTA: Aplique sempre uma camada de óleo nos parafusos antes da instalação.

241
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Diagrama de Instalação dos Pesos de Roda

2 3 8 5 6 2
4 1
7 3 4
4

5 5
4 4

RH99K049
(O Desenho Representa as Possíveis Combinações de Pesos)
1. PESO 455 kg (1000 lb) 5. PARAFUSO, Sextavado Flange M16 x 110 Grau 8.8 ou 10.9
2. PESO 225 kg (500 lb) 6. PARAFUSO, Sextavado Flange M16 x 180 Grau 8.8 ou 10.9
3. PESO 90 kg (200 lb) 7. PARAFUSO, Sextavado M16 x 210 Grau 8.8 ou Sextavado 5/8 x
8.5 Grau 5
4. PORCA, Trava Sextavada Flange M16 Grau 10 ou Trava 8. ARRUELA, Plana Endurecida 17,5 x 30 x 4 mm ou Plana
Sextavada Flange 5/8 Grau 5 Endurecida 0.656 x 1.312 x 0.15 pol.

2 3 1 6 2 1 3 1 7 8 1
6
3

4 6
3 3 3
5
RH99K048
(O Desenho Representa as Possíveis Combinações de Pesos)
1. PESO 225 kg (500 lb) 5. PARAFUSO, Sextavado M16 x 130 Grau 8.8 ou Sextavado
5/8 x 5.5 Grau 5
2. PESO 90 kg (200 lb) 6. PARAFUSO, Sextavado Flange M16 x 180 Grau 8.8 ou 10.9
3. PORCA, Trava Sextavada Flange M16 Grau 10 ou Trava 7. PARAFUSO, Sextavado M16 x 210 Grau 8.8 ou Sextavado
Sextavada Flange 5/8 Grau 5 5/8 x 8.5 Grau 5
4. PARAFUSO, Sextavado Flange M16 x 110 Grau 8.8 ou 10.9 8. ARRUELA, Plana Endurecida 17,5 x 30 x 4 mm ou Plana
Endurecida 0.656 x 1.312 x 0.15 pol.

242
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

3 8 4 5 3
2 4 1
4 6 7

5
5 4 4

RH99K050
(O Desenho Representa as Possíveis Combinações de Pesos)
1. PESO 455 kg (1000 lb) 5. PARAFUSO, Sextavado Flange M16 x 110 Grau 8.8 ou 10.9
2. PESO 225 kg (500 lb) 6. PARAFUSO, Sextavado M16 x 140 Grau 8.8 ou Sextavado 5/8 x
5.5 Grau 5
3. PESO 90 kg (200 lb) 7. PARAFUSO, Sextavado M16 x 180 Grau 8.8 ou 10.9
4. PORCA, Trava Sextavada Flange M16 Grau 10 ou Trava 8. ARRUELA, Plana Endurecida 17,5 x 30 x 4 mm ou Plana
Sextavada Flange 5/8 Grau 5 Endurecida 0.656 x 1.312 x 0.15 pol.

1 4 1 4 1 3 4
1

ABCD E FG H 2
EBR83302
(O Desenho Representa as Possíveis Combinações de Pesos)
1. PORCA, Trava Sextavada Flange M16 Grau 10 ou Trava 3. PARAFUSO, Sextavado Flange M16 x 120 Grau 8.8 ou 10.9
Sextavada Flange 5/8 Grau 5
2. PESO 100 kg (220 lb) 4. PARAFUSO, Sextavado Flange M16 x 130 Grau 8.8 ou 10.9

CONFIGURAÇÃO RECOMENDADA DE MONTAGEM DOS PESOS


MODELO DO TRATOR QUANTIDADE DE PESOS POR RODA CONFIGURAÇÃO
MX220, MX240 e MX270 4 C+D+E+F
MX220 e MX270 6 B+C+D+E+F+G
MX270 8 A+B+C+D+E+F+G+H

243
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Lastro Líquido dos Pneus


1. PORCA, Trava Sextavada Flange M16 Grau 10 ou Trava 3. PARAFUSO, Sextavado Flange M16 x 120 Grau 8.8 ou 10.9
Sextavada Flange 5/8 Grau 5
2. PESO 100 kg (220 lb) 4. PARAFUSO, Sextavado Flange M16 x 130 Grau 8.8 ou 10.9

Se a distribuição desejada de peso não puder ser Quando utilizar rodas duplas, coloque lastro líquido
obtida com pesos fundidos nas rodas, os pneus em ambos os pneus por igual.
poderão ser preenchidos com líquido.

IMPORTANTE: O peso total do trator com todo equipamento e lastro nunca deve ultrapassar o peso de operação
máximo recomendado. Veja o Peso Máximo de Operação Recomendado.

● A água congela a 0°C (32°F). ● 2,27 kg (5.0 lb) de solução de cloreto de cálcio
mantém-se líquido até -47°C (-52°F) e congela a
● 1,59 kg (3.5 lb) de solução de cloreto de cálcio -54°C (-62°F).
mantém-se líquido até -26°C (-12°F) e congela a
-47°C (-52°F). NOTA: Os valores indicados na tabela seguinte
representam um preenchimento de 40% nos pneus
traseiros e 75% nos pneus dianteiros. Estes valores
são as porcentagens máximas recomendadas para o
preenchimento com líquido.

Lastro Líquido Por Pneu (Pneus Dianteiros)


Tamanho 420 g CACL2 600 g CACL2
Somente Água
do Pneu por Litro de Água por Litro de Água
Pneus Diant.
75% Preenchi- Total Total Total
Litros Água Litros Água Litros Água
mento Peso Kg Peso Kg Peso Kg

16.9R28 261 261 223 317 212 339


16.9 - 28 261 261 223 317 212 339
16.9R30 276 276 238 338 223 357
420/90R30 273 274 235 333 223 357
600/65R28 375 374 322 456 303 484

Lastro Líquido Por Pneu (Pneus Traseiros)


Tamanho 420 g CACL2 600 g CACL2
Somente Água
do Pneu por Litro de Água por Litro de Água
Pneus Diant.
40% Preenchi- Total Total Total
Litros Água Litros Água Litros Água
mento Peso Kg Peso Kg Peso Kg

20.8R38 265 265 227 323 216 345


20.8 - 38 265 265 227 323 216 345
20.8R42 280 280 242 341 227 363
520/85R42 269 269 231 327 220 348
710/70R38 382 381 329 464 310 493

244
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Manutenção de Aros e Pneus

Reparo de Aros e Pneus

ADVERTÊNCIA: NÃO utilize solda na roda ou aro enquanto o pneu estiver montado. A soldagem
causará uma mistura explosiva de ar/gás que inflamará a altas temperaturas. Isto pode acontecer com
! pneus cheios ou vazios. A remoção do ar ou ruptura do talão do pneu não são recomendadas. O pneu
DEVE ser completamente removido do aro antes da soldagem. SB134

ADVERTÊNCIA: Não remova, instale ou faça reparos com o pneu no aro. Leve o aro e o pneu a uma
oficina onde haja pessoas com treinamento especial e ferramentas especiais de segurança disponíveis.
! Se o pneu não estiver bem assentado no aro ou se estiver com muita pressão, o talão do pneu poderá
soltar em um dos lados e causar um vazamento de ar com muita velocidade e força. Este vazamento de
ar pode jogar o pneu em qualquer direção e com muita força, podendo provocar ferimentos. M169B

Sempre repare pneus e aros deste tipo de máquina


com um técnico de pneus qualificado. Se o pneu
perdeu toda a pressão de ar, leve o pneu e o aro a
uma oficina especializada em pneus. A utilização de
equipamentos e procedimentos corretos evitam
acidentes. A ruptura por estouro dos pneus pode
provocar ferimentos graves.

RH98F013

Instalação dos Pneus


Para obter tração e ação de limpeza nos sulcos dos
pneus, estes devem ser montados na roda de forma
que a banda rode como mostrado. NÃO tente
remover, reparar ou instalar um pneu de trator no
aro.

T11800

245
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Equipamento de Aro e Pneu

Verificação da Pressão de Ar

Verifique a pressão do pneu conforme requerido. Usando um calibrador padrão de pressão de ar,
Verifique a condição dos pneus e aros quanto a
desgaste ou danos. Mantenha os pneus cheios de ● A válvula deve estar na parte superior do pneu.
acordo com as pressões recomendadas. Veja as
Tabelas de Carga e Pressão dos Pneus neste ● Meça o diâmetro do aro.
manual para obter as pressões de calibragem
recomendadas para cada tamanho de pneu. ● Pressione a haste da válvula para expurgar a
água da haste.
Para pneus equipados com lastro líquido, verifique a
pressão de ar como segue: ● Adicione 1/2 PSI à leitura do calibrador padrão
para cada 12 polegadas de diâmetro de aro.
Usando um calibrador de pressão de ar-água,

● A válvula deve estar na parte inferior do pneu


para obter uma leitura precisa.

Especificações de Calibragem dos Pneus

479 479
Exemplo “A” - PRESSÃO MÁXIMA DE Exemplo “B” - PRESSÃO DE CALIBRAGEM
CALIBRAGEM CARGA MÍNIMA AJUSTADA AO PESO DO TRATOR

Para obter o máximo desempenho do trator, ajuste O exemplo “A” mostra a seção transversal de um
s e m p r e a p r e s s ã o d o s p n e u s c o n fo r m e pneu calibrado para a carga máxima, mas com uma
recomendado para a carga efetiva nos pneus. Utilize carga mínima no pneu. A banda do pneu não entra
as Tabelas de Carga e Pressão dos Pneus para em contato total com o solo, proporcionando baixo
obter a pressão correta dos pneus em relação ao desempenho.
peso do trator.
O exemplo “B” mostra a seção transversal de um
pneu com a pressão de calibragem corretamente
ajustada à carga do pneu. A banda do pneu entra em
contato total com o solo, o que proporciona o
máximo desempenho.

Verificação do Desempenho
Após adicionar o lastro e calibrar as pressões dos pneus de acordo com a carga, opere o trator no campo e
observe o desempenho. As informações seguintes ajudarão na “Configuração Inicial” para o máximo
desempenho.

246
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

PATINAGEM DAS RODAS


A tabela abaixo mostra a patinagem ideal das rodas.

Tipo de Pneu Tipo do Eixo Dianteiro


Traseiro MFD
RADIAL 7 to 9%
DIAGONAL 11 to 14%

Para Reduzir a Patinagem das Rodas


Aumente a velocidade do trator, reduza a carga,
aumente o lastro.

Para Aumentar a Patinagem das Rodas RH97K005

Diminua o lastro, aumente a carga, diminua a


velocidade do trator.

Medição da Patinagem das Rodas


Os tratores devem estar equipados com um Sensor
de Velocidade Real de Avanço (Radar) para que
seja possível calcular e exibir a patinagem das
rodas. A quantidade de patinagem das rodas é
indicada numericamente no centro do mostrador. A
pati nag em das r od as é ex ib ida em qu alq uer
momento pressionando a tecla %SLIP no teclado do
monitor de desempenho. SLIP
NOTA: O raio correto do pneu deve ser programado
na instrumentação do trator para que a leitura da
patinagem do pneu seja precisa. Veja Programação
do Raio do Pneu neste manual para o procedimento.
11%
SLIP LIMIT
14% RH02H277
NOTA: O Sensor de Velocidade Real de Avanço
(Radar) deve ser ajustado apropriadamente para
que a medição da patinagem das rodas seja precisa.
Consulte Calibração do Sensor de Velocidade Real
de Avanço (Radar) neste manual.

RH02G321

247
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Sem o Monitor de Patinagem das Rodas


Se o seu trator não estiver equipado com um Monitor de Patinagem da Roda e o Sensor de Velocidade de
Avanço Real (True Ground Speed Sensor), meça a quantidade de patinagem de roda da seguinte maneira:

1. Faça uma marca de referência na lateral do 6. Coloque o trator em movimento, com o


pneu traseiro do trator. implemento elevado, à partir da primeira marca
no solo até a segunda marca. Conte o número
2. Opere o trator com o implemento no solo. de voltas da roda entre as duas marcas no solo.

3. Enquanto o trator estiver em movimento faça 7. Determine a porcentagem da patinagem como


u m a m a r c a n o s o l o, fo r a d a l a r g u r a d o segue:
implemento, onde a marca de referência do
pneu toca o solo. Patinagem
Revoluções da Roda
(%)
4. Continue movendo-se junto com o trator e conte
dez voltas da roda. Coloque uma segunda 9-1/2 5
marca no solo, fora da largura do implemento, 9 10
onde a marca de referência do pneu tocar o sola
8-1/2 15
pela décima vez.
8 20
5. Eleve o implemento do solo. Coloque o trator em
7-1/2 25
posição e faça uma nova marca de referência no
pneu traseiro, alinhada com a primeira marca no
solo.
NOTA: Quando houver lastro em excesso no trator, vê-se a marca da banda do pneu no solo bem evidente, o
que é um indicador de patinagem nula. Com lastro insuficiente, as marcas da banda do pneu não aparecem por
causa da patinagem.

1 2 3
RH02F044
1. LASTRO EM 2. LASTRO CORRETO 3. POUCO LASTRO
EXCESSO

248
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

SALTO DE FORÇA
O salto de força é uma condição em que o trator 3. Remova o peso dianteiro.
“salta” ou pula descontroladamente ao invés de se
mover suavemente para frente. Na ocorrência desta 4. Preencha os pneus da frente com fluído (até 75)
condição, siga as seguintes etapas para eliminá-la: e remova a quantidade equivalente de pesos
dianteiros.
1. Verifique se o implemento está adequadamente
ajustado e rodando em nível. 5. Coloque a trava de impacto do engate na parte
inferior da barra de tração.
2. Aumente a pressão do pneu da frente em
incrementos de 4 PSI (28 kPa) até que o salto 6. Alivie a carga levantando o implemento,
desapareça ou que a pressão máxima do pneu removendo hastes ou par tes inferiores, ou
seja atingida. trocando o implemento por outro menor.
NOTA: Nunca exceda a pressão máxima de
enchimento de um pneu específico.

249
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

TRATORES COM TRAÇÃO DIANTEIRA MECÂNICA (MFD)


O s tr at o r es e q ui p a do s c o m t ra ç ã o d i an t ei r a RCR = Circunferência de Rolagem do Pneu Traseiro
mecânica devem utilizar combinações de pneus (Consulte o Manual do Pneu).
dianteiros e traseiros que sejam corretamente
casados. A utilização de combinações I R = R e l a ç ã o d o E n t r e - E i x o ( Ve j a a s e ç ã o
recomendadas de pneus proporcionará ao trator o Especificações neste Manual).
máximo desempenho, vida prolongada dos pneus e
IMPORTANTE: Para minimizar o desgaste dos
menor desgaste dos componentes do trem de
pneus, os tratores com MFD devem mantê-la
transmissão.
desengatada se forem trafegar em velocidades altas
e com pequenas cargas (estrada). Este
O AVANÇO/ATRASO (Quão rápido o pneu da frente
procedimento também reduzirá a perda de potência,
roda em comparação com o pneu de trás) deverá
a u m e n t a r á a e c o n o m i a d e c o m bu s t í ve l e a
estar entre 0 e 5 porcento, com uma porcentagem de
estabilidade de rodagem.
+ 1 a + 3 s e n d o a i d e a l . Pa r a c a l c u l a r o
AVANÇO/ATRASO, utilize a seguinte fórmula: IMPORTANTE: As combinações de medidas dos
pneus mostradas abaixo são especificadas para
(RCF x IR - RCR) proporcionar velocidades de avanço no solo casadas
x 100 = AVANÇO
RCR entre os pneus dianteiros e traseiros. A utilização
simultânea de pneus gastos e novos ou pneus de
RCF = Circunferência de Rolagem do Pneu Dianteiro diâmetros diferentes pode resultar em velocidade de
(Consulte o Manual do Pneu). avanço descasada. Ao substituir os pneus, consulte
o seu concessionário.

COMBINAÇÕES DE PNEUS COM AVANÇO ENTRE 0 E 5 PORCENTO


TRASEIRO DIANTEIRO
TIPO DE
MEDIDA MARCA MEDIDA MARCA
GARRA
20.8 - 38 P-G 18.4 - 26 P-G
R1 20.8R42 G 16.9R30 G
24.5 - 32 F-G 18.4 - 26 F-G
30.5 - 32 G 18.4 - 26 G
520/85R42 M 420/90R30 M
R1W
710/70R42 G-M 480/70R34 G-M
R2 20.8R42 G 16.9R30 G

Designações de marca:
G = Goodyear
F = Firestone
M = Michelin
P = Pirelli

250
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Posições das Bitolas entre Rodas - Eixo com MFD


As distâncias entre as rodas dianteiras (bitola A bitola entre rodas pode ser ajustada girando os
dianteira) podem ser ajustadas em oito posições discos das rodas e/ou aros das rodas para dentro ou
distintas, conforme necessário para a sua operação. para fora. Instale os discos e aros das rodas na
posição mostrada abaixo para a bitola necessária.
IMPORTANTE: Os batentes de direção no eixo
devem ser instalados na posição correta de acordo NOTA: Quando um disco for reposicionado no aro,
com a bitola e o tamanho dos pneus sendo assente o conjunto da roda de forma plana e
utilizados. Veja Batentes de Direção e Oscilação centralize o disco no aro antes de apertar os
neste manual para obter a posição correta dos elementos de fixação do disco no aro. Isto ajudará
batentes de direção para diferentes combinações de impedir que a roda gire fora de centro
bitola e tamanho de pneus. (excêntricidade da roda) em relação ao eixo.

Ajuste Interno
LINHA DE CENTRO DO TRATOR

1
3

RH02F031-034

Bitola Bitola Bitola Bitola


1524 mm (60 Inch) 1626 mm (64 Inch) 1727 mm (68 Inch) 1829 mm (72 Inch)
Haste da Válvula para Haste da Válvula para Haste da Válvula para Haste da Válvula para
Fora Fora Dentro Dentro
1. ARO 2. DISCO DA RODA 3. CUBO DO EIXO

Ajuste Externo
LINHA DE CENTRO DO TRATOR

3 2

RH02F027-039

Bitola Bitola Bitola Bitola


1930 mm (76 Inch) 2032 mm (80 Inch) 2134 mm (84 Inch) 2235 mm (88 Inch)
Haste da Válvula para Haste da Válvula para Haste da Válvula para Haste da Válvula para
Fora Fora Dentro Dentro
1. ARO 2. DISCO DA RODA 3. CUBO DO EIXO

251
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Torques de Montagem da Roda Dianteira - Eixo com MFD


● Verifique após os primeiros 30 minutos de operação no campo, a cada 10 horas até que os torques se
estabilizem, e a cada 300 horas após a estabilização do torque.

Deve-se aplicar o torque correto nos parafusos de


fixação da roda dianteira após manutenção da
unidade ou após o ajuste da bitola.

Roda de 10 Parafusos
Localização Torque
Porcas de Fixação do Disco
385 A 425 Nm
no Cubo do Eixo Dianteiro
(285 A 315 LB FT)
(A)
NOTA: Lubrifique porcas e parafusos (A) antes A
da instalação para obter o torque adequado. B
Porca de Fixação do Disco Roda de 10 Parafusos
RB96J016
310 Nm
no Aro
(230 LB FT)
(B)
NOTA: Não lubrifique porcas e parafusos “B.”

Executar o aperto de acordo com a seqüência de


torque mostrada acima. Durante a montagem
certifique-se de encaixar o disco nivelado com o aro.

MFD Axle - 12 Bolt Wheel


Location Torque
Porcas de Fixação do Disco
385 A 425 Nm
no Cubo do Eixo Dianteiro
(285 A 315 LB FT)
(A)
NOTA: Lubrifique porcas e parafusos (A) antes A
da instalação para obter o torque adequado. B
Porca de Fixação do Disco Roda de 12 Parafusos
RH98H024
310 Nm
no Aro
(230 LB FT)
(B)
NOTA: Não lubrifique porcas e parafusos “B.”

252
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Posições das Bitolas entre Rodas - Eixo MFD com Duplos (Se Equipado)
O uso de rodas duplas no eixo MFD aumenta a Existem disponíveis quatro ajustes de pneus
tração e a flutuação enquanto reduz a compactação internos e externos. Localize o tamanho do pneu na
do solo. As rodas duplas podem ser utilizadas no tabela de configuração na página seguinte e
cultivo ou em algumas lavouras de fileiras. Use o selecione a combinação desejada.
procedimento a seguir para instalar rodas duplas no
NOTA: Quando um disco for reposicionado no aro,
MFD.
assente o conjunto da roda de forma plana e
IMPORTANTE: Os batentes de direção no eixo centralize o disco no aro antes de apertar os
devem ser instalados na posição correta de acordo elementos de fixação do disco no aro. Isto ajudará
com a bitola e o tamanho dos pneus sendo impedir que a roda gire fora de centro
utilizados. Veja Batentes de Direção e Oscilação (excêntricidade da roda) em relação ao eixo.
neste manual para obter a posição correta dos
batentes de direção e se os pára-lamas podem ser
instalados para o ajuste de bitola e combinações de
de pneus desejados.

Configure os duplos internos conforme necessário (veja Tabela MFD - Tabela de Configuração Rodas Duplas).
Instale o cubo do eixo usando duas porcas de fixação do cubo ao disco, posicionadas a 180 graus uma da outra.
Instale o espaçador no cubo do eixo com os entalhes sobre as duas porcas existentes. Instale as dez porcas
restantes enquanto centraliza o espaçador, e aperte as porcas com o torque especificado.

Roda Dupla Interna


LINHA DE CENTRO DO TRATOR

1
4 2
3

RH98H006 RH98H007 RH98H008 RH98H009

Configuração A Configuração B Configuração C Configuração D


Haste da Válvula para Haste da Válvula para Haste da Válvula para Haste da Válvula para
Fora Fora Dentro Dentro
1. ARO 2. DISCO DA RODA 3. CUBO DO EIXO 4. ESPAÇADOR

253
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Configure os duplos externos conforme necessário (veja MFD - Tabela de Configuração Rodas Duplas). Instale a
dupla externa no espaçador usando dez parafusos e porcas. Centralize a roda dupla no espaçador e aperte com o
torque especificado.

Roda Dupla Externa


CENTERLINE OF TRACTOR

1 3

RH98H010 RH98H011 RH98H012 RH98H013


Configuração Configuração Configuração Configuração
E Espaçador 12 Inch F Espaçador 12 Inch G Espaçador 12 Inch H Espaçador 12 inch
J Espaçador 16 Inch K Espaçador 16 inch L Espaçador 16 inch M Espaçador 16 inch
Haste da Válvula para Haste da Válvula para Haste da Válvula para Haste da Válvula para
Fora Fora Dentro Dentro
1. ARO 2. DISCO DA RODA 3. ESPAÇADOR

254
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

MFD - Tabela de Configuração Rodas Duplas


Centros das Rodas Por Configuração

mm Polegadas Configuração

1524 60 A

Dupla 1626 64 B
Interna 1727 68 C

1829 72 D

2540 100 E

2642 104 F

2743 108 G

Dupla 2845 112 H


Externa 2743 108 J

2845 112 K

2946 116 L

3048 120 M

NOTA: Consulte as Tabelas dos Limitadores de Oscilação e Direção para as combinações possíveis.

Torques de Montagem da Roda Dianteira - MFD com Duplos


● Verifique após os primeiros 30 minutos de operação no campo, a cada 10 horas até que os torques se
estabilizem, e a cada 300 horas após a estabilização do torque.

Os parafusos e porcas de fixação da roda dianteira


devem ser fixados com o torque correto após
manutenção da unidade ou após o ajuste da bitola.

MFD com Duplos


Localização Torque
Porca de Fixação do Disco
385 A 425 Nm
no Cubo do Eixo Dianteiro
(285 A 315 LB FT)
(1)
NOTA: Lubrifique porcas e parafusos (1) antes da 1 2
instalação para obter o torque adequado.
Porca de Fixação da Roda 310 Nm RH98H014
Dupla ao Espaçador (2) (230 LB FT)

NOTA: Não lubrifique porcas e parafusos “2.”

Executar o aperto de acordo com a seqüência de


torque mostrada acima. Durante a montagem
certifique-se de encaixar o disco nivelado com o aro.

255
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Ajuste da Convergência das Rodas - Eixo Dianteiro MFD

343L9
1. DIANTEIRA 2. TRASEIRA

Execute as etapas seguintes para ajustar a convergência das rodas do Eixo Dianteiro MFD:

1. Levante a frente do trator de modo que ambas 6. Meça a distância entre as marcas de giz
as rodas fiquem suspensas do solo e a direção (distãncia B no diagrama).
esteja livre para girar o curso completo.
7. Subtraia a medida frontal (A) da medida traseira
2. Posicione as rodas em uma posição reta para (B) para obter a convergência.
frente (ângulo de direção de 0 graus).
8. Se o valor obtido for de 0 a 3 mm (0 a 1/8 pol.),
3. Faça uma marca de giz na parte frontal interna e nt ão a c o nve r gê n c i a e s ta r á c or r e t a e o
dos aros, na junção do pneu com o aro. Coloque procedimento terminado.
a marca na mesma altura do centro do cubo.
9. Se a convergência for menor que 0 mm (0 pol.),
4. Meça a distância entre as marcas de giz então aumente o comprimento da barra de
(distância A no diagrama). ligação soltando as duas porcas da barra e
girando o tubo da barra até corrigir a
5. Gire cada um dos pneus dianteiros 180 graus de convergência.
modo que as marcas de giz fiquem voltadas
para trás. 10. Se a convergência for maior que 3 mm (1/8 de
pol.), diminua o comprimento da barra de ligação
até que a convergência esteja correta.

256
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

BATENTES DE DIREÇÃO E OSCILAÇÃO PARA MFD


Os tratores com tração dianteira mecânica (MFD)
são equipados com batentes de direção e de
oscilação. Os batentes de direção e de oscilação são
utilizados para proporcionar a folga de direção
necessária entre os pneus dianteiros e o chassi do 1
trator. A medida do pneu dianteiro e a bitola entre as
rodas utilizados determinarão os ângulos de direção
e de oscilação.

RH02H386

Batente de Direção
Cada furo de ajuste no batente de direção (1) é
identificado com uma seta e um número. Com a seta
apontando em direção à roda, o número indica o
ângulo de giro quando o pino de montagem estiver
instalado naquele furo. 1
Com o pino instalado no orifício desejado, o número
do ângulo será visível por fora da manga de eixo. O
batente de direção pode ser instalado em ambas as
direções, dependendo do tamanho do pneu e da
bitola entre rodas sendo utilizados.

O batente padrão oferece seis ajustes para os


batentes da direção: 34, 39, 44, 46, 50 e 55. Um
batente longo opcional oferece seis ajustes para o
RH02H386
batente da direção: 17, 20, 25, 28, 32 e 33. Consulte
o seu concessionário Case IH para a aquisição dos
batentes de direção opcionais.
55

46

39

55 46 39
34 44 50
50
34

44
33

28

20

33 28
17 25 32 20
17

25

32

RH02J072, RH02H280
Batente da Diração Padrão e Batente Longo da Direção Opcional

257
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Batente de Oscilação
Os batentes de oscilação (2) são necessários para algumas combinações de tamanho de pneu e bitola entre
rodas. Os batentes de oscilação são instalados no apoio do batente do eixo, em cada lado do trator.

2 2

RH02H203 RD97K098
Limita a Oscilação em 6 Graus Permite 11 Graus de Oscilação

NOTA: A seta no batente de oscilação DEVE estar voltada para a frente do trator.

Tabela dos Batentes de Direção e Oscilação


A tabela a seguir mostra os ângulos de giro dos NOTA: Consulte o seu concessionário para obter
batente de direção e de oscilação necessários para informações sobre qualquer outro tamanho de pneu
cada combinação de bitola entre rodas e tamanho de não indicado na tabela.
pneu do trator.

Equivalência dos Tamanhos de Pneus nos Sistemas Inglês e Métrico:


Inglês Métrico Inglês Métrico
12.4R38 320/85R38 16.9R30 420/90R30
12.4R54 320/90R54 18.4R42 480/80R42
14.9R30 380/85R30 18.4R46 480/80R46
14.9R34 380/85R34 20.8R38 520/85R38
14.9R46 380/90R46 20.8R42 520/85R42
16.9R28 420/85R28 20.8R46 520/85R46

258
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Pneus Dianteiros Simples

TABELA DO BATENTE DE DIREÇÃO E OSCILAÇÃO (COM OU SEM PÁRA-LAMAS)


MEDIDA DA BITOLA ENTRE AS RODAS
FUROS
RODA/PNEU mm (pol.)
1532 1657 1732 1857 1932 2057 2132 2257
427133A1
(60) (65) (68) (73) (76) (81) (84) (89)
600/65R28 10
Dir. 34* 39* 46* 46 55 55 55 55
Osc. 6 6 6 11 11 11 11 11
1582 1710 1782 1912 1882 2012 2082 2212
Roda 665
16.9R30 (62) (67) (70) (75) (74) (79) (82) (87)
12
420/90R30 Dir. 44 50 50 55 55 55 55 55
Osc. 6 6 11 11 11 11 11 11
1637 1748 1840 1951 1841 1952 2044 2155
Roda 663
(64) (69) (72) (77) (72) (77) (80) (85)
480/70R34 10
Dir. NA 34* 34 39 39 44 46 50
Osc. 6 6 6 6 6 6 11 11
1589 1700 1792 1903 1889 2000 2092 2203
Roda 664
(63) (67) (71) (75) (74) (79) (82) (87)
480/70R34 12
Dir. NA 34* 34 39 39 44 46 50
Osc. 6 6 6 6 6 6 11 11
1582 1710 1782 1912 1882 2012 2082 2212
Roda 661
(62) (67) (70) (75) (74) (79) (82) (87)
18.4x26 12PR R1 10
Dir. 44* 50 50 55 55 55 55 55
Osc. 6 6 11 11 11 11 11 11
1722 2070
Roda 662
(68) (81)
18.4x26 12PR R1 12
Dir. 50 55
Osc. 6 11

259
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

PÁRA-LAMAS DAS RODAS DIANTEIRAS (Se Equipado)


Os pára-lamas encontra-se disponíveis para tratores
equipados com tração dianteira mecânica (MFD). Os
pára-lamas são montados nas mangas de eixo. Para
proporcionar a folga necessária entre o pára-lama e
ou tr os c om po ne nte s d o tra tor, a p os i çã o d e
montagem do pára-lama deve ser ajustada para a
bitola entre rodas utilizada. Veja Posições de
Montagem do Pára-Lama nesta seção para obter
informações completas.

Quando a direção é virada, os pára-lamas dianteiros


da MFD entrarão em contato com o batente do pára-
lama no chassi e flexionarão. Se não for utilizada
uma posição adequada para o pára-lama e não RH02H401

forem usados os batentes do eixo, poderão ocorrer


danos aos componentes do pára-lama.

Componentes de Montagem do Pára-Lama (Mostrado o Lado Direito)


Os seguintes componentes são necessários para montar os pára-lamas dianteiros. A ilustração mostra o lado
direito.

4
2

6 5

RT97K085
1. PÁRA-LAMA 3. BRAÇO DE SUPORTE 5. COXIM DE ISOLAMENTO
2. BATENTE DO PÁRA- 4. SUPORTE DE 6. SUPORTE DO EIXO
LAMA MONTAGEM

260
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Posições de Montagem do Pára-Lama


A posição de montagem do pára-lama deve ser ajustada de acordo com a bitola entre rodas utilizada e os
requisitos de pára-lama largo ou estreito. As posições de montagem do pára-lama são as seguintes:

1525 mm (60 Pol.) Estreito


1625 mm (64 Pol.) Largo 1
O suporte de montagem é montado no primeiro
conjunto de orifícios com a superfície de montagem
do braço do suporte voltada para o trator. O braço do 2
suporte é montado no lado do trator do suporte de
montagem, como mostrado.

RH97K068
1. TRATOR 2. PRIMEIRO CONJUNTO DE
ORIFÍCIOS

1625 mm (64 Pol.) Estreito


1725 mm (68 Pol.) Largo 1
O suporte de montagem é montado no primeiro
conjunto de orifícios com a superfície de montagem
do braço do suporte voltada para o trator. O braço do 2
suporte é montado no lado do pneu do suporte de
montagem, como mostrado.

RT97K087
1. TRATOR 2. PRIMEIRO CONJUNTO DE
ORIFÍCIOS

1725 mm (68 Pol.) Estreito


1830 mm (72 Pol.) Largo 1
O suporte de montagem é montado no conjunto
inter mediário de orifícios com a superfície de
montagem do braço do suporte voltada para o trator. 2
O braço do suporte é montado no lado do pneu do
suporte de montagem, como mostrado.

RH97M016
1. TRATOR 2. CONJUNTO INTERMEDIÁRIO
DE ORIFÍCIOS

261
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

1830 mm (72 Pol.) Estreito


1930 mm (76 Pol.) Largo 1
O supor te de montagem é montado no último
conjunto de orifícios com a superfície de montagem
do braço do suporte voltada para o trator. O braço do
suporte é montado no lado do pneu do suporte de 2
montagem, como mostrado.

RH97M017
1. TRATOR 2. ÚLTIMO CONJUNTO DE
ORIFÍCIOS

1930 mm (76 Pol.) Estreito


2030 mm (80 Pol.) Largo 1
O supor te de montagem é montado no último
conjunto de orifícios com a superfície de montagem
do braço do suporte voltada para o pneu. O braço do 2
suporte é montado no lado do trator do suporte de
montagem, como mostrado.

RH97M017
1. PNEU 2. ÚLTIMO CONJUNTO DE
ORIFÍCIOS

2030 mm (80 Pol.) Estreito


2135 mm (84 Pol.) Largo 1
O suporte de montagem é montado no conjunto
inter mediário de orifícios com a superfície de
montagem do braço do suporte voltada para o pneu. 2
O braço do suporte é montado no lado do trator do
suporte de montagem, como mostrado.

RT97K086
1. PNEU 2. CONJUNTO INTERMEDIÁRIO
DE ORIFÍCIOS

262
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

2135 mm (84 Pol.) Estreito


2235 mm (88 Pol.) Largo 1
O suporte de montagem é montado no primeiro
conjunto de orifícios com a superfície de montagem
do braço do suporte voltada para o pneu. O braço do 2
suporte é montado no lado do trator do suporte de
montagem, como mostrado.

RH97M018
1. PNEU 2. PRIMEIRO CONJUNTO DE
ORIFÍCIOS

2235 mm (88 Pol.) Estreito


O suporte de montagem é montado no primeiro 1
conjunto de orifícios com a superfície de montagem
do braço do suporte voltada para o pneu. O braço do
suporte é montado no lado do pneu do suporte de 2
montagem, como mostrado.

RH97M018
1. PNEU 2. PRIMEIRO CONJUNTO DE
ORIFÍCIOS

263
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

EIXO TRASEIRO

Instalação de Roda Traseira Simples


● Verifique após os primeiros 30 minutos de operação no campo, a cada 10 horas até que os torques se
estabilizem, e a cada 300 horas após a estabilização do torque.

Cubo de Embuchamento Cônico


Utilize este procedimento para mudar a configuração
da bitola:
1. Remova toda a pintura, sujeira e ferrugem do eixo.
NOTA: Coloque a roda em um suporte de apoio
para evitar que ela incline.
2. Solte os seis parafusos (3) da bucha.
3 3
NOTA: Limpe as roscas dos parafusos e as roscas
dos orifícios de extração e então aplique uma
camada de óleo nas roscas dos parafusos e dos
orifícios antes de avançar para a Etapa 5.
3. Nos tratores de tração em duas rodas, calce as 3 3
rodas dianteiras. Em tratores com MFD, antes
de levantar e girar as rodas traseiras em
qualquer direção, execute um dos seguintes
procedimentos:
3
A. Levante as duas rodas dianteiras de modo 3
a ficarem completamente suspensas do
RH02H201
solo e coloque um suporte sob o eixo em
cada roda.
-OU-
B. Desconecte o eixo de transmissão das
rodas dianteiras.

Isto impedirá movimentos acidentais do trator se a


embreagem da MFD, acionada por carga de mola,
engatar quando a roda traseira for girada.

4. Eleve a traseira do trator pela carcaça do eixo


a té q u e a r o d a t ra s e i r a f i q u e t ot a l m e n t e 3 3
suspensa do solo (Consulte os Pontos de
Aplicação do Macaco nesta seção do manual).
Posicione um suporte sob o eixo, remova três
parafusos (3) da bucha e afrouxe os outros três
restantes. 3 3

3
3
RH02H201

264
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

5. Instale três dos seis parafusos da bucha nos


orifícios com rosca da bucha cônica (4) Utilize os 1
4 4
três parafusos como extrator para separar a
bucha cônica (2) do cubo cônico. Aper te os
p ar af u s os p o r i g ua l e e m tr ês i n te r va lo s
separados. Aperte com um torque de 136 Nm
(100 lb ft) na primeira vez, 170 Nm (125 lb ft) na
segunda vez e 203 Nm (150 lb ft) na terceira
vez. Se for necessário mais torque, aperte os
parafusos igualmente.
2
6. Instale uma cunha na ranhura (1) da bucha e
aplique força na cunha apenas o suficiente para
4
deslizar a bucha no eixo. Mova o conjunto da RH02H201

roda para a posição necessária.


NOTA: Certifique-se de que o engate de três pontos
esteja adequadamente ajustado para evitar
interferência com os pneus (Veja Ajuste dos Braços
Superiores e Inferiores). Certifique-se de que a
configuração da bitola permita uma folga de 50 mm
(2 pol.) com todos os componentes do trator.

7. Aplique graxa antiengripante na superfície dos


cones da bucha cônica e do cubo, nas arruelas
e nas roscas dos parafusos.

8. Remova os três parafusos dos furos roscados da


bucha e reinstale-os na bucha através dos
orifícios. Aper te os parafusos por igual em
intervalos de 68 Nm (50 lb ft) até os parafusos
manterem um torque de 300 a 350 Nm (220 a
260 lb ft). Siga a seqüência de torque mostrada
nesta página. Se necessário manter o torque
indicado, aperte cada parafuso várias vezes
após alcançar o torque dado. Quando o torque
estiver correto, o cubo estará na posição correta
2
e a força do grampo no eixo também estará 1
correta.

Eixo Traseiro - Simples RT97J015

Localização Torque
(1) 6 PARAFUSOS DA 300-350 Nm
BUCHA (220-260 LB FT)
(2)10 PARAFUSOS DO 530-570 Nm
CUBO (390-420 LB FT)

NOTA: O torque durante o aperto nunca deverá ser


maior que 350 Nm (260 lb ft) nos parafusos da
bucha.
NOTA: Após os parafusos da roda e da bucha
terem sido apertados com os torques indicados,
dirija o trator para frente e para trás, virando e
freando ao mesmo tempo. Isto ajudará assentar os
componentes das rodas. Pare o trator e reaperte até
os torque indicados.

265
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Instalação de Rodas Duplas


Rodado duplo pode ser vantajoso quando fatores, tais como estabilidade, flutuação ou capacidade de carga e
tração adicionais forem importantes.

Quando for necessár io rodado duplo para as


condições de trabalho, a roda interna pode ser
instalada com a face côncava voltada para dentro e
a roda externa com a face côncava voltada para
fora. Veja Ajuste da Bitola Traseira neste manual
para os ajustes possíveis da bitola com rodado
duplo.

RH97K069

Parafusos da Roda: CAS 2726 (34 mm)


Parafusos da Bucha: CAS 2725 (30 mm)
O seu concessionário dispõe de uma ferramenta
especial para o reaper to da fixação das rodas
quando a folga é minimizada devido a ajustes de
pneus internos e externos.

● Verifique após os primeiros 30 minutos de


operação no campo, a cada 10 horas até que os
torques se estabilizem, e a cada 300 horas após
a estabilização do torque. MK00C283
Mostrado CAS2725

IMPORTANTE: Após apertar os parafusos do cubo


e da bucha da roda interna com o torque adequado,
dirija o trator para frente e para trás, virando e
freando ao mesmo tempo. Isto ajudará assentar os
componentes das rodas. Pare o trator e reaperte
com os valores indicados. Instale a roda externa e
repita o procedimento de dirigir o trator, virar, frear e
reapertar a roda.

Eixo Traseiro - Duplas 2


Localiação Torque 1
300-350 Nm
(1) 6 PARAFUSOS DA
(220-260 LB FT) RT98J015
BUCHA
In Sequence Shown
(2)10 PARAFUSOS DO 530-570 Nm
CUBO (390-420 LB FT)

266
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

PONTOS DE APLICAÇÃO DO MACACO NO TRATOR

Ponto de Aplicação do Macaco Dianteiro


(Similar para Trator com Tração em Duas
Rodas)

RH02H290

Ponto de Aplicação do Macaco Traseiro


(Sob o Suporte da Barra de Tração)
NOTA: Certifique-se de calçar os pneus do eixo que
não estiver sendo levantado.
NOTA: Após levantar o eixo, apoie adequadamente
o trator em cavaletes.

RH02H289

267
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

AJUSTE DA BITOLA TRASEIRA - RODADO SIMPLES


A tabela seguinte mostra a faixa de ajuste disponível de um pneu traseiro simples. O valor máximo pode ser
aumentado adicionando um espaçador de 127 mm (5 pol.), 254 mm (10 pol.) ou de 330 mm (13 pol.).

A A
Centro do Centro do
Trator Trator

RI02J053 RI02J053
Roda Voltada para Dentro Roda Voltada para Fora

Roda Voltada para Dentro – Folga Mínima, Carcaça do Eixo ao Cubo

A
Comprimento do Eixo Diâmetro do Eixo
Folga Mínima,
Carcaça do Eixo ao Cubo
2490 mm (98 inch) 102 mm (4 inch) 25 mm (1 inch)
3050 mm (120 inch) 102 mm (4 inch) 52 mm (2-1/16 inch)
Roda Voltada para Fora – Folga Mínima, Carcaça do Eixo ao Cubo

A
Comprimento do Eixo Diâmetro do Eixo
Folga Mínima,
Carcaça do Eixo ao Cubo
2490 mm (98 inch) 102 mm (4 inch) 25 mm (1 inch)
3050 mm (120 inch) 102 mm (4 inch) 52 mm (2-1/16 inch)

268
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Ajuste da Bitola Traseira - Rodado Simples

LARGURA DO PNEU RODA VOLTADA PARA DENTRO RODA VOLTADA PARA FORA
TRASEIRO BITOLA MÍNIMA / MÁXIMA BITOLA MÍNIMA / MÁXIMA
EIXO TRASEIRO DE 2490 mm (98 POL.)
20.8/520 1626 - 1930 mm (64 - 76 Pol.) 2285 - 2770 mm (90 - 109 Pol.)
710 1778 - 1980 mm (70 - 78 Pol.) 2235 - 2745 mm (88 - 108 Pol.)

EIXO TRASEIRO DE 3050 mm (120 POL.)


20.8/520 1626 - 2490 mm (64 - 98 Pol.) 2415 - 3325 mm (95 - 131 Pol.)
710 1778 - 2540 mm (70 - 100 Pol.) 2360 - 3300 mm (93 - 130 Pol.)

IMPORTANTE: O Peso Máximo de Operação do Eixo Traseiro deve ser reduzido se a largura máxima da bitola
usada no seu cálculo é excedida. Consulte a Seção 10, Peso Máximo de Operação do Eixo Traseiro.

269
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

AJUSTE DA BITOLA TRASEIRA - RODADO DUPLO

Interna Mínima Ajustada, Faixa de Ajuste Externa


A tabela seguinte mostra a faixa de ajuste disponível de um pneu traseiro externo com o pneu interno ajustado
para a bitola mínima. O valor máximo da roda externa pode ser aumentado adicionando um espaçador de 127 mm
(5 pol.), 254 mm (10 pol.) ou de 330 mm (13 pol.).

Roda Interna Voltada para Dentro


Roda Externa Voltada para Fora

Centro do
Trator

RI02J051

Folga Mínima, Carcaça do Eixo ao Cubo

A
Comprimento do Eixo Diâmetro do Eixo
Folga Mínima,
Carcaça do Eixo ao Cubo
2490 mm (98 inch) 102 mm (4 inch) 25 mm (1 inch)
3050 mm (120 inch) 102 mm (4 inch) 52 mm (2-1/16 inch)
B. Mantenha o espaçamento mínimo duplo entre pneus.

Interna Mínima Ajustada, Faixa de Ajuste Externa

RODA INTERNA VOLTADA RODA EXTERNA VOLTADA


LARGURA DO PNEU
PARA DENTRO PARA FORA
TRASEIRO
BITOLA MÍNIMA BITOLA MÍNIMA - MÁXIMA
EIXO TRASEIRO DE 2490 mm (98 POL.)

270
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

20.8/520 1626 mm (64 Pol.) n/a


710 1778 mm (70 Pol.) n/a

EIXO TRASEIRO DE 3050 mm (120 POL.)


20.8/520 1626 mm (64 Pol.) 2845 - 3355 mm (112 - 132 Pol.)
710 1778 mm (70 Pol.) (5) 3430 - 3580 mm (135 - 141 Pol.)

IMPORTANTE: O Peso Máximo de Operação do Eixo Traseiro deve ser reduzido se a largura máxima da bitola
usada no seu cálculo é excedida. Consulte a Seção 10, Peso Máximo de Operação do Eixo Traseiro.

271
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Interna Ajustada pela Fileira, Faixa de Ajuste Externa


A tabela seguinte mostra a faixa de ajuste disponível da bitola das rodas externas quando o pneu interno é
ajustado para um espaçamento de fileira específico. O valor máximo da roda externa pode ser aumentado
adicionando um espaçador de 127 mm (5 pol.), 254 mm (10 pol.) ou de 330 mm (13 pol.).

Roda Interna Voltada para Dentro


Roda Externa Voltada para Fora

Centro do
Trator

RI02J051

Folga Mínima, Carcaça do Eixo ao Cubo

A
Comprimento do Eixo Diâmetro do Eixo
Folga Mínima,
Carcaça do Eixo ao Cubo
2490 mm (98 inch) 102 mm (4 inch) 25 mm (1 inch)
3050 mm (120 inch) 102 mm (4 inch) 52 mm (2-1/16 inch)
B. Mantenha o espaçamento mínimo duplo entre pneus.

272
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Interna Ajustada pela Fileira, Faixa de Ajuste Externa

AJUSTE DA BITOLA INTERNA (RODA PARA DENTRO)*


LARGURA 60 Pol. 64 Pol. 68 Pol. 72 Pol. 76 Pol. 80 Pol. 88 Pol.*
DO PNEU Fileiras de Fileiras de Fileiras de Fileiras de Fileiras de Fileiras de Fileiras de
TRASEIRO 30 Pol. 32 Pol. 34 Pol. 36 Pol. 38 Pol. 40 Pol. 44 Pol.
EIXO TRASEIRO DE 3050 mm (120 POL.)
FAIXA DE AJUSTE DA BITOLA EXTERNA (MÍN. - MÁX. mm (POL.), RODA PARA FORA)
3630 - 3860
2895 - 3355 3000 - 3355 3100 - 3355 3200 - 3355 3300 - 3355
20.8/520 n/a (143 - 152)
(114 - 132) (118 - 132) (122 - 132) (126 - 132) (130 - 132)
(10)
3430 - 3580 3530 - 3835 3630 - 3835 3735 - 3835
710 n/a n/a (135 - 141) (139 - 151) (143 - 151) (147 - 151) n/a
(5) (10) (10) (10)

n/a = Instalação dupla não realizável.


* Para o ajuste da bitola de 88 pol., a roda interna é voltada para fora. Veja tabela Bitola Interna - Rodas Simples para
o ajuste real mínimo das rodas internas.
Um espaçador de (5) pol. (127 mm), (10) pol. (254 mm) ou (13) pol. (330 mm) está indicado, se necessário.
IMPORTANTE: O Peso Máximo de Operação do Eixo Traseiro deve ser reduzido se a largura máxima da bitola
usada no seu cálculo é excedida. Consulte a Seção 10, Peso Máximo de Operação do Eixo Traseiro

273
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Bitola Interna e Bitola Externa Ajustadas pela Fileira, Necessidades de


Espaçador
Use a tabela seguinte para determinar se há necessidade de um espaçador duplo para um espaçamento de fileira
específico com rodas duplas. Os espaçadores podem ser encontrados em comprimentos de 127 mm (5 pol.), 254
mm (10 pol.), 330 mm (13 pol.) ou 380 mm (15 pol.).

Roda Interna Voltada para Dentro


Roda Externa Voltada para Fora

A
Centro do
Trator

RI02J052

Folga Mínima, Carcaça do Eixo ao Cubo

A
Comprimento do Eixo Diâmetro do Eixo
Folga Mínima,
Carcaça do Eixo ao Cubo
2490 mm (98 inch) 102 mm (4 inch) 25 mm (1 inch)
3050 mm (120 inch) 102 mm (4 inch) 52 mm (2-1/16 inch)
B. Mantenha o espaçamento mínimo duplo entre pneus.

274
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

Bitola Interna e Bitola Externa Ajustadas pela Fileira, Necessidades de Espaçador

AJUSTE DA BITOLA INTERNA (RODA VIRADA PARA DENTRO) / AJUSTE DA BITOLA


EXTERNA (RODA VIRADA PARA FORA)
LARGURA 60/120 Pol. 64/128 Pol. 68/136 Pol. 72/144 Pol. 76/152 Pol. 80/160 Pol. 88/176 Pol.*
DO PNEU Fileiras de Fileiras de Fileiras de Fileiras de Fileiras de Fileiras de Fileiras de
TRASEIRO 30 Pol. 32 Pol. 34 Pol. 36 Pol. 38 Pol. 40 Pol. 44 Pol.
EIXO TRASEIRO DE 3050 mm (120 POL.), COMPRIMENTO DO ESPAÇADOR NECESSÁRIO PARA RODAS DUPLAS
(POLEGADAS)
20.8/520 n/a 0 5 10 10 13 10 & 13

* Para o ajuste da bitola de 88 pol. (2235 mm), a roda interna é voltada para fora. Veja tabela Bitola Interna - Rodas
Simples para o ajuste real mínimo das rodas internas.
n/a = Instalação dupla não realizável.
IMPORTANTE: O Peso Máximo de Operação do Eixo Traseiro deve ser reduzido se a largura máxima da bitola
usada no seu cálculo é excedida. Consulte a Seção 10, Peso Máximo de Operação do Eixo Traseiro

275
7 – DESEMPENHO NO CAMPO

276
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

Esta seção aborda a lubrificação, capacidades dos sistemas, filtros, fluídos e


manutenção necessária no trator.

MEIO AMBIENTE
● Antes de executar as operações de manutenção ● Descarte todos fluidos, lubrificantes e filtros
nesta máquina e antes de descartar os fluidos, usados de acordo com as regulamentações do
lubrificantes e filtros usados, lembre sempre do local.
meio ambiente.
● Consulte o centro de reciclagem ambiental ou o
● NÃO despeje óleos ou fluidos no solo, drene ou seu concessionário local para obter informações
coloque em recipientes que possam vazar. corretas.

PEÇAS DE PLÁSTICO E RESINA


● Evite utilizar gasolina, parafina, solvente para ● Utilize APENAS água, sabão neutro e um pano
tintas, etc. para limpar plásticos, por exemplo macio para limpar estas partes.
console, conjunto de instrumentos, monitores e
indicadores. ● A utilização de gasolina, parafina, solvente, etc.,
causará desbotamento, trincas ou deformação
da parte sendo limpa.

CAIXA DE FERRAMENTAS (Se Equipado)


A caixa de ferramentas (se equipado) encontra-se
localizada do lado direito da cabine, acima do tanque
de combustível.

Para remover a caixa de ferramentas, faça o


seguinte:

1. Abra a tampa e remova a bandeja interna.

2. Remova o pino de retenção, localizado na parte


central atrás da caixa de ferramentas.

3. Levante a caixa de ferramentas do fundo


puxando-a para fora e para cima. RH02G245

277
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

CAPACIDADES DOS SISTEMAS

PADRÃO SISTEMA PADRÃO


SISTEMA
AMERICANO MÉTRICO IMPERIAL
Óleo do Motor
Sem Troca de Filtro 5 Gal 19 L 4.2 Gal
Com Troca de Filtro 5-1/2 Gal 21L 4.6 Gal
Sistema de Arrefecimento 6 Gal 22.7 L 5 Gal
Sistema de Transmissão/Hidráulico 45-1/2 Gal 172 L 38 Gal
Tração Dianteira Mecânica
Diferencial 16.7 Qts 15.8 L 14.0 Pints
Planetário 3.4 Pints 1.6 L 2.8 Pints
Tanque de Combustível 160 Gall 606 L 133 Gal

Seleção do Óleo do Motor


O Óleo de Motor de Múltipla Viscosidade CASE No.
1 é recomendado para ser utilizado no seu motor
CASE. O Óleo do Motor CASE lubrificará o seu
m o t or c o r r e t a m e n te e m t o d a s a s c o n d i ç õ e s
operacionais.

RH02J100

O Óleo de Motor de Múltipla Viscosidade CASE


atende à categoria de serviço CH-4 de óleo de motor
API.

Veja o gráfico a seguir para obter a viscosidade


recomendada em faixas de temperatura específicas.

NOTA: NÃO coloque Aditivos de Desempenho ou


outros produtos aditivos de óleo no cárter do motor.
Os intervalos de troca de óleo indicados neste
manual foram determinados em testes com
lubrificantes CASE.

RH99K130

278
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

Recomendações de Uso da Viscosidade do Óleo/Temperatura


Fahrenheit
-40 -22 -4 14 32 50 68 86 104 122

TRÓPICO SAE 20W-50

TODAS
ESTAÇÕES
* SAE 15W-40

* CASE No. 1 15W-40

* SAE 10W-30
INVERNO

* CASE No. 1 10W-30

* SAE 5W-30
ÁRTICO

SAE 0W-30

-40 -30 -20 -10 0 10 20 30 40 50


Celsius

∗O uso de um aquecedor do óleo do motor, ou de um aquecedor do líquido de arrefecimento do motor, é


necessário nas áreas indicadas.

Condicionador de Combustível
O seu concessionário dispõe de um Condicionador ● Limpar os injetores de combustível, válvulas e
de Combustível Diesel. As instr uções para a coletores para um aumento da vida útil.
u t i l i z a ç ã o d o c o n d i c i o n a d o r d e c o m bu s t í ve l
encontram-se no recipiente. ● Dispersar depósitos pegajosos insolúveis que
podem se formar no sistema de combustível.
A utilização do Condicionador de Combustível Diesel
servirá para: ● Separar a umidade do combustível.

● Estabilizar o combustível armazenado.

279
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

Líquido de Arrefecimento
O sistema de arrefecimento do seu trator está IMPO RTANTE: Tenha s empr e um líquido de
abastecido com uma solução de etileno glicol que arrefecimento com um mínimo de 50 porcento de
tem um alto ponto de ebulição. etileno glicol no sistema de arrefecimento em todos
os momentos e em todas as faixas de temperatura
IMPORTANTE: Troque a solução do líquido de ambiente. Não use mais do que 50 porcento de
arrefecimento nos intervalos recomendados. O calor etileno glicol no sistema de arrefecimento, a menos
gerado pelo motor diesel causa uma mudança que a temperatura do ar ambiente seja menor do
natural nos inibidores do líquido de arrefecimento, que -37°C (-34°F). Mais do que 50 porcento de
que resulta na perda de proteção à corrosão. A etileno glicol reduz a transferência de calor e fará
perda dos inibidores poderá causar cavitação da com que a temperatura do motor fique maior do que
bomba de água e erosão do bloco de cilindros. a normal.

Coloque somente solução de líquido de Prepare a solução do líquido de arrefecimento como


arrefecimento com etileno glicol no sistema de segue:
arrefecimento. Utilize etileno glicol de boa qualidade,
com alto ponto de ebulição, que não tenha nenhum 1. Misture 0.45 litros (1 pint) de Condicionador de
aditivo para conter vazamentos. A quantidade de Água CASE (peça No. B91245) com 11.4 litros
silicato não deve exceder 0,1 porcento (Utilize Fluido (3 galões) ou 12.3 litros (3-1/4 galões)
de Arrefecimento CASE peça No. 331-511). (dependendo do modelo do trator) de água
limpa.
Não coloque nenhum anticorrosivo que não seja
aprovado. É possível que o anticorrosivo e o etileno 2. Misture a solução de água com 11.4 litros (3
glicol não se misturem e trabalhem um contra o galões) ou 12.3 litros (3-1/4 galões) de etileno
outro, diminuindo a proteção contra a corrosão, glicol (dependendo do modelo do trator).
formando depósitos no sistema de arrefecimento e
causando danos ao sistema de arrefecimento e ao 3. Encha o tanque de desaeração do líquido de
radiador. a r r e fe c i m e n t o u s a n d o o p r o c e d i m e n t o
especificado neste manual. Veja Abastecimento
Não utilize uma solução de fluído de arrefecimento do Sistema de Arrefecimento neste manual.
tipo álcool, com baixo ponto de ebulição. Em virtude
do ponto de ebulição do álcool ser mais baixo do que
a temperatura de operação mínima do trator, poderá
haver perda excessiva de líquido de arrefecimento
por evaporação.

280
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

ACESSO AO CAPÔ E PORTA DE MANUTENÇÃO

Abertura do Capô
Pressione o botão de abertura do lado esquerdo do
capô e puxe o capô levemente para cima.

RH02G288

Os cilindros de pressão de levantamento elevarão o


capô até a posição totalmente levantado. Mantenha
as mãos e dedos distantes do capô durante o
levantamento.

RH02G290

Fechamento do Capô
Para fechar o capô, puxe-o para baixo pela parte
frontal até que a insígnia Magnum possa ser
alcançada.

RH02G292

281
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

Segure firme a insígnia Magnum e continue puxando


o capô para baixo até a posição fechado.

RH02G293

Puxe o capô totalmente para baixo até que trave na


posição fechado.

RH02G294

282
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

Porta de Manutenção
Puxe a porta de manutenção para abri-la.

RH02G277

Intervalos de Horas de Manutenção


Faça a manutenção em seu trator de acordo com os
intervalos e as localizações indicados neste manual.
Ño lado interno da porta de manutenção há uma
tabela de consulta rápida. Quando fizer a
manutenção do seu trator utilize somente
lubrificantes e filtros CASE de alta qualidade.

RH02G276

283
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

TABELA DE LUBRIFICAÇÃO/MANUTENÇÃO
Frequância em Pontos de Manutenção Engraxar Verificar Limpar Trocar
Horas
Nível do Óleo do Motor X
10
Nível do Líquido de Arrefecimento X
Nível do Óleo da Transmissão X
Filtro de Combustível Primário do Motor - Drenar
50
Água
100 Engate Frontal (Se Equipado) X
Tensão da Correia A/C (Veja Nota A) X
Nível da Água da Bateria X
Mangueiras de Admissão de Ar X
Nível do Líquido de Arrefecimento do Motor - Tanque
X
de Desaeração
300 Óleo e Filtro do Motor (Veja Nota D) X
Torques dos Parafusos das Rodas Dianteiras e
X
Traseiras
Eixo da Roda Dianteira e Engate Traseiro (Veja Nota
X
B)
Tanque de Combustível - Drenar Água
Nível do Óleo do Diferencial e Planetário da MFD
X
(Veja Nota A)
Proteção do Líquido Anticongelante do Motor X
Filtro do Líquido de Arrefecimento do Motor X
Mangueiras e Abraçadeiras do Líquido de
600 X
Arrefecimento do Motor
Filtros de Combustível do Motor X
Estrias Internas da PTO (Intercambiável Somente) X
Filtros de Ar Primário e Secundário do Motor X
1200 Pré-Filtro de Ar do Motor X
Óleo do Diferencial e Planetário da MFD X
Regulagem das Válvulas do Motor (Veja Nota C) X
Líquido e Condicionador do Líquido de
X
Arrefecimento do Motor
1500 Óleo, Fitro(s) e Respiro da Transmissão X
Injetores e Bomba Injetora de Combustível do Motor
2400 X
(Veja Nota C)
Amortecedor de Vibrações do Virabrequim do Motor
4800 X
(Veja Nota C)

(Continua)

284
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

TABELA DE LUBRIFICAÇÃO/MANUTENÇÃO (Continuação)


Filtro de Ar da Cabine X X
Válvula de Poeira do Filtro de Ar da Cabine X
Filtro Primário do Motor X
AR Telas das Grades, Radiador, Condensador,
Resfriador do Óleo, Resfriador do Combustível, Pós- X
Resfriador Ar-Ar
Pressões dos Pneus X

AR = Conforme necessário
Nota A = Executar a manutenção inicial nas primeiras 50 horas de operação.
Nota B = Em condições de muita poeira ou umidade, o intervalo deve ser a cada 10 horas ou diariamente.
Nota C = Consulte o seu concessionário para a execução desta manutenção.
Nota D = Intervalo recomendado para troca de óleo: Óleo CG-4 = 250 horas com filtro normal e Óleo CH-4 = 300
horas com filtro STRATAPORE.

285
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

PRIMEIRAS 10 A 50 HORAS

Tensão da Correia do Compressor A/C Óleo do diferencial - MFD


Verifique a tensão da correia após as primeiras 50 Troque o óleo do diferencial após as primeiras 10 a
horas de operação. Veja VERIFICAÇÃO e AJUSTE 50 horas de operação. Veja TROCA DE ÓLEO DO
DA CORREIA DO COMPRESSOR neste manual DIFERENCIAL DO EIXO MFD neste manual para os
para instr uções e inter valos regulares de intervalos regulares de manutenção.
manutenção.
Óleo do Planetário - MFD
Troque o óleo do planetário após 10 a 50 horas de
o p e r a ç ã o. Ve j a T R O C A D E Ó L E O D O
PLANETÁRIO DO EIXO MFD neste manual para os
intervalos regulares de manutenção.

Parafusos das Rodas


Dianteiras/Traseiras
Após os pr imeiros 30 minutos de operação e
novamente a cada 10 horas de operação até que os
torques dos parafusos estabilizem, verifique os
parafusos das rodas dianteiras e traseiras. Aperte
todos os parafusos das rodas de acordo com o
torque indicado na seção TORQUES, DIANTEIRO
OU TRASEIRO neste manual

286
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

10 HORAS OU DIARIAMENTE

Tanque de Combustível
Encha o tanque de combustível no final de cada dia
a p ó s a c o n c l u s ã o d o t r a b a l h o p a r a ev i t a r
condensação no tanque.

Combustível Diesel
Utilize combustível diesel de boa categoria, que
atenda às especificações SAE/ASTM EN 590 ou
equivalente em seu motor diesel CASE. A utilização
de combustível de classe inferior resultará na perda
de potência do motor e alto consumo de
combustível.

Armazenamento de Combustível RH02J126


Se você mantém combustível diesel armazenado por
algum período de tempo, material estranho ou água
podem penetrar no tanque de armazenamento.
Muitos problemas de motor são causados pela
presença de água no combustível.

Mantenha o tanque de ar mazenamento de


combustível ao ar livre e mantenha o combustível o
mais frio possível. Remova a água do tanque de
ar mazenamento de combustível em inter valos
regulares.

IMPORTANTE: Diferentes classes de combustível


diesel são necessárias para operações no verão e
no inverno. Consulte o seu fornecedor sobre os
requisitos do combustível para o inverno em sua
área.

ADVERTÊNCIA: Nunca abasteça a máquina quando o motor estiver quente ou funcionando. Nunca
! fume durante o abastecimento. M139C

ADVERTÊNCIA: Vazamento de óleo hidráulico ou combustível diesel sob pressão poderá penetrar na
pele e causar infecções ou outros ferimentos. Para evitar ferimentos pessoais:
Alivie toda a pressão, antes de desconectar as linhas de fluído.
Antes de aplicar pressão, certifique-se de que todas as conexões estejam apertadas e os componentes
! em boas condições.
Nunca use a mão para verificar suspeita de vazamento sob pressão. Utilize um pedaço de cartolina ou
madeira para este fim.
Se você for ferido por vazamento de um fluído, procure um médico imediatamente. M149B

287
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

10 HORAS OU DIARIAMENTE

Verificação do Nível de Óleo do Motor


Para verificar o nível de óleo do motor, o trator
deverá estar em terreno nivelado. Verifique o óleo
antes de dar partida no trator.
1
Certifique-se de que a vareta (1) esteja empurrada
completamente para baixo antes de verificar o nível
do óleo.

RH02G273

Se o nível de óleo estiver abaixo da marca ADD


(adicionar), adicione óleo, através do tubo de
preenchimento (2), para elevar o nível de óleo até
a marca FULL (cheio). NÃO eleve o nível do óleo
acima da marca FULL. 2

RH02G270

Verificação do Nível do Reservatório do


Líquido de Arrefecimento
Verifique o nível do líquido de arrefecimento no
r e s e r va t ó r i o d e r e c u p e r a ç ã o d o l í q u i d o d e
arrefecimento a cada 10 horas de operação ou
diariamente.

Verifique o líquido de arrefecimento quando estiver


frio e o motor parado.

O nível do líquido de arrefecimento deve estar


dentro das marcas da faixa nor mal fria (1) no
reservatório. 1
Se o ní ve l es tiver aba ix o da ma r ca A DD
(adicionar), encha o reser vatório até a marca RH02G287

superior da faixa normal fria com a mistura de 50%


de anticongelante e 50% de água.

288
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

10 HORAS OU DIARIAMENTE

Verificação do Óleo da Transmissão/Hidráulico


Para verificar o nível de óleo da transmissão o trator
deverá estar em terreno nivelado. Verifique o nível
do óleo antes de dar partida no trator. 2

Cer tifique-se de que a var eta (1) esteja


completamente encaixada antes de verificar o nível.

Se o nível do óleo estiver abaixo da marca NORMAL 1


na vareta, complete com o óleo recomendado
através do tubo de preenchimento (2).

Tipo de Óleo: CASE HY-TRAN ® ULTRA

RH02J126

Graxeiras - Engate Traseiro e Eixo


Dianteiro
Se estiver operando o trator em locais com muita
poeira e umidade, engraxe o engate traseiro e o eixo
dianteiro a cada 10 horas. Para uma operação
normal, engraxe em intervalos de 300 horas.

289
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 50 HORAS

NOTA: Complete a manutenção de 10 horas e acrescente o seguinte.

Drenagem de Água do Separador de Água


Drene a água do separador de água. Abra a porta de
manutenção do capô, empurre e gire a válvula de
dreno na parte inferior do filtro no sentido anti-horário
para drenar o combustível.

Feche a válvula após toda a água ter sido removida.

RH02J114

290
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 300 HORAS

NOTA: Complete os itens da manutenção de 10 e 50 horas e acrescente o seguinte.

Verificação e Ajuste da Correia do Compressor

NOTA: A proteção de segurança deve ser removida para executar a verificação e ajuste da correia do
compressor.

NOTA: Verifique a tensão da correia após as primeiras 50 horas e então, de acordo com o intervalo normal de
verificação.

1. Meça a tensão correta da correia do compressor


utilizando um dispositivo de medição de tensão
da correia. Verifique as seguintes especificações
da correia:
Correia Nova .................. 422 to 516 N
(95 a 115 lbs)
Correia Usada ................ 400 to 489 N
(90 a 110 lbs)

NOTA: Ajuste as correias novas pela especificação


das correias usadas após um funcionamento de 10
minutos.
RP98F013

2. Para ajustar a tensão da correia, afrouxe o


parafuso de ajuste do compressor e os dois
parafusos da articulação. Empurre o compressor
para cima até obter a tensão correta da correia.
Aperte o parafuso de ajuste do compressor e os
dois parafusos da articulação

RP98F012

291
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 300 HORAS

Verificação do Nível das Baterias

Verifique o nível de água em cada célula. Remova a A menos que a água que você usa não contenha
tampa cuidadosamente. Deve-se adicionar água minerais, adicione água destilada nas baterias.
antes da par te superior dos separadores ficar Quando a água for adicionada em temperatura
exposta. Não preencha além do necessário. ambiente abaixo de 0°C (32°F) as baterias deverão
ser carregadas imediatamente para misturar a água
com o eletrólito. Poderá ocorrer congelamento da
água se ela não estiver misturada com o eletrólito,
pois permanecerá na parte superior.

ADVERTÊNCIA: OS ÁCIDOS DA BATERIA CAUSAM QUEIMADURAS GRAVES. As baterias contêm


ácido sulfúrico. Evite o contato com a pele, olhos ou roupas. Medidas curativas: EXTERNAS - lave com
água. INTERNAS - Beba grandes quantidades de água ou leite. NÃO induza vômito. Procure ajuda
médica imediatamente. OLHOS - Lave com água por 15 minutos e procure ajuda médica
! imediatamente. AS BATERIAS PRODUZEM GASES EXPLOSIVOS. Mantenha faíscas, chamas,
cigarros e charutos distantes. Ventile o ambiente ao carregar ou utilizar a bateria em áreas fechadas.
Sempre use proteção para os olhos ao trabalhar próximo a baterias. Lave as mãos após manuseá-las.
MANTENHA AS BATERIAS FORA DO ALCANDE DE CRIANÇAS. M144B

Mantenha as bater ias em boas condições de 4. Se uma bateria não estiver mantendo a carga,
operação como segue: ins tale uma bater ia nova que tenha as
e s p e c i f i c a ç õ e s fo r n e c i d a s n a s e ç ã o
1. Adicione água destilada conforme necessário “Especificações”.
para manter os separadores submersos.
5. Antes de adicionar água, verifique todas as
2. Mantenha as baterias totalmente carregadas células com um hidrômetro. A densidade em
conforme mostrado em um hidrômetro. cada célula deve apresentar carga total.

3. Mantenha as baterias limpas e secas. Certifique- 6. Ao utilizar um carregador de bateria, carregue na


se de que estejam presas em suas posições. menor taxa possível para reduzir a formação de
gás. NÃO carregue uma bateria que esteja
congelada, ela poderá explodir.

NOTA: A densidade de carga total será mostrada na bateria a maior parte do tempo. Temperaturas frias de
aproximadamente -17.7°C (0°F) causarão o congelamento da bateria com uma densidade de 1,175.

NOTA: O nível do eletrólito deverá estar entre 3,2 a 6,4 mm (0.125 a 0.25 pol.) abaixo do poço do respiro.

292
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 300 HORAS

Acesso às Baterias
Remova os quatro parafusos de aperto manual da
tampa da bateria/caixa de ferramentas e remova a
tampa.

RH02G245

Cabos e Terminas da Bateria


Os terminais da bateria devem ser mantidos limpos e
apertados. Um método adequado para limpar os
terminais é a utilização do Economizador de Bateria
CASE, Peça No. M20376, de ac ordo c om as
instr uções da embalagem. Este limpador não
necessita de água. Se o Economizador de Bateria
CA SE não estiver dis ponível, remova toda a
oxidação com uma escova de aço, e então lave com
uma solução fraca de bicarbonato de sódio ou
amoníaco. Ponha alguma vaselina ou graxa leve nos
terminais para impedir mais oxidação.

RH02H402

Mangueiras de Admissão de Ar do Motor


Ver if iqu e p ara cer tifi ca r- s e d e que tod as as
mangueiras e abraçadeiras do sistema de admissão
de ar estejam aper tadas. Substitua qualquer
mangueira que estiver danificada ou rachada.

RH02G266

293
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 300 HORAS

Nível do Líquido de Arrefecimento do Motor - Tanque de Desaeração

ADVERTÊNCIA: Verifique e mantenha o sistema de arrefecimento de acordo com as instruções de


manutenção. Líquido de arrefecimento quente pode espirrar se a tampa do tanque de desaeração for
! removida enquanto o sistema estiver quente. Para remover a tampa do tanque de desaeração, espere
o sistema esfriar, gire a tampa até o primeiro estágio e aguarde até que toda a pressão seja aliviada. Se
a tampa do tanque de desaeração for removida rapidamente, poderão ocorrer queimaduras. M513

● A tampa de pressão de um sistema de ● Um sistema de arrefecimento pressurizado


arrefecimento pressurizado tem uma válvula de diminui a perda de líquido de arrefecimento
controle que opera como uma VÁLVULA DE causada por evaporação ou por ebulição. O
ALÍVIO DE SEGURANÇA para manter a pressão sistema deverá ter boas vedações na tampa do
dentro da faixa de operação do sistema. Danos tanque de desaeração, tampa do radiador,
poderão ocorrer se o motor operar sem a tampa mangueiras e conexões das mangueiras. É
de pressão ou com uma tampa de pressão que importante eliminar TODOS OS VAZAMENTOS
tenha uma válvula de controle não ajustada para DE QUALQUER TAMANHO assim que sejam
operar na pressão correta. encontrados. Um pequeno vazamento pode
tornar-se um fluxo grande quando a pressão é
aumentada dentro do sistema de arrefecimento.
Quando o trator estiver em operação, uma
mangueira fraca poderá romper-se e causar
ferimentos ou danos. Verifique com freqüência
todas as mangueiras e suas conexões.
MANTENHA AS MANGUEIRAS, CONEXÕES E
AS TAMPAS DE PRESSÃO DO TANQUE DE
DESAERAÇÃO E DO RADIADOR EM BOAS
CONDIÇÕES.

Verificação do nível do líquido de arrefecimento do


tanque de desaeração:

1. Após o sistema de arrefecimento ter esfriado,


gire a tampa até o primeiro estágio e aguarde
até toda a pressão ser liberada.

2. Após toda a pressão ter sido liberada, remova


a tampa e ver ifi que o nível do líquido de
arrefecimento no tanque de desaeraçao. Se o
nível estiver abaixo do gargalo do tanque,
complete o tanque com uma mistura do líquido
d e a r re fe c im e n t o c o n t e n d o 5 0 % d e
anticongelante e 50% de água. RH02G265

294
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 300 HORAS

Troca de Óleo do Motor

Para trocar o óleo do motor, coloque o trator em terreno nivelado e desligue o motor. Troque o óleo do motor como
segue:

NOTA: Para melhores resultados, troque o óleo enquanto o motor ainda estiver quente pelo funcionamento.
Tenha cuidado ao remover o bujão e ao drenar o óleo.

1. Remova o bujão do cárter (1) localizado do lado


es q ue r do d o c ha s s i e l og o at r ás do e i x o
dianteiro, e drene o óleo do motor.
1
2. Veja Filtro de Óleo do Motor, na página seguinte,
para a troca do filtro.

RH02J117

3. Instale o bujão de dreno (1) no cárter.

4. Coloque o tipo e quantidade corretos de óleo


novo no bocal de preenchimento de óleo do
m o to r ( 2 ) . C on s ul t e a s e s p e c i f i c a ç õe s e
capacidades de óleo do motor no início desta
seção. 2
5. Opere o motor por cinco minutos a 1000 RPM.
Verifique se há algum vazamento de óleo na
base do filtro e no bujão de dreno.

6. Pare o motor. Espere aproximadamente cinco


minutos para o óleo retornar ao cárter. Verifique RH02G256

o nível do óleo na vareta (3) e adicione óleo se


necessário.

NOTA: Intervalo recomendado para troca de óleo:


Óleo CG-4 = 250 horas com filtro de óleo normal.
Óleo CH-4 = 300 horas com filtro de óleo
STRATAPORE. 3

RH02G259

295
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 300 HORAS

Troca do Filtro de Óleo do Motor

IMPORTANTE: Troque o filtro de óleo nos intervalos recomendados. O seu revendedor tem filtros aprovados.
Não utilize outros tipos de filtros.

Troque o filtro de óleo do motor como segue:

1. Drene o óleo do motor e reinstale o bujão de


dreno.

2. Gire o filtro de óleo no sentido anti-horário para


removê-lo. Utilize uma chave especial de filtro,
se necessário.

3. Aplique óleo limpo na junta de vedação do filtro


novo.

4. Instale o filtro. Gire o filtro no sentido horário até


que a junta de vedação entre em contato com o
cabeçote do filtro. Aperte o filtro manualmente
1/2 volta adicional. RH02G270

5. Afrouxe o filtro aproximadamente uma volta


completa. G ir e o filtro no sentido hor ár io
novamente até que a junta entre em contato com
o cabeçote do filtro. Aperte o filtro manualmente
1/2 a 3/4 de volta adicional.

IMPORTANTE: NÃO utilize chave de filtro para instalar o filtro de óleo. Se o filtro estiver muito apertado, você
pode danificar a junta de vedação e o filtro.

6. Coloque óleo novo no motor. Consulte as


especificações e capacidades de óleo do motor
no início desta seção

296
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 300 HORAS

Torques dos Parafusos das Rodas Dianteiras e Traseiras

NOTA: Consulte a seção correspondente neste manual para as especificações e procedimentos.

Graxeiras - Engate Traseiro


Braço Superior.

RH02G241

Roscas dos Braços Niveladores (2 em cada lado).

NOTA: Utilile a Graxa CASE 251EP ou Graxa


Equivalente de Lítio NLGI No. 2 EP Multi-Uso.

NOTA: Em locais com muita poeira ou umidade, o


intervalo de engraxamento é de 10 horas ou
diariamente.

RH02G242

RH02G243

297
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 300 HORAS

Graxeiras - Eixo MFD

NOTA: Utilile a Graxa CASE 251EP ou Graxa Equivalente de Lítio NLGI No. 2 EP Multi-Uso.

Terminal Esférico Externo do Cilindro de Direção (1


em cada lado).

RH02J109

Pino Mestre da Manga de Eixo, Inferior (1 em cada


lado).

RH02J108

298
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 300 HORAS

Graxeiras - Eixo MFD (Continuação)

Pino Mestre da Manga de Eixo, Superior (1 em cada


lado).

RH02J107

Terminal Externo da Barra de Ligação (1 em cada


lado).

NOTA: A graxeira Zerk no terminal da barra dispõe


de um respiro. É normal a graxa extravasar pela
área roscada da graxeira Zerk.

RH02J107

299
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 300 HORAS

Válvula de Dreno do Tanque de Combustível


A válv ul a de dr eno está localizada no canto
esquerdo dianteiro do tanque de combustível.

Abra a válvula de dreno (1) para remover a água ou


sedimentos do tanque de combustível. Após a água
ser removida, feche a válvula de dreno.

RP98F075

300
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 300 HORAS

Verificação do Nível de Óleo do Diferencial


Para verificar o nível de óleo do diferencial, coloque
o trator em um terreno nivelado. Remova o bujão de
preenchimento (1) localizado na parte dianteira da
carcaça do eixo. Adicione óleo do tipo recomendado
até elevar o nível do óleo até a borda inferior do
orifício de preenchimento. Reinstale o bujão.

Tipo de Óleo: Lubrificante de Engrenagem CASE


135H EP, SAE 85W-140. 1

NOTA: Se forem necessários mais do que 7,6 litros


(8 U.S. quarts), adicione 0,24 litros (0.5 pint) de
Aditivo de Escorregamento Limitado CASE, Peça
No. B91246. RH02J106

Eixo MFD
NOTA: Após trabalhar intensamente com a
máquina no campo ou estrada, deixe-a repousar e
esfriar até que a carcaça do eixo dianteiro fique
morna para ser tocada. Afrouxe o bujão de dreno
sem removê-lo. Permita que a pressão do eixo se
equalize com a pressão atmosférica. Então,
lentamente, continue a remover o bujão. Não tente
drenar o óleo do eixo até que a temperatura do eixo
esteja morna, tolerável ao toque.

Verificação do Nível de Óleo do Planetário


Para verificar o nível de óleo do planetário coloque o
trator em um terreno nivelado. Gire o cubo da roda
até que a seta aponte para baixo. Remova o bujão
de preenchimento (2) e verifique o nível do óleo.
Adicione óleo do tipo recomendado até elevar o nível 2
do óleo até a borda inferior do orifício do bujão.
Reinstale o bujão.

Tipo de Óleo: Lubrificante de Engrenagem CASE


135H EP, SAE 85W-140.

NOTA: Após trabalhar intensamente com a


máquina no campo ou estrada, deixe-a repousar e
esfriar até que a carcaça do eixo dianteiro fique RH02J120

morna para ser tocada. Afrouxe o bujão de dreno


sem removê-lo. Permita que a pressão do eixo se
equalize com a pressão atmosférica. Então,
lentamente, continue a remover o bujão. Não tente
drenar o óleo do eixo até que a temperatura do eixo
esteja morna, tolerável ao toque.

301
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 600 HORAS

NOTA: Complete os itens da manutenção de 10, 50 e 300 horas e acrescente o seguinte.

Troca do Filtro e Condicionador do Líquido de Arrefecimento e Verificação


das Mangueiras
O s eus tra tor e stá eq uip ado c om um fil tr o e Instale um novo condicionador toda vez que o líquido
condicionador de água. O filtro e condicionador de de arrefecimento for trocado e quando for necessária
água remove material estranho do sistema de uma quantidade grande de líquido de arrefecimento.
arrefecimento, controla a oxidação e condiciona o
líquido de arrefecimento para evitar a erosão e a
cavitação do sistema de arrefecimento. Utilize o filtro
de MANUTENÇÃO Peça No. A77544. Verifique
todas as mangueiras e abraçadeiras do sistema de
arrefecimento para certificar-se que não existam
dan os e q ue tod os a s ab raç ade ira s es te jam
apertadas.

Para remover o filtro:


1. Feche a válvula de isolamento (1).
1
2. Utilize uma chave tipo fita ou uma chave de filtro
Peça No. CASE CAS-1111 para girar o filtro no
sentido anti-horário (2).

Para instalar o filtro:


1. Lubrifique a junta de vedação no filtro novo com
líquido de arrefecimento ou óleo limpo.
2

2. Gire o filtro no sentido horário na rosca do


adaptador até a vedação entrar em contato com
o adaptador.
RH02G257

3. Aperte o filtro 1/2 a 3/4 de volta após a vedação


entrar em contato com o adaptador. Não aperte
excessivamente. Não use uma chave de filtro
para apertar o filtro.

4. Abra a válvula de isolamento.

NOTA: Verifique o nível de proteção do


anticongelante para certificar-se de que exceda as
temperaturas ambientes de operação previstas.

302
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 600 HORAS

Sistema de Combustível do Motor


NOTA: Faça a manutenção do filtro de combustível nos intervalos recomendados ou quando ocorrer perda de
potência.
O sistema de combustível consiste de um tanque de combustível, filtros de combustível e peças de injeção de
combustível. Para evitar que sujeira ou água causem danos nas peças de injeção e reduzam o desempenho,
utilize combustível limpo, mantenha o tanque de combustível cheio, drene o coletor de água do tanque de
combustível e filtro primário regularmente e faça a manutenção dos filtros.
Se ocorrer perda de potência antes da troca de filtro recomendada, execute o procedimento de retrolavagem no
separador de água.

Procedimento de retrolavagem para o separador de água:


1. Desligue o motor.

2. Solte o parafuso de sangria na parte superior do


separador de água (3). 1
3
3. Abra a válvula de dreno, pressionando e
girando.

4. Drene o combustível até que a sujeira seja


removida do filtro.

5. Feche a válvula de dreno e aperte o parafuso de


2
sangria.
RH02G270

303
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 600 HORAS

Substituição do Filtro de Combustível

1. Limpe o cabeçote do filtro, filtro(s) e a área do motor adjacente ao(s) filtro(s).

2. Abra o bujão de dreno no filtro primário e drene todo o combustível.

3. Utilize uma chave de filtro e gire cada um dos filtros no sentido anti-horário para removê-los.

4. Instale novas juntas de vedação nos prisioneiros de montagem primário e secundário.

5. Aplique óleo limpo ou graxa na(s) junta(s) de vedação dos(s) novo(s) filtro(s).

NOTA: Não preencha o(s) novo(s) filtro(s) com combustível antes da instalação.

6. Gire o(s) filtro(s) no sentido horário até a junta de vedação do filtro entrar em contato com o cabeçote do filtro.
Aperte com as mãos 1/2 volta. Para obter a vedação correta, solte o(s) filtro(s) e aperte-o(s) novamente 1/2 ou
3/4 de volta após a junta de vedação entrar em contato com o cabeçote do filtro. Se os filtro(s) ficarem muito
apertado(s) poderão ocorrer danos nas juntas e filtros.

7. Encha o tanque de combustível e remova o ar do sistema de combustível. Consulte Remoção do Ar do


Sistema de Combustível na página 305.

ADVERTÊNCIA: Nunca reabasteça a máquina quando o motor estiver quente ou funcionando. Nunca fume
! durante o abastecimento. M139C

304
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 600 HORAS

Remoção do Ar do Sistema de Combustível


O ar do sistema de combustível deve ser removido. Poderá ocorrer a entrada de ar no sistema de combustível nas
seguintes condições:
● Quando o tanque de combustível estiver vazio.
● Peças do sistema de combustível forem removidas para manutenção ou reparo.
● O trator estiver armazenado por um longo período de tempo.

NOTA: Se o trator estiver sem combustível, poderá ser colocado combustível no tanque e dar partida no motor
sem realizar o procedimento de remoção do ar. Entretanto, poderá haver uma pequena quantidade de ar dentro
dos filtros e na bomba injetora. O ar dentro do sistema causará perda de potência e parada do motor quando se
aplicar uma carga.

1. Afrouxe o parafuso de sangria de ar localizado


na conexão de saída da carcaça do filtro de
combustível.

RH02J115

2. Opere a bomba de escorva manual para encher


os filtros de combustível com combustível.
Aperte o parafuso de sangria de ar quando o
combustível limpo e sem bolhas de ar sair pelo
parafuso.

NOTA: Se a bomba de escorva não puder ser


ativada, gire o motor um pouco.

RH02J113

305
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 600 HORAS

Remoção do Ar do Sistema de Combustível (Continuação)

3. Afrouxe o parafuso de sangria na parte externa


da bomba injetora. NÂO abra a linha de retorno
de combustível. Opere a bomba de escorva
manual cuidadosamente. Aperte o parafuso de
sangria quando o combustível limpo e sem
bolhas de ar sair pelo parafuso de sangria.

NOTA: NÃO aperte o parafuso excessivamente,


pois a arruela de vedação poderá se deformar e
causar vazamentos.

4. Dê partida no motor. Verifique se há vazamentos


de combustível em volta dos filtros, tubos ou
conexões. RH02J112

NOTA: Se o motor não der partida, poderá ser IMPORTANTE: NÃO tente ajustar a bomba injetora.
necessário sangrar as linhas de alta pressão. A bomba injetora é fornecida ajustada e lacrada de
Contate o seu concessionário se este serviço for fábrica. A remoção do lacre da bomba injetora
necessário. invalidará a garantia do trem de força..

NOTA: NÂO afrouxe as tubulações de combustível


na bomba de injeção.

Resfriador de Combustível

Há um resfriador de combustível incorporado dentro


do condensador. O combustível flui a par tir do
retorno da bomba injetora, através do resfriador de
combustível e de volta para o tanque de
combustível.

RH02G291

306
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 1200 HORAS

NOTA: Complete os itens da manutenção de 10, 50, 300 e 600 horas e acrescente o seguinte.

O sistema de admissão de ar possui componentes que necessitam de manutenção em intervalos diferentes de


acordo com as condições de trabalho locais.

Monitor de Manutenção do Filtro de Ar

ENG Se a mensagem de ● A válvula de retenção aspirada não está


aviso aparecer no funcionando.
AIR FLTR mostrador programável,
o elemento do filtro ● Os tubos do pré-filtro aspirado estão sujos.
primário precisa de
manutenção. Se o aviso de manutenção aparecer ● O elemento secundário (interno) está sujo.
durante o dia de trabalho, você pode efetuar a
manutenção do elemento no final do dia de trabalho. ● A tela da admissão de ar está suja.

NOTA: Se o monitor de manutenção do filtro de ar IMPORTANTE: Execute a manutenção do sistema


iluminar com freqüência, ou após a manutenção do de admissão de ar de acordo com os intervalos de
filtro primário, verifique os seguintes itens quanto ao manutenção estabelecidos e quando indicado pelo
serviço necessário: monitor do filtro de ar. A manutenção correta
contribuirá para uma vida útil mais longa do motor e
do turbocompressor. Mantenha apertadas todas as
conexões das mangueiras de saída.

Filtro de Ar
O seu trator está equipado com um sistema de
filtragem de ar de dois estágios, constituído de um
filtro primário (1) (externo) e de um filtro secundário
(2) (interno).

O filtro primário é um filtro de alta capacidade


projetado para fornecer a proteção ideal para o
motor. 1
2
O filtro secundário (interno) proporciona proteção
adicional para o motor quando houver danos no filtro
primário. Substitua o filtro se estiver danificado, sujo
ou quando o filtro primário for trocado.
RH02J110

IMPORTANTE: NÂO remova o filtro secundário


(interno) a não ser para trocá-lo.

307
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 1200 HORAS

Substituição do Filtro de Ar
Intervalo de manuntenção - 1200 horas ou uma vez a cada dois anos.

1. Abra a porta de manutenção.

RH02G277

2. Solte os prendedores de pressão e remova a


tampa do pré-filtro. Limpe a tela do pré-filtro de
qualquer resíduo. Remova a sujeira das aletas
soprando com ar comprimido. SEMPRE use
uma proteção para o rosto ao trabalhar com
ar comprimido.

RH02G279

3. Remova o elemento do filtro primário puxando-o


diretamente para fora.

RH02G280

308
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 1200 HORAS

Substituição do Filtro de Ar (Continuação)

4. Remova o elemento do filtro secundário


puxando-o diretamente para fora, se precisar ser
substituído.

RH02G281

5. Limpe a parte interna da carcaça do filtro, a


vedação e a tampa.

RH02G282

6. Instale o novo elemento de filtro secundário


e m p u r r a n d o - o d i r e t a m e n t e p a r a d e n t r o.
Cer tifique-se de que o elemento esteja
totalmente assentado na vedação.

RH02G281

309
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 1200 HORAS

Substituição do Filtro de Ar (Continuação)

7. Instale o novo elemento do filtro primário


e m p u r r a n d o - o d i r e t a m e n t e p a r a d e n t r o.
Cer tifique-se de que o elemento esteja
totalmente assentado na vedação.

RH02G280

8. Instale a tampa do pré-filtro e trave todos os


prendedores de pressão da tampa. Certifique-se
de que a tampa esteja instalada com a parte
mais larga voltada para o lado de baixo do trator.
A seta deve estar apontando para cima.

RH02G278

9. Feche a porta de manutenção.

RH02G277

310
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 1200 HORAS

Troca de Óleo do Diferencial MFD

NOTA: Troque o óleo após as primeiras 10 a 50 horas de operação e então utilize o intervalo de troca normal de
manutenção.

NOTA: Após trabalhar intensamente com a máquina no campo ou estrada, deixe-a repousar e esfriar até que a
carcaça do eixo dianteiro fique morna para ser tocada. Afrouxe o bujão de dreno sem removê-lo. Permita que a
pressão do eixo se equalize com a pressão atmosférica. Então, lentamente, continue a remover o bujão. Não
tente drenar o óleo do eixo até que a temperatura do eixo esteja morna, tolerável ao toque.

1. Para trocar o óleo do diferencial, coloque o trator


em um terreno nivelado. Remova o bujão de
dreno (2) lentamente de modo a permitir que
qualquer pressão seja liberada e drene o óleo.
Pa r a m e l h o r e s r e s u l t a d o s , d r e n e o ó l e o
enquanto ainda estiver mor no, mas tenha
cuidade ao remover o bujão e ao drenar o óleo.
Reinstale o bujão de dreno. Adicione o óleo do
tipo recomendado com o pacote de aditivo de 1
escorregamento através do orifício de
preenchimento (1) até que o nível do óleo esteja
nivelado com a borda inferior do orifício de
preenchimento. Espere aproximadamente 5
minutos. Verifique o nível do óleo novamente e RH02J106

complete se necessário. Recoloque o bujão de


preenchimento.

Tipo de Óleo: Lubrificante de Engrenagem CASE


135H EP, SAE 85W-140 com 0,48 litros (1 pint) de
Aditivo de Escorregamento Limitado B91246.

RH02G348

311
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 1200 HORAS

Troca de Óleo do Planetário MFD


NOTA: Troque o óleo após as primeiras 10 a 50 horas de operação e então utilize o intervalo de troca normal de
manutenção.

NOTA: Após trabalhar intensamente com a máquina no campo ou estrada, deixe-a repousar e esfriar até que a
carcaça do eixo dianteiro fique morna para ser tocada. Afrouxe o bujão de dreno sem removê-lo. Permita que a
pressão do eixo se equalize com a pressão atmosférica. Então, lentamente, continue a remover o bujão. Não
tente drenar o óleo do eixo até que a temperatura do eixo esteja morna, tolerável ao toque.

1. Para trocar o óleo do planetário, coloque o trator


em um terreno nivelado. Gire o cubo da roda até
que o bujão (2) esteja na parte inferior. Remova
o b u j ã o e d r e n e o ó l e o. Pa r a m e l h o r e s
resultados, drene o óleo enquanto ainda estiver 1
morno, mas tenha cuidade ao remover o bujão.

RH02J120

2. Gire o cubo da roda até que a seta do nível de


óleo esteja apontando para baixo. Adicione o
óleo do tipo recomendado através do orifício de
preenchimento (1) até que o nível do óleo esteja
nivelado com a borda inferior do orifício de
preenchimento.

3. Espere aproximadamente 5 minutos. Verifique o


o nível do óleo novamente e complete se
necessário. Recoloque o bujão.
2

RH02J119

312
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 1200 HORAS

Regulagem das Válvulas do Motor


NOTA: Consulte o seu concessionário Case IH ou o Manual de Serviço para detalhes sobre a regulagem das
válvulas.

313
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 1200 HORAS

NOTA: Complete os itens da manutenção de 10 e 50 horas e acrescente o seguinte.

Troca do Líquido de Arrefecimento


Para trocar o líquido de arrefecimento, execute o
seguinte:

1. Estacione o trator em uma superfície plana,


desligue o motor e remova a chave de ignição.

ADVERTÊNCIA: Verifique e execute a manutenção do sistema de arrefecimento de acordo


com as instruções de manutenção. Líquido de arrefecimento quente pode espirrar se a tampa
do tanque de desaeração for removida enquanto o sistema estiver quente. Para remover a
! tampa do tanque de desaeração, espere o sistema esfriar, gire a tampa até o primeiro estágio
e espere até que toda a pressão seja aliviada. Se a tampa do tanque de desaeração for
removida rapidamente, poderão ocorrer queimaduras. M513

2. Abra o dreno do líquido de arrefecimento (1) e


colete o líquido.

RH02H207

3. Abra o dreno do resfriador de óleo (2) e colete o


fluído.

4. Feche ambos os drenos.

I M P O R TA N T E : N u n c a c o l o q u e l í q u i d o d e
arrefecimento em um motor quente: o bloco ou os
cabeçotes do motor podem trincar por causa da
diferença de temperatura entre o metal e o líquido de
arrefecimento. 2

RH02G264

314
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 1200 HORAS

Troca do Líquido de Arrefecimento (Continuação)

5. Abra a tampa do tanque de desaeração (3),


co loque um li mpado r de radi ador d e bo a
qualidade e preencha o sistema com água limpa.
Siga as instruções do limpador de radiador. O
limpador deve ser compatível com o interior de
alumínio do radiador.
3
6. Remova a solução de limpeza do radiador. Lave
o sistema com água limpa.

7. Inspecione as mangueiras e conexões quanto a


vazamentos.

8. Encha o sistema de arrefecimento com a RH02G265

solução de líquido de arrefecimento 50/50


especificada neste manual e reinstale a tampa
do tanque de desaeração.

9. Encha o tanque do reservatório até a marca (4) e


recoloque a tampa.

10. Dê partida no trator e funcione em marcha lenta


por um (1) minuto. Pare o motor e adicione
solução de líquido de arrefecimento no tanque
do reservatório somente se for necessário.

11. Dê partida no motor e deixe-o funcionando até a


temperatura do líquido de arrefecimento atingir a
faixa de temperatura normal de operação.
4
12. Pare o motor e deixe o líquido de arrefecimento
esfriar. RH02G287

13. Após o motor esfriar, verifique o nível do líquido


de arrefecimento SOMENTE no tanque do
reservatório. NÃO remova a tampa do tanque de
desaeração. Se necessário, adicione líquido de
arrefecimento no tanque do reser vatór io.
Complete o nível do líquido de arrefecimento até
a marca do reservatório.

NOTA: Consulte Soluções do Líquido de


Arrefecimento no início deta seção.

315
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 1500 HORAS

NOTA: Complete os itens da manutenção de 10 e 50 horas e acrescente o seguinte.

Troca do Óleo da Transmissão


Para trocar o fluído da transmissão, coloque o trator
em terreno nivelado e execute os seguintes passos
(veja a ilustração abaixo).

NOTA: Para melhores resultados, drene o fluído


enquanto estiver morno.

1. Remova o bujão de dreno da caixa de redução


(1). Aproximadamente 115 litros (30 galões)
sairão deste orifício.

2. Remova os bujões de dreno da caixa de


velocidades (2) e (3).

3. Remova os bujões de dreno do planetário (4) na


carcaça do eixo traseiro (um bujão localizado em 3
cada lado).
5 2
4. Remova o bujão de dreno da transmissão final
(5) na carcaça do eixo traseiro. 4 1
723L93

NOTA: Para remover o bujão de dreno da


transmissão final (5) a barra de tração deve ser
movida para o lado direito ou esquerdo do trator.

5. Reinstale os bujões de dreno (1 a 5).

6. Instale os novos filtros do sistema de


transmissão/hidráulico (Consulte Filtro Principal
da Transmissão na página 317 e Filtro Regulado
da Transmissão na página 318).

7. Substitua o respiro do sistema hidráulico


(Consulte Respiro do Sistema Hidráulico na
página 318).

8. Encha a transmissão com fluído CASE HY-


TRAN® ULTRA.

9. Funcione o trator e verifique se há vazamentos.

316
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 1500 HORAS

Filtro Principal da Transmissão


O sistema hidráulico do seu trator está equipado IMPORTANTE: Troque o filtro de óleo no intervalo
com filtros de alto desempenho, de vida longa. O de tempo recomendado ou quando indicado pelo
desempenho dos filtros de vida longa proporciona monitor de manutenção. O seu revendedor possui
intervalos mais longos de manutenção sem reduzir a filtros aprovados. Não utilize outros tipos de filtro.
eficiência de filtragem.

NOTA: Se o monitor de manutenção exibir uma restrição do filtro da transmissão, substitua o filtro regulado da
transmissão (se equipado) primeiro. Se a indicação no mostrador permanecer, substitua o fltro principal da
transmissão.

Utilize o seguinte procedimento para trocar o filtro da transmissão.

1. Remova o filtro da transmissão utilizando um


chave de filtro ou uma chave de catraca de 1/2
pol. na parte inferior do filtro e girando-o no
sentido anti-horário.

2. Aplique óleo limpo na junta do filtro novo.

3. Instale o filtro novo. Gire o filtro no sentido


horário até a junta entrar em contato com o
cabeçote do filtro. Aperte o filtro mais 1/3 de
volta.

IMPORTANTE: NÃO utilize uma chave de filtro para


instalar o filtro da transmissão. O aperto excessivo RH02G297

do filtro poderá causar danos na junta e no filtro.

Tipo de Óleo: CASE HY-TRAN® ULTRA

317
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 1500 HORAS

Filtro Regulado da Transmissão


IMPORTANTE: Troque o filtro de óleo no intervalo de tempo recomendado ou quando indicado pelo monitor de
manutenção. O seu revendedor possui filtros aprovados. Não utilize outros tipos de filtro.

NOTA: Se o monitor de manutenção exibir uma restrição do filtro de transmissão, substitua o filtro de transmissão
regularizado (se equipado) primeiro. Se a indicação no mostrador continuar, substitua o fltro principal da
transmissão.

Utilize o seguinte procedimento para trocar o filtro da transmissão.

1. Remova o filtro regulado da transmissão


utilizando uma chave de filtro e girando-o no
sentido anti-horário.

2. Aplique óleo limpo na junta do filtro novo.

3. Instale o filtro novo. Gire o filtro no sentido


horário até a junta entrar em contato com o
cabeçote do filtro. Aperte o filtro mais 1/3 de
volta.

IMPORTANTE: NÃO utilize uma chave de filtro para


instalar o filtro da transmissão. O aperto excessivo
do filtro poderá causar danos na junta e no filtro. RH02G298

Tipo de Óleo: CASE HY-TRAN® Ultra

Respiro do Sistema Hidráulico


O respiro está localizado no suporte traseiro do
conector elétrico de sete pinos e pode ser acessado
pela traseira do trator.

Remova o respiro antigo e instale um respiro do


sistema hidráulico novo no intervalo de troca acima.

RH02G240

318
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE 2400 HORAS

Bicos Injetores e Bomba Injetora de Combustível do Motor e Amortecedor


de Vibrações do Virabrequim
Consulte o seu concessionário Case IH ou o Manual de Serviço do Trator para informações.

319
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO NÃO PROGRAMADA

Filtro de Ar da Cabine
O filtro de ar da cabine necessita de manutenção em intervalos distintos, de acordo com as condições locais de
operação.

Intervalos de Manutenção
Filtro de Ar da Cabine ..........................................................................................................Conforme Necessário

Troca do Filtro de Ar da Cabine


1. O filtro de ar da cabine está localizado sob a
porta de entrada da cabine.

RH02H196

2. Solte os dois grampos de retenção e remova a


tampa.

RH02H198

3. Puxe o filtro diretamente para fora. Limpe a parte


interna da carcaça do filtro.

4. Instale um filtro novo empurrando-o diretamente


para dentro até assentar na junta traseira.
Instale a tampa e prenda os dois grampos de
retenção.

RH02H199

320
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO NÃO PROGRAMADA

Válvula de Poeira do Filtro de Ar da Cabine


1. Aperte a válvula de poeira de borracha sob o
corpo do filtro da cabine para remover qualquer
poeira.

2. Troque a válvula de poeira de borracha se


estiver danificada.

RH02J118

321
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO NÃO PROGRAMADA

Limpeza do Filtro de Ar Primário do Motor


O filtro primário pode ser limpo ou lavado no máximo quatro vezes entre as trocas. O filtro secundário não pode
ser limpo ou lavado. Não remova o filtro secundário a não ser para trocá-lo.

1. Abra a porta de manutenção.

RH02G277

2. Solte os prendedores de pressão e remova a


tampa do pré-filtro.

3. Limpe a tela do pré-filtro de qualquer resíduo.

4. Remova a sujeira das aletas soprando com ar


comprimido. SEMPRE use uma proteção para
o rosto ao trabalhar com ar comprimido.

RH02G278

5. Remova o elemento do filtro primário puxando-o


diretamente para fora.

RH02G280

322
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO NÃO PROGRAMADA

Limpeza do Filtro de Ar Primário do Motor (Continuação)

6. Se a maior parte da sujeira estiver seca, use


uma proteção para o rosto e limpe o elemento
com ar comprimido, soprando do lado de dentro
para o lado de fora. Mantenha o bocal de ar
afastado aproximadamente 127 mm (5 pol.) do
elemento e mova o bocal para cima e para baixo
enquanto gira o elemento.
IMPORTANTE: A pressão do bocal não deve
exceder 207 kPa (30 PSI).
NOTA: Se o filtro contiver óleo ou fuligem, não use
ar comprimido para limpá-lo.

RH02J111

7. Se a sujeira estiver úmida ou pesada, coloque o


elemento em uma solução de sabão e água a
uma temperatura de aproximadamente 38°C
(100°F).

8. Deixe o elemento do filtro na solução por uma


hora e então, gire o filtro na solução por
aproximadamente dois minutos.

9. Remova o elemento do filtro da solução e lave-o


com água até que a água utilizada não contenha
sujeira. Utilize uma mangueira de água sem
bocal e lave o elemento a par tir do lado de
dentro para o lado de fora. 234

IMPORTANTE: A pressão da água não deve ser


maior que 276 kPa (40 PSI). Deixe o elemento secar
completamente antes da instalação. É recomendável
ter um segundo filtro para instalar no trator durante a
secagem do filtro que foi limpo.
NOTA: Substitua o elemento primário após a quarta
limpeza do elemento.

10. Para verificar se há danos ou perfurações no


elemento limpo, coloque uma lâmpada dentro do
elemento e gire-a. Verifique visualmente se há
da nos n a ju nta d e ved aç ão de b or rac ha .
Verifique se há danos na proteção de metal e no
material do filtro. Substitua qualquer elemento
que esteja danificado.

RH02J127

323
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO NÃO PROGRAMADA

Limpeza do Filtro de Ar Primário do Motor (Continuação)

11. Instale o elemento do filtro primário empurrando-


o diretamente para dentro. Certifique-se de que
o elemento esteja totalmente assentado na
vedação.

RH02G280

12. Instale a tampa do pré-filtro e trave todos os


prendedores de pressão da tampa. Certifique-se
de que a tampa esteja instalada com a parte
mais larga voltada para o lado de baixo do trator.

RH02G278

13. Feche a porta de manutenção.

RH02G277

324
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO NÃO PROGRAMADA

Área das Grades e do Radiador


1. Para limpar a área da grade e do radiador,
levante o capô.

RH02G290

2. O condensador/resfriador do combustível possui


dobradiças para girá-lo e afastá-lo do pós-
resfriador de ar (tipo ar-ar) para facilitar a
limpeza dos resfriadores. Remova os parafusos
que fixam o condensador/resfriador do
combustível ao pós-resfriador de ar. Gire o
condensador/resfriador do combustível para a 1
limpeza.
4
3. Limpe a sujeira e a poeira de todas as telas das
grades, condensador do condicionador de ar,
resfriador do óleo, resfriador do combustível, 2 3
pós-resfriador de ar e o radiador. Sopre com ar
c om p r i mi d o o u á gu a. SE M P R E u s e u m a RH02G291

proteção para o rosto ao trabalhar com ar 1. CONDENSADOR/RES- 3. RESFRIADOR DE ÓLEO


comprimido. FRIADOR DO COMBUS- (AMBOS LADOS)
TÍVEL
2. PÓS-RESFRIADOR AR- 4. RADIADOR
IMPORTANTE: Tenha cuidado para não dobrar ou AR
danificar as aletas durante a limpeza.

325
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO NÃO PROGRAMADA

Verificação do Termostato
Verifique o indicador de barras da temperatura do
líquido de arrefecimento durante o funcionamento do
motor. Se o motor aquece lentamente, é possível
que os termostatos (1) estejam presos na posição
aberta. Se o indicador de barras da temperatura do
motor estiver na área vermelha, é possível que os
termostatos não estejam funcionando e estejam
fechados.
1
NOTA: Um motor que não esteja funcionando sob
carga demorará a aquecer até a temperatura de
funcionamento. Isto é causado pela grande
capacidade do sistema de arrefecimento e é normal.
Quando o motor estiver sob carga, ele aquecerá T93707

mais rapidamente.

Durante temperaturas ambientes frias, se o trator


não estiver em movimento, deixe o motor trabalhar
em marcha lenta acelerada para que fique aquecido.
Se os termostatos não funcionarem, substitua-os. Se
a temperatura correta de funcionamento do motor
não for mantida, poderá causar falha prematura do
motor.

326
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO NÃO PROGRAMADA

Substituição da Correia do Compressor


1. Remova a proteção de segurança para obter
acesso ao compressor e correia.

RP98F014

2. Solte os parafusos de ajuste e o parafuso da


a r t i c u l a ç ã o d o c o m p r e s s o r. E m p u r r e o
compressor para baixo para afrouxar a correia.

RP98F012

3. Remova a correia de acionamento do


compressor. Instale uma correia nova.

RP98F082

327
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO NÃO PROGRAMADA

Substituição da Correia do Compressor (Continuação)


4. Meça a tensão correta da correia do compressor
utilizando um dispositivo de medição de tensão
da correia. A tensão da correia deverá ser de
422 a 516 N (95 a 115 lbs) para uma correia
nova. Após dez minutos de funcionamento da
correia, ajuste a tensão para 400 a 489 N (90 a
110 lbs).

RP98F013

5. Empurre o compressor para cima até obter a


tensão correta para a correia. Aperte o parafuso
de ajuste e o parafuso da articulação.

RP98F012

6. Reinstale a proteção de segurança.

RP98F014

328
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO NÃO PROGRAMADA

Substituição da Correia do Ventilador


NOTA: A correia do compressor deve ser removida para possibilitar a remoção da correia do ventilador.

1. Remova a proteção de segurança do lado direito


do defletor do radiador para obter acesso à
correia do ventilador.

RD02H035

2. Utilize uma chave de catraca quadrada de 3/8


pol. para levantar o tensionador e então remova
a correia do ventilador.

NOTA: O tensionador de correia opera sob carga de


mola e deve ser articulado afastando da correia do
ventilador. A articulação na direção errada pode
resultar em danos ao tensionador de correia.

3. Inspecione a correia do ventilador quanto a


rachaduras, vitrificação, rasgos ou cor tes e
desgaste excessivo.

4. Levante o tensionador da correia e mantenha-o


levantado. Instale a correia do ventilador e libere
a tensão. RH02J056

NOTA: Se a instalação da correia do ventilador


apresentar dificuldade (a correia parece estar muito
curta), primeiro encaixe a correia nas canaletas das
polias e então, mantendo o tensionador para cima,
deslize a correia sobre a polia da bomba d’água.

RH02J057

329
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO NÃO PROGRAMADA

Pressões dos Pneus


Consulte Procedimento para Calibragem dos Pneus neste manual para informações sobre pressões de pneus.

Inspeção e Manutenção do Cinto de Segurança


Mantenha os Cintos de Segurança do Operador e Instrucional (se equipado) em boas condições, executando o
seguinte:
● Mantenha pontas afiadas e objetos que possam ● Verifique se os parafusos estão apertados na
causar dano, afastados dos cintos. fixação ou suporte do assento.
● De tempo em tempo, verifique a existência de ● Se o cinto estiver fixado ao assento, certifique-se
danos nos cintos, fivelas, dispositivos de de que o assento ou os suportes do assento
retração, travas, sistema de tensionamento e estejam montados firmemente.
parafusos de montagem.
● Mantenha os cintos limpos e secos.
● Substitua qualquer parte danificada ou
● Somente limpe os cintos com solução de água
desgastada.
morna e sabão.
● Substitua os cintos que apresentem cortes que ● NÂO utiliza alvejantes ou corantes nos cintos,
possam enfraquecer o cinto.
pois isso pode enfraquecê-los.

330
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO NÃO PROGRAMADA

Armazenamento da Máquina

Preparação do Armazenamento
● Pinte todas as superfícies gastas ou lascadas ● Complete o tanque de combustível.
para impedir corrosão.
● Desconecte os cabos terra da bateria se a
● Lave e encere a parte externa e limpe o interior armazenagem for por um período maior que 30
da máquina. dias. Carregue a bateria.
● Verifique a concentração do líquido de ● Substitua todas as partes gastas e danificadas.
arrefecimento para impedir o congelamento. Substitua as ferragens faltantes. Aperte as
ferragens soltas.
● Drene a água do filtro de combustível primário e
do tanque de combustível. ● Levante os pneus do trator ou encha os pneus
com uma pressão de 200 kPa (30 PSI) para
● Adicione condicionador de combustível no
reduzir os “pontos planos”.
tanque.

Remoção do Armazenamento
● Drene a água do filtro de combustível primário e ● Dê partida no motor e deixe funcionar por 5
tanque de combustível. minutos a 1200 RPM.
● Verifique os níveis do óleo do motor e do líquido ● Pare o motor, remova a chave e verifique se há
de arrefecimento. vazamentos.
● Verifique o nível do óleo da transmissão. ● Execute todos os serviços de manutenção
especificados como indicados na Tabela de
● Reconecte os cabos da bateria, se estiverem
Intervalos de Manutenção nesta seção do
desconectados.
manual.
● Certifique-se de que os pneus estejam com a
calibragem correta. Consulte Pressão de
Calibragem dos Pneus neste manual.

331
8 – LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/FLUIDOS/MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO NÃO PROGRAMADA

Prevenção Contra Incêndio


Os riscos de incêndio podem ser minimizados As fagulhas ou chamas podem fazer com que o gás
mediante a freqüente remoção do material de de hidrogênio em uma bateria exploda. Para evitar
cultivo, lixo ou resíduos acumulados da máquina. uma explosão, execute o seguinte:
● Ao desconectar os cabos da bateria, desconecte
Remova todo o material de cultivo, lixo ou resíduos
o cabo negativo (-) primeiro; ao conectar os
da máquina diariamente. Verifique especialmente a
cabos da bateria, conecte o cabo negativo (-) por
área do motor, sistema de exaustão, chassi e
último.
componentes rotativos.
● Ao conectar os cabos de ligação direta (jumper)
É de sua responsabilidade remover e/ou limpar tais para dar partida no motor, utilize o procedimento
resíduos em sua máquina. mostrado neste manual (Consulte Conexão de
Bateria Auxiliar na Seção do Sistema Elétrico).
O risco de incêndio pode também ser minimizado
● NÃO provoque curto-circuito nos polos das
mediante o imediato reparo de vazamentos e
bateria com objetos de metal.
limpeza de derramamentos de combustível e óleo.
● NÃO solde, esmerilhe ou fume próximo à bateria.

Verifique o sistema elétrico quanto a conexões


soltas ou isolamento desfiado. Repare ou substitua
as peças soltas ou danificadas.

332
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
9 – SISTEMA ELÉTRICO

Esta seção cobre as especificações elétricas, localização e identificação dos fusíveis


e relés e especificações de bateria do trator.
ESPECIFICAÇÕES

Sistema
Tipo de Sistema....................................................................................................................12 Volt, Negativo à Terra
Baterias ............................................................................. Duas, 12 Volt, Baterias de Baixa Manutenção 1000 CCA
Ligadas em Paralelo. Tamanho do Grupo 31
Alternador ............................................................................................................12 Volt, 135 Amp Saída, Reforçado
Motor de Partida ............................................................................................... 12 Volt, 4 KW, com Chave Solenóide

Fusíveis

Localização dos Fusíveis/Relés da Cabine


Os fusíveis (1) e relés (2) estão localizados atrás do
banco do operador, sob o tapete do piso e uma
tampa de metal.

1 2

RH02J096

Localização dos Fusíveis/Relés do Compartimento do Motor


Fusíveis e relés adicionais estão localizados na
caixa de Distribuição Elétrica no lado esquerdo do
trator atrás da porta de serviço.

RH02G320

333
9 – SISTEMA ELÉTRICO

Identificação dos Fusíveis da Cabine


ITALIAN
50 51 15A 52 15A 53 54 55 56 5A
BRAKES

43 15A 44 15A 45 46 30A 47 30A 48 20A 49 30A

ICU/PMU ECU
36 15A 37 5A 38 10A 39 10A 40 10A 41 5A 42 10A
SW B+ CONTROLLER

AFS TRANS CONT.


29 10A 30 31 10A 32 5A 33 10A 34 5A 35
SW B+ UNSW. B+

STOP SUSP. AXLE C˚/F ˚TEMP.


22 10A 23 15A 24 10A 25 20A 26 10A 27 28 5A
LIGHTS SW. B+ DISPLAY

ICU/PMU
15 30A 16 5A 17 5A 18 10A 19 10A 20 20A 21 10A
UNSW B+

8 20A 9 15A 10 15A 11 20A 12 30A 13 30A 14

1 5A 2 3 20A 4 10A 5 20A 6 10A 7 10A


372943A1

RI02G018

Fusível Fusível
Circuito
Amp Amp
1 Regulador Eletrônico (Motor Eletrônico) 5
2 Piloto Automático (Cruise Control) 5
3 Luzes de Serviço do Pára-Lama Traseiro 20
4 Luzes de Serviço da Linha Média 10
5 Luzes de Serviço do Teto 20
6 Bloqueio Luzes de Serviço/Faróis 10
7 Alimentação da Bateria para a Chave de Partida 5
8 Saídas de Alimentação Auxiliar do Painel do Teto/3 Pinos/Isqueiro (Não Chaveado) 20
9 Alimentação do Assento 15
10 Ventilador da Cabine (Contínuo) 15
11 Isqueiro/Console do Pára-Lama Direito (Não Chaveado) 20
12 Conector Externo 7 Pinos (Chaveado) 30
13 Conectores Auxiliares 3 Pinos da Coluna Dianteira Direita/Pára-Lama Direito (Não Chaveado) 30
15 Regulador (Motor Eletrônico) 30
16 Instrumentação do Trator (Não Chaveado) 5
18 Relé do Farol Alto 10
19 Luz do Teto da Cabine/Luz de Leitura/Rádio (Não Chaveado) 10
20 Luzes Intermitentes Âmbares 20
21 Lanternas Traseiras 10
22 Luzes de Freio 10
23 Luz Estrobóscópica/Sinalizadora 15
24 Espelho/Radio 10
25 Partida com Éter/Buzina 20
28 Mostrador do Controle Automático de Temperatura (Com Fusível = °C, Sem Fusível = °F) 5
29 Aquecedor do Assento 10
31 AFS (Chaveado) 10

334
9 – SISTEMA ELÉTRICO

Fusível Fusível
Circuito
Amp Amp
32 AFS (Não Chaveado) 10
33 Controlador do Descanso de Braço Direito (Chaveado) 10
34 Radar de Velocidade Real no Solo 5
35 Controlador da Transmissão 20
36 Controlador do Sistema Hidráulico Remoto 15
37 Instrumentação do Trator (Chaveado) 5
38 Controlador da PTO/Bloqueio do Diferencial/MFD 10
39 Controlador do Engate 10
41 Central de Dados Case, Trator 5
42 Conector de Diagnóstico da Central de Dados Case 10
46 Conectores 3 Pinos da Coluna Dianteira Direita/Pára-Lama Direito (Chaveado) 30
47 Controlador Ventilação/Ar Condicionado 30
48 Conectores 3 Pinos do Painel do Teto (Chaveado) 20
49 Ventilador Ventilação/Ar Condicionado 30
51* Limpador/Lavador Dianteiro 15
52 Limpador/Lavador Traseiro 15
56 Freios Italianos 5

(Não Chaveado) = Alimentação sem chaveamento (contínua).


(Chaveado) = Alimentação disponível quando a chave de partida está na posição “LIGADA” (ON).
* = Disjuntor.

335
9 – SISTEMA ELÉTRICO

Identificação dos Relés da Cabine (Olhando Para o Vidro Traseiro)

4 1 10 7 19

5 2 11 8

6 3 12 9

RH02G061
1. LUZES DE FREIO 6. RELÉ NEUTRO 11. REGULADOR (CHAVE DE PARTIDA)
2. NÃO USADO 7. NÃO USADO 12. LUZES DE SERVIÇO DO PÁRA-LAMA
3. LUZES DE SERVIÇOTRASEIRAS DO 8. LUZES DE SERVIÇO DA LINHA 19. ALIMENTAÇÃO DO CONTROLADOR
TETO MÉDIA
4. BLOQUEIO DAS LUZES DE SERVIÇO 9. LUZES DE SERVIÇO DIANTEIRAS DO
TETO
5. TRINCO DE ESTACIONAMENTO 10. VENTILADOR DA CABINE

336
9 – SISTEMA ELÉTRICO

Fusíveis do Compartimento do Motor/Identificação dos Relés (Caixa de Distrib. Elétrica)

CENTER & SIDE


1

F1
STARTER

25
25A

10 12
2

F2
30
30A

FUEL SHUT OFF

HIGH BEAM
(D1)
16
11 13

(D2)
17

LOW BEAM
(3)
F6
25
6 25A 3 30A
14
F7
30

(4)
7 30A 4 15A

HIGH BYPASS
(D1) (D2)
F8
15

15A 8 15

9 5
F9

F5
15

15

15A 15A
RH02G062
1. FUSÍVEL DO RELÉ DAS 6. FUSÍVEL DO RELÉ DE 11. RELÉ DE CORTE DE 16. DIODO 1
LUZES DE SERVIÇO CORTE DE COMBUSTÍVEL COMBUSTÍVEL
CENTRAL, LATERAL E HID
2. FUSÍVEL DOS RELÉS DOS 7. FUSÍVEL DO RELÉ DO 12. RELÉ DAS LUZES DE 17. NÃO USADO - DIODO 2
FARÓIS ALTO/BAIXO E MOTOR DE PARTIDA SERVIÇO CENTRAL E
BYPASS LATERAL
3. FUSÍVEL DO RELÉ DO 8. FUSÍVEL DO RELÉ DO 13. RELÉ DO FAROL ALTO
MOTOR DE PARTIDA FAROL BAIXO DIREITO
4. FUSÍVEL DO RELÉ DO 9. FUSÍVEL DO RELÉ´DO 14. RELÉ DO FAROL BAIXO
FAROL ALTO DIREITO FAROL BAIXO ESQUERDO
5. FUSÍVEL DO RELÉ DO 10. RELÉ DO MOTOR DE 15. RELÉ BYPASS ALTO
FAROL ALTO ESQUERDO PARTIDA

337
9 – SISTEMA ELÉTRICO

Luzes e Lâmpadas
Aplicação No. GE da Lâmpada (Watts)
Luz do Teto da Cabine ................................................................................................. No. Case 3050958R1, (10W)
Luz do Console ............................................................................................................................................. No. 168
Luz Intermitente .......................................................................................................................................... No. 1156
Faróis ......................................................................................................................... No. H4, (55W/60W Halógeno)
Luzes de Freio ..................................................................................................................................No. 3157, (37W)
Luzes de Serviço Laterais ..................................................................................................................No. 885, (50W)
Refletores Dianteiro e Traseiro, Opcional do Pára-Lama,
Traseiro do Teto e Refletores da Linha Média .................................................................................... No. H3, (55W)
Lanternas Traseiras ......................................................................................................................... No. 3157, (37W)
Luz de Serviço Standard do Pára-Lama ............................................................................................No. 894, (37W)
Luz de Serviço Dianteira do Teto ........................................................................................................No. 894, (37W)
Luz de Serviço da Grade Central .......................................................................................................No. 885, (50W)
Luz de Serviço HID Central ............................................................................................No. Case 232455A2, (35W)
Luz de Serviço HID Traseira ...................................................................................................... No. Case 447754A2
Luz Estroboscópica ............................................................................................................................No. 400, (80W)
Luz de Iluminação da Placa ...........................................................................................................No. Case P40556

Conectores de Acessórios
Conector Elétrico de Saída de 7 Terminais ......................................................... Equipado para Luzes Direcionais,
Lanternas Traseiras e Alimentação 12 Volt para
Implementos com Proteção de Circuito
Conector da Cabine de 3 Pinos (2 Std.) (2 Opc.) .............................................................. Alimentação 12 V através
da Chave de Ignição ou Direta
e Aterramento Direto para
Controladores de Implementos
e Monitores

ADVERTÊNCIA: Nao olhe diretamente para uma Luz de Descarga de Alta Intensidade. Pode causar
! dano aos olhos. M638

ADVERTÊNCIA: Não encoste nas Luz de Descarga de Alta Intensidade com os pesos de lastro pois
! ela contém alta voltagem. Poderá ocorrer dano pessoal ou morte. M639

338
9 – SISTEMA ELÉTRICO

MANUTENÇÃO DO SISTEMA DE BATERIAS


Siga estas regras gerais para evitar danos ao sistema elétrico:

● Antes de iniciar o trabalho no sistema elétrico, ● Nunca opere o trator quando os cabos da bateria
desconecte os cabos da bateria. estiverem desconectados.

● Não inverta os cabos da bateria. ● Quando efetuar manutenção no motor, previna a


entrada de material estranho no alternador.
● Quando usar uma bateria auxiliar para a partida,
conecte negativo com negativo e positivo com ● Se houver a necessidade de serviço de solda,
positivo. Utilize as conexões para bateria auxiliar desconecte as baterias. Posicione o cabo terra o
disponíveis no trator. Veja Conexões da Bateria mais próximo possível da área de soldagem.
Auxiliar. Não coloque o cabo terra em locais onde a
corrente possa fluir através de mancais ou por
● Quando carregar as baterias do trator, use as canaletas com chicotes elétricos. Se a solda for
conexões da bateria auxiliar do trator. Não no implemento, sempre desconecte o
conecte o carregador diretamente aos terminais implemento.
da bateria. Não utilize o carregador para dar
partida ao trator. NOTA: Se os procedimentos acima não forem
seguidos poderão ocorrer danos no alternador ou
nos controles.

ADVERTÊNCIA: ÁCIDO DE BATERIA CAUSA SÉRIAS QUEIMADU-RAS. Baterias contém ácido


sulfúrico. Evite contato com a pele, olhos ou roupas. Antídoto: EXTERNO - lavar com água. INTERNO
- beber grandes quantidades de água ou leite. NÃO induzir vômito. Procurar assistência médica
imediatamente. OLHOS - lavar com água durante 15 minutos e procurar assistência médica
! imediatamente. BATERIAS PRODUZEM GASES EXPLOSIVOS. Mantenha faíscas, fogo e cigarros
afastados. Ventilar quando carregar ou usar em áreas fechadas. Use sempre protetor para os olhos
quando trabalhar próximo a baterias. Lave as mãos após o manuseio. MANTENHA FORA DO
ALCANCE DE CRIANÇAS. M144B

339
9 – SISTEMA ELÉTRICO

Remoção e Instalação das Baterias


Este é um sistema elétrico de 12 volt com o negativo à terra. Para remover as baterias, faça o seguinte:

1. Desconecte primeiro os cabos negativos (-) (1).


1 2
2. Desconecte os cabos positios (+) (2).

3. Remova o suporte da bateria (3).


1 2
NOTA: Quando instalar as baterias, certifique-se de 3
conectar os cabos nos terminais corretos.

IMPORTANTE: Não funcione ou opere o motor sem


o sistema elétrico estar completamente conectado.
3
NOTA: As baterias podem ser desconectadas sem
afetar qualquer informação programada ou RH02H402

memorizada no painel de instrumentos digital.


Quando as baterias forem religadas novamente, o
painel de instrumentos se lembrará e usará todas as
informações memorizadas, como por exemplo Área
Total, Largura do Equipamento, Número de
Calibração da Velocidade Real, etc.

ADVERTÊNCIA: ADVERTÊNCIA: Quando trabalhar próximo a baterias armazenadas, lembre-se de


! que todas as peças metálicas expostas estão "vivas". Nunca toque os terminais com um objeto metálico
porque pode ocorrer uma faísca ou curto-circuito. M145A

Quando as Baterias Não Estiverem Reciclagem de Baterias


em Uso O descarte de baterias usadas pode acarretar uma
Quando o trator não estiver em uso, as baterias infração ambiental. Verifique com as autoridades
necessitam ser recarregadas a cada seis semanas ambientais locais ou com o seu distribuidor o
para manter a densidade igual ou superior a 1.250. procedimento correto para o descarte.
Ba ter i as es to ca das e s em us o des c ar re gam
lentamente. Uma bater ia descarregada pode
congelar em temperaturas ambientes baixas e
causar danos à bateria e ao trator.

340
9 – SISTEMA ELÉTRICO

Conexões de Bateria Auxiliar


Quando conectar uma bateria auxiliar ou carregador às baterias do trator, certifique-se de conectar o cabo positivo
ao positivo e o negativo ao negativo. Não conecte os cabos da bateria auxiliar através dos terminais do motor de
partida. Ligue o motor a partir do banco do operador.

ADVERTÊNCIA: A conexão indevida de baterias auxiliares ou do carregador pode causar a explosão


da bateria e/ou danos aos componentes elétricos. Conecte positivo com positivo e negativo com
! negativo. Externamente, o ácido da bateria pode causar queimaduras e cegueira, e se ingerido é
veneno. M146B

IMPORTANTE: Este é o único método seguro de dar partida no motor do trator com uma fonte de energia
externa. Qualquer outro método de ligar o motor pode provocar ferimentos ou morte ao operador ou outras
pessoas.

1. Conecte o grampo do cabo positivo (+) da


bateria auxiliar ao terminal do cabo positivo
(Vermelho) disponível no trator e localizado
próximo ao motor de partida.

RH02G252

2. Conecte o grampo do cabo negativo (-) da


bateria auxiliar ao terminal negativo na longarina
lateral direita como um terra. Sempre
desconecte o cabo terra primeiro e conecte-o
por último para não provocar faísca na bateria.
Uma faísca pode provocar a explosão da bateria
e causar ferimentos.

RH02H282

341
9 – SISTEMA ELÉTRICO

SUBSTITUIÇÃO DE FARÓIS E LÂMPADAS


NOTA: Não toque o vidro de uma lâmpada Halógena com as mãos. Se o vidro for tocado, ele deve ser limpo com
limpador de vidros ou álcool.

Faróis e Luzes de Trabalho Laterais

ADVERTÊNCIA: Não encoste nas Luz de Descarga de Alta Intensidade com os pesos de lastro pois
! ela contém alta voltagem. Poderá ocorrer dano pessoal ou morte. M639

1. Levante o capô e remova os dois parafusos da


tampa de acesso.

RH02H407

2. Remova a tampa de acesso.

RH02H408

3. Gire o conjunto da lâmpada de trabalho lateral


no sentido anti-horário e puxe-o para fora.

RH02H409

342
9 – SISTEMA ELÉTRICO

4. Desconecte o conector da fiação e instale o


conjunto da nova lâmpada de trabalho lateral.
Instale o conjunto da lâmpada no soquete e gire-
o no sentido horário.

RH02H410

5. Para remover a lâmpada do farol, puxe o


conector dos três terminais da lâmpada.

RH02H411

6. Remova o protetor de pó.

RH02H412

343
9 – SISTEMA ELÉTRICO

7. Gire o fixador da lâmpada no sentido anti-horário


e remova o fixador.

RH02H286

8. Puxe a lâmpada do farol para fora.

9. Instale a nova lâmpada do farol na ordem


inversa dos Passos 5 ao 8. Reinstale a tampa de
acesso após a substituição da lâmpada.

NOTA: Não toque o vidro da lâmpada com as mãos


nuas.

RH02H287

Refletores e Luzes de Serviço


1. Remova os dois parafusos de fixação e puxe o
conjunto da luz para fora.

RH02H387

344
9 – SISTEMA ELÉTRICO

2. Desconecte os dois terminais do conjunto da luz.

RH02H388

3. Remova o grampo de retenção da lâmpada e


retire a lâmpada. Instale a nova lâmpada e fixe-a
na posição com o grampo de retenção.

RH02H406

4. Instale o conjunto da luz e os dois parafusos de


fixação.

RH02H387

345
9 – SISTEMA ELÉTRICO

Luzes Traseiras dos Pára-Lamas e Luzes de Advertência


1. Remova os parafusos de fixação inferiores do
conjunto da luz por baixo do pára-lama e remova
o conjunto.

RH02H389

2. Remova o soquete da lâmpada traseira girando-


o no sentido anti-horário e puxando-o para fora.

RH02H390

3. Remova a lâmpada usada puxando-a do


soquete. Instale a nova lâmpada e instale o
soquete no conjunto da lente, inserindo-o e
girando-o no sentido horário.

RH02H391

346
9 – SISTEMA ELÉTRICO

4. Remova o conector da lâmpada de advertência.

RH02H392

5. Gire o conjunto da lâmpada de advertência no


sentido anti-horário e puxe-o para fora. Instale a
nova lâmpada no soquete e gire-a no sentido
horário. Instale o conector.

RH02H393

6. Instale o conjunto da luz traseira e fixe-o com os


parafusos de fixação inferiores.

RH02H389

347
9 – SISTEMA ELÉTRICO

Luzes de Advertência Dianteiras Superiores e Luzes de Serviço


1. Remova os parafusos de fixação inferiores e
remova o conjunto da luz.

RH02H396

2. Remova o soquete da lâmpada de advertência


girando-o no sentido anti-horário e puxando-o
para fora.

RH02H397

3. Pressione a lâmpada e gire-a no sentido anti-


horário, e então puxe-a para fora do soquete.
Instale a nova lâmpada no soquete,
empurrando-a para dentro e girando no sentido
horário.

RH02H398

348
9 – SISTEMA ELÉTRICO

4. Instale o soquete da lâmpada de advertência


empurrando-o para dentro e girando-o no
sentido horário para travá-lo.

RH02H397

5. Remova o conector da luz de trabalho.

RH02H399

6. Gire a lâmpada no sentido anti-horário e puxe-a


para fora. Instale a nova lâmpada no soquete e
gire-a no sentido horário. Instale o conector.

7. Instale o conjunto da luz e fixe-o com os


parafusos inferiores de fixação.

RH02H400

349
9 – SISTEMA ELÉTRICO

Luzes de Advertência Traseiras Superiores


1. Remova os parafusos inferiores de fixação e
remova o conjunto da luz.

RH02H403

2. Remova o soquete da lâmpada de advertência


girando-o no sentido anti-horário e puxando-o
para fora.

RH02H394

3. Pressione a lâmpada e gire-a no sentido anti-


horário, e então puxe a lâmpada para fora do
soquete. Instale a nova lâmpada no soquete,
empurrando-a e girando-a no sentido horário.

RH02H395

350
9 – SISTEMA ELÉTRICO

4. Instale o soquete da lâmpada de advertência


empurrando-o para dentro e girando-o no
sentido horário para travá-lo.

5. Instale o conjunto da luz e fixe-o com os


parafusos de fixação inferiores.

RH02H394

Luz de Serviço Traseira de Alta


Intensidade (HID)
1. Remova os quatro parafusos para remover o
conjunto da luz da carcaça.

RH02F024

2. Gire o módulo da luz no sentido anti-horário e


puxe para fora, para remover o módulo da lente.

RH02J099

351
9 – SISTEMA ELÉTRICO

3. Remova o conector do módulo, e descarte o


módulo. Conecte um novo módulo ao conector.

RH02J098

4. Instale o módulo na lente. Trave o módulo na


posição girando-o no sentido horário.

RH02J099

5. Instale o conjunto da luz na carcaça. Fixe o


conjunto da luz com os quatr o parafusos
removidos anteriormente.

RH02J097

352
9 – SISTEMA ELÉTRICO

Substituição da Lâmpada do Sinalizador de Veículo Largo


1. Remova os dois parafusos da lente dianteira ou
traseira do sinalizador.

RH02J134

2. Pressione a lâmpada e gire no sentido anti-


horário para removê-la do soquete. Instale uma
nova lâmpada no soquete pressionando e
girando no sentido horário..

3. Reinstale a lente com os dois parafusos


removidos anteriormente.

RH02H098

353
9 – SISTEMA ELÉTRICO

Substituição das Lâmpadas das Luzes da Cabine

Luz de Cortesia
1. Use uma chave de fenda para soltar a presilha
elástica e puxe o conjunto da luz para baixo.

RH02J129

2. Remova a lâmpada do prendedor. Instale a nova


lâmpada e reinstale o conjunto da luz em seu
alojamento, empurrando o conjunto para dentro
da presilha elástica.

RH02J128

354
9 – SISTEMA ELÉTRICO

Luz do Console
1. Remova os dois parafusos de fixação e puxe o
suporte da luz para baixo.

RH02H291

2. Gire o soquete da lâmpada e puxe -o para fora


do suporte protetor.

RH02H292

3. Puxe a lâmpada para fora e substitua-a pela


nova lâmpada.

4. Instale o soquete e o suporte da luz na ordem


inversa da remoção.

RH02H295

355
9 – SISTEMA ELÉTRICO

356
Template Name: OML_2_col 6-31480
Template Date: 1994_04_22
10 – ESPECIFICAÇÕES

Esta seção contém as especificações do motor, trem de força, velocidades de


deslocamento, pesos e dimensões do trator.

MOTOR DIESEL

GERAL (MX220, MX240 & MX270)


Tipo ........................................................................................................................................ 6 Cilindros, 4 Tempos,
2 Válvulas por Cilindro,
Turboalimentado com Pós-Resfriador Ar-Ar
Ordem de Ignição ..................................................................................................................................... 1-5-3-6-2-4
Diâmetro ....................................................................................................................................................... 114 mm
Curso ............................................................................................................................................................ 135 mm
Deslocamento do Pistão.............................................................................................................................. 8,3 Litros
Relação de Compressão .......................................................................................................................... 16,5 para 1
Camisas de Ciilindro.......................................................................................................... Tipo Molhada, Removível
Rotação Máxima Sem Carga ............................................................................................................ 2240 ± 45 RPM
Rotação Máxima Com Carga .................................................................................................................... 2000 RPM
Marcha Lenta..................................................................................................................................... 1000 ± 50 RPM

Sistema de Lubrificação - Todos


Pressão do Óleo.......................................................................... 296 a 372 kPa (43 a 54 PSI) com Motor Aquecido
e Operando na Rotação Máxima com Carga
Tipo do Sistema.............................................................. Pressão Constante e Borrifo com Resfriamento do Pistão

Sistema de Combustível
Bomba Injetora
Modelos MX220 .................................................................................................................. Robert Bosch, A2000
Modelos MX240 e MX270 ................................................................................................... Robert Bosch, P3000
Ponto de Injeção
Modelos MX220 ........................................................................................................................... 19 Graus APMS
Modelos MX240 ..............................................................................................................................0 Graus (PMS)
Modelos MX270 ........................................................................................................................... 14 Graus APMS
Injetores .................................................................................................................................. Robert Bosch, 17 mm

Sistema de Admissão de Ar - Todos


Tipo ........................................................................................... Sistema de Indução de Ar tipo Seco, Dois Estágios

Sistema de Arrefecimento - Todos


Tipo ........................................................................................... Sistema Pressurizado, Controlado por Termostato,
Bypass, Bomba Tipo Rotor
Radiador ................................................................................................................................................... Aço/Cobre
Termostatos (2) ...................................................................... Início de Abertura a Aproximadamente 83°C (180°F)
Abertura Total a 95°C (203°F)
Pressão da Tampa, Tanque de Desaeração .................................................................................. 103 kPa (15 PSI)
Tipo de Acionamento do Ventilador ................................................................................................................. Direto

357
10 – ESPECIFICAÇÕES

TREM DE FORÇA
Transmissão
Tipo ............................................................................................................... Totalmente Automática de 18 Marchas
com Embreagem de Acionamento Hidráulico
Seleção das Marchas ................................................................................................................ 18 à Frente e 4 à Ré
Controle de Mudança .......................................................................................................... Acionamento por Chave
Resfriador de Óleo ..................................................................... Fluido da Transmissão, Hidráulico, Direção e Freio

Freios
Tipo ....................................................................................................... Hidráulico, Servo Assistido, Auto-Ajustável,
Freio Diferencial Tipo Placa Molhada Múltipla

Eixo Diferencial e Planetários / Tração Dianteira Mecânica (MFD)


Tipo do Eixo............................................................................................ Hipóide com Redução Planetária no Cubo,
Acionamento Elétrico, Engate com Embreagem
de Mola de Pressão, Desengate Hidráulico
Relação do Entre-Eixo - Dianteiro/Traseiro
MX220 e MX240 (Eixo STD) ........................................................................................................................1,3316
MX270 (Eixo HD) .........................................................................................................................................1,3368

Sistema do Freio de Estacionamento


Freio de Estacionamento........................................................ Acionado pela Alavanca de Controle da Transmissão

Bloqueio do Diferencial
Tipo .......................................................................................................................................... Acionamento Elétrico

Direção Hidráulica Hidrostática


Tipo .......................................................................................... Prioridade por Demanda da Bomba de Pistão Axial
Bomba da Direção........................................................................................................................... Tipo Hidrostática
Cilindro da Direção ................................................................................................................ Cilindro de Dupla Ação

Sistema Hidráulico Remoto


Bomba ........................................................................................................... Bomba de Pistão Axial, Compensada
para Pressão e Vazão
Válvula Tipo Remota ...................................................................................................................... Centro Fechado,
Check de Carga de Todas as Seções no
Pórtico “B”, Controle de Fluxo (Elevação)
Variável para Cada Seção
Vazão do Sistema Remoto à 2000 RPM do Motor(Standard ...................................................... 114 l/min (30 GPM)
Pressão Mäxima do Sistema.................................................................................................. 20 000 kPa (2900 PSI)
Acoplamentos ............................................................................................................ Compatível com ISO e ASAE,
Tipo de Desengate Rápido

358
10 – ESPECIFICAÇÕES

Tomada de Força (PTO)


Tipo da Tomada de Força (PTO) ................................................................................ Independente da Transmissão
Embreagem Tipo ................................................................................................................. Acionamento Hidráulico
Rotação ................................................................................................. Sentido Horário Visto da Traseira do Trator
Dimensão do Eixo de Saída (Se Equipado)
540 RPM .............................................................................Eixo PTO de 6 Estrias, Diâmetro 34,9 mm (1-3/8 pol)
1000 RPM ..........................................................................Eixo PTO de 21 Estrias, Diâmetro 44,5 mm (1-3/4 pol)
1000 RPM ........................................................................ Eixo PTO de 20 Estrias, Diâmetro 44,5 mm (1-3/4 pol)
Rotação do Motor para PTO de 540 e 1000 RPM .................................................................................... 2000 RPM

Barra de Tração
Tipo Standard ...................................................................................... Totalmente Oscilante, Montagem Deslizante,
Diâmetro do Pino 41,3 mm (1-5/8 pol)

Sistema de Engate Traseiro (Se Equipado)


Sensoramento ......................................................................................................... Pino do Braço Inferior Eletrônico
Braços de Tração
MX220, MX240 e MX270 ............................................................................................................................. Rígido
Categoria
Rígido com Acoplamento Rápido .................................................................................................................. Cat III

359
10 – ESPECIFICAÇÕES

VELOCIDADES DE DESLOCAMENTO

Marchas Regulares
As seguintes velocidades de deslocamento são aproximadas na rotação máxima do motor com carga. Não está
considerada patinação das rodas.

MARCHA MEDIDA DO PNEU


24.5 - 32 20.8R42
30.5 - 32 520/85R42
20.8 - 38 710/70R42
À Frente MPH KPH MPH KPH
1 1.9 3.0 2.0 3.2
2 2.2 3.5 2.3 3.7
3 2.5 4.0 2.6 4.2
4 2.9 4.6 3.0 4.8
5 3.3 5.3 3.4 5.5
6 3.8 6.1 3.9 6.4
7 4.4 7.1 4.6 7.4
8 5.0 8.1 5.3 8.5
9 5.8 9.3 6.1 9.8
10 6.7 10.7 7.0 11.2
11 7.6 12.3 8.0 12.9
12 8.8 14.1 9.2 14.8
13 10.9 17.6 11.5 18.4
14 12.5 20.1 13.1 21.2
15 14.4 23.2 15.2 24.4
16 16.6 26.6 17.4 28.0
17 19.0 30.6 19.9 32.1
18 21.8 35.1 22.9 36.8
À Ré
R1 2.7 4.4 2.8 4.6
R2 3.1 5.0 3.3 5.3
R3 6.3 10.2 6.6 10.7
R4 7.2 11.7 7.6 12.2

360
10 – ESPECIFICAÇÕES

Tratores MX220, MX240 e MX270 com Tração Dianteira Mecânica (MFD)

A
B
C

RH97K042

EQUIPAMENTO DE RODA E PNEU PARA OS DADOS


MOSTRADOS ABAIXO
Dianteira - 16.9R30 Traseira - 710/70R42
A. 3005 mm (118.3 pol) D. 3140 mm (123.6 pol)
B. 5770 mm (227.0 pol) E. 410 mm (16.2 pol)
C. 5980 mm (235.4 pol)

Altura determinada com os pneus indicados calibrados com a pressão correta.

Peso Aproximado do Trator


Tratores MX220 e MX240 ........................................................................................... Dianteira 3400 kg (7500 lbs)
Traseira 5620 kg (12 400 lbs)
Total 9020 kg (19 900 lbs)
Tratores MX270 ............................................................................................................. Dianteira 3580 kg (7900 lbs)
Traseira 5780 kg (12 730 lbs)
Total 9360 kg (20 630 lbs)

NOTA: O peso é baseado no trator equipado com equipamento standard, combustível mínimo, sem lastro de
ferro ou líquido, sem operador e equipamento de roda simples.

361
10 – ESPECIFICAÇÕES

PESOS MÁXIMOS DE OPERAÇÃO RECOMENDADOS

Peso Máximo de Operação do Trator (Trator com Lastro Máx.)


O peso máximo recomendado de operação do trator (leitura total da balança) INCLUI o trator e todos os
equipamentos opcionais que podem ser instalados, tais como rodas duplas, tanques de combustível auxiliares,
engate dianteiro, etc., mais todo o lastro líquido ou de ferro e cheio de combustível. NÃO INCLUI equipamentos
montados tais como carregadores, tanques de borrifo e implementos de engate de três pontos montados ou
operador.

Modelo do Trator
Trator MX220 ........................................................................................................................... 11 700 kg (24 700 lbs)
Trator MX240 ........................................................................................................................... 12 750 kg (28 000 lbs)
Trator MX270 ........................................................................................................................... 14 500 kg (31 950 lbs)

Pesos Máximos de Operação dos Eixos


Antes que o peso de operação dos eixos possa ser determinado, o trator deve ser lastreado para permitir uma
operação de campo eficiente. Veja recomendações de lastro neste manual.

Eixo Dianteiro (bitola entre rodas até 2235 mm (88 pol) ou 2540 mm (100 pol) de bitola
média para rodado duplo)

O peso de operação é determinado pesando o eixo dianteiro de um trator lastreado com todos os equipamentos
montados, tais como um carregador (sem carga útil), tanques de borrifo (vazios), etc. com implemento dianteiro
em posição de transporte e implemento traseiro no solo.
Tratores MX220 e MX240 com Tração Dianteira Mecânica....................................................... 4540 kg (10 000 lbs)
Trator MX270 com Tração Dianteira Mecânica.......................................................................... 6030 kg (13 300 lbs)

NOTA: Para o carregador com toda a carga útil, tanques de borrifo cheios, etc., com o implemento dianteiro em
posição de tranporte e o implemento traseiro no solo, bitola de 2030 mm (80 pol) ou menos, e velocidades de
deslocamento até 16 km/h (10 mph), os pesos máximos de operação do eixo dianteiro com MFD são 7260 kg (16
000 lbs) para o MX220 e MX240 e 8620 kg (19 000 lbs) para o MX270.

362
10 – ESPECIFICAÇÕES

Peso de Operação do Eixo Traseiro


O peso de operação é determinado pesando o eixo traseiro de um trator lastreado com todos os equipamentos
montados, tais como carregador (sem carga útil), tanques de borrifo (vazios), etc., com o implemento dianteiro no
solo e o implemento traseiro em posição de tranporte.
Todos Modelos ......................................................................................................................... 14 290 kg (31 500 lb)

NOTA: Os pesos do eixo traseiro são baseados nos seguintes comprimentos de eixo e bitolas máximas entre
rodas.

Eixo de 2490 mm (98 pol) e bitola com rodado simples ou bitola média com rodado duplo de 2540 mm (104 pol)*

Eixo de 3050 mm (120 pol) x 102 mm (4 pol) e bitola com rodado simples ou bitola média com rodado duplo de
2795 mm (110 pol)*

*Para calcular a bitola média entre rodas duplas, some as distâncias interna e externa entre rodas e divida por
dois.

Peso Máximo de Operação do Eixo Traseiro*/Peso Reduzido de Operação do Eixo


Traseiro
Bitola Dimensão do Eixo Traseiro
Máxima - Simples Dia 102 mm x 2890 mm Dia 102 mm x 3050 mm Dia 115 mm x 3050 mm
Média - Duplo (Dia 4 in x 114 in) (Dia 4 in x 120 in) (Dia 4-1/2 in x 120 in)
2642 mm (104 In) 14290 kg (31,500 lb) * N/A N/A
2692 mm (106 In) 13852 kg (30,538 lb) N/A N/A
2743 mm (108 In) 13415 kg (29,575 lb) N/A N/A
2794 mm (110 In) 12979 kg (28,613 lb) 14290 kg (31,500 lb) * 16783 kg (37,000 lb) *
2845 mm (112 In) 12542 kg (27,650 lb) 13942 kg (30,736 lb) 16370 kg (36,090 lb)
2896 mm (114 In) 12105 kg (26,688 lb) 13596 kg (29,973 lb) 15858 kg (35,181 lb)
2946 mm (116 in) 11669 kg (25,725 lb) 13249 kg (29,209 lb) 15546 kg (34,272 lb)
2997 mm (118 in) 11232 kg (24,763 lb) 12902 kg (28,445 lb) 15133 kg (33,363 lb)
3048 mm (120 In) 10795 kg (23,800 lb) 12556 kg (27,682 lb) 14721 kg (32,454 lb)

IMPORTANTE: Não exceda a capacidade de carga máxima dos pneus do seu trator. Veja Tabelas de Carga e
Calibragem de Pneus neste manual para mais informações.

363
10 – ESPECIFICAÇÕES

364
ÍNDICE GERAL
A Modo Descongelar/Desembaçar . . . . . . . . . . . . . . . . . 56
Acelerador de Mão Resumo Operacional . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57
Alavanca de Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37 Ar Condicionado (Std), Interruptor . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49
Acelerador de Pé Ar Condicionado Standard
Pedal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34 Ajuste dos Controles . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53
Acendedor de Cigarro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 52 Controle da Temperatura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49, 53
Acesso ao Trator . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27 Controle da Velocidade do Ventilador . . . . . . . . . . . . . 49
Acessórios, Conectores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 338 Interruptor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49
Acoplador do Engate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 167 Ar Condicionado, Controle Automático de Temperatura
Acopladores das Mangueiras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 199 (CAT) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 54, 56
Acopladores, Válvulas Remotas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 198 Ar da Cabine
Acoplamento de Equipamento Acionado Pela PTO . . . . . 146 Filtro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 320
Acoplamento Rápido, Ajuste da Trava . . . . . . . . . . . . . . 169 Ar do Sistema de Combustível, Remoção . . . . . . . . . . . 305
Acoplamentos de Implementos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 141 Ar, Saídas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 60
Adesivos de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15 Área, Informações no Monitor de Desempenho . . . . . . . . 98
Admissão de Ar do Motor, Mangueiras . . . . . . . . . . . . . . 293 Área, Tela de Edição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 99
AFO, Autoshift . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 127 Armazenamento da Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 331
Ajuste da Bitola Dianteira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 251, 253 Armazenamento de Combustível . . . . . . . . . . . . . . . . . . 287
Ajuste da Bitola Traseira ARO, Autoshift . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 129
Rodado Duplo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 270 Aros e Pneus, Manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 245
Rodado Simples . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 268, 269 Arrefecimento
Ajuste da Convergência das Rodas, Eixo Dianteiro com Troca do Líquido . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 314, 315
MFD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 256 Autoshift . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 127
Ajuste da Largura do Implemento, Monitor de Autoshift (Mudança Automática de Marchas), Interruptor . 43
Desempenho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 99 Auxílio de Partida a Éter . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35
Ajuste da Luz de Sinalização de Veículo Largo . . . . . . . . 23 Avanço Gradual
Ajuste da Trava de Acoplamento Rápido . . . . . . . . . . . . 169 Pedal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
Ajuste da Velocidade Constante do Motor . . . . . . . . . . . . 52 Avisos Críticos, Exibições . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 88
Ajuste de Altura Livre Alta do Engate . . . . . . . . . . . . . . . 160 Avisos de Diagnóstico, Exibições . . . . . . . . . . . . . . . . . . 91
Ajuste do Batente do Limite Inferior do Engate . . . . . . . . . 41 Avisos Informativos, Exibições . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 93
Ajuste do Braço Superior e Inferior do Engate . . . . . . . . 156 Avisos Não Críticos, Exibições . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 89
Ajuste do Console do Apoio de Braço . . . . . . . . . . . . . . . . 47 Avisos, Exibições . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 88
Ajuste do Limite de Patinagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 182
Ajustes do Sistema de Engate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 156 B
Ajustes dos Controles de Ventilação para Controle de Banco de Instrução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 30
Temperatura Std . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53 Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
Alavanca de Controle da Transmissão . . . . . . . . . . . . . . . 31 Banco do Operador com Suspensão a Ar . . . . . . . . . . . . 28
Alavanca de Controle da Transmissão, Indicador de Barra de Tração
Posição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67 Acoplamento de Implemento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 141
Alavanca do Acelerador de Mão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37 Engate do Implemento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 188
Alavancas do Controle Remoto . . . . . . . . . . . . . . . . 38, 197 Operação com PTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 184
Alteração da Altura de Ejeção do Engate Traseiro . . . . . . 81 Preparação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 184
Alteração do Valor da Mudança Programável de Marchas 86 Trava de Impacto Automática . . . . . . . . . . . . . . . . . . 187
Alteração dos Valores de Extensão/Retração da Barra de Tração de Alta Capacidade . . . . . . . . . . . . . . . 187
Válvula Hidráulica Remota . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 78 Barra de Tração, Especificações . . . . . . . . . . . . . . . . . . 359
Altura de Ejeção do Engate Traseiro, Alteração . . . . . . . . 81 Batente do Limite Inferior do Engate . . . . . . . . . . . . . . . . 41
Altura Livre Alta do Engate, Ajuste . . . . . . . . . . . . . . . . . 160 Batentes de Direção e Oscilação, MFD . . . . . . . . . . . . . 257
Amortecedor de Vibrações, Virabrequim . . . . . . . . . . . . . 319 Bateria Auxiliar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 341
Amortecimento, Controle de Viagem do Engate . . . . . . . 133 Bateria, Cabos e Terminais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 293
Antes de Ligar o Motor, Instruções . . . . . . . . . . . . . . . . . 109 Baterias
Ao Proprietário . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1 Manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 292, 339
Aquecedor do Líquido de Arrefecimento do Motor . . . . . 116 Remoção e Instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 340
Ar Condicionado (CAT) Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13
Diagnóstico de Falhas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59 Baterias, Reciclagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 340
Modo Automático . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 56 Bitola Dianteira, Ajuste . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 251, 253

365
Bitola Traseira Automático . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44
Ajuste com Rodado Duplo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .270 Combustível
Ajuste com Rodado Simples . . . . . . . . . . . . . . . . 268, 269 Armazenamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 287
Bitolas das Rodas Dianteiras, Eixo MFD . . . . . . . . . . . . .251 Condicionador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 279
Bitolas das Rodas Dianteiras, Eixo MFD com Duplos . . .253 Filtro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 304
Blocos de Ajuste do Engate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .164 Filtro Separador de Água . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 290
Bloqueio do Controle da Posição do Engate Para Resfriador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 306
Transporte . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .41 Combustível Diesel, Especificações . . . . . . . . . . . . . . . . 287
Bloqueio do Diferencial COMPONENTES DA MÁQUINA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5
Interruptor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .43 Componentes Operacionais da Transmissão . . . . . . . . . 122
Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .223 Compressor
Operação em Modo Automático . . . . . . . . . . . . . . . . .224 Substitução da Correia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 327
Operação em Modo Manual . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .224 Verificação e Ajuste da Correia . . . . . . . . . . . . . . . . . 291
Bloqueio do Diferencial, Especificações . . . . . . . . . . . . .358 Condicionador de Combustível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 279
Bomba Injetora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .319 Condicionador do Líquido de Arrefecimento, Troca . . . . 302
Braços Inferiores do Engate, Flutuação Mecânica . . . . . .166 Conector
Braços Superior e Inferior do Engate, Ajuste . . . . . . . . . .156 Freio do Reboque . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 218
Buzina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .32 Sensor de Velocidade Real de Avanço (Radar) . . . . . 217
Conectores de Acessórios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 338
C Conexões Elétricas Auxiliares . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 213
Cabine Conjunto de Instrumentos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66
Espelho Retrovisor Interno . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .63 Console Central
Filtro de Ar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .320 Controles . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35
Janela Traseira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .61 Console de Utilidades . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63
Limpeza dos Vidros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .18 Console Direito
Luz de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .62 Controles . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37
Luz do Teto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .61 Console do Apoio de Braço
Protetor de Sol . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .62 Ajuste . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47
Cabine, Degraus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .220 Control
Caixa de Ferramentas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .277 PTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44
Calibração do Radar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .83 Controle Automático de Temperatura . . . . . . . . . . . . . . . . 54
Calibração do Sensor de Velocidade Real de Avanço Controle Automático de Temperatura, Operação . . . . . . . 56
no Solo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .83 Controle da Função Remota da Válvula . . . . . . . . . . . . . 203
Calibragem dos Pneus Controle da Temperatura (A/C Std) . . . . . . . . . . . . . . . . . 49
Especificações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .246 Controle da Temperatura (Automático) . . . . . . . . . . . . . . . 54
Procedimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .234 Controle da Velocidade do Ventilador (A/C Std) . . . . . . . . 49
Capacidades dos Sistemas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .278 Controle da Velocidade do Ventilador (CAT) . . . . . . . . . . 55
Capô, Abertura e Fechamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .281 Controle de Carga . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 175
Capotamento Controle de Curso
Estrutura de Proteção (ROPS) . . . . . . . . . . . . . . . . . . .17 Engate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 176
Segurança na Operação da Máquina . . . . . . . . . . . . . .13 Controle de Deslocamento, Interruptor . . . . . . . . . . . . . . . 51
Capotamento do Trator . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .17 Controle de Limite Superior do Engate . . . . . . . . . . . . . . 176
Carga da Válvula Remota, Verificação . . . . . . . . . . . . . .198 Controle de Posição do Engate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 173
Carga do Engate Controle de Temperatura Standard, Operação da
Controles . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .40 Ventilação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53
Carga do Engate, Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .180 Controle de Velocidade de Descida do Engate . . . . . . . . 175
Carga e Pressão dos Pneus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .234 Controle do Amortecimento de Viagem do Engate . . . . . 133
Carga, Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .175 Controle do Fluxo Remoto
Carregador Frontal, Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .210 Quinto Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39
Chave da Ignição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .36 Controle do Limite de Patinagem . . . . . . . . . . . . . . . 97, 181
Cinto de Segurança, Inspeção e Manutenção . . . . . . . . .330 Controle Remoto
Cintos de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .19, 111 Alavancas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38
Códigos de Falhas, Sistema CAT . . . . . . . . . . . . . . . . . . .59 Quinto Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38
Coluna da Direção Controle Remoto, Alavancas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 197
Controles . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .31 Controles
Pedal de Inclinação/Telescópico . . . . . . . . . . . . . . . . .33 Ajuste do Console do Apoio de Braço . . . . . . . . . . . . . 47
Comando Hidráulico Remoto, Interruptor do Modo Alavanca de Controle da Transmissão . . . . . . . . . . . . 31

366
Alavanca do Acelerador de Mão . . . . . . . . . . . . . . . . . 37 Correia do Compressor
Alavancas do Controle Remoto . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38 Substituição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 327
Ar Condicionado (Std), Interruptor . . . . . . . . . . . . . . . . 49 Verificação e Ajuste . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 291
Autoshift . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43 Correia do Ventilador, Troca . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 329
Auxílio de Partida a Éter . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35 Corrente de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25, 189
Batente do Limite Inferior do Engate . . . . . . . . . . . . . . 41 Correspondência de Marchas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 125
Bloqueio do Controle da Posição do Engate Para Cronômetro (Timer) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 102
Transporte . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41 Cubo de Embuchamento Cônico . . . . . . . . . . . . . . . . . . 264
Bloqueio do Diferencial . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43 Curso do Engate, Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 46, 176
Buzina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32
Carga do Engate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40 D
Chave da Ignição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36 Dados Funcionais, Mostrador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67
Console Central . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35 Degraus da Cabine . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 220
Curso do Engate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 46 Descongelar/Desembaçar, Sistema CAT . . . . . . . . . . . . . 56
Eixo Dianteiro Suspenso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50 Desembaçador, Saídas de ArCabine
Engate, Interruptor Subir/Descer . . . . . . . . . . . . . . . . . 40 Saídas de Ar/Desembaçador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 60
Espelho Elétrico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48 Desempenho do Trator, Monitor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94
Faróis de Estrada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36 Desengate da PTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 149
Farol Alto/Baixo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32 Desengate da Transmissão, Diagnóstico de Falhas . . . . 126
Fluxo Hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45 Diagnóstico de Falhas de Desengates da Transmissão . 126
Função da Válvula Remota . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39 Diagnóstico de Falhas, Sistema CAT . . . . . . . . . . . . . . . . 59
Indicadores da Luz de Direção . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32 Diesel
Intertravamento dos Pedais dos Freios . . . . . . . . . . . . 33 Engine . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 357
Limite de Patinagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43 Diesel, Armazenamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 287
Limite Superior do Engate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 46 Diesel, Especificações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 287
Limpador Traseiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48 Diferencial
Limpador/Lavador do Pára-Brisa Dianteiro . . . . . . . . . 48 Bloqueio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 223
Luz de Balizamento/Estroboscópica . . . . . . . . . . . . . . 50 Interruptor do Bloqueio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43
Luz de Direção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31 Nível de Óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 301
Luzes de Advertência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36 Troca do Óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 311
Luzes de Serviço . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35 Direção
MFD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42 Batentes, MFD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 257
Modo Automático do Comando Hidráulico Remoto . . . 44 Convergência das Rodas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 256
Mudança Automática de Marchas (Autoshift) . . . . . . . . 43 Direção Hidráulica Hidrostática, Especificações . . . . . . 358
Mudança Programável de Marchas . . . . . . . . . . . . . . . 42 Distância, Informações no Monitor de Desempenho . . . 101
Pedais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
Pedais dos Freios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33 E
Pedal de Avanço Gradual . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33 Edição da Área no Monitor de Desempenho . . . . . . . . . . 99
Pedal de Inclinação/Telescópico da Coluna da Direção 33 Eixo Dianteiro Suspenso, Interruptor . . . . . . . . . . . . . . . . 50
Pedal do Acelerador de Pé . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34 Eixo Dianteiro, Graxeiras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 289, 298
Posição da Profundidade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45 Eixo Diferencial e Planetários, Especificações . . . . . . . . 358
Posição do Engate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40 Eixo Intercambiável da PTO, Substituição . . . . . . . . . . . 150
PTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44 Eixo Suspenso da MFD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 132
Quinto Controle do Fluxo Remoto . . . . . . . . . . . . . . . . 39 Eixo Traseiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 264
Quinto Controle Remoto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38 Elevação e Abaixamento do Engate . . . . . . . . . . . . . . . 177
Seleção de Marchas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38 Engate
Subir/Descer do Engate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40 Ajuste de Altura Livre Alta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 160
Super Redutor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44 Ajuste do Braço Superior e Inferior do Engate . . . . . 156
Temporizador da Válvula Hidráulica . . . . . . . . . . . . . . 45 Ajustes do Sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 156
Velocidade Constante do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51 Altura de Ejeção, Alteração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 81
Velocidade Constante do Motor, Ajuste . . . . . . . . . . . . 52 Batente do Limite Inferior . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41
Velocidade de Descida do Engate . . . . . . . . . . . . . . . . 46 Blocos de Ajuste do Engate, Blocos . . . . . . . . . . . . . 164
Controles da Coluna da Direção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31 Bloqueio do Controle da Posição Para Transporte . . . 41
Controles de Fim de Fileira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 177 Controle da Carga . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40
Controles do Console Direito . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37 Controle da Posição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40
Controles do Pára-Lama Direito . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48 Controle da Velocidade de Descida . . . . . . . . . . . . . . 46
Convergência das Rodas Dianteiras, Ajuste . . . . . . . . . . 256 Controle de Carga . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 175

367
Controle de Limite Superior . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .176 Exibições de Avisos Críticos, Mostrador Programável . . . 88
Controle de Posição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .173 Exibições de Avisos de Diagnóstico, Mostrador
Controle de Velocidade de Descida . . . . . . . . . . . . . .175 Programável . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 91
Controle do Amortecimento de Viagem . . . . . . . . . . .133 Exibições de Avisos Informativos, Mostrador Programável 93
Controle do Curso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .46 Exibições de Avisos Não Críticos, Mostrador Programável 89
Controle do Limite de Patinagem . . . . . . . . . . . . . . . . .43 Exibições de Avisos, Mostrador Programável . . . . . . . . . . 88
Controle do Limite Superior . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .46 Extensão da Válvula Hidráulica Remota, Alteração
Elevação e Abaixamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .177 dos Valores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 78
Flutuação Mecânica dos Braços Inferiores . . . . . . . . .166
Habilitação do Sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .172 F
Interruptor Subir/Descer . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .40, 173 Falhas da Transmissão, Diagnóstico . . . . . . . . . . . . . . . 126
Limitador de Controle de Profundidade . . . . . . . . . . .174 Faróis de Estrada
Limitadores de Oscilação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .163 Interruptor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .172 Faróis, Substituição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 342
Operação à Distância . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .170 Farol Alto/Baixo
Operação em Controle de Carga . . . . . . . . . . . . . . . .180 Interruptor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32
Operação em Controle de Posição . . . . . . . . . . . . . . .178 Filtro de Ar da Cabine
Engate de Três Pontos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .156 Intervalos de Manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 320
Acoplamento de Implemento . . . . . . . . . . . . . . . . . . .142 Troca . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 320
Engate Dianteiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .190 Válvula de Poeira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 321
Engate Dianteiro Magnum . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .190 Filtro de Ar do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 307
Engate Dianteiro Zuidberg . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .192 Manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 307
Engate Dianteiro, Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .194 Monitor de Manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 307
Engate do Implemento à Barra de Tração . . . . . . . . . . . .188 Troca . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 308
Engate do Sistema da PTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .147 Filtro de Ar Primário do Motor, Limpeza . . . . . . . . . . . . . 322
Engate Traseiro, Graxeiras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .297 Filtro de Combustível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 304
Engate Traseiro,Graxeiras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .289 Filtro de Óleo do Motor, Troca . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 296
Engate, Acoplador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .167 Filtro do Líquido de Arrefecimento, Troca . . . . . . . . . . . . 302
Engate, Sistema Eletrônico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .172 Filtro Principal da Transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 317
Especificações Filtro Regulado da Transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 318
Barra de Tração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .359 Filtro Separador de Água . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 290
Bloqueio do Diferencial . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .358 Flutuação Mecânica dos Braços Inferiores . . . . . . . . . . . 166
Direção Hidráulica Hidrostática . . . . . . . . . . . . . . . . .358 Fluxo Hidráulico da Válvula Remota . . . . . . . . . . . . . . . . 107
Eixo Diferencial e Planetários . . . . . . . . . . . . . . . . . . .358 Fluxo Hidráulico, Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45
Freios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .358 Fluxo Variável da Válvula Remota . . . . . . . . . . . . . . . . . 201
Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .357 Força, Salto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 249
Sistema de Admissão de Ar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .357 Freio do Reboque, Conector . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 218
Sistema de Arrefecimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .357 Freio, Conector do Reboque . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 218
Sistema de Combustível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .357 Freios
Sistema de Engate Traseiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .359 Intertravamento dos Pedais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
Sistema de Lubrificação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .357 Pedais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
Sistema do Freio de Estacionamento . . . . . . . . . . . . .358 Freios, Especificações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 358
Sistema Elétrico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .333 Função da Válvula Remota
Sistema Hidráulico Remoto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .358 Controle Elétrico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39
Tomada de Força (PTO) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .359 Funções de Manutenção no Monitor . . . . . . . . . . . . . . . . 103
Tração Dianteira Mecânica (MFD) . . . . . . . . . . . . . . .358 Funções do Monitor de Desempenho . . . . . . . . . . . . . . . . 95
Transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .358 Fusíveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 333
Trem de Força . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .358
Velocidades de Deslocamento . . . . . . . . . . . . . . . . . .360 G
Espelho Elétrico, Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .48 Grades . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 325
Espelho Retrovisor Interno . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .18, 63 Graxeiras
Espelhos Retrovisores Externos Extensíveis . . . . . . . . . . .63 Eixo Dianteiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 289, 298
Estrutura de Proteção para Capotamento (ROPS) . . . . . .17 Engate Traseiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 289, 297
Etiqueta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .17 Guia de Lastreamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 231
Regras de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .17
Éter, Procedimento de Partida a Frio . . . . . . . . . . . . . . .118
H
Etiqueta ROPS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .17
Habilitação do Sistema de Engate . . . . . . . . . . . . . . . . . 172

368
Hidráulico, Sistema Remoto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 197 Interruptor Subir/Descer do Engate . . . . . . . . . . . . . . . . 173
Intertravamento dos Pedais dos Freios . . . . . . . . . . . . . . 33
I Intervalos de Manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 283
Identificação do Produto e Números de Série . . . . . . . . . . . 3 Introdução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1
Ignição, Chave . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
Implemento J
Acoplamento à Barra de Tração . . . . . . . . . . . . . . . . 141 Janela Traseira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61
Acoplamento ao Engate de Três Pontos . . . . . . . . . . 142
Controle de Profundidade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 174 L
Engate na Barra de Tração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 188 Lâmpadas, Especificações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 338
Interruptor de Posição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 100 Lâmpadas, Substituição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 342
Luzes de Sinalização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24 Largura do Implemento, Ajuste no Monitor de
Nivelamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 159 Desempenho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 99
Sinalização de Veículo Largo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24 Lastreamento
Implemento, Ajuste da Largura no Monitor de Diretrizes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 230
Desempenho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 99 Guia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 231
Implementos, Acoplamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 141 Instalação dos Pesos Dianteiros . . . . . . . . . . . . . . . . 238
Incêndio Pesos das Rodas Traseiras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 241
Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12 Pesos Dianteiros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 238
Incêndio, Prevenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 332 Pneus, Diretrizes de Lastreamento . . . . . . . . . . . . . . 233
Indicador de Posição da Alavanca de Controle da Regras Gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 238
Transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67 Lastreamento do Trator . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 230
Indicador de Temperatura (CAT) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 55 Lastro Líquido dos Pneus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 244
Indicadores da Luz de Direção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32 Lembrete de Manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 104
Informações de Área no Monitor de Desempenho . . . . . . 98 Limitador de Controle de Profundidade . . . . . . . . . . . . . 174
Inspeção Diária . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 109 Limitadores de Oscilação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 163
Instalação de Roda Traseira Simples . . . . . . . . . . . . . . . 264 Limite de Patinagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 97
Instalação de Rodas Traseiras Duplas . . . . . . . . . . . . . . 266 Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43
Instalação dos Pesos Dianteiros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 238 Limite de Patinagem, Ajuste . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 182
Instalação dos Pneus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 245 Limite de Patinagem, Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 181
Instrumentação do Trator . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 65 Limite Inferior do Engate
Instrumentação Padrão da Coluna ROPS . . . . . . . . . . . . . 65 Batente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41
Instrumentos, Conjunto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66 Limite Superior do Engate, Controle . . . . . . . . . . . . 46, 176
Interruptor Limpador Traseiro,Interruptor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48
Autoshift . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43 Limpador/Lavador do Pára-Brisa Dianteiro, Controles . . . 48
Auxílio de Partida a Éter . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35 Limpeza dos Vidros da Cabine . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18
Bloqueio do Diferencial . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43 Líquido de Arrefecimento
Controle Automático de Temperatura . . . . . . . . . . . . . 54 Condicionador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 302
Controle da PTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44 Especificação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 280
Controle de Deslocamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51 Filtro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 302
Eixo Dianteiro Suspenso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50 Nível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 288, 294
Faróis de Estrada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36 Líquido de Arrefecimento do Motor, Aquecedor . . . . . . . 116
Farol Alto/Baixo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32 Líquido de Arrefecimento,Troca . . . . . . . . . . . . . . . 314, 315
Limpador Traseiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48 Lubrificação e Manutenção, Tabela . . . . . . . . . . . . . . . . 284
Luz de Balizamento/Estroboscópica . . . . . . . . . . . . . . 50 Luz de Balizamento/Estroboscópica, Interruptor . . . . . . . 50
Luz de Direção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31 Luz de Direção
Luzes de Advertência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36 Indicadores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32
Luzes de Serviço . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35 Interruptor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31
MFD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42 Luz de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 62
Modo Automático do Comando Hidráulico Remoto . . . 44 Luz de Sinalização de Veículo Largo
Mudança Automática de Marchas . . . . . . . . . . . . . . . . 43 Ajuste . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23
Mudança Programável de Marchas . . . . . . . . . . . . . . . 42 Luz do Teto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61
Subir/Descer do Engate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40 Luzes de Advertência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21
Interruptor da Velocidade Constante do Motor . . . . . . . . . 51 Interruptor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
Interruptor de Posição do Implemento . . . . . . . . . . . . . . 100 Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22
Interruptor do Ar Condicionado (Std) . . . . . . . . . . . . . . . . 49 Luzes de Serviço
Interruptor do Engate, Operação à Distância . . . . . . . . . 170 Interruptor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35

369
Luzes de Sinalização do Implemento . . . . . . . . . . . . . . . .24 Distância, Informações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 101
Luzes e Lâmpadas, Especificações . . . . . . . . . . . . . . . . .338 Edição da Área . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 99
Luzes Indicadoras de Serviço . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .110 Fluxo Hidráulico da Válvula Remota . . . . . . . . . . . . . 107
Luzes, Substituição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .342 Funções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 95
Funções de Manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 103
M Temporizadores das Válvulas Remotas . . . . . . . . . . . 105
Macaco, Pontos de Aplicação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .267 Timer (Cronômetro) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 102
Mangueiras, Acopladores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .199 Monitor de desempenho
Mangueiras, Admissão de Ar do Motor . . . . . . . . . . . . . .293 Teclado, Funções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94
Mangueiras, Sistema de Arrefecimento . . . . . . . . . . . . . .302 Monitor de Desempenho do Trator . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94
Mantenedor de Calor do Óleo da Transmissão . . . . . . . .117 Monitor de Manutenção do Filtro de Ar do Motor . . . . . . 307
Manutenção Montagem da Roda Dianteira, Torques . . . . . . . . . 252, 255
Filtro de Ar do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .307 Mostrador de Dados Funcionais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67
Funções no Monitor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .103 Mostrador Digital da Temperatura (CAT) . . . . . . . . . . . . . 55
Intervalos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .283 Mostrador Programável . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67, 68
Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .12 Altura de Ejeção do Engate Traseiro . . . . . . . . . . . . . . 81
Tabela . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .284 Exibições de Avisos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 88
Tela de Lembrete . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .104 Exibições de Avisos Críticos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 88
Manutenção de Aros e Pneus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .245 Exibições de Avisos de Diagnóstico . . . . . . . . . . . . . . 91
Manutenção do Sistema de Baterias . . . . . . . . . . . . . . . .339 Exibições de Avisos Informativos . . . . . . . . . . . . . . . . 93
Manutenção, Recomendações de Viscosidade do Óleo .279 Exibições de Avisos Não Críticos . . . . . . . . . . . . . . . . 89
Marchas Extensão da Válvula Hidráulica Remota . . . . . . . . . . . 78
Correspondência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .125 Funções do Teclado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 70
Mudança Automática (Autoshift) . . . . . . . . . . . . . . . . .127 Modo Programação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 71
Mudança de Ida e Volta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .125 Mudança Programável de Marchas, Alteração do Valor 86
Seleção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .38 Programação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 71
Seleção com o Trator em Movimento . . . . . . . . . . . . .124 Programação Automática do Raio . . . . . . . . . . . . . . . . 76
Seleção com o Trator Parado . . . . . . . . . . . . . . . . . . .124 Programação do Raio do Pneu . . . . . . . . . . . . . . . . . . 73
Super Redutor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .130 Retração da Válvula Hidráulica Remota . . . . . . . . . . . 78
Marchas Padrão da Transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . .122 Sensor de Velocidade Real de Avanço no Solo
Maximum Cooling Zone - ATC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .54 (Radar) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 83
Maximum Heating Zone - ATC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .54 Teclado, Funções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 70
Medição da Patinagem das Rodas . . . . . . . . . . . . . . . . .247 Unidades de Medida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 71
Meio Ambiente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .277 Mostradores de Gráficos de Barra . . . . . . . . . . . . . . . . . 110
MFD Motor
Batentes de Direção e Oscilação . . . . . . . . . . . . . . . .257 Amortecedor de Vibrações, Virabrequim . . . . . . . . . . 319
Eixo Suspenso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .132 Aquecedor do Líquido de Arrefecimento . . . . . . . . . . 116
Graxeiras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .298 Bomba Injetora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 319
Interruptor da MFD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .42 Filtro de Ar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 307
Nível de Óleo do Diferencial . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .301 Instruções para Antes de Ligar o Motor . . . . . . . . . . . 109
Nível de Óleo do Planetário . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .301 Limpeza do Filtro de Ar Primário . . . . . . . . . . . . . . . . 322
Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .226 Mangueiras de Admissão de Ar . . . . . . . . . . . . . . . . . 293
Operação em Modo Automático . . . . . . . . . . . . . . . . .227 Nível de Óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 288
Operação em Modo Manual . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .227 Nível do Líquido de Arrefecimento . . . . . . . . . . . 288, 294
Paradas Auxiliadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 Partida com Éter . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 118
Troca de Óleo do Planetário . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .312 Procedimento de Parada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 114
Troca do Óleo do Diferencial . . . . . . . . . . . . . . . . . . .311 Procedimento Normal de Partida . . . . . . . . . . . . . . . . 112
MFD (Tração Dianteira Mecânica) . . . . . . . . . . . . . . . . . .250 Regulagem das Válvulas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 313
Modo Automático, Resumo Operacional Sistema CAT . . .57 Sistema de Combustível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 303
Modo Automático, Sistema CAT . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .56 Troca da Correia do Ventilador . . . . . . . . . . . . . . . . . 329
Modo de Programação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .71 Troca do Filtro de Ar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 308
Modo Descongelar/Desembaçar, Resumo Operacional Troca do Filtro de Óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 296
Sistema CAT . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .58 Troca do Óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 295
Modo Descongelar/Desembaçar, Sistema CAT . . . . . . . . .56 Velocidade Constante . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 135
Monitor de Desempenho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .65 Motor, Especificações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 357
Área, Informações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .98 Motores Hidráulicos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 205
Cronômetro (Timer) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .102 Mudança Automática de Marchas (Autoshift) . . . . . . . . . 127

370
Interruptor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43 Partida a Frio
Mudança de Marcha de Ida e Volta . . . . . . . . . . . . . . . . 125 Auxílio de Partida a Éter . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35
Mudança de Marchas Partida do Motor Com Éter . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 118
Alavanca de Controle da Transmissão, Partida do Motor, Procedimento Normal . . . . . . . . . . . . 112
Indicador de Posição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67 Patinagem das Rodas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 96, 247
Alteração do Valor Programável . . . . . . . . . . . . . . . . . 86 Medição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 247
Interruptor da Mudança Programável . . . . . . . . . . . . . . 42 Patinagem, Ajuste do Limite . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 182
Mudança Programável de Marchas, Alteração do Valor . . 86 Patinagem, Controle do Limite . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 181
Patinagem, Limite . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 97
N Peças de Plástico e Resina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 277
Nivelamento do Implemento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 159 Pedais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
Acelerador de Pé . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34
O Avanço Gradual . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
Óleo da Transmissão Freios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
Nível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 289 Inclinação/Telescópico da Coluna da Direção . . . . . . . 33
Troca . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 316 Intertravamento dos Pedais dos Freios . . . . . . . . . . . . 33
Óleo da Transmissão, Mantenedor de Calor . . . . . . . . . . 117 Pesos das Rodas Traseiras, Regras de Lastreamento e
Óleo do Diferencial Instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 241
Nível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 301 Pesos Dianteiros, Instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 238
Troca . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 311 Pesos Dianteiros, Regras de Lastreamento e Instalação 238
Óleo do Motor Pesos Máximos de Operação Recomendados . . . . . . . . 362
Nível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 288 Pessoal
Troca . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 295 Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
Óleo do Motor, Especificações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 278 PIN e Números de Série . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3
Óleo do Planetário Planetário
Nível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 301 Nível de Óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 301
Troca . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 312 Troca do Óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 312
Óleo Hidráulico, Nível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 289 Pneu
Óleo, Recomendações de Viscosidade/Temperatura . . . 279 Programação Automática do Raio . . . . . . . . . . . . . . . . 76
Operação à Distância do Interruptor do Engate . . . . . . . 170 Programação do Raio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 73
Operação Automática de Campo (AFO), Autoshift . . . . . 127 Programação Manual do Raio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 73
Operação Automática de Estrada (ARO), Autoshift . . . . . 129 Raio de Rolamento Dinâmico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 76
Operação da Máquina Pneus
Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13 Carga e Pressão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 234
Operação da Mudança Automática de Marchas Diretrizes de Lastreamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 233
(Autoshift) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 127 Especificações de Calibragem . . . . . . . . . . . . . . . . . 246
Operação da Tomada de Força (PTO) . . . . . . . . . . . . . . 147 Instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 245
Operação da Ventilação para Controle de Temperatura Lastro Líquido . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 244
Standard . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53 Pressão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 234
Operação das Luzes de Advertência . . . . . . . . . . . . . . . . 22 Procedimento para Calibragem . . . . . . . . . . . . . . . . . 234
Operação do Controle Automático de Temperatura . . . . . 56 Tabela do Raio Médio de Rolamento . . . . . . . . . . . . . 75
Operação do Engate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 172 Verificação da Pressão de Ar . . . . . . . . . . . . . . . . . . 246
Operação do Engate em Controle de Carga . . . . . . . . . . 180 Pneus e Aros, Manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 245
Operação do Engate em Controle de Posição . . . . . . . . 178 Porta da Cabine
Operação em Temperaturas Baixas . . . . . . . . . . . . . . . . 115 Trava . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27
Operador Porta de Manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 283
Banco com Suspensão a Ar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28 Posição da Profundidade, Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . 45
Oscilação MFD, Batentes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 257 Posição do Engate
Oscilação, Limitadores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 163 Bloqueio do Controle Para Transporte . . . . . . . . . . . . 41
Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40
Posição do Engate, Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 173
P
Posição do Engate, Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 178
Pára-Brisa Dianteiro, Controles do Limpador/Lavador . . . 48
Posição do Implemento, Interruptor . . . . . . . . . . . . . . . . 100
Parada do Motor, procedimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 114
Posições das Bitolas entre Rodas, Eixo Dianteiro MFD . 251
Pára-Lama das Rodas Dianteiras . . . . . . . . . . . . . . . . . . 260
Posições das Bitolas entre Rodas, MFD com Duplos . . . 253
Pára-Lama Dianteiro, Posições de Montagem . . . . . . . . 261
Posições de Montagem do Pára-Lama Dianteiro . . . . . . 261
Partida
Power Shift (Transmissão Automática) . . . . . . . . . . . . . 121
Chave da Ignição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36

371
Preparação da Barra de Tração . . . . . . . . . . . . . . . . . . .184 Respiro do Sistema Hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 318
Pressão dos Pneus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .234 Retração da Válvula Hidráulica Remota, Alteração
Pressão dos Pneus, Verificação . . . . . . . . . . . . . . . . . . .246 dos Valores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 78
Prevenção Contra Incêndio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .332 Retrovisor
Procedimento de Calibração da Velocidade Real de Espelho Interno . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18
Avanço (Radar) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .83 Retrovisor Interno . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63
Procedimento de Parada do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . .114 Retrovisores Externos Extensíveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63
Procedimento Normal de Partida do Motor . . . . . . . . . . .112 Roda Dianteira, Torques de Montagem . . . . . . . . . 252, 255
Produtos Químicos Perigosos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .14 Roda Traseira Simples, Instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . 264
Profundidade Roda Traseira, Cubo de Embuchamento Cônico . . . . . . 264
Controle da Posição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .45 Rodado Duplo, Ajuste da Bitola Traseira . . . . . . . . . . . . 270
Profundidade do Implemento, Limitador de Controle . . . .174 Rodado Simples, Ajuste da Bitola Traseira . . . . . . . 268, 269
Programação Automática do Raio do Pneu . . . . . . . . . . . .76 Rodas
Programação do Mostrador Programável . . . . . . . . . . . . .71 Medição da Patinagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 247
Programação do Raio do Pneu . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .73 Patinagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 96, 247
Programação Manual do Raio do Pneu . . . . . . . . . . . . . . .73 Rodas Dianteiras, Ajuste da Convergência . . . . . . . . . . . 256
Proteção de Segurança da PTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . .145 Rodas Dianteiras, Bitolas com Eixo MFD . . . . . . . . . . . . 251
Protetor de Sol . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .62 Rodas Dianteiras, Bitolas com Eixo MFD com Duplos . . 253
PTO Rodas Dianteiras, Pára-Lamas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 260
Acoplamento de Equipamento . . . . . . . . . . . . . . . . . .146 Rodas Traseiras Duplas, Instalação . . . . . . . . . . . . . . . . 266
Control Switch . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .44 Rodas Traseiras, Pesos de Lastro . . . . . . . . . . . . . . . . . 241
Interruptor de Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .44 ROPS
Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .147 Estrutura de Proteção para Capotamento . . . . . . . . . . 17
Proteção de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .145 Regras de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17
Segurança na Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .143
Substituição do Eixo Intercambiável . . . . . . . . . . . . . .150 S
PTO (Tomada de Força) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .143 Saídas de Ar/Desembaçador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 60
PTO, Desengate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .149 Salto de Força . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 249
PTO, Engate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .147 Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7
Adesivos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15
Q Ajuste da Luz de Sinalização de Veículo Largo . . . . . . 23
Quinto Controle do Fluxo Remoto . . . . . . . . . . . . . . . . . . .39 Banco de Instrução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
Quinto Controle Remoto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .38 Capotamento do Trator . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17
Cinto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 330
R Cintos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 111
Radar Cintos de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19
Sensor Calibration . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .82 Corrente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25
Radar, Calibração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .83 Estrutura de Proteção para Capotamento (ROPS) . . . . 17
Radiador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .325 Luzes de Advertência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21
Rádio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .62 Luzes de Sinalização do Implemento . . . . . . . . . . . . . 24
Raio de Rolamento Dinâmico do Pneu . . . . . . . . . . . . . . .76 Prevenção Contra Incêndio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 332
Raio do Pneu Produtos Químicos Perigosos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14
Programação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .73 Regras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7–10
Programação Automática . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .76 Regras de Segurança ROPS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17
Programação Manual . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .73 Sinalização de Veículo Largo do Implemento . . . . . . . 24
Raio de Rolamento Dinâmico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .76 Sinalização de Veículo Lento (SMV) . . . . . . . . . . . . . . 21
Raio dos Pneus Segurança Contra Incêndio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12
Tabela do Raio Médio de Rolamento . . . . . . . . . . . . . .75 Segurança das Baterias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13
Reboque do Trator . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .137 Segurança na Manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12
Reboque, Conector do Freio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .218 Segurança na Operação da Máquina e Capotamento . . . . 13
Reciclagem de Baterias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .340 Segurança na Operação da PTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . 143
Regras de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7 Segurança Pessoal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
ROPS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .17 Segurança, Corrente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 189
Regras Gerais de Lastreamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . .238 Seleção da Direção de Deslocamento com o Trator
Regulagem das Válvulas do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . .313 Parado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 124
Remoto, Sistema Hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .197 Seleção de Marchas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38
Resfriador de Combustível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .306 Seleção de Marchas com o Trator em Movimento . . . . . 124

372
Seleção de Marchas com o Trator Parado . . . . . . . . . . . 124 T
Sensor de Velocidade Real de Avanço no Solo, Tabela do Raio Médio de Rolamento dos Pneus . . . . . . . 75
Calibração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 83 Tanque de Combustível
Sensor de Velocidade Real, Conector . . . . . . . . . . . . . . 217 Condensação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 287
Service Válvula de Dreno . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 300
Functions . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 103 Tanque de Desaeração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 294
Serviço Tanque de Produtos Químicos, Montagem . . . . . . . . . . 211
Luzes Indicadoras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 110 Teclado do Mostrador Programável, Funções . . . . . . . . . 70
Sinalização de Veículo Largo Temperatura, Controle (A/C Std) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49
Ajuste da Luz . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23 Temperatura, Controle Automático . . . . . . . . . . . . . . . . . 54
Sinalização de Veículo Largo do Implemento . . . . . . . . . . 24 Temperatura, Indicador (CAT) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 55
Sinalização de Veículo Lento (SMV) . . . . . . . . . . . . . . . . . 21 Temperatura, Operação da Ventilação para Controle
Sistema CAT, Diagnóstico de Falhas . . . . . . . . . . . . . . . . 59 Standard . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53
Sistema de Admissão de Ar Temperatura, Operação do Controle Automático . . . . . . . 56
Mangueiras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 293 Temperaturas Baixas, Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . 115
Sistema de Admissão de Ar, Especificações . . . . . . . . . 357 Temporizador da Válvula Hidráulica . . . . . . . . . . . . 45, 201
Sistema de Arrefecimento Temporizadores das Válvulas Remotas, Informações
Condicionador do Líquido de Arrefecimento . . . . . . . . 302 no Monitor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 105
Filtro do Líquido de Arrefecimento . . . . . . . . . . . . . . . 302 Termostato do Sistema de Arrefecimento, Verificação . . 326
Grades . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 325 Timer (Cronômetro) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 102
Líquido . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 280 Toca CD (6-Discos) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 30
Mangueiras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 302 Tomada de Força (PTO) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 143
Nível do Líquido . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 288, 294 Tomada de Força (PTO), Especificações . . . . . . . . . . . . 359
Radiador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 325 Torques de Montagem da Roda Dianteira, Eixo com
Tanque de Desaeração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 294 MFD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 252
Termostato . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 326 Torques de Montagem da Roda Dianteira, MFD com
Sistema de Arrefecimento, Especificações . . . . . . . . . . . 357 Duplos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 255
Sistema de Combustível Torques dos Parafusos das Rodas Dianteiras e
Bomba Injetora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 319 Traseiras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 297
Filtro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 304 Tração Dianteira Mecânica (MFD) . . . . . . . . . . . . . . . . . 250
Filtro Separador de Água . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 290 Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 226
Manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 303 Tração Dianteira Mecânica (MFD), Especificações . . . . 358
Remoção de Ar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 305 Transmissão
Tanque . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 287 Alavanca de Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31
Sistema de Combustível, Especificações . . . . . . . . . . . . 357 Alavanca de Controle, Indicador de Posição . . . . . . . . 67
Sistema de Controle Automático de Temperatura . . . . . . . 54 Autoshift . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 127
Sistema de Engate de Três Pontos . . . . . . . . . . . . . . . . . 156 Componentes Operacionais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 122
Sistema de Engate Traseiro, Especificações . . . . . . . . . 359 Correspondência de Marchas . . . . . . . . . . . . . . . . . . 125
Sistema de Lubrificação, Especificações . . . . . . . . . . . . 357 Diagnóstico de Falhas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 126
Sistema do Freio de Estacionamento, Especificações . . 358 Filtro Principal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 317
Sistema Elétrico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 333 Filtro Regulado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 318
Conexões Auxiliares . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 213 Mantenedor de Calor do Óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . 117
Sistema Eletrônico de Engate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 172 Marchas Padrão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 122
Sistema Hidráulico Mudança Automática de Marchas (Autoshift) . . . . . . 127
Alavancas do Controle Remoto . . . . . . . . . . . . . . . . . 197 Mudança de Marcha de Ida e Volta . . . . . . . . . . . . . . 125
Respiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 318 Mudança Programável de Marchas . . . . . . . . . . . . . . . 86
Válvulas Remotas e Acopladores . . . . . . . . . . . . . . . 198 Nível de Óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 289
Sistema Hidráulico Remoto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 197 Operação Automática de Campo (AFO) . . . . . . . . . . 127
Sistema Hidráulico Remoto, Especificações . . . . . . . . . . 358 Operação Automática de Estrada (ARO) . . . . . . . . . . 129
Sistemas, Capacidades . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 278 Seleção da Direção de Deslocamento, Trator Parado 124
Substituição do Eixo Intercambiável da PTO . . . . . . . . . 150 Seleção de Marchas, Trator em Movimento . . . . . . . 124
Super Redutor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 130 Seleção de Marchas, Trator Parado . . . . . . . . . . . . . 124
Super Redutor, Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44 Super Redutor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 130
Switch Troca do Óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 316
PTO Control . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44 Transmissão Automática (Power Shift) . . . . . . . . . . . . . 121
Transmissão, Especificações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 358
Transporte do Trator . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 140

373
Transporte, Trava do Engate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .174 Fluxo Hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 107
Trator Fluxo Variável . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 201
Acesso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .27 Válvula Remota, Verificação da Carga . . . . . . . . . . . . . . 198
Armazenamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .331 Válvulas do Motor, Regulagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 313
Capotamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .17 Válvulas Remotas
Trator, Monitor de Desempenho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .94 Temporizadores, Informações no Monitor . . . . . . . . . 105
Trator, Reboque . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .137 Válvulas Remotas e Acopladores . . . . . . . . . . . . . . . . . . 198
Trator, Transporte . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .140 Veículo Largo
Trava da Porta da Cabine . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .27 Ajuste da Luz de Sinalização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23
Trava de Acoplamento Rápido, Ajuste . . . . . . . . . . . . . .169 Velocidade Constante do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 135
Trava de Impacto Automática . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .187 Velocidade Constante do Motor, Ajuste . . . . . . . . . . . . . . 52
Trava de Transporte do Engate, Engate Velocidade Constante do Motor, Interruptor . . . . . . . . . . . 51
Trava de Transporte . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .174 Velocidade de Descida do Engate, Controle . . . . . . . 46, 175
Trem de Força, Especificações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .358 Velocidade do Ventilador, Controle (A/C Std) . . . . . . . . . . 49
Velocidade do Ventilador, Controle (CAT) . . . . . . . . . . . . 55
U Velocidade Real de Avanço no Solo, Calibração do
Unidades de Medida do Mostrador Programável . . . . . . . .71 Sensor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 83
Velocidades de Deslocamento, Especificações . . . . . . . 360
V Ventilação para Controle de Temperatura Standard,
Válvula de Dreno, Tanque de Combustível . . . . . . . . . . .300 Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53
Válvula de Poeira, Filtro de Ar da Cabine . . . . . . . . . . . .321 Ventilador, Controle da Velocidade (A/C Std) . . . . . . . . . . 49
Válvula Hidráulica Remota Ventilador, Controle da Velocidade (CAT) . . . . . . . . . . . . 55
Alteração dos Valores de Extensão/Retração . . . . . . . .78 Ventilador, Troca da Correia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 329
Extensão, Alteração dos Valores . . . . . . . . . . . . . . . . .78 Vidros da Cabine
Retração, Alteração dos Valores . . . . . . . . . . . . . . . . .78 Limpeza . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18
Válvula Hidráulica, Temporizador . . . . . . . . . . . . . . .45, 201 Virabrequim, Amortecedor de Vibrações . . . . . . . . . . . . 319
Válvula Remota Viscosidade do Óleo, Recomendações . . . . . . . . . . . . . 279
Controle da Função . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .203

374