Você está na página 1de 18

ESTRUTURA ELETRÔNICA DOS

SÓLIDOS

Novembro de 2015
ESTRUTURA ELETRÔNICA DOS SÓLIDOS

 O elétron em um ÁTOMO apresenta a seguinte configuração em subníveis


de energia:

2
ESTRUTURA ELETRÔNICA DOS SÓLIDOS
SITUAÇÃO I – LIGAÇAO ENTRE DOIS ÁTOMOS
 Quando dois átomos se ligam, seus orbitais atômicos se encontram, combinando-se
para formar novos estados de energia.

• OA: orbitais atômicos


• OM: combinação de orbitais
• σ: orbital sigma (penetração frontal de orbitais)
• : orbital pi (superposição lateral de orbitais)
• *: orbital antiligante
ESTRUTURA ELETRÔNICA DOS SÓLIDOS
 EXEMPLO 1: Be2

Be 1s2 2s2 Elétrons de valência: Diretamente envolvidos na ligação


ESTRUTURA ELETRÔNICA DOS SÓLIDOS
ESTRUTURA ELETRÔNICA DOS SÓLIDOS

SITUAÇÃO II – LIGAÇAO ENTRE N ÁTOMOS


 À medida que os átomos vão se aproximando para formar os sólidos, seus orbitais
vão se encontrando e os níveis de energia se alterando.
Orbitais moleculares em espécies envolvendo N átomos de Na
Banda de
condução

Banda: Conjunto
de orbitais com
energias muito
próximas

Banda de
valência
ESTRUTURA ELETRÔNICA DOS SÓLIDOS

 O preenchimento da estrutura de bandas deve obedecer ao princípio de exclusão


de Pauli.
 Ao preencher a estrutura com os elétrons disponíveis, surgem as possibilidades de
preenchimento das bandas.

Ef - Energia de Fermi - o último nível de energia ocupado por elétrons


ESTRUTURA ELETRÔNICA DOS SÓLIDOS

 EXEMPLO 2: Al

1000 átomos de Al = 3000 e- = 1500 pares (1500 OML)

1500 pares de e- em 2000 OML = ¾ da banda de


valência preenchida

 EXEMPLO 3: Si

1000 átomos de Si = 4000 e- = 2000 pares (2000 OML)

2000 pares de e- em 2000 OML = Banda de valência


TOTALMENTE preenchida
CONDUTIVIDADE ELÉTRICA
CONDUTIVIDADE: Propriedade que determinados materiais têm de transportar cargas
elétricas ao longo de sua rede de átomos

 A última banda de energia Banda de condução

permitida com elétrons em um


METAL (CONDUTOR) é Banda vazia
parcialmente preenchida.

Energia
Níveis vazios
 Dessa forma, os elétrons possuem
estados de energia disponíveis Nível de Fermi
(NÍVEIS VAZIOS) logo acima da Níveis ocupados
energia de Fermi. Banda de valência

 Qualquer energia que eles absorvam, os permitirá sofrer transições e conduzir.


CONDUTIVIDADE ELÉTRICA

 A última banda de energia


permitida com elétrons em um
SEMICONDUTOR OU ISOLANTE é
completamente preenchida.

 Para que os elétrons possam


alcançar outros estados de
energia, eles devem absorver uma
quantidade mínima de energia
correspondente ao espaçamento
entre as bandas de valência (BV) e
de condução (BC), chamada
energia de band gap.
CONDUTIVIDADE ELÉTRICA

CONDUTORES
CONDUTIVIDADE ELÉTRICA
 A condutividade nos metais é muito alta;
 A condutividade nos isolantes é muito baixa;
 A condutividade nos semicondutores depende fortemente da temperatura.

SEMICONDUTORES
Band gap = 0.5 a
3.0 eV

Elevado band gap

ISOLANTE
CONDUTIVIDADE ELÉTRICA - SEMICONDUTORES

 Os materiais semicondutores são covalentes, ou seja, a


ligação entre os átomos se dá através do compartilhamento
de elétrons. Assim, à 0 K, o semicondutor é um isolante.

 Em temperaturas acima de 0 K, alguns elétrons das ligações


absorvem energia térmica e são liberados, ficando “livres”
na rede para conduzir. Ao deixar a ligação, há a formação de
um “buraco”, que também conduz.
CONDUTIVIDADE ELÉTRICA - SEMICONDUTORES

 Impurezas dopantes:

Implantação de Implantação de
buracos na banda elétrons
de valência na banda de
condução
CONDUTIVIDADE ELÉTRICA - SUPERCONDUTORES

 1911: Kammerlingh Onnes descobriu que o Hg, quando resfriado abaixo de 4,2 K,
NÃO apresenta resistência ao fluxo de corrente elétrica.

 Cientistas têm descoberto uma classe de materiais que NÃO exibem “atrito” ao
fluxo de elétrons, os SUPERCONDUTORES

 SUPERCONDUTORES: Materiais que apresentam, simultaneamente, duas


propriedades
 Baixíssima (quase nula) RESISTÊNCIA à passagem de corrente elétrica

Estado no qual o material apresenta uma


 DIAMAGNETISMO perfeito orientação de campo magnético OPOSTA à
aplicada externamente: Efeito Meissner

 Temperatura crítica (TC): Temperatura na qual o material transiciona do estado


normal para o estado supercondutor
CONDUTIVIDADE ELÉTRICA - SUPERCONDUTORES

 CONDUTOR: Corrente elétrica diminui rapidamente devido à resistência do material à


passagem dessa corrente.

 SUPERCONDUTORES: Conduzem eletricidade com praticamente nenhuma resistência, nada


da energia elétrica é perdida quando ela flui através de um supercondutor.

 1986: Metais e ligas metálicas e semicondutores Supercondutores de Tc ou LTS (low-


dopados (TC 23 K ou -250 °C) temperature superconductor)

Evolução do valor da Tc dos materiais


supercondutores : o gráfico mostra uma
variação abrupta a partir dos materiais do tipo
La2-xBaxCuO4, reportados por pesquisadores
suíços em 1986.
APLICAÇÕES- SUPERCONDUTORES

 As aplicações tecnológicas dos materiais supercondutores estão relacionadas às


quatro vantagens que eles têm sobre os condutores:

 Conduzem eletricidade sem perda de energia, permitindo criar mecanismos


com rendimentos extraordinários;

 Não dissipam calor, implicando na redução expressiva dos circuitos elétricos;

 Têm capacidade elevada de gerar campos magnéticos muito intensos;

 Podem ser usados para fabricar chaves supercondutoras (junções Josephson),


que semelhantemente aos transistores, podem comutar cem vezes mais
rápido que os mesmos.
APLICAÇÕES- SUPERCONDUTORES

 As aplicações tecnológicas dos supercondutores podem ser agrupadas em dois


tipos: PEQUENA e GRANDE ESCALA.

 PEQUENA ESCALA: aplicações em biomedicina, metrologia, geofísica, processamento digital e


dispositivos (sensores e detectores)

 GRANDE ESCALA: magnetos multifilamentares para diversas aplicações em física de altas


energias, imagens por ressonância magnética (MRI), reatores de fusão nuclear, geradores de
magnetohidrodinâmica (MHD), usinas de armazenamento de energia e magnetos para
separação magnética.

 Há importantes aplicações sendo desenvolvidas em termos de máquinas, motores elétricos e


cabos/linhas de transmissão. Entretanto, as aplicações da supercondutividade que mais se
destacam são aquelas relacionadas com veículos que levitam, como por exemplo, o trem
chamado de MAGLEV (magnetic levitation).