Você está na página 1de 6

Língua Portuguesa – Gramática 2020/01

PROFESSOR: Paulo Ricardo


ALUN@:_______________________________________________
DATA: ______/________/2020.
Questão 01 - (UniRV GO) rendimentos 31 associados à propriedade da terra,
Nestas frases, a classificação morfológica do “a” é sendo 32 portanto um dos fatores que levaram ........
artigo. Coloque (V) verdadeiro ou (F) falso. 33
Revolução Francesa. Para evitar que 34 torvelinho
similar vitimasse o Reino Unido, 35 Malthus
a) Sou amiga de Juliana e a vi hoje. argumentou que toda assistência aos 36 pobres
b) Vou viajar daqui a três dias. deveria ser suspensa de imediato e a 37 taxa de
c) A casa é projetada para resistir aos natalidade deveria ser severamente 38 controlada.
vendavais. 39
Já David Ricardo, que publicou em 1817 os 40
d) Ontem vi a tarefa que Marcos realizou. seus Princípios de economia política e tributação, 41
preocupava-se com a evolução do preço da 42 terra.
Questão 02 - (UEA AM) Se o crescimento da população e, 43

Assim como a mais importante fase da literatura consequentemente, da produção agrícola se 44


brasileira, em poesia, foi a romântica na segunda prolongasse, a terra tenderia a se tornar 45 escassa.
metade do século XIX, a mais significativa, em De acordo com a lei da oferta e da 46 procura, o
prosa, foi aquela inaugurada por José Américo de preço do bem escasso – a terra – 47 deveria subir de
Almeida, em 1928, com A bagaceira. É ___________ modo contínuo. No limite, os 48 donos da terra
este período (década de 1930, basicamente) que receberiam uma parte cada 49 vez mais significativa
corresponde ___________ notável literatura regional da renda nacional, e o 50 restante da população,
do Nordeste brasileiro. E é __________ este período uma parte cada vez 51 mais reduzida, destruindo o
que pertence ___________ ciclo da cana-de-açúcar equilíbrio social. 52 De fato, o valor da terra
de José Lins do Rego, o mais importante escritor permaneceu alto por 53 algum tempo, mas, ao longo
regional de nossa literatura. de século XIX, 54 caiu em relação ........ outras
(Ivan Cavalcanti Proença. “Apresentação”. In: José formas de 55 riqueza, à medida que diminuía o peso
Lins do Rego. Menino de engenho, 2013. da 56 agricultura na renda das nações. Escrevendo
Adaptado.) 57
nos anos de 1810, Ricardo não poderia 58 antever
a importância que o progresso 59 tecnológico e o
Assinale a alternativa que preenche, correta e crescimento industrial teriam 60 ao longo das
respectivamente, as lacunas do texto. décadas seguintes para a 61 evolução da
distribuição da renda.
a) a – a – a – o Adaptado de: PIKETTY, T. O Capital no Século XXI.
b) à – a – à – o Trad. de M.
c) a – à – a – ao B. de Bolle. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2014. p.11-
d) à – a – a – o 13.
e) a – à – à – ao
Questão 03 - (UFRGS)
TEXTO: 1 - Comum à questão: 3 Assinale a alternativa que preenche corretamente
01
Quando a economia política clássica 02 nasceu, no as lacunas nas referências 17, 32 e 54, nesta
Reino Unido e na França, ao final 03 do século XVIII ordem.
e início do século XIX, a 04 questão da distribuição
da renda já se 05 encontrava no centro de todas as a) às – à – a
análises. 06 Estava claro que transformações b) as – à – a
radicais 07 entraram em curso, propelidas pelo 08 c) às – à – à
crescimento demográfico sustentado – inédito 09 até d) às – a – à
então – e pelo início do êxodo rural e da 10 e) as – a – a
Revolução Industrial. Quais seriam as 11

consequências sociais dessas mudanças? TEXTO: 2 - Comum à questão: 4


12
Para Thomas Malthus, que publicou em 13 1798 Você conseguiria ficar 99 dias sem o Facebook?
seu Ensaio sobre o princípio da 14 população, não
restava dúvida: a 15 superpopulação era uma Uma organização não governamental holandesa
ameaça. 16 Preocupava-se especialmente com a está propondo um desafio que muitos poderão
situação 17 dos franceses ........ vésperas da considerar impossível: ficar 99 dias sem dar nem
Revolução de 18 1789, quando havia miséria uma “olhadinha” no Facebook. O objetivo é medir o
generalizada no 19 campo. Na época, a França era grau de felicidade dos usuários longe da rede
de longe o 20 país mais populoso da Europa: por social.
volta de 21 1700, já contava com mais de 20 O projeto também é uma resposta aos
milhões de 22 habitantes, enquanto o Reino Unido experimentos psicológicos realizados pelo próprio
tinha 23 pouco mais de 8 milhões de pessoas. A 24 Facebook. A diferença neste caso é que o teste é
população francesa se expandiu em ritmo 25 completamente voluntário. Ironicamente, para
crescente ao longo do século XVIII, 26 aproximando- poder participar, o usuário deve trocar a foto do
se dos 30 milhões. Tudo leva a 27 crer que esse perfil no Facebook e postar um contador na rede
dinamismo demográfico, 28 desconhecido nos social.
séculos anteriores, 29 contribuiu para a estagnação Os pesquisadores irão avaliar o grau de satisfação
dos salários no 30 campo e para o aumento dos e felicidade dos participantes no 33.º dia, no 66.º e
no último dia da abstinência. 17
Durante todo o século XVIII, os filósofos 18 do
Os responsáveis apontam que os usuários do Iluminismo questionaram esses 19 pressupostos, e
Facebook gastam em média 17 minutos por dia na os panfletistas profissionais 20 conseguiram
rede social. Em 99 dias sem acesso, a soma média empanar a aura sagrada da coroa. 21 Contudo, a
seria equivalente a mais de 28 horas, que poderiam desmontagem do quadro mental 22 do Antigo
ser utilizadas em “atividades emocionalmente mais Regime demandou violência 23
iconoclasta,
realizadoras”. 24
destruidora do mundo, revolucionária.
(http://codigofonte.uol.com.br. Adaptado.) 25
Seria ótimo se pudéssemos associar a 26
Revolução exclusivamente à Declaração dos 27
Questão 04 - (UNIFESP SP) Direitos do Homem e do Cidadão, mas ela 28 nasceu
Examine as passagens do primeiro parágrafo do na violência e imprimiu seus princípios 29 em um
texto: mundo violento. Os conquistadores da 30 Bastilha
não se limitaram a destruir um 31 símbolo do
• “Uma organização não governamental holandesa despotismo real. Entre eles, 150 32 foram mortos ou
está propondo um desafio” feridos no assalto à prisão e, 33 quando os
• “O objetivo é medir o grau de felicidade dos sobreviventes apanharam o 34 diretor, cortaram sua
usuários longe da rede social.” cabeça e desfilaram-na 35 por Paris na ponta de
uma lança.
A utilização dos artigos destacados justifica-se em 36
Como podemos captar esses momentos de 37
razão loucura, quando tudo parecia possível e o 38 mundo
se afigurava como uma tábula rasa, 39 apagada por
a) da retomada de informações que podem ser uma onda de comoção popular e 40 pronta para ser
facilmente depreendidas pelo contexto, sendo redesenhada? Parece incrível 41 que um povo
ambas equivalentes semanticamente. inteiro fosse capaz de se 42 levantar e transformar
b) de informações conhecidas, nas duas as condições da vida 43 cotidiana. Duzentos anos de
ocorrências, sendo possível a troca dos artigos nos experiências com 44 admiráveis mundos novos
enunciados, pois isso não alteraria o sentido do tornaram-nos 45 céticos quanto ao planejamento
texto. social. 46 Retrospectivamente, a Revolução pode 47
c) da generalização, no primeiro caso, com a parecer um prelúdio ao totalitarismo.
introdução de informação conhecida, e da 48
Pode ser. Mas um excesso de visão 49 histórica
especificação, no segundo, com informação nova. retrospectiva pode distorcer o 50 panorama de
d) da introdução de uma informação nova, no 1789. Os revolucionários 51 franceses não eram
primeiro caso, e da retomada de uma informação já nossos contemporâneos. 52 E eram um conjunto de
conhecida, no segundo. pessoas não 53 excepcionais em circunstâncias
e) de informações novas, nas duas ocorrências, excepcionais. 54
Quando as coisas se
motivo pelo qual são introduzidas de forma mais desintegraram, eles 55 reagiram a uma necessidade
generalizada. imperiosa de 56 dar-lhes sentido, ordenando a
sociedade 57 segundo novos princípios. Esses
Questão 05 - (EsPCEX) princípios 58 ainda permanecem como uma
Assinale a única opção em que a palavra “a” é denúncia da 59 tirania e da injustiça. Afinal, em que
artigo. estava 60 empenhada a Revolução Francesa?
Liberdade, 61 igualdade, fraternidade.
a) Hoje, ele veio a falar comigo. Adaptado de: DARNTON, Robert. O beijo de
b) Essa caneta não é a que te emprestei. Lamourette.
c) Convenci-a com poucas palavras. In: ____. O beijo de Lamourette: mídia, cultura e
d) Obrigou-me a arcar com mais despesas. revolução.
e) Marquei-te a fronte, mísero poeta. São Paulo: Cia. das Letras, 2010. p. 30-39.

TEXTO: 3 - Comum à questão: 6 Questão 06 - (UFRGS)


01
O que havia de tão revolucionário na 02 Revolução Considere as seguintes ocorrências de artigo no
Francesa? Soberania popular, 03 liberdade civil, texto.
igualdade perante a lei – as 04 palavras hoje são
ditas com tanta facilidade 05 que somos incapazes I. O artigo definido na referência15.
de imaginar seu caráter 06 explosivo em 1789. Para II. O artigo definido singular na referência 17.
os franceses do 07 Antigo Regime, os homens eram III. O artigo definido na referência 46.
desiguais, e a 08 desigualdade era uma boa coisa,
adequada à 09 ordem hierárquica que fora posta na Quais poderiam ser omitidos, preservando a
natureza 10 pela própria obra de Deus. A liberdade correção de seus contextos?
11
significava privilégio – isto é, literalmente, “lei 12
privada”, uma prerrogativa especial para fazer 13 a) Apenas I.
algo negado a outras pessoas. O rei, como 14 fonte b) Apenas II.
de toda a lei, distribuía privilégios, pois 15 havia sido c) Apenas III.
ungido como o agente de Deus na 16 terra. d) Apenas I e II.
e) I, II e III. não se está sozinho no mundo, ou que, mesmo
sozinho, vive-se bem desta maneira. Segundo a
TEXTO: 4 - Comum à questão: 7 pesquisa, cada vez mais os espaços público e
________________dois meses, a jornalista britânica privado estão se entrelaçando, gerando novas
Rowenna Davis, 25 anos, foi furtada. Só que não formas de discursividades – sendo os adesivos de
levaram sua carteira ou seu carro, mas sua família um exemplo disso. Segundo a pesquisa, um
identidade virtual. Um hacker invadiu e tomou aspecto importante é que há o estereótipo da
conta de seu e-mail e – além de bisbilhotar suas família (da ‘família feliz’), que teria uma
mensagens e ter acesso a seus dados bancários – constituição pré-determinada (pai-mãe-filho(s)-
passou a escrever aos mais de 5 mil contatos de cachorro) e também o estereótipo de cada um
Rowenna dizendo que ela teria sido assaltada em dentro dessa família.
Madri e pedindo ajuda em dinheiro. De acordo com a pesquisa, porém, em um curto
período de tempo, os adesivos ganharam uma
Quando ela escreveu para seu endereço de e-mail complexidade que está além dos estereótipos
pedindo ao hacker ao menos sua lista de contatos clássicos. Foi o início do processo de customização.
profissionais de volta, Rowenna teve como Começaram a aparecer famílias com dois homens,
resposta a cobrança de R$ 1,4 mil. Ela se negou a duas mulheres, cinco gatos, sete filhos, uma mãe e
pagar, a polícia não fez nada. A jornalista só uma filha, apenas uma pessoa e seus animais de
retomou o controle do e-mail porque um amigo estimação, dentre outros, como forma de enunciar
conhecia um funcionário do provedor da conta, que sua família para a sociedade.
desativou o processo de verificação de senha Fonte: Romulo Orlandini, Adesivos de família são
criado pelo invasor. tendência de formas de
(Galileu, dezembro de 2011. Adaptado.) enunciação pública. ComCiência: revista eletrônica
de
Questão 07 - (UNIFESP SP) Jornalismo Científico, 21/03/2012. Disponível em:
Assinale a alternativa em que, na reescrita do http://www.comciencia.br/comciencia/?
trecho, houve alteração da classe gramatical da section=3&noticia=736. Acesso em: 12 set. 2012.
palavra em destaque. Adaptado.

a) ... mas sua identidade virtual. Questão 08 - (IFSC)


= mas sua identificação virtual. A partir da leitura e análise do fragmento do texto
b) ... que desativou o processo de verificação abaixo, assinale a alternativa CORRETA.
de senha...
= ... o qual desativou o processo de verificação de De acordo com a pesquisa, porém, em um curto
senha... período de tempo os adesivos ganharam uma
c) Só que não levaram sua carteira... complexidade que está além dos estereótipos
= Só que não levaram a carteira dela... clássicos.
d) ... a jornalista britânica Rowenna Davis, 25
anos, foi furtada. Na sequência, as palavras destacadas são
= a britânica Rowenna Davis, 25 anos, foi furtada. morfologicamente classificadas como:
e) ... e ter acesso a seus dados bancários...
= ... e ter acesso a seus dados do banco... a) artigo – verbo – interjeição – advérbio –
adjetivo – adjetivo.
TEXTO: 5 - Comum à questão: 8 b) conjunção – pronome – numeral – advérbio –
Adesivos de família adjetivo – substantivo.
c) preposição – conjunção – artigo –
substantivo – substantivo – adjetivo.
d) conjunção – preposição – artigo –
substantivo – substantivo – substantivo.
e) preposição – preposição – numeral –
substantivo – adjetivo – substantivo.

TEXTO: 6 - Comum à questão: 9


Aí eu me afogo num copo de cerveja

A cena é clássica: rejeitado por sua amada, o


A representação das recentes mudanças na família homem afoga as mágoas na bebida. Embora seja
brasileira pode ser vista em lugares distintos, como típica das novelas, essa história se passa em um
nas novelas, na literatura moderna e, em um laboratório em Maryland, nos Estados Unidos, onde
fenômeno recente, nos adesivos colados nos machos da espécie Drosophila melanogaster – mais
veículos. Uma pesquisa identificou a prática de conhecida como mosca-da-fruta – buscaram prazer
colar adesivos como uma sensação de no álcool após serem desprezados quando
pertencimento, uma necessidade de mostrar que tentavam copular com as fêmeas.
Podemos dizer que onde existe
Durante a pesquisa, foram observados dois grupos diferenciação - ou seja, identidade e diferença – aí
de moscas. No primeiro, os machos eram colocados está presente o poder. A diferenciação é o processo
junto a fêmeas virgens e, após cortejá-las, a cópula central pelo qual a identidade e a diferença são
acontecia sem problemas. Já o segundo grupo era produzidas. Há, entretanto, uma série de outros
formado por machos expostos a fêmeas que já processos que traduzem essa diferenciação ou que
haviam copulado e rejeitavam nova atividade com ela guardam uma estreita relação. São outras
sexual, fugindo e chutando os possíveis parceiros. tantas marcas da presença do poder: incluir/excluir
(“estes pertencem, aqueles não”); demarcar
Logo após a atividade sexual, frustrada ou não, os fronteiras (“nós” e “eles”); classificar (“bons e
dois grupos tinham a possibilidade de ingerir maus”; “puros e impuros”; “desenvolvidos e
líquidos com e sem etanol. Enquanto o primeiro primitivos”; “racionais e irracionais”); normalizar
grupo consumiu a mesma quantidade das duas (“nós somos normais; eles são anormais”).
bebidas, o segundo exibiu uma preferência A afirmação da identidade e a marcação da
significativa pelo líquido com etanol. O objetivo dos diferença implicam, sempre, as operações de incluir
cientistas era entender os mecanismos químicos e de excluir. Como vimos, dizer “o que somos”
envolvidos na busca pelo álcool. significa também dizer “o que não somos”. A
Disponível em: http://cienciahoje.uol.com.br identidade e a diferença se traduzem, assim, em
(adaptado) declarações sobre quem pertence e sobre quem
não pertence, sobre quem está incluído e quem
Questão 09 - (UEMA) está excluído.
A partir da análise linguística do título da matéria, Afirmar a identidade significa demarcar
“Aí eu me afogo num copo de cerveja”, marque a fronteiras, significa fazer distinções entre o que fica
alternativa correta. dentro e o que fica fora. A identidade está sempre
ligada a uma forte separação entre “nós” e “eles”.
a) O vocábulo num assume uma função Essa demarcação de fronteiras, essa separação e
substantiva na frase. distinção, supõem e, ao mesmo tempo, afirmam e
b) O vocábulo aí assume função apositiva na reafirmam relações de poder. (...)Os pronomes
frase. “nós” e “eles” não são, aqui, simples categorias
c) O vocábulo num é resultado da contração de gramaticais, mas evidentes indicadores de
artigo e preposição. posições-desujeito fortemente marcadas por
d) O vocábulo aí é um pronome. relações de poder: dividir o mundo social entre
e) O vocábulo me define-se como pronome “nós” e “eles” significa classificar. O processo de
relativo. classificação é central na vida social.
Ele pode ser entendido como um ato de
TEXTO: 7 - Comum à questão: 10 significação pelo qual dividimos e ordenamos o
A identidade e a diferença: o poder de definir mundo social em grupos, em classes. A identidade
e a diferença estão estreitamente relacionadas às
A identidade e a diferença são o resultado formas pelas quais a sociedade produz e utiliza
de um processo de produção simbólica e discursiva. classificações. As classificações são sempre feitas a
(...) A identidade, tal como a diferença, é uma partir do ponto de vista da identidade. Isto é, as
relação social. Isso significa que sua definição - classes nas quais o mundo social é dividido não são
discursiva e lingüística - está sujeita a vetores de simples agrupamentos simétricos. Dividir e
força, a relações de poder. Elas não são classificar significa, neste caso, também
simplesmente definidas; elas são impostas. Não hierarquizar. Deter o privilégio de classificar
convivem harmoniosamente, lado a lado, em um significa também deter o privilégio de atribuir
campo sem hierarquias; são disputadas. diferentes valores aos grupos assim classificados.
Não se trata, entretanto, apenas do fato de A mais importante forma de classificação é
que a definição da identidade e da diferença seja aquela que se estrutura em torno de oposições
objeto de disputa entre grupos sociais binárias, isto é, em torno de duas classes
simetricamente situados relativamente ao poder. polarizadas. O filósofo francês Jacques Derrida
Na disputa pela identidade está envolvida uma analisou detalhadamente esse processo. Para ele,
disputa mais ampla por outros recursos simbólicos as oposições binárias não expressam uma simples
e materiais da sociedade. A afirmação da divisão do mundo em duas classes simétricas: em
identidade e a enunciação da diferença traduzem o uma oposição binária, um dos termos é sempre
desejo dos diferentes grupos sociais, privilegiado, recebendo um valor positivo, enquanto
assimetricamente situados, de garantir o acesso o outro recebe uma carga negativa. “Nós” e “eles”,
privilegiado aos bens sociais. A identidade e a por exemplo, constitui uma típica oposição binária:
diferença estão, pois, em estreita conexão com não é preciso dizer qual termo é, aqui, privilegiado.
relações de poder. O poder de definir a identidade As relações de identidade e diferença ordenam-se,
e de marcar a diferença não pode ser separado das todas, em torno de oposições binárias:
relações mais amplas de poder. A identidade e a masculino/feminino, branco/negro,
diferença não são, nunca, inocentes. heterossexual/homossexual. Questionar a
identidade e a diferença como relações de poder definido acima negritados?
significa problematizar os binarismos em torno dos
quais elas se organizam.
Fixar uma determinada identidade como a
norma é uma das formas privilegiadas de
hierarquização das identidades e das diferenças. A
normalização é um dos processos mais sutis pelos
quais o poder se manifesta no campo da identidade
e da diferença. Normalizar significa eleger -
arbitrariamente - uma identidade específica como o
parâmetro em relação ao qual as outras
identidades são avaliadas e hierarquizadas.
Normalizar significa atribuir a essa identidade todas
as características positivas possíveis, em relação às
quais as outras identidades só podem ser avaliadas
de forma negativa. A identidade normal é “natural”,
desejável, única. A força da identidade normal é tal
que ela nem sequer é vista como uma identidade,
mas simplesmente como a identidade.
Paradoxalmente, são as outras identidades que são
marcadas como tais. Numa sociedade em que
impera a supremacia branca, por exemplo, “ser
branco” não é considerado uma identidade étnica
ou racial. Num mundo governado pela hegemonia
cultural estadunidense, “étnica” é a música ou a
comida dos outros países. É a sexualidade
homossexual que é “sexualizada”, não a
heterossexual. A força homogeneizadora da
identidade normal é diretamente proporcional à sua
invisibilidade.
Na medida em que é uma operação de
diferenciação, de produção de diferença, o anormal
é inteiramente constitutivo do normal. Assim como
a definição da identidade depende da diferença, a
definição do normal depende da definição do
anormal. Aquilo que é deixado de fora é sempre
parte da definição e da constituição do “dentro”. A
definição daquilo que é considerado aceitável,
desejável, natural é inteiramente dependente da
definição daquilo que é considerado abjeto,
rejeitável, antinatural. A identidade hegemônica é
permanentemente assombrada pelo seu Outro,
sem cuja existência ela não faria sentido. Como
sabemos desde o início, a diferença é parte ativa
da formação da identidade.
SILVA, Tomaz Tadeu. A produção social da
identidade e da diferença. In: SILVA, Tomaz Tadeu
(org. e
trad.). Identidade e diferença: a perspectiva dos
estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000. p. 73-75.
http://ead.ucs.br/orientador/turmaA/Acervo/web_F/
web_H/file.2007-09-10.5492799236.pdf

Questão 10 - (UFJF MG)


Leia novamente:

“A força da identidade normal é tal que ela nem


sequer é vista como uma identidade, mas
simplesmente como a identidade”. (penúltimo
parágrafo)

No trecho destacado, qual é o efeito de sentido


determinado pelo uso dos artigos indefinido e