Você está na página 1de 31

| |

  |

- Conceitos
- Sistema Francês de Amortização (PRICE)
- Sistema de Amortização Constante (SAC)
- Período de Carência
- Outros Sistemas de Amortizações
``

AMORTIZAÇÃO
- Forma de pagar um empréstimo, ou seja, pagar a
principal e os juros
CREDOR ou MUTUANTE
- Aquele que dá o empréstimo
DEVEDOR ou MUTUÁRIO
- Aquele que recebe o empréstimo
TAXA DE JUROS
- É a taxa acordada entre as partes. É sempre
calculada sobre o saldo devedor
PRAZO DE CARÊNCIA
- Corresponde ao período compreendido entre o
prazo de utilização e o pagamento da primeira
amortização
``


PRAZO DE UTILIZAÇÃO
- Corresponde ao intervalo de tempo durante o qual
o empréstimo é transferido do credor para o devedor
PRAZO DE AMORTIZAÇÃO
- É intervalo de tempo durante o qual são pagas as
amortizações
PARCELAS DE AMORTIZAÇÃO
- Correspondem às parcelas de devolução do
principal
PRESTAÇÃO
- É a soma da amortização acrescida de juros e
encargos
PLANILHA
- Quadro (cronograma) dos valores do empréstimo
``


  |


! 
`

 
|
 |"$ % 
 
"# "#

 
|&|` 

| |

- Conhecido também como u u  ou


u u u
 u 
- Utilizado na compra à prazo de bens de consumo
(crédito direto ao consumidor)
- As prestações são constantes (série uniforme)
- Representação das prestações:
" !$

'


" "
 
|&|` 

| |
PLANILHA
PERÍODO PRESTAÇÃO AMORTIZAÇÕES JUROS SALDO
´ ´ ´ DEVEDOR

0 - - - â 
1  U(/ ; ;á) 1  U ( / ; ; á)  1  U 1  l 1
2 p  2  1 (1 š )  2  U 1  2  1 l  2

n p  á   á l1 (1 š )  á  U  á l1 á  ál1 l á

Saldo Devedor SDk=p.(P/A,i,n-k)



  
`| `|

- Período em que o tomador do financiamento paga


Ö  u @ Ö
- Neste período não há   

- O    permanece constante ou será
acrescido dos '
Ex. UM 1â.âââ ± 4 períodos ± 3% a.p.

Per. Prest. Juros Amort S.D.


n P j a
0 - - -
1
2
3
4
Se fosse 1 período de carência ± Juros Pagos

Per. Prest. Juros Amort S.D.


n p J a
0 - - -
1
2
3
4
5
Juros Capitalizados

Per. Prest. Juros Amort S.D.


n P j a
0
1
2
3
4
5
 
|
| |
` |

- Utilizado em financiamentos a longo prazo


- Popularizado pelo Sistema Financeiro de
Habitação (SFH)
- A amortização é constante (principal dividido pelo
número de prestações)
- Representação das prestações:
" !$

'



" "
 
|
| |
` |

PLANILHA
PERÍ PREST RTIZ J ROS SAL O
´ ´ ´ DEVEDOR

0 - - - P
1 P/n+i.P P/n i.P P±P/n
2 P / n + i . P . (1 ± 1 / n) P/n i . P . (1 ± 1 / n) P±2.P/n

n P / n + i . P . (1 ± (n ± 1) / n) P/n i . P . (1 ± (n ± 1) / n) P ± n . P / n

Saldo Devedor SDk= P - ak


Per. Prest. Juros Amort S.D.
n p j a
0
1
2
3
4
|
( | )
Ex. UM 1â.âââ ± 4 per. 3% a.p. q= â; â,5; 1
Período Price Misto SAC
n q=0 q=0,5 q=1
0 - - -
1
2
3
4
*   
|

- ARRENDAMENTO MERCANTIL (LEASING)


- SISTEMA AMERICANO DE AMORTIZAÇÃO
- SISTEMA AMERICANO COM SINKING FUND
- SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO VARIÁVEL
- SISTEMA ALEMÃO DE AMORTIZAÇÃO
*   
|
SISTEMA AMERICANO DE AMORTIZAÇÃO
- Neste sistema paga-se apenas os juros
- O    é devolvido no final do empréstimo
- Planilha:
PERÍODO PRESTAÇÃO AMORTIZAÇÃO JUROS SALDO DEVEDOR
0 - - - P
1 i.P - i.P P
2 i.P - i.P P

n±1 i.P - i.P P


n i.P+P P i.P -
Ex. UM 1â.âââ ± 4 per. 3% a.p.

Per. Prest Amort Juros S.D.


n p a j
0 -
1
2
3
4 -
 
||
`|
`  +,&*
- É um fundo de reserva, para evitar o desembolso
em uma só vez;
- Na data do pagamento do principal, o valor do
fundo de amortização é igual ao desembolso a ser
efetuado;
- Taxa de aplicação pode ser igual, maior ou menor
que a taxa do empréstimo;
- Parcela é q = P (A / F , i¶, n)
SINKING FUND q =

Per. q (Dep.) Juros Rec S.Credor


0 - - -
1
2
3
4
 
|
| |
|-
.

- Fixa-se antecipadamente as parcelas de amortização;


- As parcelas podem ser desiguais;
- Pode haver carência ou não, com juros pagos ou
capitalizados.
Sistema de Amortização Variável
Ex. UM 1â.âââ ± 3 % a.p. ±
Amort. 1.âââ; 2.âââ; 3.âââ; 4.âââ
Per. Prest. Amort Juros S.D.
.
0 - - -
1
2
3
4 -
*   
|

SISTEMA ALEMÃO DE AMORTIZAÇÃO


- Neste sistema os ã são pagos antecipadamente
- As prestações são constantes

U
 á
1 l (1 l )
 U
`* 
&
 

&|`|


Podem incidir vários custos:


IOF
seguros
taxas
Estes encargos aumentam o custo do financiamento.
Deve-se calcular o custo efetivo que leve em
consideração todos os custos pertinentes.
Exemplo:

V   pr   V 10.000  pr 

 
in niçõ

T   r    prí

R   prin ip   pr  p SAC

IOF ± 2  r  r   rizçõ

S
r +    iniri  2  r 
á     


0
1
2
3
4
â 1 2 3 4

Calculo da taxa efetiva de juros


*   
|

ARRENDAMENTO MERCANTIL (LEASING)


Considere na transferência de uso de um bem da
empresa de Leasing (que o comprou) para a empresa
que o necessita (arrendatária), através de um contrato,
onde ao final o arrendatário pode exercer a opção de
compra, pagando o valor residual.
Durante a vigência do contrato serão pagas
prestações (aluguéis) pelo uso do bem.