Você está na página 1de 2

O que é octano?

por Marshall Brain - traduzido por HowStuffWorks Brasil

Se você já leu Como funcionam os motores dos carros, sabe que


quase todos os carros utilizam motores a gasolina de quatro tempos.
Um destes tempos é o de compressão, no qual o motor comprime um
cilindro cheio de ar e gasolina em um volume muito menor, antes de
se dar a ignição através da vela de ignição. A quantidade de
compressão é chamada de taxa de compressão do motor. Um motor
normal deve ter hoje uma taxa de compressão de 10 para 1, que se
escreve 10:1. Consulte Como funcionam os motores dos carros para
maiores detalhes.

A proporção de octano em relação à heptana na gasolina


mostra quanto o combustível pode ser comprimido antes de entrar
espontaneamente em combustão. Quando a gasolina entra em
combustão por efeito de compressão, e não pela centelha da vela de
ignição, ocorre a detonação no motor. A detonação pode danificar um
motor, e não é o que você quer que aconteça! A gasolina com menor
proporção de octano (como a gasolina comum ou a comum aditivada
de 91 octano) suporta a menor quantidade de compressão antes de
entrar em ignição. Embora o termo correto seja octano, é comum
escrever e ouvir octana no plural. Nesse caso, a gasolina comum tem
91 octanas.

A taxa de compressão de seu motor determina a octanagem da


gasolina que você deve usar em seu carro, o que é indicado pelo
fabricante. Uma das maneiras de se aumentar a potência do motor de
uma determinada cilindrada é aumentar sua taxa de compressão.
Portanto, um motor de alto desempenho geralmente possui uma
maior taxa de compressão e requer uma gasolina de maior
octanagem. A vantagem de uma alta taxa de compressão é que seu
motor desenvolve mais potência para uma determinada cilindrada -
isso é o que faz dele um motor de "alto desempenho". A
desvantagem é que a gasolina para o seu motor custa mais.

O nome "octano" tem origem no seguinte: quando você leva


petróleo bruto para uma refinaria para ser refinado (craqueado),
acaba obtendo cadeias de hidracarboneto de diferentes
comprimentos. Estes diferentes comprimentos de cadeias podem ser
separados uns dos outros e misturados para formar diferentes tipos
de combustível. Por exemplo, você já deve ter ouvido falar sobre os
gases metano (em inglês), propano e butano. Todos eles são
hidrocarbonetos (em inglês). O metano possui somente um átomo de
carbono. O propano possui três átomos de carbono interligados. O
butano possui quatro átomos de carbono interligados. O pentano
possui cinco; o hexano, seis; o heptano, sete; e o octano, oito
átomos de carbono interligados.
Acontece que o heptano aceita pouca compressão. Basta um
pouquinho de compressão para ele entrar em combustão
espontaneamente. Já o octano aceita muito bem a compressão - você
pode comprimi-lo bastante sem que nada aconteça. A gasolina
noventa e uma octanas contém 91% de octano e 9% de heptano (ou
alguma outra combinação de combustíveis que apresente o mesmo
rendimento que a combinação 91/9 de octano/heptano). A combustão
ocorre espontaneamente com esta gasolina em um determinado nível
de compressão e só pode ser usada em motores que não ultrapassem
essa taxa.

Durante a Primeira Guerra Mundial, foi descoberto que é possível


adicionar uma substância química chamada chumbotetraetila (TEL, a
sigla em inglês) à gasolina e aumentar de maneira significativa a
proporção de octano, acima da combinação octano/heptano.
Graduações mais baratas de gasolina poderiam ser usadas,
adicionando o chumbotetraetila. Isso levou à difusão do uso da
chamada gasolina com chumbo. Mas infelizmente, as conseqüências
da adição de chumbo à gasolina são:

•o chumbo entope e danifica o catalisador em minutos;


•a Terra fica coberta por uma fina camada de chumbo, que é tóxico
para muitos seres vivos (inclusive humanos).
Quando o chumbo foi definitivamente proibido nos EUA em 1995 (o
processo começou no início dos anos 70), a gasolina ficou mais cara
porque as refinarias não podiam mais aumentar as proporções de
octano das gasolinas de menor octanagem. Aviões ainda podem
utilizar gasolina com chumbo (conhecida como gasolina de aviação,
ou avgas), e proporções de octano maiores ou iguais a 100 são
normalmente utilizadas em motores de aviões a pistão de altíssimo
desempenho. No caso da gasolina de aviação, 100 é especificação de
rendimento da gasolina, não a porcentagem exata do octano. A
adição do chumbotetraetila aumenta índice antidetonante da
gasolina, não adiciona mais octano.

No Brasil, a gasolina com chumbotetraetila foi banida em setembro


de 1991, quando começaram a ser produzidos os primeiros
automóveis ano-modelo 1992 com catalisador. Para alcançar a
mesma octanagem, o Brasil lançou mão da adição álcool etílico anidro
à gasolina num porcentual de 22% +/- 2%.

Atualmente, engenheiros estão tentando desenvolver motores de


avião que possam utilizar gasolina sem chumbo. A propósito, motores
de jatos utilizam querosene.