Você está na página 1de 792

DX225LCA

Manual de Oficina
K1049156PT(BR)
Número de Série 5167 e acima

A DOOSAN se reserva o direito de aperfeiçoar continuamente seus produtos para oferecer ao mercado o
que há de melhor em termos de escavadeiras hidráulicas. Esses aperfeiçoamentos podem ser
implementados a qualquer tempo, sem que tenhamos a obrigação de modificar os materiais nos produtos já
comercializados. Recomendamos que os clientes entrem periodicamente em contato com seus
distribuidores para documentação atual sobre equipamentos adquiridos.
Esta documentação pode incluir acessórios e equipamentos opcionais não disponíveis no pacote para a sua
máquina. Se necessitar de itens adicionais, consulte seu distribuidor.
As ilustrações usadas em todo este manual são usadas como representação da peça real do equipamento e
podem ser diferentes do item real.

K1049156PT(BR) Manual de Oficina


Copyright 2011 DOOSAN
Publicação nº. K1049156PT(BR)
Número de Série 5167 e acima
DX225LCA
Etiqueta do produto

Instruções

Recorte a etiqueta ao longo


das linhas e coloque-a no
porta-etiqueta na lombada da
pasta

Publicação nº. K1049156PT(BR)


Índice
Segurança
Segurança Escavadeira de Esteiras ..................................................... SP001716

Especificações
Especificações DX225LCA ................................................................... SP001717

Manutenção Geral
Procedimentos Gerais de Manutenção ................................................ SP000016
Torques Padrão .................................................................................... SP000813

Estrutura Superior
Cabine .................................................................................................. SP000943
Contrapeso ........................................................................................... SP001617
Tanque de Combustível ........................................................................ SP001718
Bomba de Transferência de Combustível ............................................. SP000021
Rolamento de Giro ............................................................................... SP000022
Mecanismo de Redução de Giro .......................................................... SP001618

Estrutura Inferior e Chassi


Conjunto da Esteira .............................................................................. SP001619

Motor e Trem de Força


Acoplamento Acionador (Bomba principal) ........................................... SP000912

Sistema Hidráulico
Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes ................................ SP000913
Acumulador .......................................................................................... SP000028
Junta Central (Giratória) ....................................................................... SP001620

Índice
Página I
Cilindros ............................................................................................... SP001716
Motor do Giro ....................................................................................... SP000194
Motor de Deslocamento ....................................................................... SP001621
Bomba de Engrenagens ...................................................................... SP000931
Válvula de Controle Principal ............................................................... SP001024
Bomba de Pistão Axial ......................................................................... SP000932
Servidor da TDF ................................................................................... SP000933
Válvula de Controle Remoto (Alavanca de trabalho/joystick) .............. SP001646
Válvula de Controle de Deslocamento (com amortecedor) .................. SP001647
Conjunto da Válvula Solenóide ............................................................ SP001622
Válvula EPPR da Britadeira (opc) ........................................................ SP000192
Esquema Hidráulico (DX225LC/DX 225LCA) ...................................... SP001689

Sistema Elétrico
Sistema Elétrico ................................................................................... SP001727
Esquema Elétrico (DX225LCA) ........................................................... SP001732

Acessórios
Lança e Braço ...................................................................................... SP000937
Caçamba ............................................................................................. SP000939

Índice
Página II
Segurança
SP001716

Segurança
Escavadeira
de Esteiras

1ª edição

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 1
ANOTAÇÕES

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 2
Índice

Segurança Escavadeira de Esteiras

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA............................. 5
MODELOS APLICÁVEIS ......................................... 5
PARA O OPERADOR DA ESCAVADEIRA
DOOSAN ................................................................. 7
FUNDAMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA....... 10
LOCALIZAÇÃO DAS ETIQUETAS DE
SEGURANÇA ........................................................ 11
RESUMO DAS PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA
PARA LEVANTAMENTO NO MODO DE
ESCAVAÇÃO ......................................................... 11
MODIFICAÇÕES NÃO AUTORIZADAS ................ 12
INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE SITUAÇÕES
PERIGOSAS.......................................................... 12
ANTES DE LIGAR O MOTOR ............................... 21
OPERAÇÕES COM A MÁQUINA ............................ 25
MANUTENÇÃO ..................................................... 32
BATERIA................................................................ 40
REBOQUE............................................................. 42
EXPEDIÇÃO E TRANSPORTE ............................. 43
LEVANTAMENTO COM ESLINGA ........................ 43

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 3
ANOTAÇÕES

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 4
PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise, segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LCA 5167 e acima

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 5
Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716
Página 6
PARA O OPERADOR DA
ESCAVADEIRA DOOSAN

PERIGO!
O uso inseguro da escavadeira poderá ocasionar
ferimentos graves ou morte. Os procedimentos
operacionais, de manutenção e as práticas referentes
aos equipamentos ou os métodos de transporte e
deslocamento que não cumpram as precauções de
segurança descritas nas páginas a seguir poderão
acarretar ferimentos graves, potencialmente fatais ou
danos importantes à máquina ou à propriedade
circundante.

Respeite a importância de assumir a responsabilidade por


sua própria segurança e a de outras pessoas que possam
ser afetadas por seus atos.
As informações de segurança constantes nas páginas a
seguir estão organizadas nas seguintes seções:
1. “Fundamentos de Segurança Geral” na página 1-10.
2. “Localização das etiquetas de segurança” na página
1-11.
3. “Resumo das Precauções de Segurança durante o
Levantamento no Modo de Escavação” na página 1-11.
4. “Modificações Não Autorizadas” na página 1-12.
5. “Informações Gerais Sobre Situações Perigosas” na
página 1-12.
6. “Antes de Ligar o Motor” na página 1-21.
7. “Operação da Máquina” na página 1-25.
8. “Manutenção” na página 1-32.
9. “Bateria” na página 1-40.
10. “Reboque” na página 1-42.
11. “Expedição e Transporte” na página 1-43.
12. “Levantamento com cabos” na página 1-43

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 7
AVISO!
A operação e a manutenção inadequadas desta máquina
podem ser perigosas e causar ferimentos graves ou
morte.
O operador e o pessoal da manutenção devem ler
atentamente este manual antes de começar os trabalhos
de operação ou manutenção.
Guarde este manual no compartimento de
armazenamento da cabine situado na parte posterior do
assento do operador e faça com que todo o pessoal que
trabalha com a máquina leia o manual periodicamente.
Algumas das atividades de operação e manutenção da
máquina podem causar acidentes graves se não forem
feitas da maneira descrita neste manual.
Os procedimentos e as precauções descritos neste
manual só se aplicam ao uso adequado da máquina.
Se a máquina for usada para outro propósito que não
esteja especificamente proibido, você deverá ter certeza
de que ele não constitui um risco para os outros. Em
nenhum caso deverão ser feitas as ações ou usos
proibidos descritos neste manual.
A DOOSAN fornece máquinas que cumprem todos os
regulamentos e normas do país aonde são enviadas. Se
esta máquina foi comprada em outro país, ou adquirida
de alguém de outro país, podem não estar presentes
alguns dos dispositivos de segurança e/ou as
especificações correspondentes, necessárias para o
uso da mesma em seu país. Se tiver alguma dúvida
sobre a compatibilidade do seu produto com os
regulamentos e normas vigentes em seu país, consulte
a DOOSAN ou o seu distribuidor antes de operar a
máquina.

SÍMBOLO DE ALERTA DE SEGURANÇA

Esteja preparado - Aprenda Todas as Instruções de


Operação e Segurança.
Este é o símbolo de alerta de segurança. Sempre que
aparecer neste manual ou nos sinais de segurança da
máquina, indicará um possível risco de acidentes.
Portanto, sempre respeite as precauções de segurança
e cumpra os procedimentos recomendados.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 8
Familiarize-se com as Palavras Usadas
com os Símbolos de Alerta de Segurança
As palavras: "ATENÇÃO", "Aviso" e "PERIGO" que aparecem
tanto neste manual como nas etiquetas de segurança da
máquina indicam o grau do perigo existente. Esses três graus
implicam determinadas precauções de segurança. Respeite
estas medidas sempre que encontrar o “Triângulo” de Alerta de
Segurança, não importando quais palavras apareçam junto ao
símbolo de “Ponto de Exclamação”.

ATENÇÃO!
Esta palavra usada nas etiquetas e nas mensagens de
segurança indica uma situação possivelmente perigosa
que, se não for evitada, poderá causar pequenos
ferimentos ou ferimentos de pouca gravidade. Ela é
usada também para alertar o operador com relação a um
procedimento pouco seguro.

AVISO!
Esta palavra usada nas etiquetas e nas mensagens de
segurança indica uma situação possivelmente perigosa
que, se não for evitada, poderá causar ferimentos graves
ou morte. É usada também para alertar o operador com
relação a um procedimento perigoso e pouco seguro.

PERIGO!
Esta palavra, usada nas etiquetas e nas mensagens de
segurança, indica uma situação de perigo iminente que,
se não for evitada, poderá causar ferimentos graves ou
morte. É usada também para alertar o operador com
relação ao equipamento, que poderá explodir ou detonar
caso seja tratado ou manuseado sem o devido cuidado.

As precauções de segurança estão descritas na seção


SEGURANÇA, na página -11 e seguintes.
A DOOSAN não pode prever todas as circunstâncias que
possam envolver um possível risco durante o uso e manutenção
da máquina. Portanto, tanto as mensagens de segurança neste
manual e na máquina podem não incluir todas as precauções de
segurança possíveis. Se forem feitas ações ou procedimentos
que não estejam recomendados ou permitidos especificamente
neste manual, é preciso ter certeza de que essas atividades
podem ser feitas sem risco pessoal e sem danificar a máquina.
Se tiver qualquer dúvida sobre a segurança de algum
procedimento, consulte o seu distribuidor DOOSAN.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 9
FUNDAMENTOS GERAIS DE
SEGURANÇA
Aplicações de acessórios
A escavadeira hidráulica foi projetada principalmente para a
movimentação de terra com uma caçamba. Para o uso
como uma garra ou para outros manuseios de objetos, entre
em contato com a DOOSAN. Aplicações para trabalhos de
elevação são permitidas nas configurações de elevação
aprovadas, somente para a capacidade classificada, sem
carregamento lateral (a menos que seja proibido pelas
regulamentações locais). Não utilize a máquina para
atividades para as quais não foi projetada. Não use a
caçamba para trabalho de levantamento, a menos que os
cabos de levantamento sejam usados em uma configuração
aprovada.
O uso de um martelo hidráulico acessório (britadeira),
trabalho em terreno irregular, demolição ou outras
operações perigosas podem necessitar da instalação de
estruturas de proteção adicionais para segurança do
operador.

Configurações nominais de
capacidades de levantamento
As capacidades de levantamento nominais gravadas no fim
desta seção se baseiam em máquina estacionada sobre um
piso nivelado e firme com ganchos e cabos fixados na
configuração aprovada. As cargas devem ser
uniformemente equilibradas e apoiadas, Use cabos de
manobra para manter a carga firme se as condições de
vento e grandes áreas superficiais forem um problema.
Sinais de mão para a equipe de trabalho, tarefas individuais
e procedimentos de segurança devem todos ser
universalmente compreendidos antes de executar o
levantamento.

IMPORTANTE
Antes de usa a escavadeira para levantar cargas,
verifique as regulamentações ou estatutos municipais e
regionais que podem ser aplicáveis. As leis de
regulamentação podem exigir que todo levantamento de
carga pesada seja feito com equipamentos específicos
para tal fim. Levantar cargas pesadas com uma
escavadeira para serviços gerais que pode ser usadas
para escavação, carga, nivelamento ou outro serviço
pode ser expressamente proibido por lei. Sempre siga
todas as demais instruções, diretrizes e restrições para
Levantamento Seguro no Manual de Operação e
Manutenção.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 10
LOCALIZAÇÃO DAS
ETIQUETAS DE SEGURANÇA
A localização de etiquetas de segurança (adesivos) pode
variar de uma unidade para outra. Consulte o Manual de
Operação e Manutenção referente e o catálogo de peças da
sua máquina.
Troque sempre os adesivos danificados ou descorados.

RESUMO DAS PRECAUÇÕES


DE SEGURANÇA PARA
LEVANTAMENTO NO MODO
DE ESCAVAÇÃO

PERIGO!
O uso inseguro da escavadeira ao levantar cargas nominais,
pode danificar seriamente a máquina, causar lesões fatais
ou grandes danos à máquina, ou à propriedade ao redor.
Não permita que alguém opere a máquina, a menos que
tenha sido devidamente treinado e conheça as informações
contidas no Manual de Operação e Manutenção.

Para fazer levantamentos seguros com a máquina no modo


de escavação, o operador e sua equipe de trabalho devem
levar em consideração os seguintes aspectos:
• Condição de sustentação do solo.
• Configuração da escavadeira e dos acessórios.
• Peso, altura e raio de levantamento.
• Amarração segura da carga.
• Manuseio adequado da carga suspensa.
Para manter a carga suspensa segura, é conveniente usar
cabos de fixação presos em lados opostos da carga, fixos
em pontos de controle existentes no solo.

AVISO!
Não enrole NUNCA um cabo de fixação ao redor das
mãos ou do corpo.
NUNCA tente usar cabos de fixação ou levantar cargas
quando a velocidade do vento for superior a 48,3 km/h
(30 mph). Prepare-se adequadamente para resistir a
rajadas de vento ao trabalhar com cargas que tenham
uma superfície grande.

Acione sempre o controle "Modo de Escavação" no painel


de instrumentos antes de usar a máquina em qualquer
trabalho de levantamento.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 11
AVISO!
Se desejar obter mais informações ou se tiver dúvidas
sobre os procedimentos de operação segura, ou sobre a
forma de operar corretamente a escavadeira para uma
aplicação específica ou em condições específicas do
seu próprio ambiente de trabalho, entre em contato com
o seu distribuidor local DOOSAN.

MODIFICAÇÕES NÃO
AUTORIZADAS
Todas as modificações feitas sem a devida autorização ou
aprovação por escrito da DOOSAN podem colocar em risco
a segurança da máquina e do operador, e o proprietário da
máquina deve ser o responsável.
Por questão de segurança, troque todas as peça de OEM
por peças originais ou aceitas pela DOOSAN. Por exemplo,
não reservar um tempo para substituir fixadores, parafusos
ou porcas pelas peças de reposição adequadas poderá
levar a uma situação em que a segurança das instalações
mais importantes fique seriamente comprometida.

INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE


SITUAÇÕES PERIGOSAS
Regras de Segurança
Só pessoal treinado e autorizado pode operar a máquina e
fazer as operações de manutenção pertinentes.
Cumpra todas as regras de segurança, precauções e
instruções durante a operação ou manutenção da máquina.
Não opere a máquina se não estiver bem de saúde, se
estiver tomando medicamentos que provoquem sonolência,
se tiver consumido bebidas alcoólicas ou se estiver com
problemas emocionais. Estes fatores podem prejudicar sua
capacidade de discernimento em caso de emergência e
podem causar acidentes.
Ao trabalhar com outro operador ou com uma pessoa
encarregada de controlar o tráfego no canteiro de obras,
certifique-se de que todo o pessoal conheça o tipo de
trabalho que lhe foi atribuído e compreenda todos os gestos
e sinais que serão usados.
Sempre observe rigorosamente qualquer outra norma
relacionada com a segurança.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 12
Dispositivos de Segurança

Certifique-se de que todas as proteções e tampas estejam


corretamente instaladas. Providencie o conserto imediato ou
substituição das proteções e tampas danificadas.
Certifique-se de compreender as instruções de uso dos
dispositivos de segurança, tais como a alavanca de
segurança e o cinto de segurança e use-os corretamente.
Nunca remova nenhum dispositivo de segurança.
Mantenha-os sempre em bom estado de uso. Caso não use
os dispositivos de segurança de acordo com as instruções
descritas no Manual de Operação e Manutenção, você
poderá sofrer ferimentos graves.

Dentro do Compartimento do Operador


Antes de entrar no compartimento do operador, sempre
limpe a lama e o óleo das solas dos sapatos. Se usar o
pedal de deslocamento com lama ou óleo grudado na sola
do sapato, seu pé poderá escorregar e causar um acidente
grave.
Após usar o cinzeiro, certifique-se de que quaisquer fósforos
ou cigarros tenham sido devidamente apagados e certifique-
se de fechar o cinzeiro. Se o cinzeiro for deixado aberto, há
perigo de incêndio.
Não cole ventosas no vidro da janela. Elas agem como
lentes e podem provocar um incêndio.
Não deixe isqueiros soltos pelo compartimento do operador.
Se a temperatura dentro do compartimento do operador ficar
alta, há perigo de o isqueiro explodir.
Não use celulares no compartimento do operador, ao dirigir
ou operar a máquina. Pode ocorrer um acidente inesperado.
Nunca coloque objetos perigosos na cabine do operador,
como produtos inflamáveis ou explosivos.
Para maior segurança, não use o rádio nem os fones de
ouvido enquanto estiver operando a máquina. Há um perigo
de que isso possa causar um acidente grave.
Não ponha a cabeça nem as mãos para fora da janela
enquanto estiver operando a máquina.
Ao deixar o assento do operador, sempre bloqueie a
alavanca de segurança deixando-a na posição “LOCK”
[TRAVADO]. Se tocar inadvertidamente nas alavancas do
equipamento frontal quando estiverem destravadas, a
máquina poderá se mover bruscamente e provocar
ferimentos ou danos graves.
Ao sair da máquina, baixe o acessório frontal totalmente ao
solo, bloqueie a alavanca de segurança na posição “LOCK”
[TRAVADO] e desligue o motor. Use a chave para travar
todo o equipamento. Retire sempre a chave e leve-a com
você.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 13
Roupas e Itens de Proteção Pessoal
Prenda o cabelo comprido e evite utilizar roupas largas e
jóias. Eles podem ficar presos nos controles ou em peças
salientes, provocando ferimentos graves ou morte.
Não use roupas oleosas. Elas são altamente inflamáveis.
Na área de trabalho, pode ser obrigatório o uso de proteção
ocular completa, capacete, botas de segurança e luvas.
Ao operar a máquina, nunca use ferramentas inadequadas.
Elas podem se quebrar ou escorregar, ferindo alguém ou
não serem apropriadas para as tarefas necessárias. Figura 1

Pode ser Necessário Usar Máscaras e


Proteção Auricular
Não se esqueça de que sua saúde pode ser afetada sem
que você perceba de imediato. Embora os gases do
escapamento e a poluição sonora possam não ser visíveis,
eles podem causar danos irreparáveis.
NOTA: O nível da pressão sonora contínua na estação de
trabalho para esta máquina é dada no manual de
operação. Os valores são obtidos numa máquina
em operação, de acordo com os procedimentos e
as condições da cabine descritas na Norma ISO
6396.
NOTA: O nível da potência do som emitido pelos
equipamentos desta máquina é dado no manual de
operação.
Os valores são obtidos numa máquina em
operação, de acordo com os procedimentos
descritos na Norma 2000/14/EC.

Informação Sobre Níveis de Vibração


Mãos/Braços: A aceleração correspondente à média
ponderada da raiz quadrada à qual as mãos/braços são
submetidos é inferior a 2,5 m/s2.
Corpo inteiro: A aceleração correspondente à média
ponderada da raiz quadrada à qual o corpo inteiro é
submetido é inferior a 0,5 m/s2.
Os valores medidos são obtidos numa máquina
representativa, de acordo com os procedimentos descritos
na seguinte norma: ISO 2631/1. ISO 5349 e SAE J1166.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 14
Recomendações para Limitar Vibrações

1. Selecione a máquina, equipamentos e acessórios


corretos para cada aplicação.
2. Substitua qualquer assento danificado por outra parte
DOOSAN original. Mantenha o assento conservado e
ajustado.
 Ajuste o assento e a suspensão de acordo com
o peso e a estatura do operador.
 Inspecione e faça manutenção regular da
suspensão e dos mecanismos de ajuste do
assento.
3. Verifique se a máquina está corretamente mantida.
 Pressão dos pneus, freios, direção, articulações,
etc.
4. Gire o volante, freie, acelere, mude as marchas, mova
e acione suavemente os acessórios.
5. Ajuste a velocidade da máquina e o percurso de
deslocamento para reduzir o nível de vibrações.
 Se necessário, reduza a marcha ao trafegar em
terreno acidentado.
 Contorne obstáculos e terrenos excessivamente
acidentados.
6. Mantenha em boas condições o terreno dos locais
onde a máquina trabalha e se movimenta.
 Remova pedras grandes ou obstáculos.
 Encha valetas e buracos.
 Programe as máquinas e o tempo para cuidar
das condições do terreno.
7. Para percursos mais longos (por ex. em estradas
públicas) desloque-se na velocidade (média) ajustada.
 Ajuste sempre a velocidade para evitar
solavancos.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 15
Subir e Descer da Máquina
Antes de subir ou descer da máquina, remova
imediatamente todo resto de óleo, gordura ou lama dos
corrimãos, degraus ou sapatas das esteiras. Mantenha
sempre estas partes limpas. Conserte qualquer avaria e
aperte os parafusos frouxos.
Nunca saia ou entre na máquina saltando. Em particular,
nunca entre ou saia de uma máquina em movimento. Essas
ações podem levar a ferimentos graves.
Use sempre os corrimãos, degraus ou as sapatas das
esteiras para subir/descer da máquina e mantenha sempre
pelo menos 3 pontos de contato com as mãos e pés (ambos
os pés e uma mão ou um pé e ambas as mãos).
Nunca use as alavancas de controle como pontos de apoio
para entrar ou sair da máquina.
Bloqueie firmemente a porta. Se você segurar no corrimão
no interior da porta ao se mover em cima das sapatas das
esteiras e a porta não estiver bem bloqueada, ela pode se
mover, fazendo com que você caia.
Use os pontos marcados com setas no desenho para subir e
descer da máquina.

Figura 2

Perigo de Incêndio Devido a


Combustível, Óleo e Fluído Hidráulico
Combustível, óleo e anticongelante podem causar um
incêndio se forem aproximados de uma chama. Combustível
é especialmente inflamável e pode ser perigoso.
Sempre observe rigorosamente o seguinte:
Adicione combustível, óleo, líquido anticongelante e fluido
hidráulico à máquina apenas em uma área bem ventilada. A
máquina deve estar estacionada com os controles, luzes e
interruptores “DESLIGADOS” ["OFF"]. O motor deve estar
“DESLIGADO” e qualquer chama viva, brasa incandescente,
unidade auxiliar de aquecimento ou equipamento que
produza faíscas deve ser mergulhado em água,
“DESLIGADO” e/ou mantido bem afastado da máquina.
Eletricidade estática poderá criar faíscas perigosas no bocal Figura 3
de abastecimento de combustível. Com tempo muito frio e
seco ou em outras condições que possam ocasionar uma
descarga estática, mantenha a extremidade do bico de
enchimento de combustível em contato permanente com o
gargalo do bocal de abastecimento de combustível, para
proporcionar conexão de aterramento.
Mantenha as tampas do tanque de combustível e outros
fluidos firmemente apertadas e não ligue o motor enquanto
as tampas não estiverem devidamente apertadas.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 16
Precauções ao Manusear Fluidos em
Altas Temperaturas

Ao terminar de operar a máquina, o líquido de arrefecimento,


o óleo do motor e o fluido hidráulico estão com temperaturas
elevadas, e o radiador e o reservatório hidráulico ainda
estão pressurizados. Não tente abrir a tampa, drenar o óleo
ou o líquido de arrefecimento nem substituir os filtros, pois
poderá sofrer queimaduras graves. Sempre espere a
temperatura baixar e siga os procedimentos específicos ao
realizar estas operações.
Figura 4

Para evitar que o líquido de arrefecimento seja expulso,


desligue o motor, espere o esfriar e afrouxe lentamente a
tampa para despressurizar o sistema.
Para evitar que óleo quente seja expulso, desligue o motor,
espere esfriar e afrouxe a tampa lentamente para
despressurizar o sistema.

Figura 5

Prevenção Contra o Perigo do Pó de


Amianto

O pó de amianto pode ser extremamente PERIGOSO para


sua saúde, caso seja inalado. No local de trabalho pode
existir material composto por fibra de amianto. Respirar ar
que contenha fibra de amianto pode provocar, a longo prazo,
problemas pulmonares graves e até irreversíveis. Para
evitar qualquer problema pulmonar ocasionado pelo pó de
amianto, respeite as medidas de precaução descritas a
seguir:
Figura 6
 Use uma máscara aprovada para ambientes
carregados de pó de amianto.
 Nunca use ar comprimido para fazer a limpeza.
 Para limpar, use água, garantindo, dessa forma,
que o pó se mantenha junto ao chão.
 Sempre que possível, trabalhe na máquina ou no
componente procurando ficar de costas para a
direção do vento.
 Sempre siga as normas e regras relacionadas
com o local e o ambiente de trabalho.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 17
Ferimento Causado Pelo Acessório
frontal

Não introduza nem ponha a mão, o braço ou outra parte do


corpo entre as peças móveis, como por exemplo, entre o
acessório frontal e cilindros, ou entre a máquina e o
acessório frontal.
Se as alavancas de controle forem acionadas, o espaço livre
entre a máquina e o acessório frontal mudará, fato que pode
provocar sérios danos ou lesões corporais.
Se precisar passar entre peças móveis, posicione e fixe
sempre o equipamento frontal para que não se movimente.
Figura 7

Extintor de Incêndio e Kit de Primeiros


Socorros
Como precaução contra qualquer ferimento ou incêndio,
sempre siga as seguintes instruções.
 Certifique-se de ter extintores e leia as etiquetas
para assegurar-se de que sabe usá-los.
Recomenda-se instalar na cabine um extintor de
incêndio de uso geral “A/B/C” (2,27 kg ou maior).
Inspecione e faça a manutenção do extintor de
incêndio a intervalos regulares e certifique-se de
que todos os membros da equipe presentes no
local de trabalho estejam devidamente
familiarizados com o seu modo de funcionamento. Figura 8
 Tenha sempre material de primeiros-socorros na
cabine e no local de trabalho. Verifique-o
periodicamente e faça as reposições necessárias.
 Saiba como proceder em caso de queimaduras.
 Tenha sempre à mão os números de telefone da
emergência médica, do serviço de ambulâncias,
do hospital e dos bombeiros.
Se a máquina pegar fogo, podem ocorrer ferimentos graves
ou morte. Se um incêndio ocorrer durante o trabalho, você
deve escapar da máquina da seguinte forma:
 Vire a chave de ignição para a posição “O”
[DESLIGADO] e desligue o motor.
 Se tiver tempo, use o extintor para apagar o
máximo possível do fogo.
 Use os corrimãos e os degraus para sair da
máquina.
O método acima é considerado básico para sair da máquina,
mas pode ser necessário modificá-lo dependendo das
condições. Assim, é aconselhável a realização de
simulações de incêndio no canteiro de obras.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 18
Proteção Contra Queda ou
Desprendimento de Objetos
Em locais de trabalho onde a cabine do operador possa ser
atingida por objetos que se soltam ou caiam, é conveniente
escolher uma proteção adequada às condições de trabalho
para o operador.
As escavações em minas, túneis, fossos profundos ou
superfícies de baixa sustentação e úmidas podem criar o
risco de acidentes devido à queda de rochas ou objetos que
se desprendem. Certifique-se de que a sua máquina esteja
equipada com uma cabine FOPS (Estrutura de Proteção
Contra Queda de Objetos) ou janelas com proteção. Figura 9

Nunca tente alterar ou modificar nenhum tipo de sistema de


reforço de estrutura de proteção, abrindo furos, soldando,
re-montando ou reposicionando fixadores. Se o sistema
sofrer danos ou impactos consideráveis, será necessária
uma revisão completa. Poderá, inclusive, ser necessário
fazer uma reinstalação, recertificação e/ou substituição do
sistema.
Entre em contato com o seu distribuidor DOOSAN para
saber se há proteções de segurança e/ou recomendações
se houver perigo de que a cabine do operador sofra avarias
como consequência de possíveis impactos. Certifique-se de
que toda a equipe de trabalho fique afastada da escavadeira Figura 10
e sem nenhum risco de sofrer acidentes.
Para operações com britadeira, instale uma proteção frontal
e aplique uma folha de revestimento laminado na janela
frontal. Entre em contato com o seu distribuidor DOOSAN
para recomendações.
Ao fazer demolição ou corte, instale uma proteção frontal e
outra superior e aplique uma folha de revestimento laminado
na janela frontal.
Ao trabalhar em minas ou pedreiras onde exista perigo de
queda de rochas, instale uma estrutura FOPS (Estrutura de
Proteção Contra Queda de Objetos) e aplique uma folha de
revestimento laminado na janela frontal.
Substitua imediatamente os vidros em caso de quebra.

Precauções com os Acessórios


Acessórios opcionais estão disponíveis através de seu
revendedor. Entre em contato com a DOOSAN para obter
mais informações sobre peças descartáveis e
reutilizáveis/tubos/válvulas/kits de controle auxiliar. Como a
DOOSAN não pode prever, identificar ou testar todos os
acessórios que os proprietários podem querer instalar em
suas máquinas, entre em contato com a DOOSAN para
receber a devida autorização e aprovação dos acessórios,
bem como para se informar sobre sua compatibilidade com
os kits opcionais.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 19
Acumulador
O sistema de controle piloto está equipado com um
acumulador. O acumulador armazena uma carga
pneumática que possibilita que os controles hidráulicos
sejam acionados durante um breve período de tempo depois
de o motor ter sido desligado. O acionamento de qualquer
um dos controles pode permitir que a função selecionada
opere pela ação da força da gravidade.
Antes de realizar qualquer trabalho no sistema de controle
piloto, deve-se despressurizar o sistema hidráulico como
descrito em "Manuseio do Acumulador" no Manual de
Operação e Manutenção.
O acumulador está carregado com nitrogênio sob pressão,
sendo, portanto, extremamente perigoso manejá-lo de forma
incorreta. Tome sempre as seguintes precauções:
 Não perfure e nem faça qualquer furo no
acumulador e mantenha-o afastado do fogo ou de
qualquer fonte de calor.
 Não solde o acumulador nem tente fixar nada no
mesmo.
 Ao desmontar ou realizar qualquer tarefa de
manutenção do acumulador, ou ao descartá-lo,
deve-se despressurizá-lo corretamente. Entre em
contato com o seu distribuidor DOOSAN.
 Use óculos de segurança e luvas protetoras ao
operar o acumulador. O óleo hidráulico sob
pressão em contato com a pele pode provocar
ferimentos graves.

Ventilação no Interior
Os gases de escapamento do motor podem provocar
acidentes mortais, bem como desmaios, perda da
concentração, da capacidade de discernimento, das
capacidades motoras e ferimentos graves.
Certifique-se de que exista uma ventilação adequada antes
de funcionar o motor em local fechado.
Você também deve saber quais são as janelas, portas e
tubos abertos através dos quais os gases de escapamento
podem ser transportados ou levados pelo vento, os quais
expõem outras pessoas a riscos.
Figura 11

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 20
Saída de Emergência
Esta máquina está equipada com uma ferramenta para
quebrar o vidro da janela. Ela está atrás do assento do
operador no canto superior direito da cabine. Esta
ferramenta poderá ser usada no caso de uma situação de
emergência em que seja necessário quebrar o vidro da
janela para sair da cabine do operador. Segure firmemente
o cabo e use a ponta afiada para quebrar o vidro.

AVISO! Figura 12

Proteja os olhos quando quebrar o vidro.

ANTES DE LIGAR O MOTOR

Precauções no Local de Trabalho


Antes de começar as operações, inspecione inteiramente o
local de trabalho para verificar se existem condições
incomuns que possam ser perigosas.
Inspecione o terreno e as condições do solo no local de
trabalho e determine o método de trabalho mais adequado e
seguro.
Antes de fazer as operações, nivele o terreno e torne-o o
mais firme possível. Se houver muito pó e areia no local de
trabalho, jateie água antes de começar as operações.
Se for preciso trabalhar em uma via pública, designe uma
pessoa para controlar o tráfego, de forma a proteger os
pedestres e os carros, ou então coloque sinais de “Proibida
a Passagem” ao redor do local de trabalho.
Coloque bloqueios, sinais de “Proibida a Passagem” e tome
as medidas que forem necessárias para evitar que as
pessoas se aproximem ou entrem no local de trabalho. Se
as pessoas se aproximarem de uma máquina em
movimento, poderão ser atingidas ou atropeladas pela
mesma, podendo sofrer ferimentos graves ou morte.
No subsolo do local de trabalho podem existir canalizações Figura 13
de água, dutos de gás natural, linhas telefônicas e cabos de
alta tensão. Entre em contato com os fornecedores desses
serviços e localize os dutos. Tenha cuidado para não
danificar nem cortar nenhum dos dutos.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 21
Verifique as condições do leito do rio, a profundidade e a
vazão do mesmo antes de trabalhar nele ou de atravessá-lo.
NUNCA entre com a máquina em uma profundidade que
exceda a máxima permitida.
Qualquer tipo de objeto que se encontre nas proximidades
da lança pode representar um perigo em potencial ou
causar a reação repentina do operador e causar um
acidente. Use uma segunda pessoa para a sinalização das
operações sempre que trabalhar perto de pontes, linhas
telefônicas, andaimes ou outros obstáculos.

Figura 14
Os níveis mínimos da cobertura dos seguros, os certificados
ou licenças de trabalho, as barreiras físicas a serem
colocadas em volta do local de trabalho ou a limitação das
horas de operação podem ser regulamentados pelas
autoridades locais. Também poderão existir linhas de
orientação, normas ou restrições sobre o equipamento que
pode ser usado para realizar determinados tipos de
trabalhos. Também pode haver regulamentos relacionados
com a execução de certos tipos de trabalho. Se houver
qualquer dúvida sobre se sua máquina e o local de trabalho
cumprem as normas e regulamentos aplicáveis, entre em
contato com as autoridades e órgãos da sua região.
Evite trabalhar em um solo de baixa sustentação. A máquina Figura 15
pode ter dificuldades para sair.
Evite trabalhar com a máquina perto de precipícios,
ressaltos ou valas profundas. Nesses locais, o solo pode
ceder. Se o solo ceder, a máquina pode cair ou tombar,
provocando ferimentos graves ou morte.
Lembre-se de que o solo fica enfraquecido após chuvas
intensas, explosões controladas ou terremotos.
Os montes de terra no solo e o terreno próximo às valas não
são firmes. Eles podem afundar pelo peso da vibração da
máquina e fazer com que esta tombe.
Instale a capota protetora (FOPS) se trabalhar em locais
onde exista perigo de queda de rochas.

Verificações Antes de Ligar o Motor


Diariamente, antes de acionar o motor, faça as seguintes
verificações: Se isso não for feito, pode haver risco de
ferimento grave.
Retire todos os cavacos de madeira, folhas, grama, papéis e
qualquer material inflamável que tenha ficado acumulado no
compartimento do motor e ao redor da bateria. Eles podem
causar um incêndio. Remova toda a sujeira do vidro das
janelas, espelhos, corrimãos e degraus.
Não deixe ferramentas nem peças de reposição no assoalho
do compartimento do operador. A vibração da máquina
durante o deslocamento ou em operação pode fazê-las cair
e danificar ou quebrar as alavancas de controle ou
interruptores. Elas também podem ficar presas no espaço
vazio das alavancas de controle e provocar um mau
funcionamento ou movimentos perigosos do acessório
frontal. Isso pode causar acidentes inesperados.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 22
Verifique os níveis do líquido de arrefecimento, combustível
e do reservatório hidráulico. Verifique também se o filtro de
ar está obstruído e se a fiação elétrica está danificada.
Ajuste o assento do operador em uma posição na qual
possa operar a máquina com facilidade. Verifique se o cinto
de segurança e a base do assento apresentam danos ou
desgaste.
Certifique-se de que os indicadores funcionem e de que o
ângulo dos espelhos esteja correto; verifique se a alavanca
de segurança está TRAVADA “LOCKED”.
Se for encontrada alguma anormalidade nas verificações
citadas anteriormente, faça os reparos necessários
imediatamente.

Partida do Motor
Antes de entrar na cabine do operador, dê uma volta de
inspeção ao redor da máquina. Verifique se existem
vestígios de derramamentos de líquidos, fixadores frouxos,
componentes desalinhados, ou quaisquer outras indicações
de possíveis anormalidades nos equipamentos.
Todas as tampas e proteções de segurança da máquina
devem estar nas respectivas posições, de modo a proteger
o operador contra ferimentos quando a máquina estiver em
funcionamento.
Inspecione o local de trabalho para identificar possíveis
perigos; verifique também se pessoas ou as redondezas
poderão ficar em risco durante os trabalhos.
NUNCA ligue o motor se existir algum indício de que estão
sendo feitos trabalhos de reparos ou manutenção, ou se
existir algum sinal de aviso colocado nos controles
existentes na cabine.
Uma máquina que não tenha sido recentemente usada, ou
que esteja sendo operada em temperaturas extremamente
baixas, poderá necessitar de um pré-aquecimento ou de um
serviço de manutenção antes de ser colocada em
funcionamento.
Antes de colocar o motor em operação, inspecione os
medidores e as luzes-piloto. Tente localizar ruídos estranhos
e fique atento a quaisquer situações potencialmente
perigosas que possam ocorrer no início do período de
trabalho.
Não curto-circuite o motor de partida para acionar o motor
diesel. Isso não apenas é perigoso, como também pode
danificar a máquina.
Quando puser o motor em funcionamento, buzine como
alerta.
Ligue o motor e opere a máquina somente quando estiver
sentado.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 23
Antes de Operar a Máquina
Se não forem feitas as verificações adequadas depois de
colocar o motor em funcionamento, isso pode ocasionar um
atraso na localização de irregularidades na máquina,
podendo causar ferimentos ou avarias na mesma.
Faça as verificações em um local ao ar livre onde não
existam obstáculos. Não permita que ninguém se aproxime
da máquina enquanto estiverem sendo feitas as verificações.
 Verifique as condições de operação do
equipamento e o funcionamento dos sistemas da
caçamba, braço, lança, deslocamento e giro.
 Tente localizar ruídos irregulares, vibrações, calor,
odores ou qualquer anormalidade com os
medidores.
 Verifique também se há vazamentos de ar, óleo
ou combustível.
 Corrija o problema imediatamente se forem
encontradas anormalidades. Usar a máquina sem
consertar os problemas pode levar a ferimentos
inesperados ou falha.
 Afaste todo o pessoal das imediações da máquina
e do local de trabalho.
 Remova todos os obstáculos que estejam no
caminho da máquina. Esteja ciente dos perigos.
 Certifique-se de que todas as janelas estejam
limpas. Fixe as portas e janelas na posição aberta
ou fechada.
 Ajuste os espelhos retrovisores para melhor
visibilidade das imediações da máquina.
Certifique-se de que a buzina, o alarme de
deslocamento (se houver) e demais dispositivos
de alarme funcionem corretamente.
 Aperte firmemente o cinto de segurança.
 Pré-aqueça o motor e o óleo hidráulico antes de
operar a máquina.
 Antes de colocar a máquina em movimento,
verifique a posição do material rodante. A posição
deslocamento normal é com as rodas-guias
voltadas para frente, sob a cabine, e a roda motriz
voltada para a traseira. Quando o material rodante
estiver na posição inversa, os controles de
deslocamento devem ser operados nas direções
opostas.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 24
OPERAÇÕES COM A MÁQUINA
Em Manobras de Giro ou Mudança do
Sentido de Deslocamento
Para evitar ferimentos graves ou morte, sempre siga as
seguintes indicações antes de operar a máquina ou o
acessório frontal.
 Ligue o motor e opere a máquina somente quando
estiver sentado.
 Ao trocar o sentido de deslocamento para frente
para deslocamento à ré ou vice-versa, reduza
antes a velocidade e pare a máquina.
Figura 16
 Buzine para alertar o pessoal que está no local.
 Confirme que ninguém está ao redor da máquina.
Existem ângulos mortos na parte traseira da
máquina; assim, se necessário gire a estrutura
superior para verificar se há alguém atrás da
máquina, antes de inverter o sentido de
deslocamento.
 Use uma pessoa para a sinalização nas áreas
com grande intensidade de tráfego e sempre que
a visibilidade do operador não for a melhor
possível.
 Certifique-se de que só pessoal autorizado entre
no raio de rotação ou na direção de deslocamento
da máquina.
Estas precauções devem ser cumpridas, inclusive se a
máquina tiver um alarme de deslocamento ou espelhos
retrovisores.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 25
Precauções Durante o Deslocamento POSTURA DURANTE O
DESLOCAMENTO
Nunca coloque a chave da ignição na posição "O"
(DESLIGADO) durante o deslocamento. É perigoso parar o
motor quando a máquina está em movimento. Seria
impossível operar a direção.
As alavancas de controle do acessório frontal não devem
ser acionadas enquanto a máquina estiver em movimento.
Não altere o modo de deslocamento selecionado
(RÁPIDO/LENTO) durante o deslocamento da máquina.
Dobre o equipamento frontal de maneira que a extremidade INCORRETO
externa da lança fique o mais próximo possível da máquina
40-50 cm (16-20 pol.) acima do solo.
Nunca passe com máquina por cima de obstáculos ou
encostas, pois ela poderá inclinar demais. Falamos de
deslocamentos ao longo de uma encosta ou sobre um
obstáculo que provoque uma inclinação igual ou superior a
10 graus da direita para a esquerda ou de 30 graus da
frente para trás.
Não faça movimentos bruscos com o volante. O acessório
frontal pode bater contra o chão e fazer com que a máquina Figura 17
perca o equilíbrio, podendo danificar tanto a máquina quanto
as estruturas que se encontrem no local.
Ao se deslocar sobre terreno irregular, faça-o lentamente e
evite mudanças bruscas de direção.
Sempre mantenha a máquina n’água a uma profundidade
permissível. A profundidade máxima permitida coincide com
a linha de centro dos roletes de esteira superiores. Ao
circular sobre pontes ou estruturas situadas dentro de uma
propriedade privada, verifique antes se elas podem suportar
o peso da máquina. Ao circular por vias públicas, consulte
as autoridades locais e siga as instruções.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 26
Deslocamento em Encostas
Nunca suba e tente parar uma máquina que esteja se
movimentando. Há perigo de ferimentos sérios.
O deslocamento em encostas pode resultar em tombamento
ou deslizamento da máquina.
Ao trabalhar em encostas, ladeiras ou terrenos inclinados,
mantenha a caçamba a uns 20 ou 30 cm do solo (8-12 pol.).
Em caso de emergência, abaixe rapidamente a caçamba ao
solo para ajudar a parar a máquina.
Não se desloque sobre grama, folhas caídas ou chapas de
aço molhadas. Mesmo pequenas encostas podem provocar
o deslizamento lateral da máquina; por isso desloque-se em
baixa velocidade e mantenha um deslocamento sempre reto
ao descer ou subir encostas.
Evite mudar de direção em uma encosta. Isto pode resultar
em tombamento ou deslizamento lateral da máquina.
Quando possível, opere a máquina subindo e descendo
inclinações. Evite operar a máquina transversalmente à
encosta sempre que possível.

Figura 18

Operações Proibidas
Durante a escavação, evite colocar o acessório frontal por
baixo de uma saliência. Isso pode fazer com que ela ceda e
caia por cima da máquina.

Figura 19

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 27
Não faça escavações profundas nas frente da máquina. O
terreno sob a máquina pode desmoronar e fazer a máquina
cair.
Se trabalhar com cargas pesadas em terrenos de baixa
sustentação ou irregulares, a máquina pode perder a
estabilidade lateral, tombar e causar ferimentos.
Deslocamento sem carga ou com cargas desequilibradas
também pode ser perigoso.
Ao trabalhar na máquina não a deixe sobre suportes
inadequados ou macacos. Bloqueie as rodas na frente e
atrás para evitar qualquer movimento.
Figura 20

Para evitar acidentes causados por danos ao equipamento


frontal e tombamento devido a excesso de carga, não
exceda a capacidade da máquina (em termos de carga
máxima e estabilidade, dependendo da estrutura da
máquina).
Ao trabalhar em cima de uma pilha escavada ou num
acostamento, a máquina pode tombar e causar ferimentos
graves ou morte. Analise com antecedência a topografia
geral do terreno local para evitar que a máquina caia, bem
como que o solo, as pilhas de material escavado, ou os
bancos desabem.
Figura 21

Precauções ao Operar
Evite cometer erros como, por exemplo, aproximar-se da
beira de uma escarpa.
Use a máquina só com o objetivo para o qual ela foi
projetada. Usá-la para outras tarefas pode causar falhas.
Para garantir uma ampla visibilidade, faça o seguinte:
 Ao trabalhar em áreas escuras, coloque luzes de
trabalho e frontais na máquina. Se necessário,
faça ligações de iluminação no local de trabalho.
 Interrompa os trabalhos caso a visibilidade seja Figura 22
fraca como em neblina, cerração, neve e chuva.
Aguarde até que a visibilidade melhore e não
prejudique a operação da máquina.
Para evitar bater com o acessório frontal, faça sempre o
seguinte:
 Ao trabalhar em túneis, pontes, sob cabos de alta
tensão ou quando estacionar a máquina ou
realizar outras operações em lugares com limite
de altura, tome o máximo de cuidado para não
bater com a caçamba ou outras partes da
máquina.
 Para evitar colisões, opere a máquina a uma
velocidade segura em espaços confinados,
fechados ou congestionados.
 Não faça movimentos com a caçamba sobre os
trabalhadores nem sobre o compartimento do
operador do caminhão basculante.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 28
Evite Cabos de Alta Tensão
O contato ou a proximidade com a rede elétrica de alta
tensão pode provocar ferimentos graves ou morte. Não é
necessário que a caçamba esteja fisicamente em contato
com as linhas de energia elétrica para que seja transmitida
corrente.
Use um sinalizador e sinais manuais para ficar afastado dos
cabos de alta tensão que não sejam facilmente visíveis pelo
operador.
Voltagem Distância mínima de segurança Figura 23
6.6 kV 3 m (9’ 10”)
33.0 kV 4 m (13’ 1”)
66.0 kV 5 m (16’ 5”)
154,0 kV 8 m (26’ 3”)
275,0 kV 10 m (32’ 10”)
Use estas distâncias mínimas apenas como orientação.
Dependendo da voltagem da linha e de condições
atmosféricas, fortes choques de corrente podem ocorrer
com a lança ou caçamba mesmo a 4 – 6 metros de distância
da linha de força. Tensões muito elevadas ou tempo
chuvoso poderão diminuir ainda mais essa margem de
segurança.
NOTA: Antes de começar qualquer tipo de operação junto
a linhas de alta tensão (quer sejam cabos acima do
solo ou cabos subterrâneos), deve-se sempre
entrar em contato diretamente com a
concessionária responsável pelo abastecimento de
energia e elaborar um plano de segurança em
conjunto com essa concessionária.

Proteção da Cabine Contra Queda de


Objetos (Opcional)
Num local de trabalho onde pode haver queda ou soltura de
objetos, não deixe de instalar dispositivos de proteção
adequados para a cabine.
Ao usar britadeira, Assegure-se de instalar o protetor do
vidro frontal (Figura 24).

Figura 24

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 29
Num local de operação onde a queda de rochas possa
causar danos e atingir pessoas, ou numa operação de
mineração, Assegure-se de instalar a estrutura contra queda
de objetos (Figura 25).
Assegure-se de instalar quaisquer outras estruturas de
proteção adicionais exigidas pelas condições do local de
operação.
Se for preciso limpar a janela dianteira onde esteja instalada
uma estrutura contra queda de objetos, afrouxe os
parafusos indicados pela seta. Ao terminar, Assegure-se de
reapertar os parafusos.

Opere Cuidadosamente a Máquina Sob


Neve e Temperaturas Muito Baixas
Com tempo frio e gelado, evite movimentos de
deslocamento bruscos e mantenha-se afastado até mesmo
dos menores declives. A máquina poderá tombar para um Figura 25
dos lados com muita facilidade.
O acúmulo de neve pode ocultar ou dissimular possíveis
perigos. Tenha muito cuidado enquanto opera ou usa a
máquina para limpar neve.
Pode ser necessário aquecer a máquina durante um breve
período de tempo, para evitar o funcionamento vagaroso ou
com uma capacidade de trabalho reduzida. Os choques
bruscos e as cargas de impacto provocadas pelo
amortecimento ou assentamento da lança ou acessório têm
uma maior probabilidade de provocar esforços excessivos
em temperaturas muito baixas. Assim sendo, poderá ser
necessário reduzir a intensidade e a carga de trabalho.
Com o aumento da temperatura, as estradas começam a
degelar e, nessas condições, a condução da máquina é
pouco estável.
No tempo frio, não toque as superfícies de metal com as
mãos descobertas. Se você tocar uma superfície de metal
em temperaturas extremamente frias, a sua pele poderá
congelar junto à superfície de metal.

Operações em Encostas
Ao trabalhar em encostas, há o perigo de a máquina se
desequilibrar e tombar ao fazer manobras de giro ou operar
o acessório frontal. Sempre faça estas operações com
cuidado.
Evite girar o acessório frontal de cima para baixo da encosta
com a caçamba cheia. Essa operação é perigosa.
Se for necessário trabalhar com a máquina em uma encosta,
construa uma plataforma de terra, de forma que o terreno
fique o mais horizontal possível.
Figura 26
Além disso, trabalhe com a caçamba próxima do chão,
mantenha-a estendida para frente e gire com a menor
velocidade possível.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 30
Como estacionar a máquina

Evite paradas bruscas, ou estacionar a máquina em


qualquer lugar ao final do dia de trabalho. Planeje
antecipadamente o local de estacionamento, de modo a
garantir que a máquina fique em uma superfície nivelada e
resistente, afastada do tráfego e de paredes altas, bordas Bloquear
de penhascos e de qualquer área onde exista a
possibilidade de acúmulo e escoamento de águas. No caso
de ser mesmo necessário estacionar em um plano inclinado,
coloque calços nas esteiras de tração para evitar o
movimento da máquina. De um dia para outro, abaixe a Destravar
caçamba ou outro equipamento de trabalho totalmente até o
chão, ou até um apoio. Não deve existir nenhuma
possibilidade de ocorrerem movimentos imprevistos ou
acidentais.
Travar
Ao estacionar em vias públicas, coloque bloqueios, sinais,
bandeiras, luzes ou qualquer sinalização necessária para Figura 27
certificar-se de que os veículos que circulam possam ver a
máquina claramente. Estacione de forma que nem ela e
nem os elementos de sinalização obstruam o tráfego.
Depois de ter deslocado a máquina até a posição onde ela
vai permanecer durante a noite e de todos os interruptores e
comandos de operação estiverem na posição “OFF”
[DESLIGADO], acione a alavanca de bloqueio de segurança,
colocando-a na posição “LOCKED” [TRAVADO]. Isto
desativa todas as funções de controle do circuito piloto.
Feche sempre a porta do compartimento do operador.

Jamais Deixe Alguém Ficar no


Acessório Frontal
Nunca permita que nenhuma pessoa suba para qualquer
acessório de trabalho, tais como a caçamba, a britadeira,
garfo de toras ou caçamba de mandíbulas A pessoa pode
cair e sofrer ferimentos graves.

Figura 28

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 31
MANUTENÇÃO
Etiquetas de Aviso
Alerte as outras pessoas de que estão sendo feitos
AVISO
trabalhos de reparos ou manutenção, através da colocação
de etiquetas de aviso nas alavancas de controle na cabine
do operador ou em outras áreas da máquina, caso seja
NÃO OPERE
necessário. A sinalização da proibição de operação nas enquanto estiver fazendo
alavancas de controle, tal como preconiza a OSHA [Diretriz inspeção ou manutenção
de Segurança Ocupacional e Saúde], poderá ser feita com
qualquer dispositivo de proibição certificado pela OSHA e
com uma corrente ou cabo de um comprimento que permita
manter a alavanca de controle na posição totalmente Figura 29
abaixada, inativa.
As etiquetas de aviso para os controles estão disponíveis
nos distribuidores DOOSAN.

Limpeza Antes da Inspeção ou


Manutenção
Limpe a máquina antes de fazer qualquer tarefa de conserto
ou manutenção. Isso evita a entrada de sujeira e garante a
segurança durante a manutenção.
A realização de trabalhos de conserto ou manutenção com a
máquina suja dificultam a localização dos problemas, além
de criar o risco de que sujeira ou lama entrem nos olhos, de
escorregar ou de sofrer algum ferimento.
Ao lavar a máquina, faça o seguinte:
 Use calçados com solas antiderrapantes para não
escorregar ou cair em superfícies molhadas.
 Use proteção ocular e roupas de segurança
quando lavar a máquina com vapor de alta
pressão.
 Tome as medidas necessárias para evitar tocar
em água sob pressão, cortar-se ou que lama entre Figura 30
nos olhos.
 Não jateie água diretamente sobre os
componentes elétricos (sensores, conector) (1,
Figura 30). Se água entrar no sistema elétrico,
pode provocar funcionamento defeituoso da
máquina.
Recolha as ferramentas ou martelos que estejam no local de
trabalho, limpe qualquer resto de gordura, óleo ou outras
substâncias escorregadias, assim como o próprio local de
trabalho, para garantir a segurança da operação. Se o local
de trabalho estiver desarrumado, você pode tropeçar ou
escorregar e se ferir.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 32
Ferramentas Apropriadas
Use apenas ferramentas adequadas à tarefa. O uso de
ferramentas danificadas, de má qualidade, defeituosas ou
improvisadas pode causar ferimentos. Ao usar martelos ou
cinzéis de cabeça plana, fragmentos podem se desprender
dos mesmos, entrando nos olhos e causando cegueira.

Figura 31

Uso de Iluminação
Ao verificar o nível do combustível, do óleo, do eletrólito da
bateria ou do líquido de limpeza do para-brisas, use sempre
iluminação antiexplosão. Se não usar esse equipamento de
iluminação, pode ocorrer uma explosão.
Use sempre uma iluminação apropriada ao trabalhar em
lugares escuros, caso contrário, você pode se ferir.
Nunca use isqueiros ou chamas em vez da iluminação
adequada. Há perigo de incêndio. Há também o perigo de o
gás da bateria pegar fogo e causar uma explosão.
Figura 32

Prevenção de Incêndios e Explosões


Todos os combustíveis, a maior parte dos lubrificantes e
algumas soluções de arrefecimento são inflamáveis. Os
vazamentos de combustível ou combustível derramado
sobre superfícies quentes podem provocar um incêndio.
Armazene todos os combustíveis e lubrificantes em
recipientes devidamente etiquetados e fora do alcance de
pessoal não autorizado.
Guarde os trapos sujos de óleo e demais materiais
inflamáveis em um recipiente protetor.
Figura 33
Não fume enquanto estiver abastecendo a máquina.
Não fume em locais onde as baterias estiverem sendo
carregadas ou em locais onde exista material inflamável.
Limpe e verifique todas as conexões elétricas. Verifique se a
fiação elétrica está frouxa ou gasta. Aperte todos os fios
elétricos antes de operar a máquina. Conserte todos os fios
elétricos gastos antes de operar a máquina.
Não acumule materiais inflamáveis na máquina.
Não solde canos ou tubos que contenham líquidos
inflamáveis. Não corte com maçarico canos ou tubos que
contenham fluídos inflamáveis. Antes de soldar ou cortar
canos ou tubos com maçarico, limpe-os minuciosamente
com um solvente não inflamável.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 33
Prevenção de Queimaduras
Ao verificar o nível do líquido de arrefecimento do radiador,
desligue o motor, deixe que o radiador e o motor esfriem e
verifique o tanque de recuperação do líquido de
arrefecimento. Se o nível do mesmo no reservatório se
aproximar do limite superior, há líquido de arrefecimento
suficiente no sistema.
Afrouxe a tampa do radiador pouco a pouco antes de retirá-
la, para liberar a pressão interna.
Se o nível do líquido de arrefecimento no tanque reserva
estiver abaixo do limite inferior, complete.
O condicionador do sistema de arrefecimento contém álcalis.
Os álcalis podem causar ferimentos. Não permita que álcalis
entrem em contato com a pele, olhos ou boca.
Espere que os componentes do sistema de arrefecimento
esfriem antes de fazer a drenagem.
Óleo e outros componentes quentes podem produzir
ferimentos. Não permita que entrem em contato com a pele.
Desligue o motor antes de remover a tampa do filtro do
reservatório hidráulico. Se remover a tampa com as mãos
desprotegidas, verifique antes se está fria. Remova a tampa
do filtro do reservatório hidráulico lentamente para liberar a
pressão.
Despressurize os sistemas de lubrificação, de combustível e
de arrefecimento antes de desconectar quaisquer linhas, Figura 34
conexões ou peças relacionadas.
As baterias liberam gases inflamáveis que podem explodir.
Não fume enquanto estiver verificando o nível do eletrólito
da bateria.
O eletrólito é um ácido. O eletrólito pode causar ferimentos.
Não permita que o eletrólito entre em contato com a pele ou
com os olhos.
Use sempre proteção ocular ao trabalhar com baterias.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 34
Reparos por Soldagem
Ao fazer reparos com solda, faça em um lugar
convenientemente equipado. A solda deve ser feita por
trabalhador qualificado. Durante operações de solda, há
perigo de geração de gases, fogo, ou choque elétrico,
portanto nunca deixe um trabalhador sem qualificação fazê-la.
O soldador qualificado deve seguir os seguintes conselhos:
 Desligar os terminais da bateria e removê-la para
evitar uma explosão.
 Remover a tinta do local que vai ser soldado, para
evitar a geração de gases.
 Se equipamento hidráulico, tubos ou locais
próximos forem aquecidos, serão produzidos
gases inflamáveis, com o consequente perigo de
incêndio. Para evitar essa situação, nunca
exponha esses lugares a temperaturas elevadas.
 Não solde canos ou tubos que contenham líquidos
inflamáveis. Não corte com maçarico canos ou
tubos que contenham fluídos inflamáveis. Antes
de soldar ou cortar canos ou tubos com maçarico,
limpe-os minuciosamente com um solvente não
inflamável.
 Se as mangueiras de borracha ou tubos
pressurizados forem expostos diretamente a uma
fonte de calor, poderão romper-se repentinamente
e, por isso, é conveniente protegê-los com uma
cobertura à prova de fogo.
 Use roupas de proteção.
 Assegure-se de que a ventilação seja boa.
 Remova todos os objetos inflamáveis e tenha à
mão um extintor de incêndio.

Aviso para Remoção do Contrapeso e


do Acessório Frontal

PERIGO!
A DOOSAN avisa a qualquer usuário que a estabilidade
da máquina pode ser afetada ao se remover o
contrapeso, acessório frontal ou qualquer outra peça da
mesma. Isto pode provocar movimentos inesperados e
produzir ferimentos graves ou morte. A DOOSAN não se
responsabiliza pelo uso indevido da máquina.
Nunca remova o contrapeso ou o acessório frontal, a
menos que a estrutura superior esteja alinhada com a
inferior.
Figura 35
Nunca gire a estrutura superior após ter removido o
contrapeso ou o acessório frontal.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 35
Precauções para Remoção, Instalação e
Armazenagem de Acessórios
Antes de remover e instalar acessórios, selecione um chefe
de equipe.
Não permita que pessoas não autorizadas se aproximem da
máquina ou dos acessórios.
Coloque os acessórios removidos da máquina em um lugar
seguro para que não caiam. Coloque uma cerca em volta
dos mesmos e tome outras medidas para evitar que
pessoas não autorizadas entrem no recinto. Figura 36

Precauções ao Trabalhar na Máquina


Ao fazer operações de manutenção na máquina, mantenha
limpo e arrumado o local de apoio dos pés, para evitar
possíveis quedas. Faça sempre o seguinte:
 Não derrame óleo ou gordura.
 Não deixe ferramentas ao seu redor.
 Olhe onde pisa ao caminhar.
Nunca salte para sair da máquina. Ao subir ou descer da
máquina, use os degraus e os corrimãos e mantenha três
pontos de contato (ambos os pés e uma mão ou ambas as Figura 37
mãos e um pé).
Se o trabalho o exigir, use roupas de proteção.
Para evitar possíveis ferimentos provocados por quedas ou
escorregões ao trabalhar na máquina, caminhe unicamente
pelo corredor de inspeção, que tem um piso antiderrapante.

Bloqueio das Tampas de Inspeção


Ao fazer tarefas de manutenção com a tampa de inspeção
aberta, coloque-a em posição segurança com a barra de
bloqueio.
Se o trabalho de manutenção for executado com a tampa de
inspeção aberta mas não bloqueada, uma rajada de vento
pode fechá-la subitamente e provocar ferimentos.

Prevenção de Ferimentos por


Esmagamento ou Corte
Se o motor tiver que ficar funcionando durante o trabalho, é
recomendável que pelo menos duas pessoas participem das
operações. Uma pessoa precisa ficar no assento do
operador para operar os comandos de controle, ou para
parar a máquina e desligar o motor.
Nunca faça ajustes enquanto a máquina estiver em
movimento ou com o motor funcionando, a menos que você
tenha recebido instruções em contrário.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 36
Mantenha-se afastado de todas as peças giratórias e
móveis.
Mantenham objetos longe de pás de ventiladores em
movimento. As pás de ventiladores jogam objetos e podem
cortar.
Não use cabos metálicos desfiados ou torcidos. Use luvas
ao manusear um cabo metálico.
Ao bater em um pino de fixação ele pode voar longe. O pino
de fixação solto pode ferir pessoas. Certifique-se de que a
área esteja livre de pessoas ao bater em um pino de fixação.
Para evitar danos aos olhos, use óculos de proteção ao
bater em um pino de fixação.

Precauções Necessárias Durante o


Ajuste da Tensão das Esteiras
Nunca retire a porca da graxeira de ajuste da tensão da
esteira. Para despressurizar o conjunto da armação da
esteira, NUNCA tente desmontar o tensor, nem remover a
graxeira ou o conjunto da válvula.
Mantenha o rosto e o corpo afastados da válvula. Consulte
os procedimentos de ajuste das esteiras no Manual de
Operação e Manutenção ou no Manual de Oficina.
Figura 38

Suportes e Bloqueio do Acessório


Frontal
Não permita que o peso ou as cargas do acessório frontal
permaneçam suspensas.
Desça todos os acessórios até o chão antes de deixar o
assento do operador.
Não use suportes ocos, rachados, ou instáveis para os
pesos.
Não trabalhe debaixo de nenhum equipamento sustentado
apenas por um macaco. Figura 39

Ação ao Encontrar Anormalidade


Durante a Inspeção
Se for encontrada alguma anormalidade durante a inspeção,
faça os reparos necessários. Caso contrário, podem ocorrer
ferimentos graves, especialmente se avarias nos freios ou
nos sistemas do acessório frontal não tiverem sido
reparadas.
Se for necessário, dependendo do tipo de avaria, consulte o
seu distribuidor DOOSAN para fazer o conserto.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 37
Precauções com Linhas, Tubos e
Mangueiras de Alta Pressão
Ao inspecionar ou substituir tubos ou mangueiras de alta
pressão, verifique se o circuito foi despressurizado. Caso
contrário, podem ocorrer ferimentos graves.
Faça sempre o seguinte:
 Use proteção ocular e luvas de couro.
 Os vazamentos de fluido das mangueiras
hidráulicas ou dos componentes sob pressão
podem ser de difícil localização; no entanto, o óleo
pressurizado tem força suficiente para perfurar a
pele e causar ferimentos graves. Use sempre um
pedaço de madeira ou papelão para verificar se
há vazamentos hidráulicos. Nunca use as mãos
ou os dedos para essa inspeção.
 Não dobre linhas de alta pressão. Não golpeie as
linhas de alta pressão. Não instale linhas, tubos,
ou mangueiras torcidos ou danificados.
 Assegure-se de que todas as braçadeiras,
proteções e blindagens térmicas estejam
corretamente instaladas para evitar vibrações,
atrito com outras peças e calor excessivo durante Figura 40
a operação.
– Substitua a peça se ocorrer alguma das
seguintes circunstâncias:
– A extremidade da mangueira tem
vazamentos ou está danificada.
– Desgaste, dano, corte do revestimento, ou
exposição da camada metálica de reforço.
– A cobertura está inchada em alguns locais.
– Peças móveis das mangueiras estão
torcidas ou esmagadas.
– Há materiais estranhos incrustados na
cobertura.
– A extremidade da mangueira está
deformada.
NOTA: Para obter mais informações sobre
regulamentações europeias consulte a
página 4-70: “Vida Útil das Mangueiras
(Normativas Européias ISO 8331 e
EN982 CEN).”

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 38
Resíduos
O contato físico com óleo de motor usado pode constituir um
risco para a saúde. Limpe imediatamente o óleo das mãos e
lave-as para eliminar quaisquer resíduos ainda existentes.
O óleo de motor usado é uma substância contaminante do
meio ambiente e só pode ser eliminado em instalações de
recolhimento devidamente aprovadas. Para evitar
contaminação do meio ambiente, sempre siga os seguintes
conselhos:
 Não elimine o óleo usado na rede de esgoto, rios,
etc. Figura 41
 Coloque sempre o óleo drenado de sua máquina
em recipientes. Nunca escoe o óleo diretamente
sobre o chão.
 Cumpra as leis e regulamentos correspondentes
ao descartar materiais nocivos como óleo,
combustível, solvente, filtros e baterias.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 39
BATERIA

Prevenção de Perigos da Bateria


O eletrólito da bateria contém ácido sulfúrico diluído e as
baterias geram hidrogênio. O hidrogênio é um gás altamente
explosivo e qualquer erro em sua manipulação pode
provocar um incêndio ou ferimentos graves. Para evitar
problemas, sempre siga os seguintes conselhos:
 Não fume nem traga chama para perto da bateria.
 Ao trabalhar com baterias, SEMPRE use proteção
ocular adequada e luvas de borracha.
 Se o eletrólito entrar em contato com a roupa ou a
pele, lave imediatamente o local afetado com
bastante água.
 Se o eletrólito entrar em contato com os olhos,
além de enxaguá-los imediatamente com bastante
água, você deve receber atendimento médico
urgente.
 Se ingerir acidentalmente eletrólito da bateria,
beba uma quantidade abundante de água ou leite,
ovo cru ou óleo vegetal. Procure imediatamente
um médico ou o centro de prevenção contra
venenos.
 Limpe a parte superior da bateria com um pano
limpo e úmido. Nunca use gasolina nem nenhum
tipo de solvente ou detergente.
 Mantenha os terminais da bateria bem apertados.
 Se o eletrólito da bateria estiver congelado, não a
carregue ou ligue o motor com energia de outra Figura 42
fonte. Há perigo de a bateria incendiar.
 Quando carregar a bateria ou ligar o motor
conectando-o a outra fonte, deixe que o eletrólito
se dissolva e verifique se não há vazamentos,
antes de começar a operação.
 Remova sempre a bateria da máquina antes de
carregá-la.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 40
Partida Auxiliada ou Carga de Baterias
de Motor
Se houver algum erro no método de conexão dos cabos de
partida auxiliar, pode ocorrer uma explosão ou um incêndio.
Faça sempre o seguinte:
 Desligue todos os equipamentos elétricos antes
de ligar os cabos à bateria. Isso inclui os
interruptores elétricos do carregador da bateria ou
o equipamento de partida auxiliar.
 Ao fazer a partida auxiliar com a ajuda de outra
máquina ou veículo, não permita que as duas Figura 43
máquinas entrem em contato. Use óculos de
proteção enquanto efetua as conexões
necessárias da bateria.
 As unidades de baterias de 24 volts compostas
por duas baterias de 12 volts ligadas em série
possuem um cabo que conecta um terminal
positivo de uma das baterias de 12 volts ao
terminal negativo da outra. As ligações do cabo do
carregador ou do cabo de partida auxiliar devem
ser feitas entre os terminais positivos não ligados
em série e entre o terminal negativo da bateria de
partida auxiliar e a estrutura metálica da máquina
que está sendo colocada em funcionamento ou
sendo carregada. Consulte os procedimentos e as
ilustrações contidos na seção “Partida do Motor
com Ajuda de uma Bateria Auxiliar” na página 3-7
deste Manual de Instruções.
 Ao conectar os cabos, conecte primeiramente o
cabo positivo, e ao retirá-los, desconecte
primeiramente o cabo negativo. A conexão final
dos cabos, na estrutura de metal da máquina que
está sendo carregada ou colocada em
funcionamento, deverá ficar o mais afastada
possível das baterias.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 41
REBOQUE Tecido

Precauções ao Rebocar
Se ocorrer algum erro no método de seleção ou de inspeção
do cabo de aço de reboque, poderão ocorrer ferimentos
graves. Faça sempre o seguinte:
Cabo de
 Use sempre o método de reboque dado nesse Reboque
Manual de Operação de Manutenção. Não use
nenhum outro método.
 Use sempre luvas de couro ao trabalhar com o
cabo de aço.
 Quando estiver preparando a manobra de Grilhete
reboque com dois ou mais trabalhadores,
determine os sinais a serem usados e siga-os
corretamente.
Cabo de
 Sempre prenda o cabo de reboque nos ganchos Reboque
situados à esquerda e à direita.
Figura 44
 Se o motor da máquina avariada n? funcionar, ou
se houver uma avaria no sistema de freios,
consulte o seu distribuidor DOOSAN.
 Nunca fique entre a máquina rebocadora e a
máquina rebocada durante a operação.
 É perigoso rebocar em encostas e, por isso, deve-
se escolher um local com inclinação gradual. Se
não houver nenhum local nessas condições, tente
reduzir o desnível antes de começar a rebocar.
 Ao rebocar uma máquina avariada, sempre use
um cabo de aço com suficiente capacidade.
 Não use cabos desfiados, torcidos ou gastos.
 Não use gancho de reboque leve para rebocar
outra máquina.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 42
EXPEDIÇÃO E TRANSPORTE
Obedeça aos Regulamentos
Rodoviários Locais, Estaduais e
Federais
Verifique as restrições locais e estaduais quanto ao peso,
largura e comprimento de uma carga, antes de fazer
quaisquer outros trabalhos de preparação para o transporte.
O veículo de transporte, o reboque e a carga devem estar
conforme os regulamentos locais que se aplicam à rota de
transporte prevista.
Poderá ser necessário desmontar parcialmente ou
decompor a máquina para satisfazer as restrições da rota ou
as condições específicas do local de trabalho. Para obter
mais informações sobre a desmontagem parcial da máquina,
consulte o Manual de Oficina.
Para obter mais informações sobre carga, descarga e
reboque, consulte a seção Transporte e Expedição deste
Manual de Manutenção e Operação.

LEVANTAMENTO COM
ESLINGA

AVISO!
A elevação de forma incorreta poder nduzir
transferência de carga e provocar ferimentos ou danos.

1. Consulte a seção Especificações do Manual de


Operação e Manutenção para informações sobre
pesos e dimensões.

2. Utilize faixas e cabos com a resistência e robustez


adequadas para a elevação.

3. Posicione a máquina de forma que seja Figura 45


uniformemente levantada.

4. Os cabos de elevação deverão ser suficientemente


compridos, de forma a evitar o contato com a máquina.
Poderá ser necessário o uso de barras de separação.

Caso sejam usadas barras transversais, assegure-se de que


os cabos de levantamento estejam adequadamente presos
às mesmas e de que o ângulo dos cabos seja adequado
para a rça de levantamento necessária.

Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716


Página 43
Segurança Escavadeira de Esteiras SP001716
Página 44
Especificações
SP001717

Especificações
DX225LCA
1ª edição

Especificações DX225LCA SP001717


Página 1
ANOTAÇÕES

Especificações DX225LCA SP001717


Página 2
Índice

Especificações DX225LCA

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA............................. 5
MODELOS APLICÁVEIS ......................................... 5
DESCRIÇÃO GERAL .............................................. 7
LOCALIZAÇÃO DOS COMPONENTES.................. 8
DIMENSÕES GERAIS........................................... 10
AMPLITUDE DE TRABALHO ................................ 11
ESPECIFICAÇÕES GERAIS................................. 13
CURVAS DE DESEMPENHO DO MOTOR
(CONFORME NORMA DIN 6270) ......................... 15
PESO APROXIMADO DOS MATERIAIS DE
CARGA .................................................................. 17
TESTES DE DESEMPENHO ................................ 19
PADRÕES DE DESLOCAMENTO DA CAÇAMBA 20
Condições de teste ....................................................................... 20

Teste de equilíbrio de velocidade de deslocamento e motor de

deslocamento (desvio da direção) ................................................ 20

Teste da velocidade de giro e da força de desaceleração............ 22

Teste de desempenho dos cilindros.............................................. 24

Especificações DX225LCA SP001717


Página 3
ANOTAÇÕES

Especificações DX225LCA SP001717


Página 4
PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise, segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LCA 5167 e acima

Especificações DX225LCA SP001717


Página 5
Especificações DX225LCA SP001717
Página 6
DESCRIÇÃO GERAL
A escavadeira tem três seções componentes principais:
 A estrutura de giro superior
 A estrutura inferior rodante e as armações de
esteiras
 O acessório frontal da escavadeira

A ilustração a seguir identifica os principais componentes e


suas localizações. (Veja a Figura 1 na página 8).

Especificações DX225LCA SP001717


Página 7
LOCALIZAÇÃO DOS COMPONENTES

Figura 1

Especificações DX225LCA SP001717


Página 8
Número de Número de
Descrição Descrição
Referência Referência
1 Contrapeso 20 Braço
2 Capô 21 Cilindro da caçamba
3 Silencioso 22 Elo-guia
4 Tanque de óleo hidráulico 23 Caçamba
5 Tanque de combustível 24 Elo de empuxo
6 Motor 25 Ponta do dente
Tampa de abastecimento do
7 26 Cortador lateral
tanque de combustível
8 Radiador e arrefecedor de óleo 27 Roda-guia
9 Válvulas de controle 28 Tensor da esteira
10 Motor do giro 29 Guia da esteira
11 Filtro de ar 30 Bateria
12 Rolamento de giro 31 Rolete inferior
13 Cabine 32 Junta de articulação central
14 Assento 33 Rolete superior
15 Cilindro da lança 34 Motor de deslocamento
Controles das alavancas
16 35 Elo da esteira e sapata
(Joystick) de trabalho
17 Cilindro do braço 36 Filtro de sucção
18 Lança 37 Filtro de retorno
19 Alavanca de deslocamento 38 Bombas

Especificações DX225LCA SP001717


Página 9
DIMENSÕES GERAIS

Figura 2

LANÇA DE 5,2 M (17,1 ft) LANÇA DE 5,7 M (18,7 ft)


DIMENSÕES
2,0 M (6,6 ft) 2,4 M (7,9 ft) 2,4 M (7,9 ft) 2,9 M (9,5 ft) 3,5 M (11,5 ft)
BRAÇO BRAÇO BRAÇO BRAÇO BRAÇO

A 9.080mm (29’ 9”) 8.990 mm (29’ 6”) 9.500mm (31’ 2”) 9.485 mm (31’ 1”) 9.500mm (31’ 2”)

B 2.750 mm (9’ 0”)

C 6.330 mm (20’ 9”) 6.240 mm (20’ 6”) 6.750 mm (22’ 2”) 6.735 mm (22’ 1”) 6.750 mm (22’ 2”)

D 3.650mm (11’ 12”)

E 4.445 mm (14’ 7”)

F 1.055 mm (3’ 6”)

G 3.210 mm (10’ 6”) 3.050 mm (10’ 0”) 3.110 mm (10’ 2”) 3.005 mm (9’ 10”) 3.290 mm (10’ 10”)

H 2.710mm (8’ 11”)

I 1.400 mm (4’ 7”)

J 1.310 mm (4’ 4”)

K 2.390 mm (7’ 10”)

L 2.990 mm (9’ 10”)

M 600mm (1’ 12”)

N 480 mm (1’ 7”)

O 2.975 mm (9’ 9”)

Especificações DX225LCA SP001717


Página 10
AMPLITUDE DE TRABALHO

AVISO!
O valor real do Alcance de escavação “L”, depende da
estabilidade e suporte proporcionados pelas condições
do solo. Escavar excessivamente abaixo da escavadeira
em terreno de baixa sustentação, solto, ou instável,
pode fazer com que a sustentação do terreno ceda, com
risco de causar lesões e danos ao equipamento.

Figura 3

Especificações DX225LCA SP001717


Página 11
Tipo da Lança Inteiriça 5,7 m (18,7 ft) Inteiriça 5,2 m (18,1 ft)

2,0 m 2,4 m 2,9 m 3,5 m 2,0 m 2,4 m


DIM. Tipo do braço
(6,56 ft) (7,87 ft) (9,51 ft) (11,48 ft) (6,56 ft) (7,87 ft)

Tipo da caçamba 1,17 m 3 1,05 m 3 0,92 m 3 0,81 m 3 1,28 m 3 1,17 m 3


PCSA (1.43 yd3) (1.37 yd3) (1.20 yd3) (1.05 yd3) (1.66 yd3) (1,43 yd3)

Max. alcance de 9.110mm 9.840mm 9.900mm 10.400mm 8.580mm 8.950mm


A
escavação (29’ 11”) (32' 3") (32' 6") (34' 1") (28' 2") (29' 4")

Máx. alcance de 8.920 mm 9.330 mm 9.730 mm 10.235 mm 8.380 mm 8.760 mm


B
escavação (no solo) (29' 3") (30' 7") (31' 11") (33' 7") (27' 6") (28' 9")

Máx. profund. de
5.710mm 6.110mm 6.620mm 7.220mm 5.355mm 5.755mm
C escavação máxima
(18' 9") (20' 1") (21' 9") (23' 8") (17' 7") (18' 11")
de escavação

Máx. altura de 6.610 mm 6.830 mm 6.990 mm 7.150 mm 6.085 mm 6.300 mm


D
carga carregamento (21' 8") (22' 5") (22' 11") (23' 5") (19' 12") (20' 8")

3.675 mm 3.410 mm 3.410 mm 3.440 mm 3.370 mm 3.195 mm


E Mín. raio de giro
(12' 1") (11' 2") (11' 2") (11' 3") (11' 1") (10' 6")

Máx. altura de 9.395 mm 9.630 mm 9.750 mm 9.870 mm 8.845 mm 9.065 mm


F
escavação (30' 10") (31' 7") (31' 12") (32' 5") (29' 0") (29' 9")

Máx. atura ao pino 8.080 mm 8.300 mm 8.455 mm 8.610 mm 7.555 mm 7.770 mm


G
da caçamba (26' 6") (27' 3") (27' 9") (28' 3") (24' 9") (25' 6")

Máx. parede 4.945 mm 5.385 mm 5.640 mm 6.005 mm 4.435 mm 4.880 mm


H
vertical (16' 3") (17' 8") (18' 6") (19' 8") (14' 7") (16' 0")

6.010 mm 6.055 mm 6.410 mm 6.750 mm 5.790 mm 5.842 mm


I Máx. raio vertical
(19' 9") (19' 10") (21' 0") (22' 2") (18' 12") (19' 2")

Máx. profund. até a 5.480 mm 5.910 mm 6.430 mm 7.050 mm 5.115 mm 5.545 mm


J
linha de 8 ft (17' 12") (19' 5") (21' 1") (23' 2") (16' 9") (18' 2")

Máx. raio linha de 8 2.870 mm 2.880 mm 2.865 mm 2.630 mm 2.495 mm 2.510 mm


K
ft (9' 5") (9' 5") (9' 5") (8' 8") (8' 2") (8' 3")

Mín. alcance de 2.565 mm 1.698 mm 5 19 m m - 224 mm 1.819 mm 640 mm


L
escavação (8' 5") (5' 7") (1' 8") (-0' 9") (5' 12") (2' 1")

Especificações DX225LCA SP001717


Página 12
ESPECIFICAÇÕES GERAIS
Peso de embarque 21.5 toneladas métricas (47.399 lb), inclui combustível 10%,
lança, 5.700 mm (18' 8"), braço 2.900 mm (9' 6"), caçamba e
sapatas padrão
Peso de operação Adicionar peso do tanque cheio de combustível e operador
Pesos de embarque com sapata de Adicionar 285 kg (628 lb) para sapatas de 700 mm (28")
esteira opcional Adicionar 560 kg (1.235 lb) para sapatas de 800 mm (32")
Adicionar 850 kg (1.874 lb) para sapatas de 900 mm (35")
Peso dos componentes principais Lança padrão de 5.700 mm (18' 8") 1,445 kg (3,186 lb)
5.200 mm (17' 1") lança 1,333 kg (2.939 lb)
2.000 mm (6' 7") braço 579 kg (1.276 lb)
2.000 mm (7' 10") braço 595 kg (1.276 lb)
2.000 mm (9' 6") braço 679 kg (1.276 lb)
2.000 mm (11' 6") braço 815 kg (1.276 lb)
Cilindro da lança de 178 kg (392 lb) cada
Cilindro do braço 266 kg (586 lb)
Cilindro da caçamba de 152 kg (355 lb)
Contrapeso de 4.100 kg (9,039 lb)
Plataforma giratória 5,753 kg (12.639 lb) (excluindo contrapeso
e dianteiro)
Inferior – 7.635 kg (16.832 lb) (incluindo rolamento de giro)
Forças de escavação (com reforçador de potência):
Cilindro da Caçamba 13.300 kg (29.321 lb) - (com braço de 3.500 mm [11' 6"] ou
2.400 mm [7' 10"] )
Cilindro do braço 10.500 kg (23,149 lb) com braço de 2.900 mm (9' 6")
Capacidade do tanque de 400 litros (105,7 U.S. gal)
combustível
Capacidade do sistema hidráulico 240 litros (63,4 U.S. gal)
Capacidade do reservatório hidráulico 140 litros (37 U.S. gal)
Faixa de capacidades coroadas da PCSA 0,4 – 1,28 m3 (0,5 – 1,67 yd3)
caçamba
IMPORTANTE: Consulte a Tabela Peso da carga, compatibilidade
da caçamba e comprimento do braço para informações sobre o
tamanho da caçamba que pode ser usado com segurança com qual
comprimento de braço para carga de materiais.
Tipo de sapata Garra tripla
Largura da sapata com tamanhos 600 mm (24") – padrão
opcionais 700 mm (28") – opcional
800 mm (32") – opcional
900 mm (35") – opcional
Pressões sobre o solo, nominais:
Sapata padrão de 600 mm (24") 0,45 kg/cm2 (6,4 psi)
Sapata opcional de 700 mm (28") 0,39 kg/cm2 (5,55 psi)
Sapata opcional de 800 mm (32") 0,34 kg/cm2 (4,84 psi)
t
Sapata opcional de 900 mm (35") 0,30 kg/cm2 (4,27 psi)

Especificações DX225LCA SP001717


Página 13
Dimensões de transporte
Comprimento total de embarque 9.485 mm (31' 1")
(lança e braço padrão)
Largura de embarque total 2.990 mm (9' 10")
(sapatas padrão)

Altura de embarque total (ao 3.005 mm (9' 10")


topo da mang. do cilindro)
Comprimento de embarque da 4.445 mm (14' 7")
esteira
Capacidade do reboque de 30 toneladas métricas (33 t), capacidade de carga mínima
transporte
Rampa de carga para transporte 15° ATENÇÃO: Consulte o Procedimento de transporte máximo
para instruções de embarque seguro.

Especificações DX225LCA SP001717


Página 14
CURVAS DE DESEMPENHO DO MOTOR
(CONFORME NORMA DIN 6270)

TORQUE (kg.m)
POTÊNCIA ÚTIL (os)

CONSUMO DE COMBUSTÍVEL (g/ps.h)


ROTAÇÃO (rpm)

Figura 4

Especificações DX225LCA SP001717


Página 15
Condição Especificações
Modelo do motor DB58TIS
Pressão barométrica 760 mmHg (20°C (68°F))
660,4mm, APIRADOR
Ventilador de arrefecimento:
(26 pol.)
Alternador 24 V x 50 A
Filtro de ar Instalado
Silencioso Instalado

Padrão de desempenho DIN 6270


150 ps a 1,900 rpm
Potência
(148 hp @ 1,900 rpm)
61,5 kg•m a 1.400 rpm
Torque máx.
(445 lb•ft @ 1,400 rpm)
163 g/ps•h
Consumo de combustível (mín. nominal)
(5,4 oz/hp•h)

Especificações DX225LCA SP001717


Página 16
PESO APROXIMADO DOS
MATERIAIS DE CARGA

IMPORTANTE
Os valores dos pesos listados na tabela podem aumentar
por causa da exposição à chuva, à neve ou umidade do
solo; também podem sofrer acréscimos por causa da
sedimentação ou a compactação, devido a uma
sobrecarga e a processamentos químicos ou industriais,
devido a transformações térmicas ou químicas.

PESO OU DENSIDADE PESO OU DENSIDADE PESO OU DENSIDADE


BAIXOS 1.100 KG/M3 MÉDIOS 1.600 KG/M3 ALTOS 2.000 KG/M3
MATERIAL
(1.850 LB/YD3) OU (2.700 LB/YD3) OU (3.370 LB/YD3) OU
MENOS MENOS MENOS

401 kg/m3
Carvão vegetal --------------------- ---------------------
(695 lb/yd3 )

433 kg/m3
Coque para altos fornos --------------------- ---------------------
(729 lb/yd3)

449 kg/m3
Coque para fundição --------------------- ---------------------
(756 lb/yd3)

Carvão mineral, 801 kg/m3


--------------------- ---------------------
betuminoso a granel (1.350 lb/yd3)

Carvão mineral betuminoso 881 kg/m3


--------------------- ---------------------
em pedra, granel (1.485 lb/yd3)

897 kg/m3
Carvão antracita --------------------- ---------------------
(1.512 lb/yd3)

1.009 kg/m3
Argila SECA em torrões --------------------- ---------------------
(1.701 lb/yd3)

1.746 kg/m3
Argila ÚMIDA, leito natural --------------------- ---------------------
(2.943 lb/yd3)

Cimento Portland, SECO 1.506 kg/m3


--------------------- ---------------------
granulado (2.583 lb/yd3)

Cimento Portland SECO, 1.362 kg/m3


--------------------- ---------------------
clinker (2.295 lb/yd3)

1.522 kg/m3
Dolomita triturada --------------------- ---------------------
(2.565 lb/yd3)

1.202 kg/m3
Terra argilosa, SECA, solta --------------------- ---------------------
(2.025 lb/yd3)

1.522 kg/m3
Terra SECA compactada --------------------- ---------------------
(2.565 lb/yd3)

Especificações DX225LCA SP001717


Página 17
PESO OU DENSIDADE PESO OU DENSIDADE PESO OU DENSIDADE
BAIXOS 1.100 KG/M3 MÉDIOS 1.600 KG/M3 ALTOS 2.000 KG/M3
MATERIAL 3 3
(1.850 LB/YD ) OU (2.700 LB/YD ) OU (3.370 LB/YD3) OU
MENOS MENOS MENOS
1.762 kg/m3
Terra ÚMIDA lamacenta --------------------- ---------------------
(2.970 lb/yd3)
3
Gesso calcinado 961 kg/m
--------------------- ---------------------
(aquecido, em pó) (1.620 lb/yd3)
Gesso triturado de 3 1.522 kg/m3
--------------------- ---------------------
polegadas (2.565 lb/yd3)
Cascalho SECO em 1.810 kg/m3
--------------------- ---------------------
fragmentos compactos (3.051 lb/yd3)
Cascalho ÚMIDO em 1.922 kg/m3
--------------------- ---------------------
fragmentos compactos (3.240 lb/yd3)
Pedra calcária, graduação 1.282 kg/m3
--------------------- ---------------------
superior a 2 (2.160 lb/yd3)
Pedra calcária, graduação 1.362 kg/m3
--------------------- ---------------------
de 1 1/2 ou 2 (2.295 lb/yd3)
1.522 kg/m3
Pedra calcária triturada --------------------- ---------------------
(2.565 lb/yd3)
1.602 kg/m3
Pedra calcária fina --------------------- ---------------------
(2.705 lb/yd3)
1.282 kg/m3
Fosfato, rocha --------------------- ---------------------
(2.160 lb/yd3)
929 kg/m3
Sal --------------------- ---------------------
(1.566 lb/yd3)
529 kg/m3
Neve de baixa densidade --------------------- ---------------------
(891 lb/yd3)
1.522 kg/m3
Areia SECA solta --------------------- ---------------------
(2.565 lb/yd3)
1.922 kg/m3
Areia ÚMIDA compacta --------------------- ---------------------
(3.240 lb/yd3)
1.362 kg/m3
Piçarra partida --------------------- ---------------------
(2.295 lb/yd3)
3
529 kg/m
Enxofre partido --------------------- ---------------------
(1.620 lb/yd3)

Especificações DX225LCA SP001717


Página 18
TESTES DE DESEMPENHO
1. Pressão de alívio principal
Operação normal: 330 kg/cm3 (4,689 psi)
com “Reforço de pressão” 350 kg/cm3 (4,970 psi)
2 Velocidades do atuador

Operação Unidade: Modo Padrão Modo de Potência


Para cima: s 3.3 ± 0.4 3.2 ± 0.4
Lança
Para baixo s 2.6 ± 0.3 2.5 ± 0.3
Fechar s 3.4 ± 0.4 3.3 ± 0.4
Braço
Despejar s 2.6 ± 0.3 2.5 ± 0.3
Fechar s 3.6 ± 0.4 3.5 ± 0.4
Caçamba
Despejar s 2.3 ± 0.3 2.2 ± 0.3
Giro: 3 rotações s 17.2 ± 1.5 16.5 ± 1.5
Velocidade de levantamento Baixa s 34.5 ±2.0 33.1 ±2.0
(3 voltas) Alta s 18.7 ± 1.5 18.0 ± 1.5
Velocidade de deslocamento Baixa s 25± 1.5 24± 1.5
20 m (66 ft) Alta s 13.6±1.0 13.1 ± 1.0
Desvio de deslocam 20 m Baixa mm (in) 150 (6) 150 (6)
(66 ft) Alta mm (in) 150 (6) 150 (6)

Especificações DX225LCA SP001717


Página 19
PADRÕES DE DESLOCAMENTO
DA CAÇAMBA
A avaliação do desempenho de equipamentos e da
condição operacional pode ser feita funcionando-se a
escavadeira numa série de diferentes testes e registrando-
se os resultados com um cronômetro e fita de medição.
Compare os resultados dos testes de desempenho com as
especificações e padrões que seguem, que são para
equipamentos novos ou recondicionados.

Condições de teste
1. Todos os teste devem ser executados numa
superfície plana e nivelada.
2. Todos os serviços de manutenção e ajuste
recomendados devem ser completados antes dos
testes.
3. O fluido hidráulico e o óleo do motor devem ser de
viscosidade apropriada para as condições de
temperatura ambiente. Pré-aquela o óleo hidráulico
na temperatura de operação padrão 45° - 55°C
(112° - 135°F).
4. Faça todos os testes com o controle de rotação do
motor ajustado em rpm máxima.
5. Repita os teste com os ajustes de controle do motor
nos modos Padrão (modo de trabalho normal) e
Potência (modo de alta rotação). Os teste de
velocidade de deslocamento também devem ser
repetidos em alta e baixa rotações.

Teste de equilíbrio de velocidade de


deslocamento e motor de deslocamento
(desvio da direção)

Teste de velocidade
Prepare a escavadeira para os teste de velocidade de
deslocamento estendendo os cilindros hidráulicos - lança,
braço e caçamba - na posição totalmente estendida,
mostrada na Figura 5.

Especificações DX225LCA SP001717


Página 20
Figura 5
A parte mais baixa da articulação da caçamba deve ser de
0.3 – 0.5 m (1’ – 2’) fora do solo.
Marque uma distância de teste de 20 m (65' 7-1/2"), com
uma área de aceleração de 3 - 5 m (10' - 15'), e uma
distância sem carga de 3 - 5 m (10' - 15', ou maior).
Desloque a escavadeira para a frente e para trás para
assegurar-se de que a direção está centrada e as armações
laterais paralelas com o percurso de teste.
Acione ambas as alavancas de deslocamento na posição
totalmente engatada e meça o tempo para percorrer 20 m
(65’ 7-1/2”). Compare os resultados medidos contra o
padrão para máquinas novas:

Tempo
Velocidade de deslocamento
Modo padrão Modo de potência

Alta velocidade 13.7 ± 1.0 s 13,1 ± 1.0 s

Velocidade lenta 25 ± 1,5 s 24 ± 1,5 s

Gire a plataforma giratória 180º. Ambos os teste devem ser


repetidos três vezes. Tire a média de todos os resultados
para obter um valor final.

Figura 6

Especificações DX225LCA SP001717


Página 21
Desvio de deslocamento

Para verificar o desvio de direção (equilíbrio do motor de


deslocamento), use uma fita ou corda comprida, ou a borda
de uma sarjeta reta ou outro marcador para verificar a
uniformidade lado a alado do motor de deslocamento.
A distância de desvio deve ser sempre medida na “linha de
chegada” de 20 m (65' 7-1/2"). Repita o teste ao contrário
para medir em ambas as direções, sendo o ponto de partida
a linha e chegada e vice-versa. (Figura 6)
Permite-se um desvio maior com o controle de
deslocamento ajustado em alta velocidade.

Velocidade de
Distância máxima
deslocamento
Alta velocidade 150 mm (6 pol.)
Velocidade lenta 150 mm (6 pol.)

Teste da velocidade de giro e da força


de desaceleração
Teste da velocidade de giro

Figura 7
Estenda completamente o cilindro da caçamba e retraia o
cilindro do braço como mostrado na Figura 7, para testar a
velocidade de giro. O ponto mais baixo da caçamba será
aprox. 1,5 m (3”) acima do solo.
Use marcas de tinta no mesmo ponto na estrutura do giro e
no material rodante, ou selecione pontos de medição
alternados e use um cronômetro para cronometrar 3 giros
de 360º. O tempo necessário para os 3 giros deve ser entre
16 e 19 segundos no Modo Padrão, 15 e 18 segundos no
Modo Potência.

Especificações DX225LCA SP001717


Página 22
Teste de força de desaceleração do giro

Com a lança, braço e caçamba na mesma posição que para


o teste de velocidade de giro, gire a plataforma giratória de
maneira que a lança fique uniformemente centrada entre as
armações laterais, voltada reto para a frente. Localize o
ponto de referência de 90º, perpendicular à lança. Marque a
plataforma giratória e o material rodante com tinta no ponto
de 90º.
Faça diversas tentativas de girar a plataforma giratória
exatamente 90º a partir da posição reta para a frente da
lança. Engate a alavanca de giro e freie no ponto de 90º,
mostrado como “parada de giro” na Figura 8.
Registre quanto a plataforma giratória desvia do ponto de
parada, medindo a distância entre as marcas de tinta. A
distância máxima deve ser inferior a 1200 mm (47-1/4"), no
Modo de potência e no Modo padrão.

Referência
Descrição
Numero
1 Início do giro
Figura 8
2 Giro de 90º
3 Força de giro
4 Parada de giro

Especificações DX225LCA SP001717


Página 23
Teste de desempenho dos cilindros
NOTA: Todos os testes são executados com a
configuração padrão da lança, braço e caçamba.
A caçamba deve estar vazia.

Teste dos cilindros da lança

Os pontos de partida do teste são com a lança e o braço


estendidos e a caçamba recolhida. O cilindro do baço deve
estar totalmente retraído os cilindros da caçamba devem
estar estendidos. Teste o movimento em ambas as direções,
várias vezes e tire a média dos resultados no Modo padrão
e no Modo de potência.

Teste do cilindro do braço

Comece com a lança levantada e o cilindro do traço


totalmente retraído. Teste o movimento em ambas as
direções várias vezes, entre as posições de "fechar" e
"tombar" e tire a média dos resultados de ambos os teste,
nos modos padrão e potência em serviço pesado.
.
Teste do cilindro da caçamba

Comece com a lança levantada e os dentes da caçamba na


vertical, 500 mm (1-1/2’ - 2') acima do solo. Descarregue e
feche a caçamba várias vezes e tire a média dos resultados
para modos padrão e com potência para serviço extra
pesado.
Operação Modo padrão Modo de potência
Lança, levantar 2,9 ± 3,7 s 2,5 ± 3,3 s
Lança, abaixar 2,3 ± 2,9 s 2,2 ± 2,8 s
Braço, despejo 2,3 ± 2,9 s 2,1 ± 2,7 s
Braço, retrair 3,7 ± 4,5 s 3,4 ± 4,2 s
Caçamba, despejar 2,0 ± 2,6 s 1,9 ± 2,5 s
Caçamba, fechar 3,4 ± 4,2 s 3,1 ± 3,9 s

Teste de caída natural do cilindro hidráulico

Para comprara a estanqueidade do cilindro da lança e do braço


com o padrão de desempenho especificado para cilindros
novos, encha a caçamba com sujeira e movimente os cilindros
do acessório de modo que o cilindro do braço fique estendido
20-50 mm (1” – 2”) e os cilindros da lança fiquem retraídos
igualmente 20 - 50 mm (1" - 2"). O ponto mais alto da caçamba
deve ser aprox. 2 m (6’ 7') acima do solo.
Desligue o motor e meça a caída do cilindro após 5 minutos.
O cilindro da caçamba não deve indicar uma mudança
superior a 40 mm (1.57”) ao passo que os cilindros do braço
e da lança não devem cair mais do que 10 mm (0.39”)

Teste de levantamento do motor de deslocamento

Teste a operação do motor de deslocamento em cada lado


fazendo uma marca de tinta ou de giz em uma das sapatas
das esteiras, com uma marca correspondente na estrutura
de deslocamento.

Especificações DX225LCA SP001717


Página 24
Use o acessório para levantar um lado da máquina e opere
o motor de deslocamento levantado.
Registre o número de segundos que leva para a sapata da
esteira executar 3 giros completos, durante a operação de
alta e baixa velocidade.

Operação Modo padrão Modo de potência

Alta velocidade 17,4 ± 20,4 s 16,5 ± 19,5 s

Velocidade lenta 32,5 ± 36,5 s 31,1 ± 35,1 s

Especificações DX225LCA SP001717


Página 25
Especificações DX225LCA SP001717
Página 26
Manutenção Geral
SP000016

Manutenção
procedimentos
gerais

1ª edição

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 1
ANOTAÇÕES

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 2
Índice

Procedimentos Gerais de Manutenção

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA.............................. 5
MODELOS APLICÁVEIS ......................................... 5
PRECAUÇÕES E DIRETRIZES DE SOLDAGEM... 6
SISTEMA HIDRÁULICO – PRECAUÇÕES
GERAIS ................................................................... 7
Precauções gerais .......................................................................... 9

LIMPEZA E VAZAMENTOS DE ÓLEO DO


SISTEMA HIDRÁULICO ........................................ 10
Precauções de manutenção para serviço do sistema hidráulico.. 10

Precauções para vazamento de óleo ............................................11

LIMPEZA E INSPEÇÃO......................................... 12
Diretrizes gerais ............................................................................ 12

Inspeção de rolamentos................................................................ 13

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 3
ANOTAÇÕES

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 4
PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise, segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


TODOS OS MODELOS TODAS AS SÉRIES

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 5
PRECAUÇÕES E DIRETRIZES
DE SOLDAGEM

IMPORTANTE
Para evitar acidentes, lesões e a possibilidade de causar
danos à máquina ou aos componentes, a soldagem
deve ser executada somente por pessoas devidamente
treinadas e qualificadas com a correta certificação
(quando necessário) para a fabricação por soldagem
específica ou reparo especializado que estiver sendo
executado.

AVISO!
Os elementos estruturais da máquina podem se
construídos a partir de uma variedade de aços. Eles
podem conter ligas exclusivas ou podem ser tratadas
termicamente para obter determinadas
características de resistência. É extremamente
importante que os reparos por soldagem nesses
tipos de aço seja executados com os procedimentos
e equipamentos apropriados. Se os reparos forem
executados incorretamente, o enfraquecimento
estrutural ou outros danos à máquina (nem sempre
visíveis) podem ser causados. Consulte sempre o
Serviço Pós-Venda da DOOSAN antes de executar
soldagem em componentes integrais da máquina
(braço da carregadeira, armações, chassi, armações
das esteiras, plataforma giratória, acessório, etc.). É
possível que alguns tipos de reparos estruturalmente
críticos requeiram teste de Partículas Magnéticas ou
Líquido Penetrante, para assegurar-se de que não
haja trincas ou danos ocultos, antes de retornar a
máquina ao serviço.

ATENÇÃO!
Execute sempre os procedimentos de soldagem com os
equipamentos de segurança apropriados à disposição.
Ventilação adequada e uma área de trabalho seca são
absolutamente imprescindíveis. Tenha por perto um
extintor de incêndios e use sempre roupas de proteção
e a proteção ocular recomendada.

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 6
ATENÇÃO!
Observe as seguintes precauções de segurança:
1. Tenha cuidado especial e proteção de segurança
adequada ao soldar perto de tanques de
combustível e de óleo, baterias, tubulação hidráulica
e outros perigos de incêndio.
2. Jamais solde enquanto o motor estiver funcionando.
Os cabos da bateria devem ser desconectados antes
de iniciar o procedimento de soldagem.
3. Nunca solde numa superfície molhada ou úmida. A
presença de umidade causa fragilização de
hidrogênio e enfraquecimento estrutural da solda.
4. Se os procedimentos de soldagem estiverem sendo
executados perto de hastes de cilindros, as áreas da
janela da cabine ou outros conjuntos que possam
ficar danificados pelos salpicos de solda, use
proteção adequada na frente do conjunto.
5. Durante a preparação do equipamento, sempre fixe
cabos de aterramento diretamente na área ou no
componente sendo soldado para evitar arcos
elétricos através de rolamentos, buchas ou
espaçadores.
6. Use sempre eletrodos corretos para o tipo de
soldagem a executar e observe as precauções
recomendadas e as limitações de tempo. Os
eletrodos AWS Class E701 8 para aço carbono de
liga baixa para média devem ser usados com duas
horas após remoção de um recipiente aberto
recentemente. Os eletrodos Class E1 101 para aço T-
1 e outros aços de alta resistência devem ser
usados dentro de 1/2 hora.

SISTEMA HIDRÁULICO –
PRECAUÇÕES GERAIS
Mantenha sempre ó nível do óleo no sistema nos níveis
recomendados. Os conjuntos que operam sob cargas
pesadas, em alta velocidade, com tolerâncias dimensionais
extremamente precisas entre as peças móveis – pistões e
cilindros, ou sapatas e placas oscilantes, por exemplo –
podem ficar seriamente danificados se não forem
lubrificados.
Os conjuntos podem secar e ficar seriamente danificados
em pouquíssimo tempo quando os tubos ou mangueiras são
desconectados para reparo de vazamentos e/ou troca de
componentes danificados. As mangueiras que forem
inadvertidamente trocadas na desmontagem (entrada por
saída e vice-versa),

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 7
entrada de ar no sistema ou conjuntos com pouco óleo
devido a manutenção negligenciada ou descuidada, podem
produzir suficiente perda de fluido para causar dano.
Ao acionar o motor (principalmente após um longo tempo de
inatividade), assegure-se de que todos os controles
hidráulicos e circuitos de operação estejam em neutro ou
desligados (OFF). Isso evitará que as bombas ou outros
componentes que possam estar temporariamente sem óleo
sejam funcionados com carga.
A troca de qualquer componente do sistema hidráulico pode
requerer limpeza completa, lavagem e pré-enchimento com
água limpa, óleo limpo se o vedador de proteção nas peças
de reposição estiver claramente quebrado ou se a
integridade do vedador estiver comprometida. Quando os
vedadores de proteção são removidos antes da instalação e
remontagem, inspecione todas as peças de reposição
cuidadosamente, antes de instalar. Se a peça de reposição
estiver muito seca (sem traços de pré-lubrificação de
fábrica) ou tiver sido contaminada por sujeira ou óleos,
recomenda-se lavagem e pré-enchimento com fluido
hidráulico limpo.
Vibração, movimento irregular ou difícil ou ruído anormal de
qualquer peça do sistema hidráulico pode ser uma indicação
de ar no sistema (e muitos outros tipos de problemas).
Como precaução geral (e para ajudar a minimizar o risco de
danos potenciais no longo prazo), deixe o motor funcionar
em marcha lenta sem carga imediatamente após a partida
inicial. O flui hidráulico circulará liberando o ar que possa
estar preso no sistema antes de impor demandas de carga.
Uma inspeção de segurança diária ao redor do equipamento
incluindo uma verificação visual rápida de possíveis
evidências externas de vazamento de fluido hidráulico pode
ajudar a prolongar a vida útil dos componentes do sistema.

IMPORTANTE
As condições de operação do sistema hidráulico
(ciclagem repetitiva, pesadas cargas de trabalho, fluido
circulando sob alta pressão) fazem com que seja
extremamente crítico evitar a entrada no sistema de pó,
detritos ou qualquer outro tipo de contaminação.
Observe as recomendações sobre intervalos de
manutenção e troca de filtros e fluido e sempre limpe
previamente a superfície externa do sistema antes da
exposição ao ar. Por exemplo, a região da tampa de
abastecimento do reservatório e do bocal, mangueiras
que devem ser desmontadas, tampas e superfícies
externas dos elementos filtrantes devem ser limpas
antes da desmontagem.

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 8
PROCEDIMENTO DE SERVIÇO
DE MANUTENÇÃO E REPARO
Precauções gerais
O nível e a condição do fluido devem ser sempre verificados
independente de qualquer outro tipo de sérico d de
manutenção ou reparo que esteja sendo executado.
NOTA: Se a máquina está sendo usada num ambiente de
temperatura extrema (climas subfrios ou em alta
temperatura, alta umidade, condições tropicais), a
purga frequente de umidade condensada da
tampa de drenagem do reservatório hidráulico
deve ser uma parte regular e frequente da rotina
de operação. Em climas mais moderados,
temperados, a drenagem de sedimentos e
umidade do reservatório pode não ser necessária
mais do que uma ou duas vezes a cada alguns
meses.
Inspecione o óleo drenado e os filtros usados quanto a
sinais de coloração anormal ou contaminação visível do
fluido a cada troca de óleo. Os detritos ou partículas de pó
abrasivos provocam descoloração e escurecimento do
fluido. Os acúmulos visíveis de sujeira e detritos podem ser
uma indicação de que os elementos filtrantes estão
saturados (e precisam ser trocados com mais fequência) ou
que a desintegração de mancais, ou outras falhas de
componentes no circuito hidráulico estão prestes a ocorrer
ou já ocorreram. Abra os bujões de drenagem nas carcaças
das bombas principais, verifique e compare o óleo drenado
das bombas. Procure evidência de detritos ou partículas
metálicas.
Vibrações ou ruído anormal durante a operação podem ser
uma indicação de fuga de ar para dentro do circuito
(consulte na seção de Diagnóstico de falhas apropriada, os
procedimento para o componente ou unidade), ou evidência
de uma bomba com defeito. A bomba piloto tipo de
engrenagens pode estar com defeito, causando baixa
pressão piloto, ou a sapata ou o pistão da bomba principal
podem ser os responsáveis.
NOTA: A pressão de operação indicada, mostrada no
medidor digital multidisplay (se equipado) no
painel de instrumentos (bomba “F” e “Bomba-R)
será reduzida como resultado de problema
mecânico interno da bomba. Entretanto, a perda
de carga também pode ser devido a cavitação ou
fuga de ar, ou outras falhas no sistema hidráulico.
Verifique o óleo de drenagem da caixa externa nas
bombas principais. Se não forem encontradas partículas
metálicas assegure-se de que não há ar no sistema.
Desenrosque e remova a linha de drenagem de retorno do
tanque da parte superior do motor de giro, de ambos os
motores de deslocamento e de cada bomba principal. Se
houver ar em qualquer das linhas de drenagem, encha
cuidadosamente o conjunto antes de aparafusar as
conexões da tubulação da linha de drenagem. Funcione o
sistema em baixa rotação.

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 9
LIMPEZA E VAZAMENTOS DE
ÓLEO DO SISTEMA HIDRÁULICO
Precauções de manutenção para
serviço do sistema hidráulico
Sempre que manutenção, reparos ou qualquer outro tipo de
diagnóstico ou serviço estejam sendo executados, é
importante lembrar-se de que o sistema hidráulico –
incluindo as superfícies interna e externa dos conjuntos e
cada gota do fluido de operação – devem ser protegidas da
contaminação.
Poeira e outros contaminantes externos são os principais
contribuintes para o desgaste prematuro dos circuitos
hidráulicos. As estreitas tolerâncias, peças de rápida
movimentação e altas pressões de trabalho do sistema
requerem que o fluido seja mantido o mais limpo possível. O
desempenho e a confiabilidade da máquina (e o
levantamento para serviço de componentes individuais)
pode ficar visivelmente reduzido se as devidas precauções
não forem observadas.
 Use um solvente seguro, não combustível, tipo
volátil de baixo teor de resíduos e limpe
completamente as superfícies externas dos
conjuntos antes de abrir ou desmontar qualquer
circuito.
NOTA: É igualmente importante limpar a
tampa e o topo do reservatório antes
das trocas de fluido rotineiras ou
verificações rápidas entre os reparos
maiores. (Sujeira acumulada atrai
umidade, óleo e outros fluidos – e
mais sujeira).
 Mantenha as peças desmontadas cobertas
durante a desmontagem Use tampa, bujões ou
fitas limpas para proteger as aberturas
desconectadas dos flanges, coletores e tubos.
 Não deixe que solventes de limpeza ou outros
fluidos se misturem com o óleo no sistema. Use
óleo limpo para limpar qualquer vestígio de
outros resíduos antes da remontagem.
 Se fragmentos de metal ou de borracha forme
descobertos no sistema, lave e troque todo o
fluido do sistema e faça o diagnóstico do circuito
para identificar a fonte da contaminação.

IMPORTANTE
Assegure-se de que os solventes de limpeza serão
compatíveis com os materiais de borracha no sistema
hidráulico. Muitos compostos baseados em petróleo
podem causar dilatação, amolecimento ou outro tipo de
deterioração dos elementos de vedação do sistema tais
como anéis-O, tampas e outros vedadores.

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 10
Precauções para vazamento de óleo
O óleo visivelmente vazando pelas juntas ou vedadores
deve servir sempre como alerta vermelho.
Os vazamentos devem alertar o operador da máquina e o
pessoal da manutenção de que o ar, água e sujeira são
passagens abertas e livres de entrada no circuito. O ar
salino agressivo, ciclos de congelamento e
descongelamento e ambientes de trabalho cheios de pó são
especialmente perigosos. A obstrução de carretéis de
válvulas ou de tubos externos (principalmente os tubos de
circuitos pilotos) pode reduzir de forma gradual ou
interromper subitamente o funcionamento hidráulico normal.
Você pode evitar que esses tipos de reparos sejam feitos,
seguindo os procedimentos de manutenção recomendados:
1. Use novos anéis-O e vedadores de óleo sempre que
os conjunto hidráulicos sejam recondicionados.
2. Prepare as superfícies de junta antes da montagem
verificando o alinhamento e a planeza. Limpe e repare
a corrosão ou qualquer outro dano.
3. Siga as recomendações de torques de aperto e todos
os demais requisitos para montagem.
NOTA: Engraxe as bordas dos vedadores antes
da montagem.

Figura 1

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 11
LIMPEZA E INSPEÇÃO
Diretrizes gerais
Todas as peças deve estar limpas para permitir uma inspeção
efetiva. Durante a montagem, é muito importante que não
entre sujeira nem materiais estranhos na unidade que
estiver sendo montada. Mesmo partículas minúsculas
podem causar mau funcionamento de peças de ajuste com
pouco folga como mancais de encosto, peças casadas, etc.

AVISO!
Deve-se tomar cuidado para evitar inalar gases de vapor,
exposição da pele e criação de perigos de incêndio ao
usar solventes para limpeza.

1. Limpe completamente todas as peças metálicas com


fluido de limpeza apropriado. Recomenda-se que as
peças sejam imersas em fluido para limpeza e movidas
para cima e para baixo lentamente até que todos os
óleos, lubrificantes, e/ou materiais estranhos sejam
dissolvidos e as peças totalmente limpas.
2. Para rolamentos que podem ser removidos, imerja-os
por um ou dois minutos em fluido de limpeza
apropriado, depois remova-os e bata contra uma
sarrafo para desalojar o óleo endurecido. Imerja
novamente em fluido de limpeza para limpar. Repita a
operação acima até que os rolamento estejam
totalmente limpos. Para secar os rolamentos, use ar
comprimido seco. Tenha cuidado para dirigir o jato de
ar através do rolamento, para evitar girar rolamentos
que não estão lubrificados. NÃO GIRE OS
ROLAMENTOS AO SECAR; os rolamentos pode ser
lentamente girados com a mão para facilitar o processo
de secagem,
3. Inspecione cuidadosamente os roletes, gaiolas e pistas
dos rolamentos quanto a desgaste, lascamento ou
entalhes para determinar a condição. Não troque um
cone ou pista de rolamento individualmente sem trocar
a pista ou cone casado ao mesmo tempo. Após a
inspeção mergulhe os rolamentos em óleo leve e
enroles em tecido limpo sem fiapos ou papel para
protegê-los até a instalação.
Para rolamentos que devem ser inspecionados no local,
inspecione-os quanto a dificuldade de giro, riscos,
picadas, trincas ou pistas lascadas. Se qualquer desse
defeitos for encontrado, troque os rolamentos.
Inspecione a carcaça do rolamento e/ou eixo com
defeito quanto a condições de sulcos, rebarbas,
escoriações que indiquem que o rolamento girou na
sua carcaça ou eixo.
4. É mais econômico trocar os vedadores de óleo, anéis-
O, anéis de vedação, juntas e anéis de retenção
quando a unidade é desmontada do que esperar falhas
prematuras. Consulte a Microficha mais recente e/ou o
catálogo de peças para itens de reposição.

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 12
Tenha extremo cuidado ao instalar os elementos de
vedação, para evitar cortes e arranhões. O torcimento
da borda de qualquer vedador prejudicará seriamente
sua eficiência. Aplique uma fina camada de Loctite nº
120 no diâmetro externo de carcaça metálica, nos
vedadores de óleo para assegura montagem estanque
no retentor. Tenha extremo cuidado para que Loctite
não encoste nas bordas dos vedadores de óleo. Se
isso acontecer, essa parte do vedador ficará
quebradiça e permitirá vazamento.
Ao trocar vedadores tipo lábio, assegure-se de que o
lado carregado por mola fique virado para o lado do
óleo a ser vedado.
5. Se disponível, use magna-flux ou processo similar para
verificar a existência de trincas não visíveis. Examine
os dentes de todas as engrenagens cuidadosamente
quanto a desgaste, picadas, entalhes, trincas ou riscos.
Troque todas as engrenagens que apresentarem
trincas ou pontos onde a têmpera desapareceu.
Pequenos entalhes podem ser removidos com
polimento. Inspecione os eixos e tubos para assegurar-
se de que não estão torcidos, empenados, com estrias
torcidas e empenados.
NOTA: O desgaste de estrias não é considerado
prejudicial exceto onde afete a
estanqueidade das peças estriadas.
Inspecione as arruelas de encosto quanto a distorção,
riscos, rebarbas e desgaste. Troque a arruela de
encosto se estiver com defeito ou gasta.
6. Inspecione os alojamentos e superfícies de apoio das
peças fundidas e superfícies usinadas quanto a riscos,
desgaste, ranhuras e sujeira. Remova quaisquer
riscos e rebarbas com lixa. Remova o material
estranho. Troque quaisquer peças que apresentem
sulcos profundos ou risco que possam afetar seu
funcionamento.

Inspeção de rolamentos
A condição dos rolamentos é vital para o funcionamento
suave e eficiente da máquina. Ao desmontar qualquer
componente que contenha rolamentos, sempre examine
cuidadosamente a condição do rolamento e de todos os
seus componentes quanto a desgaste e dano.
Uma vez removido o rolamento, limpe completamente todas
as peças com uma solução de limpeza apropriada. Se o
rolamento estiver excessivamente sujo coloque-o numa
solução leve e movimente-o até que todos os lubrificantes e
materiais estranhos sejam dissolvidos e as peças estejam
totalmente limpas.
Para secar rolamento pode-se usar ar comprimido seco.
Cuidado para não dirigir o ar numa direção que forçará o
rolamento a girar seco enquanto não estiver devidamente
lubrificado.
Após limpar e secar os rolamentos, inspecione
cuidadosamente todos os roletes, gaiolas e pistas quanto a
desgaste, lascamento ou entalhes.

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 13
Se o rolamento não puder ser removido devendo ser
inspecionado no local, verifique quanto a giro áspero, riscos,
picada, trincas e pistas lascadas. Se qualquer desse
defeitos for encontrado, troque o rolamento completo.
NUNCA troque apenas o rolamento sem trocar a pista e o
cone ao mesmo tempo.
Após a inspeção, aplique uma leve película de óleo no
rolamento e peças associadas e enrole num tecido limpo e
sem fiapos e proteja contra a umidade e outros materiais
estranhos até a instalação.
É também importante inspecionar a carcaça do rolamento
e/ou eixo com defeito quanto à existência de sulcos,
rebarbas ou escoriações que indiquem que o rolamento
girou na sua carcaça ou eixo.
Se disponível, use magna-flux ou processo similar para
verificar a existência de trincas não visíveis.
As ilustrações que seguem ajudarão na identificação e
diagnóstico de problemas relacionados com rolamentos.
NOTA: As ilustrações mostram somente rolamentos de
roletes cônicos mas os princípios de identificação,
diagnóstico e reparo de defeito são comuns a
todos os estilos e tipos de rolamentos.

Rolamento normal

Superfícies uniformemente lisas, sem descoloração nem


marcas.

Figura 2

Gaiola empenada

Gaiola danificada devido a manuseio incorreto ou uso de


ferramenta.

Figura 3

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 14
Troque o rolamento.

Figura 4

Escoriações

Manchas metálicas nas extremidades dos roletes devido a


superaquecimento, falta de lubrificação ou sobrecarga.
Troque o rolamento – verifique os vedadores e a devida
lubrificação.

Figura 5

Desgaste abrasivo gradual

Padrão nas extremidades do rolete causados por abrasivos


finos.
Limpe e verifique todas as peças e carcaças, verifique os
vedadores e rolamentos e troque se houver vazamento,
aspereza ou ruído.

Figura 6

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 15
Corrosão

As superfícies do rolamento apresentam coloração cinza o


acinzentada com corrosão associada de material,
usualmente no espaçamento dos roletes.
Troque os rolamentos – verifique os vedadores e a devida
lubrificação.

Figura 7

Desalinhamento

Desalinhamento da pista externa devido a objeto estranho.


Limpe as peças relacionadas e troque o rolamento.
Assegure-se de que as pistas estão corretamente
assentadas.

Figura 8

Recortes

Depressões superficiais na pista e nos roletes causadas por


partículas duras de materiais estranhos.
Limpe todas as peças e carcaças. Verifique os vedadores e
troque os rolamentos se estiverem ásperos ou barulhentos.

Figura 9

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 16
Esfoliação por fadiga

Esfoliação da superfície metálica devido a fadiga.


Troque o rolamento – limpe todas as peças relacionadas.

Figura 10

Depressões Brinnell

Recortes superficiais na pista, causados por roletes sob


carga de impacto ou vibrações enquanto o rolamento não
está girando.
Troque o rolamento se estiver áspero ou barulhento.

Figura 11

Desgaste da gaiola

Desgaste ao redor do diâmetro externo da gaiola e bolsas


de rolete causado por material abrasivo e lubrificação
insuficiente.
Troque os rolamentos – verifique os vedadores

Figura 12

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 17
Desgaste do rolete por abrasão

Padrão nas pistas e roletes, causado por abrasivos finos.


Limpe todas as peças e carcaças, verifique os vedadores e
troque os rolamentos se estiverem ásperos ou barulhentos.

Figura 13

Pista interna trincada

Pista trincada devido a montagem incorreta, ondulações ou


mau assentamento do rolamento.
Troque todas as peças e carcaças, verifique os vedadores e
rolamentos e troque se estiverem ásperos ou barulhentos.

Figura 14

Esfoliações

Esfoliações de metal devido a escorregamento causado por


deficiência de montagem, lubrificação, superaquecimento,
sobrecargas ou dano devido a manuseio.
Troque os rolamentos, limpe as peças relacionadas e
verifique quanto a montagem e lubrificação corretas.
Toque o eixo se estiver danificado.

Figura 15

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 18
Corrosão interfacial

Corrosão estabelecida por pequenos movimentos relativos


de peças sem lubrificação.
Troque o rolamento. Limpe todas as peças relacionadas.
Verifique os vedadores quanto a lubrificação correta.

Figura 16

Descoloração por superaquecimento

A descoloração por superaquecimento pode variar, do


amarelo-claro ao azul-escuro resultante de sobrecarga ou
lubrificação incorreta.
Superaquecimento pode provocar amolecimento das pistas
ou roletes.
Para verificar se houver perda de têmpera nas pistas ou
roletes, pode-se fazer um teste de limagem simples. Uma
lima passada sobre uma peça temperada agarra e corta o
metal ao passo que essa mesma lima passado sobre uma
peça dura desliza na hora, sem cortar o metal. Figura 17
Troque o rolamento se houver indicação de dano por
superaquecimento. Verifique os vedadores e outras pelas
relacionadas, quanto a danos.

Manchas de descoloração

A descoloração pode variar de marrom-claro a preta devido


a lubrificação incorreta ou umidade.
Se der para remover a mancha por polimento ou se o
superaquecimento for imperceptível, o rolamento pode ser
reaproveitado.
Verifique os vedadores e outras pelas relacionadas, quanto
a danos.

Figura 18

Manutenção procedimentos gerais SP000016


Página 19
Manutenção procedimentos gerais SP000016
Página 20
SP000813

Torques
padrão

1ª edição

Torques padrão SP000813


Página 1
ANOTAÇÕES

Torques padrão SP000813


Página 2
Índice

Torques padrão

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA.............................. 5
MODELOS APLICÁVEIS ......................................... 5
VALORES DE TORQUE PARA FIXADORES MÉTRICOS
PADRÃO ................................................................... 6
VALORES DE TORQUE PARA FIXADORES
AMERICANOS PADRÃO......................................... 7
FERRAGEM REVESTIDA COM FOSFATO TIPO 8 ...... 9
VALORES DE TORQUE PARA BRAÇADEIRAS
DE MANGUEIRAS................................................. 10
VALORES DE TORQUE PARA FLANGES
BIPARTIDOS ......................................................... 11
EXTENSÕES DE TORQUÍMETROS............................ 12
Multiplicação de torque ................................................................. 12

Outros usados das extensões de torquímetros ............................ 13

Especificações de torques de aperto (sistema métrico) ............... 14

Torques padrão SP000813


Página 3
ANOTAÇÕES

Torques padrão SP000813


Página 4
PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise, segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


TODOS OS MODELOS TODAS AS SÉRIES

Torques padrão SP000813


Página 5
VALORES DE TORQUE
PARA FIXADORES
MÉTRICOS PADRÃO
NOTA: As unidades de torque são kg.m (ft lb)

Grau
Ø x passo
(mm)
3.6 4.6 4.8 5.6 5.8 6.6 6.8 6.9 8.8 10.9 12.9
(4A) (4D) (4S) (5D) (5S) (6D) (6S) (6G) (8G) (10K) (12K)
0.15 0.16 0.25 0.22 0.31 0.28 0.43 0.48 0.50 0.75 0.90
M5 x padrão
(1.08) (1.15) (1.80) (1.59) (2.24) (2.02) (3.11) (3.47) (3.61) (5.42) (6.50)
0.28 0.30 0.45 0.40 0.55 0.47 0.77 0.85 0.90 1.25 1.50
M6 x padrão
(2.02) (2.16) (3.25) (2.89) (3.97) (3.39) (5.56) (6.14) (6.50) (9.04) (10.84)
0.43 0.46 0.70 0.63 0.83 0.78 1.20 1.30 1.40 1.95 2.35
M7 x padrão
(3.11) (3.32) (5.06) (4.55) (6.00) (5.64) (8.67) (9.40) (10.12) (14.10) (16.99)
0.70 0.75 1.10 1.00 1.40 1.25 1.90 2.10 2.20 3.10 3.80
M8 x padrão
(5.06) (5.42) (7.95) (7.23) (10.12) (9.04) (13.74) (15.18) (15.91) (22.42) (27.48)
0.73 0.80 1.20 1.00 1.50 1.35 2.10 2.30 2.40 3.35 4.10
M8 x 1
(5.28) (5.78) (8.67) (7.23) (10.84) (9.76) (15.18) (16.63) (17.35) (24.23) (29.65)
1.35 1.40 2.20 1.90 2.70 2.35 3.70 4.20 4.40 6.20 7.20
M10 x padrão
(9.76) (10.12) (15.91) (13.74) (19.52) (19.99) (26.76) (30.37) (31.18) (44.84) (52.07)
1.50 1.60 2.50 2.10 3.10 2.80 4.30 4.90 5.00 7.00 8.40
M10x 1.25
(10.84) (11.57) (18.08) (15.18) (22.42) (20.25) (31.10) (35.44) (36.16) (50.63) (60.75)
2.40 2.50 3.70 3.30 4.70 4.20 6.30 7.20 7.50 10.50 12.50
M12 x padrão
(17.35) (18.08) (26.76) (23.86) (33.99) (30.37) (45.56) (52.07) (54.24) (75.94) (90.41)
2.55 2.70 4.00 3.50 5.00 4.50 6.80 7.70 8.00 11.20 13.40
M12 x 1.25
(18.44) (19.52) (28.93) (25.31) (36.16) (32.54) (49.18) (55.69) (57.86) (81.00) (96.92)
3.70 3.90 6.00 5.20 7.50 7.00 10.00 11.50 12.00 17.00 20.00
M14 x padrão
(26.76) (28.20) (13.23) (37.61) (54.24) (50.63) (72.33) (83.17) (86.79) (122.96) (144.66)
4.10 4.30 6.60 5.70 8.30 7.50 11.10 12.50 13.00 18.50 22.00
M14 x 1.5
(29.65) (31.10) (47.73) (41.22) (60.03) (54.24) (80.28) (90.41) (94.02) (11.26) (158.12)
5.60 6.00 9.00 8.00 11.50 10.50 15.50 17.90 18.50 26.00 31.00
M16 x padrão
(40.50) (43.39) (65.09) (57.86) (83.17) (75.94) (112.11) (129.47) (133.81) (188.05) (224.22)
6.20 6.50 9.70 8.60 12.50 11.30 17.00 19.50 20.00 28.00 35.50
M16 x 1.5
(44.84) (47.01) (70.16) (62.20) (90.41) (81.73) (122.96) (141.04) (144.66) (202.52) (256.77)
7.80 8.30 12.50 11.00 16.00 14.50 21.00 27.50 28.50 41.00 43.00
M18 x padrão
(56.41) (60.03) (90.41) (79.56) (115.72) (104.87) (151.89) (198.90) (206.14) (296.55) (311.01)
9.10 9.50 14.40 12.50 18.50 16.70 24.50 27.50 28.50 41.00 49.00
M18 x 1.5
(65.82) (68.71) (104.15) (90.41) (133.81) (120.79) (177.20) (198.90) (206.14) (296.55) (354.41)
11.50 12.00 18.00 16.00 22.00 19.00 31.50 35.00 36.00 51.00 60.00
M20 x padrão
(83.17) (86.79) (130.19) (115.72) (159.12) (137.42) (227.83) (253.15) (260.38) (368.88) (433.98)
12.80 13.50 20.50 18.00 25.00 22.50 35.00 39.50 41.00 58.00 68.00
M20 x 1.5
(92.58) (97.64) (148.27) (130.19) (180.82) (162.74) (253.15) (285.70) (296.55) (419.51) (491.84)
15.50 16.00 24.50 21.00 30.00 26.00 42.00 46.00 49.00 67.00 75.00
M22 x padrão
(112.11) (115.72) (177.20) (151.89) (216.99) (188.05) (303.78) (332.71) (354.41) (484.61) (542.47)
17.00 18.50 28.00 24.00 34.00 29.00 47.00 52.00 56.00 75.00 85.00
M22 x 1.5
(122.96) (133.81) (202.52) (173.59) (245.92) (209.75) (339.95) (44.76) (405.04) (542.47) (614.80)
20.50 21.50 33.00 27.00 40.00 34.00 55.00 58.00 63.00 82.00 92.00
M24 x padrão
(148.27) (155.50) (238.68) (195.29) (289.32) (245.92) (397.81) (419.51) (455.67) (593.10) (655.43)
23.00 35.00 37.00 31.00 45.00 38.00 61.00 67.00 74.00 93.00 103.00
M24 x 2.0
(166.35) (253.15) (267.62) (224.22) (325.48) (202.52) (441.21) (484.61) (535.24) (672.66) (744.99)

Torques padrão SP000813


Página 6
VALORES DE TORQUE PARA
FIXADORES AMERICANOS
PADRÃO
Grau Marcação na
Tipo Descrição
S.A.E. cabeça do parafuso

MARCAS NO CENTRO DA CABEÇA

1 1 OU 2
Aço com baixo/alto teor de carbono sem tratamento
térmico

TRÊS LINHAS RADIAIS

5 5
Aço com médio teor de carbono, temperado,
revenido

SEIS LINHAS RADIAIS


8 8
Aço especial temperado e revenido, ou aço liga.

Torque recomendado, em pés libras, para todas as porcas e


parafusos de aplicação padrão, desde que:
1. Todas as superfícies com rosca sejam limpas e
lubrificadas com óleo para motor SAE-30. (Veja Nota)
2. As juntas são rígidas, isto é, não se usam juntas nem
materiais compressíveis
3. Ao reutilizar porcas e parafusos, use valores de torque
mínimos.
NOTA: Multiplique o torque padrão por:
0.65 Quando forem usadas contraporcas
acabadas
.

0.70 Quando Molykote com chumbo, ou


misturas semelhantes forem usadas
como lubrificante.
0.75 Quando parafusos ou porcas
parquerizados foram usados.
0.85 Quando parafusos ou porcas revestidos
com cádmio e parafusos zincados com
porcas zincadas e enceradas forem
usados.
0.90 Quando forem usadas superfícies
temperadas sob a porca ou a cabeça do
parafuso.
NOTA: Ao reutilizar porcas e parafusos em serviço,
use valores de torque mínimos.

Torques padrão SP000813


Página 7
Os seguintes valores de torque gerais devem ser usados em
todos os casos em que VALORES DE TORQUE
ESPECIAIS não forem dados.

NOTA: Os valores de torque listadas em todo este manual são para roscas lubrificadas (úmidas); os
valores devem ser aumentados 1/3 para roscas não lubrificadas (secas).
Material grau 5 e grau 8 tratado termicamente
Grade 5 Grau 8
Tamanho da
(3 traços radiais na cabeça) (6 traços radiais na cabeça)
rosca
Pé libras Newton metro Pé libras Newton metro
(ft lb) (Nm) (ft lb) (Nm)
1/4" – 20 6 8 9 12
1/4" – 28 7 9 11 15
5/16" - 18 13 18 18 24
5/16" - 24 15 20 21 28
3/8" - 16 24 33 34 46
3/8" - 24 27 37 38 52
7/16" - 14 38 52 54 73
7/16" - 20 42 57 60 81
1/2" – 13 58 79 82 111
1/2" – 20 65 88 90 122
9/16" - 12 84 114 120 163
9/16" - 18 93 126 132 179
5/8" - 11 115 156 165 224
5/8" - 18 130 176 185 251
3/4" - 10 205 278 290 393
3/4" - 16 240 312 320 434
7/8" – 9 305 414 455 617
7/8" - 14 334 454 515 698
1" – 8 455 617 695 942
1" – 14 510 691 785 1064
1 1/8" - 7 610 827 990 1342
1 1/8" - 12 685 929 1110 1505
1 1/4" - 7 860 1166 1400 1898
1 1/4" - 12 955 1295 1550 2102
1 3/8" - 6 1130 1532 1830 2481
1 3/8" - 12 1290 1749 2085 2827
1 1/2" - 6 1400 2034 2430 3295
1 1/2" - 12 1690 2291 2730 3701
1 3/4" - 5 2370 3213 3810 5166
2" - 4 1/2 3550 4813 5760 7810

NOTA: Se houver parafuso se porcas frouxos ou


apertados com valores inferiores aos da tabela,
recomenda-se trocar o parafuso e/ou a porca
frouxos.

Torques padrão SP000813


Página 8
FERRAGEM REVESTIDA COM
FOSFATO TIPO 8
Esta tabela apresenta os torques de aperto para aplicações
gerais usando ferragens padrão do equipamento original,
como listado no Catálogo de peças da máquina. NÃO
TROQUE Na maioria dos casos as ferragens padrão do
equipamento original são definidas como, parafusos e
porcas de rosca grossa e arruelas lisas temperadas Tipo 8
(“C” 38 – 45), todos fosfatados e montados sem lubrificação
suplementar, na condição (conforme recebido)
Os torques mostrados abaixo também se aplicam ao
seguinte:
1. Parafusos fosfatados usado sem furos roscados em
aço ou ferro fundido.

2. Parafusos fosfatados usado com porcas de torque


prevalente fosfatadas (porcas com roscas distorcidas
ou insertos plásticos).
3. Parafusos fosfatados usados com porcas cobreadas.

As marcas nas cabeças dos parafusos ou porcas indicam


apenas o grau do material e não devem ser usadas para
determinar o torque requerido.

Torque padrão ±10%


Diâmetro nominal da rosca Quilograma Metro Pé libras
(kg•m) (ftlb)
1/4" 1.1 8
5/16" 2.2 16
3/8" 3.9 28
7/16" 6.2 45
1/2" 9.7 70
9/16" 13.8 100
5/8" 19.4 140
3/4" 33.2 240
7/8" 53.9 390
1" 80.2 580
1 - 1/8” 113.4 820
1 - 1/4” 160.4 1160
1 - 3/8” 210.2 1520
1 - 1/2” 279.4 2020
1 - 3/4” 347.1 2510
2 522.8 3780

Torques padrão SP000813


Página 9
VALORES DE TORQUE PARA
BRAÇADEIRAS DE
MANGUEIRAS
A tabela a seguir apresenta os torque para braçadeiras e
mangueiras usadas em todas as aplicações d borracha
(radiador, filtro de ar, coifas das alavancas de operação,
sistema hidráulico, etc.)

Torque
Tipo e tamanho da Radiador, Filtro de Ar, Coifas, Etc. Sistema Hidráulico
braçadeira
Quilograma Polegadas libras Quilograma Polegadas libras
Metro (kg•m) (in lb) Metro (kg•m) (in lb)
Parafuso "T" (qualquer
0.68 - 0.72 59 - 63 ------- -------
diâmetro)
Acionamento sem fim –
abaixo de diâm. aberto 0.2 - 0.3 20 - 30 0.5 - 0.6 40 - 50
de 44 mm (1-3/4)
Acionamento sem fim –
abaixo de diâm. aberto de 0.5 - 0.6 40 - 50 ------- -------
44 mm (1-3/4)
Acionamento sem fim –
0.6 - 0.7 50 - 60 0.5 - 0.6 40 - 50
todos “Ultra-Tite”.

Torques padrão SP000813


Página 10
VALORES DE TORQUE PARA
FLANGES BIPARTIDOS
A seguinte tabela apresenta os torques de aperto para
conexões de flanges bipartidos usadas nos sistemas
hidráulicos. Os flanges bipartidos e ressaltos de montagem
devem se encaixar perpendicularmente. Instale todos os
parafusos, aperte primeiro manualmente e, depois, com
torquímetro.
NOTA: Aperto excessivo dos parafusos danificará os
flanges e/ou parafusos, podendo ocasionar
vazamentos.

Torques de aperto
Tamanho do Tamanho do
flange (*) Parafuso Quilograma Metro Pé libras
(kg•m) (ftlb)

1/2" 5/16" 2.1 - 2.5 15 - 18


3/4" 3/8" 3.0 - 3.7 22 - 27
1" 3/8" 3.7 - 4.8 27 - 35
1 - 1/4" 7/16" 4.8 - 6.2 35 - 45
1 - 1/2" 1/2" 6.4 - 8.0 46 - 58
2" 1/2" 7.6 - 9.0 55 - 65
2 - 1/2" 1/2" 10.9 - 12.6 79 - 91
3" 5/8" 19.1 - 20.7 138 - 150
3 - 1/2" 5/8" 16.2 - 18.4 117 - 133

(*) – Diâmetro interno do flange na extremidade do tubo ou


conexão de mangueira hidráulica.
NOTA: Os valores da tabela são para flanges bipartidos
série pressão padrão (Código 61).

Torques padrão SP000813


Página 11
EXTENSÕES DE TORQUÍMETROS
Fixadores de grande diâmetro e alto grau (porcas, parafusos,
prisioneiros, etc.), requerem muita força de giro para obter
os torques recomendados.
Os problemas comuns que podem ocorrer como resultado
são:
 Torque recomendado excede a capacidade de
medição do torquímetro.
 Os soquetes especiais não encaixam no
adaptador na extremidade dianteira (nariz) do
torquímetro.
 A geração de força adequada na extremidade
traseira (cabo) do torquímetro é difícil ou
impossível.
 O acesso restrito ou uma obstrução podem
impossibilitar o uso de torquímetro.
 Uma única aplicação requer fabricação de um
adaptador ou outra extensão especial.
A maioria dos torquímetros podem ser adaptados para
quaisquer necessidades ou situações se for usada a
extensão correta.

Multiplicação de torque
A extensão de chave pode ser usada parta aumentar o
torque numa porca ou parafuso de alta capacidade.
Por exemplo, dobrando-se a distância entre o parafuso e a
extremidade traseira (cabo) do torquímetro dobra a força de
aperto do parafuso. Ela também reduz pela metade a leitura
indicada no torquímetro. Para ajustar corretamente ou
converter as leituras do torquímetro, use a seguinte fórmula:
I = A x T / A + B onde:
I = Força indicada mostrada na escala ou no mostrador
do torquímetro.
Figura 1
T = Torque de aperto aplicado à porca ou parafuso (torque
real).
A = Comprimento do torquímetro (entre o centro da porca ou
do parafusos e o centro do cabo).
B= Comprimento da extensão
Com o exemplo, se for adicionada uma extensão de 12” a
um torquímetro de 12” e o torque indicado no mostrador for
"150 lb ft", a força real aplicada do parafuso é de 300 ft lb:

Torques padrão SP000813


Página 12
NOTA: A fórmula assume que a junta não flexiona "cede"
entre a extensão e o torquímetro. As leituras
também podem ser imprecisas:
 Se a extensão em si absorver parte a força de
aperto e começar a dobra ou encurvar.
 Se for preciso fazer uma extensão que não é
perfeitamente reta (por exemplo, uma extensão
feita para rodear uma obstrução, para permitir
acesso a um fixador difícil de apertar), os
materiais e métodos usados devem ser sólidos o
suficiente para transmitir o torque total.

Outros usados das extensões de


torquímetros

As extensões de torquímetros são algumas vezes feitas


para outra finalidade.
Por exemplo, pode-se usar um torquímetro com extensão
para medir o “aperto” de uma articulação ou conjunto. As
extensões especiais podem ser usadas para fazer
verificações muito precisas da força necessária para acoplar
ou desacoplar um mecanismo de embreagem, desaplicar
um conjunto de freio aplicado por mola, ou "absorver” a
folga livre de qualquer articulação móvel.
Uma vez estabelecido o valor da força de ajuste, as
verificações repetidas a intervalos regulares pode ajudar a
monitorar a eficiência de operação máxima. Esses tipos de
verificações de ajuste são especialmente úteis nas
medições físicas de deslocamento de articulação que são
difíceis de executar ou que não apresentam o desejado grau
de precisão e exatidão.
Para que o conjunto ou o mecanismo aceite um torquímetro,
soldar uma porca ou outro adaptador na extremidade de um
eixo de articulação ou outro ponto de alavancagem permitirá
girar o eixo ou o conjunto manualmente.

Torques padrão SP000813


Página 13
Especificações de torques de aperto
(sistema métrico)
(Para roscas revestidas, conjuntos pré-lubrificados)

ATENÇÃO!
A desmontagem, reparo geral e troca de componentes
na máquina, instalação de peças novas ou de reposição
e outros serviços de manutenção podem requer o uso
de composto de vedação para rosca ou flange.
Use as informações nesta página como guia geral de
seleção de fórmulas específicas que atenderão às
exigências particulares de instalações de conjuntos
individuais. A Doosan não endossa especificamente um
fabricante específico ou marca mas a tabela abaixo de
aplicações com “Loctite” é incluída como referência
cruzada a outros produtos amplamente disponíveis.

IMPORTANTE
Use fundo "T" ou "N" para todos adesivos de fixador
para baixas temperaturas, com vedadores de bloqueio
de rosca 222, 242/243, 262, 271, 272, ou 277.

Torques padrão SP000813


Página 14
I. Adesivos de fixadores "Loctite"
Resistência de
cura de arranque
Produto Aplicação Cor Remoção
(em lb) só do
vedador
Baixa resistência para fixadores Ferramentas
22 Roxo 45
de 6 mm (1/4) ou menores. manuais
Resistência média para fixadores de Ferramentas
242 or 24 Azul 80
6 mm (1/4") e maiores. manuais
Aquecer/260°C
Alta resistência para fixadores de alto
(500°F)
26 grau sujeitos a choques tensão e Vermelho 160
Remover quente
virações.
(SEM solvente)
Resistência extra alta para fixadores Aquecer/260°C
27 de rosca fina até 25 mm (1”) de Vermelho (500°F) 160
diâmetro Remover quente
Aquecer/316°C
Alta resistência a ambientes
272 Vermelho (600ºF) 180
agressivos até 230ºC (450ºF).
Remover quente
Resistência extra alta para fixadores Aquecer/260°C
277 de rosca grossa (1”) de diâmetro ou Vermelho (500ºF) 210
maior Remover quente

II. Vedador de rosca de tubo "Loctite"

Preparação
Produto Aplicação Cor Remoção
necessária
Fórmula “sem filtro – sem obstrução” 4 horas (ou ½ h
Ferramentas
545 para sistemas hidráulicos de alta Roxo com Locquic “T”
pressão. O excesso de aplicações manuais
Primer)
Vedador de rosca cônica, 4 h (ou 1/2 hor
Ferramentas
656 viscosidade mais alta, resistente a Branco com Locquic "T"
manuais
solventes Primer)

III. Vedador de junta/flange Loctite”


Produto Aplicação Cor Notas
Eliminador de juntas feito
especificamente para flanges e Use Locquic "N" primer para uma rápida
518 superfícies de alumínio para Vermelho preparação (1/2 – 4 h). Preparação sem
sistemas hidráulicos até 34,475 kPa fundo 4-24 horas
(5,000 psi).
Composto eliminador de juntas
para baixa pressão/larga folga Use Locquic "N" primer para uma
504 Preenche vazios até 0.0012 mm Laranja rápida preparação (1/2 – 4 h).
(0.030”), torna-se um vedador Preparação sem fundo 4-24 horas
rígido após cura.
Eliminador de cura flexível, rápida
Use Locquic "N" primer para uma
preparação, para finalidades gerais.
515 Roxo rápida preparação (1/4 – 2 h).
Para conjuntos não rígidos sujeitos a
Preparação sem fundo 1-24 horas
choques, vibrações e flexão.

Torques padrão SP000813


Página 15
IV. Compostos de retenção com “Loctite”

Produto Aplicação Cor Notas


Para buchas, luvas, rolamentos
prensados, estrias e colares. Use fundo Locquic “N” para maior
609 Para folgas de até 0.0002 mm Verde resistência de aderência e todas as
(0.005”), temperaturas até 121ºC aplicações em baixa temperatura
(250ºC)

Para temperaturas mais altas


620 Verde Igual a 609 acima.
até 232ºC (450ºC)

Para aderência de alta


680 resistência e folgas justas até Verde Igual a 609 acima.
0.00008 mm (0.002”)

V. Adesivos "Loctite"

Produto Aplicação Cor Notas

Adesivo Black Max instantâneo para


Pode levar 120 horas para obter a
380 aderências resistentes a choques e Prelo
resistência de cura total
vibrações.

454 Adesivo para superfícies porosas Claro Resistência total em 24 horas.

Maior resistência (+50%), resistente a


480 Preto Resistência total em 24 horas.
choques e vibrações

Torques padrão SP000813


Página 16
Estrutura Superior
SP000943

Cabine

1ª edição

Cabin SP000943
Página 1
NOTAS

Cabin SP000943
Página 2
Índice
Cabine

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ................................ 5


MODELOS APLICÁVEIS .............................................. 5
REMOÇÃO .................................................................. 7
INSTALAÇÃO............................................................. 11

Cabin SP000943
Página 3
NOTAS

Cabin SP000943
Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise, segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5001 e acima
DX225NLC 5001 e acima
DX225LCA 5167 e acima
DX300LC 5001 e acima
DX340LC 5001 e acima
DX420LC 5001 e acima
DX480LC 5001 e acima
DX520LC 5001 e acima

Cabin SP000943
Página 5
Cabin SP000943
Página 6
REMOÇÃO

ATENÇÃO!
Evite desmontar a cabine na presença de fortes rajadas
de vento, que podem empurrar a máquina para o lado
durante operações de levantamento.

1. Estacione em superfície firme e uniforme.


2. Abaixe o acessório frontal (caçamba) ao chão.
3. Desligue o motor.
4. Coloque a alavanca de segurança na posição
AVISO!
“RELEASED“ [LIBERADO].
NÃO OPERE
5. Gire a chave de ignição para a posição de "I" (LIGADO). durante inspeção

AVISO!
Figura 1
Caso seja necessário manter o motor em funcionamento
enquanto se executa o trabalho de manutenção, tenha
muito cuidado. Assegure-se de que sempre haja uma
pessoa na cabine. Nunca saia da cabine com o motor
funcionando.

6. Movimente completamente as alavancas (joysticks) de


operação em todas as direções para aliviar a pressão
dos acumuladores.
7. Coloque a alavanca de segurança na posição “LOCK”
[TRAVADO].
8. Coloque a chave na posição de “DESLIGADO” ["OFF"]
e retire-a da ignição.
9. Pendure uma etiqueta de aviso de manutenção nos
controles.
10. Desconecte o cabo da bateria do terminal negativo (-).
11. Prepare a cabine para remoção desconectando os
conectores da fiação elétrica para:
A. Luz interna da cabine.
B. Fiação das luzes externas.
C. Ante do rádio e conexões.
D. Conexões do limpador/lavador.
NOTA: Os chicotes elétricos do console de controle e
a tubulação hidráulica que passam pelo
assoalho da cabine não precisam ser
desmontados.

NOTA: Se a máquina estiver equipada com estrutura


de proteção (para aplicações florestais ou
perigosas), ela deve ser removida.

Cabin SP000943
Página 7
12. Remova o tapete do assoalho (1, Figura 2)
13. Remova o assento (2, Figura 2).
NOTA: Cuidado para não danificá-los.
14. Remova o porta-copos (3, Figura 2)
Remova a tampa dianteira (4, Figura 2) e as tampas
laterais (5 e 6, Figura 2) Ao remover a tampa, (4, Figura
2) desconecte o conector do horímetro.
NOTA: Não remova o painel monitor (5, Figura 2)e
o painel de interruptores (8, Figura 2)

Figura 2

15. Após remover o tapete traseiro (1, Fig.3), remova a


tampa central traseira (2, Figura 3, a tampa do cassete
(3, Figura 3) e as tampas traseiras laterais (4 e 5,
Figura 3).

Figura 3

16. Remova o suporte da caixa de fusíveis (1, Figura 4) da


parede esquerda sem desmontar o conector do chicote.
17. Desconecte o cabo terra da cabine localizado perto do
suporte da caixa de fusíveis.
18. Remova o suporte do cassete (2, Figura 4) e
desconecte o fio da antena e do alto-falante.

19. Remova a carcaça elétrica (4, Figura 4) sem desmontar


os conectores do chicote elétrico.

Figura 4

Cabin SP000943
Página 8
20. Remova os dutos de ar (1, 2, 3 e 4, Figura 5) do painel
traseiro da cabine.
21. Remova a travessa (5, Figura 5) entre o lado esquerdo
e direito da cabine.

Figura 5

22. Remova os dutos de ar (1, 2, 3, 4 e 5, Figura 5, Figura


6) lado direito do degrau da cabine do duto dianteiro.
23. Desconecte a mangueira do lavador no fundo da placa
do assoalho.
24. Desconecte os conectores da fiação elétrica da cabine
do chicote elétrico principal.

Figura 6

25. Remova quatro porcas de montagem dos quatro cantos


da cabine (1, Figura 7).
26. Remova os quatro parafusos sextavados M12 (2,
Figure 7) e os dois parafusos sextavados M10 (3,
Figure 7).

Figura 7

Cabin SP000943
Página 9
27. Usando um dispositivo de levantamento apropriado,
fixe cabos nos quatro pontos de levantamento no topo
da cabine (Figura 8).
NOTA: A cabine pesa uns 315 kg (700 lb)
.
28. Levante a cabine 25-20 mm (1”-2”) acima da altura
do deck. Verifique se todas as conexões elétricas
foram desconectadas e se todos os outros itens foram
desparafusados.
29. Continue levantando com o guindaste para remove a
cobertura da cabine. Abaixe a cabine sobre um suporte
de bloqueio seguro preparado.

Figura 8

Cabin SP000943
Página 10
INSTALAÇÃO
1. Usando um dispositivo de levantamento apropriado,
fixe cabos nos quatro pontos de levantamento no topo
da cabine (Figura 9).
NOTA: A cabine pesa uns 315 kg (700 lb).
2. Abaixe a cabine na posição sobre o piso da cabine.

Figura 9

3. Instale quatro porcas de montagem nos quatro cantos


da cabine (1, Figura 10).
NOTA: O torque das porcas de montagem é
21 kg•m (205 N•m, 150 lbf ft).
4. Instale os quatro parafusos sextavados M12 (2, Figure
10) e os dois parafusos sextavados M10 (3, Figure 10).
NOTA: torque das porcas de montagem é de 11 kg•m
(108 N•m, 80 lbf ft). M10 - 6.5 kg•m (64 N•m, 47 lbf ft).
5. Quando a cabine estiver montada no solo, desenrosque
o dispositivo de levantamento.
Figura 10

6. Conecte os conectores da fiação elétrica da cabine no


chicote elétrico principal.
7. Conecte a mangueira do lavador no fundo da placa do
assoalho.
8. Instale os dutos de ar (1, 2, 3, 4 e 5, Figura 11) lado
direito do degrau da cabine, passo a passo a partir do
duto traseiro.

Figura 11

Cabin SP000943
Página 11
9. Instale a travessa (5, Figura 12) entre o lado esquerdo
e direito da cabine.
10. Instale os dutos de ar (1, 2, 3 e 4, Figura 12) do painel
traseiro da cabine.

Figura 12

11. Instale a carcaça elétrica (4, Figura 13).


12. Instale o suporte do cassete (2, Figura 13) e
desconecte o fio da antena e do alto-falante.
13. Conecte o cabo terra da cabine localizado perto do
suporte da caixa de fusíveis.
14. Instale o suporte da caixa de fusíveis (1, Figura 13) na
parede lateral esquerda da cabine.

Figura 13

15. Instale as tampas laterais traseiras (4 e 5, Figura 14) a


tampa do cassete (3, Figura 14) e a tampa central
traseira (2, Figura 14) e por último instale o tapete
traseiro (1, Figura 14).

Figura 14

Cabin SP000943
Página 12
16. Instale a tampa dianteira (4, Figura 15) e as tampas
laterais (5 e 6, Figura 15), quando instalar a tampa (4,
Figura 5) conecte o conector do horímetro.
17. Instale o assento (2, Figura 15).
NOTA: Cuidado para não danificar o revestimento do
assento.
18. Instale o tapete do assoalho (1, Figura 15)
19. Conecte o cabo negativo (-) da bateria ao quadro do
chassi.

Figura 15

Cabin SP000943
Página 13
Cabin SP000943
Página 14
SP001617

Contrapeso

1ª edição

Contrapeso SP001617
Página 1
NOTAS

Cabin SP000943
Página 2
Índice
Contrapeso
PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ................................ 5
MODELOS APLICÁVEIS .............................................. 5
Geral............................................................................ 7
Aviso para Remoção do Contrapeso e do Acessório Frontal ......... 7

REMOÇÃO .................................................................. 9
INSTALAÇÃO............................................................. 10

Contrapeso SP001617
Página 3
NOTAS

Cabin SP000943
Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise, segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5433 e acima
DX225LCA 5167 e acima

Contrapeso SP001617
Página 5
Cabin SP000943
Página 6
Geral
Aviso para Remoção do Contrapeso e
do Acessório Frontal

PERIGO!
A DOOSAN adverte aos operadores que a estabilidade
da máquina pode ser afetada ao se remover o
contrapeso, acessório frontal ou qualquer outra peça da
mesma. Isto pode provocar movimentos inesperados e
produzir ferimentos graves ou morte. A DOOSAN não se
responsabiliza pelo uso inapropriada da máquina.
Nunca remova o contrapeso ou o acessório frontal, a
menos que a estrutura superior esteja alinhada com a
inferior. Figura 1
Nunca gire a estrutura superior após ter removido o
contrapeso ou o acessório frontal.

Antes de qualquer tentativa de remover ou instalar o


contrapeso, a escavadeira deve ser estacionada sobre uma
superfície firme e nivelada, em terreno sem desníveis, lama,
ou baixa sustentação na área onde o guindaste de
levantamento vai trabalhar. Posicione todos os acessórios
na posição de armazenamento para passar a noite.

AVISO!
O peso do contrapeso é dado na seguinte tabela. Use
somente cabos e ferragens aprovadas para remover e
instalar. Os cabos, talhas e todas as demais ferragens
devem ser instaladas com segurança. É necessário um
guindaste com capacidade nominal superior à
capacidade especificada.

Modelo Peso do contrapeso


4.100 kg (9.039 lb)
DX225LC/DX225LCA
5.300 kg (11.685 lb) (opcional)

4.100 kg (9.039 lb)


DX225NL
4.700 kg (10.361 lb) (Opcional)

Uma pessoa deve ficar encarregada dos outros que fazem o


levantamento e de verificar se as precauções de segurança
foram tomadas antes de iniciar cada parte deste
procedimento.
Todos os componentes da equipe de trabalho devem
conhecer e entender os sinais que serão usados entre a
carregadeira de levantamento, o operador do guindaste e o
resto do pessoal.

Contrapeso SP001617
Página 7
AVISO!
Se o deck da plataforma giratória ficou desequilibrado
devido à remoção de uma extremidade somente, o
deslocamento da escavadeira, giro da plataforma
giratória ou movimento sobre obstáculos e superfícies
irregulares podem produzir perda de controle e
possíveis acidentes ou lesões.

Para manter a estabilidade, o contrapeso deve ser removido


sempre que o acessório frontal for removido da máquina.

Figura 1

Ao carregar uma escavadeira (seja de esteiras ou de pneus)


numa carreta para transporte após ter removido o acessório
frontal, sempre deixe a traseira voltada para a rampa de
carga. A extremidade com contrapeso do deck deve entrar
na carreta primeiro, enquanto a cabine ainda está subindo a
rampa (Figura 1).

Figura 2

Cabin SP000943
Página 8
REMOÇÃO
1. E s tac i one e m s up er f íc ie f ir m e e u ni f orm e .
2. Aba i xe o acess ório fro ntal (caçamba) ao c hã o .
3. D es l igu e o m o tor.
4. Coloque a alavanca de segurança na posição
AVISO!
“RELEASED“ [LIBERADO].
NÃO OPERE
5. G ir e a c h ave d e ig niç ã o par a a p os iç ão " I " ao fazer inspeção
ou manutenção
(LIGADO) .

Figura 3
AVISO!
Caso seja necessário manter o motor em funcionamento
enquanto se executa o trabalho de manutenção, tenha
muito cuidado. Assegure-se de que sempre haja uma
pessoa na cabine do operador. Nunca saia da cabine
com o motor funcionando.

6. Movimente completamente as alavancas (joysticks) de


operação em todas as direções para aliviar a pressão
dos acumuladores.
7. Coloque a alavanca de segurança na posição “LOCK”
[TRAVADO].
8. Coloque a chave na posição de “DESLIGADO” ["OFF"]
e retire-a da ignição.
9. Pendure uma etiqueta de aviso de manutenção nos
controles.
10. Desconecte o cabo da bateria do terminal negativo (-).
11. Abra a tampa do compartimento do motor.
12. Usando um dispositivo de levantamento capaz de
manusear cargas pesadas, do furo de levantamento do
contrapeso (3, Figura 4), apóie parcialmente o
contrapeso (2, Figura 4), antes de soltar os quatro
parafusos (4). Para de levantar com o guindaste logo
que as ligas fiquem esticadas.
13. Remova quatro parafusos (4, Figura 4) e arruelas (5) do
contrapeso (2).
NOTA: Aqueça os parafusos se necessário, para soltá-
los.
14. Quando os parafusos (4, Figura 4) e arruelas (5) forem
removidos, levante o contrapeso (2) uma curta
distância acima da estrutura de apoio (6) e pare.
Verifique os cabos e assegure-se de que o contrapeso
está apoiado uniformemente. Figura 4

Contrapeso SP001617
Página 9
INSTALAÇÃO
1. Usando um dispositivo de levantamento apropriado
capaz de levantar cargas pesadas, levante o
contrapeso (2, Figura 5) na posição logo acima da
estrutura de apoio (6) deixando o contrapeso suspenso.
Verifique se o contrapeso está nivelado e uniforme
NOTA: Deixe o contrapeso (2, Figura 5) suspenso 3
mm (0,125") acima da estrutura de suporte
(6) até que todos os quatro parafusos de
montagem (4) sejam introduzidos nos furos
de montagem
2. Arruelas (5, Figura 5) nos parafusos (4). Aplique Loctite
Figura 5 FG01 3213
nº 242 nas roscas dos parafusos de montagem.
3. Instale quatro parafusos (4, Figura 5) com arruelas (5)
no contrapeso até que as arruelas encostem na
estrutura de suporte. Abaixe o contrapeso inferior na
estrutura de apoio e termine o aperto dos parafusos.
NOTA: Aperte os parafusos (4, Figura 5) de acordo
com a tabela abaixo.
Modo Torque
DX225LC/DX225LCA
150 kg•m (51 pés/libra)
DX225NLC
4. Remova o dispositivo de levantamento a partir dos
orifícios de levantamento do contrapeso (3, Figura 5)
5. Instale a tampa do compartimento do motor.
6. Conecte o cabo negativo (-) da bateria na bateria.

Cabin SP000943
Página 10
SP001718

Tanque de
combustível

1ª edição

Tanque de combustível SP001718


Página 1
NOTAS

Tanque de combustível SP001718


Página 2
Índice
Tanque de combustível
PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ................................ 5
MODELOS APLICÁVEIS .............................................. 5
DESCRIÇÃO GERAL ................................................... 6
Lista de peças ................................................................................. 6

Especificações ................................................................................ 7

REMOÇÃO .................................................................. 8
INSTALAÇÃO............................................................. 13
PROCEDIMENTOS DE PARTIDA............................... 16

Tanque de combustível SP001718


Página 3
NOTAS

Tanque de combustível SP001718


Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise, segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LCA 5167 e acima

Tanque de combustível SP001718


Página 5
DESCRIÇÃO GERAL

AVISO!
O combustível para motor é altamente inflamável e
potencialmente explosivo. Para evitar possível
ferimento e/ou dano ao equipamento, apague ou mova
para uma distância segura todos os perigos de incêndio
potenciais.

Lista de peças

Figura 1

Tanque de combustível SP001718


Página 6
Número de Número de
Descrição Descrição
Referência Referência
1 Tanque de combustível 10 Filtro-tela de combustível
2 Anel-O 11 Tampa
3 Tampa 12 Medidor de nível
Parafuso 13 Espaçador
5 Arruela de pressão 14 Parafuso
6 Válvula de drenagem 15 Grampo
Parafuso 16 Bóia de combustível
8 Calço 17 Parafuso
9 Calço 18 Arruela de pressão

Especificações
A capacidade do tanque de combustível é de 400 litros (105
U.S. gal).

Tanque de combustível SP001718


Página 7
REMOÇÃO
1. Olhe para o visor de nível (Figura 2) no painel de Verde
instrumentos na cabine para ver o que ele mostra. O
visor está dividido em dez segmentos separados, cada
deles representando 10% do volume total do tanque.
Também, olhe para o visor de nível na lateral do tanque
para calcular o volume de combustível que há no tanque.
Vermelho
NOTA: Se possível, trabalhe com a escavadeira até
o nível de combustível abaixar o mais
possível.

Figura 2

2. Estacione a máquina sobre um terreno nivelado e gire a


plataforma giratória aprox. 90º em relação às esteiras.
Consulte a Figura 3.

Figura 3
3. Abaixe o acessório frontal (caçamba) ao chão.
4. Desligue o motor.
5. Coloque a alavanca de segurança na posição
“RELEASED“ [LIBERADO].
6. Gire a chave de ignição para a posição "I" (LIGADO).
AVISO!
NÃO OPERE
ao fazer inspeção

AVISO! ou manutenção

Caso seja necessário manter o motor em funcionamento Figura 4


enquanto se executa o trabalho de manutenção, tenha
muito cuidado. Assegure-se de que sempre haja uma
pessoa na cabine do operador. Nunca saia da cabine
com o motor funcionando.

7. Movimente completamente as alavancas (joysticks) de


operação em todas as direções para aliviar a pressão
dos acumuladores.
8. Coloque a alavanca de segurança na posição “LOCK”
[TRAVADO].
9. Coloque a chave na posição de “DESLIGADO” ["OFF"]
e retire-a da ignição.
10. Pendure uma etiqueta de aviso de manutenção nos
controles.
11. Desconecte o cabo negativo (-) da bateria ao quadro do
chassi.

Tanque de combustível SP001718


Página 8
12. Limpe a área ao redor da tampa de abastecimento
de combustível (11, Figura 5). Abra a tampa de
combustível.

Figura 5

13. Coloque um recipiente de tamanho apropriado debaixo


do tanque de combustível para coletar o combustível
restante. Abra a válvula de dreno (6, Figura 6) no fundo
do tanque e drene.
NOTA: O tanque comporta 400 litros.

Figura 6

14. Etiquete e desconecte a linha de alimentação de


combustível (21, Figura 7) e a linha de retorno de
combustível (19) do tanque de combustível (1) e
cuidadosamente drene o combustível restante nas
linhas.
15. Remova a braçadeira (20, Figura 7) que fixa a linha de
retorno de combustível (19) ao tanque (1).

Figura 7

Tanque de combustível SP001718


Página 9
16. Se equipado, remova os componentes do orifício da
bomba de abastecimento de combustível (22, Figura 8)
na lateral do tanque de combustível (1).

Figura 8

17. Remova os parafusos (23, Figura 9) e a tampa (24) do


tanque de combustível.

Figura 9

Tanque de combustível SP001718


Página 10
18. Remova os oito parafusos (25 e 26, Figura 10) e o tubo
tirante (27) do tanque de combustível e da estrutura.
Remova quatro parafusos (28 e 29) e a tampa do
tanque de combustível (30) do tanque de combustível.
Remova os dois parafusos (31) e o suporte (32)
do tanque.
Remova os quatro parafusos (33) e a tampa da bateria
(34) da estrutura.

Figura 10
19. Etiquete e desconecte os fios que conduzem à bóia de
combustível (16, Figura 11) na lateral do tanque de
combustível (1).

Figura 11

20. Remova os parafusos (35 e 36, Figura 12) e a tampa


(37) do tanque de combustível e do suporte.

Figura 12

Tanque de combustível SP001718


Página 11
21. Instale dois olhais roscados de 12 mm nos furos
roscados (38 e 39, Figura 13). Usando um dispositivo de
levantamento adequado, levante os olhais roscados.
22. Remova os seis parafusos (7) e os espaçadores (13,
Figura 13) de fixação do tanque (1) à estrutura. Levante
o tanque 25 mm (1”) e assegure-se de que está
equilibrado. Assegure-se de que não há outros fios
elétricos ou mangueiras conectadas ao tanque. Remova
completamente o tanque após inspeção.
NOTA: O visor de nível na lateral do tanque danifica-se
com facilidade. Tome cuidado com obstáculos e
rajadas de vento.
23. Remova os calços (9, Figura 13).
NOTA: Se o tanque for reutilizado, anote a posição e
quantidade de calços usados na posição de
cada parafuso de montagem.
Figura 13

Tanque de combustível SP001718


Página 12
INSTALAÇÃO
1. Instale dois olhais roscados de 12 mm nos furos
roscados (38 e 39, Figura 14). Usando um dispositivo de
levantamento adequado, levante os olhais roscados.
2. Ajuste o tanque de combustível (1, Figura 14) na
posição. Instale seis parafusos (7) e espaçadores (13)
apertados manualmente para fixar o tanque à estrutura.
NOTA: O visor de nível na lateral do tanque danifica-
se com facilidade. Tome cuidado com
obstáculos e rajadas de vento.
3. Instale os calços (9, Figura 14) conforme necessário
para que o tanque (1) não balance nem sofra
esforços mecânicos dos parafusos de montagem
(7).
4. Aperte os parafusos de montagem (7, Figura 14) após
instalar os calços.
NOTA: Aperte os parafusos a 27 kg•m (200 ft lb).
Figura 14

5. Instale os quatro parafusos (35 e 36, Figura 15) e a


tampa (37) do tanque de combustível e do suporte.

Figura 15
6. Conecte os fios, conforme etiquetados, à bóia de
combustível (16, Figura 16) na lateral do tanque de
combustível (1).

Figura 16

Tanque de combustível SP001718


Página 13
7. Remova os quatro parafusos (33, Figura 17) e a tampa
da bateria (34) da estrutura.
Instale os dois parafusos (31) e o suporte (32) no tanque
de combustível.
Instale os quatro parafusos (28 e 29) e a tampa do
tanque de combustível (30) no tanque de combustível.
Instale os oito parafusos (25 e 26) e o tubo tirante (27)
no tanque de combustível e estrutura.

Figura 17

8. Instale cinco parafusos (23, Figura 18) e a tampa.

Figura 18

Tanque de combustível SP001718


Página 14
9. Se equipado, conecte os componentes no orifício da
bomba de abastecimento de combustível (22, Figura 19)
na lateral do tanque de combustível (1).

Figura 19

10. Conecte como etiquetado, a linha de alimentação de


combustível (21, Figura 20) e a linha de retorno de
combustível (19) no tanque de combustível (1).
11. Remova a braçadeira (20, Figura 20) que fixa a linha de
retorno de combustível (19) ao tanque (1).

Figura 20
12. Assegure-se de que a válvula de drenagem (6, Figura
21) no fundo do tanque está fechada.
13. Encha o tanque de combustível quanto a sinais de
vazamentos. Corrija problemas.
14. Conecte o cabo negativo (-) da bateria à bateria.

Figura 21

Tanque de combustível SP001718


Página 15
PROCEDIMENTOS DE
PARTIDA
Se o motor não arrancar poderá ser necessário escorvar o
sistema de combustível. Escorve o sistema de combustível,
usando o seguinte procedimento:
1. Pare o motor.
2. Abra a porta do lado esquerdo e depois há o filtro de
combustível.
3. Desaperte o bujão (Figura 22) situado no topo da
cabeça do filtro de combustível.

Figura 22

4. Desaperte e impulsione a bomba manual de escorva


(Figura 23) ao lado da bomba de injeção de
combustível. Impulsione a bomba de escorva até que
o combustível chegue à abertura do bico no cabeçote
do filtro de combustível.
5. Aperte o bico no cabeçote do filtro de combustível.
6. Continue a impulsionar a bomba de drenagem até
sentir uma forte resistência. Aperte o botão da bomba
de escorva novamente na carcaça.
7. Acione o motor e verifique se existe algum indício de
vazamento. Figura 23
8. Repita o procedimento descrito caso seja necessário.

Tanque de combustível SP001718


Página 16
SP000021

Bomba de
transferência
de combustível

1ª edição

Bomba de transferência de combustível SP000021


Página 1
NOTAS

Bomba de transferência de combustível SP000021


Página 2
Índice

Bomba de transferência de combustível


PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ................................ 5
MODELOS APLICÁVEIS .............................................. 5
DESCRIÇÃO GERAL ................................................... 7
Teoria de operação ......................................................................... 7

RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS................................... 8
TROCA DO ROTOR E PALHETA.................................. 8
TROCA DA TAMPA TRASEIRA..................................... 9
TROCA DO INDUZIDO................................................. 9

Bomba de transferência de combustível SP000021


Página 3
NOTAS

Bomba de transferência de combustível SP000021


Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise, segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5001 e acima
DX225NLC 5001 e acima
DX225LCA 5167 e acima
DX300LC 5001 e acima

Bomba de transferência de combustível SP000021


Página 5
Bomba de transferência de combustível SP000021
Página 6
DESCRIÇÃO GERAL
Teoria de operação

Combustível

Tanque de combustível

Figura 1

Número de Número de
Descrição Descrição
Referência Referência
1 Motor 3 Mangueira de entrada
2 Bomba 4 Mangueira de saída
2-1 Tampa da bomba 5 Válvula de retenção
2-2 Rotor e palheta 6 Tampa com filtro-tela

A bomba de combustível consiste de um conjunto de motor,


bomba, interruptor e mangueira

Bomba

Interruptor

Mangueira
Figura 2
G

Bomba de transferência de combustível SP000021


Página 7
RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS
Tampa do interruptor
Em algumas bombas o interruptor liga/desliga está instalado
separadamente em local à distância. Conector “B”
Um limitador térmico, incorporado ao motor, vai desligar
automaticamente a alimentação, caso o motor fique Conector “A”
superaquecido, como forma de proteção contra danos.
NOTA: TEMPERATURA ABERTA: 150 ± 5°C (302 ± 41°F).
Após o circuito ser automaticamente desligado
devido a superaquecimento a bomba para de
funcionar. Quando a temperatura cai abaixo de
143ºC (289ºF) o circuito reativa permitindo que a
bomba seja novamente acionada. Figura 3 COM O INTERRUPTOR DE
ALAVANCA

Verifique a resistência nos conectores “A”. Se a leitura for


Conector “A”
zero, ou muito próxima de zero, o motor está mau e deve
ser trocado.
Em máquinas equipadas com interruptor de alavanca,
verifique a resistência com este interruptor na posição de
ligado (ON). Na ausência de continuidade, o interruptor está
mau. Assegure-se de verificar a resistência do motor.

Figura 4 SEM INTERUPTOR DE


ALAVANCA

TROCA DO ROTOR E
PALHETA
No caso de entrada de sujeira ou outros materiais estranhos
na bomba, estes poderão ficar entalados entre o rotor e/ou
palhetas e provocar aumento da temperatura, que poderá
levar a danos à bomba.
Renova a tampa da bomba e verifique o rotor e a palheta..
No caso de quaisquer peças ou componentes da bomba se
perderem, ficarem danificadas ou avariadas, substitua
imediatamente por peças ou componentes novos. Figura 5 SEM INTERUPTOR DE
ALAVANCA

Bomba de transferência de combustível SP000021


Página 8
Instale a palheta com a borda circulada voltada para a
direção no sentido anti-horário. (Detalhe A)
Instale um novo anel-O durante a remontagem da tampa da
bomba.

Figura 6

TROCA DA TAMPA TRASEIRA


O conjunto da escova e um limitador térmico estão
instalados na tampa traseira. Se for encontrado qualquer
dano, efetue a troca.
Remova a tampa do interruptor e o parafuso (M5 x L95) da
tampa traseira.
Remova a tampa.
Na remontagem da tampa traseira, aumente o espaço da
escova e instale-a no induzido. A seguir monte parafuso no
furo roscado na carcaça. Figura 7
Cuidado ao instalar o parafuso. O parafuso de tampa pode
ser atraído pelo ímã do motor.

TROCA DO INDUZIDO
É possível trocar apenas o induzido se o motor ficou Lado da tampa
Lado da Bomba traseira
danificado por um curto-circuito.
Remova a tampa do interruptor e a tampa traseira, depois
remova o induzido da carcaça.
Remova a tampa da bomba, o rotor e a palheta..
Instale um novo induzido na carcaça.
Consulte “Substituição da tampa traseira” na página 1-9 Comutador
para instalação da tampa traseira.
Monte o rotor no sulco de eixo do induzido. Instale a palheta
do rotor tomando o cuidado com a direção. Consulte “Troca Figura 8
do rotor e palhetas" na página 1-8.

Bomba de transferência de combustível SP000021


Página 9
Bomba de transferência de combustível SP000021
Página 10
SP000022

Rolamento
de giro

1ª edição

Rolamento de giro SP000022


Página 1
NOTAS

Rolamento de giro SP000022


Página 2
Índice

Rolamento de giro
PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ................................ 5
MODELOS APLICÁVEIS .............................................. 5
MANUTENÇÃO DO ROLAMENTO DE GIRO ................ 7
Recomendação de operação.......................................................... 7

Medição da folga axial do rolamento de giro .................................. 7

Medição da folga lateral do rolamento............................................ 7

Operação básica do rolamento de giro........................................... 8

Recondicionamento do rolamento de giro ...................................... 8

Rolamento de giro SP000022


Página 3
NOTAS

Rolamento de giro SP000022


Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise, segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5001 e acima
DX225NLC 5001 e acima
DX225LCA 5167 e acima
DX300LC 5001 e acima
DX340LC 5001 e acima

Rolamento de giro SP000022


Página 5
Rolamento de giro SP000022
Página 6
MANUTENÇÃO DO
ROLAMENTO DE GIRO

Recomendação de operação
A durabilidade útil do rolamento de giro pode ser aumentada
se for feito um esforço consciente e diário de igualar o uso
de ambas as extremidades da escavadeira. Se a
escavadeira for usada na mesma configuração de trabalho
em dias alternados (por exemplo, com os motores de
deslocamento sempre sob o contrapeso ou com o acessório
de um lado da máquina mais do que do outro), a vida útil do
rolamento pode ficar reduzida. Tirando alguns minutos no
meio de cada turno de trabalho para reposicionar a
escavadeira, para trabalhar no lado oposto do rolamento,
vai compensar em termos de um desgaste mais uniforme e
gradual e uma vida útil mais longa.

Medição da folga axial do rolamento de


giro
As verificações periódicas regulares do deslocamento do
rolamento devem ser feitas ao menos duas vezes por ano.
Use um relógio comparador. Empurre o acessório contra o
chão para levantar a escavadeira fora do chão e faça as
medições em 4 pontos, separados 90º ao redor da
circunferência do rolamento (Figura 1).
Registre e guarde todas as medidas. A folga no rolamento
deve aumentar minimamente de uma inspeção para a próxima.
Eventualmente entretanto, à medida que o rolamento
começa a se aproximar do limite de sua vida útil, os
aumentos da folga fiam muito mais pronunciados e a folga
real medida no rolamento pode ser o dobro do valor medido
numa máquina nova.

Medição da folga lateral do rolamento


Quando as verificações verticais são feitas, a folga lado a
lado no rolamento pode ser verificada retraindo-se
totalmente os cilindros do braço e da caçamba e
estendendo a ponta da caçamba até onde der. Com a
escavadeira estacionada sobre uma superfície plana e Figura 1
nivelada e a ponta da caçamba apenas desencostada do
solo empurre a caçamba lateralmente para absorver toda a
folga lateral no rolamento. (Deve ser necessária uma força
inferior a 100 lb para mover totalmente a caçamba).
Verifique a folga lateral em ambas as direções e registre os
valores. Quando o rolamento estiver começando a se
aproximar do fim de sua vida útil, a folga lateral deve
começar a apresentar aumentos cada vez maiores.

Rolamento de giro SP000022


Página 7
Operação básica do rolamento de giro
O rolamento de giro, que conecta com a estrutura superior
com a estrutura inferior, consiste de um anel interno, anel
externo e rolamentos de esferas. Durante o movimento de
giro, a potência do motor de giro é transferida para o pinhão
das engrenagens planetárias conectadas a engrenagens no
anel interno que está fixo ao material rodante. Os
rolamentos de esferas giram o anel externo.

Número de
Descrição
Referência
1 Anel externo
2 Anel interno
3 Pino cônico
4 Bujão
5 Esfera
6 Retentor
7 Vedador A Figura 2

Recondicionamento do rolamento de
giro

1. Remova a ponta do pino cônico (3, Figura 3) usando um


esmeril e golpeie levemente para remover os
fragmentos.

Figura 3

2. Remova o bujão (4, Figura 4) usando um parafuso M10


x 1.25.

Figura 4

Rolamento de giro SP000022


Página 8
3. Levante o anel externo e verifique se o anel interno
pode se mover livremente. Veja a Figura 5, se não,
troque o vedador (7, Figura 6).

Figura 5

4. Gire o anel interno e use uma barra imantada (C, Figura


6) para remover as esferas de aço (5).

Figura 6

5. Gire o anel interno e use o fio (D, Figura 7) para


remover is retentores (6).

Figura 7

Rolamento de giro SP000022


Página 9
Rolamento de giro SP000022
Página 10
SP001618

Giro:
Engrenagem
de redução

1ª edição

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 1
NOTAS

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 2
Índice
Mecanismo de Redução de Giro

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ...................................5


MODELOS APLICÁVEIS ..................................................5
DESCRIÇÃO GERAL .......................................................7
Teoria de operação ......................................................................... 7

Lista de peças ................................................................................. 8

Especificações ................................................................................ 9

DIAGNÓSTICO DE FALHAS, TESTE E AJUSTE ..........10


REMOÇÃO......................................................................11
DESMONTAGEM............................................................12
LIMPEZA E INSPEÇÃO (LIMITES DE DESGASTE
E TOLERÂNCIAS) ..........................................................18
REMONTAGEM ..............................................................19
Montagem a quente do eixo de do rolamento de giro .................. 19

Montagem dos subconjunto do suporte ........................................ 20

Montagem da caixa principal ........................................................ 26

INSTALAÇÃO..................................................................43
PROCEDIMENTOS DE PARTIDA ..................................43

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 3
NOTAS

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise, segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5001 e acima
DX225LCA 5167 e acima

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 5
Giro: Engrenagem de redução SP001618
Página 6
DESCRIÇÃO GERAL

Teoria de operação
O comando final do motor de giro é uma caixa de
engrenagens planetárias de dois estágios com duas
engrenagens planetárias, duas engrenagens solares e
redução de saída de dois estágios. A engrenagem planetária
engrena a coroa. O pinhão é conectado ao eixo de saída
estriado.
O comando final reduz a rotação do motor de giro para
aumentar seu torque de saída. A velocidade de giro máxima
disponível propicia uma velocidade de saída para um ciclo
de trabalho eficiente e rápido com potência mais do que
adequada para boa aceleração

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 7
Lista de peças

Figura 1

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 8
Número de Número de
Descrição Descrição
Referência Referência
1 Alojamento 18 Engrenagem solar nº 2
2 Eixo de acionamento 19 Pio de trava
3 Disco 20 Suporte nº 1
4 Rolamento de roletes esféricos 21 Arruela de encosto nº 1
5 Placa de tampa 22 Engrenagem planetária nº 1
6 Anel trava 23 Conjunto do pino nº 1
7 Vedador de óleo 24 Parafuso cabeça sextavada
8 Rolamento de roletes esféricos 25 Engrenagem solar nº 1
9 Coroa 26 Anel trava
10 Suporte nº 2 27 Bujão
11 Arruela de encosto nº 2 28 Bujão
12 Engrenagem planetária nº 2 29 Tubo do medidor de nível
13 Bucha nº 2 30 Medidor de nível
14 Pino nº 2 31 Arruela cônica dupla
15 Pino elástico 32 Tubo
16 Parafuso de cabeça sextavada 33 Parafuso de cabeça sextavada
17 Arruela de encosto nº 3

Especificações
Mecanismo de Redução de Giro Especificações
Tipo de acionamento Engrenagem planetária de dois estágios
Relação de redução 19,636
Rotação de saída máxima 83,6 rpm
1.120 kg•m
Torque de saída máximo
(8.100 lb ft)

Peso 120 kg (265 lb)

Pinhão Especificações
Tipo Engrenagem de dentes retos
156mm
Passo da engrenagem
(6,14 pol.)
Nº de dentes 13
Módulo 12

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 9
DIAGNÓSTICO DE FALHAS,
TESTE E AJUSTE
Sintomas Causa Possível Correção
1. Sem rotação e:

a. A pressão na entrada do motor do Freio do giro não desaplica. Verifique a aplicação e


giro aumenta. desaplicação do freio
verifique a pressão de
desaplicação
Dano interno da caixa de
engrenagens do trem de Troque as engrenagens
força quebradas e os conjunto
do trem de força.

Sobrecarga. Reduza o peso de carga.

b. A pressão na entrada do motor Eixo de acionamento do motor Substitua o motor de giro.


do giro não apresenta aumento do giro danificado.
e o motor do giro produz ruídos
irregulares. Caixa de engrenagens Repare/troque os conjuntos
danificada internamente quebrados ou danificados
trem de força

c. A pressão na entrada do motor Bomba hidráulica ou válvula Faça o diagnóstico de falhas


do giro não apresenta aumento, quebrada do sistema hidráulico.
mas sem ruídos irregulares
deste.
2. Vazamento de óleo:

a. Eixo de acionamento dianteiro Vedador de óleo danificado Troque o vedador de óleo

Das conexões roscadas ou outras Composto de montagem (vedador Desmonte a verifique as


superfícies montadas de juntas) antigo ou não está superfície de montagem
vedando, parafuso frouxo ou Reaplique
flange empenado. Reaplique Loctite, aperte
os parafusos conforme
especificado.
3. Superaquecimento

A carcaça da caixa de engrenagens Nível do óleo hidráulico baixo. Troque o óleo. Reabasteça
superaquece com ou sem ruído até o nível especificado.
irregular durante a operação.
Rolamentos ou engrenagens Repare ou troque a caixa de
gastos mas não totalmente engrenagens.
inoperantes.

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 10
REMOÇÃO
1. Estacione em superfície firme e uniforme.
2. Abaixe o acessório frontal (caçamba) ao chão.
3. Desligue o motor.
4. Coloque a alavanca de segurança na posição
“RELEASED“ [LIBERADO].
AVISO!
5. Gire a chave de ignição para a posição "I" (LIGADO). NÃO OPERE
ao fazer inspeção
ou manutenção

AVISO!
Figura 2
Caso seja necessário manter o motor em funcionamento
enquanto se executa o trabalho de manutenção, tenha
muito cuidado. Assegure-se de que sempre haja uma
pessoa na cabine do operador. Nunca deixe a cabine do
operador com o motor em funcionamento.

6. Movimente completamente as alavancas (joysticks) de


operação em todas as direções para aliviar a pressão
dos acumuladores.
7. Coloque a alavanca de segurança na posição “LOCK”
[TRAVADO].
8. Coloque a chave na posição “DESLIGADO” ["OFF"] e
retire-a da ignição.
9. Pendure uma etiqueta de aviso de manutenção nos
controles.
10. Desconecte o cabo negativo (-) da bateria ao quadro do
chassi.
11. Etiquete e desconecte as mangueiras do motor de giro
(1, Figura 3), tampe as mangueiras e orifícios para evitar
a contaminação do sistema hidráulico ou componentes.
12. Libere o bujão de drenagem (8, Figura 3) e drene o óleo
da caixa de engrenagens de redução (5, Figura 3).
13. Desconecte a linha de lubrificação com graxa (7, Figura
3) da caixa de engrenagens de redução (5, Figura 3).

14. Remova os onze parafusos e arruelas (4, Figura ) de


fixação da caixa de engrenagens de redução (5, Figura
3) à estrutura.
15. Usando um dispositivo de levantamento apropriado,
suspenda o motor de giro (1, Figura 3) e remova o motor
de giro e a caixa de engrenagens de redução (5, Figura
3) como um conjunto da unidade.
NOTA: Existe um pino de alinhamento.

Figura 3

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 11
DESMONTAGEM

IMPORTANTE
Escolha um local limpo.
Estenda um tapete de borracha ou tecido na bancada de
trabalho para evitar dano às peças.

1. Remova os parafusos e o motor da caixa de redução de


giro.

ATENÇÃO!
O motor deve ser separado sem danificar ou
qualquer substância estranha.

Figura 4

ATENÇÃO!
Deve-se tomar cuidado para não danificar a
superfície de montagem do motor. Remova
cuidadosamente todo o material de junta das
superfícies de montagem.

Figura 5

2. Remova a engrenagem solar nº 1 do suporte 1.

ATENÇÃO!
Cuidado para não danificar os dentes da
engrenagem solar nº 1.

Figura 6

Giro: Engrenagem de redução S P 0 0 1618


Página 12
Figura 7
3. Remova o suporte nº 1.

Figura 8

4. Remova a arruela e a engrenagem solar nº 2.

ATENÇÃO!
Cuidado para não danificar os dentes da engrenagem
solar nº 2.

Figura 9

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 13
5. Remova o parafuso no suporte nº 2.

Figura 10

6. Instale olhais roscados no suporte nº 2 e remova-o da


coroa.

ATENÇÃO!
Cuidado para não danificar os dentes do suporte nº 2 da
coroa.

Figura 11

Figura 12

Giro: Engrenagem de redução S P 0 0 1618


Página 14
Aperte o parafuso colocando a
parte mais curta da arruela com
lingueta na rosca da arruela de
encosto 3.

Figura 13

Figura 14

7. Instale olhais roscados na coroa e a remova.

ATENÇÃO!
Cuidado para não danificar as superfícies de montagem
da coroa e da caixa. Remova cuidadosamente todo o
material de junta das superfícies de montagem.

Figura 15

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 15
Figura 16

8. Use uma máquina de rolamento para inverter a posição


do conjunto.
9. Remova a tampa.

Figura 17

Figura 18

Figura 19

Giro: Engrenagem de redução S P 0 0 1618


Página 16
10. Use uma máquina para inverter a posição da caixa e
coloque um gabarito sobre o eixo de acionamento Use
uma prensa para remover o eixo de acionamento da
caixa.

ATENÇÃO!
Cuidado para não deixar o eixo de acionamento cair no
chão ao ser desmontado da caixa.

Figura 20

Figura 21

11. Remova o rolamento da caixa.

Figura 22

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 17
12. Coloque o eixo de acionamento na prensa e remova o
rolamento e o espaçador.

Figura 23

Figura 24

LIMPEZA E INSPEÇÃO
(LIMITES DE DESGASTE E
TOLERÂNCIAS)
Para procedimentos gerais de limpeza e inspeção, consulte
a seção "Procedimentos gerais de manutenção".

Giro: Engrenagem de redução S P 0 0 1618


Página 18
REMONTAGEM
Montagem a quente do eixo de do
rolamento de giro
1. Para limpeza do eixo , remova todos os resíduos de
líquido anticorrosão aplicados no eixo e remova todas
as substâncias estranhas usando uma pistola de ar
comprimido.
2. Instale o espaçador no eixo limpo como mostrado
abaixo e aqueça o rolamento num aquecedor especial.

Figura 25

Figura 26

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 19
Figura 27

3. Interrompa o aquecimento quando a temperatura do


rolamento estiver entre 90° - 100°C (194° - 212°F) e
instale-o no eixo segurando-o com ambas as mãos para
mantê-lo em nível. Introduza lentamente primeiro 4 - 5
mm (0.16 - 0.29 in) para que o rolamento assente-se e
depois empurre com força de modo que encoste
totalmente no espaçador montado no eixo.
4. Após a montagem do rolamento, deixe-o esfriar
naturalmente por 1-2 horas.

Figura 28

Montagem dos subconjunto do suporte

Limpeza do suporte

Coloque o suporte cujos cantos foram esmerilhados para


remover todas as substâncias estranhas como rebarbas, no
lavador a vapor se houver restos de materiais estranhos e
coloque-o na matriz de montagem;

Limpeza da engrenagem planetária

Verifique se as engrenagens planetárias foram bem lavadas


e coloque-as na matriz de montagem;

Giro: Engrenagem de redução S P 0 0 1618


Página 20
Montagem do suporte nº 1

1. Coloque o suporte no conjunto de gabarito, como


mostrado na Figura 29.

Figura 29

2. Monte o conjunto do pino 1 e a arruela na engrenagem


planetária 1 e coloque-a no furo de pino do suporte nº 1

Figura 30

Figura 31

. Figura 32

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 21
Figura 33

3. Coloque o conjunto de gabarito e mantenha o conjunto


do pino 1 perpendicular e empurre-o com uma prensa.
4. Após prensar, verifique o estado visualmente

Figura 34

5. Prensa as 2 peças restantes da mesma forma.

Figura 35

Giro: Engrenagem de redução S P 0 0 1618


Página 22
Figura 36

6. Enganche o anel trava (for eixo φ 38) em cada risca do


pino 1 e verifique se a engrenagem gira livremente
girando-a.

Figura 37

Figura 38

Montagem do suporte nº 2

1. Coloque o suporte nº 2 no dispositivo de montagem,


como mostrado na Figura 39.
NOTA: O furo para o olhal roscado deve apontar para
cima.

Figura 39

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 23
2. Instale a bucha nº 2 na engrenagem planetária nº 2 e
posicione uma nova arruela de encosto sobre ela.

Figura 40

3. Inverta a posição do conjunto e instale-o no suporte nº 2.


Alinhe o furo da bucha com os furos do suporte.

NOTA: A arruela de encosto deve ficar no lado


inferior da engrenagem.

Figura 41

Figura 42

4. Alinhe o pino elástico no eixo nº 2 com o orifício do pino


elástico do suporte nº 2. Instale o eixo no suporte e na
bucha nº 2.
Eles devem
ser colocados
NOTA: Pode ser preciso golpear levemente o eixo em linha reta.
com um martelo de pena macia.

Figura 43

Giro: Engrenagem de redução S P 0 0 1618


Página 24
Figura 44
5. Instale as três engrenagens nº 2 restantes da mesma
forma.

Figura 45

6. Após todos os quatro eixos serem instalados, alinhe o


pino elástico ( φ 10x25L) com o furo do suporte e
monte-o com a ajuda de um martelo.

Figura 46

Figura 47

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 25
7. Com um martelo e punção monte o pino elástico.

Figura 48

Figura 49
8. Repita o procedimento para os outros três pinos
elásticos. Assegure-se de que as engrenagens giram
corretamente.

Figura 50

Montagem da caixa principal


Limpeza da caixa e outras peças

Limpe com vapor a caixa e outras peças, para remover os


materiais estranhos.
 Fluido de limpeza: PK6540 (alcalino)
 Densidade do líquido: 3 - 5%
 Temperatura do líquido 60° - 70°C (140° - 158°F)

Giro: Engrenagem de redução S P 0 0 1618


Página 26
Montagem do eixo e do pinhão

1. Introdução do conjunto do eixo.


A. Ajuste a caixa de engrenagens como mostrado na
Figura 51
B. Usando um dispositivo de levantamento apropriado,
abaixe o subconjunto do eixo dentro da caixa.
C. Usando um gabarito especial, mantenha o
rolamento nivelado e prense-o na caixa.

Figura 51

Figura 52

Figura 53

Figura 54

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 27
2. Remova o gabarito de prensagem do rolamento,
coloque a placa de tampa como mostrado na figura e
aperte os parafusos (M10x25L) com Loctite nº 262 e um
torque de 700kgf.cm.

Figura 55

Figura 56

Montagem do vedador e do rolamento

1. Posicione a caixa de modo que o pinhão fique virado


para baixo

Figura 57

Figura 58

Giro: Engrenagem de redução S P 0 0 1618


Página 28
2. Assegure-se de que não há materiais estranhos no
conjunto do veador, aplique graxa ao redor da borda do
vedador de óleo (TC5001300) como na Figura 59 e
Loctite nº 609 em sua parte externa.
3. Usando o gabarito de instalação do vedador, prense o
vedador na caixa, mantendo-o nivelado durante a
instalação. Assegure-se de que o vedador está
totalmente assentado.

Figura 59

ATENÇÃO!
Assegure-se de que não há materiais estranhos na área
da borda do vedador. Tenha cuidado para não danificar
o vedador durante a instalação. Verifique se a instalação
foi correta após prensar o vedador na posição.

Figura 60

Figura 61

Figura 62

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 29
Figura 63

Figura 64

Figura 65

Figura 66

Giro: Engrenagem de redução S P 0 0 1618


Página 30
4. Usando o gabarito de instalação do vedador, posicione
o rolamento na extremidade do eixo com a marca
comercial do rolamento na pista interna voltada para
cima. Prense o rolamento firmemente assegurando-se
de que fica corretamente posicionado.

Figura 67

Figura 68

Figura 69

Figura 70

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 31
5. Gire o pinhão à mão e verifique se gira corretamente.

Figura 71

6. Instale os bujões nos furos de drenagem PT1/2 e PT1/4.

Figura 72

Figura 73

Figura 74

Giro: Engrenagem de redução S P 0 0 1618


Página 32
Montagem da coroa
1. Introdução do pino trava
Instale quatro pinos de trava nos quatro furos
escareados do flange da caixa. Monte-os golpeando-os
levemente com um martelo de pena macia.

Figura 75

Figura 76

2. Aplique junta líquida ((Three Bond nº 1104)


uniformemente no conjunto da coroa da carcaça.

Figura 77

Apontar para os
3. Levante a coroa com um guincho, limpe suas orificios
superfícies de montagem com tecido, alinhe os furos
após verificar a direção de montagem e prense as peças
montadas firmemente, apertando os parafusos especiais
(M12x150) nos quais não foi aplicado Loctite.

Figura 78

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 33
Figura 79

Montagem do suporte

1. Usando um dispositivo de levantamento apropriado,


abaixe o conjunto suporte nº 2 na coroa, assegurando-
se de que as engrenagens planetárias estão
engrenadas. Continue a abaixar o suporte e acople-o
nas estrias do eixo do pinhão. Assegure-se de que o
suporte encosta no rolamento.
NOTA: Assegure-se de que o suporte e o eixo de
acionamento podem girar.
Figura 80

Figura 81

Figura 82

Giro: Engrenagem de redução S P 0 0 1618


Página 34
2. Coloque uma arruela de lingüeta sobre a arruela de
encosto 3 do conjunto do suporte 2 e enrosque um
parafuso sextavado (M1625L, torque: 3,000kgf.cm) com
Loctite (nº 262) aplicado.

ATENÇÃO!
A parte mais curta da arruela de lingüeta deve ser
colocada na rosca da arruela de encosto 3 e depois
apertada. Para que a arruela não se movimente, use um Figura 83
dispositivo apropriado como o mostrado n a figura
abaixo para prensar uma parte da arruela e apertar o
parafuso.

Figura 84

Figura 85

3. Após apertar o parafuso, fixe o conjunto do suporte 2 e


use um torquímetro para apertá-lo com o torque padrão.
Após verificar o torque, dobre a parte mais longa da
arruela com lingüeta até que grude na c abeca do
parafuso sextavado.

Figura 86

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 35
Figura 87
4. Instale a engrenagem solar nº 2 no suporte nº 2.

Figura 88

5. Levante o conjunto do suporte 1, e gire-o no sentido


horário ou anti-horário suavemente para acoplar nas
estrias da engrenagem solar nº 2 e a coroa.

Figura 89

6. Monte a engrenagem solar 1.

Figura 90

Giro: Engrenagem de redução S P 0 0 1618


Página 36
Montagem do motor

Montagem do motor
1. Remova os parafusos de compressão da coroa, limpe o
conjunto do motor com pano limpo e aplique junta
líquida (nº 1104) de maneira uniforme.

Figura 91

2. Use um guincho para levantar o motor preparado, limpe


o conjunto e monte o anel trava no eixo.

Figura 92

3. Coloque o motor na engrenagem de redução


cuidadosamente com o ajuste de direção como
mostrado na figura abaixo (tome cuidado para que o
flange não encoste na superfície da coroa onde foi
aplicada a junta líquida). Monte o motor girando-o no
sentido horário ou anti-horário suavemente de modo que
as estrias do eixo se acoplem com a engrenagem solar
nº 1.

Figura 93

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 37
※ 2º orifício no
sentido anti-
horário a partir do
canal do
manômetro.

※ Tomada do
※ Disposto para ficar
medidor de nível.
na linha reta

Figura 94

Figura 95

4. Aplique Loctite (nº 2652) nos 16 parafuso soquete


(M12x150L, torque: 1.440 kgf.cm),m instale nos furos e
aperte com uma chave de impacto.

Figura 96

Giro: Engrenagem de redução S P 0 0 1618


Página 38
Figura 97

Figura 98

Figura 99

5. Acople o tubo do medidor de nível selado com fita


Teflon no furo do medidor de nível com um tubo.

AVISO!
Mão instale a barra do medidor de nível antes de colocar
óleo de engrenagem

Figura 100

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 39
Alimentação de óleo de engrenagem e graxa

1. Abra a tampa de entrada de óleo e coloque 3,8 l de óleo


de engrenagem (EP89W/90).

Figura 101

Figura 102

Figura 103

2. Após colocar o óleo, coloque o medidor de nível no


tanque e verifique o nível do óleo.

Figura 104

Giro: Engrenagem de redução S P 0 0 1618


Página 40
3. Coloque a conexão para alimentar graxa no furo
roscado PT1/4 e comece a colocar graxa até que saia
pelo furo oposto PT1/4.

Figura 105

Figura 106

4. Após colocar a graxa, monte o bujão PT1/4 vedado com


fita Teflon (torque: 220 kgf.cm), aperte-o com
torquímetro, limpe a graxa e outros materiais estranhos
que ficaram na superfície e verifique a posição montada
do motor novamente.

Figura 107

Figura 108

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 41
Figura 109

Figura 110

Giro: Engrenagem de redução S P 0 0 1618


Página 42
INSTALAÇÃO
1. Engraxe o pinhão. Consulte o manual de operação para
especificações.
2. Assegure-se de que o pino de alinhamento (6, Figura
111) está instalado no flange da caixa de engrenagens
de redução do giro (5).
3. Usando um dispositivo de levantamento apropriado,
suspenda o motor de giro (1, Figura 111) e remova o
motor de giro e a caixa de engrenagens de redução (5)
como um conjunto da unidade.
4. Remova os onze parafusos e arruelas (4, Figura ) de
fixação da caixa de engrenagens de redução (5) à
estrutura.
NOTA: Aplique Loctite nº 262 nas roscas dos
parafusos.
NOTA: Aperte os parafusos para 55 kg•m (398 ft lb).
5. Conecte a mangueira (2, Figura 111) na caixa de
engrenagens de redução (5).
6. Conecte a linha de lubrificação com graxa (7, Figura
111) na caixa de engrenagens de redução (5).
Figura 111
7. Conecte as mangueiras etiquetadas durante a remoção,
no motor de giro (1, Figura 111).
8. Encha a caixa de engrenagens de redução com óleo.
Consulte o manual de operação para especificações.

PROCEDIMENTOS DE
PARTIDA

IMPORTANTE
Se o ar não for eliminado do sistema, pode haver danos
aos rolamentos e ao motor de giro.

1. Desligue a mangueira de drenagem e encha o cárter do


motor de giro com óleo hidráulico.
2. Conecte a mangueira de drenagem.
3. Coloque o motor em funcionamento e ajuste a
aceleração para “LOW IDLE” [MARCHA LENTA EM
CARGA]; gire lentamente a estrutura superior duas
Figura 112
voltas completas para a esquerda e para a direita.
4. Desligue o motor e verifique novamente o nível do óleo
hidráulico. Encha o tanque de óleo hidráulico até a
marca "H" existente no visor de nível.
5. Verifique se existe algum vazamento de óleo e limpe
todos os locais de abastecimento e ventilação.

Giro: Engrenagem de redução SP001618


Página 43
Giro: Engrenagem de redução S P 0 0 1618
Página 44
Estrutura Inferior e
Chassi
SP001619

Conjunto da
esteira

1ª edição

Conjunto da esteira SP001619


Página 1
ANOTAÇÕES

Conjunto da esteira SP001619


Página 2
Índice

Conjunto da esteira

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ...................................5


MODELOS APLICÁVEIS ..................................................5
DESCRIÇÃO GERAL .......................................................7
TENSÃO DAS ESTEIRAS ................................................7
LIMPEZA E INSPEÇÃO (LIMITES DE DESGASTE
E TOLERÂNCIAS) ..........................................................10
Sapata da esteira .......................................................................... 12

Rolete inferior................................................................................ 14

Rolete Superior ............................................................................. 15

Roda-guia dianteira....................................................................... 16

SAPATAS E ELOS DE ESTEIRAS .................................17


Remoção da esteira...................................................................... 17

Instalação da esteira ..................................................................... 18

ROLETE DA RODA-GUIA DIANTEIRA ..........................20


Lista de peças ............................................................................... 20

Desmontagem do rolete da roda-guia dianteira............................ 21

Remontagem do rolete da roda-guia dianteira ...............23


ROLETE INFERIOR .......................................................24
Lista de peças ............................................................................... 24

Remoção do rolete inferior............................................................ 25

Desmontagem do rolete inferior.................................................... 25

Remontagem do rolete inferior ..................................................... 26

Instalação do rolete inferior........................................................... 27

ROLETE SUPERIOR......................................................28
Lista de peças ............................................................................... 28

Remoção do rolete superior.......................................................... 29

Desmontagem do rolete superior.................................................. 29

Remontagem do rolete superior ................................................... 31

MOLA E CILINDRO DE AJUSTE DA ESTEIRA .............32


Lista de peças ............................................................................... 32

Conjunto da esteira SP001619


Página 3
ANOTAÇÕES

Conjunto da esteira SP001619


Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise, segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5433 e acima
DX225LCA 5167 e acima

Conjunto da esteira SP001619


Página 5
Conjunto da esteira SP001619
Página 6
DESCRIÇÃO GERAL
O conjunto da esteira consiste dos seguintes componentes
principais:
1. Esteira
2. Rolete da roda-guia dianteira
3. Rolete Superior
4. Rolete inferior
5. Mola da esteira e cilindro de ajuste da esteira

TENSÃO DAS ESTEIRAS

AVISO!
Uma das pessoas deverá permanecer no assento do
operador, acionando os comandos, de forma a manter
uma estrutura lateral no ar, enquanto a outra pessoa faz
as verificações dimensionais. Tome todas as
precauções necessárias para se certificar de que a
máquina não se deslocará ou mudará de posição no
decurso das verificações. Aqueça o motor de forma a
evitar que estole, desloque a escavadeira para uma zona
com uma superfície de apoio firme e plana e/ou use
blocos de apoio sempre que necessário.
O mecanismo de ajuste de esteiras está sob pressão
muito alta. NUNCA libere a pressão de forma
demasiadamente rápida. A válvula do cilindro de
lubrificação nunca deverá ser desapertada mais do que
uma volta completa a partir da posição completamente
apertada. Elimine a pressão lentamente e mantenha
sempre seu corpo afastado da válvula.

Os pinos de articulação da sapata e as buchas desgastam-


se com o uso normal, reduzindo a tensão das esteiras.
Assim sendo, é necessário proceder a uma regulagem
periódica da tensão das esteiras para compensar o
desgaste, podendo igualmente ser necessária a regulagem
face às condições de trabalho.
1. A tensão das esteiras é verificada levantando um dos
lados da escavadeira com a ajuda de um macaco
hidráulico. Consulte a Figura 1. Coloque blocos de apoio
por debaixo da estrutura enquanto faz as medições.

Figura 1

Conjunto da esteira SP001619


Página 7
2. Meça a distância (A, Figura 2) entre a parte inferior da
estrutura lateral e a parte de cima da sapata de
arrastamento mais baixa. Tensão recomendada parta
operação na maioria dos tipos de terrenos é a distância
“B” na tabela abaixo.
NOTA: Esta medição poderá não ser a mais correta se
houver muita lama, sujeira ou outro material no
conjunto da esteira. Antes de verificar a folga
das esteiras, limpe-as.
3. Uma deflexão demasiado pequena da esteira de
arrastamento (intervalo inferior a “C” na tabela abaixo)
pode provocar um desgaste excessivo do componente. Figura 2
A regulagem recomendada poderá também ser
demasiado apertada, provocando esforços acelerados e
desgaste, caso o terreno seja úmido, alagadiço ou
lamacento, ou se a superfície do solo for dura e cheia de
pedras ou cascalho.
4. A maior folga recomendada para condições de terrenos
lamacentos situa-se entre a distância “D” na tabela
abaixo. A folga deve ser de mais ou menos a distância
“E” na tabela abaixo no caso de operação da máquina
sobre cascalho, terrenos rochosos, sobre areia ou neve.

Distância "A"
Tipo de terreno
DX225LC/DX225LCA

320 - 340 mm
Normal “B”
(12,60 – 13,39 pol.)

320 mm
Mínima “C”
(12,60 pol.)

340 - 370 mm
Lamacento “D”
(13,39 – 14,57 pol.)

Cascalho, Rochoso, Areia 370 mm


ou Neve “W! (14,57 pol.)

AVISO!
O mecanismo de ajuste de esteiras está sob pressão
muito alta. NUNCA libere a pressão de forma
demasiadamente rápida. A válvula do cilindro de
lubrificação nunca deverá ser desapertada mais do que
uma volta completa a partir da posição completamente
apertada. Elimine a pressão lentamente e mantenha
sempre seu corpo afastado da válvula.

Conjunto da esteira SP001619


Página 8
5. As regulagens das tensões das esteiras são feitas por
meio da instalação de lubrificação (1, Figura 3) situada
no meio de cada uma das armações laterais. A adição
de graxa aumenta o comprimento de um cilindro de
ajuste (2). Quanto maior for o comprimento do cilindro
de ajuste, maior é a pressão sobre a mola de tensão
que empurra a roda-guia da esteira para fora.

6. Se não existir suficiente flexibilidade ou folga nas


esteiras e o ajuste for apertado demais, a roda-guia e o
cilindro de ajuste podem ser retraídos, retirando graxa
através do furo existente no cilindro de ajuste (2, Figura Figura 3
3).

Conjunto da esteira SP001619


Página 9
LIMPEZA E INSPEÇÃO
(LIMITES DE DESGASTE E
TOLERÂNCIAS)

ATENÇÃO!
Consulte as informações em “Precauções e instruções
de soldagem” na seção “Procedimentos gerais de
manutenção” par recomendações gerais e precauções
de segurança específicas, antes de iniciar qualquer
procedimento de recondicionamento de componentes
da estrutura inferior de deslocamento.

A tabela seguinte fornece os limites dimensionais


especificados pela fábrica (como condição de novo, serviço
recomendado e limite de troca) para componentes da
estrutura de deslocamento inferior.
A manutenção recomendada para recondicionar a maioria
dos componentes listados requer soldagem de material
adicional e esmerilhamento do excesso.
Alguns componentes devem ser substituídos antes que o
limite de serviço seja excedido. Não é possível fazer a
manutenção ou a renovação. Compare os valores nas
tabelas com as dimensões e perfis mostrados nas figuras ao
lado.

Conjunto da esteira SP001619


Página 10
Conjunto da esteira SP001619
Página 11
Sapata da esteira

Figura 4

Conjunto da esteira SP001619


Página 12
Limite de uso
N° Item de verificação Dimensão padrão Limite recomendado para (Reparar - P ou
manutenção Trocar - R)
190 mm 193 mm 194.5 mm [R]
1 Passo do elo
(7,48") (7,598") (3,72")
Diâmetro
59 mm 57 mm 54,0 mm [R]
2 Externo da
(2,323") (2,244") (2,126")
bucha
105 mm 100 mm 96mm [P]
3 Altura do elo
(4,134") (3,937") (3,78")
Comprimento na 21 mm
4
ponta (0,827")
Comprimento na 14mm
5
ponta (0,551”)
26mm 20mm 20mm
6 Altura
(1,023") (0,787") (0,787")

Dimensão Tolerância Interferência


Interferência Limite de reparo
padrão Eixo Furo padrão
7 entre a bucha e o
elo 59 mm +0,434 +0,074
0,32 – 0,434
(7,598") +0.394 0.0

Dimensão Tolerância Interferência


Interferência Limite de reparo
padrão Eixo Furo padrão
8 entre o pino e o
elo regulares 38 mm +0,222 +0,062
0,1 – 0,222
(1,496") +0,162 0

Dimensão Tolerância Interferência


Folga entre o Limite de reparo
padrão Eixo Furo padrão
9 pino e o elo
regulares 38 mm +0,222 +0,902
0,18 – 0,74
(1,496") +0,162 +0,40

Dimensão Tolerância Interferência


Interferência entre o Limite de reparo
padrão Eixo Furo padrão
10 pino mestre e a
bucha 37,7 mm +0,04 +0,062
0,04 – 0,062
(7,598") 0 0

Dimensão Tolerância Interferência


Limite de reparo
Folga entre o pino padrão Eixo Furo padrão
11
mestre e a bucha
37,7 mm +0,04 +0,902
0,362 – 0,902
(7,598") 0 +0,402

Conjunto da esteira SP001619


Página 13
Rolete inferior

Figura 5

Limite de uso
N° Item de verificação Dimensão padrão Limite recomendado (Reparar - P ou
para manutenção Trocar - R)
Diâmetro externo do 185 mm 180 mm 180 mm [P]
1
flange (7,283") (7,087") (6,89")
Diâmetro externo da 154 mm 150 mm 145 mm [P]
2
bitola (6,063") (5,906") (5,709")
49 mm 55mm
3 Largura da bitola
(1,929") (2,165")
23mm
4 Largura do flange
(0,906")

Dimensão Tolerância Interferência


Limite de reparo
Folga entre o eixo e padrão Eixo Furo padrão
5
a bucha
65 mm -0,06 +0,35 +0,45 63,3 mm [R]
(2,559") -0,1 +0,28 +0,34 (2,492")

Dimensão Tolerância Interferência


Limite de reparo
Interferência entre o padrão Eixo Furo padrão
6
rolete e a bucha
72mm +0,14 +0,03 +0,16
(2,835" +0,09 -0,02 +0,06

Conjunto da esteira SP001619


Página 14
Rolete Superior

Figura 6

Limite de uso
N° Item de verificação Dimensão padrão Limite recomendado para (Reparar - P
manutenção ou Trocar - R)
Diâmetro externo do 140 mm
1
flange (5,512")
Diâmetro externo da
120 mm 115 mm 110 mm [P]
2 superfície de
(4,724") (4,528") (4,33")
rolamento
Largura da superfície de 47,5 mm 42,5 mm
3
rolamento (1,87") (1,673")
17mm
4 Largura do flange
(0,669")

Dimensão Tolerância Interferência


Limite de reparo
Folga entre o eixo e padrão Shaft Hole padrão
5
a bucha
47 mm -0,05 +0,25 +0,33
(1,850") -0,08 +0,2 +0,25

Dimensão Tolerância Interferência


Limite de reparo
Interferência entre o padrão Shaft Hole padrão
6
rolete e a bucha
53 mm +0,1 +0,03 +0,12
(2,087") +0,05 -0,02 +0,08

Conjunto da esteira SP001619


Página 15
Roda-guia dianteira

Figura 7

Limit for Use


N° Item de verificação Dimensão padrão Limite recomendado para (Repair - P or
manutenção Replace - R)
Diâmetro externo do 541,5 mm
1
flange (21,319")
Diâmetro externo da 500 mm 488 mm
2
superfície de (19,685") (19,213")
85mm 75mm 65mm
3 Largura da protrusão
(3,346") (2,953") (2,559")
160 mm 150 mm 140 mm
4 Largura Total
(6,299") (5,906") (5,512")
37,5 mm 43mm
5 Largura da bitola
(1,476") (1,693")
Tolerância
Dimensão Interferência
Limite de reparo
Folga entre o eixo e padrão Eixo Furo padrão
6
a bucha
75 mm -0,06 +0,36 +0,45 76 mm [R]
(2,953") -0,09 +0,25 +0,31 (2,992")
Tolerância
Dimensão Interferência
Limite de reparo
Interferência entre o padrão Eixo Furo padrão
7
rolete e a bucha
85mm +0,12 +0,035 +0,12
(3,346") +0,09 0 +0,07

Conjunto da esteira SP001619


Página 16
SAPATAS E ELOS DE
ESTEIRAS
Remoção da esteira
1. Estacione a máquina sobre uma superfície nivelada e
homogênea com espaço adequado para deslocamento
avante e a ré.
2. Alivie a tensão das esteiras. Consulte "Tensão da
esteira” nesta seção para o procedimento.
3. Movimente a máquina até que o elo mestre (1, Figura 8)
fique posicionado em aproximadamente 10 horas a
partir da posição superior no rolete da roda-guia
dianteira.
4. Remova as quatro porcas e parafusos (2, Figura 8) de
fixação da sapata ao elo. Remova sapatas suficientes
para ter acesso mais fácil ao pino trava. Figura 8
NOTA: Suporte as sapatas da esteira com blocos de
maneira que quando o pino mestre (4, Figura
8) for removido a esteira não caia.
5. Endireite o pino trava (3, Figura 8) e remova-o do pino
mestre (4). Descarte o pino trava.
6. Remova o pino mestre dos elos mestres.
.

7. Movimente a unidade para trás até que toda a esteira


fique estendia sobre o solo.
.

NOTA: Não desloque a unidade fora da esteira.

Figura 9
8. Gire a estrutura superior a 90º da esteira. Use a
caçamba e a lança para levantar a armação da esteira
para fora da esteira.
9. Posicione blocos sob a armação.

Figura 10

Conjunto da esteira SP001619


Página 17
Instalação da esteira
1. Estenda a esteira nova ou recondicionada sob a
armação da esteira. A extremidade da esteira deve
ficar posicionada debaixo da roda dentada.
2. Com a estrutura superior a 90º em relação à
armação da esteira. Use a caçamba e a lança para
levantar a armação da esteira para fora dos calços.
3. Com os calços removidos, abaixe a armação da
esteira sobre a esteira. Assegure-se de que todos os
roletes estejam devidamente posicionados sobre a
esteira.
Figura 11

4. Movimente a máquina enquanto coloca a esteira


sobre a roda dentada. Continue a puxar a esteira
para trás até que engate no rolete da roda-guia.

Figura 12

5. Alinhe os elos mestres e instale o pino mestre.


6. Introduza o novo pino trava no pino mestre. Dobre a
extremidade do pino para que aponte na direção oposta
da outra extremidade como mostrado.
7. Aplique tensão às esteiras. Consulte "Tensão da
esteira” nesta seção para o procedimento.

Figura 13

Conjunto da esteira SP001619


Página 18
Conjunto da esteira SP001619
Página 19
ROLETE DA RODA-GUIA
DIANTEIRA
Lista de peças

Figura 14

Conjunto da esteira SP001619


Página 20
Número de Número de
Descrição Descrição
Referência Referência
1 Conjunto da roda-guia 6 Pino
2 Roda-Guia 7 Vedador flutuante
3 Mancal 8 Anel-O
4 Eixo 9 Bujão

5 Bucha

Desmontagem do rolete da roda-guia


dianteira
1. Remova o bujão (9, Figura 15) do conjunto da roda-guia
(1) e drene num recipiente adequado.

Figura 15

2. Separe o pino (6, Figura 16) do mancal (3)

Figura 16

3. Use uma prensa para remover o mancal do eixo (4).


Separe o anel-O (8, Figura 17) do eixo.

Figura 17

Conjunto da esteira SP001619


Página 21
4. Remova o vedador flutuante (7, Figura 18) da roda-guia
(2) e o mancal (3).

Figura 18

5. Use uma prensa para separar o eixo(4, Figura 19) o


anel-O (8) e o mancal (3).

Figura 19

6. Remova a bucha (5, Figura 20) com a prensa e a


ferramenta especial (10, ST-1909).

Figura 20

Conjunto da esteira SP001619


Página 22
Remontagem do rolete da
roda-guia dianteira
1. Desengraxe, limpe e seque todas as peças antes da
montagem. Instale a bucha (5, Figura 20) na roda-guia
(2).
2. Engraxe o anel-O (8, Figura 21) e monte-o no eixo.
3. Alinhe o mancal (3, Figura 2) e os furos do eixo (4) e
use-os com o pino (6)

Figura 21

4. Instale o vedador flutuante (7, Figura 22) na roda-guia


(2) e o mancal (3).
NOTA: Aplique óleo de motor limpo no lado da junta
do vedador flutuante. Aplique graxa no anel-
O do vedador flutuante (105).

Figura 22

5. Instale a roda-guia (2, Figura 23) no eixo.


6. Instale o mancal (3, Figura 23) e pino (6) no eixo.
NOTA: Encha o conjunto da roda-guia com óleo novo
de motor, aprox. 320 cc (10.8 oz).
7. Instale o bujão (9, Figura 28) no mancal.

Figura 23

Conjunto da esteira SP001619


Página 23
ROLETE INFERIOR
Lista de peças

Figura 24

Conjunto da esteira SP001619


Página 24
Número de Número de
Descrição Descrição
Referência Referência
1 Rolete 5 Pino
2 Colar 6 Vedador flutuante
3 Eixo 7 Anel-O
4 Bucha 8 Bujão

Remoção do rolete inferior

1. Alivie a tensão das esteiras. Consulte "Tensão da


esteira” nesta seção para o procedimento.
2. Gire a estrutura superior a 90º em relação à armação
da esteira.
3. Usando a caçamba, suspenda a esteira para fora do
solo e calce debaixo da armação da esteira.
4. Remova os quatro parafusos e abaixe o conjunto do
rolete inferior da armação da esteira. Existe um pino de
alinhamento em cada extremidade do conjunto do
rolete inferior. Figura 25
NOTA: Para ter acesso a alguns roletes a proteção
do elo deve ser removida. Remova as quatro
arruelas de pressão e parafusos para
remover a proteção.
NOTA: Se for necessária mais folga da esteira,
remove os roletes superiores antes de
levantar a esteira.

Desmontagem do rolete inferior


1. Remova o bujão (8, Figura 26) do colar e drene o óleo.
2. Separe o pino (5, Figura 26) do colar

Figura 26

Conjunto da esteira SP001619


Página 25
1. Separe o colar (2, Figura 27) do eixo, usando uma
prensa.

Figura 27

2. Separe os anéis-O (7, Figura 28) do eixo.


3. Separe os vedadores flutuantes (6, Figura 28) do colar
e rolete (1).
4. Remova o colar (2, Figura 28) e os anéis-O (7) do eixo,
usando uma prensa.

Figura 28

Remontagem do rolete inferior


1. Desengraxe, limpe e seque todas as peças antes da
montagem. Monte a bucha (4, Figura 29) no rolete.

Figura 29

Conjunto da esteira SP001619


Página 26
2. Aplique graxa nos anéis-O (7, Figura 29) e monte-os no
eixo
.
3. Alinhe o colar (2, Figura 30) e os furos do eixo (3) e
coloque o pino (5) no colar.

Figura 30

4. Monte os vedadores flutuantes (6, Figura 31) no rolete


(1) e colar (2).
NOTA: Aplique óleo de motor limpo no lado da junta
do vedador flutuante. Aplique graxa no anel-
O do vedador flutuante.
5. Deslize o eixo para dentro do rolete.

Figura 31

6. Instale o colar (2, Figura 32), anel-O (7) e pino (5) no


lado restante.
7. Encha com óleo limpo para motor com aprox. 330 cc
(11.2 oz)
8. Instale o bujão (8, Figura 32) no colar.

Figura 32

Instalação do rolete inferior


1. Instale quatro parafusos para fixar o conjunto do rolete
na armação da esteira.
NOTA: Para ter acesso a alguns roletes, pode ser
preciso remover a proteção do elo. Remova
as quatro arruelas de pressão e parafusos
para remover a proteção.

Figura 33

Conjunto da esteira SP001619


Página 27
ROLETE SUPERIOR
Lista de peças

Armação da esteira

Figura 34

Conjunto da esteira SP001619


Página 28
Número de Número de
Descrição Descrição
Referência Referência

1 Rolete 9 Bujão

2 Eixo 10 Tampa

3 Anel de encosto 11 Arruela

4 Bucha 12 Parafuso

5 Bucha 13 Parafuso

6 Vedador flutuante 14 Arruela de pressão


15 Arruela de pressão
7 Anel-O
8 Anel-O

Remoção do rolete superior


1. Alivie a tensão das esteiras. Isto permitirá levantar a
esteira de modo que os elos fiques livres no topo do
rolete.
2. Posicione um macaco no topo da armação da esteira e
aplique pressão na sapata da esteira.
3. Remova as ferragens de montagem que fixam o
conjunto do rolete superior à armação da esteira.

Figura 35

Desmontagem do rolete superior


1. Remova o bujão (9, Figura 36) da tampa e drene o óleo.

Figura 36

Conjunto da esteira SP001619


Página 29
2. Remova os parafusos (13, Figura 37) e a tampa (10).
Remova os parafusos (12) e arruela (11).

Figura 37

3. Separe o rolete (1, Figura 38) do eixo (2)

Figura 38

4. Separe o vedador flutuante (6, Figura 39) do rolete.


5. Separe o anel-O (8) e o anel de encosto (3) do eixo.

Figura 39

6. Separe a bucha (4 e 5, Figura 40) do rolete com uma


prensa e a ferramenta especial (ST-1919)

Figura 40

Conjunto da esteira SP001619


Página 30
Remontagem do rolete superior
1. Desengraxe, limpe e seque todas as peças antes da
montagem. Instale a bucha (4 e 5, Figura 41) no rolete
(1).

Figura 41

2. Monte o vedador flutuante (6, Figura 42) no rolete (1) e


a bucha.
NOTA: Aplique óleo de motor limpo no lado da junta
do vedador flutuante. Aplique graxa no anel-
O do vedador flutuante.
3. Instale o eixo (2), o anel-O (8) e o anel de encosto (3).

Figura 42

4. Instale a arruela (11, Figura 43) e o parafuso (12).


5. Instale o anel-O (7, Figura 43) na tampa (10). Fixe a
tampa (10) e o parafuso (13) no rolete.
6. Encha com 200cc de óleo para motor.
7. Aperte o bujão (9, Figura 43).

Figura 43

Conjunto da esteira SP001619


Página 31
MOLA E CILINDRO DE AJUSTE
DA ESTEIRA
Lista de peças

Figura 44

Conjunto da esteira SP001619


Página 32
Número de Número de
Descrição Descrição
Referência Referência
1 Cilindro 8 Placa de trava
2 Haste do pistão. 9 Parafuso
3 Garfo 10 Pino elástico
4 Espaçador 11 Arruela de pressão
5 Eixo 12 Gaxeta
6 Batente A 13 Anel de encosto
7 Porca de trava 14 Vedador de pó

Conjunto da esteira SP001619


Página 33
Conjunto da esteira SP001619
Página 34
Motor e Trem de Força
SP000912

Acoplamento
acionador
(Bomba
principal)

1ª edição

Acoplamento acionador (bomba principal) SP000912


Página 1
ANOTAÇÕES

Acoplamento acionador (bomba principal) SP000912


Página 2
Índice

Acoplamento acionador (bomba principal)

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ...................................5


MODELOS APLICÁVEIS ..................................................5
ACOPLAMENTO ACIONADOR........................................7
FERRAMENTAS ...............................................................8
INSTALAÇÃO DO ACOPLAMENTO ACIONADOR ..........9
Procedimento de instalação.......................................................... 10

Acoplamento acionador (bomba principal) SP000912


Página 3
ANOTAÇÕES

Acoplamento acionador (bomba principal) SP000912


Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise, segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5001 e acima
DX225LCA 5167 e acima

Acoplamento acionador (bomba principal) SP000912


Página 5
Acoplamento acionador (bomba principal) SP000912
Página 6
ACOPLAMENTO ACIONADOR
É muito importante definir a folga especificada entre a
extremidade do eixo de comando da bomba (“Dimensão H”
descrita abaixo) e a superfície do acoplamento ao instalar a
bomba principal no motor.
A Figura 1 mostra a instalação de um acoplamento
acionador típico.

Figura 1

Acoplamento acionador (bomba principal) SP000912


Página 7
FERRAMENTAS
Essa ferramenta é usada para ajustar a folga, referida como
“Medida H” nas instruções de instalação abaixo, entre o eixo
de comando da bomba e o lado frontal do cubo do
acoplamento acionador (4, Figura 2).
NOTA: As dimensões A e B são iguais às da Medida H na
Figura 3. As duas ferramentas na figura abaixo se
destinam a vários modelos ao passo que somente
uma de suas extremidades pode ser usada em
alguns modelos especiais.

Figura 2

ALÍVIO
ALÍVIO
RECARTILHADO

Figura 3

MODELO A B C D E F G H
DX225LC/ 10.5 ± 5.0 ± Raio, Raio, Raio, 1.0 mm X
20.0 mm 7.0 mm
DX225LCA 0.1mm 0.1m 12.0 mm 14,0 mm 25,0 mm 45°

Acoplamento acionador (bomba principal) SP000912


Página 8
INSTALAÇÃO DO
ACOPLAMENTO ACIONADOR
Siga as dimensões de instalação e os procedimentos
sempre que instalar o acoplamento acionador na bomba
principal.
NOTA: A inobservância dos procedimentos resulta em
ruídos e encurtamento da vida útil do acoplamento
acionador ou da bomba principal.

Figura 4 INSTALAÇÃO DO ACOPLAMENTO ACIONADOR

Acoplamento acionador (bomba principal) SP000912


Página 9
Peças e Torques
Referências Peças Qtd. Torque
1 Pino elástico 4
2 Inserto 4
3 Parafuso 4 Ta
4 Volante 1
5 Pino elástico 8
6 Inserto 4
7 Cubo 1
8 Parafuso 4 Ta
9 Eixo da bomba 1
10 Porca de fixação 2 Tb
11 Elemento 1

Assegure-se de seguir a especificação da Media H da


superfície do cubo dianteiro ao eixo da bomba e o aperto
dos parafusos.

Referência peça de
MODO Medida G Torque de Ta Torque de Tb
acoplamento
DX225LC K1013825 10.0 - 11.0 mm 21 - 23 kgf•m 10 - 12 kgf•m

Procedimento de instalação
NOTA:Consulte a Figura 3 para o procedimento de instalação.
1. Instale o pino elástico (1) e o inseto (2) com o parafuso
(3) no volante do motor (4).
NOTA: Aperte o parafuso com o torque Ta
especificado na tabela.
2. Instale os pinos elásticos (5) e o inserto (6) no
parafuso (8) do cubo (7).
NOTA: Aperte o parafuso com o torque Ta
especificado na tabela.
3. Instale a tampa do volante na bomba principal com
parafusos.
4. Conecte o cubo (7) com o eixo da bomba (9) como
referido em Medida H na Tabela 1 e fixe sua posição
com parafusos (10).
NOTA: Aperte os parafusos com o torque Tb
especificado na tabela.
NOTA: Aplique Loctite nº 262 nos parafusos de fixação
(10).
5. Instale o elemento (11) entre o volante do motor (4) e o
inserto.
6. Instale a bomba principal e o cubo (7) empurrando-os
suavemente com o elemento (11). Figura 5
7. Aparafuse a tampa do volante e a carcaça da bomba
na carcaça do volante.

Acoplamento acionador (bomba principal) SP000912


Página 10
ATENÇÃO!
Aplique adesivo nos parafusos (3 e 8) para evitar soltura
dos vedadores. Não use adesivo adicional nem óleo ou
solvente de limpeza. Como o elemento (11) não resiste a
adesivo, óleo e graxa, cuidado para que não fique
exposto a esses materiais.
Remova o óleo e pó da tampa do volante e do eixo da
bomba antes da montagem.
Ajuste a folga permitida entre a bomba e o motor abaixo
d e0,6 mm (0,023 pol.).

Acoplamento acionador (bomba principal) SP000912


Página 11
Acoplamento acionador (bomba principal) SP000912
Página 12
Sistema Hidráulico
SP000913

Sistema Hidráulico
Diagnóstico,
Testes e Ajustes

1ª edição

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 1
ANOTAÇÕES

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 2
Índice

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e


Ajustes

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ...................................5


MODELOS APLICÁVEIS ..................................................5
SISTEMA HIDRÁULICO – NOTAS GERAIS ....................6
ESQUEMA HIDRÁULICO .................................................7
Notas gerais .................................................................................... 7
OPERAÇÃO DOS COMPONENTES OPERAC.....................9
Circuito operacional da lança.......................................................... 9
Circuito de levantamento da lança.................................................. 9
Circuito de abaixamento da lança................................................... 9
Circuito de operação do braço...................................................... 10
Circuito de fechamento do braço .................................................. 10
Circuito de descarga do braço ...................................................... 10
Circuito operacional da caçamba...................................................11
Circuito de fechamento da caçamba .............................................11
Circuito de despejo da caçamba....................................................11
Circuito operacional do giro ...........................................................11
Circuito operacional de giro para a direita .................................... 12
Circuito operacional de giro para a esquerda ............................... 12
Válvula de alívio do giro e válvula de compensação .................... 12
Circuito operacional do deslocamento.......................................... 12
Circuito de deslocamento para frente ........................................... 13
Circuito de deslocamento reverso ................................................ 13
RECOMENDAÇÕES BÁSICAS PARA O
PROCEDIMENTO DE DIAGNÓSTICO DE FALHAS .....14
Verificações e testes iniciais para estabelecer a condição
operacional da escavadeira .......................................................... 14
PRESSÃO PILOTO.........................................................16
Ajuste e testes .............................................................................. 16
VÁLVULA DE MODO DE POTÊNCIA.............................17
Ajustes do sinal atual e pressão hidráulica................................... 17
VÁLVULA DE PRIORIDADE DO GIRO ..........................18
Ajustes de pressão e corrente da válvula de controle .................. 18

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 3
VÁLVULA DE REFORÇO DE PRESSÃO. ..................... 19
Verificações e ajustes ....................................................................19
CONTROLE DE POTÊNCIA DE ENTRADA DA
BOMBA .......................................................................... 21
Ajuste do regulador da bomba.......................................................21
INSTALAÇÃO E TESTE DO FLUXÔMETRO E KIT DO FL
UXÔMETRO................................................................... 24
DIAGNÓSTICO DE FALHAS DO SISTEMA DO GIRO . 26
Precauções e verificações iniciais .................................................26
Verificação e ajuste da válvula de alívio do giro ............ 27
DIAGNÓSTICO DE FALHAS – CAIXA DE
ENGRENAGENS DO GIRO........................................... 29
D I AGN Ó S T I C O D E FAL H A S – PROBLEMAS
HIDRÁULICOS............................................................... 30
D I AGN Ó S T I C O D E FAL H A S – V ÁLVU L A D E
CON TROLE ................................................................. 32
DIAGNÓSTICO DE FALHAS – VÁLVULA DE
CONTROLE DO DESLOCAMENTO.............................. 33
DIAGNÓSTICO DE FALHAS – VÁLVULA DE
CONTROLE JOYSTICK................................................. 34

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5001 e acima
DX225NLC 5001 e acima
DX225LCA 5167 e acima

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 5
SISTEMA HIDRÁULICO –
NOTAS GERAIS

Junta de Articulação
Central

Motor de Deslocamento

Motor de Deslocamento

Figura 1

Este sistema hidráulico apresenta diversos


aperfeiçoamentos em relação aos sistemas hidráulicos
convencionais – incluindo sensor cruzado de todo o controle
de potência – para maximizar a potência útil.
O sistema conta com um sistema de otimização de saída
controlado eletronicamente, o qual permite ao operador
selecionar entre dois modos de potência distintamente
diferentes: modo de alta velocidade/ciclagem rápida e modo
padrão para a maioria dos tipos de operação geral.
O gerenciamento eletrônico das válvulas de controle
hidráulicas ajuda a otimizar a velocidade de aplicação e o
controle total do operador sobre os atuadores e funções
hidráulicas.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 6
ESQUEMA HIDRÁULICO
Os esquemas hidráulicos encontram-se no “Manual de
Oficina do Esquema Hidráulico e Elétrico”. Este manual é
uma coleção de diagramas e esquemas para diversos
modelos.

Notas gerais
Quando se referir ao esquema, consulte os seguintes itens:
 Como mostrado no esquema, o conjunto da bomba
principal é acionado pelo motor. A energia mecânica é
convertida em potência hidráulica que produz o fluxo
hidráulico necessário que, por sua vez, aciona o
sistema. Duas bombas principais (uma direita e outra
esquerda) compõem o conjunto da bomba principal.
 A potência útil hidráulica da bomba do lado direito é
transmitida ao lado direito da válvula de controle. A
potência útil da bomba do lado esquerdo é transmitida
aos carretéis da válvula do lado esquerdo da válvula
de controle. A potência útil hidráulica da bomba piloto
é usada para controlar a bomba e acionar as válvulas
piloto e solenóides.
 A metade direita da válvula de controle hidráulico,
fornecida pela bomba direita no conjunto da bomba,
aciona os carretéis das válvulas para as funções de
deslocamento à direita, caçamba, lança e braço. O
volume de óleo que flui aos atuadores na extremidade
de saída de cada um desses circuitos é regulado
mediante o movimento de cada carretel individual da
válvula.
 A metade esquerda da válvula de controle hidráulico,
alimentada pela bomba esquerda no conjunto da
bomba, tem carretéis de controle para deslocamento à
esquerda, giro, levantar a lança e operação do braço.
 A operação de dois estágios é uma característica do
funcionamento da lança e do braço. Todos esses
circuitos podem ser operados usando a potência útil
de somente uma metade do conjunto da bomba
hidráulica (uma bomba ou a outra), ou - como ambas
as metades da válvula de controle têm um carretel e
circuito disponível para essas funções - a potência útil
de ambas as bombas pode ser combinada, para
permitir operação de maior velocidade. As funções
levantamento da lança, fechamento do braço e
despejo podem funcionar em qualquer dos dois
modos de potência disponíveis – modo padrão ou
geral, modo alta velocidade/ciclagem rápida.
 Sempre que os carretéis de controle de deslocamento
à direita ou à esquerda são mudados, a potência do
conjunto da bomba principal circula através da junta
central, para um ou ambos os motores de pistões
axiais, acionando as esteiras da armação
correspondente. Uma válvula piloto conectada à placa
oscilante de cada motor de deslocamento modifica a
capacidade (e a potência de saída) do motor em
proporção direita com a posição do interruptor de
deslocamento selecionado pelo operador.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 7
 A linha de retorno do reservatório hidráulico e o
circuito piloto estão equipados com filtro de fluxo
total de 10 micron. Os elementos substituíveis desses
dois filtros tipo cartucho aprisionam e retém e
removem as impurezas do óleo no sistema. Um filtro-
tela de entrada com malha 80, 177 micron no
reservatório de entrada ajuda a manter a limpeza do
sistema e deve ser limpo a cada vez que o fluido
hidráulico for drenado e trocado. Um arrefecedor de
óleo no sistema hidráulico ajuda a manter a
temperatura de operação do sistema a
aproximadamente 50ºC (122ºF).
 O circuito de operação do cilindro do braço inclui
válvulas anticavitação que protegem o sistema
hidráulico do vácuo que pode resultar de coques
externos ou outras condições não usuais. Os circuitos
da lança, braço e caçamba também são protegidos
pro válvulas de alívio de sobrecarga. Toda vez que
forma-se pressão alta devido a um choque ou
sobrecarga, a pressão excessiva é aliviada para o
circuito de retorno do reservatório através da válvula
de alívio.
Uma válvula seletora no circuito de deslocamento pode ser
usada para proporcionar deslocamento constante com alto
torque e baixa velocidade, ou com potência de saída com
velocidade e torque variáveis para deslocamento. Para
evitar deslizamento durante deslocamento simultâneo e
operação da lança/braço/caçamba, selecione a posição de
deslocamento com alto torque/baixa velocidade.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 8
OPERAÇÃO DOS
COMPONENTES OPERACIONAIS

Circuito operacional da lança


O circuito de trabalho da lança inclui as bombas hidráulicas
principais direita e esquerda (ambas as válvulas do conjunto
da bomba principal), ambos os lados da válvula de controle
e cilindro da lança. O circuito funciona no modo de
abaixamento da lança em toda a primeira e segunda
posições de mudança no modo de levantamento da lança.
As válvulas de alívio de sobrecarga ajustadas a 360 kg/cm2
(5.112 psi) protegem o sistema hidráulico contra danos
devidos a sobrecargas ou choques da lança.

Circuito de levantamento da lança


Quando se puxa para trás a alavanca de controle da lança,
a válvula piloto do lado direito gera uma pressão piloto
secundária de levantamento da lança, que é transmitida
simultaneamente aos carretéis LANÇA1 e LANÇA2 da
válvula de controle. Quando a pressão piloto secundária Válvula piloto
atinge 7 - 9 kg/cm2 (100 - 130 psi), os carretéis da válvula
de controle se abrem e o óleo de ambas as bombas é
dirigido para o cilindro da lança.

Figura 2

Circuito de abaixamento da lança


Ao empurrar para frente a alavanca de controle da lança, a
válvula piloto do lado direito gera uma pressão piloto
secundária de abaixamento da lança que é transmitida
somente para o carretel LANÇA1 da válvula de controle. CILINDRO DA
LANÇA
Quando a pressão piloto secundária atinge 7 - 9 kg/cm2 (100 Válvula piloto

- 130 psi), o carretel LANÇA 1 no lado direito da válvula de


controle se abre para que o óleo somente de um conjunto VÁLVULA DE
de bomba (BOMBA (dir.)) é direcionado para o cilindro da CONTROLE (esq.)
lança que está sendo abaixado.

Figura 3

BOMBA (dir.)

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 9
Circuito de operação do braço
O circuito de operação do braço inclui as bombas
hidráulicas principais direita e esquerda, as metades direita
e esquerda da válvula de controle, um orifício de retorno
lento e o cilindro do braço. O circuito pode ser operado no
modo de controle de velocidade de dois estágios, que
funciona através de ambas as metades da válvula de
controle e dobra o volume de óleo que circula para o cilindro.
Válvulas de alívio de sobrecarga, ajustadas em 360 kg/cm2
(5,112 psi), foram instaladas nos orifícios AM 1 e AMD 1 no
lado esquerdo da válvula de controle, para proteger o
circuito e os componentes do sistema contra possíveis
danos causados por choques e/ou sobrepressão. Proteção
adicional – para evitar cavitação do cilindro - é propiciada
por uma válvula de compensação e circuito de retorno do
reservatório, que assegura que o volume de óleo de entrada
no cilindro não excederá o volume de saída.

Circuito de fechamento do braço


CILINDRO
Com a alavanca de controle do braço na posição de fechar, DO BRAÇO
a válvula piloto do lado esquerdo gera uma pressão
secundária que é transmitida simultaneamente aos carretéis VÁLVULA DE REGENERAÇÃO

AM1 e AM2 da válvula de controle.


Válvula piloto
Quando a pressão piloto secundária atinge 7 - 9 kg/cm2 (100
- 130 psi), os carretéis da válvula de controle do braço AM 1
e AM2 se abrem. O fluxo de saída das duas metades do
VÁLVULA VÁLVULA
conjunto da bomba é direcionado para o cilindro do braço. DE CONTROLE DE CONTROLE
(esq.) (dir.)
Ao trabalha no modo de fechamento do braço, sob certas
condições, o óleo do cilindro pode subitamente ser forçado BOMBA (esq.) BOMBA (dir.)
para fora pelo peso do braço e da caçamba. Fluxo
insuficiente de óleo para o cilindro pode provocar cavitação
do cilindro e/ou surto ou movimento irregular. Para que isso Figura 4
não aconteça existe uma válvula de regeneração montada
na válvula de controle, que mantém o equilíbrio entre o óleo
que entra e que sai do cilindro.

Circuito de descarga do braço


CILINDRO DO
Com a alavanca de controle do braço na posição de BRAÇO
“descarga”, a válvula piloto do lado esquerdo gera uma
pressão secundária que é transmitida simultaneamente aos
carretéis AM1 e AM2 da válvula de controle. Válvula piloto

Quando a pressão piloto atinge 7 - 9 kg/cm2 (100 - 130 psi),


os carretéis de controle se abrem, permitindo que o óleo da VÁLVULA VÁLVULA
BOMBA (esq.) e BOMBA (dir.) circulem para o cilindro do DE CONTROLE
(esq.)
DE CONTROLE
(dir.)
braço.
BOMBA (esq.) BOMBA (dir.)

Figura 5

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 10
Circuito operacional da caçamba
O circuito de operação da caçamba inclui a bomba principal
direita, a metade direita da válvula de controle e o cilindro da
caçamba. Válvulas de alívio de sobrecarga de 360 kg/ cm2
(5.112 psi) nos orifícios BKT e BKTD 1 da válvula de
controle protegem o circuito e seus componentes contra
danos.

Circuito de fechamento da caçamba CILINDRO DA


CAÇAMBA
Ao colocar a alavanca de controle da caçamba na posição
de fechamento, o carretel da válvula de controle da
caçamba no lado direito da válvula de controle se abre e o
Válvula piloto
óleo da bomba principal direita flui para o cilindro da
caçamba.
VÁLVULA
DE
CONTROLE
(esq.)

BOMBA (dir.)

Figura 6

Circuito de despejo da caçamba


Ao colocar a alavanca de controle da caçamba na posição
de despejo, o carretel da válvula de controle da caçamba no
lado direito da válvula de controle se abre e o óleo da
bomba principal direita flui para o cilindro.
CILINDRO DA
CAÇAMBA

Circuito operacional do giro


O circuito de operação do giro consiste da bomba principal Válvula piloto

esquerda no conjunto da bomba, a metade esquerda da


válvula de controle e o motor do giro. Para evitar que a
estrutura superior gire livre quando o controle do giro está VÁLVULA
em neutro, um sensor elétrico no circuito de controle ativa DE
CONTROLE
uma válvula para aplicar um freio mecânico (esq.)
automaticamente. BOMBA (dir.)

Figura 7

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 11
Circuito operacional de giro para a
direita
Ao empurrar a alavanca de controle do giro para a posição VÁLVULA DE
de giro para a direita, a pressão piloto da válvula piloto do CONTROLE (dir.)
lado esquerdo é dirigida para o regulador da bomba do lado Válvula piloto
esquerdo e para a metade esquerda da válvula de controle.
O fluxo de saída da bomba esquerda é então direcionado VÁLVULA DE
CONTROLE (esq.)
através dos orifícios PR e SWR da válvula de controle para
o motor do giro.

BOMBA (dir.)

Figura 8

Circuito operacional de giro para a


esquerda
VÁLVULA DE
Ao empurra a alavanca de controle do giro para a posição CONTROLE (dir.)
de giro para a esquerda, o carretel da válvula de controle se
Válvula piloto
desloca na direção contrária e o fluxo de saída da bomba
esquerda é direcionado através dos orifícios PR e SWL da VÁLVULA DE
válvula de controle, para o motor do giro. CONTROLE (esq.)

Válvula de alívio do giro e válvula de


compensação BOMBA (dir.)

Sempre que o carretel é movido para o modo neutro durante Figura 9


uma operação de giro, existe a possibilidade de que um
surto de pressão no circuito – devido a momento de inércia
da estrutura superior e pressão correspondentemente
menor no orifício do motor oposto – produza cavitação no
circuito. Para evitar que isso aconteça, existe uma válvula
de alívio de 270 kg/cm2 (3.840 psi) no motor, bem como uma
válvula de compensação de grande capacidade está
conectada no orifício de entrada do reservatório hidráulico,
para ajudar a manter pressões aceitáveis em ambos os
lados do circuito.

Circuito operacional do deslocamento


O fluxo de saída de ambas as válvulas do conjunto da
bomba é direcionado para os motores de deslocamento
direito e esquerdo através dos lados direito e esquerdo da
válvula de controle e a junta central da estrutura superior.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 12
Circuito de deslocamento para frente MOTOR DE MOTOR DE
DESLOCAM- DESLOCAM-
ENTO (dir.) ENTO (esq.)
Ao empurrar para frente as alavancas de controle de
deslocamento direita e esquerda, a saída de ambas as JUNTA DE ARTICULAÇÃO
CENTRAL
bombas principais é direcionada, através dos orifícios PR,
PL, TRRF e TRLF na válvula de controle, através da junta
central da estrutura superior, aos motores de deslocamento Válvula piloto

em cada lateral da máquina.


VÁLVULA DE VÁLVULA DE
CONTROLE CONTROLE
(dir.) (esq.)
BOMBA (dir.) BOMBA (esq.)

Figura 10

Circuito de deslocamento reverso MOTOR DE MOTOR DE


DESLOCAM- DESLOCAM-
ENTO (dir.) ENTO (esq.)
Ao empurrar para frente as alavancas de controle de
deslocamento direita e esquerda, a saída de ambas as JUNTA DE ARTICULAÇÃO
CENTRAL
bombas principais é direcionada, através dos orifícios PR,
PL, TRRR e TRLR na válvula de controle, através da junta
de articulação central da estrutura superior, aos motores de Válvula piloto

deslocamento.
VÁLVULA DE VÁLVULA DE
CONTROLE CONTROLE
(dir.) (esq.)
BOMBA (dir.) BOMBA (esq.)

Figura 11

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 13
RECOMENDAÇÕES BÁSICAS
PARA O PROCEDIMENTO DE
DIAGNÓSTICO DE FALHAS
Verificações e testes iniciais para
estabelecer a condição operacional da
escavadeira
Resumo de classificação

Uma escavadeira que não apresenta o desempenho


projetado deve ser verificada quanto ao seguinte:
 Fluxo hidráulico primeiro e, a seguir
 Pressão hidráulica numa ordem especificada de
prioridade através de diferentes pontos do sistema.
Verificar o fluxo hidráulico disponível adequado antes de
fazer qualquer outro teste no circuito
Verificação do funcionamento do motor –
 a 1.900 rpm sem carga;
 a 1.900 rpm com carga de estolagem.
Se a rotação do motor cair excessivamente com uma carga
ou se não ultrapassar a rotação nominal (1.900 rpm), os
problemas de desempenho podem ser devidos a fluxo
hidráulico inadequado causado por velocidade de rotação
lenta.
NOTA: Compare o fluxo real da escavadeira e o
desempenho nominal, com o auxílio de um
fluxômetro.
Se os testes do motor atenderem às especificações e
houver suficiente torque e potência no acoplamento flexível
do acionamento da bomba, puxe a bandeja elétrica debaixo
do assento do operador para inspecionar o display de
autodiagnóstico.
Se o display de códigos de falhas EPOS estiver em livre,
verifique as funções hidráulicas nesta sequência:
 Pressão piloto
 Negacon, pressão de controle negativa
 Pressão de alívio principal (bomba dianteira e
traseira)
 Pressão do giro
 Pressão de alívio do orifício (funções de controle
individuais; lança. braço, caçamba, giro e
deslocamento)
 Circuito de reforço hidráulico
 Teste de desempenho padrão; velocidade do
cilindro, velocidade dos motores hidráulicos
(deslocamento e giro), teste de estanqueidade do
óleo do cilindro “decaimento aceitável”.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 14
NOTA: Os testes de desempenho da especificação do
sistema para a função do atuador individual são
determinados pela vazão através do componente
ou do circuito, e não pela pressão de controle ou
pressão do sistema disponível no atuador. Um
fluxo incorreto através do circuito individual pode
indicar que o componente se desgastou além do
limite tolerável, ao passo que todas as demais
funções hidráulicas estão adequadas.

IMPORTANTE
Sugerimos que a pessoa que faz o diagnóstico
mantenha a sequência de teste da lista precedente. As
verificações e ajustes mais próximas do meio ou do fim
da lista podem depender de funcionamento adequado
dos sistemas testados mais perto do topo da lista.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 15
PRESSÃO PILOTO
Ajuste e testes

AVISO!
Este procedimento deve ser realizado com duas
pessoas. Para reduzir a possibilidade de acidentes ou
partida inadvertida, uma pessoa deve ficar no suporte
de controle do operador enquanto as verificações e
ajustes são feitos.

Alivie a pressão hidráulica do reservatório antes de romper o


lacre das conexões para instalar dois adaptadores tipo “T”
em linha e manômetros (60 bar/1.000 psi) no orifício de
saída d bomba de engrenagens e na linha piloto da válvula
de controle na alavanca joystick.
Acione o motor e gire o botão de controle de rotação para o
ajuste máximo. Quando a escavadeira tiver funcionado um
tempo suficiente para atingir a temperatura normal de
operação, afrouxe o botão de controle até a rotação nominal
mínima. Com todos os controles em neutro, assegure-se de
que o suporte do controle do console esquerdo está travado
na posição de operação (abaixado) e verifique a pressão no
orifício de descarga da bomba de engrenagens.
Se a pressão da bomba de engrenagens estiver fora da
tolerância especificada na tabela, ajuste a pressão de alívio
da bomba de engrenagens afrouxando a porca-trava e
apertando (sentido horário) para aumentar a pressão, ou
desapertando-a para reduzi-la.
NOTA: Note que as mudanças de número de série e a
variação dos conjuntos de alavancas joystick
usados nas diversas escavadeiras podem produzir
um pequeno desvio nas características de
desempenho reais. Em caso de dúvida compare
os números de peça e os números de série
gravadas no seu conjunto.

IMPORTANTE
Complete o nível de fluido hidráulico no reservatório se
houver uma perda perceptível de fluido hidráulico
durante a instalação do manômetro de teste e conexão
do adaptador.

RPM do motor Pressão piloto na bomba Pressão piloto


Rotação mínima ajustada 40 - 5 bar 23.5 ± 1.5 bar
(totalmente à esquerda no (580 - 73 psi) (341 ± 22 psi)
mostrador de controle de rotação

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 16
VÁLVULA DE MODO DE
POTÊNCIA
Ajustes do sinal atual e pressão
hidráulica

AVISO!
Este procedimento deve ser realizado com duas
pessoas. Para reduzir a possibilidade de acidentes ou
partida inadvertida, uma pessoa deve ficar no suporte
de controle do operador enquanto as verificações e
ajustes são feitos.

A válvula eletromagnética de controle proporcional da


pressão “modo de potência” (EPPR) encontra-se sob as
bombas (não aparece no esquema elétrico porque está
debaixo do conjunto), perto do acoplamento flexível do
motor/bomba, adjacente à linha de retorno da bomba. Para
testar e ajustar a corrente e a pressão de mudança
hidráulica através do modo de potência, é necessário um
chicote elétrico de vários condutores. O chicote elétrico
auxiliar (disponível no distribuidor DOOSAN, ou pode ser
emendado usando-se peças normais fornecidas) possui
condutores extras de modo que é possível conectar um
multímetro no circuito.
Para preparar o equipamento de teste, desligue o motor e
desconecte o condutor elétrico singelo da válvula de modo
de potência. Fixe o chicote auxiliar no terminal na válvula,
conecte os cabos de teste do multímetro nos cabos extras
no chicote e reconecte o condutor elétrico da válvula.
Ventile a alavanca no topo do tanque hidráulico para aliviar a
pressão e conecte uma adaptador em linha tipo "T" no
orifício de pressão da válvula. Instale um manômetro de
teste de 60 bar (1.000 psi) no adaptador.
Acione novamente o motor e aumente a rotação girando o
controle de rotação para o ajuste máximo. Pré-aqueça o
motor e o sistema hidráulico até que a temperatura do óleo
hidráulico seja de no mínimo 45º© (113ºF). Selecione o
Modo de Potência no Painel de Instrumentos. Verifique as
leituras de corrente (em miliampères) no multímetro e as de
pressão hidráulica no manômetro e assegure-se de que
ambas estão de acordo com os valores da tabela abaixo.
NOTA: Se os valores registrados forem diferentes da
corrente ou pressão especificada na tabela,
afrouxe a porca de trava na extremidade da
válvula, aperte o parafuso de ajuste 1/4 de volta e
torne a verificar a corrente e a pressão. Repita o
ajuste conforme necessário para obter o
desempenho especificado e reaperte a porca trava
da válvula.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 17
VÁLVULA DE PRIORIDADE DO GIRO
Modo RPM do motor Corrente Pressão
0 mA
Marcha Lenta Sob Carga Valor intermediário correspondente à 0 bar
Modo de Potência
1.980 rpm rotação do motor para as leituras de (0 psi)
corrente e pressão hidráulica.
Marcha Lenta Sob Carga
Modo padrão 300 mA 8 bar (116 psi)
1.900 rpm

teste.
Ajustes de pressão e corrente da
válvula de controle

AVISO!
Este procedimento deve ser realizado com duas
pessoas. Para reduzir a possibilidade de acidentes ou
partida inadvertida, uma pessoa deve ficar no suporte
de controle do operador enquanto as verificações e
ajustes são feitos.

A válvula de prioridade do giro está na parte interna do


compartimento atrás da cabine.
O mesmo chicote auxiliar usado para testar a válvula de
controle (RPOS) do modo de potência é usado para testar
esta válvula. Desligue o motor, desconecte qualquer um dos
condutores elétricos e conecte o equipamento de teste
nesse lado da válvula. Um adaptador de manômetro em
linha tipo “T” pode ser usado para conectar um manômetro
de 60 bar; 870 psi (1.000 psi) no lado de saída (pressão) da
válvula. Ajuste o botão de rotação de controle do motor no
máximo e pré-aqueça o motor a no mínimo 45ºC (113ºF)
antes de fazer qualquer teste.
NOTA: Sangre o ar do sistema hidráulico antes de instalar
o equipamento de teste. Use a alavanca no
reservatório com o motor funcionando. Despeje
fluido de reposição limpo no sistema se a perda
foi excessiva.
Para verificar o funcionamento da válvula eletromagnética
de prioridade do giro, conecte o equipamento de teste e
comece a testar com p interruptor de modo de trabalho
ajustado em “escavação” (estado de desligamento da luz
“valetamento”) e o botão de controle de rotação do motor na
posição de rotação máxima.
Funcione o motor do giro em ambas as direções. Meça
a corrente de sinal e a pressão hidráulica através da
válvula e registre os valores mais altos e mais baixos
enquanto o motor do giro gira no sentido horário e anti-
horário várias vezes. Restabeleça o controle de modo
de trabalho no modo “valetamento” e repita os mesmos

Função da válvula / Modo de Tensão de sinal Pressão hidráulica


Prioridade de giro / escavação 0V 0 bar (0 psi)
Prioridade de giro / valetamento 20 - 30 V 20 - 40 bar (290 - 580 psi)
NOTA: Se os valores registrados estiverem em
desacordo com a pressão ou corrente
especificada na tabela, reajuste conforme
necessário

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 18
VÁLVULA DE REFORÇO DE
PRESSÃO.
Verificações e ajustes

AVISO!
Este procedimento deve ser realizado com duas
pessoas. Para reduzir a possibilidade de acidentes ou
partida inadvertida, uma pessoa deve ficar no suporte
de controle do operador enquanto as verificações e
ajustes são feitos.

Alivie a pressão hidráulica do reservatório para instalar um


adaptador em linha tipo “T” e manômetro de teste (60 bar /
1.000 psi) na saída da válvula de alívio do orifício de sinal
da bomba piloto.
Funcione o motor e gire o botão de controle de rotação
para máximo. Quanto a temperatura de trabalho normal for
obtida:
 Verifique a pressão piloto e reajuste, se necessário.
 Selecione a “tela de pressão” da bomba traseira no
Painel de Instrumentos.
 Selecione Modo Potência.
 Estole o cilindro da lança (em direção ao lado de
estender)
 Leia a pressão da bomba traseira no Painel de
Instrumentos.
Repita todos os teste com e sem “reforço de pressão”
selecionado através do interruptor oscilante do console e o
botão da joytick.
Se a válvula de alívio principal de dois estágios não foi
corretamente ajustada e a pressão de estágio de alta do
alívio principal (“reforço de pressão”) estiver fora da faixa de
tolerância, inicie o ajuste da válvula soltando a porca de
trava externa (maior diâmetro) na válvula de alívio. Gire o
parafuso de ajuste no sentido horário para aumentar e no
sentido anti-horário para reduzir a pressão. A pressão deve
ser de 350 bar (5075 psi) ou até 10 bar (145 psi) mais alta.
Como um ajuste pode afetar o outro, verifique a pressão
de alívio principal de estágio de baixa repetindo o teste
de estolagem do cilindro sem “reforço de pressão”.
Reajuste a pressão de alívio padrão girando o parafuso
mais interno (menor diâmetro) no sentido horário para
aumentar e no sentido anti-horário para diminuir a
pressão. A pressão deve ser de no mínimo 330 bar
(4.785 psi) mas menor do que 335 bar (4.858 psi)

IMPORTANTE
Os ajustes e verificações de pressão não podem ser
feitos se a pressão piloto estiver fora da faia
especificada. Se necessário consulte o procedimento de
ajuste da bomba piloto e,m a seguir, prossiga com os
ajustes necessários dos valor de pressão de alívio
principal.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 19
Pressão principal e Pressão piloto e
Modo de Potência Operação
tolerância tolerância
20 - 40 bar 30 bar +10 bar
Modo de Potência Neutra, inativo
(290 - 580 psi) (435 psi +145 psi)
330 bar +5 bar 30 bar +10 bar
Modo de Potência Estol do cilindro
(4.785 psi +75 psi) (435 psi +145 psi)

Modo de Potência
350 bar +10 bar 30 bar +10 bar
c/Aumento de Estol do cilindro
5,075 psi +145 psi (435 psi +145 psi)
Pressão

NOTA: A válvula solenóide (reforço hidráulico) junto com o


solenóide de prioridade do giro e o solenóide de
controle de velocidade, no compartimento traseiro
da cabine, deve estar funcionando corretamente,
caso contrário os testes de pressão e outros
ajustes não poderão ser feitos.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 20
CONTROLE DE POTÊNCIA DE
ENTRADA DA BOMBA
Ajuste do regulador da bomba

AVISO!
Este procedimento deve ser realizado com duas
pessoas. Para reduzir a possibilidade de acidentes ou
partida inadvertida, uma pessoa deve ficar no suporte
de controle do operador enquanto as verificações e
ajustes são feitos.

Para executar esses ajustes com precisão insistimos para


que se use um fluxômetro e que a fábrica seja consultada
(antes de iniciar o trabalho) para validar a necessidade de
serem feitos ajustes do regulador. Alivie a pressão hidráulica
do reservatório antes de romper o lacre das conexões para
instalar o kit do fluxômetro. (Consulte o procedimento
“Instalação e Testes do Fluxômetro”)

IMPORTANTE
Antes de iniciar este procedimento ou de fazer
quaisquer modificações nos valores ajustados:
 Compare a potência útil do motor com a
rotação nominal – 1.980 ±50 rpm.
 Faça uma marca permanente nas posições do
parafuso de ajuste na configuração de controle
do regulador de corrente.

Use um riscador ou outro marcador permanente para


identificar o ponto do parafuso de ajuste com uma referência
correspondente no corpo da válvula. O processo de ajuste
afeta um complexo equilíbrio e pode exigir algum tempo
para ser concluído. Se for necessário interromper ou adiar o
ajuste, as marcas de referência no ponto de ajuste permitem
a imediata restauração do desempenho original.
Este procedimento de ajuste normalmente é executado:
 Se o motor é submetido a cargas contínuas (e o
diagnóstico de falhas mostra que o desempenho do
motor está na potência de saída nominal ou acima
dela).
 Se uma menor velocidade do cilindro e reduzido
desempenho operacional indicam que a vazão
nominal máxima da bomba pode não estar
disponível (e todos os outros diagnósticos não
indicam outros problemas ou defeitos no sistema
hidráulico).
 Se a descarga da bomba está desequilibrada e uma
bomba está enfraquecida para manter a vazão de
descarga da outra.
Para verificar o desequilíbrio sem um fluxômetro, desloque a
escavadeira para frente sobre um terreno plano e nivelado.
Se a máquina desvia apesar da entrada de controle neutra e
ajuste homogêneo e balanceado da esteira, a bomba que
alimenta a vazão para a armação da esteira em direção da
qual a escavadeira está desviando está fraca.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 21
Figura 12

Consulte a ilustração da válvula de controle do regulador


(figura 12) para a localização dos parafusos de ajuste (1, 2
e 3). Há dois diferentes ajustes, junto com o Negacon,
controle negativo, parafuso de ajuste (3, diretamente abaixo
de 1 e 2). Cada um dos procedimentos de ajuste pode
afetar o ajuste dos outros.
Verifique e registre o teste de desempenho da velocidade
de despejo do braço antes e depois do ajuste da potência
de entrada, com ou sem o uso de um fluxômetro.
NOTA: Os ajustes do regulador afetam a potência
acumulada total pois um regulador compensa a
saída do outro. Não é necessário ajustar ambos
os reguladores ao mesmo tempo, mas após a
verificação ou ajuste de um deles, a unidade
restante também deve ser verificada.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 22
Funcione o motor e gire o botão de controle de rotação para
máximo. Quando a temperatura normal de funcionamento
for atingida, solte a porca de trava maior ao redor do

FLUXO DE DESCARGA (Q)


parafuso de ajuste (2) para a mola do regulador externa.
Apertar o parafuso muda a curva de controle P/Q
(Pressão/Fluxo) para a direita e aumenta a pressão de
controle de compensação.
Por outro lado, se a causa persistente de problemas de
desempenho é sobrecarga do motor a diminuição do ajuste
afrouxando-se o parafuso de ajuste maior (2) diminuirá a
potência de entrada da bomba. ¼ de volta no parafuso de PRESSÃO DE DESCARGA
(P1+P2)
ajuste é igual a uns 17 HP.
Figura 13
AVISO!
Como a mudança da posição do parafuso de ajuste (2)
também afeta o ajuste da mola interna, o parafuso
menor (1), aperte o parafuso interno 198º (um pouco
mais do que ½ volta 180º) antes de soltar o parafuso (2)
1/4 de volta (90º).

NOTA: Para cada volta completa de ajuste do parafuso


mais largo (2) o parafuso de ajuste de ponta
quadrada deve ser apertado na direção contrária
2,2 voltas, para não modificar o ajuste da mola
interna.
Os ajustes da potência de entrada da bomba são feitos
normalmente em pequenos incrementos, ¼ de volta (90º) ou
FLUXO DE DESCARGA (Q)
menos de cada vez.
Girar o parafuso (1) de menor diâmetro e ponta quadrada
no sentido horário move a curva de fluxo para cima,
aumentando o fluxo e depois a potência de entrada.

PRESSÃO DE DESCARGA
(P1+P2)

Figura 14

O parafuso de ajuste (1, Figura12) afeta a vazão de


descarga (Q) da bomba. Apertar o parafuso de ajuste reduz
o fluxo de corte máximo (como mostrado na Figura 15) e
afrouxá-lo aumenta o a vazão de descarga do fluxo de corte

Equilibre ambas as bombas para que a descarga seja igual.

Figura 15

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 23
INSTALAÇÃO E TESTE DO
FLUXÔMETRO E KIT DO
FLUXÔMETRO
A verificação do regulador e da descarga da bomba para
avaliar o equilíbrio de descarga entre as bombas dianteira e
traseira e para verificar o ajuste operacional de cada
regulador requer a instalação de um fluxômetro.
O departamento de Serviço Pós-venda do distribuidor
DOOSAN mais próximo pode ajudá-lo com esses testes ou,
se preferir você mesmo executar os testes, ele podem
ajudar a juntar um kit de mangueira e conexão (ou as
dimensões requeridas e especificações para mangueiras e
acessórios) para permitir-lhe instalar um fluxômetro à
jusante do conjunto da bomba principal.
Procedimento de instalação e teste
 Desligue o motor e acione os controles para aliviar
a pressão hidráulica do acumulador.
 Sangre o reservatório para liberar toda a pressão
do sistema hidráulico.
 Remova os painéis de proteção ao redor do
conjunto da bomba.
 Desconecte a linha de descarga da bomba
principal. Instale o flange de entrada do
fluxômetro da extremidade da bomba da linha de
descarga.
 Destampe a extremidade não usada (entrada) da
linha de descarga da bomba com um flange de
bloqueio.
 Conecte um lance pré-medido de mangueira
hidráulica entre a extremidade de descarga do
conjunto do fluxômetro e o topo do reservatório.
Use as conexões apropriadas e flanges
adaptadores para garantir uma vedação estanque.
NOTA: Assegure-se de manter um torque de
aperto uniforme em todas as
conexões do flange. Use Loctite “PST
545” (ou vedador de junta de sistema
hidráulico semelhante) se necessário,
para que a vedação fique estanque.
 Um auxiliar – que deve permanecer na estação de
controle do operador todo o tempo - deve acionar
novamente o motor e funcioná-lo pelo tempo
suficiente (na rotação mínima) para desaerar o
sistema e pré-aquecer o motor e o sistema
hidráulico até a temperatura de operação
Registre os valores de todos os resultados de teste em três
colunas, comparando 1) a pressão da bomba (do painel de
instrumentos) com 2) fluxo medido, em galões ou litros por
minuto, no fluxômetro instalado. A terceira coluna de
resultados de teste deve proporcionar um registro da
rotação do motor medida durante cada um dos seguintes
teste – com o botão de controle de rotação do motor
ajustado no mínimo, o seletor de modo de potência em
Modo de Potência e o seletor de modo de trabalho no modo
Escavação.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 24
 Teste básico da rotação do motor máximo sem
carga (todos os controles em neutro)
 Teste da bomba dianteira – opere a alavanca
“deslocamento para a direita”. Registre os valores
de todas as pressões especificadas.
 Teste da bomba traseira – opere a alavanca
“deslocamento para a esquerda”. Registre os
valores de todas as pressões especificadas.
Registre os valores de cada um dos três testes (neutro,
deslocamento para a direita e deslocamento para a
esquerda) nos seguintes níveis de pressão da bomba, com
o controle de velocidade de deslocamento ajustado em “alta
velocidade”.

RPM do motor Pressão Vazão


2
100 kg/cm (1.422 psi)

135 kg/cm2 (1.930 psi)

180 kg/cm2 (2.560 psi)

240 kg/cm2 (3.413 psi)

320 kg/cm2 (4.550 psi)


*Veja Nota abaixo.

Compare os valores registrados com a saída mostrada na


curva P-Q na seção de especificações deste manual.
Se os resultados do teste não estiverem de acordo com os
valores especificados, os testes de vazão da bomba podem
ser repetidos usando diferentes alavancas de controle.
Verifique novamente o funcionamento da bomba dianteira
enquanto aciona a alavanca de extensão do cilindro da
caçamba e a bomba traseira acionando a alavanca de
controle do giro.
NOTA: Ao testar as funções da caçamba e do giro leia
os testes de fluxo máximo a 330 kg/cm2 (4.785
psi), não 350 kg/cm2 (5075 psi).

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 25
DIAGNÓSTICO DE FALHAS DO
SISTEMA DO GIRO
Precauções e verificações iniciais
1. Pare o trabalho. Alivie o peso ou qualquer tio de carga
com segurança antes de prosseguir. Evite os riscos de
ferimentos e dano.
2. Desligue o motor e desengate as funções de controle
até que os testes iniciais esteja prontos para ser
realizados.

AVISO!
Evite possível ferimento e/ou perda de controle
operacional Pare o trabalho e estacione a escavadeira
ao primeiro sinal de:
1. Quebra do equipamento
2. Resposta inadequada dos controles.
3. Desempenho irregular.

Pare a máquina, coloque a lança e o braço em posição


inativa (estacionamento noturno) e comece pelas
verificações mais simples e rápidas em primeiro lugar.
 Verifique o nível do óleo.
 Verifique se há superaquecimento, vazamentos de
óleo, obstrução do arrefecedor de óleo externo ou
correia de ventilador rompida. Consulte o registro
de serviço quanto a trabalho de
reparo/manutenção anterior.
 Drene um pouco de óleo do tanque num
recipiente limpo, Verifique se há partículas
metálicas, turvação/água ou espuma/bolhas de ar
no óleo
NOTA: Respeite a norma local para se desfazer
de fluidos drenados.
 Verifique se o acoplamento flexível do
motor/bomba está firme. Funcione o motor com a
porca de controle de potência hidráulica de
entrada da bomba girada para a posição de
potência mais baixa para verificar o motor.
 Investigue ruídos ou vibrações de operação
anormais. Verifique se há parafuso se conexões
frouxos.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 26
Verificação e ajuste da válvula
de alívio do giro
Verifique as pressões de trabalho através da válvula de
alívio do giro se:
 O motor do giro pára de girar.
 Gira só numa direção.
 Gira mas continua rodando livre.
 Ocorre decaimento numa rampa.
1. Verifique a operação conectando:
A. Dois manômetros de 600 bar (8.700 psi) nos
orifícios de medição de entrada e saída no topo do
motor do giro.
A pressão deve ficar entre 265 e275 bar (3.844
psi e 3.989 psi) com ambos os bloqueios do giro
engatados. Com os bloqueios do giro
desengatados, durante aceleração e
desaceleração total, a pressão deve se aproximar
de 250 bar (3.625 psi) em cada direção.
B. Conecte um manômetro de 60 bar (870 psi) no
orifício “SH” do freio hidráulico.
A pressão deve permanecer em 13 bar (190 psi)
ou acima disso ao operar o giro, lança, ou braço.
C. Conecte um manômetro de 10 bar (145 psi) na
válvula de compensação do motor.
A pressão deve permanecer de maneira
consistente acima de 2,5 bar (36 psi). Se a
pressão cair abaixo do nível mínimo
recomendado, a aceleração forçada do motor do
giro pode resultar em cavitação do circuito e
estolagem, rotação lenta, ruído e possível dano.
2. Se as pressões principais de entrada e saída estavam
desligadas nos testes precedentes no Passo 2, ajuste a
pressão da válvula de alívio do giro.
Após o ajuste, repita os teste de operação (com os
manômetros conectados nos orifícios de teste de
entrada e saída no topo do motor hidráulico) e verifique
as pressões com os bloqueios do giro engatados e
desengatados.
Se o ajuste de pressão não restabelece o desempenho
adequado, prossiga com a tabela Diagnóstico de falhas
- Giro.
3. Se os testes de pressão estavam nos níveis
recomendados nos orifícios de entrada e saída
principais e no orifício “SH” do freio do giro, a causa do
mau desempenho do giro pode incluir falha do motor do
giro, sobrecarga do trem de força ou defeito da caixa
de engrenagens, ou um problema no conjunto de freios
ou na válvula de controle do giro. Prossiga com a
informação de diagnóstico de falhas no procedimento
seguinte.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 27
Se a pressão através do orifício “SH” foi testada abaixo
do mínimo de 13 bar (190 psi), verifique a válvula
alternadora no compartimento traseiro atrás da cabine.
Quando a pressão no orifício estiver no nível
recomendado a válvula de desaplicação do freio do giro
deve desaplicá-lo para que o motor do giro rode a
escavadeira. Se o ajuste de pressão para a válvula foi
restabelecido mas o freio ainda não desaplica, o pistão
do freio ou o disco de atrito podem estar congelados,
sendo necessário desmontar o motor e reparar/trocar
as peças.

4. Se a pressão testada na válvula de compensação do


motor estiver abaixo do mínimo recomendado e forem
observados problemas de cavitação, estolagem e surto,
verifique a válvula de restrição. Se o ajuste de pressão
da válvula foi restabelecido mas se os problemas com
cavitação persistem, desmonte a carcaça superior do
motor do giro e limpe ou troque os componentes do
conjunto, conforme necessário.
.
NOTA : Se todas as pressões testadas estiverem
nos níveis normais ou acima e se não
houver problemas mecânicos no trem de
força ou no conjunto do motor /freios, o
problema requer diagnóstico de falhas
hidráulicas adicional. Também é possível
que uma alavanca joystick com defeito, um
curto-circuito intermitente no circuito de
controle ou um problema no circuito EPOS
esteja causando o mau desempenho do giro.
Puxe o painel indicador e-EPOS de sob o
assento do operador e faça o teste de
autodiagnóstico. Se a tela do painel exibir
código “0.2”, está relatando que a válvula
proporcional de prioridade do giro não está
funcionando, exceto no modo “fail-safe”
(isento de falha). Para mais informações,
consulte a Seção Elétrica neste Manual.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 28
DIAGNÓSTICO DE FALHAS –
CAIXA DE ENGRENAGENS DO
GIRO
Problema Causa Possível Correção
O motor de giro não funciona e:
Três testes de pressão no Defeito da válvula de alívio do Ajuste a pressão na faixa
motor, freios e válvula de giro, válvula de desaplicação do recomendada na válvula afetada.
compensação indicam freio, válvula de compensação do ou
leituras baixas. motor Desmonte e limpe o conjunto da
válvula. Troque todos os componentes
da válvula com dano.
Todas as três verificações Troque as mangueiras de entrada e Se o giro e o deslocamento para a
de pressão estão OK mas saída das bombas dianteira e esquerda forem restaurados mas o
o deslocamento para a traseira para testar o deslocamento para a direita para de
esquerda também não funcionamento da bomba. funcionar troque ou repare a bomba
funciona. P1
Todos os três testes de O conjunto do freio ou o disco de Verifique se ocorre aderência.
pressão estão OK, mas a atrito não desaplicam. Desmonte e repare.
máquina não gira. Pressão piloto (controle) baixa ou Desmonte / repare o carretel do
válvula de controle do giro presa. giro de pressão piloto (305) e / ou a
válvula de controle piloto.
Motor do giro com defeito. Teste a taxa de dreno do motor.
Troque / repare o motor.
Trem de engrenagens com defeito. Consulte o procedimento
"Diagnóstico de falhas do
Mecanismo de Giro".
O giro funciona mas As causas listadas acima também Verifique a lista acima e depois
somente em rotaçãopodem produzir giro com arrasto, troque o óleo, teste a taxa de
reduzida. OU óleo quente ou incorreto OU drenagem do motor e verifique se o
peças gastas. código que aparece é 03
Velocidade de deslocamento Baixa descarga na bomba P1 ou Limpe e repare a tubulação ou
para a esquerda também é tubulação piloto externa com repare e troque a bomba P1.
reduzida. vazamento/obstruída
O movimento de controle Tubulação de entrada / saída Restabelecer os controles ou inverter
do giro é invertido invertida. a tubulação.
A máquina gira mas Carretel de válvula de Troque a mola de retorno;
continua em giro livre ou controle do giro descentrado. Limpe/repare o pistão e o
passa do ponto de parada. carretel da válvula.
A pressão piloto pode estar Desmonte, limpe ou troque a válvula
for a de faixa. de alívio piloto ou a válvula piloto.
A válvula de alívio do giro pode Repare/troque a válvula de alívio do
estar com defeito. giro.
O movimento do giro é Verifique se a pressão piloto é Se for diferente, limpe ou repare a
apenas numa direção. igual no lado direito e esquerdo. tubulação e repare/troque a válvula.
O carretel da válvula de controle Repare/troque a válvula de alívio do
do giro pode estar preso. giro.
A válvula de alívio do giro pode Repare/troque a válvula de alívio do
estar com defeito. giro.
Sem rotação e:
A pressão na entrada do Freio do giro não desaplica. Verifique a aplicação e desaplicação
motor do giro aumenta. do freio; verifique a pressão de
desaplicação.
Troque as engrenagens
Dano interno da caixa de
quebradas e os conjunto do trem
engrenagens do trem de força
de força.
Sobrecarga. Reduza o peso de carga.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 29
Problema Causa Possível Correção
A pressão na entrada do Eixo de acionamento do motor do giro
Troque o motor de giro.
motor do giro não danificado.
apresenta aumento e o Dano interno da caixa de Repare/troque os conjuntos
motor do giro produz engrenagens do trem de força quebrados ou danificados
ruídos irregulares.
A pressão na entrada do Problema na bomba hidráulica ou na Faça o diagnóstico de falhas do
motor do giro não apresenta válvula sistema hidráulico.
aumento, mas sem ruídos
irregulares deste.
Vazamento de óleo:
O eixo de acionamento das Troque o vedador de óleo.
Vedador de óleo danificado. Composto
conexões aparafusadas ou Desmonte e verifique as superfícies
de montagem (vedador de juntas)
outras superfícies montadas. de montagem. Reaplique Loctite.
antigo ou não está vedando, parafuso
aperte os parafusos conforme
frouxo ou flange empenado.
especificado.
Excesso de calor:
Troque o óleo. Reabasteça até o
O alojamento da caixa de Nível do óleo hidráulico baixo.
nível especificado.
engrenagens superaquece
com ou sem ruído irregular Rolamentos ou engrenagens Repare ou troque a caixa de
durante a operação. gastos mas não totalmente engrenagens.
inoperantes.

DIAGNÓSTICO DE FALHAS
– PROBLEMAS HIDRÁULICOS
Problema Causa Possível Correção
Cilindros dos acessórios, Problema na(s) bomba(s) Repare ou troque.
motores do giro e de Baixo nível de óleo no sistema
deslocamento todos Complete.
hidráulico.
inoperantes. O conjunto da Tubo ou mangueira de entrada Repare ou troque.
bomba principal produz (alimentação de óleo) da bomba
ruídos altos. principal danificado.
Cilindros dos acessórios, Problema na bomba piloto. Repare ou troque.
motores do giro e de Solenóide de corte piloto preso. Repare ou troque.
deslocamento todos
inoperantes. Não se ouve o Interruptor de corte piloto com defeito. Repare ou troque.
ruído normal nem anormal. Acoplamento flexível do Troque o acoplamento flexível.
motor/bomba danificado
Desempenho irregular de Bomba(s) principal danificada ou gasta Repare ou troque.
todas as funções hidráulicas Válvula de alívio principal sem pressão Reajuste a pressão
– acessório, giro e
deslocamento Baixo nível de óleo no sistema
Complete.
hidráulico.
Filtro-tela de entrada do reservatório Limpe.
hidráulico obstruído
Tubulação ou mangueira de entrada Aperte a conexão
da bomba (lado de alimentação)
deixa assar ar para o sistema
hidráulico.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 30
Problema Causa Possível Correção
Temperatura do óleo Arrefecedor de óleo obstruído ou Limpe.
anormalmente alta. circulação do ar para o arrefecedor
bloqueada.
Correia do ventilador de arrefecimento
Reajuste a tensão da correia.
frouxa.
Válvula de alívio ajustada com valor
Reajuste a válvula.
excessivamente baixo.
Reduza a carga de trabalho ou
Válvula de alívio em uso constante.
velocidade de ciclo.
Óleo hidráulico severamente Troque o óleo.
negligenciado ou incorreto para a
aplicação
Um circuito no sistema Mau funcionamento da válvula de
hidráulico está Reajuste ou troque.
alívio de sobrecarga.
inoperante.
Vazamento de óleo na válvula de
Limpe e repare.
compensação.
Carretel da válvula de controle
Repare ou troque.
danificado.
Sujeira no carretel da válvula.de
Limpe ou troque.
controle.
Atuador (joystick, pedal) Repare ou troque.
danificado ou gasto.
Vazamento do vedador interno no
Repare ou troque.
cilindro

Haste do cilindro danificada. Repare ou troque.

Mau funcionamento da válvula piloto


Repare ou troque.
ou da tubulação
Articulação mecânica congelada, Repare ou troque.
frouxa ou danificada
Motores de deslocamento Junta central danificada. Repare ou troque.
inoperantes. Freio de estacionamento não Repare ou troque.
d li
Motor de deslocamento gasto ou Repare ou troque.
d ifi d
Tubulação piloto do motor de
Repare ou troque.
deslocamento danificada.
Motores de deslocamento Tensão da esteira mal ajustada. Reajuste a tensão. Reabasteça
muito lentos. Nível baixo do óleo nas rodas-guia
l t
Motor de deslocamento arrastando. Repare.
Armação da esteira Repare.
desalinhada, deformada ou
Motor do giro inoperante. t id
Freio do giro não desaplica. Repare ou troque.
Mau funcionamento da válvula de Repare ou troque.
lí i
Tubulação piloto danificada. Repare ou troque.
Motor de giro opera de Engrenagem rolamento ou fixação Repare ou troque.
forma irregular do giro solta ou gasta.
Lubrificante vencido, inadequado. Engraxe.
A válvula de alívio do giro pode estar Repare/troque a válvula de alívio do
com defeito. giro.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 31
DIAGNÓSTICO DE FALHAS
– VÁLVULA DE CONTROLE
Verifique os problemas da válvula de controle somente após
ter executado os outros testes de operação do circuito
hidráulico. Consulte o procedimento “RECOMENDAÇÕES
BÁSICAS PARA O PROCEDIMENTO DE DIAGNÓSTICO
DE FALHAS”. O fluxo de pressão, a pressão Negacon, a
pressão de alívio principal e a pressão de alívio da tomada
devem ser todas verificadas antes de iniciar o trabalho na
válvula de controle. Assegure-se de que o nível do sistema
hidráulico está completo e isento de vazamentos de óleo ou
de ar no sistema, que poderiam causar problemas cavitação.

Problema Causa Possível Correção


Válvulas de alívio principal Contaminação por partículas. Desmonte, limpe a válvula cônica
i i l
Mola quebrada ou danificada. Troque.
Parafuso de ajuste frouxo. Reajuste.
Válvula cônica principal emperrada. Repare/troque.
Orifício obstruído na passagem piloto Limpe/troque.
para a válvula de controle
O cilindro desce com o Folga excessiva entre o Troque o carretel ou o alojamento.
carretel em neutro. alojamento e o carretel.
O carretel não retorna a Verifique a pressão piloto
neutro/preso secundária.
O carretel não retorna a neutro Limpe.
devido a sujeira ou outros
contaminantes.
Mola quebrada ou danificada. Troque.
Alívio principal ou alívio da Veja acima.
tomada não funciona
t t
Impurezas no circuito piloto. Limpe.
O cilindro desce antes de Válvula de retenção da haste Limpe/troque.
iniciar a operação de danificada ou obstruída.
levantamento da lança.
Válvula cônica presa. Limpe/troque.
Mola quebrada ou danificada. Troque.
Operação ou resposta lenta Folga excessiva entre o carretel ou o Verifique a pressão piloto
alojamento. e/ou troque o carretel ou o
l j t
Carretel preso. Limpe/troque.
Mola quebrada ou danificada. Troque.
Válvula de alívio principal ou d tomada, Verifique a pressão/troque.
d ifi dpreso.
Carretel Limpe/troque.
Prioridade do giro não
funciona corretamente. Válvula solenóide com defeito. Troque.
Os cilindros da lança e do Válvula de prioridade com Verifique a pressão piloto.
braço não funcionam defeito ou carretel preso.
normalmente em operação
Mola quebrada ou deformada. Troque.
combinada.
Folga excessiva entre o alojamento Limpe/troque.
direito e esquerdo e o carretel da
ál l
Passagem do carretel obstruída. Limpe/troque o filtro.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 32
Problema Causa Possível Correção
Válvula cônica principal ou piloto presa Limpe/troque.
A pressão não aumenta.
na posição aberta.
Pressão irregular Sede da válvula cônica danificada Limpe/troque.
ou desigual. ou seu pistão preso ao pistão da
válvula cônica principal.
Solte a porca de trava no parafuso de
Reajuste.
ajuste.
Troque.
Componentes gastos além dos limites.

DIAGNÓSTICO DE FALHAS –
VÁLVULA DE CONTROLE DO
DESLOCAMENTO
Problema Causa Possível Correção
A pressão secundária não Pressão primária baixa. Verifique a pressão primária.
aumenta.
Mola quebrada. Troque a mola.
Carretel preso.. Limpe, repare ou troque.
Folga excessiva entre o carretel e o
Troque o alojamento do carretel.
alojamento.
Subconjunto (manopla) da junta Repare ou troque o subconjunto.
universal gasto ou frouxo.
Pressão secundária Sujeira, outras interferências entre as Limpe, repare ou troque.
excessivamente alta. peças da válvula.
Pressão da linha de retorno
Redirecione a linha de retorno.
excessivamente alta.
A pressão secundária não Sujeira, outras interferências entre as Limpe, repare ou troque.
se mantém contínua. peças da válvula, ou carretel gasto
prendendo intermitentemente.
Interferência ou aderência na mola Limpe, repare ou troque.
de retorno do carretel.
Interferência, restrição ou oscilação de Repare ou redirecione a linha de
pressão na linha de retorno do tanque. retorno do tanque.
Bolhas de ar na tubulação (temporária) Sangre ou repare o vazamento.
ou vazamento de ar.
NOTA: Procure evidência de vazamento de óleo.

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 33
DIAGNÓSTICO DE FALHAS –
VÁLVULA DE CONTROLE
JOYSTICK
Problema Causa Possível Correção
A pressão secundária não Pressão primária baixa. Verifique a pressão primária.
aumenta.
Mola quebrada. Troque a mola.
Carretel preso.. Limpe, repare ou troque.
Folga excessiva entre o carretel e o
Troque o alojamento do carretel.
alojamento.
Subconjunto da manopla gasto ou Repare ou troque o subconjunto da
frouxo. manopla.
Pressão secundária Sujeira, outras interferências entre Limpe, repare ou troque.
excessivamente alta. as peças da válvula.
Pressão da linha de retorno
Redirecione a linha de retorno.
excessivamente alta.
A pressão secundária não Sujeira, outras interferências entre as Limpe, repare ou troque.
se mantém contínua. peças da válvula, ou carretel gasto
prendendo intermitentemente.
Interferência ou aderência na mola Limpe, repare ou troque.
de retorno do carretel.
Pressão desigual na linha de retorno Redirecione a linha de retorno.
do tanque.
Bolhas de ar na tubulação (temporária) Sangre ou repare o vazamento.
ou vazamento de ar.
NOTA: Procure evidências de vazamento de óleo para ajudar a localizar vedadores ou juntas
danificados que poderiam ser a causa dos vazamentos

Sistema Hidráulico Diagnóstico, Testes e Ajustes SP000913


Página 34
SP000028

Acumulador

1ª edição

Acumulador SP000028
Página 1
ANOTAÇÕES

Acumulador SP000913
Página 2
Índice

Acumulador

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ...................................5


MODELOS APLICÁVEIS ..................................................5
DESCRIÇÃO GERAL .......................................................7
Especificações ................................................................................ 9

Acumulador SP000028
Página 3
ANOTAÇÕES

Acumulador SP000913
Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5001 e acima
DX225NLC 5001 e acima
DX225LCA 5167 e acima
DX255LC 5001 e acima
DX300LC 5001 e acima
DX340LC 5001 e acima
DX420LC 5001 e acima
DX480LC 5001 e acima
DX520LC 5001 e acima

Acumulador SP000028
Página 5
Acumulador SP000913
Página 6
DESCRIÇÃO GERAL
O acumulador é um dispositivo carregado a gás, projetado
para reter uma quantidade de reserva de fluido hidráulico
sob pressão. Os acumuladores são usados em circuitos
hidráulicos da mesma maneira que os condensadores (ou
capacitores) são usados para coletar, armazenar e manter
carga elétrica num circuito. Num circuito hidráulico,
pequenas variações ou atrasos na descarga da bomba que
poderia causar operação instável e irregular são
compensadas pela alimentação de óleo pressurizado no
acumulador.

Número de
Descrição
Referência
1 Bujão roscado
2 Reservatório de pressão, de aço
3 Diafragma Figura 1
4 Válvula de fluido

Os acumuladores são solidamente construídos para resistir


as altas pressões de operação do fluido neles contido. Há
somente três peças móveis principais: um bujão no topo
permite a pré-carga ou expulsão do gás da câmara superior
pré-carregada, um conjunto de válvula no fundo do acumular,
para entrada e saída do fluido hidráulico e um diafragma
elástico, para separar as duas câmaras. O diafragma
flexível muda de formato para acomodar as variações de
pressão e de volume dos dois fluidos nas câmaras superior
e inferior.
Há seis posições possíveis em que o diafragma pode estar, Fluido
Nitrogênio
como segue: Pressurizado

1. Sem carga de gás na câmara superior 0 bar (0 psi,


vazia) e sem óleo na parte inferior 0 bar (0 psi, seca) o
diafragma elástico fica livremente pendurado.
2. Quando a carga de pré-pressão do gás (usualmente
nitrogênio) é introduzida através do orifício no topo do
acumulador, o diafragma se expande no seu tamanho
máximo. O fundo da válvula no centro do diafragma
empurra para dentro a abertura de fluido na câmara
inferior, vedando a válvula inferior. Se a pressão da
carga do gás exceder a pressão hidráulica do sistema,
não entra fluido no acumulador, O botão também ajuda
a evitar que o diafragma sobressaia na abertura da
válvula inferior.
NOTA: A pressão de pré-carga e conhecida como
pressão “P 1” A pressão nominal “P 1” do
fabricante do acumulador deve estar gravada
ou marcada na plaqueta de especificações Figura 2
do acumulador. As verificações anuais da
pressão de pré-carga devem ser feitas
instalando-se um manômetro (e acoplamento
adaptador de 3 vias)na válvula na parte
inferior do acumulador.

Acumulador SP000028
Página 7
Quando o fluido hidráulico é puxado da
abertura inferior da válvula pela pressão do
gás no outro lado do diafragma – e não há
contrapressão do óleo do sistema - o botão
da válvula no fundo do diafragma finalmente
veda a passagem de óleo inferior. Logo
depois que o ponteiro do manômetro
alcançar seu ponto mais alto (resistência de
0 bar (0 psi) da pressão hidráulica do
sistema), a pressão no manômetro cai
subitamente para zero pois o acumulador fia
completamente sem óleo e o botão do
diafragma se fecha. Registre a leitura do
manômetro e compare com a pressão de
pré-carga nominal “P1” na etiqueta de dados
do fabricante do acumulador. Repita esse
teste ao menos uma vez por ano para
verificar o correto funcionamento do
acumulador.
Quando a pressão hidráulica do sistema vence a
pressão de pré-carga do acumulador, o diafragma
flexível como a se retrair para cima.
3. Quando o óleo do sistema está na pressão de
operação mais alta e o acumulador cheio na
capacidade máxima de reserva, o diafragma flexível é
empurrado para cima dentro do topo da câmara
superior.
4. A pressão de trabalho mais alta algumas vezes é
chamada de pressão “P3” e também pode ser
consultada na etiqueta de dados do fabricante na parte
externa do acumulador.
5. Se a pressão do óleo do sistema começa a cair ou é
momentaneamente retida ou interrompida, a energia
armazenada no outro lado do diafragma, em forma de
gás comprimido, empurra o óleo para fora da câmara
inferior, mantendo a pressão do óleo do circuito.
6. Quando a pressão do sistema é mínima, pode-se
atingir um ponto de equilíbrio no qual as pressões de
pré-carga do acumulador e do óleo do sistema
hidráulico ganham um equilíbrio aproximado. Nesta
condição uma quantidade mínima de óleo é
armazenada no acumulador.

Acumulador SP000913
Página 8
Especificações

Modelo Números de Série Sistema Pressão de Carga Volume)


10 kg/cm2 320 cc
DX225LC S/N 5001 e acima Piloto
(140 psi) (19.53 in3)
10 kg/cm2 320 cc
DX225NLC S/N 5001 e acima Piloto
(140 psi) (19.53 in3)
10 kg/cm2 320 cc
DX225LCA S/N 5001 e acima Piloto
(140 psi) (19.53 in3)
10 kg/cm2 320 cc
DX255LC S/N 5001 e acima Piloto
(140 psi) (19.53 in3)
10 kg/cm2 320 cc
DX300LC S/N 5001 e acima Piloto
(140 psi) (19.53 in3)
10 kg/cm2 320 cc
DX340LC S/N 5001 e acima Piloto
(140 psi) (19.53 in3)
10 kg/cm2 320 cc
DX420LC S/N 5001 e acima Piloto
(140 psi) (19.53 in3)
10 kg/cm2 320 cc
DX480LC S/N 5001 e acima Piloto
(140 psi) (19.53 in3)
10 kg/cm2 320 cc
DX520LC S/N 5001 e acima Piloto
(140 psi) (19,53 in3)

Acumulador SP000028
Página 9
Acumulador SP000913
Página 10
SP001620

Junta Central
(Giratória)

1ª edição

Junta Central (Giratória) SP001620


Página 1
ANOTAÇÕES

Junta Central (Giratória) SP001620


Página 2
Índice

Junta Central (Giratória)

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ...................................5


MODELOS APLICÁVEIS ..................................................5
DESCRIÇÃO GERAL .......................................................7
Lista de peças ................................................................................. 8
DIAGNÓSTICO DE FALHAS, TESTE E AJUSTE ............9
Inspeção ......................................................................................... 9
Teste ............................................................................................... 9
DESMONTAGEM............................................................10
REMONTAGEM ..............................................................13

Junta Central (Giratória) SP001620


Página 3
ANOTAÇÕES

Junta Central (Giratória) SP001620


Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5433 e acima
DX225NLC 5167 e acima

Junta Central (Giratória) SP001620


Página 5
Junta Central (Giratória) SP001620
Página 6
DESCRIÇÃO GERAL
A junta central (giratória) foi projetada para permitir que o
óleo hidráulico da estrutura superior circule para os
componentes da estrutura inferior.
Ela é capaz de permitir um giro contínuo de 360º da
estrutura superior em relação à estrutura inferior.

Junta Central (Giratória) SP001620


Página 7
Lista de peças

Figura 1

Número de Número de
Descrição Descrição
Referência Referência
9 Anel-O (1AP105) 1 Cubo
10 Anel-O (1BP90) 2 Eixo
11 Anel de fixação 3 Tampa
12 Bujão PT (PT1/4) 4 Espaçador
13 Parafuso sextavado (M12) 5 Calço
14 Arruela de pressão 6 Calço
15 Anel-O (1AP105) 7 Anel de desgaste
8 Vedador

Junta Central (Giratória) SP001620


Página 8
DIAGNÓSTICO DE FALHAS,
TESTE E AJUSTE

Inspeção
A junta central deve ser verificada quanto a evidência de
vazamento de óleo externo a cada 2.000 horas de operação.
Anéis-O com vazamento ou defeito são uma indicação de
que sujeira e outras impurezas estão entrando no conjunto
para promover desgaste acelerado e anormal, podendo
causar falha prematura do conjunto.
Se vedadores internos e outros componentes de superfícies
de deslizamento estiverem gastos e se houver vazamento
de fluido interno, pode ser necessária uma revisão completa
e reparo ou troca da junta central.

Teste
Para verificar a pressão através da junta central, prepare um
kit de teste com a seguinte lista de equipamentos:
 Manômetro de 700 bar (10.000 psi).
 Adaptadores, conectores, tubos e placas de
bloqueio de flanges de acordo com os usado sem
conexões de tubos de alta pressão da
escavadeira.
 Uma válvula de alívio de alta pressão com uma
pressão ajustada de 1,5 vezes a pressão máxima
do sistema.
 Uma válvula de parada.
 Uma válvula comutadora em linha, acionada
manualmente.
Instale a válvula comutadora à montante de um dos orifícios
de alta pressão da haste. Conecte o manômetro à jusante
de um dos orifícios do corpo. Instale a válvula de parada
entre a válvula comutadora e a haste d junta central. Outros Figura 2
componentes devem ser instalados de acordo com o layout
no diagrama de blocos. O kit de teste é usado para
pressurizar a junta central giratória acima da pressão de
operação normal e bloquear a pressão mais alta (pois a
válvula de parada é fechada manualmente) para um teste de
vazamento.

NOTA: O mesmo tipo de kit também pode ser preparado


para o lado do orifício de drenagem (linha de
retorno) da junta central. Use tubos apropriados,
conectores, manômetros, etc. e siga o mesmo
layout geral do diagrama de blocos (Figura 2).

Junta Central (Giratória) SP001260


Página 9
DESMONTAGEM

IMPORTANTE
Não desparafuse a junta central da carroceria inferior
até que um número adequado de placa de bloqueio de
tubulação esteja disponível para as linhas de tubulação
desconectadas. Assegure-se de que a pressão do
sistema foi aliviada – incluindo o acumulador hidráulico
e a pressão de reserva do tanque – antes de iniciar a
desmontagem.

ATENÇÃO!
Recomenda-se usar um guindaste ou dispositivo similar
porque ele é pesado.
Remova o óleo ativo e limpe-o antes de iniciar a
desmontagem.

AVISO!
O óleo hidráulico encontra-se muito quente depois da
operação normal da máquina. Aguarde que o sistema
esfrie antes de tentar consertar qualquer um dos
componentes hidráulicos.

1. Limpe a parte externa da junta giratória após removê-la.


2. Risque ou marque de outra maneira uma linha através
da tampa e do corpo da junta central para pode voltar a
montar na posição original.
3. Remova com ar comprimido o óleo ativo restante em
cada orifício,
4. Use uma chave de 17 mm para soltar os parafusos da
tampa (1, Figura 3) e remova a tampa e os anéis-O
(1AG100).
5. Use alicate para remover o anel de fixação e desmonte
o espaçador na parte traseira do anel de fixação. Figura 3

Junta Central (Giratória) SP001620


Página 10
ATENÇÃO!
Tome cuidado para não danificar a superfície do
eixo ao desmontar o cubo do conjunto do eixo.

6. Desmonte o cubo do conjunto do eixo.


Ele pode ser desmontado facilmente fixando-se o
conjunto do eixo, apertando-se 2 olhais de 20 mm no
cubo e levantando-o lentamente com um guindaste.
7. Se o conjunto do eixo não se separar com facilitar
quando aplaca de empuxo e o anel de fixação forem
removidos, use um sarrafo e martele para removê-lo da
carcaça.

Figura 4
8. Separe o cubo dentro dos vedadores 8 cada, O-ring 1
cada (1 BP80), e vedador de pó 1cada (LBH80)

ATENÇÃO!
Tome cuidado para não danificar a parte interna do
cubo porque pode se danificar ao desmontar o
vedador de óleo. Ele pode ser desmontado mais
facilmente com um acionador com ponta como
mostrado na figura abaixo.
Figura 5

Figura 6

Junta Central (Giratória) SP001260


Página 11
9. Remova os bujões PT de vedação do eixo.
* PT 1/4 : chave de 6 mm

Figura 7

10. Remova as substâncias estranhas de todas as peças


desmontadas e lave-as.
11. Troque os anéis-O e vedadores de óleo pois não
podem ser reutilizados.
12. Antes de remontar a junta central, inspecione
visualmente as superfícies dos rolamentos de esferas
quanto a sinais visíveis de desgaste e dano, ou
descoloração e troque os componentes gastos.
Verifique a folga entre o eixo e o calço e o espaçador.
Troque qualquer peça que indique um desgaste visível
superior a 0,5 mm (0,020").
A folga entre o eixo e o corpo da junta central deve ser
justa. Troque ou repare qualquer componente se o
desgaste medido for superior a 0,1 mm (0,0039")

ATENÇÃO!
A parte interna do cubo deve ser limpa com ar e
tratada contra a corrosão após a lavagem, pois seu
material está sujeito a ferrugem.

Junta Central (Giratória) SP001620


Página 12
REMONTAGEM

ATENÇÃO!
Aplique uma levíssima película vaselina na borda
inferior da haste e na superfície interna do corpo da
junta central. Aplique uma lenta pressão por igual
usando as duas mãos para empurrar lentamente a haste
no corpo. Os vedadores pode se danificar se a haste
for montada muito rapidamente.

Figura 8

1. Enrole 6-10 vezes a fita de teflon ao redor do bujão PT.


2. Monte o bujão PT no eixo lavado.

PT 1/4 : chave de 6 mm

Torque de engate: 3-4 kg/m

3. Monte o vedador de sapata e o anel-O no cubo.


4. Monte o anel de desgaste (ø80 x ø85 x 10) no cubo.

ATENÇÃO!
Após montar o vedador de óleo, deve-se executar
um teste manual para assegurar que todas as peças
estão montadas em suas devida posições.

ATENÇÃO!
Se qualquer vedador estiver sobressaindo,
pressione-o com o dedo para que assente em sua
posição. Deve-se tomar cuidado ao usar um mandril
ou ferramenta de metal pois pode danificar o
vedador.

Junta Central (Giratória) SP001260


Página 13
ATENÇÃO!
A aplicação de óleo ativo sobre a superfície do eixo
permite a montagem sem qualquer dano ao vedador.

5. Fixe a posição do eixo e pressione o cubo com cuidado


no eixo deixando ambos paralelos entre si.
6. Use um martelo de plástico (ou borracha) para a
montagem.

ATENÇÃO!
Golpeie o cubo em movimento cruzado para que
não incline para um lado.

Figura 9

7. Monte o calço, espaçador e instale o anel de fixação.


8. Posicione o anel-O (1AG100) e monte a tampa na
direção mostrada na figura.
9. Aperte o parafuso da tampa (M12) com torque de 10-
12,5 kg.m
10. Encha previamente a junta giratória central com fluido
hidráulico limpo antes da alta pressão e drene a
tubulação. Limpe e preencha as extremidades da
tubulação para reduzir a quantidade de ar no sistema.
Sangre o sistema hidráulico e verifique o nível antes de
retornar a escavadeira para o trabalho.
Figura 10

ATENÇÃO!
Após concluir a montagem, deve-se aplicar um
teste de partida e de rotação para que o vedador
assente corretamente em sua posição.

Junta Central (Giratória) SP001620


Página 14
SP000914

Cilindros

1ª edição

Cilindros SP000914
Página 1
ANOTAÇÕES

Cilindros SP000914
Página 2
Índice

Cilindros

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ...................................5


MODELOS APLICÁVEIS ..................................................5
DESCRIÇÃO GERAL .......................................................7
Teoria de operação ......................................................................... 7
Lista de peças ............................................................................... 10
FERRAMENTA ESPECIAIS E MATERIAIS ....................12
Porca do pistão ............................................................................. 12
Dispositivo para pistão .................................................................. 14
Dispositivo para bucha de aço ...................................................... 16
Dispositivo para limpador de pó.................................................... 18
Dispositivo para vedador de óleo.................................................. 20
Dispositivo para desempeno de vedador de óleo......................... 22
DESMONTAGEM............................................................24
REMONTAGEM ..............................................................29

Cilindros SP000914
Página 3
ANOTAÇÕES

Cilindros SP000914
Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5001 e acima
DX225NLC 5001 e acima
DX225LCA 5167 e acima
DX300LC 5001 e acima
DX340LC 5001 e acima
DX420LC 5001 e acima

Cilindros SP000914
Página 5
Cilindros SP000914
Página 6
DESCRIÇÃO GERAL
São usados dois tipos de cilindros hidráulicos
essencialmente semelhantes na escavadeira. O cilindro
usado para operar a lança ou a caçamba da escavadeira
possui um batente de haste que atua como amortecedor
somente quando a haste do cilindro está totalmente retraída
(e a caçamba puxada junto ao braço). Esse tipo de cilindro
está mostrado no desenho inferior.
Os cilindros do braço possuem um amortecedor, ou batente,
para operação em ambas as direções. Esse tipo de cilindro
está mostrado no desenho superior.

Teoria de operação
1 Pistão
2 Passo de óleo A
3 Passagem de óleo B

As hastes dos pistões dos cilindros são estendidas ou


retraídas pelo fluxo de óleo para trás do cilindro (mostrado
como (“Passagem de óleo A”), ou para frente do cilindro
(“passagem de óleo B”).
A haste do cilindro se estende quando o óleo é bombeado
através do circuito para trás do pistão. A força (F1) do curso
do pistão pode ser expressa pela fórmula abaixo, onde P = Figura 1
pressão do óleo do circuito e o diâmetro interno do cilindro é
expresso por D (Figura 1).

F1 = P x πD2
4
(P: Pressão, ð = 3.14, D: diâmetro interno do cilindro)

1 Diâmetro interno do cilindro - D


2 Passo de óleo A
3 Passagem de óleo B
4 Diâmetro da haste - R

Quando a haste do cilindro se retrai, o fluxo do óleo através


do circuito da bomba para o lado dianteiro do cilindro gera
uma força (F2) que pode ser expressa pela fórmula na qual
o diâmetro da haste do pistão é expresso por R e os outros
dois termos são iguais aos da expressão anterior.
Figura 2
F 2 = P x π (D 2 -R 2 )
4

Cilindros SP000914
Página 7
Como o volume de óleo necessário para estender a haste
do cilindro (Q1) é maior do que para retrair a haste, demora
mais para o cilindro estender do que para retrair.

Figura 3

Cilindros SP000914
Página 8
Cilindros SP000914
Página 9
Lista de peças
A lista de peças a seguir é somente parcial; para uma lista
completa consulte a Lista de Peças dos Componentes do
Equipamento Hidráulico.
A seção transversal da Figura 4 mostra um cilindro do braço.
A seção transversal da Figura 5 mostra um cilindro da lança.
Os cilindros da caçamba e da lança são idênticos e
diferentes somente nos tubos.

Figura 4

Figura 5

Cilindros SP000914
Página 10
Número de Número de
Descrição Descrição
Referência Referência
1 Conjunto de tubo 19 Anel de desgaste
2 Bucha 20 Anel-O
3 Conjunto da haste 21 Anel-O
4 Bucha 22 Anel de encosto
5 Tampa da haste 23 Porca do pistão
6 Bucha-DD 24 Parafuso de fixação
7 Anel de fixação 25 Parafuso cabeça sextavada
8 Vedador amortecedor 26 Conjunto banda do tubo
9 Gaxeta-U 27 Parafuso cabeça sextavada
10 Anel de encosto 28 Válvula de retenção
11 Limpador de pó 29 Batente A
12 Anel de fixação 30 Suporte de mola
13 Anel-O 31 Bujão sextavado
14 Anel de encosto 32 Arruela de pressão
15 Anel-O 33 Parafuso sextavado
16 Anel amortecedor 34 Conjunto de tubo
17 Pistão 35 Graxeira
18 Vedador de óleo

Cilindros SP000914
Página 11
FERRAMENTA ESPECIAIS E
MATERIAIS

Porca do pistão

Figura 6

Material SM45C (AISI 1045)


Dureza Rockwell 22-27
Têmpera em óleo

Cilindros SP000914
Página 12
MODELO CILINDRO øA øB C D MODELO (CILINDRO)
105,0
LANÇA 145,0 mm
mm
12,0 mm 5,0 mm

DX225LC 105,0
BRAÇO 145,0 mm
mm
12,0 mm 5,0 mm

130,0 89,0
CAÇAMBA mm mm
12,0 mm 5,0 mm

105,0
LANÇA 145,0 mm
mm
12,0 mm 5,0 mm

DX225NLC 105,0
BRAÇO 145,0 mm
mm
12,0 mm 5,0 mm

130,0 89,0
CAÇAMBA mm mm
12,0 mm 5,0 mm

105,0
LANÇA 145,0 mm
mm
12,0 mm 5,0 mm

DX225LCA 105,0
BRAÇO 145,0 mm
mm
12,0 mm 5,0 mm

130,0 89,0
CAÇAMB mm mm
12,0 mm 5,0 mm

102,0
LANÇA 142,0 mm
mm
12,0 mm 5,0 mm

DX300LC 107,0
BRAÇO 147,0 mm
mm
12,0 mm 5,0 mm BRAÇO PADRÃO

140,0 98,0
CAÇAMBA mm mm
12,0 mm 5,0 mm CAÇAMBA PADRÃO

105,0
LANÇA 145,0 mm
mm
12,0 mm 5,0 mm LANÇA OPC

DX340LC 107,0
BRAÇO 147,0 mm
mm
12,0 mm 5,0 mm BRAÇO OPC

105,0
CAÇAMBA 145,0 mm
mm
12,0 mm 5,0 mm CAÇAMBA OPC

107,0
LANÇA 147,0 mm
mm
12,0 mm 5,0 mm

DX420LC 107,0
BRAÇO 147,0 mm
mm
12,0 mm 5,0 mm

115,0
CAÇAMBA 155,0 mm
mm
12,0 mm 5,0 mm

Cilindros SP000914
Página 13
Dispositivo para pistão

Figura 7

Material SM45C (AISI 1045)


Dureza Rockwell 22-27
Têmpera em óleo

Cilindros SP000914
Página 14
MODELO CILINDRO A ( ±0.1) øB øC øD MODELO (CILINDRO)
LANÇA 90,0mm 11,0mm 63,0mm 115,0mm

DX225LC BRAÇO 110,0 mm 13,0 mm 75,0 mm 140,0 mm

CAÇAMBA 90,0mm 11,0mm 63,0mm 115,0mm

LANÇA 90,0mm 11,0mm 63,0mm 115,0mm

DX225NLC BRAÇO 110,0 mm 13,0 mm 75,0 mm 140,0 mm

CAÇAMBA 90,0mm 11,0mm 63,0mm 115,0mm

LANÇA 90,0mm 11,0mm 63,0mm 115,0mm

DX225LCA BRAÇO 110,0 mm 13,0 mm 75,0 mm 140,0 mm

CAÇAMBA 90,0mm 11,0mm 63,0mm 115,0mm

LANÇA 110,0 mm 13,0 mm 76,0 mm 140,0 mm

DX300LC BRAÇO 120,0 mm 13,0 mm 85,0 mm 150,0 mm BRAÇO PADRÃO

CAÇAMBA 110,0 mm 13,0 mm 76,0 mm 140,0 mm CAÇAMBA PADRÃO

LANÇA 120,0 mm 13,0 mm 85,0 mm 150,0 mm LANÇA OPC

DX340LC BRAÇO 130,0 mm 13,0 mm 93,0 mm 165,0 mm BRAÇO OPC

CAÇAMBA 120,0 mm 13,0 mm 85,0 mm 150,0 mm CAÇAMBA OPC

LANÇA 130,0 mm 13,0 mm 93,0 mm 165,0 mm

DX420LC BRAÇO 130,0 mm 13,0 mm 93,0 mm 165,0 mm

CAÇAMBA 130,0 mm 13,0 mm 93,0 mm 165,0 mm

Cilindros SP000914
Página 15
Dispositivo para bucha de aço

Figura 8

Material: SM45C que passa por refino térmico <QT> Hrc 22 - 28


Chanfro Indefinido C/R = 0.5 Max.
1 Local: Finalmente trabalho para usado Ponta DNMG <Ponta R0.4>

Cilindros SP000914
Página 16
MODELO
MODELO CILINDRO øB E Peça
(CILINDRO)

LANÇA 80,0 mm 95,0 mm 40,0 mm 6,5 mm

DX225LC BRAÇO 80,0 mm 95,0 mm 40,0 mm 6,5 mm

CAÇAMBA 80,0 mm 95,0 mm 40,0 mm 6,5 mm

LANÇA 80,0 mm 95,0 mm 40,0 mm 6,5 mm

DX225NLC BRAÇO 80,0 mm 95,0 mm 40,0 mm 6,5 mm

CAÇAMBA 80,0 mm 95,0 mm 40,0 mm 6,5 mm

LANÇA 80,0 mm 95,0 mm 40,0 mm 6,5 mm

DX225LCA BRAÇO 80,0 mm 95,0 mm 40,0 mm 6,5 mm

CAÇAMBA 80,0 mm 95,0 mm 40,0 mm 6,5 mm

LANÇA 90,0 mm 105,0 mm 40,0 mm 7,0 mm

DX300LC BRAÇO 90,0 mm 105,0 mm 40,0 mm 6,5 mm BRAÇO PADRÃO

CAÇAMBA
CAÇAMBA 90,0 mm 105,0 mm 40,0 mm 7,0 mm
PADRÃO

LANÇA 100,0mm 115,0mm 45,0mm 7,5mm LANÇA OPC

DX340LC BRAÇO 100,0mm 115,0mm 45,0mm 7,5mm BRAÇO OPC

CAÇAMBA 100,0mm 115,0mm 45,0mm 7,5mm CAÇAMBA OPC

LANÇA 110,0mm 130,0mm 70,0mm 11,0mm

DX420LC BRAÇO 110,0mm 130,0mm 70,0mm 11,0mm

CAÇAMBA 110,0mm 130,0mm 70,0mm 11,0mm

Cilindros SP000914
Página 17
Dispositivo para limpador de pó

Figura 9

Material: SM45C que passa por refino térmico <QT> Hrc 22 - 28


Chanfro Indefinido C/R = 0.5 Max.
1 Local: Finalmente trabalho para usado Ponta DNMG <POnta R0.4>

Cilindros SP000914
Página 18
MODELO CILINDRO D MODELO (CILINDRO)

LANÇA 100,0 mm 114,0 mm 6,0 mm 7,0 mm

DX225LC BRAÇO 100,0 mm 114,0 mm 6,0 mm 7,0 mm

CAÇAMBA 80,0 mm 94,0 mm 6,0 mm 7,0 mm

LANÇA 100,0 mm 114,0 mm 6,0 mm 7,0 mm

DX225NLC BRAÇO 100,0 mm 114,0 mm 6,0 mm 7,0 mm

CAÇAMBA 80,0 mm 94,0 mm 6,0 mm 7,0 mm

LANÇA 100,0 mm 114,0 mm 6,0 mm 7,0 mm

DX225LCA BRAÇO 100,0 mm 114,0 mm 6,0 mm 7,0 mm

CAÇAMBA 80,0 mm 94,0 mm 6,0 mm 7,0 mm

LANÇA 95,0 mm 109,0 mm 6,0 mm 7,0 mm

DX300LC BRAÇO 105,0 mm 121,0 mm 6,0 mm 7,0 mm BRAÇO PADRÃO

CAÇAMBA 90,0 mm 104,0 mm 6,0 mm 7,0 mm CAÇAMBA PADRÃO

LANÇA 100,0 mm 114,0 mm 6,0 mm 7,0 mm LANÇA OPC

DX340LC BRAÇO 115,0 mm 131,0 mm 6,0 mm 7,0 mm BRAÇO OPC

CAÇAMBA 100,0 mm 114,0 mm 6,0 mm 7,0 mm CAÇAMBA OPC

LANÇA 115,0 mm 131,0 mm 6,0 mm 7,0 mm

DX420LC BRAÇO 120,0 mm 136,0 mm 6,0 mm 7,0 mm

CAÇAMBA 110,0 mm 126,0 mm 6,0 mm 7,0 mm

Cilindros SP000914
Página 19
Dispositivo para vedador de óleo

Figura 10

Cilindros SP000914
Página 20
MODELO CILINDRO MODELO (CILINDRO)

LANÇA 140,0 mm 28,5 mm

DX225LC BRAÇO 150,0 mm 28,5 mm

CAÇAMBA 120,0 mm 28,5 mm

LANÇA 140,0 mm 28,5 mm

DX225NLC BRAÇO 150,0 mm 28,5 mm

CAÇAMBA 120,0 mm 28,5 mm

LANÇA 140,0 mm 28,5 mm

DX225LCA BRAÇO 150,0 mm 28,5 mm

CAÇAMBA 120,0 mm 28,5 mm

LANÇA 140,0 mm 28,5 mm

DX300LC BRAÇO 150,0 mm 28,5 mm BRAÇO PADRÃO

CAÇAMBA 140,0 mm 28,5 mm ÇAMBA PADRÃO

LANÇA 150,0 mm 28,5 mm LANÇA OPC

DX340LC BRAÇO 170,0 mm 34,5 mm BRAÇO OPC

CAÇAMBA 150,0 mm 28,5 mm CAÇAMBA OPC

LANÇA 165,0 mm 34,5 mm LANÇA OPC

DX420LC 180,0mm
BRAÇO 41,5 mm BRAÇO OPC

CAÇAMBA 160,0 mm 34,5 mm CAÇAMBA OPC

Cilindros SP000914
Página 21
Dispositivo para desempeno de vedador de óleo

Figura 11

Cilindros SP000914
Página 22
MODELO CILINDRO MODELO (CILINDRO)

LANÇA 140,0mm

DX225LC BRAÇO 150,0mm

CAÇAMBA 120,0mm

LANÇA 140,0mm

DX225NLC BRAÇO 150,0mm

CAÇAMBA 120,0mm

LANÇA 140,0mm

DX225LCA BRAÇO 150,0mm

CAÇAMBA 120,0mm

LANÇA 140,0mm

DX300LC BRAÇO 150,0mm BRAÇO PADRÃO

CAÇAMBA 140,0mm CAÇAMBA PADRÃO

LANÇA 150,0mm LANÇA OPC

DX340LC BRAÇO 170,0mm BRAÇO OPC

CAÇAMBA 150,0mm CAÇAMBA OPC

LANÇA 165,0mm LANÇA OPC

DX420LC BRAÇO 180,0mm BRAÇO OPC

CAÇAMBA 160,0mm CAÇAMBA OPC

Cilindros SP000914
Página 23
DESMONTAGEM

ATENÇÃO!
Sangre o sistema hidráulico antes de desconectar as
conexões dos tubos dos cilindros. Use a alavanca no
reservatório com o motor funcionando. Descarregue o
acumulador hidráulico e remova a pressão residual do
tanque após desligar o motor. Despeje fluido de
reposição limpo no sistema se a perda foi perdida.

1. Após remover o cilindro da escavadeira, coloque-o


sobre uma bancada firme e drene o óleo. Gire o
cilindro deixando os orifícios dos tubos no topo para
eliminar o ar preso.

Figura 12

2. Posicione a haste do pistão de modo que se estenda


aprox. meio metro (20")

Figura 13

3. Remova os parafusos (27) na extremidade do cilindro.


NOTA: Enrole um tecido ou outro material protetor ao
redor da haste do pistão para evitar riscos e
arranhões superficiais durante a remoção dos
fixadores. As peças (números em parênteses)
estão listadas na Figura 4.

Figura 14

Cilindros SP000914
Página 24
4. Monte dois parafusos na tampa da cabeça do
cilindro, separados 180º. Aperte-os uniformemente
parta soltar a tampa de extremidade da haste do pistão
da borda da parede do cilindro. Verifique se há folga
adequada entre a tampa e a extremidade da parede
do cilindro antes de usar um martelo de plástico ou
semelhante para desmontagem final.

Figura 15

5. Comece a remover o conjunto da haste do pistão do


cilindro. Fixe um suporte de levantamento quando 1/3
final da haste ainda se encontra dentro do cilindro.
Prepare blocos de suporte para a haste do pistão
antes que seja completamente removida.

Figura 16

6. Abaixe a haste do pistão nos blocos de suporte e


remova o anel de desgaste (superfície externa) da
extremidade da haste.

Figura 17

7. Imobilize a haste do pistão inserindo um suporte de


madeira ou de metal semelhante, que não cause
riscos, pela extremidade da haste.

Figura 18

Cilindros SP000914
Página 25
8. Remova o parafuso de fixação com uma chave de
encaixe.

Figura 19

9. Faça ou compre uma porca para desmontagem da


porca do pistão. (As dimensões constam no início
deste procedimento. Essa ferramenta também pode ser
solicitada através do distribuidor de peças DOOSAN
local). Remova a porca da extremidade do pistão

Figura 20

10. Use a segunda ferramenta de pistão como descrito


no início deste procedimento para separar o pistão.
Remova o anel amortecedor (16) com cuidado para não
danificá-lo.

Figura 21

11. Use um martelo plástico para remover uniformemente a


tampa (5) da extremidade da haste do pistão. Cuidado
para não danificar a bucha da haste (6) e o limpador de
pó, a gaxeta-U e outros vedadores.

Figura 22

Cilindros SP000914
Página 26
12. Use uma ferramenta de ponta cega para desmontar o
anel-O 13 e o anel de encosto (14).

Figura 23

13. Use uma chave de fenda apropriada para facilitar a


remoção do vedador de óleo (18), anel de desgaste
(19) e anel de óleo (20) do pistão (17).

Figura 24

14. Remova o anel-O (21) e o anel de encosto (22) da


cabeça do cilindro.

Figura 25

15. Durante a desmontagem da cabeça do cilindro, tenha


cuidado ara não danificar o vedador de amortecimento
(8) e a gaxeta “U” (9).

Figura 26

Cilindros SP000914
Página 27
16. Desmonte o anel de fixação (12 e o limpador de
pó (11). Separe o anel de fixação (7) e a bucha da
haste (6).

Figura 27

17. Extraia a bucha do pino (2), (4) do corpo do cilindro.

Figura 28

Cilindros SP000914
Página 28
REMONTAGEM

IMPORTANTE
Substitua qualquer peça com defeito ou desgaste
excessivo. Recomenda-se com ênfase a troca de todos
os anéis-O e vedadores flexíveis Antes de iniciar o
procedimento de remontagem do cilindro, todas as
peças devem ser totalmente limpas e secas e/ou pré-
lubrificadas com fluido hidráulico limpo. Prepare a área
de trabalho antecipadamente para manter a limpeza
durante o procedimento de remontagem.

NOTA: Remonte os subconjuntos do cilindro na seguinte


ordem:
1. Corpo do cilindro.
2. Haste do pistão.
3. Conjunto do pistão.
4. Conjunto da cabeça do cilindro.
1. Remonte a bucha do pino (2), (4) na haste do pistão e
corpo do cilindro.

Figura 29

2. Após a remontagem dos componentes da tampa da


haste, instale o limpador de pó (11) e a bucha da haste
(6) na tampa da haste (5). Instale os anéis de fixação
(7 e 12).

Figura 30

Cilindros SP000914
Página 29
3. Pré-lubrifique os anéis-O e vedadores antes da
remontagem (Figura 31).

Figura 31

4. Antes de iniciar a reconstruir o conjunto do pistão,


aqueça o vedador de óleo por 5 minutos em banho de
óleo aquecido a 150° - 180°C (302° - 356°F). Use um
Dispositivo de vedador de óleo especial (terceiro item
na lista de ferramentas especiais no início deste
procedimento) para fixar o vedador. Resfrie o vedador
empurrando contra ele um dispositivo retrátil por vários
minutos. Aplique uma tira de fita de vedação
transparente limpa ao redor do vedador de óleo para
mantê-lo livre de pó.

Figura 32

5. Imobilize a haste do pistão sobre blocos de apoio


sólidos. Monte o anel-O (21) e o anel de encosto (22).
Prepare para fixar o conjunto da tampa da haste na
haste do pistão. Empurre a tampa da haste apertando
a porca do pistão (23).

Figura 33

6. Monte o anel amortecedor (16) e fixe o conjunto do


pistão na haste do pistão.

Figura 34

Cilindros SP000914
Página 30
7. Use a ferramenta especial feita localmente ou
comprada para apertar a porca do pistão (23).

Figura 35

8. Monte o anel de desgaste (19), o anel deslizante (20)


e o parafuso de fixação (24) no conjunto do pistão.

Número de
Descrição
Referência
1 Parafuso de fixação

Figura 36

9. Imobilize o corpo do cilindro antes da remontagem.

Figura 37

Pré-aplique o composto de trava (Loctite nª 242 ou 243 ou


produto equivalente de outro fabricante) em todos os
parafusos de fixação da tampa de extremidade. Enrole um
amortecedor de proteção ao redor da extremidade da haste
enquanto mantém os fixadores, para evitar possível dano da
superfície polida da haste, no caso de uma chave
escorregar durante o reaperto.

Figura 38

Cilindros SP000914
Página 31
Cilindros SP000914
Página 32
SP000194

Motor do giro

1ª edição

Motor do giro SP000194


Página 1
ANOTAÇÕES

Motor do giro SP000194


Página 2
Índice

Motor do giro

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ...................................5


MODELOS APLICÁVEIS ..................................................5
MANUAL DE OPERAÇÃO................................................7
Informação sobre marcação ........................................................... 7
Especificações ................................................................................ 8
Estrutura e princípios de operação ...................................9
Precauções ................................................................................... 16
INSTRUÇÕES DE MANUTENÇÃO................................23
Desmontagem e montagem.......................................................... 23
Manutenção .................................................................................. 35

Motor do giro SP000194


Página 3
ANOTAÇÕES

Motor do giro SP000194


Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5001 e acima
DX225NLC 5001 e acima
DX225LCA 5167 e acima
DX480LC 5001 e acima
DX520LC 5001 e acima

Motor do giro SP000194


Página 5
Motor do giro SP000194
Página 6
MANUAL DE OPERAÇÃO
Informação sobre marcação

Ajuste
pressão de
Válvula de alívio

Número de projeto

Tipo de espec.
A. Espec. do giro

Formato da extremidade do eixo


10: Estria macho
20: Estria fêmea

Se há ou não um dispositivo auxiliar.


B : Freio mecânico instalado

Tipo de tampa de válvula


Capacidade
64 : 64,0 cc/rot.
72 : 72,0 cc/rot.
86 : 86,0 cc/rot.
128 : 127,9 cc/rot.
140 : 140,5 cc/rot.

Tipo de motor

Motor do giro SP000194


Página 7
Especificações

Tipos TSM64 TSM72 TSM86 TSM128 TSM140


Capacidade teórica 64 72 86 127.9 140.5
Pressão Nominal 330 330 330 330 330
(kg/cm2) Máxima 400 400 400 400 400
Núm. máx. de rotações (min) 2500 2200 1900 2000 1800
Torque de saída teórico (kgf m) 33.6 37.8 45.1 67.1 73.7
Potência de saída teórica (kW) 75.8 85.2 86.0 134.2 134.5
Torque do freio (kgfm) 36.8 36.8 36.8 70 70
Pressão de desaplicação do
24 24 24 26 26
(kgf/cm2) freio
Peso (kgf) 42.3 42.3 42.3 62 62

NOTA: 1 significa valores da pressão nominal.


2 significa valores da pressão nominal e rotação
máxima..
NOTA: A série TSM140 pode manejar até 140,5 cc/rot
por meio da modificação da área da placa
oscilante.

Motor do giro SP000914


Página 8
Estrutura e princípios de
operação

Estrutura

Figura 1

Motor do giro SP000194


Página 9
Número de Número de
Descrição Descrição
Referência Referência
101 Alojamento V/V 209 Rolete
102 Bujão 210 Arruela
103 Batente A 211 Batente A
104 Êmbolo 212 Anel trava
105 Conjunto válvula S/R 213 Placa de válvula
106 Anel-O 301 Alojamento
107 Válvula de alívio 302 Vedador de óleo
108 Rolamento de esferas 303 Rolamento de esferas
109 Parafuso sextavado 304 Pino paralelo
110 Bujão VP 305 Placa de separação
111 Anel-O 306 Placa de atrito
112 Anel-O 307 Anel-O
113 Pino elástico 308 Anel-O
201 Eixo de acionamento 309 Pistão de freio
202 Placa oscilante 310 Mola de freio
203 Sapata 311 Bujão PT
204 Pistão 312 Bujão PT
205 Bloco de cilindros 400 Parafuso sextavado
206 Esfera de encosto 401 Placa de identificação
207 Placa de retenção 402 Parafuso de rebite
208 Colar

Motor do giro SP000194


Página 10
Princípios de operação

1. Motor hidráulico
A pressão hidráulica que atua sobre o pistão gera uma
força F ao longo da direção do eixo quando o óleo em
alta pressão circula para o bloco de cilindros através do
orifício da entrada da placa da válvula (1) como
mostrado na figura abaixo. A força F é o vetor dividido
através da sapata (2) numa força, F1, perpendicular à
placa oscilante e uma força F perpendicular ao eixo
geométrico. A força F2 é transferida ao bloco de
cilindros (4) mediante o pistão, gerando um torque de
giro do eixo de saída.
O bloco de cilindros tem 9 pistões dispostos no mesmo
intervalo e o torque de giro é transferido em ordem ao
eixo de saída através de vários pistões conectados ao
orifício na entrada do óleo de alta pressão.
A inversão de direção do fluxo de óleo também inverte
a direção de giro do eixo de saída.

P : Pressão diferencial efetiva (kgf/cm2)


q : Capacidade por rotação (cc/rot)

Modo de baixa pressão Modo de alta pressão

Placa oscilante (3) Sapata (2) Pistão Bloco de cilindros O orifício do eixo de saída O orifício do eixo de saída

Figura 2

Motor do giro SP000194


Página 11
2. Carcaça da válvula
A. Subconjunto da válvula de retenção
anticavitação
A rotação do motor é quase sempre superior à
permitida pelo fluxo do óleo porque o sistema com
um motor como este não tem válvula com função
de contrabalanço. ORIFÍCIO C

Para evitar cavitação devido à falta de óleo, ele


compensa a falta por meio da válvula de retenção.
B. Subconjunto da válvula de alívio: KRD22EK10C VÁLVULA DE CONTROLE

(Veja a Fig. 4, página 12.) Figura 3


Aqui, vamos considerar que o orifício P está
pressurizado pela pressão do tanque.
Os orifícios P e R estão no estado mostrado na Fig.
3 – (1) pela pressão do tanque. A válvula de alívio
começa a funcionar quando a força determinada
pela área de pressão hidráulica (A1) do pistão
(301) vezes a pressão P1 é igual à soma da força
da mola (321) (Fsp) e a força determinada pelo
pistão (301) vezes a área de pressão hidráulica
(A2) da pressão Pg da câmara g.
Aqui, Pg é a pressão da câmara gh sob a pressão
do óleo que passou pelo orifício m, que começa a
mover o lado esquerdo do pistão quando atinge a
pressão determinada pela mola (321)
pressionando o pistão (302).

Conforme o pistão (302) começa a se mover para a


esquerda, a câmara h atua como câmara amortecedora
pelo orifício (2) instalado na lateral do bujão de ajuste
(401) e o pistão (302).
Assim, a pressão na câmara h aumenta suavemente
até que o pistão (302) atinge o fim da parte do bujão de
ajuste (401). [Fig. 3-(2)]
Quando o pistão (302) chega à parte final do bujão de
ajuste (401), não se move mais que a pressão na
câmara h será Ps e a força da mola (321) Fsp. [Fig. 3-
(3)] Assim, a pressão P muda como mostrado na Fig. 3-
(4). A pressão resultante (Ps) pode ser obtida com a
seguinte fórmula>

Motor do giro SP000194


Página 12
MOLA (321) PISTÃO (302)

ORIFÍCIO P

ORIFÍCIO P
PRESSÃO : P1

PRESSÃO PISTÃO (301) bujão de ajuste (401)


HIDRÁULICA PRESSÃO HIDRÁULICA
ÁREA (A1) ÁREA(A2)
(Pressão: Pg)

PRESSÃO : PS

PRESSÃO : PS

Figura 4

Motor do giro SP000194


Página 13
3. Subconjunto da válvula sem reação
O óleo sob pressão começa a circular para o orifício A
(ou B) do motor do óleo sob pressão conforme a
válvula de mudança de direção do motor do giro muda
e a válvula cônica da válvula sem reação se move para
o lado direito para parar o canal de derivação e acionar
o corpo do giro.
A seguir, a válvula de mudança de direção retorna à
posição central, ambos os orifícios do motor hidráulico
são bloqueados mas o corpo do giro logo interrompe
seu movimento giratório devido à sua inércia cuja força
é transferida para o motor hidráulico por meio do
redutor, que o orifício B (ou A) gera a pressão de freio
para parar o corpo do giro e depois tentar girá-lo na
direção inversa.
Essa pressão do freio para o motor do giro e depois faz
com que ele gire na direção inversa e a pressão no
orifício B faz a válvula cônica mudar parta a esquerda,
o que será retardado pelo orifício do tomada A. Neste
caso gera-se um canal de derivação entre os orifícios A
e B e o óleo sob pressão do orifício B flui para o orifício
A através do canal de derivação.
E a válvula cônica no orifício B se move para a
esquerda até parar o canal de derivação. [Fig. 5-(3)]
Como tal, a reação é evitada e o motor do giro para
imediatamente contornando o óleo sob pressão para o
orifício A quando gera-se pressão inversa no orifício B.

Motor do giro SP000194


Página 14
ENTRADA MOTOR SAÍDA MOTOR

Orifício A Orifício B

ORIFÍCIO POPPET
CANAL DE DERIVAÇÃO

Figura 5

Subconjunto do freio
O bloco de cilindros (205) consiste do eixo de acionamento
(201) e da estria.
O disco espaçador (305) é mantido sem girar na direção
cilíndrica pela abertura em arco processada na carcaça.
Ocorre uma força de atrito entre o disco de atrito (300) na
combinação de dentes na circunferência do cilindro e a
carcaça (301), o disco espaçador (305) e o pistão do freio
(309) quando o disco de atrito é pressionada contra a
carcaça por meio do disco espaçador e o pistão do freio.
Essa força de atrito restringe o eixo de acionamento e aplica
o freio.
Enquanto isso, o pistão do freio se desloca e o disco de
atrito é separada da carcaça para desaplicar o freio, à
medida que a força de pressão do óleo vence a força da
mola, aplicando uma força de desaplicação à câmara de
óleo formada entre o pistão do freio e a carcaça.

Motor do giro SP000194


Página 15
FORÇA DE PRESSÃO
FORÇA DA MOLA

Câmara de óleo

Figura 5

Precauções
Pontos de verificação
Antes de instalar um motor novo, verifique se
 Está danificado ou faltam peças durante a
transferência.
 Cada junta está firmemente apertada, e
 O flange e a tampa do orifício de drenagem estão
firmemente apertados e isentos de sujeira e pó.

Direção de giro
A Fig. 7 e a Tabela 3 (página 16) mostram a relação entre a
direção do fluxo do óleo e a rotação do eixo. A direção de
rotação depende da direção de inclinação da carcaça. Tome
cuidado com a direção de giro porque ela depende do
formato da carcaça e da direção do flange.

Motor do giro SP000194


Página 16
AVANTE DIREÇÃO DIREÇÃO INVERSA
(M fixado na extremidade
do tipo)
Figura 7

Direção de rotação do eixo vista da


Direções Entradas Saídas
extremidade do eixo
Direção avante A B Horário
Direção inversa (M fixado na
B A Anti-horário
extremidade do tipo)

Carga externa sobre a extremidade do eixo

Em princípio a extremidade do eixo do motor não deve


receber cargas radiais externas nem de empuxo.

Óleo ativo e faixa de temperatura

1. Tipo de óleo
Geralmente recomenda-se usar óleo ativo hidráulico
mineral mas com aditivos de extrema pressão,
antiespumante, antioxidante e à prova de umidade
bem como alto coeficiente de viscosidade.
2. Viscosidade e temperatura ideais do óleo ativo
A faixa de viscosidade permitida fica entre 10 e 1000
cSt mas recomenda-se de 10 a 200 cSt para máxima
eficiência.
A faixa de temperatura é limitada entre -25ºC e 100ºC
considerando o vedador de óleo e anel-O
Para a temperatura de operação, recomenda-se no
máximo 60ºC levando em consideração a degradação
do óleo ativo e dos vedadores.

Motor do giro SP000194


Página 17
Limite de viscosidade alto

Limite de viscosidade alto


Limite de viscosidade baixo

Faixa utilizável
recomendada

Limite de Viscosidade Baixo

Figura 8

3. Óleo ativo que não o óleo mineral


Se você vai usar óleo ativo à base de ácido fosfórico,
água-glicol, ou graxo, entre em contato conosco.

Filtro
Para evitar a presença de terra, sujeira, partículas metálicas
no óleo ativo que facilitam o desgaste de peças deslizantes
ou as tornam pegajosas ou derretidas, os filtros devem ser
instalados no circuito de 10μ.
O nível de contaminação recomendado a abaixo do grau 8
da NAS ou 2-4 mg/1 00c pela Millipore Filter Contamination.

Motor do giro SP000194


Página 18
Instalação e Tubulação
1. Basicamente o motor deve ser instalado de forma que
seu eixo geométrico aponte para baixo.
2. A descentralização das peças acionadas deve ser
igual a ou inferior 0,05 mm
3. O toque a ser usado no motor e nos suportes deve ser
decidido considerando-se as medidas externas.
4. A carcaça deve estar sempre cheia de óleo.
drenagem do motor deve ficar numa posição como
mostrado na Fig., 9 de modo que a carcaça possa ficar
cheia de óleo.
5. A pressão permitida na carcaça é de até 3 kgf/cm2,
mas recomendamos 2 kgf/cm2
6. Os tubos devem ser lavados o suficiente mas não é
permitido jateamento.
7. A tubulação deve ser instalada de modo que não Figura 9
receba sobrecarga.
8. Para a tubulação de drenagem, use tubos maiores do
que o orifício do motor mas o mais curtos possível.

Enchimento e descarga
1. Encha a carcaça com óleo através do orifício de
drenagem antes da operação. O motor tem
componentes deslizantes rápidos tais como
rolamentos, pistões, sapatas e buchas redondas. Sem
óleo suficiente, esses componentes pode se queimar
ou danificar. O orifício PF ¼ da carcaça é usado como
descarga de ar.
2. O ar no circuito e o motor devem estar completamente
descarregados caso contrário podem ficar danificados.
Canal de
Descarga do
Precauções durante a partida Ar

1. Assegure-se de que toda a tubulação seja feita


corretamente.
2. Assegure-se de que a direção de rotação esteja
correta.
3. Não deve haver vazamento no motor. Figura 10
4. Não deve haver vibração anormal ao operar uma
válvula de mudança de direção ou durante a rotação.
5. A temperatura do óleo não deve ser aumentada de
modo anormal durante operação curta.
6. A pressão não deve mais alta ou mais baixa do que
seu ponto de ajuste.

Motor do giro SP000194


Página 19
Causa e soluções de problemas

Precauções gerais
Ao observar uma anormalidade durante a operação do
motor hidráulico, siga as instruções:
1. Antes do tratamento
Determine a natureza da anormalidade observada e
verifique se a mesma aconteceu antes. E analise
melhor a causa.
2. Para sujeira
Tome cuidado para não deixar sujeira entrar durante a
desmontagem, que é uma das causas mais frequentes
de atrito.
3. Manuseio de componentes
Cada componente é usinado com precisão e deve ser
manuseado com muito cuidado para não ficar
danificado.
4. Para qualquer trabalho, devem ser usados anéis-O e
juntas com faces sem defeito. E quanto aos anéis-O
recomenda-se trocá-los por novos após a
desmontagem.

Como verificar defeitos do motor


É muito importante encontrar as causas de problemas do
circuito hidráulico. Verifique os seguintes itens e determine
se as causa estão no próprio motor.
1. Verificação do óleo na carcaça
Separe o bujão de drenagem e verifique o óleo ativo na
carcaça;
2. Som anormal
Verifique se há som anormal no motor.
3. Medição de pressão em cada orifício
Meça a pressão em cada peça e verifique sua
anormalidade antes de iniciar a desmontagem ou o
procedimento de manutenção.
4. Medição do nível de drenagem do motor
A. Se o nível de drenagem estiver abaixo de 25
l/min, está normal ao aplicar pressão de óleo
após bloquear o giro.
B. Se o nível de drenagem estiver abaixo de 2 l/min,
é normal durante giro normal.

Motor do giro SP000194


Página 20
Sintomas e soluções de problemas

O motor hidráulico não gira

Sintomas Causas Soluções


A pressão não sobe. A válvula de alívio do circuito não está Ajuste a válvula de alívio no
corretamente assentada. valor correto.
Mau funcionamento da válvula de alívio.
 Êmbolo preso, ou  Repare ou troque a peça
 O orifício de estrangulamento presa.
do êmbolo está bloqueado.  Desmonte e lave.
Defeito na sede do êmbolo. Verifique a sede e troque-a se
necessário.
Sobrecarga. Alivie a sobrecarga.
Peça móvel presa; Verifique e repare o pistão/sapata,
bloco de cilindros, placa de válvula,
etc.
Pressão de alívio não aplicada ao
A pressão aumenta freio.  Verifique e repare os
circuitos.
 Verifique a válvula de
mudança do freio.
Pistão do freio preso. Desmonte a verifique.
Placa de atrito presa. Desmonte a verifique.
Troque a peça presa.

Rotação inversa

Sintomas Causas Soluções


Motor com direção de rotação inversa Consulte a Fig. 5 e ajuste a
ajustada. direção corretamente.
Rotação inversa
Entrada e saída da tubulação Corrija a tubulação.
estão invertidas.

Rotação inferior ao ponto de ajuste

Sintomas Causas Soluções


Fluxo de entrada de óleo insuficiente Verifique as bombas, o volume de
descarga e os circuitos até o
motor.
Rotação inferior ao
ponto de ajuste Temperatura alta e vazamento Reduza a temperatura do óleo.
excessivo.
Desgaste ou dano das peças
Troque.
deslizantes.

Motor do giro SP000194


Página 21
Torque de frenagem insuficiente

Sintomas Causas Soluções


Placa de atrito gasta. Desmonte a verifique.
Se excessivamente gasta, troque.
Pistão de freio preso.Pistão do freio
Desmonte a verifique.
preso.
Torque de frenagem
insuficiente Pressão de descarga do freio não Verifique e repare os circuitos.
descarregada. Verifique a válvula de mudança do
freio.
A estria da placa de atrito está Desmonte a verifique. Troque as
danificada. peças danificadas.

Deslizamento excessivo do motor hidráulico


Verifique a quantidade de dreno do motor hidráulico.
O motor pode ser considerado normal se estiver aprox. 500 cc/min (1 pint)

Sintomas Causas Soluções


O motor hidráulico Funcionamento anormal da válvula de Igual a 1) acima.
sobre deslizamento alívio.
excessivo quando Igual a 1) acima.
recebe torque externo Defeito na sede do êmbolo. Substitua

Vazamento
Vazamento pelo vedador de óleo

Sintomas Causas Soluções


Dano devido a pó no lábio. Mesmo
Troque o vedador de óleo.
que 1) acima
Troque as posições do lábio do
Eixo danificado ou gasto
Vazamento pelo vedador e o eixo ou troque-os.
vedador de óleo O lábio do vedador estão invertido
Repare a tubulação de drenagem
devido a pressão excessivamente
bloqueada.
alta na carcaça.
O eixo está enferrujado. Desmonte e repare.

Vazamento pelas peças de deslizamento combinadas

Sintomas Causas Soluções


O anel-O não está inserido. Insira e repare o anel-O.
Vazamento pelas O anel-O está danificado. Troque.
peças de A superfície do vedador está
deslizamento Desmonte e repare.
danificada.
combinadas
Parafuso solto ou quebrado. Aperte com o torque especificado ou
troque.

Motor do giro SP000194


Página 22
INSTRUÇÕES DE MANUTENÇÃO
Desmontagem e montagem
Torque de aperto dos parafusos

Tamanhos dos
Nomes Torques (kgf cm) Ref. nº de peças
parafusos

M6 Parafuso sextavado 120 ± 20 400


M20 Parafuso sextavado 4400 ± 660 109
M22 Bujão Ro 1100 ± 100 105
M36 Bujão Ro 2450 ± 250 105
PGF 1/4 Bujão 370 ± 20 111
M33 Válvula de alívio 1 800 ± 100 105

Ferramentas usadas para desmontagem e montagem

Largura entre
Nomes Tamanhos Peças aplicadas Ferramentas
faces
Parafuso Válvula de mudança para
M6 10 Chave sextavada
sextavado freio
Parafuso M20 17 Chave de barra
Bujão M22 10 Bujão Ro Chave de barra
Bujão M36 17 Bujão Ro Chave de barra

Bujão PGF 1/4 19 Bujão VP Chave sextavada

M33 36 Válvula de alívio Chave sextavada

Ferramentas Unidades
Alicate Diâmetro 065
Mandril 2, chato
Barra de aço 1, aprox. 10x8x200
Martelo 1 plástico e metal cada
Faixa de torques
※100 - 450 kgf • cm
Torquímetro
※ 400 - 1800 kgf • cm
※ 1200 - 4800 kgf•cm

Alicate de rolamento de sacador


tipo martelo deslizante

Ferramenta para pistão de freio Veja a Página 25.

Motor do giro SP000194


Página 23
(Comprimento Efetivo da Rosca: 20)

Figura 11 (Ferramenta para desmontagem de pistão de freio)

Motor do giro SP000194


Página 24
Desmontagem
O motor deve ser desmontado na seguinte ordem. Os
números entre parêntese indicam aqueles mostrados no
Diagrama de Montagem
1. Enrole o motor, use um guindaste para levantá-lo, lave-
o com óleo para limpeza e seque-o com ar comprimido.
2. Descarregue óleo na carcaça (301) pelo orifício de
drenagem.
3. Coloque o motor com o eixo de acionamento (201)
voltado parta baixo para facilitar a desmontagem.
• Marque as peças da carcaça (301) e a carcaça da
válvula (101) a engatar.

Figura 12

4. Separe a válvula do freio (400).

Figura 13

5. Solte e remova a válvula de alívio (107) da carcaça


(101).

Figura 14

Motor do giro SP000194


Página 25
6. Separe o bujão (102) da carcaça da válvula (101) e
desmonte a mola (103) e o pistão (104).

Figura 15

7. Desmonte o conjunto S/R V/V (105) da carcaça da


válvula (101).

Figura 16

8. Solte e remova os parafusos soque (109, 110) da


carcaça da válvula (101). (Depois de remover os
parafusos com a força da mola de freio (310), a carcaça
da válvula separa-se da carcaça automaticamente)
Separe a placa de válvula (213) da carcaça da válvula
(101).

Figura 17

9. Remova a mola de freio (310) do pistão dó freio (309).

Figura 18

Motor do giro SP000194


Página 26
10. Use uma ferramenta para remover o pistão do freio
(309) da carcaça.
Use um orifício roscado puxe reto para cima.

Figura 19

11. Coloque o motor na horizontal e separa o bloco de


cilindros (205) do eixo de acionamento (201). A seguir
remova os conjuntos de pistão (203, 204) o retentor
(207), a esfera de encosto (206) e o rolamento do colar
(209). Tome cuidado ao remover o bloco de cilindros
(205) para que não caia. Também as peças deslizantes
do bloco de cilindros, a esfera de encosto, as sapatas,
etc. não devem ser danificadas. Não remova as 2
arruelas (210), a mola (211) e o anel de retenção (212).]

Figura 20

12. Separe 2 discos de atrito (306) e 3 discos espaçadores


(305) da carcaça (301).
(Para TSM72 : 4 discos espaçadores e 3 discos de
atrito)

Figura 21

10. Use um martelo de cabeça plástica para golpear a face


do eixo da carcaça para desmontar o eixo de
acionamento (201) consistindo da placa oscilante (202)
e o rolamento de esferas (303). Tome cuidado para não
danificar o vedador de óleo ao separar o eixo de
acionamento da carcaça.

Figura 22

Motor do giro SP000194


Página 27
14. Execute os procedimentos a seguir
conforme necessário.
A. Remova o pino paralelo (304) da carcaça.

Figura 23

B. Remova o rolamento de esferas (303) do eixo de PRENSA


acionamento (201). Não reutilize o rolamento
removido. EIXO DE
ACIONAMENTO

ROLAMENTO
DE ESFERAS

Pista interna do
rolamento alta na base
da prensa

Figura 24

C. Use uma ferramenta para separar da carcaça (301) PRENSA


o vedador de óleo (302) que não deve ser CARCAÇA DO
BARRA DE AÇO VEDADOR DE ÓLEO
reutilizado.

Figura 25

D. Remova o rolamento de esferas (303) da


carcaça da válvula.

Agora a desmontagem pode ser feita. Verifique


todos os componentes com cuidado quanto a
possíveis defeitos.

Figura 26

Motor do giro SP000194


Página 28
Montagem
Faz-se a montagem na ordem inversa da desmontagem
descrita acima, considerando os seguintes pontos:
1. As peças danificadas durante a desmontagem devem
ser reparadas sem falta e as peças sobressalentes
devem ser preparadas antecipadamente.
2. Toda peça deve ser limpa o suficiente com óleo para
limpeza e secada com ar comprimido antes de iniciar a
montagem.
3. Nas peças deslizantes deve ser aplicado óleo ativo
limpo antes da montagem.
4. As peças de vedação do anel-O e o vedador de óleo
devem ser trocadas conforme as normas.
5. Use um torquímetro para apertar ou enroscar parafusos
e bujões conforme os torques de referência como
mostrado na Tabela 1.

A ordem de montagem é a seguinte:

1. Coloque a carcaça (301) em local apropriado.

Figura 27

2. (Este procedimento é necessário quando o vedador de


óleo é separado da caraça)
Use uma ferramenta para inserir o vedador de óleo
(302) na carcaça (301).
(Preste atenção na direção do vedador de óleo e
instale-o até o fim completamente).

Figura 28

Motor do giro SP000194


Página 29
3. (Este procedimento é necessário quando o rolamento
de esferas foi separado do eixo de acionamento).
Instale o rolamento de esferas (303) no eixo de
acionamento (201) por montagem forçada.

Figura 29

4. Instale o eixo de acionamento (101) com o rolamento


de esferas (303) na carcaça (301) com seu eixo de
saída voltando para cima e use um martelo para
golpear a superfície do rolamento de esferas para
dentro da carcaça). Neste ponto, aplique graxa no lábio
do vedador de óleo e instale-o cuidadosamente para
que não se danifique.
(Enrole uma fita ao redor da estria do eixo de
acionamento para evitar dano da estria devido ao lábio.
Golpeie a superfície da circunferência externa
uniformemente até o fim).
Figura 30

5. (Este procedimento é necessário quando o pino


paralelo foi removido da carcaça).
Instale o pino paralelo (304) na carcaça (301).

Figura 31

6. Monte a placa oscilante (202) na carcaça (301). (É fácil


montar quando a carcaça está na posição horizontal).

Figura 32

Motor do giro SP000194


Página 30
7. Instale o rolete (209) no bloco de cilindros (205).
[Verifique se o bloco de cilindros tem a arruela (210), a
mola (211) e o anel de retenção (212).] As peças
deslizantes do bloco de cilindros não devem ser
danificadas. Coloque um rolete no orifício.

Figura 33

8. Monte o colar (208) e a esfera de encosto (206) no


bloco de cilindros (205).

Figura 34

9. Monte o conjunto do pistão (203, 204) montando no


retentor (207) no bloco de cilindros (205).

Figura 35

10. Monte o bloco de cilindros (205) no eixo de


acionamento (201).
Neste ponto, arrume as fases da esfera de encosto e
do bloco de cilindros de modo que ele possa ser
inserido no eixo de acionamento mais facilmente.

Figura 36

Motor do giro SP000194


Página 31
11. Instale o disco espaçador (305) e depois o disco de
atrito (306) na carcaça (301). 3 discos espaçadores e 2
discos de atrito deverão ser montados. (Para montá-los
o atrito deve ter a mesma fase para suas peças onde 4
engrenagens são cortadas com a face para cima e para
baixo e efetuar o disco espaçador para suas peças
onde 4 garras são cortadas).
(Para TSM72 : 4 discos espaçadores e 3 discos de
atrito)

Figura 37

12. Instale os anéis-O (307, 308) na carcaça (301).


(Aplique graxa nos anéis-O para evitar quebra durante
a montagem no pistão de freio).

Figura 38

13. Monte o pistão de freio na carcaça (301). Se ele não for


bem montado devido a resistência do anel-O, enrosque
um parafuso sextavado M8 no pistão de freio e use um
martelo de plástico para golpear sua superfície
uniformemente.

Figura 39

14. Monte a mola de freio (310) no pistão de freio (309).


Assegure-se de que a mola deve assentar firmemente
no pistão de freio.

Figura 40

Motor do giro SP000194


Página 32
15. [Este procedimento é necessário se o rolamento de
esferas (108) foi desmontado)]. Use um martelo fixado
a uma barra de aço para golpear a superfície do
rolamento de esferas dentro da carcaça da válvula
(101).

Figura 41

16. Monte a placa da válvula (213) na carcaça da válvula


(101) e instale o anel-O (112). Aplique graxa na parte
de engate da placa da válvula (para evitar que caia).

Figura 42

17. Monte a carcaça da válvula (101) na carcaça (301) e


conecte com os parafusos soquete (109, 110). Preste
atenção na direção de montagem da carcaça da válvula
(e suas medidas externas).
Tome cuidado para que a placa da válvula não caia
junto com a mola do freio. Aperte os parafusos soque
uniformemente.

Figura 43

18. Instale o pistão (104) e a mola (103) na carcaça da


válvula (101) e enrosque o bujão (102) com o anel-O
(106) na carcaça da válvula (101). Assegure-se de que
o pistão se move livremente.

Figura 44

Motor do giro SP000194


Página 33
19. Monte o conjunto S/R V/V (105) na carcaça da válvula
(101). Verifique a mola no conjunto S/R V/V

Figura 45

20. Aplique graxa no anel-O na válvula de alívio (107) e a


instale na carcaça da válvula (101).

Figura 46

21. Use parafusos soque para conectar a válvula de freio


(400) e a carcaça (301).

Figura 47

Motor do giro SP000194


Página 34
Manutenção

Referências para troca de peças gastas


Troque ou reajuste as peças gasta mais do que as
referências como mostrado na tabela abaixo. Note que a
tabela não mostra referências a defeitos claramente visíveis.

Medidas
Para Padrões estimadas para Soluções
troca
Folga entre o pistão e o orifício do 0.025 0.055 Troque o pistão e/ou o bloco de
bloco de cilindros (0.036) (0.066) cilindros
Distância entre o pistão e a parte de 0.05 0.2 Troque o pistão e/ou o conjunto
compressão da sapata (5) da sapata
Espessura da sapata (t) 4.5 4.3 Troque o pistão e/ou o conjunto
(6.5) (6.2) da sapata
Altura (H-h) da placa de
10.8 10.3 Troque o conjunto da placa de
retenção montada e da esfera
(13.0) (12.5) retenção e a esfera de encosto.
de encosto
Espessura do disco de atrito 3.5 3.1 Troque.

Altura da placa de retenção montada e a esfera de


Folga entre o pistão e a sapata ( δ ) encosto: H-h

Referências de fixação de peças deslizantes

Troque ou reajuste as peças gastas cuja rugosidade seja


mais alta do que as referências como mostrado na tabela
abaixo.

Para Padrões de rugosidade superficial Medidas para troca


0.8 - Z(Ra=0.2)
Sapata 3 - Z(Ra=0.8)
(polimento)
0,4 - Z(Ra=0.2)
Placa oscilante 3 - Z(Ra=0.8)
(polimento)
1,6 - Z(Ra=0.2)
Cilindro 12,5 - Z(Ra=0.8)
(polimento)
0.8 - Z(Ra=0.2)
Placa de válvula 6.3 - Z(Ra=1 .6)
(polimento)

NOTA: Mantenha a rugosidade superficial de cada peça


deslizante abaixo dos padrões de rugosidade.
NOTA: Quando a parte deslizante do retentor ou uma
bucha redonda estiver muito áspera deve ser
substituída no conjunto.

Motor do giro SP000194


Página 35
Motor do giro SP000194
Página 36
SP0001621

Motor de
Deslocamento

1ª edição

Motor de Deslocamento SP001621


Página 1
ANOTAÇÕES

Motor de Deslocamento SP001621


Página 2
Índice

Motor de Deslocamento

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ...................................5


MODELOS APLICÁVEIS ..................................................5
MANUAL DE OPERAÇÃO TM40VD.................................6
Especificações Gerais .................................................................... 6
Legenda .......................................................................................... 7
Estrutura e diagrama básicos ......................................................... 8
Princípios de operação ................................................................... 9
Precauções ao usar ...................................................................... 16
Diagramas de especificações externas ........................................ 22
Estrutura e diagrama básicos ....................................................... 23
INSTRUÇÕES DE MANUTENÇÃO TM40VD.................26
Precauções ................................................................................... 26
Lista de ferramentas para desmontagem e remontagem ............. 27
Instruções de desmontagem......................................................... 30
REMONTAGEM ..............................................................41
Precauções gerais ........................................................................ 41
Procedimento de remontagem...................................................... 41
Teste ............................................................................................. 56
Lista de vedadores........................................................................ 58

Motor de Deslocamento SP001621


Página 3
ANOTAÇÕES

Motor de Deslocamento SP001621


Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5433 e acima
DX225LCA 5167 e acima

Motor de Deslocamento SP001621


Página 5
MANUAL DE OPERAÇÃO
TM40VD
Este Manual de Operação contém as informações
necessárias para uso da redução TM40VD.
Leia-o cuidadosamente antes de usar o produto.

A TM40VD é uma caixa de redução fixa ao motor hidráulico,


caracterizada por
1. Motor de deslocamento da escavadeira consistindo de
uma engrenagem de redução diferencial planetária,
motor de pistão axial e válvula de freio.
2. Pequena e leve com alto desempenho e boa
durabilidade.
3. Engate direto com a roda dentada e assentada
totalmente na esteira.
4. Resistente a pesadas cargas externas devido aos seus
rolamentos para serviço pesado.
5. Mudança de duas velocidades, alta e baixa, disponível
para rotações de alta velocidade, baixo torque e
rotações de baixa velocidade e alto torque.

Especificações Gerais
ITEM Unidades TM40VD

Torque de saída nominal kgf m Máx. 4650
Rotação máx. r.p.m Máx. 60
Relação de engrenagem 49.95
Deslocamento máx. cc/rot Máx. 174,7
Rotação máxima r.p.m Máx. 2800
Motor hidráulico
Max. Pressão operacional kgf/cm3 Máx. 350

Pressão de controle 2 veloc. kgf/cm3 20 ~ 70



Freio de Freio de estacionamento kgf m min. 40.6
estacionamento Pressão de desaplicação kgf/cm 3
6

Peso total (kgw) 285

– As especificações acima são para desempenho típico


– O desempenho das peças está ilustrado nos
Diagramas de especificações externas

Motor de Deslocamento SP001621


Página 6
Legenda

Número de projeto

Capacidade de descarga (cc/rot)


2 veloc/1 veloc.

Relação de redução do redutor

Classificação do motor

Número do tamanho

Tipo (motor hidráulico com redutor)

Motor de Deslocamento SP001621


Página 7
Estrutura e diagrama básicos
Estrutura básica do motor TM

Diagrama de circuito

Alta Baixa

Engrenagem de redução

Motor hidráulico

Válvula de freio.
Freio de
estacionamento
Válvula de controle
de duas velocidades

Válvula de controle

Bomba

Figura 1

Motor de Deslocamento SP001621


Página 8
Princípios de operação
Redutor
1. Função
O redutor consiste da combinação automática
planetária incluindo engrenagem planetária e a
engrenagem do diferencial, mantendo a alta rotação do
motor hidráulico, mudando-a para torque e criando a
rotação do cubo (caixa).
2. Operação (princípio)
A rotação da engrenagem solar (S) no lado de entrada
gira a engrenagem planetária (P) sobre o eixo a ser Engrenagem
engrenado e gira com o anel fixo (dir.). Essa rotação é planetária
transferida ao suporte (K) para criar torque.

Lado Entrada Lado SaÍda

Figura 2

A rotação do suporte (K) faz com que as engrenagens


planetárias (P1, P2) girem. Nesse ponto, o ajuste de Diferencial
uma diferença correta entre dentes de (P1), (dir.) e (P1),
(P2) cria a diferença de rotação na engrenagem D, para
as engrenagens (P1) e (P2) coaxiais, para gerar o
torque.
Lado Entrada Lado SaÍda

Figura 3

Motor de Deslocamento SP001621


Página 9
A rotação da engrenagem solar (S) cria movimento Combinação de Diferencial
planetário entre as engrenagens (S, P1 e R) de modo Planetário
que a rotação da engrenagem (P1) gira o suporte (K).
Sua rotação inicia movimentos automáticos entre as
engrenagens (R, P1, P2 e D) e gira a coroa (D).
Conforme a coroa engata no cubo (caixa) do motor TM,
Lado Entrada Lado SaÍda
este começa a girar.

Figura 4

Motor hidráulico (válvula do freio, freio de


estacionamento, mudança de 2 velocidades Alta e
Baixa)

1. Funções
A. Função do motor hidráulico
O motor hidráulico chamado de motor de pistão
axial com placa oscilante, muda a força do óleo
pressurizado da bomba em força de rotação.
B. Função da válvula de freio
1) Ela assegura uma parada suave do motor
controlando a rotação de inércia do motor
TM devido à inércia do seu corpo ao
desligar o motor.
2) Ela age como uma válvula de retenção
evitando a cavitação da válvula hidráulica.
3) Ela age como válvula de corte de surto
controlando a pressão de frenagem da
válvula hidráulica e uma válvula
anticavitação para evitar a cavitação.
C. Função da mudança de velocidade alta e baixa
Ela muda o grau de inclinação da placa oscilante
entre as rotações de alta velocidade baixo torque
e baixa velocidade alto torque, usando a
operação da válvula de mudança e a válvula de
controle.
D. Função do freio de estacionamento
Montado no motor hidráulico, ele usa um freio com
discos de atrito para evitar deslizamento da
escavadeira quando estacionada ou parada numa
encosta.

Motor de Deslocamento SP001621


Página 10
2. Descrição e princípios de operação
A. Motor hidráulico

Figura 5

O óleo sob pressão da bomba hidráulica flui para


dentro do flange traseiro do motor TM (101) e
através de uma placa sincronizadora (109) na
válvula de freio dentro do bloco de cilindros (104).
Este óleo pressurizado destina-se a ditar os pontos
mortos superior e inferior e a ser induzido somente
para a lateral de (Y1)-(Y2).
O óleo pressurizado na lateral do bloco de seis
cilindros (104) pressiona para baixo o pistão (105)
(4 ou 5 cada) gerando a força F(kgf) = P (kgf/cm 2)
x A (cm2)]. Essa força atua na placa oscilante (103)
e depois é dividida em F1 e F3 à medida que a
placa está fixa ao eixo geométrico do eixo de
acionamento (102) a um grau de aº. F3, a força
vertical de tais divididas, gera torques (T = F3 x ri)
para (Y1)-(Y2) cada, a soma das quais é a força
de rotação (T = (F3 x ri) e gira o bloco de cilindros
(104) Ó através do pistão (105). Quando o bloco de
cilindros (104) é conectado ao eixo de acionamento
(102) e a estria, o eixo de acionamento (102) gira e
o torque é transmitido.

Motor de Deslocamento SP001621


Página 11
B. Válvula de freio
Aqui, vamos considerar que o orifício P está
pressurizado pela pressão do tanque.
(Durante o deslocamento) – Freio desaplicado –

O óleo do orifício (A) abre a válvula (227) para fluir


para dentro do orifício c no lado de sucção do motor
para possibilitar a rotação do motor hidráulico.
Ao mesmo tempo, o óleo entra na câmara b através
do canal a via um pequeno orifício do carretel (223)
e atua na superfície do carretel (223), abrindo o
orifício (D) da linha de derivação do motor hidráulico
e o orifício (B) no tanque que foi fechado pela força
da mola (228) e tendo o óleo de retorno que fluir
para dentro do tanque, o que gira o motor hidráulico.
E o óleo entra no orifício (P) de acordo com o
movimento do carretel (223). O óleo no orifício (P)
funciona o pistão (112) no freio de estacionamento
para liberar sua força.
(Para detalhes, consulte Freio de estacionamento).
Se o óleo for alimentado do orifício (B) dos lados de
sucção e retorno do motor hidráulico, as ações
direita e esquerda do carretel (223) e válvula (227)
Figura 6
se invertem para gerar rotação inversa.
(Ao parar) - Os freios aplicam –
Se a alimentação de óleo do orifício (A) para durante
o deslocamento, a força hidráulica é liberada e o
carretel (223) que foi movido para o lado esquerdo
tenta se mover para o lado direito (posição neutra)
através do batente (225) pela força da mola (228).
Esse óleo hidráulico na câmara b que circularia para
o orifício (A) através da linha (a) no carretel (223)
controla a velocidade de retorno do carretel (223)
pela contrapressão de estrangulamento da linha (a)
e o carretel (295). Ao mesmo tempo, o óleo de
retorno tenta retornar ao orifício B através da linha
no espaço livre entre o flange traseiro (101) e o
orifício do carretel (223) no orifício (D).
Quando o carretel (223) retorna à posição neutra, a
linha gerada no espaço livre se fecha totalmente e o
motor hidráulico para de funcionar. Desta maneira o
fluido hidráulico do motor hidráulico é lentamente
controlado de acordo com a velocidade de retorno e
o formato do carretel (223) para frenagem suave e
parar o motor hidráulico. Figura 7

Motor de Deslocamento SP001621


Página 12
C. Freio de estacionamento
(Ao se deslocar)
O óleo é alimentado à válvula de freio para funcionar
o carretel na válvula de feio do motor hidráulico e
abrir a linha para o freio de estacionamento e o óleo
flui para a câmara do cilindro a consistindo do eixo e
do pistão (112) do redutor.
Se o óleo hidráulico estiver acima de 9,5 kgf/cm2, o
óleo ultrapassa a força da mola (113) para mover o
pistão (112). Conforme o pistão se move, sai força
que pressiona a placa (116) e a placa de atrito (115)
se dilui de modo que a placa de atrito (115) inserida
no bloco de cilindros o motor hidráulico pode se
mover livremente e a força de frenagem do motor é
liberada. Se o óleo estiver acima de 45 kgf/cm2, é
reduzido pela válvula de redução para definir a
pressão da câmara do cilindro a 45 kgf/cm2.

Figura 8
(Ao parar)
Se a pressão na câmara do cilindro estiver abaixo
de 9,5 kgf/cm2, depois que a alimentação de óleo
para a válvula de freio parar, o pistão (112) tenta
retornar pela força da mola (113).
Essa força da mola (113) pressiona para baixo o
pistão (112) fazendo com que a placa (116) e a
placa de atrito (115) sejam liberadas para ser
pressionadas contra o fuso do redutor, gerando
atrito que para o giro do bloco de cilindros e
alimenta o eixo do motor hidráulico com um torque
de frenagem (40,6 kgf.m)
E a operação suave é assegurada devido ao
controle do fluido hidráulico de acordo com sua linha
de alimentação devidamente.

Figura 9

Motor de Deslocamento SP001621


Página 13
D. Mudança de 2 velocidades, alta e baixa
(Em baixa velocidade) – A pressão piloto está
abaixo de 10 kgf/cm2. Sem a pressão piloto do
orifício (A) (a pressão está abaixo de 10 kgf/cm2, a
válvula (263) se move para o lado esquerdo pela
força da mola (266) para parar o fluido hidráulico do
orifício (B) mas para liberar o fluido hidráulico da
câmara (C) dentro da carcaça do motor. Assim, o
ângulo de inclinação máximo da placa oscilante
(103) torna-se 1 e a capacidade de curso do pistão
e do motor hidráulico torna-se mínima para
possibilitar rotação de baixa velocidade.

Ponta de eixo

Mola

Caixa do Motor

Figura 10

Motor de Deslocamento SP001621


Página 14
(Em alta velocidade) – A pressão piloto está acima de 10
kgf/cm2
Sem a pressão piloto do orifício (A) (a pressão está cima
de 10 kgf/cm2), a pressão piloto vence a força da mola
(266) para mover a válvula (263) para o lado direito e o
óleo pressurizado do orifício de alimentação (B) flui para a
câmara (V) através da válvula (263). O óleo na câmara
(C) pressiona o pistão (161) de modo que a placa
oscilante (103) do flange de retenção e mantém o status.
Nesta altura, o ângulo de inclinação mínimo da placa
oscilante (103) torna-se 2 e a capacidade de curso do
pistão θ do motor hidráulico torna-se mínima para
possibilitar rotação de alta velocidade.

Ponta de eixo

Mola

Caixa do Motor

Figura 11

Motor de Deslocamento SP001621


Página 15
Precauções ao usar
Montagem (consulte os Diagramas de especificações externas)

Peça de montagem da armação


Peça de montagem da roda dentada

Figura 12

Torque de aperto das peças de montagem

Categorias Qtd. Tamanhos dos parafusos Torque de aperto:


Parafuso de montagem do corpo 30 M16 (P2.0) 25.7 ± 4.0 kg•m
Parafuso de montagem da roda
30 M16 (P2.0) 25.7 ± 4.0 kg•m
dentada

NOTA: Use parafusos com resistência JIS acima de 10.9.


Não golpeie o motor TM com martelo ou
semelhante, mas use um orifício roscado para
repará-lo.

Tubulação
1. Conecta a tubulação considerando a direção de
rotação do motor (consulte os Diagramas de
especificações externas).
2. O produto é entregue com os orifícios de tubulação (da
válvula de freio e drenagem do motor) tampados com
bujão.
3. Não remova a tampa nem o bujão dos orifícios antes
de conectar os tubos, pois eles se destinam a evitar a
entrada de pó e impurezas).
4. Coloque óleo lubrificante suficiente na carcaça do
motor antes de acioná-lo.
5. Quantidade recomendada de óleo para a carcaça: 1,2
litros
6. Selecione a tubulação de modo que a contrapressão
do orifício de drenagem do motor seja a mesma ou
inferior a 2 kgf/cm2 (ou 7 kgf/cm2 no máximo)

Motor de Deslocamento SP001621


Página 16
Óleo hidráulico
Como os produtos são despachados sem óleo hidráulico na
carcaça do motor hidráulico, assegure-se de abastecer a
carcaça com óleo hidráulico antes da operação.
1. Seleção de óleo hidráulico
Atende para o seguinte ao selecionar óleo hidráulico
para o motor TM.
A. Use óleo hidráulico igual a ISO VG32-VG56
(SAE 1 0W-20).
B. O óleo hidráulico deve ter resistência ao
desgaste.
C. Contate-nos ao selecionar um óleo hidráulico
diferente da tabela abaixo.

Viscosidade (40°C) 32 CST 46 CST


Grau
ISO VG VG 32 VG 46
HOUGHTON HYDRO DRIVE HP32 HYDRO DRIVE HP46
GILF HARMONY 32AW HARMONY 46AW
Fabricantes CALTEX RANDO HD32, AZ RANDO HD46
MOBLIL DTE 24 DTE 25
SHELL TELUS 32 TELUS 46

3. Verificação e troca do óleo hidráulico


Troque o óleo nos seguintes intervalos, embora a
frequência dependa das condições de operação.
A seguir o intervalo recomendado de troca do óleo
hidráulico.
A. Intervalo - 1000 horas ou 1 ano
B. Critérios de troca

Pontos de verificação Padrões de troca


Troca de velocidade (40°C) ± 10%
Oxidação (mgKQH/g)
Água 0.1 %
Impurezas 10mg / 100 ㎖
Insolubilidade (%) 0.05 %
Cor Modificada excessivamente

NOTA: Contate-nos para o tipo de óleo hidráulico pois


eles diferem entre fabricantes.

Motor de Deslocamento SP001621


Página 17
Óleo lubrificante
Os produtos são despachados com óleo lubrificante (óleo
para engrenagens) para o redutor mas verifique-o antes da
operação.
1. Seleção de óleo para engrenagens
Use óleo para engrenagens igual a SAE #90 contendo
aditivo de extrema pressão (acima do 4º grau GL,
classificação API).
2. Intervalo de troca do óleo de engrenagens
A. 1ª troca de óleo após 500 horas de operação
B. Próxima troca a cada 1000 horas de operação ou
1 ano.
NOTA: Se o óleo de engrenagens ficar reduzido,
verifique a causa, solucione o problema e
reabasteça. Localização dos orifícios de reabastecimento e
drenagem do óleo lubrificante

Orifício de abastecimento (PT1/2)

Orifício de verificação de fluxo (PT1/2)

Orifício de drenagem (PT1/2)

Figura 13

3. Quantidade de óleo lubrificante a ser trocada – 3,3


litros
4. Ordem de troca do óleo lubrificante
O óleo de engrenagens a troca ou reabastecer deve
ser o mesmo usado e não deve ser misturado com
óleos diferentes.
A. Assegure-se de que os orifícios de abastecimento
e drenagem estejam perpendiculares a uma
superfície plana.
B. Para drenar o óleo remova ambos os bujões em
dois orifícios e drene-o.
C. Encha com óleo de engrenagens acima do orifício
de verificação de fluxo.
D. Para instalar bujões nos orifícios, assegure-se de
enrolá-los com fita de vedação.

Motor de Deslocamento SP001621


Página 18
Manutenção
Assegure-se de verificar a lista abaixo antes de operar o
motor TM.
1. Se houver vazamento de óleo (óleo hidráulico ou de
engrenagens)
2. Se os parafusos estiverem soltos.
3. Se houver qualquer ruído
4. Se a temperatura na caixa aumentar de maneira normal.
(A temperatura externa padrão da caixa durante
operação contínua = Max. 80ºC)
5. Se o óleo de engrenagens é trocado nos intervalos
corretos. (Veja “Óleo lubrificante” na página -18).
6. Quantidade permitida de drenagem para o motor
hidráulico. Marcha lenta – número de rotações: 25 rpm
– pressão: 50kgf/cm2 a 4 l/min

Motor de Deslocamento SP001621


Página 19
Resolução de Problemas

Pressão A pressão de alívio ajustada é


disponível baixa Ajuste a pressão correta

Verifique se há peças móveis


Sem Bomba danificada quando o motor para. Troque se
operação necessário.

Válvula de mudança de direção Verifique se o carretel está normal e


danificada repare, se necessário

Troque o carretel queimado ou válvula e


Sem pressão Válvula de freio danificada repare outras peças danificadas

Troque o motor e verifique o óleo


Motor hidráulico danificado hidráulico e troque, se necessário

Redutor danificado Troque o redutor

Sobrecarga Remova a carga

Área de Remova eventuais riscos com


contato Risco esmeril ou lixa

Parafuso solto Reaperte

Carcaça Bujão solto Aperte

Dano devido a pedra, etc. Troque o redutor


Vazamento
Vedador flutuante Peça deslizante Gasta Troque o redutor

Anel-O danificado Troque o vedador flutuante

Parafuso solto Aperte

Motor
hidráulico Anel-O danificado Troque-o

Anel riscado Repare-o com esmeril ou lixa de papel

Motor de Deslocamento SP001621


Página 20
Desvio lateral em
Má eficiência volumétrica do motor Troque o motor hidráulico
encosta

Aumento de vazamento interno da válvula de Troque a válvula de freio (flange


freio traseiro)

Freio de estacionamento inoperante


Mola danificada Substitua a mola
Troque o disco de atrito e o disco
Disco de desgaste gasto
par

Alta temperatura da Falta de óleo de engrenagens Complete o nível


superfície da caixa
do redutor

Rolamento solto Troque o redutor

Entrando óleo hidráulico na caixa de engrenagens Troque o vedador de óleo

Operação inclinada Acontece em baixa pressão


Diferença entre as descargas direita e Repare a bomba
esquerda
Diferença entre drenagens do motor direito e Troque o motor hidráulico
esquerdo

Acontece em alta pressão


Diferença entre as descargas direita e Troque a bomba e o regulador
esquerda
Diferença entre drenagens do motor direito e Troque o motor
esquerdo
Movimento diferente entre as válvulas de Troque as válvulas de freio
freio direita e esquerda (flanges traseiros)
Redução da válvula de controle direita ou Ajuste a pressão correta. Troque a
esquerda válvula de alívio

Velocidade incorreta Baixa descarga da bomba


Operação incorreta do regulador da bomba Repare o regulador
Drenagem externa excessiva da bomba Repare ou troque a bomba

Vazamento externa excessiva da bomba Repare ou troque o motor

Ruído Motor ou redutor danificado Repare ou troque o motor ou o


redutor

Vibração da tubulação Levante reclamação

Motor de Deslocamento SP001621


Página 21
Diagramas de especificações externas

Figura 14

Motor de Deslocamento SP001621


Página 22
Estrutura e diagrama básicos

Seção transversal do conjunto

Figura 15

Motor de Deslocamento SP001621


Página 23
Lista de peças

Referência Peças Referência Peças


1 Flange traseiro 114 Engrenagem solar
23 Carretel principal 115 Anel trava
24 Bujão (para carretel principal) 117 Engrenagem planetária (F)
26 Bujão (para retenção) 118 Rolamento de agulhas
27 Válvula de retenção 121 Engrenagem motriz
28 Mola (para carretel principal) 122 Pino elástico
30 Mola (idem) 123 Tampa
31 Batente A 124 Parafuso sextavado
32 Batente B 125 Rolamento de esferas/A
33 Carretel 126 Anel-O
34 Batente A 128 Bujão Ro
36 Anel-O 129 Anel de vedação
37 Anel-O 130 Anel-O
38 Anel-O 131 Arruela de encosto (dir.)
41 Pino paralelo 132 Arruela de encosto (M)
43 Parafuso sextavado 133 Disco de encosto (dir.)
46 Anel-O 134 Suporte nº 2
52 Bujão RO (PF1/4) 136 Calço
54 Bujão PT C Conjunto peça de controle
55 Bujão PT (PF1/4) C-1 Conjunto flange traseiro
63 Bujão RO (PF1/2) C-2 Kit flange traseiro
65 Bujão (2 velocidades) C-3 Conjunto batente
66 Mola (2 velocidades) R Peça redução
68 Esfera de aço 202 Eixo de acionamento
71 Orifício 203 Placa oscilante (tipo B)
74 Anel-O 204 Bloco de cilindros
79 Filtro 205 Pistão
89 Placa de identificação 206 Sapata
90 Parafuso de rebite 207 Placa de retenção
91 Bujão (PT 1/8) 208 Esfera de encosto
101 Fuso 209 Placa de sincronização
102 Vedador flutuante 212 Pistão (estacionamento)
103 Suporte nº 2 213 Batente A
105 Cubo 214 Mola (cilindro)
106 Tubo espaçador 215 Placa de atrito
107 Rolamento do eixo ( R) 216 Disco
108 Engrenagem planetária (F) 232 Vedador de óleo
109 Arruela de encosto (F) 235 Anel-O
110 Pino elástico 239 Anel-O
111 Rolamento de agulhas 242 Pino paralelo
112 Bucha flutuante 247 Anel de encosto
113 Rolamento do eixo 248 Anel de encosto

Motor de Deslocamento SP001621


Página 24
Referência Peças Referência Peças
249 Rolamento de esferas 401 Êmbolo
250 Rolamento de esferas 402 Vedador de pistão
260 Mola (2 velocidades) 403 Carroceria
261 Pistão (2-velocidades) 404 Anel de encosto
262 Sapata (2-velocidades) 405 Anel-O
267 Pivô 406 Anel-O
275 Anel-O 407 Mola de retenção
M Conjunto motor hidráulico 408 Batente A
M-1 Kit bloco de cilindros e pistão 409 Pistão
M-2 Conjunto pistão 412 Bujão de ajuste
M-3 Kit pistão (2-velocidades) 413 Porca de trava

Motor de Deslocamento SP001621


Página 25
INSTRUÇÕES DE
MANUTENÇÃO TM40VD

ATENÇÃO!
Leia estas instruções com cuidado antes da
desmontagem e remontagem

Precauções
1. A manutenção desta máquina deve ser feita de acordo
com as instruções constantes neste manual
2. Use as ferramentas especificadas nessas instruções
para a desmontagem e remontagem da máquina.
3. Use as peças que fabricamos ou recomendamos para
as peças de reposição.
4. Tipos e significados das palavras de aviso
Quatro tipos de avisos são usados nestas instruções
para indicar gravidade (grau de falha).
Cuidado com esses avisos e siga suas instruções.

Avisos Descrições

Muito perigoso.
Emergência A desobediência do pedido ou instruções pode causar sérias lesões ou até a
morte.

Sujeito a perigo.
Alerta A desobediência do pedido ou instruções pode causar sérias lesões ou até a
morte.

Sujeito a perigo.
Cuidado A desobediência do pedido ou instruções pode causar sérias lesões ou até a
morte

Indica informação que requer atenção especial ou que deve ser enfatizada

Entretanto, não há itens de emergência ou de alerta


nestas instruções.

Motor de Deslocamento SP001621


Página 26
Lista de ferramentas para desmontagem
e remontagem

Ferramentas padrão

N° Ferramentas Descrição / Tamanhos Qtd.


Chave sextavada (JSI B 4648 6 (M8) (PF1/4), 8 (M10) EA1
1 10 (M12) (PF1/2) EA1
14 (M16), 4 (M6) 1
2 Chave de encaixe
Nominal 280 N tipo comparador 1
3 Torquímetro
Nominal 850N tipo comparador 1
Soquete 22, 30, 32 ,41, 40 bar 5, 6, 8, EA 1
4 Adaptador para torquímetro
10, 14 EA 1
5 Barra de extensão (JISB 4637) 150 mm 1
6 Martelo 12 1
7 Martelo plástico L = 300 1
8 Mandril 150 mm 1
9 Alicate de bico Para eixo 1
Peso: Acima de 300 kgf 1
Olhal roscado (M16) 2
10 Suspensor Olhal roscado (M10) 2
Olhal roscado (PF1/2) 2
Fio 1
Capacidade da prensa Acima de 200
11 Prensa 1
kgf
12 Ar comprimido 3-5 kgf/cm2, bico 1
Reservatório geral W450 x D300 x
13 Reservatório 2
H120
Capacidade de aquecimento :
14 Reservatório de aquecimento Superior a 100°C 1
Volume: 500 x 500 x 500
15 Micrômetro de profundidade Faixa de medição: 1
16 Martelo pneumático BRH-8 (ar comprimido 5-6 kgf/cm2) 1
17 Silencioso SBorracha de silinone (780-RTV) 1

Motor de Deslocamento SP001621


Página 27
Ferramentas usinadas

N° Nomes e tamanhos típicos Qtd. N° Nomes e tamanhos típicos Qtd.

Ferramenta para prensagem de Suspensor de engrenagem de


rolamento principal acoplamento

1 1 6 1

Haste de alumínio Prensa (1)

2 1 7 1

Ferramenta para ajuste disco de Medidor de folga


encosto (dir.)

3 1 8 1

Suspensor (1) Posicionador de engrenagem solar

4 1 9 1

Suspensor (2) Haste de aço cônica

5 1 10 1

Motor de Deslocamento SP001621


Página 28
N° Nomes e tamanhos típicos Qtd. N° Nomes e tamanhos típicos Qtd.

Haste de aço Ferramenta de montagem

11 1 13 1

Ferramenta de inserção Ferramenta guia para inserção de


eixo

12 1 14 1

Motor de Deslocamento SP001621


Página 29
Instruções de desmontagem
Precauções gerais

1. Estenda uma capa de borracha ou plástico sobre a


bancada de trabalho
2. Ao desmontar o motor do deslocamento, faça marcas
de coincidência nas faces de montagem.
3. Arrume as peças removidas para evitar que se
danifiquem ou se percam.
4. Os vedadores desmontados deve ser trocados por
novos como regra mesmo que não estejam danificados.
Para desmontagem, portanto, prepare novos vedadores
antecipadamente.

Procedimento de desmontagem

1. Ao inspecionar ou reparar os motores TM, use os


procedimentos de desmontagem descritos abaixo.
2. Os números entre parênteses ( ) após o nome da peça
indicam os números de peça usados no manual de
operação.
3. Antes da desmontagem, instale o motor TM numa
banca de trabalho para inversão.
4. Monte o motor TM na matriz de trabalho de inversão
para iniciar sua desmontagem;

Desmontagem da engrenagem de redução

1. Remova os bujões (128) (3EA) e drene o óleo da


engrenagem de redução.
NOTA: Remova a tampa (123, depois enganche-a,
monte o olhal roscado num furo roscado
para uso do bujão (128).
Se for impossível remova a tampa usando a
haste.
2. Solte os parafusos sextavados (124) (1 6EA) e remova
a tampa (123).
NOTA: Pode ser difícil removê-la porque os
parafusos (124) estão coberto de Loctite,
• Chave sextavada 8, 10.

Figura 16

Motor de Deslocamento SP001621


Página 30
3. Remova a engrenagem motriz (121).

Figura 17

4. Remova o conjunto do suporte nº 1.


NOTA: O suporte nº 1 consiste da engrenagem
planetária (117), rolamento de agulhas
(118), o rolamento do eixo (107), o
suporte (134, arruela de encosto (131),
pino elástico (122).

Figura 18

5. Desmonte o conjunto do suporte nº 1.


A. Monte os pinos elásticos (122) no rolamento do
eixo (dir.) (107).
NOTA: Não remova se não for necessário
reparar.
Não reutilize o pino elástico (122).

Figura 19

B. Remova o rolamento do eixo (dir.) (107), as


engrenagens planetárias (dir.) (117), a arruela de
encosto (dir.) (131), os rolamentos de agulhas
(118) e a arruela de encosto (dir.) (131).

Figura 20

Motor de Deslocamento SP001621


Página 31
6. Remova a engrenagem motriz (114).
NOTA: O anel-trava (115) vai montado na
engrenagem solar (114)
Não o remova se não for necessário.

Figura 21

7. Remova o conjunto do suporte nº 2.


NOTA: Remova-o usando um guindaste após
instalar o olhal roscado M10.

Figura 22

8. Monte os pinos elásticos (110) no rolamento do eixo


(dir.) (113).
NOTA: Não reutilize o pino elástico (110).

Figura 23

9. Remova o rolamento do eixo (113) (4 cada)

Figura 24

Motor de Deslocamento SP001621


Página 32
10. Remova a arruela de encosto (F) (109), as
engrenagens planetárias (F) (108), os rolamentos de
agulhas (111), a bucha flutuante (112) do suporte n° 2
(103).

NOTA: Cada peça consiste da 1st.

Figura 25

11. Remova o calço de bloqueio (136) golpeando com


martelo no cinzel ou ferramenta semelhante na
superfície divisória.

Figura 26

12. Remova o cubo [105] do eixo (101)

NOTA: Remova-o usando um guindaste após


montar o olhal roscado M16 no cubo (105).

Figura 27

13. Remova o espaçador [106] do eixo (101)

Figura 28

Motor de Deslocamento SP001621


Página 33
14. Remova o vedador flutuante (101) do cubo [105] e o
eixo (101).
NOTA: A remoção é fácil com um mandril.

Figura 29

15. A vedação (129), o rolamento angular (125) (2EA), o


anel-O (130) são montados no cubo(105) com o
vedador flutuante (102).
NOTA: Não o remova se não for necessário. No
caso de remoção, tome cuidado para não
riscar usando martelo ou haste de alumínio.

Figura 30

Desmontagem da parte do motor hidráulico

1. Remova a válvula de alívio (2EA) do flange traseiro (1).


NOTA: Soquete sextavado 32/torquímetro
2. Remova os parafusos soque (43) do flange traseiro (1).
NOTA: Chave sextavada 14.

Figura 31

3. Remova o flange traseiro [1] do eixo (101)


4. Remova a mola (213) (10EA) do flange traseiro (1).
NOTA: Remova o flange traseiro (1)
cuidadosamente com as mãos. Cuidado
parta não remover a placa sincronizadora
(209) e a mola (213) se estiverem torcidas
ou danificadas.

Figura 32

Motor de Deslocamento SP001621


Página 34
5. Remova o pino paralelo [42] do eixo (101)

Figura 33

6. Remova o anel-O [126] do eixo (101)

Não reutilize o anel-O (126).

NOTA: Não reutilize o anel-O (126).

Figura 34

7. Desmontagem do flange traseiro (1)

A. Remova a placa sincronizadora (2EA) do flange


traseiro (1).

NOTA: Ao remover a placa sincronizadora, o


usuário pode ter dificuldade em remover
devido à aderência do flange (1) e do óleo.
Remova após montar uma haste no orifício
usado quando a peça fundida é removida.

Tome cuidado com o vazamento devido a


risco superficiais se usar uma ferramenta Figura 35
pontiaguda.

B. Remova o pino paralelo (41) do flange traseiro (1).

Figura 36

Motor de Deslocamento SP001621


Página 35
C. Remova o rolamento de esferas (250) do flange
traseiro (1).

Figura 37

8. Desmontagem da ferramenta
A. Remova os dois bujões (24) do flange traseiro (1).
NOTA: Os usuários podem trabalhar com
facilidade se a subdesmontagem foi feita
na mesa de inversão
Soquete sextavado 41/torquímetro
B. Remova duas molas [28], dois batentes (c-3) do
flange traseiro (1).

Figura 38

C. Remova o carretel (23) do flange traseiro (1).


NOTA: Cuidado para não danificar a superfície
externa do carretel (23) e a superfície
deslizante do flange traseiro (1). Como o
flange traseiro (1) e o carretel (23) são do
tipo montagem seletiva troque-os juntos
como um kit mesmo que apenas um deles
esteja danificado.

Figura 39

9. Desmontagem da válvula de retenção


A. Remova os dois bujões (26) do flange traseiro (1).
NOTA: Os usuários podem trabalhar com facilidade
se a subdesmontagem foi feita na mesa de
inversão Chave sextavada 14.

Figura 40

Motor de Deslocamento SP001621


Página 36
B. Remova a mola (30) (2EA), a válvula (27) (2EA) do
flange traseiro (1).

Figura 41

10. Desmontagem da válvula de duas velocidades


A. Remova o bujão (63) do flange traseiro (1).
NOTA: Os usuários podem trabalhar com facilidade
se a subdesmontagem foi feita na mesa de
inversão Chave sextavada 10

Figura 42

B. Remova o carretel (65), a mola (66) do flange


traseiro (1).

Figura 43

11. Desmontagem do freio de estacionamento


A. Remova o pistão (212) injetando ar comprimido pelo
orifício de acesso do freio de estacionamento no
eixo (101).
.
NOTA: Use a tampa protetora na parte superior do
eixo (101) quando os usuários aplicam ar
comprimido subitamente.
Caso contrário dano e acidente podem
acontecer porque o pistão (212) é expulso
do eixo (101).
Figura 44

Motor de Deslocamento SP001621


Página 37
B. Remova os anéis-O (235) (239), anel de encosto
(247) (248) do pistão (212).

NOTA: Não reutilize os anéis-O (235) (239), anel de


encosto (247) (248) após a remoção.

Figura 45

12. Desmontagem da parte do motor hidráulico

A. Coloque o corpo do motor TM de lado.

B. Drene o óleo do motor TM.

NOTA: Coloque um recipiente de óleo sob o motor


TM para coletar o óleo que sai do motor
enquanto está deitado do lado.

C. Prenda o bloco de cilindros (104) com ambas as


mãos e remova-o do eixo (202).

NOTA: Antes da remoção, prenda o bloco de


cilindros (204) com ambas as mãos e gire-o
duas a três vezes para a esquerda e direita Figura 46
alternadamente para soltar a sapata (206)
da placa oscilante (203).

D. Remova as placas casadas (216) e os discos de


atrito (215) do bloco de cilindros (204).

NOTA: Cuidado que se tentar remover o bloco de


cilindros (204) sem remover a sapata (205)
da placa oscilante (203), depois o pistão, a
sapata e outras peças conectadas ao bloco
de cilindros podem soltar-se do cilindro e
cair no eixo.

Figura 47

Motor de Deslocamento SP001621


Página 38
13. Desmontagem do kit do bloco de cilindros
A. Conjunto da pistão (pistão), sapata (206)) do bloco
de cilindros removido (204).

Figura 48

B. O pistão (205), a sapata (206) da placa de retenção


removida (207).

Figura 49

C. A esfera de encosto (208) do bloco de cilindros


removido (204).

Figura 50

D. A mola (214) (9 cada) do bloco de cilindros


removido (204).

Figura 51

Motor de Deslocamento SP001621


Página 39
14. Remova a placa oscilante (203) do eixo (202).

15. Remova o eixo (202) do eixo (101)

Figura 52

NOTA: Ao separar a placa oscilante separe e gire-a


com as mãos para ficar livre da intervenção do
batente.

16. Remova o conjunto do pistão seletor de velocidade


(pistão (261) e sapata (262)) do eixo (101) alimentando
ar comprimido do orifício de acesso no eixo (101).

NOTA: Conjunto do pistão – pistão (261) Sapata (262)

 Ar comprimido 3 - 5 kgf/cm2, bico

17. Remova o pino paralelo (242), o pivô (267) do eixo Figura 53


(101).

18. Remova o rolamento de esferas (249) do eixo (101)


NOTA: Quando o pistão (261) ou a sapata (262) estiver
danificado, se for necessário trocar, devem ser
trocados juntos pois a separação é impossível.
Use a tampa protetora na parte superior do eixo
quando os usuários aplicam ar comprimido
subitamente. Caso contrário dano e acidente
podem ocorrer, porque o pistão é expulso do
eixo.

Figura 54

19. Remova o vedador de óleo (232) do eixo (101) Martelo

NOTA: Remova o vedador de óleo (232) golpeando (-) Chave de fenda


com martelo na sua circunferência, usando um
mandril. Não reutilize o vedador de óleo (232). Ponta de eixo [102] Vedador de óleo [232]

Figura 55

Motor de Deslocamento SP001621


Página 40
REMONTAGEM
Precauções gerais
1. Remonte numa área de trabalho limpa e isenta de pó e
impurezas.
2. Manuseie as peças com as mãos nuas para mantê-las
livres de contaminação.
3. Repare ou troque as peças danificadas.
As peças devem estar livres de rebarbas nos cantos.
4. Não reutilize o anel-O, vedador de óleo e vedador
flutuante removidos na desmontagem.
5. Lave todas as peças completamente com um solvente
adequado.
Seque totalmente com ar comprimido.
Não use tecido.
6. Ao remontar os componentes do motor hidráulico TM,
assegure-se de lubrificar as peças móveis do motor e a
válvula com óleo hidráulico limpo. (NAS classe 9 ou
acima)
7. Use um torquímetro para apertar os parafusos e bujões
com o torque especificado como segue.+

Procedimento de remontagem
Remonte a parte do motor hidráulico

1. Instale o vedador de óleo (232) no orifício do vedador de


óleo do eixo (101).
NOTA: Aplique graxa à base de lítio na parte do
lábio do vedador de óleo (232), posicione
perpendicularmente sobre o orifício do
eixo (101).

Figura 56

Motor de Deslocamento SP001621


Página 41
2. Instale o pino paralelo (242) (2 cada) e o conjunto de
pistão de 2 velocidades (261) (262) no eixo (101).

Figura 57

3. Instale o eixo (202) no eixo (101).

NOTA: Monte após aplicar graxa no lábio do


vedador de óleo (232).
.

Figura 58

4. Instale o eixo (267) no eixo (101).

Figura 59

5. Instale a placa oscilante (303) no eixo (101).

NOTA: A placa oscilante (203) e o batente de 2


velocidades do eixo são montados com
interferência. Instale a placa oscilante
(203) após girar e depois instale-a na
posição regular.

Figura 60

Motor de Deslocamento SP001621


Página 42
6. Remonte o kit do bloco de cilindros
A. Instale a mola (214) (9 cada) no bloco de cilindros
(204).

Figura 61

.
B. Instale a esfera de encosto (208) no bloco de
cilindros (204).
C. Instale o conjunto do pistão (pistão (205), sapata
(206)) na placa de retenção (207)
.

NOTA: Após montar, submerja as peças em


fluido de trabalho.

Figura 62

D. Monte o conjunto do pistão no bloco de cilindros


(204).

Figura 63

7. Instale o conjunto do bloco de cilindros (204) no eixo


(202).
NOTA: Após montar as estrias do bloco de
cilindros (204) e o eixo (202) monte-os.
Após instalar o cilindro (204), confirme se
ele gira ou não girando-o com ambas as
mãos.
O motor apresenta mau funcionamento
quando não gira.

Figura 64

Motor de Deslocamento SP001621


Página 43
8. Remonte o freio de estacionamento
A. Instale o disco casado (216) primeiro depois um
disco de atrito (215), um a um, nas ranhuras da
superfície externa do bloco de cilindros (204).
NOTA: Submerja os discos de atrito (215) em
fluido de trabalho antes de instalá-los nas
ranhuras.

Figura 65

B. Instale o anel-O (275) (2 cada) no eixo (101).


C. Instale dois anéis-O (235), (239) e dois anéis de
encosto (247), (248) nas ranhuras de anel-O do
pistão [212]
NOTA: Aplique uma fina camada de graxa nos
anéis-O (235),(239).

Figura 66

D. Monte um pistão (212) no eixo (101)


NOTA: Se o pistão [212] não encaixa no eixo
[101] devido à resistência do anel-O,
golpeie a borda do pistão [212] levemente
e por igual com um martelo de plástico.
Tome cuidado para não danificar o anel-O
e o anel de encosto nesta altura.
E. Instale um anel-O (126) no eixo (101)

Figura 67

F. Instale um pino paralelo (42) (2 cada) no eixo (101).

Figura 68

Motor de Deslocamento SP001621


Página 44
Remontagem da parte do flange traseiro (1)

1. Remontagem da válvula de retenção


A. Instale o anel-O (37) (2 cada) no bujão (26) (2
cada).
NOTA: Aplique graxa no anel-O (37)
B. Instale a mola (30) e uma válvula (27) no bujão
(26).
NOTA: Instale uma mola (30) e uma válvula
(27) no bujão (26) e depois aplique
graxa na mola (30) e na válvula (3) e
trave a primeira com a mão.
C. Instale o bujão (26) no flange traseiro (1).
D. Instale o bujão (26) em conjunto com a mola (30)
e a válvula (30) no flange traseiro (1) e aperte o
bujão com o torque requerido.
– Torque de aperto: 26 ± 4.0 kgf•m
NOTA: Adaptador de chave sextavada 14 /
torquímetro

Figura 69

2. Remonte o carretel
A. Instale o carretel (23) no flange traseiro (1).
NOTA: Antes de instalar o carretel (23), aplique
óleo hidráulico no carretel. Tome
cuidado para não danificar a superfície
do carretel e a parte interna do flange
traseiro (1).
B. Instale o anel-O (36) no bujão (24).
C. Instale a mola (28) e um batente (c-3) no bujão.
NOTA: Aplique graxa no anel-O (36)
– Torque de aperto: 45 ± 9 kgf•m
Figura 70
D. Instale o bujão (24) no flange traseiro (1).
NOTA: Troque-o como a Kit do flange traseiro
se a troca for necessária, porque o
flange traseiro (301), o carretel (323)
consiste o kit do flange traseiro.
– Soquete nº 41/torque para chave sextavada

Motor de Deslocamento SP001621


Página 45
E. Aperte o bujão (24) com o torque requerido.

Figura 71

3. Remontagem da válvula de duas velocidades


A. Instale os anéis-O (46) nos bujões (63).
NOTA: Aplique graxa no anel-O (46).
Aplique óleo hidráulico no carretel (65)
enquanto o carretel (65) é instalado no
flange traseiro (1).
B. Instale um carretel (65), a mola (66) no flange
traseiro (1).
NOTA: Tome cuidado para não danificar a
parte interna do furo do flange traseiro
(1) e a parte interna do carretel (65)..
Isso causa baixa eficiência do motor TM
porque o vazamento aumenta após a
remontagem.
O centro do eixo deve alinhar com o
centro do furo devido a uma pequena
folga.
Isso é para proteger contra dano e para Figura 72
montagem suave do flange traseiro (1) e
do carretel (65).
C. Instale o bujão (63) no flange traseiro (1).
– Torque de aperto: 10 ± 2 kgf•m
– Adaptador nº 10/torquímetro para chave
sextavada

Figura 73

Motor de Deslocamento SP001621


Página 46
4. Montagem das peças internas do flange traseiro.
.
A Após instalar o anel-O (74) no bujão (52) instale a
esfera de aço (68), o bujão (52) no flange traseiro
(1).
NOTA: Aplique graxa no anel-O (74). Não
desmonte e monte desnecessariamente.

Figura 74

B. Instale o orifício (71), o filtro (79) no flange traseiro


(1). Assegure-se de vedá-lo após a montagem.
NOTA: Não desmonte e monte
desnecessariamente.

Figura 75

Figura 76

5. Instale um rolamento de esferas (250), placa


sincronizadora (209), pino paralelo (41) (1 cada) e a
mola (213) (1 2 cada) no flange traseiro (1).
NOTA: Tome cuidado para que a mola (213) e a
placa sincronizadora (209) não devem
separar-se do flange traseiro (1).
Aplique óleo hidráulico no rolamento de
esferas (250).

Figura 77

Motor de Deslocamento SP001621


Página 47
Figura 78

6. Remonte o flange traseiro (1) e o eixo (101)


.

A. Monte o flange traseiro (1) no eixo (101)


NOTA: Quando o flange traseiro (1) estiver
montado no eixo (101), prenda a mola
(13) aplicando graxa para que não caia.

Figura 79

B. Aperte o parafuso (43) no eixo (101) com o torque


requerido.
– Torque de aperto: 5,9 ± 1,0 kgf•m
– Adaptador nº 14/torquímetro para chave

Figura 80

7. Aperte a válvula de alívio no flange traseiro (1) com o


torque necessário.
– Torque de aperto: 25 ± 5 kgf•m
– Soque nº 32/torque para chave

Figura 81

Motor de Deslocamento SP001621


Página 48
Conjunto da engrenagem de redução

1. Gire o motor TM 180 graus para deixar o lado do eixo


voltado para cima.
2. Instale o vedador flutuante (102) no eixo (101)
.

Figura 82

NOTA: Aplique graxa no vedador flutuante [102]


Vedador
flutuante Vedador
Ponta de eixo flutuante

Figura 83

Conjunto do cubo
Dispositivo de Martelo
1. Instale o rolamento angular (125) no cubo (105).
Prensagem
NOTA: Preste atenção na direção de inserção.

Rolamento
de esferas
CUBO

Figura 84

Motor de Deslocamento SP001621


Página 49
2. Instale o anel-O (130), a vedação (129) no cubo (105).
NOTA: Aplique uma leve camada de graxa no anel-
O (130)

Figura 85

3. Instale o vedador flutuante (102) no cubo (102)

Figura 86

Dispositivo de Vedador
NOTA: Aplique graxa no vedador flutuante (105). Montagem Avante/Ré flutuante

Cubo

Figura 87

4. Instale o espaçador (106) no eixo.

Figura 88

Motor de Deslocamento SP001621


Página 50
5. Instale o conjunto do cubo no eixo.
6. Com uma prensa prense a pista interna do rolamento
Vedador
(125) até o fundo. flutuante Vedador
Ponta de eixo flutuante

Figura 89

7. Enquanto pressiona o flange na haste (101) instale a


placa de calco (136) na ranhura.

Figura 90

8. Instale arruela de encosto (F) (109), as engrenagens


planetárias (F) (108), os rolamentos de agulhas (111), a
bucha flutuante (112) do suporte n° 2 (103).

Figura 91

9. Instale o rolamento do eixo (113) no suporte nº 2 (103)

Figura 92
.

Motor de Deslocamento SP001621


Página 51
10. Instale o pino elástico (110) no suporte nº 2 (103).

Figura 93

11. Coloque o conjunto do suporte nº 2 no cubo (105).

Figura 94

12. Monte o anel trava (115) na engrenagem solar (114).


NOTA: Alicate de ponta (anel trava C-75 (S))

Figura 95

13. Instale a engrenagem solar (114).

Figura 96

Motor de Deslocamento SP001621


Página 52
14. Instale a arruela de encosto (dir.) (131), as engrenagens
planetárias (dir.) (117), os rolamentos de agulhas (118),
o rolamento do eixo C (107) do suporte (dir.) (134).

Figura 97

15. Instale o pino elástico (122) no suporte nº 1 (134).

Figura 98

16. Coloque o conjunto do suporte nº 1 no cubo (105).

Figura 99

17. Instale a engrenagem motriz (121) no conjunto do


suporte nº 1.

Figura 100

Motor de Deslocamento SP001621


Página 53
18. Instale a placa de encosto (133) na tampa (123).
NOTA: Aplique graxa na placa de encosto (133).

Figura 101

19. Instale a arruela de encosto (M) (132) na tampa (123).

Figura 102

20. Aplique selador na tampa (123) após instalar com o


cubo (107).
NOTA: Selador – [borracha de silicone] (780-RTV)

Figura 103

21. Monte a tampa (123) no cubo (105).

Figura 104

Motor de Deslocamento SP001621


Página 54
22. Aperte o parafuso soquete (124) (16 cada) com o torque
especificado.
 Torque de aperto: 5,9 ± 1 kgf•m
 Adaptador nº 8/torquímetro para chave sextavada
NOTA: Aplique Loctite no parafuso soquete (124) e
instale-o.
23. Instale o anel-O (38) no bujão (128).

Figura 105

24. Aperte o bujão (128) com o torque especificado na


tampa (123).
NOTA: Aplique graxa no anel-O (38)
 Torque de aperto: 10 ± 2kgf•m
 Adaptador nº 10/torquímetro para chave sextavada

Figura 106

Verificação após a montagem


3. Teste de ar da engrenagem de redução
Desmonte o bujão (032) da engrenagem de redução.
Quando se aplica ar comprimido (0,3 kgf/cm2) na água
durante 2 minutos, não deve haver bolhas de ar.
 Óleo para engrenagens: 3,3 litros
4. Teste de ar do motor hidráulico
Um orifício deve ficar aberto e os outros fechados.
Quando se aplica ar comprimido (3 kgf/cm2) no orifício
na água durante 2 minutos, não devem ocorrer bolhas
de ar.
 Fluido de trabalho: 1,0 litro

Motor de Deslocamento SP001621


Página 55
Teste
A caixa do motor deve ser cheia com fluido de trabalho
antes de iniciar os testes de verificação.
Após concluir a manutenção do motor TM, os testes de
verificação listados abaixo devem ser executados.
1. Quando um aparelho de teste está disponível
Se as peças internas foram substituídas, execute o
amaciamento, seguido de testes de desempenho.
A. Condições para a operação de amaciamento
1) 20 rpm, pressão sem carga, 1 minuto,
rotação nos sentidos horário e anti-horário.
2) 1- RPM, 200kgf/cm2, 1 minuto, rotação nos
sentidos horário e anti-horário.
3) 25 rpm, pressão sem carga, 1 minuto,
rotação nos sentidos horário e anti-horário.
B. Condições para os testes de desempenho
1) Fluido de trabalho: Tipo ISO VG nº 46,
resistente ao desgaste
2) Óleo lubrificante: Óleo para engrenagens
3) Temperaturas:
Temperatura ambiente-----Temperatura
ambiente
Temperatura do fluido de trabalho ---- 50±5 ºC
Temperatura da carcaça da seção de
redução -------------------------- 40 a 80ºC
4) Pressão de drenagem: 0,8kgf/cm2 ou menor
C. Testes de eficiência (para a primeira velocidade)

Eficiência volumétrica Eficiência da máquina Quant. de drenagem


Tipo de TM externa (Dados de
89% or more 83% or more referência)

Pressão diferencial: 250 kgf/cm2


TM40VD 2.0l!min ou menos
rotações : 10 rpm

D. Teste de verificação da eficiência volumétrica da segunda velocidade

Volume de drenagem do
Seleção da 2ª velocidade Eficiência volumétrica
motor hidráulico

Pressão diferencial:80 kgf/cm2


95% ou mais 2.0l!min ou menos
Rotações : 25 rpm

Motor de Deslocamento SP001621


Página 56
E. Teste de verificação da eficiência volumétrica da
segunda velocidade
Durante os testes sem carga nas condições de
operação de amaciamento para ( C) e (D) acima,
assegure-se de que o motor mudará de baixa
para alta velocidade
quando pressões de fluido de 20 kgf/cm2 ou mais
são aplicadas do orifício piloto do seletor da 2ª
velocidade (orifício D).
Também, assegure-se de que o motor muda para
baixa velocidade nas pressões de fluido de 10
kgf/cm2 ou menos.
2. Quando os testes de verificação de desempenho no
campo forem conduzidos sem usar aparelho de teste:
Instale o motor TM no veículo e providencie a
tubulação depois sem montar uma esteira, execute a
operação de amaciamento, seguida de testes de
desempenho.
A. Condições para a operação de amaciamento
1) 10 rpm, pressão sem carga, 1 minuto,
rotação nos sentidos horário e anti-horário.
2) 20 rpm, pressão sem carga, 1 minuto,
rotação nos sentidos horário e anti-horário.
B. Condições para a operação de amaciamento
1) Temperaturas
Temperatura do fluido de trabalho----50±5 ºC
Temperatura da carcaça da seção de
redução ----- 40 a 80ºC
C. Pressão de condução sem carga (pressão
diferencial)

Primeira velocidade 10 rpm 20 kgf/cm2 ou menos


Segunda velocidade 20 rpm 30 kgf/cm2 ou menos

D. Medição da quantidade de drenagem do motor

Primeira e segunda velocidades 10 rpm 2.0l!min ou menos

Motor de Deslocamento SP001621


Página 57
Lista de vedadores
Ref. Nos Peças Descrição / Tamanhos Qtd. Comentários
1 Anel-O 1BP8 2 275
2 Anel-O 1AG230 1 126
3 Vedador flutuante 90626501 2 102
4 Anel-O 1BP18 5 46, 38
5 Vedador de óleo TCN48X70X12 1 232
6 Anel-O 1BP180 1 235
7 Anel-O 1BP210 1 239
8 Anel de encosto 1BP180 1 247
9 Anel de encosto 1BP210 1 248
10 Anel-O 1BP16 6 405
12 Anel de encosto T2-P16 4 404
13 Anel-O 1BP29 2 406
14 Vedador de pistão SPGO 7.5-10.5-1.5 2 402
15 Anel-O 1BP32 2 36
16 Anel-O 1BP22A 2 37
17 Anel-O 1BP11 2 74
18 Anel-O JIS1516W-P82 2 130

Motor de Deslocamento SP001621


Página 58
SP000931

Bomba de
engrenagens

1ª edição

Bomba de engrenagens SP000931


Página 1
ANOTAÇÕES

Bomba de engrenagens SP000931


Página 2
Índice

Bomba de engrenagens

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ...................................5


MODELOS APLICÁVEIS ..................................................5
BOMBA DE ENGRENAGEM SIMPLES ...........................7
Desmontagem................................................................................. 7
Remontagem................................................................................... 9

Bomba de engrenagens SP000931


Página 3
ANOTAÇÕES

Bomba de engrenagens SP000931


Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5001 e acima
DX225NLC 5001 e acima
DX225LCA 5167 e acima
DX255LC 5001 e acima

Bomba de engrenagens SP000931


Página 5
Bomba de engrenagens SP000931
Página 6
BOMBA DE ENGRENAGEM
SIMPLES
Desmontagem
1. Limpe a parte interna da bomba.

Figura 1

2. Remova os parafusos de fixação.

Figura 2

3. Cubra os cantos vivos do eixo de acionamento com fita


adesiva e aplique graxa na extensão da extremidade do
eixo para evitar danos à borda do vedador do eixo ao
remover o flange de montagem.

Figura 3

Bomba de engrenagens SP000931


Página 7
4. Remova o flange de montagem tomando cuidado para
mantê-lo o mais reto possível durante a desmontagem.
Se o flange de montagem estiver preso, golpeie ao edor
da borda com um martelo de borracha para separá-lo do
corpo.
NOTA: Assegure-se de que, enquanto remove o
flange de montagem, o eixo e outros
componentes permanecem na posição.

Figura 4

5. Remova o anel de fixação se for necessário trocar.

Figura 5

6. Remova o vedador do eixo tomando o cuidado para


não danificar o orifício do eixo, se for necessário trocar.

Figura 6

7. Puxe a engrenagem para cima para facilitar a


remoção da placa.

Figura 7

Bomba de engrenagens SP000931


Página 8
8. Remova a engrenagem de acionamento mantendo-as
retas tanto quanto possível.

Figura 8

9. Remova a placa traseira e a tampa de extremidade.

Figura 9

Remontagem
1. Limpe todos os componentes com cuidado.

Figura 10

2. Usando um mandril apropriado, instale o vedador do


eixo no flange de montagem.

Figura 11

Bomba de engrenagens SP000931


Página 9
3. Instale o anel de fixação na ranhura.

Figura 12

4. Instale o anel-O em ambos os lados da seção traseira


do corpo.
NOTA: Aplica graxa nos anéis-O para prendê-los
no corpo.

Figura 13

5. Instale o corpo da seção traseira na tampa traseira.

Figura 14

6. Instale vedadores na ranhura da placa de pressão. A


seguir instale o anel de encosto na ranhura com Lado de descarga
vedadores. Aplique graxa nos vedadores.
NOTA: As placas de pressão dianteira e traseira e
os vedadores e anéis de encosto são os
mesmos.

Lado de entrada

Figura 15

Bomba de engrenagens SP000931


Página 10
7. Instale o conjunto da placa de pressão no corpo
mantendo-o reto
NOTA: O lado do vedador deve ficar voltado para a
tampa traseira, lado oposto das
engrenagens.
NOTA: Preste atenção na direção de instalação do
vedador.

Figura 16

8. Instale a engrenagem motriz e a engrenagem movida.

Figura 17

9. Instale a placa de pressão no corpo na direção correta.

Figura 18

10. Posicione o flange de montagem na posição correta.

Figura 19

Bomba de engrenagens SP000931


Página 11
11. Aperte os parafusos com arruela em cruz com torque
de 45 Nm.

Figura 20

12. Verifique se a bomba gira livremente quando o eixo de


acionamento é girado à mão. Se não, um vedador de
placa de pressão pode estar dobrado.

Figura 21

Bomba de engrenagens SP000931


Página 12
SP001024

Válvula de
Controle
Principal

1ª edição

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 1
ANOTAÇÕES

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 2
Índice

Válvula de Controle Principal

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ...................................5


MODELOS APLICÁVEIS ..................................................5
DESCRIÇÃO GERAL .......................................................7
Teoria de operação ......................................................................... 7
Lista de peças ............................................................................... 38
Especificações .............................................................................. 43
DIAGNÓSTICO DE FALHAS, TESTE E AJUSTE ..........44
Resolução de Problemas.............................................................. 44
Ajuste das válvulas ....................................................................... 45
DESMONTAGEM............................................................47
LIMPEZA E INSPEÇÃO(LIMITES DE DESGASTE
E TOLERÂNCIAS) ..........................................................57
Limpeza ........................................................................................ 57
Inspeção ....................................................................................... 57
REMONTAGEM ..............................................................58
Cuidados na montagem ................................................................ 58
Sequência de submontagem ........................................................ 59
Manutenção das válvulas de alívio ............................................... 65
INSTALAÇÃO..................................................................68
PROCEDIMENTOS DE PARTIDA ..................................68

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 3
ANOTAÇÕES

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5001 e acima
DX225NLC 5001 e acima
DX225LCA 5167 e acima
DX300LC 5001 e acima
DX340LC 5001 e acima

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 5
Válvula de Controle Principal SP001024
Página 6
DESCRIÇÃO GERAL

Teoria de operação
Com todos os carreteis em neutro

Passagem neutra
O óleo alimentado ao orifício (P1) entra na passagem do
tanque (Ta) através do orifício (Lc 1) de alívio negativo da
passagem neutra (L1) e retorna aos orifícios (T1, T2 e T3).
O óleo alimentado ao orifício (P2) entra na passagem do
tanque (Ta) através do orifício (Rc 1) de alívio negativo da
passagem neutra (R1) e retorna aos orifícios (T1, T2 e T3)
.

A pressão das câmaras (L2 e R2) que flui sobre o alívio


negativo, entra na bomba a partir dos orifícios (ps1 e ps2)
para controlar o volume da bomba P1 e P2.
Além disso, quando o fluxo de óleo á excessivo na
passagem neutra, o alívio negativo funciona para evitar
pressão anormalmente alta nos orifícios (ps1 e ps2).

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 7
Válvula de alívio de Válvula de alívio de
controle negativo (esq.) controle negativo (dir.)

BRAÇO 1 BRAÇO 2
[Seção 5] [Seção 9]

LANÇA 2 LANÇA 1
[Seção 4] [Seção 8]

GIRO CAÇAMBA
[Seção 3] [Seção 7]

OPÇÃO DESLOCAMENTO
[Seção 2] [Seção 6]

RETO
DESLOCAMENTO DESLOCAMENTO
[Seção 1] [Seção ST]

Lado P1 Lado P2

Figura 1

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 8
BRAÇO 1
[Seção 5]

LANÇA 2
[Seção 4]

GIRO
[Seção 3]

OPÇÃO
[Seção 2]

DESLOCAMENTO
[Seção 1]

SEÇÃO "L-L"

Figura 2

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 9
BRAÇO 2
[Seção 9]

LANÇA 1
[Seção 8]

CAÇAMBA
[Seção 7]

DESLOCAMENTO
[Seção 6]

DESLOCAMENTO
EM LINHA RETA
[Seção ST]

SEÇÃO "R-R"

Figura 3

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 10
Passagem de sinal
O óleo alimentado ao orifício (PP) flui através do orifício
(Lc3) até o orifício (PT) e ao mesmo tempo através do cheio
(Lc4), passagem (5) e cheio (Rc3) para a passagem do
tanque (Ta).
O mesmo óleo alimentado ao orifício (PP) circula então
através do orifício (L5) par adentro do orifício (PA) e também
através das passagens (L4, 7 e R4) para o cheio do carretel
da caçamba (Rc4) e depois entra na passagem de
drenagem (DR).
O óleo que passa pelo orifício (Lc6) circula através do cheio
(Lc7) para a passagem do tanque (Ta), ou flui através da
passagem (4) até o cheio do carretel de deslocamento
(Rc5) e depois entra na passagem do tanque (Ta).

OPÇÃO
[Seção 2]

DESLOCAMENTO
[Seção 6]

DESLOCAMENTO
[Seção 1]

DESLOCAMENTO
EMLINHA RETA
[Seção ST]

Figura 4

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 11
Operação simples

Mudança do carretel de deslocamento


Ao mudar o carretel de deslocamento aumentando a
pressão do orifício deslocamento (Seção 1) (Pb1 (Pa1)), o
óleo alimentado ao orifício (P1) flui através da passagem
neutra (L1) para o carretel e flui ao orifício (B1 (A1)). O óleo
de retorno circula através do orifício (A1 (B1)), para o
carretel e retorna à passagem do tanque (Ta).
Ao mudar o carretel de deslocamento aumentando a
pressão do orifício deslocamento (Seção 6) (Pb6 (Pa6)), o
óleo alimentado ao orifício (P2) flui através da passagem
neutra (R1) para o carretel e flui ao orifício (B6 (A6)). Neste
ponto, a pressão da passagem paralela (R3) e a passagem
(S6-1) são iguais, de modo que a válvula cônica (S6-1) não
se abre. O óleo de retorno circula através do orifício (A6
(B6)), para o carretel e retorna à passagem do tanque (Ta).
Ao mudar o carretel (Seção 1 ou 6), o cheio (Lc4) ou (Rc3) é
fechado. O óleo alimentado do orifício (PP) não flui para a
passagem do tanque, de maneia que a pressão no orifício
(PT) aumenta.

Mudança do carretel, opcional


Ao mudar o carretel opcional aumentando a pressão da
opção (Seção 1), orifício piloto (Pb2 (Pa2)) a passagem
neutra (L1) é fechada. O óleo alimentado ao orifício (P1) flui
através da passagem paralela (L3), válvula de retenção de
carga (S2-2), passagem (SL-1) e carretel, fluindo depois
para o orifício (B2 (A2)).
O óleo de retorno circula através do orifício (A2 (B2)), para o
carretel e retorna à passagem do tanque (Ta).
Quando o óleo também é alimentado do orifício (P4) circula
através da válvula de retenção de carga (S2-2) e é
combinado na passagem (S-1).

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 12
Posição mudada

OPÇÃO
[Seção 2]
Posição neutra

Posição mudada
DESLOCAMENTO
[Seção 6]

Posição neutra

DESLOCAMENTO
[Seção 1]
Posição mudada
DESLOCAMENTO
EM LINHA RETA
[Seção ST]

Figura 5

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 13
Mudança do carretel do giro
Ao mudar o carretel do giro aumentando a pressão da
opção (Seção 3), orifício piloto (Pb3 (Pa3)) a passagem
neutra (L1) é fechada. O óleo alimentado ao orifício (P1) flui
através da passagem paralela (L3), válvula de retenção de
carga (S232), passagem (S3-1) e carretel, fluindo depois
para o orifício (B3 (A3)).
O óleo de retorno circula através do orifício (A3 (B3)), para o
carretel e retorna à passagem do tanque (Ta).

Mudança do carretel da caçamba


O controle de fluxo do óleo na parte da seção da caçamba
da válvula é diferentes de outras seções porque tem uma
função de regeneração que trabalha contra a pressão do
orifício piloto.
1. Despejo
Ao mudar o carretel da caçamba é mudado
aumentando a pressão da opção (Seção 7), orifício
piloto (Pa7) a passagem neutra (R1) é fechada. O óleo
alimentado ao orifício (P2) flui através da passagem
paralela (R3), válvula de retenção de carga (S7-2),
passagem (S7-1) carretel, fluindo depois para o orifício
(B7)
O óleo retorna através do orifício (A7) e o carretel à
passagem do tanque (Ta).

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 14
Posição mudada

GIRO
[Seção 3]
Posição neutra

CAÇAMBA
[Seção 7]

Figura 6

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 15
2. Regeneração
Ao mudar o carretel da caçamba aumentando a pressão
do orifício piloto (Pb7), da caçamba (Seção 7), a
passagem neutra (R1) é fechada. O óleo alimentado ao
orifício (P2) flui através da passagem paralela (R3),
válvula de retenção de carga (S7-2), passagem (S7-1)
carretel, fluindo depois para o orifício (A7).
O óleo circula através do orifício (B7) e uma parte do
óleo retorna através do carretel até a passagem do
tanque (Ta) e a outra parte do óleo circula por dentro do
carretel e empurra para cima a retenção de carga e
depois é combinado no orifício (A7).

Posição mudada

GIRO
[Seção 3]
Posição neutra

CAÇAMBA
[Seção 7]

Figura 7

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 16
Mudança do carretel da lança
1. Neutro
Esta válvula também funciona com válvulas
antideslizamento instaladas no lado inferior de cada
cilindro da lança.
Quando em neutro, a válvula cônica (AD1) é fechada
pela pressão do orifício (A8) que é enviada através da
passagem (AD2), carretel (AD3) para a câmara da mola
(AD4.

LANÇA 2
[Seção 4]

LANÇA 2
[Seção 8]

Figura 8

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 17
2. Lança levantada (confluência d 2 bombas)
Ao mudar o carretel da lança 1 aumentando a pressão
do orifício piloto (Pa8), da lança 1 (Seção 8), a
passagem neutra (R1) é fechada. O óleo alimentado ao
orifício (P2) flui através da passagem paralela (R3),
válvula de retenção de carga (S8-2), até o carretel e
entra no orifício (A8).
Ao mudar o carretel da lança 2 aumentando a pressão
do orifício piloto (Pb4), da lança 2 (Seção 4), a
passagem neutra (L1) é fechada. O óleo alimentado ao
orifício (P1) flui através da passagem paralela (L3),
válvula de retenção de carga (S4-2), e para a passagem
(6) e se junta no orifício (A8). O óleo de retorno circula
através do orifício (B8)), para o carretel e retorna à
passagem do tanque (Ta).

LANÇA 2
[Seção 4]

LANÇA 1
[Seção 8]

Figura 9

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 18
3. (Lança abaixada (regeneração)
Ao mudar o carretel da lança 1 aumentando a pressão
do orifício piloto (Pb8), da lança 1, a passagem neutra
(R1) é fechada. O óleo alimentado ao orifício (P2) flui
através da passagem paralela (R3), válvula de retenção
de carga (S8-2), até o carretel e entra no orifício (B8).
Quando o carretel (AD3) da válvula antideslizamento é
mudado aumentando a pressão do orifício (P2), a
válvula cônica (AD1) é aberta reduzindo-se a pressão
da câmara da mola (AD4) e o óleo de retorno do orifício
(A8) flui para a passagem do tanque. Parte do óleo de
retorno abre a válvula cônica (S8-2) no carretel da lança .
1, flui através da passagem (S8-2), une-se no orifício
(B7) e depois evita a cavitação do lado da haste do
cilindro

LANÇA 2
[Seção 4]

LANÇA 1
[Seção 8]

Figura 10

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 19
Mudança do carretel do braço
1. Neutro
Essa válvula também funciona com uma válvula
antideslizamento instalada no lado da haste do cilindro do
braço.
Quando em neutro, a válvula cônica (AD1) é fechada pela
pressão do orifício (A5) que é enviada através da passagem
(AD2), carretel (AD3) e para a câmara da mola (AD4).

BRAÇO 1
[Seção 5]

BRAÇO 2
[Seção 9]

Figura 11

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 20
2. Braço retraído
A. Confluência de 2 bombas
Quando o carretel do braço 1 é mudado
aumentando a pressão do orifício piloto (Pb5) do
braço 1 (seção 5), o óleo alimentado ao orifício
circula através da passagem neutra (L1), válvula
de retenção de carga (S5-2) passagem (S5-1) e
carretel dentro do orifício (B5).
Quando o carretel do braço 2 é mudado
aumentando a pressão do orifício piloto (Pb9) do
braço 2 (seção 9), o óleo alimentado ao orifício
circula através da passagem neutra (R1), válvula
de retenção de carga (S9-2) e carretel até a
passagem (8) e se junta-se no orifício (B5).
O óleo de retorno do orifício (B5) flui através da
válvula de retenção de regeneração no carretel e
segue para o orifício B ara regenerar e parte do
óleo retorna através da válvula de liberação de
regeneração variável, para o tanque (Ta).
(Consulte a seção 2-2)

BRAÇO 1
[Seção 5]

BRAÇO 2
[Seção 9]

Figura 12

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 21
B. Regeneração variável
Ao fechar o braço, o óleo de retorno do orifício
(A5) flui através do entalhe (a), uma parte do óleo
retorna através do orifício fixo (b), passagem (e) e
orifício variável (f) e para a passagem do tanque
(Ta). A outra parte do óleo flui através do orifício
(b), da retenção de regeneração (c) e do orifício
fixo (i) no carretel do braço 1 e se junta na
passagem de ponte (S5-1).
Daí se a pressão de carga do orifício (B) aumenta,
flui através do pistão (g) da válvula de alívio de
regeneração e empurra o carretel de alívio de
regeneração (h), como resultado a área do
orifício variável (f) aumenta e o óleo que retorna
ao tanque (Ta) aumenta e parte do óleo para
regenerar no orifício (B5) diminui.

BRAÇO 1
[Seção 5]

Válvula de liberação de regeneração


(variável)

Figura 13

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 22
3. Braço estendido (confluência d 2 bombas)
Quando o carretel do braço 1 é mudado aumentando a
pressão do orifício piloto (Pa5) do braço 1 (seção 5), o
óleo alimentado ao orifício (P1) circula através da
passagem neutra (L1), válvula de retenção de carga
(S5-1), passagem (S5-1) e carretel e entra no orifício
(B5).
O óleo alimentado ao orifício (P2) flui através da
passagem paralela (R1), válvula de retenção de carga
(S9-2), carretel e passagem (8) e se junta no orifício
(A5). O óleo de retorno circula através do orifício (B5))
e retorna através do carretel à passagem do tanque
(Ta).

BRAÇO 1
[Seção 5]

BRAÇO 2
[Seção 9]

Figura 14

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 23
Orifício paralelo para o braço
O orifício instalado na passagem paralela para o braço 1,
controla a velocidade do braço ao operar numa condição
combinada. O óleo alimentado da passagem paralela (L3)
do braço 1 (Seção 5), abre a válvula cônica (S6-3). Ele
então flui através do orifício (Lc8) do carretel de orifício
variável e depois liga-se à passagem (L5). Daí, o fluxo do
orifício (Lc8) pode ser variado aumentando-se ou
diminuindo-se a pressão contra a válvula cônica (Pc3).

Pc3 posição pressurizada

Posição normal
Passagem DR2

Figura 15

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 24
Válvula de Alívio
1. Válvulas de alívio principal
O óleo alimentado ao orifício (P1) flui através da
válvula cônica (LP). O óleo alimentado ao orifício (P2)
flui através da válvula cônica (RP) e a passagem (3).
Elas se unem na válvula de alívio principal. A pressão
mais alta da bomba (P1 e P2) é controlada pela reação
da válvula de alívio principal.
2. Válvulas de alívio de sobrecarga
A válvula de alívio de sobrecarga instalada em cada
orifício de cilindro da lança 1, braço 1 e caçamba, evita
que a pressão do atuador se torne excessiva devido a
forças externas. Essa válvula de alívio, quando a
pressão do orifício do cilindro é negativa, tem a função
de evitar a cavitação aspirando o óleo do tanque.

Figura 16

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 25
Operação composta

Operação composta de deslocamento


Se outra função for operada ao se deslocar para a esquerda
ou direita (em marcha avante, ré, ou giro pivotante), ou ao
operar o deslocamento durante uma operação que não de
deslocamento, o óleo alimentado do orifício (PP) é
interrompido da passagem do tanque (Ta) na parte do cheio
de sinal de uma seção outra que não o deslocamento
mudado do cheio (Lc4), (Lc7), (Rc3) e (Rc5) e a pressão da
passagem do sinal é aumentada até a pressão de alívio
ajustada da origem do óleo para sinal.
Devias ao aumento da pressão do sinal, o carretel antes do
deslocamento é mudado para causar um aumento de
pressão nos orifícios (PT e PA).
Quando o carretel de deslocamento em linha reta é mudado,
o óleo alimentado do orifício (P1) flui para deslocamento
(seção 1) da passagem neutra (L1) enquanto o óleo
alimentado ao orifício (P2) entra no deslocamento (seção 6),
após passar pela passagem (2), cabeça do carretel de
deslocamento em linha reta e passagem neutra (R1)
entrando na passagem paralela (L3) após passar pela
cabeça do carretel de deslocamento em linha reta e a
passagem (1).
Se a pressão de carga de uma seção outra que não o
deslocamento for superior à pressão de carga de
deslocamento (Seção 6), uma parte do óleo alimentado do
orifício (P2) empurra e abre a válvula cônica (S6-2) e se
mescla com a passagem (S6-1) após passar o orifício da
válvula cônica.
A operação é feita pelo óleo alimentado do orifício de
deslocamento (P1) (Seção 1 e 6) e dispositivo de trabalho
outro que não o deslocamento é operado pelo óleo
alimentado do orifício (P2) e a projeção é evitada ao operar
com o deslocamento e outro dispositivo de trabalho.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 26
DESLOCAMENTO
[Seção 1

DESLOCAMENTO
[Seção 1]

DESLOCAMENTO
[Seção ST]

Figura 17

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 27
Operação composta da caçamba
Uma válvula de controle de prioridade está instalada na
caçamba (Seção 7). Essa válvula controla o fluxo do óleo
que entra na caçamba ao opera durante uma operação
combinada com deslocamento, lança 1 e seções do braço 2,
no lado P2.
Se a pressão no orifício (Pi) aumentar ao operar a caçamba,
pistão (S7-6), pistão (S&-5) e bujão (S7-4) e o conjunto da
válvula cônica (S7-2) estiver assentado na carcaça da
válvula. Isso faz com que o óleo flua da passagem paralela
(R3) para abrir a válvula cônica (S7-3) no conjunto da
válvula cônica e entre na passagem (S7-1).
Como resultado, o diâmetro da passagem é menor durante
operação combinada do que o diâmetro da passagem
durante uma só operação. Essa menor passagem reduz a
fluxo de óleo ao orifício (A7, B7). O óleo restante flui através
da passagem paralela (R3) e flui primeiramente para a
seção que está sendo operada no lado P2 durante um
procedimento de operação combinado.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 28
Posição mudada

GIRO
[Seção 3]
Posição neutra

CAÇAMBA
[Seção 7]

Figura 18

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 29
Operação composta do giro
A seção do giro da válvula (Seção 3) é equipara com a
válvula de controle, que ajusta o fluxo que entra no giro ao
operar combinado com a Seção de P1 (deslocamento, lança
2, braço 1).
Se o orifício (Pi) estiver pressurizado ao operar a função de
giro, o pistão (S3-6) é empurrado e pressiona o conjunto da
válvula cônica (S3-2) sob a parte de sede da carcaça da
válvula através do pistão (S3-5) e bujão (S3-4). Desta
maneira o óleo na passagem paralela (L3) entra na
passagem (S3-1) empurrando para cima a válvula cônica
(S3-3) dentro do conjunto da válvula cônica.
Como resultado, a passagem durante a operação conjunta
fica mais apertada do que quando em operação simples, de
modo que o fluxo que entra em A3 (B3) é reduzido e o fluxo
excedente é adiantado para a seção que P1 é
simultaneamente operado através da passagem paralela
(L3).

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 30
Posição mudada

GIRO
[Seção 3]
Posição neutra

CAÇAMBA
[Seção 7]

Figura 19

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 31
Válvula antideslizamento

A válvula antideslizamento é instalada no orifício do cilindro


na carga do braço (orifício da lança) para o antideslizamento
natural do cilindro do braço (lança). (Para exemplo típico,
mostra-se o braço (A5)
1. Condição neutra (mantendo o orifício (A5))
A. A pressão de retenção do orifício (A5) é enviada
através das passagens (a, b e c) e para dentro da
câmara da mola (d) da válvula cônica (1). Nesse
momento o fluxo de óleo sob pressão do orifício
Carretel Principal
(A5) é interrompido pelas sedes (S2 e S2).
Figura 20

2. Condição de passagem de óleo interrompida (A5) e a


câmara da mola.
A. Se o orifício pc1 está sob pressão, o pistão (2) é
movido e o carretel (3) reage.
B. O carretel (3) ativa a válvula cônica (4).
C. Em seguida, movendo a válvula cônica (4), o
orifício (A5) e a câmara da mola (d) é interrompida
pela parte (T1).
Carretel Principal

Figura 21

3. Condição de operação da válvula cônica principal.


A. Quando o pistão (2) é acionado, a câmara de mola
(d) passa, da passagem © para a passagem (e) e
liga a passagem de óleo pela parte (T2) à câmara
de dreno (DR).
B. A câmara da mola (d) drena a pressão e a válvula Câmara de
cônica principal (1) começa a sair de seu Drenagem
alojamento.
Carretel Principal

Figura 22

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 32
Válvulas de alívio principal

1. A válvula de alívio principal fica entre a passagem


de óleo neutra (HP, Figura 23) e a passagem de
óleo de baixa pressão (LP). O óleo pressurizado entra
na passagem de óleo neutra (HP) através do orifício na
válvula cônica principal (C) para encher a cavidade
interna (D). Devido à diferença de áreas entre (A e B),
na qual a pressão hidráulica age, a válvula cônica
principal (C) assenta sobre a luva (E).

Figura 23

2. Quando a pressão na passagem de óleo neutra (HP)


sobre e excede o ajuste da válvula de alívio, a válvula
cônica (F) se abre, O óleo sob pressão flui através da
válvula cônica piloto (F) e entra na passagem de óleo de
baixa pressão (LP) passando pelo orifício (LP).

Figura 24

3. Conforme a válvula piloto (F) se abre, a pressão na


cavidade interna (D) abaixa para mover a válvula cônica
principal (C) de modo que o óleo sob pressão entra na
passagem de óleo neutra (HP) e diretamente na
passagem de óleo de baixa pressão (LP).

Figura 25

4. Operação com pressão elevada


Se for aplicada pressão no orifício piloto "PH", o pistão
(H) move para a posição de pressão de ajuste do bujão
(I) de modo que a força da mola aumenta, aumentando
assim a pressão na passagem de óleo neutra (HP).

Figura 26

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 33
Válvula de alívio de sobrecarga

Operação

1. A válvula de alívio de sobrecarga fica entre o orifício


do cilindro (HP) e a passagem de óleo de baixa
pressão (LP). O óleo sob pressão do orifício do cilindro
(HP) flui através de um orifício no pistão © para encher
a cavidade interna (G). Devido à diferença de área
entre (A e B), na qual a pressão hidráulica age, a
válvula cônica principal (D) assenta sobre a luva (K).

Figura 27

2. Quando a pressão não orifício do cilindro (HP) sobe


excede o ajuste da válvula de alívio, a válvula cônica
piloto (E) se abre. O óleo sob pressão flui através da
válvula cônica piloto (E) e entra na passagem de óleo
de baixa pressão (LP) passando pelo orifício (H).

Figura 28

3. À medida que a válvula cônica piloto (E) se abre, o


óleo sob pressão flui através do orifício (I) de modo
que a pressão na traseira do pistão ( C) abaixa e o
desloca. Como resultado, o pistão ( C) assenta na
válvula cônica piloto (E).

Figura 29

4. O óleo sob pressão na passagem (HP) flui através do


orifício (F) no pistão ( C) de modo que a pressão na
traseira da válvula cônica principal (D) desloca-o. O
óleo sob pressão então flui pela passagem (HP) e
entra diretamente na passagem (LP).

Figura 30

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 34
Operação de absorção
Uma unidade anticavitação está instalada no orifício do
cilindro (HP) para evitar o desenvolvimento de cavitação.
Se a pressão no orifício do cilindro (HP) fica menor do que a
da passagem de óleo (LP), a luva (K) se desloca de maneira
que o óleo é alimentado da passagem de óleo de baixa
pressão (LP) para o orifício de cilindro (HP) para eliminar a
cavitação.

Figura 31

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 35
Válvula de alívio de baixa pressão

1. Pressão de sinal
O óleo alimentado do orifício da bomba (P1 (P2)) flui
através da passagem neutra (L1 (R1)), válvula de
alívio de baixa pressão (L2 (R2)) e orifício (Lc1 (Rc1)
para a passagem do tanque (Ta). Agora, a pressão
gerada na passagem (L2 (R2)) pelo orifício (Lc1 (Rcl)
vai para o orifício de sinal de alívio de baixa pressão
(Ps1 (Ps2)), Se o carretel principal de L2 (R2)) opera,
a pressão de sinal de Ps1 (Ps2) diminui porque o óleo
que flui para L2 (R2) diminui.
Figura 32

2. Operação do alívio
Se entra excesso de óleo na passagem (L2 (R2)), a
pressão gerada na passagem (L2 (R2)) pelo orifício (Lc1
(Rc1)) vai para a câmara traseira da válvula cônica e
esta opera pela diferença de área pressurizada entre a
passagem e a câmara traseira. Pela operação desta
válvula de levantamento, o óleo flui da passagem
através do bujão e orifício roscado para a passagem do
tanque (Ta). Com essa ação, evita-se a geração de
pressão excessiva no orifício de sinal de alívio de baixa
pressão.

Figura 33

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 36
Válvula de Controle Principal SP001024
Página 37
Lista de peças

VISTA A

Figura 34

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 38
Número de Número de
Descrição Descrição
Referência Referência
32 Válvula de levantamento 72 Conjunto do bujão
33 Batente A 75 Parafuso soquete (M1 0 x40L)
57 Espaçador 77 Parafuso soquete (M16 x130L)
60 Conjunto do bujão 81 Arruela
61 Bujão 88 Tampa
62 Anel-O 89 Anel-O
68 Válvulas de alívio principal 92 Conjunto do bujão
69 Válvula de alívio de sobrecarga 93 Conjunto do bujão
71 Conjunto do bujão

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 39
BRAÇO 1

LANÇA 2

GIRO

OPÇÃO
DESLOCAMENTO

BRAÇO 2
LANÇA 1

CAÇAMBA

DESLOCAMENTO

DESLOCAMENTO
EM LINHA RETA

VISTA A SEÇÃO B

Figura 35

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 40
Número de Número de
Descrição Descrição
Referência Referência
1 Carcaça da válvula 16 Conjunto do carretel do giro
2 Conjunto do carretel do braço 2 17 Conjunto do carretel opcional
3 Conjunto do carretel da lança 1 50 Bujão
4 Conjunto do carretel da caçamba 62 Anel-O
Conjunto do carretel do
5 63 Bujão de orifício
deslocamento
6 Conjunto do carretel T/S 65 Anel-O
7 Anel-O 66 Anel-O
8 Tampa 70 Válvula de alívio
12 Tampa 72 Conjunto do bujão
13 Carcaça da válvula 74 Parafuso soquete ((M10x28L)
14 Conjunto do carretel do braço 1 91 Bujão
15 Conjunto do carretel da lança 2 105 Conjunto do bujão

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 41
VISTA A

Figura 36

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 42
Número de Número de
Descrição Descrição
Referência Referência
18 Tampa 47 Anel-O
19A Válvula SP 48 Batente A
19 Carretel 49 Válvula de levantamento
20 Sede da mola 51 Válvula de levantamento
21 Batente A 52 Flange
22 Carretel de extremidade 53 Espaçador
23 Anel-O 54 Anel-O
24A Conj. braço regeneração 55 Anel de encosto
24 Bujão 67 Conj. válvula antideslizamento
25 Anel-O 73 Parafuso soquete ((M10x55L)
26 Batente A 75 Parafuso soquete (M10x40L)
27 Carretel 76 Parafuso soquete (M10x70L)
30 Anel-O 78 Parafuso soquete (M6x20L)
31 Anel de encosto 92 Conjunto do bujão
34 Válvula de levantamento 94A
Válvula de prioridade da lança
35 Batente A
94 Bujão
36 Anel-O
95 Pistão
37 Flange
96 Carroceria
38 Válvula de levantamento
97 Pistão
39 Batente A
98 Batente A
40 Conjunto espaçador
99 Luva
41 Anel-O
100 Conjunto válvula cônica
42 Anel-O
102 Anel-O
43 Flange
103 Anel de encosto
44 Válvula de levantamento
104 Anel-O
45 Batente A
101 Parafuso soquete (M10x70L)
46 Bujão

Especificações
Fluxo nominal: 270 L/min
Entretanto, 50L/min em neutro
Pressão nominal: 34,3 Mpa
Pressão permitida Pressão máxima de 1,5 MPa ou menos
Pressão usada de 0,5 MPa ou menos
Uso permitido de temperatura do óleo: Normalmente -20 - 80°C
Mais alta 100ºC
(Uso de borracha para rosca).

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 43
DIAGNÓSTICO DE FALHAS,
TESTE E AJUSTE
Resolução de Problemas
Válvula de controle geral

Problema Causa Possível Correção


Carretel não se move. Remova a peça com resistência de
Temperatura do óleo
vazamento de óleo dentro da
anormalmente aumentada.
tubulação.
Poluição do óleo de operação Troque o óleo de operação e lave o
circuito ao mesmo tempo
Aperto excessivo da junta do
Verifique o torque.
tubo
Carcaça da válvula inclinada ao Solte e confirme o parafuso de
carregar carga
Pressão excessivamente alta. Verifique a pressão da bomba e do
cilindro.
Carretel empenado Troque o conjunto da válvula.
Mola de retorno danificada. Troque as peças danificadas.
Mola ou tampa desalinhada Solte a tampa para liberar a carga.
A distribuição de temperatura na Aqueça todo o sistema.
válvula é inconsistente
A válvula está obstruída pela
Aqueça (lavando) a poeira.
poeira
Pressão piloto insuficiente Verifique a válvula piloto e a
pressão de alívio piloto
Load is not maintained. Verifique a parte da câmara do
Vazamento de óleo pelo cilindro.
cilindro.
Óleo desviado pelo carretel Verifique a ranhura do carretel
Vazamento de óleo da válvula de Lave a sede da carcaça da válvula
alívio de sobrecarga e a sede da válvula de alívio.
Vazamento de óleo da válvula Desmembre a válvula
antideslizamento. antideslizamento e lave a parte da
sede de cada parte. Se houver
ranhuras na parte de sede, troque
a válvula cônica ou enrole a válvula
cônica e a sede Em caso de mau
funcionamento no carretel da
válvula antidecaimento, o carretel e
a luva devem ser troca dos como
um par.
A válvula de retenção de carga Desmembre a válvula de retenção
Ao mudar o carretel para a tem poeira. e lave.
posição levantada de A válvula cônica ou a parte da
neutro, a carga cai. Troque a válvula cônica e enrole a
sede da válvula de retenção tem
válvula cônica e a sede.
ranhura.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 44
Relief Valve

Problema Causa Possível Correção


A pressão não sobe. Válvula de levantamento principal, Troque a válvula de alívio.
luva ou válvula e levantamento
piloto presas na posição aberta e
sede de válvula com pó.
Pressão de alívio instável. A sede da válvula de
levantamento piloto tem ranhura.
O pistão ou a válvula de
levantamento fica preso.
Pressão de alívio instável. Abrasão da sede pelo pó.
Parafuso de trava e Reajuste a pressão e aperte o
equipamento de ajuste parafuso de fixação com torque
frouxos. regular.
Vazamento de óleo: Sede da válvula de alívio danificada. Troque a válvula de alívio.
Cada parte presa com pó.
Anel-O gasto. Troque o equipamento de ajuste ou o
anel-O da peça de carga.

Pressão do óleo geral

Problema Causa Possível Correção


Condição da pressão do Verifique a pressão ou troque a
Bomba quebrada
óleo é má ou não válvula
funciona.
Válvula de alívio quebrada. Troque a válvula de alívio.
Cilindros quebrados. Repare ou troque.
Pressão de carga da bomba
Verifique a pressão piloto.
significativa.
Válvula trincada. Troque o conjunto da válvula.
Carretel não executa curto total. Verifique a ranhura do carretel
Superfície do tanque muito baixa. Adicione óleo de operação.
Filtro do circuito obstruído. Limpe ou troque o filtro.
Tubulação do circuito apertada. Verifique a tubulação.

Ajuste das válvulas


Válvulas de alívio principal

1. Conecte um manômetro de precisão no orifício de


entrada.
2. Acione o motor e mantenha a velocidade nominal da
bomba.
3. Mude o carretel da válvula de controle e leia o
manômetro no fim do curso do cilindro.
NOTA: Mude um carretel que a pressão ajustada do
atuador da válvula de alívio de sobrecarga é
superior à pressão da válvula de alívio
principal.
4. Ajuste da alta pressão (1º estágio) (Consulte a Figura
38 na Página 54).

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 45
A. Trave a porca (7) e aperte o bujão (8) até que o
pistão encoste-se ao passo (marca *) do bujão
(6). O torque do bujão (8) deve ser inferior a 2.0
kg•m (15 ft lb). Enquanto o bujão (8) é apertado,
o bujão (6) não deve ser girado. A distância A
(Figura 38 Solte na pagina 54) deve ser mais do
que 4,0 mm (0,16 pol.) Aperte a porca de trava
(7).
B. Solte a porca de trava (4) e gire o bujão de ajuste
(6) no sentido horário para aumentar a pressão
do passo anterior. Gire o bujão de ajuste (6) no
sentido anti-horário para diminuir a pressão de
alívio. Uma volta varia a pressão aprox. 28.4
MPa [9,290 kg/cm2 (4,120 psi)]. Aperte a porca de
trava (4) após o ajuste.
5. Ajuste de baixa pressão (segundo estágio)
A. Solte a porca de trava (7) e gire o bujão de ajuste
(8) no sentido antihoráro para abaixar a pressão
de alívio no estado de 4. Uma volta varia a
pressão aprox. 21.3 MPa [217 kg/cm2 (3,090
psi)]. Aperte a porca de trava (7) após o ajuste
de pressão.
6. Verifique novamente a pressão ajustada aumentando a
pressão mais uma vez.

Válvula de alívio de sobrecarga

ATENÇÃO!
Se a pressão da válvula de alívio principal for maior do
que a pressão especificada para ela, mude o ajuste do
conjunto da válvula de alívio principal sem ajustar a
válvula de alívio de sobrecarga.

1. Mude o carretel da válvula de controle e leia o


manômetro no fim do curso do cilindro.
2. Solte a porca de trava (3) e gire o bujão de ajuste no
sentido horário para aumentar a pressão. Item
número (69: seis locais). Uma volta varia a pressão
aprox. 21.2 MPa [216 kg/cm2 (3,075 psi)].
3. Aperte a porca de trava (3) após o ajuste. A porca de
trava (3) de ser apertada com 2.8 - 3.2 kg•m (20 - 23 ft
lb)
4. Verifique novamente a pressão ajustada aumentando
a pressão mais uma vez.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 46
DESMONTAGEM

Precauções ao desmontar
1. Desligue o motor quando a pressão do atuador não
estiver indicada.
É perigoso desmontar a válvula de controle enquanto
estiver sob pressão. O óleo em alta pressão pode
espirrar para fora ou os componentes podem ser
expulsos. AO desmontar parcialmente a válvula de
controle que está na máquina, tenha cuidado para
seguir a seguinte precaução.

ATENÇÃO!
Ao desmontar o conjunto, quando a pressão não
foi totalmente aliviada, ou a caçamba é abaixada ao
solo, é muito perigoso. Uma válvula de
levantamento numa válvula antidecaimento pode
ser expulsa e a caçamba cair ao mesmo tempo.
Sempre abaixe a caçamba ao solo e libere toda a
pressão antes de desmontar.

2. Sangre o tanque de óleo hidráulico.


3. Limpe todas as superfícies externas da válvula antes
de desmontar e proteja-a contra a sujeira e materiais
estranhos.
4. Coincida as marcas das peças desmontadas para
assegurar-se da posição de remontagem correta.
5. Troque todas as peças de vedação tais como anéis-O e
anéis de encosto.
6. Não troque carreteis pois são peças casadas com a
carcaça e a luva da válvula.
NOTA: Mais números de peças de um conjunto são
mostrados como (número de peça de
conjunto - mais número de peça)

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 47
Desmontagem do carretel principal

1. Remova o parafuso de cabeça sextavada (74, dois


locais para cada seção, distância entre cheios: 8 mm)
e capa (8, dez locais).
2. Remova o conjunto do bujão (72, largura entre faces: 8
mm) e bujão (91 largura entre faces: 22 mm) conforme
necessário.
3. Remova o anel-O (7, um local por cada seção) da
carcaça da válvula (1 e 13).
4. Remova todos os subconjuntos de carretel da carcaça
da válvula.

ATENÇÃO!
Ao remover o carretel, tome cuidado para não
danificá-lo.
Fixe uma etiqueta em cada carretel para reinstalar
na posição correta.

5. Remova o parafuso de cabeça sextavada (74, dois


locais por seção, largura entre faces: 8 mm) e capa
(12, dez locais).
6. Remova o anel-O (7, um local por seção) da carcaça
da válvula (1 e 13).
7. Desmontagem do carretel.

ATENÇÃO!
Trabalhe com o carretel preso numa morsa com
madeira (veja a Figura 37) para não riscar o
diâmetro externo do carretel.
Como Loctite é aplicado na parte roscada da
extremidade do carretel, aqueça a superfície
externa do carretel com secador industrial para
soltar o Loctite.
Aquela o carretel até que se solta com facilidade e
remova imediatamente após aquecer a 200° - 250°C Figura 37
(392° - 482°F).
Se estiver superaquecido, troque a mola.

A. Remova a extremidade do carretel (largura entre


faces: 8 mm), sede da mola e mola do conjunto
do carretel (2-6 e 14-17).
NOTA: Há uma válvula de levantamento, mola
e bujão no conjunto do carretel. Não
desmonte a menos que absolutamente
necessário. Se a desmontagem for
necessária, aqueça o carreteç por for a
para soltar o Loctite da parte roscada e
remova o bujão. Ao remontar, troque o
anel-O e o anel de encosto.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 48
Desmontagem do braço 1

1. Remova o parafuso soquete (78, largura entre faces: 5


mm) e tampa (18).
2. Remova o anel-O (23) da tampa (18).
3. Remova o carretel (19) da carcaça da válvula nas
condições de subconjunto.
4. Desmontagem do carretel.

ATENÇÃO!
Trabalhe com o carretel preso numa morsa com
madeira (veja a Figura 37) para não riscar o
diâmetro do carretel.
Como Loctite é aplicado na parte roscada da
extremidade do carretel, aqueça a superfície
externa do carretel com secador industrial para
soltar o Loctite.

A. Remova a extremidade do carretel (22, largura


entre faces: 5 mm), sede da mola (20) e mola
(21) do carretel (19).

Desmontagem da válvula de liberação de regeneração


do braço
NOTA: A peça incluindo a desmontagem é mostrada
(número de conjunto - número de peça)

ATENÇÃO!
Ao desmontar o conjunto, quando a pressão não foi
totalmente aliviada, ou a caçamba é abaixada ao solo, é
muito perigoso. Uma peça da válvula pode ser expulsa
e a caçamba cair ao mesmo tempo. Sempre abaixe a
caçamba ao solo e libere toda a pressão antes de
desmontar.

1. Remova o bujão (24, largura entre faces: 32 mm) e o


anel-O (25).
2. Remova a mola (26) e o carretel (27-1) da luva (27-2)
3. Remova a luva (27-2) da carcaça da válvula.
4. Remova o pistão (27-3), o anel-O (30) e o anel de
encosto (31) da luva (27-2).

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 49
Desmontagem da válvula de retenção de carga

ATENÇÃO!
Remover um bujão, quando a pressão não foi
totalmente aliviada, ou a caçamba não está abaixada ao
solo, é muito perigoso. Uma peça da válvula pode ser
expulsa e a caçamba cair ao mesmo tempo. Sempre
abaixe a caçamba ao solo e libere toda a pressão antes
de desmontar.

1. Remova o parafuso com encaixe na cabeça (75,


quatro locais por seção, largura entre faces: 8 mm) e
flange (37, sete locais).
2. Remova a mola (35), a válvula de levantamento (34)
(válvula de levantamento (51)) e anel-O (36) da
carcaça da válvula.

ATENÇÃO!
Tenha cuidado pois não existe válvula de
levantamento e mola na seção da válvula de
deslocamento em linha reta (seção H-H)

3. Remova o parafuso soquete (75, largura entre faces: 8


mm) e flange (52, dois locais).
4. Remova o espaçador (53) da carcaça da válvula.
Remova o anel-O (54) e o anel de encosto (55) do
espaçador (53).
5. Remova a mola (35) e a válvula cônica (34) da
carcaça da válvula.
6. Remova o bujão (72, largura entre faces: 8 mm)
(Seção C-C).
7. Remova a mola (33) e a válvula cônica (32) da
carcaça da válvula.
8. Remova o bujão (72, largura entre faces: 8 mm)
(Seção L-L).
9. Remova o espaçador (57) e a mola (33) da válvula de
levantamento (32) da carcaça da válvula.
10. Remova o bujão (92, largura entre faces: 36 mm)
(Seção GG).
11. Remova o parafuso com encaixe na cabeça (73,
quatro locais, largura entre faces: 8 mm) e flange (43).
12. Remova a mola (45), a válvula de levantamento (44) e
o anel-O (36) da carcaça da válvula.
13. Remova o bujão (46, largura entre faces: 27 mm) e o
anel-O (47).
14. Remova a mola (48) e a válvula cônica (49) da
carcaça da válvula.
15. Remova o parafuso com encaixe na cabeça (101,
quatro locais, largura entre faces: 8 mm) do corpo (96,
um local).
16. Remova o corpo (96) da carcaça da válvula. Remova a
luva (99), o pistão (97), a mola (98), o conjunto da
válvula de levantamento (100), o anel de encosto (103)
e o anel-O (104).
17. Remova o anel-O (36)

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 50
18. Prenda o corpo (96) numa morsa. Remova o bujão
(94), o pistão (95) e o anel-O (102).

Desmontagem da válvula antideslizamento

NOTA: A peça incluindo o conjunto está mostrada


(número de conjunto - número de peça)

ATENÇÃO!
Remover a sede da válvula antidecaimento, quando a
pressão não foi totalmente aliviada, ou a caçamba não
está abaixada ao solo, é muito perigoso. Uma peça da
válvula pode ser expulsa e a caçamba cair ao mesmo
tempo. Sempre abaixe a caçamba ao solo e libere toda a
pressão antes de desmontar.

1. Remova o parafuso com encaixe na cabeça (76,


quatro locais por seção, largura entre faces: 8 mm) e
conjunto da válvula antidecaimento (67, dois locais).
2. Remova o anel-O (41e 42) da carcaça da válvula.
Remova o anel-O (40-4) do conjunto do espaçador.
3. Rosqueie o parafuso com encaixe na cabeça (78,
M6*1) no espaçador e remova o conjunto do espaçado
r(40) da carcaça da válvula.
4. Remova o anel-O (40-2) e o anel de encosto (40-3).
5. Remova a mola (39) e a válvula cônica (38) da
carcaça da válvula.
6. Desmontagem do conjunto da válvula antidecaimento.

ATENÇÃO!
Remover as peças internas da válvula
antidecaimento, quando a pressão não foi
totalmente aliviada, ou a caçamba não está
abaixada ao solo, é muito perigoso. Uma peça da
válvula pode ser expulsa e a caçamba cair ao
mesmo tempo. Sempre abaixe a caçamba ao solo e
libere toda a pressão antes de desmontar.
Solte lentamente o conjunto do bujão (6—14) e o
bujão (67-3), verifique se há resistência devido a
pressão residual e remova.

A. Remova o conjunto do bujão (67-14, largura


entre faces: 38 mm) e o anel-O.
B. Remova o pistão (67-4), o carretel (67-5) e a
mola (67-7).
C. Remova o bujão (67-3, largura entre faces: 38
mm) e anéis-O (67-13).
D. Remova a luva (67-6) e a válvula cônica (67-2)
do corpo. Remova o anel-O (67-9 e 10) e o anel
de encosto (67-11 e 12) do interior da luva.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 51
E. Puxe a sede da mol a (67-16) e a mola (67-8) do
furo interno.
F. Remova o conjunto do bujão (67-15) se
necessário.
NOTA: Não remova a esfera de aço (67-14)
porque está prensada no corpo.

Desmontagem da válvula de alívio

ATENÇÃO!
Remover a válvula de alívio, quando a pressão não foi
totalmente aliviada, ou a caçamba não está abaixada ao
solo, é muito perigoso. Uma peça da válvula pode ser
expulsa e a caçamba cair ao mesmo tempo. Sempre
abaixe a caçamba ao solo e libere toda a pressão antes
de desmontar.
Não solte o bujão de ajuste para ajuste de pressão ou a
porca de trava.
O bujão de ajuste da pressão é perigoso porque a
pressão ajustada será alterada e isso pode resultar
numa situação de perigo.

1. Remova a válvula de alívio de sobrecarga (69, seis


locais, largura entre faces: 32 mm).
2. Remova a válvula de alívio principal (68, largura entre
faces: 32 mm).
3. Remova o conjunto da válvula de alívio (70, dois locais,
largura entre faces: 32 mm) e anéis-O (70-5 e 70-6).

Desmontagem da seção opcional


1. Remova o parafuso soquete (75, largura entre faces: 8
mm), tampa (88, dois locais) e anel-O (89).

Desmontagem de outros bujões


1. Remova o conjunto do bujão (60, largura entre faces:
27 mm) e o anel-O (seção J-J).

2. Remova o bujão (61, largura entre faces: 22 mm) e o


anel-O (62) (seção K-K).
3. Remova o bujão (63, largura entre faces: 5 mm)
(Seção A1-A1).
4. Remova o conjunto do bujão (92, largura entre faces:
36 mm) e o anel-O.
5. Remova o conjunto do bujão (71, largura entre faces: 6
mm) e o anel-O.
6. Remova o conjunto do bujão (72, largura entre faces: 8
mm) e o anel-O.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 52
Desmontagem do parafuso da carcaça da válvula

ATENÇÃO!
Nao desmonte o parafuso combinado (77) se for
desnecessário.
Se for necessário desmontá-lo, coloque-o na horizontal
sobre uma bancada de serviço
Prepara anéis-O de reserva (65 e 66).

1. Remova o parafuso com encaixe na cabeça (77, oito


locais, largura entre faces: 14 mm) e arruela (81, oito
locais).
2. Remova o anel-O (65 e 66) da superfície de junta
carcaça da válvula.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 53
Desmontagem da válvula de alívio principal

Largura entre Largura entre


"Anel-O" P/N: 95111-01100 faces 27 faces 30
"Anel-O" P/N: 95111-01400 Largura entre (Plugue) Largura entre
faces 36 faces 27
(Porca Sextavada) (Plugue)

Pistão Pistão JIS Anel O- Tipo

"Anel-O" P/N: 210001-00098 Largura entre faces 32

Figura 38

1. Esta válvula de alívio deve ser trocada como um


conjunto. Ao trocá-lo remova o bujão (1, largura entre
faces: 32 mm) e o anel-O (2). Se estive escapando óleo
pela porca (4), remova a porca (4) e o bujão (1) e
troque o anel-O (3). Se estive escapando óleo pela
porca (7), remova a porca (7) e o bujão (8) e troque o
anel-O (3).

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 54
Desmontagem da válvula de alívio de sobrecarga

Válvula cônica Mola "Anel-O" P/N: 95113-01100


"Anel-O" P/N: 210001-00098

Largura entre faces


31.75 Largura entre faces 17 Largura entre faces 6
(Capa) (Porca de trava) (Tensor)

Figura 39

1. Esta válvula de alívio deve ser trocada como um


conjunto. Ao trocá-la, remova a tampa (1, largura entre
faces: 32 mm) e o anel-O (2). Se estive escapando óleo
pela porca (4), remova a porca (4) e o bujão (1) e
troque o anel-O (3). Se estive escapando óleo pela
porca (7), remova a porca (7) e o bujão (8) e troque o
anel-O (3).
NOTA: Esta válvula de alívio deve ser trocada como
um conjunto. Ao trocá-la, remova a tampa (1,
largura entre faces: 32 mm) e o anel-O (2). Se
estive escapando óleo pela porca (3), remova
o kit de ajuste (3) e troque o anel-O (3).

ATENÇÃO!
Ao desmontar o kit de desmontagem, cuidado par
anão deixar as peças serem expulsas ou perder a
válvula cônica devido à força da mola.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 55
Instrução de desmontagem e montagem da válvula de
alívio de baixa pressão

"Anel-O" P/N: 95113-02100 "Anel-O" P/N: 210001-00213

Figura 40

1. Esta unidade tem a parte (D) montada sob pressão e


deve ser trocada como um conjunto completo.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 56
LIMPEZA E
INSPEÇÃO(LIMITES DE
DESGASTE E TOLERÂNCIAS)
Para procedimentos gerais de limpeza e inspeção, consulte
a seção "Procedimentos gerais de manutenção".

Limpeza
Limpe totalmente todas as peças com um fluido de limpeza
apropriado e seque-as com ar comprimido isento de
umidade. Coloque-as sobre um papel limpo ou plástico para
a inspeção.

Inspeção
Inspecione todas as peças quanto a riscos, entalhes e
outros defeitos.
1. Inspecione a superfície de alojamento da válvula de
retenção de carga quanto a riscos, arranhões, sujeira e
corrosão. Remova pequenos riscos com polimento.
Inspecione a superfície externa do carretel quanto a
arranhões e entalhes. Remova pequenos riscos com
pedra de afiar a óleo.
2. As peças deslizantes deve ser movidas levemente e os
materiais estranhos devem ser removidos de todas as
ranhuras e passagens.
3. Troque as molas danificadas, muito deformadas ou
gastas.
4. Se ocorrer mau funcionamento da válvula de alívio,
inspecione-a usado o procedimento de manutenção da
válvula de alívio.
5. Troque todos os aneis-O e aneis de encosto.
6. Após desmontar a tampa ou o bujão, verifique se há
lascas de tinta ao redor do orifício do corpo, ou do
bujão. Se lascas e tinta entrarem na válvula, podem
causar mau funcionamento ou vazamento da válvula.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 57
REMONTAGEM

Cuidados na montagem

Cuidado ao manusear aneis-O

1. Não use anel-O com defeito, riscos de manuseio.


2. Aplique graxa ou óleo hidráulico na parte de instalação
das ranhuras de anéis-O para facilitar a instalação.
3. Não estique o anel-O além do permitido.
4. Ao instalar o anel-O tome cuidado para não torcer. (Um
anel-O torcido é difícil de reassumir sua forma original
após a instalação. Isso pode causar vazamento).

Cuidado ao manusear carreteis

1. O torque nominal deve ser mantido porque o aperto


excessivo da parte roscada pode causar mau
funcionamento do carretel.
2. Cuide para que cada carretel, mola e extremidade do
carretel seja remontado como antes da desmontagem.

Método de pintar os adesivos (parte roscada e parte


roscada do braço de peças que requerem aderência)

NOTA: As roscas macho e fêmea de peãs que necessitam


aderência.

ATENÇÃO!
Ao trabalhar com Loctite, o local deve ser bem ventilado.

1. Limpeza (remoção de graxa)


Remova a graxa com vapor, acetato, etc. ou limpe
com uma solução alcalina.
2. Secagem
Seque a superfície de Loctite com ar sem umidade ou
naturalmente. Se ela não estiver completamente seca,
o efeito de Loctite fica enfraquecido.
3. Pintura com fundo
Aplique uma leve película de Loctite Primer T sobre a
superfície e aguarde três a cinco minutos para secar.
4. Aplicação de Loctite
Aplique levemente Loctite nº 274 ou equivalente em
duas ou três roscas da entrada fêmea do carretel.
Neste ponto tome cuidado para não tocar a parte
revestida da sede da mola.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 58
Sequência de submontagem

ATENÇÃO!
Verifique o número de cada peça, a posição de
instalação e as ferramentas necessárias antes da
remontagem

Montagem do carretel (carretel principal)

1. Aplique Loctite na parte roscada do carretel (2-6 e 14-


17) e instale a sede da mola, a mola e a extremidade
do carretel.
2. Após prender o carretel numa morsa com madeira
(usada na desmontagem), aperte a extremidade do
carretel. Torque de aperto: 2,04 - 2,24 kg•m (15 - 16 ft
lb).

ATENÇÃO!
Cuidado para que não entre Loctite no carretel
devido a excesso de aplicação.
Cuidado para que o funcionamento do carretel não
se deteriore devido a excesso de aperto da
extremidade.
Ao remontá-lo e A56, cuidado pois há dois tipos
diferentes de molas.

Montagem do carretel do braço 1

1. Aplique Loctite na parte roscada do carretel (19) e


instale a sede da mola (20), a mola (21) a extremidade
do carretel (22).
2. Após prender o carretel numa morsa com madeira
(usada na desmontagem), aperte a extremidade do
carretel. Torque de aperto: 1,94 - 2,24 kg•m (14 - 16 ft
lb).

ATENÇÃO!
Cuidado para que não entre Loctite no carretel
devido a excesso de aplicação.
Cuidado para que o funcionamento do carretel não
se deteriore devido a excesso de aperto da
extremidade.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 59
Conjunto da válvula antideslizamento

1. Instale o anel-O (67-9 e 67-10) e o anel de encosto (67-


11 e 67-12) na ranhura da luva (67-6).

ATENÇÃO!
Atenção na posição de instalação do anel-O e anel
de encosto.
Se eles forem invertidos o anel-O ficará danificado
e a velocidade de caída do atuador pode aumentar.

2. Insira a válvula cônica (67-2) e o carretel (67-5) no


orifício da luva.
3. Instale a sede da mola (67-16) no diâmetro menor da
extremidade da válvula cônica. Insira a mola (67-8) e o
conjunto da válvula cônica no corpo (67-1).

ATENÇÃO!
É melhor aplicar graxa na sede ao instalar a mola e
a sede da mola na sede da válvula cônica.

4. Instale a mola (67-7) e o pistão (67-4) no bujão (67-3).


5. Aperte o conjunto do bujão (67-14) com o anel-O
instalado no bujão (67-3); Torque de aperto: 15 - 16
kg•m (108 - 116 ft lb).
6. Instale o anel-O (67-13) no bujão (67-3). Instale-o no
corpo (67-1). Torque de aperto: 15 - 16 kg•m (108 - 116
ft lb).
7. Aperte o conjunto do bujão (67-15) com o anel-O
instalado no bujão (67-1). Torque de aperto: 1,4 - 1,8
kg•m (10 - 13 ft lb).

Sequência de montagem do corpo principal da válvula


de controle

ATENÇÃO!
Ao remontar a válvula de segurança, aperte firmemente
o bujão instalado no corpo.
Não solte o bujão de ajuste para ajuste de pressão ou a
porca de trava.
O bujão de ajuste da pressão é perigoso porque a
pressão ajustada será modificada e isso pode resultar
numa situação de perigo.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 60
Montagem da válvula de alívio
1. Instale a válvula de alívio principal (68). Torque de
aperto: Torque de aperto: 7,95 - 8,97 kg•m (58 - 65 ft
lb).
2. Instale a válvula de alívio de sobrecarga (68), seis
locais) em cada seção. Torque de aperto: 7,95 - 8,97
kg•m (58 - 65 ft lb).
3. Instale a sede da mola (67-16) no diâmetro menor da
válvula cônica. A seguir insira a mola (67-8) e depois
com a luva no corpo (67- 1). Torque de aperto: 11 - 12
kg•m (76 - 83 ft lb).

Montagem da válvula de retenção de carga


1. Instale o anel-O (36) no braço (1 e 2, seção D-D), lança
(1 e 2) seção E-E) e seção do giro (seção F-F) Instale a
válvula cônica (34) e a mola (35). Monte o flange (37) e
instale o parafuso com encaixe na cabeça (75). Torque
de aperto: 5,91 - 6,53 kg•m (43 - 47 ft lb).
2. Instale o anel-O (36) na seção de deslocamento (seção
H-H). Instale a válvula cônica (51) e a mola (35). Monte
o flange (37) e instale o parafuso com encaixe na
cabeça (75). Torque de aperto: 6 - 6,5 kg•m (43 - 47 ft
lb).
3. Instale o anel-O (36) na seção de deslocamento reto
(seção H-H). Monte o flange (37) e instale o parafuso
com encaixe na cabeça (75). Torque de aperto: 5,91 -
6,53 kg•m (43 - 47 ft lb).
4. Instale a válvula cônica (51) e a mola (35) em comum
(seção I-I) Insira o espaçador (53) com o anel-O (54) e
o anel de encosto (55). Torque de aperto: 3,98 - 4,49
kg•m (29 - 32 ft lb).

ATENÇÃO!
Atenção na posição de instalação do anel-O e anel
de encosto.
Se eles forem invertidos, o anel-O ficará danificado e
pode ocorrer vazamento de óleo.

5. Instale o anel-O (36) na seção opcional (seção G-G).


Instale a válvula cônica (44) e a mola (45). Monte o
flange (43) e instale o parafuso com encaixe na cabeça
(96). Torque de aperto: 6 - 6,5 kg•m (43 - 47 ft lb).
6. Aperte o conjunto do flange (92) com o anel-O. Torque
de aperto: 21 - 23 kg•m (151 - 5.090,16 cm lb).
7. Instale a válvula cônica (49) e a mola (48) na seção do
deslocamento (seção G-G). Instale o bujão (46) com o
anel-O (47). Torque de aperto: 10,91 - 11,93 kg•m (79 -
86 ft lb).
8. Seção da caçamba (seção F-F)
A. Insira o pistão (95) e o anel-O (102) no bujão (94) e
instale no corpo (96). Torque de aperto: 11 - 12
kg•m (76 - 83 ft lb).

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 61
B. Insira o anel de encosto (103), o anel-O (104), a
mola (98) e o conjunto da válvula cônica (99) e
instale no corpo (96).
C. Instale o anel-O (36) na carcaça da válvula e
aperte o corpo usando o parafuso com encaixe na
cabeça (101) Torque de aperto: 5,91 - 6,53 kg•m
(43 - 47 ft lb)
9. Insira a válvula cônica (32) e a mola (33) no braço 1
para girar a peça (seção C-C). Instale o conjunto do
bujão (72) com o anel-O. Torque de aperto: 7,44 - 8,06
kg•m (54 - 58 ft lb).
10. Insira a válvula cônica (32) e a mola (33) no espaçador
(57) no braço 3 para girar a peça (seção L-L). Instale o
conjunto do bujão (72) com o anel-O. Torque de aperto:
7,44 - 8,06 kg•m (54 - 58 ft lb).

Montagem da válvula de antideslizamento


1. Instale os anéis-O (41 e 42) na superfície do conjunto
da válvula antidecaimento da seção do braço 1 (seção
D-D) e seção da lança 1 (seção E-E)
.

2. Insira a válvula cônica (38) e a mola (39). Instale o


conjunto do espaçador (40) com o anel-O e o anel de
apoio.

ATENÇÃO!
Atenção na posição de instalação do anel-O e anel
de encosto.
Se eles forem invertidos, o anel-O ficará danificado e
pode ocorrer vazamento de óleo.
Verifique a instalação do anel-O (40-4) no conjunto d
espaçador e tenha cuidado com a direção de
instalação.

3. Instale o conjunto da válvula antidecaimento (67, dois


locais) e o parafuso com encaixe na cabeça. Torque de
aperto: 3,98 - 4,49 kg•m (29 - 32 ft lb).

Montagem da seção opcional

1. Instale o anel-O (89) na tampa (88, dois locais) e


aperte-o com o parafuso (75). Torque de aperto: 5,91 -
6,53 kg•m (43 - 47 ft lb).

Montagem da válvula de liberação de regeneração do


braço
1. Instale o anel-O (30) e o anel de encosto (31, dois
locais) no conjunto do carretel (27).
2. Instale o pistão (29) e o carretel (27) na luva. Insira a
luva na carcaça da válvula.
3. Instale o anel- (25) no bujão (27), insira a mola (26) e
instale-a na carcaça da válvula. Torque de aperto: 11 -
12 kg•m (76 - 83 ft lb).

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 62
Montagem do carretel do braço 1
1. Instale o subconjunto do carretel (19) na carcaça da
válvula.

ATENÇÃO!
Após inserir o carretel, verifique se ele desliza com
facilidade.

2. Instale o anel-O (23) na tampa (18) e aperte-o com o


parafuso (78). Torque de aperto: 0,90 - 1,10 kg•m (6,49
– 7,97 ft lb).

Montagem do carretel principal


1. Instale o anel-O (7, vinte locais) na superfície de junta
da tapa da carcaça da válvula.
2. Instale o carretel da condição de subconjuto (2-6 e 14-
17) nas mesmas posições de onde foram removidos na
desmontagem.

ATENÇÃO!
Alinhe o carretel com o orifício e insira-o
lentamente.
Após inserir o carretel, verifique se ele desliza com
facilidade.
Se o carretel for inserido quando estiver em más
condições de funcionamento com um risco, pode
causar mau funcionamento do carretel.

3. Instale o anel-O (12, dez locais) e aperte-o com o


parafuso (74). Torque de aperto: 3,98 - 4,49 kg•m (29 -
32 ft lb).
4. Instale o anel-O (8, dez locais) e aperte-o com o
parafuso (74). Torque de aperto: 3,98 - 4,49 kg•m (29 -
32 ft lb).
5. Instale o anel-O no conjunto do bujão (72) e aperte-o
nos dois lado das tampa da seção de deslocamento
reto (seção H-H). Torque de aperto: 3,98 - 4,49 kg•m
(29 - 32 ft lb).
6. Instale o anel-O (62) no conjunto do bujão (91) e
instale-o na tampa longa da seção sobressalente
(seção G-G). Instale o anel-O (62) no conjunto do bujão
(105). Instale o conjunto do bujão na tampa curta da
seção sobressalente (seção G-G) Torque de aperto:
3,98 - 4,49 kg•m (29 - 32 ft lb).

ATENÇÃO!
Ao apertar o bujão na tampa, cuidado para não
apertar em excesso. Caso contrário as roscas
podem ficar danificadas.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 63
Montagem de outros bujões
1. Instale o anel-O no conjunto do bujão (60). Torque de
aperto: 11 - 12 kg•m (76 - 83 ft lb)
2. Instale o anel-O (62) no conjunto do bujão (61). Torque
de aperto: 4 - 4,5 kg•m (29 - 32 ft lb)
3. Aperte o bujão do orifício (63); Torque de aperto: 1,4 -
1,8 kg•m (10 - 13 ft lb).
4. Instale o anel-O no conjunto do bujão (92). Torque de
aperto: 21 - 23 kg•m (151 - 167 ft lb).
5. Instale o anel-O no conjunto do bujão (71). Torque de
aperto: 1,4 - 1,8 kg•m (10 - 13 ft lb).
6. Instale o anel-O no conjunto do bujão (72). Torque de
aperto: 7.5 - 8 kg•m (54 - 58 ft lb)

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 64
Manutenção das válvulas de alívio

Remontagem da válvula de alívio principal

Largura entre Largura entre


"Anel-O" P/N: 95111-01100 faces 27 faces 30
(Plugue) (Porca Sextavada)
"Anel-O" P/N: 95111-01400 Largura entre faces 36 Largura entre faces 27
(Porca Sextavada) (Plugue)

Pistão Pistão JIS Anel O- Tipo

"Anel-O" P/N: 210001-00098 Largura entre faces 32


(Plugue)

Figura 41

1. Verifique se há sujeira e resíduos de tinta ao redor das


rodas do bujão (1,6 e 8) e porca (4 e 7). Troque o anel-
O. Limpe a parte de instalação da válvula de alívio e
carcaça da válvula. Instale a válvula e aperte o bujão (1,
largura entre faces: 32 mm). Torque de aperto: 7,95 -
8,97 kg•m (58 - 65 ft lb).
NOTA: Os valores de torque se baseiam no uso de
roscas lubrificadas.
NOTA: Se a válvula de alívio foi desmontada, ajuste
a pressão consultando "Válvula de alívio
principal", na página 45.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 65
Remontagem da válvula de alívio de sobrecarga (69,
total de 6 locais)

Válvula cônica Mola "Anel-O" P/N: 95113-01100


"Anel-O" P/N: 210001-00098

Largura entre faces


31.75 Largura entre faces 17 Largura entre faces 6
(Capa ) (Porca de trava) (Tensor)

Figura 42

1. Verifique se há sujeira ou resíduos de tinta ao redor da


tampa (1). Troque o anel-O. Limpe a parte de
instalação da válvula de alívio e carcaça da válvula.
Instale a válvula de alívio e aperte a tampa (1). Torque:
7,95 - 8,97 kg•m (58 - 65 ft lb).
NOTA: Os valores de torque se baseiam no uso de
roscas lubrificadas.
NOTA: Se a válvula de alívio foi desmontada, ajuste
a pressão consultando "Válvula de alívio de
sobrecarga", na página 46

ATENÇÃO!
Se o kit de ajuste for desmontado, tome cuidado
com a expulsão de peças pela força da mola ou
perda da válvula cônica.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 66
Remontagem da válvula de alívio de baixa pressão (70,
total de 2 locais)

"Anel-O" P/N: 951113-02100 "Anel-O" P/N: 21001-00213

Figura 43

1. Verifique se há sujeira ou resíduos de tinta ao redor do


bujão (1). Troque o anel-O (3). Instale novo anel-O (4)
na luva (2). Limpe a parte de instalação da válvula de
alívio e carcaça da válvula. Remova o bujão (1, largura
entre faces: 32 mm) da válvula de alívio. Torque: 11 -
12 kg•m (76 - 83 ft lb).
NOTA: Os valores de torque se baseiam no uso de
roscas lubrificadas.

ATENÇÃO!
As fontes de todos os torques de aperto estão
revestidas com óleo de operação.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 67
INSTALAÇÃO
1. Cuidado para não forçar a válvula de controle ao fixar a
tubulação e as mangueiras. Esforço desnecessário
pode fazer com que os carreteis fiquem presos
causando mau funcionamento da válvula de controle.
2. Aperte os parafusos de montagem alternada e
uniformemente com o torque especificado.
3. Se for preciso executar soldagem perto da válvula de
controle, esta pode ficar danificada pelo calor e salpicos
de solda. Use proteção adequada para a válvula.
4. Os orifícios de válvula devem ser cobertos com tampas,
bujões ou fita para que fiquem protegidos contra o pó e
outros materiais estranhos. até que se inicie a
instalação dos tubos.

PROCEDIMENTOS DE
PARTIDA
1. Antes de opera a máquina, assegure-se de que as
passagens de óleo e o óleo hidráulico estão limpos.
2. Óleo hidráulico com ponto de recozimento de 82° -
113°C (180° - 235°F) deve ser usado no sistema
hidráulico.
3. A pressão da válvula de alívio não deve aumentar mais
do que o especificado.
4. A diferença entre a pressão ajustada da válvula de
alívio principal e a da válvula de alívio de sobrecarga
não deve ser acima de 2.0 MPa [20.39 kg/cm2 (290
psi)]..
5. Antes de operar a máquina, o sistema hidráulico deve
ser totalmente pré-aquecido. Se a máquina for operada
com óleo hidráulico e válvula frios, cuidado com o
seguinte, para evitar engripamento devido a choque
térmico.
NOTA: Não opere a válvula de alívio principal nem a
válvula de alívio de sobrecarga subitamente
e continuamente. Circule o óleo por todos os
atuadores e pré-aquela o óleo hidráulico frio
nas linhas e componentes uniformemente.
NOTA: Trabalho leve ou combinado não deve ser
operado subitamente em tempo frio porque o
calor se desenvolve parcialmente em todos
os orifícios.

Válvula de Controle Principal SP001024


Página 68
SP0000932

Bomba de
pistão axial

1ª edição

Bomba de pistão axial SP000932


Página 1
ANOTAÇÕES

Bomba de pistão axial SP000932


Página 2
Índice

Bomba de pistão axial

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ...................................5


MODELOS APLICÁVEIS ..................................................5
MANUTENÇÃO DA BOMBA.............................................7
Posições dos componentes ............................................................ 7
Lista de peças ................................................................................. 9
Ferramentas.................................................................................. 10
Torque de aperto ............................................................................11
DESMONTAGEM............................................................12
REMONTAGEM ..............................................................15
PADRÕES DE MANUTENÇÃO DO CORPO DA
BOMBA ...........................................................................18
Mude as os padrões de peças gastas .......................................... 18
Padrões de fixação do bloco de cilindros, placa de válvula e
placa oscilante (placa da sapata).................................................. 19

Bomba de pistão axial SP000932


Página 3
ANOTAÇÕES

Bomba de pistão axial SP000932


Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5001 e acima
DX225LCA 5167 e acima

Bomba de pistão axial SP000932


Página 5
Bomba de pistão axial SP000932
Página 6
MANUTENÇÃO DA BOMBA

Posições dos componentes

VISTA “A”

Figura 1

Bomba de pistão axial SP000932


Página 7
N° Peças N° Peças
11 Conjunto de pistão e sapata 468 Bujão
13 Bloco de cilindros e válvula ® 490 Expansor
14 Bloco de cilindro se válvula (Esq.) 530 Conjunto pino inclinado
30 Conjunto da placa oscilante 532 Pistão
41 Verificação 1 Montagem 534 Batente
42 Verificação 2 Montagem 535 Batente
79 Válvula profissional 702 Anel-O
111 Eixo de acionamento 710 Anel-O
113 Eixo de acionamento 717 Anel-O
114 Engrenagem 724 Anel-O
123 Rolamento de roletes 725 Anel-O
124 Rolamento espaçador 723 Anel-O
127 Espaçador de rolamento 732 Anel-O
153 Placa de impulsão 774 Vedador de óleo
156 Bucha flexível 789 Anel de encosto
157 Mola de cilindro 792 Anel de encosto
158 Espaçador 806 Porca
211 Placa da sapata 808 Porca
250 Kit de suporte 824 Anel trava
251 Suporte 885 Pino
261 Tampa de vedação 886 Pino elástico
271 Carcaça da bomba 901 Olhal roscado
312 Bloco de válvula 953 Parafuso de fixação
401 Parafuso sextavado 954 Parafuso de ajuste
406 Parafuso sextavado 985 Tampa
466 Bujão 986 Parafuso sextavado

Bomba de pistão axial SP000932


Página 8
Lista de peças

Figura 2

Bomba de pistão axial SP000932


Página 9
Ferramentas
A tabela abaixo contém as ferramentas necessárias para a
desmontagem e remontagem da bomba T5V
Cada tipo de bomba usa diferentes parafusos e bujões.

Ferram.neces.
Ferramentas e marcadas 0
Peças
tamanhos Tipos de
bombas
Paraf c/ Bujões PT
T5V T5V Paraf. de
Ferramentas B encaixe na (rosca Bujões PF
80 112 ajuste
cbeça NPTF)
4 O O M5 BP-1/16 M8
5 O O M6 BP-1/8 M10
6 O O M8 BP-1/4 PF -1/4 M12, M14
Chave sextavada 8 O O M10 BP-3/8 PF -3/8 M16, M18
10 M12 BP-1/2 PF -1/2 M20
14 O M16,M18 BP-3/4 PF -3/4
17 O M20,M22 BP-1 PF-1,1 1/4,1 1/2
19 O O M12 VP-1/4
22 O VP-3/8
Soquete Chave 24 O O M1 6
inglesa 27 O M18 VP-1/2
30 O M20
36 O M5 VP-3/4
Chave inglesa O O tamanho médio
Mandril O O - tamanho médio
Martelo O O 1, plástico
Flyer O O TSR-1 60 para anel batente
Haste de aço O O Haste de aço grau aço, cerca de 10 x 8 x 200
Torquímetro O O Próprio para os torques especificados

Bomba de pistão axial SP000932


Página 10
Torque de aperto

Ferramentas
Torque de aperto
Peças Tamanhos Tamanho
(kgf.m) Nomes
(mm)
M5 0.7 B=4
M6 1.2 5
M8 3 6
M10 5.8 8
Parafusos soquete
(qualidade) SCL435) M12 10 10
M14 16 12
M16 24 14
M18 34 14 Chave sextavada
M20 44 17
PT 1/16 : 0.9 4
Bujões PT (qualidade) PT 1/8 1.05 5
S45C)
PT 1/4 1.75 6 Chave sextavada
Fita de rosca 1,5-2
vezes PT 3/8 3.5 8
PT 1/2 5.0 10
PF 1/4 3.0 6
PF 1/2 10 10
Bujões PT (qualidade) PF 3/4 15 14
Chave sextavada
S45C) PF 1 19 17
PF 1 1/4 27 17
PF 1 1/2 28 17

Bomba de pistão axial SP000932


Página 11
DESMONTAGEM

Leia totalmente estas instruções antes de iniciar a


desmontagem da bomba e siga os procedimentos abaixo.
Os números em parênteses após as peças referem-se às
figuras da bomba.

1. Escolha um local para desmontar a bomba.

ATENÇÃO!
1. O local deve esta limpo.
2. Forre o piso com uma folha de borracha, para evitar
a entrada de sujeira nas peças

2. Remova o pó ou ferrugem da superfície da bomba


usando óleo lubrificante.

3. Remova o bujão de drenagem (468) para drenar o óleo


hidráulico da carcaça da bomba.

ATENÇÃO!
Drene o óleo das bombas dianteira e traseira.

4. Remova os parafusos com encaixe na cabeça (412, Figura 3


413) para desmontar o regulador e a TDF.

ATENÇÃO!
1. Consulte o manual do regulador para desmontagem.
2. Consulte o manual da TDF para desmontagem.

5. Solte os parafusos com encaixe na cabeça (401), que


fixam o suporte (251) da placa oscilante, a carcaça da
bomba (271) e o bloco de válvula (312).

ATENÇÃO!
A bomba de engrenagens e outras peças, se fixada no
lado traseiro da bomba, devem ser removidas antes de
seguir com este procedimento.

Bomba de pistão axial SP000932


Página 12
6. Coloque a bomba sobre a bancada com a conexão do
regulador virada para baixo e remova a carcaça (271) e
o bloco de válvula (312).

ATENÇÃO!
1. Sempre coloque uma folha de borracha ou cosia
semelhante sobre a superfície de trabalho para
evitar dano à conexão do regulador irada para
baixo.
Figura 4
2. Ao remover a carcaça da bomba e o bloco de
válvulas, remova também a engrenagem nº 1.

7. Remova o bloco de cilindros (141) da carcaça da


bomba (271) enquanto a mantém perpendicular ao eixo
de acionamento (111) junto com o pistão (151), a placa
de impulso (153), a bucha flexível (156) e a mola do
cilindro (157).

ATENÇÃO!
Cuidado para não danificar as peças deslizantes do
bloco de cilindros, bucha flexível, sapara e placa
oscilante, Figura 5

8. Desenrosque o parafuso (406) para remover a tampa


de vedação |(F) (261).

ATENÇÃO!
1. Pode-se remove a tampa de vedação (F)(261) com
facilidade inserindo-se um parafuso (M6) no seu
orifício e removendo-a.
2. Cuidado parta não danificar o vedador de óleo
instalado na tampa de vedação (F) ao removê-la.
Figura 6

9. Desenrosque o parafuso sextavado (408) e remova a


tampa traseira (263).
10. Desengate a placa oscilante (251) da carcaça da
bomba (271) golpeando suavemente com martelo de
plástico no flange de conexão da placa oscilante no
eixo da carcaça da bomba.

Figura 7

Bomba de pistão axial SP000932


Página 13
11. Remova a placa de sapata (211) e a placa oscilante
(212) da carcaça da bomba (271).

Figura 8

12. Remova o eixo de acionamento do suporte da placa


oscilante golpeando suavemente na extremidade dos
eixos de acionamento (111, 113) com um martelo de
plástico.

Figura 9

13. Remova o bloco de válvulas (312) das placas de


válvula (313, 314).

ATENÇÃO!
Algumas vezes este procedimento é desnecessário.

14. Se necessário, remova o batente (Esq.)(534), o batente


(S)(535), o pistão servo (532), o pino oscilante (531) da
carcaça da bomba (271) e o rolamento de agulhas
(124) e o acoplamento da linha do carretel (114) do Figura 10
bloco da válvula (312).

ATENÇÃO!
1. Use uma ferramenta apropriada para remover o
pino de inclinação para evitar danos à sua cabeça.
2. Cuidado para não danificar o pistão servo, pois foi
aplicado Loctite na área de inserção do pino de
inclinação e o pistão servo.
3. Não remova o rolamento de agulhas enquanto
estiver em uso, se possível.
4. Não desenrosque a porca sextavada (808) do
suporte de placa oscilante, bloco de válvulas, ou o
valor de ajuste do volume de óleo pode mudar.

Bomba de pistão axial SP000932


Página 14
REMONTAGEM
A remontagem deve ser feita na ordem inversa da
desmontagem, mas com cuidado por:
1. Repare quaisquer peças danificas durante a
desmontagem e tenha à mão as peças de reposição.
2. Lave cada peça o suficiente com óleo lubrificante e
seque-as com ar comprimido antes de remontar.
3. Sempre aplique óleo lubrificante limpo nas peças
deslizantes antes de remontar.
4. Habitue-se a trocar os anéis-O e vedadores de óleo.
5. Aperte os parafusos de fixação e bujões com os
torquímetros corretos e com, os torques especificados
nas Normas de manutenção.
6. Para a bomba em tandem, cuidado para não misturar
as peças das bombas dianteira e traseira.
1. Instale o suporte da placa oscilante (251) na carcaça
da bomba (271) golpeando suavemente com um
martelo de plástico.

ATENÇÃO!
1. Insira o pistão servo removido, o pino de inclinação,
o batente (Esq.) e o batente (S) na carcaça da
bomba primeiro.
2. Use uma ferramenta apropriada para conectar o
pistão servo e o pino de inclinação para evitar dano Figura 11
à cabeça do pino de inclinação e pino de
realimentação. Aplique Loctite (grau médio) nos
parafusos.

2. Coloque a carcaça da bomba com sua conexão de


regulador voltada para baixo, insira a bucha de
inclinação da placa oscilante no pino de inclinação
(531) e ajuste corretamente a placa oscilante (212) em
seu suporte (251),

ATENÇÃO!
1. Use as pontas de ambos os dedos para verificar se a
placa oscilante se move suavemente.
2. Aplique graxa nas peças móveis da placa oscilante e Figura 12
seu suporte para facilitar a conexão do eixo de
acionamento.

Bomba de pistão axial SP000932


Página 15
3. Instale o eixo de acionamento (111) contendo o
rolamento (123), o espaçador de rolamento (127), e o
anel batente (824) no suporte (251) da placa oscilante.

ATENÇÃO!
1. Não golpeie o eixo de acionamento com martelo ou
coisa parecida.
2. Use um martelo de plástico para golpear
suavemente o aro do rolamento para inseri-lo e use
Figura 13
uma haste de aço para inseri-lo firmemente até o fim.

4. Insira a tampa de vedação (F)(261) na carcaça da


bomba (271) e fixe-a com os parafusos soquete (406).

ATENÇÃO!
1. Aplique uma fina cama de graxa no vedador da
tampa de vedação (F).
2. Cuidado para não danificar o vedador de óleo
durante a remontagem.
3. Para a bomba em tandem, monte as peças na tampa
traseira (263) da mesma maneira que para a tampa
Figura 14
de vedação (262).

5. Monte o subconjunto do cilindro do pistão [bloco de


cilindros (141), sub pistão (151, 152), placa de empuxo
(153), bucha flexível (156), espaçador (158), e mola do
cilindro (157)] e instale-a na carcaça da bomba
arrumando-a na linha do carretel do bloco de cilindros e
bucha flexível.

Figura 15

6. Instale a placa de válvula (313) no bloco de válvulas


(312) arranjando o pino (885)

ATENÇÃO!
Cuidado para ajustar as direções corretas de sucção e
descarga da placa de válvula.

Figura 16

Bomba de pistão axial SP000932


Página 16
7. Instale o bloco de válvulas (312) na carcaça da bomba
(271) e aperte os parafusos soque (401).

ATENÇÃO!
1. Comece a remontar da bomba traseira para facilitar
a remontagem.
2. Cuidado para não ajustar o bloco de válvula na
direção errada (o regulador de esfera deve ficar no
topo do flange de sucção no lado direito quando
visto do lado dianteiro). Figura 17

3. Insira a engrenagem nº 1 no bloco de válvula e


conecte-a na linha do carretel do eixo de
acionamento.

8. Instale ao pino de realimentação (548) do pino de


inclinação (531) na alavanca de realimentação do
regulador, conecte o regulador e a sub TDF e aperte os
parafusos soquete (413, 413).

ATENÇÃO!
Não confunda os reguladores dianteiro e traseiro entre
si. Figura 18

9. Instale o bujão de drenagem (468) para completar o


procedimento de remontagem.

Bomba de pistão axial SP000932


Página 17
PADRÕES DE MANUTENÇÃO
DO CORPO DA BOMBA

Mude as os padrões de peças gastas

Troque ou reajuste as peças cm desgaste superior às


referências abaixo. Entretanto, sempre troque quaisquer
peças que estejam visivelmente danificadas.

Referência padrão /Referências de troca


Peças e verificações Pump Types Comentários
T5V80 T5V112
0.028 0.039
Folga entre o pistão e o 0.056 Troque o pistão ou o
alojamento do cilindro 0.067 bloco de cilindros
(Veja a Figura 1)

0~0.1 -{}-0~0.1
Folga entre o pistão e a 0.3 0.3 Troque o pistão ou o
peça de prensagem da
bloco de cilindros
sapata (&) (*Veja fig.2)

3.9 4.9
Espessura da sapata (t) 3.7 4.7 Troque o pistão ou o
(Veja a Figura 2) bloco de cilindros

31.3 41.1
Campo livre da mola do 30.2 40.3 Troque a mola do
cilindros (Esq.)
cilindro
(Veja Fig. 3)

10.5 12.0
Altura da placa de empuxo 9.8 11.0 Troque a placa de
e conjunto da bucha empuxo ou a bucha
flexível (Veja a Figura 4) flexível

Bomba de pistão axial SP000932


Página 18
Fig. Folga entre o pistão e o alojamento do cilindro Fig. 3 Campo livre da mola do cilindro: L

Fig. 2 Folga ente o pistão e a peça de prensagem Fig. 4 Altura da placa de empuxo e o
da sapata: Espessura da sapata: T conjunto da bucha esférica H-h

Figure 19

Padrões de fixação do bloco de


cilindros, placa de válvula e placa
oscilante (placa da sapata)

Placa de válvula (peça deslizante) Ajuste necessário Superfície


0.8a (3.2z)
Placa oscilante Intensidade de iluminação
(peça da placa da sapata) Intensidade de iluminação da
Intensidade de iluminação cada face superfície padrão (valor Abaixo de 0.1a (0.4z) (Lopping)
do bloco de cilindros (peça deslizante) ajustado

Bomba de pistão axial SP000932


Página 19
Bomba de pistão axial SP000932
Página 20
SP0000933

Servidor da TDF

1ª edição

Servidor da TDF SP000933


Página 1
ANOTAÇÕES

Servidor da TDF SP000932


Página 2
Índice

Servidor da TDF

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ...................................5


MODELOS APLICÁVEIS ..................................................5
MANUTENÇÃO DA BOMBA.............................................7
DESMONTAGEM..............................................................8
REMONTAGEM ..............................................................10
PADRÕES DE MANUTENÇÃO DO CORPO DA
BOMBA ...........................................................................11

Servidor da TDF SP000933


Página 3
ANOTAÇÕES

Servidor da TDF SP000932


Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5001 e acima
DX225LCA 5167 e acima

Servidor da TDF SP000933


Página 5
Servidor da TDF SP000932
Página 6
MANUTENÇÃO DA BOMBA
1. Ferramentas
As seguintes ferramentas são necessárias para
desmontagem e montagem do servidor da TDF T5V.

Ferramentas B Lista de peças


Paraf. sextavado (M10)
Chave sextavada 10 Parafuso soquete do
flange (10)
Flyer
Anel trava RR-20
TRR150 /
Anel trava RR-72
TRR200

2. Torque de aperto

Valores de torque
Peças Tamanho
(kgf.m)

Parafuso sextavado
(Material: SOM435) M10 5.8
Parafuso soquete do M10 3.4
flange

Servidor da TDF SP000933


Página 7
DESMONTAGEM

Leia totalmente estas instruções antes de iniciar a


desmontagem do servidor da TDF e siga os procedimentos
abaixo.
Os números em parênteses após as peças referem-se às
figuras da bomba.
1. Escolha um local para desmontar a bomba.
NOTA: O local deve está limpo. Forre o piso com
uma folha de borracha, para evitar a
entrada de sujeira nas peças.
2. Remova o pó ou ferrugem da superfície da bomba
usando óleo lubrificante.
3. Remova o bujão de drenagem (468) para drenar o óleo
hidráulico da carcaça da bomba.
NOTA: Drene o óleo das bombas dianteira e traseira.
4. Remova os parafusos soquete e depois a bomba de
engrenagens.
5. Remova o parafuso sextavado (414) e depois a TDF.

Figura 1

6. Remova o anel-trava (827) e desmonte o eixo


intermediário (115) e remova a engrenagem 2 (117), o
rolamento d esferas (126) e o espaçador de rolamento
(128).
NOTA: Não remova o rolamento de esferas (126) da
engrenagem 2 (117).

Figura 2

Servidor da TDF SP000932


Página 8
7. Remova o anel trava (825) e desmonte a engrenagem 3
(118) e o rolamento de esferas.
NOTA: Não remova o rolamento de esferas (125) da
engrenagem 3 (118).

Figura 3

Servidor da TDF SP000933


Página 9
REMONTAGEM
A remontagem deve ser feita na ordem inversa da
desmontagem, mas com cuidado por:
1. Repare quaisquer peças danificas durante a
desmontagem e tenha à mão as peças de reposição.
2. Lave cada peça o suficiente com óleo lubrificante e
seque-as com ar comprimido antes de remontar.
3. Sempre aplique óleo lubrificante limpo nas peças
deslizantes antes de remontar.
4. Habitue-se a trocar os anéis-O e vedadores de óleo.
5. Aperte os parafusos de fixação e bujões com os
torquímetros corretos e com, os torques especificados
nas Normas de manutenção.

Servidor da TDF SP000932


Página 10
PADRÕES DE MANUTENÇÃO
DO CORPO DA BOMBA
1. Padrões para trocar peças gastas
Troque as engrenagens 2 (117) e 3 (118) cujos dentes
estejam picados (o tamanho de 1 f é o mesmo e abaixo
de 1 mm ou é mais do que 5% da área) Todas as peças
que estiverem seriamente danificadas devem ser
trocadas.

Figura 4

Servidor da TDF SP000933


Página 11
BOMBA DE
ENGRENAGENS
BOMBA DE
ENGRENAGENS

Figura 5

Referência Peças Referência Peças


886 Pino 414 Parafuso sextavado
827 Anel trava 326 Caixa de engrenagens
826 Anel trava 128 Espaçador de rolamento
825 Anel trava 126 Rolamento de roletes
728 Anel-O 125 Rolamento de esferas
712 Anel-O 118 Engrenagem 2
710 Anel-O 117 Engrenagem 2
466 Bujão VP 115 Eixo intermediário

Servidor da TDF SP000932


Página 12
SP0001646

Válvula de
controle remoto
(alavanca de
trabalho/joystick)

1ª edição

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 1
ANOTAÇÕES

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 2
Índice

Válvula de controle remoto


(alavanca de trabalho/joystick)

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ...................................5


MODELOS APLICÁVEIS ..................................................5
DESCRIÇÃO GERAL .......................................................7
Teoria de operação ......................................................................... 7
Lista de peças ................................................................................. 8
Especificações .............................................................................. 10
Torques ......................................................................................... 10
FERRAMENTAS E MATERIAIS......................................10
DESMONTAGEM............................................................11
LIMPEZA E INSPEÇÃO (LIMITES DE DESGASTE E ...14
TOLERÂNCIAS)..............................................................14
REMONTAGEM ..............................................................15
PROCEDIMENTOS DE PARTIDA ..................................21

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 3
ANOTAÇÕES

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5433 e acima
DX225LCA 5167 e acima

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 5
Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646
Página 6
DESCRIÇÃO GERAL

Teoria de operação
Estrutura
A válvula de controle remoto contém quatro hastes,
retentores de mola, carretéis e molas de retorno que se
encontram na carcaça. A válvula funciona como válvula de
redução de pressão.
A carcaça possui seis orifícios que incluem o orifício de
entrada P, o do tanque T e quatro orifícios de pressão
secundários.
O botão de buzina elétrica está instalado na manopla da
válvula. A pressão da bomba de engrenagens é usada para
acionar os carretéis de controle.

Função
1. Posição neutra
Quando a alavanca está na posição neutra, o carretel é
empurrado para cima pela mola de retorno. A força da
mola de equilíbrio, que determina a pressão de
descarga secundária, não é transmitida ao carretel.
Com o orifício de entrada fechado, a pressão do orifício
de saída é a mesma que a pressão do orifício do
tanque T.
2. Interruptor de controle
Ao pressionar a haste de empuxo começa-se a prensar
a mola de equilíbrio, cuja força é transferida ao carretel
para conectar os orifícios P e T, transferindo a pressão
piloto. A pressão de saída age na parte inferior do
carretel e pressiona-o para cima até que fia equilibrada
com a força da mola de equilíbrio.
Em resumo, a segunda pressão (pressão de saída)
muda na proporção da força de prensagem da mola de
equilíbrio.

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 7
Lista de peças

Figura 1

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 8
Número de Número de
Descrição Descrição
Referência Referência
1 Caixa 20 Guarda-pó
2 Bujão 21 Conjunto da junta
3 Bucha 22 Placa oscilante
4 Carretel 23 Porca sextavada
5 Calço 24 Porca
6 Batente A Conjunto da manopla (l.dir.)
25
7 Sede da mola Conjunto da manopla (l.esq.)
8 Batente 26 Barra
9 Batente A 27 Pino elástico
10 Batente 28 Fole
11 Batente A 29 Bucha
12 Haste de empuxo 30 Conjunto do conector
13 Batente A 31 Kit interruptor
14 Sede da mola 32 Kit carretel 1,3
15 Batente 33 Kit carretel 2,4
16 Bujão 34 Kit bujão 1, 3
17 Anel-O 35 Kit bujão 2, 4
18 Vedador da haste 36 Kit manopla (l.dir.)
19 Disco 37 Kit manopla (l.esq.)

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 9
Especificações

Desempenho
Pressão secundária (kg/cm )

Torque de operação (kgf.cm)


2

Torque de operação (kgf.cm)


Pressão secundária (kg/cm )
2
Torque de operação Torque de operação

Pressão secundária
Pressão secundária

Haste de pressão (mm) Haste de pressão (mm)

Figura 2

Torques
N° Ferramenta: Padrão Observação
2 Bujão PT 1/8 : 370 kg•m (51 pés/libra)
22 Placa oscilante 27 mm 0,660 kg•m (51 pés/libra)
Porca
23 22 mm 0,660 kg•m (51 pés/libra)
sextavada
24 Porca 22 mm 0,660 kg•m (51 pés/libra)

FERRAMENTAS E MATERIAIS
N° Ferramenta: Padrão Observação
2 Chave L PT1/8 Bujão
22 Chave 27 mm Placa oscilante
23 Chave 22 mm Porca sextavada
24 Chave 22 mm Porca

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 10
DESMONTAGEM
1. Remova o fio principal da bucha (29)

Figura 3

2. Renova o conjunto da manopla da caixa (1).

Figura 4

3. Remova a porca sextavada (23) e a placa oscilante (22)


da carcaça (1).

Figura 5

4. Remova o conjunto da junta (21) manopla da caixa (1).

Figura 6

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 11
5. Remova a placa (19) da caixa (1).

Figura 7

6. Remova o conjunto do kit do bujão, batente e mola (11)


da carcaça (1).

Figura 8

Figura 9

Figura 10

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 12
7. Remova quatro conjuntos de kit de carretel da carcaça
(1).

Figura 11

Figura 12

8. A bucha (3) e o bujão não podem ser removidos da


caixa (1).

Figura 13

Figura 14

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 13
Figura 15

Figura 16

LIMPEZA E INSPEÇÃO
(LIMITES DE DESGASTE E
TOLERÂNCIAS)
Para procedimentos gerais de limpeza e inspeção, consulte
a seção "Procedimentos gerais de manutenção".

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 14
REMONTAGEM
1. Instale quatro bujões (1) na caixa (1).

Figura 17

Figura 18

2. Instale a bucha (3) na caixa (1) usando o gabarito.

Figura 19

Figura 20

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 15
3. Cuidado ao desmontar os conjuntos de carretel (1 e 3,
2 e 4). (Eles devem ser montados da mesma maneira)
A ordem de montagem é : carretel (4), calço (5), mola
(6), sede de mola (7), e batente (8).

Figura 21

Figura 22

4. Instale a mola (9) na caixa (1).

Figura 23

5. Instale o conjunto do kit de carretel na caixa (1). (A


mesma maneira usada para as quatro peças).

Figura 24

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 16
6. Monte o vedador da haste de instalação do kit do bujão
(18), o anel (17) e a haste de empuxo (12) na devida
ordem.

Figura 25

Figura 26

7. Monte quatro molas (11) e batentes e insira o conjunto


montado na caixa (1) para formar um conjunto de kit de
bujão.

NOTA: Preste atenção nas especificações de medida


dos batentes (1 e 3, 2 e 4).

Figura 27

Figura 28

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 17
8. Instale a placa (19) na caixa (1).

Figura 29

9. Instale o conjunto da junta (21) na caixa (1).

Figura 30

10. Instale o guarda-pó e a placa oscilante (22) e a porca


sextavada (23) na caixa (1).

Figura 31

Figura 32

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 18
11. Insira a barra e aperte-a com uma chave para verificar
o equilíbrio do conjunto da junta.

Figura 33

12. Instale a bucha (29) na caixa (1).

Figura 34

13. Instale o conjunto do da alavanca na caixa (1).

Figura 35

14. Coloque o fio de entrada na bucha (29) amarre-o e


arrange o guarda-pó.

Figura 36

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 19
15. Instale o terminal do lide no terminal do conector
pressionando-os juntos.

Figura 37

16. Monte o conjunto do conector (30) e conecte-o no


terminal do lide e direcione a fiação corretamente.

Figura 38

Figura 39

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 20
PROCEDIMENTOS DE
PARTIDA
1. Acione o motor e coloque o acelerador em “MARCHA
LENTA SEM CARGA”

2. Coloque a alavanca de segurança na posição


“UNLOCK” [DESTRAVADO].

Figura 40

3. Lentamente cicle os cilindros da lança, braço, caçamba


e o motor do giro por umas cinco vezes sem carga para
sangrar o ar das linhas piloto. Faça isso por cinco
minutos.

Figura 41

Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646


Página 21
Válvula de controle remoto (alavanca de trabalho/joystick) SP001646
Página 22
SP0001647

Válvula de controle
de deslocamento
(com amortecedor)

1ª edição

Válvula de controle de deslocamento (com amortecedor) SP001647


Página 1
ANOTAÇÕES

Válvula de controle de deslocamento (com amortecedor) SP001646


Página 2
Índice

Válvula de controle de deslocamento


(com amortecedor)

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA ...................................5


MODELOS APLICÁVEIS ..................................................5
DESCRIÇÃO GERAL .......................................................7
Teoria de operação ......................................................................... 7
Válvula de redução de pressão ...................................................... 8
Teoria de operação do mecanismo amortecedor............................ 9
CAUSAS DE FALHAS E MEDIDAS................................11
Lista de peças ............................................................................... 12
Especificações .............................................................................. 14
Torques ......................................................................................... 14
REMOÇÃO......................................................................15
DESMONTAGEM............................................................16
LIMPEZA E INSPEÇÃO (LIMITES DE DESGASTE E
TOLERÂNCIAS)..............................................................18
REMONTAGEM ..............................................................19
INSTALAÇÃO..................................................................24
PROCEDIMENTOS DE PARTIDA ..................................25

Válvula de controle de deslocamento (com amortecedor) SP001647


Página 3
ANOTAÇÕES

Válvula de controle de deslocamento (com amortecedor) SP001646


Página 4
PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA

ATENÇÃO!
Siga todas as recomendações de segurança e práticas
de trabalho seguras na oficina, conforme descritas no
início deste manual ou ao longo desta seção.
Use sempre ferramentas e equipamentos que estejam
funcionando corretamente.
Use equipamentos de levantamento ou içamento com
capacidade para manusear a carga com segurança.
Lembre-se que, em última análise segurança é de sua
própria responsabilidade pessoal.

MODELOS APLICÁVEIS
O conteúdo desta seção é válido para os seguintes modelos
e números de série.

MODELO NÚMEROS DE SÉRIE


DX225LC 5433 e acima
DX225LCA 5167 e acima

Válvula de controle de deslocamento (com amortecedor) SP001647


Página 5
Válvula de controle de deslocamento (com amortecedor) SP001646
Página 6
DESCRIÇÃO GERAL

Teoria de operação
A válvula amortecedora está dividida em duas áreas de
operação. Há a