Você está na página 1de 15

Aços Inoxidáveis

• São ligas que contêm principalmente Cr


Soldagem de Aços
Teor deve estar acima de aproximadamente
Inoxidáveis 11%
Formação da camada passiva

• Algumas podem ter adição de Ni e Mo.

Aços Inoxidáveis
• Se dividem em três principais grupos
• Ferríticos
• Martensíticos
• Austeníticos

Também existe os aços duplex e os


endurecíveis de precipitação

Diagrama de Schaeffler
Aços Inoxidáveis Ferríticos Aços Inoxidáveis Martensíticos
• Apresentam percentual de Cr entre 11 e • Cromo entre 11% e 18%
30%. • Carbono entre 0,1 e 0,5% (podendo
• Carbono é relativamente baixo (inferior a chegar a 1%)
0,12%) • Altíssima temperabilidade, podem formar
• Submetidos a temperaturas superiores a Martensita mesmo quando resfriados ao
500ºC por tempo prolongado podem ar
formar precipitados que fragilizam sua • Sua resistência à corrosão é a menor de
estrutura todos os tipos.

Austeníticos
• Teores de 16 a 30% de Cr
• Teores de 6 a 26% de Ni
• Estrutura austenítica a temperatura
ambiente.
• Não são endurecíveis por tratamento
térmico
• A temperatura ambiente, Grande
Tenacidade e Alta Ductilidade. Apresenta a
melhor resistência a corrosão

DUPLEX
• Duplex: ligas Fe-Cr-Ni.
• possuem, aproximadamente, a mesma
proporção das fases ferrita e austenita
• baixo teor de carbono (<0,03%) E adições
de molibdênio, nitrogênio, tungstênio e
cobre.
• Os teores típicos de cromo e níquel
variam entre 20 e 30% e 5 e 8%,
respectivamente.
DUPLEX DUPLEX
• A vantagem dos aços duplex sobre os
austeníticos da série 300 e sobre os
ferríticos, são a resistência mecânica
(aproximadamente o dobro), maiores
tenacidade e ductilidade (em relação
aos ferríticos) e uma maior resistência a
corrosão por cloretos.

Soldagem Soldagem

Soldagem Problemas relacionados com a


soldagem em aços Inoxidáveis
• Crescimento de Grão
• Trinca Induzida pelo Hidrogênio
• Formação da Fase Sigma (σ)
• Trinca de Solidificação
• Sensitização
• CST (corrosão-sob-tensão)
• Corrosão de Linha de Faca
• Martensita no Contorno de Grão
• Nitretos
Soldagem de Aços Inox Soldagem de Aços Inox
Martensíticos Austeníticos

• Trinca de Solidificação
• Sensitização
•TIH
Na soldagem de aços austeníticos
agravar a susceptibilidade de CST.

Trinca de Solidificação
Trinca de Solidificação
• Presença de S
• Utilização de metal de solda com certa
quantidade de ferrita δ. (No máximo 8%)

TRINCA DE SOLIDIFICAÇÃO EM AÇO INOX AUSTENÍTICO


AÇO AUSTENÍTICO
AÇO INOX AUSTENÍTICO AÇO INOX AUSTENÍTICO
Ferrita δ

AÇO INOX AUSTENÍTICO


AÇO INOX AUSTENÍTICO

API 582

Trinca de Solidificação
Trinca de Solidificação Solidificação

Sensitização Sensitização

• Formação de Carbeto de Cr no Contorno


de Grão durante a soldagem.
• Ocorre entre 400 a 950°C. A faixa mais
“perigosa” na soldagem é entre 600° e
870°C.

SENSITIZAÇÃO SENSITIZAÇÃO

CINÉTICA
SENSITIZAÇÃO

PPTÇÃO DE CARBONETOS NO CONTORNO DE GRÃO

Sensitização
Prevenção

• Baixo Carbono (inferior a 0,03%).


• Resfriamento rápido
Corrosão • Adição de Nb e Ti – Elementos estabilizadores
intergranular – formadores de Carbonetos do tipo MC (NbC,
TiC, TaC);
• BAIXA Energia de Soldagem
• Tratamento Térmico em torno de 1100°C.
SENSITIZAÇÃO Sensitização

Os aços inox austeníticos são mais susceptíveis a sensitização que os


ferríticos

Table 3 Chemical compositions of austenitic stainless steels


Composition(a), %
Type/designat
UNS No. ion C Mn Si Cr Ni P S Other

Standard (AISI) grades

S30100 301 0.15 2.0 1.00 16.0-18.0 6.0-8.0 0.045 0.03 ...

S30200 302 0.15 2.0 1.00 17.0-19.0 8.0-10.0 0.045 0.03 ...

S30300 303 0.15 2.0 1.00 17.0-19.0 8.0-10.0 0.20 0.15 min 0.6 Mo(b)

S30400 304 0.08 2.0 1.00 18.0-20.0 8.0-10.5 0.045 0.03 ...
S30403 304L 0.03 2.0 1.00 18.0-20.0 8.0-12.0 0.045 0.03 ...
S30500 305 0.12 2.0 1.00 17.0-19.0 10.5-13.0 0.045 0.03 ...

S30800 308 0.08 2.0 1.00 19.0-21.0 10.0-12.0 0.045 0.03 ...

S30900 309 0.20 2.0 1.00 22.0-24.0 12.0-15.0 0.045 0.03 ...

S31000 310 0.25 2.0 1.50 24.0-26.0 19.0-22.0 0.045 0.03 ...

S31400 314 0.25 2.0 1.5-3.0 23.0-26.0 19.0-22.0 0.045 0.03 ...

S31600 316 0.08 2.0 1.00 16.0-18.0 10.0-14.0 0.045 0.03 2.0-3.0 Mo

S31603 316L 0.03 2.0 1.00 16.0-18.0 10.0-14.0 0.045 0.03 2.0-3.0 Mo

S31700 317 0.08 2.0 1.00 18.0-20.0 11.0-15.0 0.045 0.03 3.0-4.0 Mo

S31703 317L 0.03 2.0 1.00 18.0-20.0 11.0-15.0 0.045 0.03 3.0-4.0 Mo

S32100 321 0.08 2.0 1.00 17.0-19.0 9.0-12.0 0.045 0.03 5 × %C min Ti
N08330 330 0.08 2.0 0.75-1.5 17.0-20.0 34.0-37.0 0.04 0.03 ...

S34700 347 0.08 2.0 1.00 17.0-19.0 9.0-13.0 0.045 0.03 10 × %C min Nb
S34800 348 0.08 2.0 1.00 17.0-19.0 9.0-13.0 0.045 0.03 0.2 Co; 10 × %C min
Nb; 0.10 Ta
S38400 384 0.08 2.0 1.00 15.0-17.0 17.0-19.0 0.045 0.03 ...

Corrosão Linha de Faca – “Knife- Corrosão Linha de Faca – “Knife-


Line Attack” Line Attack”
• Forma específica de Corrosão Intergranular
• Ocorre em aços estabilizados.
• Surge na Zona de Ligação
• Solubilização dos Carbonetos de Nb e Ti
• Precipitação de Carbonetos de Cr
• A Precipitação dos carbonetos pode
acontecer durante o Tratamento Térmico, em
Serviço, Ciclo Térmico de passes
subseqüentes, etc.
Corrosão Linha de Faca – “Knife- Corrosão Linha de Faca – “Knife-
Line Attack” Line Attack”

Corrosão Linha de Faca – “Knife-


Line Attack”

Corrosão Linha de Faca – “Knife- Corrosão sob Tensão


Line Attack”

Solução:
•Tratamento Térmico pós Soldagem PITES

•Baixa Energia de Soldagem (*), Porém...


Soldagem de Aços Inox
Ferríticos
Crescimento de Grão
• Perda de resistência mecânica e
tenacidade

Precipitação de Carbonetos e Nitretos


Perda de resistência a corrosão
Formação de Martensita no contorno de
grão

Prevenção dos Problemas SOLDAGEM DE AÇOS DUPLEX


• Temperatura de interpasse e pré-aquecimento:
• Diminuição do Aporte Térmico Dependendo do tipo não deve exceder a
temperatura de 150°C.
• Utilização de pré-aquecimento* • Pós aquecimento: Não recomendado
• Utilização de aços austeníticos como • Aporte Térmico.
metal base Entre 0,5 -1,5KJ/mm
• Microestrutura livre de impurezas e
intermetálicos
• Ferrita entre 60-70%
• Dureza – Não superior a 28HRC
Formação da Fase Sigma (σ)
• A fase sigma nos aços inoxidáveis é um
composto intermetálico, com composição
Fe-Cr, que é muito duro. Forma-se
quando o material é exposto por tempo
prolongado na faixa de temperatura entre
600 e 475ºC. A precipitação desta fase é
acompanhada por um aumento de dureza
e intensa perda de ductilidade.

Formação da Fase Sigma (σ) Formação da Fase Sigma (σ)

Formação de Fase Sigma (σ) SUPER DUPLEX


Duplex e Inox Austeníticos Duplex

Diagrama de Schaeffler

• Possibilita prever a microestrutura do


metal de solda com base na sua
composição química
• Importante conhecer a Diluição

Diagrama de DeLong (1973)


Diagrama de Schaeffler
• Exemplo Prático:
Metal Base Eletrodo
AISI 430 AWS E 309
C: 0,03 % C: 0,06 %
Mn: 0,9 % Mn: 0,7 % Diluição: 30%
Si: 0,4 % Si: 0,7 %
Cr: 17,3 % Cr: 22,1 %
Ni: 1,5 %

Qual a quantidade de ferrita do MS?


Para que conhecer a quantidade de ferrita δ?

Creq  Cr  Mo  1,5Si  0,5 Nb Metal base:


Creq: 17,9 e Nieq: 1,4

Ni eq  Ni  30C  0,5Mn Metal de adição:


Creq:23,2 e Nieq: 14,7

DIAGRAMA WRC
DIAGRAMA WRC DIAGRAMA WRC

Solidificação