Você está na página 1de 13

Em uma análise inicial, pontua-se que o delineamento de pesquisa é uma maneira de

mostar como a pesquisa foi feita, a partir da exploração da metodologia e dos


procedimentos usados a fim de coletar os dados

Tipos de delineamento:

Antes de definir o delineamento da pesquisa no trabalho, é primordial a consideração


do procedimento adotado para coleta, uma vez que há dois grupos: fontes de papel
(pesquisa bibliográfica e documental) e informações que são oobtidas por intermédio
de pessoas e experimentos (pesquisa experimental, ex-post facto, levantamento, o
estudo de caso, pesquisa ação).

Pesquisa bibliográfica

A pesquisa bibliográfica é uma pesquisa feita mediante fontes bibliográficas, tais como
livros e artigos científicos. O respectivo autor tem, em consideração, as obras de outros
autores para conduzir seu estudo exploratório. Dessa forma, para o Autor extrair
informações, aplica a técnica de análise de conteúdo. Sua Pesquisa Bibliográfica será
feita mediante levantamento de referências teóricas já analisadas e publicadas
anteriormente através por meios escritos e eletrônicos, como livros, artigos científicos,
páginas na internet.

Tal pesquisa possui como base de dados bibliográficas: citações ou referências


bibliográficas e, também, resumos dos trabalhos. Ressalta-se que qualquer trabalho
científico será iniciado por uma pesquisa bibliográfica, permitindo ao pesquisador
conhecer o que se estudou anteriormente sobre o assunto. Para Fonseca, 2002, pag.
32, ''Há pesquisas científicas que se baseiam simplesmente na pesquisa bibliográfica,
através das referências teóricas publicadas com o objetivo de recolher informações ou
conhecimentos prévios sobre o problema a respeito do qual se procura a resposta”.

FONSECA, João José Saraiva da. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC,
2002.

A importância da Pesquisa Bibliográfica é fundamentada nos conhecimentos da


Biblioteconomia e tem como escopo permitir que opesquisador obtenha acesso a
literatura referente ao tema da pesquisa. Tal pesquisa permite a cobertura de
informações e dados dispersos em diferentes fontes de informação. Além disso, é
imprescindível para a realização de diversos estudos, sejam históricos, biográficos,
científicos, etc., devendo ser realizada para fundamentar um objeto de estudo.
Diante disso, há a vantagem do pesquisador do estudo bibliográfico de ter a
capacidade de coletar dados sobre diversos fenômenos, não tendo a necessidade de ir
à campo.

EXEMPLO

Pesquisa documental

A pesquisa documental, bem como outros tipos de pesquisa, tem como escopo a
produção novos conhecimentos, bem como a criação de novas formas de
compreender os fenômenos, a fim de dar a conhecer a forma como estes têm sido
desenvolvidos. A pesquisa documental tem como foco analisar documentos, tais como:
reportagens de jornal, cartas, contratos, gravações, filmes, fotografias, diários,
relatórios de empresas, tabelas estatísticas e documentos oficiais.

É usada na perspectiva de compreender informações contidas nos documentos,


contribuindo com a área na qual ele se insere, seja na área da educação, saúde,
ciências exatas e biológicas ou humanas. A pesquisa documental consiste no exame
de materiais que ainda não foram trabalhados ou que podem ser reexaminados,
buscando-se novas interpretações ou informações complementares. O método
utilizado para analisar os documentos chama-se de “método de análise documental”.

Na ótica de Oliveira, ''De maneira diversa à da pesquisa documental, a pesquisa


bibliográfica, corresponde a uma modalidade de estudo e de análise de documentos
de domínio científico, sendo sua principal finalidade o contato direto com documentos
relativos ao tema em estudo. Neste caso, é importante a certificação de que as
fontes pesquisadas já são reconhecidas de domínio público.''

M. M. Oliveira, “Como fazer Pesquisa Qualitativa”. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

A pesquisa documental, assim como qualquer outra abordagem, apresenta


vantagens e desvantagens em relação aos demais métodos. Dentre as vantagens,
destaca-se o fato dos documentos constituírem uma fonte estável e rica; possuem
baixo custo financeiro; servem para validar ou complementar informações obtidas
por outras técnicas de coleta de dados. Outra vantagem dos documentos é o fato
deles serem uma fonte não reativa, permitindo a obtenção das informações mesmo
após longos períodos de tempo, podendo ser considerados uma fonte natural de
informação contextualizada.

EXEMPLO
Pesquisa experimental

O experimento é considerado a pesquisa científica mais vantajosa, uma vez que o


Autor pode avaliar com precisão o objeto de estudo, considerando as variáveis que
influenciam nos resultados. Diante disso, a pesquisa experimental tem como finalidade
testar ideias que dizem respeito à convicção do pesquisador.

A pesquisa experimental tem como fases:

1-Definição do Contexto

A finalidade do experimento é estabelecido em termos do problema existente, objetivos


e metas.

2-Planejamento

Determina-se o projeto do experimento, sendo a instrumentação preparada e as


ameaças ao experimento avaliadas.

3-Execução

Suas devidas medições são realizadas.

4-Análise e Interpretação

Analisa-se os dados coletados com suporte estatístico.

5-Apresentação e Empacotamento

Os resultados são apresentados.

Exemplo

Pesquisa ex-post-facto

Esse tipo de delineamento propõe a descrição de fatos já ocorridos, com a coleta de


dados realizada após a ocorrência. O pesquisador deve medir tudo o que aconteceu
depois de um fato, utilizando a aplicação de questionários ou entrevistas.

Ex-post facto significa “a partir do fato passado”.


Essa forma de pesquisa é responsável por verificar a existência de relação com o que
aconteceu depois de um fato.

Ela estuda uma variável imutável que não pode ser alterada e encontra dados para
comparação com outra variável.

O que influenciou, quais as causas e consequências da mudança desse fato, e etc…

A pesquisa ex-post-facto é utilizada também quando há impossibilidade de aplicação


da pesquisa experimental.

Objetivo de uma pesquisa ex-post-facto

Investigar possíveis relações de causa e efeito. Observar quais consequências


existentes e procurar refazer o caminho de volta através de dados.

Características de uma pesquisa ex-post-facto

Não é possível manipular as variáveis independentes, pois elas já chegam prontas para
a pesquisa. Ela lida com variáveis que tem a natureza de não serem manipuladas.

Levantamento de campo

Quando se deseja conhecer o comportamento de uma determinada amostra, é


pertinente realizar um levantamento, também chamado de survey.

Nesse tipo de pesquisa, perguntas são feitas diretamente a um grupo significativo, a


fim de conhecer os aspectos psicológicos e psicossociais.

Vantagens e Desvantagens em utilizar a pesquisa ex-post-facto

Vantagem: É útil para pesquisas que não se pode controlar as variáveis.


Desvantagem: Falta de controle sobre as variáveis independentes.

Exemplos de pesquisa ex-post-facto

A pesquisa ex-post-facto é bastante utilizada nas ciências sociais, pois permite a


investigação de determinados dados econômicos e sociais. Por exemplo:

Uma indústria é instalada em uma cidade. Após a instalação dessa indústria você pode
investigar quais alterações essa cidade teve.

Um Terremoto na China: Após esse terremoto como as pessoas estão vivendo. Quais
foram os impactos sociais nas cidades mais pobres e como o governo está ajudando
essas pessoas.

Troca de governo: Quais foram as mudanças nos Estados Unidos após a troca do
governo.

Fechamento de uma rede de lojas em um estado: Qual foi a alteração da economia no


estado após esse fechamento. Como está sendo controlado o desemprego após esse
fato.

Olimpíadas no Brasil: O que mudou nas escolas de atletismo após a passagem das
olimpíadas pelo pais.

Estudo de caso

No estudo de caso, o fato é investigado considerando um contexto. Utiliza-se fontes de


evidência para embasar os argumentos. Poucos objetos são alvo da análise, portanto,
tem como realizar uma investigação mais ampla e detalhada.

O propósito de um estudo de caso é reunir informações detalhadas e sistemáticas

sobre um fenômeno (PATTON, 2002). É um procedimento metodológico que enfatiza

entendimentos contextuais, sem esquecer-se da representatividade (LLEWELLYN;

NORTHCOTT, 2007), centrando-se na compreensão da dinâmica do contexto real

(EISENHARDT, 1989) e envolvendo-se num estudo profundo e exaustivo de um ou

poucos obje
Um estudo de caso é uma história de um fenômeno passado ou atual, elaborada a

partir de múltiplas fontes de provas, que pode incluir dados da observação direta e
entrevistas

sistemáticas, bem como pesquisas em arquivos públicos e privados (VOSS;


TSIKRIKTSIS;

FROHLICH, 2002). É sustentado por um referencial teórico, que orienta as questões

e proposições do estudo, reúne uma gama de informações obtidas por meio de


diversas

técnicas de levantamento de dados e evidências (MARTINS, 2008).

Nesta mesma linha, entre os principais benefícios na condução de estudo de caso,

destacam-se: (a) o aumento da compreensão e do entendimento sobre os eventos


reais

contemporâneos (MIGUEL, 2007), além de permitir uma descrição (EISENHARDT,

1989; ROESCH, 1999); (b) o teste de uma teoria existente (EISENHARDT,

1989; GUMMESSON, 2007; VOSS; TSIKRIKTSIS; FROHLICH, 2002); e (c) o

desenvolvimento de uma nova teoria (ALCÁZAR; FERNÁNDEZ; GARDEY, 2008;

GUMMESSON, 2007; MIGUEL, 2007; VOSS; TSIKRIKTSIS; FROHLICH, 2002).

etnografica

Dentre as abordagens metodológicas na pesquisa qualitativa

etnometodologia tem suas raízes plantadas na fenomenologia, com marcas do

interacionismo simbólico e da sociologia weberiana. O senso comum é valorizado

para a compreensão do social e o observador procura interpretar aquilo que o

sujeito já havia interpretado dentro do seu universo simbólico. É um estudo de

significado da “vida diária”. É uma postura/posição metodológica que se opõe aos

modos tradicionais de manipular os problemas de ordem social (essência vista “de

fora”), colocando que ela se cria na própria interação, sendo uma forma nova de

apreender a realidade, sabendo que nenhuma delas consegue apreendê-la


totalmente (BRAGA, 1988). Cabe destacar que, nesta modalidade de investigação,
observação, descrição

e análise das tradições da população que está sendo estudada, são passos essenciais

para sua compreensão. Por outro lado, julgamento, avaliação e ou configuração das

condutas observadas mão fazem parte desta metodologia. Conseqüentemente, o êxito

deste tipo de investigação depende em grande parte da sensibilidade do pesquisador

diante das situações com as quais se depara e da interação que estabelece com a

população em estudo. Através do “tato conquistará o respeito e a confiança das

pessoas e definitivamente seus materiais serão mais ricos”, HERSKOVITS (1963, p.

104).

ições rígidas e apriorística de hipótese, pois, ao mergulhar na situação, o

problema inicial da pesquisa deverá ser revisto e aprimorado;

2) o pesquisador deve realizar a maior parte do trabalho de campo

pessoalmente, pois a experiência direta com a situação em estudo permite um

contato íntimo e pessoal com a realidade estudada;

3) o trabalho de campo deve permitir uma longa imersão na realidade

para entender as regras, costumes e convenções que governam a vida do grupo

estudado;

4) o pesquisador deve ter tido uma experiência com outros povos de

outras culturas, pois o contraste com outras culturas ajuda a entender melhor o

sentido que o grupo estudado atribui às suas experiências;

5) a abordagem etnográfica combina vários métodos de coleta, sendo

que os principais são: observação participante e entrevista com informantes.

Entretanto, além destes, outros métodos podem ser usados, como os

levantamentos, as histórias de vida, a análise de documentos, testes


psicológicos, videotypes, fotografias e outros;

6) o relatório etnográfico apresenta uma grande quantidade de dados

primários, que permitem, além de descrições precisas da situação estudada,

ilustrar a perspectiva dos participantes, isto é, a suas maneira de ver o mundo e a

suas próprias ações.

exemplo Assim sendo, a compreensão dos fenômenos, eventos e situações

de enfermagem que apresentam características de ações em desenvolvimento

Rev. Latino-am.enfermagem - Ribeirão Preto - v. 4 - n. 1 - p. 21-30 - janeiro 1996 27


(saúde, bem estar, o processo de cuidar, o processo de trabalho em enfermagem, o

processo de ensino-aprendizagem) constituem objeto de estudo apropriado nesta

abordagem.

levantamento

A pesquisa de levantamento é um tipo de pesquisa que se realiza para a obtenção de


dados ou informações sobre características ou opiniões de um grupo de pessoas,
selecionado, em termos estatísticos, como representante de uma população.

Deste modo, pode ser utilizada para TCC, monografias e diversos tipos de trabalhos
acadêmicos e tipos de pesquisas.

OBJETIVO DA PESQUISA DE LEVANTAMENTO

Deste modo, a pesquisa de levantamento visa descrever a distribuição das


características ou de fenômenos que ocorrem naturalmente em grupos da população.

Por isso, todas as pesquisas de levantamento conduzidas adequadamente


compartilham características comuns que se tornam excelentes para utilizar o método
descritivo sobre as atitudes e opiniões das pessoas.

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DAS PESQUISAS DE LEVANTAMENTO

As pesquisas de levantamento também se caracterizam por usarem um conjunto


predeterminado de questões para todos os respondentes.

Neste sentido, podem ser utilizadas respostas orais, escritas ou inseridas por meio de
computador, que constituem os principais dados obtidos em um levantamento.

Assim, ao utilizar o mesmo fraseado e a mesma ordem de perguntas, é possível


sintetizar as visões de todas as pessoas que responderam, de forma objetiva.

PESQUISA DE LEVANTAMENTO QUANTITATIVA E DE CAMPO

A pesquisa de levantamento é um tipo de estudo de campo que visa a coleta os dados


investigando o objeto de estudo no seu meio.

Neste sentido, as pesquisas de levantamento são mais adequadas para pesquisas


descritivas.

Em seu viés de campo, ela se refere à solicitação de informações a um grupo de


pessoas antecipadamente selecionadas, acerca de um problema de estudo.

Além disso, se caracteriza pela interrogação direta das pessoas cujo comportamento
se deseja conhecer.

Portanto, as informações obtidas de um grupo significativo de pessoas sobre do


problema em questão será analisado de forma quantitativa. Do modo a obter
conclusões correspondentes aos dados coletados.

METODOLOGIA DA PESQUISA DE LEVANTAMENTO

Um projeto de pesquisa de levantamento apresenta uma descrição de abordagem


quantitativa ou numérica de tendências, atitudes ou opinião de uma população.
A partir dos resultados da amostra se faz a generalização ou afirmações sobre a
população.

Um exemplo da metodologia na psicologia, é o questionário. A pesquisa de


levantamento é usada para avaliar os pensamentos, opiniões e sentimentos das
pessoas; os levantamentos podem ser específicos e de âmbito limitado ou mais globais
em seus objetivos.

A pesquisa de levantamento é realizada através da técnica de amostragem.

As pesquisas de levantamento implicam, em geral, a construção de instrumentos de


coleta de dados, como questionários, entrevistas e formulários.

Tendo sido recolhidos os dados das amostras, passa-se à fase de sua interpretação,
para a qual se elege determinado número de categorias, que servem para a
classificação e tabulação das informações.

Para a análise dos cálculos estatísticos deve-se compreender: percentagens, médias,


moda, correlações, desvio-padrão e margem de erro.

EXEMPLOS DE PESQUISA DE LEVANTAMENTO

Por exemplo, quando se quer avaliar a opinião dos eleitores a respeito dos candidatos
às próximas eleições a pesquisa de levantamento é um ótimo meio.

Ainda, quando se quer estimar a opinião de estudantes à respeito de algum assunto.

Ou para conhecer a distribuição de audiência da TV.

Além disso, quando se quer descrever as características ou perfil dos pacientes que
frequentam um ambulatório ou a emergência de um hospital ou de uma Clínica-escola
de Psicologia.
Note que, em todos os exemplos estamos sempre descrevendo as características de
um grupo de pessoas, sejam referentes à opiniões, à problemas clínicos, aspectos
sócio-demográficos dos sujeitos ou à aspectos da personalidade.

Além disso, são muito eficazes para estudos de comportamento do consumidor e para
o estudo de opiniões e atitudes.

estudo de campo

A pesquisa de campo é uma fase que é realizada após o estudo bibliográfico, para que
o

pesquisador tenha um bom conhecimento sobre o assunto, pois é nesta etapa que ele
vai

definir os objetivos da pesquisa, as hipóteses, definir qual é o meio de coleta de dados,

tamanho da amostra e como os dados serão tabulados e analisados. As pesquisas de


campo

podem ser dos seguintes tipos (MARCONI & LAKATOS, 1996):

Quantitativas–Descritivas: investigação empírica, com o objetivo de conferir

hipóteses, delineamento de um problema, análise de um fato, avaliação de programa e

isolamento de variáveis principais (MARCONI & LAKATOS, 1996). É uma pesquisa

quantitativa, que usa técnicas de coleta de dados, que podem ser: entrevistas,
questionários,

formulários, etc.

b) Exploratórias: tem como finalidade aprofundar o conhecimento do pesquisador sobre

o assunto estudado. Pode ser usada, para facilitar a elaboração de um questionário ou


para

servir de base a uma futura pesquisa, ajudando a formular hipóteses, ou na formulação

mais precisa dos problemas de pesquisa (MATTAR, 1996). Também visa clarificar

conceitos, ajudar no delineamento do projeto final da pesquisa e estudar pesquisas


semelhantes, verificando os seus métodos e resultados. Como método de coleta de
dados,

utiliza questionários, entrevistas, observação participante, etc.

c) Experimentais:

Técnicas de Coleda de Dados

Numa pesquisa exploratória podem ser utilizados questionários, entrevistas,


observação

participante e análise de conteúdos, etc.. Segundo OLIVEIRA (1997), a escolha do


método

e técnica utilizada, depende do objetivo da pesquisa, dos recursos financeiros


disponíveis,

da equipe e elementos no campo da investigação. Como não é objetivo dessa pesquisa

estudar os meios de comunicação em massa e as atitudes e opiniões da sociedade


sobre o

QFD, foram desconsideradas as técnicas de análise de conteúdo, medidas de opiniões,

medidas de atitudes. Também foi desconsiderada a técnica da observação participante,

devido ao tamanho da amostras. A pesquisa selecionou três técnicas, que poderiam ser

usadas separadamente ou em conjunto para atender os objetivos do estudo: entrevista,

questionário, formulário.

3.1 Formulários

Os formulários consistem em um conjunto de questões que são perguntadas e


anotadas

por um entrevistador durante uma entrevista face a face (MARCONI & LAKATOS,
1996).

Pode–se concluir que ele é, um questionário usado para realizar a entrevista pessoal.

BOYD & WETFALL (1964) classificam o questionário pelos métodos de comunicação

usados: entrevista pessoal, por telefone ou pelo correio. MATTAR (1996), entretanto,

classifica não o questionário, mas o método da comunicação, como entrevista pessoal,


por

telefone e questionário autopreenchido. Deste modo, o fato de uma lista de questões


ser

chamada de formulário, vai depender do método da comunicação utilizado.

3.2 Entrevista

O método da entrevista se caracteriza pela existência de um entrevistador, que fará

perguntas ao entrevistado anotando as suas respostas. A entrevista pode ser feita

individualmente, em grupo, por telefone ou pessoalmente (MATTAR, 1996). Segundo

MARCONI & LAKATOS (1996

3 Questionário

O questionário é um conjunto de perguntas, que a pessoa lê e responde sem a


presença

de um entrevistador. Ele pode ser enviado via correio, fax, Internet, etc., sendo
devolvido,

geralmente, pelo correio. Os questionários podem ser de quatro tipos diferentes:

a) Estruturado não disfarçado: