Você está na página 1de 6

1 (Juiz de Direito/ TJMS 2006) Gertrudes, moça pacata, com 20 anos

de idade, residente no sítio Pica-pau, filha de pai rude e violento, às


escondidas, manteve um relacionamento amoroso com Vivaldo Borba,
engravidando. Envergonhada, com medo de seu pai e em respeito a sua
família e conhecidos, conseguiu manter a gravidez em segredo até que,
depois de muito esforço, provocou o parto dando à luz uma criança do
sexo masculino. Ainda no estado puerperal, para ocultar sua desonra,
levou a criança para local diverso deixando-a debaixo de uma árvore,
sem prestar-lhe a assistência devida, razão pela qual veio esta a falecer.
Gertrudes praticou o crime de:

a) Infanticídio;
b) Abordo provocado pela própria gestante;
c) Homicídio privilegiado, impelido por relevante valor social, moral;
d) Abandono de recém nascido.

COMENTÁRIOS
Art. 134 – Expor ou abandonar recém-nascido, para ocultar
desonra própria:

2. Quanto à violação de domicílio é INCORRETO afirmar que:


a) Se dá de forma qualificada, quando cometida durante a noite, ou em
lugar ermo;
b) é crime comissivo e omissivo, conforme o caso;
c) Não admite tentativa;
d) A expressão casa compreende compartimento não aberto ao público,
onde alguém exerce profissão ou atividade.
COMENTÁRIOS
Art. 150 – Entrar ou permanecer, clandestina ou astuciosamente, ou
contra a vontade expressa ou tácita de quem de direito, em casa alheia
ou em suas dependências.

3. (Ministério Público/PR 2004) Assinale a alternativa correta:


a) As circunstâncias qualificadoras de natureza objetiva não se
comunicam entre os concorrentes;
b) Os motivos que qualificam o delito e as elementares de caráter
pessoal sempre se comunicam entre os concorrentes;
c) A participação só é punível se a conduta do autor caracterizar, ao
menos, uma tentativa do crime;
d) Instigação e induzimento são formas de cumplicidade para a prática
do delito;
e) Admite-se participação culposa e dolosa em crime culposo.

COMENTÁRIOS
A e b – art. 30 “Não se comunicam as circunstancias e as condições de
caráter pessoal, SALVO QUANDO ELEMENTARES DO CRIME”.

4. Assinale a alternativa correta:


a) O homicídio é crime de ação múltipla (ou conteúdo variado), pois
admite inúmeras formas de execução;
b) Nos crimes de perigo concreto não se admite a contraprova da
existência do risco a que o agente, com sua conduta típica, submeteu o
bem jurídico protegido;
c) Crime falho é aquele em que o agente, por ineficácia absoluta do meio
ou por absoluta impropriedade do objeto, não consegue consuma-lo;
d) O rapto (art. 219) é um exemplo de crime de tendência interna
transcendente;
e) Nos crimes de dano, o juiz, para fixar o quantum da pena-base, deve
considerar o resultado típico como uma conseqüência do crime.

COMENTÁRIOS
O delito de tendência interna transcendente é o que exige dolo eventual.
a) O crime de homicídio é considerado como de forma livre,. Crimes de
ação múltipla é como o art. 33 da Lei de Drogas que prevê 18 núcleos
verbais, ou seja, 18 possibilidades de se cometer o crime.

5. (Ministério Público SP/2006) Em relação ao crime de assédio sexual,


previsto no art. 216-A do Código Penal, assinale a alternativa correta:
a) O sujeito ativo do crime não pode ser mulher;
b) O sujeito ativo deve se prevalecer de superioridade hierárquica
ou ascendência decorrente de emprego, cargo ou função;
c) Somente se consuma com a prática efetiva da vantagem ou
favorecimento sexual.;
d) Não tem aplicabilidade quando o sujeito ativo e o sujeito passivo
pertencem ao mesmo gênero sexual;
e) Para sua caracterização é imprescindível que o sujeito ativo se utilize
de violência ou grave ameaça.

6. Em relação ao crime de roubo e suas modalidades, descritas no art.


157 do Código Penal, assinale a alternativa correta:

a) O emprego de arma imprópria, como uma tesoura, não qualifica o


crime;
b) A prática do crime em concurso com adolescente inimputável não
implica reconhecimento da qualificadora do concurso de agentes;
c) Se, após a subtração, durante a fuga, atingida por disparo
involuntário de um dos agentes, uma das vítimas vem a falecer,
apenas o autor do disparo responderá por latrocínio;
d) Subtraído o bem sem que a vítima se aperceba, a ameaça
proferida em seguida para assegurar a subtração caracteriza o
crime;
e) Somente se consuma a infração quando o agente se locupleta
com a subtração do bem.

COMENTÁRIOS
e) Súmula 610 STF “Há crime de latrocínio, quando o homicídio
se consuma, ainda que não realize o agente a subtração de bens
da vítima.”
7. (Ministério Público/PR 2004) Assinale a alternativa correta:

a) Os crimes de mera conduta consumam-se no momento em que


ocorre o resultado de dano previsto no tipo;
b) Consumação material não é sinônimo de exaurimento;
c) Os crimes formais têm a execução e o resultado de dano
protraídos no tempo;
d) Os crimes omissivos próprios e os crimes comissivos por omissão
consumam-se no último momento em que o agente deveria ter
praticado a ação esperada;
e) Os crimes dolosos materiais e os preterdolosos consumam-se
no instante em que ocorre o resultado típico.

COMENTÁRIOS
Crime de mera conduta: a lei não exige qualquer resultado
naturalístico, bastando a ação ou omissão do agente. Por
exemplo, ato obsceno.
Crime formal: não há necessidade da realização daquilo que é
pretendido pelo agente, por exemplo, ameaça, que basta ameaçar
não exigindo que a vítima se sinta ameaçada.
Crime permanente e crimes instantâneos de efeito permanente.
Crime omissivo próprio é os que são descritos com uma conduta
negativa (omissão de socorro)
Crime omissivo impróprio (ou comissivo por omissão) é a
transgressão dum dever jurídico, quando há a necessidade de agir
e o agente se nega.

8. (Juiz Federal/TRF 1ª – 2005) Quatro pessoas (maiores de 18 anos)


associaram-se no Estado do Amazonas, fronteira com a Colômbia, para
falsificação de uma partida de papel-moeda e subseqüente exportação,
venda, troca e de modo geral, sua introdução em circulação. Foram
presos em flagrante quando empacotavam as cédulas falsificadas,
sendo também apreendidos os equipamentos de falsificação. Com tais
ações, em tese, praticaram:

a) Crimes de quadrilha ou bando, posse de petrechos para


falsificação de moeda e moeda falsa;
b) Crimes de quadrilha ou bando e moeda falsa;
c) Crimes de posse de petrechos para falsificação de moeda e moeda
falsa;
d) Apenas crime de moeda falsa.

COMENTÁRIOS
O crime de quadrilha exige o vínculo permanente com a finalidade
preordenada de cometer crimes (art. 288); Se houve crime de
moeda falsa(art. 289), esta absorve o crime de posse de petrechos
para fabricação de moeda falsa (art. 291), que é apenas delito
meio.

9. O conflito aparente de normas penais é resolvido:

a) Pelos princípios da especialidade, da subsidiariedade e da


consunção, alguns autores incluem também o princípio da
alternatividade;
b) Pelos princípios da especialidade e da consunção, não dizendo
respeito à questão o princípio da subsidiariedade, que é relativo à
ação penal;
c) Exclusivamente pelo princípio da especialidade;
d) Pelos princípios da especialidade e da subsidiariedade.

COMENTÁRIOS
Especialidade: a lei que contém elementos especializadores em
realação à lei geral, ao tipo fundamental, como o crime de
infanticídio e o homicídio.
Subsidiariedade: A lei subsidiária é um “soldado de reserva”, nos
dizeres de Nelson Hungria. Pode ser expressa ou tácita.
Consunção: O crime meio e o crime fim (petrechos para
fabricação de moeda absorvido pelo crime de moeda falsa)
Alternatividade: Aplicação dentro do mesmo tipo penal, como, por
exemplo, o art. 33 da Lei de Drogas.

10. (OAB/SP) João atira visando matar José, que já estava morto, em
razão de ataque cardíaco. É correto afirmar que esta situação:

a) Configura crime impossível ou de tentativa inidônea;


b) Diz respeito a crime de homicídio tentado;
c) Configura o que se denomina “crime de ensaio”;
d) É a chamada tentativa branca

11. (Juiz de Direito/TJMG 2006) Relativamente ao crime de perigo de


contágio venéreo é incorreto afirmar que:

a) Se a vítima já está contaminada, o crime é impossível por


impropriedade absoluta de meio;
b) O exercício da prostituição por um dos sujeitos não exclui o
delito;
c) Para a configuração do delito não é necessário o contágio,
bastando a exposição;
d) O consentimento do ofendido nas relações sexuais, sabendo
do risco da contaminação, exclui a responsabilidade penal.

12. (Juiz de Direito/TJSP 2006)Joel, tio de Renata, residindo em imóvel


de familiares dela e aproveitando-se dessa condição, aguardou todos os
moradores dormirem e se dirigiu ao quarto da menina, então com 12
anos de idade. Lá, deitou-se ao seu lado e passou a acariciar o corpo da
criança, com intuito lascivo. A hipótese retrata caso de:

a) Importunação ofensiva ao pudor;


b) Ato obsceno;
c) Constrangimento ilegal;
d) Atentado violento ao pudor.

13. Quanto às ações públicas e privadas, é falso afirmar que:

a) O direito de representação, nas ações públicas condicionadas,


é retratável, a qualquer tempo, justamente ante a exigência
do requisito volitivo;
b) A representação não tem força obrigatória quanto ao oferecimento
da denúncia pelo Ministério Público;
c) Em relação à ação pública incondicionada, não se opera a
decadência;
d) Nas ações públicas incondicionadas, se o Ministério Público não
oferecer a denúncia no prazo legal, o ofendido pode intentar ação
penal subsidiária.

14. (Ministério Público/PR – 2004) Assinale a alternativa correta:

a) O princípio da taxatividade (ou do mandato de certeza) é exigência


constitucional que não se estende à cominação das penas;
b) Nos crimes permanentes, considera-se praticado o delito no
momento em que cessa a permanência e não no instante que se
inicia a execução da conduta proibida;
c) O crime de lesões corporais dolosas (art. 129, caput, CP), é
expressamente subsidiário do crime de homicídio (art. 121, caput,
CP);
d) O abolitio criminis não é uma causa pessoal de extinção da
punibilidade, deve ser argüida antes do transito em julgado da
sentença penal condenatória, não extingue os efeitos extrapenais
da condenação, é extra-ativa, ou seja, é retro e ultra-ativa e
também alcança aqueles que se encontram submetidos ao
cumprimento de medida de segurança;
e) Na sucessão de leis penais excepcionais, cujo fato
incriminado seja o mesmo, aplica-se o princípio da
retroatividade benéfica.

15. (Ministério Público/SP – 2005) É unicamente correto afirmar


que:

a) O delito de quadrilha só se consuma com a prática de qualquer


delito pelo bando ou algum de seus integrantes;
b) Ao dispor sobre crimes tentados, o Código Penal prevê a
possibilidade de casos com resposta penal equivalente à dos
consumados;
c) Em se tratando de contravenção penal, a punibilidade da
tentativa segue as regras do Código Penal;
d) Crime falho é outra designação dada à tentativa imperfeita;
e) O Código Penal condiciona o reconhecimento da modalidade
tentada de determinado crime à existência, na Parte Especial, de
previsão específica quanto à sua admissibilidade.

COMENTÁRIOS
O art. 14 parágrafo único dispõe que SALVO DISPOSIÇÃO EM
CONTRÁRIO, pune-se o crime tentado com a diminuição. O art.
352 do Código Penal prevê pena idêntica para a tentativa e o
crime consumado. Crime falho é outro nome para tentativa
PERFEITA, onde todos os atos são praticados. Na tentativa
imperfeita, os atos executórios são interrompidos. Tentativa é
adequação típica de subordinação mediata.