Físico-Química I

Professor Renato Wendhausen Junior
Determinação da Pressão de Vapor e da Entalpia de Vaporização da Água –
prática nº6

Alunos: Luísa Pereira Parucker
Salézio Gabriel de Oliveira
Juliano Mueller

Data: 18/10/2011

Temperatura: 25ºC
Pressão: 765mmHg

Objetivos:
Determinar a pressão de vapor da água em função da temperatura da mesma.

Resultados e Discussão: O experimento inicia colocando-se água em um béquer de
600mL, se coloca uma proveta graduada de 10mL cheia com 6mL de água, dentro do
béquer de forma que a proveta fique de ‘cabeça para baixo’ com o ar preso dentro dela.
Coloca-se o béquer sobre uma manta de aquecimento e é fixado um termômetro em um
suporte universal de modo que o bulbo do termômetro fique próximo ao fundo do
béquer já com o tubo de ensaio com o ar.
Se aquece o béquer até atingir a temperatura de 80ºC e depois se desliga a manta e
aguarda a temperatura ir baixando enquanto se anota o volume de ar na proveta a cada
5ºC. Quando a temperatura chegar à 50ºC, pode-se retirar um pouco da água contida no
béquer e colocar gelo em seu lugar para que a T chegue à 3ºC e se anota a temperatura
neste instante. Como o tubo de ensaio estará de ponta cabeça, o menisco ficará ao
contrário, por isso deve-se descontar 0,2mL de cada leitura.

Dados obtidos no experimento:

Temperatura (K)

Volume (mL)

353,15

7,5

348,15

7,4

343,15

6,5

338,15

6,4

333,15

6,0

328,15

5,5

323,15

5,0

278,15

3,8

Para achar o número de mols do ar
Par = ( nar.R.T) / V
765mmHg  atm

765mmHg ----- x
760mmHg ----- 1 atm
X = 1,0066 atm

Aplicando na fórmula:
1,0066 atm = (nar . 0,082 . 278,15) / 3,8x10-3
nar = 1,677x10-4
Agora é preciso encontrar a Pressão parcial do ar dentro do tubo de ensaio em cada
temperatura, e para isso deve se fazer o seguinte:

T = 353,15 K
Par= (nar.R.T) / V(L)
Par= (1,677x10-4. 0,082 . 353,15) / 7,5x10-3

Par= 0,6475 atm

T = 348,15 K
Par= (nar.R.T) / V(L)
Par= (1,677x10-4 . 0,082 . 348,15) / 7,4x10-3
Par= 0,6469 atm

T = 343,15 K
Par= (nar.R.T) / V(L)
Par= (1,677x10-4 .0,082 . 343,15) / 6,5x10-3
Par= 0,7259 atm

T = 338,15 K
Par= (nar.R.T) / V(L)
Par= (1,677x10-4. 0,082 . 338,15)/ 6,4x10-3
Par= 0,7265 atm

T= 333,15 K
Par= (nar.R.T) / V(L)
Par= (1,677x10-4.0,082 . 333,15) / 6,0x10-3
Par= 0,7635 atm

T= 328,15 K
Par= (nar.R.T) / V(L)
Par= (1,677x10-4. 0,082 . 328,15) / 5,5.10-3
Par= 0,8204 atm

T= 323,15 K
Par= (nar.R.T) / V(L)
Par= (1,677x10-4. 0,082.323,15) / 5x10-3
Par= 0,8887atm

T= 278,15 K
Par= (nar.R.T) / V(L)

Par= (1,677x10-4. 0,082 . 278,15)/ 3,8x10-3
Par= 1,0065 atm

Agora é possível calcular a Pressão do Vapor da Água em cada temperatura utilizando a
fórmula: PH2O= Patm – Par
T = 353,15 K
PH2O= Patm – Par
PH2O = 1,0066 atm - 0,6475 atm
PH2O = 0,3591atm

T = 348,15 K
PH2O= Patm – Par
PH2O = 1,0066 atm - 0,6469 atm
PH2O = 0,3597 atm

T = 343,15 K
PH2O= Patm – Par
PH2O = 1,0066 atm - 0,7259 atm
PH2O = 0,2807 atm

T = 338,15 K
PH2O= Patm – Par
PH2O = 1,0066 atm - 0,7265 atm
PH2O = 0,2807 atm

T= 333,15 K
PH2O= Patm – Par
PH2O = 1,0066 atm - 0,7635 atm
PH2O = 0,2431 atm

T= 328,15 K
PH2O= Patm – Par

PH2O = 1,0066 atm - 0,8204 atm
PH2O = 0,1862 atm

T= 323,15 K
PH2O= Patm – Par
PH2O = 1,0066 atm - 0,8887atm
PH2O = 0,1179 atm

T= 278,15 K
PH2O= Patm – Par
PH2O = 1,0066 atm - 1,0065 atm
PH2O = 0,0001 atm
Agora construímos um gráfico a partir do log de cada P para cada T.

T= 353,15 k
Log PH2O= 0,3591atm / 1,0066 atm = log 0,3567 = -0,4476

T= 348,15 k
Log PH2O= 0,3597 atm / 1,0066 atm = 0,3573 = -0,4469

T= 343,15 k
Log PH2O= 0,2807 atm / 1,0066 atm = log 0,2788 = -0,5547

T= 338,15 k
Log PH2O= 0,2807 atm / 1,0066 atm = log 0,2788= -0,5547

T= 333,15 k
Log PH2O= 0,2431 atm / 1,0066 atm = log 0,2415 = -0,6171

T= 328,15 k
Log PH2O= 0,1862 atm / 1,0066 atm = log 0,1849 = -0,7331

T= 323,15 k
Log PH2O= 0,1179 atm / 1,0066 atm = log 0,1171 = -0,9314

T= 278,15 k
Log PH2O= 0,0001 atm / 1,0066 atm = log 0,0093= -2,0315

Temperatura (K)

1/T

Log PH2O

353,15

0,00283

-0,4476

348,15

0,00287

-0,4469

343,15

0,00291

-0,5547

338,15

0,00295

-0,5547

333,15

0,00300

-0,6171

328,15

0,00304

-0,7331

323,15

0,00309

-0,9314

278,15

0,00359

-2,0315

Pressão de vapor de água em função da temperatura
0
0,0028
-0,1

0,00285

0,0029

0,00295

0,003

-0,2

Log P H2O

-0,3
-0,4
-0,5
-0,6
-0,7
-0,8
-0,9
-1
1/T

Equação de Clausius e Clapeyron:
Log P = (- Hvap/ [2,303 .R]).(1/T) + constante
-1986,0 k= - Hvap / 2,303 . 8,314 j. mol-1 . k-1
Hvap= 38.026,77 J mol-1
Encontrar a Pressão da Água em 338,15K

0,00305

0,0031

0,00315

y = -1739,3x + 4,5286
R2 = 0,8923

log 1,0066 atm = (- Hvap/ [2,303 .R]) . 1/ T + constante
log 1,0066 atm = (- 38.026,77 / [2,303 .8,314 J mol-1 k-1]) . 1/ 338,15 + 5,293
log 1,0066 atm= -0,58
10 log 1,0066 atm = 10-0,58
P= 0,2856 . 1,0066 atm
P= 0,2874

Para achar o ponto de ebulição da água a 1 atm:
Log p= (- Hvap/ [2,303 .R]) . (1/ T) + constante
No momento da ebulição Pvapor H2O = Patm, então:
Log (1atm) = [-38.026,77 J mol-1 /(2,303* 8,314 J. mol-1. K-1)] . (1/T) +5,293
0= -1.986,02 K * 1/T + 5,293
-5,295T= -1976,02
T= -1976,02 / -5.295
T= 373,18 k
T = 373,18 k – 273,15 k= 100,03 ºC

Erro Relativo e Erro Absoluto, levando em consideração o valor teórico da ebulição da
água como 100°C:

Erro Absoluto:
EA= VE – VT
EA= 100,03 – 100,00
EA= 0,03

Erro Relativo:
ER= (EA.100)/ VT
ER= (0,03. 100)/100
ER= 0,03%

Fontes de erro:

Os resultados foram dentro das expectativas, mas pequenos erros podem ter ocorrido
devido a má calibração da vidraria ou do termômetro.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful