Você está na página 1de 15

UNIVERSIDADE PEDAGÓGICA

ESCOLA SUPERIOR TÉCNICA

LICENCIATURA EM ENGENHARIA ELECTRÓNICA (3° ANO)


COMPUTAÇÃO

Engenharia de Software

SCRUM

Discente: Francisco José Tembe Docente: MSc. Sheila Sitoe


Breve Historial

Em 2001 decorreu uma importante reunião nos Estados


Unidos da América, formalizando a criação dos métodos ágeis
para o desenvolvimento de Software e seu objectivo era
discutir formas de melhorar o desempenho de seus projectos
e assim redigiram um documento chamado manifesto ágil.
Para superar falhas de atraso, em 1993 Jeff Sutherland e Ken
Schwaber inventaram o Scrum que é semelhante aos
sistemas auto-correctivos, evolucionários e adaptativos.

A história do Scrum surge num artigo da Harward Business


Review em 1986: “The New Product Game Development”.

2
Breve Historial

Onde empresas como Honda, Canon e Fuji-Xerox produziram


resultados a nível mundial através de uma abordagem baseada
em equipe que era mais rápida, flexível e multifuncionais. Os
executivos eram líderes facilitadores focados em retirar os
obstáculos do caminho, não em determinar o que deviam fazer e
como deveriam desenvolver o produto. O termo “Scrum” – que
deriva de uma estratégia no jogo de rúgbi – foi introduzido para
definir práticas adaptativas utilizadas em teams auto-
gerenciáveis.

3
1. SCRUM

Conjunto de ferramentas, denominado Framework, com o


qual as pessoas podem resolver problemas complexos,
enquanto fornecem produtos criativos de maior valor
possível, e ainda: Scrum é um Framework leve; Scrum é
simples de entender; Scrum é difícil de dominar. A
metodologia Scrum não é um processo ou uma técnica para
a construção de produtos, mas sim um Framework em que é
possível empregar vários processos e técnicas.

4
Pontos fortes

-O Scrum indica quando não se tem todos os requisitos do


sistema. Flexibilidade para mudanças constantes durante
as fases do projecto;

-O cliente faz parte da equipe em tempo integral;

-Reuniões diárias que guiam o andamento do projecto;

-Ciclos de desenvolvimento curtos e constantes;


-Comunicação entre os membros da equipe é frequente e
-Revisões das funcionalidades realizadas acontecem no
final de cada ciclo.

5
1.2. Papéis e Responsabilidades

Figura 1. Equipe de Desenvolvimento (RUBIN 2012).

O Mestre Scrum ajuda a equipe a descobrir como trabalhar


melhor; ou, então é o Dono do Produto, que decide que
trabalho deve ser feito ou integrante da equipe e está
fazendo o trabalho mas a ideia por trás das decisões.
6
1.3.Time-Boxes, eventos ou Ciclo de
Desenvolvimento

Time-boxes são caixas de tempo utilizadas no método


Scrum para regular o desenvolvimento do projecto em fases
que podem durar de 2 a 4 semanas.
Os eventos visam garantir a transparência crítica,
inspecção, regularidade e adaptação. São reuniões usadas
principalmente para fixar objectivos, já que o Scrum tem
uma abordagem por tempo fechado.

7
1.4. Sprint: Conjunto de iterações ou processossistemáticos
para encontrar soluções rapidamente, nomeadamente:
1. Sprint Planning 3. Sprint Review
2. Daily Scrum 4. Sprint Retrospective

Figura 2. Ciclo de desenvolvimento em Scrum.


8
Fonte: www.mountaingoatsoftware.com/Scrum
1.5. Processos do Scrum
FASES PROCESSOS
Inicial Análise do projecto
Identificação do Scrum Master e Team Develop
Elaborar Develop Epic(s)
Definir as prioridades do Product Backlog
Planeamento da Conduta de Entregas
Planeamento e Estimativa Criar Aprovar, calcular e fechar o User Stories
Criar e estimar tarefas
Criar Sprint Backlog
Implementação Criar Entregáveis
Conduzir Standup diários
Manter prioridade no produto Backlog
Revisão e Retrospectiva Convocar Scrum
Demonstrar, validar e realizar Retrospectiva do Sprint
Entregas Entregar o Produto e fazer a retrospectiva do Projecto
9
1.6. Artefatos
São resultados ou produtos das actividades de gestão
projectados para aumentar a transparência das informações
relacionadas com a entrega do projecto e oferecem
oportunidades para inspecção e adaptação. São eles:

Product Backlog: lista ordenada de tudo o que é necessário


para compor o produto final e é escrito em user stories.

Sprint Backlog: uma lista de itens seleccionados a partir do


Product Backlog para entregar através de um Sprint.

10
Incremento: é o conjunto de todos os itens completados do
Product Backlog até o final de determinado Sprint.

Definição do Pronto: é o entendimento comum de que uma


determinada parte do trabalho pode ser considerada pronta;

Acompanhamento dos progressos rumo ao objectivo:


medição de desempenho e previsão para todo o projecto.

Acompanhamento dos progressos do Sprint: medição de


desempenho e previsões para um único Sprint.

11
Figura 3. Ciclo de desenvolvimento em Scrum.
12
Fonte:http://consultingblogs.emc.com/colinbird.
1.7.Características do processo Scrum

1. Sprints são de comprimento fixo, normalmente duas a


quatro semanas.
2. O ponto de partida para o planeamento é o Backlog do
produto, que é a lista do trabalho a ser feito no projecto.

3. A fase de selecção envolve todos da equipe do projecto


que trabalha com o cliente para seleccionar os recursos e a
funcionalidade a ser desenvolvida durante o Sprint.

4. Diante a um acordo, a equipe se organiza para


desenvolver o Software e esta fica isolada do cliente e da
organização, com todas as comunicações canalizadas por
meio do Scrum Master.

13
2.Conclusão

O Scrum parte do princípio que se o problema for atacado em


conjunto, as soluções serão mais rápidas e criativas, mas para que
isso exista é necessário que a equipe tenha comprometimento. Por
isso, o Scrum é um método de equipes auto organizadas e auto
dirigidas. Com relação aos outros métodos ágeis, o Scrum é de uma
certa forma a melhor forma de gerenciamento de software e também
de outros produtos pois possui poucos ciclos rotativos, fazendo com
que não hajam repetições de tarefas pois sempre faz-se o estudo dos
resultados obtidos e as tarefas que não foram finalizadas tendo assim
de levar esses pendentes como prioridades nas próximas tarefas.

14
3.Referências Bibliográficas

KNIBERG, HENRIK. Scrum e XP directo das Trincheiras-Como fazemos Scrum. 2007.


MANIFESTO, AGILE. “Manifesto for Agile Software Development.” Agile Aliance. 2013.
RUBIN, KENNETH S. Essential Scrum. A Practical Guide to the Most Popular Agile
Process. Michigan: Pearson Education Inc, 2012.
SBROCCO, JOSE HENRIQUES, E PAULO CESAR MACEDO. Metodologias Ageis-
engenharia de software sob medida. 1. Sao Paulo: Erica, 2012.
SCHWABER, K. Agile Project Management with Scrum. Microsoft Press, 2004.
SCHWABERK, K., E J. SUTHERLAND. “Scrum Guide: Developed and sustained.”
2009. Scrum.org.
SOMMERVILLE, IAN. Engenharia de Software. 9. Traduzido por Ivan Bosnic e Kalinka
Gonçalves. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2011.
SUTHERLAND, JEFF. Scrum : a arte de fazer o dobro do trabalho na metade DO
TEMPO. Montagem por Natalie Gerhardt. Sao Paulo: LeYa, 2014.

15