Você está na página 1de 14

Drogas

O que é droga?
Droga tem origem no idioma francês, “drogue”,
e designa qualquer substância que em contato
com um organismo vivo seja capaz de alterar ou
modificar suas funções.
Droga é um nome genérico dado a todo o tipo
de substância natural ou não, que ao ser
introduzida no organismo provoca mudanças
físicas ou psíquicas.
O que pode levar uma pessoa a
consumir drogas?
- O desejo que pode levar um ser humano a
tomar substâncias que alteram a mente é tão
velho quanto a própria sociedade.
- Nenhuma época humana vivida no passado
teve de lidar com um duplo dilema: a
disponibilidade de inúmeras drogas diferentes
que alteram a mente e a consequente
procura.
- A demanda crescente de um conjunto de
pessoas, desejosas do exercício do seu direito
de gozar de seus prazeres individuais, na sua
própria maneira.
Estar sobre o efeito de drogas, pode
conduzir-nos a várias situações:
- Não ter capacidade para discernir e,
consequentemente, decidir com consciência
a orientação dos nossos atos.
- A pessoa humana, sob o efeito de drogas, não
tem liberdade de escolha, pois ao consumir
algum tipo de drogas que alteram o estado de
consciência, não está na posse de todas as
faculdades mentais, nem do seu livre arbítrio.
- Numa sociedade onde as pessoas podem
operacionalizar o seu livre arbítrio, a
legislação deve permitir que os adultos
exerçam o seu livre arbítrio, contando que
assumam as consequências das suas próprias
escolhas e que não causem danos diretos às
demais pessoas que (con)vivem no mesmo
espaço físico.
- Este individualismo radical impede a sociedade
de conceber um código moral. No limite, seria
como se não tivéssemos nada em comum, mas
o nosso “contrato social” que se estabelece, de
não interferência mútua permanece enquanto
procuramos os nossos prazeres individuais. Na
prática, é muito difícil obrigar que as pessoas a
assumam todas as consequências das suas
próprias ações, no decurso da sua liberdade
individual.
- Dependência de substâncias capazes de alterar
a consciência humana, o uso regular ou
esporádico de drogas - lícitas ou não - afetam
não apenas a pessoa que é dependente, mas
afetam igualmente ou de modo mais intenso
as pessoas que vivem a mesma situação, no
seu convívio. Ninguém é uma ilha, pelo que o
comportamento de uma pessoa tem a
capacidade de afetar um conjunto vastoe de
outras pessoas.
- O fundamentalismo filosófico não é preferível
ao que se apresenta no âmbito religioso ou
prático. São tantos os desejos individuais da
vida humana e, frequentemente, em conflito
um com o outro, que se pode verificar uma
inconsistência na fundamentação filosófica e
na prática do quotidiano, como permitir o
consumo do álcool, enquanto se proíbe o da
cocaína.
- A minha liberdade, a minha capacidade de decidir
livremente, colide e acaba no preciso momento
que começa a liberdade de outra pessoa.
- Todos valorizamos a liberdade, mas também o
facto de termos de viver em sociedade; às vezes,
sacrificamos a liberdade em favor da vivência em
sociedade e, outras vezes, a convivência social em
prol da liberdade. Mas retirada a proibição, é
difícil de restaurá-la, mesmo quando a liberdade
recém descoberta revela ter sido mal concebida e
socialmente desastrosa.
- No momento que negamos que todos os
prazeres (podendo estar ligados ao consumo
da droga) têm igual significado para a
existência humana, estamos a incorrer num
fundamentalismo não desejado. Assim, nem
todas as liberdades são iguais e nem todas as
limitações são impeditivas de seu exercício.
- A liberdade que tanto prezamos não se
resume à satisfação de nossos apetites
individuais.
Conclusão
- O usufruto da liberdade em estado pleno da
operacionalização do livre arbítrio, nem
sempre é sinónimo de liberdade. O uso de
qualquer tipo de substância que limite o
estado de consciência individual, bem como as
liberdades e garantias das pessoas que vivem
no mesmo espaço físico, resulta de um ato de
decisão individual e libre, mas deixa de ser
tolerável pela limitação das liberdades
coletivas.
Bibliografia
- https://www.significadosbr.com.br/droga (acedido no dia 12/03/2018, às 20:15)
- https://www.significados.com.br/droga/ (acedido no dia 12/03/2018, às 20:15)
- www.humanus.pt/download.php?id=13 (acedido no dia 12/03/2018, às 20:15)
- http://www.portaldafamilia.org/artigos/artigo882.shtml (acedido no dia
12/03/2018, às 20:15)
- http://www.portaldafamilia.org/artigos/artigo883.shtml (acedido no dia
12/03/2018, às 20:15)
- http://www.portaldafamilia.org/artigos/artigo884.shtml (acedido no dia
12/03/2018, às 20:15)
- http://emais.estadao.com.br/blogs/jair-barboza/filosofia-sexo-e-drogas/ (acedido
no dia 12/03/2018, às 20:15)
- https://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20120429091747AApLlA4
(acedido no dia 12/03/2018, às 20:15)
- http://pensamentofilos.blogspot.pt/2016/08/drogas-ilicitas-legalizacao-nao-e.html
(acedido no dia 12/03/2018, às 20:15)