Você está na página 1de 50

UFCD 8996

ORGANIZAÇÃO OPERACIONAL
ALIMENTAR, BAZAR E TÊXTIL
Formadora
Carla Paulino
2019
Organograma –Definição
◦ Organograma é um gráfico para
definir de forma hierárquica a
organização de uma instituição
qualquer, um negócio ou uma
empresa.
◦ O Organograma representa a
estrutura formal de uma estrutura
organizacional.
◦ A finalidade de um organograma é
definir perfeitamente a função que
desempenha cada pessoa numa
organização.

2
3
Organização do espaço
 O desenvolvimento das grandes superfícies
 O aumento da concorrência
 A contínua necessidade de atrair e fidelizar
clientes
levou os
distribuidores
a
repensar a organização dos seus
lineares
por forma
a
encontrar em cada secção uma disposição que corresponda
às necessidades e desejos dos clientes cada vez mais exigente.
4
O linear
◦ O linear é toda a superfície que promove
a exposição do produto.
◦ Ao linear corresponde normalmente uma
superfície, formada pela parte da frente
dos móveis de exposição, tambem
chamados de gôndolas.
◦ Quando o linear se mede ao chão
designa-se por linear ao solo,
◦ quando se mede em comprimento
designa-se por linear desenvolvido.

5
Gôndola
◦ É uma estante de 2 faces com
prateleiras que facilita a circulação e
aproximação dos clientes.
◦ A gôndola serve para exposição e
armazenamento dos produtos, tem
dimensões médias entre 1,8 e 2 metros
de altura e entre 50 e 70 cm de
profundidade.
◦ O seu comprimento é variável, de
acordo com a dimensão da secção e
da loja.
6
ILHAS
Também existem as
ilhas em palete.

7
Ilhas
◦ A disposição
do produto é
feita na
horizontal.
◦ E o produto
está ao
alcance da
mão.
◦ É utilizado nos
produtos de
grande
rotação,
principalmente
congelados.
8
Ilhas
◦ Existem ainda ilhas de
frio, verticais,
◦ Onde as prateleiras
têm o mesmo nível de
exposição das
gôndolas,
◦ Têm a desvantagem
de o cliente ter de
abrir a porta para
retirar o produto.

9
Tipos de zonas nas lojas
◦ Zonas Fria: Local de circulação com necessidade de dinamização ao
qual o cliente terá tendência a não se deslocar.
◦ Zona Quente: Zona de maior circulação, de interesse e acesso
imediatos.
◦ O cliente, por habituação e necessidade, e sendo influenciado pela
lista de compras que traz consigo, define um trajecto específico que é
também controlado pela implantação das secções.

10
Implantação das
secções
◦ As secções de um estabelecimento
têm como objectivo a exposição
dos produtos e organizar as
prateleiras.
◦ A implantação de secções deve
ter como referência o sentido
natural de circulação dos clientes,
enquadrando-os nos hábitos de
consumo.

11
Como organizar prateleiras
5 níveis das gôndolas.

1. Acima da cabeça: Os produtos acima da linha de visão dos


consumidores possuem menor visibilidade, e por isso devem ser
colocados os produtos de menor interesse;

2. Altura dos olhos: Este nível também é conhecido como área nobre, pois
é o nível que mais aumenta as vendas dos produtos. Nesta área devem
ser colocados os produtos com melhor margem de lucro, isto é os mais
caros. Como o campo de visão dos consumidores atinge diretamente
este nível, as compras por impulso são maiores;
12
Como organizar prateleiras
3. Linha da cintura: Podemos considerar outra das grandes áreas para
expor os produtos. Coloque aqui os produtos de grande procura;

4. Abaixo da cintura: O nível abaixo da cintura já não faz mais parte do


campo de visão dos consumidores, por isso é interessante que você
coloque aqui os produtos mais baratos e que os consumidores sempre
compram. Desse jeito, mesmo que o produtos não estejam visivelmente
posicionados, as pessoas tendem a procurá-los do mesmo jeito, pois são
produtos essenciais ou mais baratos.

5. Chão: O chão deve ser reservado somente para os produtos pesados.


13

14
A organização do espaço de
venda
◦ Rentabilização de cada m2 de área de venda, fazendo
passar por elas o maior nº possível de clientes;
◦ Considerar a localização de equipamentos especiais,
como por exemplo a área de frio, por forma a evitar um
distanciamento das máquinas;
◦ Ter a possibilidade de expansão no futuro, caso o potencial
de clientela justifique;
15
A organização do espaço de
venda
◦ Eliminar custos desnecessários de pessoal, com uma
implantação articulada com os percursos habituais do cliente;

◦ Controlar visualmente os clientes, diminuindo apossibilidade de


roubo;

◦ Optimizar a largura dos corredores, por forma agarantir uma


circulação natural.

16
a largura dos
corredores
◦ Um carrinho possui largura que varia
de 45 a 60 centímetros.
◦ Para utilizar o carrinho de 55
centímetros de largura é mais
adequado que o supermercado
tenha um corredor de pelo menos
1,20m, para possibilitar o trânsito de
dois carrinhos no corredor ao mesmo
tempo.

17
18
19
20
21
22
ANIMAÇÃO DO PONTO DE VENDA
São diversos os objetivos de animação no ponto de venda:
◦ desenvolvimento da motivação para a compra;
◦ Atração/chamada dos clientes;
◦ descontração do cliente;
◦ dinamização do espaço;
◦ chamada de atenção para um ponto específico;
◦ aproximação do cliente ao produto;
◦ aumento da variedade da oferta.

23
Há 2 os tipos de animação
no estabelecimento:

A. Animação permanente

B. Animação pontual

24
A. Animação permanente

◦ Diz respeito a tudo quanto possa tornar o espaço de venda


atrativo e passível de transmitir entusiasmo, promovendo
sucessivas visitas dos clientes e gerando a fidelização pela
distinção.

◦ A animação permanente pressupõe a existência de um


conjunto de condições de entre as quais se destacam:

25
ILUMINAÇÃO
◦ Deve ser clara forte, mas não intensa.

◦ Existem dois tipos de iluminação, a geral, que


normalmente está suspensa, e a direcionada, com a
qual se pretende dar ênfase a uma dada secção ou
a um dado ponto, devendo estar, por isto,
corretamente implantada. Acresce a estes cuidados
garantir que os focos luminosos não ofusquem a
visão ou aqueçam demasiado o ambiente.
26
27
SOM
◦ A distribuição do som deve ser equilibrada no
espaço e minorar o efeito do ruído da loja.
Normalmente, em casos em que é utilizada música
de fundo, corre-se o risco de que esta seja pouco
apropriada, quer para o tipo de cliente, quer para o
momento, pelo que nos devemos preocupar em
medir as reações habituais do cliente a esta forma
de animação. 28
DECORAÇÃO
◦ Independentemente das características do espaço
em causa, na decoração contam a seleção das
cores a usar, a distribuição das secções pelo espaço
e o tipo de mobiliário. O espaço quer-se vivo e
animado, criando originalidade e movimento nas
diversas secções da loja.

29
30
CARTAZES E PAINÉIS
A sinalização das secções constitui uma referência
para o cliente, pelo que todas as secções devem
estar devidamente assinaladas. Quanto aos cartazes
e painéis, devem ser colocados por forma a
evidenciarem-se do resto da decoração. A sua
implantação deve respeitar a sinalização, evitando
dispersar o cliente.

31
32
B. Animação pontual ou temporária

◦ Animação tem em conta as necessidades de desenvolver ou


ativar as vendas de um ou vários produtos, num momento,
pretendendo-se o seu escoamento ou o desenvolvimento da
sua notoriedade.

◦ Os meios de animação pontual do ponto de venda podem


classificar-se em 4 tipos:

33
Animação pontual
◦ Meios físicos

◦ Meios psicológicos

◦ Meios de estímulo

◦ Meios pessoais

34
Meios físicos

◦ Topos de gôndola
◦ Ilhas
◦ Pilhas
◦ Expositores
◦ Display

35
Meios psicológicos

◦ As promoções servem para aumentar as vendas, melhorando o


índice de rotação do stock.

◦ A colaboração com o fabricante no desenvolvimento da


imagem do produto e na ênfase às secções é de igual modo
importante.

◦ O preço psicológico ou mágico????????

36
Meios de estímulo

◦ Meios audiovisuais

◦ Criação de ambientes

37
Meios pessoais

◦ Vendedor
◦ Pessoal de animação do ponto de venda
◦ Espetáculos
◦ Stand de demonstração/experimentação

38
FUNÇÕES E
RESPONSABILIDADES
39
Operador de loja
◦ Os operadores de Loja terão como principais responsabilidades
o atendimento ao cliente, reposição de artigos e apoio na
caixa.
◦ orientar e esclarecer dúvidas de clientes sobre como utilizar de
forma correta os produtos.
◦ Estabelecer contatos com os clientes para responder às suas
perguntas, ouvir as possíveis reclamações e dispor de
manutenção/devolução dos produtos com defeitos.

40
Gerente de loja
Geralmente é função do gestor abrir a loja logo pela
manhã. Isso significa que ele chega um pouco antes para
coordenar a organização da área de vendas, verificar os
stocks e outros espaços que precisam estar em perfeito
funcionamento quando o primeiro cliente entrar. Ele
também reúne a equipa para definir as metas e
atividades do dia.

41
Gerente de loja
Um gerente de loja é um líder. Ele é observado
atentamente por todos os seus colaboradores e, a
partir do seu exemplo, toda a equipa replicará seu
comportamento. Geralmente, os gerentes são
profissionais que passaram por várias funções em
lojas; eles conhecem o dia a dia e os desafios da
maioria dos outros funcionários, por isso sabem como
cada função pode trazer resultados.

42
Serviço ao cliente
◦ Serviço ao cliente é uma medida
de quão bem o sistema logístico se
comporta ao fornecer, em tempo
e lugar útil, um produto ou serviço.
Isto inclui a facilidade com que se
verificam as existências, fazer uma
encomenda e serviço pós-venda
do produto, entre outras
atividades.

43
Serviço ao cliente
◦ "...é um processo que ocorre entre o comprador e o vendedor. O
processo resulta em valor acrescentado ao produto ou serviço prestado.
Este valor acrescentado pode ser de curta duração, como no caso de
uma simples transação singular, ou de longa duração, como numa
relação contractual.

◦ Este valor acrescentado é partilhado, no sentido em que ambas as


partes ganham algo com a transação ou contrato. Portanto, numa
perspetiva de processo: serviço ao cliente é um processo que oferece
valor acrescentado significativo a uma cadeia de distribuição a um
custo justificado." 44
◦ Entregas ao domicílio - A entrega ao cliente é a

Tipos de transferência da posse de um bem de uma

serviços entidade, o fornecedor, para aquela à qual o

bem se destina, o cliente.

◦ Self Checkout - Trata-se de um conceito já há

muito tempo usado em supermercados mundo

afora, principalmente nos EUA e na Europa, onde

o cliente de algum supermercado passa as suas

compras na caixa sem que seja necessária a

presença de um funcionário.
45
Tipos de ◦ Self Scanning – É um sistema de aquisição
serviços - adotado principalmente pelos
supermercados e hipermercados que faz
uso de leitores de código de barras
portáteis usado pelos compradores no
momento da despesa para agilizar fase
pagamento em dinheiro.

46
Cartão fidelização
Um cartão de fidelização, cartão de descontos
ou cartão de cliente é um cartão que serve de
suporte físico para programas de empresas de
comércio e serviços que oferecem bonificações
(descontos, prémios, pontos que podem ser
trocados por bens, etc.) ao titular quando
compra produtos ou serviços da empresa ou à
empresa emissora do cartão.

47
Aplicações móveis
- conhecido normalmente por seu nome abreviado app, é um software
desenvolvido para ser instalado em um dispositivo eletrónico móvel,
como um PDA, um telemóvel, um smartphone ou um leitor de MP3.

Este aplicativo pode ser instalado no dispositivo, se o aparelho permitir


fazer download através PlayStore.

Uma parte dos aplicativos disponíveis são gratuitos, enquanto outros são
pagos. As lojas On-line estão a crescer e o método de compra à
distancia tem vindo a aumentar consideravelmente.

48
https://pt.slideshare.net/alfredodour
o/merchandising-
2469090?next_slideshow=1

49
◦ https://helioprint.com.br/blog/organizar-prateleiras-supermercado/
◦ https://pt.slideshare.net/tiaguinho1/organizao-de-espao-de-venda

50