Você está na página 1de 56

O QUE SÃO IST?

• AS INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS (IST) SÃO CAUSADAS POR VÍRUS, BACTÉRIAS OU OUTROS
MICRORGANISMOS.
• SÃO TRANSMITIDAS, PRINCIPALMENTE, POR MEIO DO CONTATO SEXUAL (ORAL, VAGINAL, ANAL) SEM O USO
DE CAMISINHA MASCULINA OU FEMININA, COM UMA PESSOA QUE ESTEJA INFECTADA. A TRANSMISSÃO DE UMA
IST PODE ACONTECER, AINDA, DA MÃE PARA A CRIANÇA DURANTE A GESTAÇÃO, O PARTO OU A AMAMENTAÇÃO.
•O TRATAMENTO DAS PESSOAS COM IST MELHORA A QUALIDADE DE VIDA E INTERROMPE A CADEIA DE
TRANSMISSÃO DESSAS INFECÇÕES. O ATENDIMENTO E O TRATAMENTO SÃO GRATUITOS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE
DO SUS.
• A TERMINOLOGIA INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS (IST) PASSA A SER ADOTADA EM SUBSTITUIÇÃO À
EXPRESSÃO DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS (DST), PORQUE DESTACA A POSSIBILIDADE DE UMA
PESSOA TER E TRANSMITIR UMA INFECÇÃO, MESMO SEM SINAIS E SINTOMAS.
SINTOMAS DAS IST?
• AS IST PODEM SE MANIFESTAR POR MEIO DE FERIDAS, CORRIMENTOS OU VERRUGAS ANOGENITAIS. SÃO ALGUNS EXEMPLOS DE IST: HERPES
GENITAL, SÍFILIS, GONORREIA, INFECÇÃO PELO HIV, INFECÇÃO PELO PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV), HEPATITES VIRAIS B E C.
• A IST APARECE, PRINCIPALMENTE, NO ÓRGÃO GENITAL, MAS PODE SURGIR TAMBÉM EM OUTRA PARTE DO CORPO (EX.: PALMA DAS MÃOS, OLHOS,
LÍNGUA).
• O CORPO DEVE SER OBSERVADO DURANTE A HIGIENE PESSOAL, O QUE PODE AJUDAR A IDENTIFICAR UMA IST NO ESTÁGIO INICIAL. SEMPRE QUE SE
PERCEBER ALGUM SINAL OU ALGUM SINTOMA, DEVE-SE PROCURAR O SERVIÇO DE SAÚDE. E, QUANDO INDICADO, AVISAR A PARCERIA SEXUAL.
• SÃO TRÊS AS PRINCIPAIS MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DAS IST: CORRIMENTOS, FERIDAS E VERRUGAS ANOGENITAIS.
• CORRIMENTOS
• APARECEM NO PÊNIS, VAGINA OU ÂNUS.
• PODEM SER ESBRANQUIÇADOS, ESVERDEADOS OU AMARELADOS, DEPENDENDO DA IST.
• PODEM TER CHEIRO FORTE E/OU CAUSAR COCEIRA.
• PROVOCAM DOR AO URINAR OU DURANTE A RELAÇÃO SEXUAL.
• NAS MULHERES, QUANDO É POUCO, O CORRIMENTO SÓ É VISTO EM EXAMES GINECOLÓGICOS.
• PODEM SE MANIFESTAR NA GONORREIA, CLAMÍDIA E TRICOMONÍASE.
• IMPORTANTE!
• A VAGINOSE BACTERIANA E A CANDIDÍASE VULVOVAGINAL TAMBÉM CAUSAM CORRIMENTO, MAS NÃO SÃO CONSIDERADAS IST.
• FERIDAS
• APARECEM NOS ÓRGÃOS GENITAIS OU EM QUALQUER PARTE DO CORPO, COM OU SEM DOR.
• PODEM SER MANIFESTAÇÕES DA SÍFILIS, HERPES GENITAL, CANCROIDE, DONOVANOSE E LINFOGRANULOMA VENÉREO.
• VERRUGAS ANOGENITAIS
• SÃO CAUSADAS PELO PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV) E PODEM APARECER EM FORMA DE COUVE-FLOR, QUANDO A INFECÇÃO ESTÁ EM ESTÁGIO AVANÇADO.
• EM GERAL, NÃO DOEM, MAS PODE OCORRER IRRITAÇÃO OU COCEIRA.
• HIV/AIDS E HEPATITES VIRAIS B E C
• ALÉM DAS IST QUE CAUSAM CORRIMENTOS, FERIDAS E VERRUGAS ANOGENITAIS, EXISTEM AS INFECÇÕES PELO HIV E PELAS HEPATITES VIRAIS B E C, CAUSADAS
POR VÍRUS, COM SINAIS E SINTOMAS ESPECÍFICOS.
• DOENÇA INFLAMATÓRIA PÉLVICA (DIP)
• É OUTRA FORMA DE MANIFESTAÇÃO CLÍNICA DAS IST.
• DECORRE DE GONORREIA E CLAMÍDIA NÃO TRATADAS.
• ATINGE OS ÓRGÃOS GENITAIS INTERNOS DA MULHER (ÚTERO, TROMPAS E OVÁRIOS), CAUSANDO INFLAMAÇÕES.
• ALGUMAS IST PODEM NÃO APRESENTAR SINAIS E SINTOMAS, E SE NÃO FOREM DIAGNOSTICADAS E TRATADAS, PODEM LEVAR A GRAVES COMPLICAÇÕES, COMO
INFERTILIDADE, CÂNCER OU ATÉ MORTE.
COMO É A PREVENÇÃO DAS IST?
• O USO DA CAMISINHA (MASCULINA OU FEMININA) EM TODAS AS RELAÇÕES SEXUAIS (ORAIS, ANAIS E
VAGINAIS) É O MÉTODO MAIS EFICAZ PARA EVITAR A TRANSMISSÃO DAS IST, DO HIV/AIDS E DAS HEPATITES
VIRAIS B E C. SERVE TAMBÉM PARA EVITAR A GRAVIDEZ.
• A CAMISINHA MASCULINA OU FEMININA PODE SER RETIRADA GRATUITAMENTE NAS UNIDADES DE SAÚDE.
• QUEM TEM RELAÇÃO SEXUAL DESPROTEGIDA PODE CONTRAIR UMA IST. NÃO IMPORTA IDADE, ESTADO CIVIL,
CLASSE SOCIAL, IDENTIDADE DE GÊNERO, ORIENTAÇÃO SEXUAL, CREDO OU RELIGIÃO. A PESSOA PODE ESTAR
APARENTEMENTE SAUDÁVEL, MAS PODE ESTAR INFECTADA POR UMA IST.
• A PREVENÇÃO COMBINADA ABRANGE O USO DA CAMISINHA MASCULINA OU FEMININA, AÇÕES DE PREVENÇÃO,
DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DAS IST, TESTAGEM PARA HIV, SÍFILIS E HEPATITES VIRAIS B E C, PROFILAXIA
PÓS-EXPOSIÇÃO AO HIV, IMUNIZAÇÃO PARA HPV E HEPATITE B, PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO VERTICAL DE
HIV, SÍFILIS E HEPATITE B, TRATAMENTO ANTIRRETROVIRAL PARA TODAS AS PVHA, REDUÇÃO DE DANOS, ENTRE
OUTROS.
POR QUE ALERTAR O PARCEIRO?
•O CONTROLE DAS INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS (IST) NÃO OCORRE SOMENTE COM O
TRATAMENTO DE QUEM BUSCA AJUDA NOS SERVIÇOS DE SAÚDE. PARA INTERROMPER A TRANSMISSÃO
DESSAS INFECÇÕES E EVITAR A REINFECÇÃO, É FUNDAMENTAL QUE AS PARCERIAS TAMBÉM SEJAM TESTADAS E
TRATADAS, COM ORIENTAÇÃO DE UM PROFISSIONAL DE SAÚDE.
• AS PARCERIAS SEXUAIS DEVEM SER ALERTADAS SEMPRE QUE UMA IST FOR DIAGNOSTICADA. É IMPORTANTE A
INFORMAÇÃO SOBRE AS FORMAS DE CONTÁGIO, O RISCO DE INFECÇÃO, A NECESSIDADE DE ATENDIMENTO EM
UMA UNIDADE DE SAÚDE, AS MEDIDAS DE PREVENÇÃO E TRATAMENTO (EX.: RELAÇÃO SEXUAL COM USO DE
CAMISINHA MASCULINA OU FEMININA ATÉ QUE A PARCERIA SEJA TRATADA E ORIENTADA).
CANCRO MOLE (CANCROIDE)
• O QUE É
• É CAUSADO PELA BACTÉRIA HAEMOPHILUS DUCREYI, SENDO MAIS FREQUENTE NAS REGIÕES TROPICAIS.
• FORMAS DE CONTÁGIO
• TRANSMITE-SE PELA RELAÇÃO SEXUAL COM UMA PESSOA INFECTADA SEM O USO DA CAMISINHA MASCULINA OU FEMININA.
• SINAIS E SINTOMAS
• FERIDAS MÚLTIPLAS E DOLOROSAS DE TAMANHO PEQUENO COM PRESENÇA DE PUS, QUE APARECEM COM FREQUÊNCIA NOS
ÓRGÃOS GENITAIS (EX.: PÊNIS, ÂNUS E VULVA).
• PODEM APARECER NÓDULOS (CAROÇOS OU ÍNGUAS) NA VIRILHA.
• DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO
• AO SE OBSERVAR QUALQUER SINAL E SINTOMA DE CANCRO MOLE, A RECOMENDAÇÃO É PROCURAR UM SERVIÇO DE SAÚDE.
O TRATAMENTO DEVERÁ SER PRESCRITO PELO PROFISSIONAL DE SAÚDE.
CONDILOMA ACUMINADO (PAPILOMAVÍRUS HUMANO - HPV)
• O QUE É
• O HPV (SIGLA EM INGLÊS PARA PAPILOMAVÍRUS HUMANO) É UM VÍRUS QUE INFECTA A PELE OU MUCOSAS (ORAL, GENITAL OU ANAL)
DAS PESSOAS, PROVOCANDO VERRUGAS ANOGENITAIS (NA REGIÃO GENITAL E ÂNUS) E CÂNCER, A DEPENDER DO TIPO DE VÍRUS. A
INFECÇÃO PELO HPV É UMA INFECÇÃO SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEL (IST).
• FORMAS DE TRANSMISSÃO
• A TRANSMISSÃO DO HPV SE DÁ POR CONTATO DIRETO COM A PELE OU MUCOSA INFECTADA. A PRINCIPAL FORMA DE TRANSMISSÃO
É PELA VIA SEXUAL, QUE INCLUI CONTATO ORAL-GENITAL, GENITAL-GENITAL OU MESMO MANUAL-GENITAL. PORTANTO, O CONTÁGIO
COM O HPV PODE OCORRER MESMO NA AUSÊNCIA DE PENETRAÇÃO VAGINAL OU ANAL. TAMBÉM PODE HAVER TRANSMISSÃO
DURANTE O PARTO.
• COMO MUITAS PESSOAS INFECTADAS PELO HPV NÃO APRESENTAM SINAIS OU SINTOMAS, ELAS NÃO SABEM QUE TÊM O VÍRUS, MAS
PODEM TRANSMITI-LO.
CONDILOMA ACUMINADO (PAPILOMAVÍRUS HUMANO - HPV)
• A INFECÇÃO PELO HPV NÃO APRESENTA SINTOMAS NA MAIORIA DAS PESSOAS. EM ALGUNS CASOS, O HPV PODE FICAR LATENTE DE MESES A ANOS,
SEM MANIFESTAR SINAIS (VISÍVEIS A OLHO NU), OU APRESENTAR MANIFESTAÇÕES SUBCLÍNICAS (NÃO VISÍVEIS A OLHO NU).
• A DIMINUIÇÃO DA RESISTÊNCIA DO ORGANISMO PODE DESENCADEAR A MULTIPLICAÇÃO DO HPV E, CONSEQUENTEMENTE, PROVOCAR O
APARECIMENTO DE LESÕES. A MAIORIA DAS INFECÇÕES EM MULHERES (SOBRETUDO EM ADOLESCENTES) TEM RESOLUÇÃO ESPONTÂNEA, PELO
PRÓPRIO ORGANISMO, EM UM PERÍODO APROXIMADO DE ATÉ 24 MESES.
• AS PRIMEIRAS MANIFESTAÇÕES DA INFECÇÃO PELO HPV SURGEM, APROXIMADAMENTE, ENTRE DOIS E OITO MESES, MAS PODE DEMORAR ATÉ 20 ANOS
PARA APARECER ALGUM SINAL DA INFECÇÃO. AS MANIFESTAÇÕES COSTUMAM SER MAIS COMUNS EM GESTANTES E EM PESSOAS COM IMUNIDADE
BAIXA.
• LESÕES CLÍNICAS – APRESENTAM-SE COMO VERRUGAS NA REGIÃO GENITAL E NO ÂNUS (DENOMINADAS TECNICAMENTE CONDILOMAS ACUMINADOS E
POPULARMENTE CONHECIDAS COMO "CRISTA DE GALO", "FIGUEIRA" OU "CAVALO DE CRISTA"). PODEM SER ÚNICAS OU MÚLTIPLAS, DE TAMANHO
VARIÁVEL, ACHATADAS OU PAPULOSAS (ELEVADAS E SÓLIDAS). EM GERAL, SÃO ASSINTOMÁTICAS, MAS PODE HAVER COCEIRA NO LOCAL. ESSAS
VERRUGAS, NORMALMENTE, SÃO CAUSADAS POR TIPOS DE HPV NÃO CANCERÍGENOS.
• LESÕES SUBCLÍNICAS (NÃO VISÍVEIS AO OLHO NU) – PODEM SER ENCONTRADAS NOS MESMOS LOCAIS DAS LESÕES CLÍNICAS E NÃO APRESENTAM
SINAIS/SINTOMAS. AS LESÕES SUBCLÍNICAS PODEM SER CAUSADAS POR TIPOS DE HPV DE BAIXO E DE ALTO RISCO PARA O DESENVOLVIMENTO DE
CÂNCER.
CONDILOMA ACUMINADO (PAPILOMAVÍRUS HUMANO - HPV)

• PODEM ACOMETER VULVA, VAGINA, COLO DO ÚTERO, REGIÃO PERIANAL, ÂNUS, PÊNIS (GERALMENTE NA
GLANDE), BOLSA ESCROTAL E/OU REGIÃO PUBIANA. MENOS FREQUENTEMENTE, PODEM ESTAR PRESENTES
EM ÁREAS EXTRAGENITAIS, COMO CONJUNTIVAS E MUCOSAS NASAL, ORAL E LARÍNGEA.
• MAIS RARAMENTE, CRIANÇAS QUE FORAM INFECTADAS NO MOMENTO DO PARTO PODEM DESENVOLVER
LESÕES VERRUCOSAS NAS CORDAS VOCAIS E LARINGE (PAPILOMATOSE RESPIRATÓRIA RECORRENTE).
CONDILOMA ACUMINADO (PAPILOMAVÍRUS HUMANO - HPV)
• PREVENÇÃO
• VACINAR-SE CONTRA O HPV É A MEDIDA MAIS EFICAZ PARA SE PREVENIR CONTRA A INFECÇÃO. A VACINA É DISTRIBUÍDA GRATUITAMENTE PELO SUS E
É INDICADA PARA:
• MENINAS DE 9 A 14 ANOS E MENINOS DE 11 A 14 ANOS;
• PESSOAS QUE VIVEM HIV NA FAIXA ETÁRIA DE 9 A 26 ANOS;
• PESSOAS TRANSPLANTADAS NA FAIXA ETÁRIA DE 9 A 26 ANOS;
• RESSALTA-SE, PORÉM, QUE A VACINA NÃO É UM TRATAMENTO E NÃO APRESENTA EFICÁCIA CONTRA INFECÇÕES OU LESÕES POR HPV JÁ EXISTENTES.
• EXAME PREVENTIVO CONTRA O HPV: O PAPANICOLAU É O EXAME GINECOLÓGICO PREVENTIVO MAIS COMUM PARA IDENTIFICAR LESÕES
PRECURSORAS DE CÂNCER DO COLO DO ÚTERO. ESSE EXAME AJUDA A DETECTAR CÉLULAS ANORMAIS NO REVESTIMENTO DO COLO DO ÚTERO, QUE
PODEM SER TRATADAS ANTES DE SE TORNAREM CÂNCER. O EXAME NÃO É CAPAZ DE DIAGNOSTICAR A PRESENÇA DO VÍRUS; NO ENTANTO, É
CONSIDERADO O MELHOR MÉTODO PARA DETECTAR O CÂNCER DO COLO DO ÚTERO E SUAS LESÕES PRECURSORAS.
• QUANDO ESSAS ALTERAÇÕES QUE ANTECEDEM O CÂNCER SÃO IDENTIFICADAS E TRATADAS, É POSSÍVEL PREVENIR 100% DOS CASOS. POR ISSO, É
MUITO IMPORTANTE QUE AS MULHERES FAÇAM O EXAME DE PAPANICOLAU REGULARMENTE.
CONDILOMA ACUMINADO (PAPILOMAVÍRUS HUMANO - HPV)
• PRESERVATIVO: O USO DE PRESERVATIVO (CAMISINHA) NAS RELAÇÕES SEXUAIS É OUTRA IMPORTANTE FORMA DE PREVENÇÃO DO HPV. CONTUDO O
SEU USO, APESAR DE PREVENIR A MAIORIA DAS IST, NÃO IMPEDE TOTALMENTE A INFECÇÃO PELO HPV, POIS MUITAS VEZES AS LESÕES ESTÃO
PRESENTES EM ÁREAS NÃO PROTEGIDAS PELA CAMISINHA (VULVA, REGIÃO PUBIANA, PERÍNEO OU BOLSA ESCROTAL). A CAMISINHA FEMININA, QUE
COBRE TAMBÉM A VULVA, É MAIS EFICAZ PARA EVITAR A INFECÇÃO, SE UTILIZADA DESDE O INÍCIO DA RELAÇÃO SEXUAL.
• PARCERIA SEXUAL: É FUNDAMENTAL QUE AS PARCERIAS SEXUAIS SEJAM ACONSELHADAS E EXAMINADAS. PODE ACONTECER DE A INFECÇÃO INICIAL
TER OCORRIDO NA PARCERIA SEXUAL QUE NÃO APRESENTE QUALQUER SINAL OU SINTOMA. DESSA FORMA, FAZ-SE NECESSÁRIA A REALIZAÇÃO DE
CONSULTA PARA O CASAL.
• DIAGNÓSTICO
• O DIAGNÓSTICO DO HPV É ATUALMENTE REALIZADO POR MEIO DE EXAMES CLÍNICOS E LABORATORIAIS, DEPENDENDO DO TIPO DAS LESÕES (CLÍNICAS
OU SUBCLÍNICAS).
• LESÕES CLÍNICAS – PODEM SER DIAGNOSTICADAS POR MEIO DO EXAME CLÍNICO UROLÓGICO (PÊNIS), GINECOLÓGICO (VULVA/VAGINA/COLO
UTERINO) E DERMATOLÓGICO (PELE).
• LESÕES SUBCLÍNICAS – PODEM SER DIAGNOSTICADAS POR EXAMES LABORATORIAIS, COMO O EXAME PREVENTIVO PAPANICOLAU (CITOPATOLOGIA),
COLPOSCOPIA, PENISCOPIA E ANUSCOPIA, E TAMBÉM POR MEIO DE BIOPSIAS E HISTOPATOLOGIA, A FIM DE DISTINGUIR AS LESÕES BENIGNAS DAS
MALIGNAS.
CONDILOMA ACUMINADO (PAPILOMAVÍRUS HUMANO - HPV)
• TRATAMENTO
• O OBJETIVO DO TRATAMENTO DAS VERRUGAS ANOGENITAIS (REGIÃO GENITAL E ÂNUS) É A DESTRUIÇÃO DAS LESÕES. INDEPENDENTEMENTE DA REALIZAÇÃO DO
TRATAMENTO, AS LESÕES PODEM DESAPARECER, PERMANECER INALTERADAS OU AUMENTAR EM NÚMERO E/OU VOLUME.
• SOBRE O TRATAMENTO:
• DEVE SER INDIVIDUALIZADO, CONSIDERANDO CARACTERÍSTICAS (EXTENSÃO, QUANTIDADE E LOCALIZAÇÃO) DAS LESÕES, DISPONIBILIDADE DE RECURSOS E
EFEITOS ADVERSOS.
• SÃO QUÍMICOS, CIRÚRGICOS E ESTIMULADORES DA IMUNIDADE.
• PODEM SER DOMICILIARES (AUTOAPLICADOS: IMIQUIMODE, PODOFILOTOXINA) OU AMBULATORIAIS (APLICADO NO SERVIÇO DE SAÚDE: ÁCIDO
TRICLOROACÉTICO - ATA, PODOFILINA, ELETROCAUTERIZAÇÃO, EXÉRESE CIRÚRGICA E CRIOTERAPIA), CONFORME INDICAÇÃO PROFISSIONAL PARA CADA CASO.
• PODOFILINA E IMIQUIMODE NÃO DEVE SER USADA NA GESTAÇÃO.
• O TRATAMENTO DAS VERRUGAS ANOGENITAIS NÃO ELIMINA O VÍRUS E, POR ISSO, AS LESÕES PODEM REAPARECER. AS PESSOAS INFECTADAS E SUAS PARCERIAS
DEVEM RETORNAR AO SERVIÇO, CASO SE IDENTIFIQUEM NOVAS LESÕES.
• PESSOAS COM IMUNODEFICIÊNCIA – AS RECOMENDAÇÕES DE TRATAMENTO DO HPV SÃO AS MESMAS PARA PESSOAS COM IMUNODEFICIÊNCIA (EX.: PESSOAS
VIVENDO COM HIV, TRANSPLANTADAS). PORÉM, NESSE CASO, O PACIENTE REQUER ACOMPANHAMENTO MAIS ATENTO, JÁ QUE PESSOAS COM IMUNODEFICIÊNCIA
TENDEM A APRESENTAR PIOR RESPOSTA AO TRATAMENTO.
DOENÇA INFLAMATÓRIA PÉLVICA (DIP)
• O QUE É
• É UMA SÍNDROME CLÍNICA, QUE OCORRE QUANDO A GONORREIA E A INFECÇÃO POR CLAMÍDIA NÃO SÃO TRATADAS,
ATINGINDO OS ÓRGÃOS SEXUAIS INTERNOS DA MULHER, COMO ÚTERO, TROMPAS E OVÁRIOS, E CAUSANDO INFLAMAÇÕES.
• FORMAS DE CONTÁGIO
• ESSA INFECÇÃO PODE OCORRER POR MEIO DE CONTATO COM AS BACTÉRIAS APÓS A RELAÇÃO SEXUAL DESPROTEGIDA. A
MAIORIA DOS CASOS OCORRE EM MULHERES QUE TÊM OUTRA IST, PRINCIPALMENTE GONORREIA E INFECÇÃO POR
CLAMÍDIA NÃO TRATADAS.
• ENTRETANTO, TAMBÉM PODE OCORRER APÓS ALGUM PROCEDIMENTO MÉDICO LOCAL - COMO INSERÇÃO DE DISPOSITIVO
INTRA-UTERINO (DIU), BIÓPSIA NA PARTE INTERNA DO ÚTERO, CURETAGEM.
• O USO DA CAMISINHA MASCULINA OU FEMININA É A MELHOR FORMA DE PREVENÇÃO.
DOENÇA INFLAMATÓRIA PÉLVICA (DIP)
• SINAIS E SINTOMAS
• DOR NA PARTE BAIXA DO ABDÔMEN (NO “PÉ DA BARRIGA” OU BAIXO VENTRE) E DURANTE A RELAÇÃO SEXUAL.
• DOR ABDOMINAL E NAS COSTAS.
• FEBRE, FADIGA E VÔMITOS.
• DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO
• NA PRESENÇA DE QUALQUER SINAL OU SINTOMA DE DIP, RECOMENDA-SE PROCURAR IMEDIATAMENTE UM
PROFISSIONAL DE SAÚDE PARA O DIAGNÓSTICO CORRETO E INDICAÇÃO DO TRATAMENTO ADEQUADO.
• EM CASOS MAIS GRAVES, É NECESSÁRIA INTERNAÇÃO HOSPITALAR PARA USO DE ANTIBIÓTICO POR VIA
VENOSA.
DONOVANOSE
• O QUE É
• É UMA IST CRÔNICA PROGRESSIVA, CAUSADA PELA BACTÉRIA KLEBSIELLA GRANULOMATIS. ACOMETE
PREFERENCIALMENTE A PELE E MUCOSAS DAS REGIÕES DA GENITÁLIA, DA VIRILHA E DO ÂNUS. CAUSA
ÚLCERAS E DESTRÓI A PELE INFECTADA. É POUCO FREQUENTE, OCORRENDO NA MAIORIA DAS VEZES EM
CLIMAS TROPICAIS E SUBTROPICAIS.
• FORMAS DE CONTÁGIO
• A TRANSMISSÃO OCORRE PELO SEXO DESPROTEGIDO COM UMA PESSOA INFECTADA. POR ISSO,
RECOMENDA-SE SEMPRE O USO DA CAMISINHA MASCULINA OU FEMININA.
DONOVANOSE
• SINAIS E SINTOMAS
• APÓS O CONTÁGIO, APARECE UMA LESÃO QUE SE TRANSFORMA EM FERIDA OU CAROÇO VERMELHO.
• NÃO DÓI E NÃO TEM ÍNGUA.
• A FERIDA VERMELHA SANGRA FÁCIL, PODE ATINGIR GRANDES ÁREAS E COMPROMETER A PELE AO REDOR, FACILITANDO A
INFECÇÃO POR OUTRAS BACTÉRIAS.
• DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO
• NA PRESENÇA DE QUALQUER SINAL OU SINTOMA DESSAS IST, RECOMENDA-SE PROCURAR UM SERVIÇO DE SAÚDE PARA O
DIAGNÓSTICO CORRETO E INDICAÇÃO DO TRATAMENTO COM ANTIBIÓTICO ADEQUADO.
• AO TÉRMINO DO TRATAMENTO, É NECESSÁRIO RETORNO À CONSULTA, PARA AVALIAÇÃO DE CURA DA INFECÇÃO.
• DEVE-SE EVITAR CONTATO SEXUAL ATÉ QUE OS SINAIS E SINTOMAS TENHAM DESAPARECIDO E O TRATAMENTO SEJA
FINALIZADO.
GONORREIA E INFECÇÃO POR CLAMÍDIA
• O QUE SÃO?
• SÃO IST CAUSADAS POR BACTÉRIAS (NEISSERIA GONORRHOEAE E CHLAMYDIA TRACHOMATIS, RESPECTIVAMENTE). NA MAIORIA
DAS VEZES ESTÃO ASSOCIADAS, CAUSANDO A INFECÇÃO QUE ATINGE OS ÓRGÃOS GENITAIS, A GARGANTA E OS OLHOS.
• ESSAS INFECÇÕES, QUANDO NÃO TRATADAS, PODEM CAUSAR INFERTILIDADE (DIFICULDADE PARA TER FILHOS), DOR DURANTE AS
RELAÇÕES SEXUAIS, GRAVIDEZ NAS TROMPAS, ENTRE OUTROS DANOS À SAÚDE.
• FORMAS DE CONTÁGIO
• A TRANSMISSÃO É SEXUAL E O USO DA CAMISINHA MASCULINA OU FEMININA É A MELHOR FORMA DE PREVENÇÃO.
• SINAIS E SINTOMAS
• DOR AO URINAR OU NO BAIXO VENTRE (PÉ DA BARRIGA), CORRIMENTO AMARELADO OU CLARO, FORA DA ÉPOCA DA MENSTRUAÇÃO,
DOR OU SANGRAMENTO DURANTE A RELAÇÃO SEXUAL.
• A MAIORIA DAS MULHERES INFECTADAS NÃO APRESENTAM SINAIS E SINTOMAS.
• OS HOMENS PODEM APRESENTAR ARDOR E ESQUENTAMENTO AO URINAR, PODENDO HAVER CORRIMENTO OU PUS, ALÉM DE DOR
NOS TESTÍCULOS.
GONORREIA E INFECÇÃO POR CLAMÍDIA
• DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO
• NA PRESENÇA DE QUALQUER SINAL OU SINTOMA DESSAS IST, RECOMENDA-SE PROCURAR UM SERVIÇO DE
SAÚDE PARA O DIAGNÓSTICO CORRETO E INDICAÇÃO DO TRATAMENTO COM ANTIBIÓTICO ADEQUADO.
• AS PARCERIAS SEXUAIS DEVEM SER TRATADAS, AINDA QUE NÃO APRESENTEM SINAIS E SINTOMAS.
• CONJUNTIVITE NEONATAL
• HÁ POSSIBILIDADE DE TRANSMISSÃO DESSAS INFECÇÕES NO PARTO VAGINAL E A CRIANÇA PODE NASCER
COM CONJUNTIVITE, QUE PODE LEVAR À CEGUEIRA SE NÃO FOR PREVENIDA OU TRATADA ADEQUADAMENTE.
• DEVE-SE APLICAR COLÍRIO NOS OLHOS DO RECÉM-NASCIDO NA PRIMEIRA HORA APÓS O NASCIMENTO (AINDA
NA MATERNIDADE) PARA PREVENIR A CONJUNTIVITE (OFTALMIA) NEONATAL.

LINFOGRANULOMA VENÉREO (LGV)
• O QUE É
• O LINFOGRANULOMA VENÉREO (LGV) É UMA INFECÇÃO CRÔNICA CAUSADA PELA BACTÉRIA CHLAMYDIA
TRACHOMATIS, QUE ATINGE OS ÓRGÃOS GENITAIS E OS GÂNGLIOS DA VIRILHA. É POPULARMENTE
CONHECIDA COMO “MULA”.
• FORMAS DE CONTÁGIO
• A TRANSMISSÃO OCORRE PELO SEXO DESPROTEGIDO COM UMA PESSOA INFECTADA. POR ISSO,
RECOMENDA-SE SEMPRE O USO DA CAMISINHA MASCULINA OU FEMININA E O CUIDADO COM A HIGIENE
ÍNTIMA APÓS A RELAÇÃO SEXUAL.
LINFOGRANULOMA VENÉREO (LGV)
• SINAIS E SINTOMAS
• FERIDAS NÓS ÓRGÃOS GENITAIS E OUTROS (PÊNIS, VAGINA, COLO DO ÚTERO, ÂNUS E BOCA ), AS QUAIS, MUITAS VEZES, NÃO SÃO PERCEBIDAS E
DESAPARECEM SEM TRATAMENTO.
• ENTRE UMA A SEIS SEMANAS APÓS A FERIDA INICIAL, SURGE UM INCHAÇO DOLOROSO (CAROÇO OU ÍNGUA) NA VIRILHA, QUE, SE NÃO FOR TRATADO,
ROMPE-SE, COM A SAÍDA DE PUS.
• PODE HAVER SINTOMAS POR TODO O CORPO, COMO DORES NAS ARTICULAÇÕES, FEBRE E MAL-ESTAR.
• QUANDO NÃO TRATADA ADEQUADAMENTE, A INFECÇÃO PODE AGRAVAR-SE, CAUSANDO ELEFANTÍASE (ACÚMULO DE LINFA NO PÊNIS, ESCROTO E
VULVA).
• DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO
• NA PRESENÇA DE QUALQUER SINAL OU SINTOMA DESSA IST, RECOMENDA-SE PROCURAR UM SERVIÇO DE SAÚDE PARA O DIAGNÓSTICO CORRETO E
INDICAÇÃO DO TRATAMENTO COM ANTIBIÓTICO ADEQUADO.
• AS PARCERIAS SEXUAIS TAMBÉM PRECISAM SER TRATADAS.

SÍFILIS
• O QUE É
• É UMA INFECÇÃO SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEL (IST) CURÁVEL E EXCLUSIVA DO SER HUMANO, CAUSADA PELA BACTÉRIA TREPONEMA PALLIDUM. PODE APRESENTAR
VÁRIAS MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS E DIFERENTES ESTÁGIOS (SÍFILIS PRIMÁRIA, SECUNDÁRIA, LATENTE E TERCIÁRIA). NOS ESTÁGIOS PRIMÁRIO E SECUNDÁRIO DA
INFECÇÃO, A POSSIBILIDADE DE TRANSMISSÃO É MAIOR.
• FORMAS DE TRANSMISSÃO
• A SÍFILIS PODE SER TRANSMITIDA POR RELAÇÃO SEXUAL SEM CAMISINHA COM UMA PESSOA INFECTADA, OU PARA A CRIANÇA DURANTE A GESTAÇÃO OU PARTO.
• SINAIS E SINTOMAS
• SÍFILIS PRIMÁRIA
• FERIDA, GERALMENTE ÚNICA, NO LOCAL DE ENTRADA DA BACTÉRIA (PÊNIS, VULVA, VAGINA, COLO UTERINO, ÂNUS, BOCA, OU OUTROS LOCAIS DA PELE), QUE APARECE ENTRE
10 A 90 DIAS APÓS O CONTÁGIO. ESSA LESÃO É RICA EM BACTÉRIAS.
• NORMALMENTE NÃO DÓI, NÃO COÇA, NÃO ARDE E NÃO TEM PUS, PODENDO ESTAR ACOMPANHADA DE ÍNGUAS (CAROÇOS) NA VIRILHA.
• SÍFILIS SECUNDÁRIA
• OS SINAIS E SINTOMAS APARECEM ENTRE SEIS SEMANAS E SEIS MESES DO APARECIMENTO E CICATRIZAÇÃO DA FERIDA INICIAL.
• PODE OCORRER MANCHAS NO CORPO, QUE GERALMENTE NÃO COÇAM, INCLUINDO PALMAS DAS MÃOS E PLANTAS DOS PÉS. ESSAS LESÕES SÃO RICAS EM BACTÉRIAS.
• PODE OCORRER FEBRE, MAL-ESTAR, DOR DE CABEÇA, ÍNGUAS PELO CORPO.
SÍFILIS
• SÍFILIS LATENTE – FASE ASSINTOMÁTICA
• NÃO APARECEM SINAIS OU SINTOMAS.
• É DIVIDIDA EM SÍFILIS LATENTE RECENTE (MENOS DE DOIS ANOS DE INFECÇÃO) E SÍFILIS LATENTE TARDIA (MAIS DE DOIS ANOS DE
INFECÇÃO).
• A DURAÇÃO É VARIÁVEL, PODENDO SER INTERROMPIDA PELO SURGIMENTO DE SINAIS E SINTOMAS DA FORMA SECUNDÁRIA OU
TERCIÁRIA.
• SÍFILIS TERCIÁRIA
• PODE SURGIR DE DOIS A 40 ANOS DEPOIS DO INÍCIO DA INFECÇÃO.
• COSTUMA APRESENTAR SINAIS E SINTOMAS, PRINCIPALMENTE LESÕES CUTÂNEAS, ÓSSEAS, CARDIOVASCULARES E
NEUROLÓGICAS, PODENDO LEVAR À MORTE.
SÍFILIS
• DIAGNÓSTICO
• O TESTE RÁPIDO (TR) DE SÍFILIS ESTÁ DISPONÍVEL NOS SERVIÇOS DE SAÚDE DO SUS, SENDO PRÁTICO E DE FÁCIL EXECUÇÃO,
COM LEITURA DO RESULTADO EM, NO MÁXIMO, 30 MINUTOS, SEM A NECESSIDADE DE ESTRUTURA LABORATORIAL. O TR DE
SÍFILIS É DISTRIBUÍDO PELO DEPARTAMENTO DAS IST, DO HIV/AIDS E DAS HEPATITES VIRAIS/SECRETARIA DE VIGILÂNCIA
EM SAÚDE/MINISTÉRIO DA SAÚDE (DIAHV/SVS/MS), COMO PARTE DA ESTRATÉGIA PARA AMPLIAR A COBERTURA
DIAGNÓSTICA.
• NOS CASOS DE TR POSITIVOS (REAGENTES), UMA AMOSTRA DE SANGUE DEVERÁ SER COLETADA E ENCAMINHADA PARA
REALIZAÇÃO DE UM TESTE LABORATORIAL (NÃO TREPONÊMICO) PARA CONFIRMAÇÃO DO DIAGNÓSTICO.
• EM CASO DE GESTANTE, DEVIDO AO RISCO DE TRANSMISSÃO AO FETO, O TRATAMENTO DEVE SER INICIADO COM APENAS UM
TESTE POSITIVO (REAGENTE), SEM PRECISAR AGUARDAR O RESULTADO DO SEGUNDO TESTE.
• TRATAMENTO
• O TRATAMENTO DE ESCOLHA É A PENICILINA BENZATINA, QUE PODERÁ SER APLICADA NA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE MAIS
PRÓXIMA DE SUA RESIDÊNCIA.
SÍFILIS

• PREVENÇÃO
• O USO CORRETO E REGULAR DA CAMISINHA FEMININA OU MASCULINA É UMA MEDIDA IMPORTANTE DE
PREVENÇÃO DA SÍFILIS. O ACOMPANHAMENTO DAS GESTANTES E PARCERIAS SEXUAIS DURANTE O PRÉ-NATAL DE
QUALIDADE CONTRIBUI PARA O CONTROLE DA SÍFILIS CONGÊNITA.
SÍFILIS CONGÊNITA
• É UMA DOENÇA TRANSMITIDA PARA CRIANÇA DURANTE A GESTAÇÃO (TRANSMISSÃO VERTICAL).= POR ISSO, É IMPORTANTE FAZER O
TESTE PARA DETECTAR A SÍFILIS DURANTE O PRÉ-NATAL E, QUANDO O RESULTADO FOR POSITIVO (REAGENTE), TRATAR CORRETAMENTE A
MULHER E SUA PARCERIA SEXUAL, PARA EVITAR A TRANSMISSÃO.
• RECOMENDA-SE QUE A GESTANTE SEJA TESTADA PELO MENOS EM 3 MOMENTOS:
• PRIMEIRO TRIMESTRE DE GESTAÇÃO
• TERCEIRO TRIMESTRE DE GESTAÇÃO
• MOMENTO DO PARTO OU EM CASOS DE ABORTO
• SINAIS E SINTOMAS
• PODE SE MANIFESTAR LOGO APÓS O NASCIMENTO, DURANTE OU APÓS OS PRIMEIROS DOIS ANOS DE VIDA DA CRIANÇA. SÃO
COMPLICAÇÕES DA DOENÇA: ABORTO ESPONTÂNEO, PARTO PREMATURO, MÁ-FORMAÇÃO DO FETO, SURDEZ, CEGUEIRA, DEFICIÊNCIA
MENTAL E/OU MORTE AO NASCER.
• DIAGNÓSTICO
• DEVE-SE AVALIAR A HISTÓRIA CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICA DA MÃE, O EXAME FÍSICO DA CRIANÇA E OS RESULTADOS DOS TESTES,
INCLUINDO OS EXAMES RADIOLÓGICOS E LABORATORIAIS.
SÍFILIS CONGÊNITA
• TRATAMENTO
• QUANDO A SÍFILIS É DETECTADA NA GESTANTE, O TRATAMENTO DEVE SER INICIADO O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL, COM A PENICILINA
BENZATINA. ESTE É O ÚNICO MEDICAMENTO CAPAZ DE PREVENIR A TRANSMISSÃO VERTICAL. A PARCERIA SEXUAL TAMBÉM DEVERÁ
SER TESTADA E TRATADA PARA EVITAR A REINFECÇÃO DA GESTANTE. SÃO CRITÉRIOS DE TRATAMENTO ADEQUADO À GESTANTE:
• ADMINISTRAÇÃO DE PENICILINA BENZATINA
• INÍCIO DO TRATAMENTO ATÉ 30 DIAS ANTES DO PARTO
• ESQUEMA TERAPÊUTICO DE ACORDO COM O ESTÁGIO CLÍNICO DA SÍFILIS
• RESPEITO AO INTERVALO RECOMENDADO DAS DOSES
• PREVENÇÃO
• O USO CORRETO E REGULAR DA CAMISINHA FEMININA OU MASCULINA É UMA MEDIDA IMPORTANTE DE PREVENÇÃO DA SÍFILIS. O
ACOMPANHAMENTO DAS GESTANTES E PARCERIAS SEXUAIS DURANTE O PRÉ-NATAL DE QUALIDADE CONTRIBUI PARA O CONTROLE
DA SÍFILIS CONGÊNITA.
SÍFILIS CONGÊNITA
• CUIDADOS COM A CRIANÇA EXPOSTA À SÍFILIS
• O PRINCIPAL CUIDADO À CRIANÇA É A REALIZAÇÃO DE UM PRÉ-NATAL DE QUALIDADE E O
ESTABELECIMENTO DO TRATAMENTO ADEQUADO DA GESTANTE.
• TODAS AS CRIANÇAS EXPOSTAS À SÍFILIS DE MÃES QUE NÃO FORAM TRATADAS, OU
RECEBERAM TRATAMENTO NÃO ADEQUADO, SÃO SUBMETIDAS A DIVERSAS INTERVENÇÕES QUE
INCLUEM: COLETA DE AMOSTRAS DE SANGUE, AVALIAÇÃO NEUROLÓGICA (INCLUINDO PUNÇÃO LOMBAR),
RAIO-X DE OSSO LONGOS, AVALIAÇÃO OFTALMOLÓGICA E AUDIOLÓGICA. MUITAS VEZES HÁ NECESSIDADE
DE INTERNAÇÃO HOSPITALAR PROLONGADA.
HEPATITE B
• CAUSADA PELO VÍRUS B (HBV), A HEPATITE DO TIPO B É UMA DOENÇA INFECCIOSA, TAMBÉM CHAMADA DE SORO-HOMÓLOGA. COMO O HBV ESTÁ
PRESENTE NO SANGUE, NO ESPERMA E NO LEITE MATERNO, A HEPATITE B É CONSIDERADA UMA DOENÇA SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEL. ENTRE AS
CAUSAS DE TRANSMISSÃO ESTÃO:
• RELAÇÕES SEXUAIS SEM CAMISINHA COM UMA PESSOA INFECTADA;
• DA MÃE INFECTADA PARA O FILHO DURANTE A GESTAÇÃO, O PARTO OU A AMAMENTAÇÃO;
• COMPARTILHAMENTO DE MATERIAL PARA USO DE DROGAS (SERINGAS, AGULHAS, CACHIMBOS), DE HIGIENE PESSOAL (LÂMINAS DE BARBEAR E
DEPILAR, ESCOVAS DE DENTE, ALICATES DE UNHA OU OUTROS OBJETOS QUE FURAM OU CORTAM) OU DE CONFECÇÃO DE TATUAGEM E COLOCAÇÃO DE
PIERCINGS;
• TRANSFUSÃO DE SANGUE CONTAMINADO.
• A MAIORIA DOS CASOS DE HEPATITE B NÃO APRESENTA SINTOMAS. PORÉM, OS MAIS FREQUENTES SÃO CANSAÇO, TONTURA, ENJOO E/OU VÔMITOS,
FEBRE, DOR ABDOMINAL, PELE E OLHOS AMARELADOS, URINA ESCURA E FEZES CLARAS. ESSES SINAIS COSTUMAM APARECER DE UM A SEIS MESES
APÓS A INFECÇÃO. COMO AS HEPATITES VIRAIS SÃO DOENÇAS SILENCIOSAS, CONSULTE REGULARMENTE UM MÉDICO E FAÇA O TESTE.
HEPATITE B
• A HEPATITE B PODE SE DESENVOLVER DE DUAS FORMAS, AGUDA E CRÔNICA. A AGUDA É QUANDO A INFECÇÃO
TEM CURTA DURAÇÃO. OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE CONSIDERAM QUE A FORMA É CRÔNICA QUANDO A
DOENÇA DURA MAIS DE SEIS MESES. O RISCO DE A DOENÇA TORNAR-SE CRÔNICA DEPENDE DA IDADE NA QUAL
OCORRE A INFECÇÃO. AS CRIANÇAS SÃO AS MAIS AFETADAS. NAQUELAS COM MENOS DE UM ANO, ESSE RISCO
CHEGA A 90%; ENTRE UM E CINCO ANOS, VARIA ENTRE 20% E 50%. EM ADULTOS, O ÍNDICE CAI PARA 5% A 10%.
• O DIAGNÓSTICO DA HEPATITE B É FEITO POR MEIO DE EXAME DE SANGUE ESPECÍFICO. APÓS O RESULTADO
POSITIVO, O MÉDICO INDICARÁ O TRATAMENTO ADEQUADO. ALÉM DOS MEDICAMENTOS (QUANDO
NECESSÁRIOS), INDICA-SE CORTAR O CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS POR UM PERÍODO MÍNIMO DE SEIS
MESES, ALÉM DE TOMAR REMÉDIOS PARA ALIVIAR SINTOMAS COMO VÔMITO E FEBRE.
HEPATITE B
• PREVINA-SE
EVITAR A DOENÇA É MUITO FÁCIL. BASTA TOMAR AS TRÊS DOSES DA VACINA, USAR CAMISINHA EM TODAS AS RELAÇÕES SEXUAIS E NÃO
COMPARTILHAR OBJETOS DE USO PESSOAL, COMO LÂMINAS DE BARBEAR E DEPILAR, ESCOVAS DE DENTE, MATERIAL DE MANICURE E PEDICURE,
EQUIPAMENTOS PARA USO DE DROGAS, CONFECÇÃO DE TATUAGEM E COLOCAÇÃO DE PIERCINGS. O PRESERVATIVO ESTÁ DISPONÍVEL NA REDE
PÚBLICA DE SAÚDE. CASO VOCÊ NÃO SAIBA ONDE RETIRAR A CAMISINHA, LIGUE PARA O DISQUE SAÚDE (136).
• ALÉM DISSO, TODA MULHER GRÁVIDA PRECISA FAZER O PRÉ-NATAL E OS EXAMES PARA DETECTAR A HEPATITES, A AIDS E A SÍFILIS. ESSE CUIDADO É
FUNDAMENTAL PARA EVITAR A TRANSMISSÃO DE MÃE PARA FILHO. EM CASO POSITIVO, É NECESSÁRIO SEGUIR TODAS AS RECOMENDAÇÕES MÉDICAS,
INCLUSIVE SOBRE O TIPO DE PARTO E AMAMENTAÇÃO.
• VACINA
ATUALMENTE, O SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE DISPONIBILIZA GRATUITAMENTE A VACINA CONTRA A HEPATITE B EM QUALQUER POSTO DE SAÚDE.
• A IMUNIZAÇÃO SÓ É EFETIVA QUANDO SE TOMAM AS TRÊS DOSES, COM INTERVALO DE UM MÊS ENTRE A PRIMEIRA E A SEGUNDA DOSE E DE SEIS
MESES ENTRE A PRIMEIRA E A TERCEIRA DOSE.
• BIOLOGIA
O AGENTE CAUSADOR DA DOENÇA É UM VÍRUS DNA DE FITA DUPLA DA FAMÍLIA HEPADNAVIRIDAE.
HEPATITE C
• A HEPATITE C É CAUSADA PELO VÍRUS C (HCV), JÁ TENDO SIDO CHAMADA DE “HEPATITE NÃO A NÃO B”. O VÍRUS C, ASSIM COMO O VÍRUS CAUSADOR DA HEPATITE
B, ESTÁ PRESENTE NO SANGUE. ENTRE AS CAUSAS DE TRANSMISSÃO ESTÃO:
• TRANSFUSÃO DE SANGUE;
• COMPARTILHAMENTO DE MATERIAL PARA USO DE DROGAS (SERINGAS, AGULHAS, CACHIMBOS, ENTRE OUTROS), PARA HIGIENE PESSOAL (LÂMINAS DE BARBEAR E
DEPILAR, ESCOVAS DE DENTE, ALICATES DE UNHA OU OUTROS OBJETOS QUE FURAM OU CORTAM) OU PARA CONFECÇÃO DE TATUAGEM E COLOCAÇÃO DE
PIERCINGS;
• DA MÃE INFECTADA PARA O FILHO DURANTE A GRAVIDEZ (MAIS RARA);
• SEXO SEM CAMISINHA COM UMA PESSOA INFECTADA (MAIS RARA).
• A TRANSMISSÃO SEXUAL DO HCV ENTRE PARCEIROS HETEROSSEXUAIS É MUITO POUCO FREQUENTE, PRINCIPALMENTE NOS CASAIS MONOGÂMICOS; SENDO
ASSIM, A HEPATITE C NÃO É UMA INFECÇÃO SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEL (IST). PORÉM, ENTRE HOMENS QUE FAZEM SEXO COM HOMENS (HSH) E NA PRESENÇA
DA INFECÇÃO PELO HIV, A VIA SEXUAL DEVE SER CONSIDERADA PARA A TRANSMISSÃO DO HCV.
• O SURGIMENTO DE SINTOMAS EM PESSOAS COM HEPATITE C AGUDA É MUITO RARO. ENTRETANTO, OS QUE MAIS APARECEM SÃO CANSAÇO, TONTURA, ENJOO E/OU
VÔMITOS, FEBRE, DOR ABDOMINAL, PELE E OLHOS AMARELADOS, URINA ESCURA E FEZES CLARAS. POR SE TRATAR DE UMA DOENÇA SILENCIOSA, É IMPORTANTE
CONSULTAR-SE COM UM MÉDICO REGULARMENTE E FAZER OS EXAMES DE ROTINA QUE DETECTAM TODAS AS FORMAS DE HEPATITE. O DIAGNÓSTICO PRECOCE DA
HEPATITE AMPLIA A EFICÁCIA DO TRATAMENTO. EXISTEM CENTROS DE ASSISTÊNCIA DO SUS QUE DISPONIBILIZAM TRATAMENTO PARA A HEPATITE C EM TODOS
OS ESTADOS DO PAÍS. VERIFIQUE QUAL O CENTRO DE SAÚDE MAIS PERTO DE VOCÊ AQUI.
HEPATITE C
• QUANDO A INFECÇÃO PELO HCV PERSISTE POR MAIS DE SEIS MESES, O QUE É COMUM EM ATÉ 80% DOS CASOS, CARACTERIZA-SE A EVOLUÇÃO PARA A
FORMA CRÔNICA. CERCA DE 20% DOS INFECTADOS CRONICAMENTE PELO HCV PODEM EVOLUIR PARA CIRROSE HEPÁTICA E CERCA DE 1% A 5% PARA
CÂNCER DE FÍGADO. O TRATAMENTO DA HEPATITE C DEPENDE DO TIPO DO VÍRUS (GENÓTIPO) E DO COMPROMETIMENTO DO FÍGADO (FIBROSE). PARA ISSO,
É NECESSÁRIA A REALIZAÇÃO DE EXAMES ESPECÍFICOS, COMO BIÓPSIA HEPÁTICA NOS PACIENTES SEM EVIDÊNCIAS CLÍNICAS DE CIRROSE E EXAMES DE
BIOLOGIA MOLECULAR.
• PREVINA-SE
NÃO EXISTE VACINA CONTRA A HEPATITE C, MAS EVITAR A DOENÇA É MUITO FÁCIL. BASTA NÃO COMPARTILHAR COM OUTRAS PESSOAS NADA QUE POSSA
TER ENTRADO EM CONTATO COM SANGUE, COMO SERINGAS, AGULHAS E OBJETOS CORTANTES. ENTRE AS VULNERABILIDADES INDIVIDUAIS E SOCIAIS,
DEVEM SER CONSIDERADOS O USO DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS E A FALTA DE ACESSO À INFORMAÇÃO E AOS INSUMOS DE PREVENÇÃO, COMO
PRESERVATIVOS, CACHIMBOS, SERINGAS E AGULHAS DESCARTÁVEIS. CASO VOCÊ NÃO SAIBA ONDE TER ACESSO AOS INSUMOS DE PREVENÇÃO, LIGUE
PARA O DISQUE SAÚDE (136).
ALÉM DISSO, TODA MULHER GRÁVIDA PRECISA FAZER NO PRÉ-NATAL OS EXAMES PARA DETECTAR AS HEPATITES B E C, A AIDS E A SÍFILIS. ESSE CUIDADO É
FUNDAMENTAL PARA EVITAR A TRANSMISSÃO DE MÃE PARA FILHO. EM CASO DE RESULTADO POSITIVO, É NECESSÁRIO SEGUIR TODAS AS RECOMENDAÇÕES
MÉDICAS, INCLUSIVE SOBRE O TIPO DE PARTO E AMAMENTAÇÃO (FISSURAS NO SEIO DA MÃE PODEM PERMITIR A PASSAGEM DE SANGUE).
• BIOLOGIA
O VÍRUS DA HEPATITE C É CONSTITUÍDO POR RNA DE FITA SIMPLES E PERTENCE À FAMÍLIA FLAVIVIRIDAE. SUA DETECÇÃO SE DÁ POR MEIO DE EXAMES DE
BIOLOGIA MOLECULAR (HCV-RNA) QUE TAMBÉM SÃO CAPAZES DE IDENTIFICAR O SEU TIPO (GENÓTIPO) E QUANTIDADE NO SANGUE (CARGA VIRAL).
COMO É A PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO VERTICAL DE HIV, SÍFILIS E
HEPATITE B
• TODAS AS GESTANTES E SUAS PARCERIAS SEXUAIS DEVEM SER INVESTIGADAS PARA IST E INFORMADAS SOBRE A POSSIBILIDADE DE
PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO PARA A CRIANÇA, ESPECIALMENTE DE HIV/AIDS, SÍFILIS E HEPATITE VIRAL B.
• O DIAGNÓSTICO PRECOCE (COM O USO DE TESTES RÁPIDOS) E A ATENÇÃO ADEQUADA NO PRÉ-NATAL REDUZEM A TRANSMISSÃO
VERTICAL. A PRESENÇA DE IST NA GESTAÇÃO PODE AFETAR A CRIANÇA E CAUSAR COMPLICAÇÕES, COMO ABORTO, PARTO
PREMATURO, DOENÇAS CONGÊNITAS OU MORTE DO RECÉM-NASCIDO.
• IMPORTANTE!
• QUANDO REALIZAR O TESTE DE HIV NO PRÉ-NATAL?
• 1ª CONSULTA DO PRÉ-NATAL (IDEAL NO 1º TRIMESTRE)
• 3º TRIMESTRE DA GESTAÇÃO
• NO CASO DE GESTANTES QUE NÃO TIVERAM ACESSO AO PRÉ-NATAL, O DIAGNÓSTICO PODE OCORRER NO MOMENTO DO PARTO.
• QUANDO REALIZAR O TESTE DE SÍFILIS NO PRÉ-NATAL?
• NA 1ª CONSULTA DO PRÉ-NATAL (IDEALMENTE NO 1º TRIMESTRE)
• NO 3º TRIMESTRE DA GESTAÇÃO
• NO MOMENTO DO PARTO (INDEPENDENTEMENTE DE EXAMES ANTERIORES)
• EM CASO DE ABORTAMENTO
• HEPATITE B: DEVEM-SE REALIZAR OS EXAMES PARA DETECÇÃO DURANTE O PRIMEIRO TRIMESTRE DA GESTAÇÃO OU QUANDO
DO INÍCIO DO PRÉ-NATAL. A GESTANTE DEVE SER VACINADA PARA HEPATITE B, QUANDO INDICADO.
• A ATENÇÃO INTEGRAL ÀS PESSOAS COM IST E ÀS PARCERIAS SEXUAIS, NO MOMENTO ADEQUADO E OPORTUNO,
INTERROMPE A CADEIA DE TRANSMISSÃO DESSAS INFECÇÕES E MELHORA A QUALIDADE DE VIDA DAS PESSOAS. É
FUNDAMENTAL ORIENTÁ-LAS SOBRE A PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO E DE NOVAS INFECÇÕES, ASSIM COMO SOBRE OS
SINAIS E SINTOMAS, A NECESSIDADE DE ATENDIMENTO EM UMA UNIDADE DE SAÚDE E A IMPORTÂNCIA DE EVITAR CONTATO
SEXUAL ATÉ QUE A PARCERIA SEJA TRATADA E ORIENTADA.
• O ATENDIMENTO E O TRATAMENTO SÃO GRATUITOS NAS UNIDADES DE SAÚDE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS). NÃO
SINTA VERGONHA DE CONVERSAR COM O PROFISSIONAL DE SAÚDE. FAÇA PERGUNTAS. ESCLAREÇA AS DÚVIDAS.
O QUE É HIV
• HIV É A SIGLA EM INGLÊS DO VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA. CAUSADOR DA AIDS, ATACA O SISTEMA IMUNOLÓGICO,
RESPONSÁVEL POR DEFENDER O ORGANISMO DE DOENÇAS. AS CÉLULAS MAIS ATINGIDAS SÃO OS LINFÓCITOS T CD4+. E É
ALTERANDO O DNA DESSA CÉLULA QUE O HIV FAZ CÓPIAS DE SI MESMO. DEPOIS DE SE MULTIPLICAR, ROMPE OS LINFÓCITOS EM
BUSCA DE OUTROS PARA CONTINUAR A INFECÇÃO.
• TER O HIV NÃO É A MESMA COISA QUE TER AIDS. HÁ MUITOS SOROPOSITIVOS QUE VIVEM ANOS SEM APRESENTAR SINTOMAS E
SEM DESENVOLVER A DOENÇA. MAS PODEM TRANSMITIR O VÍRUS A OUTRAS PESSOAS PELAS RELAÇÕES SEXUAIS DESPROTEGIDAS,
PELO COMPARTILHAMENTO DE SERINGAS CONTAMINADAS OU DE MÃE PARA FILHO DURANTE A GRAVIDEZ E A AMAMENTAÇÃO,
QUANDO NÃO TOMAM AS DEVIDAS MEDIDAS DE PREVENÇÃO. POR ISSO, É SEMPRE IMPORTANTE FAZER O TESTE E SE PROTEGER EM
TODAS AS SITUAÇÕES.
• BIOLOGIA
• O HIV É UM RETROVÍRUS, CLASSIFICADO NA SUBFAMÍLIA DOS LENTIVIRIDAE. ESSES VÍRUS COMPARTILHAM ALGUMAS
PROPRIEDADES COMUNS: PERÍODO DE INCUBAÇÃO PROLONGADO ANTES DO SURGIMENTO DOS SINTOMAS DA DOENÇA, INFECÇÃO
DAS CÉLULAS DO SANGUE E DO SISTEMA NERVOSO E SUPRESSÃO DO SISTEMA IMUNE.
MITOS E VERDADES SOBRE CONTÁGIO DO HIV

• ASSIM PEGA:
• SEXO VAGINAL SEM CAMISINHA; SEXO ANAL SEM CAMISINHA; SEXO ORAL SEM CAMISINHA; USO DE SERINGA
POR MAIS DE UMA PESSOA; TRANSFUSÃO DE SANGUE CONTAMINADO; DA MÃE INFECTADA PARA SEU FILHO
DURANTE A GRAVIDEZ, NO PARTO E NA AMAMENTAÇÃO; INSTRUMENTOS QUE FURAM OU CORTAM NÃO
ESTERILIZADOS.
• ASSIM NÃO PEGA:
• SEXO DESDE QUE SE USE CORRETAMENTE A CAMISINHA; MASTURBAÇÃO A DOIS; BEIJO NO ROSTO OU NA BOCA;
SUOR E LÁGRIMA; PICADA DE INSETO; APERTO DE MÃO OU ABRAÇO; SABONETE/TOALHA/LENÇÓIS;
TALHERES/COPOS; ASSENTO DE ÔNIBUS; PISCINA; BANHEIRO; DOAÇÃO DE SANGUE; PELO AR.
DIAGNÓSTICO DO HIV
• CONHECER O QUANTO ANTES A SOROLOGIA POSITIVA PARA O HIV AUMENTA MUITO A EXPECTATIVA DE VIDA DE UMA PESSOA
QUE VIVE COM O VÍRUS. QUEM SE TESTA COM REGULARIDADE, BUSCA TRATAMENTO NO TEMPO CERTO E SEGUE AS
RECOMENDAÇÕES DA EQUIPE DE SAÚDE GANHA MUITO EM QUALIDADE DE VIDA.
• ALÉM DISSO, AS MÃES QUE VIVEM COM HIV TÊM 99% DE CHANCE DE TEREM FILHOS SEM O HIV SE SEGUIREM O
TRATAMENTO RECOMENDADO DURANTE O PRÉ-NATAL, PARTO E PÓS-PARTO.
• POR ISSO, SE VOCÊ PASSOU POR UMA SITUAÇÃO DE RISCO, COMO TER FEITO SEXO DESPROTEGIDO OU COMPARTILHADO
SERINGAS, FAÇA O TESTE ANTI-HIV. O DIAGNÓSTICO DA INFECÇÃO PELO HIV É FEITO A PARTIR DA COLETA DE SANGUE OU
POR FLUIDO ORAL. NO BRASIL, TEMOS OS EXAMES LABORATORIAIS E OS TESTES RÁPIDOS, QUE DETECTAM OS ANTICORPOS
CONTRA O HIV EM CERCA DE 30 MINUTOS. ESSES TESTES SÃO REALIZADOS GRATUITAMENTE PELO SISTEMA ÚNICO DE
SAÚDE (SUS), NAS UNIDADES DA REDE PÚBLICA E NOS CENTROS DE TESTAGEM E ACONSELHAMENTO (CTA).
DIAGNÓSTICO DO HIV
• OS EXAMES PODEM SER FEITOS DE FORMA ANÔNIMA. NESSES CENTROS, ALÉM DA COLETA E DA EXECUÇÃO DOS
TESTES, HÁ UM PROCESSO DE ACONSELHAMENTO, PARA FACILITAR A CORRETA INTERPRETAÇÃO DO
RESULTADO PELO(A) USUÁRIO(A). TAMBÉM É POSSÍVEL SABER ONDE FAZER O TESTE PELO DISQUE SAÚDE (136).
• ALÉM DA REDE DE SERVIÇOS DE SAÚDE, É POSSÍVEL FAZER OS TESTES POR INTERMÉDIO DE UMA ORGANIZAÇÃO
DA SOCIEDADE CIVIL, NO ÂMBITO DO PROGRAMA VIVA MELHOR SABENDO.
• EM TODOS OS CASOS, A INFECÇÃO PELO HIV PODE SER DETECTADA EM, PELO MENOS, 30 DIAS A CONTAR DA
SITUAÇÃO DE RISCO. ISSO PORQUE O EXAME (O LABORATORIAL OU O TESTE RÁPIDO) BUSCA POR ANTICORPOS
CONTRA O HIV NO MATERIAL COLETADO. ESSE PERÍODO É CHAMADO DE JANELA IMUNOLÓGICA.
JANELA IMUNOLÓGICA
• JANELA IMUNOLÓGICA É O INTERVALO DE TEMPO DECORRIDO ENTRE A INFECÇÃO PELO HIV ATÉ A PRIMEIRA DETECÇÃO DE
ANTICORPOS ANTI-HIV PRODUZIDOS PELO SISTEMA DE DEFESA DO ORGANISMO.
• NA MAIORIA DOS CASOS, A DURAÇÃO DA JANELA IMUNOLÓGICA É DE 30 DIAS. PORÉM, ESSE PERÍODO PODE VARIAR,
DEPENDENDO DA REAÇÃO DO ORGANISMO DO INDIVÍDUO FRENTE À INFECÇÃO E DO TIPO DO TESTE (MÉTODO UTILIZADO E
SENSIBILIDADE).
• SE UM TESTE PARA DETECÇÃO DE ANTICORPOS ANTI-HIV É REALIZADO DURANTE O PERÍODO DA JANELA IMUNOLÓGICA, HÁ A
POSSIBILIDADE DE GERAR UM RESULTADO NÃO REAGENTE. DESSA FORMA, RECOMENDA-SE QUE, NOS CASOS DE TESTES COM
RESULTADOS NÃO REAGENTES EM QUE PERMANEÇA A SUSPEITA DE INFECÇÃO PELO HIV, A TESTAGEM SEJA REPETIDA APÓS
30 DIAS COM A COLETA DE UMA NOVA AMOSTRA. É IMPORTANTE RESSALTAR QUE, NO PERÍODO DE JANELA IMUNOLÓGICA, O
VÍRUS DO HIV JÁ PODE SER TRANSMITIDO, MESMO NOS CASOS EM QUE O RESULTADO DO TESTE QUE DETECTA ANTICORPOS
ANTI-HIV FOR NÃO REAGENTE.

SINTOMAS E FASES DA AIDS
• QUANDO OCORRE A INFECÇÃO PELO VÍRUS CAUSADOR DA AIDS, O SISTEMA IMUNOLÓGICO COMEÇA A SER
ATACADO. E É NA PRIMEIRA FASE, CHAMADA DE INFECÇÃO AGUDA, QUE OCORRE A INCUBAÇÃO DO HIV (TEMPO
DA EXPOSIÇÃO AO VÍRUS ATÉ O SURGIMENTO DOS PRIMEIROS SINAIS DA DOENÇA). ESSE PERÍODO VARIA DE
TRÊS A SEIS SEMANAS. E O ORGANISMO LEVA DE 30 A 60 DIAS APÓS A INFECÇÃO PARA PRODUZIR
ANTICORPOS ANTI-HIV. OS PRIMEIROS SINTOMAS SÃO MUITO PARECIDOS COM OS DE UMA GRIPE, COMO
FEBRE E MAL-ESTAR. POR ISSO, A MAIORIA DOS CASOS PASSA DESPERCEBIDA.
• A PRÓXIMA FASE É MARCADA PELA FORTE INTERAÇÃO ENTRE AS CÉLULAS DE DEFESA E AS CONSTANTES E
RÁPIDAS MUTAÇÕES DO VÍRUS. MAS ISSO NÃO ENFRAQUECE O ORGANISMO O SUFICIENTE PARA PERMITIR
NOVAS DOENÇAS, POIS OS VÍRUS AMADURECEM E MORREM DE FORMA EQUILIBRADA. ESSE PERÍODO, QUE
PODE DURAR MUITOS ANOS, É CHAMADO DE ASSINTOMÁTICO.
SINTOMAS E FASES DA AIDS
• COM O FREQUENTE ATAQUE, AS CÉLULAS DE DEFESA COMEÇAM A FUNCIONAR COM MENOS EFICIÊNCIA ATÉ SEREM
DESTRUÍDAS. O ORGANISMO FICA CADA VEZ MAIS FRACO E VULNERÁVEL A INFECÇÕES COMUNS. A FASE SINTOMÁTICA
INICIAL É CARACTERIZADA PELA ALTA REDUÇÃO DOS LINFÓCITOS T CD4+ (GLÓBULOS BRANCOS DO SISTEMA
IMUNOLÓGICO) QUE CHEGAM A FICAR ABAIXO DE 200 UNIDADES POR MM³ DE SANGUE. EM ADULTOS SAUDÁVEIS, ESSE
VALOR VARIA ENTRE 800 A 1.200 UNIDADES. OS SINTOMAS MAIS COMUNS NESSA FASE SÃO: FEBRE, DIARREIA, SUORES
NOTURNOS E EMAGRECIMENTO.
• A BAIXA IMUNIDADE PERMITE O APARECIMENTO DE DOENÇAS OPORTUNISTAS, QUE RECEBEM ESSE NOME POR SE
APROVEITAREM DA FRAQUEZA DO ORGANISMO. COM ISSO, ATINGE-SE O ESTÁGIO MAIS AVANÇADO DA DOENÇA, A AIDS.
QUEM CHEGA A ESSA FASE, POR NÃO SABER DA SUA INFECÇÃO OU NÃO SEGUIR O TRATAMENTO INDICADO PELA EQUIPE DE
SAÚDE, PODE SOFRER DE HEPATITES VIRAIS, TUBERCULOSE, PNEUMONIA, TOXOPLASMOSE E ALGUNS TIPOS DE CÂNCER. POR
ISSO, SEMPRE QUE VOCÊ TRANSAR SEM CAMISINHA OU PASSAR POR ALGUMA OUTRA SITUAÇÃO DE RISCO, PROCURE UMA
UNIDADE DE SAÚDE IMEDIATAMENTE, INFORME-SE SOBRE A PROFILAXIA PÓS-EXPOSIÇÃO (PEP) E FAÇA O TESTE.
SAIBA AQUI ONDE ENCONTRAR UM SERVIÇO DE SAÚDE PERTO DE VOCÊ.
TRATAMENTO PARA O HIV
• OS MEDICAMENTOS ANTIRRETROVIRAIS (ARV) SURGIRAM NA DÉCADA DE 1980 PARA IMPEDIR A
MULTIPLICAÇÃO DO HIV NO ORGANISMO. ESSES MEDICAMENTOS AJUDAM A EVITAR O
ENFRAQUECIMENTO DO SISTEMA IMUNOLÓGICO. POR ISSO, O USO REGULAR DOS ARV É FUNDAMENTAL
PARA AUMENTAR O TEMPO E A QUALIDADE DE VIDA DAS PESSOAS QUE VIVEM COM HIV E REDUZIR O
NÚMERO DE INTERNAÇÕES E INFECÇÕES POR DOENÇAS OPORTUNISTAS.
• DESDE 1996, O BRASIL DISTRIBUI GRATUITAMENTE OS ARV A TODAS AS PESSOAS VIVENDO COM HIV QUE
NECESSITAM DE TRATAMENTO. ATUALMENTE, EXISTEM 22 MEDICAMENTOS, EM 38 APRESENTAÇÕES
FARMACÊUTICAS.
TRATAMENTO
• NO BRASIL, TODAS AS PESSOAS DIAGNOSTICADAS COM HIV RECEBEM TRATAMENTO GRATUITO PELO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE. O
TRATAMENTO TRAZ VÁRIOS BENEFÍCIOS: DIMINUI AS COMPLICAÇÕES RELACIONADAS ÀS INFECÇÕES PELO HIV, REDUZ A
TRANSMISSÃO DO VÍRUS, MELHORA A QUALIDADE DE VIDA DA PESSOA E DIMINUI A MORTALIDADE.
• FAÇA O TESTE DE HIV REGULARMENTE E, SE O RESULTADO FOR POSITIVO, INICIE O TRATAMENTO O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL. PROCURE
UM PROFISSIONAL DE SAÚDE E INFORME-SE SOBRE AS MANEIRAS DE PREVENÇÃO E TRATAMENTO DO HIV.
• TRATAMENTO COMO PREVENÇÃO
• O TRATAMENTO TAMBÉM TEM A FINALIDADE DE PREVENIR A TRANSMISSÃO DO HIV. ISSO PORQUE OS MEDICAMENTOS
ANTIRRETROVIRAIS REDUZEM A QUANTIDADE DE VÍRUS CIRCULANTE NO CORPO DA PESSOA VIVENDO COM HIV, FAZENDO COM QUE
ESTA ALCANCE A CHAMADA “CARGA VIRAL INDETECTÁVEL”. PESSOAS QUE VIVEM COM HIV COM CARGA VIRAL INDETECTÁVEL TÊM UMA
POSSIBILIDADE INSIGNIFICANTE DE TRANSMITIR O VÍRUS PARA OUTRA PESSOA EM RELAÇÕES SEXUAIS DESPROTEGIDAS.
• ADESÃO AO TRATAMENTO
• O USO REGULAR E CORRETO DOS MEDICAMENTOS ANTIRRETROVIRAIS MELHORA A QUALIDADE DE VIDA DAS PESSOAS QUE VIVEM COM
HIV E REDUZ O NÚMERO DE INTERNAÇÕES E INFECÇÕES POR DOENÇAS OPORTUNISTAS. ALÉM DISSO, É IMPORTANTE SEGUIR AS
RECOMENDAÇÕES MÉDICAS, COMPARECER ÀS CONSULTAS, MANTER UMA BOA ALIMENTAÇÃO E PRATICAR EXERCÍCIOS FÍSICOS.
PRÉ-NATAL
• DURANTE A GESTAÇÃO E NO PARTO, PODE OCORRER A TRANSMISSÃO DO HIV (VÍRUS CAUSADOR DA AIDS), E TAMBÉM DA SÍFILIS E
DA HEPATITE B PARA O BEBÊ. O HIV TAMBÉM PODE SER TRANSMITIDO DURANTE A AMAMENTAÇÃO. POR ISSO AS GESTANTES, E TAMBÉM
SUAS PARCERIAS SEXUAIS, DEVEM REALIZAR OS TESTES PARA HIV, SÍFILIS E HEPATITES DURANTE O PRÉ-NATAL E NO PARTO.
• O DIAGNÓSTICO E O TRATAMENTO PRECOCE PODEM GARANTIR O NASCIMENTO SAUDÁVEL DO BEBÊ. INFORME-SE COM UM PROFISSIONAL
DE SAÚDE SOBRE A TESTAGEM.

• QUE TESTES A GESTANTE DEVE REALIZAR NO PRÉ-NATAL?
• NOS TRÊS PRIMEIROS MESES DE GESTAÇÃO: HIV, SÍFILIS E HEPATITES
• NOS TRÊS ÚLTIMOS MESES DE GESTAÇÃO: HIV E SÍFILIS
• EM CASO DE EXPOSIÇÃO DE RISCO E/OU VIOLÊNCIA SEXUAL: HIV, SÍFILIS E HEPATITES
• EM CASO DE ABORTO: SÍFILIS
• OS TESTES PARA HIV E PARA SÍFILIS TAMBÉM DEVEM SER REALIZADOS NO MOMENTO DO PARTO, INDEPENDENTEMENTE DE EXAMES
ANTERIORES. O TESTE DE HEPATITE B TAMBÉM DEVE SER REALIZADO NO MOMENTO DO PARTO, CASO A GESTANTE NÃO TENHA RECEBIDO A
VACINA.
• E SE O TESTE FOR POSITIVO PARA O HIV DURANTE A GESTAÇÃO?
• AS GESTANTES QUE FOREM DIAGNOSTICADAS COM HIV DURANTE O PRÉ-NATAL TÊM INDICAÇÃO DE TRATAMENTO COM OS MEDICAMENTOS
ANTIRRETROVIRAIS DURANTE TODA GESTAÇÃO E, SE ORIENTADO PELO MÉDICO, TAMBÉM NO PARTO. O TRATAMENTO PREVINE A TRANSMISSÃO VERTICAL DO
HIV PARA A CRIANÇA.
• O RECÉM-NASCIDO DEVE RECEBER O MEDICAMENTO ANTIRRETROVIRAL (XAROPE) E SER ACOMPANHADO NO SERVIÇO DE SAÚDE. RECOMENDA-SE TAMBÉM A
NÃO AMAMENTAÇÃO, EVITANDO A TRANSMISSÃO DO HIV PARA A CRIANÇA POR MEIO DO LEITE MATERNO.
• IMPORTANTE: MULHERES COM DIAGNÓSTICO NEGATIVO PARA HIV DURANTE O PRÉ-NATAL OU PARTO DEVEM UTILIZAR CAMISINHA (MASCULINA OU FEMININA)
NAS RELAÇÕES SEXUAIS, INCLUSIVE DURANTE O PERÍODO DE AMAMENTAÇÃO, PREVENINDO A INFECÇÃO E POSSIBILITANDO O CRESCIMENTO SAUDÁVEL DO
BEBÊ.
• E SE O TESTE FOR POSITIVO PARA SÍFILIS DURANTE A GESTAÇÃO?
• AS GESTANTES DIAGNOSTICADAS COM SÍFILIS DURANTE O PRÉ-NATAL DEVEM INICIAR IMEDIATAMENTE O TRATAMENTO COM PENICILINA BENZATINA. A SÍFILIS
CONGÊNITA PODE SER PREVENIDA QUANDO A GESTANTE INFECTADA POR SÍFILIS É TRATADA ADEQUADAMENTE.
• A DOENÇA NA GESTAÇÃO PODE IMPLICAR CONSEQUÊNCIAS COMO ABORTO, NATIMORTO, PARTO PREMATURO, MORTE NEONATAL E MANIFESTAÇÕES
CONGÊNITAS PRECOCES OU TARDIAS.
• PARA EVITAR A REINFECÇÃO DA GESTANTE, AS PARCERIAS SEXUAIS DEVEM SER TESTADAS E, SE O RESULTADO DER POSITIVO, TRATADAS.
• E SE O TESTE FOR POSITIVO PARA HEPATITE B DURANTE A GESTAÇÃO?
• MULHERES QUE SEJAM PORTADORAS CRÔNICAS DE HEPATITE B DEVERÃO RECEBER A PROFILAXIA (TRATAMENTO PREVENTIVO) DURANTE A GESTAÇÃO. ALÉM
DISSO, QUANDO NECESSÁRIO, O RECÉM-NASCIDO EXPOSTO TAMBÉM DEVE RECEBER A PROFILAXIA, PARA IMPEDIR A TRANSMISSÃO VERTICAL DA HEPATITE B.
A PREVENÇÃO E A INFORMAÇÃO AINDA
SÃO OS MELHORES REMÉDIOS!
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

•DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA, PREVENÇÃO E CONTROLE DAS IST, DO


HIV/AIDS E DAS HEPATITES VIRAIS, DO MINISTÉRIO DA SAÚDE, BRASIL.
• ACESSO EM 01/02/2018.
AGRADECEMOS A TODOS PELA PRESENÇA!

“VOCÊ NUNCA SABE QUE RESULTADOS VIRÃO DA SUA AÇÃO.


MAS SE VOCÊ NÃO FIZER NADA, NÃO EXISTIRÃO
RESULTADOS.” (MAHTMA GANDHI)