Você está na página 1de 35

Síntese da Unidade 1

• A relação hipnótica é uma formação de


grupo composta de dois membros.
• No que se refere a textura do grupo ela
extrai apenas o comportamento do
indivíduo em relação ao líder.
• A hipnose se distingue do grupo em
decorrência do número de pessoas e
se diferencia do estado de estar
amando em função da ausência de
inclinações diretamente sexuais – ela
ocupa uma posição intermediária
entre ambos.
Esquema gráfico de Freud para a identificação
Um grupo primário desse tipo é em certo número de indivíduos que colocaram um só e mesmo
objeto no lugar de seu ideal do ego e, conseqüentemente, se identificaram uns com os outros em
seu ego.

Traço vertical – nível de identificação entre os indivíduos


Traço horizontal – nível de identificação entre o significante
Síntese da Unidade 1
• Os intensos vínculos emocionais
existentes entre os membros dos
grupos os tornam dependentes uns
dos outros.
• Regressão da atividade mental descrita
por Le Bon, fraqueza de capacidade
intelectual, falta de controle
emocional, inclinação a exceder todos
os limites na expressão da e
descarregá-la completamente sob
forma de ação, podendo, essas
características, ser apreendidas entre
Síntese da Unidade 1
• Trotter – afirma que os sentimentos
verificados nos grupos derivam do
instinto gregário inato aos seres
humanos.
• Para Freud se está sozinho o
indivíduo sente-se incompleto.
• Segundo Trotter existem os extintos
primários de auto-preservação –
nutrição, sexo e gregário.
Síntese da Unidade 1
• O instinto gregário conflita com os de
nutrição e sexo.
• Le Bon – preocupa-se com as formações
grupais passageiras.
• MacDougall – analisa as associações
estáveis.
• Trotter– interessa-se pela dimensão
psicológica ocorrida nas reuniões
mais generalizadas em que o homem,
definido como um animal político,
realiza ao longo a sua vida.
Síntese da Unidade 1
• O espírito gregário suplanta o papel do
líder.
• Para Trotter, o medo de ficar sozinha
apresentado pela criança é expressão
do instinto gregário.
• Para Freud, o medo da criança é
expressão de um desejo não
realizado. Assim, a criança o
transforma em ansiedade por não
saber tratá-lo de outra forma. Por isso
mesmo, durante um determinado
período não se pode observar o
instinto gregário em crianças. P.ex.: o
filho mais velho sente ciúmes do seu
Síntese da Unidade 1
• Entre as crianças desenvolve-se um
sentimento comunal ou de grupo,
que será mais desenvolvido na
escola.
• Grupo – exige o desenvolvimento do
senso de justiça, de tratamento
igual para todos.
• Escola - se nós mesmos não formos
tratados como favoritos ninguém
mais será.
• O espírito de grupo deriva do que foi
Síntese da Unidade 1
• Justiça social:significa que muitas
vezes renunciamos a muitas coisas
para que também os outros passes
sem essas coisas ou não precisem
pedi-las. Essa exigência de igualdade
é a raiz da consciência social e do
senso de dever.
• O sentimento social se baseia na
inversão daquilo que a princípio
constituiu um sentimento hostil em
uma ligação da tonalidade positiva,
Síntese da Unidade 1
O GRUPO E A HORDA PRIMEVA
• 1912 – manifestação de
concordância com Darwin: a forma
primitiva da sociedade humana era
uma horda governada
despoticamente por um macho
poderoso.
• Totemismo – cuja extensão abrange
os primórdios da religião, da
moralidade e da organização
social, está ligado ao assassinato
Síntese da Unidde 1
O GRUPO E A HORDA PRIMEVA
• Grupo – expressão da revivescência
da horda primeva.
• Homem primitivo – sobrevive
potencialmente em cada indivíduo.
• Psicologia de Grupo – é a mais antiga
psicologia humana – preocupa-se
em analisar os vínculos existentes
entre os membros do grupo.
Enquanto a psicologia individual
voltou-se para as características do
Síntese da Unidade 1
O GRUPO E A HORDA PRIMEVA
• Pai primevo – torna-se imortal pela
deificação. Se morria o pai primevo
tinha de ser substituído,
provavelmente pelo filho mais
jovem.
• O líder do grupo ainda sobrevive
como o temido pai primevo.
• O grupo ainda deseja ser governado
pela força irrestrita e possui uma
paixão extrema pela autoridade.
Síntese da Unidade 1
O GRUPO E A HORDA PRIMEVA
 Considerações sobre a hipnose:
• A hipnose é uma técnica de indução
de transe, que proporciona um
intenso relaxamento e liberta o
indivíduo de idéias fixas e forças
inconscientes;
• Aplicada ao tratamento de doenças
mentais.
• Ferenczi (1909) – quando o
hipnotizador dá a ordem para
Síntese da Unidade 1
O GRUPO E A HORDA PRIMEVA

• As características misteriosas e
coercitivas das formações grupais
remontam, por assim dizer, a horda
primeva.
• O líder do grupo ainda é o temido pai
primevo;
• O pai primevo é o ideal do grupo,
que dirige o ego no lugar do ideal
do ego.
• Hipnose – grupo de dois.
• Sugestão – convicção que não está
Síntese da Unidade 1
UMA GRADAÇÃO DIFERENCIADORA NO
EGO
• Individualmente cada pessoa partilha
de numerosas mentes grupais – as
de sua “raça”, classe, credo,
nacionalidade etc. – podendo
também elevar-se sobre elas, na
medida em que possui um
fragmento de independência e
originalidade.
• As formações grupais estáveis são
menos observáveis que os grupos
Síntese da Unidade 1
UMA GRADAÇÃO DIFERENCIADORA NO EGO

• Grupos efêmeros – neles o indivíduo


abandona seu ideal do ego e o
substitui pelo ideal do grupo, tal
como é corporificado no líder.
• Em alguns casos a separação entre o
ego e o ideal de ego não realizou
grandes progressos e os dois
terminam por coincidir – o ego
amiúde preservou sua primitiva
autocomplacência narcisista.
• A ascensão do líder é facilitada por
Síntese da Unidade 1
UMA GRADAÇÃO DIFERENCIADORA NO
EGO
• A estrutura libidinal dos grupos
comportam: a identificação e a
colocação do objeto no lugar do
ideal do ego.
• A separação do ideal do ego do ego
não pode ser mantida por muito
tempo. Em todas as renúncias e
limitações impostas ao ego, uma
infração periódica da proibição é a
regra. P.ex.: a instituição dos
festivais; o nosso carnaval. Ou
seja, há sempre uma sensação de
Síntese da Unidade 1
• Aspectos não discutidos ao longo do
texto:
• A. A distinção entre a identificação
do ego com um objeto e a
substituição do ideal do ego por um
objeto.
• Exército – o soldado toma o seu
superior como ideal.
• Igreja – todo cristão ama cristo como
seu ideal e sente-se unido aos
demais cristãos pelo vínculo da
Síntese da Unidade 1
• C. Instintos sexuais e instintos
inibidos – crianças – melhor
exemplo de instintos sexuais
inibidos.
• Os impulsos sexuais são
desfavoráveis a formação de
grupos.

Síntese da Unidade 1
UMA GRADAÇÃO DIFERENCIADORA NO
EGO
• Sentimento de culpa – expressão da
tensão entre o ego e o ideal do ego.
• Oscilações do estado de humor –
depressão/mania.
• As causas etiológicas da melancolia –
perda do objeto amado pela morte
ou retirada da libido do objeto.
• Há casos em que o objeto é
abandonado porque demonstrou
ser indigno de amor.
Síntese da Unidade 1

C o m o se
d e se n vo lve a
p e rso n a lid a d e
COMO SE DESENVOLVE A
PERSONALIDADE
• A teoria de Freud do
desenvolvimento da personalidade
concentra-se na maneira como
satisfazemos o instinto sexual no
decorrer da vida. Freud considerava
o instinto sexual de maneira ampla,
como um forte desejo de obter
todos os tipos de prazer sensual.
• À medida que os bebês crescem, sua
libido concentra-se em diferentes
COMO SE DESENVOLVE A
PERSONALIDADE
• Durante os primeiros 18 meses de
vida, a fonte dominante de prazer
sensual é a boca;
• Após os 18 meses, a sensualidade
move-se para o ânus; e
• Por volta dos três anos, move-se
novamente, mas agora para os
genitais.
• Para Freud, as experiências das
crianças em cada uma dessas fases
COMO SE DESENVOLVE A
PERSONALIDADE
• Se uma criança é privada do prazer (ou
lhe é permitido muita gratificação) da
região do corpo que domina uma
determinada fase, parte de sua
energia sexual pode permanecer
fixada àquela parte do corpo, em vez
de seguir sua seqüência normal para
permitir ao indivíduo uma
personalidade inteiramente integrada.
• Isso chama-se fixação , a qual, como
veremos Freud acreditava levar a
COMO SE DESENVOLVE A
PERSONALIDADE
• Na fase oral (do nascimento aos 18
meses), os bebês, que dependem
completamente de outras pessoas
para satisfazer suas necessidades,
aliviam sua tensão sexual ao sugar e
engolir; quando nascem os primeiros
dentes, eles sentem prazer oral ao
mastigar e morder.
Intercorrências na fase oral: de

acordo com Freud, os bebês que


recebem muita gratificação oral
COMO SE DESENVOLVE A
PERSONALIDADE
Intercorrências na fase oral:

• Aqueles que recebem muito pouco


gratificação tornam-se pessimistas
e hostis.
• A fixação nessa fase está
relacionada a características de
personalidade tais como falta de
confiança, gula, sarcasmo e
disposição para brigas.
COMO SE DESENVOLVE A
PERSONALIDADE
• Durante a fase anal
(aproximadamente dos 18 meses
aos três anos e meio), a fonte
primária de prazer sexual passa
para o ânus. Justamente quando as
crianças aprendem a sentir prazer
ao reter ou excretar fezes, começa
o treino de toalete e elas devem
aprender a regular esse novo
prazer.
COMO SE DESENVOLVE A
PERSONALIDADE
• Intercorrências na fase anal: Na
visão de Freud, se os pais forem
muito rígidos com o treino, algumas
crianças começam a ter acessos de
raiva e podem levar uma vida
autodestrutiva quando adultos.
• Outras tornam-se obstinadas,
avarentas e excessivamente
organizadas. Se os pais são muito
permissivos, seus filhos podem
COMO SE DESENVOLVE A
PERSONALIDADE
• Quando as crianças entram na fase
fálica (após os três anos),
descobrem seus genitais e
desenvolvem uma forte ligação
com o genitor do sexo oposto, ao
mesmo tempo em que sentem
ciúme do genitor do mesmo sexo.
No caso dos meninos Freud chamou
esse conflito de complexo de
Édipo, em homenagem ao
personagem da mitologia grega
que matou o pai e casou-se com a
COMO SE DESENVOLVE A
PERSONALIDADE
• O complexo de Electra envolve o
amor possessivo pelo pai e o ciúme
da mãe. Um estudo recente
encontrou sustentação na idéia de
que, em crianças jovens,
demonstrações de afeto pelo
genitor do sexo oposto e o ciúme
do genitor do mesmo sexo são mais
comuns que a situação inversa.
• A maioria das crianças finalmente
COMO SE DESENVOLVE A
PERSONALIDADE
• Intercorrências na fase fálica:
Freud susatentava que a fixação
nessa fase leva à vaidade e ao
egoísmo na idade adulta – os
homens vangloriam-se de suas
proezas sexuais e tratam as
mulheres com desprezo, e as
mulheres tornam-se levianas e
promíscuas. A fixação fálica
também pode gerar sentimentos de
baixa auto-estima, timidez e
COMO SE DESENVOLVE A
PERSONALIDADE
• Freud acreditava que, no final da fase
fálica, as crianças perdem o
interesse pelo comportamento
sexual e entram em um período
de latência.
• Durante esse período, que começa
por volta dos cinco ou seis anos e
termina aos 12 ou 13, os meninos
brincam com as meninas, as
meninas brincam com os meninos,
COMO SE DESENVOLVE A
PERSONALIDADE
• Na puberdade, o indivíduo entra em sua
última fase psicossexual, a qual Freud
chamou de fase genital.
• Nesse momento, os impulsos sexuais
são novamente despertados.
• O amor sensual torna-se capaz de
satisfazer desejos não realizados na
infância.
• De maneira ideal, a gratificação
imediata desses desejos leva à
sexualidade madura, da qual fazem
parte o adiamento da gratificação, o
COMO FUNCIONA O PRINCÍPIO DO PRAZER
Estímulo
Externo
Desprazer Prazer
Aumento de Tensão do ID Alívio
No ID da tensão através dos meios
No ID
disponíveis

Estímulo
Interno

Estímulo
Externo

Pensamento
Prazer no
Alívio de Tensão do melhor modo e mais seguro
Aumento Desprazer no ID Racional possível ID
Do ego
De tensão no ID

Estímulo
interno
COMO FUNCIONA O PRINCÍPIO DA REALIDADE
Síntese da Unidade 1
Estrutura do Aparelho Psíquico

COMO SE DESENVOLVE A
PERSONALIDADE
• A relação estrutural formada pelo id,
ego e superego. A concepção de
Freud da personalidade é
freqüentemente retratada como um
iceberg para ilustrar como um vasto
funcionamento da mente ocorre
abaixo da superfície.
• O ego é ao mesmo tempo parcialmente
consciente, inconsciente e pré-
consciente; ele obtém conhecimento
do mundo externo por meio dos
sentidos. O superego também age