Você está na página 1de 23

SEMIOLOGIA

Prof. Espc. Iramar Borba de


Carvalho
SEMIOLOGIA
• Origem do grego : semeion + logia
= tratado ou estudo dos sinais e sintomas
das doenças

• Base da prática clínica


• Exame físico compõe-se de:
- Anamnese ou entrevista clínica
- Exame físico geral
- Exame físico especializado
Construção de instrumentos de
coletas de dados
• Florence Nightingale
• Baseados na Teoria das
Necessidades Humanas Básicas –
Horta
• Padrões funcionais de saúde –Gordon
• Teoria de autocuidado - Orem
Wanda Aguiar Horta
• Necessidades Humanas Básicas(NHB):
Psicobiológicas
Psicossociais
Psicoespirituais
SISTEMATIZAÇÃO DA
ASSISTÊNCIA DE
ENFERMAGEM (SAE)
É um instrumento de trabalho do
enfermeiro, que organiza e
direciona a assistência,
constituindo-se num modelo
assistencial que pode ser aplicado
em todas as áreas de assistência
de enfermagem.
SISTEMATIZAÇÃO DA
ASSISTÊNCIA DE
ENFERMAGEM (SAE)
Decreto 94.406/87
Resolução 272/2002 do Conselho
Federal de Enfermagem (COFEN)
que determina a SAE nas
instituições de saúde brasileiras
PROCESSO DE ENFERMAGEM

O Processo de Enfermagem é considerado a


base da sustentação da SAE
Definido como uma abordagem de identificação
e de resolução de problema desenvolvida para
atender as necessidades de cuidado de saúde
do cliente e de enfermagem
ETAPAS DO PROCESSO DE
ENFERMAGEM
ETAPAS DO PROCESSO DE
ENFERMAGEM

O Processo de Enfermagem segue


uma seqüência lógica em que cada etapa
é interdependente da outra, que busca
sempre melhorar a qualidade da
assistência ao paciente. Por isso é dividido
em etapas apenas por questão didática e
organizacional, que são elas: Investigação,
Diagnóstico, Planejamento,
Implementação e Avaliação.
INVESTIGAÇÃO OU HISTÓRICO
a) História de Saúde
A história de saúde do paciente é
obtida através de uma entrevista
minuciosa que consiste em dados
subjetivos que incorporam a perspectiva
do cliente sobre os seus problemas de
saúde. As informações colhidas são dados
fisiológicos básicos, de identificação,
queixa principal, história de doenças
pregressas e atuais, padrões
socioeconômicos e educacionais,
b) Exame Físico
A avaliação física ou exame físico é o
segundo passo do histórico. É uma
observação mais ampla de condições
físico‑funcional do indivíduo realizada pelas
técnicas de inspeção, palpação, percussão
e ausculta.
Em geral o exame é feito no sentido
céfalo‑caudal observando‑se na seqüência:
Sinais vitais, mensuração, estado mental,
pele, cabeça e pescoço, mamas, sistema
respiratório e cardiovascular, abdome,
genitália, reto, sistema
musculoesquelético, sistema neurológico.
b) Exame físico

Segue as técnicas propedêuticas,


além da utilização de
instrumentos.
Técnicas de exame físico:
•Inspeção
•Palpação
•Percussão
•Ausculta
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
O termo diagnóstico de enfermagem é
estudado desde a década de 50 nos EUA,
mas só foi discutido e reunido informações
a respeito em 1973 com a realização da
primeira conferência sobre o assunto
organizada pela American Nurses
Association (ANA).
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM

Na quinta conferência da
associação foi aprovada a formação
de uma outra associação, a North
American Nursing Diagnosis
Association (NANDA), que ficou
responsável pelo sistema de
classificação de diagnóstico de
enfermagem.
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM

Durante a IX Conferência da North


American Nursing Diagnosis Association
(NANDA) foi aprovada a definição de
diagnóstico como: Um julgamento clínico sobre
as respostas do indivíduo, da família ou da
comunidade aos problemas de saúde/processos
vitais reais ou potenciais.
DIAGÓSTICO DE
ENFERMAGEM

O diagnóstico de enfermagem
proporciona a base para a seleção das
intervenções de enfermagem, visando
ao alcance de resultados pelos quais o
enfermeiro é responsável.
PLANEJAMENTO OU PLANO DE
ASSISTÊNCIA
Compreende a determinação dos
resultados desejados (metas específicas) e
identificação das intervenções para
alcançar os resultados.
a) Determinação das Prioridades
Determinar prioridades é atribuir uma
ordem de importância aos problemas de
enfermagem identificados na segunda
etapa, escolhendo assim, a seqüência em
que eles devem ser resolvidos.
b) Objetivos da Enfermagem
Após a identificação diagnóstica são
estabelecidos os objetivos ou os resultados
a serem atingidos por meio da assistência
de enfermagem.
A determinação de resultados
centralizada no cliente (o que se espera
que o cliente alcance) em lugar de metas
da enfermagem (o que a enfermeira
pretende alcançar) é a chave para a
prática baseada em resultados.
c) Desenvolvimento do Plano de
Ação
Nesta fase, com os resultados da
determinação das prioridades e objetivos
de enfermagem alcançados passa‑se a
identificar as intervenções de enfermagem
necessárias para se alcançar os resuItados
esperados.
O plano de cuidados do paciente
descrito de forma individualizada e
sistematizada é encontrado geralmente,
no prontuário impresso como Prescrição de
Enfermagem.
IMPLEMENTAÇÃO

É a fase em que o plano de cuidados é


posto em ação pelo enfermeiro, sua
equipe, paciente e família.
Nessa fase, é importante relembrar
que o cuidado de enfermagem prestado
ao cliente é de caráter individual, pois
cada indivíduo é diferente do outro.
AVALIAÇÃO

É a última fase do processo de


enfermagem onde será verificada a
eficácia do plano de cuidados, as reações
do paciente e se os objetivos foram
alcançados.
OBRIGADA!!!!