Você está na página 1de 14

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO


CURSO LICENCIATURA EM LETRAS – PORTUGUÊS/INGLÊS

APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA

Joelza Apª Vernick de Andrade

Curitiba
2009
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO
CURSO LICENCIATURA EM LETRAS – PORTUGUÊS/INGLÊS

APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA

Joelza Apª Vernick de Andrade

Trabalho apresentado à disciplina de


História da Educação do Curso de
Licenciatura em Letras (Português - Inglês)
da Universidade Tecnológica Federal do
Paraná como requisito para obtenção de
nota parcial.

Profª. Drª. Joscely Maria Bassetto Galera.

Curitiba
2009
"... o fator isolado mais importante
influenciando a aprendizagem é aquilo
que o aluno já sabe; determine isso e
ensine-o de acordo."
David Ausubel
SUMÁRIO

1. David Paul Ausubel e a aprendizagem............................................................4


2. Aprendizagem Significativa..............................................................................4
2.1 Conceito.....................................................................................................4
2.2 Aprendizagem significativa por recepção ou por descoberta....................5
2.2.1 Aprendizagem significativa por recepção.........................................5
2.2.2 Aprendizagem significativa por descoberta......................................5
3. Os tipos de aprendizagem significativa...........................................................5
4. Aprendizagem significativa subordinada, superordenada ou combinatória....6
5. Processos da aprendizagem significativa.......................................................7
5.1 Diferenciação progressiva.........................................................................7
5.2 Reconciliação .integrativa.........................................................................7
6. Aprendizagem mecânica.................................................................................7
6.1 Conceito....................................................................................................7
7. Mapas conceituais..........................................................................................8
8. Aprendizagem significativa e a prática pedagógica........................................8
8.1 Organizadores prévios..............................................................................9
9. Aplicação da aprendizagem significativa em situação de problema.............10
Conclusão.........................................................................................................11
Referências.......................................................................................................12
1 David Paul Ausubel e a aprendizagem

David Paul Ausubel é médico-psicólogo e pedagogo, nascido em 1918, em Nova


Iorque, é conhecido por seus estudos sobre os processos de aprendizagem.
Professor da Universidade de Colúmbia, também Nova Iorque, é representante do
“cognitivismo”, que define um dos tipos de aprendizagem: a aprendizagem

cognitiva. Ele investiga os vários tipos de aprendizagem existentes, mas enfatiza a


aprendizagem por descoberta onde a possibilidade que os alunos possuem de
escolher e a motivação desempenham um papel primordial na aquisição do
conhecimento. O autor expõe o conceito de "organizadores prévios" na maneira de
ensino que defende. O professor deve, antes de apresentar uma informação,
mostrar os objetivos a serem atingidos, interligando-os com os saberes já
adquiridos pelo aluno. Seriam como que "pontes cognitivas", como diz Ausubel,
entre o que o aluno já sabe e o que ainda irá aprender. A sua teoria de
"aprendizagem significativa" tem sido amplamente utilizada em diversas áreas de
ensino.

2 Aprendizagem Significativa

2.1 Conceito

A Aprendizagem Significativa é um processo através do qual uma nova informação

interage com as informações já existentes na estrutura de conhecimento do

aluno, ou seja, com a sua estrutura cognitiva específica e individual,

previamente adquirida, conhecida como “subsunçor”, facilitando a aprendizagem


subseqüente.
Essa aprendizagem ocorre quando a nova idéia relaciona-se e assimila-se com

conceitos importantes disponíveis na estrutura cognitiva no sujeito. É

necessário, no processo de ensino, que o aprendizado faça algum sentido para o


aluno, e que ancore-se em seus conceitos relevantes preexistentes. A

assimilação ou ancoragem facilita a aquisição e retenção do conhecimento. Os

conceitos mais amplos e bem estabelecidos na estrutura do individuo ancoram as

novas informações e permitem sua diferenciação, estabilidade e retenção.


A aprendizagem significativa deve apresentar a característica de substantividade,
isto é, o significado não depende do uso exclusivo de símbolos determinados. O
conceito ou proposição pode ser apresentado com sinônimos e deve continuar
transmitindo o mesmo significado.

2.2 Aprendizagem significativa por recepção ou por descoberta

Segundo Ausubel, a aprendizagem significativa é uma atividade consciente que se


dá quando o banco de informações no plano mental do aprendiz se revela, através
da aprendizagem por recepção e por descoberta.

2.2.1 Aprendizagem significativa por recepção

É quando o professor expõe o conteúdo na sua forma final, ou seja, o conteúdo é


dado integralmente, não envolve nenhuma descoberta independente por parte do
aluno, esperando-se apenas que ele aprenda e se recorde.

2.2.2 Aprendizagem significativa por descoberta

O conhecimento deve ser descoberto pelo aluno, o qual reorganiza o conjunto das
novas informações e incorpora-os com o conhecimento já adquirido anteriormente,
com a finalidade de produzir um novo conceito.
3 Os tipos de aprendizagem significativa

David Ausubel apresenta três tipos de aprendizagem significativa. Que são:

• Conceitual: Há dois tipos principais de obtenção de conceitos: a formação de


conceitos e a assimilação de conceitos. A formação de conceitos trata-se de
uma aquisição espontânea e indutiva de idéias genéricas baseado na
experiência concreta do indivíduo e é uma aprendizagem por descoberta. A
partir da formação de conceitos é possível haver a assimilação de conceitos
que é quando um novo conceito é ancorado em um conceito já estabelecido
na estrutura cognitiva do sujeito, isto é, quando uma proposição, conceito ou
ideia, potencialmente significativa, é assimilada sob uma proposição,
conceito ou ideia já preexistente.
• Representacional: Aprendizagem de símbolos (palavras) ou o que eles
representam.
• Proposicional: Refere-se ao significado de idéias expressas, ou seja, o
significado que está além da simples junção dos significados dos conceitos
ou palavras que compõem a proposição.

4 Aprendizagem significativa subordinada, superordenada ou combinatória

• Aprendizagem significativa subordinada: Uma nova informação é assimilada


pelo subsunçor, modificando-o.
• Aprendizagem significativa superordenada: Uma nova informação é tão
ampla que ao invés de ser assimilada por algum subsunçor, passa a
assimilá-los.
• Aprendizagem significativa combinatória: Uma nova informação não é ampla
o suficiente para assimilar subsunçores, mas, ao mesmo tempo, é ampla
demais para ser assimilada por eles. Dessa forma, passa a se associar com
quaisquer outros conceitos associáveis, porém mantendo ainda uma certa
independência.

5 Processos da aprendizagem significativa

5.1 Diferenciação progressiva

Diferenciação progressiva é o princípio pelo qual o conteúdo deve ser programado


fazendo com que as idéias mais amplas da disciplina sejam apresentadas antes e
gradativamente diferenciadas, com a introdução de detalhes específicos. Este
processo está normalmente presente na “aprendizagem significativa subordinada”.

5.2 Reconciliação integrativa

Reconciliação integrativa é o princípio pelo qual as idéias mais amplas relacionam


subsunçores que a principio estavam separados na estrutura cognitiva;
normalmente este processo ocorre na “aprendizagem significativa superordenada”.

6 Aprendizagem mecânica

6.1 Conceito

A Aprendizagem Mecânica é um processo no qual, ao contrário da aprendizagem


significativa, o conhecimento é adquirido de forma arbitrária, há pouca ou nenhuma
relação entre a nova informação e conceitos subsunçores relevantes existentes
na estrutura cognitiva do aluno. A nova informação é armazenada de forma
arbitrária pelo indivíduo. Ausubel estabelece a distinção entre aprendizagem
mecânica e aprendizagem significativa como sendo um continuum, ou seja, quando
o aluno aprende conceitos completamente novos há a aprendizagem mecânica até
que esses conceitos sejam relevantes a novas informações na mesma área,
existam na estrutura cognitiva e sirvam de subsunçores. Quanto mais a
aprendizagem se torna significativa, mais os subsunçores estão prontos para
ancorar novos conhecimentos, pois estão mais elaborados naquela área de
conhecimento.

7 Mapas conceituais

É uma técnica útil para a aprendizagem significativa, já que são diagramas que
permitem organizar o conhecimento e até descobrir alguns equívocos conceituais.
Esses diagramas devem ser hierárquicos conceitualmente, isto é, os conceitos mais
amplos devem ficar na parte superior, e os mais específicos na parte inferior.
Também podem servir de ajuda no âmbito pedagógico para discutir significados
com os estudantes, incentivando-os ainda mais a irem em busca do conhecimento.
Exemplo:

Representação esquemática do modelo de Ausubel indicando diferenciação progressiva


e reconciliação integrativa (MOREIRA e MASINI, 1982)

8 Aprendizagem significativa e a prática pedagógica


Para que haja aprendizagem significativa são necessárias duas condições:

• O aluno precisa estar disposto a aprender: se ele simplesmente quiser


memorizar o conteúdo de maneira literal e arbitrária, a aprendizagem será
mecânica.
• O material deve ser potencialmente significativo. O conteúdo a ser aprendido
precisa ser incorporável à estrutura cognitiva do aluno de maneira não
arbitrária e não literal. Cada indivíduo seleciona os conteúdos que têm ou
não significado para si próprio. O significado psicológico é uma experiência
individual.

Tendo-se que a atividade crítica e criativa do aluno é imprescindível para que ocorra
a aprendizagem significativa, a prática pedagógica precisa incluir o aprendiz
ativamente, sem o qual não há como ser vista como prática pedagógica. Os alunos
estão acostumados a memorizar proposições, fórmulas, exemplos e maneiras de
resolver “problemas típicos”. Assim, David Ausubel adverte que a melhor forma de
evitar a “simulação de aprendizagem significativa” é aplicar questões e problemas
novos com os quais os alunos não estejam familiarizados e que exijam do aluno a
maior evolução possível de seu conhecimento. Outro modo de testar se está
havendo ou não a aprendizagem significativa é propor ao aluno uma atividade de
aprendizagem que seja sequencialmente dependente de outra e que não haja como
ser feita sem o perfeito domínio do conceito precedente.
Ausubel também recomenda o uso de organizadores prévios que sirvam de âncora
para a nova aprendizagem e que possam desenvolver conceitos subsunçores que
facilitem-na.

8.1 Organizadores prévios

Organizadores prévios são recursos e informações dotadas de palavras familiares


ao aluno, para que isso sirva de atrativo e desperte o interesse do aluno para com o
assunto que será trabalhado, Esses organizadores precisam ser mostrados aos
alunos antes dos conteúdos serem aplicados. Sua função é facilitar o aprendizado e
servir de ponte entre o conhecimento que o estudante já possui em sua estrutura
cognitiva e o conhecimento que ele deve adquirir, isto é, "pontes cognitivas", para
que o aprendizado aconteça de forma eficaz.

9 Aplicação da aprendizagem significativa em situação de problema

Exemplificando o uso da teoria ausubeliana em sala de aula:


Se vamos trabalhar com a Literatura, podemos utilizar a leitura de um conto em sala
de aula e, como prática pedagógica, esta atividade precisa trazer objetivos bem
definidos e pertinentes à proposta de ensino-aprendizagem do professor. Estes
objetivos precisam ser apresentados aos alunos. O professor deve apontar os
pontos significativos que percebeu no conto e que são compatíveis com as idéias
que quer trabalhar, para assim desenvolver os subsunçores que lhes permitam
gostar e entender o que estão lendo. O professor deve propor que o aluno “traduza”
o texto usando suas próprias palavras, ou seja, aluno deverá organizar o texto com
suas próprias palavras, as quais fazem parte de sua estrutura cognitiva.O conto
deve ser explorado de maneira eficaz e as relações encontradas apontadas
sistematicamente e com clareza. Finalmente o professor deve analisar as relações
que os estudantes fizeram e incluí-las na continuidade de trabalho docente. Caso
esse trabalho não seja feito, perde-se o objetivo do ensino, tornando-se apenas
perda de tempo e não se constrói uma prática pedagógica eficiente.
CONCLUSÃO

Apresentou-se aqui uma síntese dos principais pontos da teoria de David Ausubel: a
“Aprendizagem Significativa”. O mentor desse método de ensino nos forneceu um
modelo teórico para o mecanismo de aprendizagem. Uma de suas maiores
contribuições é a forma como ele apresenta a noção de estrutura cognitiva. Para
que a aprendizagem significativa aconteça é preciso que haja uma interação entre o
conteúdo a ser aprendido e aquilo que o aluno já possui em sua estrutura cognitiva,
O que se aprende deve integrar-se no que o sujeito já conhece. Tomando como
base para o aprendizado aquilo que o aluno já sabe, o professor tem a
responsabilidade de aproveitar realmente o conjunto de informações e as
experiências que os alunos trazem consigo, elaborando um planejamento a ser
desenvolvido com base no aluno, trabalhando a estrutura cognitiva para que seja
cada vez mais clara e organizada. A aprendizagem significativa inicia onde o
individuo está no âmbito do conhecimento e acrescenta-lhe a predisposição para
aprender.
REFERÊNCIAS

AUSUBEL, D.P. Educational Psychology: A Cognitive View. New York, Holt,


Rinehart and Winston, 1968.

MOREIRA, M.A. e MASINI, E.F.S. Aprendizagem significativa: a teoria da


aprendizagem de David Ausubel. São Paulo: Editora Moraes, 1982.

MOREIRA, M. A. Aprendizagem significativa. Brasília: Editora Universidade de


Brasília, 1999.

MOREIRA, M. A. Uma Abordagem Cognitivista ao Ensino da Física. Porto Alegre,


Ed. da Universidade, UFRGS, 1983.

NOVAK, J. D. e GOWIN, D. Bob. Aprender a aprender. (2a ed.), Lisboa: Plátano


Edições Técnicas, 1999.

PENTEADO, Wilma M.A. Psicologia e ensino (org). São Paulo: Papelivros, 1980.