Você está na página 1de 16

ESPIROMETRIA –

HIGIENE
E PREVENÇÃO DE
INFECÇÃO

Dr. Paulo
Gurgel
ENFOQUES

Paciente  Paciente
Paciente  Profissional de
Saúde
ESPIROMETRIA & INFECÇÕES
MODOS POTENCIAIS DE
TRANSMISSÃO

Saliva
Lesões da mucosa
oral
Secreções
respiratórias
Sangue
(hemoptise)
A quase totalidade das peças bu-
cais e 50% dos tubos são conta-
minados durante os testes espiro-
métricos. (...) Estes dados suge-
rem que a desinfecção das peças
e tubos, entre os testes dos paci-
entes, pode ser suficiente para o
controle de transmissão de doen-
ças nos testes de função pulmo-
nar. Diretrizes, 2002.
DOENÇAS COM RISCOS
DE TRANSMISSÃO
Tuberculose
Hepatite B
AIDS
Varicela
H. influenzae, M. catarrhalis, P.
aeruginosa e S. aureus (para
pacientes imunossuprimidos)
ATS: Standardization of Spirometry, 1994 Update
SBPT: Diretrizes para Testes de Função Pulmonar, 2002
MEDIDAS DE CONTROLE
DE TRANSMISSÃO

Administrativas
Ambientais
– De engenharia
– Alternativa: luz solar,
arejamento etc
Proteção respiratória
PROTEÇÃO DOS
PACIENTES

MEDIDAS APLICÁVEIS AOS ESPIRÔMETROS

Uso de filtros
Troca de peças bucais, clipes
nasais e tubos
Limpeza e descontaminação
do aparelho
FILTROS

Reduzem a carga bacteriana de 70


a 100% mas o impacto sobre o
risco de doença transmissível é
desconhecido.
Reduzem os valores obtidos nos
exames:
– PFE: 6% Diretrizes, 2002
CVF e VEF : 2 – 4%
PEÇAS BUCAIS, CLIPES
NASAIS
E TUBOS CORRUGADOS
ETAPAS

Lavagem
Desinfecção
Enxágüe
Secagem
Empacotament
o
DESINFECÇÃO

Desinfecção: imersão do
material por 30 minutos em
desinfetante de alto nível
(glutaraldeído a 2% ou formaldeído
a 8%)
Prazo de validade: 48 horas
GLUTARALDEÍDO

Substância de baixo peso


molecular reconhecida como
um agente causal de asma
ocupacional
PROTEÇÃO DOS
PROFISSIONAIS DE
SAÚDE – SETOR DE
ESTERILIZAÇÃO
EPIs

Gorro
Máscara de carvão
Óculos
Luvas “cano
longo”
Avental de plástico
PROTEÇÃO DOS
PROFISSIONAIS DE SAÚDE –
SETOR DE ESPIROMETRIA

Máscaras (N 95)
Lavagem das mãos e
luvas
Vacinas
– BCG
– Antihepatite B
A ESPIROMETRIA NO HM

Espirômetros de sistema
fechado
Desinfecção de alto nível
Setor de espirometria fora das
normas de biossegurança
ambiental
Clientela do hospital: do
tuberculoso MDR ao
ESPIROMETRIAS EM
TUBERCULOSOS MDR

Espirômetro de sistema aberto


Local do exame: enfermaria-
isolamento
Paciente em fase abacilífera
(preferível)
Limpeza e desinfecção do
equipamento
Profissional de saúde protegido
GRATO PELA
ATENÇÃO

pgcs@ig.com.br
http://blogdopg.blogspot.com