1) Introdução Padronização é o processo empregado em Química para se determinar a quantidade de substância de uma solução pela reação com outra

substância química de concentração e natureza conhecida. A substância de interesse em qualquer determinação recebe o nome de analito. A espécie Química com concentração definida recebe o nome de titulante, que é em geral uma solução obtida a partir de um padrão primário, já a solução a ter sua concentração determinada recebe o nome de titulado. Padrão Primário deve seguir os seguintes parâmetros: 1) Grau de pureza superior a 99,95% (obtida normalmente

por recristalização). 2) De fácil secagem (dessecação). 3) Estável tanto em solução como no estado sólido. 4) Não higroscópico, nem reagirem com substâncias existentes no ar. 5) Não reagir com a luz. 6) Elevado peso molecular 7) Não volátil. 8) Baixo custo e fácil acesso. As propriedades (2), (3), (4), (5), (6) e (7) permitem que tenham sua massa determinada com maior precisão. 2) Objetivo Determinar a molaridade real da solução. 3) Parte Experimental 3.1) Materiais utilizados:  1 Bureta 25 ml  1 Balão Volumétrico 100 ml  2 Becker 100 ml  1 Funil de Vidro  1 Pisseta  1 Suporte Universal 1  1 Garras  1 Conta-Gotas  1 Balança Analítica  2 Erlenmeyer de 250 ml

Primeiramente na bureta adicionou-se a solução de NaOH 0.: Neste sistema a substância acondicionada na Bureta se chamará titulante e a no Erlenmeyer de titulado ou analito. Obs.3.1) Preparação da Solução de NaOH Primeiramente preparou-se uma solução de 100 ml de Hidróxido de Sódio a 0. pois qualquer impureza pode interferir na análise.: Todas as vidrarias devem estar secas e limpas. 2 . Em seguida adicionou-se água destilada no Balão de 100 ml até completar o volume de 100 ml .2) Reagentes utilizados  Hidróxido de Sódio .P.2) Titulação No procedimento de titulação montou-se o sistema conforme a imagem:  Bureta 25 ml  Suporte Universal  Garras  Erlenmeyer Obs.A ´C8H5KO4µ  Água destilada 4) Procedimento 4.1 mol/ seguindo o seguinte procedimento: Utilizando-se da balança pesou-se aproximadamente 0. em seguida agitou-se o balão até a completa dissolução do Hidróxido de Sódio. após a pesagem dissolveu-se em água destilada as lentilhas e transferiu-se Hidróxido para o balão volumétrico de 100 ml com auxilio e um funil.4 g de Hidróxido de Sódio em um Becker de 100 ml. 4.1 mol/ preenchendo-a até o ponto zero.A ´NaClµ  Biftalato de Potássio ² P.

M = Massa molar do Biftalato de Potássio. observando-se constantemente a mudança de cor da solução onde após a total mudança de cor constatou-se o término do processo. V= Volume gasto de Base em litros. Anotou-se o volume gasto de titulante.4284 g NaOH. Em seguida adicionou-se 15 ml de água destilada. Após a completa dissolução transferiu a solução para um erlenmeyer de 250 ml com auxilio de um funil. sempre tomando cuidado para que nenhuma gota a mais do titulante seja adicionada ao titulado. 5) Tratamento de dados Calculo da Molaridade real   m(g) = Massa do Biftalato de Potássio. Molaridade Teórica = 0. Após a mudança de cor fechou-se a torneira da bureta. agitando com um bastão de vidro até a completa dissolução do Biftalato de Potássio. O procedimento da titulação iniciou-se com a abertura da torneira da bureta pingando letamente sobre a solução de biftalato. = Molaridade da Base.001 Das massa de Biftalato foram pesadas as seguintes massas: 3 .Pesou-se de 0. Em seguida adicionou-se como indicador a Fenolftaleína. A solução de Biftalato de Potássio foi posicionada no sistema como titulado.11 g a 0.13g de Biftalato de Potássio em um Becker de 100 ml utilizando uma balança analítica. 6) Dados Obtidos Da massa de Hidróxido de Sódio foi pesado a massa de 0. Utilizando-se de todos os dados através do cálculo calculamos o fator de correção do Hidróxido de sódio.

80 ml Resultados dos Cálculos da molaridade real: Experimento 1 Experimento 2 Experimento 3 Experimento 4 0.Experimento 1 Experimento 2 Experimento 3 Experimento 4 0.1031 Mol/L 0.1049 Mol/L 0.0936 Mol/L 0.1137 g 0.0983 Mol/L Conclusão A conclusão é que a Soda apresentava um alto grau de pureza.1144 g 0.21 ml 5. http://www.htm 4 .40 ml 5. e que através da titulação conseguimos descobrir a concentração verdadeira da solução. Acesso dia 10/09/2010 ás 00:30.br/quimicanalitica/spadronizacao.ufpa.1117 g 0. Bibliografia UFPA Univeridade Federal do Paraná Padronização de Soluções.98 ml 5.1165 g Volumes de NaOH gastos: Experimento 1 Experimento 2 Experimento 3 Experimento 4 5. Com estes dados é possível calcular o fator de correção.

12) R: Quando você tem uma solução com concentração molar teórica e você necessitar da molaridade real da mesma.95% (obtida normalmente por recristalização). utilizando os valores da massa e a densidade encontrando o volume. bureta. e com estes dados deve-se pesar a água tarando o peso do recipiente. Serem suficientemente estáveis. é uma solução rigorosa (4 casas decimais). 10) R: Grau de pureza superior a 99. 14) R: Seguindo o conceito de BPL todos os equipamentos devem estar limpos e prontos para o uso. em seguida utilizar a densidade para encontrar o volume real do recipiente. 18) R: Primeiramente deve-se saber qual a densidade da água em determinada temperatura. 3) R: A padronização do NaOH é importante para calcularmos seu grau de pureza e no caso de soluções sua molaridade real. seletiva e completa com a substância a ser analisada. reagirem de uma forma rápida.1 M de NaOH significa a concentração em quantidade de matéria de uma Solução de Hidróxido de Sódio.Elevado peso molecular. 7) R: Não se pode fazer a titulação do NaOH em um sólido precisa-se ter uma solução aquosa do bifitalato com para que se efetue de fato a titulação. 5 . de concentração e natureza conhecidas. O M significa molar e pode ser representado por Mol/L.Não higroscópico. tendo sempre a massa e volume determinado. Não reagir com a luz. 13) R: As reações envolvidas são de neutralização ou dupla troca. erlenmayer e a espátula devem esta rigorosamente limpos e secos para que não haja a interferência na pesagem e na titulação. 5) R: São necessárias três titulações para que se possa ter uma média. no caso da volumétrica. no caso dos fortes utilizamos a fenolftaleína nos fracos o alaranjado de metila dentre outros que vão depender do ponto de viragem do mesmo. Titulação é o processo empregado em se determinar a quantidade de substância de uma solução pelo confronto com outra espécie química. pesagem errada do padrão primário no caso do Biftalato e manuseio distraído como no caso esquecer-se de colocar a fenolftaleína na solução de biftalato.Baixo custo e fácil acesso. 15) R: Perda do ponto de viragem. 16) R: Saber se o acido e a base a ser titulado é considerada forte ou fraca. 4) R: A fenolftaleína é um indicador ácido-base. nem reagirem com substâncias existentes no ar. Estável tanto em solução como no estado sólido. 11) R: Sólidos de alta pureza que podem ser usados para preparar soluções padrão. 2) R: A preparação da solução 0. refere-se ao momento em que o titulado reagiu completamente com o titulante. pois para cada caso tem um indicador especifico. 8) R: 9) R: Solução padrão é uma solução cuja concentração é conhecida.1 Molar deve ser preparada conforme os cálculos matemáticos. Não volátil.Questionário 1) R: 0. ou em casos onde se deseja calcular a pureza de uma substância.De fácil secagem (dessecação). onde ele indica a passagem de uma solução ácida pra álcali. 6) R: O principal componente da soda caustica é o Sódio em combinação com Hidroxila. 17) R: A origem da mudança de cor de um indicador são as reações entre um ácido e uma base pois os indicadores não participam da reação porém o meio em que estão interferem neles. Ponto de equivalência em um uma titulação.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful